RESOLUÇÃO Nº 349, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2007

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RESOLUÇÃO Nº 349, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2007"

Transcrição

1 RESOLUÇÃO Nº 349, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2007 Institui o Código de Classificação e a Tabela de Temporalidade de Documentos do Supremo Tribunal Federal. A PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, no uso das atribuições que lhe confere o art. 13, XVII, combinado com o art. 363, I, do Regimento Interno e tendo em vista o contido no Processo nº , R E S O L V E : Art. 1º Ficam instituídos, na forma do Anexo, o Código de Classificação e a Tabela de Temporalidade de Documentos do Supremo Tribunal Federal. Art. 2º As unidades do Tribunal devem observar e cumprir os prazos de guarda e a destinação final previstos na Tabela referida no art. 1º. Art. 3º Compete à Comissão Permanente de Avaliação de Documentos proceder às alterações e manter atualizado o Código de Classificação e a Tabela de Temporalidade. Art. 4º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Ministra Ellen Gracie OBS: O anexo desta Resolução será publicado no Boletim de Serviço do STF. Este texto não substitui a publicação oficial.

2 SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL SECRETARIA DE DOCUMENTAÇÃO COORDENADORIA DE E CONSERVAÇÃO DE DOCUMENTOS Código de Classificação e Tabela de Temporalidade de Documentos Brasília DF Novembro de 2007

3 Código de Classificação de Documentos de Arquivo do Supremo Tribunal Federal 1 Conceitos e definições O Código de Classificação pode ser entendido como um instrumento auxiliar de trabalho que tem como função precípua agrupar os documentos com características semelhantes, de forma que a recuperação da informação seja a mais precisa e breve possível. Ele também procura refletir as funções e atividades desenvolvidas pela instituição ao longo do tempo. O presente Código de Classificação de documentos contempla as atividades, funções e tipos documentais, genericamente denominados de assuntos, dispostos hierarquicamente, partindo-se sempre do mais abrangente para o mais específico. O Código de Classificação é dividido em dez classes, que se subdividem em subclasses. O Código de Classificação também recebe uma notação numérica baseado no sistema decimal de Dewey, conforme modelo a seguir: Classe 000 Classe 100 Classe 200 Classe 300 Classe 400 Classe 500 Classe 600 Classe 700 Classe 800 Classe 900 A disposição do Código de Classificação tem, portanto, a seguinte configuração: primeira distribuição: Atividades-meio e Atividades-fim. Os códigos 000 a 099, representam a Administração Geral (atividade-meio) enquanto que os códigos 100 a 899, representam o Processamento e o Apoio Judiciário (atividade-fim). 2 Rotinas básicas 1. Leitura e interpretação do assunto; 2. Inserção do código de classificação no canto superior direito do documento; 3. Verificação da existência de antecedentes (documentos que tratam de mesmo assunto); 2

4 4. Reunião dos antecedentes, colocando-os em ordem cronológica decrescente, sendo o documento com data mais recente em primeiro lugar e assim sucessivamente; 5. Ordenação dos documentos que não possuem antecedentes, de acordo com a ordem estabelecida (cronológica, alfabética, geográfica ou outra), formando dossiês. Verificar a existência de cópias, eliminando-as. Caso o original não exista, manter uma única cópia; 6. Fixação cuidadosa dos documentos às capas apropriadas com prendedores plásticos, com exceção dos processos e volumes que dispõem de formatação padrão. 3 O Código de Classificação de Documentos 000 ADMINISTRAÇÃO GERAL Esta classe contempla toda a documentação produzida pela área meio do Tribunal, onde se inserem as atividades de Gestão das Unidades, Gestão de Pessoal, Material, Patrimônio e Serviços, Orçamento e Finanças, Documentação e Informação. 001 MODERNIZAÇÃO E REFORMA ADMINISTRATIVA Incluem-se documentos referentes aos projetos, estudos e normas relativos à organização e métodos, reforma administrativa e outros procedimentos que visem à modernização das atividades do STF. 002 PLANOS, PROGRAMAS E PROJETOS DE TRABALHO Incluem-se documentos referentes ao planejamento, aos planos, programas, diagnósticos e projetos de trabalho em geral. Quanto aos demais planos, programas e/ou projetos de trabalho, classificar no assunto específico. Quanto à programação orçamentária, ver GESTÃO DAS ATIVIDADES Classificam-se os documentos gerados em função do controle e acompanhamento sistemático das atividades das Unidades. Incluem-se os Relatórios de atividades e os Relatórios estatísticos. 3

5 004 ADMINISTRAÇÃO DO JUDICIÁRIO Classificam-se os documentos gerados em razão da administração do Poder Judiciário exercido pelo STF como órgão de cúpula. Incluem-se as correspondências de caráter geral, solicitando ou prestando informações, os acordos, ajustes, projetos de cooperação, entre outros. Compreende também os documentos produzidos/recebidos em função de levantamentos de dados sobre a situação do Poder Judiciário, bem como as medidas aplicadas para a sua melhoria LEVANTAMENTO DE DADOS 005 RELAÇÃO COM OUTROS PAÍSES Classificam-se os documentos gerados em razão do relacionamento com outros países. 006 AUDITORIA, ACOMPANHAMENTO, AVALIAÇÃO E ORIENTAÇÃO Classificam-se os documentos produzidos/recebidos em razão das atividades de acompanhamento da gestão de pessoal, orçamentária, financeira e patrimonial, bem como da orientação e verificação da correta utilização dos recursos e bens públicos. 010 ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO Classificam-se os documentos gerados em razão da administração do Poder Judiciário exercido pelo STF como órgão de cúpula, bem como os documentos relacionados com as atividades de criação, estruturação e funcionamento da instituição, e os documentos referentes às audiências e reuniões, Comissões, Grupos de Trabalho, Conselhos, Comitês, entre outros, e ainda os documentos relacionados com as atividades de comunicação social e relacionamentos com instituições do Poder Público. Incluem-se a correspondência de caráter geral solicitando ou prestando informações, acordos, ajustes, projetos de cooperação, entre outros ATOS NORMATIVOS AUDIÊNCIAS E REUNIÕES 4

6 011 COMISSÕES, CONSELHOS, GRUPOS DE TRABALHOS, COMITÊS Classificam-se os documentos provenientes das atividades das Comissões, Conselhos, Grupos de Trabalhos, Comitês, entre outros. 012 COMUNICAÇÃO SOCIAL Classificam-se os documentos relativos às atividades de geração, produção e divulgação de programas de rádio e televisão do judiciário, bem como às atividades relacionadas à comunicação social do Tribunal. 013 RELACIONAMENTO COM O PÚBLICO/OUVIDORIA Classificam-se os documentos produzidos/recebidos em função das atividades de relacionamento com o público ou de ouvidoria. Incluem-se as manifestações ou pedidos de caráter geral. 014 RELAÇÃO COM INSTITUIÇÕES DO PODER PÚBLICO Classificam-se os documentos gerados em razão do relacionamento do STF com outras instituições do Poder Público, no âmbito Federal, Estadual ou Municipal. 020 GESTÃO DE PESSOAS Classificam-se os documentos gerados em razão da administração dos recursos humanos, bem como dos direitos, obrigações, benefícios, assistência e proteção ao trabalho. 021 IDENTIFICAÇÃO FUNCIONAL Classificam-se os documentos relativos à identificação dos servidores como crachás, identidade funcional, entre outros. 022 CAPACITAÇÃO Classificam-se os documentos relacionados com a capacitação, treinamento ou aprimoramento de conhecimentos e aptidões dos servidores. 023 CARGOS, SALÁRIOS E POLÍTICA DE RECURSOS HUMANOS Classificam-se os documentos relativos à elaboração e implantação de cargos, salários e política de recursos humanos, bem como os referentes à admissão, avaliação e movimentação de pessoal na instituição. 5

7 024 PAGAMENTO Classificam-se os documentos gerados em razão das atividades de pagamento dos servidores ativos, aposentados e também de pensionistas, bem como dos senhores Ministros. 025 APURAÇÃO DE RESPONSABILIDADE E AÇÃO DISCIPLINAR Classificam-se os documentos gerados em função do acompanhamento, controle e apuração das responsabilidades de servidores, bem como das aplicações das sanções cabíveis. 026 ASSISTÊNCIA MÉDICA, ODONTOLÓGICA, SOCIAL E BENEFÍCIOS Classificam-se os documentos oriundos das assistências médica, odontológica, social e dos benefícios aos servidores ASSISTÊNCIA MÉDICA ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA ASSISTÊNCIA MATERNO INFANTIL ASSISTÊNCIA PSICOLÓGICA E SOCIAL BENEFÍCIOS ALIMENTAÇÃO PRÉ-ESCOLA TRANSPORTE PLANO DE SAÚDE IMÓVEIS FUNCIONAIS 6

