ORIENTAÇÃO. GUARDA DE DOCUMENTOS Prazo. Empresas e equiparados devem ficar atentos aos prazos para guarda de documentos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ORIENTAÇÃO. GUARDA DE DOCUMENTOS Prazo. Empresas e equiparados devem ficar atentos aos prazos para guarda de documentos"

Transcrição

1 ORIENTAÇÃO GUARDA DE DOCUMENTOS Prazo Empresas e equiparados devem ficar atentos aos prazos para guarda de documentos As empresas e equiparados estão obrigados a apresentar toda a documentação exigida pela fiscalização. Para tanto, devem manter arquivados os documentos relacionados com o desenvolvimento de sua atividade, pelo período previsto na legislação de regência de cada obrigação. Neste Comentário, relacionamos as principais obrigações trabalhistas a serem cumpridas pelos empregadores, bem como os documentos utilizados no cumprimento destas, com os seus respectivos prazos de guarda. 1. APURAÇÃO E CONSTITUIÇÃO DE CRÉDITOS No direito tributário brasileiro, crédito tributário representa o direito de crédito da Fazenda Pública, já devidamente apurado por processo administrativo denominado lançamento. Já o lançamento é um procedimento administrativo pelo qual o agente público competente procede à verificação da ocorrência do fato gerador, a base de cálculo, a aplicação da alíquota prevista em lei para apuração do montante do tributo devido, a identificação do sujeito passivo, e sendo o caso, propõe a aplicação de penalidade cabível. Ao final da verificação de todos esses elementos, haverá um documento com a edição dos atos emanados, que é o lançamento, instrumento que irá definitivamente constituir o crédito tributário EXTINÇÃO DO CRÉDITO TRIBUTÁRIO Extinção do crédito tributário é qualquer ato jurídico ou fato jurídico que faça desaparecer a obrigação respectiva. A extinção ocorre, dentre outras modalidades, pela decadência e prescrição. ð Decadência É a perda do próprio direito. A Fazenda Pública não pode mais efetuar o lançamento tributário. Isto é, permanecendo inerte durante, a Fazenda Pública (sujeito ativo) não poderá efetuar o lançamento do crédito tributário, para tentar cobrar do contribuinte (sujeito passivo). A decadência tem por efeito extinguir o direito. ð Prescrição É o prazo de que a Fazenda Pública tem para cobrar judicialmente o contribuinte. Em outras palavras, na prescrição, a inércia diz respeito ao exercício da ação e o tempo opera os seus efeitos desde o nascimento desta, que, em regra, é posterior ao nascimento do direito por ela protegido. A prescrição tem por efeito extinguir a ação PREVIDÊNCIA SOCIAL A legislação previdenciária fixava em 10 anos o direito da Previdência Social apurar e constituir seus créditos. Entretanto, o dispositivo que regulava o assunto, artigo 45 da Lei 8.212/91, foi expressamente revogado pela Lei Complementar 128/2008, bem como considerado inconstitucional pela Súmula Vinculante 8 do STF Supremo Tribunal Federal de Desse modo, para fins previdenciários, passou-se a aplicar a norma contida no CTN Código Tributário Nacional, que estabelece que o direito de a Fazenda Pública constituir o crédito tributário extingue-se após, contados: I do primeiro dia do exercício seguinte àquele em que o lançamento poderia ter sido ; II da data em que se tornar definitiva a decisão que houver anulado, por vício formal, o lançamento anteriormente. Cabe ressaltar que o direito da Previdência Social de cobrar os créditos, constituídos na forma citada anteriormente, não prescreve mais em 10 anos, mas em. Isto porque o artigo 46 da Lei 8.212/91, que regulava a prescrição decenal, também foi revogado e considerado inconstitucional, respectivamente, por meio da Lei Complementar 128/2008 e da Súmula Vinculante 8 STF/ LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA Para atender à legislação previdenciária, a empresa e o equiparado, sem prejuízo do cumprimento de outras obrigações acessórias, estão obrigados a: a) preparar folha de pagamento mensal da remuneração paga, devida ou creditada a todos os segurados a seu serviço, de forma coletiva por estabelecimento, por obra de construção civil e por tomador de serviços, devendo manter, em cada estabelecimento, uma via da respectiva folha e recibos de pagamentos; b) declarar mensalmente à RFB Secretaria da Receita Federal do Brasil e ao CCFGTS Conselho Curador do FGTS, por intermédio da GFIP Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social, na forma, prazo e condições estabelecidos por esses órgãos, os dados relacionados a fatos geradores, base de cálculo e valores devidos da contribuição previdenciária e outras informações de interesse do INSS ou do CCFGTS; c) lançar mensalmente em títulos próprios de sua contabilidade, de forma discriminada, os fatos geradores de todas as contribuições sociais a cargo da empresa, as contribuições sociais previdenciárias descontadas dos segurados, as decorrentes de sub-rogação, as retenções e os totais recolhidos; d) prestar à RFB todas as informações cadastrais, financeiras e contábeis de seu interesse, na forma por ela estabelecida, bem como os esclarecimentos necessários à fiscalização; e) exibir à fiscalização da RFB, quando intimada para tal, todos os documentos e livros com as formalidades legais intrínsecas e extrínsecas, relacionados com as contribuições sociais. f) afixar cópia da GPS Guia da Previdência Social, relativa à competência anterior, durante o período de um mês junto ao quadro de horário ou, quando for o caso, em local visível; g) comunicar ao INSS, através da CAT Comunicação de Acidente do Trabalho, o acidente de trabalho ocorrido com segurado empregado e trabalhador avulso, até o primeiro dia útil seguinte ao da ocorrência e, em caso de morte, de imediato; h) inscrever, quando pessoa jurídica, como contribuintes individuais no RGPS, desde , as pessoas físicas contratadas sem vínculo empregatício e os sócios cooperados, no caso de cooperativas de trabalho e de produção, se ainda não inscritos; i) fornecer ao contribuinte individual que lhes presta serviços, comprovante do pagamento de remuneração, consignando a identificação completa da empresa, inclusive com o seu número no CNPJ, o número de inscrição do segurado no RGPS, o valor da remuneração paga, o desconto da contribuição e o compromisso de que a remuneração paga será informada na GFIP e a

