ENSINO CURRICULUM NACIONAL. Staphylococcus

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ENSINO CURRICULUM NACIONAL. Staphylococcus"

Transcrição

1 O Capítulo 1.3, Micróbios Nocivos, apresenta aos alunos a multiplicidade de doenças contagiosas provocadas por micróbios perigosos. Os alunos devem actuar como cientistas e agrupar uma série de doenças sob diferentes títulos para responder a uma variedade de problemas que podem surgir. Realizando esta actividade os alunos aprendem que nem sempre é fácil identificar e tratar uma doença. Um debate na sala de aula é o foco da actividade suplementar. Os alunos investigam as duas facções da seguinte questão estamos demasiado limpos ou não suficientemente limpos? Staphylococcus Todos os alunos: ENSINO OBJECTIVOS CURRICULUM NACIONAL LIGAÇÕES CURRICULUM DE CIÊNCIAS Aprendem que, por vezes, os micróbios podem provocar doenças. 3º Ciclo / 9º Ano ou Projecto de Educação para a Saúde a implementar nas Áreas Curriculares Não Disciplinares

2 1.3 Microrganismos Micróbios Nocivos Enquadramento Palavras-Chave Bactéria Colónia Dermatófitos Febre Fungo Germe Higiene Infeccioso Patogénicos Erupção cutânea Inchaço/Inflamação Toxina Vírus Materiais Necessários Por grupo Cópias de Recursos Disponíveis SH na Net 1, SH 2, SH 3 SW 1 Fotografias ampliadas de micróbios nocivos FACTO IMPORTANTE Globalmente, as doenças contagiosas foram a principal causa de morte em 1999, provocando 25% de todas as mortes conhecidas. As doenças contagiosas foram responsáveis por 63% das mortes em crianças de idade inferior a 5 anos! Alguns micróbios podem ser nocivos para o ser humano e causar doenças; o vírus Influenza pode provocar a gripe, as bactérias Campylobacter intoxicações alimentares e os fungos dermatófitos como os Trichophyton podem causar doenças como o Pé de Atleta e as Tinhas. Estes microrganismos são conhecidos como agentes patogénicos. Cada micróbio pode fazer-nos ficar doentes de diferentes maneiras. Quando as bactérias nocivas se reproduzem no nosso corpo, podem produzir substâncias perigosas chamadas toxinas que nos fazem ficar doentes, ou em casos mais graves, podem danificar tecidos e órgãos Os vírus actuam como parasitas. Uma vez dentro do nosso corpo, necessitam de uma célula hospedeira para sobreviver. Dentro da célula, multiplicam-se e destroem a célula hospedeira para se libertarem assim que atingem a maturação. Os fungos geralmente não matam o seu hospedeiro. Os Dermatófitos preferem crescer ou formar colónias sob a pele. São os produtos secundários que eles produzem enquanto se alimentam que provocam inchaço e comichão. Diz-se que alguém está infectado quando contraiu uma doença através de um micróbio. Muitos micróbios nocivos podem passar de uma pessoa para outra por várias vias ar, contacto da pele, água, alimentos, aerossóis, animais, etc. Diz-se que as doenças provocadas por tais micróbios são doenças infecciosas. É importante lembrar que nem todos os micróbios são nocivos, e alguns só são perigosos quando fora do seu ambiente normal. Por exemplo, a Salmonella e a Campylobacter vivem, normalmente, no intestino das galinhas sem lhes causar qualquer dano. Contudo, quando se introduzem no intestino humano, as toxinas que expelem durante o seu crescimento normal podem fazer-nos ficar muito doentes. O nosso organismo também se adapta para nos ajudar a combater essas infecções. Pode acontecer sob a forma de: - Febre: os micróbios preferem viver a uma temperatura corporal normal de 37ºC. A febre é considerada um dos mecanismos do nosso corpo para tentar neutralizar uma ameaça, seja ela bacteriana ou viral; - Inchaço: um corte na mão resultará geralmente em inchaço à volta do corte. Isso corresponde à resposta do nosso corpo, como no caso da febre, só que mais localizado; - Erupção Cutânea: Uma reacção do nosso corpo às toxinas bacterianas. Em capítulos posteriores, discutiremos esta matéria, com mais detalhe. Preparação Prévia 1. Recorte os cartões das doenças em SH 1 - SH 3 (um conjunto por grupo). Plastifique-os ou cole-os em cartolina para futuro uso. 2. Fotocopie SW 1 para cada grupo.

3 1.3 Microrganismos Micróbios Nocivos Introdução 1. Comece por explicar aos alunos que por vezes os micróbios podem ser nocivos para o ser humano. As bactérias quando se reproduzem podem produzir toxinas que são perigosas para o corpo. Os vírus actuam como parasitas que se multiplicam dentro das nossas células e as destroem. Alguns fungos gostam de crescer na nossa pele, o que provoca comichão e dor. Descubra quantos termos diferentes eles têm para micróbios germes, bichos, etc. 2. Peça aos alunos para criarem uma lista de infecções (doenças contagiosas), lançando ideias sobre quaisquer doenças que tenham ouvido falar. Será que eles sabem quais são os micróbios causadores dessas doenças? Pergunte aos alunos que doença representa uma ameaça hoje na sala de aula. Explique que no início do século 20 a doença mais ameaçadora era o sarampo. Muitas crianças que apanhavam sarampo morriam! 3. Explique que as bactérias e outros micróbios que podem transmitir-se facilmente de pessoa para pessoa e causar infecções se designam por agentes infecciosos. Discuta a diferença entre micróbio infeccioso e não infeccioso. Discuta com os alunos as várias vias de transmissão, isto é: contacto da pele, água, alimentos, fluidos corporais e o ar. 4. Identifique qualquer doença infecciosa mencionada durante o debate de ideias e como é que se transmite. Actividade Principal 1. Esta actividade deve ser realizada em grupos de 3 5 pessoas. Explique que durante esta actividade irão conhecer algumas doenças infecciosas que causam problemas no mundo hoje em dia. 2. Forneça a cada grupo os cartões das doenças que se encontram nas fichas SH 1 SH Explique que por vezes os cientistas têm de agrupar as doenças sob diferentes títulos para tratar problemas diferentes. Cada grupo deve examinar os títulos na ficha SW Peça a cada grupo para preencher o primeiro título,, da ficha SW 1. Após alguns minutos, peça ao porta-voz de cada grupo para ler em voz alta os seus resultados. Escreva todos os resultados no quadro para debate. 5. Depois de completar todos os títulos da ficha SW 1, discuta os resultados da turma como um todo. e. Organismo Infeccioso Lembre aos alunos que há três tipos principais de micróbios. É importante identificar o micróbio em causa para tratar a doença, p. ex. os antibióticos não podem ser usados para tratar vírus (isto será analisado no capítulo 3) f. Os alunos podem notar que algumas doenças apresentam sintomas semelhantes, p. ex. febre ou erupção cutânea. Deve realçar a importância de ir ao médico quando se está doente para que seja feito um diagnóstico correcto. g. Muitas doenças são transmitidas muito facilmente pelo toque ou por inalação. Outras são bastante específicas e necessitam de transferência de sangue ou outros fluidos corporais específicos. h. Medidas preventivas Podemos prevenir a propagação e protegermo-nos contra as infecções através de alguns cuidados simples. A lavagem regular das mãos e cobrir a boca e o nariz quando tossimos ou espirramos, demonstrou ser eficaz na redução da incidência de muitas infecções comuns. O uso correcto do preservativo pode reduzir a transmissão de muitas DSTs. i. j.

