ÁREA DO CONHECIMENTO: ( ) EXATAS ( X )HUMANAS ( )VIDA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ÁREA DO CONHECIMENTO: ( ) EXATAS ( X )HUMANAS ( )VIDA"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA ÁREA DO CONHECIMENTO: ( ) EXATAS ( X )HUMANAS ( )VIDA PROGRAMA: (X ) PIBIC PIBIC-Af ( ) PIVIC ( ) Título do Projeto: Centro Memória Viva Documentação e referência em EJA, Educação Popular e Movimentos Sociais Nome do Grupo de Pesquisa Cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq: Estado e Política Educacional Orientador: Maria Margarida Machado Unidade Acadêmica/Departamento: Faculdade de Educação PLANO DE TRABALHO Edital Nº 036/2012 Período a 01/08/2013 a 31/07/ 2014 Título: A Experiência dos Exames Supletivos no Contexto da Política de EJA em Goiás período de 1970 a 1996 Aluno: Bruna Lorrany da Silva Matrícula:

2 Plano de Trabalho 1. Introdução ao Plano de Trabalho Este Plano de Trabalho dá continuidade ao projeto desenvolvido desde vinculado ao Projeto Centro Memória Viva Documentação e Referência em EJA, Educação Popular e Movimentos Sociais; com o objetivo de localizar, tratar, organizar e analisar a documentação que permite compreender a história da Educação de Jovens e Adultos no Estado e Goiás, tendo em vista a dificuldade de acessar essa documentação e a possibilidade de disponibilizar o que foi encontrado em ambientes virtuais, que encontra-se em fase de conclusão. Dentre os resultados alcançados no período destaca-se o Termo de Cooperação estabelecido junto ao Conselho Estadual de Educação (CEE). Este termo possibilitou localizar uma quantidade significativa de resoluções e pareceres do CEE, dentre os quais se destacam na década de 1970/80 resoluções que tratam do Ensino Supletivo, temática que orientou o Plano de Trabalho do ano Dando continuidade aos trabalhos com a documentação percebe-se que ainda há necessidade da pesquisa seguir explorando a realidade dos Exames Supletivos no Estado de Goiás. Com este novo foco central do Plano de Trabalho, não deixaríamos de seguir contribuindo na reconstituição histórica da EJA como um todo no Estado, mas teríamos como orientação central no levantamento dos dados a busca por informações sobre os exames supletivos, sua origem, a elaboração das provas, a correção, a infraestrutura necessária para sua aplicação, o perfil dos sujeitos que buscavam esta certificação, dentre outras informações que se fizerem presentes com o acesso a documentação e entrevistas com pessoas envolvidas na aplicação destes exames. 2. Objetivos do Plano de Trabalho 2. 1 Geral Identificar documentação e depoimentos sobre os Exames Supletivos em Goiás no período de 1970 a 1996, para reconstituir e analisar a história e memória da aplicação destes exames e sua relação a política de EJA no Estado. 2.2 Específicos: 1O projeto Documentação da Educação de Jovens e Adultos na Secretaria de Estado da Educação de Goiás no período de 1940 aos dias atuais (período ) e Análise do Ensino Supletivo em Goiás no período de 1971 a 1996 (período ). 2

3 Dar continuidade ao processo de classificação da documentação localizada, segundo as orientações da Norma Brasileira de Descrição Arquivística NOBRADE; Alimentar o Banco de Dados e disponibilizar o material de pesquisa já identificado e digitalizado; Identificar e realizar entrevistas com sujeitos envolvidos na política de Educação de Jovens e Adultos na Seduc GO. Analisar a partir da documentação acessada e das entrevistas a política de Educação de Jovens e Adultos implementada pela Seduc GO em Goiás; 3. Metodologia do Plano de Trabalho A princípio pretende-se desenvolver atividades de leitura, estudo e discussões da bibliografia indicada a respeito da temática de EJA, em especial sobre os Exames Supletivos; memória e pesquisa documental com o objetivo de realizar um aprofundamento teórico metodológico, fundamentando o tratamento e classificação de documentos, bem como no processo de organização e registro dos materiais. Esta pesquisa que se desenvolve em âmbito coletivo junto a outros pesquisadores, ligada a projetos que partilham objetivos semelhantes, como a análise da política de EJA pelo Ensino Supletivo em Goias e a identificação do papel dos Fóruns de EJA em Goiás. Neste sentido a pesquisa se propõe a continuar com o processo de classificação da documentação localizada, focalizando em documentos relacionados aos Exames Supletivos, alimentando o Banco de Dados, a fim de disponibilizar o material acessado. O trabalho com a documentação objetiva identificar nestes os significados funcionais e simbólicos da Educação de Jovens e Adultos, considerando que a memória da EJA encontra-se expressa nas fontes localizadas num determinado tempo e espaço, que são diferentes do contexto atual. Partindo da fundamentação teórica e da classificação de documentos pretende-se localizar sujeitos que participaram do processo histórico na política de Educação de Jovens e Adultos na Seduc GO, a fim de realizar entrevistas que complementem as informações já contidas nos documentos. A pesquisa documental é uma metodologia rica que pode ser combinada com outras técnicas enriquecendo o trabalho de pesquisa ampliando as possibilidades de análise do objeto estudado. Neste processo utilizaremos diferentes tecnologias na catalogação e digitalização dos documentos com a finalidade de disponibilizar no Banco de Dados o material acessado com vistas a contribuir para a preservação do acervo e com a democratização do acesso aos documentos, possibilitando a outros pesquisadores propor novas pesquisas com interesses diversos. As tecnologias contribuem na ampliação das formas de fazer pesquisa e também de apresentar os resultados. 3