2 contribuição correspondente será recolhida; j) manter arquivadas cópias dos comprovantes de pagamento ou declaração apresentada pelo contribuinte individual consignando o valor sobre o qual já sofreu desconto da contribuição previdenciária naquele mês ou identificando as empresas que efetuarão o desconto até o limite máximo do salário-de-contribuição; l) conservar os comprovantes de pagamentos do salário-família e as cópias das certidões de nascimentos correspondentes; k) conservar os comprovantes de pagamentos do salário-maternidade e os atestados ou certidões correspondentes; m) informar, anualmente, a RFB, na forma por ela estabelecida, o nome, o número de inscrição na Previdência Social e o endereço completo dos segurados que, pessoalmente, por conta própria e a seu risco, exercem pequena atividade comercial em via pública ou de porta a porta, como comerciante ambulante, utilizados no período, a qualquer título, para distribuição ou comercialização de seus produtos, sejam eles de fabricação própria ou de terceiros, sempre que se tratar de empresa que realize vendas diretas. Os documentos comprobatórios do cumprimento das obrigações mencionadas nas letras de a a m anteriores, devem ficar arquivados na empresa, à disposição da fiscalização, no mínimo, durante CESSÃO DE MÃO-DE-OBRA OU EMPREITADA A empresa contratante de serviços prestados mediante cessão de mão-de-obra ou empreitada fica obrigada a manter em arquivo, por empresa contratada, em ordem cronológica, no mínimo, durante o prazo de, as correspondentes notas fiscais, faturas ou recibos de prestação de serviços, cópia das GFIP/SEFIP e, se for o caso, dos documentos referentes a subcontratação SISTEMA DE PROCESSAMENTO ELETRÔNICO DE DADOS A empresa que utiliza sistema de processamento eletrônico de dados para o registro de negócios e atividades econômicas, escrituração de livros ou produção de documentos de natureza contábil, fiscal, trabalhista e previdenciária é obrigada a arquivar e conservar, devidamente certificados, os respectivos sistemas e arquivos, em meio digital ou assemelhado, durante, à disposição da fiscalização. Quando intimada pela fiscalização, a empresa deverá apresentar documentação técnica completa e atualizada de seus sistemas, bem como os arquivos digitais contendo informações relativas aos seus negócios e atividades econômicas, observadas as orientações e especificações contidas no Manad Manual Normativo de Arquivos Digitais, disponível no Menu Lateral Esquerdo, do Portal COAD, em Obrigações Declarações Fiscais Manuais PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO A empresa que desenvolve atividades em condições especiais que exponham os trabalhadores a riscos ambientais, está obrigada a elaborar e manter atualizado o PPP Perfil Profissiográfico Previdenciário, abrangendo as atividades desenvolvidas pelos segurados empregados, trabalhadores avulsos e cooperados filiados à cooperativa de trabalho e de produção que laborem expostos a agentes nocivos químicos, físicos, biológicos ou à associação desses agentes, prejudiciais à saúde ou à integridade física, ainda que não presentes os requisitos para concessão de aposentadoria especial, seja pela eficácia dos equipamentos de proteção, coletivos ou individuais, seja por não se caracterizar a permanência. O PPP, abrangendo as atividades desenvolvidas por trabalhador exposto a agente nocivo existente no ambiente de trabalho, e a comprovação de entrega ao trabalhador, quando da rescisão de contrato de trabalho, deverão ser mantidos na empresa por 20 anos. 3. LEGISLAÇÃO TRABALHISTA Com o advento da Constituição Federal de 1988, os créditos resultantes da relação de trabalho prescrevem em para os trabalhadores urbanos e rurais, até o limite de 2 anos após a extinção do contrato. Assim, no caso dos trabalhadores urbanos e rurais, decorrido o prazo de, a empresa poderá se descartar dos documentos inerentes à relação empregatícia, como por exemplo: acordo de compensação de horas; acordo de prorrogação de horas; recibos de pagamentos de salário, de férias e do 13º salário; livro, cartão ou folha de ponto e, no caso do ponto eletrônico, o relatório Espelho de Ponto Eletrônico; recibo de entrega do vale-transporte. Decorrido o prazo de 2 anos após a extinção do contrato de trabalho, a empresa pode livrar-se dos seguintes documentos: Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho; comunicação do aviso prévio; carta de pedido de demissão. Após os 2 anos da extinção do contrato de trabalho, sem que tenha havido reclamação na Justiça do Trabalho, a empresa poderá também se desfazer dos documentos que a legislação exige no prazo de guarda de. Dessa forma, convém que seja mantida a documentação relativa às relações de trabalho pelos prazos mencionados, visto que, durante a fluência dos mesmos, havendo fiscalização e/ou reclamação trabalhista ajuizada, a empresa terá que apresentar provas documentais em sua defesa. Menor de 18 anos de idade O referido prazo prescricional não se aplica ao trabalhador menor de 18 anos de idade, devendo ser contado a partir do momento em que o trabalhador completar 18 anos LIVRO OU FICHA DE REGISTRO DE EMPREGADOS Quanto aos Livros ou Fichas de Registro de Empregados, é aconselhável que sejam conservados por prazo indeterminado, pois esses documentos são de incontestável valor para efeito de comprovação de tempo de serviço de empregados ou ex-empregados, para fins de obtenção de benefícios previdenciários, principalmente aposentadoria por tempo de contribuição Contratos de Trabalho Da mesma forma, os contratos de trabalho devem ser conservados por prazo indeterminado LIVRO DE INSPEÇÃO DO TRABALHO Com exceção das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, toda empresa deve ter o livro de Inspeção do Trabalho, no qual o Auditor Fiscal do Trabalho registrará sua visita ao estabelecimento, declarando data e hora do início e término da visita, bem como o resultado da inspeção.

3 Sendo a legislação omissa com relação ao prazo de guarda do mesmo, entende-se que a empresa deve guardá-lo por tempo indeterminado CAGED CADASTRO GERAL DE EMPREGADOS E DESEMPREGADOS A empresa que admitir, transferir ou desligar empregados fica obrigada a fazer a respectiva comunicação ao MTE Ministério do Trabalho e Emprego. Essa comunicação deve ser realizada através do CAGED, por meio eletrônico (internet e disquete), com a utilização do Aplicativo do CAGED Informatizado (ACI) ou outro aplicativo fornecido pelo MTE. O arquivo gerado deverá ser enviado ao MTE, via internet ou entregue em suas Superintendências, Gerências ou Agências Regionais do Trabalho e Emprego. A cópia do arquivo, o recibo de entrega e o Extrato da Movimentação Processada deverão ser mantidos no estabelecimento, pelo prazo de 36 meses, a contar da data do envio, para fins de comprovação perante a fiscalização trabalhista SEGURO-DESEMPREGO Ao empregado demitido sem justa causa devem ser entregues os formulários destinados à solicitação do Seguro-Desemprego, que são a CD Comunicação de Dispensa e RSD Requerimento de Seguro-Desemprego. A parte inferior do formulário CD, destacável, será o comprovante do empregador relativo à entrega do formulário ao trabalhador dispensado. Os comprovantes de entrega da CD e do RSD deverão ser conservados pelo empregador, juntamente com a ficha de registro do trabalhador dispensado, pelo prazo de, contado a partir da data de dispensa RELAÇÃO ANUAL DE INFORMAÇÕES SOCIAIS A legislação que instituiu a Rais Relação Anual de Informações Sociais não estabeleceu prazo de guarda da mesma. Entretanto, o MTE ao aprovar as instruções para preenchimento e entrega das informações, dispôs que o estabelecimento é obrigado a manter arquivados, durante, à disposição do trabalhador e da Fiscalização do Trabalho, o relatório impresso ou a cópia dos arquivos e o recibo definitivo de entrega da Rais CONTRIBUIÇÃO SINDICAL A contribuição sindical devida por empregadores, trabalhadores autônomos, profissionais liberais e empregados, não recebeu da CLT Consolidação das Leis do Trabalho ou ato complementar, tratamento diferenciado relativo à decadência e prescrição. Deste modo, resta sua inserção na legislação geral, ou seja, aplicam-se àquela contribuição as normas dispostas no CTN, que determina que o direito de a Fazenda Pública constituir o crédito tributário extingue-se após, conforme já citamos anteriormente. Assim, com base no CTN, as GRCSU Guias de Recolhimento da Contribuição Sindical Urbana devem ser conservadas pelo prazo mínimo de SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO As empresas devem obrigatoriamente observar as normas regulamentadoras de segurança e medicina do trabalho, em todos os locais de trabalho sujeitos às disposições da CLT. As normas regulamentadoras aplicam-se, no que couber, a cada empresa. Assim, a aplicação das normas será observada de acordo com a atividade desenvolvida pela empresa. A seguir, relacionamos os documentos mais comuns e o tempo de guarda dos mesmos: Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional O PCMSO Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional tem o caráter de prevenção, rastreamento e diagnóstico precoce dos agravos à saúde relacionados ao trabalho, inclusive de natureza subclínica, além da constatação da existência de casos de doenças profissionais ou danos irreversíveis à saúde dos trabalhadores. O PCMSO deve incluir, entre outros, a realização obrigatória dos exames médicos: admissional; periódico; de retorno ao trabalho; de mudança de função e demissional. Os dados obtidos nos exames médicos, incluindo avaliação clínica e exames complementares, as conclusões e as medidas aplicadas deverão ser registrados em prontuário clínico individual, que deve ficar sob a responsabilidade do médico coordenador do PCMSO, devendo ser mantido, por um período mínimo de 20 anos, contado após o desligamento do empregado Programa de Prevenção de Riscos Ambientais O PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais visa à preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores, através da antecipação, reconhecimento, avaliação e consequente controle da ocorrência de riscos ambientais existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho, tendo em consideração a proteção do meio ambiente e dos recursos naturais. O registro de dados, estruturado de forma a constituir um histórico técnico e administrativo do desenvolvimento do PPRA, deve ser mantido pelo empregador ou instituição responsável por um período mínimo de 20 anos Comissão Interna de Prevenção de Acidentes A CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador. Os documentos relativos à eleição da CIPA deverão ser guardados por, com exceção do Livro de Atas que deve ser guardado por um período indeterminado Mapas de Avaliação de Acidentes do Trabalho As empresas obrigadas a constituir SESMT Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho devem manter arquivados por os Mapas anuais dos Acidentes do Trabalho, com e sem vítimas, Doenças Ocupacionais e Agentes de Insalubridade.