4 1.3 Microrganismos Micróbios Nocivos Actividade Principal e. É importante observar aqui que nem todas as doenças necessitam de tratamento médico, algumas necessitam apenas de repouso na cama e um aumento da ingestão de líquidos. Os analgésicos, contudo, podem ser usados para aliviar alguns sintomas. Saliente que os antibióticos só são usados para tratar infecções bacterianas. Plenário Avalie a aprendizagem colocando aos alunos as seguintes questões: a. O que é uma doença? Uma doença é definida como uma enfermidade com um grupo identificável de sinais ou sintomas. b. O que é uma doença infecciosa? Uma doença infecciosa é uma enfermidade provocada por um micróbio e que pode transmitir-se a outras pessoas. c. Por que é que doenças contagiosas que antigamente se encontravam em regiões específicas, hoje em dia podem ser encontradas no mundo inteiro? Muitas doenças infecciosas começam numa região específica ou país. No passado a infecção podia facilmente ser contida ou isolada. Hoje em dia, contudo, as pessoas viajam mais rápido, com mais frequência e cada vez mais longe. Uma pessoa que viaje da Austrália para a Inglaterra pode fazê-lo em menos de um dia, parando em Hong Kong durante o caminho. Se esta pessoa tem uma nova estirpe do vírus da gripe, pode transmiti-lo a alguém com quem contacte no avião, no aeroporto de Hong Kong e na aterragem em Inglaterra. Essas pessoas podem depois transmitir a gripe a outras com quem entrem em contacto pelo mundo. Em poucos dias, esta nova estirpe do vírus da gripe pode ser encontrada em todo o mundo!!! Actividade Suplementar 1. Peça aos alunos para recordarem o que aprenderam sobre micróbios, tanto benéficos como nocivos. Explique que há um debate contínuo entre os cientistas sem que se consiga chegar a consenso. Os dois lados do debate são: a. Limpeza! Só assim nos livraremos dos micróbios e das doenças. Mantendo tudo, inclusive nós próprios, tão limpo quanto possível para eliminar micróbios nocivos. b. Estamos demasiado limpos! Os nossos corpos já não sabem como combater as infecções. Como estamos demasiado limpos, os nossos corpos não desenvolveram imunidade a muitos micróbios nocivos, por isso, somos mais vulneráveis às doenças! 2. Forneça aos alunos material de pesquisa e peça-lhes para, com base na sua pesquisa individual, escreverem uma composição ou preparar um debate sobre as suas opiniões acerca do tópico. Lembrelhes que não existem respostas correctas ou incorrectas, os cientistas não conseguem chegar a acordo!

5 1.3 Microrganismos Micróbios Nocivos Observações * A SARM é uma bactéria resistente aos antibióticos, sendo especificamente resistente à meticilina. A sua resistência é atribuída ao uso excessivo e abusivo deste e doutros antibióticos. O tratamento continua a ser feito com antibióticos, contudo a SARM também está a desenvolver resistência a estas novos antibióticos! 4. Micróbios Infecciosos 6. Contacto sexual Sangue Toque Inalação Clamídia, SIDA, Candidíase Meningite bacteriana, SIDA SARM Meningite bacteriana Micróbio Infeccioso Boca a boca Gripe, Mononucleose Bactéria Meningite bacteriana, Clamídia, SARM 7. Vírus SIDA, Varicela, Gripe, Sarampo, Mononucleose Fungos Candidíase (sapinhos) Lavagem das mãos SARM, Meningite bacteriana 5. Cobrir a tosse e os espirros Meningite bacteriana Usar preservativo Clamídia, SIDA, Candidíase Assintomática Febre Clamídia, SARM Meningite bacteriana Evitar uso desnecessário de antibióticos SARM*, Candidíase Erupção Cutânea Garganta inflamada Meningite bacteriana, Varicela, Sarampo, Gripe, Mononucleose Vacinação 6. Varicela, Sarampo, Gripe Cansaço Mononucleose Antibióticos Clamídia, Meningite bacteriana, SARM* Lesões SIDA Repouso Varicela, Mononucleose, Sarampo, Gripe Corrimento esbranquiçado Clamídia, Candidíase Antifúngicos Candidíase Ingestão de líquidos Varicela, Mononucleose, Sarampo, Gripe

6 Staphylococcus Aureus Resistente à Meticilina (SARM) Bactéria: Staphylococcus aureus Assintomática em indivíduos sãos. Pode causar infecções de pele, infectar feridas cirúrgicas, a corrente sanguínea, os pulmões, ou o trato urinário em indivíduos já doentes. Esfregaço e teste de sensibilidade aos antibióticos (TSA) Elevada se não for administrado o antibiótico correcto. Contagiosa. Contacto directo com a pele. Lavagem regular das mãos. Resistente a muitos antibióticos. Enquanto alguns antibióticos ainda funcionam, a SARM está em constante adaptação. Primeiro caso reportado em 1961, tornou-se um problema mundial crescente. Sarampo Vírus: Paramyxovirus Febre, corrimento nasal, conjuntivite, tosse, manchas cutâneas vermelhas e garganta inflamada e inchada. Baixa, mas elevada nos países subdesenvolvidos. Contagiosa. Gotículas provenientes da tosse ou espirros, contacto com a pele ou contacto com objectos que contenham o vírus. Vacinação Repouso e ingestão de líquidos. Primeiro vírus descoberto em 1911, diminuiu drasticamente nos países desenvolvidos nos últimos anos, embora ainda ocorram pequenas epidemias. Ainda é um problema pandémico nos países subdesenvolvidos. Gripe Vírus: Influenza Dor de cabeça, febre, arrepios, dores musculares; possivelmente garganta inflamada, tosse e dor no peito. Média, mas mais elevada nas crianças e idosos. Altamente contagiosa. Inalação de partículas virais presentes no ar. Contacto directo com a pele. Vacinação contra estirpes actuais. Repouso, ingestão de líquidos e antivirais no idoso. Presente há séculos, as epidemias ocorrem regularmente.

