BACTÉRIAS. Representantes do Reino Monera

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BACTÉRIAS. Representantes do Reino Monera"

Transcrição

1 BACTÉRIAS Representantes do Reino Monera

2 CARACTERÍSTICAS Procariontes Unicelulares Podem ser autotróficas ou heterotróficas (maioria) Dois grupos de bactérias distantemente relacionados são reconhecidos: Eubactérias: são os tipos comuns encontrados na água, solo e organismos vivos maiores. Arqueobactérias: são encontradas em ambientes inóspitos, como os pântanos, fontes termais, fundo do oceano, salinas, vulcões, fonte ácidas, etc.

3 MORFOLOGIA BACTERIANA

4 ESTRUTURA BACTERIANA

5 FUNÇÕES DAS ESTRUTURAS Nucleóide Região onde se observa o material genético bacteriano, composto de uma única molécula de DNA circular Membrana plasmática Controla a passagem de substâncias entre os meios intra e extracelular Citoplasma sede das reações celulares Parede celular Proporciona proteção e sustentação à célula bacteriana, é formada por peptidioglicano. Cápsula gelatinosa proporciona proteção Mesossomo relacionado a respiração celular

6 FUNÇÕES DAS ESTRUTURAS Plasmídio molécula de DNA circular que apresenta genes que conferem resistência à bactéria contra antibióticos Flagelo deslocamento celular Pili ou fímbrias estruturas de fixação e para troca de material genético durante a conjugação bacteriana. Ribossomos síntese protéica Inclusões grânulos de reserva

7 REPRODUÇÃO BACTERIANA ASSEXUADA: Simples divisão ou cissiparidade: a célula bacteriana cresce, têm seu material genético duplicado, e então, a célula se divide, dando origem a outra bactéria, geneticamente igual à outra.

8 Simples divisão

9 OBS.: Esporulação As bactérias podem originar esporos (endósporos), em condições ambientais desfavoráveis à reprodução. Endósporo: célula, formada no interior da célula vegetativa, altamente resistente ao calor, dessecação e outros agentes físicos e químicos, capaz de permanecer em estado latente por longos períodos e de germinar dando início à nova célula vegetativa. A esporulação tem início quando os nutrientes bacterianos se tornam escassos, geralmente pela falta de fontes de carbono e nitrogênio.

10 Esporo bacteriano (endósporo) forma resistente de vida latente

11 Formação do endósporo

12 PROCESSOS DE RECOMBINAÇÃO CONJUGAÇÃO BACTERIANA: DNA passa diretamente da bactéria doadora para a bactéria receptora, através de pelos sexuais (pili ou fimbrias sexuais)

13 RECOMBINAÇÃO GENÉTICA TRANSFORMAÇÃO BACTERIANA Bactéria absorve moléculas de DNA dispersas no meio, provenientes de outras bactérias (mortas, por exemplo).

14 PROCESSOS DE RECOMBINAÇÃO TRANSDUÇÃO BACTERIANA Mecanismos de recombinação gênica, no qual DNA bacteriano é transferido de uma linhagem para outra por meio de um vírus bacteriófago.

15 CLASSIFICAÇÃO BACTERIANA: Quanto a nutrição

16 CLASSIFICAÇÃO BACTERIANA Coloração de Gram

17 MÉTODO DE GRAM Consiste em tratar bactérias com dois tipos de corantes, um violeta e um rosa. Bactérias Gram Positivo: retêm ambos os corantes apresentando coloração violeta ao microscópio Bactérias Gram Negativa: perdem o corante violeta, retendo o apenas o rosa, apresentando então coloração rosa ao microscópio.

18

19 IMPORTÂNCIA BACTERIANA Decomposição: atuam na reciclagem da matéria, devolvendo ao ambiente moléculas e elementos químicos reutilizáveis por outros seres vivos. Fermentação: algumas bactérias são utilizadas nas indústrias para produzir iogurte, queijo, etc (derivados do leite) Indústria farmacêutica: na fabricação de antibióticos e vitaminas Indústria química: na produção de alcoóis, como metanol, etanol, etc; Genética: com a alteração de seu DNA, pode-se fazer produtos de interesse dos seres humanos, como insulina Fixação do Nitrogênio: retiram o nitrogênio do ar e o fixa no solo, servindo de alimentação para as plantas

20 BACTÉRIAS EXÓTICAS ACTINOMICETOS Bactérias que formam colônias filamentosas muito semelhantes a fungos. MIXOBACTÉRIAS Bactérias que vivem em ambientes ricos em matéria orgânica em decomposição. Suas colônias secretam substâncias, que matam outras bactérias das quais se alimentam. Algumas se alimentam de celulose.

21 BACTÉRIAS EXÓTICAS MICOPLASMA Bactérias que não possuem parede celular, com capacidade de formar colônias filamentosas. Inicialmente designadas PPLO (Pleuro-Pneumonia Like Organisms) Exemplos: Mycoplasma pneumoniae causador de uma forma de pneumonia. Mycoplasma genitalium causador de uretrites. Mycoplasma hominis pode casuar abortos e esterilidade.

22 BACTÉRIAS EXÓTICAS CLAMÍDIAS E RICKÉTTSIAS Parasitas intracelulares obrigatórios Portadoras de parede celular com peptidioglicano Diferenças: Clamídias: produzem formas resistentes semelhantes a esporos, que permitem a disseminação pelo ar. Rickéttsias: não apresentam formas de resistência, por isso não conseguem sobreviver fora do corpo dos hospedeiros.

23 Doenças causadas por Clamydias e Rickéttsias ESPÉCIE Clamydia trachomatis DOENÇA CAUSADA Tracoma infecção nos olhos Linfogranuloma venéreo infecção nos órgão urogenitais Uretrite - infecção nos órgão urogenitais Clamydia psittaci Clamydia pneumoniae Rickettsia prowazekii Rickettsia typhi Ornitose (psittacose) tipo de pneumonia, transmitida por aves. Pneumonia branda (pneumonia clamidial) Tifo epidêmico transmitido pelo piolho do corpo, quando as fezes do piolho contaminam ferimentos na pele. Causa febre alta e persistente, alterações na permeabilidade de vasos sanguíneos, hemorragias e morte. Tifo murino transmitido por pulgas de rato. Causa febre alta e persistente, alterações na permeabilidade de vasos sanguíneos, hemorragias e morte.

24 ARQUEAS Procariontes mais primitivos geneticamente semelhantes a seres eucariotos; Habitam ambientes extremos; Podem ser: HALÓFILAS: habitam águas com altas concentrações salinas. TERMOACIDÓFILAS: suportam condições extremas de acidez e temperatura. METANOGÊNICAS: anaeróbicas obrigatórias que vivem em pântanos e no tubo digestório de cupins e animais herbívoros, onde produzem gás metano.

25 PRINCIPAIS DOENÇAS CAUSADAS POR BACTÉRIAS Tuberculose: AG. CAUSADOR: Mycobacterium tuberculosis (bacilo de Koch) SINTOMAS: tosse persistente, emagrecimento, febre, fadiga, expectoração de sangue. CONTÁGIO: normalmente por inalação TRATAMENTO: antibióticos PREVENÇÃO: vacina BCG (crianças) Hanseníase (lepra) AG. CAUSADOR: bacilo de Hansen (Mycobacterium leprae) SINTOMAS: causa lesões na pele, nas mucosas e nos nervos (leva a falta de sensibilidade na pele). TRATAMENTO: antibiótico, levando a recuperação total. CONTÁGIO: contato com secreções contaminadas de pessoas doentes; as bactérias penetram no corpo através de pequenas lesões na pele e mucosa.