4 Simultaneamente ao trabalho de organização do material será desenvolvida a análise da proposta dos Exames Supletivos na política EJA presente nestes, visando compreender como se constituiu essa modalidade em Goiás, seus conceitos e funções e sua trajetória no sistema estadual de ensino. 4. Etapas e Cronograma de Execução do Plano de Trabalho Atividades ago set out nov dez jan fev mar abr mai ju jul Participar das atividades formativas e reuniões voltadas à compreensão dos procedimentos metodológicos e referenciais teóricos da pesquisa documental. Classificação e digitalização dos documentos identificados. Alimentação do Banco de Dados e disponibilização do material de pesquisa já identificado e digitalizado. Realização de entrevistas com sujeitos envolvidos na oferta dos Exames Supletivos pela Seduc GO Sistematizar em artigo as reflexões pertinentes aos Exames Supletivos em Goiás. Participação em de seminários de discussões, congressos e reuniões relacionadas às questões suscitadas na pesquisa. Apresentar pôsteres ou comunicações em eventos da área, para divulgar os resultados da pesquisa. X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X 5. Resultados Esperados na Execução do Plano de Trabalho Aprofundamento teórico metodológico no campo da EJA, com foco na proposta dos Exames Supletivos. Contribuição com a organização documental no Banco de Dados. Participação em seminários e eventos relacionados ao tema da pesquisa. 4

5 Apresentação de pôster ou comunicação em eventos. Apresentação de artigo final da pesquisa. 6. Referências BEISIEGEL, Celso de Rui Estado e educação popular. São Paulo: Pioneira. BOSI, Ecléa. Memória e Sociedade: lembrança dos velhos. São Paulo: Companhia das Letras, BRASIL, Conselho Federal de Educação. Parecer n. 699/72, CE. de 1. e 2 Graus aprovado em 06-julho In: Educação no Brasil: textos selecionados. Ministério da Educação e Cultura. Brasília, Conselho Nacional de Arquivos. NOBRADE: Norma Brasileira de Descrição Arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, CURY, Carlos Roberto Jamil Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação de Jovens e adultos. In. BRASIL. Conselho Nacional de Educação (CNE). Câmara de Educação Básica (CEB). Parecer n.º 11, 7 de junho de Brasília: CNE/CEB. FARIA FILHO, Luciano Mendes de (org.). Arquivos, fontes e novas tecnologias questões para a história da educação. Campinas/SP: Autores Associados, IBGE Censos, Contagem populacional e Pesquisas Nacionais por Amostragens Domiciliares. Brasília. HADDAD, Sérgio. Estado e Educação de Adultos. FEUSP, SP, Tese de Doutorado. Volume 1 e 2..(coord). Educação de jovens e adultos no Brasil (1986/1998). Brasília: MEC/INEP/Comped, p. (Estado do conhecimento). HALBWACHS, Marice. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, MACHADO, Maria Margarida. A Política de Formação de Professores que atuam na Educação de Jovens e Adultos no Estado de Goias na década de 1990, Tese (Doutorado em Educação: História, Política e Sociedade). PUC/SP.. SANTOS, Jocyléia Santana dos. (org.) Percursos Históricos da Educação no Cerrado. Campinas, SP. Mercado de Letras, PAIVA, Vanilda P História da educação popular no Brasil. 6ª. ed. São Paulo: Loyola RICCEUR, Paul. A Memória, a história, o esquecimento. Campinas/SP: Editora Unicamp, SÁ- SILVA, J. R.; ALMEIDA C.D; e GUINDANI, J. F. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais, ano 1, n. 1, julho de Disponível em: %20documental.pdf. Acesso em 28/9/ :19. VIANA, Diana Gonçalves. Fim do mundo do fim: avaliação, preservação e descarte documental. In: FARIA FILHO, Luciano Mendes de (org.). Arquivos, fontes e novas tecnologias questões para a história da educação. Campinas/SP: Autores Associados; Bragança/SP: Universidade São Francisco,

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Justificativa

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Justificativa MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO DIRETORIA DE POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA COORDENAÇÃO GERAL DE DIREITOS HUMANOS

Leia mais

Diretrizes para formação inicial e licenciaturas na UTFPR

Diretrizes para formação inicial e licenciaturas na UTFPR Diretrizes para formação inicial e licenciaturas na UTFPR Profa. Dra. Flávia Dias de Souza Docente do Departamento de Educação DEPED Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR Docente do Programa

Leia mais

ARTHUR ARTEAGA DURANS VILACORTA A INFLUÊNCIA DO NÍVEL DE PERCEPÇÃO DE RISCO DA POPULAÇÃO NAS ESTATÍSTICAS DE INCÊNDIOS URBANOS NA CIDADE DE BELÉM

ARTHUR ARTEAGA DURANS VILACORTA A INFLUÊNCIA DO NÍVEL DE PERCEPÇÃO DE RISCO DA POPULAÇÃO NAS ESTATÍSTICAS DE INCÊNDIOS URBANOS NA CIDADE DE BELÉM ARTHUR ARTEAGA DURANS VILACORTA A INFLUÊNCIA DO NÍVEL DE PERCEPÇÃO DE RISCO DA POPULAÇÃO NAS ESTATÍSTICAS DE INCÊNDIOS URBANOS NA CIDADE DE BELÉM Plano de trabalho apresentado ao Programa de Pós-Graduação

Leia mais

Biblioteca Virtual Integralidade em Saúde.

Biblioteca Virtual Integralidade em Saúde. Biblioteca Virtual Integralidade em Saúde http://www.bvsintegralidade.icict.fiocruz.br/php/index.php Sandra Infurna Laboratório de Pesquisas sobre Práticas de Integralidade em Saúde (LAPPIS / UERJ) Rio

Leia mais

O ENSINO DE SOCIOLOGIA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA) NAS ESCOLSA ESTADUAIS DE DOURADOS/MS RESUMO INTRODUÇÃO

O ENSINO DE SOCIOLOGIA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA) NAS ESCOLSA ESTADUAIS DE DOURADOS/MS RESUMO INTRODUÇÃO O ENSINO DE SOCIOLOGIA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA) NAS ESCOLSA ESTADUAIS DE DOURADOS/MS Rodolfo Dias Pinto 1 Maria de Lourdes dos Santos 2 1 Bolsista do Programa de Projetos de Pesquisa na Licenciatura

Leia mais

PACTO NACIONAL PELO FORTALECIMENTO DO ENSINO MÉDIO

PACTO NACIONAL PELO FORTALECIMENTO DO ENSINO MÉDIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PACTO NACIONAL PELO FORTALECIMENTO DO ENSINO MÉDIO Secretaria de Educação Básica Diretoria de Apoio à Gestão 1 Educacional Objetivo do Pacto do Ensino