7 Candidíase Fungo: Candida albicans Comichão, ardor, irritação e lesões brancas na boca ou inflamação da vagina com um corrimento esbranquiçado. Esfregaço e exame da cultura ao microscópio. Nula. Contacto pessoal mas faz parte das flora habitual do intestino. Os sintomas são causados pelo crescimento excessivo deste fungo devido a antibióticos que eliminam as bactérias protectoras normais. Por isso, evite o uso desnecessário de antibióticos. Antifúngicos. Quase 75% das mulheres já tiveram esta infecção pelo menos uma vez. Clamídia Bactéria: Chlamydia trachomatis Em muitos casos não existem sintomas mas às vezes há corrimento vaginal ou do pénis. Inchaço dos testículos e infertilidade também podem ocorrer. Esfregaço ou uma amostra de urina para teste molecular. Muito reduzida. Contagiosa através de contacto sexual. Uso do preservativo durante as relações sexuais. Antibióticos. Descoberta em Tornou-se um problema mundial crescente. Meningite Bacteriana Bactéria: Neisseria meningitidis Dor de cabeça, rigidez do pescoço, febre alta, irritabilidade, delírio, erupção cutânea. Amostra de fluido espinal e teste molecular. Média, mas mais elevada nas crianças e idosos. Contagiosa, através da saliva e inalação de aerossóis. Vacinação contra muitas estirpes, evite o contacto com doentes infectados. Penicilina, oxigénio e líquidos. Identificada como bactéria em Epidemias regulares em países subdesenvolvidos.

8 VIH/SIDA Vírus: Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH). Sistema imunitário deficiente, pneumonia e lesões. Média elevada em países sem medicamentos anti-sida. Altamente Contagiosa. Contacto sexual, contacto com sangue contaminado, partilha de seringas, transmissão da mãe para o feto. Usar sempre o preservativo durante as relações sexuais. Não existe cura, no entanto os medicamentos anti-vih podem prolongar a esperança de vida. Descoberto em Actualmente é uma epidemia mundial. Mononucleose Infecciosa ( do Beijo) Virus: Vírus Epstein-Barr Garganta inflamada, gânglios linfáticos inchados e cansaço extremo. Reduzida. Pouco contagiosa. Contacto directo como beijar ou partilhar bebidas. Evitar o contacto directo com pacientes infectados. Repouso e ingestão de líquidos. Para alívio das dores pode utilizarse paracetamol. Descoberto em % da população já teve a infecção contudo só 35 % desenvolveu sintomas. Surtos isolados ocasionais. Varicela Virus: Varicella-zoster Manchas vermelhas que evoluem rapidamente para vesículas no corpo e cabeça. Reduzida. Altamente contagiosa. Contacto directo com a pele ou inalação de gotículas provenientes da tosse ou espirros. Vacinação. Repouso, ingestão de líquidos e antivirais em alguns adultos. Descoberta em 865. Diminuiu nos países onde foram implementados programas de vacinação. Nos outros países não sofreu alterações.

9 Instruções 1. Agrupa os teus cartões de doença segundo os títulos em cada tabela. 2. Notas algumas semelhanças ou diferenças entre as doenças com base em cada um dos títulos? 1. Micróbios Infecciosos 3. Contacto sexual Sangue Toque Inalação Micróbio Infeccioso Boca a boca Bactéria Vírus Fungos 4. Lavagem das mãos 2. Assintomática Febre Erupção Cutânea Cobrir a tosse e os espirros Usar preservativo Evitar uso desnecessário de antibióticos Vacinação Garganta inflamada Cansaço Lesões Corrimento esbranquiçado 5. Antibióticos Repouso Antifúngicos Ingestão de líquidos

Objectivos Pedagógicos

Objectivos Pedagógicos Programa de Ciências da Natureza 6º Ano Tema: Ambiente de Vida Capítulo II- Agressões do meio e integridade do organismo 1) Os Micróbios No Capítulo 1.3, Micróbios Nocivos, são apresentadas várias situações

Leia mais

Objectivos Pedagógicos

Objectivos Pedagógicos Programa de Ciências da Natureza 6º Ano Tema: Ambiente de Vida Capítulo II- Agressões do meio e integridade do organismo 1) A Higiene No Capítulo 3, Tratamento das Infecções, fala-se sobre a utilização

Leia mais

VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO

VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO Perguntas frequentes sobre a gripe sazonal O que é a gripe? É uma doença infecciosa aguda das vias respiratórias, causada pelo vírus da gripe. Em

Leia mais

ENSINO CURRICULUM NACIONAL. Vírus do Herpes

ENSINO CURRICULUM NACIONAL. Vírus do Herpes Este módulo tem por objectivo ensinar aos alunos o modo como a actividade sexual pode levar à transmissão de micróbios e doenças. O Capítulo 2.3, Infecções Sexualmente Transmissíveis, ensina aos alunos

Leia mais

VAMOS FALAR SOBRE. AIDS + DSTs

VAMOS FALAR SOBRE. AIDS + DSTs VAMOS FALAR SOBRE AIDS + DSTs AIDS A AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) atinge indiscriminadamente homens e mulheres e tem assumido proporções assustadoras desde a notificação dos primeiros

Leia mais

Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico

Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico Gripe Perguntas Frequentes Perguntas frequentes sobre a gripe sazonal O que é a

Leia mais

ENSINO CURRICULUM NACIONAL. Cápsulas de Antibiótico

ENSINO CURRICULUM NACIONAL. Cápsulas de Antibiótico O Capítulo 4.1, Antibióticos e Medicamentos, aborda a questão da utilização dos antibióticos e outros medicamentos no tratamento de várias doenças infecciosas. Nesta actividade prática, ácidos e bases

Leia mais

As causas das doenças

As causas das doenças CAPÍTULO 2 As causas das doenças As pessoas têm maneiras diferentes de explicar a causa duma doença. Um bebé está com diarreia. Mas porquê? Em certas comunidades, talve digam que isso aconteceu porque

Leia mais

Objectivos pedagógicos

Objectivos pedagógicos Programa de Ciências da Natureza 6º Ano Tema: Ambiente de Vida Capítulo II- Agressões do meio e integridade do organismo 1) Os Micróbios Nesta lição, faz-se a introdução ao mundo dos micróbios. Em primeiro

Leia mais

A pneumonia é uma doença inflamatória do pulmão que afecta os alvéolos pulmonares (sacos de ar) que são preenchidos por líquido resultante da

A pneumonia é uma doença inflamatória do pulmão que afecta os alvéolos pulmonares (sacos de ar) que são preenchidos por líquido resultante da 2 A pneumonia é uma doença inflamatória do pulmão que afecta os alvéolos pulmonares (sacos de ar) que são preenchidos por líquido resultante da inflamação, o que dificulta a realização das trocas gasosas.

Leia mais

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO 1/8 O inverno chegou e junto com ele maiores problemas com as doenças respiratórias entre outras Isso não ocorre por acaso já que pé nesta estação onde

Leia mais

INFORMAÇÃO IMPORTANTE SOBRE A GRIPE SUÍNA

INFORMAÇÃO IMPORTANTE SOBRE A GRIPE SUÍNA INFORMAÇÃO IMPORTANTE SOBRE A GRIPE SUÍNA Este folheto contém informação importante para o ajudar a si e à sua família Guarde-o Bem Contactos Úteis Para se manter informado acerca da gripe suína telefone

Leia mais

QUERO SABER... FIZ O TESTE E DEU ( POSITIVO ) Como é que uma pessoa se pode proteger do VIH/sida?