4 Declaração de Instalação do Estabelecimento Novo Todo estabelecimento novo, antes de iniciar suas atividades, deverá solicitar aprovação de suas instalações ao órgão regional do MTE. A empresa poderá encaminhar ao órgão regional do MTE uma declaração das instalações do estabelecimento novo, que poderá ser aceita pelo referido órgão, para fins de fiscalização, quando não for possível realizar a inspeção prévia antes de o estabelecimento iniciar suas atividades. O recibo de entrega do formulário Declaração de Instalação deve ser arquivado por tempo indeterminado Ficha de Acidente do Trabalho e Resumo Estatístico Anual As empresas da Indústria da Construção devem manter arquivado pelo prazo de 3 anos cópia e o protocolo de encaminhamento dos formulários: a) Ficha de Acidente do Trabalho, contendo os dados pessoais, profissionais e de acidente dos empregados, este último com informações referentes tanto ao acidente fatal, ao acidente com e sem afastamento, quanto a doença do trabalho; b) Resumo Estatístico Anual, onde consta, dentre outras informações, o total de homens/horas de trabalho no ano, o número de meses computados, o número médio de trabalhadores no ano, o número de acidentados, com ou sem afastamento, o total de dias de trabalho perdidos e o total de acidentes fatais Caldeiras e Vasos de Pressão O livro Registro de Segurança, onde são anotadas todas as ocorrências com caldeiras e vasos sob pressão, deve ser guardado pelo tempo em que a empresa mantenha os equipamentos que deram origem às anotações constantes do mesmo. 4. FUNDO DE GARANTIA DO TEMPO DE SERVIÇO A legislação fixa em o prazo de prescrição dos depósitos do FGTS Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. Por essa razão, antes de destruir os documentos inerentes à relação empregatícia, a empresa deve observar o prazo prescricional de, período em que deverão ser conservados os seguintes documentos: a) GRF Guias de Recolhimento do FGTS; b) REC Relação de Estabelecimentos Centralizados; c) RET Relação de Tomadores/Obras; d) Protocolo de Dados Cadastrais do FGTS Alterações Cadastrais de Trabalhador e de Endereço do Trabalhador e Alterações Cadastrais do Empregador; e) Comprovante de Confissão de não recolhimento de valores de FGTS; f) arquivo SEFIP Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social. Sobre o assunto, a Súmula 362 do TST Tribunal Superior do Trabalho firmou entendimento que é trintenária a prescrição do direito de reclamar contra o não recolhimento da contribuição para o FGTS, observado o prazo de dois anos após o término do contrato de trabalho. 5. PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO SOCIAL O artigo 94 do Decreto 4.524/2002 determina o período de 10 anos para a guarda de livros e documentos necessários à apuração e ao recolhimento da contribuição do PIS Folha de Pagamento. Entretanto, o fundamento do referido dispositivo é o artigo 45 da Lei 8.212/91, já revogado. Assim sendo, entendemos que os referidos livros e documentos devem ser mantidos à disposição da RFB durante o prazo de 5 anos, aplicando-se as mesmas normas de prescrição da legislação previdenciária. 6. SALÁRIO-EDUCAÇÃO Considerando que desde a competência janeiro/2007 a contribuição do salário-educação passou a ser recolhida por meio da GPS, o referido documento deve ser mantido à disposição da fiscalização por para fins de comprovação do recolhimento. Em relação ao salário-educação relativo às competências anteriores a janeiro/2007 da empresa que recolhia diretamente ao FNDE Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, os documentos relativos ao atendimento dos alunos beneficiários deverão ser guardados para eventuais comprovações perante a fiscalização durante 10 anos a contar da competência de janeiro/ QUADRO-RESUMO DO PRAZO PARA GUARDA DE DOCUMENTOS Para ilustrar o presente trabalho, elaboramos a seguir o Quadro-Resumo com o prazo para guarda de documentos a ser observado pelas empresas em geral: DOCUMENTOS PRAZO DE GUARDA INÍCIO DA CONTAGEM Acordo de compensação de horas Retroativo à data do Acordo de prorrogação de horas Retroativo à data do CAGED 36 meses Primeiro dia do exercício seguinte Carta com Pedido de Demissão 2 anos Após a data do CAT Comunicação de Acidente do Trabalho Primeiro dia do exercício seguinte CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes Livros de Atas CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes Processo Eleitoral Comprovante de pagamento de benefícios reembolsados pelo INSS Indeterminado Próximo processo eleitoral Comunicação do Aviso Prévio 2 anos Após a data do Contrato de Trabalho Indeterminado Depósitos do FGTS

5 Ficha de Acidente do Trabalho e Resumo Estatístico Anual 3 anos Primeiro dia do exercício seguinte Folha de Pagamento Primeiro dia do exercício seguinte GFIP Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social GPS original GRCSU Guia de Recolhimento da Contribuição Sindical Urbana GRF Guia de Recolhimento do FGTS GRRF Guia de Recolhimento Rescisório do FGTS Informações prestadas ao INSS Livro Registro de Segurança Livro de Inspeção do Trabalho Livros ou fichas de Registro de Empregados Livros, Cartão ou Folhas de Ponto e Espelho de Ponto Eletrônico Existência do equipamento Indeterminado Indeterminado Retroativo à data do Mapa de Avaliação dos Acidentes do Trabalho (SESMT) Data do comprovante de entrega PCMSO Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional Histórico Clínico 20 anos Contados após o desligamento do empregado PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais 20 anos Planejamento anual seguinte PPP Perfil Profissiográfico Previdenciário e o Comprovante de entrega ao trabalhador 20 anos Contados da sua emissão PIS Programa de Integração Social Data do recolhimento Rais relatório ou cópia dos arquivos e recibo de entrega Data da entrega RE Relação de Empregados do FGTS Primeiro dia do exercício seguinte Recibo de entrega do formulário Declaração de Instalação Indeterminado Recibo de entrega do Vale-Transporte Retroativo à data da extinção do contrato de trabalho Recibos de Pagamentos de Férias Primeiro dia do exercício seguinte Recibos de Pagamentos de Salários Primeiro dia do exercício seguinte Recibos de Pagamentos do 13º Salário Primeiro dia do exercício seguinte Recolhimentos previdenciários do contribuinte individual Indeterminado Salário-Educação documentos relacionados aos alunos beneficiários 10 anos Primeiro dia do exercício seguinte Salário-Educação recolhimento por meio da GPS Data do recolhimento Salário-família documentos relacionados ao benefício Primeiro dia do exercício seguinte Sefip Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social Seguro-Desemprego Comunicado de Dispensa Data da extinção do contrato de trabalho Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho Retroativo à data da extinção do contrato de trabalho FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Constituição Federal de 1988 artigo 7º, inciso XXIX (Portal COAD); Lei Complementar 123, de (Informativo 50/2006 e Portal COAD); Lei Complementar 128, de (Fascículo 52/2008 e Portal COAD); Lei 5.172, de Código Tributário Nacional artigos 173 e 174 (Portal COAD); Lei 8.036, de artigo 23 (Portal COAD); Lei , de (Fascículo 22/2009); Decreto-lei 5.452, de CLT Consolidação das Leis do Trabalho artigo 440 (Portal COAD); Decreto 3.048, de RPS Regulamento da Previdência Social artigos 84, 1º, 225 (Portal COAD); Decreto 4.524, de artigos 94 e 95 (Informativo 51/2002); Decreto 4.729, de (Informativo 24/2003); Decreto 4.862, de (Informativo 43/2003); Decreto 6.003, de (Informativo 01/2007); Decreto 6.722, de (Fascículo 02/2009); Portaria 4 SSST, de (Informativo 27/95); Portaria 8 SSMT, de (Informativo 08/99); Portaria 23 SSST, de (Informativo 53/94); Portaria 24 SSST, de (Informativo 53/94); Portaria 35 SSMT, de (DO-U de ); Portaria 235 MTE, de (Informativo 12/2003); Portaria MTE, de (Fascículo 01/2010 e Portal COAD); Portaria MTb, de Segurança e Saúde do Trabalho NR 2, 4, 5, 7, 9, 13 e 18 (Portal COAD); Instrução Normativa 20 INSS, de (Portal COAD); Instrução Normativa 971 RFB, de artigos 47 e 138 (Portal COAD); Circular 450 CAIXA, de (Fascículo 43/2008); Circular 451 CAIXA, de (Fascículo 43/2008); Resolução 121 TST, de Súmula 362 (Informativos 47 e 48/2003, e 17/2005); Resolução 393 Codefat, de (Informativo 25/2004); Súmula Vinculante 8 STF, de (Fascículo 26/2008).

