AVISOS linhas telefónicas analógicas NOTA!

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AVISOS linhas telefónicas analógicas NOTA!"

Transcrição

1 AVISOS Por questões de segurança o sistema de alarme deve ser instalado por pessoal qualificado. Para evitar o risco de descargas eléctricas, antes de começar a montagem é necessário ler este manual e efectuar as ligações sem a alimentação ligada. A central suporta somente ligações a linhas telefónicas analógicas. A ligação do circuito telefónico directamente à rede digital (por exemplo ADSL) provoca a destruição do dispositivo. O sistema de alarme é composto por dispositivos que podem provocar riscos de vida. Como tal, os componentes devem ser guardados de forma a impossibilitar o acesso a pessoas não autorizadas No caso de efectuar alguma intervenção de manutenção, como por exemplo substituir fusíveis, é necessário que o faça com a alimentação geral desligada. Os fusíveis devem de ser substituídos somente por outros de valor igual aos originais. Recomenda-se a utilização de caixas e fontes de alimentação aconselhados pelo fabricante. Não é permitido efectuar qualquer tipo de intervenção na electrónica. A tentativa de reparação por parte de qualquer interveniente externo aos serviços do fabricante ou dos agentes por este autorizado coloca o equipamento automaticamente fora de garantia. NOTA! Nunca deve ligar ao equipamento uma bateria completamente descarregada (tensão aos bornes da bateria sem a carga ligada, inferior a 11 V). Para evitar a inutilização do sistema de segurança, será necessário carregar com um adaptador adequado a bateria descarregada, antes de a utilizar. Verifique sempre a tensão de uma bateria, antes de a colocar no sistema. As baterias utilizadas nos sistemas de alarme contêm chumbo. As baterias usadas não se podem colocar no contentor de lixo comum. Utilize para o efeito, os contentores adequados para a reciclagem deste tipo específico de resíduos conforme legislação vigente (Directiva da União Europeia 91/157/EEC e 93/86/EEC).

2 INDICE 1. Introdução Características gerais das centrais Placa base Teclados Módulos extras Instalação do sistema Plano da instalação Avaliação do consumo de correntes no sistema Cablagem Montagem da placa base da central Ligação dos módulos de extensão ao bus de comunicação Ligação dos teclados Programação do endereço sem entrar no modo de serviço Ligação do receptor de comandos à distancia 433 MHz Ligação do controlador do sistema sem fios ABAX Ligação dos módulos de extensão de zonas Ligação do módulo de extensão de saída Ligação dos leitores de cartões de proximidade Ligação do módulo de extensão de sintetizador de voz Identificação dos teclados e dos módulos de extensão Ligação dos detectores por fios Ligação das sirenes Ligação de rádio transmissor Ligação da linha telefónica Ligação da alimentação e colocação em funcionamento da central Procedimento de ligação da alimentação da central e colocação em funcionamento Inicio de funcionamento da central Montagem dos dispositivos sem fios Acrescentar novos dispositivos via rádio Eliminação dos dispositivos sem fios Dados técnicos Placa base da central de alarmes Teclado VERSA-LCD-GR Teclado VERSA-LED-GR... 32

3 1. Introdução O presente manual contempla as centrais VERSA 5, VERSA 10 e VERSA15. Deverá ter isso em conta pela diferença do número de zonas na placa base e a capacidade da fonte de alimentação comutada. Os sistemas de segurança baseados na central VERSA caracterizam-se pelas mesmas propriedades funcionais. O sistema pode evoluir a qualquer momento com a ajuda dos módulos de extensão. Estes permitem, entre outros, aumentar o número de zonas e de saídas no sistema, utilizar os componentes sem fios, controlar o sistema através de comandos à distância ou enviar avisos por telefone acerca dos eventos no sistema mediante mensagens de voz. As centrais de alarme da série VERSA cumprem com os requisitos das seguintes normas: EN Grau 2; EN Grau 2; EN Grau 2; EN ; EN Classe Características gerais das centrais A possibilidade de dividir o sistema em 2 partições (partição = grupo de zonas). As partições podem possuir zonas comuns. Até 30 zonas programáveis e configuráveis. A escolha de 19 tipos de reacções. Até 12 saídas programáveis. A escolha de entre 19 funções diferentes. Até 6 teclados LED/LCD. 30 Códigos destinados aos utilizadores do sistema. Um código adicional de serviço. Reporte para duas centrais receptoras de alarme. Gestão de vários formatos de transmissão de eventos (entre eles: Contact ID e SIA). Notificação dos eventos no sistema para 8 números de telefone em forma de: Mensagens sonoras reproduzidas pelo modulo sintetizador de voz Mensagens de texto (mensagens SMS enviadas através do modulo GSM fabricados pela empresa SATEL) Registo de 2047 eventos. 4 Temporizadores que permitem a gestão de activação ou do estado das zonas baseada nos parâmetros horários. Diagnóstico automático dos componentes elementares do sistema (de alimentação, da linha telefónica, de zonas, de saídas, de barramentos de comunicação (BUS), etc.). Programação do sistema: Teclado LED/LCD Por Computador com o programa DLOADX instalado (localmente via porta RS- 232 (TTL) ou remotamente via modulo incorporado). Os nomes de utilizadores e a maioria dos componentes do sistema de alarme (partições, zonas, saídas, módulos, temporizadores, etc.) podem ser editados.

4 2.1 Placa base 5 (VERSA 5), 10 (VERSA 10) ou 15 (VERSA 15) das zonas programadas individualmente. Possibilidade da programação do valor da resistência para as zonas da configuração EOL e 2EOL (resistência fim de linha). Zona de sabotagem suplementar do tipo NC. 4 Saídas sem fios programadas individualmente: 2 Saídas de alta tensão da carga 1.1 A com fusíveis de polímero, 2 Saídas de baixa tensão do tipo CA da carga de 50 ma adaptadas à gestão dos relés e que gerem o protocolo PC16OUT (possibilidade de gestão de transmissor rádio) 2 Saídas de grande corrente de carga de 0.5 A com fusíveis de polímero que têm a função de saídas de alimentação (saídas AUX que possuem dois bornes). Protecção eléctrica de todas as zonas e saídas. Fonte de alimentação comutada de capacidade de 1 A (VERSA 5) OU 2 A (VERSA 10 e VERSA 15) com protecção contra curto-circuitos, equipada com um sistema de controlo de estado da bateria e de desactivação da bateria descarregada. Barramento de comunicação dedicado para teclados e módulos de expansão. Ligador para módulo de sintetizador de voz CA-64 SM (ou do módulo de sintetizador de voz SM-2). Comunicador telefónico que efectua funções de reporte, notificação e programação remota (modem 300 bps incorporado). Sinalização óptica do estado do comunicador telefónico. Porta RS-232 (TTL) permite a programação e gestão do sistema de alarme através do computador (via programa de instalador: DLOADX).

5 2.2 Teclados Fig. 1. Foto dos teclados. Gestão e programação do sistema de alarme. Grande ecrã de boa legibilidade com 2 x 16 caracteres, com retro iluminação permanente, temporizada após o premir da tecla ou activada a função a partir da zona facultativa da central (unicamente VERSA-LCD-GR). Diodos LED de informação acerca do estado das zonas (unicamente VERSA-LED-GR). 12 Teclas, marcadas conforme standards telefónicos, que estão destinados à introdução de dados. 4 Teclas extras para se movimentar pelo menu e para activar/desactivar. Retro-iluminação das teclas: Permanente Temporizada após pressão na tecla ou violada uma zona. Protecção anti-sabotagem contra abertura da caixa e retirada da parede. 2.3 Módulos extras INT-RX. Receptor de comandos à distância 433 MHz. Permite atribuir aos utilizadores do sistema os comandos à distância e com o emprego destes últimos controlar o sistema. ACU-100. Controlador do sistema SEM FIOS ABAX. Permite a expansão do sistema de alarme através de dispositivos sem fios.

