UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES - SCHLA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DECISO ANNE CAROLINE PELLIZZARO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES - SCHLA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DECISO ANNE CAROLINE PELLIZZARO"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES - SCHLA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DECISO ANNE CAROLINE PELLIZZARO ELEIÇÃO E MÍDIA: UMA ANÁLISE DA COBERTURA ELEITORAL PARA A PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA, NO ANO DE 2012, NO PORTAL ELETRÔNICO DO JORNAL GAZETA DO POVO. CURITIBA 2013

2 ANNE CAROLINE PELLIZZARO ELEIÇÃO E MÍDIA: UMA ANÁLISE DA COBERTURA ELEITORAL PARA A PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA, NO ANO DE 2012, NO PORTAL ELETRÔNICO DO JORNAL GAZETA DO POVO. Trabalho de Conclusão de Curso apresentado como requisito parcial à obtenção do grau de Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Paraná. Orientador: Prof. Dr. Emerson Urizzi Cervi. CURITIBA 2013

3 ANNE CAROLINE PELLIZZARO ELEIÇÃO E MÍDIA: UMA ANÁLISE DA COBERTURA ELEITORAL PARA A PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA, NO ANO DE 2012, NO PORTAL ELETRÔNICO DO JORNAL GAZETA DO POVO. Trabalho de conclusão de curso aprovado como requisito parcial para obtenção do grau de Bacharel no curso de Graduação de Ciências Sociais, Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes da Universidade Federal do Paraná, pela seguinte Banca Examinadora: Orientador: Prof Dr. Emerson Urizzi Cervi Departamento de Ciências Sociais, UFPR. Prof PhD. Nelson Rosário de Souza Departamento de Ciências Sociais, UFPR. Doutoranda Michele Goulart Massuchin UFSCAR. Curitiba, 13 de dezembro de 2013.

4 AGRADECIMENTOS Agradeço primeiramente a Deus. Agradeço à minha família, em especial à minha mãe Cladies, minha irmã Elisangela e meu sobrinho Erick, por serem essenciais na minha vida. Agradeço espiritualmente à minha avó Cecília Aguayo, que faz muita falta no meu dia a dia. Agradeço aos meus amigos por todo o apoio durante mais esta trajetória acadêmica. Agradeço a todos os professores do Departamento de Ciências Sociais. Agradeço notadamente a todos os Professores e Pesquisadores do Grupo de Comunicação Política e Opinião Pública. Agradeço especialmente ao meu orientador Emerson Urizzi Cervi, pela excelente orientação, pela atenção e pelos conselhos que me deu. Neste diapasão agradeço também ao professor Nelson Rosário de Souza, orientador da minha iniciação cientifica, que me deu todo o apoio desde o início da graduação. Reitero que estes dois professores foram e são essenciais para a minha formação como Cientista Política, de forma que consigno aqui toda a minha admiração e respeito.

5 RESUMO Os meios de comunicação desempenham um importante papel na sociedade contemporânea, pois constituem um espaço capaz de promover o debate público e distribuir rapidamente as informações. E ainda representam uma ferramenta necessária para o repasse de informações durante as campanhas eleitorais. Considerando a necessidade de informações cada vez mais rápidas e atualizadas, a internet se transforma num instrumento que merece ser objeto de análise, principalmente no que concerne aos portais eletrônicos geralmente vinculados a grandes Jornais Impressos. Os portais eletrônicos ganham cada vez mais espaço entre os meios de comunicação de massa em razão da velocidade em que as informações são transmitidas. Desta forma, o objetivo desta pesquisa é a análise de um dos meios de comunicação de larga utilização que é o Portal Eletrônico vinculado ao Jornal Gazeta do Povo, durante os meses de julho a outubro, para as eleições à Prefeitura Municipal de Curitiba, no ano de A pesquisa pretende responder as seguintes perguntas: Qual a cobertura feita pelo Portal Gazeta do Povo durante o período eleitoral? Qual o enquadramento e a abordagem dada às notícias sobre as eleições e os candidatos à Prefeitura Municipal de Curitiba no Portal Eletrônico da Gazeta do Povo? Qual a visibilidade dos principais candidatos à prefeitura na cobertura do portal? A hipótese é que o espaço dado aos candidatos é distinto. O método utilizado foi o quantitativo, sendo utilizados como parâmetros para a pesquisa os meses de julho a outubro de Os resultados demonstram que houve 378 chamadas contendo ao menos o nome de um dos candidatos às eleições municipais. Palavras-chave: Comunicação Política, Eleições Municipais, Curitiba, Mídia Digital.

6 LISTAS DE TABELAS TABELA 1 DISTRIBUIÇÃO DA FREQUÊNCIA DE ACORDO COM 46 OS MESES TABELA 2 DISTRIBUIÇÃO DOS TEMAS 47 TABELA 3 TIPO DE FONTE PREDOMINANTE 48 TABELA 4 TIPO DE ENQUADRAMENTO 50 TABELA 5 VISIBILIDADE NO TÍTULO 51 TABELA 6 CITAÇÃO NO TEXTO 52 TABELA 7 VALÊNCIA DOS CANDIDATOS LUCIANO, GUSTAVO E 53 RATINHO TABELA 8 CRUZAMENTO DE VALÊNCIA DO DUCCI COM DUCCI 55 NO TÍTULO TABELA 9 CRUZAMENTO DE VALÊNCIA DO FRUET COM FRUET 55 NO TÍTULO TABELA 10 CRUZAMENTO DE VALÊNCIA DO RATINHO COM 56 RATINHO NO TÍTULO TABELA 11 OPÇÕES DE CURTIR POR VALÊNCIA POR MÊS 63 PARA DUCCI TABELA 12 OPÇÕES DE CURTIR POR VALÊNCIA POR MÊS 65 PARA FRUET TABELA 13 OPÇÕES DE CURTIR POR VALÊNCIA POR MÊS 66 PARA RATINHO

7 LISTAS DE GRÁFICOS GRÁFICO 1 RESULTADO PRIMEIRO TURNO 38 GRÁFICO 2 RESULTADO SEGUNDO TURNO 39 GRÁFICO 3 RELAÇÃO NÚMERO DE CITAÇÕES DURANTE O 58 MÊS GRÁFICO 4 RELAÇÃO VALÊNCIA POSITIVA OU NEGATIVA 59 DURANTE O MÊS DUCCI GRÁFICO 5 RELAÇÃO VALÊNCIA POSITIVA OU NEGATIVA 60 DURANTE O MÊS FRUET GRÁFICO 6 RELAÇÃO VALÊNCIA POSITIVA OU NEGATIVA 61 DURANTE O MÊS RATINHO GRÁFICO 7 RELAÇÃO VALÊNCIA POSITIVA OU NEGATIVA 62 DURANTE O MÊS ENTRE OS CANDIDATOS

8 LISTAS DE ILUSTRAÇÃO FIGURA 1 - TRAJETÓRIA POLÍTICA DOS CANDIDATOS FRUET, 37 DUCCI E RATINHO JR. FIGURA 2 PORTAL ELETRÔNICO GAZETA DO POVO 41 FIGURA 3 CADERNO VIDA PÚBLICA 43

9 SIGLAS PARTIDÁRIAS DEM: Democratas PCB: Partido Comunista Brasileiro PCdoB: Partido Comunista Do Brasil PCO: Partido Da Causa Operária PDT: Partido Democrático Trabalhista PEN: Partido Ecológico Nacional PHS: Partido Humanista Da Solidariedade PMDB: Partido Do Movimento Democrático Brasileiro PMN: Partido Da Mobilização Nacional PP: Partido Progressista PPL: Partido Pátria Livre PPS: Partido Popular Socialista PR: Partido Da República PRB: Partido Republicano Brasileiro PRP: Partido Republicano Progressista PRTB: Partido Renovador Trabalhista Brasileiro PSB: Partido Socialista Brasileiro PSC: Partido Social Cristão PSD: Partido Social Democrático PSDB: Partido Da Social Democracia Brasileira PSDC: Partido Social Democrata Cristão PSL: Partido Social Liberal PSOL: Partido Socialismo E Liberdade PSTU: Partido Socialista Dos Trabalhadores Unificado PT: Partido Dos Trabalhadores PTB: Partido Trabalhista Brasileiro PTC: Partido Trabalhista Cristão PTdoB: Partido Trabalhista Do Brasil PTN: Partido Trabalhista Nacional PV: Partido Verde

10 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO DEMOCRACIA, MÍDIA E COBERTURA ELEITORAL As noções de agendamento e enquadramento Cobertura eleitoral Novas mídias Uma análise do papel da internet AS ELEIÇÕES PARA A PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA Candidatos na disputa Luciano Ducci Gustavo Bonato Fruet Carlos Roberto Massa Junior Rafael Valdomiro Greca de Macedo Alzimara Cabreira Fraga Bacellar Avanilson Alves Araújo Bruno Cesar Deschamps Meirinho O resultado das eleições O Jornal Gazeta do Povo O Portal Gazeta do Povo OBJETO EMPÍRICO, METODOLOGIA E ANÁLISE DOS DADOS DO PORTAL GAZETA DO POVO Objeto empírico Metodologia Análise dos dados Volume dos Dados Volume dos Candidatos Mudança ao longo do tempo Efeito para o leitor CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ANEXO... 78

11 11 1. INTRODUÇÃO Os meios de comunicação constituem uma ferramenta muito importante na sociedade atual, capaz de promover um intenso debate no espaço público, propiciando as trocas de informações para o alcance de todos, suprimindo as barreiras geográficas, culturais e linguísticas. Através destes meios se faz possível o acesso a diversas informações, das mais variadas, compreendendo desde temas como cultura, lazer, educação, segurança, esportes, economia, cidades até política. Os estudos a respeito dos meios de comunicação de massa sempre foram objetos de discussão pois, buscava-se compreender o que os meios representavam e quais eram os efeitos que a mídia poderia produzir nas pessoas. Nesta discussão entra a noção de esfera pública, para Habermas (2003), enquanto no âmbito privado da família os indivíduos discutem temas de interesse próprio, é no espaço público os temas que ganham destaque, geralmente são questões que afetam a comunidade, ou seja, de interesse público. E as decisões tomadas nesse local de debate são transmitidas para todo o sistema político (HABERMAS, 2003). Ainda neste sentido o conceito de representação ocorre na esfera pública, não há representação que seja coisa privada (HABERMAS, 2003). Na esfera pública ocorre a representação e propagação da opinião, é um espaço que representa a democracia, que separa os interesses públicos dos privados. Assim os meios de comunicação ocupam uma importante função na democracia, pois se constituem como espaço de debates e concomitantemente assumem papel como autores dos debates. A mídia tem seu desempenho na política e interesses que configuram na coletividade. Para o estudo da comunicação política utiliza-se o termo mass media que é definido como um conjunto coerente de proposições, hipóteses de pesquisa e aquisições verificadas, pode também em outros casos designar mais uma tendência significativa de reflexão e/ou de pesquisa do que uma teoria propriamente dita (WOLF, 2006). Dentro do conceito de mass media é possível extrair a noção de agendamento. A noção de agenda setting iniciou nos anos 70 pelos pesquisadores americanos McCombs e Shaw com um modelo de pesquisa desenhado para testar empiricamente os efeitos da comunicação de massa na preferência política e eleitoral do público (AZEVEDO, 2004).

12 12 Nas democracias a relação entre os meios de comunicação de massa e a opinião pública é crucial para se entender como se definem as agendas temáticas e as questões públicas relevantes (MANIN, 1995). O modelo da agenda-setting, a exemplo de outras proposições analíticas, foi uma das respostas dada à problemática dos efeitos, sob as novas exigências teóricas impostas pelo ambiente midiático contemporâneo (AZEVEDO, 2004). Nesta pesquisa não será analisado este efeito de agendamento, contudo os apontamentos teóricos deste conceito contribuem para a compreensão do tema. O eleitor, através de meios de comunicação neutros, adquire informações políticas importantes, dando a elas seus juízos particulares (MANIN, 1995). A propagação dos meios de comunicação pode se dar através de jornais impressos, rádio, televisão e internet. No âmbito político, estes meios constituem um instrumento primordial para fomentar o debate político, mormente no período eleitoral e auxiliar o leitor na escolha de seu candidato. Destarte, os meios de comunicação são tanto o principal canal de acesso dos cidadãos às informações de que precisam para agir na esfera política quanto o principal instrumento dos líderes políticos para a divulgação de suas mensagens, projetos, temas para a agenda pública, em suma, para a batalha política crucial, a construção de vontades coletivas (ou, dito de outra maneira, a luta pela hegemonia). Isto coloca a mídia numa posição central na arena política das sociedades contemporâneas (MIGUEL, 2000, p. 66/67). Neste contexto, pretende-se através desta pesquisa ter como objetivo de estudo analisar a cobertura midiática dada pelo portal do Jornal Gazeta do Povo no período eleitoral. A escolha do objeto se justifica, mormente, em razão dos portais eletrônicos ganharem cada vez mais espaço frente aos meios de comunicação em detrimento dos tradicionais jornais impressos, de forma que, cada vez mais os leitores utilizam esta ferramenta para obter o acesso à informação. O objeto desta pesquisa é, portanto, a análise da cobertura eleitoral feita pelo Portal Gazeta do Povo em relação aos três principais candidatos da disputa Luciano Ducci, Gustavo Fruet e Ratinho Junior, no período de julho de 2012 a outubro de A escolha destes candidatos se justifica em razão do Luciano Ducci ser candidato a reeleição e os candidatos Gustavo Fruet e Ratinho Junior apresentarem durante toda a campanha índices altos de preferência nas pesquisas de opinião. Foram contabilizados neste período 378 chamadas.