Confira os prazos para guarda de documentos trabalhistas previdenciários

Confira os prazos para guarda de documentos trabalhistas previdenciários Confira os prazos para guarda de documentos trabalhistas previdenciários Para resguardar os interesses dos trabalhadores e do fisco, os documentos inerentes à vida da empresa devem ser arquivados por determinado

Leia mais

ÚLTIMO DIÁRIO PESQUISADO

ÚLTIMO DIÁRIO PESQUISADO ÚLTIMO DIÁRIO PESQUISADO 02/05/2013 Fascículo Semanal nº 18 Ano XLVII 2013 FECHAMENTO: 02/05/2013 EXPEDIÇÃO: 05/05/2013 PÁGINAS: 216/209 Sumário TRABALHO FONOAUDIÓLOGO Exercício da Profissão Resolução

Leia mais

PRAZOS DE GUARDA E MANUTENÇÃO DE LIVROS E DOCUMENTOS

PRAZOS DE GUARDA E MANUTENÇÃO DE LIVROS E DOCUMENTOS PRAZOS DE GUARDA E MANUTENÇÃO DE LIVROS E DOCUMENTOS Regra geral Regra geral, o prazo de guarda e manutenção de livros e documentos fiscais, seja de competência federal, estadual ou municipal, tem ligação

Leia mais

Contfisco Empresa de Contabilidade

Contfisco Empresa de Contabilidade Competência Federal I - Trabalhista e Previdenciário Documento Tempo de guarda 1 Início da contagem Acordo de compensação de horas Retroativo à data da extinção do contrato de trabalho Acordo de prorrogação

Leia mais

TABELA DE TEMPORALIDADE Competência Federal / Trabalhista e Previdenciário

TABELA DE TEMPORALIDADE Competência Federal / Trabalhista e Previdenciário TABELA DE TEMPORALIDADE Competência Federal / Trabalhista e Previdenciário Acordo de compensação de horas Acordo de prorrogação de horas Atestado de Saúde Ocupacional Tempo de validade CAGED - Cadastro

Leia mais

Tempo de Guarda para Documentos Fiscais, Contábeis e Trabalhistas

Tempo de Guarda para Documentos Fiscais, Contábeis e Trabalhistas Tempo de Guarda para Documentos Fiscais, Contábeis e Trabalhistas A presente tabela contém os principais documentos fiscais, contábeis e trabalhistas das empresas com o tempo que deve ser mantido em arquivo

Leia mais

MÓDULO 9 9.6 GUARDA E AFIXAÇÃO DE DOCUMENTOS

MÓDULO 9 9.6 GUARDA E AFIXAÇÃO DE DOCUMENTOS MÓDULO 9 OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS 9.6 GUARDA E AFIXAÇÃO DE DOCUMENTOS SUMÁRIO ASSUNTO PÁGINA 9.6. GUARDA E AFIXAÇÃO DE DOCUMENTOS... 3 9.6.1. INTRODUÇÃO... 3 9.6.2. AFIXAÇÃO DE DOCUMENTOS... 3 9.6.2.1. QUADRO

Leia mais

Prazos obrigatórios de guarda de documentos pelo Amparo Legal.

Prazos obrigatórios de guarda de documentos pelo Amparo Legal. Há muito tempo as empresas preocupam-se com a guarda dos documentos, fiscais, contábeis, trabalhistas, encargos sociais, tributos, etc. 2011 Quando entramos na "era da revolução informática" acreditou-se

Leia mais

Fiscalização Trabalhista. Anita Maria Meinberg Perecin

Fiscalização Trabalhista. Anita Maria Meinberg Perecin Anita Maria Meinberg Perecin Apresentação dos documentos : Livro de inspeção do trabalho Cópia do contrato social CNPJ Cópia da convenção coletiva da categoria Laudo PPRA Carta de preposição Procuração

Leia mais

TABELA DE TEMPORALIDADE DE DOCUMENTOS CONTÁBEIS

TABELA DE TEMPORALIDADE DE DOCUMENTOS CONTÁBEIS TABELA DE TEMPORALIDADE DE DOCUMENTOS CONTÁBEIS COMPETÊNCIA FEDERAL I TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIO DOCUMENTO TEMPO DE GUARDA INÍCIO DA CONTAGEM ARQUIVO Acordo de compensação Retroativo à data da de horas

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS OBRIGAÇÕES MENSAIS SALÁRIOS CAGED INSS

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS OBRIGAÇÕES MENSAIS SALÁRIOS CAGED INSS AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS OBRIGAÇÕES MENSAIS SALÁRIOS O empregador deve efetuar o pagamento de salários aos empregados até o 5º (quinto) dia útil do mês subsequente ao vencido.

Leia mais

http://www.lgncontabil.com.br/

http://www.lgncontabil.com.br/ 1. INTRODUÇÃO ADMISSÃO DE EMPREGADOS PROCEDIMENTOS Para cada admissão a empresa deve observar, além dos itens descritos nesta matéria, as normas relativas à Segurança do Trabalho, conforme Portaria MTb

Leia mais

esocial esocial Diminuir o custo de produção, o controle e disponibilização das informações trabalhistas, previdenciárias e fiscais;

esocial esocial Diminuir o custo de produção, o controle e disponibilização das informações trabalhistas, previdenciárias e fiscais; Ref.: nº 26/2015 esocial 1. Conceito O esocial é um projeto do Governo Federal que vai coletar as informações descritas em seu objeto, armazenando-as em Ambiente Nacional, possibilitando aos órgãos participantes,

Leia mais

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES MENSAIS

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES MENSAIS Data Vencimento 07 (quinta-feira) 15 Obrigação Salário- Maternidade Salário-Família Folha de Pagamento Código Receita 1007 1163 Fato Gerador e Fundamento Legal Parto e aborto espontâneo, conforme certidão

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO ORIENTAÇÕES PREVIDÊNCIA SOCIAL

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO ORIENTAÇÕES PREVIDÊNCIA SOCIAL VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO ORIENTAÇÕES PREVIDÊNCIA SOCIAL Orientador Empresarial RETENÇÃO PREVIDENCIÁRIA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EM CONDIÇÕES ESPECIAIS 1. Contribuição

Leia mais

Mauro Chagas Contador CRC/MT 7322/O-9 65 3549.3441 / 9995-8505

Mauro Chagas Contador CRC/MT 7322/O-9 65 3549.3441 / 9995-8505 OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS Sumário 1. Introdução 2. Obrigações Mensais 2.1 - Salários 2.2 - CAGED 2.3 - INSS 2.4 - PIS - Cadastramento 2.5 - FGTS 2.6 - CIPA 2.7 - Exame Médico 2.8 - Acidente

Leia mais

Módulo Recursos Humanos

Módulo Recursos Humanos Módulo Recursos Humanos Folha de Pagamento Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Recursos Humanos Folha de Pagamento. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas

Leia mais

CALENDÁRIO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS e PREVIDENCIÁRIAS OUTUBRO/2010

CALENDÁRIO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS e PREVIDENCIÁRIAS OUTUBRO/2010 1 CALENDÁRIO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS e PREVIDENCIÁRIAS OUTUBRO/2010 Dia 06-10-2010 (Quarta-feira): SALÁRIOS Todos os empregadores, assim definidos pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Fato

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 Orientações Básicas INFORMAÇÕES GERAIS PESSOA JURÍDICA 1) DCTF : (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) ATENÇÃO! Apresentação MENSAL obrigatória pelas Pessoas

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 87, DE 27 DE MARÇO DE 2003

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 87, DE 27 DE MARÇO DE 2003 Ministério da Previdência Social Instituto Nacional do Seguro Social Diretoria Colegiada INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 87, DE 27 DE MARÇO DE 2003 Dispõe sobre a contribuição para o financiamento da aposentadoria

Leia mais

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE www.departamentopessoalonline.com - 3 -

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE www.departamentopessoalonline.com - 3 - ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL INTRODUÇÃO... 008 DISPOSIÇÕES GERAIS... 009 Conceito de empregador... 009 Conceito de empregado... 009 Direitos do empregado... 010 ASSÉDIO MORAL E SEXUAL NO TRABALHO...