6 CA-64 E. Módulos de expansão de zona. Permite a expansão do sistema de alarme para 8 zonas. CA-64 EPS. Módulo de expansão de zonas com fonte de alimentação. Permite ampliar o sistema com 8 zonas. Está dotado de uma fonte de alimentação comutada com a capacidade de 1.2 A. CA-64 O-OC/CA-64 O-R/CA-64 O-ROC. Módulo de extensão de saídas. Permite ampliar o sistema com 8 saídas. É fabricado em três variantes: 8 saídas de tipo CA (colector aberto), 8 saídas de relé e 4 saídas de relé/4 saídas CA. INT-IORS. Módulo de extensão de saídas para carril DIN. Permite ampliar o sistema com 8 saídas de relé. Os relés podem controlar os dispositivos eléctricos alimentados por uma tensão alterna de 230 V. CA-64 OPS-OC/CA-64 OPS-R/CA-64 OPS-ROC. Módulo de extensão de saídas com fonte de alimentação. Permite ampliar o sistema com 8 saídas. Está fabricado em três variantes: 8 saídas de tipo CA, 8 saídas de relé e 4 saídas de relé/4 saídas CA. Está dotado de fonte de alimentação comutada com a capacidade de 2.2 A. INT-IT. Leitor de cartões de proximidade. Permite armar, desarmar e apagar os alarmes na partição mediante os cartões, os comandos à distância e outros transponderes passivos. CA-64 SM. Módulo de sintetizador de voz. Capaz de memorizar 16 mensagens de voz com um tempo de duração de até 15 segundos cada uma. As mensagens são utilizadas durante a notificação telefónica de um alarme 3. Instalação do sistema Todas as ligações electrónicas devem ser efectuadas unicamente quando a alimentação estiver desligada. Para efectuar a instalação serão muito úteis: Chave de parafusos plana 2,5 mm, Desaparafusadora cruz (Philips), Pinça precisa, Pinça plana, Berbequim e buchas com jogo de brocas. 3.1 Plano da instalação A instalação deve ser precedida de um planeamento do sistema de alarme. É recomendável fazer um esquema do edifício e colocar aí todos os dispositivos que formarão parte do sistema de alarme: as centrais, os teclados, controlos de acesso por código, os detectores, as sirenes, os módulos de extensão, etc. A central e os demais elementos do sistema de alarme devem de ser instalados em zonas protegidas pelos seus detectores. 3.2 Avaliação do consumo de correntes no sistema Durante o planeamento da instalação do sistema de alarme é conveniente somar as correntes consumidas por todos os dispositivos que formam parte do sistema (placa

7 base, teclados, módulos adicionais, detectores, sirenes, etc.). Assim como também é necessário tomar em consideração a tensão de carga da bateria. No caso da soma das correntes exceder o rendimento da fonte de alimentação da central, é necessário instalar no sistema os módulos de extensão com a fonte de alimentação ou uma fonte extra. A soma das correntes consumidas pelos dispositivos ligados à fonte de alimentação (ao módulo de extensão com fonte de alimentação) não pode ultrapassar a capacidade da fonte de alimentação. Ao planificar a ligação dos dispositivos ás saídas de alimentação particulares (de centrais, de módulos de extensão com a fonte de alimentação, etc.) não esquecer que a soma das correntes consumidas por estes dispositivos não pode ultrapassar a capacidade máxima destas saídas. 3.3 Cablagem Para interligar os dispositivos que formam parte do sistema, é recomendável empregar o cabo simples com malha (não é aconselhável utilizar o cabo de par trançado UTP, STP, FTP). A secção dos cabos de alimentação deve ser de dimensão suficiente afim de evitar que a queda de tensão entre a fonte de alimentação e o dispositivo alimentado não exceda 1 V em relação à tensão de saída. Para garantir o funcionamento correcto dos elementos do sistema, é importante assegurar-se que a resistência e a capacidade dos cabos que transmitem o sinal sejam as mais baixas possíveis. Se as distancias entre os dispositivos são grandes, para diminuir a resistência dos cabos pode ser indispensável utilizar um par de resistências ligadas em paralelo para cada sinal. Estas soluções podem influir na capacidade dos cabos. Uma resistência ou capacidade demasiado grande nos cabos que ligam á central, teclados ou módulos de extensão, pode impedir o seu correcto funcionamento (por ex. a central não será capaz de identificar um dispositivo e a sua ausência será anunciada, etc.). Ao seleccionar o tipo de cabos, devem-se tomar em consideração as recomendações apresentadas nos capítulos referentes à ligação dos diferentes dispositivos. Os fios de sinal do bus de comunicação (CLK, DTA, COM) devem ser ligados somente por um cabo (não podem ser ligados por cabos separados - estrela). Ao passar os cabos é imprescindível guardar uma distância apropriada entre os cabos de baixa tensão e os cabos de alimentação 230 V AC. Ao passar os cabos, há que evitar que os cabos de sinal estejam situados paralelamente aos cabos de alimentação 230 V AC, ou na sua proximidade. 3.4 Montagem da placa base da central A placa base da central contem componentes electrónicos sensíveis a descargas electrostáticas. Antes de ligar a placa base à fonte de alimentação (bateria, tensão alterna do transformador), devem ser realizados todos os trabalhos de instalação referentes aos dispositivos por fios (ligação dos teclados, módulos de extensão, detectores, etc.)

8 A central deve ser instalada em locais fechados, protegidos contra a humidade e à temperatura ambiente. O Local de colocação da central deve impedir o acesso de pessoas não autorizadas. Na instalação da central deve ter-se em conta que o circuito de alimentação 230 V AC da central deve ser permanente (nunca desligado) com um fio de terra. Fig. 2. Vista da placa base da central de alarmes VERSA 5. Fig. 3. Vista da placa base da central de alarmes VERSA 5.

9 Fig. 5. Vista da placa principal da central de alarmes VERSA 5. Legenda para as figuras 2, 3 e 4 1. Cabo para Ligar a bateria (vermelho+, preto -). 2. Porta RS-232 (TTL). Permite a programação local e gestão do sistema através do programa DLOADX (cabo que serve para ligar o conector de tipo RJ na placa base da central com o ligador de tipo DB9 do PC. Fabrico: SATEL).

10 3. Pins RESET. Em situações de emergência permitem a activação da função de programação local a partir do seu PC ou através dele (ver: manual PROGRAMAÇÃO). 4. Diodo LED DIALER. Indicam o estado do comunicador telefónico. 5. Ligador para o módulo de sintetizador de voz. Descrição dos bornes: AC - entrada de alimentação (18 V AC) COM - massa +OUT OUT2- - saídas programáveis de grande corrente. Nota: As saídas de grande corrente não utilizadas devem ser equipadas com resistências de 2,2 k. OUT3... OUT4 - saídas programáveis de baixa corrente tipo OC. AUX - saída de alimentação (13,6...13,8 V DC). KPD - saída dedicada para alimentação dos teclados (13,6...13,8 V DC) CLK - relógio do bus de comunicação. DTA - dados do bus de comunicação. Zn - zonas (n= número de zona). TMP - zona tipo NF para ligar o circuito de sabotagem (caixa, detectores, sirenes etc.). A zona TMP está tratada pela central como zona adicional no sistema de número 31. Se não é utilizada, deve ser curto-circuitada à massa. - borne de protecção do comunicador telefónico (Ligar unicamente ao circuito de protecção). T-1, R-1 - saída da linha telefónica (ligação do equipamento telefónico). TIP, RING - entrada da linha telefónica (urbana - analógica). 3.5 Ligação dos módulos de extensão ao bus de comunicação É necessário ligar em paralelo os módulos ao bus de comunicação (borne CLK, DTA e COM). Para alimentar os módulos servem as saídas AUX e KPD. Os módulos podem ser alimentados directamente a partir da central, se a distancia entre a central e o módulo não for superior a 300 m. Se a distância à central é superior, será necessária uma fonte de alimentação independente para os módulos. O comprimento completo do bus de comunicação não pode ser maior que 1000 m. A tabela 1 Apresenta o número de cabos requeridos para a ligação correcta do módulo ao bus de comunicação na caso de utilização de um cabo simples de secção de fio 0,5 mm 2 número de fios para o sinal distância entre o módulo e a central CLK DTA COM Até 300 m m m 2 2 4

11 Observações: Os cabos de sinal (CLK, DTA e COM) devem estar no mesmo cabo! Os cabos que ligam os módulos à central e que possuem uma resistência demasiado grande (uma grande distancia e/ou um número de fios insuficiente para os sinais particulares) podem ser os responsáveis pela não identificação do módulo pela central. Cada um dos módulos ligados ao barramento de comunicação deve possuir um endereço individual. Nos teclados, o endereço está fixado segundo o programa. Nos outros módulos os interruptores tipo DIP-switch de números 1 a 5 servem para fixar o endereço. No caso de alguns módulos o estado dos interruptores 6 a 8 pode influenciar no modo de identificação do dispositivo no sistema. Os endereços não podem ser repetidos. Os detalhes relativos ao direccionamento dos módulos particulares vêm descritos no capítulo dedicado à ligação dos ditos módulos. Fig. 5. Método de ligação dos módulos sem fonte de alimentação quando a distancia entre a central e os módulos vai até 300 metros. Os módulos estão alimentados na central. Para cada sinal (CLK, DTA, COM) foi utilizado um cabo de secção 0,5 mm 2. Não é recomendável interligar os módulos da forma apresentada na figura quando a distancia à central for superior a 300 metros.

12 Fig. 6. Método de ligação dos módulos sem fonte de alimentação quando a distancia entre a central e os módulos é de 300 a 600 metros. Os módulos são alimentados a partir de uma fonte de alimentação independente 12 V DC. Para cada sinal (CLK, DTA, COM) foram utilizados dois cabos de secção 0,5 mm 2. Não é recomendável ligar os módulos da forma apresentada na figura quando a distancia á central for superior a 600 metros Ligação dos teclados É possível instalar 6 teclados LED/LCD no sistema. A saída KPD da central é dedicada à alimentação dos teclados. Nos teclados á que fixar os endereços do intervalo de 0 a 5, segundo o programa. Por defeito, todos os teclados vêm com o endereço 0. Logo após ter colocado em funcionamento a central de alarme com os ajustes de fábrica, ela poderá gerir todos os teclados ligados ao barramento, independentemente dos endereços fixados, o que permite ajustar os endereços correctos e individuais nos teclados e efectuar a identificação de todos os dispositivos interligados ao barramento (bus). Fig. 7. Método de ligação do teclado. Programação do endereço através da função de serviço 1. Introduzir código de serviço (de fábrica: 12345) e premir a tecla.

