António Nobre O TEU RETRATO Deus fez a noite com o teu olhar, Deus fez as ondas com os teus cabelos; Com a tua coragem fez castelos Que pôs, como

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "António Nobre O TEU RETRATO Deus fez a noite com o teu olhar, Deus fez as ondas com os teus cabelos; Com a tua coragem fez castelos Que pôs, como"

Transcrição

1 DIA DE S. VALENTIM

2 António Nobre O TEU RETRATO Deus fez a noite com o teu olhar, Deus fez as ondas com os teus cabelos; Com a tua coragem fez castelos Que pôs, como defesa, à beira-mar. Com um sorriso teu, fez o luar (Que é sorriso de noite, ao viandante) E eu que andava pelo mundo, errante, Já não ando perdido em alto-mar! Do céu de Portugal fez a tua alma! E ao ver-te sempre assim, tão pura e calma, Da minha Noite, eu fiz a Claridade! Ó meu anjo de luz e de esperança, Será em ti afinal que descansa O triste fim da minha mocidade!

3 Florbela Espanca FANATISMO Minh alma, de sonhar-te, anda perdida Meus olhos andam cegos de te ver! Não és sequer a razão do meu viver, Pois que tu és já toda a minha vida! Não vejo nada assim enlouquecida... Passo no mundo, meu Amor, a ler No misterioso livro do teu ser A mesma história tantas vezes lida! «Tudo no mundo é frágil, tudo passa...» Quando me dizem isto, toda a graça Duma boca divina fala em mim! E, olhos postos em ti, digo de rastros: «Ah! Podem voar mundos, morrer astros, Que tu és como Deus: Princípio e Fim!...»

4 António Botto Quanto, quanto me queres? perguntaste Numa voz de lamento diluída; E quando nos meus olhos demoraste A luz dos teus senti a luz da vida. Nas tuas mãos as minhas apertaste; Lá fora da luz do Sol já combalida Era um sorriso aberto num contraste Com a sombra da posse proibida... Beijámo-nos, então, a latejar No infinito e pálido vaivém Dos corpos que se entregam sem pensar... Não perguntes, não sei não sei dizer: Um grande amor só se avalia bem Depois de se perder.

5 António Gedeão Soneto Não pode Amor por mais que as falas mude exprimir quanto pesa ou quanto mede. Se acaso a comoção falar concede é tão mesquinho o tom que o desilude. Busca no rosto a cor que mais o ajude, magoado parecer aos olhos pede, pois quando a fala a tudo o mais excede não pode ser Amor com tal virtude. Também eu das palavras me arreceio, também sofro do mal sem saber onde busque a expressão maior do meu anseio. E acaso perde, o Amor que a fala esconde, em verdade, em beleza, em doce enleio? Olha bem os meus olhos, e responde.

6 Carlos Queiroz CANÇÃO GRATA Por tudo o que me deste: Inquietação, cuidado, (Um pouco de ternura? E certo, mas tão pouco!) Noites de insónia, pelas ruas, como um louco... Obrigado, obrigado! Por aquela tão doce e tão breve ilusão. (Embora nunca mais, depois que a vi desfeita, Eu volte a ser quem fui), sem ironia: aceita A minha gratidão! Que bem me faz, agora, o mal que me fizeste! Mais forte, mais sereno, e livre, e descuidado... Sem ironia, amor: Obrigado, obrigado Por tudo o que me deste!

7 Jorge de Sena Amo-te muito, meu amor, e tanto que, ao ter-te, amo-te mais, e mais ainda depois de ter-te, meu amor. Não finda com o próprio amor o amor do teu encanto. Que encanto é o teu? Se continua enquanto sofro a traição dos que, viscosos, prendem, por uma paz da guerra a que se vendem, a pura liberdade do meu canto, um cântico da terra e do seu povo, nesta invenção da humanidade inteira que a cada instante há que inventar de novo, tão quase é coisa ou sucessão que passa... Que encanto é o teu? Deitado à tua beira, sei que se rasga, eterno, o véu da Graça.

8 Pedro Tamen Não sei, amor, sequer, se te consinto ou se te inventas, brilhas, adormeces nas palavras sem carne em que te minto a verdade intemida em que me esqueces. Não sei, amor, se as lavas do vulcão nos lavam, veras, ou se trocam tintas dos olhos ao cabelo ou coração de tudo e de ti mesma. Não que sintas outra coisa de mais que nos feneça; mas só não sei, amor, se tu não sabes que sei de certo a malha que nos teça, o vento que nos leve ou nos trave, a mão que te nos dê ou te nos peça, o princípio de sol que nos acabe.

9 Manuel Alegre AS FACAS Quatro letras nos matam quatro facas que no corpo me gravam o teu nome. Quatro facas amor com que me matas sem que eu mate esta sede e esta fome. Este amor é de guerra. (De arma branca). Amando ataco amando contra-atacas este amor é de sangue que não estanca. Quatro letras nos matam quatro facas. Armado estou de amor. E desarmado. Morro assaltando morro se me assaltas. E em cada assalto sou assassinado. Quatro letras amor com que me matas. E as facas ferem mais quando me faltas. Quatro letras nos matam quatro facas.

10 Mário Dionísio UMA MULHER QUASE NOVA Uma mulher quase nova com um vestido quase branco numa tarde quase clara com os olhos quase secos vem e quase estende os dedos ao sonho quase possível quase fresca se liberta do desespero quase morto quase harmónica corrida enche o espaço quase alegre de cabelos quase soltos transparente quase solta o riso quase bastante quase músculo florido deste instante quase novo quase vivo quase agora

11 David Mourão-Ferreira SONETO DO CATIVO Se é sem dúvida Amor esta explosão de tantas sensações contraditórias; a sórdida mistura das memórias, tão longe da verdade e da invenção; o espelho deformante; a profusão de frases insensatas, incensórias; a cúmplice partilha nas histórias do que os outros dirão ou não dirão; se é sem dúvida Amor a cobardia de buscar nos lençóis a mais sombria razão de encantamento e de desprezo; não há dúvida, Amor, que te não fujo e que, por ti, tão cego, surdo e sujo, tenho vivido eternamente preso!

12 José Gomes Ferreira Dá-me a tua mão. Deixa que a minha solidão prolongue mais a tua para aqui os dois de mãos dadas nas noites estreladas, a ver os fantasmas a dançar na lua. Dá-me a tua mão, companheira, até o Abismo da Ternura Derradeira.

