Rua Barão de Mauá, Guarulhos - SP - CEP Ano XI - Nº 48 - maio e junho de 2008 Aleitamento Materno

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Rua Barão de Mauá, 100 - Guarulhos - SP - CEP 07012-040 - Ano XI - Nº 48 - maio e junho de 2008 Aleitamento Materno"

Transcrição

1 1 Rua Barão de Mauá, Guarulhos - SP - CEP Ano XI - Nº 48 - maio e junho de 2008 Aleitamento Materno Uma proteção natural tanto para o bebê quanto para a mamãe. Equipe multiprofissional do Hospital Carlos Chagas apóia a amamentação na UTI Neo/Pediátrica Página 7 Caso Clínico: a Síndrome de Behçet Página 6 Um hospital que apenas eu conheço Por Álvaro J. C. Campos Página 3

2 2 Eventos Eventos do Centro de Estudos do Hospital Carlos Chagas Abril, Maio e Junho/ 2008 Local: Espaço Médico do Hospital Carlos Chagas Rua Barão de Mauá, 100-7º andar Grupo de Reflexão (mensais) - Há alguns anos o Centro de Estudos, e este ano juntamente com a Comissão de Humanização do Hospital Carlos Chagas, tendo como objetivo um espaço para reflexão de temas relativos a transtornos emocionais ou mesmo filosóficos, onde os profissionais da saúde podem elaborar suas próprias experiências de vida e também perceber a importância destas situações no envolvimento com o paciente, nos meses de abril, maio e junho, foram discutidos os seguintes temas: Fronteiras entre Dor Mental e Dor Física - Mecanismos Psicossomáticos; Violência - Limites da Razão; Espiritualidade e Religiosidade no contexto da Saúde Mental. Nestes encontros, como expositores de Casos Clínicos e facilitadores, estiveram presentes os seguintes profissionais: Dr. Carlos Maia da Silva, psicólogo do Hospital Carlos Chagas, Dra. Rosimeire Lopes, psicóloga da Seisa Assistência Médica e Dra. Cristina de Lima Coimbra, médica psiquiatra do Hospital Carlos Chagas. E DOENÇAS ASSOCIADAS CASOS CLÍNICOS DRA. LÍLIAN SERRASQUEIRO BALLINI CAETANO - PNEU- MOLOGISTA DRA. ELAINE DE AZEVEDO - REUMATOLOGISTA DRA. ENILDA MARIA DE CARVALHO COELHO - RA- DIOLOGISTA 31/05/2008 PROJETO INTERNAÇÃO MÓDULO II - PROCEDI- MENTOS CLINICOS PERIOPERATÓRIOS Participantes do Projeto Internação CAFÉ DA MANHÃ & DISCUSSÕES DE CASOS CLÍNICOS / MENSAIS Aspecto de uma das reuniões do Café da Manhã no Hospital Carlos Chagas ACHADOS CLÍNICOS E LABORATORIAIS COM AS VÁ- RIAS ESPECIALIDADES NAS ÁREAS DIAGNÓSTICA E TERAPÊUTICA, VISANDO A DISCUSSÃO DE CASOS E TROCAS DE INFORMAÇÕES. 24/04/2008 3ª. REUNIÃO: PATOLOGIAS DA TIREOIDE HIPERTIROIDISMOS - CLÍNICO / CIRÚRGICO DR.MARCOS NERES - ENDOCRINOLOGISTA DR.LUIZ CLÁUDIO MASSAROLLO - CIRURGIÃO DE CA- BEÇA E PESCOÇO 29/5/2008 4ª. REUNIÃO: ACHADOS INESPECÍFICOS NA RESSO- NÂNCIA MAGNÉTICA DO SNC DR.MARCOS DUCHÊNE - RADIOLOGISTA 26/06/2008 5ª. REUNIÃO: TROMBOEMBOLISMO PULMONAR PPROF.DR.JULIO CÉSAR DE OLIVEIRA- DEPTO DA CLÍNI- CA GERAL DO HC DE SÃO PAULO IDEALIZAÇÃO E REALIZAÇÃO: DISCIPLINA DE CLÍNICA GERAL DA FMUSP / SERVIÇO DE CLÍNICA GERAL DO HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FMUSP COORDENADOR: DR. EDMUNDO VIEIRA PRADO FILHO - DIRETOR CLÍNICO DO HOSPITAL CARLOS CHAGAS. PATROCINIO: SANOFI AVENTIS XVIII JORNADA DE PEDIATRIA DE GUARULHOS 13 DE SETEMBRO DE 2008 PÚBLICO ALVO: MÉDICOS, RESIDENTES E ACADÊMICOS DE MEDICINA. LOCAL: ANFITEATRO DO ACHE LABORATÓRIOS FARMA- CÊUTICOS RODOVIA PRES.DUTRA KM 222,2 GUARULHOS /SP INFORMAÇÕES / INSCRIÇÕES: FONE: CEHCC / APM REGIONAL GUARULHOS / HCC Para envio de artigos científicos, inscrições e informações: Centro de Estudos em Notícias Informativo bimestral do Centro de Estudos do Hospital Carlos Chagas dirigido aos profissionais de saúde. Diretoria biênio 2006/2007 Presidente: Dr. Fusato Tamanaga; Vice-presidente: Eduardo Kamei Yukisaki; Diretora Executiva: Iliana Michelin; Vice-Diretor Executivo: Dr. Francisco Romano; Diretora de Documentação: Drª. Lílian S. Balini Caetano; Diretor de Cursos: Dr. José Carlos Yamashiro; Auditor: Dr. Edmundo Vieira Prado Filho; 1ª. Tesoureira: Regina Célia M. Baptista; 2ª. Tes.: Eliane Maria F. Alemão; 1º. Secretário: Dr. Luiz Cláudio Bosco Massarolo; 2º. Sec.: Rubens A. M. Batista; Suplente: Enf. Rosângela de Oliveira Santos - Conselho Editorial: Dr. Dácio Montans; Eduardo Kamei Yukisaki; Dr. Fusato Tamanaga Dr. Mauro Uehara (in memorium) Diretora Responsável: Iliana Michelin Projeto e Produção: Heldier Tadeu Damasceno & AGPM Agência Guarulhos de Publicidade e Marketing Projeto Gráfico e diagramação: Fernando Porfírio

