Didática e Avaliação da Aprendizagem

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Didática e Avaliação da Aprendizagem"

Transcrição

1 NORMAL MÉDIO Núcleo de Formação - Prática Didática e Avaliação da Aprendizagem 2013

2 GOVERNADOR DE PERNAMBUCO Eduardo Campos VICE-GOVERNADOR João Lyra Neto SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO Ricardo Dantas SECRETÁRIO EXECUTIVO DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Leonildo Sales SECRETÁRIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO Ana Selva SECRETÁRIA EXECUTIVA DE GESTÃO DA REDE Cecília Patriota SECRETÁRIO EXECUTIVO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Paulo Dutra

3 Didática e Avaliação da Aprendizagem NORMAL MÉDIO ANO 1º UNIDADE: 1 EMENTA Concepção de Educação, Didática, Avaliação e Avaliação da Aprendizagem. Sistema de avaliação. O processo de ensino aprendizagem os sujeitos do processo. Planejamento da aprendizagem enquanto processo de organização do ensino-aprendizagem. Avaliação da aprendizagem. A dinâmica da sala de aula. OBJETO DE ESTUDO A didática, a avaliação e suas relações no processo de aprendizagem. OBJETIVO Compreender a didática como estudo e investigação permanente dos condicionantes que interatuam nas relações entre prática, conhecimento e aprendizagem. Estudo do conceito de didática. Estudo sobre a história da didática nos períodos de 1549 a 1930 e de 1930 até os dias atuais. Pesquisa bibliográfica sobre os pressupostos epistemológicos seguida de posterior socialização no grande grupo. Discussão sobre a concepção de educação, de homem e de mundo que orientam as aprendizagens. Compreensão do papel da didática na atividade escolar e na construção da identidade do profissional docente a partir dos estudos de Pimenta, Função social da escola, a partir do conhecimento prévio dos estudantes, da articulação entre os textos estudados e as vivências na escola campo. Avaliação Processual e formativa 3

4 NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO - PRÁTICA Didática e Avaliação da Aprendizagem NORMAL MÉDIO ANO 1º UNIDADE: 2 OBJETIVO Compreender a avaliação como processo de construção do conhecimento e importância da relação professor - estudante - conhecimento como condição de organização do ensino e aprendizagem. Debate sobre a tríade professor x estudante x conhecimento e sua importância no processo de construção do conhecimento, a partir de leituras prévias e questões elaboradas decorrente dos estudos em pequenos grupos. Apresentação das diferentes concepções de avaliação, identificando seus autores. Produções em duplas a respeito do conceito de avaliação, levando em consideração a avaliação da aprendizagem, com ênfase em suas especificidades. Apresentação dos diferentes enfoques da avaliação da aprendizagem e suas consequências sociais através de entrevista com professores e estudantes, relacionando-os com os textos estudados sobre a temática. Análise das entrevistas realizadas com os professores e estudantes em pequenos grupos com orientação da professora. Compreensão do sentido e significado da avaliação, observando ao avaliar: Para quê? Por quê? Para quem? A quem? E o que avaliar, através da exposição dialogada do professor. Estudo de texto sobre: as funções e etapas da avaliação, com socialização para o grande grupo e avaliação da professora. Apreensão dos diferentes sistemas de avaliação externa: externa (Prova Brasil/SAEB, Provinha Brasil, SAEPE, PISA) e suas implicações na avaliação da aprendizagem. Apropriação de atitudes e hábitos que formem o professorpesquisador, por meio da utilização dos instrumentos teóricometodológicos, observação e entrevista, no processo de construção do conhecimento. Avaliação Processual e formativa 4

5 Didática e Avaliação da Aprendizagem NORMAL MÉDIO ANO 1º UNIDADE: 3 OBJETIVO Conhecer a organização do trabalho pedagógico como condição do pensar e do saber fazer docente, tendo o planejamento da prática educativa como uma atividade para a construção de uma escola democrática. Compreensão do conceito de planejamento enquanto reflexão crítica da prática social pedagógica, por meio de estudo em grupo. Apresentação dos diferentes tipos de planejamento, através de exposição dialogada. Pesquisa sobre o Planejamento do Sistema Educacional; do Projeto Político Pedagógico da escola e dos planos de ensino e de aula, analisando a importância, as características, e as singularidades destes, na prática pedagógica. Apreensão dos elementos constituintes da organização do trabalho pedagógico: objetivos, conteúdos, métodos e processos de ensino (educador x educando x conhecimento x sala de aula) e da sua importância no pensar e fazer docente. Realização de trabalhos teóricos de elaboração individual, oportunizando leituras e discussões coletivas. Avaliação Processual e formativa Didática e Avaliação da Aprendizagem NORMAL MÉDIO ANO 1º UNIDADE: 4 OBJETIVO Compreender a didática e a avaliação como estruturantes do processo de construção do conhecimento, expressando os saberes necessários à prática docente no contexto da elaboração de um plano de atividade de ensino. 5

6 NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO - PRÁTICA Estudo de caso de Práticas avaliativas e instrumentos de avaliação da aprendizagem, nos diferentes níveis da Educação Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental, analisando cada caso de acordo com a literatura estudada. Estudo em grupo, objetivando a análise da avaliação institucional, da avaliação do processo de ensino-aprendizagem e autoavaliação exercida no contexto escolar. Construção do Plano de Aula, articulado aos métodos e processos de ensino vivenciados na sala de aula, com a fundamentação teórica estudada. Socialização dos planos de aula, sua importância e dificuldades no processo de construção do plano, com orientação do/a professor/a. Análise da prática docente x planejamento e avaliação da aprendizagem, priorizando a articulação entre as temáticas analisadas, a partir de situações práticas. Pesquisa dos diferentes tipos de projetos existentes na escola, suas especificidades e aplicações. Elaboração de síntese individual sobre os diferentes tipos de projetos e suas especificidades para o grande grupo com intervenção do/a professor/a. Avaliação Processual e formativa 6

7 REFERÊNCIAS AMORI. Antônio. A nova LDB: análise e aplicações. São Paulo: Portifolium, 1997 BEHRENS, M. A. O Paradigma Emergente a Prática Pedagógica. 3ª edição. Curitiba: Universitária Champagnat, Paradigma da Complexidade: Metodologia de projetos, contratos didáticos e portfólios. Petrópolis Rio de janeiro. Vozes, BRANDÃO, Carlos da Fonseca. (2003). LDB: passo a passo. São Paulo: Avercamp, 190p. BRASIL. Legislação: Constituição Federal, de 05 de outubro de 1988; Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN); e Plano Nacional de Educação (PNE) e/ou Plano Decenal de Educação (PDE) e/ou Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE). BREZINSKI, Iria (org.). (1997). LDB interpretada: diversos olhares se entrecruzam. São Paulo: Cortez. BUFFA. Ester. Ideologias em Conflitos: Escola Pública e Escola Privada. São Paulo. Cortez e Moraes CANDAU. Vera M, (org.) A Didática em Questão, Petrópolis. Vozes, 1988, Rumo à Nova Didática. Petrópolis: Vozes, 1988., Sociedade, Educação e Cultura(s) questões e propostas. Petrópolis: RJ - Vozes, 2002., Cultura(s) e Educação. Petrópolis: RJ. DP&A, CHARLOT. Bernard, Da relação com o saber: Elementos para uma Teoria.

8 Porto Alegre: Artes Médica Sul Ltda., CARNEIRO, Moacir Alves. LDB fácil: leitura crítico compreensiva artigo a artigo. Petrópolis: Vozes, DEMO, Pedro. A nova LDB: ranços e avanços. 2ª ed. Campinas, SP: Papirus, Desafios modernos da educação. Petrópolis, RJ: Vozes, FREEIRE. Paulo, Pedagogia da Autonomia. São Paulo: Paz e Terra, GOMEZ. A. I. e SACRISTAN, J. Gimeno. Compreender e Transformar o Ensino. Porto Alegre: Artmed, HOFFMAN. Jussara, Pontos e Contra Pontos: do pensar ao agir em avaliação. Porto Alegre: Mediação, 1998., Avaliação: Mito e Desafio: Uma perspectiva construtivista. Porto Alegre; Mediação, 2005., Avaliação Mediadora: uma prática em construção da pré-escola à universidade. Porto Alegre; Mediação, LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo Cortez, Democratização da Escola Pública A Pedagogia Crítico-Social dos Conteúdos ed. Loyola LUCK, Heloísa. Pedagogia Interdisciplinar Fundamentos Teórico- Metodológicos. 8ª ed. Petropolis Vozes LUCKESI, Cipriano C., Avaliação da Aprendizagem Escolar 10ª ed. Cortez MORETTO, Vasco Pedro. Prova: Um Momento Privilegiado de Estudo não Um Acerto de Contas. Rio de Janeiro DP& A, 2003.