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012 Orientações Básicas INFORMAÇÕES GERAIS PESSOA JURÍDICA 1) DCTF : (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) ATENÇÃO! Apresentação MENSAL obrigatória pelas Pessoas

Leia mais

Relatório Trabalhista

Relatório Trabalhista Rotinas de Pessoal & Recursos Humanos www.sato.adm.br - sato@sato.adm.br - fone (11) 4742-6674 Desde 1987 Legislação Consultoria Assessoria Informativos Treinamento Auditoria Pesquisa Qualidade Relatório

Leia mais

OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS DAS EMPRESAS - ANO 2011. Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 06/01/2011.

OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS DAS EMPRESAS - ANO 2011. Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 06/01/2011. OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS DAS EMPRESAS - ANO 2011 Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 06/01/2011. Sumário: 1 - Introdução 2 - Feriados 2.1 - Feriados Nacionais 2.2 - Feriados

Leia mais

CIRCULAR 001/2006 INSTRUÇÕES PARA ARQUIVO

CIRCULAR 001/2006 INSTRUÇÕES PARA ARQUIVO CIRCULAR 001/2006 INSTRUÇÕES PARA ARQUIVO Seguem abaixo, orientações sobre o arquivo de documentos em vossa empresa, para sua segurança e para melhor controle administrativo, facilitando assim qualquer

Leia mais

TREINAMENTO: DEPARTAMENTO PESSOAL COMPLETO-ATENÇÃO AS RECENTES ALTERAÇÕES

TREINAMENTO: DEPARTAMENTO PESSOAL COMPLETO-ATENÇÃO AS RECENTES ALTERAÇÕES TREINAMENTO: DEPARTAMENTO PESSOAL COMPLETO-ATENÇÃO AS RECENTES ALTERAÇÕES PROGRAMA Módulo I - Processo Admissional Providências da Empresa, Documentação Exigida, Exame Médico na Admissão, CAGED, Registro

Leia mais

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES MENSAIS

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES MENSAIS Data Vencimento 07 Obrigação Salário Mensal Fato Gerador e Fundamento Legal Pagamento mensal da remuneração. (ver nota 1) Salário-Mínimo Valor atual de R$ 788,00 - Decreto nº 8.381/14. Pró-labore Código

Leia mais

e-social - VERSÃO 2.1

e-social - VERSÃO 2.1 Recursos Humanos OBRIGAÇÕES TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA NA FOLHA DE PAGAMENTO Março de 2016 - Brasília Realização Workshop OBRIGAÇÕES TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA NA FOLHA DE PAGAMENTO Apresentação Com

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO II

DIREITO DO TRABALHO II DIREITO DO II Me. Ariel Silva. l Órgãos de segurança SESMT: O Serviço Especializado em engenharia de segurança e em Medicina do Trabalho, SESMT, constitui-se no órgão técnico da empresa composto exclusivamente

Leia mais

GR ASSESSORIA LTDA. Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho. Fones 3274.7841 / 3091.0306 / 3257.4685 / 87578392 / 8778.

GR ASSESSORIA LTDA. Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho. Fones 3274.7841 / 3091.0306 / 3257.4685 / 87578392 / 8778. GR ASSESSORIA LTDA Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho Fones 3274.7841 / 3091.0306 / 3257.4685 / 87578392 / 8778.4561 PCMSO Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional PPRA Programa

Leia mais

ÍNDICE. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 971/2009, (Atualizada em Janeiro/2012)

ÍNDICE. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 971/2009, (Atualizada em Janeiro/2012) ÍNDICE INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 971/2009, (Atualizada em Janeiro/2012) TÍTULO I DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS CAPÍTULO I DOS CONTRIBUINTES DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Seção II Dos Segurados Contribuintes Obrigatórios

Leia mais

1.2 EXAME MÉDICO MÓDULO 1 ADMISSÃO

1.2 EXAME MÉDICO MÓDULO 1 ADMISSÃO MÓDULO 1 ADMISSÃO 1.2 EXAME MÉDICO ESTE FASCÍCULO SUBSTITUI O DE IGUAL NÚMERO ENVIADO ANTERIORMENTE AOS NOSSOS ASSINANTES. RETIRE O FASCÍCULO SUBSTITUÍDO, ANTES DE ARQUIVAR O NOVO, PARA EVITAR A SUPERLOTAÇÃO

Leia mais

FOLHA DE PAGAMENTO E SUAS RETENÇÕES Carlos Alencar OUTUBRO/2013

FOLHA DE PAGAMENTO E SUAS RETENÇÕES Carlos Alencar OUTUBRO/2013 FOLHA DE PAGAMENTO E SUAS RETENÇÕES Carlos Alencar OUTUBRO/2013 OBRIGATORIEDADE A empresa é obrigada a elaborar mensalmente a folha de pagamento da remuneração paga devida ou creditada a todos os segurados

Leia mais

Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. 1 - INTRODUÇÃO. nº 123/2006, com a redação dada pela Lei Complementar nº 128/2008.

Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. 1 - INTRODUÇÃO. nº 123/2006, com a redação dada pela Lei Complementar nº 128/2008. Trabalhistas MICROEMPREENDEDOR - Alterações INDIVIDUAL - MEI - Aspectos Previdenciários e Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. Sumário: 12 Conceito Introdução 3.1 - Tributação

Leia mais

NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2)

NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2) Página 1 de 6 NR 7 - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional(107.000-2) 7.1. Do objeto. 7.1.1. Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece a obrigatoriedade de elaboração e implementação, por parte

Leia mais

COMO ELABORAR CORRETAMENTE O PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO - PPP

COMO ELABORAR CORRETAMENTE O PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO - PPP COMO ELABORAR CORRETAMENTE O PERFIL PROFISSIOGRÁFICO PREVIDENCIÁRIO - PPP *Jaques Sherique O primeiro passo para a elaboração correta de um Sistema de Perfil Profissiográfico Previdenciário é a manutenção

Leia mais

ELABORAÇÃO DE GFIP OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL PESSOA JURÍDICA

ELABORAÇÃO DE GFIP OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL PESSOA JURÍDICA ELABORAÇÃO DE GFIP OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL PESSOA JURÍDICA LEGISLAÇÃO Lei 8.212 de 24/07/91, com alterações estabelecidas pelas Leis 9.528/97 e 11.941/2009 Dispõe sobre a exigência de entrega de GFIP

Leia mais

Manual Prático Trabalhista e Previdenciário

Manual Prático Trabalhista e Previdenciário Manual Prático Trabalhista e Previdenciário Qual é o prazo para pagamento dos salários dos empregados? R: O pagamento deve ser realizado até o 5º dia útil do mês seguinte. Esta deve ser a data em que deve

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS FEVEREIRO DE 2012

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS FEVEREIRO DE 2012 Page 1 of 5 AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS E PREVIDENCIÁRIAS FEVEREIRO DE 2012 06/02/2012 SALÁRIOS 07/02/2012 Pagamento de salários - mês de JANEIRO/2012 Base legal: Art. 459, parágrafo único da CLT.