3 Esta estória que vou contar não aconteceu dentro de nenhum hospital que alguém conheça, na verdade acho que somente eu conheço este hospital. É um hospital diferente, muito diferente dos outros em que também trabalho. Vejam só: nele somente existe um único médico que, por sorte, sou eu. Também atende um único paciente por vez. Somente depois de resolvido o caso deste paciente é que se aceita um novo caso. Não atende pacientes de convênios e tampouco da rede pública, somente particulares e assim mesmo se forem importantes ou parentes de pessoas muito importantes. Como no caso do último paciente que atendi, pois quando me viu já anunciou: Doutor, por favor, me ajude, sou filho de Deus. Como eu poderia negar atendimento a alguém assim tão importante. Havia fraturado a coluna cervical e estava tetraplégico. Trocando em miúdos, não havia nenhum sinal de vida do pescoço para baixo, tudo inerte. Tratei de operá-lo o mais rápido possível, mas tudo foi paliativo, os movimentos e a sensibilidade não deram o menor sinal de melhora. Como ficou alguns dias internado, iniciamos um contato mais próximo, assim como se fôssemos velhos amigos. E como é bom conversar com velhos amigos. Como já éramos velhos amigos, tomei a liberdade de saciar algumas dúvidas que, às vezes, nós médicos temos e ficamos com vergonha de perguntar. Este meu novo-velho e tetraplégico amigo era casado e tinha um filho de cinco anos. Perguntei-lhe como era se sentir apenas uma cabeça no mundo, já que do pescoço para baixo nada funcionava e ele mesmo me dizia que nada sentia. Como faria para sobreviver com tamanha dificuldade? Logicamente que esta pergunta já exprimia toda a minha fraqueza e todos os meus medos, caso estivessem às posições trocadas. As respostas vieram assim lentamente, calmamente como se fossem ondas molhando a areia escaldante deste meu mar de insegurança. Não sou apenas uma cabeça como o O hospital Humanização 3 senhor afirma, disse ele, senão reparou direito doutor, abaixo do meu pescoço o meu coração bate forte, muito forte, agora talvez com maior intensidade e necessidade de viver. Este meu coração sempre foi repleto de uma substância ativadora, talvez um neurotransmissor ainda desconhecido, capaz de vencer qualquer dificuldade e de transpor qualquer barreira. Este meu coração amou muito doutor, disse ele sorrindo. Tudo bem, eu disse, mas você me entendeu, como você vai se locomover, como vai passear com sua família, como vai sair desta cama, perguntei como se fosse eu que estivesse preso ali. Agora a resposta parecia uma brisa leve soprando para longe a realidade cruel e trazendo de volta aqueles sonhos de menino que ficaram esquecidos em algum lugar da infância, ele me disse: Doutor, o senhor nunca ouviu dizer que alma voa?. Já, eu já tinha ouvido dizer que a alma voa. Como poderia então ter me esquecido de detalhe tão importante? Eu aqui preso nesta realidade mórbida, morrendo de medo de ficar restrito a uma cama de hospital, preocupado se meus braços e minhas pernas ficassem inúteis algum dia, sendo que minha alma tem asas e pode voar, longe, muito longe, para onde eu quiser, quem sabe até para bem longe deste meu medo ridículo. Ainda insisti mais uma vez, perguntando como ele poderia sentir o toque das mãos do seu filho ou da esposa, como ele poderia acompanhar o crescimento do filho e decidir sobre as notas da escola e sobre... Ele interrompeu-me novamente com a permissão do meu silêncio e a ansiedade da minha ignorância e disse: Doutor agora meus olhos vêem além daquilo que a retina mostra, meus ouvidos ouvem aquilo que as palavras escondem e minha boca pronuncia aquilo que o cérebro teima em ocultar de mim mesmo. Este paciente recebeu alta e mesmo sem usar os braços para me abraçar eu senti o calor da sua despedida e estranhamente percebi que eu também estava curado de alguma doença, não sei bem de qual doença, mas me sentia bem melhor comigo mesmo. Talvez tenha sido efeito das drogas novas de que ele me prescreveu: amor, coração, alma, voar... Bem... Já estão me chamando novamente na sala de emergência. Outro paciente acabou de chegar. De que doença serei curado agora, penso comigo. É mesmo muito estranho este hospital que somente eu conheço. Dr. Álvaro J. C. Campos Médico Neurocirurgião do Grupo Carlos Chagas

4 4 Qualidade Gerenciamento de Risco Oque é o Gerenciamento de Risco? Identificação e prevenção de riscos, de forma a evitar danos aos pacientes, visitantes e funcionários. Hoje no mercado, já encontramos capa protetora para agulha; após a injeção aplicada ao paciente, é só ativar o dispositivo de segurança imediatamente, que a agulha fica presa dentro do protetor ativado, evitando assim risco de acidentes com perfuro cortante, prevenindo a contaminação biológica, diminuindo, dessa forma, os índices de acidentes com agulhas contaminadas. Com o objetivo de evitar tais danos ao paciente e aos processos, o Hospital Carlos Chagas está participando, juntamente com o IQG (Instituto Qualisa de Gestão), com parceria com o IHI (Institute for Helthcare Improvement-Entidade Americana), da campanha Vamos Salvar 5 Milhões de Vidas, uma iniciativa voluntária focada na proteção dos pacientes de incidentes e danos causados na assistência. Vagner de Oliveira Coordenador do Escritório da Qualidade do Hospital Carlos Chagas Com esse objetivo o Hospital Carlos Chagas, a partir do segundo semestre deste ano, iniciará o programa de Gerenciamento de Risco Institucional. Sabemos que risco é qualquer evento que possa prejudicar um processo e, como conseqüência, ocorrem os eventos: sentinela (que causa lesão ao paciente, envolvendo óbito, lesão física, psicológica sérias ou risco dos mesmos) e adversos (pode ser qualquer sinal, sintoma ou doença desfavorável e não-pretendido, temporariamente associado com o uso de um produto medicinal, seja este considerado ou não relacionado a esse produto); a Comissão de Gerenciamento de Risco, liderada pelo Dr. Paulo Sato e Dr. Edmundo Vieira Prado Filho, respectivamente vice-diretor clínico e diretor clínico do Hospital Carlos Chagas, estará identificando os riscos que podem prejudicar a assistência ao paciente. Mudar os paradigmas da assistência ao paciente exige novas abordagens na educação dos profissionais da área da saúde. Abordagens que incluem lógica da interdisciplinaridade como fator de coesão entre saberes diferentes. Os especialistas das diversas disciplinas devem estar engajados de uma vontade comum para tal projeto Centro Cirúrgico do Hospital Carlos Chagas oferece todos os recursos Com tecnologia avançada e todos os equipamentos necessários, o centro cirúrgico do Hospital Carlos Chagas oferece recursos para cirurgias das mais variadas especialidades. O Dr. Gerson de Andrade Souza, Ortopedista, Especialista em Medicina Esportiva, já realizou várias cirurgias no Hospital e um dos casos que chamou mais atenção foi o do Tenista brasileiro profissional, desde 2006, Thomaz Bellucci. O atleta foi submetido a uma Artroscopia. Fiz a primeira cirurgia no joelho em 2004, quando tinha 15 anos. Na época nem me passava pela cabeça ter que operar com aquela idade, mas foi necessário, pois sentia muitas dores. Passei por alguns médicos antes de operar com o Dr. Gerson. No momento, eu estava na transição do juvenil para o profissional, começando a jogar torneios profissionais. Parei em dezembro de 2004 e voltei a jogar torneios em julho de 2005, conta Bellucci. Após essa fase, segundo Dr. Gerson de Souza Andrade, foi indicada nova Artroscopia para certificar se havia ocorrido integração desta cartilagem reimplantada em Foi então que a cirurgia por Artroscopia foi realizada em 2006 e, para nossa satisfação, somente uma pequena porção da cartilagem não havia se integrado, sendo então retirada, e o atleta liberado plenamente para o esporte após 2 meses de fisioterapia, lembra. Segundo Bellucci a operação em 2006 foi bem mais simples. Fiquei sem jogar somente 3 meses, o que não me prejudicou. Após essa fase, o fisioterapeuta que me reabilitou foi o Ricardo Takahashi, explica o atleta. Atualmente, o atleta é o sexagésimo oitavo (68 ) do ranking mundial de tênis e o número um do Brasil. Conquistou os títulos de Campeão do Future de Sorocaba 2007, Vice - Campeão dos Challengers de Bogotá e Cuenca em 2007, Campeão do Challenger de Santiago, Florianópolis, Tunis e Rabat em Mauren Phelippe MTB Jornalista Responsável Assessoria de Comunicação Hospital Carlos Chagas Telefone: 55(11)