QUERO SABER... FIZ O TESTE E DEU ( POSITIVO ) Como é que uma pessoa se pode proteger do VIH/sida? Como é que uma pessoa se pode proteger do VIH/sida? Para NÃO APANHAR nas relações intimas e sexuais: 1. Não fazer sexo enquanto não se sentir preparado para usar o preservativo (pode experimentar primeiro

Leia mais

DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis. Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani.

DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis. Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani. DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani. O que são DSTS? São as doenças sexualmente transmissíveis (DST), são transmitidas, principalmente, por contato

Leia mais

Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar. Informação para alunos e Pais

Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar. Informação para alunos e Pais Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar Informação para alunos e Pais O que éo vírus da Gripe A(H1N1)v? O vírus A(H1N1)v é um novo vírus da gripe, que afecta os seres humanos. Esta nova estirpe,

Leia mais

3º Ciclo / 9º Ano / Ciência

3º Ciclo / 9º Ano / Ciência 3º Ciclo / 9º Ano / Ciência LIGAÇÕES AO CURRICULUM NACIONAL CONTEÚDO DO PROGRAMA e-bug Integração no CURRICULUM DE CIÊNCIAS PROJECTO de Educação para a Saúde 1. Microrganismos 1.1. Introdução 1.2. Micróbios

Leia mais

Sinais de alerta perante os quais deve recorrer à urgência:

Sinais de alerta perante os quais deve recorrer à urgência: Kit informativo Gripe Sazonal A gripe Sazonal é uma doença respiratória infeciosa aguda e contagiosa, provocada pelo vírus Influenza. É uma doença sazonal benigna e ocorre em todo o mundo, em especial,

Leia mais

Gripe pandémica. Factos que deve conhecer acerca da gripe pandémica

Gripe pandémica. Factos que deve conhecer acerca da gripe pandémica Gripe pandémica Factos que deve conhecer acerca da gripe pandémica De que trata esta brochura? Esta brochura apresenta informações acerca da gripe pandémica. Dá resposta a 10 perguntas importantes acerca

Leia mais

Bactérias e Doenças Associadas

Bactérias e Doenças Associadas Bactérias e Doenças Associadas Disenteria Bacilar Agente Etiológico: Bactérias do gênero Shigella Forma de transmissão: Água e alimentos contaminados com as fezes dos doentes. Sintomas: Infecção intestinal,

Leia mais

Para a obtenção de informações complementares, poderá ainda consultar os seguintes links da Direcção Geral de Saúde: A AICOPA LINHA DE SAÚDE AÇORES

Para a obtenção de informações complementares, poderá ainda consultar os seguintes links da Direcção Geral de Saúde: A AICOPA LINHA DE SAÚDE AÇORES Diversos Circular n.º 72/2009 15 de Julho de 2009 Assunto: Gripe A (H1N1) Algumas considerações importantes. Caro Associado: Considerando a nova estirpe de vírus da Gripe A (H1N1), e perante o seu risco

Leia mais

cartões de bolso serié 4 VIH/ SIDA

cartões de bolso serié 4 VIH/ SIDA cartões de bolso serié 4 VIH/ SIDA 1 O que é VIH? É o vírus que causa a SIDA. Vírus é um microbio muito pequeno, que não se consegue ver a olho nu, ou seja, é preciso ajuda de um microscópio. VIH significa:

Leia mais

No Capítulo 3.2, Vacinação, fala-se sobre quem descobriu as vacinas e como foram descobertas.

No Capítulo 3.2, Vacinação, fala-se sobre quem descobriu as vacinas e como foram descobertas. Programa de Ciências da Natureza 6º Ano Tema: Ambiente de Vida Capítulo II- Agressões do meio e integridade do organismo 1) A Higiene No Capítulo 3.2, Vacinação, fala-se sobre quem descobriu as vacinas

Leia mais

O QUE É A DOENÇA DO BEIJO?

O QUE É A DOENÇA DO BEIJO? O QUE É A DOENÇA DO BEIJO? A mononucleose infecciosa, também conhecida como doença do beijo, é uma doença contagiosa, causada pelo vírus Epstein-Barr, da família do herpes. A mononucleose é mais comum

Leia mais

Semana Europeia da Vacinação

Semana Europeia da Vacinação Diverte-te com esta Sopa de Letras sobre Vacinação: N A J I X S E B I G D F P O U M E R L H F S Q B I K R C W U O T A B H I G I E N E Y SAÚDE VACINA PREVENÇÃO BACTÉRIA IMUNIDADE CONTÁGIO HIGIENE INFEÇÃO

Leia mais

VIROSES. Prof. Edilson Soares www.profedilson.com

VIROSES. Prof. Edilson Soares www.profedilson.com VIROSES Prof. Edilson Soares www.profedilson.com CATAPORA OU VARICELA TRANSMISSÃO Saliva Objetos contaminados SINTOMAS Feridas no corpo PROFILAXIA Vacinação HERPES SIMPLES LABIAL TRANSMISSÃO Contato

Leia mais

Gripe Suína ou Influenza A (H1N1)

Gripe Suína ou Influenza A (H1N1) Gripe Suína ou Influenza A (H1N1) Perguntas e respostas 1. O que é Gripe Suína ou Influenza A (H1N1)? 2. A gripe causada pelo Influenza A (H1N1) é contagiosa? 3. Quem pode adoecer pela nova gripe causada

Leia mais

Frio ou gripe? Nao, aos antibióticos!

Frio ou gripe? Nao, aos antibióticos! Brochura de informação Usar mal um medicamento, este torna-se ineficaz! Frio ou gripe? Nao, aos antibióticos! z6creation.net Uma iniciativa europeia em matéria de saúde. Frio ou gripe? Nao, aos antibióticos!

Leia mais

DIA DA LUTA CONTRA A SIDA 01 DE DEZEMBRO

DIA DA LUTA CONTRA A SIDA 01 DE DEZEMBRO DIA DA LUTA CONTRA A SIDA 01 DE DEZEMBRO Presentemente, a infeçãovih/sida não tem cura e a prevenção é a única medida eficaz. A infeçãovih/sida tem uma história relativamente recente, mas já dramática

Leia mais

FUNDAMENTOS DA ENFERMAGEM ENFª MARÍLIA M. VARELA

FUNDAMENTOS DA ENFERMAGEM ENFª MARÍLIA M. VARELA FUNDAMENTOS DA ENFERMAGEM ENFª MARÍLIA M. VARELA INFECÇÃO As infecções são doenças que envolvem bactérias, fungos, vírus ou protozoários e sua proliferação pode ser vista quando o paciente tem os sintomas,

Leia mais

Nome: Mónica Algares. Ano: 9º Turma: B Nº 17

Nome: Mónica Algares. Ano: 9º Turma: B Nº 17 Nome: Mónica Algares Ano: 9º Turma: B Nº 17 Introdução Pretendo com este trabalho alertar para graves problemas que ao passar do tempo tem vindo a aumentar, as doenças sexualmente transmissíveis. Com a

Leia mais

Podem ser portadores e formar uma rede de transmissão. Não, porque contêm químicos e está clorada.