9 PILETTI, Claudino. Didática Geral São Paulo, Ática ROCHA, Maria Zélia Borba. (1996). Política e Educação: os bastidores da LDB in: Ensaio: Avaliação e políticas Públicas em Educação (vol.4, nº 12, p ). Rio de Janeiro: Fundação Cesgranrio. ROMANELLI, Otaíza de Oliveira. História da Educação no Brasil. 28ª ed. Petrópolis, Editora Vozes ROMANOWSKI, Joana Paulin et al.(orgs.) Conhecimento Local e Conhecimento Universal :Formação Docente, Aprendizado e Ensino. Curitiba: Champagnat, 2005, Vol. 1 e 5 XII ENDIPE. SAVIANI, Dermeval. (2007). Da nova LDB ao FUNDEB: por uma outra política educacional. São Paulo: Ed. Autores Associados, p A nova lei de Educação: LDB trajetória, limites e perspectivas. Campinas: Autores Associados, SILVA. Tomás Tadeu, (Org). Trabalho, Educação e Prática Social: por uma teoria da formação humana. Porto Alegre. Artes Médicas VEIGA. Ilma, (Org.) Repensando a Didática. Campinas: Papirus, 1990., Técnicas de Ensino: por que não? Campinas, Papirus, 1995., Didática: o ensino e suas relações. Campinas, Papirus, WEISZ Telma. O diálogo entre o ensino e a aprendizagem. São Paulo, Editora Ática, ZABALA, Antoni, Prática Educativa: Como Ensinar. Porto Alegre Artmed 1998

10 NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO - PRÁTICA Didática e Avaliação da Aprendizagem NORMAL MÉDIO ANO 2º UNIDADE: 1 EMENTA Estudo da Didática e da Avaliação na estruturação da aula e dos processos de ensino-aprendizagem. Concepção de aprender a aprender, de aula enquanto espaço de construção e materialização de saberes, sua estrutura organizativa e sua imprevisibilidade. Concepção de erro. Diferentes formas de Avaliação. Construção de instrumentos de avaliação- estrutura, tipos de questões, objetivos, adequação ao nível da turma e do conteúdo. OBJETO DE ESTUDO As implicações da didática e avaliação da aprendizagem na estruturação organizativa da prática docente. OBJETIVOS Compreender a concepção de aprender a aprender e de avaliação da aprendizagem. Reconhecer a aula, sua estrutura organizativa, imprevisibilidade, enquanto espaço dinâmico de construção de conhecimento. Compreender as especificidades do trabalho docente na escola pública e privada. Discussão sobre a concepção de aprender a aprender e da aula enquanto espaço de construção e materialização de saberes, por meio de exposição dialogada. Estudo da aula como forma de organização do ensino enfatizando a estruturação didática e os tipos, utilizando como articulação da teoriaprática, a observação (enquanto procedimento teórico-metodológico). Análise sobre a estrutura organizativa da aula e sua imprevisibilidade através de relatos observados na Escola Campo de Estudo fundamentada na literatura. Reconhecer as diferenças entre o contrato didático e o contrato pedagógico, a partir das leituras prévias. Análise das especificidades do trabalho docente na escola pública x escola privada, resultante da pesquisa orientada através de observação. Avaliação Processual e formativa 10

11 Didática e Avaliação da Aprendizagem NORMAL MÉDIO ANO 2º UNIDADE: 2 OBJETIVOS Compreender a necessidade de avaliar permanentemente o desempenho dos estudantes e do contexto escolar. Identificar a importância da avaliação diagnóstica no trabalho docente/discente. Compreender o erro na perspectiva de processo de aprendizagem. Reconhecer no processo de recuperação, a necessidade de ressignificar a apreensão de conhecimentos de forma diferenciada. Compreensão da importância da avaliação diagnóstica no trabalho docente para ressignificar metodologias e processo de construção do conhecimento, por meio de aula dialogada. Apreensão da importância da prática da avaliação formativa no processo de ensinar e aprender, através da observação na Escola Campo de Estudo e relatos em grupos. Estudo em pequenos grupos sobre o erro, suas causas e consequências no processo de construção da aprendizagem, socializado no grande grupo, e avaliado pelo professor no final da apresentação. Elaboração de síntese individual sobre a concepção do erro no processo de aprender a aprender. O processo de recuperação e sua importância para ressignificar saberes, prática e aprendizagem face às diferenças individuais, através de grupos de estudo para posterior apresentação e socialização no grande grupo. Estudos sobre a recuperação: causas, consequências e desafios para o processo de aprendizagem e da responsabilidade da escola enquanto função social que ocupa realizado em dupla com produção escrita. Debate sobre O erro e a recuperação na escola pública, através de júri simulado. Avaliação Processual e formativa 11

12 NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO - PRÁTICA Didática e Avaliação da Aprendizagem NORMAL MÉDIO ANO 2º UNIDADE: 3 OBJETIVOS Analisar diferentes tipos de avaliação. Diferenciar medir de avaliar. Identificar diferentes instrumentos de avaliação e níveis adequados de aplicação. Análise em pequenos grupos sobre a avaliação institucional, a avaliação da aprendizagem seguida de autoavaliação, socializada no grande grupo. Compreensão da concepção de ensinar a aprender enquanto processo de construção de aprendizagem, a partir de leituras prévias e aula dialogada. Compreensão da diferença entre medir e avaliar através de exposição dialogada. Estudo dos instrumentos de avaliação ( prova objetiva, subjetiva, observação, entrevista, seminário, pesquisa) suas diferenças e aplicações adequadas ao nível de ensino. Análise dos resultados da avaliação externa para tomadas de decisão no processo de redirecionamento do planejamento escolar. Avaliação Processual e formativa Didática e Avaliação da Aprendizagem NORMAL MÉDIO ANO 2º UNIDADE: 4 OBJETIVO Analisar e elaborar instrumento de avaliação atendendo às especificidades da Educação Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental. Análise de instrumentos de avaliação da aprendizagem no que diz respeito à construção de itens e sua adequação à especificidade do Ensino Fundamental. Estudo de caso dos instrumentos de avaliação da aprendizagem no que se refere à construção de itens e sua adequação à especificidade da 12

13 Educação Infantil. Elaboração de instrumento de avaliação para Educação Infantil e para os anos iniciais do Ensino Fundamental, referenciados na literatura que orienta essa construção e a vivência na Escola Campo de Estudo. Avaliação Processual e formativa 13

14 REFERÊNCIAS AMORI. Antônio. A nova LDB: análise e aplicações. São Paulo: Portifolium, 1997 BEHRENS, M. A. O Paradigma Emergente a Prática Pedagógica. 3ª edição. Curitiba: Universitária Champagnat, Paradigma da Complexidade: Metodologia de projetos, contratos didáticos e portfólios. Petrópolis Rio de janeiro. Vozes, BRANDÃO, Carlos da Fonseca. (2003). LDB: passo a passo. São Paulo: Avercamp, 190p. BRASIL. Legislação: Constituição Federal, de 05 de outubro de 1988; Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN); e Plano Nacional de Educação (PNE) e/ou Plano Decenal de Educação (PDE) e/ou Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE). BREZINSKI, Iria (org.). (1997). LDB interpretada: diversos olhares se entrecruzam. São Paulo: Cortez. BUFFA. Ester. Ideologias em Conflitos: Escola Pública e Escola Privada. São Paulo. Cortez e Moraes CANDAU. Vera M, (org.) A Didática em Questão, Petrópolis. Vozes, 1988, Rumo à Nova Didática. Petrópolis: Vozes, 1988., Sociedade, Educação e Cultura(s) questões e propostas. Petrópolis: RJ - Vozes, 2002., Cultura(s) e Educação. Petrópolis: RJ. DP&A, CHARLOT. Bernard, Da relação com o saber: Elementos para uma Teoria. Porto Alegre: Artes Médica Sul Ltda., 2000.