5 A importância do tratamento da dor Atualização 5 A dor não é apenas um sintoma. É causa de anormalidades neurovegetativas, músculoesqueléticas, imobilismo e comportamentos psíquicos. Resulta em repercussões funcionais e orgânicas adversas que podem comprometer o resultado do tratamento da lesão original, produzir seqüelas ou mesmo constituir risco de morte. É uma das mais importantes razões para a procura de profissionais de saúde. Estudos epidemiológicos revelam que 20% dos americanos sofrem de dor crônica. As despesas médicas, aliadas aos custos da diminuição de produtividade desses indivíduos, estão estimadas entre 40 e 60 bilhões de dólares/ano. Dados epidemiológicos brasileiros evidenciam que a prevalência da dor crônica em nosso país tem números semelhantes. A dor pode estar relacionada a uma doença, ou surgir após um acidente ou lesão. As dores mais comuns são a dor de cabeça, a dor nas costas, as dores musculares e do aparelho locomotor, as dores articulares, as relacionadas ao câncer, as dores de dentes e as da região da boca e da face, as dores causadas por lesão do sistema nervoso (nervos, medula e cérebro), as viscerais e as dores relacionadas ao trabalho. Com o aumento da vida média dos brasileiros, é muito importante prestarmos também atenção às dores dos idosos. O tratamento da dor O tratamento enfoca três grandes eixos: o cuidado médico - pelo diagnóstico preciso e da tentativa de redução ou eliminação da dor (nocicepção e redução da intensidade dolorosa), a reabilitação física e a reabilitação e reintegração psicossocial (redução dos sofrimentos e dos comportamentos dolorosos com promoção dos comportamentos saudáveis e adaptativos). A complexidade do problema e suas diferentes repercussões justificam a necessidade de assistência especializada para os casos resistentes ao tratamento monomodal e a organização de centros multiprofissionais dedicados ao tratamento integrado. Deste modo, a abordagem adequada da pessoa com dor envolve a combinação dos cuidados somáticos, psíquicos e sociais, além da atenção à reintegração funcional e a reabilitação física, psíquica, laboral e ocupacional. Resumidamente os pilares da abordagem terapêutica do paciente com dor são: Prevenção; Remoção das causas; Educação; Meios Físicos; Meios Psicológicos; Meios Farmacológicos; Meios Anestésicos; Meios Neurocirúrgicos; Reabilitação Biopsicosocial; Reintegração Funcional. Antes de tudo devemos prevenir o desenvolvimento de condições dolorosas, sejam elas agudas ou crônicas. Cuidados com a saúde, hábitos saudáveis de vida, exames preventivos e o diagnóstico precoce de determinadas doenças e agravos à saúde são fundamentais, principalmente quando associados a medidas ergonômicas, posturais e laborais. O condicionamento físico adequado, exercícios de alongamento e pausas planejadas no trabalho também podem ter um impacto favorável na prevenção de algumas condições dolorosas. O tratamento adequado dos processos dolorosos já instalados tem como base o diagnóstico correto e a remoção das causas. Na dor aguda em geral, a remoção das causas, o uso dos meios farmacológicos adequados e, em determinados casos, procedimentos de fisioterapia e/ou psicologia são suficientes para a melhora da dor e retorno do indivíduo às suas funções normais. Portanto, na dor aguda, enfocamos, de um modo geral, na remoção da nocicepção e no tratamento da intensidade da dor e geralmente temos sucesso com o emprego destes meios. Nos casos de dores crônicas há, de um modo geral, dada a sua complexidade, a necessidade de tratamentos multimodais e de mais longa duração que poderão ser realizados através de equipes multiprofissionais. Nestes casos o tratamento não tem como objetivo somente o desaparecimento da dor (que nem sempre é possível), mas o controle ou redução dos demais sintomas e desconfortos associados, a melhoria da adesão ao tratamento e adaptações para a realização das tarefas e atividades da vida diária, a eliminação de distorções cognitivas, a diminuição do uso abusivo e/ou inadequado de medicamentos e do sistema de saúde, a reintegração do indivíduo na sua atividade profissional com o intuito de melhorar a qualidade de vida do paciente e reduzir a sobrecarga à família e cuidadores. O Hospital Carlos Chagas com o intuito de aprimorar a qualidade de assistência aos pacientes promoverá o cuidado de dor norteado pelos princípios acima descritos. As atividades do Grupo de Dor do hospital iniciar-se-ão em uma primeira fase em ambulatório (atendimento as sextas-feiras), sendo acompanhada futuramente com atendimento aos pacientes internados, além de atividades de ensino a serem promovidas pelo Centro de Estudos do hospital. Dr. Roberto de Oliveira Rocha Médico Anestesiologista - Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo - Título Superior de Anestesiologia Sociedade Brasileira de Anestesiologia Médico Acupunturista - Associação Médica Brasileira de Acupuntura Formação em Dor - Sociedade Brasileira de Anestesiologia Fellow of Interventional Pain Practice for American Society Pain Physician

6 6 Caso Clínico Discussão de Caso Clínico: Síndrome de Behçet Identificação: GMR, 47 anos, casado, pardo, natural da Bahia e procedente de Guarulhos (há + de 25 anos), aposentado (ocupação anterior: tintureiro). HMA: Paciente previamente hígido, em acompanhamento desde 2003 quando iniciou quadro de episódios recorrentes de febre, cefaléia, rigidez de nuca, com duração de 3-5 dias. Internado diversas vezes com hipótese de meningite bacteriana (sem identificação de agente etiológico), e tratado com antibióticos. Em todas as ocasiões, apresentava boa evolução clínica (desaparecimento das queixas), após antibioticoterapia. Em algumas ocasiões, apresentava aftas orais que desapareciam espontaneamente. Após 06 meses de evolução (+ ou - 5 internações), recebeu diagnóstico de meningoencefalite asséptica recorrente, provavelmente secundária à Doença de Behçet. Hábitos/ antec.: tabagista (01 maço/dia) Evolução/ terapia: Instituído tratamento das manifestações inflamatórias inicialmente com corticosteróides na forma de pulsoterapia (Solumedrol), observando-se desaparecimento dos sintomas. Entretanto, paciente evoluiu com recorrências das alterações do SNC e, após cada episódio de meningoencefalite, deterioração das funções mentais (síndrome demencial progressiva). Realizados tratamentos alternativos com imunossupressores isoladamente (ciclofosfamida, ciclosporina, clorambucil) e imunobiológicos (infliximab), sem sucesso. Síndrome de Behçet: desordem inflamatória crônica, multissistêmica que pode apresentar o envolvimento mucocutâneo, ocular, genital, articular, vascular, do sistema nervoso central (SNC) e do trato gastrintestinal. Sua etiologia é desconhecida; caracteriza-se por alterações histopatológicas do tipo vasculite comuns em todos os órgãos comprometidos. Sugerem-se causas imunológicas (incluindo auto-imune), virais e predisposição imunogenética ligada ao HLA como determinantes para a doença. Inicia-se geralmente na terceira década e ocorre mais frequentemente em homens (2:1). É mais comum na região do Mediterrâneo e em alguns países asiáticos, especialmente o Japão. As úlceras orais dolorosas recorrentes são freqüentemente a primeira manifestação da doença. Lesões similares são vistas na região genital (pênis, escroto, vulva e vagina), onde podem ser assintomáticas. As alterações oftalmológicas (iridociclite recorrente, coroidite, vasculite retiniana, papilite), também são comuns. Alterações cutâneas ocorrem em até 80% dos casos e são variadas (pápulas, pústulas, vesículas, foliculite, eritema nodoso). Artrite auto-limitada de grandes articulações ocorre em até 50% dos casos. Também podem estar presentes tromboflebite superficial e/ou profunda recorrentes e vasculite generalizada com envolvimento renal e formação de aneurismas e trombose. O envolvimento do SNC ocorre em 18% dos casos e pode apresentar-se como meningoencefalite, hipertensão intracraniana benigna, ou lesões cerebrais e medulares diversas com potencial risco à vida. O diagnóstico é clínico e as anormalidades laboratoriais são inespecíficas, porém características de doença inflamatória. Devem ser considerados como diagnósticos diferenciais: Síndrome de Reiter, Síndrome de Stevens-Johnson, Lúpus Eritematoso Sistêmico, doenças inflamatórias intestinais, infecção pelo Herpes simplex (especialmente nos casos de meningite asséptica recorrente). Não há consenso quanto ao tratamento da doença. Reserva-se o uso de corticosteróides em altas doses para as manifestações mais graves e de ciclosporina para as alterações oftalmológicas não responsivas à corticoterapia. Exames: HIV,Sífilis, CMV, EBV, Mononucleose, Toxoplasmose - negativos. VHS:40 mm/h Hemograma, imunoeletroforese de proteínas e mielogram normais IgA- 351 (VN > 318) IgG 1522 ( 672 a 1440) IgM 124 (57 a 285) FAN, anti-dna, FReumatóide, ANCA, anticoagulante lúpico, anticardiolipina, anti-sm negativos Líquor (várias ocasiões durante episódios de febre e rigidez de nuca): hipercelularidade com predomínio de polimorfonucleares e aumento de proteínas. Após três dias de evolução há normalização das alterações prévias. RM - Encefalo, cortes axiais, sequência FLAIR , 2007 e Observar a variação das lesões que se apresentam brancas e o aumento dos ventriculos laterais. Dra. Elaine de Azevedo Reumatologista do Hospital Carlos Chagas Diretora Científica da Sociedade Paulista de Reumatologia (gestão ) Médica assistente responsável pelo ambulatório de doenças osteometabólicas do Serviço de Reumatologia do Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo HSPE