Leia mais

MANUAL DO CLIENTE. Orientações Gerais

MANUAL DO CLIENTE. Orientações Gerais MANUAL DO CLIENTE Orientações Gerais 2 Prezado Cliente: O compromisso da ESAME é oferecer a você o melhor serviço na área de Saúde e Segurança no Trabalho, assegurando a qualidade nos procedimentos médicos,

Leia mais

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL

MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL MEI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Conheça as condições para recolhimento do Simples Nacional em valores fixos mensais Visando retirar da informalidade os trabalhadores autônomos caracterizados como pequenos

Leia mais

Agenda: ü Conceito do e- Social; ü Saúde e Segurança do Trabalho SSO- EHS; ü e- Social e a Saúde e Segurança do Trabalho;

Agenda: ü Conceito do e- Social; ü Saúde e Segurança do Trabalho SSO- EHS; ü e- Social e a Saúde e Segurança do Trabalho; Agenda: ü Conceito do e- Social; ü Saúde e Segurança do Trabalho SSO- EHS; ü e- Social e a Saúde e Segurança do Trabalho; 1. O que é o esocial? Um Sistema de Escrituração Fiscal Digital das obrigações

Leia mais

esocial Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Copyright 2013 1

esocial Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Copyright 2013 1 esocial Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Copyright 2013 1 O que é esocial? É o projeto de escrituração digital da folha de pagamento e das obrigações trabalhistas, previdenciárias

Leia mais

Contribuição Sindical dos empregados. Neste bip. Você sabia? edição 19 Março de 2012

Contribuição Sindical dos empregados. Neste bip. Você sabia? edição 19 Março de 2012 Neste bip Contribuição Sindical dos empregados... 1 Alterações no Aviso Prévio conforme Circular MTE 10/2011... 2 Formas de contabilização da Escrita Fiscal... 3 Importação de Notas Fiscais de Serviço...

Leia mais

1) O que é o esocial?

1) O que é o esocial? 1) O que é o esocial? O Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (esocial) é um projeto do governo federal que vai unificar o envio de informações pelo empregador

Leia mais

ORIENTAÇÃO OBRIGAÇÕES DAS EMPRESAS

ORIENTAÇÃO OBRIGAÇÕES DAS EMPRESAS PREVIDÊNCIA SOCIAL ORIENTAÇÃO OBRIGAÇÕES DAS EMPRESAS Mensais e Periódicas Confira as obrigações mensais e periódicas das empresas para o ano de 2010 Todos os empregadores, para atender às disposições

Leia mais

EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA 2013 ESPECIALIZAÇÃO EM CLT e PREVIDÊNCIA (Custeio)

EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA 2013 ESPECIALIZAÇÃO EM CLT e PREVIDÊNCIA (Custeio) EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA 2013 ESPECIALIZAÇÃO EM CLT e PREVIDÊNCIA (Custeio) OBJETIVOS DO CURSO: Proporcionar aos participantes instruções e conhecimento da Legislação Trabalhista e Previdenciária (custeio).

Leia mais

e-social Divisão Trabalhista e Previdenciária Agosto de 2013

e-social Divisão Trabalhista e Previdenciária Agosto de 2013 Divisão Trabalhista e Previdenciária Agosto de 2013 Conceito de EFD-Social O (EFD-Social) é um projeto do governo federal que visa a unificação das obrigações trabalhistas, previdenciárias e tributárias

Leia mais

NR-7 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL. Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi

NR-7 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL. Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi NR-7 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL Curso:Tecnólogo em Gestão Ambiental Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira OBJETO: Estabelece

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014. c) multa ou qualquer vantagem por rescisão de contratos.

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014. c) multa ou qualquer vantagem por rescisão de contratos. Até dia Obrigação AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014 Histórico ocorridos no período de 21 a 31.07.2014, incidente sobre rendimentos de (art. 70, I, letra "b", da Lei nº 11.196/2005 ): 5

Leia mais

ANO XXV - 2014-4ª SEMANA DE JANEIRO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 04/2014

ANO XXV - 2014-4ª SEMANA DE JANEIRO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 04/2014 ANO XXV - 2014-4ª SEMANA DE JANEIRO DE 2014 BOLETIM INFORMARE Nº 04/2014 ASSUNTOS TRABALHISTAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA - PARA O ANO DE 2014... Pág. 58 SEGURO-DESEMPREGO - VALORES A PARTIR

Leia mais

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL EMPREENDEDOR INDIVIDUAL Oportunidade de regularização para os empreendedores individuais, desde a vendedora de cosméticos, da carrocinha de cachorro-quente ao pipoqueiro. 2 Empresas em geral Microempresas

Leia mais

VARGAS CONTABILIDADE atendimento@vargascontabilidaders.com.br ORIENTAÇÃO

VARGAS CONTABILIDADE atendimento@vargascontabilidaders.com.br ORIENTAÇÃO VARGAS CONTABILIDADE atendimento@vargascontabilidaders.com.br ORIENTAÇÃO PREVIDÊNCIA SOCIAL Décimo Terceiro Salário Nesta orientação, vamos apresentar como deve ser preenchida a declaração do SEFIP Sistema

Leia mais

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Domingo 1 2 3 4 5 6 Clique e veja o compromisso do dia aqui

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Domingo 1 2 3 4 5 6 Clique e veja o compromisso do dia aqui Atenção 01 Aqueles contribuintes obrigados ao envio mensal do arquivo SINTEGRA ao SEFAZ, devem observar a data de entrega, conforme definido pelo fisco. Atenção 02 Essas informações não substituem aquelas

Leia mais

MÓDULO ATIVIDADES ESPECIAIS 8.1 COOPERATIVAS

MÓDULO ATIVIDADES ESPECIAIS 8.1 COOPERATIVAS MÓDULO 8 ATIVIDADES ESPECIAIS 8.1 COOPERATIVAS DEPARTAMENTO DE PESSOAL MANUAL DE PROCEDIMENTOS ASSUNTO SUMÁRIO PÁGINA 8.1. COOPERATIVAS... 3 8.1.1. INTRODUÇÃO... 3 8.1.2. CONCEITO... 3 8.1.2.1. CLASSIFICAÇÃO

Leia mais

Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico

Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico Versão 2.0 21/10/2015 Alterações em relação à versão anterior Alterado: itens 11, 13, 22, 29, 30, 33, 34, 40, 45, 47 e 50 Incluído: itens 12, 14, 15,

Leia mais

Dra. Valéria de Souza Telles. esocial - Dra. Valéria de Souza Telles 1

Dra. Valéria de Souza Telles. esocial - Dra. Valéria de Souza Telles 1 Dra. Valéria de Souza Telles esocial - Dra. Valéria de Souza Telles 1 Manual de Orientação do e - Social Versão 1.0 (Ato Declaratório Executivo SUFIS nº 5/13 DOU de 18/07/2013) Manual de Orientação do

Leia mais

MÓDULO ADMISSÃO 1.2 EXAME MÉDICO

MÓDULO ADMISSÃO 1.2 EXAME MÉDICO MÓDULO 1 ADMISSÃO 1.2 EAME MÉDICO DEPARTAMENTO DE PESSOAL MANUAL DE PROCEDIMENTOS SUMÁRIO ASSUNTO PÁGINA 1.2. EAME MÉDICO... 3 1.2.1. INTRODUÇÃO... 3 1.2.2. PENALIDADES... 3 1.2.3. ADMISSIONAL OU PRÉ-ADMISSIONAL...