13 13 O objetivo geral desta pesquisa é analisar a partir das eleições municipais para o mandato de prefeito de Curitiba, como o portal eletrônico Gazeta do Povo corroborou para a escolha do eleito, além disto, de que forma as características pessoais do candidato foram abordadas pelo portal. Como objetivos específicos pretende-se sopesar como os candidatos às eleições municipais de Curitiba foram abordados portal eletrônico Gazeta do Povo, através de métodos quantitativos e evidenciar como o portal eletrônico Gazeta do Povo vem sendo utilizados em grande escala para o acesso a informação de forma rápida e eficaz, o que legitima sobre da análise empírica recair sobre os portais eletrônicos e não sobre os jornais impressos. A justificativa desta pesquisa se dá pela relação da importância dos meios de comunicação possuem para a escolha do voto, neste caso, para a escolha do eleito nas Eleições Municipais de Curitiba no ano de A problematização consiste na formulação das seguintes perguntas: a) Quais os temas agendados no portal eletrônico? b) Estes temas correspondem a cobertura eleitoral? c) Qual a visibilidade dos candidatos no portal eletrônico? d) Há diferenças entre a visibilidade e valência dos candidatos na tratativa do portal? A hipótese principal desta pesquisa é que o portal Gazeta do Povo no que tange a cobertura eleitoral fornece um espaço distinto aos candidatos da disputa. Para referendar a pesquisa é utilizado o método quantitativo de análise de conteúdo, a escolha deste método se justifica ante a necessidade de correlacionar quantitativamente os dados coletados no portal e por se tratar de um universo grande (378 textos ou posts). Com o intento de responder as perguntas aventadas esta pesquisa foi dividida em três capítulos: o primeiro capítulo faz uma discussão teórica sobre os temas de democracia, mídia e cobertura eleitoral, o segundo capítulo faz uma contextualização dos candidatos que disputaram as eleições para a Prefeitura Municipal de Curitiba e o terceiro é o capítulo analítico responsável por analisar os dados coletados e apresentar os principais apontamentos.

14 14 2. DEMOCRACIA, MÍDIA E COBERTURA ELEITORAL A palavra democracia tem sua origem na Grécia Antiga, significando governo do povo. Através do tempo, a concepção básica governo do povo não foi alterada, mas lhe foi agregado nova semântica, novos valores, de acordo com as mudanças da época e localização do grupo social. De acordo com Norberto Bobbio: Seja o que for que se diga, a verdade é que, não obstante o transcorrer dos séculos e todas as discussões que se tratavam em torno da diversidade da democracia dos antigos com respeito à democracia dos modernos, o significado descritivo geral do termo não se alterou, embora se altere, conforme os tempos e as doutrinas, o seu significado valorativo, segundo o qual o governo do povo pode ser preferível ao governo de um ou de poucos e vice-versa (BOBBIO, 2005, p. 31). Todavia, a conceituação da palavra democracia é ainda um desafio à ciência, principalmente em relação às experiências individuais de cada país pelo que se entende a este respeito. A noção de democracia adotada neste trabalho é a mesma explicitada por Cervi que é a representação da democracia como um conjunto de direitos civis, políticos e sociais, que ultrapassa a esfera institucional (CERVI, 2006, p. 38). Dentro do processo histórico do Governo Representativo aludido por Manin, notou-se uma terceira metamorfose, mais ou menos semelhantes ao parlamentarismo, a democracia do público. Aqui a personalidade dos candidatos é um marco nas eleições. E o eleitorado deixa de votar no partido. Este se torna um instrumento para a personalização do candidato, uma via construída por possíveis representantes. A criação destas personalidades é facilitada pela utilização dos meios de comunicação. Primeiro, o candidato se comunica diretamente com os eleitores; segundo, a personalidade, por intermédio do primeiro elemento, pode ser mais bem exposta. A escolha do eleitor se dá pela confiança personalidade inspirada pelo candidato. Novamente há a presença da prerrogativa de Locke, na medida em que decorre da personalidade individual capaz de estabelecer juízos rápidos e assertivos (MANIN, 1995). A eleição, portanto, é uma reação do público, ou eleitorado, diante das propostas divergentes dos candidatos. Se, portanto, o candidato é eleito por sua personalidade e prerrogativa, possuí, de fato, certa independência do eleitorado, que o deixa agir de acordo com seus juízos. A liberdade de opinião, novamente relaciona os representantes com os representados, já que nesta forma de Governo

15 15 Representativo, as pesquisas de opinião afloram e os eleitos sabem previamente o que deseja o eleitorado, e caso não cumpram as exigências deste último, estão arriscados a não se reelegerem. Os debates são realizados no interior do partido e com os grupos de interesses. O eleitor, através de meios de comunicação neutros, adquire informações políticas importantes, dando a elas seus juízos particulares (MANIN, 1995). Portanto, nas democracias modernas a mídia tem um importante papel na exposição de informações para o exercício da liberdade de expressão. Destarte, uma característica chave da democracia é a contínua responsividade do governo às preferências de seus cidadãos, considerados como politicamente iguais (DAHL, 2012, p. 25). De modo que para que um governo continue responsivo todos os cidadãos devem ter oportunidades plenas de formular experiências, expressar suas preferências a seus cidadãos e ao governo através da ação individual e coletiva e de ter suas preferências igualmente consideradas na conduta do governo, ou seja, consideradas sem discriminação decorrente do conteúdo ou da fonte de preferência (DAHL, 2012, p. 26). Deste modo, para que haja um governo responsivo e, por via de consequência democrático é necessário os seguintes pressupostos: liberdade de formar e aderir a organizações, liberdade de expressão, direito de voto, elegibilidade para cargos público, direito de líderes políticos disputarem apoio e direito dos líderes políticos disputarem votos, fontes alternativas de informação, eleições livres e idôneas e instituições para fazer com que as políticas governamentais dependam de eleições e de outras manifestações de preferência (DALH, 2012, p. 27). A democracia representativa, na qual o Brasil se insere, negligencia de maneira direta e continua a participação do cidadão: Apesar de vivemos em tempos de consenso sobre a irreversibilidade da democracia como fato histórico, a democracia representativa, na qual o Brasil está inserido, negligencia a participação do cidadão de maneira direta e contínua, influenciando diretamente as instituições estatais. No caso do Brasil, trata-se de uma espécie de desgoverno por dois motivos: por um lado, porque o regime democrático brasileiro continua a adotar práticas oligárquicas; por outro, porque a memória coletiva autoritária leva a uma democracia não consolidada com a manutenção do clientelismo, personalismo e patrimonialismo (CERVI, 2006, p. 39). Assim, o modelo teórico de democracia é representado não apenas pelas instituições, mas por um conjunto de representações sociais, políticas e civis. Dentro deste contexto entram os meios de comunicação, pois possibilitam a realização do

16 16 debate, ampliando e difundido o acesso às informações, contribuindo para que os agentes façam suas escolhas. Cervi que a mídia representa uma espaço onde a realidade política pode ser ampliada e, por consequência, a mídia impacta a democracia: A mídia é o espaço onde uma versão da realidade, que pode ser a realidade política, passa a ser ampliada. Isso tem um impacto significativo para a democracia, pois na mídia alguns temas são "iluminados", enquanto outros, não abordados, perdem espaço na arena pública. A informação e sensibilização dos homens, que geram as possibilidades de mudança nas preferências, dependem do grau de proximidade das mensagens com a realidade dos receptores mais interessados nos temas os líderes de opinião. Quanto mais distantes ou estranhos forem os conteúdos, menor a capacidade de modelar a consciência dos indivíduos que entram em contato com as mensagens, seja direta ou indiretamente, no segundo estágio da comunicação (CERVI, 2006, p. 49). Miguel faz uma crítica em relação a ausência papel dos meios de comunicação na democracia, aduzindo ainda que a esfera política vem sendo remodelada pela mídia, principalmente por esta nutrir a capacidade de transformar os padrões do discurso político, a relação entre representantes e representados, o acesso do cidadão comum aos campos de poder (MIGUEL, 2000). E avança no sentido de defender que para que haja uma teoria da democracia válida, esta deve ser: Uma ferramenta para a compreensão da arena política nas sociedades contemporâneas reais, isto é, sociedades de classe, cindidas por profundas clivagens e desigualdades, inseridas em ambiente transnacionalizado. E também sociedades de massa. Vale dizer, sociedades nas quais a democracia direta, o governo do povo sem intermediários, é inalcançável. A representação política não pode ser eliminada. Portanto, o problema da representação, do vínculo entre representante e representado, é crucial para a teoria democrática contemporânea (MIGUEL, 2000, p. 67). De forma que a representação referenciada acima não se restringe apenas ao âmbito eleitoral, mas sim por mecanismos representativos presentes na vida social, incluindo-se nesta categoria a mídia, de forma que a utilização da mídia se torna um elemento importante nas democracias de massa (MIGUEL, 2000). E ainda ao que se refere ao papel da mídia no processo eleitoral podemos destacar as afirmações de Mundim (2007), que cita os autores Holbrook e Popkin, para explicar como a mídia influencia na escolha do voto: É racional que os eleitores busquem um mínimo de informações para tomarem suas decisões, e que busquem reduzir ao máximo os custos dessas informações. Por isso, a escolha racional vê a imprensa, principalmente, como um mecanismo de difusão de informações, que os

17 17 eleitores utilizam para reduzir a incerteza. Nesse sentido, ao contrário do que defende a abordagem dos efeitos limitados, a mídia pode influenciar o voto simplesmente disseminando informação (Holbrook, 1996; Popkin, 1991) (MUNDIM, 2007, p. 4). Por fim, os meios de comunicação de massa para Azevedo (2001, p.186) ganham não só uma posição estratégica na produção da visibilidade do campo político como também dividem com o parlamento e os partidos a posição de principal fórum do debate público. Tecidas estas breves considerações a respeito da democracia e a participação dos meios de comunicação no processo democrático, o próximo subcapítulo analisará as novas tecnologias de informação e comunicação que do mesmo modo que as mídias tradicionais (jornais, televisão e rádio) contribuem para fomentar o debate, principalmente, no que concerne às eleições objeto empírico desta pesquisa. 2.1 As noções de agendamento e enquadramento Os meios de comunicação de massa ao transmitirem as informações, repassam somente algumas, portanto, realizam uma espécie de seleção e verificam quais são os fatos relevantes ou não para incluírem na pauta midiática. A isto, dá-se o nome de agendamento. A noção de agenda-setting foi proposta no início dos anos 70, pelos pesquisadores americanos McCombs e Shaw (1972), consistente em uma forma de identificar e comparar as opiniões veiculadas pelos meios de comunicação e as opiniões dos cidadãos, a fim de estabelecer os vínculos entre elas. Antes do advento da teoria do agendamento o poder da mídia era referenciado por moldar o comportamento político, era o como pensar e como agir, depois com o agendamento o poder era indicar sobre o que pensar. Maigret explica que: Uma agenda é uma hierarquia de prioridades, uma lista de problemas em jogo classificados por importância crescente, e que se pode apreender, por exemplo, enumerando em dado momento os assuntos tratados na imprensa e a quantidade de tempo no ar e/ou de linhas que eles geram, ou, para os cidadãos, efetuando sondagens de opinião e entrevistas (MAIGRET, 2010, p. 311).