7 Prevenção 7 Amamentar, um ato de Amor. O nascimento de um filho é uma experiência única e gratificante, mas pode também, em função dos constantes e novos desafios enfrentados, representar problemas, dificuldades, dúvidas e ansiedades. Os pais, ao longo de suas vidas, terão que tomar inúmeras decisões importantes para os seus filhos, uma das primeiras e mais importante é, seguramente, como alimentá-los após o nascimento. O aleitamento materno é, quase sempre, a melhor opção para a alimentação de um recém-nascido. As diversas vantagens que esta forma de alimentação representa são amplamente conhecidas, pelo que, hoje em dia, muitos pais têm a noção de que esta é a melhor escolha. Mas a decisão de amamentar, se não é difícil de tomar, pode ser difícil de concretizar. Podem existir dificuldades reais em amamentar e o apoio e a ajuda dos profissionais de saúde e dos mais próximos são essenciais para que as mães consigam ultrapassá-las. O aleitamento materno é uma capaci- dade que se aprende. Tradicionalmente, aprendia-se com os familiares e vizinhos, de mulher para mulher. Atualmente, com as modificações verificadas em termos so- Lei n , de Julho de 1990, Art.10: É direito de toda mãe permanecer ao lado do seu filho durante o período de hospitalização. ciais, as mulheres são obrigadas a recorrer aos profissionais de saúde para a obtenção de ajuda, e estes têm que estar preparados e disponíveis para assumirem tal papel. Na maternidade do Hospital Carlos Chagas, os médicos e os enfermeiros, em busca de garantir o binômio mãefilho, se prontificaram a instituir, através de pesquisas junto ao banco de leite humano de Guarulhos, treinamentos para realização deste ato que possibilita às mães a retirarem o leite, através de ordenha, para oferecer aos seus bebês internados na UTI Neonatal e UTI Pediátrica. Buscando cada vez mais a humanização para as mães e bebês do Hospital Carlos Chagas, na UTI Neonatal, estamos executando esse trabalho de Ordenha Materna, que preconiza o ato de amamentar e permanecer acompanhando seus filhos, com respaldo na Lei n 8.069, de Julho de 1990, Art.10: É direito de toda mãe permanecer ao lado do seu filho durante o período de hospitalização. Trabalho realizado pela Equipe Multiprofissional da UTI Neonatal/ Pediátrica do Hospital Carlos Chagas.

8 8 Vida Vida falando de Vida e cuidando de Vidas Homenagem aos colaboradores com mais de 25 anos de Hospital Carlos Chagas Um sonho em comum dos doutores Dácio Montans, José Nicola Ballini, Eduardo Yukisaki, Alexandre Francisco Lourenço, Valentim M. Fernandes e, in memorian, os saudosos João Thomaz Fiordelice e Antonio Garcia: um hospital capaz de tornar-se referência, agregando valores com os doutores Antonio Carlos Garcia, Lilian Serrasqueiro Ballini Caetano e os senhores Eduardo Kamei Yukisaki e Maria Eugênia Fiordelice V. Pimentel. E este sonho, também foi acalentado por seguidores, os seus colaboradores, que também sonharam e ainda vivem este sonho que tornou-se realidade e que Membros da diretoria e coloboradores com mais de 25 anos no Hospital Carlos Chagas nunca vai parar de ser cada vez melhor, atual e excelente. Colaboradores do Hospital Carlos Chagas com mais de 25 anos de relevantes serviços prestados: Maria de Lourdes Moura, 37 anos; Verginia Vitor Burdin, 36 anos; Damiana Maria Santos Souza, 33 anos; Wilma Candido da Silva,33 anos; Magnólia Franco dos Santos, 30 anos; Luzinete Maria da Silva, 29 anos; Maria Aparecida Saturnino Batista, 29 anos; Ana Maria Avelino, 28 anos; Edmundo Vieira Prado Filho, 28 anos; Iliana Michelin, 28 anos; Ivani Gonçalves Di Pardo, 28 anos; Carlos Américo Rente, 27 anos; José Carlos Teixeira da Silva, 27 anos; Maria da Penha Cortez Nunes, 27 anos; Suely Costa Cintra, 27 anos; Claudionora Benedita da Silva, 26 anos; Sonia Aparecida Salvatore Roque, 26 anos; Ozilda Lopes da Silva 25 anos; e, Regina Célia Montório Baptista, 25 anos. A estes preciosos colaboradores, o agradecimento de toda diretoria do Hospital Carlos Chagas.

Você conhece a Medicina de Família e Comunidade?

Você conhece a Medicina de Família e Comunidade? Texto divulgado na forma de um caderno, editorado, para a comunidade, profissionais de saúde e mídia SBMFC - 2006 Você conhece a Medicina de Família e Comunidade? Não? Então, convidamos você a conhecer

Leia mais

Quando o medo transborda

Quando o medo transborda Quando o medo transborda (Síndrome do Pânico) Texto traduzido e adaptado por Lucas Machado Mantovani, mediante prévia autorização do National Institute of Mental Health, responsável pelo conteúdo original

Leia mais

Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer. A importância de todos os familiares no processo de recuperação.

Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer. A importância de todos os familiares no processo de recuperação. Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer A importância de todos os familiares no processo de recuperação. Introdução Criar um filho é uma tarefa extremamente complexa. Além de amor,

Leia mais

Avaliação. Formulação de Caso BETANIA MARQUES DUTRA. MSc. Psicologia. Esp. Neusopsicologia. Esp.Psicopedagogia. Terapeuta Cognitivo-Comportamental

Avaliação. Formulação de Caso BETANIA MARQUES DUTRA. MSc. Psicologia. Esp. Neusopsicologia. Esp.Psicopedagogia. Terapeuta Cognitivo-Comportamental Avaliação & Formulação de Caso BETANIA MARQUES DUTRA MSc. Psicologia Esp. Neusopsicologia Esp.Psicopedagogia Terapeuta Cognitivo-Comportamental Coordenadora do Curso de TCC Aplicada a crianças e adolescentes

Leia mais

ROTEIRO: O LUGAR ONDE EU VIVO

ROTEIRO: O LUGAR ONDE EU VIVO ROTEIRO: O LUGAR ONDE EU VIVO Ideia: Produção realizada a partir de um fato marcante e em algumas situações ocorre a mesclagem entre narrações e demonstrações de cenas. Personagens: A filha da doméstica

Leia mais

5º Congresso Internacional dos Hospitais Serviço Nacional de Saúde. (Re)Conhecer as Mudanças

5º Congresso Internacional dos Hospitais Serviço Nacional de Saúde. (Re)Conhecer as Mudanças 5º Congresso Internacional dos Hospitais Serviço Nacional de Saúde. (Re)Conhecer as Mudanças Refletir sobre as resposta de saúde e a inclusão da família Relembrar os objetivos das famílias Questionar as

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento.

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. museudapessoa.net P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. R Eu nasci em Piúma, em primeiro lugar meu nome é Ivo, nasci

Leia mais

Requisitos mínimos para o programa de Residência em Pediatria

Requisitos mínimos para o programa de Residência em Pediatria Requisitos mínimos para o programa de Residência em Pediatria O programa de Residência em Pediatria prevê 60 horas de jornada de trabalho semanal, sendo 40 horas de atividades rotineiras e 20 horas de

Leia mais

Primeira droga em cápsula foi lançada agora no país e outras estão em teste.