26 PRINCIPAIS DOENÇAS CAUSADAS POR BACTÉRIAS Coqueluche: AG. CAUSADOR: bactéria Bordetella pertussis. SINTOMAS: tose intensa CONTÁGIO: inalação de bactérias eliminadas durante a tosse de pessoas infectadas. PREVENÇÃO: vacinação aos 2 meses de idade TRATAMENTO: antibióticos específicos Pneumonia bacteriana: AG. CAUSADOR: bactéria Streptococcus pneumoniae. SINTOMAS: febre, dificuldade respiratória, dor no peito e nas costas, tosse com expectoração. CONTÁGIO: inalação de bactérias eliminadas com secreções respiratórias por pessoas infectadas. TRATAMENTO: antibióticos específicos PREVENÇÃO: vacinação

27 PRINCIPAIS DOENÇAS CAUSADAS POR BACTÉRIAS Escarlatina: AG. CAUSADOR: bactéria Streptococcus pyogenes. SINTOMAS: dor de garganta, dores musculares, nauseas, vômitos, tonsilas inflamadas e com pus, saliências na língua, erupções na pele, manchas vermelhas na pele. CONTÁGIO: inalação de bactérias eliminadas com secreções respiratórias por pessoas infectadas. TRATAMENTO: antibióticos específicos Tétano: AG. CAUSADOR: bacilo do tétano (Clostridium tetani). SINTOMAS: as toxinas liberadas pela bactéria atuam sobre os nervos provocando fortes contrações musculares; morte por parada respiratória e cardíaca. CONTÁGIO: esporos penetram no corpo através de lesões profunda na pele. PREVENÇÃO: vacinação ou soro antitetânico

28 PRINCIPAIS DOENÇAS CAUSADAS POR BACTÉRIAS Leptospirose: AG. CAUSADOR: bactéria Leptospira interrogans. SINTOMAS: febre alta, calafrios, dores de cabeça, musculares e articulares; complicações renais e hepáticas. CONTÁGIO: água, alimentos e objetos contaminados por urina de ratos, cães e outros animais portadores da bactéria. Difteria: AG. CAUSADOR: bacilo diftérico (Corynebacterium dyphtheriae) SINTOMAS: dor de garganta, febre, mal estar inchaço do pescoço, dificuldade de falar e engolir. As bactérias podem produzir toxinas que atacam o coração e os rins podendo levar a morte. CONTÁGIO: inalação de bactérias eliminadas com secreções respiratórias por pessoas infectadas. TRATAMENTO: antibióticos específicos e soro antitoxina PREVENÇÃO: vacina nos primeiros meses de vida

29 PRINCIPAIS DOENÇAS CAUSADAS POR BACTÉRIAS Gonorréia ou blenorragia: AG. CAUSADOR: gonococo (Neisseria gonorrhoeae). SINTOMAS: ardor ao urinar, secreção uretral amarelada. Em mulheres os sintomas são pouco evidentes, podendo causar esterilidade. No recém nascido pode levar a cegueira. CONTÁGIO: relações sexuais e da mãe para o filho no parto. PREVENÇÃO: preservativos TRATAMENTO: antibióticos específicos Sífilis: AG. CAUSADOR: bactéria Treponema pallidum. SINTOMAS: cancro duro nos órgãos genitais, lesões escamosas na pele e mucosas, lesões na palma das mãos e plantas dos pés, dores no corpo, febre, dores de cabeça e falta de disposição, problemas mentais, dificuldade de coordenação motora e cegueira CONTÁGIO: relações sexuais e da mãe para o feto PREVENÇÃO: evitar contato íntimo com pessoas contaminadas TRATAMENTO: antibióticos específicos

30 PRINCIPAIS DOENÇAS CAUSADAS POR BACTÉRIAS Cólera: AG. CAUSADOR: bactéria Vibrio cholerae, o vibrião colérico. SINTOMAS: vômito, diarreia, desidratação que pode leva a morte. CONTÁGIO: ingestão de água ou alimentos contaminados com fezes de portadores. TRATAMENTO: antibióticos específicos, reposição de líquidos e sais minerais Febre tifóide: AG. CAUSADOR: bactéria Salmonella typhi. SINTOMAS: febre, dor de cabeça, diarreia (após três semanas). Pode ocorrer perfuração no intestino e morte. CONTÁGIO: ingestão de água ou alimentos contaminados com fezes de portadores. TRATAMENTO: antibióticos específicos, reposição de líquidos e sais minerais.

31 PRINCIPAIS DOENÇAS CAUSADAS POR BACTÉRIAS PESTE: AG. CAUSADOR: Yersinia pestis SINTOMAS: inchaço de linfonodos das virilhas e axilas, febre. CONTÁGIO: picada da pulga do rato contaminada ou por ferimentos e arranhões causados por animais infectados (cães ou gatos). PREVENÇÃO: combater pulgas e ratos e evitar animais infectados TRATAMENTO: antibióticos específicos MENINGITE: AG. CAUSADOR: Neisseria meningitidis, Hemophilus influenzae ou Streptococus pneumoniae. SINTOMAS: as bactérias provocam inflamações nas meninges, produzindo febre alta, dores de cabeça intensas, rigidez no pescoço e vômitos. Pode levar a morte. COTÁGIO: inalação de gotículas de saliva ou secreção nasal contaminadas com as bactérias. PREVENÇÃO: evitar aglomerações em ambientes pouco ventilados e contato com pessoas contaminadas, além de vacinação. TRATAMENTO: utilização de antibióticos específicos.

32 Cianobactérias ou algas azuis CARACTERIZAÇÃO: Unicelulares, procariontes, individuais ou coloniais. Não possuem plastos; Seus pigmentos fotossintetizantes acham-se dissolvidos no citoplasma. PIGMENTOS MAIS COMUNS: clorofila a, os carotenos e as xantofilas, além de ficocianina (pigmento azul) e ficoeritrina (pigmento vermelho). OCORRÊNCIA: água doce, água salgada e em solos úmidos, bem como recobrindo superfícies rochosas e troncos de árvores.

33 ESTRUTURA DE CIANOBACTÉRIA

34 Estrutura de cianobactéria filamentosa

35 ESTRUTURA DE CIANOBACTÉRIA - Filamentosa

36 OBS.:Algumas espécies de cianobactérias produzem células diferenciadas: Heterocistos: especializados na fixação de nitrogênio; Acinetos: células com paredes espessas que guardam, em seu interior, grânulos com substâncias de reserva. Ao guardar grandes quantidades de substância, o acineto torna-se pesado, e o filamento tende a se partir, liberando esta célula no ambiente, assim, ela atuará como um esporo de resistência no sedimento. Caso as condições ambientais voltem a ser favoráveis, o acineto entra em divisão, dando origem ao filamento e a bainha que o envolve, formando uma cianobactéria idêntica a inicial.