18 18 O conceito de agenda-setting remete a noção de que a mídia de massa é capaz de transferir para a audiência a relevância dada às notícias. O agendamento pode ser entendimento como a seleção, a hierarquia, a saliência, relevância de determinados temas e assuntos, em detrimentos de outros, que são trazidos para o debate político. A mídia é quem desempenha o papel do agendamento (AZEVEDO, 2004). É importante ressaltar a mídia ao selecionar determinados assuntos e ignorar outros, define quais são os temas, acontecimentos e atores (objetos) relevantes para a notícia, como também ao enfatizar determinados temas, acontecimentos e atores sobre outros, estabelece uma escala de proeminências entre esses objetos, do mesmo modo ao adotar enquadramentos positivos e negativos sobre temas, acontecimentos e atores constroem atributos (sejam positivos e negativos) sobre esses objetos e por fim, visualiza-se que há uma relação direta e causal entre as proeminências dos tópicos da mídia e a percepção pública de quais são os temas importantes num determinado período de tempo. Estas noções implicam numa proeminência do objeto e de atributos (AZEVEDO, 2004). A mídia além de selecionar e constituir uma linha graduada de proeminência entre os temas, acontecimentos e atores (objetos), adota também enquadramentos positivos e negativos sobre esses objetos, ou seja, atribui significados axiológicos, conferindo atributos que configuram a imagem do objeto, ou enquadramentos, afetando também o como o público pensa sobre esses objetos (SAISI, 2011, p. 4). A respeito da noção de enquadramento Porto explica que: Enquadramentos são entendidos como recursos que organizam o discurso através de práticas específicas (seleção, ênfase, exclusão) e que acabam por construir uma determinada interpretação dos fatos. (PORTO, 2004, p. 80). As hipóteses do agendamento (agenda-setting) reúne pesquisas preocupadas em analisar e detectar as funções dos meios e os efeitos causados sobre a audiência, enquanto que o enquadramento (framing), de um modo geral, é como se pensa a respeito dos temas já estabelecidos pela agenda (COLLING, 2001). Ainda neste sentido Colling explica citando Entman que: Para Entman, através do framing é possível verificar quem tem o poder no texto comunicativo porque conseguimos chegar nas origens da mensagem, na verdadeira autoria da informação. Esse poder é o de como pensar o

19 19 mundo e o framing passa a ser uma ferramenta empregada por aqueles que têm poder para transmitir o seu jeito de pensar para os demais. O framing, de um modo geral, é como temos que pensar os temas já estabelecidos pela agenda. Qualquer que seja o seu uso específico, diz Entman, o conceito de framing consiste em oferecer o modo de descobrir o poder do texto comunicativo. As análises passam a detectar qual é a influência sobre a consciência, que é exercida na transferência da informação. Produzir um enquadramento é selecionar alguns aspectos da realidade percebida e dar a eles um destaque maior no texto comunicativo, gerando interpretação, avaliação moral e/ou tratamento recomendado para o item descrito (COLLING, 2001, p. 95). O conceito de enquadramento complementa a noção de agendamento, porque inclui os aspectos valorativos que são evidenciados no texto comunicativo, ou seja, além de compreender o que a mídia agenda, é necessário também verificar como se deu a construção dos temas agendados pela mídia. Ressalta-se que o foco desta pesquisa não recai sobre o agendamento do portal, até porque não seria possível a mensuração do agendamento somente tendo por base o que foi veiculado no portal (agenda da mídia). Contudo, entender a conceituação da agenda se faz mister ante a necessidade de compreender quais temas foram pautadas, inclusive ao que concerne à cobertura eleitoral realizada pelo portal Gazeta do Povo, como será analisado no capítulo analítico. 2.2 Cobertura eleitoral Há uma expressiva variação das intenções de voto dos candidatos durante o período eleitoral 1, as causas desta variação estão ligados a fatores externos, como, por exemplo, as campanhas produzidas pelos candidatos, a cobertura que a imprensa faz das campanhas, os eventos, os acontecimentos (políticos, econômicos ou sociais), todas essas causas apontadas se fundam na forma em que os eleitores utilizam as informações políticas para tomarem suas decisões e definirem o voto (MUNDIM, 2010, p. 396). 1 Na pesquisa realizada no dia 09 de abril, o candidato Gustavo Fruet apresentava 26% das intenções de voto, seguido de Ratinho Jr. com 24% e Luciano Ducci com 16%. Na pesquisa realizada em 10 de agosto, Luciano Ducci ficou em primeiro lugar com 25%, seguido de Gustavo Fruet com 24% e Ratinho Jr. com 23%. No dia 24 de agosto Ratinho ocupou o primeiro lugar com 27%, seguido de Luciano Ducci com 23% e Gustavo Fruet com 21%. Na pesquisa de 14 de setembro, Luciano Ducci ficou em primeiro lugar com 31%, seguido de Ratinho Jr. com 30% e Gustavo Fruet com 16%. No dia 02 de outubro, Ratinho Jr. aparecia com 35%, seguido de Luciano Ducci com 28% e Gustavo com 16%. E na pesquisa de 06 de outubro Ratinho manteve-se com 35%, seguido de Luciano Ducci com 26% e Gustavo Fruet com 19%. Fonte: Pesquisas Eleitorais, Curitiba, Disponível em: Acesso em 28 de novembro de 2013.

20 20 A literatura existente a respeito da cobertura eleitoral na imprensa comumente está ligada a afirmação de que os meios de comunicação de massa geralmente são parciais em suas coberturas e na maioria das vezes favorecem candidatos ligados aos interesses dos grupos dominantes, sejam eles, políticos ou econômicos (AZEVEDO, 2001, p. 183). A respeito da relação entre mídia e classes dominantes no contexto da política brasileira Azevedo explica que: As evidências de parcialidade e partidarismo da imprensa seriam múltiplas e presentes em nossa história política recente pelo menos desde a campanha eleitoral de 1982, no Rio de Janeiro, que se encerrou com a vitória de Leonel Brizola para o governo estadual apesar da tentativa de fraude na apuração dos votos, episódio em que a TV Globo foi acusada de envolvimento direto. A tendenciosidade da mídia também estaria evidente em vários outros momentos eleitorais, como a célebre edição do debate final entre Lula e Collor realizada pela TV Globo, na eleição de 1989, bem como no apoio praticamente unânime dos principais meios de comunicação de massa ao Plano Real, em 1994, beneficiando indiretamente a candidatura de Fernando Henrique Cardoso. Em 1998, num contexto de crise econômico-financeira, a maior parte da mídia teria favorecido, mais uma vez, e em detrimento do candidato petista, a eleição de FHC. Fora do período eleitoral o exemplo mais citado do comprometimento dos meios de comunicação com as forças conservadoras seria o silêncio da televisão, especialmente a TV Globo, frente ao movimento das Diretas Já, só rompido quando a mobilização popular tomou as ruas das principais capitais do País (AZEVEDO, 2001, p. 183). Todavia, fazer generalizações sobre a partidarização dos meios de comunicação é temerário, primeiro porque a imprensa não é uma entidade homogênea, tendo em vista que há níveis de constrangimentos externos que delimitam a autonomia e a independência da imprensa; segundo que as alegações sobre a parcialidade da mídia quase sempre é feita de modo impressionista e, por último, a relação mídia e resultado política é analisada como uma relação direta e linear (AZEVEDO, 2001, p. 183). De acordo com Azevedo há uma exigência normativa, autorizada e legitimada pelo reconhecimento do poder da agenda, que prevê a existência de imprensa independente (desvinculada de interesses políticos e/ou econômicos) capaz de informar potencialmente e com a maior objetividade possível o leitor (AZEVEDO, 2001, p. 185). Na cobertura eleitoral é necessário, portanto, que haja um cuidado para que o meio midiático ofereça para o leitor informações completas e neutras, inclusive, devendo-se atentar aos candidatos à reeleição, que tendem a ocupar mais as notícias, justamente por fazerem parte da atual gestão. Neste sentido:

21 21 Para tornar públicas as ideias, propostas e decisões dos governantes, estes se utilizam dos meios de comunicação. Para Krieger (2008) em períodos eleitorais as dificuldades de cobertura aumentam, principalmente quando tem candidatos à reeleição. Pois, o jornalista deve tomar cuidado para não se tornar um instrumento de campanha do candidato e assim prejudicar o eleitor. Além disso, os meios de comunicação têm o papel de fornecer ao eleitor subsídios para que este possa optar entre uma ou outra proposta, tendo a informação mais completa e neutra possível (Cervi, Hedler, & Wada, 2009, p. 3). A mídia possui um papel relevante no debate eleitoral, mas não só apenas em relação aos eleitores, mas também aos candidatos. A mídia faz uma ponte entre candidato e o eleitor. Além disto, atua nos momentos que antecedem, durante e subsequentes a campanha, propiciando muitas das vezes uma prestação de contas. Assim: A mídia tornou-se o principal instrumento de prestação de contas dos políticos e dos governos. Governantes, da mesma forma que líderes sociais e políticos, são cobrados e chamados a prestar contas de seus atos por meio das pesquisas de opinião, do noticiário e das reportagens dos meios de comunicação de massa. Os canais tradicionais de mediação entre a sociedade e o governo, tais como os partidos e as redes de entidades sociais representativas, perderam espaço para a mídia. Por conta deste fato, a política tornou-se dependente da mídia. Os políticos tornaram-se mais dependentes da mídia para a sua sobrevivência. Em todas as democracias contemporâneas, a carreira e a sobrevivência de líderes sociais e políticos ficaram, em certa medida, dependentes de sua capacidade de tornarem mensagens e apelos políticos atraentes na linguagem da mídia. (Figueiredo, 2000, p. 40). A cobertura eleitoral realizada pelos jornais, sejam eles impressos ou online, contribuem para o debate público. Todavia, há uma diferença entre estes meios (impresso e online), isto porque, no processo de produção da notícia, a atividade de seleção de fatos é uma marca do jornalismo, sobretudo o impresso, ao passo que nos webjornais, porém, a noticiabilidade valoriza mais a rápida resposta aos fatos do que a eficiente seleção dos fenômenos cotidianos (Borges, 2008, p. 14). Desta forma, analisar a cobertura eleitoral através do espaço dado pelos meios de comunicação permite compreender quais foram os temas relevantes para a agenda da mídia e, em especial, analisar a cobertura eleitoral através das novas tecnologias de informação contribuir para enriquecer o debate entre mídia e eleições. No próximo tópico é analisado as novas mídias, como por exemplo a internet, apresentando as características deste meio de comunicação e como ele se relaciona com o objeto de pesquisa, que é portal do jornal Gazeta do Povo.

22 Novas mídias Uma análise do papel da internet A internet integra as novas tecnologias de informação e comunicação (NTIC), constituindo-se como uma importante fonte de transmissão de informação, inclusive, suas características e principalmente, o papel desempenhando, veem sendo analisadas nos estudos de comunicação. A internet oferece um recurso capaz de atingir cada vez mais uma participação virtual ativa, bem como fortalecer o processo democrático (MAIA, 2000). Assim a internet é uma mídia no sentido restrito do termo, isto é, um suporte tecnológico para a comunicação, por mobilizar os recursos da escrita, imagem e som, em razão do caráter multimídia (MAIGRET, 2010). As discussões a respeito do papel da internet giram em torno da sua representação como um novo espaço público capaz de promover o debate e propiciar a formação de opinião, sendo denominada por alguns autores como democracia eletrônica (GOMES, 2005; PEIXOTO, 2009; MAIA, 2000; FREIRE e SALES, 2010); ou então que a internet atua como um subsistema político virtual permitindo que a comunicação e a informação políticas mais inteligíveis e dinâmicas para com os cidadãos mais interessados (NORRIS, 2001) ou ainda, o seu uso concomitante pelos os outros meios (MAIGRET, 2010). A internet cria um novo espaço de debate e formação de opinião, a este fenômeno dá-se o nome de democracia eletrônica: Entende-se por democracia eletrônica o uso de Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) como meios para aumentar a transparência de processos políticos, facilitar a participação cidadã nos sistemas de tomada de decisão e, finalmente, melhorar a qualidade do processo de formação de opinião na esfera pública, a partir da abertura de novos espaços de informação e deliberação. (PEIXOTO, 2009, p. 2). As relações sociais não estão mais limitadas à esfera local onde acontecem, elas são invariavelmente influenciadas pela cultura e expressão de indivíduos que estão em múltiplos lugares, uma vez que a rede permite a conexão imediata entre pessoas de dessemelhantes nacionalidades, sendo o tempo e distância entraves superados: O outro não está mais necessariamente "ao nosso lado", face a face, na nossa vizinhança ou comunidade de bairro. Ele continua na proximidade local, mas está também distante, nas nossas relações eletronicamente mediadas em instrumentos da Web 2.0 como Facebook, Orkut, Twitter,

23 23 Blogs, etc. As mídias, incluindo as atuais, ampliam nossa visão dos lugares (criando novos sentidos) e de nós mesmos por jogos de espelho ampliados e por relações com o "outro", ao mesmo tempo presencial e mediado. Criase, assim, "new sense of places" e "new sense of selves" (LEMOS, 2010, p. 176/177). Por este motivo a demanda por informações na internet é motivada pela praticidade, rapidez e comodidade de acesso tendo em vista que a linguagem digital permite que ela seja guardada, armazenada, recuperada, processada e transmitida, dinamizando o seu fluxo e alterando os modos de disseminar o conhecimento (Barbalho, 2004, p. 1). Para Maigret (2010, p. 409) os servidores de dados constituem ferramentas de busca, isto é, de consulta funcional da informação mais do que de comunicação. O é um instrumento de comunicação interpessoal, e os fóruns de debate servem como espaço de discussão e de trabalho em comum. A web transmite em parte conteúdos de tipos de meios de comunicação de massa ou mídias especializadas, pois alguns sítios informativos ou lúdicos preenchem funções próximas das revistas de papel, dos jornais, dos programas de televisão, da música produzida ao vivo. Desta forma, meios de comunicação como jornais impressos, revistas, televisão, rádios, migram no todo ou em parte seu conteúdo na internet. Assim, na percepção de Maigret (2010, p. 426) a imprensa de informação em geral disponibiliza online uma grande parte de suas edições diárias, sob pressão da concorrência, ao mesmo tempo em que traz algumas informações de última hora e debates. Fazendo isso, ela seduz os potenciais leitores do jornal impresso, cobra as vezes o acesso ao portal ou ainda, o acesso a determinados documentos, e recebe lucros da publicidade colocada no portal. O conceito de portal pode ser sintetizado como uma reunião de diversos serviços ofertados que foram agrupados de modo a possibilitar que, em um único endereço, o usuário pudesse encontrar uma variedade de opções que atendesse às suas necessidades e expectativas quando do acesso à rede (Barbalho, 2004, p. 5). Assim, sintetizando a contextualização a respeito das novas mídias, temos que estas acrescentam para o debate eleitoral, inclusive, é possível ver a utilização das novas mídias nas eleições atuais, sejam através dos portais informativos em plataforma web para a circulação de informações, sejam através de redes sociais (sites pessoais dos candidatos, facebook, twitter, instragram, dentre outros).