Primeira droga em cápsula foi lançada agora no país e outras estão em teste. ESCLEROSE MÚLTIPLA GANHA NOVAS OPÇÕES DE TRATAMENTO. (extraído de http://www.orkut.com.br/main#commmsgs?cmm=17111880&tid=5682929915348274548, em 09/05/2012) Primeira droga em cápsula foi lançada agora

Leia mais

8 Passos para o Recrutamento Eficaz. Por Tiago Simões

8 Passos para o Recrutamento Eficaz. Por Tiago Simões 8 Passos para o Recrutamento Eficaz Por Tiago Simões Uma das coisas que aprendi na indústria de marketing de rede é que se você não tem um sistema de trabalho que comprovadamente funcione, muito provavelmente

Leia mais

SENADO FEDERAL PRESSÃO CONTROLADA SENADOR CLÉSIO ANDRADE

SENADO FEDERAL PRESSÃO CONTROLADA SENADOR CLÉSIO ANDRADE SENADO FEDERAL PRESSÃO CONTROLADA SENADOR CLÉSIO ANDRADE 2 Pressão controlada apresentação Chamada popularmente de pressão alta, a hipertensão é grave por dois motivos: não apresenta sintomas, ou seja,

Leia mais

Coluna no lugar certo Fisioterapeutas utilizam método que reduz dores nas costas em poucas sessões e induz paciente a fazer exercícios em casa

Coluna no lugar certo Fisioterapeutas utilizam método que reduz dores nas costas em poucas sessões e induz paciente a fazer exercícios em casa Atualizado aos domingos ESTADO DE MINAS Coluna no lugar certo Fisioterapeutas utilizam método que reduz dores nas costas em poucas sessões e induz paciente a fazer exercícios em casa Ellen Cristie Dores

Leia mais

TRABALHO VOLUNTÁRIO & QUALIDADE DE VIDA

TRABALHO VOLUNTÁRIO & QUALIDADE DE VIDA SER VOLUNTÁRIO Gosto de você pelo que sou quando estou com você, pelo que você está fazendo de mim. Gosto de você por saber extrair o que há de bom em mim, por tocar meu coração, passando por cima de todas

Leia mais

Guia de Tratamento para Dependentes Químicos. Tudo isso você vai saber agora neste Guia de Tratamento para Dependentes Químicos

Guia de Tratamento para Dependentes Químicos. Tudo isso você vai saber agora neste Guia de Tratamento para Dependentes Químicos Guia de para Dependentes Químicos O que fazer para ajudar um dependente químico? Qual é o melhor procedimento para um bom tratamento? Internação Voluntária ou Involuntária Como decidir? Como fazer? O que

Leia mais

A importância da Ergonomia Voltada aos servidores Públicos

A importância da Ergonomia Voltada aos servidores Públicos A importância da Ergonomia Voltada aos servidores Públicos Fisioterapeuta: Adriana Lopes de Oliveira CREFITO 3281-LTT-F GO Ergonomia ERGONOMIA - palavra de origem grega, onde: ERGO = trabalho e NOMOS

Leia mais

Chat com Fernanda Dia 17 de março de 2011

Chat com Fernanda Dia 17 de março de 2011 Chat com Fernanda Dia 17 de março de 2011 Tema: O papel do terapeuta ocupacional para pessoas em tratamento de leucemia, linfoma, mieloma múltiplo ou mielodisplasia Total atingido de pessoas na sala: 26

Leia mais

Uma área em expansão. Radiologia

Uma área em expansão. Radiologia Uma área em expansão Conhecimento especializado e treinamento em novas tecnologias abrem caminho para equipes de Enfermagem nos serviços de diagnóstico por imagem e radiologia A atuação da Enfermagem em

Leia mais

Maisa Kairalla e Valmari Aranha Presidentes da comissão científica do Gerp.13 PROGRAMAÇÃO PRELIMINAR

Maisa Kairalla e Valmari Aranha Presidentes da comissão científica do Gerp.13 PROGRAMAÇÃO PRELIMINAR Gerp.13: Educação, Ciência e Inovação Neste encontro, primaremos pelo conhecimento e atualização, assim, teremos exposições em formato de highlights, updates e a inovação de grandes temas em forma de cartas

Leia mais

Unidades de Negócios

Unidades de Negócios Grupo Clivale Como surgiu? História Tudo começou com a iniciativa de Raphael Serravalle ao perceber a carência de um serviço médico especializado na cidade do Salvador, calçada, induziu dois de seus filhos:

Leia mais

PROGRAMA DE QUALIDADE DE VIDA DO TRABALHADOR

PROGRAMA DE QUALIDADE DE VIDA DO TRABALHADOR PROGRAMA DE QUALIDADE DE VIDA DO TRABALHADOR Prof. Dr. Jones Alberto de Almeida Divisão de saúde ocupacional Barcas SA/ CCR ponte A necessidade de prover soluções para demandas de desenvolvimento, treinamento

Leia mais

Homeopatia. Copyrights - Movimento Nacional de Valorização e Divulgação da Homeopatia mnvdh@terra.com.br 2

Homeopatia. Copyrights - Movimento Nacional de Valorização e Divulgação da Homeopatia mnvdh@terra.com.br 2 Homeopatia A Homeopatia é um sistema terapêutico baseado no princípio dos semelhantes (princípio parecido com o das vacinas) que cuida e trata de vários tipos de organismos (homem, animais e plantas) usando

Leia mais

Lidando com o paciente oncológico C A M I L A M A N O S S O F U N E S J É S S I C A D E O L I V E I R A S T O R R E R

Lidando com o paciente oncológico C A M I L A M A N O S S O F U N E S J É S S I C A D E O L I V E I R A S T O R R E R Lidando com o paciente oncológico C A M I L A M A N O S S O F U N E S J É S S I C A D E O L I V E I R A S T O R R E R As fases do câncer ANTERIOR AO DIAGNÓSTICO RECUPERAÇÃO OU MORTE DIAGNÓSTICO A FASE

Leia mais

Dedicados à coluna. unidade da coluna

Dedicados à coluna. unidade da coluna Dedicados à coluna A nova Unidade da Coluna do Hospital Beatriz Ângelo reúne médicos de várias especialidades com o objetivo de dar a resposta mais rápida e adequada às pessoas com doenças graves da coluna.

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM - PNAISH

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM - PNAISH POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM - PNAISH Brasília, outubro de 2015 População Masculina 99 milhões (48.7%) População alvo: 20 a 59 anos População Total do Brasil 202,7 milhões de

Leia mais

Programa de Apoio a Pacientes Oncológicos e

Programa de Apoio a Pacientes Oncológicos e Programa de Apoio a Pacientes Oncológicos e Família Secretaria Municipal de Saúde CASC - Centro de Atenção a Saúde Coletiva Administração Municipal Horizontina RS Noroeste do Estado Distante 520 Km da

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

Cuide bem do seu seguro saúde. Veja o que fazer para que o seu seguro saúde possa cuidar sempre bem de você.

Cuide bem do seu seguro saúde. Veja o que fazer para que o seu seguro saúde possa cuidar sempre bem de você. Cuide bem do seu seguro saúde. Veja o que fazer para que o seu seguro saúde possa cuidar sempre bem de você. Todos nós fazemos questão de contar com atendimento médico e hospitalar de alta qualidade. Preocupada

Leia mais

Proposta para Implantação do Programa Atividade Física & Mulheres

Proposta para Implantação do Programa Atividade Física & Mulheres 2 Proposta para Implantação do Programa Atividade Física & Mulheres Ana Paula Bueno de Moraes Oliveira Graduada em Serviço Social Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUC Campinas Especialista

Leia mais

coleção Conversas #7 - ABRIL 2014 - f o? Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça.

coleção Conversas #7 - ABRIL 2014 - f o? Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça. Eu quero não parar coleção Conversas #7 - ABRIL 2014 - de consigo.o usar que eu drogas f o? aç e Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora

Leia mais

A medicina da família e a humanização do atendimento ao paciente

A medicina da família e a humanização do atendimento ao paciente A medicina da família e a humanização do atendimento ao paciente por Denise Marson Apesar da implantação do programa Saúde da família, a formação de profissionais especializados na área de medicina da

Leia mais

Tendo isso em conta, o Bruno nunca esqueceu que essa era a vontade do meu pai e por isso também queria a nossa participação neste projecto.