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES Página 1 de 28 Atualização: da poupança jun/81 1 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00 26.708,00-0,000% - 26.708,00 26.708,00 26.708,00 jul/81 2 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00

Leia mais

PORTARIA nº 048/ FEG/STA

PORTARIA nº 048/ FEG/STA PORTARIA nº 048/2014 - FEG/STA O Diretor da, no uso de suas atribuições legais, considerando a proposta das Normas do Trabalho de Graduação para o Curso de Graduação em Engenharia, Habilitação em ENGENHARIA

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

Nome dos integrantes do grupo (Tamanho Arial ou Times 12, minúsculo e negrito) TÍTULO DO TRABALHO Subtítulo

Nome dos integrantes do grupo (Tamanho Arial ou Times 12, minúsculo e negrito) TÍTULO DO TRABALHO Subtítulo ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO ESCOLA ESTADUAL PRESIDENTE VARGAS (Tamanho Arial ou Times 14 em negrito) Margens: Superior 3 cm Direita

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC AÇÕES AFIRMATIVAS

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC AÇÕES AFIRMATIVAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC AÇÕES AFIRMATIVAS EDITAL PIBIC-AF/ CNPq/UPE 2012-2013 APRESENTAÇÃO O programa PIBIC nas Ações Afirmativas resulta

Leia mais

Título do Projeto: Diretrizes para o Sistema de Espaços Livres no Centro de Florianópolis

Título do Projeto: Diretrizes para o Sistema de Espaços Livres no Centro de Florianópolis Título do Projeto: Diretrizes para o Sistema de Espaços Livres no Centro de Florianópolis Área de Conhecimento Grande Área: Ciências Sociais Aplicadas Área de conhecimento: Arquitetura e Urbanismo Justificativa

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMÍNIO OMETTO UNIARARAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROPESQ PROGRAMA INSTITUCIONAL DE AUXÍLIO À PESQUISA

CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMÍNIO OMETTO UNIARARAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROPESQ PROGRAMA INSTITUCIONAL DE AUXÍLIO À PESQUISA CENTRO UNIVERSITÁRIO HERMÍNIO OMETTO UNIARARAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROPESQ PROGRAMA INSTITUCIONAL DE AUXÍLIO À PESQUISA PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Artigo 1º - O Programa

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade Produto

Contrata Consultor na modalidade Produto Contrata Consultor na modalidade Produto PROJETO 914BRZ4012 EDITAL Nº 005/2010 1. Perfil: TR 007/2010-CGS - CIÊNCIAS SOCIAIS APLICÁVEIS 3. Qualificação educacional: Graduação na área de CIÊNCIAS SOCIAIS

Leia mais

Unidade 1 Sobre o Trabalho de conclusão de curso

Unidade 1 Sobre o Trabalho de conclusão de curso Unidade 1 Sobre o Trabalho de conclusão de curso O Trabalho de Conclusão de Curso TCC é um requisito obrigatório para a conclusão do curso, realizada no final do Curso de Licenciatura em Pedagogia da Universidade

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 5º semestre

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 5º semestre EIXO TECNOLÓGICO: Ensino Superior Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU:( )integrado( )subsequente( ) concomitante ( ) bacharelado( x )licenciatura( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

AMPLIAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL NA EDUCAÇÃO MUNICIPAL EM PALMAS: DOCÊNCIA, GESTÃO, POLÍTICA, LEGISLAÇÃO

AMPLIAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL NA EDUCAÇÃO MUNICIPAL EM PALMAS: DOCÊNCIA, GESTÃO, POLÍTICA, LEGISLAÇÃO AMPLIAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL NA EDUCAÇÃO MUNICIPAL EM PALMAS: DOCÊNCIA, GESTÃO, POLÍTICA, LEGISLAÇÃO Alvenita Pereira dos Santos Maria José da Silva Morais Simone Bonfim Braga Chaves Universidade Federal

Leia mais

FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO

FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DA ORIGEM 1.1. TÍTULO DO PROJETO: Laboratório de História 1.2. CURSO: Interdisciplinar 1.3. IDENTIFICAÇÃO DO(A) PROFESSOR(A) /PROPONENTE 1.3.1. NOME: Edinéia

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Plano de Trabalho Docente 2014

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Plano de Trabalho Docente 2014 Plano de Trabalho Docente 2014 Etec Ensino Médio ETEC MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ/SP Área de conhecimento: Ciências da Natureza e suas tecnologias Componente Curricular: Química Série:

Leia mais

BANCO DE TESES E DISSERTAÇÕES SOBRE EDUCAÇÃO EM ASTRONOMIA: IMPLANTAÇÃO, DIFICULDADES E POSSÍVEIS CONTRIBUIÇÕES

BANCO DE TESES E DISSERTAÇÕES SOBRE EDUCAÇÃO EM ASTRONOMIA: IMPLANTAÇÃO, DIFICULDADES E POSSÍVEIS CONTRIBUIÇÕES I Simpósio Nacional de Educação em Astronomia Rio de Janeiro - 2011 1 BANCO DE TESES E DISSERTAÇÕES SOBRE EDUCAÇÃO EM ASTRONOMIA: IMPLANTAÇÃO, DIFICULDADES E POSSÍVEIS CONTRIBUIÇÕES Paulo Sergio Bretones

Leia mais

Grupo de Pesquisa em Tecnologias, Informações e Informática em Saúde e Enfermagem - GIATE

Grupo de Pesquisa em Tecnologias, Informações e Informática em Saúde e Enfermagem - GIATE Grupo de Pesquisa em Tecnologias, Informações e Informática em Saúde e Enfermagem - GIATE REGULAMENTO INTERNO CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE E FINALIDADES: Art.1º - O Grupo Pesquisa em Tecnologias, Informações

Leia mais

ESTRUTURA E FORMA DO PROJETO DO MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO DE CIÊNCIAS, MATEMÁTICA E TECNOLOGIAS

ESTRUTURA E FORMA DO PROJETO DO MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO DE CIÊNCIAS, MATEMÁTICA E TECNOLOGIAS UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM ENSINO DE CIÊNCIAS MATEMÁTICA E TECNOLOGIAS - PPGECMT ESTRUTURA E FORMA DO PROJETO DO MESTRADO PROFISSIONAL