24 24 Além disso, nas eleições mais recentes, principalmente a partir de 2002 no Brasil, é possível identificar algumas mudanças nos processos decisórios com a introdução das novas tecnologias de comunicação e ferramentas de divulgação de informações políticas. Esses instrumentos foram apropriados pelos candidatos, mas também pelas grandes empresas de comunicação que, além de manterem os jornais impressos, passaram a disputar espaço na rede mundial de computadores. Dessa forma, os sites passam a ser considerados como nova plataforma de informação política que, junto com a mídia impressa e a televisão, ajudam a agendar as discussões na esfera pública. E embora muitos sites e portais surjam dentro de grandes grupos de comunicação como é o caso do Estadão.com o conteúdo pode ser diferenciado de acordo com as características da nova plataforma, do público alvo e das rotinas produtivas próprias dos veículos on-lines (Massuchin & Cervi, 2012, p. 3/4). Pelo exposto, temos que o papel dos meios de comunicação analisado através do papel das novas mídia, neste caso, o portal eletrônico Gazeta do Povo, contribui para compreender de que forma estes meios de comunicação alimentam o debate público, principalmente no período eleitoral, momento em que as eleitores acessam as informações transmitidas pelos meios noticiosos com o objetivo de decidir ou confirmar a escolha do voto. Os meios de comunicação, portanto, representam uma ferramenta capaz de transmitir informações aos leitores, e para que esta relação seja democrática é necessário que aquilo que é repassado, seja feito de forma objetiva e imparcial, principalmente quando relacionado a cobertura eleitoral. No próximo capítulo será analisado as eleições para a Prefeitura Municipal de Curitiba, abordando os candidatos e os resultados do primeiro e segundo turno, estas informações servirão como base para o capítulo analítico.

25 25 3. AS ELEIÇÕES PARA A PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA Neste capítulo será traçado um panorama a respeito da eleição para a Prefeitura Municipal de Curitiba, no ano de 2012, iniciando com uma explicação dos candidatos que integraram a disputa, depois correlacionando o perfil de cada representante com a trajetória acadêmica, profissional e política, bem como abordando as noções gerais sobre o partido que o concorrente representa. Além disto, haverá uma explanação a respeito do resultado das eleições nas urnas, no primeiro e segundo turno. Ao final, haverá uma contextualização do Jornal Gazeta do Povo, bem como do seu portal eletrônico. Os tópicos abordados neste capítulo integram o objeto de análise desta pesquisa. 3.1 Candidatos na disputa Os candidatos que inscreveram para concorrerem às eleições para o cargo de Prefeito de Curitiba, no ano de 2012, foram: Alzimara (PPL), Avanilson (PSTU), Bruno Meirinho (PSOL), Carlos Moraes (PRTB), Gustavo Fruet (PDT), Luciano Ducci (PSB), Rafael Greca (PMDB) e Ratinho Junior (PSC). Com a saída de Carlos Moraes do pleito 2, a disputa em Curitiba envolveu os sete candidatos: Alzimara (PPL), Avanilson (PSTU), Bruno Meirinho (PSOL), Gustavo Fruet (PDT), Luciano Ducci (PSB), Rafael Greca (PMDB) e Ratinho Jr (PSC). Ao longo de toda a campanha as eleições se concentraram no candidato a reeleição Luciano Ducci e os candidatos Gustavo Fruet e Ratinho Junior, em que pese Rafael Greca tivesse uma trajetória política estabelecida não apresentou durante as pesquisas intenções de voto significativas. Veremos agora o perfil de cada candidato separadamente, bem como seu partido e as coligações feitas para a disputa eleitoral Luciano Ducci 2 Um destaque para o candidato Carlos Moraes que deixou a disputa, tendo em vista que teve o registro de candidatura indeferido pelo TRE, decisão esta confirmada pelo TSE.

26 26 Luciano Ducci candidato à reeleição à Prefeitura Municipal de Curitiba com o Partido Socialista Brasileiro - PSB, com o número 40, representando a coligação "Curitiba sempre na frente" com os partidos PSB, PSDB, PPS, DEM, PP, PSD, PTB, PRP, PSL, PTN, PSDC, PHS, PMN, PTC, PRB 3. Ducci se formou em Medicina e atuou na área de pneumologia pediátrica. É servidor da Secretaria Municipal de Saúde desde 1988, onde começou a trabalhar na Unidade Municipal de Saúde Trindade, no bairro Cajuru. Além disto, comandou o Serviço de Vigilância Sanitária Municipal e o Setor de Assistência à Saúde. Em 1995 foi convidado para fazer parte do Governo Estadual como Diretor Geral da Secretaria Municipal de Saúde, onde permaneceu por três anos. Depois retornou à Secretaria Municipal de Saúde 4. Em sua trajetória política no ano de 2002 foi eleito Deputado Estadual onde permaneceu até o ano de 2004 quando deixou a Assembleia Legislativa para fazer parte da candidatura de Beto Richa. No ano de 2004, elegeu-se vice-prefeito na chapa de Beto Richa (PSDB). Reeleito em 2008, assumiu a prefeitura em 2010, quando Richa saiu para concorrer ao governo do estado 5. Rubens Bueno (PPS) candidato a vice-prefeito de Luciano Ducci, já foi prefeito de Campo Mourão, entre 1993 e Além disto, foi deputado estadual em dois mandatos seguidos, de 1983 a 1990, além de secretário de Estado da Justiça, Trabalho e Ação Social. Foi eleito deputado federal em 1991, 1999 e Em 2002, disputou a eleição para o governador e, em 2004, concorreu à prefeitura de Curitiba, mas não foi eleito nessas ocasiões 6. Luciano Ducci apresentou como principais propostas relacionados ao tema da educação com a criação de 15 mil vagas em creches; assistência social objetivando erradicar a miséria em Curitiba ao retirar 12,7 mil pessoas dessa faixa; pavimentação almejando asfaltar mil quilômetros de ruas e saúde com a construção 3 ELEIÇÕES Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de HISTÓRICO DO LUCIANO DUCCI. Disponível em: https://pt-br.facebook.com/lucianoducci. Acesso em: 13 de novembro de Perfil Luciano Ducci no Candibook. Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de Saiba quem é Rubens Bueno. Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de 2013.

27 27 do Hospital de Pronto Socorro Norte e duas unidades 24 horas (Centros Municipais de Urgências Médicas) 7. O candidato representa o Partido Socialista Brasileiro PSB, que obteve o deferimento em e que tem como Presidente Nacional Eduardo Campos. O partido tem como objetivo conduzir a Nação à conquista da plena soberania nacional, principalmente política e econômica; democratizar o estado através, de mecanismos, que garantam a participação da sociedade civil organizada na formulação, execução e fiscalização das políticas públicas; socializar os meios de produção considerados estratégicos e fundamentais ao desenvolvimento, social, cultural e da democracia, e a preservação da soberania nacional; democratizar as relações de trabalho; estimular a ampla associação de cidadãos livres, visando à criação de novas formas e sistema de produção, na perspectiva de um desenvolvimento sustentável; estimular o desenvolvimento de valores morais e comportamentos culturais que contribuam para acelerar a abolição dos antagonismos de classes e da exploração entre classes, e segmentos sociais, bem como de todas as formas que justificam ideologicamente a discriminação e a marginalização de indivíduos e grupos sociais; lutar para manter o patrimônio intelectual no domínio da nacionalidade; lutar contra todos os tipos de privilégios, em especial aqueles patrocinados em causa própria, em qualquer nível 8. Luciano Ducci recebeu no primeiro turno votos, o equivalente a 27,22% dos votos válidos. Ficou em terceiro lugar na disputa, não indo para o segundo turno Gustavo Bonato Fruet Gustavo Fruet concorreu às eleições majoritárias de Curitiba pelo partido PDT e a coligação "Curitiba quer mais" composta pelos partidos PDT, PT e PV, com o número Confira o perfil dos concorrentes a prefeito de Curitiba. Gazeta do Povo, Curitiba, 06 out Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de Art. 1º, 3º do Estatuto do Partido Socialista Brasileiro. Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de ELEIÇÕES Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de 2013.

28 28 Gustavo é filho de Maurício Fruet que em sua trajetória política exerceu os cargos de deputado estadual, deputado federal constituinte e prefeito de Curitiba 10. O candidato é formado em Direito pela Universidade Federal do Paraná, tem mestrado em Direito Público e doutorado em Direito das Relações Sociais, também pela UFPR, exerce a profissão de advogado 11. Iniciou sua atuação política no movimento estudantil, como presidente do Centro Acadêmico Hugo Simas, do curso de Direito da UFPR. Em 1996, foi eleito vereador da Capital. Concorreu a deputado federal no lugar do pai (que morreu 30 dias antes da eleição), em 1998, foi o segundo candidato mais votado em Curitiba, com votos. Em 2002, foi eleito para o segundo mandato de deputado federal, com votos. Em 2006, Gustavo Fruet reelegeu-se com votos, que fizeram dele o deputado federal mais votado do Paraná. Em 2010, tentou uma vaga no Senado, atingindo 2,5 milhões de votos, porém não conseguiu se eleger. Em 2011, deixou o PSDB para ingressar no PDT e viabilizar sua candidatura a prefeito. Durante o período em que exerceu o cargo de Deputado, Gustavo apresentou mais de 40 projetos, atuou em algumas das mais importantes Comissões Parlamentares de Inquérito, como a CPI do PROER (O Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional) e CPI dos Correios 12. Gustavo Fruet entre os anos de 2003 a 2010 fez parte da lista dos "100 cabeças do Congresso" elaborada pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) 13. Em relação as filiações partidárias o candidato Gustavo Fruet integrou o partido PMDB no período de 1991 a 2004, PSDB entre os anos de 2005 a 2010 e PDT de 2011 até hoje. Mirian Gonçalves disputa pela primeira vez uma eleição, como candidata a vice-prefeita de Gustavo Fruet e representa o Partido Trabalhista. Mirian trabalha 10 Perfil Gustavo Fruet no Candibook. Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de Conheça o Gustavo e sua história. Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de Conheça o Gustavo e sua história. Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de ESTATÍSTICA DA SÉRIE: OS "CABEÇAS" DO CONGRESSO NACIONAL, desde Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de 2013.

29 29 como advogada trabalhista. A escolha para o cargo de vice veio após uma votação apertada nas nove regionais do PT em Curitiba. Ela organizou a Central Única de Trabalhadores, em Em 2008, coordenou o programa de governo do PT para prefeitura de Curitiba, função que também desempenha neste ano. Entre as principais propostas de governo estão os temas relacionados à saúde com a construção de hospital na região norte e transformação do hospital do Bairro Novo em hospital da mulher; educação com o objetivo de zerar a fila nas creches para crianças de 4 e 5 anos e abrir 15 mil novas vagas para as de 0 a 3 anos; em relação às drogas com a criação de Comitê Antidrogas e aumento de vagas para tratamento para dependentes químicos e, gestão por meio da adoção de uma gestão integrada, na qual as secretarias municipais trabalhariam juntas 14. Gustavo Fruet representa o Partido Democrático Trabalhista - PDT, que teve seu deferimento perante o TSE em , o partido que tem a legenda 12 é representado pelo Presidente Nacional Carlos Roberto Lupi. O partido tem como objetivos principais lutar, sob a inspiração do nacionalismo e do trabalhismo, pela soberania e pelo desenvolvimento do Brasil, pela dignificação do povo brasileiro e pelos direitos e conquistas do trabalho e do conhecimento, fontes originárias de todos os bens e riquezas, visando à construção de uma sociedade democrática e socialista 15. Gustavo Fruet recebeu no primeiro turno votos, o que corresponde a 27,22% dos votos válidos. No segundo turno recebeu votos, o correspondente a 60,65% dos votos válidos, sendo o candidato eleito Carlos Roberto Massa Junior Ratinho Junior, com o número 20, concorreu pela primeira vez as eleições majoritárias de Curitiba, pelo Partido Social Cristão e com o apoio da Coligação "Curitiba Criativa" formada pelos partidos PSC, PR, PCdoB e PTdoB Confira o perfil dos concorrentes a prefeito de Curitiba. Gazeta do Povo, Curitiba, 06 out Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de Art. 1º do Estatuto do Partido Democrático Trabalhista. Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de ELEIÇÕES Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de 2013.