37 Cianobactéria com acineto

38 Reprodução em cianobactérias Assexuada, por divisão binária. As formas filamentosas podem reproduzir-se assexuadamente por fragmentação ou hormogônia: quebram-se em alguns pontos, dando origem a vários fragmentos pequenos chamados hormogônios, que, por divisão de suas células, darão origem a novas colônias filamentosas. Algumas formas coloniais filamentosas produzem esporos resistentes.

39 Hormogônia pequenos fragmentos de cianobactérias capazes de reconstituir a colônia

40 A importância das Cianobactérias Capacidade de fixar nitrogênio atmosférico Realizar fotossíntese Obs.: Ambas características acima permitem a proliferação desses organismos em ambientes naturais onde outros grupos biológicos normalmente não se desenvolvem.

COLÉGIO SÃO JOSÉ. 7º ano- Ciências Ensino Fundamental Professora Vanesca 2015

COLÉGIO SÃO JOSÉ. 7º ano- Ciências Ensino Fundamental Professora Vanesca 2015 COLÉGIO SÃO JOSÉ 7º ano- Ciências Ensino Fundamental Professora Vanesca 2015 REINO MONERA - Formado por bactérias (heterótrofas) e algas azuis (autótrofas) Célula bacteriana Ribossomos Citoplasma Membrana

Leia mais

Constituição. Fímbrias (Pili) Enzimas relacionadas com a respiração, ligadas à face interna da membrana plasmática

Constituição. Fímbrias (Pili) Enzimas relacionadas com a respiração, ligadas à face interna da membrana plasmática Bactéria Constituição Ribossomos Citoplasma Membrana plasmática Parede celular Mesossomo Cápsula Fímbrias (Pili) Enzimas relacionadas com a respiração, ligadas à face interna da membrana plasmática Flagelo

Leia mais

REINO MONERA BACTÉRIAS

REINO MONERA BACTÉRIAS REINO MONERA BACTÉRIAS 7º ANO - CIÊNCIAS PROFESSORA LISIANE VIEL MORFOLOGIA Parede celular DNA circular e pedaços de DNA = plastídeos Presença de flagelos = locomoção Ribossomos e grãos de glicogênio =

Leia mais

Reino Monera. Cianobactéria 9/9/2010. Classificação científica. Cianobactérias. Bactérias: Sem parede celular Micoplasma (pneumonia)

Reino Monera. Cianobactéria 9/9/2010. Classificação científica. Cianobactérias. Bactérias: Sem parede celular Micoplasma (pneumonia) Reino Monera Classificação científica Cianobactérias Domínio Bacteria Bactérias: Sem parede celular Micoplasma (pneumonia) Com parede celular Cianobactéria Fotossintetizantes (liberam O 2 ); Podem ser

Leia mais

O reino moneraé composto pelas bactériase cianobactérias(algas azuis). Elas podem viver em diversos locais, como na água, ar, solo, parasitas.

O reino moneraé composto pelas bactériase cianobactérias(algas azuis). Elas podem viver em diversos locais, como na água, ar, solo, parasitas. Reino Monera O reino moneraé composto pelas bactériase cianobactérias(algas azuis). Elas podem viver em diversos locais, como na água, ar, solo, dentro de animais e plantas, ou ainda, como parasitas. Existem

Leia mais

1. CARACTERÍSTICAS GERAIS: Estão divididas em dois grandes grupos: Arqueobactérias e Eubactérias; São unicelular, heterótrofo (bactérias) ou

1. CARACTERÍSTICAS GERAIS: Estão divididas em dois grandes grupos: Arqueobactérias e Eubactérias; São unicelular, heterótrofo (bactérias) ou 1. CARACTERÍSTICAS GERAIS: Estão divididas em dois grandes grupos: Arqueobactérias e Eubactérias; São unicelular, heterótrofo (bactérias) ou autótrofo (algas azuis); A única organela presente são os ribossomos;

Leia mais

Reino Monera. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com

Reino Monera. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com Reino Monera Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com Reino Monera Grupo formado por bactéria e cianobactérias. Discute-se que sejam parecidos com as primeiras formas de vida. Bactérias Procariontes

Leia mais

ACNE. CAUSADOR Propionibacterium acnes. CONTAMINAÇÃO Alterações hormonais Proliferação de bactérias comuns da pele

ACNE. CAUSADOR Propionibacterium acnes. CONTAMINAÇÃO Alterações hormonais Proliferação de bactérias comuns da pele BACTERIOSES MONERA PELE ACNE CAUSADOR Propionibacterium acnes CONTAMINAÇÃO Alterações hormonais Proliferação de bactérias comuns da pele SINTOMAS Acúmulo de secreção Formação de pontos brancos ERISIPELA

Leia mais

Biologia 1ª série. Reino Monera

Biologia 1ª série. Reino Monera Biologia 1ª série Reino Monera Características do reino Monera São organismos unicelulares isoladas ou coloniais; Procariontes; Nutrição autotrófica e heterotrófica; Classificação de acordo com a forma

Leia mais

Bactérias e Doenças Associadas

Bactérias e Doenças Associadas Bactérias e Doenças Associadas Disenteria Bacilar Agente Etiológico: Bactérias do gênero Shigella Forma de transmissão: Água e alimentos contaminados com as fezes dos doentes. Sintomas: Infecção intestinal,

Leia mais

Organismos procariontes

Organismos procariontes Organismos procariontes Morfologia Produção de compostos orgânicos Heterótrofa Autótrofa Obtêm átomos de carbono de moléculas orgânicas que captam do ambiente. Utilizam gás carbônico para produzir suas

Leia mais

Aula 19 Bactérias e Vírus

Aula 19 Bactérias e Vírus Aula 19 Bactérias e Vírus Bactérias As bactérias pertencem ao Reino Monera. Suas células são denominadas procarióticas devido à ausência do envoltório nuclear; no citoplasma, encontramos o material genético

Leia mais

BACTÉRIAS EXISTÊNCIA ESTRUTURA CLASSIFICAÇÃO REPRODUÇÃO BENEFÍCIOS E PATOGENIDADE

BACTÉRIAS EXISTÊNCIA ESTRUTURA CLASSIFICAÇÃO REPRODUÇÃO BENEFÍCIOS E PATOGENIDADE BACTÉRIAS EXISTÊNCIA ESTRUTURA CLASSIFICAÇÃO REPRODUÇÃO BENEFÍCIOS E PATOGENIDADE CARACTERISTICAS Bactérias são procariontes Procariontes: organismos unicelulares e microscópicos que não possuem núcleo

Leia mais

Reino Monera. Procariontes. Mesossomo: dobra da membrana onde ocorre produção de energia. Bactérias e Arqueas.