13 2. Premir sucessivamente as teclas. O modo de serviço inicia-se. 3. Premir sucessivamente as teclas (activação da função DIRECC.TECL.). Os diodos de todos os teclados ligados à central marcados com símbolos - ícones começarão a piscar e a informação sobre o endereço actual será apresentada: Nos teclados LCD visualizamos no ecrã a mensagem da figura 8; Nos teclados LED o diodo que corresponde ao endereço actual começará a piscar rapidamente (o diodo marcado com o nº 30 para o endereço 0; o diodo marcado com o nº 1 para o endereço 1; o diodo marcado com o nº 2 para o endereço 2 etc. ver fig. 9). n=0...7, endereço do teclado fixado actualmente Fig. 8. Programação do endereço do teclado LCD através da função de serviço. Fig. 9. Programação do endereço do teclado LED. Os diodos marcados com os nºs 1 a 5 e 30 são utilizados para apresentar o endereço (30 para o endereço 0). O que corresponder ao endereço actual piscará rapidamente e os outros mais lentamente. 4. Premir a tecla com o nº correspondente ao novo endereço no teclado seleccionado. A mudança de endereço será confirmada com quatro sons curtos e um som longo. 5. Premindo a tecla finaliza-se a função de mudança de endereço no dito teclado. A função será terminada automaticamente após 2 minutos a partir do momento da sua activação. O finalizar da função é equivalente à saída do modo de serviço e reinício do teclado Programação do endereço sem entrar no modo de serviço 1. Desligar a alimentação do teclado (KPD) e os cabos de sinal CKM e DTA.

14 2. Curto circuitar os bornes CKM e DTA do teclado. 3. Activar a alimentação do teclado. 4. Todos os diodos dos ícones começarão a piscar. No teclado LCD, o display apresenta uma mensagem conforme figura 10. No teclado LED o diodo que corresponde ao endereço actual começará a piscar rapidamente (o diodo marcado com o nº 30 para o endereço 0; o diodo marcado com o nº 1 para o endereço 1; o diodo marcado com o nº 2 para o endereço 2 etc. ver fig. 9). n=0...5, endereço do teclado fixado actualmente Fig. 10. Programação do endereço do teclado LCD sem entrar no modo de serviço. 5. Premir a tecla com o nº correspondente ao endereço novo. O teclado confirmará a efectivação da função com quatro sons curtos e um longo. Em caso de necessidade o premir da tecla permite a mudança do endereço introduzido (o reinicio do teclado e o restauro de estado está descrito no ponto 4). 6. Desligar a alimentação do teclado (KPD). 7. Abrir os bornes CKM e DTA do teclado. 8. Ligar correctamente o teclado à central Ligação do receptor de comandos à distancia 433 MHz É possível instalar um módulo de extensão INT-RX no sistema. Permite a atribuição de comandos aos trinta utilizadores do sistema como máximo (o comando não pode ser atribuído ao código de serviço). No módulo de extensão o endereço 7 (07h) tem que ser fixado. A posição dos interruptores 6-8 não é utilizada. Fig. 11. Método de ajuste do endereço no módulo de extensão INT-RX.

15 Fig. 12. Método de ligação do módulo de extensão INT-RX Ligação do controlador do sistema sem fios ABAX Fig. 13. Método de ajuste de endereço no controlador ACU-100. Fig. 14. Método de ligação do controlador ACU-100. Os bornes TMP da protecção anti-sabotagem do controlador estão ligados ao circuito do controlador (bornes ITMP e COM), graças a isso a informação acerca da violação da protecção anti-

16 sabotagem do controlador será transmitida à central via barramento de comunicação. Se os bornes TMP não estão ligados ao circuito de sabotagem do controlador, o borne ITMP deve ser curto circuitado à massa. É possível instalar um controlador ACU-100 no sistema o que permite estender o sistema com 30 zonas e 12 saídas sem fios. Se o número de zona sem fios coincide com o número de zona com fios (na placa principal ou nos módulos de extensão), é possível definir qual das zonas deve ser suportada (ver: manual PROGRAMAÇÃO). No módulo de extensão o endereço 8 (08h) deve ser ajustado e os interruptores devem estar na posição ON. A posição do interruptor 6 não é definível Ligação dos módulos de extensão de zonas É possível instalar 3 módulos de extensão de zonas no sistema, o que permite estender o sistema com um máximo de 24 zonas com fios. É necessário fixar o endereço do intervalo de 12 (0Ch) a 14 (0Eh) nos módulos de extensão. Os interruptores 6 e 7 devem estar na posição OFF. Nos módulos de extensão CA-64 E com a electrónica versão 2.1 (ou posterior) e CA-64 EPS com a electrónica na versão 2.0 (ou posterior) a posição do oitavo interruptor influencia o seu modo de identificação: interruptor na posição OFF o módulo de extensão será identificado como CA-64 E ou CA-64 EPS, interruptor na posição ON o módulo de extensão será identificado como CA-64 Ei ou CA-64 EPSi. Os módulos de extensão CA-64 Ei e CA-64 EPSi gerem as zonas de vibração e de janela, além disso, é possível programar para elas o valor das resistências aplicadas nas configurações EOL e 2EOL. Fig. 15. Método de ajuste de endereços nos módulos de extensão.

17 A tabela 2 apresenta a dependência entre o endereço do módulo e a numeração de zonas do módulo no sistema. Quando as zonas no módulo de extensão coincidem com as zonas na placa base, é possível definir quais as zonas que serão geridas pela placa base e pelo módulo (ver: manual PROGRAMAÇÃO). Endereçamento do módulo de Números de zonas no extensão sistema decimais hexadecimais 12 0C D E Tabela 2. Fig. 16. Método de ligação do módulo de extensão de zonas CA-64 E. O módulo está instalado na mesma caixa que a central por isso o borne TMP está curto circuitado à massa COM. Fig. 17. Método de ligação do módulo de extensão de zonas com fonte de alimentação CA-64 EPS. Aos bornes TMP e COM está ligada a protecção antisabotagem da caixa do módulo. É necessário ligar os bornes do secundário da bobine aos bornes AC do módulo.

18 3.5.6 Ligação do módulo de extensão de saída É possível instalar um módulo de extensão de saídas no sistema o que permite estender o sistema a 8 saídas com fios. Estas saídas terão os números de 5 a 12 no sistema. No módulo deve ser ajustado o endereço 15 (0Fh). No caso do módulo de extensão INT-ORS se o sexto interruptor estiver na posição ON isso ocasionará a identificação pela central como CA-64, o que não influenciará a sua funcionalidade. Nos outros módulos de extensão a posição dos interruptores de 6 a 8 não são utilizados. Fig. 18. Método de ajuste do endereço no módulo de extensão de saídas. É necessário efectuar a ligação da mesma forma como descrito no capítulo anterior referente à ligação dos módulos de extensão de zonas (módulo de extensão de saídas sem fonte de alimentação ver figura 16, o módulo de extensão com fonte de alimentação ver figura 17) Ligação dos leitores de cartões de proximidade É possível instalar até 6 leitores INT-IT no sistema. Nos leitores á que ajustar os endereços do intervalo de 16 (10h) a 21 (15h). Fig. 19. Método de ajuste dos endereços nos leitores INT-IT.

19 3.5.8 Ligação do módulo de extensão de sintetizador de voz É possível instalar um módulo CA-64 SM no sistema. É necessário ligar ao barramento de comunicação da central de alarme os cabos CLK e DTA do módulo e a ficha ao ligador respectivo. Nos módulos de sintetizador de voz CA-64 SM deve ser fixado o endereço 23 (17h). A posição dos interruptores 6 e 7 é indiferenciada. O interruptor 8 bloqueia / desbloqueia a função de gravação de mensagens de voz. Fig. 20. Método de ajuste do endereço no módulo de sintetizador de voz CA-64 SM. O oitavo interruptor está na posição OFF, o que significa que a função de gravação de mensagens de voz está bloqueada Identificação dos teclados e dos módulos de extensão Os dispositivos ligados ao barramento de comunicação são geridos correctamente a partir da efectivação da identificação. A função verifica quais os módulos que estão ligados à central. É necessário colocá-la em funcionamento logo após a primeira activação da central e de cada vez que acrescentar um novo dispositivo ou modificar o endereço do dispositivo pela central. A desactivação do módulo identificado do barramento de comunicação ocasionará o alarme de sabotagem. 1. Introduzir o código de serviço (de fábrica: 12345) e premir a tecla. 2. Premir sucessivamente as teclas. O modo de serviço iniciarse-á. 3. Premir sucessivamente as teclas (inicio da função IDENTIFICAÇÃO). Os três sons curtos informam sobre o fim da função e uma mensagem nos dispositivos identificados será apresentada (no teclado LCD apresentada no ecrã, e no teclado LED mediante o diodo LED). 4. Premir a tecla, para terminar a função de identificação. Observações: Se a identificação termina com dois sons longos, isso significa que no dispositivo ligado ao barramento de comunicação está ajustado o endereço incorrecto (inadequado para este tipo de dispositivo ou o mesmo endereço em pelo menos dois dispositivos). A mensagem no ecrã (teclado LCD) ou o piscar do diodo LED correspondente ao endereço do dispositivo (teclado LED) facilitam o diagnóstico do problema. É preciso premir a tecla, de forma a ajustar o endereço correcto e logo reactivar a função IDENTIFICAÇÃO. O endereço 0 no teclado LED está apresentado através do diodo de número 30.