13 Luís de Camões Amor é fogo que arde sem se ver; É ferida que dói e não se sente; É um contentamento descontente; É dor que desatina sem doer. É um não querer mais que bem querer; É um andar solitário entre a gente; É nunca contentar-se de contente; É um cuidar que se ganha em se perder. É querer estar preso por vontade É servir a quem vence o vencedor, É ter com quem nos mata lealdade. Mas como causar pode seu favor Nos corações humanos amizade; Se tão contrário a si é o mesmo amor?

14 Fernando Pessoa O Amor O AMOR, quando se revela, Não se sabe revelar. Sabe bem olhar p'ra ela, Mas não lhe sabe falar. Quem quer dizer o que sente Não sabe o que há de dizer. Fala: parece que mente... Cala: parece esquecer... Ah, mas se ela adivinhasse, Se pudesse ouvir o olhar, E se um olhar lhe bastasse P'ra saber que a estão a amar! Mas quem sente muito, cala; Quem quer dizer quanto sente Fica sem alma nem fala, Fica só, inteiramente! Mas se isto puder contar-lhe O que não lhe ouso contar, Já não terei que falar-lhe Porque lhe estou a falar...

15 Florbela Espanca Amar! Eu quero amar, amar perdidamente! Amar só por amar: Aqui... além... Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente Amar! Amar! E não amar ninguém! Recordar? Esquecer? Indiferente!... Prender ou desprender? É mal? É bem? Quem disser que se pode amar alguém Durante a vida inteira é porque mente! Há uma Primavera em cada vida: É preciso cantá-la assim florida, Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar! E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada Que seja a minha noite uma alvorada, Que me saiba perder... pra me encontrar...

16 Almeida Garrett Este inferno de amar Este inferno de amar como eu amo! Quem mo pôs aqui n alma quem foi? Esta chama que alenta e consome, Que é vida e que a vida destrói. Como é que se veio atear, Quando ai se há-de ela apagar? Eu não sei, não me lembra: o passado, A outra vida que dantes vivi Era um sonho talvez foi um sonho. Em que a paz tão serena a dormi! Oh! Que doce era aquele olhar Quem me veio, ai de mim! Despertar? Só me lembra que um dia formoso Eu passei Dava o Sol tanta luz! E os meus olhos que vagos giravam, Em seus olhos ardentes os pus. Que fez ela? Eu que fiz? Não o sei; Mas nessa hora a viver comecei Por instinto se revela, Eu no teu seio divino Vim cumprir o meu destino... Vim, que em ti só sei viver, Só por ti posso morrer.

17 Ruy Cinatti Quando o amor morrer dentro de ti, Caminha para o alto onde haja espaço, E com o silêncio outrora pressentido Molda em duas colunas os teus braços. Relembra a confusão dos pensamentos, E neles ateia o fogo adormecido Que uma vez, sonho de amor, teu peito ferido Espalhou generoso aos quatro ventos. Aos que passarem dá-lhes o abrigo E o nocturno calor que se debruça Sobre as faces brilhantes de soluços. E se ninguém vier, ergue o sudário Que mil saudosas lágrimas velaram; Desfralda na tua alma o inventário Do templo onde a vida ora de bruços, A Deus e aos sonhos que gelaram.

18 Sebastião Alba Ninguém meu amor ninguém como nós conhece o sol Podem utilizá-lo nos espelhos apagar com ele os barcos de papel dos nossos lagos podem obrigá-lo a parar à entrada das casas mais baixas podem ainda fazer com que a noite gravite hoje do mesmo lado Mas ninguém meu amor ninguém como nós conhece o sol Até que o sol degole o horizonte em que um a um nos deitam vendando-nos os olhos

19 Bocage Soneto do amor maior Amar dentro do peito uma donzella; Jurar-lhe pelos céus a fé mais pura; Fallar-lhe, conseguindo alta ventura, Depois da meianoite na janella: Fazê-la vir abaixo, e com cautela Sentir abrir a porta, que murmura; Entrar pé ante pé, e com ternura Apertá-la nos braços casta e bella: Beijar-lhe os vergonhosos, lindos olhos, E a boca, com prazer o mais jucundo, Apalpar-lhe de leve os dois pimpolhos: Vê-la rendida enfim a Amor fecundo; Ditoso levantar-lhe os brancos folhos; É este o maior gosto que há no mundo.

Uma grande parte dos sonetos incluídos nesta

Uma grande parte dos sonetos incluídos nesta Amor & desamor Uma grande parte dos sonetos incluídos nesta edição foram garimpados criteriosamente pelo escritor Sergio Faraco, que os editou nos volumes Livro dos sonetos, Livro do corpo, Livro das cortesãs,

Leia mais

O amor que vem nos poemas

O amor que vem nos poemas O amor que vem nos poemas Este inferno de amar -como eu amo! Quem mo pôs aqui na alma...quem foi? Esta chama que alenta e consome, que é a vida -e que a vida destrói Como é que se veio atear, Quando -ai

Leia mais

Amor & Sociologia Cultural - Oswaldo Montenegro & Raul Seixas

Amor & Sociologia Cultural - Oswaldo Montenegro & Raul Seixas Page 1 of 6 Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia Disciplina: Sociologia Cultural Educador: João Nascimento Borges Filho Amor & Sociologia

Leia mais

Comigo mais poesia. Nelson Martins. Reflexões e Sentimentos

Comigo mais poesia. Nelson Martins. Reflexões e Sentimentos Comigo mais poesia Comigo mais poesia Nelson Martins Reflexões e Sentimentos Apresentação A poesia de Nelson Martins conduz o leitor à territorialidade da existência humana, como memória grifada de cada

Leia mais

como diz a frase: nois é grossa mas no fundo é um amor sempre é assim em cima da hora a pessoa muda numa hora ela fica com raiva, triste, feliz etc.

como diz a frase: nois é grossa mas no fundo é um amor sempre é assim em cima da hora a pessoa muda numa hora ela fica com raiva, triste, feliz etc. SEGUIR EM FRENTE seguir sempre em frente, nunca desistir dos seus sonhos todos nós temos seu nivel ou seja todos nós temos seu ponto fraco e siga nunca desistir e tentar até voce conseguir seu sonho se

Leia mais

Eis que chega meu grande amigo, Augusto dos Anjos, ele com seu jeitão calado e sempre triste, me fala que não irá existir palavra alguma para

Eis que chega meu grande amigo, Augusto dos Anjos, ele com seu jeitão calado e sempre triste, me fala que não irá existir palavra alguma para Oceano em Chamas Querida, Tentei em vão, fazer um poema a você, não consegui. Me faltavam palavras para descrever-te, então pedi aos poetas do universo para me ajudarem. O primeiro com quem conversei,

Leia mais

Olá queridos leitores!