30 30 O candidato é filho do apresentador de tevê Carlos Roberto Massa. Ratinho Jr. é formado em Marketing e Propaganda e tem pós-graduado em Direito do Estado. Em 2002, aos 21 anos, foi eleito deputado estadual com cerca de 189 mil votos. Chegou à Câmara Federal, em 2006, com 205 mil votos. Foi reeleito com quase 360 mil votos, em a maior votação da história do Paraná 17. O candidato a vice-prefeito Ricardo Mesquita, também do PSC, atua há mais de 20 anos na área de acessibilidade. É arquiteto e urbanista e, atualmente, trabalha como autônomo. Foi servidor da prefeitura de Curitiba e passou pela Secretaria de Urbanismo, Fundação Cultural de Curitiba e Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano. Integra pela primeira vez uma chapa para concorrer à eleição municipal. Ratinho Jr. adotou como principais propostas a ampliação do horário das creches até as 19 horas, criação da Academia da Guarda Municipal e implantação de módulos de segurança nos bairros, distribuir uniforme escolar para todos os alunos da rede municipal de ensino e criação dos programas Homem Curitibano e Sorriso da Gente, para levar tratamento odontológico às crianças nas escolas 18. Carlos Roberto Massa Junior representa o Partido Social Cristão, sendo obtido o deferimento em , tendo como Presidente Nacional Victor Jorge Abdala Nósseis. O partido tem fundamento na Doutrina Social Cristã, onde o Cristiano representa mais do que uma religião, representa um estado de espírito 19. De acordo com o Estatuto do PSC, o partido tem a finalidade de garantir o respeito à dignidade da pessoa humana em primeiro lugar, procurando colocá-la acima de quaisquer valores; a realização e execução de seu programa com base na Doutrina Social Cristã; a disciplina e fidelidade aos princípios programáticos, estatutários, as diretrizes, resoluções e deliberações do PSC aplicáveis a todos os seus filiados; o poder de definição, assegurado pela Constituição Federal, de sua estrutura interna, organização e funcionamento permanente em âmbito nacional; a defesa e o respeito da soberania nacional, do regime político democrático e do pluripartidarismo; a defesa e o respeito dos direitos fundamentais da pessoa humana, definidos na Constituição Federal, a ecologia e o meio ambiente; a 17 Perfil Ratinho Junior no Candibook. Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de Confira o perfil dos concorrentes a prefeito de Curitiba. Gazeta do Povo, Curitiba, 06 out Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de Partido Social Cristão. Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de 2013.

31 31 participação do PSC nos pleitos eleitorais que se realizarem em todos os níveis, único meio legítimo e pacífico para alcançar o poder e governar com as instituições democraticamente constituídas 20. Ratinho Jr. recebeu no primeiro turno votos, o equivalente a 34,09% dos votos válidos, disputando, portanto, o segundo turno com o Gustavo Fruet. No segundo turno Ratinho Jr. recebeu 39,35% dos votos, o que corresponde a votos, perdendo para o candidato Gustavo Fruet Rafael Valdomiro Greca de Macedo Rafael Greca é formado em economia e engenharia civil. Foi eleito deputado federal em 1998 e no ano seguinte se tornou ministro do Esporte e Turismo, no governo Fernando Henrique Cardoso. Em 2002, foi eleito deputado estadual e, em 2006, ficou como suplente. Não conseguiu cadeira na Assembleia Legislativa do Paraná em Também ocupou a presidência da Companhia de Habitação do Paraná. Tentou ser prefeito de Curitiba pela segunda vez, governou a capital entre 1993 e Marinalva Silva candidata a vice-prefeita de Rafael Greca, é especialista em Administração Pública. Assistente social e sanitarista, a candidata a vice é servidora da Secretaria de Estado da Saúde, onde já atuou como diretora da 2ª Regional de Saúde Metropolitana. Marinalva também foi professora da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Atualmente, preside uma das zonais do PMDB curitibano, na região do bairro Fazendinha. As principais propostas estão relacionadas ao transporte com a implantação do metrô aéreo - veículo leve sobre trilhos que integraria toda a cidade; educação com a instituição de escolas integrais nos bairros populares, mantendo as crianças em atividade durante todo o dia; fim dos radares, substituindo-os por lombadas eletrônicas e, construção de mais 50 parques com áreas de lazer Art. 3º do Estatuto do Partido Social Cristão. Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de HISTÓRICO DO RAFAEL GRECA. Disponível em: https://pt-br.facebook.com/rafaelgreca15. Acesso em: 13 de novembro de Confira o perfil dos concorrentes a prefeito de Curitiba. Gazeta do Povo, Curitiba, 06 out Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de 2013.

32 32 Rafael Greca representa o Partido do Movimento Democrático Brasileiro - PDMB, que teve o deferimento em , perante o TSE, tendo atualmente como Presidente Nacional Valdir Raupp. O PMDB, conforme seu Estatuto, exerce suas atividades políticas visando à realização dos objetivos programáticos que se destinam à construção de uma Nação soberana e à consolidação de um regime democrático, pluralista e socialmente justo, onde a riqueza criada seja instrumento de bem-estar de todos. O partido segue as seguintes diretrizes fundamentais para a organização e o funcionamento do PMDB: democracia interna, de modo a garantir a livre escolha de seus dirigentes em eleições periódicas nos diversos níveis de sua estrutura e a participação dos filiados na orientação política do Partido, na vida partidária, garantindo o direito de formação de correntes de opinião; disciplina partidária, à fim de assegurar a unidade de ação programática; reuniões dos órgãos partidários, nos diversos níveis de sua hierarquia, com livre debate das questões, das ideias e decisões tomadas pela maioria em processo democrático; atuação permanente na vida política e social, no Parlamento e junto a todos os setores da sociedade, respeitadas as características e a autonomia dos movimentos sociais; garantia de independência das direções em relação às administrações públicas, nos seus diversos níveis, nos termos deste Estatuto 23. Rafael Greca recebeu no primeiro turno votos, o que corresponde 10,45% dos votos válidos Alzimara Cabreira Fraga Bacellar Alzimara foi candidata pelo partido PPL (partido pátria livre) com o número 54. Nascida no dia 01 de setembro de 1959, natural de Porto Alegre-RS. Alzimara concorreu pela primeira vez a eleição para a Prefeitura de Curitiba, tinha como vice Claudio Gamas Fajardo. Alzimara é funcionária pública e trabalha no Ministério do Trabalho. A candidata é diretora licenciada da Confederação das Mulheres do Brasil e também exerce a presidência da Federação das Mulheres do Paraná, entidades que trabalham pelas causas femininas. Tem formação superior na área de gestão 23 Art. 4º do Estatuto do Partido do Movimento Democrático Brasileiro. Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de 2013.

33 33 pública. Apesar do histórico de militância política em movimentos sociais, disputa pela primeira vez uma eleição. O sociólogo Cláudio Fajardo tem 61 anos, vice de Alzimara, foi presidente da Fundação Cultural de Curitiba em 1983 e diretor da Biblioteca Pública do Paraná entre 2003 e A candidata elencou as principais propostas na área da educação com a construção de 125 creches nos próximos quatro anos para atender 25 mil crianças, na saúde com a construção de 50 unidades de saúde e quatro hospitais municipais, em relação às mulheres com a criação da Secretaria de Política para as Mulheres e em relação a comunicação visando a implantação de uma emissora de rádio e uma de televisão públicas 24. A candidata representa o Partido Pátria Livre (PPL), sobre o número 54, que tem como Presidente Nacional Sérgio Rubens de Araújo Torres, é um partido novo, teve seu estatuto aprovado em O PPL, de acordo com seu Estatuto, assume como objetivo central a constituição da mais ampla frente nacional, democrática e popular para completar a independência do Brasil, a ser alcançada com a crescente participação democrática e pluralista do povo brasileiro no processo político, de modo que a riqueza nacional esteja cada vez mais a serviço do bem-estar dos trabalhadores e dos interesses do desenvolvimento 26. O partido se orienta pelos princípios e pela teoria do socialismo científico. Visa entre seus filiados o espírito da independência, da soberania, do coletivismo e da solidariedade internacional entre os trabalhadores e os povos de todos os países. O partido tem compromisso integral com o direito dos trabalhadores a um emprego digno e a um salário justo, com a crescente democratização do Estado Brasileiro, aberto cada vez mais à participação do povo, com uma educação pública integral, massiva e de boa qualidade, com uma saúde pública universal e de qualidade, com a defesa da cultura nacional e dos direitos dos criadores sobre suas obras, com a luta da mulher, do afro-brasileiro, do índio, dos jovens, dos idosos e das pessoas com deficiência, contra qualquer forma de discriminação, com liberdade 24 Confira o perfil dos concorrentes a prefeito de Curitiba. Gazeta do Povo, Curitiba, 06 out Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de PARTIDO PÁTRIA LIVRE. Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de Art. 2º do Estatuto do Partido Pátria Livre. Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de 2013.

34 34 religiosa e o estado laico, com o fortalecimento da unidade nacional e o fim das desigualdades regionais 27. Alzimara recebeu no primeiro turno votos, o que representou 0,46% dos votos válidos. No segundo turno, Alzimara apoiou o candidato Ratinho Jr Avanilson Alves Araújo Avanilson Alves Araújo concorreu as eleições para a Prefeitura de Curitiba representando o Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU), com o número 16, tendo como vice Beatriz de Campos 28. Avanilson Araújo é formado em Direito e tem mestrado em Ciências Sociais. Ingressou na política na década de 1990 em Minas Gerais, militando pelo PT, partido com o qual rompeu em Nesse mesmo ano veio para o Paraná e atuou como advogado do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST). Atual presidente estadual do PSTU, concorreu ao governo do Paraná em 2010 e obteve votos. A candidata a vice Beatriz de Campos é professora de inglês e fotografia, não possui um histórico político e disputa uma eleição pela primeira vez, sendo filiada ao PSTU desde Apresentou como propostas de governo um programa dos trabalhadores para enfrentar a corrupção, construção de uma cidade modelo para os trabalhadores e não para os ricos, transporte coletivo estatal, barato e de qualidade, transformação da saúde pública de Curitiba, um programa dos trabalhadores para a educação pública em Curitiba, combate a violência urbana com um programa dos trabalhadores, combate a opressão no país e em Curitiba, uma proposta socialista para a cultura em Curitiba, dentre outras 29. Avanilson representa o PSTU em Curitiba, o partido tem como Presidente Nacional José Maria Almeida. Inicialmente o partido era chamado de Partido Revolucionário dos Trabalhadores (PRT), o então Presidente Nacional Ernesto Gradelha Neto solicitou o registro provisório em 1992, posteriormente foi alterada a 27 Art. 3º e 4º do Estatuto do Partido Pátria Livre. Disponível em: 28 ELEIÇÕES Disponível em: Acesso em 13 de novembro de Programa de Governo do PSTU - Eleições Avanilson. Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de 2013.

35 35 nomenclatura para Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado - PSTU, no ano de 1995 o PSTU obteve o registro definitivo perante o Tribunal Superior Eleitoral. O PSTU, em seu Estatuto, defende o regime representativo e democrático, o pluralismo partidário e os direitos fundamentais da pessoa humana. Tendo como objetivo principal convencer os trabalhadores e demais setores explorados da população acerca da necessidade histórica da construção de uma sociedade plenamente socialista, com a propriedade coletiva dos meios de produção em geral e vigência de um regime político de ampla democracia para os trabalhadores que assegure a liberdade de expressão política, cultural, artística, racial, sexual e religiosa 30. Avanilson recebeu no primeiro turno votos, o que representa o total de 0,10% dos votos válidos. Para o segundo turno Avanilson não apoiou nenhum candidato, por não serem capazes de defender o interesse dos trabalhadores, motivo pelo qual Avanilson defendeu o voto nulo Bruno Cesar Deschamps Meirinho Bruno Meirinho concorreu como candidato à Prefeitura de Curitiba com o número 50, representando o Partido Socialismo e Liberdade PSOL. A candidatura contou com o apoio da coligação Frente da Esquerda formado pelos partidos PSOL e PCB 32. Bruno é advogado e mestre em Geografia. Concorreu como candidato à Prefeitura Municipal de Curitiba, em 2008, recebendo votos, também foi candidato a deputado federal, em 2010, conquistando votos. Bruno Meirinho começou sua história política no Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Apresentou como principais propostas temas relacionados a tributação, através da instituição do IPTU progressivo para imóveis vazios como instrumento 30 Art. 5º e 6º do Estatuto do Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado. Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de LEITÓLES, Fernanda. Avanílson Araújo defende voto nulo no segundo turno. Gazeta do Povo, Curitiba, 07 de out Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de ELEIÇÕES Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de 2013.