Leia mais

TIPOLOGIA DOCUMENTAL EM ARQUIVOS PESSOAIS TIPOLOGIA DOCUMENTAL NA FAMÍLIA BARBOSA DE OLIVEIRA FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA (FCRB/MINC)

TIPOLOGIA DOCUMENTAL EM ARQUIVOS PESSOAIS TIPOLOGIA DOCUMENTAL NA FAMÍLIA BARBOSA DE OLIVEIRA FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA (FCRB/MINC) TIPOLOGIA DOCUMENTAL EM ARQUIVOS PESSOAIS TIPOLOGIA DOCUMENTAL NA FAMÍLIA BARBOSA DE OLIVEIRA FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA (FCRB/MINC) Realização Apoio Financiamento do projeto - FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA

Leia mais

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação PLANO DE ENSINO (2016)

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação PLANO DE ENSINO (2016) Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação PLANO DE ENSINO (2016) I. IDENTIFICAÇÃO DISCIPLINA CURSO PROFESSOR CÓDIGO DA DISCIPLINA Normalização

Leia mais

Edital n o 79/2013 ANEXO II TIPOS, REQUISITOS E VALORES DE BOLSAS. Não possuir vínculo empregatício ou bolsa de pesquisa ou extensão

Edital n o 79/2013 ANEXO II TIPOS, REQUISITOS E VALORES DE BOLSAS. Não possuir vínculo empregatício ou bolsa de pesquisa ou extensão Edital n o 79/2013 ANEXO II TIPOS, REQUISITOS E VALORES DE BOLSAS TIPO REQUISITO C.H. Semanal VALOR Mensal PIBIC-JR Estar no segundo ano do ensino médio Não possuir vínculo empregatício ou bolsa de pesquisa

Leia mais

Elizabeth Freitas Rodrigues

Elizabeth Freitas Rodrigues Preparação e Análise de Projeto Profª Elizabeth Freitas Referencial Teórico É um capítulo do projeto (ou parte de um capítulo) que tem por objetivo apresentar os estudos sobre o tema em referência. Ex.:

Leia mais

MODELO PRÉ-PROJETO DE TCC

MODELO PRÉ-PROJETO DE TCC MODELO PRÉ-PROJETO DE TCC NOME DO ALUNO TEMA SERRA/ ES ANO NOME DO ALUNO TEMA Pré-projeto apresentado à disciplina de Trabalho de Conclusão de Curso I, como requisito básico para a apresentação da disciplina

Leia mais

O PROGRAMA DE FORMAÇÃO PARA A PRÁTICA DAS CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO BÁSICA 2017

O PROGRAMA DE FORMAÇÃO PARA A PRÁTICA DAS CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO BÁSICA 2017 O PROGRAMA DE FORMAÇÃO PARA A PRÁTICA DAS CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO BÁSICA 2017 Inscrições vão até 12 de fevereiro/17. Vagas limitadas. CONTEÚDO Introdução a abordagem de aprendizagem por projetos investigativos;

Leia mais

FUNDAÇÃO LUSÍADA Centro Universitário Lusíada Regulamento TCC-Trabalho de Conclusão de Curso Curso de Relações Internacionais

FUNDAÇÃO LUSÍADA Centro Universitário Lusíada Regulamento TCC-Trabalho de Conclusão de Curso Curso de Relações Internacionais 1.1. Trabalho de Conclusão de Curso - TCC Como o curso de Relações Internacionais não possui, até este momento, uma resolução aprovada, utilizamos a Resolução CNE nº 04 de 13 de junho de 2005, que institui

Leia mais

REGULAMENTO DO CENTRO DE PESQUISA (CEPES) DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB/IDP

REGULAMENTO DO CENTRO DE PESQUISA (CEPES) DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB/IDP REGULAMENTO DO CENTRO DE PESQUISA (CEPES) DA ESCOLA DE DIREITO DE BRASÍLIA EDB/IDP TEXTO COMPILADO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 O presente Regulamento tem por finalidade normatizar as

Leia mais

Professor: Talita Santos Oliveira Sampaio Titulação: Mestre em Ciências da Saúde

Professor: Talita Santos Oliveira Sampaio   Titulação: Mestre em Ciências da Saúde CURSO DE FISIOTERAPIA Autorizado pela Portaria nº 377 de 19/03/09 DOU de 20/03/09 Seção 1. Pág. 09 Componente Curricular: Trabalho de Conclusão de Curso I Código: FISIO 212 Pré-Requisito: - Período Letivo:

Leia mais

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 003/2016

EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 003/2016 EDITAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX- CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 003/2016 Chamada para submissão de Projetos de Iniciação Científica e Tecnológica A Direção Geral da FACULDADE

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec: Professor Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Contabilidade

Leia mais

Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas

Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO-BRASILEIRA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE ENSINO COORDENAÇÃO DE CURSO Bacharelado Interdisciplinar em Ciências Humanas 1. Perfil do

Leia mais

3º INTEGRAR - Congresso Internacional de Arquivos, Bibliotecas, Centros de Documentação e Museus PRESERVAR PARA AS FUTURAS GERAÇÕES

3º INTEGRAR - Congresso Internacional de Arquivos, Bibliotecas, Centros de Documentação e Museus PRESERVAR PARA AS FUTURAS GERAÇÕES Bibliotecários brasileiros pensando o direito: memória dos encontros nacionais de bibliotecários jurídicos (1971-1994) Regina Celi de Sousa Luciana Maria Napoleone Eixo temático: Preservação da memória

Leia mais

FACULDADE METROPOLITANA DE MANAUS - FAMETRO NÚCLEO DE PESQUISA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NOPI PROGRAMA DE INCIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA - PROMICT

FACULDADE METROPOLITANA DE MANAUS - FAMETRO NÚCLEO DE PESQUISA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NOPI PROGRAMA DE INCIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA - PROMICT 1 FACULDADE METROPOLITANA DE MANAUS - FAMETRO NÚCLEO DE PESQUISA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NOPI PROGRAMA DE INCIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA - PROMICT EDITAL 02/2016 A Faculdade Metropolitana de Manaus,