Olá queridos leitores! Poesias de amor Olá queridos leitores! Meu nome é Nagila da Silva ferreira tenho 15 anos e escrevi este livro para vocês que não sabem expressar seus sentimentos facilmente então sempre que puder leia

Leia mais

HOSANA REPERTÓRIO. Hosana, Hosana Hosana nas alturas Hosana, Hosana Hosana nas alturas

HOSANA REPERTÓRIO. Hosana, Hosana Hosana nas alturas Hosana, Hosana Hosana nas alturas 1 HOSANA Composição: Brooke Fraser-Hillsong Publishing / Versão: Cia do Louvor Eu vejo o Rei da glória vindo com o Seu poder A Terra vai estremecer Eu vejo Sua graça os pecados perdoar A Terra vai então

Leia mais

Saudades. Quantas vezes, Amor, já te esqueci, Para mais doidamente me lembrar, Mais doidamente me lembrar de ti!

Saudades. Quantas vezes, Amor, já te esqueci, Para mais doidamente me lembrar, Mais doidamente me lembrar de ti! Durante as aulas de Português da turma 10.º 3, foi lançado o desafio aos alunos de escolherem poemas e tentarem conceber todo um enquadramento para os mesmos, o que passava por fazer ligeiras alterações

Leia mais

Alberto Caeiro O Pastor Amoroso

Alberto Caeiro O Pastor Amoroso Este material é parte integrante do site e pode ser distribuído livremente desde que não seja alterado e que todas as informações sejam mantidas. Abr s Equipe Mundo Cultural O amor é uma companhia. Já

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

Poemas de um Fantasma. Fantasma Souza

Poemas de um Fantasma. Fantasma Souza 1 2 3 Poemas de um Fantasma Fantasma Souza 2012 4 5 Fantasma Souza Todos os Direitos Reservados TITULO ORIGINAL POEMAS DE UM FANTASMA Projeto Gráfico Midiartes Capa Erisvaldo Correia Edição e Comercialização

Leia mais

JACK KIM ESCRITOR DE RUA

JACK KIM ESCRITOR DE RUA JACK KIM ESCRITOR DE RUA 2016 Todos os direitos reservado ao autor. Está autorizado a cópia parcial (2pág. Max) deste documento desde que seja citada a fonte. Proibido a reprodução total ou mais de 2 poemas.

Leia mais

QUANDO EU TINHA VOCÊ!

QUANDO EU TINHA VOCÊ! QUANDO EU TINHA VOCÊ! Local: Salvador(BA) Data: 02/02/1997 Estúdio:24/12/10 Estilo:Forró arrastapé Tom: C//(Dó sustenido) QUANDO EU TINHA VOCÊ A VIDA ERA TÃO BOA HOJE QUE TE PERDI VIVO COMO UM À TOA. VOCÊ

Leia mais

DEIXA-ME SENTIR TUA ALMA ATRAVÉS DO TEU CALOROSO ABRAÇO

DEIXA-ME SENTIR TUA ALMA ATRAVÉS DO TEU CALOROSO ABRAÇO EU AMO VOCÊ: DEIXA-ME SENTIR TUA ALMA ATRAVÉS DO TEU CALOROSO ABRAÇO Cleber Chaves da Costa 1 O amor é paciente, o amor é benigno, não é invejoso; o amor não é orgulhoso, não se envaidece; não é descortês,

Leia mais

O começo da história

O começo da história O começo da história Fotografia: Anastácia de Moura Leonardo Koury Martins O começo da história Todos nós temos um começo, um início, uma primeira vez. O importante é que desde este primeiro passo, possamos

Leia mais

Aos Poetas. Que vem trazer esperança a um povo tristonho, Fazendo os acreditar que ainda existem os sonhos.

Aos Poetas. Que vem trazer esperança a um povo tristonho, Fazendo os acreditar que ainda existem os sonhos. Aos Poetas Venho prestar homenagem a uma grande nação, Que são os nossos poetas que escrevem com dedicação, Os poemas mais lindos e que por todos são bemvindos, Que vem trazer esperança a um povo tristonho,

Leia mais

Aula 6 A lírica camoniana

Aula 6 A lírica camoniana Aula 6 A lírica camoniana Lírica Camoniana Poemas em medida velha: Poemas em medida nova: - Tradição popular medieval - Doce estilo novo -- Influência de Petrarca: soneto - Redondilha Menor: pentassílabo

Leia mais

A tristeza. A tristeza

A tristeza. A tristeza E a leitura continua..."o Principezinho" - quarta-feira, 6 de Fevereiro de 2013 No capítulo V, o Principezinho demonstra muita tristeza nas suas palavras. Após a leitura, foi proposto aos alunos escreverem

Leia mais

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma.

PERTO DE TI AUTOR: SILAS SOUZA MAGALHÃES. Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. PERTO DE TI Tu és meu salvador. Minha rocha eterna. Tu és minha justiça, ó Deus. Tu és Jesus, amado da Minh alma. Jesus! Perto de ti, sou mais e mais. Obedeço a tua voz. Pois eu sei que tu és Senhor, o

Leia mais

LITERATURA PROFESSOR LUQUINHA

LITERATURA PROFESSOR LUQUINHA LITERATURA PROFESSOR LUQUINHA Romantismo e Modernismo Características; Contexto; Abordagens; Enem. LITERATURA LUQUINHA Características da Literatura Romântica A natureza como expressão do eu; A valorização

Leia mais

É tão fácil dizer que saem dos olhos das mulheres andorinhas verdes (Crítica à poesia das imagens aos cachos. Como de costume, autocrítica)

É tão fácil dizer que saem dos olhos das mulheres andorinhas verdes (Crítica à poesia das imagens aos cachos. Como de costume, autocrítica) É tão fácil dizer que saem dos olhos das mulheres andorinhas verdes (Crítica à poesia das imagens aos cachos. Como de costume, autocrítica) É tão fácil dizer que saem dos olhos das mulheres andorinhas

Leia mais

PÉTALAS E SANGUE. De: Batista Mendes

PÉTALAS E SANGUE. De: Batista Mendes PÉTALAS E SANGUE De: Batista Mendes 1 Editoração e capa: Batista Mendes Revisão: Batista Mendes Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste livro pode ser reproduzida ou armazenada, sob qualquer

Leia mais

É Preciso Saber Viver

É Preciso Saber Viver É Preciso Saber Viver Quem espera que a vida Seja feita de ilusão Pode até ficar maluco Ou morrer na solidão É preciso ter cuidado Pra mais tarde não sofrer É preciso saber viver Toda pedra no caminho