Tendo isso em conta, o Bruno nunca esqueceu que essa era a vontade do meu pai e por isso também queria a nossa participação neste projecto. Boa tarde a todos, para quem não me conhece sou o Ricardo Aragão Pinto, e serei o Presidente do Concelho Fiscal desta nobre Fundação. Antes de mais, queria agradecer a todos por terem vindo. É uma honra

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 8. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 8. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 3 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 7 Cronograma de Aulas Pág. 8 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM DOR Unidade Dias e Horários

Leia mais

Violência Doméstica contra Crianças sob a

Violência Doméstica contra Crianças sob a Apresentação Maria Alice Barbosa de Fortunato Autores: Kássia Cristina C. Pereira* Maria Alice B. Fortunato* Marilurdes A. de M. Álvares* Orientadora: Lygia Maria Pereira da Silva** * Fiocruz CPQAM/ NESC

Leia mais

PROPOSTA DE SERVIÇOS EM PSICOLOGIA CLÍNICA

PROPOSTA DE SERVIÇOS EM PSICOLOGIA CLÍNICA PROPOSTA DE SERVIÇOS EM PSICOLOGIA CLÍNICA A importância do bem-estar psicológico dos funcionários é uma descoberta recente do meio corporativo. Com este benefício dentro da empresa, o colaborador pode

Leia mais

Curriculum Vitae. Eliania Pereira da Silva Terapeuta Ocupacional CREFITO 12806-TO. Resumo. Formação Acadêmica. elianiasq@hotmail.

Curriculum Vitae. Eliania Pereira da Silva Terapeuta Ocupacional CREFITO 12806-TO. Resumo. Formação Acadêmica. elianiasq@hotmail. Curriculum Vitae Eliania Pereira da Silva Terapeuta Ocupacional CREFITO 12806-TO (98) 8850-2012 Resumo Formação Acadêmica Ensino superior MBA em Gestão da Saúde Fundação Getúlio Vargas, 2014 (previsão)

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

Lucas Liberato Coaching Coach de Inteligência Emocional lucasliberato.com.br

Lucas Liberato Coaching Coach de Inteligência Emocional lucasliberato.com.br Script de Terapia de Liberação Emocional (EFT) para desfazer crenças relativas aos clientes que você merece ter. Eu não consigo atrair clientes dispostos a pagar preços altos A Acupuntura Emocional é uma

Leia mais

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO.

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. Roteiro de Telenovela Brasileira Central de Produção CAPÍTULO 007 O BEM OU O MAL? Uma novela de MHS. PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. AGENOR ALBERTO FERNANDO GABRIELE JORGE MARIA CLARA MARIA CAMILLA MARÍLIA

Leia mais

FIBROMIALGIA EXERCÍCIO FÍSICO: ESSENCIAL AO TRATAMENTO. Maj. Carlos Eugenio Parolini médico do NAIS do 37 BPM

FIBROMIALGIA EXERCÍCIO FÍSICO: ESSENCIAL AO TRATAMENTO. Maj. Carlos Eugenio Parolini médico do NAIS do 37 BPM FIBROMIALGIA EXERCÍCIO FÍSICO: ESSENCIAL AO TRATAMENTO Maj. Carlos Eugenio Parolini médico do NAIS do 37 BPM A FIBROMIALGIA consiste numa síndrome - conjunto de sinais e sintomas - com manifestações de

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Rafael Marques Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Minha idéia inicial de coaching era a de uma pessoa que me ajudaria a me organizar e me trazer idéias novas,

Leia mais

ORIENTAÇÃO GERAL LOMBALGIA DR.ROBERTO ANTONIO ANICHE CRM 54.132 TEOT 04.626 MÉDICO ORTOPEDISTA NOVEMBRO/2008

ORIENTAÇÃO GERAL LOMBALGIA DR.ROBERTO ANTONIO ANICHE CRM 54.132 TEOT 04.626 MÉDICO ORTOPEDISTA NOVEMBRO/2008 ORIENTAÇÃO GERAL LOMBALGIA DR.ROBERTO ANTONIO ANICHE CRM 54.132 TEOT 04.626 MÉDICO ORTOPEDISTA NOVEMBRO/2008 LOMBALGIA O QUE É? Vulgarmente conhecida como dor nas costas, é a dor que acomete a coluna vertebral

Leia mais

Gestão de Redes Assistenciais e o Impacto no Custeio da Assistência. Irene Minikovski Hahn

Gestão de Redes Assistenciais e o Impacto no Custeio da Assistência. Irene Minikovski Hahn Gestão de Redes Assistenciais e o Impacto no Custeio da Assistência Irene Minikovski Hahn novas tecnologias remuneração pela doença transição demográfica falta de incentivo para avaliação de qualidade

Leia mais

HISTÓRIA E PERSPECTIVAS DE VIDA DE ALCOOLISTAS

HISTÓRIA E PERSPECTIVAS DE VIDA DE ALCOOLISTAS HISTÓRIA E PERSPECTIVAS DE VIDA DE ALCOOLISTAS Jéssica Molina Quessada * Mariana Caroline Brancalhão Guerra* Renata Caroline Barros Garcia* Simone Taís Andrade Guizelini* Prof. Dr. João Juliani ** RESUMO:

Leia mais

estudo Por ViVian Lourenço 7 4 g u i a d a f a r m á c i a

estudo Por ViVian Lourenço 7 4 g u i a d a f a r m á c i a Sentir dor não é normal A dor é sinal de que algo não vai bem no organismo. Os sintomas estão no cotidiano e é essencial saber a diferença entre a dor crônica e a aguda para buscar o tratamento Por Vivian

Leia mais

Doenças Graves Doenças Terminais

Doenças Graves Doenças Terminais MINISTÉRIO DA SAÚDE Comissão Nacional de Ética em Pesquisa - CONEP Universidade Federal de Minas Gerais Doenças Graves Doenças Terminais José Antonio Ferreira Membro da CONEP/ MS Depto de Microbiologia

Leia mais

coleção Conversas #22 - maio 2015 - Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #22 - maio 2015 - Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. coleção Conversas #22 - maio 2015 - assistente social. agora? Sou E Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora AfroReggae nasceu com o desejo

Leia mais

O que fazer em meio às turbulências

O que fazer em meio às turbulências O que fazer em meio às turbulências VERSÍCULO BÍBLICO Façam todo o possível para viver em paz com todos. Romanos 12:18 OBJETIVOS O QUÊ? (GG): As crianças assistirão a um programa de auditório chamado Geração

Leia mais

SABE, ESSA É A MINHA FAMÍLIA. É isso mesmo! A gente nem pensa nisso, não é? Mas vamos ver como acontece. Venha comigo.

SABE, ESSA É A MINHA FAMÍLIA. É isso mesmo! A gente nem pensa nisso, não é? Mas vamos ver como acontece. Venha comigo. Apoio: A Constituição Federal do Brasil diz que: É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à

Leia mais

ANEXO. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 4ª etapa do curso

ANEXO. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 4ª etapa do curso ANEXO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 4ª etapa do curso Células e Tecidos do Sistema Imune Anatomia do sistema linfático Inflamação aguda e crônica Mecanismos de agressão por

Leia mais

Curso sobre a EFT. (a acupuntura emocional sem agulhas) e os princípios da Psicologia Energética

Curso sobre a EFT. (a acupuntura emocional sem agulhas) e os princípios da Psicologia Energética Curso sobre a EFT (a acupuntura emocional sem agulhas) e os princípios da Psicologia Energética Curso com certificado, credenciado pela AAMET (Association of Advancement of Meridian Techniques www.aamet.org)

Leia mais

2ª SEMANA NACIONAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA MARÇO

2ª SEMANA NACIONAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA MARÇO Design & Saúde Financeira para maiores de 50 anos Vera Damazio Laboratório Design Memória Emoção :) labmemo (: O que Design tem a ver com Saúde Financeira para maiores de 50 anos? E o que faz um Laboratório

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS SENADO FEDERAL BRASÍLIA, 16 DE MAIO DE 2013 Criação de um novo departamento dentro da SAS: DAET- Departamento de Atenção

Leia mais

INTRODUÇÃO (WHO, 2007)

INTRODUÇÃO (WHO, 2007) INTRODUÇÃO No Brasil e no mundo estamos vivenciando transições demográfica e epidemiológica, com o crescente aumento da população idosa, resultando na elevação de morbidade e mortalidade por doenças crônicas.