Reino Monera. Procariontes. Mesossomo: dobra da membrana onde ocorre produção de energia. Bactérias e Arqueas. Reino Monera Domínios: Reino Monera Bactérias e Arqueas. Procariontes. Unicelulares Apenas ribossomos como organóides. Revestimento: parede celular e membrana plasmática. Mesossomo: dobra da membrana onde

Leia mais

BACTÉRIAS. Prof. Kauê Costa kaue.costa@ymail.com 2014

BACTÉRIAS. Prof. Kauê Costa kaue.costa@ymail.com 2014 BACTÉRIAS Prof. Kauê Costa kaue.costa@ymail.com 2014 A célula bacteriana Estruturas bacterianas Parede celular Multicamadas. A camada interna é composta por peptideoglicanos; a camada externa varia quanto

Leia mais

Morfologia e Estrutura das Bactérias. Patrícia de Lima Martins

Morfologia e Estrutura das Bactérias. Patrícia de Lima Martins Morfologia e Estrutura das Bactérias Patrícia de Lima Martins Considerações Gerais- A célula Os seres vivos formados por células podem ser divididos em: Unicelulares: Seres vivos formados por uma única

Leia mais

VÍRUS E BACTÉRIAS. Disciplina: Ciências Série: 6ª série EF - 1º TRIM Professora: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Vírus e Bactérias

VÍRUS E BACTÉRIAS. Disciplina: Ciências Série: 6ª série EF - 1º TRIM Professora: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Vírus e Bactérias Disciplina: Ciências Série: 6ª série EF - 1º TRIM Professora: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Vírus e Bactérias VÍRUS E BACTÉRIAS Vírus e bactérias foram, por muito tempo, juntamente com seres unicelulares

Leia mais

biologia 2 biologia dos organismos

biologia 2 biologia dos organismos 1 leitura Algumas doenças humanas causadas por bactérias I. Doenças bacterianas associadas à pele Acne Provavelmente a doença de pele mais comum, afetando sobretudo adolescentes. Resulta do bloqueio dos

Leia mais

M i c r o Z o o m. - um jogo de observação e memória -

M i c r o Z o o m. - um jogo de observação e memória - M i c r o Z o o m - um jogo de observação e memória - Material de Apoio Raiva A raiva é uma doença fatal. Isso significa que se uma pessoa que se uma pessoa não vacinada for contaminada pelo vírus da raiva

Leia mais

Prof.: Eduardo Borges

Prof.: Eduardo Borges Bacterioses Prof.: MSc. Eduardo Borges 1. Meningite meningocócica: Agente etiológico: Neisseria meningitides. (meningicoco) O que ocorre? Inflamação das meninges, membrana que envolve os órgãos do sistema

Leia mais

MORFOLOGIA B A C T É R I A S

MORFOLOGIA B A C T É R I A S MORFOLOGIA B A C T É R I A S PAREDE CELULAR B A C T É R I A S FLAGELOS B A C T É R I A S FORMAS B A C T É R I A S NUTRIÇÃO B A C T É R I A S São agrupadas em 4 categorias de acordo com a fonte de ENERGIA

Leia mais

EXERCÍCIOS DE CIÊNCIAS (7 ANO)

EXERCÍCIOS DE CIÊNCIAS (7 ANO) EXERCÍCIOS DE CIÊNCIAS (7 ANO) 1- Uma das etapas do ciclo de vida é o processo da reprodução. O comportamento reprodutivo varia muito entre os seres vivos e é por meio dele que uma espécie de ser vivo

Leia mais

Sistema Imunológico Doenças Virais e Bacterianas. Prof. Rafael Rosolen T Zafred

Sistema Imunológico Doenças Virais e Bacterianas. Prof. Rafael Rosolen T Zafred Sistema Imunológico Doenças Virais e Bacterianas Prof. Rafael Rosolen T Zafred Sistema Imunológico Sistema não formado, centralmente, por órgãos; Funcionamento efetivo por tipos celulares presentes na

Leia mais

Matéria: Biologia Assunto: qualidade de vida Prof. Enrico Blota

Matéria: Biologia Assunto: qualidade de vida Prof. Enrico Blota Matéria: Biologia Assunto: qualidade de vida Prof. Enrico Blota Biologia Qualidade de vida Imunidade Imunologia é o ramo que estuda as formas de combate a agentes invasores patogênicos, bem como substâncias

Leia mais

Contaminação: água e alimentos contaminados com fezes de pessoas portadoras do vírus.

Contaminação: água e alimentos contaminados com fezes de pessoas portadoras do vírus. SAÚDE AMBIENTAL DOENÇAS CAUSADAS PELA FALTA DE SANEAMENTO BÁSICO HEPATITE A Doença causada por vírus. Contaminação: água e alimentos contaminados com fezes de pessoas portadoras do vírus. Falta de higiene,

Leia mais

ESTRUTURA VIRAL. Visualização: apenas ao ME. Não apresentam estrutura celular (acelulares) Estrutura básica: Cápsula protéica (capsídeo)

ESTRUTURA VIRAL. Visualização: apenas ao ME. Não apresentam estrutura celular (acelulares) Estrutura básica: Cápsula protéica (capsídeo) VÍRUS CARACTERÍSTICAS Organismos acelulares Não possuem metabolismo Características vitais: Reprodução Evolução Possui grande capacidade proliferativa Só se reproduz no interior de células que estejam

Leia mais

Unidade I Energia: Transformação e Conservação Aula 4.2 Conteúdo: O Reino Monera

Unidade I Energia: Transformação e Conservação Aula 4.2 Conteúdo: O Reino Monera A A Unidade I Energia: Transformação e Conservação Aula 4.2 Conteúdo: O Reino Monera A A Habilidades: Identificar as características gerais dos representantes do Reino Monera. Reconhecer a importância

Leia mais

BACTÉRIAS EXISTÊNCIA ESTRUTURA BENEFÍCIOS DOENÇAS HUMANAS RESISTENCIA A ANTIBÍOTICOS

BACTÉRIAS EXISTÊNCIA ESTRUTURA BENEFÍCIOS DOENÇAS HUMANAS RESISTENCIA A ANTIBÍOTICOS BACTÉRIAS EXISTÊNCIA ESTRUTURA BENEFÍCIOS DOENÇAS HUMANAS RESISTENCIA A ANTIBÍOTICOS CARACTERÍSTICAS Bactérias são procariontes e unicelulares. OBS: células procarióticas apresentam, parede celular, membrana

Leia mais

BACTERIOSES HUMANAS. MEIO AMBIENTE E MICROORGANISMOS Professor Esp. André Luís Souza Stella

BACTERIOSES HUMANAS. MEIO AMBIENTE E MICROORGANISMOS Professor Esp. André Luís Souza Stella MEIO AMBIENTE E MICROORGANISMOS Professor Esp. André Luís Souza Stella BOTULISMO AGENTE ETIOLÓGICO: Clostridium botulinum TRANSMISSÃO: enlatados, conservas e embalados a vácuo são os mais vulneráveis pois

Leia mais

SISTEMA IMUNOLÓGICO SISTEMA IMUNOLÓGICO SISTEMA IMUNOLÓGICO

SISTEMA IMUNOLÓGICO SISTEMA IMUNOLÓGICO SISTEMA IMUNOLÓGICO Biologia Aula: 09 e 10 Prof. Oromar UMA PARCERIA Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.BR Visite a loja virtual www.conquistadeconcurso.com.br MATERIAL DIDÁTICO EXCLUSIVO PARA ALUNOS

Leia mais

MicroBingo TABELA GERAL

MicroBingo TABELA GERAL MicroBingo TABELA GERAL DOENÇAS CAUSADAS POR VÍRUS Poliomielite (paralisia infantil) pelo Poliovírus. que causa esta doença é oral (boca) ou fecal (fezes) e pode contaminar quem não tomou as Gotinhas do