20 3.6 Ligação dos detectores por fios Cada uma das zonas do sistema pode operar nas seguintes configurações: NF (normalmente Fechado), NA (normalmente aberta), EOL (parâmetros de resistências - fim de linha), 2EOL/NA (de 2 parâmetros, detector tipo NA), 2EOL/NO (de dois parâmetros, detector de tipo NF), O valor das resistências aplicadas nas configurações EOL e 2EOL é programável no intervalo de 500 a 15 k para as zonas: Na placa base da central programa-se individualmente os valores das resistências R1 e R2 para a configuração 2EOL (ver: figura 24). O valor da resistência para a configuração EOL é uma soma dos valores programados como R1 e R2. Nos módulos de extensão de zonas identificados pela central como CA-64 Ei e CA-64 EPSi (ver: capítulo LIGAÇÃO DOS MODULOS DE EXTENÇÃO DE ZONAS) dependendo da versão do programa do módulo que se configura: Valor das resistências R1 e R2 para a configuração 2EOL (ver: figura 24). O valor da resistência para a configuração EOL é uma soma dos valores programados como R1 e R2. Valor da resistência para a configuração EOL. Para a configuração 2EOL uma resistência particular tem um valor equivalente a metade do valor definido. Para as zonas nos módulos de extensão identificados pela central como CA-64 E e CA-64 EPS (ver: capítulo LIGAÇÃO DOS MODULOS DE ZONAS) na configuração EOL para fechar o circuito é preciso aplicar uma resistência 2,2 k, e na configuração 2EOL as duas resistências 1,1 k. As zonas na placa base (todas as zonas da central VERSA 5 e as primeiras 8 zonas das centrais VERSA 10 e VERSA 15) e nos módulos de extensão de zonas identificadas como CA-64 Ei e CA-64 EPSi podem adicionalmente operar nas seguintes configurações: De movimento de janela (para ligar o detector de abertura de janela), De vibração (normalmente fechado, para ligar um detector de vibração é possível ligar em serie ao detector de vibração um detector de tipo NF, por exemplo, um detector magnético). Os detectores podem ser alimentados directamente da central (saídas AUX), a partir dos módulos de extensão equipados com fonte de alimentação ou com fonte de alimentação adicional. Para escolher a melhor fonte de alimentação dos detectores há que tomar em consideração a avaliação do consumo de corrente pelos dispositivos instalados no sistema. As figuras 21, 22, 23 e 24 apresentam o método de ligação de um detector nas diferentes configurações com a central. O detector está alimentado na saída AUX. O sinal do detector está colocado na zona da central Z1. A zona Z2 nos exemplos das figuras 21, 22 e 23 foi programada como de autoprotecção (tipo 6: 24H SABOTAGEM).

PAS816BTM. Central de Alarme Bi-Direccional & Acessórios INTRUSÃO ESPECIFICAÇÕES. Características distintivas:

PAS816BTM. Central de Alarme Bi-Direccional & Acessórios INTRUSÃO ESPECIFICAÇÕES. Características distintivas: PAS816BTM Características distintivas: - Central de alarme bi-direcional 8 zonas por cabo totalmente programáveis no painel de controle; - Expansível até 16 zonas através de módulos de expansão ou EXM800

Leia mais

Referência do Modelo: 54311 Termóstato de Ambiente Electrónico, Programável. Manual de Instalação e Funcionamento

Referência do Modelo: 54311 Termóstato de Ambiente Electrónico, Programável. Manual de Instalação e Funcionamento Referência do Modelo: 54311 Termóstato de Ambiente Electrónico, Programável Manual de Instalação e Funcionamento www.chacon.be hotline@chacon.be Índice 1. Introdução...3 2. Características técnicas...6

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES www.esxxi.pt Departamento Técnico Instruções de Utilização Avançadas A seguir é apresentado a descrição e significado das luzes do teclado: ALARM: Sempre que o sistema tenha gerado

Leia mais

CENTRAL DETECÇÃO INCÊNDIO YAZIC. Modelo FP4-4 Zonas Programáveis MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO

CENTRAL DETECÇÃO INCÊNDIO YAZIC. Modelo FP4-4 Zonas Programáveis MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CENTRAL DETECÇÃO INCÊNDIO YAZIC Modelo FP4-4 Zonas Programáveis MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO Introdução A FP4 é uma Central de Detecção de Incêndio Convencional, equipada com 4 zonas de detecção,

Leia mais

Central Analógica Endereçável GST200 - Manual do utilizador - MANUAL DO UTILIZADOR

Central Analógica Endereçável GST200 - Manual do utilizador - MANUAL DO UTILIZADOR MANUAL DO UTILIZADOR 1 Índice Índice... 2 1. GST200 Estrutura e configuração do painel de controlo... 3 1.1.Descrição da estrutura interna e configuração típica... 3 1.2. Estrutura do painel frontal da

Leia mais

JA-63 Profi Manual do Utilizador

JA-63 Profi Manual do Utilizador JA-63 Profi Manual do Utilizador Índice: 1 Indicadores... 3 2 Controlo do sistema... 4 2.1 Armar... 4 2.2 Desarmar... 5 2.3 Alarme de Pânico... 5 2.4 Para cancelar ALARME... 5 2.5 Armar em modo Home...

Leia mais

Manual de Instruções

Manual de Instruções Manual de Instruções Especificações técnicas Voltagem de funcionamento: 12V Voltagem de reserva (Backup): 12V Frequência de funcionamento: 433MHz Sonoridade do alarme: 85dB Características de função Podem

Leia mais

TKVAP404 - instruções programação

TKVAP404 - instruções programação TKVAP44 - instruções programação 1 s de programação 1 1 1 2 1 3 2 1 2 2 2 3 2 4 3 1 3 2 3 3 3 4 4 1 4 2 5 1 5 2 5 3 5 4 6 1 6 2 6 3 6 4 6 5 6 6 7 1 7 2 7 3 7 4 7 5 7 6 7 7 7 8 1 1 1 2 1 3 1 4 1 6 1 7 1

Leia mais

Instruções de Utilização Manual do Sistema. Aparelho de comando áudio 1287 00

Instruções de Utilização Manual do Sistema. Aparelho de comando áudio 1287 00 Instruções de Utilização Manual do Sistema Aparelho de comando áudio 1287 00 Índice Informações acerca do sistema...3 Tipologias de montagem...5 Montagem de uma estação externa encastrada...7 Montagem

Leia mais

CENTRAL DETECÇÃO INCÊNDIO YAZIC. Modelo FAP2 2 Zonas Programáveis MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO

CENTRAL DETECÇÃO INCÊNDIO YAZIC. Modelo FAP2 2 Zonas Programáveis MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CENTRAL DETECÇÃO INCÊNDIO YAZIC Modelo FAP2 2 Zonas Programáveis MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO Introdução A FAP2 é uma Central de Detecção de Incêndio Convencional, equipada com 2 zonas de detecção,

Leia mais

Sistema de Alarme Sem Fios por GSM

Sistema de Alarme Sem Fios por GSM Sistema de Alarme Sem Fios por GSM MANUAL DE INSTRUÇÕES v1.1 Sistema de Alarme Sem Fios por GSM - MANUAL DE INSTRUÇÕES 1 ÍNDICE 1. Introdução e Descrição 3 2. Características 5 3. Especificações Técnicas

Leia mais

POL-100. Dispositivo de diagnóstico. Manual de utilizador. Verificação do loop analógico

POL-100. Dispositivo de diagnóstico. Manual de utilizador. Verificação do loop analógico Honeywell Life Safety Iberia C/Pau Vila, 15-19 08911 BADALONA (BARCELONA) Tel.: 93 497 39 60 Fax: 93 465 86 35 www.honeywelllifesafety.es Dispositivo de diagnóstico POL-100 Verificação do loop analógico

Leia mais

Central de Detecção de Incêndio 4 Zonas Manual de Instalação

Central de Detecção de Incêndio 4 Zonas Manual de Instalação Central de Detecção de Incêndio 4 Zonas Manual de Instalação Características Quatro zonas com capacidade de teste/isolamento. Dois circuitos de alarme com possibilidade de isolamento. Fonte de alimentação