Leia mais

Luiz Oscar Dornelles Schneider Especialista em Medicina do Trabalho AMB / ANAMT

Luiz Oscar Dornelles Schneider Especialista em Medicina do Trabalho AMB / ANAMT FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DA EXIGIBILIDADE DO LTCAT LAUDO TÉCNICO DE CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO Seguem-se abaixo os trechos dos documentos legais que versam sobre a matéria, de acordo com sua ordem hierárquica

Leia mais

Finalidade. Entes envolvidos. Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas

Finalidade. Entes envolvidos. Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas Sistema de Escrituração Fiscal Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas ariane@ensicon.com.br Finalidade A Escrituração Fiscal Digital Social tem por finalidade: a) Prestar informações

Leia mais

INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE O SEGURO DESEMPREGO

INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE O SEGURO DESEMPREGO INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE O SEGURO DESEMPREGO Benefício temporário concedido ao trabalhador desempregado dispensado sem justa causa é composto por 3 a 5 parcelas mensais, pagas em dinheiro, de valores

Leia mais

Dicas de Custeio do Prof. Italo Romano

Dicas de Custeio do Prof. Italo Romano 1. As alíquotas de contribuição dos segurados: empregado, doméstico e trabalhador avulso são 8%, 9% e 11% observando a faixa remuneratória na tabela abaixo: SALÁRIO-DE-CONTRIBUIÇÃO ALÍQUOTAS Até 965,67

Leia mais

Art. 1º - Aprovar o texto da Norma Regulamentadora n.º 7 EXAMES MÉDICOS, que passa a ter a seguinte redação:

Art. 1º - Aprovar o texto da Norma Regulamentadora n.º 7 EXAMES MÉDICOS, que passa a ter a seguinte redação: MINISTÉRIO DO TRABALHO SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO PORTARIA N.º 24, DE 29 DE DEZEMBRO DE 1994 (D.O.U. de 30/12/94 Seção 1 págs. 21.278 e 21.280) O SECRETÁRIO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO,

Leia mais

FAQ - PERGUNTAS E RESPOSTAS

FAQ - PERGUNTAS E RESPOSTAS FAQ - PERGUNTAS E RESPOSTAS ESCRITA FISCAL A nota eletrônica é melhor do que a nota em papel? Sim a nota eletrônica não possui custo para emissão, necessitando apenas de um computador, um certificado digital

Leia mais

esocial Informações e Orientações Atualizadas

esocial Informações e Orientações Atualizadas esocial Informações e Orientações Atualizadas Conceito e Objetivos do esocial O esocial é uma ação conjunta destes órgãos e entidades do governo federal: Caixa Econômica Federal Instituto Nacional do Seguro

Leia mais

FORMALIZAÇÃO formalização será feita pela internet no endereço no endereço www.portaldoempreendedor.gov.br, a partir de 01/07/2009.

FORMALIZAÇÃO formalização será feita pela internet no endereço no endereço www.portaldoempreendedor.gov.br, a partir de 01/07/2009. M.E.I. (Micro empreendedor Individual) Lei Complementar numero 128 de 19 de dezembro de 2008. Considera-se MEI o empresário individual a que se refere o art. 966 da Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS SOCIAIS DA APM

OBRIGAÇÕES FISCAIS SOCIAIS DA APM COMUNICADO FDE / DRA Nº 001/2015 OBRIGAÇÕES FISCAIS E SOCIAIS DA APM 2 0 1 5 Página 1 de 9 O objetivo deste texto é informar aos dirigentes das Associações de Pais e Mestres APMs de Escolas Estaduais conveniadas

Leia mais

Perguntas e respostas sobre a instrução normativa/inss/dc nº 89 de 11/06/2003 e a Lei nº 10.666 de 08/05/2003

Perguntas e respostas sobre a instrução normativa/inss/dc nº 89 de 11/06/2003 e a Lei nº 10.666 de 08/05/2003 Perguntas e respostas sobre a instrução normativa/inss/dc nº 89 de 11/06/2003 e a Lei nº 10.666 de 08/05/2003 01 De que trata a Instrução Normativa 89? A IN 89 trata da contribuição adicional para financiamento

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2000/2001

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2000/2001 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2000/2001 Acordo Coletivo de Trabalho que entre si fazem, de um lado, a Federação Única dos Petroleiros e os seguintes sindicatos: Sindicato do Ramo Químico/Petroleiro do Estado

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO SECRETARIA ORDEM DE SERVIÇO Nº 2/SEAOF.GDGSET, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2010

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO SECRETARIA ORDEM DE SERVIÇO Nº 2/SEAOF.GDGSET, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2010 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO SECRETARIA ORDEM DE SERVIÇO Nº 2/SEAOF.GDGSET, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2010 Dispõe sobre os procedimentos de fiscalização dos contratos de terceirização de mão-de-obra. O DIRETOR-GERAL

Leia mais

Agenda de Obrigações Trabalhistas e Previdenciárias Janeiro de 2015

Agenda de Obrigações Trabalhistas e Previdenciárias Janeiro de 2015 Agenda de Obrigações Trabalhistas e Previdenciárias Janeiro de 2015 Dia: 07/01/2015 Pagamento de Salários Pagamento mensal de salários até o 5º dia útil. Fundamento: 1º do art. 459 e art. 465, ambos da

Leia mais

esocial Sistema de Escrituração das Obrigações Fiscais, Previdênciárias e Trabalhistas

esocial Sistema de Escrituração das Obrigações Fiscais, Previdênciárias e Trabalhistas esocial Sistema de Escrituração das Obrigações Fiscais, Previdênciárias e Trabalhistas O que é o esocial? O Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (esocial)

Leia mais

Guarda e manutenção de documentos trabalhistas e previdenciários Roteiro de Procedimentos

Guarda e manutenção de documentos trabalhistas e previdenciários Roteiro de Procedimentos http://ww Guarda e manutenção de documentos trabalhistas e previdenciários Roteiro de Procedimentos Sumário Introdução I - Regras gerais I.1 - Previdenciária I.2 - Trabalhista I.2.1 - Direito individual

Leia mais

TIPO DE DOCUMENTO PRAZO FUNDAMENTO LEGAL. Alvará Permanente **** Atestado Médico/Abono de Falta 10 anos Lei 8.212/91 artigo 46

TIPO DE DOCUMENTO PRAZO FUNDAMENTO LEGAL. Alvará Permanente **** Atestado Médico/Abono de Falta 10 anos Lei 8.212/91 artigo 46 PRAZOS PARA GUARDA DE DOCUMENTOS Importante: Os documentos contidos nessa lista não são exaustivos, o intuito é direcionar e contribuir para organização da empresa. Porém deve- se analisar qualquer particularidade

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 004/DIR/2011

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 004/DIR/2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 004/DIR/2011 ESTABELECE NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA O PAGAMENTO DE SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA, EM CARÁTER EVENTUAL, POR MEIO DE RECIBO DE PAGAMENTO A CONTRIBUINTE INDIVIDUAL

Leia mais

*REGISTRO ELETRÔNICO DE PONTO

*REGISTRO ELETRÔNICO DE PONTO SICAP NEWS Ano 2 nº 19 Informativo Mensal Março 2010 *REGISTRO ELETRÔNICO DE PONTO * Base Legal: Art. 74 da CLT e Portaria 1.510/2009, do MTE Conforme dispõe o 2º do art. 74 da CLT, estão obrigados à anotação

Leia mais

Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico

Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico Versão 1.0 29/09/2015 Alterações em relação à versão anterior Não se aplica Simples Doméstico esocial 1. O que é o SIMPLES Doméstico? Vivemos um momento

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Tributos Microempreendedor Individual (MEI)

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Tributos Microempreendedor Individual (MEI) 04/09/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 3.1 Contratação de Empregado... 7 3.2 Cessão ou Locação de Mão-de-Obra... 7

Leia mais

CIRCULAR Nº 024/2003 PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A INSTRUÇÃO NORMATIVA/INSS/ DC Nº 89 DE 11/06/2003 E A LEI Nº 10.