8 028 FREQÜÊNCIA Classificam-se os documentos oriundos do controle e acompanhamento da freqüência dos servidores. 029 OUTROS ASSUNTOS REFERENTES À GESTÃO DE PESSOAL Classificam-se os documentos de caráter diverso relacionados com a gestão de pessoal. 030 MATERIAL, SERVIÇOS E PATRIMÔNIO Classificam-se os documentos relativos à gestão dos recursos materiais e patrimoniais, bem como do acompanhamento e controle dos serviços prestados no Tribunal. 031 AQUISIÇÃO DE MATERIAL, EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS Esta subclasse contempla toda a documentação resultante das atividades para a aquisição de materiais, equipamentos ou serviços para o Tribunal. 032 ACOMPANHAMENTO E CONTROLE DE ALMOXARIFADO Classificam-se os documentos oriundos das atividades de acompanhamento e controle de almoxarifado. 033 ACOMPANHAMENTO E CONTROLE DE PATRIMÔNIO Classificam-se os documentos oriundos das atividades de acompanhamento e controle de patrimônio. 034 OBRAS, REFORMAS E MANUTENÇÃO PREDIAL Classificam-se os documentos relativos às obras, reformas e manutenção predial. 035 SERVIÇOS GERAIS Classificam-se os documentos resultantes das atividades de limpeza e conservação, segurança e vigilância, transporte e garagem, serviços reprográficos, serviços de telecomunicações e serviços de copa, bem como de seu acompanhamento e controle ACOMPANHAMENTO E CONTROLE 7

9 035.2 LIMPEZA, CONSERVAÇÃO E SERVIÇOS DIVERSOS SEGURANÇA E VIGILÂNCIA TRANSPORTE E GARAGEM SERVIÇOS REPROGRÁFICOS SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES SERVIÇOS DE TELEX SERVIÇOS DE COPA 040 (VAGO) 050 ORÇAMENTO E FINANÇAS Classificam-se os documentos relativos à gestão dos recursos financeiros nas suas diversas etapas: previsão, acompanhamento e execução orçamentária e financeira. Incluem-se os documentos referentes às operações de comprovação de receita e despesa, a movimentação de contas-correntes, balanços e prestação de contas. 051 ORÇAMENTO Incluem-se os documentos oriundos das atividades de programação, previsão e execução orçamentária PROGRAMAÇÃO FINANCEIRA DE DESEMBOLSO EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA 052 FINANÇAS Classificam-se os documentos relacionados com as atividades de programação, previsão, execução e acompanhamento financeiro. 8

10 053 FUNDOS ESPECIAIS Incluem-se os documentos provenientes da solicitação e aplicação de recursos financeiros especiais. 054 OPERAÇÕES BANCÁRIAS Incluem-se os documentos provenientes das operações e transações bancárias. 055 BALANÇOS E BALANCETES Classificam-se os balanços e balancetes resultantes das atividades de gestão orçamentária e financeira 060 DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO Classificam-se os documentos relativos às atividades de biblioteca, arquivo, museu, informática, bem como aqueles relacionados aos procedimentos para o gerenciamento da informação do Tribunal. 061 DOCUMENTAÇÃO BIBLIOGRÁFICA Incluem-se os documentos oriundos dos serviços de recebimento, tratamento e divulgação da informação bibliográfica SELEÇÃO DE MATERIAL BIBLIOGRÁFICO PERMUTA DE MATERIAL BIBLIOGRÁFICO REGISTRO DE MATERIAL BIBLIOGRÁFICO CATALOGAÇÃO, CLASSIFICAÇÃO E INDEXAÇÃO ATENDIMENTO AO USUÁRIO 062 GESTÃO DE DOCUMENTOS ARQUIVOS Classificam-se os documentos relacionados com as atividades de recebimento, tramitação, uso, avaliação, classificação e divulgação da documentação orgânica do Tribunal. 9

11 062.1 PRODUÇÃO, LEVANTAMENTO E FLUXO DE DOCUMENTOS RECEPÇÃO, TRAMITAÇÃO E EXPEDIÇÃO DE DOCUMENTOS ASSISTÊNCIA TÉCNICA CLASSIFICAÇÃO E ARQUIVAMENTO POLÍTICA DE ACESSO AOS DOCUMENTOS CONSULTAS, EMPRÉSTIMOS, PESQUISAS DE DOCUMENTOS ANÁLISE, AVALIAÇÃO E SELEÇÃO OU TRANSFERÊNCIA DE DOCUMENTOS GESTÃO DA DOCUMENTAÇÃO REPRESENTAÇÃO DO PODER JUDICIÁRIO NO CONARQ CÂMARA SETORIAL ARQUIVOS DO PODER JUDICIÁRIO 063 SERVIÇO DE MUSEU Classificam-se os documentos relativos ao recebimento, tratamento e divulgação do acervo de museu do Tribunal DESCRIÇÃO DO ACERVO ATENDIMENTO AO PÚBLICO EXPOSIÇÕES 10

12 064 CONSERVAÇÃO E RESTAURAÇÃO DE DOCUMENTOS Classificam-se os documentos gerados em função dos serviços de conservação, preservação e restauração do acervo do Tribunal. 065 ENCADERNAÇÃO Classificam-se os documentos produzidos ou recebidos em razão das atividades de encadernação de documentos e livros do Tribunal. 066 INFORMÁTICA Classificam-se os documentos produzidos ou recebidos em razão das atividades de planejamento, implantação, acompanhamento e assistência às tecnologias de hardware e software do Tribunal PROGRAMAS E SISTEMAS ATENDIMENTO E ASSISTÊNCIA AO USUÁRIO 070 SOLENIDADES, COMEMORAÇÕES, HOMENAGENS, CERIMÔNIAS E EVENTOS DIVERSOS Classificam-se os documentos produzidos ou recebidos em decorrência da realização de solenidades, comemorações, homenagens, cerimônias e eventos diversos, promovidos pelo Tribunal ou por outras instituições. 071 PROMOVIDOS PELO STF 072 PROMOVIDOS POR OUTRAS INSTITUIÇÕES 090 OUTROS ASSUNTOS REFERENTES À ADMINISTRAÇÃO GERAL Classificam-se os documentos de caráter diverso referente à administração geral e que não disponham ainda de classe específica para arquivamento. 11

13 091 AÇÕES JUDICIAIS Classificam-se os documentos referentes às ações judiciais impetradas em favor ou contra o Supremo Tribunal Federal. 092 ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES ASTRIFE Classificam-se os documentos referentes às atividades desempenhadas pela Associação de Servidores do Supremo Tribunal Federal ASTRIFE. ÁREA DE PROCESSAMENTO E APOIO JUDICIÁRIO 100 PROTOCOLO, AUTUAÇÃO, DISTRIBUIÇÃO, TRAMITAÇÃO E EXPEDIÇÃO DE PROCESSOS E DOCUMENTOS. Esta classe contempla os documentos produzidos e recebidos em decorrência das atividades de recebimento, protocolo, autuação e distribuição dos feitos originários e recursais, bem como da tramitação/deslocamento, expedição e baixa de processos e documentos. 110 PROTOCOLO Subclasse destinada aos documentos produzidos/recebidos pelas atividades de recebimento, conferência e protocolo de processos e documentos. Incluem-se os tipos documentais: Cadastro de processos, Certidão de recebimento e verificação de atos processuais, Informação processual de recebimento e tramitação de processos, Relatório de Fax e Requerimento de inclusão/exclusão de processos - OAB. 120 AUTUAÇÃO Subclasse destinada aos documentos produzidos/recebidos pelas atividades de autuação de processos e documentos bem como de identificação de matérias jurídicas. Incluem-se os tipos documentais: controle de processos autuados e espelhos de inspeção de autuação. 12

14 130 DISTRIBUIÇÃO Subclasse destinada aos documentos produzidos/recebidos em decorrência das atividades de distribuição dos processos e documentos. Incluem-se os tipos documentais: Ata de distribuição, Correios eletrônicos a respeito das distribuições, Formulário de presença de ministros para a distribuição, Informação processual de distribuição, Lista de distribuição. 140 TRAMITAÇÃO/DESLOCAMENTO Subclasse destinada aos documentos gerados em decorrência das atividades de tramitação de processos e documentos. Incluem-se os tipos documentais: Guia de deslocamento, Livros de protocolo, entre outros. 150 EXPEDIÇÃO E BAIXA Subclasse destinada aos documentos produzidos/recebidos pelas atividades de expedição e baixa de processos e/ou documentos. Incluem-se os tipos documentais: Guia de deslocamento remessa de processos, Guia de remessa de correspondências, Recibo de malote, Lista de postagem. 200 PROCESSAMENTO JUDICIÁRIO Esta classe contempla os documentos produzidos e recebidos em decorrência das atividades de processamento judiciário, bem como de providências para o cumprimento de despachos, decisões e respectivos atos processuais, controle dos prazos e o trânsito em julgado dos processos. 300 ACOMPANHAMENTO E REGISTRO DAS SESSÕES DE JULGAMENTO Esta classe contempla os documentos produzidos e recebidos em decorrência das atividades de apoio, acompanhamento e registro das sessões de julgamentos. Incluem-se os tipos documentais: notas taquigráficas, protocolo de julgamento, relatórios de eventos das sessões e atas de julgamentos. 400 COMPOSIÇÃO E PUBLICAÇÃO Esta classe contempla os documentos produzidos e recebidos em decorrência das atividades de controle de votos, registro e 13

15 composição dos acórdãos, bem como do envio para publicação nos meios oficiais de comunicação. 500 ANÁLISE, IMPLANTAÇÃO E DIVULGAÇÃO DE JURISPRUDÊNCIA Esta classe contempla os documentos produzidos e recebidos em decorrência das atividades de análise, indexação, armazenamento em bases de dados, editoração e divulgação da jurisprudência do Tribunal. 600 PESQUISA E ATENDIMENTO AO PÚBLICO Esta classe é composta por documentos recebidos e produzidos, gerados em função das atividades de atendimento de pesquisas ou de consultas de andamento de processos e documentos ou relacionadas às demais informações judiciais prestadas ao público interno e externo. 800 ASSUNTOS DIVERSOS Esta classe comporta os documentos de caráter diverso relacionados com a área judiciária ou que ainda não dispõem de classe específica para o arquivamento. 14