15 CARNEIRO, Moacir Alves. LDB fácil: leitura crítico compreensiva artigo a artigo. Petrópolis: Vozes, DEMO, Pedro. A nova LDB: ranços e avanços. 2ª ed. Campinas, SP: Papirus, Desafios modernos da educação. Petrópolis, RJ: Vozes, FREEIRE. Paulo, Pedagogia da Autonomia. São Paulo: Paz e Terra, GOMEZ. A. I. e SACRISTAN, J. Gimeno. Compreender e Transformar o Ensino. Porto Alegre: Artmed, HOFFMAN. Jussara, Pontos e Contra Pontos: do pensar ao agir em avaliação. Porto Alegre: Mediação, 1998., Avaliação: Mito e Desafio: Uma perspectiva construtivista: Porto Alegre; Mediação, 2005., Avaliação Mediadora: uma prática em construção da pré-escola à universidade. Porto Alegre; Mediação, LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo Cortez, Democratização da Escola Pública A Pedagogia Crítico-Social dos Conteúdos ed. Loyola LUCK, Heloísa. Pedagogia Interdisciplinar Fundamentos Teórico- Metodológicos. 8ª ed. Petrópolis Vozes LUCKESI, Cipriano C., Avaliação da Aprendizagem Escolar 10ª ed. Cortez MORETTO, Vasco Pedro. Prova: Um Momento Privilegiado de Estudo não Um Acerto de Contas. Rio de Janeiro DP& A, PILETTI, Claudino. Didática Geral São Paulo, Ática 1995.

16 ROCHA, Maria Zélia Borba. (1996). Política e Educação: os bastidores da LDB in: Ensaio: Avaliação e políticas Públicas em Educação (vol.4, nº 12, p ). Rio de Janeiro: Fundação Cesgranrio. ROMANELLI, Otaíza de Oliveira. História da Educação no Brasil. 28ª ed. Petrópolis, Editora Vozes ROMANOWSKI, Joana Paulin et al.(orgs.) Conhecimento Local e Conhecimento Universal: Formação Docente, Aprendizado e Ensino. Curitiba: Champagnat, 2005, Vol. 1 e 5 XII ENDIPE. SAVIANI, Dermeval. (2007). Da nova LDB ao FUNDEB: por uma outra política educacional. São Paulo: Ed. Autores Associados, p A nova lei de Educação: LDB trajetória, limites e perspectivas. Campinas: Autores Associados, SILVA. Tomás Tadeu, (Org). Trabalho, Educação e Prática Social: por uma teoria da formação humana. Porto Alegre. Artes Médicas VEIGA. Ilma, (Org.) Repensando a Didática. Campinas: Papirus, 1990., Técnicas de Ensino: por que não? Campinas, Papirus, 1995., Didática: o ensino e suas relações. Campinas, Papirus, WEISZ Telma. O diálogo entre o ensino e a aprendizagem. São Paulo, Editora Ática, ZABALA, Antoni, Prática Educativa: Como Ensinar. Porto Alegre Artmed 1998

17 NORMAL MÉDIO Núcleo de Formação - Prática Didática da História 2013

18 GOVERNADOR DE PERNAMBUCO Eduardo Campos VICE-GOVERNADOR João Lyra Neto SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO Ricardo Dantas SECRETÁRIO EXECUTIVO DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Leonildo Sales SECRETÁRIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO Ana Selva SECRETÁRIA EXECUTIVA DE GESTÃO DA REDE Cecília Patriota SECRETÁRIO EXECUTIVO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Paulo Dutra

19 Didática da História NORMAL MÉDIO ANO 3º UNIDADE: 1 EMENTA Estudo dos fundamentos do ensino e aprendizagem da história, voltado para a prática de ensino na educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental. O tempo histórico, o espaço, a cultura e as relações sociais. O Saber Histórico. O aluno enquanto sujeito histórico. Fontes de Pesquisa. Parâmetros Curriculares Nacionais e as Propostas Curriculares. Perspectivas e Alternativas atuais no Ensino de História. A dinâmica da sala de aula e suas relações. A Avaliação no ensino de história. OBJETO DE ESTUDO O Processo de ensino e aprendizagem da história. OBJETIVOS Refletir sobre os fundamentos que norteiam o ensino de história na educação infantil e no ensino fundamental. Compreender os conceitos básicos da prática pedagógica do ensino de história: tempo, espaço, cultura e relações sociais. Fundamentos do Ensino Aprendizagem da História Estudo reflexivo sobre os fundamentos que estruturam o ensino da história na educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental, com apresentação de síntese pelos grupos. Apreensão dos conceitos de tempo, espaço, cultura e relações sociais, comparando-os com o contexto real e a corrente historiográfica. Reflexão sobre a compreensão de grupo social, tempo, cultura, trabalho, memória, diversidade cultural no processo de construção e apropriação do saber histórico. Percepção de diferentes processos de se ensinar-aprender a construção do saber histórico, a partir de metodologia apresentadas pelo professor. Análise de possíveis formas de se integrar as aulas de História com outros componentes através de projetos didáticos. Avaliação Processual e formativa 19

20 NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO - PRÁTICA Didática da História NORMAL MÉDIO ANO 3º UNIDADE: 2 OBJETIVOS Identificar as perspectivas e alternativas do ensino de história hoje, relacionando-as com as vivências da sala de aula na educação infantil. Conhecer a dinâmica da sala de aula e a prática docente no ensino de história. Analisar o contexto da sala de aula em articulação com a interação professor x estudante x conhecimento x planejamento x material didático x construção de saberes. O Ensino de História na Educação Infantil Reconhecimento do papel das relações sociais e /ou interações na aprendizagem. Estudo em grupo sobre ensino de história e suas especificidades na educação infantil. Análise do currículo de história na Educação Infantil. Análise de documentos e referenciais que norteiam o ensino de História na Educação Infantil. Compreensão do sentido e significado da Avaliação de História na Ed. Infantil. Conhecimento das perspectivas e alternativas do ensino de história. Os sujeitos do processo: professor x estudante em busca de saberes. Avaliação Processual e formativa Didática da História NORMAL MÉDIO ANO 3º UNIDADE: 3 OBJETIVOS Compreender a investigação como processo de construção do saber histórico no Ensino Fundamental. Analisar diferentes fontes de pesquisa. Realizar estudos do PCN identificando situações que possam ser adaptadas às realidades da sala de aula. 20

21 A Construção de saberes no Ensino Fundamental Construção do saber histórico a partir do método da investigação. Estudo em grupo: análise das diferentes fontes de pesquisa histórica. Vivência de pesquisa como proposta de estratégia de ensino através de projeto temático. Compreensão da construção de saber histórico enquanto fruto de uma construção social. Reconhecimento de que o homem/mulher é ator e autor da história, através de pesquisa sobre a história dos estudantes e professores. Análise de documentos e referenciais que norteiam o ensino de História no Ensino Fundamental. Análise do currículo de história no Ensino Fundamental. Conhecimento de critérios para seleção de conteúdos da História. Avaliação Processual e formativa Didática da História NORMAL MÉDIO ANO 3º UNIDADE: 4 OBJETIVOS Estabelecer uma análise comparativa entre as observações realizadas da prática docente do professor da Escola Campo e a teoria estudada. Compreender a especificidade da avaliação no Ensino de História no Ensino Fundamental. Construir experiências de ensino sob forma de plano de aula e/ou projetos interdisciplinares. Relação docente discente na construção do saber: Análise comparativa entre as experiências vivenciadas na escola campo e a teoria estudada na sala de aula; (estudo em grupo). Estruturação do plano de aula, adequando a avaliação aos objetivos da aula (ou projetos interdisciplinares). Elaboração do material didático pedagógico de suporte para organização da aula. 21

22 NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO - PRÁTICA Verificação do tempo para realização de atividades a serem trabalhadas, adequando às idades dos os estudantes. Reflexão sobre a importância da transposição didática das aulas de história atentando para o processo de construção do saber histórico. Socialização e avaliação dos planos de aula atendendo aos critérios de avaliação, estabelecidos previamente entre estudantes e professor. Avaliação Processual e formativa 22