Leia mais

REVISTA ACADÊMICA DA FACULDADE FERNÃO DIAS

REVISTA ACADÊMICA DA FACULDADE FERNÃO DIAS COLETÂNEA DE POESIAS: SER CRIANÇA, SONHAR, SER PROFESSOR, LEMBRANÇAS Maria Cecília Ribeiro Santana (FAFE) * É poder brincar livremente Escolher as brincadeiras E estar sempre contente. É ser feliz Da pontinha

Leia mais

Vamos adorar a Deus. Jesus salva (Aleluia)

Vamos adorar a Deus. Jesus salva (Aleluia) Vamos adorar a Deus //: SI LA SOL LA SI SI SI LA LA LA SI SI SI SI LA SOL LA SI SI SI LA LA SI LA SOOL SOOL :// Vamos adorar a Deus, Meu Senhor e Salvador Vamos adorar a Deus, com o nosso louvor. B I S

Leia mais

NÃO HÁ OUTRO DEUS. * Troca de tom: * -1 tom * -½ tom * +½ tom * +1 tom. Intro: ( E, D, D/C#, D )

NÃO HÁ OUTRO DEUS. * Troca de tom: * -1 tom * -½ tom * +½ tom * +1 tom. Intro: ( E, D, D/C#, D ) NÃO HÁ OUTRO DEUS FAIXA 01 DO CD DEUS PODEROSO / MINISTÉRIO ZOE VIDA DE DEUS Intro: ( E, D, D/C#, D ) E D D/C# D Quando estive fraco, Ele me fez forte E D D/C# D E 1ªVez: ( B, Intro) Quando estive triste,

Leia mais

Consternação. Beija-me mais uma vez. Tudo e nada Eu quero Um dilema Em que vivo!

Consternação. Beija-me mais uma vez. Tudo e nada Eu quero Um dilema Em que vivo! Amor perfeito À noite, o mar desponta Nos teus olhos doces No teu corpo, O doce brilho do luar Mexe a brisa Em teus cabelos negros E nessas mãos Tão cheias de carinho Encontro esse amor perfeito Que tens

Leia mais

) ) .,. MEB- 50 ANOS ";.. QUANTO AFETO, QUANTA ALEGRIA RENOVADA EM CADA ENCONTRO... VIVA A VIDA! " MARIA ALICE ~ )

) ) .,. MEB- 50 ANOS ;.. QUANTO AFETO, QUANTA ALEGRIA RENOVADA EM CADA ENCONTRO... VIVA A VIDA!  MARIA ALICE ~ ) ) 1 ) ) ).,. I ) I MEB- 50 ANOS ";.. QUANTO AFETO, QUANTA ALEGRIA RENOVADA EM CADA ENCONTRO... VIVA A VIDA! " MARIA ALICE ) ) ~ ) ( ' A MUSICA DA CAMPANHA DAS ESCOLAS RADIOFONICAS LEVANTO JUNTO COM O SOL

Leia mais

Crisálida Vanessa Monique CRISÁLIDA. Crônicas e frases de uma metamorfose ambulante. Vanessa Monique

Crisálida Vanessa Monique CRISÁLIDA. Crônicas e frases de uma metamorfose ambulante. Vanessa Monique CRISÁLIDA Crônicas e frases de uma metamorfose ambulante Vanessa Monique 1 Dedicatória. À Deus Todo Poderoso que me presenteou com o dom de escrever à e todos que algum dia e de alguma forma me incentivaram

Leia mais

Fragmentos de Amor Eduardo Baqueiro

Fragmentos de Amor Eduardo Baqueiro Fragmentos de Amor Eduardo Baqueiro Interessante nosso caso! Nosso amor parece ter encontrado a pitada certa O tempero no ponto exato, Pois não é doce demais, tampouco salgado... Ele é algo difícil de

Leia mais

António Gedeão. Relógio D'Água. Notas Introdutórias de Natália Nunes. A 383134 Obra Completa

António Gedeão. Relógio D'Água. Notas Introdutórias de Natália Nunes. A 383134 Obra Completa António Gedeão A 383134 Obra Completa Notas Introdutórias de Natália Nunes Relógio D'Água ÍNDICE Notas Introdutórias de Natália Nunes 19 Poesia POESIAS COMPLETAS (1956-1967) A Poesia de António Gedeão

Leia mais

Mulher lendo Renoir, c. 1895, óleo sobre tela, 32 x 28 cm. Coleção particular.

Mulher lendo Renoir, c. 1895, óleo sobre tela, 32 x 28 cm. Coleção particular. Mulher lendo Renoir, c. 1895, óleo sobre tela, 32 x 28 cm. Coleção particular. Poesia Miguel Reale Eterna juventude Quando em meus olhos os teus olhos pousas vejo-te jovem como via outrora: luz interior

Leia mais

CLAMA A MIM - ISRC BR MKP Emerson Pinheiro (MK Edições) Fernanda Brum

CLAMA A MIM - ISRC BR MKP Emerson Pinheiro (MK Edições) Fernanda Brum SEU LUGAR - ISRC BR MKP 0300764 Vejo seu rosto e seu olhar / Sei que é difícil suportar Essa dor, mas estou aqui / Te pego em Meus braços / Pra cuidar Pra te ajudar a caminhar / E te ver outra vez sorrir

Leia mais

Músicas para missa TSL

Músicas para missa TSL Músicas para missa TSL Músicas antes da entrada Anjos Se acontecer um barulho perto de você é um anjo chegando para receber suas orações e levá-las à Deus. Então abra o coração e comece a louvar, sinta

Leia mais

1) Soneto: Enquanto quis Fortuna que tivesse

1) Soneto: Enquanto quis Fortuna que tivesse 1) Soneto: Enquanto quis Fortuna que tivesse Enquanto quis Fortuna que tivesse Esperança de algum contentamento, O gosto de um suave pensamento Me fez que seus versos escrevesse. Porém, temendo Amor que

Leia mais

Nada a Perder (03:22) BX-NOF

Nada a Perder (03:22) BX-NOF Nada a Perder Nada a Perder (03:22) BX-NOF-16-00001 Escuta o vento que sopra lá fora e te convida a viver / E quando os pássaros estão indo embora é sua chance de saber / Que nós temos todos os motivos

Leia mais

1.º C. 1.º A Os livros

1.º C. 1.º A Os livros 1.º A Os livros Os meus olhos veem segredos Que moram dentro dos livros Nas páginas vive a sabedoria, Histórias mágicas E também poemas. Podemos descobrir palavras Com imaginação E letras coloridas Porque

Leia mais

Encarte

Encarte Encarte e letras disponíveis em Encarte www.encartedigitalmk.com.br e letras disponíveis em Conheça mais esta inovação da MK Music. Uma empresa que pensa no futuro www.encartedigitalmk.com.br Conheça mais

Leia mais

Ah, se já perdemos a noção da hora Se juntos já jogamos tudo fora Me conta agora como hei de partir

Ah, se já perdemos a noção da hora Se juntos já jogamos tudo fora Me conta agora como hei de partir Poesias De Amor EU TE AMOR Ah, se já perdemos a noção da hora Se juntos já jogamos tudo fora Me conta agora como hei de partir Se, ao te conhecer, dei pra sonhar, fiz tantos desvarios Rompi com o mundo,

Leia mais

Desde sempre presente na nossa literatura, cantado por trovadores e poetas, é com Camões que o Amor é celebrado em todo o seu esplendor.