16 Tabela de Temporalidade de Documentos do Supremo Tribunal Federal 1 Introdução Relativamente aos questionamentos de quais documentos eliminar e quais preservar, surge, nas instituições, a necessidade de implementar normas, rotinas e procedimentos técnico-científicos relacionados à avaliação documental. De acordo com o Conselho Nacional de Arquivos CONARQ, a avaliação constitui-se em atividade essencial do ciclo de vida documental arquivístico, na medida em que define quais documentos serão preservados para fins administrativos ou de pesquisa e em que momento poderão ser eliminados segundo o valor e o potencial de uso que apresentam para a administração que os gerou e/ou para a sociedade. O instrumento arquivístico resultante da avaliação é a tabela de temporalidade que, segundo o CONARQ, tem por objetivo definir prazos de guarda e destinação de documentos, com vistas a garantir o acesso à informação a quantos dela necessitem. No STF, a Tabela de Temporalidade contempla as atividades administrativas (meio) e de processamento e apoio judiciário (fim), definindo a temporalidade e destinação dos documentos relativos a essas atividades. A Comissão Permanente de Avaliação de Documentos tem, entre outras, a competência de proceder às adaptações que se fizerem necessárias junto à Tabela de Temporalidade, revisando-a periodicamente, bem como gerenciar sua aplicação, dirimir possíveis dúvidas e orientar a triagem e seleção dos documentos. 2 Conceitos A avaliação documental deve considerar a função pela qual foi criado o documento, identificando os valores a ele atribuídos (primário ou secundário), segundo o seu potencial de uso. O valor primário está relacionado com o uso administrativo, legal ou fiscal dos documentos. O valor secundário está relacionado com as finalidades distintas das que os documentos foram criados, a saber: a) Valor Probatório quando comprova a existência, o funcionamento e as ações da instituição; b) Valor Informativo quando contém informações essenciais sobre matérias com que a organização lida, para fins de estudo ou pesquisa. 15

17 3 Configuração da Tabela de Temporalidade Na Tabela estão contemplados os conjuntos documentais produzidos e recebidos pelo STF, no exercício das atividades administrativas e judiciárias; os prazos de guarda nas fases corrente e intermediária; a destinação final eliminação ou guarda permanente ; além de um campo para observações, contendo informações adicionais. Apresenta-se a seguir a especificação dos dados expostos na Tabela de Temporalidade do Tribunal. 1. Assunto Campo destinado a representar as classes, subclasses e tipos documentais, distribuídos hierarquicamente e agrupados segundo o código de classificação utilizado para a organização intelectual dos documentos. 2. Prazos de guarda Espaço reservado a registrar o tempo necessário de arquivamento nas fases corrente e intermediária, atendendo, sobretudo, aos interesses da administração. 3. Destinação final Campo alocado para o registro da destinação estabelecida para o documento, que pode ser a eliminação, quando o mesmo não apresenta valor secundário (probatório ou informativo) ou a guarda permanente, quando as informações contidas no documento são consideradas importantes para fins de prova, informação e pesquisa. 4. Observações Neste campo são registradas informações complementares e justificativas, necessárias à correta aplicação da tabela. Incluem-se, ainda, orientações quanto à alteração do suporte da informação e aspectos elucidativos quanto à destinação dos documentos, segundo a particularidade dos conjuntos documentais avaliados. 4 Aplicação da Tabela de Temporalidade Para efeito de orientação e padronização, foram estabelecidos alguns procedimentos essenciais à aplicação da tabela, todos em conformidade com as determinações do CONARQ. Para tanto, devem ser seguidas algumas rotinas, a saber: 4.1 Rotinas para destinação dos documentos na fase corrente 1. Leitura das explicações contidas na Tabela de Temporalidade; 2. Conferência e separação dos documentos a serem destinados, verificando o cumprimento do prazo de guarda estabelecido para esta fase; 16

18 3. Observação dos documentos que se referem a dois ou mais assuntos, os quais deverão ser agrupados no conjunto documental que possuir maior prazo de guarda, registrandose a alteração nos instrumentos de controle; 4. Eliminação das cópias e vias cujo original ou um exemplar encontrem-se no mesmo conjunto ou dossiê; 5. Registro dos documentos a serem eliminados; 6. Elaboração do termo de eliminação; 7. Eliminação; 8. Elaboração da listagem dos documentos destinados à transferência para a fase intermediária; 9. Operacionalização da transferência, seguindo orientações da Coordenadoria de Guarda e Conservação de Documentos Rotinas para destinação dos documentos da fase intermediária para a permanente 1. Leitura das explicações contidas na Tabela de Temporalidade; 2. Triagem dos documentos, quando for o caso, separando as cópias ou documentos recapitulativos; 3. Migração de suporte, conforme estabelecido; 4. Registro dos documentos eliminados; 5. Elaboração do termo de eliminação; 6. Eliminação; 7. Preparação da listagem de documentos destinados ao recolhimento; 8. Operacionalização do recolhimento. 4.3 Seleção de documentos em fase intermediária Além da destinação e do estabelecimento de prazos de guarda apresentados na Tabela de Temporalidade de Documentos, alguns critérios de seleção podem ser definidos. Os responsáveis pela destinação dos documentos em fase intermediária podem adotar a triagem com o objetivo de permitir que chegue ao Arquivo Permanente somente a documentação essencial a esta fase. A seleção por amostragem, por sua vez é um método auxiliar que permite a preservação de parte do conjunto documental que represente a forma de trabalho em determinado período da instituição. 17

19 Os procedimentos de eliminação de documentos deverão estar respaldados na legislação federal e nas normas internas. Todo o suporte de orientação e acompanhamento deverá ser feito pela Coordenadoria de Guarda e Conservação de Documentos, enquanto que a aprovação, desde que cumpridas as formalidades necessárias, caberá à Comissão de Avaliação de Documentos. 18

20 000 ADMINISTRAÇÃO GERAL MODERNIZAÇÃO E REFORMA ADMINISTRATIVA Projeto, Estudo e demais documentos PLANOS, PROGRAMAS E PROJETOS DE TRABALHO PRAZOS DE Diagnóstico, Projeto básico 02 ANOS 003 GESTÃO DAS ATIVIDADES Relatório de atividades semanal, mensal, anual, cronograma de atividades, relatórios estatísticos 004 ADMINISTRAÇÃO DO JUDICIÁRIO 02 ANOS O Projeto poderá gerar um processo administrativo. São passíveis de eliminação os relatórios cujas informações encontram-se recapituladas na íntegra em outros. Acordo, Ajuste, Contrato, Convênio, Programa, Projeto e Trabalho Correspondência prestando ou solicitando informações ou encaminhando documentos LEVANTAMENTO DE DADOS 02 ANOS 02 ANOS Questionário FORMATAÇÃO DOS DADOS 02 ANOS 19

21 005 RELAÇÃO COM OUTROS PAÍSES Acordo, Ajuste, Contrato, Convênio, Programa, Projeto e Trabalho Correspondência prestando ou solicitando informações ou encaminhando documentos 006 AUDITORIA, ACOMPANHAMENTO, AVALIAÇÃO E ORIENTAÇÃO Processo de auditoria Processo de tomada de contas PRAZOS DE 02 ANOS 02 ANOS APROVAÇÃO DAS CONTAS PELO TCU APROVAÇÃO DAS CONTAS PELO TCU 05 ANOS 05 ANOS Relatório de auditoria 05 ANOS 05 ANOS 010 ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO Normas, Regulamentações, Diretrizes, Procedimentos, Estudos e Decisões de caráter geral Registro nos órgãos competentes 05 ANOS 20

22 010.1 ATOS NORMATIVOS Ato Regulamentar Boletim de Serviço Emenda Regimental Instrução Normativa Ordem de Serviço Portaria Regimento Interno Resolução COMUNICAÇÕES ADMINISTRATIVAS PRAZOS DE PUBLICAÇÃO PUBLICAÇÃO PUBLICAÇÃO PUBLICAÇÃO PUBLICAÇÃO PUBLICAÇÃO PUBLICAÇÃO PUBLICAÇÃO Comunicações diversas 04 ANOS Ofícios 04 ANOS AUDIÊNCIAS, REUNIÕES Ata de reunião 02 ANOS Registro de agendamento 02 ANOS 21

23 011 COMISSÕES, CONSELHOS, GRUPOS DE TRABALHO, COMITÊS PRAZOS DE Ata de reunião 04 ANOS 05 ANOS Ato de criação 04 ANOS 05 ANOS Relatório de atividade 04 ANOS 05 ANOS 012 COMUNICAÇÃO SOCIAL Comunicações prestando ou solicitando informações ou encaminhando documentos Credenciamento de jornalistas 02 ANOS Normatização 02 ANOS Planos, projetos e programas 02 ANOS PRODUÇÃO DA TV JUSTIÇA Autorização de exibição de programas Cadastro de programas 22

24 Controle das mensagens dos telespectadores Editoração de telejornal Entrevistas, Noticiários, Reportagens, Editoriais e Roteiros Espelho preparação de telejornal Operacionalização técnica PRAZOS DE 02 ANOS Subsídios para a preparação de programas DIVULGAÇÃO INTERNA, CAMPANHAS INSTITUCIONAIS E PUBLICIDADE Folder, Cartaz 02 ANOS RELACIONAMENTO COM O PÚBLICO/OUVIDORIA Correspondência solicitando/prestando informação 02 ANOS 01 ANO Ofício prestando informação 02 ANOS 01 ANO Somente produzidos pelo STF. 23