Leia mais

Easy Series. Guia do utilizador. Painel de Controlo de Intrusão

Easy Series. Guia do utilizador. Painel de Controlo de Intrusão Easy Series PT Guia do utilizador Painel de Controlo de Intrusão Easy Series Guia do utilizador Utilizar o teclado de comando Utilizar o teclado de comando Estados do Dispositivo de Visualização Dispositivo

Leia mais

Biblioteca de aplicações

Biblioteca de aplicações Biblioteca de aplicações Observação: as descrições que se seguem mostram as ligações que permitem aceder à aplicação correspondente. Se o software Zelio Soft 2 estiver instalado, clique uma vez na ligação

Leia mais

MODEM MONITORAMENTO. Manual de Instalação e Operação

MODEM MONITORAMENTO. Manual de Instalação e Operação COMPATEC PRODUTOS PARA SUA SEGURANÇA MODEM MONITORAMENTO Manual de Instalação e Operação ÍNDICE Características técnicas do modem...3 Características gerais do modem...3 Conheça o modem...3 Apresentação...4

Leia mais

Índice. 1 Sistema DaisaTest. 1. Porquê instalar um Sistema DaisaTest? 2. Funções de um Sistema DaisaTest. 3. Elementos de um Sistema DaisaTest

Índice. 1 Sistema DaisaTest. 1. Porquê instalar um Sistema DaisaTest? 2. Funções de um Sistema DaisaTest. 3. Elementos de um Sistema DaisaTest 1 Sistema DaisaTest Índice 1. Porquê instalar um Sistema DaisaTest? 2. Funções de um Sistema DaisaTest 3. Elementos de um Sistema DaisaTest 3.1 Instalação e guia para a cablagem 3.2 Luminárias de emergência

Leia mais

Conteúdo do pacote. Lista de terminologia. Powerline Adapter

Conteúdo do pacote. Lista de terminologia. Powerline Adapter Powerline Adapter Note! Não expor o Powerline Adapter a temperaturas extremas. Não deixar o dispositivo sob a luz solar directa ou próximo a elementos aquecidos. Não usar o Powerline Adapter em ambientes

Leia mais

Manual de Configuração e Utilização MaxCom. Comunicador Telefónico GSM v.2.1

Manual de Configuração e Utilização MaxCom. Comunicador Telefónico GSM v.2.1 Comunicador Telefónico GSM v.2.1 1 2 Manual de Configuração e Utilização MaxCom Índice Introdução 2 Conteúdo 3 Diagrama de Ligações 4 Instalação 5 Esquema de ligações 6 Funcionamento 9 Lista de comandos

Leia mais

Conteúdo. Contactos para quando necessitar de ajuda: O Instalador: Fabricante: Manual utilizador JA-80K 1 MKE52400

Conteúdo. Contactos para quando necessitar de ajuda: O Instalador: Fabricante: Manual utilizador JA-80K 1 MKE52400 Conteúdo Para o utilizador OASiS... 2 O que é um sistema de segurança?... Erro! Marcador não definido. Códigos de acesso ao sistema alarme... 2 1. Armar sistema... 3 2. Durante o processo de armar do sistema...

Leia mais

Proudly made in Portugal. Dossier de Produto DP MGS P 04/2007 Sinta a Sua Segurança. O Sistema de Segurança MasterGuardian MGS foi concebido para proporcionar segurança, tranquilidade e conforto aos seus

Leia mais

1 Indicações de segurança

1 Indicações de segurança Actuador regulador universal 1 canal, 50-210 W com entrada binária N.º art. 3210 UP Manual de instruções 1 Indicações de segurança A instalação e a montagem de aparelhos eléctricos apenas devem ser realizadas

Leia mais

TECNOLOGIA EM SEGURANÇA SOLUÇÕES EM ELETRÔNICA

TECNOLOGIA EM SEGURANÇA SOLUÇÕES EM ELETRÔNICA TECNOLOGIA EM SEGURANÇA SOLUÇÕES EM ELETRÔNICA 3. CARACTERÍSTICAS 3.1 Central de alarme microprocessada com 4 setores expansível para 8 ou 12 setores; 3.2 Acompanha dois transmissores (mod. TSN); 3.3 Acionamento

Leia mais

Conteúdo do pacote. Lista de terminologia. Powerline Adapter

Conteúdo do pacote. Lista de terminologia. Powerline Adapter Powerline Adapter Note! Não expor o Powerline Adapter a temperaturas extremas. Não deixar o dispositivo sob a luz solar directa ou próximo a elementos aquecidos. Não usar o Powerline Adapter em ambientes

Leia mais

PT MANUAL UTILIZADOR. Manual do utilizador da aplicação ComelitViP Remote 3.0 para dispositivos. Passion.Technology.Design.

PT MANUAL UTILIZADOR. Manual do utilizador da aplicação ComelitViP Remote 3.0 para dispositivos. Passion.Technology.Design. PT MANUAL UTILIZADOR Manual do utilizador da aplicação ComelitViP Remote.0 para dispositivos Passion.Technology.Design. Índice Instalação... Configuração automática da administração de apartamento... 4

Leia mais

R2M CARACTERÍSTICAS. Aplicação - Usada como central de alarme residencial, comercial ou industrial. APRESENTAÇÃO DA PLACA. Buzzer. Placa de RF Antena

R2M CARACTERÍSTICAS. Aplicação - Usada como central de alarme residencial, comercial ou industrial. APRESENTAÇÃO DA PLACA. Buzzer. Placa de RF Antena 38 R2M CENTRAL DE ALARME 2 SETORES MICROPROCESSADA Aplicação - Usada como central de alarme residencial, comercial ou industrial. APRESENTAÇÃO DA PLACA Led - setor 2 Buzzer Placa de RF Antena Led - setor

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Teste para LAN 2 em 1

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Teste para LAN 2 em 1 MANUAL DE INSTRUÇÕES Teste para LAN 2 em 1 ÍNDICE Introdução Características Precauções de segurança Descrição do medidor Especificações eléctricas Funcionamento Escala automática Cabo de teste INTRODUÇÃO

Leia mais

Manual do Utilizador

Manual do Utilizador 24849402-04_09 ÍNDICE INFORMAÇÕES GERAIS.................................................................. Pag. 4 Características técnicas..............................................................................

Leia mais

Easy Series (ICP-EZM2)

Easy Series (ICP-EZM2) Easy Series (ICP-EZM) PT Guia de Instalação Painel de Controlo de Intrusão Easy Series (ICP-EZM) Guia de Instalação Índice Índice. Referência Rápida.... Perspectiva geral do sistema.... Perspectiva geral

Leia mais

Guia Rápido do TVR 12

Guia Rápido do TVR 12 Guia Rápido do TVR 12 Figura 1: Ligações do painel traseiro 1. "Loop through" para um máximo de 16 câmaras analógicas (consoante o modelo de DVR). 2. Ligar a um dispositivo RS-232. 3. Ligar até quatro

Leia mais

Alarme Aquecimento Quarto Sala Cozinha Garagem Presente Param. Mensagem

Alarme Aquecimento Quarto Sala Cozinha Garagem Presente Param. Mensagem Minha habitação Aplicação para telemóvel Manual de instalação e utilização PT Alarme Aquecimento Quarto Sala Cozinha Garagem Presente Mensagem Índice 1- Apresentação...............................................3

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO OBRIGADO PELA PREFERÊNCIA NA TEXECOM MANUAL DE INSTALAÇÃO Painéis de Controlo de Segurança com Comunicador Integrado 7ª Edição Índice 1. Apresentação Geral do Sistema... 4 Arquitectura do Sistema... 4

Leia mais

JA 80K e JA 82K OASiS. Manual de Utilização da Central de Alarmes

JA 80K e JA 82K OASiS. Manual de Utilização da Central de Alarmes JA 80K e JA 82K OASiS Manual de Utilização da Central de Alarmes CONTEÚDO Para o utilizador OASiS... 3 O que é um sistema de segurança?... 3 Códigos (cartões) de acesso ao Sistema... 3 Activar o Sistema

Leia mais

Funcionalidades. Conteúdo da Caixa POR

Funcionalidades. Conteúdo da Caixa POR POR Funcionalidades A ASA-30 pode ser usada como um sirene adicional ao seu sistema de alarme ou como uma sirene independente ligada a um controlo remoto e/ou detectores sem fios. - Ligação sem fios para

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO SISTEMA DE INCÊNDIO MENVIER MF9300 MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO PRETRÓNICA 1 CONTEÚDO Painel de Controlo e Indicadores Pag. 3 Operação do Painel Pag. 4 Geral Modo Normal Modo Programação Ligação

Leia mais

CENTRAL DE ALARME BRISA CELL 804

CENTRAL DE ALARME BRISA CELL 804 CENTRAL DE ALARME - PAINEL FRONTAL Led REDE: Indica que o aparelho está sendo alimentado pela rede AC. Led BATERIA: Indica que o aparelho está sendo alimentado pela bateria. Led ARMADO: Aceso indica que

Leia mais

Manual Utilização. Central Detecção Incêndio. JUNIOR-NET CSA v.4. Sistema Analógico Endereçável

Manual Utilização. Central Detecção Incêndio. JUNIOR-NET CSA v.4. Sistema Analógico Endereçável Manual Utilização Central Detecção Incêndio JUNIOR-NET CSA v.4 Sistema Analógico Endereçável Modelo com aprovação das normas EN54PT2 e PT4 1999 GFE 1/5 Legenda da Central: 1 33 32 2 3 31 30 4 10 5 29 28

Leia mais

Central de Intrusão -Easy Series Guia de referência

Central de Intrusão -Easy Series Guia de referência Central de Intrusão -Easy Series Guia de referência AS-OT-pt-55_4998145973_02.indd 1 15.07.2005 11:34:18 Uhr Conteúdo 1. Características 3 2. Teclado de comando 6 3. Guia do utilizador em formato de bolso

Leia mais

O sistema de Alarme deve ser instalado como na figura:

O sistema de Alarme deve ser instalado como na figura: !" #$ % Alarme Selm Características: Sistema de Alarme por detecção de Infravermelhos: Sirene Interior 100 db Até 6 Controlos Remotos e 7 detectores, nomeadamente incêndio, gás, intrusão e contacto magnético.