Desde sempre presente na nossa literatura, cantado por trovadores e poetas, é com Camões que o Amor é celebrado em todo o seu esplendor. Desde sempre presente na nossa literatura, cantado por trovadores e poetas, é com Camões que o Amor é celebrado em todo o seu esplendor. O Poeta canta o amor platónico, a saudade, o destino e a beleza

Leia mais

MEU BENZINHO. MEU BICHITO,MEU BICHITO MEU CARINHO É BOM. MEU BICHITO,MEU BICHITO MEU CARINHO É BOM. (Preparação)

MEU BENZINHO. MEU BICHITO,MEU BICHITO MEU CARINHO É BOM. MEU BICHITO,MEU BICHITO MEU CARINHO É BOM. (Preparação) MEU BENZINHO Lugar:Uruçuca (BA). Data:01/01/1970. Estúdio:06/08/2012 Estilo: Forró arrastapé Tom: D (Ré maior) MEU BICHITO,MEU BICHITO MEU CARINHO É BOM. MEU BICHITO,MEU BICHITO MEU CARINHO É BOM. (Preparação)

Leia mais

Música: O Caminho. Compositor: Daniel Feitosa. Estreito é o caminho da glória duplicado e asfaltado é o caminho da perdição

Música: O Caminho. Compositor: Daniel Feitosa. Estreito é o caminho da glória duplicado e asfaltado é o caminho da perdição Música: O Caminho Compositor: Daniel Feitosa Estreito é o caminho da glória duplicado e asfaltado é o caminho da perdição Não vá se enganar se quiser se salvar o homem penitente este sim passará Pelos

Leia mais

Carlos de Assumpção. Textos selecionados MÃE

Carlos de Assumpção. Textos selecionados MÃE Textos selecionados Carlos de Assumpção MÃE Os anos já pintaram de luar os teus cabelos, No entanto, tudo parece estar acontecendo agora, Neste instante. Após tantos anos, Neste momento, Vejo tudo diante

Leia mais

POEMA NENHUM DEVANEIO

POEMA NENHUM DEVANEIO SENHA DE ENTRADA O mirone é um ser peculiar. O mirone quer saber de tudo. Quer coscuvilhar, meter o nariz onde não é chamado, espreitar. É totalmente dominado pela curiosidade. Quer experimentar novos

Leia mais

Confiança Estereótipos de Género e Papéis Sociais

Confiança Estereótipos de Género e Papéis Sociais Amor Ciúme Confiança Estereótipos de Género e Papéis Sociais Amor é fogo que arde sem se ver; É ferida que dói e não se sente; É um contentamento descontente; É dor que desatina sem doer.. Luís Vaz de

Leia mais

Manuel Pereira. Comigo, sem Mim. Just Share It!

Manuel Pereira. Comigo, sem Mim. Just Share It! Manuel Pereira Comigo, sem Mim Just Share It! Comigo, sem Mim Manuel Pereira Vida Vida simples, Vida, tanta coisa querida, E, aquilo que não fica vai movida. 5 I Comigo, sem Mim Manuel Pereira Palavra

Leia mais

Obra "Natal" (1969) de Di Cavalcanti; óleo sobre tela; 127,5x107,5x3,5. Natal à Beira-Rio

Obra Natal (1969) de Di Cavalcanti; óleo sobre tela; 127,5x107,5x3,5. Natal à Beira-Rio Obra "Natal" (1969) de Di Cavalcanti; óleo sobre tela; 127,5x107,5x3,5. Natal à Beira-Rio É o braço do abeto a bater na vidraça? E o ponteiro pequeno a caminho da meta! Cala-te, vento velho! É o Natal

Leia mais

1º Edição

1º Edição Sensações 1º Edição WWW.Perse.com.br Página 1 Codinome: Tabrao Email: Tania_morenagata@hotmail.com Nasceu no dia 09 de Agosto de 1984 Natural da cidade de Lapa - PR Reside a Rua Francisco Veloso, 282 Ponta

Leia mais

SUMÁRIO. APRESENTAÇÃO Sobre Fernando Pessoa...11 Fernando Pessoa: ele mesmo, um outro heterônimo?...23

SUMÁRIO. APRESENTAÇÃO Sobre Fernando Pessoa...11 Fernando Pessoa: ele mesmo, um outro heterônimo?...23 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO Sobre Fernando Pessoa...11 Fernando Pessoa: ele mesmo, um outro heterônimo?...23 CANCIONEIRO Quando ela passa...31 Em busca da beleza...33 Mar. Manhã...37 Visão...38 Análise...38 Ó

Leia mais

Romantismo Poesia 1ª e 2ª Geração

Romantismo Poesia 1ª e 2ª Geração Romantismo Poesia 1ª e 2ª Geração Minha terra Minha terra tem palmeiras Onde canta o sabiá Todos cantam sua terra, Também vou cantar a minha, Nas débeis cordas da lira Hei de fazê-la rainha; Hei de dar-lhe

Leia mais

Uma Boa Prenda. Uma boa prenda a ofertar É a doação do amor É estar pronto a ajudar Quem vive com uma dor.

Uma Boa Prenda. Uma boa prenda a ofertar É a doação do amor É estar pronto a ajudar Quem vive com uma dor. Uma Boa Prenda Uma boa prenda a ofertar É a doação do amor É estar pronto a ajudar Quem vive com uma dor. Prenda essa que pode Ser dada por um qualquer Seja rico ou seja pobre Simples homem ou mulher.