25 PRAZOS DE 014 RELAÇÃO COM INSTITUIÇÕES DO PODER PÚBLICO EXECUTIVO Comunicações diversas 04 ANOS Mensagem 02 ANOS Ofício 04 ANOS LEGISLATIVO Comunicações diversas 04 ANOS Mensagem 02 ANOS Ofício 04 ANOS MINISTÉRIO PÚBLICO E ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO Comunicações diversas 04 ANOS Ofício 04 ANOS SEGURANÇA E DEFENSORIA PÚBLICAS Comunicações diversas 04 ANOS Ofício 04 ANOS 24

26 014.5 TRIBUNAIS DE CONTAS PRAZOS DE Comunicações diversas 04 ANOS Ofício 04 ANOS 020 GESTÃO DE PESSOAS IDENTIFICAÇÃO FUNCIONAL Carteira, Cartão, Crachá ou Credencial OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E ESTATUTÁRIAS. RELAÇÕES COM ÓRGÃOS NORMATIZADORES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. LEI DOS 2/3. RAIS. Documentos referentes às obrigações trabalhistas e estatutárias, relações com órgãos normatizadores da administração pública, lei dos 2/3 e RAIS RELAÇÕES COM OS CONSELHOS PROFISSIONAIS Documentos referentes às relações com os conselhos profissionais SINDICATOS, ACORDOS E DISSÍDIOS Documentos referentes às relações com sindicatos, acordos e dissídios O SERVIDOR PERMANECER O DESLIGAMENTO DO FUNCIONÁRIO O DESLIGAMENTO DO SERVIDOR 05 ANOS 05 ANOS 07 ANOS 07 ANOS 25

27 020.5 ASSENTAMENTOS FUNCIONAIS Dossiê ou pasta funcional 021 RECRUTAMENTO E SELEÇÃO CONCURSOS PÚBLICOS Dossiê de entrevista de perfil profissional Processo administrativo de concurso público Processo de solicitação/cessão de candidatos PRAZOS DE 01 ANO APÓS O DESLIGAMENTO DO SERVIDOR O SERVIDOR PERMANECER O CONCURSO O CONCURSO 01 ANO Documentação Sigilosa. Provas ou testes 06 ANOS 022 CAPACITAÇÃO Avaliação e controle de expedição de certificados e diplomas Ficha de avaliação de eventos 01 ANO Ficha de inscrição 01 ANO 26

28 Folder 01 ANO PRAZOS DE Lista de controle de entrega de certificados 01 ANO 01 ANO Somente os eventos promovidos pelo STF. Lista de presença 02 ANOS Material didático 03 ANOS Projeto de capacitação (Estudos, Levantamentos) 05 ANOS 05 ANOS Relatório de avaliação de evento 01 ANO 03 ANOS Termo de compromisso 01 ANO PROGRAMA DE ESTÁGIO EMPRESA-ESCOLA Ficha cadastral de estagiário DURAR O ESTÁGIO 10 ANOS Folha de freqüência de estagiário 01 ANO 05 ANOS Formulário de solicitação de estagiário 01 ANO Projeto de estágio 05 ANOS Relatório de estágio 05 ANOS Fazer seleção documental. Fazer seleção documental. 27

29 Relatório final de estágio Termo de compromisso de estágio CARGOS, SALÁRIOS E POLÍTICA DE RECURSOS HUMANOS ESTUDOS E PREVISÃO DE RECURSOS HUMANOS Processo administrativo de estudos e previsão de recursos humanos CRIAÇÃO, CLASSIFICAÇÃO, TRANSFORMAÇÃO E REMUNERAÇÃO DE CARGOS E FUNÇÕES Processo administrativo de criação, classificação, transformação e remuneração de cargos e funções AVALIAÇÃO, PROGRESSÃO E PROMOÇÃO FUNCIONAL Dossiê de avaliação e promoção funcional contendo o Relatório de avaliação de desempenho, Ficha de avaliação funcional e Ficha de avaliação de estágio probatório PRAZOS DE DURAR O ESTÁGIO DURAR O ESTÁGIO 05 ANOS 05 ANOS 01 ANO APÓS O DESLIGAMENTO DO SERVIDOR 01 ANO Fazer seleção documental. 10 ANOS Documentação sigilosa. 28

30 023.1 MOVIMENTAÇÃO DE PESSOAL ADMISSÃO, APROVEITAMENTO CONTRATAÇÃO, NOMEAÇÃO, READMISSÃO, READAPTAÇÃO, RECONDUÇÃO, REINTEGRAÇÃO, REVERSÃO Processo administrativo de admissão de cargo efetivo Processo administrativo de admissão de cargo efetivo oriundo do TCU Processo administrativo de admissão de servidor sem vínculo e requisitado Processo administrativo de nomeação do candidato Termo de compromisso DEMISSÃO, DISPENSA, EXONERAÇÃO, RESCISÃO CONTRATUAL E FALECIMENTO Entrevista de desligamento PRAZOS DE APROVAÇÃO DAS CONTAS PELO TCU APROVAÇÃO DAS CONTAS PELO TCU 01 ANO APÓS O DESLIGAMENTO DO SERVIDOR 01 ANO APÓS O DESLIGAMENTO DO SERVIDOR 01 ANO APÓS O DESLIGAMENTO DO SERVIDOR 47 ANOS 52 ANOS Pasta funcional do servidor. Pasta funcional do servidor. Pasta funcional do servidor. 29

RESOLUÇÃO Nº 393, DE 20 DE SETEMBRO DE 2004

RESOLUÇÃO Nº 393, DE 20 DE SETEMBRO DE 2004 RESOLUÇÃO Nº 393, DE 20 DE SETEMBRO DE 2004 Altera as Resoluções n os 217, de 22 de dezembro de 1999, que disciplina o Programa de Gestão de Documentos da Administração Judiciária da Justiça Federal de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 004-CGE/2009

RESOLUÇÃO Nº 004-CGE/2009 RESOLUÇÃO Nº 004-CGE/2009 Estabelece o sistema de arquivamento, microfilmagem, digitalização, destruição mecânica, reciclagem ou incineração e outros procedimentos vinculados a processos e documentos no

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 417, DE 8 de DEZEMBRO de 2011

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 417, DE 8 de DEZEMBRO de 2011 Publicação D.O.U nº 242, de 19/12/2011 Seção 1 pág. 790 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 417, DE 8 de DEZEMBRO de 2011 Aprova a Tabela de Temporalidade de Documentos do Sistema CFA/CRAs, e dá outras providências.

Leia mais

Tramita como documento, é anexado a processo ou dá origem a processo? CLASSIFICAÇÃO ARQUIVÍSTICA ESPÉCIE/FORMATO

Tramita como documento, é anexado a processo ou dá origem a processo? CLASSIFICAÇÃO ARQUIVÍSTICA ESPÉCIE/FORMATO OBSERVAÇÕES INICIAIS Deve-se dar preferência ao trâmite de documentos, pois assim o trâmite será mais rápido, menos burocrático e gastará menos recursos(capas plásticas, folhas de rosto, prendedores plásticos,

Leia mais

ANEXO VI TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO TABELA DE TEMPORALIDADE E DESTINAÇÃO DE DOCUMENTOS - ÁREA- MEIO

ANEXO VI TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO TABELA DE TEMPORALIDADE E DESTINAÇÃO DE DOCUMENTOS - ÁREA- MEIO 001 - Modernização e reforma administrativa (projetos, estudos e normas) Enquanto estiverem em vigor 000 - ADMINISTRAÇÃO GERAL 5 anos Guarda permanente Deve ser autuado processo; passível de avaliação

Leia mais

ATO REGULAMENTAR Nº 9, DE 7 DE MAIO DE 2010

ATO REGULAMENTAR Nº 9, DE 7 DE MAIO DE 2010 Publicada no Diário da Justiça Eletrônico, em 11/5/2010. ATO REGULAMENTAR Nº 9, DE 7 DE MAIO DE 2010 Altera dispositivos do Regulamento da Secretaria. O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, nos termos

Leia mais

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO 1/8 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Disciplinar e normatizar os procedimentos operacionais na administração de recursos humanos; 1.2) Garantir maior segurança na admissão e exoneração de pessoal; 1.3) Manter atualizado

Leia mais

MINUTA DE MACROPROCESSOS FINALÍSTICOS

MINUTA DE MACROPROCESSOS FINALÍSTICOS FL. 114 166 MINUTA DE MACROPROCESSOS FINALÍSTICOS MACROPROCESSO PROCESSO SUBPROCESSO Atermação- 1º grau Distribuição 1º e 2º graus Triagem Inicial 1º e 2º graus Providências Preliminares Redistribuição

Leia mais

APÊNDICE A - CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS DAS ÁREAS-MEIO DA SEFAZ/AM

APÊNDICE A - CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS DAS ÁREAS-MEIO DA SEFAZ/AM 53 APÊNDICE A - CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS DAS ÁREAS-MEIO DA SEFAZ/AM A Secretaria de Fazenda do Estado do Amazonas em seu Projeto Básico para Contratação, Tipo Técnica e Preço, de Pessoa Jurídica

Leia mais

TABELA DE TEMPORALIDADE

TABELA DE TEMPORALIDADE TABELA DE TEMPORALIDADE 39 41 01 ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO 01.01 Administração e modernização estratégica 01.01.01 Gestão de norma e processo de trabalho 01.01.01.01 Normatização / regulamentação da