36 36 para reduzir a fila da Cohab; transporte com a estatização do transporte coletivo, que ficaria integralmente sob responsabilidade da prefeitura; copa do mundo por meio da realização de um plebiscito sobre a realização da Copa do Mundo em Curitiba e, educação objetivando investir 30% do orçamento, construção de centros de educação infantil e contratação de profissionais. PSOL obteve o deferimento do seu Estatuto perante o TSE em , tem como Presidente Nacional Ivan Valente, tem como objetivo de organizar e construir, junto com os trabalhadores do campo e da cidade, de todos os setores explorados, excluídos e oprimidos, bem como os estudantes, os pequenos produtores rurais e urbanos, a clareza acerca da necessidade histórica da construção de uma sociedade socialista, com ampla democracia para os trabalhadores, que assegure a liberdade de expressão política, cultural, artística, racial, sexual e religiosa, tal como está expresso no programa partidário 33. Bruno Meirinho recebeu no primeiro turno votos, o que corresponde a 0,91% dos votos válidos. Tecidas estas breves considerações a respeito do cenário político para as eleições da Prefeitura Municipal de Curitiba, no ano de 2012, faz-se importante ressaltar que os três principais candidatos da disputa, Luciano Ducci, Gustavo Fruet e Ratinho Junior, possuíam uma trajetória política anterior ao pleito. Destarte, para sintetizar a trajetória destes três candidatos, segue a ilustração a seguir: 33 Art. 6º do Estatuto do Partido Socialismo e Liberdade. Disponível em: Acesso em 13 de novembro de 2013.

37 37 FIGURA 1 - TRAJETÓRIA POLÍTICA DOS CANDIDATOS FRUET, DUCCI E RATINHO JR. FONTE: Elaborado pela autora (2013). Denota-se, pela figura acima, que os principais candidatos já possuíam uma trajetória política bem delineada, perpassando em cargos como vereador, deputado estadual, deputado federal, vice-prefeito e prefeito. Inclusive, há anos em que as candidaturas se coincidem, como ocorre entre os anos de 2002, 2006 e O resultado das eleições A Eleição para a Prefeitura de Curitiba ocorreu em dois turnos. O primeiro realizado no dia e o segundo realizado no dia Os candidatos que concorreram ao primeiro turno foram Alzimara Bacellar, Avanilson Araújo, Bruno Meirinho, Gustavo Fruet, Luciano Ducci, Rafael Greca e Ratinho Junior. No segundo turno a disputa ocorreu entre Gustavo Fruet e Ratinho Junior. No primeiro turno de um total de votos apurados, sendo de votos válidos, de votos em branco e de votos nulos. O resultado da eleição foi o seguinte: 1. Carlos Roberto Massa Junior com o vice Ricardo Tempel Mesquita tiveram votos; 2. Gustavo Bonato Fruet com a vice Mirian Aparecida Gonçalves tiveram votos; 3. Luciano Ducci com o vice Rubens Bueno tiveram votos;

38 38 4. Rafael Valdomiro Greca de Macedo com a vice Marinalva Gonçalves da Silva tiveram ; 5. Bruno César Deschamps Meirinho com a vice Sueli de Fátima Fernandes tiveram votos; 6. Alzimara Cabreira Fraga Bacellar com o vice Claudio Gamas Fajardo tiveram votos; 7. Avanilson Alves Araújo com a vice Beatriz de Campos tiveram votos. A representação gráfica, considerando o eixo x para os candidatos e o eixo y para a porcentagem de votos válidos, fica descrita da seguinte forma: GRÁFICO 3 RESULTADO PRIMEIRO TURNO 40,00% 35,00% 30,00% 25,00% 20,00% 15,00% 10,00% 5,00% 0,00% Resultado das Eleições para a Prefeitura Municipal de Curitiba - 1º Turno Candidato 34,09% 27,22% 26,77% 10,45% 0,91% 0,46% 0,10% FONTE: Elaborado pela autora (2013). O segundo turno, realizado em , ocorreu entre Gustavo Fruet e Ratinho Junior. Gustavo Fruet foi o candidato eleito com votos, o que representou 60,65% dos votos válidos, Carlos Roberto Massa Junior recebeu votos, o que representou 39,35% dos votos válidos. O total de votos apurados no segundo turno foi de , sendo de votos válidos, de votos em branco, de votos nulos e um total de abstenção de eleitores.

39 39 GRÁFICO 4 RESULTADO SEGUNDO TURNO 70,00% 60,00% 50,00% 40,00% 30,00% Resultado das Eleições para a Prefeitura Municipal de Curitiba - 2º Turno Candidato 60,65% 39,35% 20,00% 10,00% 0,00% GUSTAVO BONATO FRUET CARLOS ROBERTO MASSA JUNIOR FONTE: Elaborado pela autora (2013). Assim, as eleições para a Prefeitura Municipal de Curitiba ocorreram em dois turnos, sendo que Gustavo Fruet foi o candidato eleito no segundo turno, alcançando 60,65% dos votos válidos. A vitória de Fruet representou uma quebra na hegemonia, porque desde 1988, nenhum candidato sem raízes no grupo político formado pelo ex-prefeito e ex-governador Jaime Lerner havia vencido uma eleição pela Prefeitura Municipal de Curitiba. O próximo tópico irá tratar sobre o Jornal Gazeta do Povo e sobre o portal eletrônico do Jornal. 3.3 O Jornal Gazeta do Povo O primeiro exemplar do Jornal Gazeta do Povo foi lançado em 03 de fevereiro de 1919 por Benjamin Lins e De Plácido Silva que aspiravam por um jornal que fosse um porta-voz dos paranaenses e um bastião em prol das mais legítimas causas do Estado. O primeiro jornal lançado tinha apenas seis páginas. Em 1962 o Jornal é adquirido por Francisco Cunha Pereira Filho e por Edmundo Lemanski, transformando o periódico numa das principais empresas do Grupo Paranaense de Comunicação (GRPCOM). No ano de 2010 o Jornal recebe o Prêmio Esso de Jornalismo.

40 40 Para atender aos desafios da nova era da comunicação, o jornal disponibiliza seu conteúdo tanto na plataforma impressa como na digital (web, mobile e tablet). O Jornal Gazeta do Povo foi o primeiro jornal do Paraná e o segundo do Brasil a publicar seu conteúdo na web 34. A Gazeta do Povo é um jornal de circulação diária, na versão impressa possui o formato standart, além disto, possui uma versão digital para acessar em computadores, tablets e celulares. Possui os seguintes editorias: Opinião, Pontos de Vista, Vida e Cidadania, Vida Pública, Serviço, Mundo, Caderno G, Economia, Gestão e Carreira, Classificados, Social, Automóveis, Classificados Imóveis, Revista da TV. Este capítulo teve por objetivo discutir as eleições para a Prefeitura Municipal de Curitiba, desde o perfil dos candidatos, até os ideais dos partidos vinculados aos concorrentes, passando ainda pelo resultado das eleições e pela contextualização do Jornal Gazeta do Povo. No próximo capítulo será feita a análise dos dados, relacionando-os com os conceitos e teorias abordados até o momento O Portal Gazeta do Povo O portal Gazeta do Povo teve seu início junto com o lançamento da marca corporativa RPC e do portal RPC (atual portal GRPCOM) no ano de O portal informa que há aproximadamente 2,7 milhões de visitantes por único mês 36. O jornal Gazeta do Povo, além do portal, também está inserido nas redes sociais (facebook, twitter, instagram e google+). A plataforma digital é acessada via web, mobile e tablete. No portal os principais cadernos são: vida e cidadania, vida pública, economia, mundo, esportes, caderno g e opinião. Além disto, é possível ter acesso a outras sessões, como agronegócio, automóveis, bom gourmet, educação, gaz +, gente, imóveis, justiça e direito, pós e carreira, rascunho, saúde, tecnologia, turismo, vida na universidade e viver bem. É possível ainda, ter acesso às matérias dos colunistas, blogs, charges, especiais, serviços e aplicativos, vídeos, dados e últimas notícias. O portal oferece 34 UNIDADE GAZETA DO POVO DO GRPCOM. Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de HISTÓRICO DA GRPCOM. Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de ANUNCIE NOS CLASSIFICADOS DA GAZETA. Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de 2013.

41 41 também a sessão de classificados de imóveis, veículos, empregos e multi-anúncios e o acesso aos guias de cinema, delivery, teatro e shows. FIGURA 2 PORTAL ELETRÔNICO GAZETA DO POVO FONTE: Gazeta do Povo (13/11/2013). O portal oferece possibilidade de oferecer anúncios tanto na página principal, quando nas abas subsequentes, ou ainda nos cadernos de classificados (automóveis, veículos, empregos e multi-anúncios). Além disto, há também a possibilidade do leitor do portal se tornar um assinante, sendo que os planos oferecidos se referem ao acesso na íntegra de todo o conteúdo digital mais o conteúdo impresso. Frisa-se que o portal Gazeta do Povo é disponível a todos os usuários, sejam eles assinantes ou não. Todavia, usuários não assinantes têm direito a consumir até 20 notícias gratuitas dentro do período de um mês, sendo que após 15 notícias lidas, o leitor deve realizar um cadastro gratuito para continuar tendo acesso às 05 notícias restantes. Ultrapassado o limite de 20 notícias, somente os assinantes

42 42 da Gazeta do Povo poderão visualizar o conteúdo. O portal começou a restringir o acesso aos conteúdos desde o dia 18 de dezembro de No que concerne ao período eleitoral o portal Gazeta do Povo oferece a cobertura eleitoral na primeira página (com as matérias principais), no caderno vida pública (que contém as matérias principais vinculadas na primeira página e as demais matérias), no caderno eleições (que possui as sessões voz da cidade, voto consciente, Curitiba 2000/2012, guia do eleitor, memória, sonho do curitibano) e o candibook. O candibook foi lançado oficialmente no dia 05 de agosto de 2012, constituindo uma ferramenta para ajudar o eleitor paranaense a decidir seu voto 38, e a sua estreia ocorreu no dia 01 de setembro de O portal candibook foi feito em duas etapas, na primeira etapa continha os perfis e informações dos concorrentes às eleições para a prefeitura e Câmara de Curitiba e na segunda etapa trouxe informações dos concorrentes ao Executivo de várias outras cidades paranaenses e ao Legislativo de Londrina e Maringá. No portal o leitor vai encontrar vídeos, acessar informações básicas como o número do candidato e o seu partido e dados curiosos como o bairro onde ele mora, o time de futebol para o qual torce e último livro que leu. As buscas pelas informações no Candibook poderão ser feitas tanto pelo nome do candidato como pelo partido a que ele pertence. O candibook conta com a parceria do site Vigilantes da Democracia (UFPR e Fiep). No caderno vida pública se encontra as matérias disponíveis na primeira página do portal, dentre outras matérias, todas relacionadas aos três poderes (executivo, legislativo e judiciário), de abrangência nacional, estadual e municipal. Neste caderno se concentra as informações a respeito da cobertura eleitoral dada pelo jornal. 37 PERGUNTAS FREQUENTES. Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de DA REDAÇÃO. Portal traz informações sobre os candidatos a partir deste domingo. Gazeta do Povo, Curitiba, 05 ago Disponível em: Acesso em: 13 de novembro de DIAMANTE, Natália. Portal mostra dados, perfil de candidatos e entrevistas em vídeo. Gazeta do Povo, Curitiba, 01 set Disponível em: 2010/conteudo.phtml?id= &tit=Portal-mostra-dados-perfil-de-candidatos-e-entrevistas-emvideo. Acesso em: 13 de novembro de 2013.

43 43 FIGURA 3 CADERNO VIDA PÚBLICA FONTE: Gazeta do Povo (13/11/2013). Desta forma, objetiva-se com a pesquisa demonstrar como o portal Gazeta do Povo abordou a temática das eleições e ainda, qual foi o espaço destinado aos três principais candidatos da disputa? Com estas questões em aberto, o próximo capítulo se encarrega de demonstrar o objeto empírico, discutir a metodologia utilizada para a coleta de informações do objeto de estudo, seguido da análise e discussão dos dados.