23 REFERÊNCIAS BRASIL, Secretaria do Ensino Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais PCN. História de 1ª a 4ª séries. Brasília:MEC/SEF.1997 BORGES, V. P. O QUÉ HISTÓRIA? 16ª ed. Ed. Brasiliense, 1991 BITTENCOURT, C. O Ensino de História fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, (ORG). O SABER HISTÓRICO EM SALA DE AULA. SÃO PAULO CONTEXTO CARRETERO, Alberto Rosa e Maria Fernanda Gonzalez (org.) Ensino de História e memória coletiva. Porto Alegre; Artmed, FONSECA, Selva Guimarães. Didática e prática de Ensino de História: experiências, reflexões e aprendizados. Campinas, SP. Papirus Caminhos da História Ensinada. Campinas SP. Papirus, 1993 LEANDRO, Karnal (org ) História na sala de aula: conceitos ; práticas e propostas. 2ª edição São Paulo: Contexto, 2004 MARSON, A. Reflexões Sobre Procedimento Histórico IN anpub Repensando a Historia. Rio de Janeiro; Marco Zero, 1984 NADAI Elza Um Projeto de Montagem de Recursos Didáticos Aplicados à História. Anais do VIII Simpósio Nacional da ANPUH, São Paulo, 1976 NEMI, AL. L Didática da História o Tempo Vivido: São Paulo FTD 1996 PENTEADO, H. D. Metodologia do Ensino da História e Geografia. Ed. Cortez, São Paulo, 1992 PROENÇA, M. C. Ensinar e Aprender História. Lisboa. Horizonte S/D SILVA, Marcos, Selva Guimarães Fonseca. Ensinar História no século XXI: em busca do tempo entendido. Campinas SP. Papirus, SÔNIA L. N.(org.) Repensando o Ensino de História 6ª Ed. Cortez ANO: SCHIMIDT, Maria Auxiliadora. Ensinar História. São Paulo: Scipione, 2004

24 NORMAL MÉDIO Núcleo de Formação - Prática Didática das Linguagens 2013

25 GOVERNADOR DE PERNAMBUCO Eduardo Campos VICE-GOVERNADOR João Lyra Neto SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO Ricardo Dantas SECRETÁRIO EXECUTIVO DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Leonildo Sales SECRETÁRIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO Ana Selva SECRETÁRIA EXECUTIVA DE GESTÃO DA REDE Cecília Patriota SECRETÁRIO EXECUTIVO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Paulo Dutra

26 NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO - PRÁTICA Didática das Linguagens NORMAL MÉDIO ANO 3º UNIDADE: 1 EMENTA O homem, a linguagem e sua relação com o mundo. Conceitos de Oralidade, Letramento e Alfabetização e suas relações na sociedade e na escola. O Ensino/Aprendizagem da linguagem oral na escola. A especificidade da Avaliação em Língua Portuguesa. OBJETO DE ESTUDO A linguagem como interação entre sujeitos, conhecimento e o meio social. OBJETIVO Apreender a importância da expressividade das diferentes linguagens como constituinte das identidades sociais. Linguagem e sociedade Compreensão da linguagem como constituinte das identidades sociais (debates). Discussão sobre as variações linguísticas e de preconceitos linguísticos (pesquisa, seguida de discussão, sistematizada pelo/a professor/a). Discussão sobre a importância da expressividade na percepção das diferentes linguagens produzidas pelo homem no contexto sociocultural. Compreensão da importância do respeito à identidade e à interculturalidade para o desenvolvimento da criatividade no educando. Avaliação Processual e formativa Didática das Linguagens NORMAL MÉDIO ANO 3º UNIDADE: 2 OBJETIVO Analisar os Conceitos de Oralidade, Letramento e Alfabetização e os processos de ensino/aprendizagem da linguagem oral na escola. 26

27 Compreensão de conceitos Oralidade - Letramento autônomo (leituras e exposição oral, sistematizada pelo/a professor/a). Letramento - Teoria do Contínuo (leitura, pesquisa e exposição oral). Alfabetização - Letramento ideológico (leitura, discussão nos pequenos grupos e produção de texto). O Ensino/aprendizagem da linguagem oral na escola Apropriação do conceito de linguagem oral (leituras e estudos em grupo com posterior sistematização pelo/a professor/a). Análise sobre o ensino/aprendizagem da linguagem oral na escola (seleção de objetivos e prioridades do ensino). Apreensão de gêneros orais: debate, exposição oral, entrevista e história oral (estudos em pequenos grupos para diferenciação dos gêneros com sistematização do/a professor/a, além de produção de texto individual). Análise de livros didáticos e de práticas pedagógicas voltadas para o ensino da oralidade (debate e exposição oral com avaliação oral do/a professor/a). Apropriação de elementos facilitadores para a produção de gêneros orais (exposição dialogada pelo/a professor/a e produções individuais realizadas pelos estudantes). Compreensão do quê e como avaliar o ensino/aprendizagem da oralidade (leitura, estudos de caso e exposição oral). Compreensão da importância do diálogo interdisciplinar entre as linguagens de arte: teatro, dança, música e arte visual. Apreensão da importância do lúdico na sala de aula. Avaliação Processual e formativa 27

28 NORMAL MÉDIO NÚCLEO DE FORMAÇÃO - PRÁTICA Didática das Linguagens NORMAL MÉDIO ANO 3º UNIDADE: 3 OBJETIVO Analisar o processo de apropriação do sistema alfabético pelo educando com base nos pressupostos presentes em documentos oficiais e Referenciais Curriculares que norteiam as concepções do ensino/aprendizagem da Língua Portuguesa. O sistema alfabético da Escrita Estudo da Evolução histórica e princípios constituintes da leitura ( pesquisa em pequenos grupos e posterior socialização na sala). Apropriação das características do sistema alfabético (exposição oral, trabalhos em grupo). Elaboração de atividades direcionadas para o ensino/aprendizagem do sistema alfabético da escrita (atividades individuais ou em grupo e sistematização das atividades pela professora). Análise de livros didáticos e de práticas pedagógicas voltadas para o ensino do sistema alfabético (debate e exposição oral com avaliação oral da professora). Análise sobre o quê e como avaliar no processo de ensino/aprendizagem do sistema alfabético da escrita (estudo de caso, debate). Apreensão do conhecimento de arte como ponto de referência para projetos interdisciplinares. Avaliação Processual e formativa Didática das Linguagens NORMAL MÉDIO ANO 3º UNIDADE: 4 OBJETIVO Analisar e construir instrumentos de avaliação considerando as especificidades da Avaliação em Língua Portuguesa com base nos documentos oficiais. 28

29 Avaliação em Língua Portuguesa Estudo dos Sistemas de Avaliação; SAEB; PROVA BRASIL E SAEPE, (trabalho em grupo, pesquisa, entrevista e exposição oral e/ou seminários e relatos). Estudo de critérios para análise e elaboração de instrumentos de avaliação (seleção de critérios e prioridade de ensino). Análise e construção de instrumentos de avaliação Análise e construção de instrumentos avaliativos sobre o ensino/aprendizagem da linguagem oral, considerando os critérios de avaliação pertinentes para essa temática. Análise e construção de instrumentos avaliativos sobre o ensino/aprendizagem da leitura e escrita, considerando os critérios de avaliação pertinentes para essa temática. Avaliação Processual e formativa 29

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA PLANO DE ENSINO 2011-1 DISCIPLINA: Teorias e Práticas Alfabetizadoras II - JP0027 PROFESSORA: Ms. Patrícia Moura Pinho I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Carga Horária Teórica: 60h Carga Horária Prática: 15h II

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL... 4 02 INVESTIGAÇÃO PEDAGÓGICA: DIVERSIDADE CULTURAL NA APRENDIZAGEM... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA...