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO RESOLUÇÃO nº483/2009 Data da Norma: 04/03/2009 Órgão expedidor: ÓRGÃO ESPECIAL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Fonte: DJE de 22/06/2009, p. 1-77 Ementa: Cria o Programa de Gestão de Documentos Arquivísticos do

Leia mais

GLOSSÁRIO DE TERMOS ARQUIVÍSTICOS

GLOSSÁRIO DE TERMOS ARQUIVÍSTICOS GLOSSÁRIO DE TERMOS ARQUIVÍSTICOS ACERVO - Documentos de uma entidade produtora ou de uma entidade que possui sua guarda. ACESSIBILIDADE - Condição ou possibilidade de acesso a serviços de referência,

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO Publicada no Boletim de Serviço de 30/03/2009 Publicada no e-dj1 de 30/03/2009 PODER JUDICIÁRIO 10.100.02 RESOLUÇÃO/PRESI 600-007 DE 13 DE MARÇO DE 2009 (*) Dispõe sobre o realinhamento administrativo

Leia mais

NORMA DE ARQUIVO - NOR 208

NORMA DE ARQUIVO - NOR 208 MANUAL DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS COD. 200 ASSUNTO: GESTÃO DE DOCUMENTOS ADMINISTRATIVOS APROVAÇÃO: Resolução DIREX nº 528/2012, de 10/12/2012 VIGÊNCIA: 11/12/2012 NORMA DE ARQUIVO - NOR 208 1/21 ÍNDICE

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL E TERRITÓRIOS Diretoria-Geral Departamento de Apoio Administrativo Divisão de Gestão de Documentos

MINISTÉRIO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL E TERRITÓRIOS Diretoria-Geral Departamento de Apoio Administrativo Divisão de Gestão de Documentos TABELA DE TEMPORALIDADE E 000 ADMINISTRAÇÃO GERAL 001 002 003 004 010 MODERNIZAÇÃO E REFORMA ADMINISTRATIVA PROJETOS, ESTUDOS E NORMAS PLANOS, PROGRAMAS E PROJETOS DE TRABALHO RELATÓRIOS DE ATIVIDADES

Leia mais

De acordo com a necessidade do órgão. 020 RECURSOS HUMANOS

De acordo com a necessidade do órgão. 020 RECURSOS HUMANOS 1 TABELA DE TEMPORALIDADE DO TCEES DIRETORIA GERAL DE SECRETARIA COMISSÃO PERMANENTE DE AVALIAÇÃO DOCUMENTAL TABELA DE TEMPORALIDADE, CLASSIFICAÇÃO E DESTINAÇÃO DE DOCUMENTOS DO TCEES Publicação: DOE 4.11.1999

Leia mais

Circular nº 00015/2015/DGP Em 5 de maio de 2015

Circular nº 00015/2015/DGP Em 5 de maio de 2015 Circular nº 00015/2015/DGP Em 5 de maio de 2015 Assunto: Fechamento do DGP Protocolo Tendo em vista a necessidade de redução do tempo de tramitação dos processos encaminhados ao Decanato de Gestão de Pessoas,

Leia mais

Tabela de Prazos da Lei 8112/90 - Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União

Tabela de Prazos da Lei 8112/90 - Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União Tabela de Prazos da Lei 8112/90 - Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União Dispositivo Prazo Referência Art. 12 Art. 13 1º Até 2 anos Validade do concurso público - podendo ser prorrogado

Leia mais

ATO REGULAMENTAR Nº 19, DE 16 DE OUTUBRO DE 2014

ATO REGULAMENTAR Nº 19, DE 16 DE OUTUBRO DE 2014 Publicado no Diário da Justiça Eletrônico, nº 205, p. 3-5 em 20/10/2014. ATO REGULAMENTAR Nº 19, DE 16 DE OUTUBRO DE 2014 Altera dispositivos do Regulamento da Secretaria. O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL

Leia mais

Tabela de Temporalidade e Destinação de documentos Relativos às Atividades-Meio. Atualizado em 29.07.2008

Tabela de Temporalidade e Destinação de documentos Relativos às Atividades-Meio. Atualizado em 29.07.2008 Tabela de Temporalidade e Destinação de documentos Relativos às Atividades-Meio Atualizado em 29.07.2008 A tabela de temporalidade e destinação é um instrumento de gestão arquivística que define os prazos

Leia mais

CLASSE 000 ADMINISTRAÇÃO GERAL

CLASSE 000 ADMINISTRAÇÃO GERAL CLASSE 000 ADMINISTRAÇÃO GERAL Nesta classe são classificados os documentos referentes às atividades relacionadas à administração interna do MPDFT, as quais viabilizam o seu funcionamento e o alcance dos

Leia mais

GLOSSÁRIO. 1 ACERVO Totalidade dos documentos sob custódia de um arquivo.

GLOSSÁRIO. 1 ACERVO Totalidade dos documentos sob custódia de um arquivo. 43 RECOMENDAÇÕES Após a homologação do Código de Classificação e da Tabela de Temporalidade pela Comissão de Homologação, através de um documento normatizador, estes deverão ser publicados. Uma cópia destes

Leia mais

Projeto Mudança de Sede. Proposta de Tabela de Temporalidade para o Descarte de Arquivos Institucionais

Projeto Mudança de Sede. Proposta de Tabela de Temporalidade para o Descarte de Arquivos Institucionais Projeto Mudança de Sede Proposta de Tabela de Temporalidade para o Descarte de Arquivos Institucionais Objetivo: Orientar as áreas da instituição sobre os arquivos (processos, documentos, informações,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MATINHOS Estado do Paraná CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MATINHOS Estado do Paraná CONTROLADORIA GERAL DO MUNICÍPIO INSTRUÇÃO NORMATIVA CG Nº 001 DE 02 de junho de 2014 Institui o Plano de atividades de Auditoria Interna no ano de 2014 e dá outras providências. O CONTROLADOR GERAL DO MUNICPIO DE MATINHOS, no uso de

Leia mais

ANEXO III TABELA DE TEMPORALIDADE - NOR 208

ANEXO III TABELA DE TEMPORALIDADE - NOR 208 MANUAL DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS COD. 200 : INDICE DE CLASSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS APROVAÇÃO: Resolução DIREX nº 528, de 10/12/2012 VIGÊNCIA: 11/12/2012 ANEXO III TABELA DE TEMPORALIDADE - NOR 208 1/30

Leia mais

Programa de Capacitação e Aperfeiçoamento do DAP

Programa de Capacitação e Aperfeiçoamento do DAP Programa de Capacitação e Aperfeiçoamento do DAP LEGISLAÇÃO DE PESSOAL COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO Regime Jurídico dos Servidores Públicos Federais Lei nº. 8.112/90 Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos

Leia mais

DESTINAÇÃO FINAL 000 GESTÃO ADMINISTRATIVA 001 POLÍTICAS DE AÇÃO GOVERNAMENTAL. Guarda Enquanto vigora 5 anos PROJETOS, ESTUDOS E NORMAS

DESTINAÇÃO FINAL 000 GESTÃO ADMINISTRATIVA 001 POLÍTICAS DE AÇÃO GOVERNAMENTAL. Guarda Enquanto vigora 5 anos PROJETOS, ESTUDOS E NORMAS Código ASSUNTO FASE 000 GESTÃO ADMINISTRATIVA 001 POLÍTICAS DE AÇÃO GOVERNAMENTAL Enquanto vigora 5 anos PROJETOS, ESTUDOS E NORMAS 002 PLANOS, PROGRAMAS E PROJETOS DE TRABALHO 5 anos 9 anos 003 ACORDOS.

Leia mais

NORMA CORPORATIVA DEPARTAMENTO PESSOAL

NORMA CORPORATIVA DEPARTAMENTO PESSOAL 1. OBJETIVO Estabelecer a sistemática para rotinas de Departamento Pessoal. 2. DEFINIÇÕES TRCT: Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho. DP: Departamento Pessoal; DP Central: Departamento Pessoal de

Leia mais

SIG Sistema Integrado de Gestão

SIG Sistema Integrado de Gestão SIG Sistema Integrado de Gestão SIGRH -Sistema Integrado de Gestão de Recursos Humanos Gustavo Bertoldo Quatrin Agenda Contextualização Visão Geral dos seguintes sistemas: SIPAC; SGPP; SIGAA; SIGADMIN;

Leia mais

SIG Sistema Integrado de Gestão. SIPAC -Sistema Integrado de Patrimônio, Administração e Contratos

SIG Sistema Integrado de Gestão. SIPAC -Sistema Integrado de Patrimônio, Administração e Contratos SIG Sistema Integrado de Gestão SIPAC -Sistema Integrado de Patrimônio, Administração e Contratos Agenda Contextualização Visão Geral dos seguintes sistemas: SIPAA, SGPP, SIGRH, SIGADMIN, SIGED. Conceitos

Leia mais

APÊNDICE B TABELA DE TEMPORALIDADE PARA OS DOCUMENTOS ORIUNDOS DAS ATIVIDADES-MEIO DA SEFAZ/AM

APÊNDICE B TABELA DE TEMPORALIDADE PARA OS DOCUMENTOS ORIUNDOS DAS ATIVIDADES-MEIO DA SEFAZ/AM APÊNDICE B TABELA DE TEMPORALIDADE PARA OS DOCUMENTOS ORIUNDOS DAS ATIVIDADES-MEIO DA SEFAZ/AM Para definir a Tabela de Temporalidade foram analisados os valores administrativos, legais, fiscais e históricos