Leia mais

GA-2 Dispositivo de Alarme de Separador de Massa Lubrificante com dois sensores Instruções de instalação e funcionamento

GA-2 Dispositivo de Alarme de Separador de Massa Lubrificante com dois sensores Instruções de instalação e funcionamento Labkotec Oy Myllyhaantie 6 FI-33960 PIRKKALA FINLAND Tel: + 358 29 006 260 Fax: + 358 29 006 1260 19.1.2015 Internet: www.labkotec.fi 1/12 GA-2 Dispositivo de Alarme de Separador de Massa Lubrificante

Leia mais

CENTRAL DE ALARME ASD-600 SINAL E VOZ

CENTRAL DE ALARME ASD-600 SINAL E VOZ CENTRAL DE ALARME ASD-6 SINAL E VOZ Parabéns, Você acaba de adquirir uma central de alarme modelo ASD-6 produzida no Brasil com a mais alta tecnologia de fabricação. 1- PAINEL FRONTAL Led REDE: Indica

Leia mais

Guia de Seleção Rápida Periféricos dos sistemas de alarme de incêndio LSN

Guia de Seleção Rápida Periféricos dos sistemas de alarme de incêndio LSN Rede de Segurança Local Caracte- rística Cablagem de ligação fácil Capacidade de configuração automática (modo de auto-aprendizagem) Programação de todas as configurações do dispositivo a partir do painel

Leia mais

PAINEL DE ALARME GUIA DE INSTALAÇÃO

PAINEL DE ALARME GUIA DE INSTALAÇÃO PAINEL DE ALARME GUIA DE INSTALAÇÃO Active 20 GPRS Rev00 23/04/2009 1- CARACTERÍSTICAS GERAIS 8 Zonas duplas programáveis, mais 1 zona por teclado; 4 Teclados endereçáveis com programações independentes;

Leia mais

Manual de Instalação. BC-2C Módulo GPRS

Manual de Instalação. BC-2C Módulo GPRS Manual de Instalação BC-2C Módulo GPRS INTRODUÇÃO O BC-2C Módulo GPRS Pináculo é um conversor de comunicação que se conecta a qualquer painel de alarme monitorado que utilize o protocolo de comunicação

Leia mais

Características... 3. Identificando a placa... 3. Esquema de ligação... 3. Parâmetros programados no painel de alarme... 4

Características... 3. Identificando a placa... 3. Esquema de ligação... 3. Parâmetros programados no painel de alarme... 4 P18640 - Rev. 0 Índice Características... 3 Identificando a placa... 3 Esquema de ligação... 3 Parâmetros programados no painel de alarme... 4 Instalação do software programador... 4 Instalação do cabo

Leia mais

CHANDER FIRE DO BRASIL. equipamentos de segurança

CHANDER FIRE DO BRASIL. equipamentos de segurança CHANDER FIRE DO BRASIL equipamentos de segurança www.chanderfiredobrasil.com.br SISTEMA ENDEREÇÁVEL CENTRAL ENDEREÇÁVEL DE 250 ENDEREÇOS Especificações Técnicas: - Alimentação primária: 110V ou 220V AC

Leia mais

EM398x-R1 UPS 600-1000-1600VA

EM398x-R1 UPS 600-1000-1600VA EM398x-R1 UPS 600-1000-1600VA EM398X-R1 - UPS 600-1000-1600VA 2 PORTUGUÊS Índice 1.0 Introdução... 2 1.1 Funções e funcionalidades... 2 1.2 Conteúdo da embalagem... 3 1.3 Ligar a UPS... 3 2.0 Software

Leia mais

CENTRAL DE ALARME BRISA 4 PLUS

CENTRAL DE ALARME BRISA 4 PLUS CENTRAL DE ALARME BRISA 4 PLUS Parabéns, Você acaba de adquirir uma central de alarme modelo Brisa 4 Plus produzida no Brasil com a mais alta tecnologia de fabricação. - PAINEL FRONTAL Led REDE: Indica

Leia mais

Índice. Apresentação. Características técnicas

Índice. Apresentação. Características técnicas P27055 - Rev. 1 Apresentação Índice Apresentação... 04 Características técnicas... 04 Central Electra 8K RF... 05 Instalação... 05 Fiação, isoladores e hastes... 06 Conexão do eletrificador com a cerca...

Leia mais

Manual de instruções para carregadores de acumuladores. utilizados para carregar acumuladores de cadeiras de rodas e scooters

Manual de instruções para carregadores de acumuladores. utilizados para carregar acumuladores de cadeiras de rodas e scooters Manual de instruções para carregadores de acumuladores CCC 405 e CCC 410 24V/5A 24V/10A utilizados para carregar acumuladores de cadeiras de rodas e scooters Certified to EN60601-1 3 rd ed. Em conformidade

Leia mais

Vigilance V8. Manual do Instalador 1/48

Vigilance V8. Manual do Instalador 1/48 Vigilance V8 Manual do Instalador 1/48 ÍNDICE 1 Introdução... 3 2 Características técnicas... 3 3 Instalação esquema de ligação... 4 3.1 Alimentação... 5 3.2 Instalação do teclado... 5 3.3 Instalação dos

Leia mais

DIGIPLEX-NE MANUAL EXPLICATIVO CARACTERÍTICAS E FUNÇÕES

DIGIPLEX-NE MANUAL EXPLICATIVO CARACTERÍTICAS E FUNÇÕES DIGIPLEX-NE MANUAL EXPLICATIVO CARACTERÍTICAS E FUNÇÕES INTRODUÇÃO A integridade de um sistema de segurança não esta somente na central, teclados, detectores e outros acessórios, mas na habilidade de comunicar

Leia mais

PRODUTOS SERIADOS. ME30 infobox

PRODUTOS SERIADOS. ME30 infobox PRODUTOS SERIADOS ME30 infobox SISTEMA DE PROCESSAMENTO DE SINAIS Adquirir, processar e visualizar de 8 a 40 alarmes ou indicadores de estado Funções de alarme configuráveis Anunciadores com possibilidade

Leia mais

1 Indicações de segurança

1 Indicações de segurança KNX actuador persianas 4 canais DC 12-48 V KNX actuador persianas 2 canais AC 230 V, 1 canal DC 12-48 V KNX actuador persianas 4 canais AC 230 V, 2 canais DC 12-48 V KNX actuador persianas 8 canais AC

Leia mais

Painel sinóptico BAT 100 LSN. Guia de instruções

Painel sinóptico BAT 100 LSN. Guia de instruções Painel sinóptico BAT 100 LSN pt Guia de instruções Painel sinóptico Índice pt 3 Índice 1 Instruções de segurança 4 2 Descrição funcional 4 3 Vista geral do sistema 6 4 Instalação 7 5 Ligação 11 6 Manutenção

Leia mais

INFO DIAG FERRAMENTAS DE DIAGNÓSTICO

INFO DIAG FERRAMENTAS DE DIAGNÓSTICO CITROËN DTAV INFO DIAG FERRAMENTAS DE DIAGNÓSTICO FILIAIS / IMPORTADORES / DR DISTRIBUIDOR DE VN CITROËN - Preparador de VN - Coordenador de Campanhas REPARADORES AUTORIZADOS CITROËN - Responsável pelo

Leia mais

CENTRAL DE ALARME BRISA-4

CENTRAL DE ALARME BRISA-4 CENTRAL DE ALARME BRISA-4 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS -4 zonas mistas programáveis -disca para até 4 telefones -pânico pelo controle remoto -dupla tecnologia hopping code e rolling code em 4,9mhz -indica

Leia mais

SISTEMA DE MONITORAMENTO DIGITAL

SISTEMA DE MONITORAMENTO DIGITAL SISTEMA DE MONITORAMENTO DIGITAL Módulos para automação Características gerais - Processamento independente - Possui alerta sonoro e luminoso de falta de conexão - Não precisa ser configurado (Plug and