Leia mais

Características Gerais das Bactérias

Características Gerais das Bactérias Universidade Estadual do Oeste do Paraná Especialização em Microbiologia Aplicada Características Gerais das Bactérias Profª. Graziela Braun Características Gerais das Bactérias Morfologia Cocos: bactérias

Leia mais

CONCEITOS GERAIS DE MICROBIOLOGIA

CONCEITOS GERAIS DE MICROBIOLOGIA CONCEITOS GERAIS DE MICROBIOLOGIA Prof. Sharline Florentino de Melo Santos UFPB CT - DEQ PRINCIPAIS ESQUEMAS DE CLASSIFICAÇÃO DOS ORGANISMOS VIVOS Esquema de classificação Reinos Linnaeus (1753) Plantae

Leia mais

Conheça as principais DSTs e confira as dicas de prevenção que o Instituto Corpore preparou para você:

Conheça as principais DSTs e confira as dicas de prevenção que o Instituto Corpore preparou para você: Conheça as principais DSTs e confira as dicas de prevenção que o Instituto Corpore preparou para você: CANCRO MOLE Pode ser chamada também de cancro venéreo. Popularmente é conhecida como cavalo. Manifesta-se

Leia mais

Resoluções das atividades

Resoluções das atividades Resoluções das atividades Sumário Capítulo 5 Reino Monera...1 Capítulo 6 Doenças causadas por bactérias...2 Capítulo 7 Reino Fungi...4 Capítulo 5 Reino Monera arqueas são mais semelhantes às encontradas

Leia mais

Gabarito Caderno de atividades Biologia - Diversidade da Vida Volume 1-2013

Gabarito Caderno de atividades Biologia - Diversidade da Vida Volume 1-2013 Gabarito Caderno de atividades Biologia - Diversidade da Vida Volume 1-2013 1. A origem da vida na Terra 1) A 2) B 3) E 4) E 5) C 6) C 7) C 8) C 9) D 10) C 11) A 12) C 13) C 14) B 15) D 2. A evolução biológica

Leia mais

BIOLOGIA. (A) a transmissão se dá pela ingestão de alimentos contaminados. (B) o mosquito transmissor da doença se reproduz em locais com água parada.

BIOLOGIA. (A) a transmissão se dá pela ingestão de alimentos contaminados. (B) o mosquito transmissor da doença se reproduz em locais com água parada. BIOLOGIA 21ª QUESTÃO A dengue é uma doença infecciosa aguda causada por vírus. Seus principais sintomas são febre súbita, fortes dores musculares, moleza, dor de cabeça, manchas vermelhas no corpo e dores

Leia mais

GOIÂNIA, / / 2015. PROFESSOR: Mário Neto. DISCIPLINA: Ciências da Natureza SÉRIE: 3º

GOIÂNIA, / / 2015. PROFESSOR: Mário Neto. DISCIPLINA: Ciências da Natureza SÉRIE: 3º GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: Mário Neto DISCIPLINA: Ciências da Natureza SÉRIE: 3º ALUNO(a): No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

Leia mais

Doença Agente Transmissão Quadro Clinico Prevenção

Doença Agente Transmissão Quadro Clinico Prevenção Doença Agente Transmissão Quadro Clinico Prevenção Resfriado Parainfluenza Pelas vias aéreas Coriza, obstrução nasal, diminuição do olfato e do paladar, espirros, tosse, garganta inflamada, rouquidão,

Leia mais

REINO MONERA. 4. Espirilos ou espiroquetas têm o formato de uma mola ou espiral. Ex.: leptospirose e sífilis.

REINO MONERA. 4. Espirilos ou espiroquetas têm o formato de uma mola ou espiral. Ex.: leptospirose e sífilis. REINO MONERA Este reino compreende organismos unicelulares e procariontes, isto é, não possuem carioteca. A maioria é heterótrofa, mas algumas espécies são capazes de produzir seu próprio alimento através

Leia mais

Exercícios de Monera e Principais Bacterioses

Exercícios de Monera e Principais Bacterioses Exercícios de Monera e Principais Bacterioses 1. (Fuvest) O organismo A é um parasita intracelular constituído por uma cápsula protéica que envolve a molécula de ácido nucléico. O organismo B tem uma membrana

Leia mais

AULA 1 ORGANIZAÇÃO CELULAR DOS SERES VIVOS

AULA 1 ORGANIZAÇÃO CELULAR DOS SERES VIVOS AULA 1 ORGANIZAÇÃO CELULAR DOS SERES VIVOS Apesar da diversidade entre os seres vivos, todos guardam muitas semelhanças, pois apresentam material genético (DNA) em que são encontradas todas as informações

Leia mais

Seres muito simples: cápsula protéica envolvendo o material genético (DNA ou RNA) Vírus que infectam Bactérias

Seres muito simples: cápsula protéica envolvendo o material genético (DNA ou RNA) Vírus que infectam Bactérias Seres muito simples: cápsula protéica envolvendo o material genético (DNA ou RNA) Estrutura de Vírus Menores que as menores células conhecidas Vírus que infectam Bactérias Exemplo: vírus que infectam a

Leia mais

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO 1/8 O inverno chegou e junto com ele maiores problemas com as doenças respiratórias entre outras Isso não ocorre por acaso já que pé nesta estação onde

Leia mais

A biodiversidade em diferentes ambientes. http://www.prof2000.pt/users/ccaf/exercicios/ecossistemas/biomas.htm

A biodiversidade em diferentes ambientes. http://www.prof2000.pt/users/ccaf/exercicios/ecossistemas/biomas.htm A biodiversidade em diferentes ambientes http://www.prof2000.pt/users/ccaf/exercicios/ecossistemas/biomas.htm Unidade básica da vida a célula Quem foi Robert Hooke? Por volta de 1667, o cientista inglês

Leia mais

Várias classificações já foram propostas. Adotaremos a classificação proposta por Whittaker e adotada pelo naturalista sueco Lineu (1707-1778).

Várias classificações já foram propostas. Adotaremos a classificação proposta por Whittaker e adotada pelo naturalista sueco Lineu (1707-1778). NOMENCLATURA CIENTÍFICA E AS CATEGORIAS TAXONÔMICAS Nome científico de uma espécie Para escrevermos o nome científico de uma espécie, utilizamos as regras propostas por Lineu: 1. O nome deve ser escrito

Leia mais

AVICULTURA ALTERNATIVA

AVICULTURA ALTERNATIVA AVICULTURA ALTERNATIVA Principais doenças e métodos de prevenção São várias as doenças que atacam as aves, a maioria são doenças respiratórias. Aspergilose é uma infecção que ataca as aves, sendo provocada

Leia mais

Ciências REINO PROTISTA. Professora: Laila Bekai

Ciências REINO PROTISTA. Professora: Laila Bekai Ciências REINO PROTISTA Professora: Laila Bekai 7o ano São unicelulares e pluricelulares São eucariontes possuem um núcleo individualizado, envolvido por uma membrana. Os principais representantes desse

Leia mais

VÍRUS. Fonte: http://rounielo.blogspot.com.br/2011/05/parte-30-foto-em-3-d-do-virus-da-aids.html