Leia mais

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO. NOME: Serviço Voluntário Europeu (SVE) EMAIL: info@euromedp.org

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO. NOME: Serviço Voluntário Europeu (SVE) EMAIL: info@euromedp.org PROGRAMA DE VOLUNTARIADO NOME: Serviço Voluntário Europeu (SVE) EMAIL: info@euromedp.org WEBSITES: Serviço de Voluntariado Europeu: http://www.sve.pt http://www.facebook.com/l.php?u=http%3a%2f%2fwww.sve.pt%2f&h=z

Leia mais

Seis dicas para você ser mais feliz

Seis dicas para você ser mais feliz Seis dicas para você ser mais feliz Desenvolva a sua Espiritualidade A parte espiritual é de fundamental importância para o equilíbrio espiritual, emocional e físico do ser humano. Estar em contato com

Leia mais

~ 2 ~ Do Susto ao Sucesso. HERPES GENITAL & Relacionamentos Por Eduardo Rosadarco. www.dosustoaosucesso.com. 1ª Edição Agosto, 2011

~ 2 ~ Do Susto ao Sucesso. HERPES GENITAL & Relacionamentos Por Eduardo Rosadarco. www.dosustoaosucesso.com. 1ª Edição Agosto, 2011 ~ 2 ~ Do Susto ao Sucesso HERPES GENITAL & Relacionamentos Por Eduardo Rosadarco www.dosustoaosucesso.com 1ª Edição Agosto, 2011 Copyright 2011 por Eduardo Rosadarco Todos os direitos reservados. ~ 4 ~

Leia mais

Fazendo a diferença nos Serviços de Saúde: Visão do Técnico Especialista

Fazendo a diferença nos Serviços de Saúde: Visão do Técnico Especialista Fazendo a diferença nos Serviços de Saúde: Visão do Técnico Especialista Tec. de Enfermagem Claudia Sterque claudiasterque@yahoo.com.br 11 de novembro de 2010 VISÃO DO TÉCNICO ESPECIALISTA Quando comecei

Leia mais

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é Alexandre da Silva França. Eu nasci em 17 do sete de 1958, no Rio de Janeiro. FORMAÇÃO Eu sou tecnólogo em processamento de dados. PRIMEIRO DIA

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014 Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social Entidade: Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil Endereço: Rua Antônio Miguel Pereira

Leia mais

NOTÍCIAS. Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal. V.4 - N.4 - Setembro de 2015

NOTÍCIAS. Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal. V.4 - N.4 - Setembro de 2015 V.4 - N.4 - Setembro de 2015 Vilma Lúcia da Silva 05 Assessora de Comunicação do Parque da Cidade Parque da Cidade é o escolhido para grandes eventos em Natal Só no mês de setembro o Parque da Cidade recebeu

Leia mais

A gengivite é uma inflamação das gengivas provocada por acumulação de placa bacteriana e tártaro como consequência

A gengivite é uma inflamação das gengivas provocada por acumulação de placa bacteriana e tártaro como consequência Periodontologia É a disciplina da medicina dentária que se dedica à prevenção, diagnóstico e tratamento das doenças das gengivas e das estruturas de suporte dos dentes. A inflamação e o sangramento das

Leia mais

Agradeço aos conselheiros que representam todos os Associados do Estado, o que faço na pessoa do Conselheiro Decano, João Álfaro Soto.

Agradeço aos conselheiros que representam todos os Associados do Estado, o que faço na pessoa do Conselheiro Decano, João Álfaro Soto. Agradecimentos: Cumpre-me inicialmente agradecer a toda Diretoria Executiva, especialmente ao Teruo, por confiarem no meu trabalho e me darem toda a autonomia necessária para fazer o melhor que fui capaz

Leia mais

Sinopse I. Idosos Institucionalizados

Sinopse I. Idosos Institucionalizados II 1 Indicadores Entrevistados Sinopse I. Idosos Institucionalizados Privação Até agora temos vivido, a partir de agora não sei Inclui médico, enfermeiro, e tudo o que for preciso de higiene somos nós

Leia mais

ANEXO. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 2ª etapa do curso

ANEXO. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 2ª etapa do curso ANEXO Para candidatos que desejam entrar na 2ª etapa do Metabolismo (anabolismo x catabolismo) Metabolismo de Carboidratos Metabolismo de Lipídeos Motilidade no trato gastrointestinal Introdução ao Metabolismo

Leia mais

RESOLUÇÃO CFM Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE

RESOLUÇÃO CFM Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE RESOLUÇÃO CFM Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE 2002 Diário Oficial da União; Poder Executivo, Brasília, DF, n. 81, 29 abr.2002. Seção 1, p. 265-66 Alterada pela Resolução CFM nº 1666/03 (Anexo II) O CONSELHO

Leia mais

V Jornada. Brasileira de. Queimaduras. 06 a 09 de Junho de 2007. Hotel Parque dos Coqueiros - Aracaju-SE

V Jornada. Brasileira de. Queimaduras. 06 a 09 de Junho de 2007. Hotel Parque dos Coqueiros - Aracaju-SE V Jornada Brasileira de Queimaduras 06 a 09 de Junho de 2007 Hotel Parque dos Coqueiros - Aracaju-SE Apresentação A Jornada Brasileira de Queimaduras será realizada entre os dias 07 e 09 de junho de 2007,

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

Dedico este livro a todas as MMM S* da minha vida. Eu ainda tenho a minha, e é a MMM. Amo-te Mãe!

Dedico este livro a todas as MMM S* da minha vida. Eu ainda tenho a minha, e é a MMM. Amo-te Mãe! Dedico este livro a todas as MMM S* da minha vida. Eu ainda tenho a minha, e é a MMM. Amo-te Mãe! *MELHOR MÃE DO MUNDO Coaching para Mães Disponíveis, www.emotionalcoaching.pt 1 Nota da Autora Olá, Coaching

Leia mais

Como mudar sem Stress

Como mudar sem Stress Como mudar sem Stress Dicas para uma mudança tranquila Christina Klüppel Costa Se quiser receber uma planilha resumo com check list para facilitar a organização e verificação de todos os passos, ou ainda

Leia mais

Prótese de silicone tem prazo de validade; veja respostas sobre implante

Prótese de silicone tem prazo de validade; veja respostas sobre implante Página 1 de 6 22/10/2009-11h42 Prótese de silicone tem prazo de validade; veja respostas sobre implante GABRIELA CUPANI da Folha de S.Paulo Nenhuma prótese de mama dura para sempre. Embora os especialistas

Leia mais

CENTRO DE OSTEOPATIA MAÇÃS PLACE

CENTRO DE OSTEOPATIA MAÇÃS PLACE CENTRO DE OSTEOPATIA MAÇÃS PLACE Quem somos A nossa equipa apresenta um atendimento personalizado ao nível da Osteopatia através de uma abordagem multidisciplinar de qualidade, avaliação, diagnóstico e

Leia mais

VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA ou ADOLESCENTE

VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA ou ADOLESCENTE VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA ou ADOLESCENTE Equipe LENAD: Ronaldo Laranjeira Clarice Sandi Madruga IlanaPinsky Maria Carmen Viana Divulgação: Maio de 2014. 1. Porque esse estudo é relevante? Segundo a Subsecretaria

Leia mais

PROJETO ESCOLA PARA PAIS

PROJETO ESCOLA PARA PAIS PROJETO ESCOLA PARA PAIS Escola Estadual Professor Bento da Silva Cesar São Carlos São Paulo Telma Pileggi Vinha Maria Suzana De Stefano Menin coordenadora da pesquisa Relator da escola: Elizabeth Silva

Leia mais

CONCEITO. Despertar a potencialidade de indivíduos

CONCEITO. Despertar a potencialidade de indivíduos CONCEITO Despertar a potencialidade de indivíduos Utilizar a Arte como meio de comunicação e expressão e a Cultura no resgate de histórias de vida e valores 17 anos de atuação 231 mil atendimentos ARTE

Leia mais

FISCO. Saúde. Programa de Atenção. Domiciliar GUIA DE PROCEDIMENTOS ANS 41.766-1

FISCO. Saúde. Programa de Atenção. Domiciliar GUIA DE PROCEDIMENTOS ANS 41.766-1 FISCO Saúde ANS 41.766-1 Programa de Atenção Domiciliar GUIA DE PROCEDIMENTOS Prezados Associados, Para facilitar a comunicação e dirimir as principais dúvidas sobre a utilização dos nossos serviços, o