Leia mais

SUNNY CENTRAL. 1 Introdução. Avisos relativos à operação de um gerador fotovoltaico ligado à terra

SUNNY CENTRAL. 1 Introdução. Avisos relativos à operação de um gerador fotovoltaico ligado à terra SUNNY CENTRAL Avisos relativos à operação de um gerador fotovoltaico ligado à terra 1 Introdução Alguns fabricantes de módulos recomendam ou exigem a ligação à terra negativa ou positiva do gerador fotovoltaico

Leia mais

Controle de acesso FINGER

Controle de acesso FINGER Controle de acesso FINGER MANUAL DE INSTRUÇÕES Sobre esse Guia Esse guia fornece somente instruções de instalação. Para obter informações sobre instruções de uso, favor ler o Manual do usuário.. ÍNDICE

Leia mais

Central de alarme Ventura GSM

Central de alarme Ventura GSM Central de alarme Ventura GSM Manual do Usuário 1 Índice: 1 Aplicação:... 3 2 Características:... 3 3 Características de funcionamento... 3 4- Apresentação da Central... 4 4.1 Parte externa... 4 4.2 Parte

Leia mais

Manual de Instruções Instalação Operação e Manutenção

Manual de Instruções Instalação Operação e Manutenção STATUS ZONAS COMANDOS FOGO AVARIA ISOLADO FOGO 1 2 3 4 5 6 7 8 TESTE AVARIA ISOLAMENTOS 1 5 SILENCIAR BESOURO REPOSIÇÃO DO SISTEMA 1 2 TESTE 2 6 TESTE DE LEDS 3 AC 3 7 AVARIA SISTEMA 4 8 SIRENES ACTIVAR/

Leia mais

CENTRAL DE ALARME BRISA 8 VOZ / BRISA 8 SINAL

CENTRAL DE ALARME BRISA 8 VOZ / BRISA 8 SINAL CENTRAL DE ALARME BRISA 8 VOZ / BRISA 8 SINAL CARACTERÍSTICAS BÁSICAS 8 Zonas programáveis sendo 4 mistas, ou seja, com fio e sem fio e 4 com fio; 1 senha mestre; 1 senha de usuário; Entrada para teclado

Leia mais

Manual de instalação e operação

Manual de instalação e operação Manual de instalação e operação Central de alarme de incêndio endereçável INC 2000 Central de alarme de incêndio INC 2000 Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Engesul.

Leia mais

Connect-i Manual do Usuário - Português

Connect-i Manual do Usuário - Português Connect-i Manual do Usuário - Português Connect-i Manual do Usuário Contronics Automação Ltda. Rua Tenente Silveira, 225 Ed. Hércules - 10 andar Centro - Florianópolis - SC, 88010-300 Brasil Fone: (48)

Leia mais

ALARMES CABLEADOS TEXECOM CARACTERÍSTICAS / DESIGNAÇÃO. Central bi-direcional 4 zonas

ALARMES CABLEADOS TEXECOM CARACTERÍSTICAS / DESIGNAÇÃO. Central bi-direcional 4 zonas Página 1 de 5 ALARMES CABLEADOS TEXECOM 1141 Central bi-direcional 4 zonas Expansível a 12 zonas (aceita 1x XP8 ou por duplicação directa) 32 códigos 8 saídas programáveis 750 memórias NVM Legendas em

Leia mais

PRS 9. Instruções de funcionamento 810549-00 Programador PRS 9

PRS 9. Instruções de funcionamento 810549-00 Programador PRS 9 PRS 9 Instruções de funcionamento 810549-00 Programador PRS 9 1 Dimensões/Componentes 128.5 169 30.01 (6TE) Fig. 1 A B C D E I H G J F MAX 70 C Fig. 2 MAX 95 % 2 Legenda A B C D E F G H I J Selector S1

Leia mais

CENTRAL DE ALARME SEM FIO AS-321

CENTRAL DE ALARME SEM FIO AS-321 CENTRAL DE E SEM FIO AS- CARACTERÍSTICAS DO APARELHO - Central de alarme sem fio com setor misto ( com e/ou sem fio ); - Caixa plástica com alojamento para bateria selada de 7 A/H; - Carregador de bateria

Leia mais

SOLUTION. Painel Convencional de Alarme de Incêndio. SOLUTION - Sistema de Detecção e Alarme de Incêndio. Revisão 1.1 Maio de 2006

SOLUTION. Painel Convencional de Alarme de Incêndio. SOLUTION - Sistema de Detecção e Alarme de Incêndio. Revisão 1.1 Maio de 2006 SOLUTION Painel Convencional de Alarme de Incêndio TABELA DE CONTEÚDO Capitulo 1: Descrição do Produto... 2 1.1: Características...2 1.2: Especificações...2 Capitulo 2: Lógica de Detecção e Alarme de Incêndios...

Leia mais

GE Security. Série KM260-21 sistema de detecção de monóxido de carbono Guia de instalação e do utilizador

GE Security. Série KM260-21 sistema de detecção de monóxido de carbono Guia de instalação e do utilizador GE Security Série KM260-21 sistema de detecção de monóxido de carbono Guia de instalação e do utilizador Copyright Copyright (2006), GE Security B.V.. Todos os direitos reservados. Este documento não pode

Leia mais

VIESMANN VITOSOLIC. Dados técnicos VITOSOLIC 100 VITOSOLIC 200. Controlador para sistemas de energia solar

VIESMANN VITOSOLIC. Dados técnicos VITOSOLIC 100 VITOSOLIC 200. Controlador para sistemas de energia solar VIESMANN VITOSOLIC Controlador para sistemas de energia solar Nº de referência e preços: ver lista de preços VITOSOLIC 100 Controlador electrónico por diferença de temperatura Para sistemas com produção

Leia mais

Instalação e Funcionamento da Back-UPS Pro 1200/1500 230 V

Instalação e Funcionamento da Back-UPS Pro 1200/1500 230 V Instalação e Funcionamento da Back-UPS Pro 1200/1500 230 V l Inventário Segurança bu001a (2) Não instale a Back-UPS onde fique exposta à luz solar directa, haja excesso de calor, humidade ou onde possa

Leia mais

G5 Security Alarm System. GSM/SMS/RFID Touch Alarm system. Especificações:

G5 Security Alarm System. GSM/SMS/RFID Touch Alarm system. Especificações: G5 Security Alarm System GSM/SMS/RFID Touch Alarm system Especificações: - ARM + Auror CPU - Suporta 10 controlos remotos - Suporta 50 sensores sem fios - Suporta 50 Tags RFID - 1 Milhão de combinações

Leia mais

Instruções de Utilização. Equalizador Instabus de 4 vias 0531 00

Instruções de Utilização. Equalizador Instabus de 4 vias 0531 00 Instruções de Utilização Equalizador Instabus de 4 vias 531 Informações acerca do sistema Este aparelho é um produto do Sistema EIB Instabus e está em conformidade com as normas EIBA. Para a compreensão

Leia mais

Controlador de Segurança para chamas de Gás

Controlador de Segurança para chamas de Gás Controlador de Segurança para chamas de Gás Para queimadores de gás atmosféricos de 2 estágios: Detecção de chamas: - Sonda de Ionização - Detector de Infra-vermelho IRD 1020 - Sensor de chamas Ultravioleta

Leia mais

Manual de Instalação da Série ZP1-X3E

Manual de Instalação da Série ZP1-X3E Manual de Instalação da Série ZP1-X3E P/N 501-419521-1-10 REV 01 ISS 12MAR14 Copyright Marcas comerciais e patentes Fabricante Versão Certificação Directivas da União Europeia 2014 UTC Fire & Security.

Leia mais

Introdução. Nokia N77-1 1ª Edição PT

Introdução. Nokia N77-1 1ª Edição PT Introdução Nokia N77-1 1ª Edição PT Teclas e componentes (frente e lateral) Número do modelo: Nokia N77-1. A seguir referido como Nokia N77. 1 Sensor de luz 2 Câmara secundária com menor resolução 3 Teclas

Leia mais

G5 Sistema de alarme com GSM integrado

G5 Sistema de alarme com GSM integrado Sistema de Alarme G5 Sistema de alarme com GSM integrado Fácil programação do sistema, via APP gratuita O sistema G5 é um moderno e estético sistema de alarme com GSM/SMS que permite total controlo local

Leia mais

ELECTRONIC ENGINEERING LTD. Teclado OLED. Guia do Utilizador. Fevereiro 2011 Ver 1.0

ELECTRONIC ENGINEERING LTD. Teclado OLED. Guia do Utilizador. Fevereiro 2011 Ver 1.0 ELECTRONIC ENGINEERING LTD. Teclado OLED Guia do Utilizador Fevereiro 2011 Ver 1.0 Indice TECLAS DE FUNÇÃO...2 TECLAS ALFANUMÉRICAS...3 SINAIS AUDÍVEIS...3 INDICADORES...3 SUMÁRIO DE FUNÇÕES...3 COMO ARMAR

Leia mais

Proprietário. Central receptora de alarmes. Resposta. PowerMax+ Para casas interactivas, Controlo da casa. Alerta por E-mail