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA DIRETORIA DO CENTRO DE ESTUDOS DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARÁ

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA DIRETORIA DO CENTRO DE ESTUDOS DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARÁ MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA DIRETORIA DO CENTRO DE ESTUDOS DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARÁ SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO, 3 2 FUNCIONALIDADE ADMINISTRATIVA, 3 2 S ORGANIZACIONAIS DO CENTRO DE ESTUDOS, 3

Leia mais

Planilha1 TABELA DE TEMPORALIDADE DE DOCUMENTAÇÃO ÁREA MEIO

Planilha1 TABELA DE TEMPORALIDADE DE DOCUMENTAÇÃO ÁREA MEIO TABELA DE TEMPORALIDADE DE DOCUMENTAÇÃO ÁREA MEIO CÓDIGO Prazos de Guarda Destinação Assunto F C F I Final 000 GESTÃO INSTITUCIONAL 01 ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO INTERNO Projetos, estudos e normas - propostas

Leia mais

000. ADMINISTRAÇÃO GERAL

000. ADMINISTRAÇÃO GERAL CÓDIGO ASSUNTO DESTINAÇÃO FINAL 000. ADMINISTRAÇÃO GERAL 001. MODERNIZAÇÃO E REFORMA ADMINISTRATIVA. Estudos, Normas e Projetos 002. PLANO. PROGRAMA E PROJETO DE TRABALHO 5anos 9 anos Guarda Permanente

Leia mais

PROJETO NOVA ASEEL INSTRUÇÃO NORMATIVA 001 DE FINANÇAS E CONTABILIDADE REVISÃO 005 JUNHO 2008 APROVADA NA ATA DE REUNIÃO 352/2008

PROJETO NOVA ASEEL INSTRUÇÃO NORMATIVA 001 DE FINANÇAS E CONTABILIDADE REVISÃO 005 JUNHO 2008 APROVADA NA ATA DE REUNIÃO 352/2008 PROJETO NOVA ASEEL INSTRUÇÃO NORMATIVA 001 DE FINANÇAS E CONTABILIDADE REVISÃO 005 JUNHO 2008 APROVADA NA ATA DE REUNIÃO 352/2008 1/6 ÍNDICE 1. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 2. OBJETIVOS 3. ABRANGÊNCIA E VIGÊNCIA

Leia mais

Macroprocesso 03: CONTROLE DE CARGOS, FUNÇÕES E MOVIMENTAÇÃO PROCESSOS

Macroprocesso 03: CONTROLE DE CARGOS, FUNÇÕES E MOVIMENTAÇÃO PROCESSOS Macroprocesso 03: CONTROLE DE CARGOS, FUNÇÕES E MOVIMENTAÇÃO Recursos: Pessoas, espaço físico, sistemas de informática (SIGPRH, Siape, Siapecad, Sisac, Sipac), Legislação (Lei nº 8112/90) e pasta funcional.

Leia mais

000 ADMINISTRAÇÃO GERAL MODERNIZAÇÃO E REFORMA ADMINISTRATIVA

000 ADMINISTRAÇÃO GERAL MODERNIZAÇÃO E REFORMA ADMINISTRATIVA 000 ADMINISTRAÇÃO GERAL MODERNIZAÇÃO E REFORMA ADMINISTRATIVA 001 Projetos, estudos e normas propostas estruturais e organizacionais, otimização de métodos e procedimentos, manuais de Destino Arquivo corrente

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA Nº 847/2008 (atualizada até a Resolução de Mesa nº 951, de 3 de novembro de 2009) Regulamenta a

Leia mais

Art. 2º A referida tabela e os procedimentos de que tratam o artigo anterior passam a fazer parte, em anexos de 1 a 6, da presente Resolução.

Art. 2º A referida tabela e os procedimentos de que tratam o artigo anterior passam a fazer parte, em anexos de 1 a 6, da presente Resolução. RESOLUÇÃO N o 005, de 5 de julho de 2010. Aprova Tabela de Temporalidade e Procedimentos de Eliminação dos Documentos das Atividades-Fim da Universidade Federal de São João del-rei UFSJ. O PRESIDENTE DO

Leia mais

Código: MAP-DIPESGEP-001 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013

Código: MAP-DIPESGEP-001 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Código: MAP-DIPESGEP-001 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Elaborado por: Gerencia de Cadastro e Remuneração Aprovado por: Diretoria de Gestão de Pessoas 1 OBJETIVO Estabelece critérios e procedimentos

Leia mais

DECLARAÇÃO DE VENCIMENTOS E VANTAGENS COM FUNDAMENTAÇÃO BASE LEGAL, EMITIDA PELO ÓRGÃO (ORIGINAL);

DECLARAÇÃO DE VENCIMENTOS E VANTAGENS COM FUNDAMENTAÇÃO BASE LEGAL, EMITIDA PELO ÓRGÃO (ORIGINAL); PROTOCOLO GERAL DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÕES: 1. APOSENTADORIA REQUERIMENTO ASSINADO PELO SERVIDOR E COM VISTO DO CHEFE IMEDIATO (ORIGINAL); OBS.: APOSENTADORIA COMPULSÓRIA - NÃO É NECESSÁRIO

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO MINISTÉRIO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL E TERRITÓRIOS Diretoria-Geral

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO MINISTÉRIO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL E TERRITÓRIOS Diretoria-Geral Anexo I da Portaria Normativa nº 98, de 29 de agosto de 2014. DE CLASSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO ATIVIDADE- MEIO CLASSE 000 ADMINISTRAÇÃO GERAL Nesta classe são classificados os documentos referentes

Leia mais

PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012

PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012 PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012 Estabelece diretrizes para a implementação da política de Gestão da Informação Corporativa no âmbito do Ministério da Previdência Social e de suas entidades vinculadas

Leia mais

PROGEP PRÓ REITORIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAL

PROGEP PRÓ REITORIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAL PROGEP PRÓ REITORIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAL MISSÃO Atuar como agente de mudança desenvolvendo políticas de gestão de pessoas que contribuam para o alcance dos objetivos institucionais. Planejar

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA/SRH nº 03 de 18 de novembro de 2011. Seção I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS

PORTARIA NORMATIVA/SRH nº 03 de 18 de novembro de 2011. Seção I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS PORTARIA NORMATIVA/SRH nº 03 de 18 de novembro de 2011. Cria o Assentamento Funcional Digital AFD e estabelece orientação aos órgãos e entidades integrantes do Sistema de Pessoal Civil da Administração

Leia mais

1ª EDIÇÃO CAMPOS DOS GOYTACAZES DEZEMBRO/2010

1ª EDIÇÃO CAMPOS DOS GOYTACAZES DEZEMBRO/2010 1ª EDIÇÃO CAMPOS DOS GOYTACAZES DEZEMBRO/2010 Índice Como tramita o processo...6 e 7 Abono Pecuniário... 8 Abono de Permanência... 8 Aposentadoria... 9 Auxílio Funeral...10 Auxílio Natalidade...11 Averbação

Leia mais

PORTARIA Nº 7.965, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2015.

PORTARIA Nº 7.965, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2015. PORTARIA Nº 7.965, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2015. Atualiza o macroprocesso da fase de Gestão de Contratos de Tecnologia da Informação e Comunicações, instituído no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da

Leia mais

Roteiro para Prestação de Contas referente ao Programa de Patrocínios DME 2016.

Roteiro para Prestação de Contas referente ao Programa de Patrocínios DME 2016. 1 Roteiro para Prestação de Contas referente ao Programa de Patrocínios DME 2016. Formulários obrigatórios para Prestação de Contas PRESTAÇÃO DE CONTAS - PROJETOS INCENTIVADOS PELA DME E/OU SUAS SUBSIDIÁRIAS.

Leia mais

Infor-Pag. Importa lançamentos de outros Sistemas (Ponto Eletrônico, Convênios,...).

Infor-Pag. Importa lançamentos de outros Sistemas (Ponto Eletrônico, Convênios,...). Cálculos Infor-Pag CLT, Estagiários, Autônomos e Pró-Labore. Geral ou por Centro de Custos. Recálculo. Com o mesmo código de evento pode-se ter 3 tipos de movimento; Normal, diferença ou estorno. Permite

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO PLANO DE AUDITORIA DE LONGO PRAZO (PALP) 2013-2014 Sumário: 1 INTRODUÇÃO... 3 2 BIÊNIO 2013-2014: ATIVIDADES DE MONITORAMENTO E ACOMPANHAMENTO.... 3 2.1 Apoio ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo...