CIRCULAR Nº 024/2003 PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A INSTRUÇÃO NORMATIVA/INSS/ DC Nº 89 DE 11/06/2003 E A LEI Nº 10. São Paulo, 21 de Agosto de 2003 DE: MÁRCIO FERNANDES DA COSTA PARA: ASSOCIADOS CIRCULAR Nº 024/2003 PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A INSTRUÇÃO NORMATIVA/INSS/ DC Nº 89 DE 11/06/2003 E A LEI Nº 10.666 DE 08/05/2003

Leia mais

TAX. esocial 2014. PAINEL FIEAM, CIEAM e CAMARA- NIPO BRASILEIRA. Abril de 2014 Tax

TAX. esocial 2014. PAINEL FIEAM, CIEAM e CAMARA- NIPO BRASILEIRA. Abril de 2014 Tax TAX esocial 2014 PAINEL FIEAM, CIEAM e CAMARA- NIPO BRASILEIRA Abril de 2014 Tax kpmg 1 Histórico T-Rex e Harpia A partir de 2006 a Receita Federal do Brasil colocou em operação um equipamento capaz de

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 003/DIR/2013

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 003/DIR/2013 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 003/DIR/2013 ESTABELECE NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA O PAGAMENTO DE SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA, EM CARÁTER EVENTUAL, POR MEIO DE RECIBO DE PAGAMENTO A CONTRIBUINTE INDIVIDUAL

Leia mais

Curso de Direito Previdenciário

Curso de Direito Previdenciário Curso de Direito Previdenciário dias 04, 08 e 10/07 Professora: Rita de Cássia Samyn Teixeira Sumário 1. Programa 2. Currículo da ministrante 3. Informações gerais 1. Programa: 1.1. Visão panorâmica do

Leia mais

MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - MEI - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas - Alterações

MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - MEI - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas - Alterações MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - MEI - Aspectos Previdenciários e Trabalhistas - Alterações Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 20/08/2014. Sumário: 1 - Introdução 2 - Conceito 3 - Opção

Leia mais

Acordos de Compensação de Horas 05 anos CF artigo 7º, inciso XXIX. Advertência e Suspensão 05 anos CF artigo 7º, inciso XXIX. Alvará Permanente ****

Acordos de Compensação de Horas 05 anos CF artigo 7º, inciso XXIX. Advertência e Suspensão 05 anos CF artigo 7º, inciso XXIX. Alvará Permanente **** PRAZOS PARA GUARDA DE DOCUMENTOS Importante: Os documentos contidos nessa lista não são exaustivos, o intuito é direcionar e contribuir para organização da empresa. Porém deve-se analisar qualquer particularidade

Leia mais

Neste bip. Participação nos Lucros e Resultados. Você Sabia? Rescisão Complementar. Edição 54 Fevereiro de 2015

Neste bip. Participação nos Lucros e Resultados. Você Sabia? Rescisão Complementar. Edição 54 Fevereiro de 2015 Neste bip Participação nos Lucros e Resultados... Rescisão Complementar... 1 DIRF 2015... 2 Novas Alterações Trabalhistas e Previdenciárias... 3 EFD ICMS-IPI... 4 Nova Tabela de INSS e Salário Família...

Leia mais

Boletim da Auditoria de Contratos BDAC SUMÁRIO

Boletim da Auditoria de Contratos BDAC SUMÁRIO Boletim da Auditoria de Contratos Ano I - Nº 07 outubro/2009 SUMÁRIO Principais erros cometidos pelas empresas na hora de elaborar um contrato Terceirização: Como evitar passivos trabalhistas Guarda de

Leia mais

MÓDULO V Rotinas práticas Trabalhistas

MÓDULO V Rotinas práticas Trabalhistas DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE A solução trabalhista e previdenciária em tempo real. MÓDULO V Rotinas práticas Trabalhistas CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL - 1 - MÓDULO V TODOS OS DIREITOS RESERVADOS É expressamente

Leia mais

Características do Sistema

Características do Sistema SISTEMA FOLHA DE PAGAMENTO ADVANCED Características do Sistema Sistema multiusuário pleno. Sistema multiempresa sem limitações. Recursos e facilidades operacionais com eficiência, segurança e exatidão.

Leia mais

esocial: Integração no Ambiente Sped SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL

esocial: Integração no Ambiente Sped SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL esocial: Integração no Ambiente Sped SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL NF-e Abrangência ECD esocial EFD EFD - IRPJ CT-e NFS-e E-Lalur FCont O esocial é um projeto do governo federal que vai unificar

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MATÉRIAS

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MATÉRIAS VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO BKR-Lopes, Machado Orientador Empresarial MATÉRIAS Salário-Maternidade Sistemática de Compensação e Atualização do Sistema SEFIP Versão

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Emissão do Recibo Pagamento de Autônomo (RPA)

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Emissão do Recibo Pagamento de Autônomo (RPA) 30/06/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 3.1 Lei Complementar nº 87 de 13 de setembro de 1996.... 4 3.2 Convênio ICMS

Leia mais

DEPARTAMENTO JURÍDICO TRABALHISTA BOLETIM 091/2015

DEPARTAMENTO JURÍDICO TRABALHISTA BOLETIM 091/2015 DEPARTAMENTO JURÍDICO TRABALHISTA ADM 223/2015-29/09/2015 BOLETIM 091/2015 Fixados os critérios sobre o recolhimento obrigatório do FGTS pelo empregador doméstico e divulgada a versão 2 do manual de recolhimento

Leia mais

Neste bip. EFD Contribuições. Você sabia? Prazo final para entrega dos arquivos ECD e FCONT. edição 22 Junho de 2012

Neste bip. EFD Contribuições. Você sabia? Prazo final para entrega dos arquivos ECD e FCONT. edição 22 Junho de 2012 Neste bip EFD Contribuições... 1 Prazo final para entrega dos arquivos ECD e FCONT... 1 Configuração da Demonstração do Fluxo de Caixa... Configuração do Plano de Contas de acordo com a Lei 11.638/07...

Leia mais

MANUAL DO CLIENTE PROCEDIMENTOS NA ÁREA ADMINISTRATIVA A - QUADROS. A.1 - Após a constituição da empresa, deverá ser mantido em local visível

MANUAL DO CLIENTE PROCEDIMENTOS NA ÁREA ADMINISTRATIVA A - QUADROS. A.1 - Após a constituição da empresa, deverá ser mantido em local visível MANUAL DO CLIENTE PROCEDIMENTOS NA ÁREA ADMINISTRATIVA A - QUADROS A.1 - Após a constituição da empresa, deverá ser mantido em local visível seu quadro de avisos para análise da fiscalização os seguintes

Leia mais

O esocial e os desafios junto à fiscalização previdenciária, trabalhista e tributária. Necessidade de organização e consequências previsíveis.

O esocial e os desafios junto à fiscalização previdenciária, trabalhista e tributária. Necessidade de organização e consequências previsíveis. O esocial e os desafios junto à fiscalização previdenciária, trabalhista e tributária. Necessidade de organização e consequências previsíveis. Renan Cesco de Campos VIII Fórum de Relações Trabalhistas

Leia mais

Retenção de Impostos e Contribuições

Retenção de Impostos e Contribuições Retenção de Impostos e Contribuições COMO A FONTE PAGADORA DEVE DESCONTAR: IR PIS/PASEP COFINS CSLL ISS INSS Resumo do conteúdo: IR Fonte Assalariados / Pro Labore IR Fonte Terceiros e Não Assalariados

Leia mais

Aquisição ou venda feita em 2014 deve ser informada à Receita. Dica é conhecer

Aquisição ou venda feita em 2014 deve ser informada à Receita. Dica é conhecer Informativo Abril/2015 edição 20 Aquisição ou venda feita em 2014 deve ser informada à Receita. Dica é conhecer detalhes para evitar a malha fina. A declaração de imóveis no Imposto de Renda requer uma

Leia mais

Artigo explica sobre as obrigações do e-social Fonte: Conselho Regional de Contabilidade de Santa Catarina

Artigo explica sobre as obrigações do e-social Fonte: Conselho Regional de Contabilidade de Santa Catarina Artigo explica sobre as obrigações do e-social Fonte: Conselho Regional de Contabilidade de Santa Catarina Você já deve ter ouvido falar do esocial. Se ainda não ouviu, certamente ouvirá, e continuará

Leia mais

03/05/2015. Entendendo o esocial

03/05/2015. Entendendo o esocial Entendendo o esocial 1 O que é o esocial O esocialé o instrumento de unificação da prestação das informações referentes à escrituração das obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas e tem por finalidade

Leia mais

O que é? Pra que serve? Quem promove? Como vai funcionar? O dia a dia? Quando começa? Agenda. E agora, o que tenho que fazer????

O que é? Pra que serve? Quem promove? Como vai funcionar? O dia a dia? Quando começa? Agenda. E agora, o que tenho que fazer???? Fevereiro de 2014 O que é? Pra que serve? Quem promove? Como vai funcionar? O dia a dia? Quando começa? Agenda E agora, o que tenho que fazer???? O QUE É AFINAL? Componente do SPED (Sistema Público de

Leia mais