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE PROJETO INTEGRADOR II

REGULAMENTO DO TRABALHO DE PROJETO INTEGRADOR II Regulamento do Projeto Integrador II Universidade Gama Filho Pró-Reitoria de Ciências Exatas e Tecnologia Curso de Tecnologia em Automação Industrial REGULAMENTO DO TRABALHO DE PROJETO INTEGRADOR II Regulamento

Leia mais

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA Vanessa Martins Hidd Santos NOVAFAPI INTRODUÇÃO A avaliação institucional constitui objeto de preocupação e análise na NOVAFAPI, desde sua fundação quando

Leia mais

FORMAÇÃO, EM SERVIÇO, DOS AGENTE ADMINISTRATIVO EDUCACIONAIS DA REDE MUNCIPAL DE ENSINO

FORMAÇÃO, EM SERVIÇO, DOS AGENTE ADMINISTRATIVO EDUCACIONAIS DA REDE MUNCIPAL DE ENSINO FORMAÇÃO, EM SERVIÇO, DOS AGENTE ADMINISTRATIVO EDUCACIONAIS DA REDE MUNCIPAL DE ENSINO A FUNÇÃO E O PAPEL DO AGENTE ADMINISTRATIVO DA UNIDADE ESCOLAR SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO A Secretaria da Unidade

Leia mais

FUNDAÇÃO LUSÍADA Centro Universitário Lusíada Regulamento TCC-Trabalho de Conclusão de Curso Curso de Administração

FUNDAÇÃO LUSÍADA Centro Universitário Lusíada Regulamento TCC-Trabalho de Conclusão de Curso Curso de Administração 1.1. Trabalho de Conclusão de Curso - TCC A Resolução CNE nº 04 de 13 de junho de 2005, institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Administração, bacharelado, em seu artigo

Leia mais

HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE. Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica EDITAL

HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE. Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica EDITAL HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica EDITAL 2016-2017 1. Finalidade O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica do Hospital de Clínicas

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Autorizado pela Portaria nº de 04/07/01 DOU de 09/07/01 PLANO DE CURSO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Autorizado pela Portaria nº de 04/07/01 DOU de 09/07/01 PLANO DE CURSO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Autorizado pela Portaria nº 1.399 de 04/07/01 DOU de 09/07/01 Componente Curricular: Metodologia da Pesquisa Científic Código: ADM 290 Pré-requisito: Período Letivo: 2013.1 Professor:

Leia mais

RELATÓRIO: TRIMESTRAL JANEIRO A ABRIL DE 2011

RELATÓRIO: TRIMESTRAL JANEIRO A ABRIL DE 2011 RELATÓRIO: TRIMESTRAL JANEIRO A ABRIL DE 2011 Visto da Coordenação Goiânia-Go Rua 235 S/N Setor Universitário Goiânia/GO CEP 74605-050 Fone: (62) 32096213 Página 1 Relatório das atividades desenvolvidas

Leia mais

Projeto 2B Portal de Teses da BVS Saúde Pública 19 de janeiro de 2005

Projeto 2B Portal de Teses da BVS Saúde Pública 19 de janeiro de 2005 http://www.bvs.br/ 19 de janeiro de 2005 Introdução Este documento descreve o projeto para continuidade do programa de desenvolvimento de um conjunto de dissertações e teses na área de saúde pública através

Leia mais

Área do Conhecimento (Tabela do CNPq):

Área do Conhecimento (Tabela do CNPq): INSTITUCIONAL/IFSP PROJETO DE PESQUISA TÍTULO DO PROJETO: Sol e Alegria: a luta dos trabalhadores pelo direito ao lazer na visão da imprensa sindical Área do Conhecimento (Tabela do CNPq): 0 0 0 0 7 0

Leia mais

Objetivo do GEPEMHEP:

Objetivo do GEPEMHEP: GEPEMHEP/ Centro Paula Souza Objetivo do GEPEMHEP: Propor e desenvolver projetos de estudos e pesquisas com a finalidade de levantar, analisar e divulgar informações sobre práticas escolares e pedagógicas

Leia mais

Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO

Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC Profª Nair Luccas Ribeiro Código: 156 Município: Teodoro Sampaio Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Administração

Leia mais

A EJA após 10 anos do PNE, PEE e PME: avanços e desafios. Maria Margarida Machado FE/UFG Fórum Goiano de EJA

A EJA após 10 anos do PNE, PEE e PME: avanços e desafios. Maria Margarida Machado FE/UFG Fórum Goiano de EJA A EJA após 10 anos do PNE, PEE e PME: avanços e desafios Maria Margarida Machado FE/UFG Fórum Goiano de EJA Desafio de constituir-se MODALIDADE Construção histórica do PNE 2001-2010 Debate intenso da sociedade

Leia mais

O CAMINHO DA PESQUISA

O CAMINHO DA PESQUISA NECESSIDADES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES DA EJA Aproximação com a temática Aluna do curso de formação do ensino médio (teologia da libertação, Escritos de Paulo Freire). Aluna do curso de Pedagogia

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO DE ENSINO OCTÁVIO BASTOS - UNIFEOB EDITAL Nº 01/2016

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO DE ENSINO OCTÁVIO BASTOS - UNIFEOB EDITAL Nº 01/2016 PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO DE ENSINO OCTÁVIO BASTOS - UNIFEOB EDITAL Nº 01/2016 A Pró-Reitoria Acadêmica do CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO DE ENSINO

Leia mais

ENSINO-APRENDIZAGEM DA CARTOGRAFIA: OS CONTEÚDOS COM BASES MATEMÁTICAS NO ENSINO FUNDAMEANTAL 1

ENSINO-APRENDIZAGEM DA CARTOGRAFIA: OS CONTEÚDOS COM BASES MATEMÁTICAS NO ENSINO FUNDAMEANTAL 1 ENSINO-APRENDIZAGEM DA CARTOGRAFIA: OS CONTEÚDOS COM BASES MATEMÁTICAS NO ENSINO FUNDAMEANTAL 1 Priscilla Régia de Castro PEREIRA 2 Ivanilton José de OLIVEIRA 3 Introdução Dentre as pesquisas existentes