VÍRUS. Fonte: http://rounielo.blogspot.com.br/2011/05/parte-30-foto-em-3-d-do-virus-da-aids.html VÍRUS Fonte: http://rounielo.blogspot.com.br/2011/05/parte-30-foto-em-3-d-do-virus-da-aids.html RESUMO -Os vírus não pertencem a nenhum reino específico, são estudados como um caso à parte. -Os vírus são

Leia mais

Bacterioses. Prof. Wbio

Bacterioses. Prof. Wbio Bacterioses Prof. Wbio Toxinas produzidas por cinaobactérias Microcistinas hepatotóxicas ( encontradas em várias espécies em todo o planeta); Nodularin - primeira toxina descoberta de cianobactéria causou

Leia mais

PROFESSOR GUILHERME BIOLOGIA

PROFESSOR GUILHERME BIOLOGIA Laranjeiras do Sul: Av. 7 de Setembro, 1930. Fone: (42) 3635 5413 Quedas do Iguaçu: Pça. Pedro Alzide Giraldi, 925. Fone: (46) 3532 3265 www.genevestibulares.com.br / contato@genevestibulares.com.br PROFESSOR

Leia mais

b) Explique por que eles são considerados parasitas intracelulares obrigatórios.

b) Explique por que eles são considerados parasitas intracelulares obrigatórios. 1º BIM P2 LISTA DE EXERCÍCIOS CIÊNCIAS 7º ANO Aluno (a): Professor: Turma: Turno:... Data: / /2014 Unidade: ( ) Asa Norte ( ) Águas Lindas ( )Ceilândia ( ) Gama ( )Guará ( ) Pistão Norte ( ) Recanto das

Leia mais

DSTs. Como é contraída; Como evitar; Como tratar. PIBID:Fernanda Alves,Fernanda Gallon,Luciana Catardo e Priscila Faccinello

DSTs. Como é contraída; Como evitar; Como tratar. PIBID:Fernanda Alves,Fernanda Gallon,Luciana Catardo e Priscila Faccinello DSTs Como é contraída; Como evitar; Como tratar PIBID:Fernanda Alves,Fernanda Gallon,Luciana Catardo e Priscila Faccinello O que são DSTs? A sigla DSTs quer dizer doenças sexualmente transmissíveis;ou

Leia mais

VIROLOGIA HUMANA. Professor: Bruno Aleixo Venturi

VIROLOGIA HUMANA. Professor: Bruno Aleixo Venturi VIROLOGIA HUMANA Professor: Bruno Aleixo Venturi O que são vírus? A palavra vírus tem origem latina e significa "veneno". Provavelmente esse nome foi dado devido às viroses, que são doenças causadas por

Leia mais

Biologia. Setor 1423 Móds. 03 a 06. Prof. Rafa

Biologia. Setor 1423 Móds. 03 a 06. Prof. Rafa Biologia Setor 1423 Móds. 03 a 06 Prof. Rafa PROTISTAS PROTISTAS ALGAS FOTOSSINTETIZANTES PROTOZOÁRIOS PARASITAS Protozoários (Reino Protista) Características: Estrutura Formas de vida Eucariontes Unicelulares

Leia mais

Aula: 10.2 Conteúdos: Clamídia, Sífilis, Gonorreia, Herpes, HPV, HIV.

Aula: 10.2 Conteúdos: Clamídia, Sífilis, Gonorreia, Herpes, HPV, HIV. A A Aula: 10.2 Conteúdos: Clamídia, Sífilis, Gonorreia, Herpes, HPV, HIV. 2 A A Habilidades: Conhecer algumas doenças sexualmente transmissíveis, analisando suas causas e consequências. 3 A A DST s Clamídia

Leia mais

Semana Europeia da Vacinação

Semana Europeia da Vacinação Diverte-te com esta Sopa de Letras sobre Vacinação: N A J I X S E B I G D F P O U M E R L H F S Q B I K R C W U O T A B H I G I E N E Y SAÚDE VACINA PREVENÇÃO BACTÉRIA IMUNIDADE CONTÁGIO HIGIENE INFEÇÃO

Leia mais

Vírus - Características Gerais. Seres acelulares Desprovidos de organização celular. Não possuem metabolismo próprio

Vírus - Características Gerais. Seres acelulares Desprovidos de organização celular. Não possuem metabolismo próprio vírus Vírus - Características Gerais Seres acelulares Desprovidos de organização celular Não possuem metabolismo próprio Capazes de se reproduzir apenas no interior de uma célula viva nucleada Parasitas

Leia mais

14-03-2010. As bactérias são os mais simples organismos vivos.

14-03-2010. As bactérias são os mais simples organismos vivos. OBSERVAÇÃO DE BACTÉRIAS USANDO A COLORAÇÃO DE GRAM As bactérias são organismos unicelulares procariontes. As bactérias têm um tamanho muito reduzido: mil milhões conseguem caber num centímetro quadrado

Leia mais

Reino Protista (aula II) Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com

Reino Protista (aula II) Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com Reino Protista (aula II) Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com Reino Protista Relembrando! Eucariontes Autótrofos ou heterótrofos; De vida livre, ou dentro de algum organismo, Parasita, mutualista

Leia mais

Trabalho Online. 3ª SÉRIE TURMA: 3101 2º Bimestre Nota: DATA: / /

Trabalho Online. 3ª SÉRIE TURMA: 3101 2º Bimestre Nota: DATA: / / Trabalho Online NOME: Nº.: DISCIPLINA: BIOLOGIA I PROFESSOR(A): LEANDRO 3ª SÉRIE TURMA: 3101 2º Bimestre Nota: DATA: / / 1. A seguir estão representados três modelos de biomembranas: a) A que constituintes

Leia mais

Parede celular. Membrana celular

Parede celular. Membrana celular 1. A célula como Unidade Básica de Vida A célula é a unidade básica da vida, uma vez que todos os seres vivos são formados por células. De acordo com o número de células, os seres vivos podem classificar-se

Leia mais

ORGANELAS CITOPLASMÁTICAS. Prof. Emerson

ORGANELAS CITOPLASMÁTICAS. Prof. Emerson ORGANELAS CITOPLASMÁTICAS Prof. Emerson Algumas considerações importantes: Apesar da diversidade, algumas células compartilham ao menos três características: São dotadas de membrana plasmática; Contêm

Leia mais

ZOOLOGIA - REINO MONERA

ZOOLOGIA - REINO MONERA ZOOLOGIA - REINO MONERA REINO MONERA Unicelulares Procariontes Isoladas ou Colônias Ausência de estruturas membranosas Autótrofos ou Heterótrofos Obrigatórios ou facultativos Aeróbico / Anaeróbico Bactéria

Leia mais

Questão 13. Questão 15. Questão 14. alternativa E. alternativa C

Questão 13. Questão 15. Questão 14. alternativa E. alternativa C Questão 13 A cidade de São Paulo, atravessada por dois grandes rios, Tietê e Pinheiros, e seus inúmeros afluentes, é freqüentemente assolada por grandes enchentes nos períodos chuvosos. Após as enchentes,

Leia mais

Educadora: Daiana Araújo C. Curricular:Ciências Naturais Data: / /2013 Estudante: 8º Ano

Educadora: Daiana Araújo C. Curricular:Ciências Naturais Data: / /2013 Estudante: 8º Ano Educadora: Daiana Araújo C. Curricular:Ciências Naturais Data: / /2013 Estudante: 8º Ano O termo célula foi usado pela primeira vez pelo cientista inglês Robert Hooke, em 1665. Por meio de um microscópio