Podem ser portadores e formar uma rede de transmissão. Não, porque contêm químicos e está clorada. Influenza A H1N1 /GRIPE SUÍNA PERGUNTAS E RESPOSTAS: PERGUNTA 1. Quanto tempo o vírus da gripe suína permanece vivo numa maçaneta ou superfície lisa? 2. O álcool em gel é útil para limpar as mãos? 3. Qual

Leia mais

Instituto de Higiene e Medicina Tropical/IHMT. Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento/FLAD. Fundação Portugal - África

Instituto de Higiene e Medicina Tropical/IHMT. Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento/FLAD. Fundação Portugal - África Instituto de Higiene e Medicina Tropical/IHMT APOIO: Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento/FLAD Casa de Cultura da Beira/CCB CERjovem ATENÇAÕ MULHER MENINA! Fundação Portugal - África RESPOSTAS

Leia mais

F i c h a d e i n f o r m a ç ã o sobre doenças sexualmente transmissíveis

F i c h a d e i n f o r m a ç ã o sobre doenças sexualmente transmissíveis F i c h a d e i n f o r m a ç ã o sobre doenças sexualmente transmissíveis As infecções sexualmente transmissíveis (STI s, abreviatura em inglês para Sexually Transmitted Infections (Infecções Sexualmente

Leia mais

A relação entre a tuberculose e o VIH/HIV Folha Informativa

A relação entre a tuberculose e o VIH/HIV Folha Informativa NSW Health Factsheet - Portuguese A relação entre a tuberculose e o VIH/HIV Folha Informativa The connection between TB and HIV Esta é uma folha informativa sobre tuberculose (TB) e o Vírus de Imunodeficiência

Leia mais

GRIPE SUÍNA E GRAVIDEZ:

GRIPE SUÍNA E GRAVIDEZ: PORTUGUESE GRIPE SUÍNA E GRAVIDEZ: Como pode proteger-se e ao seu bebé Este folheto informa-a sobre: a vacinação contra a gripe suína (gripe A H1N1), que pode receber durante a gravidez, para a ajudar

Leia mais

Guião Terceira Sessão Infeções Sexualmente Transmissíveis

Guião Terceira Sessão Infeções Sexualmente Transmissíveis Guião Terceira Sessão Infeções Sexualmente Transmissíveis SLIDE 1 Introdução do trabalho: Bom dia, estamos aqui para falar a cerca das infeções sexualmente transmissíveis, os problemas associados e o modo

Leia mais

Doenças sexualmente transmissíveis

Doenças sexualmente transmissíveis Doenças sexualmente transmissíveis Lília Maria de Azevedo Moreira SciELO Books / SciELO Livros / SciELO Libros MOREIRA, LMA. Doenças sexualmente transmissíveis. In: Algumas abordagens da educação sexual

Leia mais

GRIPE sempre deve ser combatida

GRIPE sempre deve ser combatida GRIPE sempre deve ser combatida Aviária Estacional H1N1 SAZONAL suína GRIPE = INFLUENZA Que é a INFLUENZA SAZONAL? É uma doença própria do ser humano e se apresenta principalmente durante os meses de inverno

Leia mais

A Gripe A ALGUMAS NOTAS HISTÓRICAS SOBRE A GRÍPE. Data de 1580, a primeira descrição completa de uma pandemia gripal.

A Gripe A ALGUMAS NOTAS HISTÓRICAS SOBRE A GRÍPE. Data de 1580, a primeira descrição completa de uma pandemia gripal. A Gripe A ALGUMAS NOTAS HISTÓRICAS SOBRE A GRÍPE Data de 1580, a primeira descrição completa de uma pandemia gripal. Desde esta altura que correram mundo, mais de trinta pandemias, causadas por diversos

Leia mais

D.S.T. CANCRO MOLE TRICOMO ÍASE CANDIDÍASE HERPES CONDILOMA LI FOGRA ULOMA GONORRÉIA SÍFILIS GRANULOMA AIDS

D.S.T. CANCRO MOLE TRICOMO ÍASE CANDIDÍASE HERPES CONDILOMA LI FOGRA ULOMA GONORRÉIA SÍFILIS GRANULOMA AIDS D.S.T D.S.T. CANCRO MOLE TRICOMO ÍASE CANDIDÍASE HERPES CONDILOMA LI FOGRA ULOMA GONORRÉIA SÍFILIS GRANULOMA AIDS CANCRO MOLE Agente: bactéria Haemophilus ducreyi Transmissão: sexo vaginal, anal ou oral

Leia mais

GRIPE A (H1N1) INFORMAÇÃO E RECOMENDAÇÕES PARA ESCOLAS E OUTROS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO

GRIPE A (H1N1) INFORMAÇÃO E RECOMENDAÇÕES PARA ESCOLAS E OUTROS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO GRIPE A (H1N1) INFORMAÇÃO E RECOMENDAÇÕES PARA ESCOLAS E OUTROS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO As escolas e outros estabelecimentos de ensino assumem um papel muito importante na prevenção de uma pandemia

Leia mais

Informativo Empresarial Especial

Informativo Empresarial Especial Informativo Empresarial Especial Gripe Suína Plano de Contingência Empresarial A Gripe Influenza A H1N1 e o Transporte Rodoviário A gripe que ficou conhecida como gripe suína é causada por vírus que se

Leia mais

DSTs. Como é contraída; Como evitar; Como tratar. PIBID:Fernanda Alves,Fernanda Gallon,Luciana Catardo e Priscila Faccinello

DSTs. Como é contraída; Como evitar; Como tratar. PIBID:Fernanda Alves,Fernanda Gallon,Luciana Catardo e Priscila Faccinello DSTs Como é contraída; Como evitar; Como tratar PIBID:Fernanda Alves,Fernanda Gallon,Luciana Catardo e Priscila Faccinello O que são DSTs? A sigla DSTs quer dizer doenças sexualmente transmissíveis;ou

Leia mais

HOSPITAL DE CLÍNICAS UFPR

HOSPITAL DE CLÍNICAS UFPR HOSPITAL DE CLÍNICAS UFPR HC UFPR COMITÊ DE INFLUENZA SUÍNA 27 de abril DIREÇÃO DE ASSISTÊNCIA SERVIÇO DE EPIDEMIOLOGIA INFECTOLOGIA CLÍNICA - ADULTO E PEDIÁTRICA SERVIÇO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR

Leia mais

Informação para o paciente

Informação para o paciente Informação para o paciente Introdução Viramune é um medicamento para tratar as infecções de VIH (HIV). Este folheto é apenas uma informação básica sobre o Viramune. Esta publicação oferece-lhe informações

Leia mais

GRIPE A (H1N1) v Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar

GRIPE A (H1N1) v Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar GRIPE A (H1N1) v Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar Informação para Professores Agosto de 2009 Direcção-Geral da Saúde (www.dgs.pt) Direcção de Serviços de Promoção e Protecção da Saúde Gripe