44 44 4. OBJETO EMPÍRICO, METODOLOGIA E ANÁLISE DOS DADOS DO PORTAL GAZETA DO POVO Este capítulo tem como objetivo apresentar o objeto empírico, a metodologia utilizada e a análise dos dados. Para obtenção dos resultados foi utilizado o método quantitativo como ferramenta de pesquisa e o objeto empírico é a análise da cobertura eleitoral no Portal Eletrônico do jornal Gazeta do Povo, a análise dos dados se dará em quatro momentos: volume do bloco de cobertura, volume dos candidatos, mudança ao longo do tempo e efeito para o leitor. 4.1 Objeto empírico O objeto empírico desta pesquisa é o Portal Eletrônico do Jornal Gazeta do Povo, a justificativa da escolha deste meio de comunicação se deve ao fato dos portais eletrônicos se caracterizem pelo fácil e amplo acesso a todos os usuários da internet, com disponibilização gratuita das notícias, sendo estas sempre atualizadas. A internet como meio de comunicação está diretamente ligada a realidade da sociedade, principalmente pela facilidade ao acesso e a maior interação com o usuário. Desta forma, muitos jornais impressos compartilham suas notícias através dos portais eletrônicos, possibilitando assim, uma maior gama de leitores, facilitando o acesso e a influência mútua. Vários jornais, em âmbito nacional, possuem portais eletrônicos de notícias, como a Gazeta do Povo, Folha de São Paulo, o Globo, o Estadão, entre outros. Com o objetivo de analisar a cobertura das eleições municipais de Curitiba, para o ano de 2012, o portal eletrônico Gazeta do Povo foi o escolhido como instrumento de análise, por apresentar no caderno Vida Pública notícias, geralmente, relacionadas à campanha eleitoral, político institucional, economia, política social e infraestrutura. O período delimitado se refere aos meses de julho a outubro de 2012, período este que coincide com o início das campanhas eleitorais e horário gratuito de propaganda eleitoral. Como recorte da pesquisa a análise incidirá sobre os três principais candidatos à Prefeitura Municipal de Curitiba na disputa eleitoral, representados por Luciano Ducci (PSB), Gustavo Fruet (PDT) e Ratinho Jr. (PSC).

45 Metodologia Para a análise dos dados será utilizado o método quantitativo, a utilização deste método tem como objetivo identificar como o assunto "campanha eleitoral" aparece nos jornais a partir de características que podem ser medidas e contabilizadas. Ainda no que tange a justificativa, Cervi explica que a escolha do método está diretamente relacionada ao objeto de análise: O que justifica a utilização de instrumentos estatísticos e matemáticos na pesquisa quantitativa é que eles permitem reduzir uma grande massa de informações a alguns indicadores que são capazes de representar as principais características do objeto analisado (CERVI, 2013, p. 21). Para a aplicação da metodologia quantitativa, através de determinadas variáveis, foi criado um livro de código específico "Análise de Conteúdo - Portais de Jornais/2012" pelo Grupo de Pesquisa em Comunicação Política e Opinião Pública - UFPR e pelo Núcleo de Pesquisa em Mídia, Política e Atores Sociais UEPG (anexo 1). Desta forma a descrição das postagens consistiria em: data da postagem, jornal, título completo da postagem, tipo da postagem, autoria, tipo de fonte predominante, tema, enquadramento, visibilidade dos candidatos no título, visibilidade dos candidatos no texto, valência do candidato na postagem, formato predominante, presença de hiperlinks, número de hiperlinks no texto, opção de curtir. Para a realização da coleta foi feita uma planilha para tipificar as variáveis e posteriormente após o preenchimento total da planilha, estes dados foram adaptados para o programa SPSS (Statistical Package for Social Science), onde foi possível realizar a seleção das variáveis de compõem esta pesquisa, bem como os cruzamentos entre uma variável e outra. Destaca-se que a coleta foi realizada no Portal do Jornal Gazeta do Povo (http://www.gazetadopovo.com.br/), no caderno Vida Pública, no período de julho a outubro de Para coletar os dados foram visualizadas todas as matérias vinculadas no caderno Vida Pública sendo verificado quais destas matérias continham a citação de pelo menos uma vez alguns dos candidatos à eleição para a Prefeitura Municipal

46 46 de Curitiba (Alzimara, Avanilson, Bruno, Ducci, Fruet, Greca e Ratinho Jr.), havendo pelo menos uma citação era realizada a coleta dos dados. 4.3 Análise dos dados A análise dos dados ocorre em quatro momentos: volume do bloco de cobertura, volume dos candidatos, mudança ao longo do tempo e efeito para o leitor. No volume do bloco serão avaliadas as variáveis distribuição dos seguimentos de acordo com os meses distribuição dos temas, tipo de fonte predominante e o tipo de enquadramento. No volume dos candidatos serão analisadas as variáveis de visibilidade do candidato no título, a citação no texto, a valência das postagens, cruzamento da valência com a visibilidade no título. Na mudança ao longo do tempo serão analisadas as variáveis do número de citações de acordo com o mês e a valência das postagens em relação aos meses coletados. No efeito para o leitor serão analisadas as variáveis da valência e o número de opções de curtir Volume dos Dados O universo coletado é de 378 chamadas (textos ou posts), compreendendo o período de 1º de julho de 2012 a 31 de outubro de A análise do volume da cobertura objetiva demonstrar qual a forma de tratamento que o portal deu para o tema eleição da Prefeitura Municipal de Curitiba, no período de julho a outubro de Na tabela 1 podemos verificar a distribuição dos segmentos de acordo com os meses coletados: TABELA 1 DISTRIBUIÇÃO DA FREQUÊNCIA DE ACORDO COM OS MESES MÊS FREQUÊNCIA PERCENTUAL Julho 54 14,28 Agosto 86 22,75 Setembro ,75 Outubro ,50 Total ,0 FONTE: Núcleo de Comunicação Política e Opinião Pública CPOP/UFPR. Podemos observar na tabela 1 que o mês de julho teve 54 entradas, o que representa aproximadamente 14% das chamadas durante toda a cobertura; no mês de agosto teve 86 chamadas, representando 22,75%; no mês de setembro teve 100

47 47 chamadas, o correspondente a 26,75% e no mês de outubro 138 entradas, representando o total de 36,50%. Nota-se, portanto, um nível crescente nas chamadas, tendo um número menor de segmentos no início da campanha eleitoral e aumentando para o final da campanha eleitoral. O crescente número de segmentos ao longo dos meses demonstram a necessidade que o portal teve em informar seus leitores, tendo em vista que estes tendem a se informar mais com a aproximação do dia da tomada de decisão. A tabela 2 se refere a distribuição dos temas durante a cobertura eleitoral dado pelo portal Gazeta do Povo, o objetivo consiste em verificar qual o espaço dado pelo portal para as matérias referentes à campanha eleitoral. Como disposto a seguir: TABELA 2 DISTRIBUIÇÃO DOS TEMAS MÊS TEMAS FREQUÊNCIA PERCENTUAL Julho Campanha Eleitoral 38 70,4 Político-institucional 10 18,5 Ético-moral 6 11,1 Total ,0 Agosto Campanha Eleitoral 81 94,2 Político-institucional 3 3,5 Ético-moral 2 2,3 Total ,0 Setembro Campanha Eleitoral 92 92,0 Político-institucional 4 4,0 Política Social 1 1,0 Ético-moral 2 2,0 Cultura e variedades 1 1,0 Total ,0 Outubro Campanha Eleitoral ,6 Político-institucional 1,7 Outros temas 1,7 Total ,0 FONTE: Núcleo de Comunicação Política e Opinião Pública CPOP/UFPR. Analisando a tabela 2 verifica-se que o tema predominante durante a cobertura 40 foi a campanha eleitoral, ou seja, a cobertura foi voltada mais para o dia- 40 No livro de códigos a tipificação dos temas é a seguinte: Campanha Eleitoral, Político-institucional, Economia, Política Social, Infra-estrutura e meio ambiente, Violência e segurança, Ético-moral, Política para Esporte, Cultura/variedades, Política Estadual/Nacional, Política Internacional, Outros temas, Imagem política dos candidatos, Imagem pessoal dos candidatos, Imagem administrativa dos

48 48 a-dia da campanha eleitoral, havendo pouca ênfase nos demais temas, inclusive, no político institucional. No mês de julho, das 54 entradas, 38 destas se referiam ao tema campanha eleitoral, o que representa 70,4% de todas as chamadas dentro deste mês, os temas político institucional e ético moral juntos representam cerca de 30% do total de chamadas. No mês de agosto o tema campanha eleitoral aparece em 81 das 86 chamadas, representando 94,2% do volume total deste mês, os temas político institucional e ético moral não chegam a 6% do total de chamadas no mês de agosto. No mês de setembro, das 100 chamadas, 92 destas se referem ao tema campanha eleitoral, ou seja, 92% de todas as chamadas para o mês de setembro, e os temas político institucional, política social, ético moral e cultura representam 8% do volume total de chamadas. No mês de outubro das 138 entradas, 136 são do tema campanha eleitoral, ou seja 98,6%, seguido de 1 entrada sobre o tema político institucional e 1 entra sobre outros temas. Denota-se que a campanha eleitoral é predominante em todos os meses, inclusive nos meses de agosto, setembro e outubro representam mais de 90% de toda a cobertura feita pelo portal. Os temais temas (político institucional, ético moral, cultura e variedade ou outros temas) são extremamente residuais. Por este motivo, a cobertura feita pelo portal no período foi extremamente factual, aborda a agenda dos candidatos e não aprofunda os outros temas, por exemplo, propostas dos candidatos. A próxima tabela é o tipo de fonte predominante, ou seja, quem mais falou nas matérias veiculadas no portal Gazeta do Povo, conforme podemos observar na tabela 3: TABELA 3 TIPO DE FONTE PREDOMINANTE FONTE FREQUÊNCIA PERCENTUAL Partidos e Coligações ,2 Instituições de Estado 12 3,2 Especialistas 33 8,7 Cidadão Individualizado 13 3,4 Agência de notícias/jornalista ,4 Outro 4 1,1 Total ,0 FONTE: Núcleo de Comunicação Política e Opinião Pública CPOP/UFPR. candidatos, Imagem do governo em disputa, Imagem da campanha e eleitores. Porém para a construção da tabela os temas que não obtiveram nenhuma chamada não foram considerados.

49 49 Das 378 chamadas, 183 destas foram feitas por agências de notícias/jornalista, 133 por partidos e coligações, 33 por especialistas, 13 por cidadão individualizado, 12 por instituições do Estado e 4 outros. A maioria das postagens foram feitas por jornalistas e/ou agência de notícia, o que representou 48,4% do volume total da cobertura realizada pelo portal. Na fonte partido e coligações engloba o momento em que os candidatos falam, que no caso concreto também apresentou um valor relevante 35,2% das chamadas. Todavia, o portal da Gazeta do Povo deu muito pouco espaço para cidadão individualizado, que representou 3,4% de todas as chamadas, da mesma forma que instituições do Estado e especialistas apresentaram valores baixos. A análise das fontes é importante porque são capazes de indicar a pluralidade de vozes ou não, no caso do portal Gazeta do Povo verifica-se que não houve uma pluralidade de vozes, em virtude da fonte predominante ser a agência de notícia ou o próprio jornalista. Em seguida, analisa-se o enquadramento dado pelo portal Gazeta do Povo que se divide em corrida de cavalos, personalista, temático e episódico. Para conceituar cada tipo de enquadramento foram utilizadas as explicações do Porto. O conceito de enquadramento, apresentado no capítulo teórico, serve para definir os princípios de seleção, ênfase e apresentação para organizar a realidade e o noticiário. O enquadramento permite ao jornalista organizar e interpretar os temas e eventos políticos de forma específica, porque ao produzir o noticiário o jornalista se baseia em discursos presentes na esfera pública, mas contribuem com seus próprios enquadramentos (PORTO, 2001, p. 12). O enquadramento corrida de cavalos representa a evolução da campanha como uma corrida entre os candidatos, a ênfase está em quem está na frente e quem está atrás da disputa eleitoral, ligado, portanto, aos resultados das pesquisas e estratégias de campanha dos candidatos. O enquadramento personalista está ligado aos atores individuais, focaliza os eventos a partir dos dramas humanos, relegando considerações políticas e institucionais. O enquadramento temático designa os padrões interpretativos que enfatizam a posições e propostas dos candidatos sobre aspectos subjetivos da campanha, neste aspecto, a ênfase das notícias que adotam esta perspectiva está nas plataformas e programas representados pelos diferentes candidatos. O enquadramento episódico o jornalista

50 50 se restringe a relatar os últimos acontecimentos sem a utilização dos enfoques que caracterizam os demais tipos de enquadramento (PORTO, 2001, p. 13/14). Assim a tabela 4 que representa os enquadramentos dados pelo portal Gazeta do Povo se distribuiu da seguinte forma: TABELA 4 TIPO DE ENQUADRAMENTO ENQUADRAMENTO FREQUÊNCIA PERCENTUAL Corrida de cavalos 17 4,5 Personalista 8 2,1 Temático ,5 Episódico ,9 Total ,0 FONTE: Núcleo de Comunicação Política e Opinião Pública CPOP/UFPR. O enquadramento predominante foi o episódico, com 215 entradas do total de 378, o que representa 56,9% de todo o volume, seguido do enquadramento temático com 138 entradas, o que representa 36,5%, corrida de cavalos com 17 entradas, representando 4,5% e personalista com 8 entradas, o total de 2,1% do total de chamadas. Portanto, é possível verificar que o enquadramento mais encontrados nas postagens foi o episódico, geralmente relacionado aos últimos acontecimentos da cobertura eleitoral, como por exemplo, agenda de campanha, onde os candidatos estavam, debates, convenções, reuniões. No temático que apresentou 36,5% do volume total, geralmente representava os programas e propostas apresentadas pelos candidatos. O enquadramento corrida de cavalos apresentou 4,5% do volume total e se referia geralmente aos resultados de pesquisa de opinião. O valor mais residual é do enquadramento personalista que apresentou 2,1% do volume total, ou seja, houve poucas matérias que se fundamentaram na personalidade do candidato, o que significa que os textos tendem a focar mais na disputa eleitoral e muito pouco nos personagens. Analisando a tabela 2 (distribuição dos temas) com a tabela 4 (tipo de enquadramento) verificamos que a cobertura realizada pelo portal Gazeta do Povo foi factual, porque preponderou o tema campanha eleitoral e o enquadramento predominante foi o episódico, demonstrando que o portal focou mais na agenda dos candidatos, do que propriamente nas propostas de governo ou até mesmo na atuação dos candidatos no Executivo e Legislativo, em virtude do Luciano Ducci ser candidato a reeleição e Gustavo Fruet e Ratinho Junior integrarem o legislativo.