Leia mais

Louvor de Raízes: Infinitamente

Louvor de Raízes: Infinitamente Louvor de Raízes: Infinitamente Deus dos Antigos Tu és Santo Em todo o tempo eu louvarei ao Senhor Ergamos nossa voz Nas estrelas louvor Maravilhoso - louvor A Ti Senhor (Nós te buscaremos) Palavra - Infinitamente

Leia mais

MAIS UM DIA. Tom: B. Intro: B9. Nasce mais um dia F# Nasce com o sol E Vejo a primeira luz. Vejo alem do olhar. G#m7

MAIS UM DIA. Tom: B. Intro: B9. Nasce mais um dia F# Nasce com o sol E Vejo a primeira luz. Vejo alem do olhar. G#m7 MAIS UM IA Tom: Intro: 9 9 #m7 Nasce mais um dia # Nasce com o sol Vejo a primeira luz 9 Vejo alem do olhar #m7 Preciso de algo novo # ansado de esperar evia ter amado mais #m7 evia ter me dado mais Por

Leia mais

Álbum: O caminho é o Céu

Álbum: O caminho é o Céu Álbum: O caminho é o Céu ETERNA ADORAÇÃO Não há outro Deus que seja digno como tu. Não há, nem haverá outro Deus como tu. Pra te adorar, te exaltar foi que eu nasci, Senhor! Pra te adorar, te exaltar foi

Leia mais

Encarte

Encarte Encarte e letras disponíveis em Encarte www.encartedigitalmk.com.br e letras disponíveis em Conheça mais esta inovação da MK Music. Uma empresa que pensa no futuro www.encartedigitalmk.com.br Conheça mais

Leia mais

Mensagem do dia: Se for amor

Mensagem do dia: Se for amor Só se for amor Mensagem do dia: Se for amor Se for amor, vai reconsiderar, perdoar e seguir adiante, se for paixão vai se descabelar, se amargurar e não vai perdoar, vai carregar a dor pelos dias em que

Leia mais

VIGÍLIA DE ORAÇÃO POR QUEM NOS MORREU

VIGÍLIA DE ORAÇÃO POR QUEM NOS MORREU VIGÍLIA DE ORAÇÃO POR QUEM NOS MORREU PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA DA HORA 2010-2011 P = Presidente: Aquele que preside à oração. Qualquer pessoa o pode fazer, desde que tenha gosto e capacidade para tal.

Leia mais

EU SOBRE A PAISAGEM

EU SOBRE A PAISAGEM www.perse.com.br Gonzaga Filho Página 1 Gonzaga Filho Página 2 Gonzaga Filho EU, SOBRE A PAISAGEM Primeira Edição São Paulo 2015 Gonzaga Filho Página 3 Gonzaga Filho Página 4 Gonzaga Filho Página 5 Gonzaga

Leia mais

Compreendi o que é a Misericórdia!

Compreendi o que é a Misericórdia! Compreendi o que é a Misericórdia! Texto com base no Manuscrito B de Santa Teresinha Coro 1 - Santa Teresinha, conta-nos os segredos da Misericórdia! Voz - Quereríeis ouvir os segredos que Jesus me confia?

Leia mais

Cânticos de Acolhimento

Cânticos de Acolhimento 13 JUNTO AO MAR Junto ao mar, eu ouvi hoje, Senhor, Tua voz que me chamou e me pediu que me entregasse a meu irmão. Essa voz me transformou, a minha vida ela mudou e só penso agora, Senhor, em repetir-te:

Leia mais

Cancioneiro Nota Preliminar

Cancioneiro Nota Preliminar Cancioneiro Fernando Pessoa Nota Preliminar 1. Em todo o momento de atividade mental acontece em nós um duplo fenômeno depercepção: ao mesmo tempo que tempos consciência dum estado de alma, temos diante

Leia mais

EU VEJO O SANTO PADRE ANDRÉ BORTOLAMEOTTI Homenagem póstuma

EU VEJO O SANTO PADRE ANDRÉ BORTOLAMEOTTI Homenagem póstuma EU VEJO O SANTO PADRE ANDRÉ BORTOLAMEOTTI Homenagem póstuma * 22/12/1919 Vigolo Vattaro Itália + 28/10/2010 Barretos/SP Um belo dia recebo um e-mail do Padre André Bortolameotti, com quem tive a felicidade

Leia mais

CEGO, SURDO E MUDO (porque nao?) LETRA: Ricardo Oliveira e Mário F.

CEGO, SURDO E MUDO (porque nao?) LETRA: Ricardo Oliveira e Mário F. FRUTO PROIBIDO FRUTO PROIBIDO 1 Cego, surdo e mudo (porque não?) 2 Mundo inteiro 3 Acordo a tempo 4 Contradição 5 A água não mata a fome 6 Quem és é quanto basta 7 Nascer de novo (és capaz de me encontrar)

Leia mais

Luís de Camões (Sonetos)

Luís de Camões (Sonetos) Luís de Camões (Sonetos) TEXTO 1 Bendito seja o dia, o mês, o ano A sazão, o lugar, a hora, o momento E o país de meu doce encantamento Aos seus olhos de lume soberano E bendito o primeiro doce afano Que

Leia mais

MOMENTOS POÉTICOS. Ademilson B dos Santos

MOMENTOS POÉTICOS. Ademilson B dos Santos MOMENTOS POÉTICOS Ademilson B dos Santos Momentos Poéticos A Ademilson Batista dos Santos Bairro: Parque dos Estados Rua: Curitiba 163 Louveira SP Segredos Segredos são segredos, Não se podem revelar.

Leia mais

Amor. Amor Livre. Amor Livre

Amor. Amor Livre. Amor Livre ...Se o desejo de ser amado for mais forte e você se prender a alguém com insistência, ele se aborrecerá e acabará se afastando de você. O primeiro estágio do amor é a simpatia. A simpatia aumenta e se

Leia mais

ALQUIMIA (Batista/Bousada/Córdova) Mesmo o coração mais fechado Possui algumas frestas Por essas pequenas passagens É que o amor inicia a festa

ALQUIMIA (Batista/Bousada/Córdova) Mesmo o coração mais fechado Possui algumas frestas Por essas pequenas passagens É que o amor inicia a festa ALQUIMIA Mesmo o coração mais fechado Possui algumas frestas Por essas pequenas passagens É que o amor inicia a festa Esse coração tão calado Vive escutando a voz da razão Aprenda com os erros passados

Leia mais

DOCE PRESENÇA VERDADEIRO AMOR

DOCE PRESENÇA VERDADEIRO AMOR DOCE PRESENÇA Ludmila Ferber ISRC BR MKP 0400412 O Espí rito Santo está aqui Sua doce presença Podemos sentir Como brisa suave Em nossos corações Como um rio de graça Amor e perdão Presença que nos cura

Leia mais

Não destrua teus valores comparando-os com os dos outros.