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1A

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1A 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Prática: 15 h/a Carga Horária: 60 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO EDITAL Nº 02/2009 PARTE I - LÍNGUA PORTUGUESA: COMUM A TODOS OS CARGOS

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO EDITAL Nº 02/2009 PARTE I - LÍNGUA PORTUGUESA: COMUM A TODOS OS CARGOS CONTEÚDO PROGRAMÁTICO EDITAL Nº 02/2009 PARTE I - LÍNGUA PORTUGUESA: COMUM A TODOS OS CARGOS Leitura de textos diversos, envolvendo as variedades lingüísticas, interpretação de diferentes gêneros de texto:

Leia mais

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 1. IDENTIFICAÇÃO PERÍODO: CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DA DISCIPLINA: FUND. TEÓRICOS METODOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL NOME DO CURSO: PEDAGOGIA 2. EMENTA Educação

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: Curso de graduação em Pedagogia - Licenciatura Disciplina: Conteúdo e Metodologia em Matemática Carga Horária: 60 Teórica: 60 Prática: Semestre: 2013.2

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INVESTIGAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE I... 4 02 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO... 4 03 PROFISSIONALIDADE DOCENTE... 4 04 RESPONSABILIDADE

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Conteúdos e Metodologia do Ensino de Matemática Carga Horária Semestral: 80 horas Semestre do Curso: 5º 1 - Ementa (sumário, resumo)

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PEDAGOGIA Disciplina: Comunicação e Expressão Ementa: A leitura como vínculo leitor/texto através do conhecimento veiculado pelo texto escrito. Interpretação:

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 60 h Prática: 15 h Créditos: 4 A Biologia e o educador. Herança e meio, a hereditariedade. Reprodução humana. As funções vegetativas (digestão e alimentos,

Leia mais

UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO UPE PROGRAMA Disciplina: Estágio Supervisionado II

UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO UPE PROGRAMA Disciplina: Estágio Supervisionado II UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO UPE PROGRAMA Disciplina: Estágio Supervisionado II Obrigatória: Sim Código da Disciplina: Carga Horária Semestral: 90 Número de Créditos: 03 Eletiva: Não Pré-requisito: Profa:

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Câmpus de Bauru

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Câmpus de Bauru UNESP UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO Câmpus de Bauru Curso: Licenciatura em Pedagogia Departamento: Educação-FC IDENTIFICAÇÃO Código: 4419 Disciplina: CONTEÚDOS E METODOLOGIA DO

Leia mais

Curso: Alfabetização e Letramento na Ed. Infantil e nas séries iniciais

Curso: Alfabetização e Letramento na Ed. Infantil e nas séries iniciais Curso: Alfabetização e Letramento na Ed. Infantil e nas séries iniciais Datas: 11 e 18 de Setembro Horário: 14:00h às 17:40h Carga Horária: 8 horas Vagas: O número mínimo de inscritos será: 20 pessoas

Leia mais

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG. CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE

Leia mais

ANEXO E: EMENTÁRIO DO CURRÍCULO 13

ANEXO E: EMENTÁRIO DO CURRÍCULO 13 ANEXO E: EMENTÁRIO DO CURRÍCULO 13 I CICLO DE ESTUDOS INTERDISCIPLINARES (1º e 2º semestres): FUNDAMENTOS DA FORMAÇÃO DO PEDAGOGO EMENTÁRIO: O I Ciclo do Curso de Pedagogia do UniRitter desenvolve os fundamentos

Leia mais

DOCUMENTO ORIENTADOR DE INTERVENÇÃO NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DOS ANOS INICIAIS - 2009

DOCUMENTO ORIENTADOR DE INTERVENÇÃO NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DOS ANOS INICIAIS - 2009 DOCUMENTO ORIENTADOR DE INTERVENÇÃO NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DOS ANOS INICIAIS - 2009 No ano de 2009 o Departamento de Educação Fundamental, tem como meta alfabetizar 100% das crianças dos anos iniciais

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2004.1. Disciplinas do Núcleo Comum 01 ANTROPOLOGIA CULTURAL

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2004.1. Disciplinas do Núcleo Comum 01 ANTROPOLOGIA CULTURAL Disciplinas do Núcleo Comum 01 ANTROPOLOGIA CULTURAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 10 h/a Créditos: 2 : A Antropologia enquanto ciência e seus principais ramos. Metodologia da pesquisa em Antropologia

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Mês/ Unidade s. Conteúdos T/P 1 08

PLANO DE ENSINO. Mês/ Unidade s. Conteúdos T/P 1 08 PLANO DE ENSINO CURSO: Licenciatura em Matemática MODALIDADE: Presencial DISCIPLINA: Teorias Educacionais e Curriculares CÓDIGO: NPED 03 FASE DO CURSO: 2ª SEMESTRE LETIVO: 2º 2013 CARGA HORARIA SEMESTRAL/

Leia mais

RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO CAMPO CONCEITUAL MULTIPLICATIVO. Palavras-chave: Campo conceitual, Resolução de Problemas, Campo Multiplicativo (divisão).

RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO CAMPO CONCEITUAL MULTIPLICATIVO. Palavras-chave: Campo conceitual, Resolução de Problemas, Campo Multiplicativo (divisão). RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NO CAMPO CONCEITUAL MULTIPLICATIVO Rosemeire Roberta de Lima (UFAL) rose.ufal@yahoo.com.br RESUMO Trata-se de estudo bibliográfico para discutir a Teoria dos Campos Conceituais de

Leia mais

Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco. Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas

Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco. Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas Metodologia Científica 60 horas História da Educação 60 horas Sociologia da Educação I 60 horas Filosofia

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS 1. EMENTA Paradigmas de Organização Escolar: pressupostos teóricos e práticos. Administração/gestão escolar: teorias e tendências atuais no Brasil. A escola concebida e organizada a partir das Diretrizes

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO UNIDADE ACADÊMICO-ADMINISTRATIVA DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO UNIDADE ACADÊMICO-ADMINISTRATIVA DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO UNIDADE ACADÊMICO-ADMINISTRATIVA DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA PROCESSO DE SELEÇÃO DOCENTE PARA 2010/1 ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: FUNDAMENTOS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA PLANO DE ENSINO 2011-1 DISCIPLINA: Ensinar e aprender História - JP0038 PROFESSORA: Dra. Hilda Jaqueline de Fraga I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Carga Horária 75h II EMENTA Concepções e temas recorrentes no

Leia mais

Palavras-chave: Escola, Educação Física, Legitimidade e cultura corporal.

Palavras-chave: Escola, Educação Física, Legitimidade e cultura corporal. A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA MUNICIPAL RECANTO DO BOSQUE: LIMITES E POSSIBILIDADES PARA UMA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA A PARTIR DO SUBPROJETO DA EDUCAÇÃO FÍSICA DA ESEFFEGO/UEG.

Leia mais

JUSTIFICATIVA OBJETIVOS GERAIS DO CURSO

JUSTIFICATIVA OBJETIVOS GERAIS DO CURSO FATEA Faculdades Integradas Teresa D Ávila Plano de Ensino Curso: Pedagogia Disciplina: Fundamentos Teoricos Metodologicos para o Ensino de Arte Carga Horária: 36h Período: 2º ano Ano: 2011 Turno: noturno

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Estágio Supervisionado: Educação Infantil 4 e 5 anos Educação de Jovens e Adultos (EJA) Ensino Fundamental Educação Especial (Ensino

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA CAMPUS DE ROLIM DE MOURA DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA CAMPUS DE ROLIM DE MOURA DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA CAMPUS DE ROLIM DE MOURA DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA PROGRAMA GERAL DO CURSO 1 I IDENTIFICAÇÃO DO COMPONENTE CURRICULAR

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Formação de professor/pedagogo. Didática. Mediação. Práxis. Introdução

PALAVRAS-CHAVE Formação de professor/pedagogo. Didática. Mediação. Práxis. Introdução 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

Prova Nacional de Concurso para o Ingresso na Carreira Docente

Prova Nacional de Concurso para o Ingresso na Carreira Docente Prova Nacional de Concurso para o Ingresso na Carreira Docente A Prova Docente: Breve Histórico Prova Nacional de Concurso para o Ingresso na Carreira Docente Instituída pela Portaria Normativa nº 3, de

Leia mais

PLANO DE ENSINO. CURSO: Licenciatura em Pedagogia ANO/TRIMESTRE: 2014/1 DISCIPLINA: Alfabetização e Letramento: métodos de alfabetização

PLANO DE ENSINO. CURSO: Licenciatura em Pedagogia ANO/TRIMESTRE: 2014/1 DISCIPLINA: Alfabetização e Letramento: métodos de alfabetização PLANO DE ENSINO CURSO: Licenciatura em Pedagogia ANO/TRIMESTRE: 2014/1 DISCIPLINA: Alfabetização e Letramento: métodos de alfabetização CARGA HORÁRIA: 90h PROFESSOR: Lourival José Martins Filho 1 EMENTA

Leia mais

DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA

DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CÓDIGO: EDU512 DISCIPLINA: ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM EDUCAÇÃO INFANTIL CARGA HORÁRIA: 105h EMENTA:

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS 1. EMENTA Orientação para a observação e a coleta de dados das instituições de educação infantil e da sala de aula. Orientações para o planejamento, desenvolvimento e avaliação do trabalho de campo. Reflexão

Leia mais

PROGRAMA Disciplina: Estágio Supervisionado I OBJETIVOS

PROGRAMA Disciplina: Estágio Supervisionado I OBJETIVOS UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO UPE CAMPUS PETROLINA PROGRAMA Disciplina: Estágio Supervisionado I Código da Disciplina: Obrigatória: Sim Eletiva: Não Carga Horária Semestral: 90 Número de Créditos: 03 Pré-requisito:

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 1503 - Licenciatura em Matemática. Ênfase. Disciplina 0004117A - Didática da Matemática

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 1503 - Licenciatura em Matemática. Ênfase. Disciplina 0004117A - Didática da Matemática Curso 1503 - Licenciatura em Matemática Ênfase Identificação Disciplina 0004117A - Didática da Matemática Docente(s) Marisa da Silva Dias Unidade Faculdade de Ciências Departamento Departamento de Educação

Leia mais

A MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL (2ª EDIÇÃO) Tatiana Comiotto Menestrina 1 (Coordenadora da Ação de Extensão)

A MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL (2ª EDIÇÃO) Tatiana Comiotto Menestrina 1 (Coordenadora da Ação de Extensão) A MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL (2ª EDIÇÃO) Área Temática: Educação Tatiana Comiotto Menestrina 1 (Coordenadora da Ação de Extensão) Pamela Paola Leonardo 2 Marnei Luis Mandler 3 Palavras-chave: Matemática,

Leia mais

PEDAGOGIA. 1. ATIVIDADES COMPLEMENTARES O aluno deve comprovar 100h de atividades no decorrer do curso.

PEDAGOGIA. 1. ATIVIDADES COMPLEMENTARES O aluno deve comprovar 100h de atividades no decorrer do curso. PEDAGOGIA Ementas das Disciplinas 1. ATIVIDADES COMPLEMENTARES O aluno deve comprovar 100h de atividades no decorrer do curso. 2. COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO Leitura e compreensão de textos. Gêneros textuais.

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PEDAGOGIA Comunicação e Expressão: Leitura e compreensão de textos. Gêneros textuais. Linguagem verbal e não verbal. Linguagem literária. Variação da língua,

Leia mais

PRÁTICAS DE LEITURAS SIGNIFICATIVAS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

PRÁTICAS DE LEITURAS SIGNIFICATIVAS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL PRÁTICAS DE LEITURAS SIGNIFICATIVAS NOS ANOS INICIAIS Resumo DO ENSINO FUNDAMENTAL MARTINS, Esilda Cruz UEPG maria.esilda@hotmail.com Eixo Temático: Práticas e Estágios nas Licenciaturas. Agência Financiadora:

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA NO ENSINO DE ARTE NA ESCOLA

A RELAÇÃO ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA NO ENSINO DE ARTE NA ESCOLA A RELAÇÃO ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA NO ENSINO DE ARTE NA ESCOLA Rivaldo Bevenuto de Oliveira Neto Departamento de Artes UFRN RESUMO O ensino de Arte é a educação que oportuniza ao aluno o acesso à Arte

Leia mais

Qual a sua chance de ganhar?...o ensino de probabilidade através de jogos

Qual a sua chance de ganhar?...o ensino de probabilidade através de jogos Qual a sua chance de ganhar?...o ensino de probabilidade através de jogos Elaine Gabriel do Nascimento Universidade Estadual da Paraíba Brasil elainegn@oi.com.br Júlio Pereira da Silva Universidade Estadual

Leia mais

Palavras-chave: Didática; Estágio; Formação; Teoria; Prática.

Palavras-chave: Didática; Estágio; Formação; Teoria; Prática. ESTÁGIO E DIDÁTICA: DESAFIOS E PERSPECTIVAS Maria do Socorro Sousa e Silva Universidade Estadual Vale do Acaraú UVA Resumo O presente artigo objetiva registrar e refletir sobre a disciplina de Estágio

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO DE PEDAGOGIA. COMPONENTE CURRICULAR PERÍODO PROFESSOR (A) ANO/SEMESTRE Fundamentos Teórico-metodológicos

PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO DE PEDAGOGIA. COMPONENTE CURRICULAR PERÍODO PROFESSOR (A) ANO/SEMESTRE Fundamentos Teórico-metodológicos PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO DE PEDAGOGIA COMPONENTE CURRICULAR PERÍODO PROFESSOR (A) ANO/SEMESTRE Fundamentos Teórico-metodológicos 3º período Daniela Santana Reis 2012.1 da Educação Infantil CRÉDITOS

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Curso: Pedagogia PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Disciplina: Teoria e Planejamento Curricular II Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 6º 1 - Ementa (sumário, resumo) Fundamentos teórico-práticos

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA FORMAÇÃO PARA O MAGISTÉRIO EM EDUCAÇÃO INFANTIL SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização:

Leia mais

FP 108501 FUNDAMENTOS DA GINÁSTICA

FP 108501 FUNDAMENTOS DA GINÁSTICA Ementas das Disciplinas de Educação Física Estão relacionadas abaixo, as ementas e a bibliografia dos diferentes eixos curriculares do Curso, identificadas conforme os ciclos de formação: Ciclo de Formação

Leia mais

TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO NO ENSINO FUNDAMENTAL: PROPOSTAS CURRICULARES E LIVROS DIDÁTICOS

TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO NO ENSINO FUNDAMENTAL: PROPOSTAS CURRICULARES E LIVROS DIDÁTICOS TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO NO ENSINO FUNDAMENTAL: PROPOSTAS CURRICULARES E LIVROS DIDÁTICOS Luciana Boemer Cesar 1 Mary Ângela Teixeira Brandalise 2 Palavras-chave: formação de professores, ensino de estatística,

Leia mais

O Ensino de Matemática na Educação Infantil

O Ensino de Matemática na Educação Infantil Débora de Oliveira O Ensino de Matemática na Educação Infantil No Brasil, desde 1996, a Educação Infantil é considerada a primeira etapa da educação básica e tem como guia de reflexão de cunho educacional

Leia mais

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS: TENDÊNCIAS E CONCEPÇÕES NO CURRÍCULO DA MATEMÁTICA PARA OS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS: TENDÊNCIAS E CONCEPÇÕES NO CURRÍCULO DA MATEMÁTICA PARA OS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS: TENDÊNCIAS E CONCEPÇÕES NO CURRÍCULO DA MATEMÁTICA PARA OS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Flávia de Andrade Niemann - UPF Resumo: O presente trabalho visa explicitar

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Ciências Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º 1 - Ementa (sumário, resumo) Conteúdos e fundamentos

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE CURTA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE CURTA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Alfabetização Carga Horária Semestral: 80 horas Semestre do Curso: 5º 1 - Ementa (sumário, resumo) História

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores LETRAMENTO NA CONCEPÇÃO DE VIGOTSKI: O PAPEL DO/A PROFESSOR/A NA APROPRIAÇÃO DA LINGUAGEM ORAL

Leia mais

A EXPLORAÇÃO DE SITUAÇÕES -PROBLEMA NA INTRODUÇÃO DO ESTUDO DE FRAÇÕES. GT 01 - Educação Matemática nos Anos Iniciais e Ensino Fundamental

A EXPLORAÇÃO DE SITUAÇÕES -PROBLEMA NA INTRODUÇÃO DO ESTUDO DE FRAÇÕES. GT 01 - Educação Matemática nos Anos Iniciais e Ensino Fundamental A EXPLORAÇÃO DE SITUAÇÕES -PROBLEMA NA INTRODUÇÃO DO ESTUDO DE FRAÇÕES GT 01 - Educação Matemática nos Anos Iniciais e Ensino Fundamental Adriele Monteiro Ravalha, URI/Santiago-RS, adrieleravalha@yahoo.com.br

Leia mais

RELAÇÃO DE LINHAS DE PESQUISA, EMENTAS E TEMAS PARA ORIENTAÇÃO DE TCC PEDAGOGIA

RELAÇÃO DE LINHAS DE PESQUISA, EMENTAS E TEMAS PARA ORIENTAÇÃO DE TCC PEDAGOGIA RELAÇÃO DE LINHAS DE, S E PARA METODOLOGIAS DO ENSINO E DA APRENDIZAGEM GESTÃO E ORGANIZAÇÃO DOS PROCESSOS EDUCATIVOS Constituição histórica das metodologias do ensino e as diferentes concepções de ensino