Leia mais

2º ano do Ensino médio Lista de exercícios sobre vírus e bactérias

2º ano do Ensino médio Lista de exercícios sobre vírus e bactérias 1 2º ano do Ensino médio Lista de exercícios sobre vírus e bactérias 1) A palavra vírus vem do Latim virus que significa fluido venenoso ou toxina. Sobre os vírus biológicos, é correto afirmar-se que a)

Leia mais

VIROLOGIA. 1. Ebola 2. Febre Chikungunya

VIROLOGIA. 1. Ebola 2. Febre Chikungunya Instituto Federal de Santa Catarina Curso Técnico em Biotecnologia Unidade Curricular: Microbiologia VIROLOGIA 1. Ebola 2. Febre Chikungunya Prof. Leandro Parussolo Família: Filoviridae Gênero: Filovirus

Leia mais

Eubactérias e Arqueobactérias

Eubactérias e Arqueobactérias Bactérias Cianobactérias Arqueobactérias Doenças bacterianas Eubactérias e Arqueobactérias Dos cinco reinos biológicos, o reino monera é o mais primitivo, ou seja, seres pertencentes a esse reino foram

Leia mais

Agente Infectante. Vetor / Transmissão. Doença. Sinais e Sintomas Hemorragias na pele, no nariz e em outros locais. Febre, fraqueza, dores musculares.

Agente Infectante. Vetor / Transmissão. Doença. Sinais e Sintomas Hemorragias na pele, no nariz e em outros locais. Febre, fraqueza, dores musculares. Dengue Dengue Agente Infectante Arbovirus Vetor / Transmissão Picada do mosquito Aedes Aegypti Sinais e Sintomas Hemorragias na pele, no nariz e em outros locais. Febre, fraqueza, dores musculares. Profilaxia

Leia mais

Síndrome DST Agente Tipo Transmissã o Sexual Vaginose bacteriana Candidíase

Síndrome DST Agente Tipo Transmissã o Sexual Vaginose bacteriana Candidíase Síndrome DST Agente Tipo Transmissã o Sexual Vaginose bacteriana Candidíase Corrimentos Gonorréia Clamídia Tricomonías e múltiplos bactéria NÃO SIM Candida albicans Neisseria gonorrhoeae Chlamydia trachomatis

Leia mais

DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis. Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani.

DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis. Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani. DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani. O que são DSTS? São as doenças sexualmente transmissíveis (DST), são transmitidas, principalmente, por contato

Leia mais

NECESSIDADE BÁSICAS DOS SERES VIVOS. Estágio docência: Camila Macêdo Medeiros

NECESSIDADE BÁSICAS DOS SERES VIVOS. Estágio docência: Camila Macêdo Medeiros NECESSIDADE BÁSICAS DOS SERES VIVOS Estágio docência: Camila Macêdo Medeiros Necessidades básicas O planeta oferece meios que satisfaçam as necessidades básicas dos seres vivos. Necessidades básicas dos

Leia mais

CITOPLASMA. Características gerais 21/03/2015. Algumas considerações importantes: 1. O CITOPLASMA DAS CÉLULAS PROCARIÓTICAS

CITOPLASMA. Características gerais 21/03/2015. Algumas considerações importantes: 1. O CITOPLASMA DAS CÉLULAS PROCARIÓTICAS CITOPLASMA Algumas considerações importantes: Apesar da diversidade, algumas células compartilham ao menos três características: Biologia e Histologia São dotadas de membrana plasmática; Contêm citoplasma

Leia mais

D.S.T. CANCRO MOLE TRICOMO ÍASE CANDIDÍASE HERPES CONDILOMA LI FOGRA ULOMA GONORRÉIA SÍFILIS GRANULOMA AIDS

D.S.T. CANCRO MOLE TRICOMO ÍASE CANDIDÍASE HERPES CONDILOMA LI FOGRA ULOMA GONORRÉIA SÍFILIS GRANULOMA AIDS D.S.T D.S.T. CANCRO MOLE TRICOMO ÍASE CANDIDÍASE HERPES CONDILOMA LI FOGRA ULOMA GONORRÉIA SÍFILIS GRANULOMA AIDS CANCRO MOLE Agente: bactéria Haemophilus ducreyi Transmissão: sexo vaginal, anal ou oral

Leia mais

b) não é válida, se as espécies forem de classes diferentes.

b) não é válida, se as espécies forem de classes diferentes. 16 a Um ser humano adulto tem de 40 a 60% de sua massa corpórea constituída por água. A maior parte dessa água encontra-se localizada a) no meio intracelular. b) no líquido linfático. c) nas secreções

Leia mais

A pneumonia é uma doença inflamatória do pulmão que afecta os alvéolos pulmonares (sacos de ar) que são preenchidos por líquido resultante da

A pneumonia é uma doença inflamatória do pulmão que afecta os alvéolos pulmonares (sacos de ar) que são preenchidos por líquido resultante da 2 A pneumonia é uma doença inflamatória do pulmão que afecta os alvéolos pulmonares (sacos de ar) que são preenchidos por líquido resultante da inflamação, o que dificulta a realização das trocas gasosas.

Leia mais

ENSINO CURRICULUM NACIONAL. Staphylococcus

ENSINO CURRICULUM NACIONAL. Staphylococcus O Capítulo 1.3, Micróbios Nocivos, apresenta aos alunos a multiplicidade de doenças contagiosas provocadas por micróbios perigosos. Os alunos devem actuar como cientistas e agrupar uma série de doenças

Leia mais

Profa. Josielke Soares josisoares@ig.com.br

Profa. Josielke Soares josisoares@ig.com.br Profa. Josielke Soares josisoares@ig.com.br A célula é a menor unidade estrutural básica do ser vivo. A palavra célula foi usada pela primeira vez em 1667 pelo inglês Robert Hooke. Com um microscópio muito

Leia mais

Adultos e idosos também precisam se vacinar

Adultos e idosos também precisam se vacinar ANO VII N.º 10 Abril 2013 Canal de Comunicação da Sistel para os Usuários de Saúde Adultos e idosos também precisam se vacinar Na hora de cuidar da própria saúde, muitos adultos e idosos não dão importância

Leia mais

BATERIA DE EXERCÍCIOS Nº 02 7º ANO

BATERIA DE EXERCÍCIOS Nº 02 7º ANO Professor: CRISTINO RÊGO Disciplina: CIÊNCIAS Assunto: BIODIVERSIDADE, CLASSIFICAÇÃO E VÍRUS Belém /PA BATERIA DE EXERCÍCIOS Nº 02 7º ANO 1 - Entre as doenças abaixo, assinale a alternativa que contem

Leia mais

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 RESPIRAÇÃO E EXCREÇÃO

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 RESPIRAÇÃO E EXCREÇÃO Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! Use canetas coloridas ou escreva palavras destacadas, para facilitar na hora de estudar. E capriche! Não se esqueça

Leia mais

BIOLOGIA BECTÉRIAS, VÍRUS E FUNGOS, PROF ESTEVAM

BIOLOGIA BECTÉRIAS, VÍRUS E FUNGOS, PROF ESTEVAM BIOLOGIA BECTÉRIAS, VÍRUS E FUNGOS, PROF ESTEVAM 1) (FUVEST 96) Cólera e meningite epidêmica são doenças relativamente comuns no Brasil. Elas são transmitidas, respectivamente, por a) bactérias, através

Leia mais

As causas das doenças

As causas das doenças CAPÍTULO 2 As causas das doenças As pessoas têm maneiras diferentes de explicar a causa duma doença. Um bebé está com diarreia. Mas porquê? Em certas comunidades, talve digam que isso aconteceu porque

Leia mais

Indução é a passagem do ciclo lisogênico para ciclo lítico.