Não destrua teus valores comparando-os com os dos outros. Reflexões para 2010 Post (0186) Não destrua teus valores comparando-os com os dos outros. É por sermos diferentes uns dos outros que cada um de nós é especial. Não estabeleça teus objetivos por aquilo

Leia mais

Impressão da Capa: Gráfica São José

Impressão da Capa: Gráfica São José Direitos autorais reservados 2013 Mario de Almeida. 1ª Edição: novembro/2013 Impressão da Capa: Gráfica São José Obras do Autor Lindos Poemas de amor - 2001 Amor em Poesias - 2003 Poemas Proibidos - 2004

Leia mais

Dentro da noite escura

Dentro da noite escura Novembro de 2009 - Nº 6 Dentro da noite escura Alexandre Bonafim * a Donizete Galvão!O noche amable más que la alborada! San Juar de La Cruz I O silêncio, feito correnteza de instantes amordaçados, corta

Leia mais

ELEGIA NA SOMBRA. Fernando Pessoa ELEGIA NA SOMBRA

ELEGIA NA SOMBRA. Fernando Pessoa ELEGIA NA SOMBRA Fernando Pessoa ELEGIA NA SOMBRA ELEGIA NA SOMBRA Lenta, a raça esmorece, e a alegria É como uma memória de outrem. Passa Um vento frio na nossa nostalgia E a nostalgia touca a desgraça. Pesa em nós o

Leia mais

A MULHER VESTIDA DE PRETO

A MULHER VESTIDA DE PRETO A MULHER VESTIDA DE PRETO Uma Mulher abre as portas do seu coração em busca de uma nova vida que possa lhe dar todas as oportunidades, inclusive de ajudar a família. Ela encontra nesse caminho a realização

Leia mais

AMA QUE É BOM! AMA, AMA QUE É BOM! AMA, AMA QUE VEM DE DOM! AMA, AMA QUE É BOM! AMA, AMA QUE VEM DE DOM!

AMA QUE É BOM! AMA, AMA QUE É BOM! AMA, AMA QUE VEM DE DOM! AMA, AMA QUE É BOM! AMA, AMA QUE VEM DE DOM! AMA QUE É BOM! Lugar: Itacaré (BA) Data: 10/12/2009. Estilo: Fado baiano Tom: Fá sustenido menor (F#m) Estúdio: 18/12/11 QUE É BOM! QUE VEM DE DOM! QUE É BOM! QUE VEM DE DOM! UM POUCO MAIS QUEM AMA NA

Leia mais

C E L E S T E P E R E I R A 2ª EDIÇÃO

C E L E S T E P E R E I R A 2ª EDIÇÃO C E L E S T E P E R E I R A 2ª EDIÇÃO Bordar a Vida Pego em letras, estéreis quando isoladas, e tricoto-as cuidadosamente, compondo velhas palavras. Arranjo as palavras, muito delicadamente, bordando

Leia mais

Essa data sempre será inesquecível. Seis de Março, 2016

Essa data sempre será inesquecível. Seis de Março, 2016 Essa data sempre será inesquecível. Seis de Março, 2016 Digamos onde acordou tudo alegre e assim permaneceu. Acho completamente impossível tentar descrever nas palavras o sentimento que sinto aqui dentro

Leia mais

ADORAI EM MAJESTADE AGRADA-TE DO SENHOR

ADORAI EM MAJESTADE AGRADA-TE DO SENHOR ORI EM MJESTE 7 C Cm dorai em majestade Toda a glória seja dada a Cristo Jesus 7 C Cm dorai em santidade Ele morreu, Ele venceu é o Rei dos Reis dorai bem alto erguei de Cristo o nome Exaltai glorificai

Leia mais

Cântico da Oração da manhã, inicial

Cântico da Oração da manhã, inicial Cântico da Oração da manhã, inicial Deus está aqui Tão certo como o ar que respiro Tão certo como amanhã que se levanta Tão certo como este canto, que podes ouvir Tu o podes sentir movendo-se por entre

Leia mais

Grupo de Reflexão - Cantos para maio

Grupo de Reflexão - Cantos para maio rupo de Reflexão - Cantos para maio Indice Obrigado, Senhor Trabalho de um operãrio Eucreio num mundo novo Ilumina, ilumina É no campo da vida Ensina teu povo a rezar Santa Mãe Maria nesta traessia Eu

Leia mais

A Rocha. Tom: A# (intro 2x) Gm A# D# A# D#

A Rocha. Tom: A# (intro 2x) Gm A# D# A# D# Rocha Tom: # (intro 2x) m # D# # D# Vem, Vem me salvar m/d / Me ajudar a caminhar te espero # D# Vem, Vem me livrar m/d / D# #/D# D# (intro) Me amparar com teu amor te espero (parte 2) # D# Vem, Vem me

Leia mais

A LOIRA DO CEMITÉRIO. Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA

A LOIRA DO CEMITÉRIO. Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA A DO CEMITÉRIO Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA TODOS OS DIREITOS RESERVADOS RUA: ALAMEDA PEDRO II N 718 VENDA DA CRUZ SÃO GONÇALO E-MAIL: jfigueiredo759@gmail.com TEL: (21)92303033 EXT.PRAÇA.DIA Praça

Leia mais

Segundo nome. Maria, Maria minha filha. Maria segundo nome de meu amor. Maria cheia de graça. Maria mãe do senhor. Ah! Maria

Segundo nome. Maria, Maria minha filha. Maria segundo nome de meu amor. Maria cheia de graça. Maria mãe do senhor. Ah! Maria Segundo nome Maria, Maria minha filha Maria segundo nome de meu amor Maria cheia de graça Maria mãe do senhor Ah! Maria Tens quanto dias em teu nome Quanta amargura em tua vida Maria, serás sempre minha

Leia mais

Nos primeiros discursos de Jó contidos nos capítulos 3, 6 e 7 podemos observar a angustia que afligia o patriarca. Neles, derrama sua alma em

Nos primeiros discursos de Jó contidos nos capítulos 3, 6 e 7 podemos observar a angustia que afligia o patriarca. Neles, derrama sua alma em Lição 5 para 29 de outubro de 2016 Nos primeiros discursos de Jó contidos nos capítulos 3, 6 e 7 podemos observar a angustia que afligia o patriarca. Neles, derrama sua alma em lamentos e perguntas. «Pereça

Leia mais

O Amor deve reger nossa Obediência João

O Amor deve reger nossa Obediência João O Amor deve reger nossa Obediência João 14.15-31 15 "Se vocês me amam, obedecerão aos meus mandamentos. 16 E eu pedirei ao Pai, e ele lhes dará outro Conselheiro para estar com vocês para sempre, 17 o