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA O ACOMPANHAMENTO DA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA

ORIENTAÇÕES PARA O ACOMPANHAMENTO DA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA DOCUMENTO ORIENTADOR CGEB Nº 11 DE 2014 COORDENADORIA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA ORIENTAÇÕES PARA O ACOMPANHAMENTO DA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA SÃO PAULO JUNHO DE 2014 Governador Geraldo Alckmin Vice-Governador

Leia mais

COORDENAÇÃO DE ENSINO EQUIPE TÉCNICO-PEDAGÓGICA PLANO DE ENSINO

COORDENAÇÃO DE ENSINO EQUIPE TÉCNICO-PEDAGÓGICA PLANO DE ENSINO COORDENAÇÃO DE ENSINO EQUIPE TÉCNICO-PEDAGÓGICA 1 - IDENTIFICAÇÃO PLANO DE ENSINO CURSO: Técnico Subsequente em Agricultura DISCIPLINA/ COMPONENTE CURRICULAR: Matemática Aplicada a Agricultura ANO/ CARGA

Leia mais

EMENTÁRIO NÚCLEO DE ESTUDOS BÁSICOS

EMENTÁRIO NÚCLEO DE ESTUDOS BÁSICOS EMENTÁRIO NÚCLEO DE ESTUDOS BÁSICOS a) FUNDAMENTAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO DADOS DO CAMPO DE CONHECIMENTO Filosofia, Ética e 3 1 4 90 EMENTA: Correntes filosóficas da modernidade e seus fundamentos para

Leia mais

QUALIDADE DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA CONSTRUÇÃO A PARTIR DO PROCESSO DE LEITURA E ESCRITA

QUALIDADE DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA CONSTRUÇÃO A PARTIR DO PROCESSO DE LEITURA E ESCRITA QUALIDADE DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA CONSTRUÇÃO A PARTIR DO PROCESSO DE LEITURA E ESCRITA Camila Escarlety Costa 1, Jaciara Serafim De Souza 2, Lídia Thaislene Dos Santos 3, Nora Lucia Corrêa 4. 1 Universidade

Leia mais

O uso dos gêneros textuais na alfabetização: crenças que norteiam a prática docente

O uso dos gêneros textuais na alfabetização: crenças que norteiam a prática docente O uso dos gêneros textuais na alfabetização: crenças que norteiam a prática docente BARCELOS-COELHO, Lenir de Jesus 155* BUENO, Ivonete 156** RESUMO: No contexto atual são patentes as dificuldades relacionadas

Leia mais

PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NA INTERNET: UMA ANÁLISE DAS ATIVIDADES DO LIVRO DIDÁTICO DO ENSINO MÉDIO

PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NA INTERNET: UMA ANÁLISE DAS ATIVIDADES DO LIVRO DIDÁTICO DO ENSINO MÉDIO PRÁTICAS DE LEITURA E ESCRITA NA INTERNET: UMA ANÁLISE DAS ATIVIDADES DO LIVRO DIDÁTICO DO ENSINO MÉDIO Elaine Vasquez Ferreira de Araujo (UNIGRANRIO) elainevasquez@ig.com.br RESUMO Este artigo discute

Leia mais

CAMPANHA NACIONALDE ESCOLAS DA COMUNIDADE - CNEC FACULDADE CENECISTA DE CAMPO LARGO FACECLA CURSO DE PEDAGOGIA

CAMPANHA NACIONALDE ESCOLAS DA COMUNIDADE - CNEC FACULDADE CENECISTA DE CAMPO LARGO FACECLA CURSO DE PEDAGOGIA CAMPANHA NACIONALDE ESCOLAS DA COMUNIDADE - CNEC FACULDADE CENECISTA DE CAMPO LARGO FACECLA CURSO DE PEDAGOGIA O curso de Pedagogia, Licenciatura da FACECLA de acordo com as Diretrizes Curriculares de

Leia mais

Curso Educação Artística Habilitação: Artes Plásticas. Disciplina Prática de Ensino. Professor(a) José Paulo de Assis Rocha JUSTIFICATIVA

Curso Educação Artística Habilitação: Artes Plásticas. Disciplina Prática de Ensino. Professor(a) José Paulo de Assis Rocha JUSTIFICATIVA Curso Educação Artística Habilitação: Artes Plásticas Disciplina Prática de Ensino Ano letivo 2011 Série 3ª Carga Horária 72 H/aula Professor(a) José Paulo de Assis Rocha JUSTIFICATIVA Assim como curadores

Leia mais

ANEXO II CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS PARA A PROVA ESCRITA

ANEXO II CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS PARA A PROVA ESCRITA ANEXO II CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS PARA A PROVA ESCRITA PARA OS CARGOS DE SERVENTE E MOTORISTA Compreensão de textos. Confronto de frases corretas e incorretas. Emprego de maiúsculas. Separação silábica.

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Metodologia do Ensino na Educação de Jovens e Adultos Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 4º 1 - Ementa (sumário, resumo)

Leia mais

Justificativa: Cláudia Queiroz Miranda (SEEDF 1 ) webclaudia33@gmail.com Raimunda de Oliveira (SEEDF) deoliveirarai@hotmail.com

Justificativa: Cláudia Queiroz Miranda (SEEDF 1 ) webclaudia33@gmail.com Raimunda de Oliveira (SEEDF) deoliveirarai@hotmail.com 1 COMO COLOCAR AS TEORIAS ESTUDADAS NA FORMAÇÃO DO PNAIC EM PRÁTICA NA SALA DE AULA? REFLEXÕES DE PROFESSORES ALFABETIZADORES SOBRE O TRABALHO COM O SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMAL Cláudia Queiroz Miranda

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTOS EM GESTÃO ESCOLAR

AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTOS EM GESTÃO ESCOLAR AVALIAÇÃO DE CONHECIMENTOS EM GESTÃO ESCOLAR DIMENSAO Gestão pedagógica CONTEUDOS Teorias contemporâneas sobre currículo: identidade, diferença e multiculturalismo. Função social da escola e organização

Leia mais

Fundação Carmelitana Mário Palmério - FUCAMP Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - FACIHUS Educação de qualidade ao seu alcance

Fundação Carmelitana Mário Palmério - FUCAMP Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - FACIHUS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO DE LETRAS PORTUGUÊS/ESPANHOL O ensino da língua espanhola no contexto da escola pública INTRODUÇÃO Este plano procura articular-se de forma integrada com o plano de trabalho institucional, que

Leia mais

V PROGRAMA DA DISCIPLINA

V PROGRAMA DA DISCIPLINA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD PLANO DE ENSINO I IDENTIFICAÇÃO Curso: Pedagogia a Distância Departamento: Departamento de Pedagogia a Distância Disciplina:

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Educação Física Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 7º 1 - Ementa (sumário, resumo) Educação

Leia mais

Leitura e Literatura

Leitura e Literatura MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICAB Diretoria de Políticas de Formação, Materiais Didáticos e de Tecnologias para Educação BásicaB Leitura e Literatura Dia e Semana Nacional da Leitura

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 15:06

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 15:06 Curso: 9 DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Centro de Ciências da Educação Pedagogia (Noturno) Ano/Semestre: 0/ 09/0/0 :06 s por Curso Magistério: Educação Infantil e Anos Iniciais do Ens. Fundamental CNA.0.00.00-8

Leia mais

CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares

CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares C M E CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NATAL/RN RESOLUÇÃO Nº 003/2011 CME Estabelece normas sobre a Estrutura, Funcionamento e Organização do trabalho pedagógico da Educação de Jovens e Adultos nas unidades

Leia mais

OS JOGOS MATEMÁTICOS: UM RECURSO QUE FAVORECE NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM.