Indução é a passagem do ciclo lisogênico para ciclo lítico. Botânica Vírus é um pacote de ácido nucléico de DNA ou RNA, em que se envolve pelo capsídeo formado por capsômeros onde ele só tem características de ser vivo quando invade uma célula onde é capaz de se

Leia mais

Microscópio de Robert Hooke Cortes de cortiça. A lente possibilitava um aumento de 200 vezes

Microscópio de Robert Hooke Cortes de cortiça. A lente possibilitava um aumento de 200 vezes CITOLOGIA A área da Biologia que estuda a célula é a Citologia (do grego: cito = célula; logos = estudo). A invenção do microscópio no final do século XVI revolucionou a Biologia. Esse instrumento possibilitou

Leia mais

27/02/2014. Eucariontes; Unicelulares; Heterótrofos; Digestão: Vacúolos digestivos; Reprodução: Assexuada; Sexuada; PROTOZOÁRIOS E ALGAS

27/02/2014. Eucariontes; Unicelulares; Heterótrofos; Digestão: Vacúolos digestivos; Reprodução: Assexuada; Sexuada; PROTOZOÁRIOS E ALGAS PROTOZOÁRIOS E ALGAS Eucariontes; Unicelulares; Heterótrofos; Digestão: Vacúolos digestivos; Reprodução: Assexuada; Sexuada; Locomoção por meio de pseudópodes; Vida livre ou parasitas; Vacúolo pulsátil

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DR. JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA - ANO 2014. Trabalho de Estudos Independentes Biologia Janeiro/2015

ESCOLA ESTADUAL DR. JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA - ANO 2014. Trabalho de Estudos Independentes Biologia Janeiro/2015 ESCOLA ESTADUAL DR. JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA - ANO 2014 Trabalho de Estudos Independentes Biologia Janeiro/2015 Nome Nº Turma 2º EJA Data Nota Disciplina Biologia Prof. Marisa Medeiros Teixeira Valor 30

Leia mais

O que são DSTs? Gonorréia e/ou Uretrites não Gonocócicas, Tricomoníase, Candidíase.

O que são DSTs? Gonorréia e/ou Uretrites não Gonocócicas, Tricomoníase, Candidíase. O que são DSTs? DSTs significa, doenças sexualmente transmissíveis, que são passadas nas relações sexuais com pessoas que estejam com essas doenças. São DSTs, a gonorréia, a sífilis, a clamídia, o herpes

Leia mais

Células procarióticas

Células procarióticas Pró Madá 1º ano Células procarióticas Citosol - composto por 80% de água e milhares de tipos de proteínas, glicídios, lipídios, aminoácidos, bases nitrogenadas, vitaminas, íons. Moléculas de DNA e ribossomos

Leia mais

Genética Bacteriana. Prof (a) Dra. Luciana Debortoli de Carvalho

Genética Bacteriana. Prof (a) Dra. Luciana Debortoli de Carvalho Universidade Federal de Juiz de Fora Departamento de Microbiologia, Parasitologia e Imunologia Genética Bacteriana Prof (a) Dra. Luciana Debortoli de Carvalho Introdução O DNA existe como uma hélice de

Leia mais

Leeuwenhoek construiu vários microscópios de uma única lente, chamados microscópios simples. Hooke utilizou um microscópio composto, formado por duas

Leeuwenhoek construiu vários microscópios de uma única lente, chamados microscópios simples. Hooke utilizou um microscópio composto, formado por duas 1 Leeuwenhoek construiu vários microscópios de uma única lente, chamados microscópios simples. Hooke utilizou um microscópio composto, formado por duas lentes de aumento: a ocular (voltada para o olho

Leia mais

Epidemiologia de Doenças Transmissíveis. Introdução à teoria matemática

Epidemiologia de Doenças Transmissíveis. Introdução à teoria matemática Epidemiologia de Doenças Transmissíveis Introdução à teoria matemática 14 milhões de mortes por DTs (1999) CAUSAS Africa Americas Médio Orien Europa SE Asia Total Doenças não transmissíveis 2300057 4255439

Leia mais

REINO MONERA (Procariontes)

REINO MONERA (Procariontes) REINO MONERA (Procariontes) REINO MONERA (Procariontes) São as células mais simples, chamadas PROCARIONTES. São desprovidas de carioteca e da maioria das organelas (possuem apenas ribossomo). CAPSULA CITOPLASMA

Leia mais

1- Considere as características das células A, B e C da tabela: ela indica a presença (+) ou ausência (- ) de alguns componentes.

1- Considere as características das células A, B e C da tabela: ela indica a presença (+) ou ausência (- ) de alguns componentes. Membrana Plasmática 1- Considere as características das células A, B e C da tabela: ela indica a presença (+) ou ausência (- ) de alguns componentes. Componentes celulares Célula A Célula B Célula C Membrana

Leia mais

Protozoários. Paramecium. Plasmódio. Trichomonas vaginalis. Tripanossomo

Protozoários. Paramecium. Plasmódio. Trichomonas vaginalis. Tripanossomo Protozoários Paramecium Plasmódio Trichomonas vaginalis Tripanossomo Características gerais Eucariontes Unicelulares Heterótrofos Locomoção: cílios, flagelos, pseudópodes ou não possuem nenhuma estrutura

Leia mais

GABARITO AULA DA CECÍLIA BIO 03 VIRUS, BACTÉRIAS, FUNGOS E PROTOZOÁRIOS. Gabarito:

GABARITO AULA DA CECÍLIA BIO 03 VIRUS, BACTÉRIAS, FUNGOS E PROTOZOÁRIOS. Gabarito: GABARITO AULA DA CECÍLIA BIO 03 VIRUS, BACTÉRIAS, FUNGOS E PROTOZOÁRIOS Gabarito: 1) a) Porque ocorre uma mudança no seu material genético, fazendo com que mude a proteína de associação do vírus tornando-o

Leia mais

Doenças Sexualmente transmissíveis - DST

Doenças Sexualmente transmissíveis - DST Doenças Sexualmente transmissíveis - DST Bacteriologia Médica Carina Scolari Gosch Neisséria O gênero Neisséria é formado por bactérias diplococos g(-) Neisséria gonorrheaea Contato: Perda da resistência

Leia mais

C n o c n e c i e tos o s i ni n ci c ai a s C n o c n e c i e tos o s i ni n ci c ai a s

C n o c n e c i e tos o s i ni n ci c ai a s C n o c n e c i e tos o s i ni n ci c ai a s Conceitos iniciais Parasita: organismo que vive em associação com outros e dos quais retiram os meios para a sua sobrevivência, normalmente prejudicando o organismo hospedeiro. Hospedeiro: organismo que

Leia mais