Proprietário. Central receptora de alarmes. Resposta. PowerMax+ Para casas interactivas, Controlo da casa. Alerta por E-mail Para casas interactivas, Proprietário @ Telefone privado SMS Alerta por E-mail Interface do utilizador na Web Central receptora de alarmes Luzes Controlo de energia Electrodomésticos Controlo da casa Controlo

Leia mais

BeemPRO. Manual de Operação. Manual Beem PRO 0

BeemPRO. Manual de Operação. Manual Beem PRO 0 BeemPRO Manual de Operação Manual Beem PRO 0 Características Suporta até 10 controlos remotos, 50 sensores sem fios e 50 tags RFID Possui 1.000.000 combinações de códigos RF Comunicação GSM e de simples

Leia mais

Manual de Operação da série 2X

Manual de Operação da série 2X Manual de Operação da série 2X P/N 00-3250-505-0021-04 ISS 04MAY15 Copyright Marcas comerciais e patentes Fabricante Versão Certificação 2015 UTC Fire & Security. Todos os direitos reservados. A série

Leia mais

Transmissor de infravermelhos IR Receptor de infravermelhos 4 saídas de comutação, 10 AX cada (zonas 1-4)

Transmissor de infravermelhos IR Receptor de infravermelhos 4 saídas de comutação, 10 AX cada (zonas 1-4) LUTRON R LUTRON R Energi Savr NodeT QSNE Controlador de Comutação / 0-10 V Energi Savr NodeT A família Energi Savr NodeT é um grupo de produtos modulares destinados ao controlo de cargas de iluminação.

Leia mais

PIXELFORCE Representações, Lda Telf: 252 428 094 fax: 252 428 094 WWW.PIXELFORCE.PT

PIXELFORCE Representações, Lda Telf: 252 428 094 fax: 252 428 094 WWW.PIXELFORCE.PT PIXELFORCE Representações, Lda Telf: 252 428 094 fax: 252 428 094 WWW.PIXELFORCE.PT O próximo alvo pode ser a sua casa, durma tranquilo. A paz da mente é o conforto da segurança A Série Conforto da PIXELFORCE

Leia mais

Este manual de instruções é parte integrante do produto e deve ficar na posse do cliente final. Imagem 1: Vista frontal

Este manual de instruções é parte integrante do produto e deve ficar na posse do cliente final. Imagem 1: Vista frontal Painel de comando e sinalização N.º art. MBT 2424 Manual de instruções 1 Indicações de segurança A instalação e a montagem de aparelhos eléctricos apenas devem ser realizadas por electricistas especializados.

Leia mais

MANUAL DE PROGRAMAÇÃO CENTRAL MC - 4

MANUAL DE PROGRAMAÇÃO CENTRAL MC - 4 Central de Alarme MC-4 1. Apresentação 3 2. Características 3 3. Conhecendo a Central de Alarme MC-4 4 4. Instalação 4 4.1 Especificações Técnicas 4 4.2 Especificação da Fiação 5 4.3 Escolha dos Sensores

Leia mais

Manual do Usuário. Telefone Sem Fio LS3 MANUAL DO USUÁRIO

Manual do Usuário. Telefone Sem Fio LS3 MANUAL DO USUÁRIO Telefone Sem Fio LS3 MANUAL DO USUÁRIO Introdução 3 1. Indicações de segurança 4 2 Instrução ao teclado e aos ícones 6 2.1 Teclado 6 2.2 Ícones 7 3 Instalação 7 3.1 Instalação do sim card 7 3.2 Carregando

Leia mais

Hera Indústria de Equipamentos Eletrônicos LTDA. Manual de Instalação e Operação. Discadora por Celular HERA HR2048.

Hera Indústria de Equipamentos Eletrônicos LTDA. Manual de Instalação e Operação. Discadora por Celular HERA HR2048. Discadora por Celular HERA HR2048 Manual do Usuário Índice: Paginas: 1. Introdução 03 1.1 Visão Geral 03 2. Características 04 3. Funcionamento 04, 05 e 06 3.1 Mensagens 06 e 07 4. Instalação da Discadora

Leia mais

Manual do instalador Box Output AC Rev. 0.01.000. Figura 01 Apresentação do Box Output AC.

Manual do instalador Box Output AC Rev. 0.01.000. Figura 01 Apresentação do Box Output AC. Pág. 1/10 Apresentação Equipamento para acionamento de cargas em corrente alternada 110/220V. Comunicação com outros dispositivos por rede CAN. 6 entradas digitais para acionamento local ou remoto. 6 entradas/saídas

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Temporizador Automático / Relógio Programador de Horário Para Acionamento Automático de Sirenes e Outros Equipamentos Código: AFKITPROG 2 O REGISTRADOR ELETRÔNICO DE PONTO REP O Relógio Acionador Automático

Leia mais

Manual de programação da central VERITAS

Manual de programação da central VERITAS Manual de programação da central VERITAS A programação não é normalmente necessária dado a programação de fábrica ter sido seleccionada para satisfazer a grande parte das instalações. Todavia todas as

Leia mais

AMT 2018 EG. Central de alarme monitorada Ethernet e GPRS com 18 zonas

AMT 2018 EG. Central de alarme monitorada Ethernet e GPRS com 18 zonas Imagens ilustrativas Teclado LCD Comunicação de dados via tecnologias Ethernet e celular GSM/GPRS Envio de SMS e comunicação via CSD² Opção de configuração remota via TCP/IP GPRS e linha telefônica ¹ É

Leia mais

Guia de Selecção Rápida Periféricos dos sistemas de alarme de incêndio LSN

Guia de Selecção Rápida Periféricos dos sistemas de alarme de incêndio LSN Rede de Segurança Local Caracterís Cablagem de ligação fácil Capacidade de configuração automá (modo de auto-aprendizagem) Programação de todas as configurações do dispositivo a partir do painel Estrutura

Leia mais

Apostila Básica sobre Alarmes Residenciais

Apostila Básica sobre Alarmes Residenciais Apostila Básica sobre Alarmes Residenciais Luiz Bertini - 1 - - 2 - Apostila Básica sobre Alarmes Residenciais O objetivo desta apostila é apresentar alguns conhecimentos para quem já conhece um pouco

Leia mais

GUIA PRÁTICO PARA TECLADOS DE CENTRAIS DE ALARMES XAT 2000 LCD

GUIA PRÁTICO PARA TECLADOS DE CENTRAIS DE ALARMES XAT 2000 LCD GUIA PRÁTICO PARA TECLADOS DE CENTRAIS DE ALARMES XAT 2000 LCD XAT 2000 LCD Teclado de alarme O teclado XAT 2000 LCD para Centrais de Alarmes Intelbras possui uma interface simples de usar com teclas e

Leia mais

MANUAL DE PROGRAMAÇÃO. CONTROLADOR DE ACESSSO POR TECLADO NUMÉRICO Y CARTÃO RF Modelo YK-668 (resistente a humidade)

MANUAL DE PROGRAMAÇÃO. CONTROLADOR DE ACESSSO POR TECLADO NUMÉRICO Y CARTÃO RF Modelo YK-668 (resistente a humidade) Introdução MANUAL DE PROGRAMAÇÃO YK-688 CONTROLADOR DE ACESSSO POR TECLADO NUMÉRICO Y CARTÃO RF Modelo YK-668 (resistente a humidade) O YK-668 é um controlador de acesso para porta simples baseado um microcontroladores

Leia mais

Índice. 1. Características técnicas

Índice. 1. Características técnicas Termo de garantia A ELETROPPAR - Indústria Eletrônica Ltda., localizada na rua Carlos Ferrari nº 2651, Distrito Industrial, Garça/SP, CEP 17400-000, CNPJ 02.748.434/0001-08, IE 315.026.341.111 garante

Leia mais

M150SP MANUAL DO UTILIZADOR / INSTALADOR. v1.0 REV. 10/2015

M150SP MANUAL DO UTILIZADOR / INSTALADOR. v1.0 REV. 10/2015 M150SP MANUAL DO UTILIZADOR / INSTALADOR v1.0 REV. 10/2015 00. CONTEÚDO 01. AVISOS DE SEGURANÇA ÌNDICE 01. AVISOS DE SEGURANÇA NORMAS A SEGUIR 02. O DISPOSITIVO CARACTERISTICAS TÉCNICAS ASPETO VISUAL LEGENDA

Leia mais

RÁDIO RELÓGIO SY-1045 MANUAL DE INSTRUÇÕES

RÁDIO RELÓGIO SY-1045 MANUAL DE INSTRUÇÕES RÁDIO RELÓGIO SY-1045 MANUAL DE INSTRUÇÕES ATENÇÃO Esta sinal de exclamação adverte o utilizador da presença de instruções importantes de operatividade. O raio adverte o utilizador da presença de voltajem

Leia mais

Software de aplicação Tebis

Software de aplicação Tebis Software de aplicação Tebis A faire Módulo 4-6-8-10 saídas ON/OFF Características elétricas/mecânicas: Ver manual do produto Referência do produto Designação do produto Ref. software de aplicação Produto

Leia mais