OS JOGOS MATEMÁTICOS: UM RECURSO QUE FAVORECE NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM. OS JOGOS MATEMÁTICOS: UM RECURSO QUE FAVORECE NO PROCESSO DE ENSINO - APRENDIZAGEM. UCHÔA, Yasmim Figueiredo Graduanda de Pedagogia/ UEPB. Bolsista PIBID CABRAL, Isabel Cristina Gomes de Morais Graduanda

Leia mais

CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA

CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA Jacqueline Oliveira de Melo Gomes Faculdade de Formação de Professores da Mata Sul / FAMASUL-PE jacomgomes@yahoo.com.br

Leia mais

O currículo na Educação Infantil: uma análise teórica

O currículo na Educação Infantil: uma análise teórica Resumo O presente artigo faz uma análise teórica acerca do currículo e sua construção na Educação Infantil, discussão esta que tem como aporte teórico os estudos de Barbosa (2009), Oliveira (2011), Sacristán

Leia mais

Plano de Ensino Docente

Plano de Ensino Docente Plano de Ensino Docente IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU: ( ) integrado ( ) subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (x) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x ) Presencial

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PREFEITO WILLIAMS DE SOUZA ARRUDA PROFESSOR: PEDRO ROMÃO BATISTA COMPONENTE CURRICULAR: MATEMÁTICA

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PREFEITO WILLIAMS DE SOUZA ARRUDA PROFESSOR: PEDRO ROMÃO BATISTA COMPONENTE CURRICULAR: MATEMÁTICA ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PREFEITO WILLIAMS DE SOUZA ARRUDA PROFESSOR: PEDRO ROMÃO BATISTA COMPONENTE CURRICULAR: MATEMÁTICA PLANOS DE CURSO PARA 6º E 7º ANOS Campina Grande, 2011 -

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO PERÍODO LETIVO/ANO 2010 Programa: Pós-Graduação stricto sensu em Educação/PPGE Área de Concentração: Sociedade,

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA Disciplina: ESTÁGIO I Carga Horária: 90h Teórica: Prática: 80h Semestre: 2013.2 Professora: Claudia Mara Soares

Leia mais

Ementas aprovadas nos Departamentos (as disciplinas obrigatórias semestrais estão indicadas; as demais são anuais)

Ementas aprovadas nos Departamentos (as disciplinas obrigatórias semestrais estão indicadas; as demais são anuais) UFPR SETOR DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA EMENTAS DAS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS Ementas aprovadas nos Departamentos (as disciplinas obrigatórias semestrais estão indicadas; as demais são anuais) 1º ANO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO DE 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do Projeto: Educação Infantil: novos olhares, muitos desafios / Formação continuada para professores

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores ALFABELETRAR: REFLEXÃO SOBRE O ENSINO DE MATEMÁTICA VIA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS NA FORMAÇÃO

Leia mais

A DIDÁTICA NA FORMAÇÃO DOCENTE: ENTRE A INOVAÇÃO TÉCNICA E A EDIFICANTE

A DIDÁTICA NA FORMAÇÃO DOCENTE: ENTRE A INOVAÇÃO TÉCNICA E A EDIFICANTE A DIDÁTICA NA FORMAÇÃO DOCENTE: ENTRE A INOVAÇÃO TÉCNICA E A EDIFICANTE Ilma Passos Alencastro Veiga 1 Edileuza Fernandes da Silva 2 Odiva Silva Xavier 3 Rosana César de Arruda Fernandes 4 RESUMO: O presente

Leia mais

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRICULO

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRICULO FATEA Faculdades Integradas Teresa D Ávila Curso: Pedagogia Carga Horária: 36h Ano: 2011 Professor: José Paulo de Assis Rocha Plano de Ensino Disciplina: Arte e Educação Período: 1º ano Turno: noturno

Leia mais

6 créditos (108h) TCC 12 créditos ( 216h) Atividades técnico-científicas ou culturais 28 créditos (504 horas)

6 créditos (108h) TCC 12 créditos ( 216h) Atividades técnico-científicas ou culturais 28 créditos (504 horas) Componente curricular Créditos e Carga horária Disciplinas eletivas 4 créditos (72h) NADE(s) 6 créditos (108h) TCC 12 créditos ( 216h) Atividades técnico-científicas ou culturais 6 créditos (108h) TOTAL

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Língua Portuguesa Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º 1 - Ementa (sumário, resumo) Fundamentos

Leia mais

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO INTERNO E EXTERNO PARA PEDAGOGIA. N 2015/05 18 de NOVEMBRO A 10 DE DEZEMBRO

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO INTERNO E EXTERNO PARA PEDAGOGIA. N 2015/05 18 de NOVEMBRO A 10 DE DEZEMBRO EDITAL DE PROCESSO SELETIVO INTERNO E EXTERNO PARA PEDAGOGIA N 2015/05 18 de NOVEMBRO A 10 DE DEZEMBRO Dispõe sobre o TESTE SELETIVO INTERNO E EXTERNO para PROFESSOR integrante da carreira docente das

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA PLANO DE ENSINO 2011-1 DISCIPLINA: Arte e Educação - JP0029 PROFESSOR: Ms. Clóvis Da Rolt I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Carga Horária Teórica: 60h Carga Horária Prática: 15h II EMENTA A disciplina de Arte e

Leia mais

ESTRATÉGIAS GRÁFICAS NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS ARITMÉTICOS RESUMO. Palavras-Chave: Resolução de problemas; Estratégias gráficas; Problemas aritméticos

ESTRATÉGIAS GRÁFICAS NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS ARITMÉTICOS RESUMO. Palavras-Chave: Resolução de problemas; Estratégias gráficas; Problemas aritméticos ESTRATÉGIAS GRÁFICAS NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS ARITMÉTICOS Rogéria Gaudencio do Rêgo (DM/CCEN/UFPB) Maria Alves de Azeredo (DME/CE/UFPB) RESUMO Este estudo tem por objetivo discutir sobre as diferentes

Leia mais

Curso de Pedagogia Ementário da Matriz Curricular 2010.2

Curso de Pedagogia Ementário da Matriz Curricular 2010.2 1ª FASE 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL A Biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão neurológica nos processos básicos: os sentidos

Leia mais

PROCESSOS DE ALFABETIZAÇÃO NA INFÂNCIA: RESSIGNIFICANDO O MUNDO, LENDO PALAVRAS...

PROCESSOS DE ALFABETIZAÇÃO NA INFÂNCIA: RESSIGNIFICANDO O MUNDO, LENDO PALAVRAS... PROCESSOS DE ALFABETIZAÇÃO NA INFÂNCIA: RESSIGNIFICANDO O MUNDO, LENDO PALAVRAS... Autora: Moema Helena de Albuquerque Co-autora: Sandra Maria Cunhasque Instituto Federal Catarinense Câmpus Camboriú CAPES

Leia mais

JOGOS ONLINE NA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS

JOGOS ONLINE NA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS JOGOS ONLINE NA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS Lucas Gabriel Seibert Universidade Luterana do Brasil lucasseibert@hotmail.com Roberto Luis Tavares Bittencourt Universidade Luterana do Brasil rbittencourt@pop.com.br

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 7º semestre

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 7º semestre EIXO TECNOLÓGICO: Ensino Superior Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU: ( )integrado( )subsequente( )concomitante ( ) bacharelado (x)licenciatura( )tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA DIRETORIA REGIONAL DE ARAGUAÍNA COLÉGIO ESTADUAL GETÚLIO VARGAS ANANÁS TO

GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA DIRETORIA REGIONAL DE ARAGUAÍNA COLÉGIO ESTADUAL GETÚLIO VARGAS ANANÁS TO GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA DIRETORIA REGIONAL DE ARAGUAÍNA COLÉGIO ESTADUAL GETÚLIO VARGAS ANANÁS TO PROJETO REFORÇO ESCOLAR PORTUGUÊS E MATEMÁTICA ATRAVÉS

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica Diretoria de Apoio a Gestão Educacional

Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica Diretoria de Apoio a Gestão Educacional Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica Diretoria de Apoio a Gestão Educacional Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa Slides produzidos a partir do caderno: Currículo no ciclo de

Leia mais

ALFABETIZAR-SE: UM DIREITO DA CRIANÇA DE 6 ANOS

ALFABETIZAR-SE: UM DIREITO DA CRIANÇA DE 6 ANOS ALFABETIZAR-SE: UM DIREITO DA CRIANÇA DE 6 ANOS Marcia Aparecida Alferes 1 Resumo O presente texto pretende refletir sobre a questão da alfabetização como conceito presente nas políticas educacionais que

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS NO PPROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS NO PPROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES LÚDICAS NO PPROCESSO DE Resumo ALFABETIZAÇÃO NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL NICOLITTO, Mayara Cristina UEPG maycris_nic@hotmail.com CAMPOS, Graziela Vaneza de UEPG

Leia mais