Leia mais

Informe sobre a gripe causada pelo novo vírus Influenza A/H1N1

Informe sobre a gripe causada pelo novo vírus Influenza A/H1N1 Informe sobre a gripe causada pelo novo vírus Influenza A/H1N1 DOCUMENTO PARA O PÚBLICO EM GERAL Coordenação: Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) Associação Médica Brasileira (AMB) Apoio e participação:

Leia mais

USAR OS ANTIBIÓTICOS DE FORMA RESPONSÁVEL

USAR OS ANTIBIÓTICOS DE FORMA RESPONSÁVEL INFORMAÇÃO PARA O PÚBLICO SOBRE O DIA EUROPEU DOS ANTIBIÓTICOS O Dia Europeu dos Antibióticos terá lugar no dia 18 de Novembro de 2009. Este dia tem por objectivo proporcionar uma oportunidade de sensibilização

Leia mais

Secretaria Regional da Saúde. Gripe A (H1N1) Informação para as Escolas, Colégios e ATL s

Secretaria Regional da Saúde. Gripe A (H1N1) Informação para as Escolas, Colégios e ATL s Secretaria Regional da Saúde Gripe A (H1N1) Informação para as Escolas, Colégios e ATL s Na sequência dos comunicados emitidos pela Direcção Regional da Saúde e atendendo à informação oficial disponível,

Leia mais

SISTEMA IMUNOLÓGICO SISTEMA IMUNOLÓGICO SISTEMA IMUNOLÓGICO

SISTEMA IMUNOLÓGICO SISTEMA IMUNOLÓGICO SISTEMA IMUNOLÓGICO Biologia Aula: 09 e 10 Prof. Oromar UMA PARCERIA Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.BR Visite a loja virtual www.conquistadeconcurso.com.br MATERIAL DIDÁTICO EXCLUSIVO PARA ALUNOS

Leia mais

Agir contra a Gripe A

Agir contra a Gripe A Agir contra a Gripe A O papel dos estabelecimentos de educação e ensino Maria Neto Responsável pela área funcional da Promoção e Protecção da Saúde Responsável pelo Programa Nacional de Saúde Escolar na

Leia mais

HIV. O vírus da imunodeficiência humana HIV-1 e HIV-2 são membros da família Retroviridae, na subfamília Lentividae.

HIV. O vírus da imunodeficiência humana HIV-1 e HIV-2 são membros da família Retroviridae, na subfamília Lentividae. A Equipe Multiprofissional de Saúde Ocupacional da UDESC lembra: Dia 01 de dezembro é dia mundial de prevenção à Aids! Este material foi desenvolvido por alunos do Departamento de Enfermagem da Universidade

Leia mais

Um guia para doentes e suas famílias

Um guia para doentes e suas famílias Primárias: Mantenha-se saudável! Um guia para doentes e suas famílias Imunodeficiências Mantenha-se saudável! Um guia para doentes e suas famílias Imunodeficiências Primárias Imunodeficiências Primárias:

Leia mais

2014 AEA International Holdings Pte. Ltd. All rights reserved. 1

2014 AEA International Holdings Pte. Ltd. All rights reserved. 1 2014 AEA International Holdings Pte. Ltd. All rights reserved. 1 SENSIBILIZAÇÃO SOBRE O ÉBOLA Agosto 2014 PORTUGUESE Disclaimer: Esta informação foi desenvolvida apenas para fins educacionais e estão correctas

Leia mais

Os antibióticos - inúteis contra. os vírus! Não aos antibióticos contra os vírus

Os antibióticos - inúteis contra. os vírus! Não aos antibióticos contra os vírus Os antibióticos - inúteis contra os vírus! Não aos antibióticos contra os vírus Os antibióticos - inúteis contra os vírus! Uma doença infecciosa pode ser provocada por um VÍ- RUS, por uma BACTÉRIA ou por

Leia mais

Saiba o que é a sida, como se transmite, como se pode prevenir e como se trata.

Saiba o que é a sida, como se transmite, como se pode prevenir e como se trata. PORTAL DA SAÚDE Síndroma da Imunodeficiência Adquirida (SIDA) Saiba o que é a sida, como se transmite, como se pode prevenir e como se trata. O que é a sida? A sida (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida)

Leia mais

Gripe A. Plano de Contingência da ThyssenKrupp Elevadores. ThyssenKrupp Elevadores. GRIPE A Plano de Contingência

Gripe A. Plano de Contingência da ThyssenKrupp Elevadores. ThyssenKrupp Elevadores. GRIPE A Plano de Contingência GRIPE A - 1 Gripe A Plano de Contingência da Adaptado de: Pandemic contingency planning at ThyssenKrupp Elevator Dr. Jörg Arnold, Saúde & Segurança Dortmund, 30 de Junho de 2009 GRIPE A - 2 Contextualização

Leia mais

Conheça as principais DSTs e confira as dicas de prevenção que o Instituto Corpore preparou para você:

Conheça as principais DSTs e confira as dicas de prevenção que o Instituto Corpore preparou para você: Conheça as principais DSTs e confira as dicas de prevenção que o Instituto Corpore preparou para você: CANCRO MOLE Pode ser chamada também de cancro venéreo. Popularmente é conhecida como cavalo. Manifesta-se

Leia mais

VIROLOGIA HUMANA. Professor: Bruno Aleixo Venturi

VIROLOGIA HUMANA. Professor: Bruno Aleixo Venturi VIROLOGIA HUMANA Professor: Bruno Aleixo Venturi O que são vírus? A palavra vírus tem origem latina e significa "veneno". Provavelmente esse nome foi dado devido às viroses, que são doenças causadas por

Leia mais

Gripe H1N1 ou Influenza A

Gripe H1N1 ou Influenza A Gripe H1N1 ou Influenza A A gripe H1N1 é uma doença causada por vírus, que é uma combinação dos vírus da gripe normal, da aviária e da suína. Essa gripe é diferente da gripe normal por ser altamente contagiosa

Leia mais

Mulheres grávidas ou a amamentar*

Mulheres grávidas ou a amamentar* Doença pelo novo vírus da gripe A(H1N1) Fase Pandémica 6 OMS Mulheres grávidas ou a amamentar* Destaques: A análise dos casos ocorridos, a nível global, confirma que as grávidas constituem um grupo de

Leia mais

SAÚDE.sempre. Gripe. newsletter. medidas de auto cuidado. Secretaria Regional dos Assuntos Sociais

SAÚDE.sempre. Gripe. newsletter. medidas de auto cuidado. Secretaria Regional dos Assuntos Sociais Janeiro * 2014 Instituto de Administração da Saúde e Assuntos Sociais, IP-RAM Gripe medidas de auto cuidado newsletter Secretaria Regional dos Assuntos Sociais Ficha Técnica Newsletter - Janeiro de 2014

Leia mais

Imagem de microscópio electrónico do vírus da gripe A(H1N1)

Imagem de microscópio electrónico do vírus da gripe A(H1N1) GRIPE H1N1 A gripe suína é endémica em porcos Imagem de microscópio electrónico do vírus da gripe A(H1N1) Dos três tipos de vírus influenza conhecidos (A, B e C) o tipo A é o mais prevalente e está associado

Leia mais

Uso correcto dos antibióticos

Uso correcto dos antibióticos CAPÍTULO 7 Uso correcto dos antibióticos Quando usados correctamente, os antibióticos são medicamentos extremamente úteis e importantes. Eles combatem diversas infecções e doenças causadas por bactérias.