Leia mais

NÍVEL ESTRATÉGICO 1. PLENARIA

NÍVEL ESTRATÉGICO 1. PLENARIA NÍVEL ESTRATÉGICO 1. PLENARIA Reunião dos Conselheiros eleitos, com o fim de deliberação.- O Plenário do Conselho Regional reunirse-á ordinariamente, pelo menos, uma vez por ano e, extraordinariamente

Leia mais

ANEXO II CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS - NOR 208

ANEXO II CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS - NOR 208 MANUAL DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS COD. 200 ASSUNTO: CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS APROVAÇÃO: Resolução DIREX nº 528/2012, de 10/12/2012 VIGÊNCIA: 11/12/2012 ANEXO II CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DE

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO ARQUIVO NACIONAL /CONARQ /FORÇAS ARMADAS. Enquanto vigora. 5 anos Eliminação. Enquanto o militar permanecer na ativa

GRUPO DE TRABALHO ARQUIVO NACIONAL /CONARQ /FORÇAS ARMADAS. Enquanto vigora. 5 anos Eliminação. Enquanto o militar permanecer na ativa 080 PESSOAL MILITAR 080.1 LEGISLAÇÃO normas, avisos, portarias (de caráter geral), boletins (administrativo, de pessoal e de serviço), diretrizes, procedimentos, pareceres, estudos e/ou decisões de caráter

Leia mais

ANEXO I CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS DA UFFS

ANEXO I CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS DA UFFS ANEXO I CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS DA UFFS APRESENTAÇÃO O Código de classificação de documentos de arquivo relativos às atividades-meio da administração pública, foi elaborado por técnicos do

Leia mais

PLANO DE CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL FUNDO: 1 RPMon GRUPO: 1ª SEÇÃO P1 EFETIVO SUBGRUPO: SUBSEÇÃO DE EFETIVO DATA: 02mar2012

PLANO DE CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL FUNDO: 1 RPMon GRUPO: 1ª SEÇÃO P1 EFETIVO SUBGRUPO: SUBSEÇÃO DE EFETIVO DATA: 02mar2012 PLANO DE CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL FUNDO: 1 RPMon GRUPO: 1ª SEÇÃO P1 EFETIVO SUBGRUPO: SUBSEÇÃO DE EFETIVO DATA: 02mar2012 Série: GESTÃO DE EFETIVO DO 1 RPMON (azul) Subsérie: Apoio ao Aperfeiçoamento dos

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES - 2013 Exmo. Sr. Presidente Tenho a honra de encaminhar a V.Exa. o Relatório Anual das Atividades desenvolvidas por esta Coordenadoria de Controle Interno, no exercício de

Leia mais

Definir os procedimentos para gestão dos bens e materiais do TJAC.

Definir os procedimentos para gestão dos bens e materiais do TJAC. Código: MAP-DILOG-004 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Elaborado por: Gerência de Bens e Materiais Aprovado por: Diretoria de Logística 1 OBJETIVO Definir os procedimentos para gestão dos bens e

Leia mais

Módulo Recursos Humanos

Módulo Recursos Humanos Módulo Recursos Humanos Folha de Pagamento Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Recursos Humanos Folha de Pagamento. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas

Leia mais

Portaria Conjunta STN/SOF nº 3/2008 Manual de Despesa Nacional;

Portaria Conjunta STN/SOF nº 3/2008 Manual de Despesa Nacional; Código: MAP-DIFIN-001 Versão: 00 Data de Emissão: XX/XX/XXXX Elaborado por: Gerência de Contabilidade Aprovado por: Diretoria de Finanças e Informações de Custos 1 OBJETIVO Estabelecer os procedimentos

Leia mais

Gerenciar o Programa de Estágio

Gerenciar o Programa de Estágio PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS DIVISÃO DE GESTÃO DA QUALIDADE Sistema de Gestão da Qualidade PROCEDIMENTO P. TJAM 19 Gerenciar o Programa de Estágio Elaborado por: Wiulla Inácia

Leia mais

Sistema de Gestão de Pessoal (Roteiro de Demonstração)

Sistema de Gestão de Pessoal (Roteiro de Demonstração) #.1 Administração de Pessoal #.1.1 Permitir a captação e manutenção de informações pessoais e funcionais de pessoal ativo, inativo e pensionista, registrando a evolução histórica; #.1.2 Permitir o cadastramento

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS Palestra Tema: Formalização de Processo Administrativo na Gestão de Pessoas Aposentadoria é a contraprestação assistencial por serviços prestados, nos termos da

Leia mais

ATO REGULAMENTAR Nº 15, DE 18 DE ABRIL DE 2012

ATO REGULAMENTAR Nº 15, DE 18 DE ABRIL DE 2012 Publicado no DJE/STF, n. 77, p. 1-3 em 20/4/2012. ATO REGULAMENTAR Nº 15, DE 18 DE ABRIL DE 2012 Altera dispositivos do Regulamento da Secretaria. O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, nos termos do

Leia mais

DECRETO Nº 3130, DE 22 DE JULHO DE 2011.

DECRETO Nº 3130, DE 22 DE JULHO DE 2011. DECRETO Nº 3130, DE 22 DE JULHO DE 2011. Regulamenta o art. 54 da Lei Complementar nº 392, de 17/12/2008, Dispõe sobre o Regime Jurídico dos Servidores Públicos do Município de Uberaba e dá outras providências.

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE BOLSA DE ESTUDO NÃO RESTITUÍVEL (BOLSA FILANTRÓPICA)

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE BOLSA DE ESTUDO NÃO RESTITUÍVEL (BOLSA FILANTRÓPICA) RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE BOLSA DE ESTUDO NÃO RESTITUÍVEL (BOLSA FILANTRÓPICA) 1. INFORMAÇÕES GERAIS 1.1 Será concedida a Bolsa Filantrópica com base nos critérios básicos consignados nos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 1.032, DE 30 DE MARÇO DE 2011 Dispõe sobre a celebração de convênios entre os Creas e as entidades de classe e as instituições de ensino e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO REGIMENTO INTERNO DA COORDENAÇÃO DE GESTÃO DE DOCUMENTOS E INFORMAÇÃO DA UFRRJ

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO REGIMENTO INTERNO DA COORDENAÇÃO DE GESTÃO DE DOCUMENTOS E INFORMAÇÃO DA UFRRJ MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO REGIMENTO INTERNO DA COORDENAÇÃO DE GESTÃO DE DOCUMENTOS E INFORMAÇÃO DA UFRRJ Art. 1 O presente Regimento Interno estabelece diretrizes

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico PORTARIA SEAE Nº. 20, DE 20 DE MARÇO DE 2012.

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico PORTARIA SEAE Nº. 20, DE 20 DE MARÇO DE 2012. MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico PORTARIA SEAE Nº. 20, DE 20 DE MARÇO DE 2012. I n s t i t u i o P r o g r a m a d e I n t e r c â m b i o d a S E A E e d i s p õ e s o b r

Leia mais

ERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ GABINETE DO REITOR INTRODUÇÃO

ERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ GABINETE DO REITOR INTRODUÇÃO 2 ERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INTRODUÇÃO Considerando os prazos fixados em lei para encerramento do exercício e a regulamentação que determina as datas para entrega dos BALANÇOS ORÇAMENTÁRIOS FINANCEIRO E PATRIMONIAL

Leia mais

Subcomitê do Programa Nacional de Gestão Documental e Memória do Poder Judiciário (PRONAME)

Subcomitê do Programa Nacional de Gestão Documental e Memória do Poder Judiciário (PRONAME) GERAL Método de classificação adotado DUPLEX. As funções, atividades, espécies e tipos documentais são denominadas ASSUNTOS. Abertura de subclasses descendo, no máximo, ao terceiro nível. As tipologias

Leia mais

Instruções Folha de Pagamento

Instruções Folha de Pagamento Instruções Folha de Pagamento Rotina 20 Instruções DIRF Informações Iniciais Entrega da Declaração (Instrução Normativa RFB. 1.216 15/12/2011) o A DIRF deverá ser entregue até as 23h59min59s (horário de

Leia mais

ANEXO I REGIMENTO INTERNO DO GABINETE DO MINISTRO CAPITULO I CATEGORIA E FINALIDADE

ANEXO I REGIMENTO INTERNO DO GABINETE DO MINISTRO CAPITULO I CATEGORIA E FINALIDADE (Portaria GM-MP nº 220, de 25 de junho de 2014 ) ANEXO I REGIMENTO INTERNO DO GABINETE DO MINISTRO CAPITULO I CATEGORIA E FINALIDADE Art. 1º O Gabinete do Ministro, órgão subordinado diretamente ao Ministro

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 520/CDOC.SEJUD.GP, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2010.

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 520/CDOC.SEJUD.GP, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2010. TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 520/CDOC.SEJUD.GP, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2010. Dispõe sobre os procedimentos para publicação de documentos na Biblioteca Digital do Tribunal Superior do Trabalho

Leia mais

Alterações Efetuadas no Sistema

Alterações Efetuadas no Sistema Alterações Efetuadas no Sistema 2014 - Alterações efetuadas na versão 10.02 1) Correção CON 250 - Verifica a existência do Arquivo Texto com a natureza Plano de Trabalho para Convênio (Alerta); 2) Correção

Leia mais

TABELA DE TEMPORALIDADE ATIVIDADE-MEIO

TABELA DE TEMPORALIDADE ATIVIDADE-MEIO ANEXO III FUNÇÃO: 01 - ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA SUBFUNÇÃO: 01. 01 - ORDEM JURÍDICA 01.01.01. Elaboração de atos normativos 01.01.02. Formalização de acordos bilaterais 01.01.03. Elaboração de pareceres

Leia mais

c)praticar os atos que lhe atribuírem as leis, a convenção e o regimento interno;

c)praticar os atos que lhe atribuírem as leis, a convenção e o regimento interno; 3) CONTRATO: SÍNDICO PESSOA JURÍDICA Ser síndico de um condomínio requer compromisso, conhecimento das leis vigentes e disponibilidade de tempo, e é por isso, que nossa empresa é capacitada a assumir as

Leia mais

Sistema de Gestão Integrado para Cooperativas

Sistema de Gestão Integrado para Cooperativas Sistema de Gestão Integrado para Cooperativas CoopSys 6.0 Release 34C DESCRIÇÃO DOS RECURSOS Recursos Humanos o Cadastro de Cooperados : Informações Cadastrais Básicas Nome, Endereço, CEP, Cidade/UF CPF,