Leia mais

SHELL BRASIL PETRÓLEO LTDA. PEA SHELL FASE 2

SHELL BRASIL PETRÓLEO LTDA. PEA SHELL FASE 2 SHELL BRASIL PETRÓLEO LTDA. PEA SHELL FASE 2 BIJUPIRÁ & SALEMA E PARQUE DAS CONCHAS Plano de Trabalho ANEXO B CRONOGRAMA FÍSICO-FINANCEIRO NOVEMBRO DE 2013 CRONOGRAMA MENSAL DE 2012 Abr Mai Jun Jul Ago

Leia mais

Modelo de Proposta Preliminar de Projeto de Pesquisa Semestre

Modelo de Proposta Preliminar de Projeto de Pesquisa Semestre Modelo de Proposta Preliminar de Projeto de Pesquisa Semestre 2015.1 1. Título do Projeto: Claro, conciso e suficientemente descritivo para definir o assunto tratado. Máximo de 17 palavras. 2. Nome do

Leia mais

Área do Conhecimento (Tabela do CNPq):

Área do Conhecimento (Tabela do CNPq): INSTITUCIONAL/IFSP PROJETO DE PESQUISA TÍTULO DO PROJETO: Mundo do trabalho e lazer: um estudo a partir da história do Sindicato dos Estivadores do Porto de Santos Área do Conhecimento (Tabela do CNPq):

Leia mais

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+

DATA DIA DIAS DO FRAÇÃO DATA DATA HORA DA INÍCIO DO ANO JULIANA SIDERAL T.U. SEMANA DO ANO TRÓPICO 2450000+ 2460000+ CALENDÁRIO, 2015 7 A JAN. 0 QUARTA -1-0.0018 7022.5 3750.3 1 QUINTA 0 +0.0009 7023.5 3751.3 2 SEXTA 1 +0.0037 7024.5 3752.3 3 SÁBADO 2 +0.0064 7025.5 3753.3 4 DOMINGO 3 +0.0091 7026.5 3754.3 5 SEGUNDA

Leia mais

Edital 01/2016 Programa de Iniciação Científica

Edital 01/2016 Programa de Iniciação Científica Edital 01/2016 Programa de Iniciação Científica A Faculdade Promove de Minas Gerais, Faculdade Promove de Belo Horizonte, Faculdade Promove de Tecnologia,Escola de Engenharia Kennedy, Faculdade Kennedy

Leia mais

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CURSO: MATEMÁTICA DISCIPLINA: METODOLOGIA DO ENSINO DA MATEMÁTICA III SÉRIE: 4ª CARGA HORÁRIA: 144 HORAS PROFESSOR: EVERTON JOSÉ GOLDONI ESTEVAM ANO LETIVO: 2013 EMENTA A Matemática

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI VICE-REITORIA DE ENSINO E PESQUISA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL PIBIC/CNPQ-2012

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI VICE-REITORIA DE ENSINO E PESQUISA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL PIBIC/CNPQ-2012 CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI VICE-REITORIA DE ENSINO E PESQUISA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL PIBIC/CNPQ-2012 A Vice-Reitoria de Ensino e Pesquisa do Centro Universitário

Leia mais

A diversidade arquivística brasileira

A diversidade arquivística brasileira A diversidade arquivística brasileira Literatura arquivística Fonte: Costa, Alexandre de Souza. A bibliografia arquivística no Brasil Análise quantitativa e qualitativa. www.arquivistica.net, Rio de janeiro,

Leia mais

EMBRAPA SOJA ANO 2015/2016 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO

EMBRAPA SOJA ANO 2015/2016 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO EDITAL PIBIC-PIBITI/CNPq DA EMBRAPA SOJA ANO 2015/2016 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIBIC-PIBITI/CNPq DA EMBRAPA SOJA 1. DEFINIÇÃO

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CÓDIGO: EDU519 DISCIPLINA: PRATICA EDUCATIVA I - DIDÀTICA CARGA HORÁRIA: 75h EMENTA: OBJETIVOS:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CURSO GESTÃO DA INFORMAÇÃO. Resolução NDE/GESTÃO DA INFORMAÇÃO/FIC nº 01/2014

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CURSO GESTÃO DA INFORMAÇÃO. Resolução NDE/GESTÃO DA INFORMAÇÃO/FIC nº 01/2014 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CURSO GESTÃO DA INFORMAÇÃO Resolução NDE/GESTÃO DA INFORMAÇÃO/FIC nº 01/2014 Normatiza os arts. 14 e 89 do Regulamento Geral de Cursos

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO (PIBITI) Fundação Araucária Institutos Lactec EDITAL 2017/2018

PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO (PIBITI) Fundação Araucária Institutos Lactec EDITAL 2017/2018 PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO (PIBITI) Fundação Araucária Institutos Lactec EDITAL 2017/2018 O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico

Leia mais

EMENTA SEQUÊNCIA DIDÁTICA

EMENTA SEQUÊNCIA DIDÁTICA Disciplina: Estágio Supervisionado IV Curso: História Carga horária: 120h Número de Créditos: Professora: Zélia Almeida de Oliveira Obrigatória: Sim ( ) Nâo ( ) EMENTA 6 EMENTA: Planejamento, execução

Leia mais

Curso de Licenciatura em Artes Cênicas. Trabalho de Conclusão de Curso. Regulamento Interno

Curso de Licenciatura em Artes Cênicas. Trabalho de Conclusão de Curso. Regulamento Interno Curso de Licenciatura em Artes Cênicas Trabalho de Conclusão de Curso Regulamento Interno 1. Apresentação Os Trabalhos de Conclusão de Curso caracterizam-se pelo aprofundamento teórico e prático-artístico

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO DE ENGENHARIA ELÉTRICA. Prof. Dr. Alexandre Rasi Aoki

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO DE ENGENHARIA ELÉTRICA. Prof. Dr. Alexandre Rasi Aoki PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO DE ENGENHARIA ELÉTRICA Prof. Dr. Alexandre Rasi Aoki Agenda Geral Coordenação do Programa Colegiado Regime Acadêmico Disciplinas Professor Orientador Prazos Aproveitamento Prática

Leia mais

Fotografias e documentação iconográfica

Fotografias e documentação iconográfica Programa de Iniciação Científica Universidade de São Paulo Mariane Parente Nascimento Graduanda do curso de História Orientação Profa. Dra. Elizabeth F. C. R. Azevedo TIPOLOGIA DOCUMENTAL PARA O AQUIVO