Leia mais

Definição. Febre Reumática. Introdução. Introdução. Epidemiologia 24/08/2011

Definição. Febre Reumática. Introdução. Introdução. Epidemiologia 24/08/2011 Definição Febre Reumática Doença inflamatória, sistêmica, deflagrada pelo agente infeccioso Streptococcus β-hemolítico do grupo A, que ocorre em pessoas geneticamente predispostas ; Professor Leonardo

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE 2002

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE 2002 CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA RESOLUÇÃO Nº 1.634, DE 11 DE ABRIL DE 2002 Dispõe sobre convênio de reconhecimento de especialidades médicas firmado entre o Conselho Federal de Medicina CFM, a Associação

Leia mais

MINHA HISTÓRIA NO NOVOTEL

MINHA HISTÓRIA NO NOVOTEL MINHA HISTÓRIA NO NOVOTEL Lembro-me que haviam me convocado para uma entrevista de trabalho no NOVOTEL. Lembro-me de estar ansioso e ter passado a noite anterior preparando a minha entrevista. Como iria

Leia mais

Homocistinúria Clássica

Homocistinúria Clássica Homocistinúria Clássica Texto: Ida Vanessa D. Schwartz Ilustrações: Matheus Wilke Serviço de Genética Médica/HCPA, Departamento de Genética /UFRGS, Porto Alegre, RS, Brasil Esta publicação é destinada

Leia mais

O médico Rogério Antunes Pereira Filho, professor associado da disciplina de Gastroenterologia do Departamento de Clínica Medica da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp, foi homenageado no dia

Leia mais

Realização e Organização. www.vamaislonge.com.br

Realização e Organização. www.vamaislonge.com.br Realização e Organização www.vamaislonge.com.br Quem somos... Leonardo Alvarenga, tenho 23 anos, sou criador do Não Tenho Ideia e do #VáMaisLonge. Sou formado em Educação Física mas larguei tudo logo após

Leia mais

Aprenda a Tirar Vantagem da 2º Maior Ferramenta de Buscas do Mundo!

Aprenda a Tirar Vantagem da 2º Maior Ferramenta de Buscas do Mundo! Aprenda a Tirar Vantagem da 2º Maior Ferramenta de Buscas do Mundo! Usar o Youtube profissionalmente é o upgrade que o seu negócio precisa para alavancar e obter muito mais vendas, contatos e visitas!

Leia mais

A experiência da Engenharia Clínica no Brasil

A experiência da Engenharia Clínica no Brasil Página 1 de 5 Sobre a Revista Ed 24 - fev 04 Home Medical Infocenter Med Atual Edição Atual Serviços Global Home Brasil Home Busca Mapa do Site Fale Conosco Edição Atual Edição Atual Matéria de Capa Artigo

Leia mais

1. CADASTRO 2. AGENDAMENTOS:

1. CADASTRO 2. AGENDAMENTOS: 1. CADASTRO Para atuar no Hospital São Luiz, todo médico tem de estar regularmente cadastrado. No momento da efetivação, o médico deve ser apresentado por um membro do corpo clínico, munido da seguinte

Leia mais

Departamento e Instituto de Psiquiatria I CURSO SOBRE TRANSTORNOS MENTAIS RELACIONADOS AO TRABALHO E SAÚDE MENTAL NO TRABALHO

Departamento e Instituto de Psiquiatria I CURSO SOBRE TRANSTORNOS MENTAIS RELACIONADOS AO TRABALHO E SAÚDE MENTAL NO TRABALHO Departamento e Instituto de Psiquiatria I CURSO SOBRE TRANSTORNOS MENTAIS RELACIONADOS AO TRABALHO E SAÚDE MENTAL NO TRABALHO Promoção Coordenação Público Alvo Programa de Psiquiatria e Psicologia Forense

Leia mais

Especialização em Clínica de Dor - NOVO

Especialização em Clínica de Dor - NOVO Especialização em Clínica de Dor - NOVO Apresentação Previsão de Início Julho Inscrições em Breve - Turma 01 - Campus Stiep O curso de Especialização em Clínica de Dor deverá enriquecer os currículos daqueles

Leia mais

FÓRUM DE HUMANIZAÇÃO HOSPITALAR E VOLUNTARIADO

FÓRUM DE HUMANIZAÇÃO HOSPITALAR E VOLUNTARIADO FÓRUM DE HUMANIZAÇÃO HOSPITALAR E VOLUNTARIADO A IMPORTÂNCIA DO VOLUNTARIADO NO PROCESSO DO HUMANIZAR FERNANDO BASTOS fernandobastosmoura@yahoo.com.br HUMANIZAÇÃO HOSPITALAR E PROFISSIONAIS DE SAÚDE DIAGNÓSTICO

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

Câmara Municipal de São Paulo

Câmara Municipal de São Paulo DISCURSO PROFERIDO PELO VEREADOR NATALINI NA 195ª SESSÃO ORDINARIA, REALIZADA EM 16/11/10 GRANDE EXPEDIENTE O SR. NATALINI (PSDB) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Vereadores, paulistanos que nos acompanham

Leia mais

A Lição de Lynch. O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros

A Lição de Lynch. O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros A Lição de Lynch O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros Por Laura Somoggi, de Marblehead (EUA) É muito provável que o nome Peter Lynch não lhe seja familiar. Ele

Leia mais

SECRETARIA DE RESSOCIALIZAÇÃO. Programa de Alívio e Relaxamento do Estresse

SECRETARIA DE RESSOCIALIZAÇÃO. Programa de Alívio e Relaxamento do Estresse SECRETARIA DE RESSOCIALIZAÇÃO Programa de Alívio e Relaxamento do Estresse SUMÁRIO JUSTIFICATIVA OBJETIVOS EXECUÇÃO CONDIÇÕES GERAIS JUSTIFICATIVA As facilidades e a agitação da vida moderna trouxeram

Leia mais

Parecer CRFa-4ª Região nº 003/2015

Parecer CRFa-4ª Região nº 003/2015 Parecer CRFa-4ª Região nº 003/2015 Dispõe sobre a atuação fonoaudiológica na área hospitalar privada, pública e filantrópica e em atendimento domiciliar e dá outras providências O presente Parecer tem

Leia mais

O AUTISMO- NA CRIANÇA

O AUTISMO- NA CRIANÇA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MÉRTOLA Escola E,B 2,3 ES\Escola S. Sebastião de Mértola Curso Profissional de Técnico de Apoio Psicossocial- 3ºano Disciplina de Psicopatologia Geral Ano letivo 2013\14 Docente:

Leia mais

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE Um modelo de assistência descentralizado que busca a integralidade, com a participação da sociedade, e que pretende dar conta da prevenção, promoção e atenção à saúde da população

Leia mais

Os 6 Passos Para Você Vender Consultoria em Vendas Online Através de Palestras Online

Os 6 Passos Para Você Vender Consultoria em Vendas Online Através de Palestras Online Os 6 Passos Para Você Vender Consultoria em Vendas Online Através de Palestras Online Palestra online é uma das maneiras mais simples, rápida e eficiente de vender serviço 01 - Recebem elogios mas não

Leia mais

PESQUISA DE CABELEIREIRA/TÉCNICO DE ESTÉTICA:

PESQUISA DE CABELEIREIRA/TÉCNICO DE ESTÉTICA: Fundo Perpétuo de Educação PESQUISA DE CABELEIREIRA/TÉCNICO DE ESTÉTICA: Os depoimentos, ensinamentos e metas dos participantes mais bem sucedidos. A escolha da escola fez a diferença na sua colocação

Leia mais

ESCOLA DE MEDICINA FAMILIAR /Açores 2015

ESCOLA DE MEDICINA FAMILIAR /Açores 2015 Apresentação Formação Médica Contínua ESCOLA DE MEDICINA FAMILIAR /Açores 2015 S. Miguel Lagoa 25 a 28 de junho de 2015 Local: Escola Secundária de Lagoa Horários: 5ª feira: Tarde: 14h00 20h30m 6ª feira

Leia mais