Leia mais

Prevenção da Gripe A(H1N1)v

Prevenção da Gripe A(H1N1)v Prevenção da Gripe A(H1N1)v Recomendações DSD Departamento da Qualidade na Saúde Quais os Sintomas? Os sintomas são semelhantes aos da gripe sazonal: Febre de início súbito (superior a 38ºC) Tosse Dores

Leia mais

VÍRUS. Fonte: http://rounielo.blogspot.com.br/2011/05/parte-30-foto-em-3-d-do-virus-da-aids.html

VÍRUS. Fonte: http://rounielo.blogspot.com.br/2011/05/parte-30-foto-em-3-d-do-virus-da-aids.html VÍRUS Fonte: http://rounielo.blogspot.com.br/2011/05/parte-30-foto-em-3-d-do-virus-da-aids.html RESUMO -Os vírus não pertencem a nenhum reino específico, são estudados como um caso à parte. -Os vírus são

Leia mais

Introdução. O objectivo desta apresentação:

Introdução. O objectivo desta apresentação: Prevenção da Gripe A Introdução O objectivo desta apresentação: Consiste num conjunto de medidas e acções que deverão ser aplicadas oportunamente, de modo, articulado, em cada fase da evolução da pandemia.

Leia mais

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS Doenças Sexualmente Transmissíveis são aquelas que são mais comumente transmitidas através da relação sexual. PRINCIPAIS DOENÇAS SEXUALMENTE

Leia mais

Infecções sexualmente transmissíveis

Infecções sexualmente transmissíveis Escola secundária com 2º e 3º ciclos Anselmo de Andrade Infecções sexualmente transmissíveis 9ºD Ciências Naturais 2011/2012 Professora: Isabel Marques Trabalho realizado por: Inês Pinto nº9 Mariana Cantiga

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde

Direcção-Geral da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Assunto: Doença pelo novo vírus da gripe A (H1N1)v - Mulheres grávidas ou a amamentar Nº: 26/DSR DATA: 28/07/09 Para: Contacto na DGS: Todos os estabelecimentos

Leia mais

Influenza. João Pedro Marins Brum Brito da Costa (Instituto ABEL) Orientador: André Assis (UFRJ Medicina)

Influenza. João Pedro Marins Brum Brito da Costa (Instituto ABEL) Orientador: André Assis (UFRJ Medicina) Influenza João Pedro Marins Brum Brito da Costa (Instituto ABEL) Orientador: André Assis (UFRJ Medicina) O que éinfluenza Também conhecida como gripe, a influenza éuma infecção do sistema respiratório

Leia mais

GRIPE A (H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA. Exposição e Motivos

GRIPE A (H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA. Exposição e Motivos CORPO NACIONAL DE ESCUTAS ESCUTISMO CATÓLICO PORTUGUÊS JUNTA REGIONAL DOS AÇORES GRIPE A (H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA Plano de Contingência contra a Gripe A em acampamentos e actividades escutistas Exposição

Leia mais

Medidas de protecção individual contra a Gripe A(H1N1)

Medidas de protecção individual contra a Gripe A(H1N1) Medidas de protecção individual contra a Gripe A(H1N1) Evite o contacto próximo com pessoas com gripe! Procure não estar na presença de pessoas com gripe. Se ficar doente, mantenha-se afastado dos outros,

Leia mais

Adultos e idosos também precisam se vacinar

Adultos e idosos também precisam se vacinar ANO VII N.º 10 Abril 2013 Canal de Comunicação da Sistel para os Usuários de Saúde Adultos e idosos também precisam se vacinar Na hora de cuidar da própria saúde, muitos adultos e idosos não dão importância

Leia mais

O que são DSTs? Gonorréia e/ou Uretrites não Gonocócicas, Tricomoníase, Candidíase.

O que são DSTs? Gonorréia e/ou Uretrites não Gonocócicas, Tricomoníase, Candidíase. O que são DSTs? DSTs significa, doenças sexualmente transmissíveis, que são passadas nas relações sexuais com pessoas que estejam com essas doenças. São DSTs, a gonorréia, a sífilis, a clamídia, o herpes

Leia mais

PALESTRA SOBRE O VIRUS ÉBOLA Dr. VENCESLAU BRAVO DANIEL VEMBA

PALESTRA SOBRE O VIRUS ÉBOLA Dr. VENCESLAU BRAVO DANIEL VEMBA PALESTRA SOBRE O VIRUS ÉBOLA Dr. VENCESLAU BRAVO DANIEL VEMBA O QUE É A DOENÇA PELO VÍRUS ÉBOLA É a infecção provocada pelo vírus Ébola, que é uma doença grave, muitas vezes fatal em seres humanos,macacos,

Leia mais

Gripe. Responsável por elevada morbilidade e aumento da mortalidade

Gripe. Responsável por elevada morbilidade e aumento da mortalidade Da Gripe Sazonal à Gripe Pandémica Gripe Doença a respiratória ria aguda transmissível Carácter epidémico Responsável por elevada morbilidade e aumento da mortalidade O Vírus V da Gripe 3 tipos: A, B,

Leia mais

AIDS / Uma epidemia em expansão

AIDS / Uma epidemia em expansão A negociação da divisão de trabalho, no cuidado com a casa, com os filhos, com a alimentação e etc.. vem sendo um dos grandes assuntos debatidos entre casais nos tempos modernos. Ainda assim, freqüentemente

Leia mais

Aula: 10.2 Conteúdos: Clamídia, Sífilis, Gonorreia, Herpes, HPV, HIV.