Leia mais

PROJETO ESPECIAL DE AÇÃO

PROJETO ESPECIAL DE AÇÃO PROJETO ESPECIAL DE AÇÃO - 2013 PORTARIA Nº 1.566 DE 18/03/08 Nome da Unidade Educacional EMEI MÁRIO SETTE Diretoria Regional de Educação CAMPO LIMPO Modalidade (art.2º): A tematização das práticas desenvolvidas

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CEED - CDS 2013 ESTUDOS E PESQUISAS ÁREA 1: POLÍTICA DE DEFESA ATIVIDADES CRONOGRAMA PRODUTOS DATAS

PLANO DE TRABALHO CEED - CDS 2013 ESTUDOS E PESQUISAS ÁREA 1: POLÍTICA DE DEFESA ATIVIDADES CRONOGRAMA PRODUTOS DATAS PLANO DE TRABALHO CEED - CDS 2013 O presente Plano de Trabalho está estruturado considerando as atividades e produtos correspondentes a: 1. Áreas de estudo e pesquisa CEED-CDS. 2. Requerimentos específicos

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA 04/2010

TERMO DE REFERÊNCIA 04/2010 TERMO DE REFERÊNCIA 04/2010 PROJETO: OEI/BRA 08/003 Fortalecimento da Capacidade Institucional da Secretaria de Educação Especial SEESP/MEC em Gestão e Avaliação do Programa de Acompanhamento e Monitoramento

Leia mais

SMA 0186 PRÁTICA DO ENSINO DE MATEMÁTICA I- 2011

SMA 0186 PRÁTICA DO ENSINO DE MATEMÁTICA I- 2011 SMA 0186 PRÁTICA DO ENSINO DE MATEMÁTICA I- 2011 Responsável: Dra. Miriam Cardoso Utsumi Horário: quarta-feira 16:10h as 17:50h, sala : LEM Atendimento a alunos: PRESENCIALMENTE apenas às terças e quintas:

Leia mais

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PLANO DE ENSINO (2013)

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PLANO DE ENSINO (2013) Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PLANO DE ENSINO (2013) I. IDENTIFICAÇÃO DISCIPLINA INTRODUÇÃO AO CONHECIMENTO CIENTÍFICO E A ETICA CARGA HORÁRIA 72 h CURSO Biblioteconomia

Leia mais

Regulamento das Atividades Complementares

Regulamento das Atividades Complementares Serviço Público Federal Universidade Federal de Goiás - UFG Campus Catalão - CAC Curso de Química Regulamento das Atividades Complementares Artigo 1 o - As atividades complementares (AC) é o conjunto de

Leia mais

Biblioteca Digital de Meio Ambiente

Biblioteca Digital de Meio Ambiente COMPARTILHAMENTO DE INFORMAÇÃO AMBIENTAL: QUESTÕES SOBRE DADOS AMBIENTAIS ABERTOS NA AMÉRICA LATINA 23 e 24 de agosto de 2012 Universidade Federal de Rio Grande do Sul (UFRGS) Porto Alegre, Brasil IBAMA

Leia mais

PAISAGEM PLANEJADA: TECNOLOGIA E INOVAÇÃO PARA EFETIVIDADE DE PLANOS DIRETORES MUNICIPAIS NA MELHORIA DA QUALIDADE URBANA

PAISAGEM PLANEJADA: TECNOLOGIA E INOVAÇÃO PARA EFETIVIDADE DE PLANOS DIRETORES MUNICIPAIS NA MELHORIA DA QUALIDADE URBANA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC Internacional 2016-2017 (ORIENTADORA: Profa. Dra. LETÍCIA

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL PROGRAMA DE MESTRADO EM DIREITOS FUNDAMENTAIS E DEMOCRACIA NOME DO MESTRANDO

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL PROGRAMA DE MESTRADO EM DIREITOS FUNDAMENTAIS E DEMOCRACIA NOME DO MESTRANDO FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL Nome da instituição PROGRAMA DE MESTRADO EM DIREITOS FUNDAMENTAIS E DEMOCRACIA Nome do curso NOME DO MESTRANDO O trabalho deve ser apresentado em papel, formato A4, fonte

Leia mais

PROGRAMA BOAS PRÁTICAS: POLÍTICA DE GESTÃO DOCUMENTAL CPAD/TRT13

PROGRAMA BOAS PRÁTICAS: POLÍTICA DE GESTÃO DOCUMENTAL CPAD/TRT13 PROGRAMA BOAS PRÁTICAS: POLÍTICA DE GESTÃO DOCUMENTAL CPAD/TRT13 A utilidade dos processos trabalhistas na pesquisa acadêmica. Raimundo Normando Madeiro Monteiro Comissão Permanente de Avaliação de Documentos

Leia mais

ÁREA DO CONHECIMENTO: (x) EXATAS ( )HUMANAS ( )VIDA

ÁREA DO CONHECIMENTO: (x) EXATAS ( )HUMANAS ( )VIDA 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA ÁREA DO CONHECIMENTO: (x) EATAS ( )HUMANAS ( )VIDA PROGRAMA: () PIBIC ( ) PIVIC Título

Leia mais

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO. Avaliação Interna da EPDRR

Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO. Avaliação Interna da EPDRR Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo PLANO DE INTERVENÇÃO Avaliação Interna da EPDRR Ano Letivo 2015/2016 ÍNDICE INTRODUÇÃO 3 COMISSÃO DE TRABALHO 4 METODOLOGIA DE TRABALHO ADOTADA 4 DOMÍNIOS

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SÃO LUÍS DE JABOTICABAL SP

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SÃO LUÍS DE JABOTICABAL SP ANEXO II REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE MATEMÁTICA COM ÊNFASE EM INFORMÁTICA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO SÃO LUÍS DE JABOTICABAL SP CAPÍTULO I DA FINALIDADE E OBJETIVOS Art. 1º

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE HISTÓRIA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE HISTÓRIA 1 REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE HISTÓRIA CAPÍTULO I NOMENCLATURA E NATUREZA Art.1º O trabalho de Conclusão do Curso de História TCC constitui-se na elaboração de uma Monografia