Leia mais

PRAZOS PARA PROTOCOLO DE SOLICITAÇÕES E OCORRÊNCIAS NO SERVIÇO DE PESSOAL Válidos a partir de 05/10/2015

PRAZOS PARA PROTOCOLO DE SOLICITAÇÕES E OCORRÊNCIAS NO SERVIÇO DE PESSOAL Válidos a partir de 05/10/2015 Abono de permanência se aplica A partir do dia seguinte ao do cumprimento de TODOS os requisitos necessários para aposentadoria Acidente de Trabalho 24 horas 5 dias corridos Atestado Médico Adicional de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 032 CONSUPER/2012

RESOLUÇÃO Nº 032 CONSUPER/2012 RESOLUÇÃO Nº 032 CONSUPER/2012 Dispõe sobre alterações na Regulamentação de apoio à pesquisa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense. O Presidente do do Instituto Federal de

Leia mais

Cartilha de Instruções para Classificação - CGDA 10.10.2013

Cartilha de Instruções para Classificação - CGDA 10.10.2013 Cartilha de Instruções para Classificação - CGDA 10.10.2013 010 Organização e Funcionamento 010.1 Assessoria Técnica à Gestão 010.1.01 Manifestação de Cordialidade 010.1.02 Manifestação de Elogio 010.1.03

Leia mais

PLANO DE CURSO PERFIL PROFISSIONAL

PLANO DE CURSO PERFIL PROFISSIONAL NOME DO CURSO 1522 - AUXILIAR ADMINISTRATIVO OCUPAÇÃO ASSISTENTE ADMINISTRATIVO MODALIDADE 21 - QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL BÁSICA - FORM. INICIAL CBO 4110100 CARGA HORÁRIA TOTAL 240 h OBJETIVO GERAL Executar

Leia mais

Organização Arquivística dos Assentamentos Individuais do Ministério da Saúde Brasília

Organização Arquivística dos Assentamentos Individuais do Ministério da Saúde Brasília Organização Arquivística dos Assentamentos Individuais do Ministério da Saúde Brasília Brasília, 2007 Sumário APRESENTAÇÃO 1. Organização dos assentamentos individuais 1.1. Classificação ----------------------------------------------------------------------05

Leia mais

ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MUSEU DE ARTE SACRA SAMAS. MANUAL DE RECURSOS HUMANOS DO MUSEU DE ARTE SACRA

ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MUSEU DE ARTE SACRA SAMAS. MANUAL DE RECURSOS HUMANOS DO MUSEU DE ARTE SACRA ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO MUSEU DE ARTE SACRA SAMAS. MANUAL DE RECURSOS HUMANOS DO MUSEU DE ARTE SACRA I -FINALIDADE. Este Regulamento tem por finalidade apresentar os princípios básicos de pessoal que devem

Leia mais

DECRETO Nº 17.480, DE 22 DE NOVEMBRO DE 2011.

DECRETO Nº 17.480, DE 22 DE NOVEMBRO DE 2011. DECRETO Nº 17.480, DE 22 DE NOVEMBRO DE 2011. Estabelece o Plano de Classificação de Documentos (PCD) e a Tabela de Temporalidade de Documentos (TTD), da Administração Centralizada, do Executivo Municipal

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010)

RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010) RESOLUÇÃO N o 016, de 1º de junho de 2009. (Modificada pela Res. 019/2010) Aprova Regimento Interno da Pró-Reitoria de Administração PROAD. O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSS

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSS INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSS ANALISTA DO SEGURO SOCIAL CONHECIMENTOS BÁSICOS VOLUME I ÍNDICE Língua Portuguesa 1 Compreensão e interpretação de textos.... 1 2 Tipologia textual.... 10 3 Ortografia

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL. INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 60, DE 20 DE AGOSTO DE 2012 (DOU de 21/08/2012 Seção I Pág. 54)

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL. INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 60, DE 20 DE AGOSTO DE 2012 (DOU de 21/08/2012 Seção I Pág. 54) INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSTRUÇÃO NORMATIVA N.º 60, DE 20 DE AGOSTO DE 2012 (DOU de 21/08/2012 Seção I Pág. 54) Dispõe sobre os procedimentos operacionais a serem adotados pelas Unidades de

Leia mais

Ordem de Serviço do TJPB nº 01/09, de 31 de agosto de 2009 (Dispõe sobre a responsabilidade do motorista em infrações de trânsito).

Ordem de Serviço do TJPB nº 01/09, de 31 de agosto de 2009 (Dispõe sobre a responsabilidade do motorista em infrações de trânsito). Código: MAN-SADM-007 Versão: 00 Data de Aprovação: 10/06/2010 Elaborado por: Coordenadoria de Transporte Aprovado por: Secretaria Administrativa 1 Objetivo Estabelecer os critérios e os procedimentos para

Leia mais

RESOLUÇÃO CFM Nº 2.118/2015

RESOLUÇÃO CFM Nº 2.118/2015 RESOLUÇÃO CFM Nº 2.118/2015 (Publicada no D.O.U. de 3 de março 2015, Seção I, p. 135) Normatiza os procedimentos para pagamento de diária nacional e internacional, auxílio de representação e verba indenizatória

Leia mais

Orientações aos servidores do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA) quanto aos procedimentos relativos à perícia médica e

Orientações aos servidores do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA) quanto aos procedimentos relativos à perícia médica e Orientações aos servidores do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA) quanto aos procedimentos relativos à perícia médica e odontológica através da UNIDADE SIASS/INSS, de que trata

Leia mais

Cartilha Ponto Biométrico

Cartilha Ponto Biométrico Cartilha Ponto Biométrico Secretaria Municipal de Administração, Orçamento e Informação 2 CONTROLE E APURAÇÃO DA FREQUÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA DO MUNICÍPIO DE DIVINÓPOLIS Prezado

Leia mais

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS, usando das atribuições legais e regimentais,

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS, usando das atribuições legais e regimentais, DECRETO JUDICIÁRIO Nº 1543/2013. Dispõe sobre a Regulamentação da concessão de Bolsa de Graduação e Pós-Graduação no âmbito do Poder Judiciário do Estado de Goiás. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO

Leia mais

BOLSA DE ESTUDO PARA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO Perguntas Mais Frequentes

BOLSA DE ESTUDO PARA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO Perguntas Mais Frequentes BOLSA DE ESTUDO PARA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO Perguntas Mais Frequentes Que norma regulamenta a concessão da bolsa de estudo? A Instrução Normativa nº 104, de 25 de janeiro de 2010, regulamenta a concessão

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001 de 03 de julho de 2012. FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO Regulamenta os procedimentos para movimentação física dos bens patrimoniais,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Brastra.gif (4376 bytes) Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 4.961, DE 20 DE JANEIRO DE 2004. Regulamenta o art. 45 da Lei n o 8.112, de 11 de dezembro de 1990,

Leia mais

3 CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO 010 ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO 060 DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO

3 CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO 010 ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO 060 DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO 3 CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO CLASSE 000 ADMINISTRAÇÃO GERAL 010 ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO 020 PESSOAL 030 MATERIAL 040 PATRIMÔNIO 050 ORÇAMENTO E FINANÇAS 060 DOCUMENTAÇÃO E INFORMAÇÃO

Leia mais

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S/A - CEASA/CAMPINAS CNPJ: 44.608.776/0001-64

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S/A - CEASA/CAMPINAS CNPJ: 44.608.776/0001-64 1.... ATIVO 152.101.493,67 50.040.951,48 153.182.697,98 1.10... ATIVO CIRCULANTE 12.634.079,13 49.780.167,34 14.042.894,83 1.10.10.. DISPONIBILIDADES 10.621.727,62 40.765.261,82 12.080.213,47 1101001 BENS

Leia mais

I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES SUMÁRIO Manifestações sobre a 8.ª edição Palavras do leitor Citações por Ministros do Superior Tribunal de Justiça Ministros do Tribunal de Contas da União Obras e publicações do autor Livros publicados

Leia mais

ALTERAÇÕES NO LAYOUT DE PESSOAL PARA 2014. Samuel Guimarães Leal Superintendência de Gestão Técnica SGT

ALTERAÇÕES NO LAYOUT DE PESSOAL PARA 2014. Samuel Guimarães Leal Superintendência de Gestão Técnica SGT ALTERAÇÕES NO LAYOUT DE PESSOAL PARA 2014 Samuel Guimarães Leal Superintendência de Gestão Técnica SGT Agenda Dados Cadastrais (ADP/CAD) Quadro de Cargos (QDR) Folha de Pagamento (REM/DES) Identificação

Leia mais

PROGRAMA DE GESTÃO DOCUMENTAL. LEVANTAMENTO DA PRODUÇÃO DOCUMENTAL DA ATIVIDADE-MEIO Orientações para o preenchimento dos questionários

PROGRAMA DE GESTÃO DOCUMENTAL. LEVANTAMENTO DA PRODUÇÃO DOCUMENTAL DA ATIVIDADE-MEIO Orientações para o preenchimento dos questionários PROGRAMA DE GESTÃO DOCUMENTAL LEVANTAMENTO DA PRODUÇÃO DOCUMENTAL DA ATIVIDADE-MEIO Orientações para o preenchimento dos questionários Ministério Público (Paraná). Departamento de Gestão Documental. Levantamento

Leia mais