Leia mais

O PASTOR AMOROSO. Alberto Caeiro. Fernando Pessoa

O PASTOR AMOROSO. Alberto Caeiro. Fernando Pessoa O PASTOR AMOROSO Alberto Caeiro Fernando Pessoa Este texto foi digitado por Eduardo Lopes de Oliveira e Silva, no Rio de Janeiro, em maio de 2006. Manteve-se a ortografia vigente em Portugal. 2 SUMÁRIO

Leia mais

O livro de poemas do 5. A

O livro de poemas do 5. A O livro de poemas do 5. A Escola EB 2,3 de Prado Área de Projecto Ano lectivo 2008/2009 O livro de poemas do 5.ºA A ideia foi desenvolvida pela turma de 5.ºA, na disciplina de Área de Projecto, no decorrer

Leia mais

Autoria. Coordenação científica e programática. Ilustração e design. Sónia Costa

Autoria. Coordenação científica e programática. Ilustração e design. Sónia Costa Autoria Sónia Costa Licenciada em Ciências da Educação pela Universidade do Porto sonia.costa@am-live.pt Coordenação científica e programática Sónia Costa Licenciada em Ciências da Educação pela Universidade

Leia mais

MEU JARDIM DE TROVAS

MEU JARDIM DE TROVAS ANGÉLICA DA SILVA ARANTES MEU JARDIM DE TROVAS PRIMEIRA EDIÇÃO / 2011-1 - SINOPSE: Com intensidade tem se falado sobre o tema trova, acontece que nem todas as pessoas sabem o que é tecnicamente uma trova.

Leia mais

2) resistencia (andré galiano) ella mis recuerdos de ella y no regreso más. gira su hermosa vida y vuelve a su lugar resistencia siempre va a estar

2) resistencia (andré galiano) ella mis recuerdos de ella y no regreso más. gira su hermosa vida y vuelve a su lugar resistencia siempre va a estar LETRAS E CIFRAS BASTIDORES: DISCOS DE VINIL E FITAS 2008 1) alma coletiva 2) resistencia 3) alguma impressão 4) noite perfeita 5) colecionando finais 6) ponte na contramão 7) hi fi 8) pouco em mim 9) inspiração

Leia mais

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar 1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar nosso amor 4. Porque a gente discute nossos problemas

Leia mais

Conheço esse Sentimento. Conheço esse sentimento que é como a cerejeira quando está carregada de frutos: excessivo peso para os ramos da alma.

Conheço esse Sentimento. Conheço esse sentimento que é como a cerejeira quando está carregada de frutos: excessivo peso para os ramos da alma. Conheço esse Sentimento que é como a cerejeira quando está carregada de frutos: excessivo peso para os ramos da alma. que é o da orla da praia lambida pela espuma da maré: quando o mar se retira as conchas

Leia mais

O QUE DEUS PODE FAZER COM OSSOS SECOS. Ezequiel 37:1-14

O QUE DEUS PODE FAZER COM OSSOS SECOS. Ezequiel 37:1-14 O QUE DEUS PODE FAZER COM OSSOS SECOS Ezequiel 37:1-14 A mão do Senhor estava sobre mim, e por seu Espírito ele me levou a um vale cheio de ossos. Ele me levou de um lado para outro, e pude ver que era

Leia mais

Poemas de Armanda Fernandes Barreto

Poemas de Armanda Fernandes Barreto Poemas de Armanda Fernandes Barreto Enviado por Armanda Fernandes Barreto 18-Ago-2015 Atualizado em 18-Ago-2015 Onda Latina Noite de prazer O meu desejo nesta noite, É teu beijo e o aroma que exala do

Leia mais

...PRA ME AMANSAR DO AMOR

...PRA ME AMANSAR DO AMOR 1 2 ...PRA ME AMANSAR DO AMOR 3 Copyright Alufá-Licutã Oxorongá Direitos desta edição reservados à Alufá-Licutã Oxorongá alufalicuta@hotmail.com Recife Pernambuco - Brasil 4 Alufá-Licutã Oxorongá...PRA

Leia mais

Estação de Braga. Cheguei a Braga. Lá vim eu no meu lugar à janela. E o mundo lá fora

Estação de Braga. Cheguei a Braga. Lá vim eu no meu lugar à janela. E o mundo lá fora Roteiro de Braga Estação de Braga Cheguei a Braga. Lá vim eu no meu lugar à janela. E o mundo lá fora a correr e eu a querer apanhá-lo. E sentada no meu lugar corri, e de olhos atentos via vida e gente,

Leia mais

Pousa um momento, Um só momento em mim, Não só o olhar, também o pensamento. Que a vida tenha fim Nesse momento!

Pousa um momento, Um só momento em mim, Não só o olhar, também o pensamento. Que a vida tenha fim Nesse momento! Poesias inéditas Pousa um momento, Um só momento em mim, Não só o olhar, também o pensamento. Que a vida tenha fim Nesse momento! No olhar a alma também Olhando-me, e eu a ver Tudo quanto de ti teu olhar

Leia mais

Tânia Abrão. Coração de Mãe. Coração De Mãe

Tânia Abrão. Coração de Mãe. Coração De Mãe Coração de Mãe Coração De Mãe Página 1 Coração De Mãe 1º Edição Agosto de 2013 Página 2 Coração De Mãe 1º Edição È proibida à reprodução total ou parcial desta obra, por Qualquer meio e para qualquer fim

Leia mais

Vocês cristãos dizem que precisamos ser salvos, que precisamos de um redentor. Mas salvos de quê ou de quem? Eu sou uma pessoa boa e tenho uma boa

Vocês cristãos dizem que precisamos ser salvos, que precisamos de um redentor. Mas salvos de quê ou de quem? Eu sou uma pessoa boa e tenho uma boa Vocês cristãos dizem que precisamos ser salvos, que precisamos de um redentor. Mas salvos de quê ou de quem? Eu sou uma pessoa boa e tenho uma boa vida, não preciso de redenção. Algumas considerações e

Leia mais

BALADA DO DESESPERO BALADA DO DESESPERO. Anibal Beça. Para Ivan Junqueira. De nada sei, de nada quero saber;

BALADA DO DESESPERO BALADA DO DESESPERO. Anibal Beça. Para Ivan Junqueira. De nada sei, de nada quero saber; BALADA DO DESESPERO ANIBAL BEÇA BALADA DO DESESPERO Anibal Beça Para Ivan Junqueira De nada sei, de nada quero saber; somente sei que estou aqui, no risco absoluto. SOEREN KIERKGAARD Canto I Narciso e

Leia mais