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUIMICA SECÃO I

INSTRUÇÃO NORMATIVA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUIMICA SECÃO I INSTRUÇÃO NORMATIVA DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM QUIMICA SECÃO I DA DEFINIÇÃO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º - A Coordenação do Curso de Licenciatura em Química da UTFPR Campus

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS UNIDADE CONTAGEM COORDENAÇÃO DE PESQUISA

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS UNIDADE CONTAGEM COORDENAÇÃO DE PESQUISA EDITAL PERMANTE PICV A Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais convoca os alunos interessados em apresentar propostas de projetos de pesquisa para o Programa de Iniciação Científica Voluntária

Leia mais

REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO

REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO REGULAMENTO DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I DAS EXIGÊNCIAS LEGAIS Art. 1º - Este regulamento estabelece regras gerais sobre as atividades relativas ao trabalho

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA PLANO DE ENSINO 2011-2 DISCIPLINA: Socialização das Experiências Docentes II JP0040 PROFESSOR: Ms. Patrícia Moura Pinho I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Carga Horária Teórica: 60h Carga Horária Prática: 15h II

Leia mais

EDITAL Nº 11/ Processo de Seleção para Ingresso no Programa de Pós-Graduação em Educação MESTRADO E DOUTORADO

EDITAL Nº 11/ Processo de Seleção para Ingresso no Programa de Pós-Graduação em Educação MESTRADO E DOUTORADO EDITAL Nº 11/ 2016 Processo de Seleção para Ingresso no Programa de Pós-Graduação em Educação MESTRADO E DOUTORADO 2017 O Colegiado do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Tuiuti do Paraná,

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE LICENCIATURAS DA FACULDADE DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES - FFP

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE LICENCIATURAS DA FACULDADE DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES - FFP REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE LICENCIATURAS DA FACULDADE DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES - FFP Art. 1º Este Regulamento define, no âmbito da Faculdade de Formação de Professores

Leia mais

INTERDICIPLINARIEDADE NA ORGANIZAÇÃO DE ACERVOS ESTUDO DE CASO DO NÚCLEO DE ESTUDO, CULTURA, ORALIDADE, IMAGEM E MEMÓRIA NECOIM

INTERDICIPLINARIEDADE NA ORGANIZAÇÃO DE ACERVOS ESTUDO DE CASO DO NÚCLEO DE ESTUDO, CULTURA, ORALIDADE, IMAGEM E MEMÓRIA NECOIM ENCONTRO INTERNACIONAL DE ARQUIVOS INTERDICIPLINARIEDADE NA ORGANIZAÇÃO DE ACERVOS ESTUDO DE CASO DO NÚCLEO DE ESTUDO, CULTURA, ORALIDADE, IMAGEM E MEMÓRIA NECOIM Faro/Portugal 5 Out. de 2013 Imagem disponível

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FARMÁCIA

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FARMÁCIA MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FARMÁCIA Belo Horizonte 2016 Presidente do Grupo Splice Antônio Roberto Beldi Reitor João Paulo Barros Beldi Secretária-Geral Jacqueline Guimarães Ribeiro

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE DE PROFESSORES QUE ATUAM COM ESCOLARES EM TRATAMENTO DE SAÚDE Jacques de Lima Ferreira PUC-PR Agência Financiadora: CNPq

FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE DE PROFESSORES QUE ATUAM COM ESCOLARES EM TRATAMENTO DE SAÚDE Jacques de Lima Ferreira PUC-PR Agência Financiadora: CNPq FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE DE PROFESSORES QUE ATUAM COM ESCOLARES EM TRATAMENTO DE SAÚDE Jacques de Lima Ferreira PUC-PR Agência Financiadora: CNPq INTRODUÇÃO Este texto apresenta a pesquisa em andamento

Leia mais

Objetivos: GERAL: Conceber projeto político-pedagógico, arquitetônico e de viabilidade financeira de uma Escola Sustentável de Ensino Médio do LN.

Objetivos: GERAL: Conceber projeto político-pedagógico, arquitetônico e de viabilidade financeira de uma Escola Sustentável de Ensino Médio do LN. Objetivos: GERAL: Conceber projeto político-pedagógico, arquitetônico e de viabilidade financeira de uma Escola Sustentável de Ensino Médio do LN. ESPECÍFICOS: 1) Pesquisar sobre tema, público-alvo, experiências

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR)

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Código: CDH -EC- 009 A presente Consultoria visa contratar serviços profissionais especializados

Leia mais

Linha de Pesquisa: Práticas Educativas, Políticas Educacionais e Inclusão

Linha de Pesquisa: Práticas Educativas, Políticas Educacionais e Inclusão SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL CATALÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO Av. Lamartine P. Avelar, 1.120. Setor Universitário

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - CME. VENÂNCIO AIRES

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - CME. VENÂNCIO AIRES Resolução n.º 01, de 10 de março de 2011 Altera normas para a oferta da modalidade de Educação de Jovens e Adultos - EJA do Ensino Fundamental, no Sistema Municipal de Ensino de Venâncio Aires, disciplinada

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS CURSO DE PEDAGOGIA Tatiane Moreira da Silva - Pedagogia/ B

CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS CURSO DE PEDAGOGIA Tatiane Moreira da Silva - Pedagogia/ B CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS CURSO DE PEDAGOGIA Tatiane Moreira da Silva - Pedagogia/2013 4 B Thaís Aparecida dos Santos Pedagogia/2013 4 B (voluntária)

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Avaliação Educacional Código da Disciplina: EDU 340 Curso: Pedagogia Semestre de oferta da disciplina: 7º Faculdade responsável: Pedagogia Programa em vigência a partir

Leia mais

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PLANO DE ENSINO (2013)

Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PLANO DE ENSINO (2013) Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo FESPSP PLANO DE ENSINO (2013) I. IDENTIFICAÇÃO DISCIPLINA AUTOMAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CARGA HORÁRIA 36 h CURSO Biblioteconomia e Ciência SEMESTRE

Leia mais

EDITAL PIBIC / CNPq/ MAST PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

EDITAL PIBIC / CNPq/ MAST PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL PIBIC / CNPq/ MAST 2014-2015 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA A Coordenação do PIBIC/CNPq/MCTI/MAST comunica aos interessados que estão abertas as inscrições para a obtenção

Leia mais