Aula: 10.2 Conteúdos: Clamídia, Sífilis, Gonorreia, Herpes, HPV, HIV. A A Aula: 10.2 Conteúdos: Clamídia, Sífilis, Gonorreia, Herpes, HPV, HIV. 2 A A Habilidades: Conhecer algumas doenças sexualmente transmissíveis, analisando suas causas e consequências. 3 A A DST s Clamídia

Leia mais

Vacinação para o seu filho do 6º ano do ensino básico (P6) Portuguese translation of Protecting your child against flu - Vaccination for your P6 child

Vacinação para o seu filho do 6º ano do ensino básico (P6) Portuguese translation of Protecting your child against flu - Vaccination for your P6 child Proteger o seu filho da gripe Vacinação para o seu filho do 6º ano do ensino básico (P6) Portuguese translation of Protecting your child against flu - Vaccination for your P6 child Proteger o seu filho

Leia mais

M F. Nome da vacina Dosagem Instituição/Nome do médico/data da administração Nome da vacina. Instituição: Nome do médico:

M F. Nome da vacina Dosagem Instituição/Nome do médico/data da administração Nome da vacina. Instituição: Nome do médico: Questionário de avaliação para vacinação de [ Endereço Nome da criança Nome do pai/mãe/responsável M F ポルトガル 語 版 Formulário 2 ] (bebês/crianças em idade escolar) Temperatura corporal antes da entrevista

Leia mais

Fique atento ao abuso de antibióticos na pediatria

Fique atento ao abuso de antibióticos na pediatria Fique atento ao abuso de antibióticos na pediatria Criado em 22/04/15 10h50 e atualizado em 22/04/15 11h27 Por Sociedade Brasileira de Pediatria Para se ter sucesso no tratamento da criança alérgica ou

Leia mais

GRIPE H1N12009: MINIMIZANDO RISCOS

GRIPE H1N12009: MINIMIZANDO RISCOS GRIPE H1N12009: MINIMIZANDO RISCOS Beth Johnson Executive Vice President of Public Affairs National Restaurant Association Bruce Cords, Ph.D. Vice President Environment Food Safety & Public Health, Ecolab

Leia mais

39 Por que ferver a água antes de beber?

39 Por que ferver a água antes de beber? A U A UL LA Por que ferver a água antes de beber? Todo ano seu Antônio viaja para o litoral com a família e enfrenta sempre os mesmos problemas: congestionamento na estrada, praias lotadas e sujas que,

Leia mais

Gripe A (H1N1) de origem suína

Gripe A (H1N1) de origem suína Gripe A (H1N1) de origem suína A gripe é caracterizada como uma doença infecciosa com alto potencial de contagio causado pelo vírus Influenza. Este vírus apresenta três tipos, sendo eles o A, B e C. Observam-se

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1)

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALFREDO DA SILVA ESCOLA EB 2,3 DE ALBARRAQUE GRIPE A (H1N1) Elaborado pela Direcção do Agrupamento de Escolas Alfredo da Silva Tel: 219156510 Fax: 219156513 Mail: eb23alba.geral@mail.telepac.pt

Leia mais

INFORMAÇÃO É PREVENÇÃO! ESCLAREÇA AQUI SUAS DÚVIDAS

INFORMAÇÃO É PREVENÇÃO! ESCLAREÇA AQUI SUAS DÚVIDAS GRIPE A (H1N1) INFORMAÇÃO É PREVENÇÃO! ESCLAREÇA AQUI SUAS DÚVIDAS Fazer de cada dia um dia melhor Informe-se e proteja a sua saúde e a de sua família. Talvez você esteja inseguro com tantas informações

Leia mais

Principais Sintomas. Medidas de Prevenção

Principais Sintomas. Medidas de Prevenção A gripe é uma doença causada pelo vírus da Influenza, que ocorre predominantemente nos meses mais frios do ano. Esse vírus apresenta diferentes subtipos que produzem a chamada gripe ou influenza sazonal.

Leia mais

SAIBA MAIS SOBRE A GRIPE A (H1N1)

SAIBA MAIS SOBRE A GRIPE A (H1N1) - TRANSMISSÃO SAIBA MAIS SOBRE A GRIPE A (H1N1) O vírus se propaga por gotículas que o doente elimina pela secreção nasal ou saliva ao tossir, falar ou espirrar. Essas gotículas podem ficar em suspensão

Leia mais

PLANO DE ACTUAÇÃO CONTRA A GRIPE PANDÉMICA NO INSTITUTO SUPERIOR DE AGRONOMIA

PLANO DE ACTUAÇÃO CONTRA A GRIPE PANDÉMICA NO INSTITUTO SUPERIOR DE AGRONOMIA PLANO DE ACTUAÇÃO CONTRA A GRIPE PANDÉMICA NO INSTITUTO SUPERIOR DE AGRONOMIA 1. OBJECTIVOS DO PLANO Antecipar e gerir a resposta do ISA para minimizar as condições de propagação da Gripe A na comunidade

Leia mais

A vacina tríplice página 1 os factos. imunização. o modo mais seguro de proteger o seu bebé para o resto da vida

A vacina tríplice página 1 os factos. imunização. o modo mais seguro de proteger o seu bebé para o resto da vida A vacina tríplice página 1 os factos imunização o modo mais seguro de proteger o seu bebé para o resto da vida página 2 O sarampo, a papeira, a rubéola e a vacina VASPR (ou vacina contra o sarampo-papeira-rubéola)

Leia mais

PRECAUÇÕES NO SERVIÇO

PRECAUÇÕES NO SERVIÇO PRECAUÇÕES NO SERVIÇO CCIH DE SAÚDE Rotinas Assistenciais da Maternidade-Escola da Universidade Federal do Rio de Janeiro A disseminação de infecção dentro do hospital depende de três elementos: uma fonte

Leia mais

Formadora: Dr.ª Maria João Marques Formandas: Anabela Magno; Andreia Sampaio; Paula Sá; Sónia Santos

Formadora: Dr.ª Maria João Marques Formandas: Anabela Magno; Andreia Sampaio; Paula Sá; Sónia Santos Formadora: Dr.ª Maria João Marques Formandas: Anabela Magno; Andreia Sampaio; Paula Sá; Sónia Santos 1 O que é? A bronquiolite é uma doença que se carateriza por uma inflamação nos bronquíolos e que, geralmente,

Leia mais

A INTRODUÇÃO DA VACINA DPT - HEPATITE B

A INTRODUÇÃO DA VACINA DPT - HEPATITE B A INTRODUÇÃO DA VACINA DPT - HEPATITE B INFORMAÇÃO AO PESSOAL DE SAÚDE MAIO - 2001 Ministério da Saúde Departamento de Saúde da Comunidade 1 INFORMAÇÃO AO PESSOAL DE SAÚDE No mês de Julho de 2001, o Programa

Leia mais

VACINAÇÃO CONTRA A GRIPE SUÍNA:

VACINAÇÃO CONTRA A GRIPE SUÍNA: Portuguese VACINAÇÃO CONTRA A GRIPE SUÍNA: informação para pais de crianças com mais de seis meses e menos de cinco anos de idade Gripe. Proteja-se a si e aos outros. 1 Índice Sobre este folheto 3 O que

Leia mais

Informações aos Pais sobre a Gripe nas Creches

Informações aos Pais sobre a Gripe nas Creches The Commonwealth of Massachusetts Executive Office of Health and Human Services Department of Public Health Informações aos Pais sobre a Gripe nas Creches 18 de setembro, 2009 A gripe H1N1 (suína) voltará

Leia mais

Informação pode ser o melhor remédio. Hepatite

Informação pode ser o melhor remédio. Hepatite Informação pode ser o melhor remédio. Hepatite HEPATITE A hepatite é uma inflamação do fígado provocada na maioria das vezes por um vírus. Diferentes tipos de vírus podem provocar hepatite aguda, que se

Leia mais