51 51 Nesta primeira parte que se refere ao volume do bloco pode-se constar que o portal apresentou 378 chamadas que continha pelo menos a citação do nome de um dos candidatos, o que possibilitou a análise da cobertura dada pelo portal. Ainda neste contexto, foi possível verificar que o número de postagens de acordo com os meses coletados representou uma reta crescente conforme se aproximava com o dia das eleições. A maioria das postagens neste período se referiu ao tema campanha eleitoral e as chamadas foram feitas majoritariamente por agências de notícias e/ou jornalistas, de modo que neste primeiro bloco, o portal Gazeta do Povo demonstrou ser factual e a fonte é o próprio jornalista Volume dos Candidatos Neste bloco será analisado o volume da cobertura para cada um dos candidatos (Luciano Ducci, Gustavo Fruet e Ratinho Junior), para isto serão analisadas a visibilidade no título, o número de citações no texto e a valência atribuída a cada candidato. Na tabela 5 analisa-se a visibilidade no título, objetiva-se demonstrar qual candidato apareceu mais no título. Sabe-se que o título é um dos espaços de maior visibilidade, principalmente no portal Gazeta do Povo, onde o leitor visualiza os títulos das matérias que lhe atraem mais e a partir disto clica no link para ler a matéria completa. Observar a quantidade de vezes que determinado candidato aparece no título representa uma das maneiras de medir a visibilidade que o candidato possui na cobertura. Destarte, os resultados obtidos foram os seguintes: TABELA 5 VISIBILIDADE NO TÍTULO CANDIDATO VISIBILIDADE NO TÍTULO FREQUÊNCIA PERCENTUAL LUCIANO Sim 50 13,2 DUCCI Não ,8 Total ,0 GUSTAVO Sim 61 16,1 FRUET Não ,9 Total ,0 RATINHO Sim 71 18,8 JUNIOR Não ,2 Total ,0 FONTE: Núcleo de Comunicação Política e Opinião Pública CPOP/UFPR.

52 52 O candidato que apresenta a maior visibilidade no título é o candidato Ratinho Junior, seguido do candidato Gustavo Fruet e por último o candidato Luciano Ducci, mas os percentuais são muito próximos. Verifica-se que o candidato Ratinho Junior apareceu 71 no título, o que representa um total de 18,8% das chamadas, o candidato Gustavo Fruet aparece 61 vezes no título, representando 16,1% do total das chamadas e, o candidato Luciano Ducci apareceu 50 vezes no título, que representa 13,2% do volume total de chamadas. Denota-se, portanto, que a visibilidade no título para os três candidatos foi equilibrada, apresentando resultados muito próximos, apenas quando se compara as diferenças entre Ratinho Junior e Luciano Ducci é que a visibilidade no título apresenta diferenças, porque Ratinho apareceu 5,6 pontos percentuais a mais que Ducci. Além da visibilidade no título é necessário verificar também o número de vezes que o candidato é citado no texto. Para coletar a citação do candidato no texto, todas as matérias veiculadas no caderno "Vida Pública" foram visualizadas e verificado em quais destas matérias alguns dos candidatos da disputa (Avanilson, Alzimara, Bruno, Ducci, Fruet, Greca e Ratinho Jr.) aparecia no texto pelo menos uma vez, caso aparecesse a citação era feita a coleta dos dados da postagens inteira. Conforme tabela 6 a distribuição ficou a seguinte: TABELA 6 CITAÇÃO NO TEXTO CANDIDATO CITAÇÃO NO TEXTO FREQUÊNCIA PERCENTUAL LUCIANO Sim ,0 DUCCI Não ,0 Total ,0 GUSTAVO Sim ,3 FRUET Não 97 25,7 Total ,0 RATINHO Sim ,2 JUNIOR Não ,8 Total ,0 FONTE: Núcleo de Comunicação Política e Opinião Pública CPOP/UFPR. O candidato mais citado dentro das postagens é o Gustavo Fruet com 281 citações de 378 chamadas, o que representa o montante de 74,3%, seguido do

53 53 Ratinho Junior com 273 citações, representante 72,2% e por último Luciano Ducci com 242 citações, o que representou 64% das entradas. Ressalta-se, inclusive, que o candidato Gustavo Fruet é o mais citado nos textos e candidato Ratinho Junior é o mais citado no título. Aqui as diferenças são maiores quando comparado com a visibilidade no título (tabela 5). A visibilidade do texto e a quantidade de citações não são suficientes para aferir o tratamento dado ao candidato, é necessário reunir com a variável qualitativa da valência para verificar se as postagens falam bem ou mal do candidato quando comparado aos demais. Assim, passemos com a tabela 7 a análise da valência atribuída a cada candidato: TABELA 7 VALÊNCIA DOS CANDIDATOS LUCIANO, GUSTAVO E RATINHO CANDIDATO PERCENTUAL FREQUÊNCIA PERCENTUAL VÁLIDO LUCIANO Positiva 7 1,9 2,9 DUCCI Negativa 35 9,3 14,5 Neutra ,1 81,7 Equilibrada 2,5,8 Total ,8 100,0 Ausente ,2 Total ,0 GUSTAVO Positiva 26 6,9 9,3 FRUET Negativa 30 7,9 10,7 Neutra ,7 79,0 Equilibrada 3,8 1,1 Total ,3 100,0 Ausente 97 25,7 RATINHO JUNIOR Total ,0 Positiva 25 6,6 9,2 Negativa 33 8,7 12,1 Neutra ,1 77,7 Equilibrada 3,8 1,1 Total ,2 100,0 Ausente ,8 Total ,0 FONTE: Núcleo de Comunicação Política e Opinião Pública CPOP/UFPR. A análise da valência atribuída aos candidatos, conforme tabela 7, divide-se em: positiva, negativa, neutra e equilibrada. A análise da valência é importante porque constitui uma maneira de valorização dada pelo portal Gazeta do Povo que define grande parte do impacto da cobertura eleitoral. No caso concreto o portal Gazeta do Povo foi predominantemente neutro no que concerne as valências. Todavia, é possível analisar as demais amostras (positivo, negativo e equilibrado) para a análise. Deste modo, verifica-se que o candidato Luciano Ducci apresentou 81,7% das valências neutras, 2,9% de

54 54 valências positivas, 14,5% de valências negativas e 0,8% de valência equilibrada, observa-se neste caso que em que pese a valência neutra seja a preponderante para todos os candidatos, a valência negativa do Ducci é maior que a dos outros dois candidatos, ou seja, Luciano Ducci possui uma visibilidade menor no título, uma quantidade menor de citações ao longo do texto e apresenta mais valências negativas que os demais candidatos. Nota-se que Fruet e Ratinho apresentaram uma valência positiva muito parecida, em contrapartida Ducci apresentou um positivo muito baixo, principalmente quando comparado aos outros dois candidatos. O candidato Gustavo Fruet apresenta 79% das valências neutras, 10,7% das valências negativas e 9,3% das valências positivas, traçando um comparativo com o Luciano Ducci o candidato Gustavo Fruet apresentou índices menores na valência neutra e negativa, porém, apresentou um índice maior em relação à valência positiva. Quanto ao candidato Ratinho, este apresentou 77,7% de valência neutra, 12,1% de valência negativa e 9,2% de valência positiva. Denota-se que Gustavo Fruet e Ratinho apresentaram valências positivas muito próximas, havendo apenas uma pequena diferença quanto à valência negativa. Ainda assim, a valência positiva de Gustavo e Ratinho é aproximadamente três vezes maior que a de Luciano Ducci. Deste modo, observa-se que a predominância do portal Gazeta do Povo quanto à valência é neutra, entretanto, observando as demais variáveis é possível constatar que os candidatos Gustavo e Ratinho apresentam resultados na valência muito próximos, ao contrário do Luciano Ducci que possui resultados distantes dos outros candidatos. Importante ressaltar ainda neste contexto que em que pese o foco desta pesquisa seja o portal eletrônico da Gazeta do Povo, a análise das valências demonstrou que a neutralidade é observada tanto no meio impresso (jornal), quanto no virtual (portal), conforme dados já coletados pelo Núcleo de Comunicação Política e Opinião Pública. Isto contrária aquela percepção que as matérias veiculadas na internet possuem uma variação mais negativa, tendo em vista que há menos controle. Na tabela 8 será analisado um cruzamento entre a valência do candidato Luciano Ducci relacionado com a visibilidade no título:

55 55 TABELA 8 CRUZAMENTO DE VALÊNCIA DO DUCCI COM DUCCI NO TÍTULO Ducci no título Não Sim Total Valência Não Contagem positiva Ducci % dentro da valência 87,6% 12,4% 100,0% positiva Ducci Sim Contagem % dentro da valência 42,9% 57,1% 100,0% positiva Ducci Total Contagem % dentro da valência positiva Ducci 86,8% 13,2% 100,0% Ducci no título Não Sim Total Valência Não Contagem Negativa Ducci % dentro da valência 88,3% 11,7% 100,0% negativa Ducci Sim Contagem % dentro da valência 71,4% 28,6% 100,0% negativa Ducci Total Contagem % dentro da valência negativa Ducci 86,8% 13,2% 100,0% FONTE: Núcleo de Comunicação Política e Opinião Pública CPOP/UFPR. Na primeira parte da tabela 8 foi feito um cruzamento entre a valência positiva e a visibilidade do candidato Luciano Ducci no título, denota-se que a valência positiva quando Luciano Ducci aparecia no título foi de 57,1%. Na segunda parte onde foi analisada a valência negativa o candidato apresentou 28,6% de valência negativa no título. Na tabela 9 a análise será em relação ao candidato Gustavo Fruet: TABELA 9 CRUZAMENTO DE VALÊNCIA DO FRUET COM FRUET NO TÍTULO Fruet no título Não Sim Total Valência positiva Não Contagem Fruet % dentro da valência 84,9% 15,1% 100,0% positiva Fruet Sim Contagem % dentro da valência 69,2% 30,8% 100,0% positiva Fruet Total Contagem % dentro da valência positiva Fruet 83,9% 16,1% 100,0% Valência negativa Fruet Fruet no título Não Sim Total Não Contagem % dentro da valência 84,8% 15,2% 100,0% negativa Fruet Sim Contagem % dentro da valência 73,3% 26,7% 100,0% negativa Fruet

56 56 Total Contagem % dentro da valência 83,9% 16,1% 100,0% negativa Fruet FONTE: Núcleo de Comunicação Política e Opinião Pública CPOP/UFPR. O candidato Gustavo Fruet apresentou 30,8% das valências positivas no título, contra 26,7% de valências negativas do título. Estes valores são muito aproximados, demonstrando que no título o candidato apresentou chamadas tanto positivas como negativas. A tabela 10 apresenta dos dados em relação ao Ratinho Junior: TABELA 10 CRUZAMENTO DE VALÊNCIA DO RATINHO COM RATINHO NO TÍTULO Ratinho no título Não Sim Total Valência Não Contagem positiva Ratinho % dentro da valência 82,7% 17,3% 100,0% positiva ratinho Sim Contagem % dentro da valência 60,0% 40,0% 100,0% positiva ratinho Total Contagem % dentro da valência positiva ratinho 81,2% 18,8% 100,0% Ratinho no título Não Sim Total Valência Não Contagem negativa % dentro da valência 83,5% 16,5% 100,0% Ratinho negativa ratinho Sim Contagem % dentro da valência 57,6% 42,4% 100,0% negativa ratinho Total Contagem % dentro da valência negativa ratinho 81,2% 18,8% 100,0% FONTE: Núcleo de Comunicação Política e Opinião Pública CPOP/UFPR. O candidato Ratinho Junior teve 40% das valências positivas quando foi citado no título e apresentou 42,2% de valência negativa quando foi citado no título. Denota-se que o candidato apresentou valores equilibrados entre as valências positivas e negativas. Analisando estas três últimas tabelas em conjunto temos que o candidato Luciano Ducci foi o que mais apresentou valência positiva no título 57,1%, contra 40% do candidato Ratinho seguido de 30,8% para o candidato Gustavo Fruet. Em contrapartida, quando analisada a valência negativa o candidato Ratinho apresentou 42,4%, seguido do candidato Luciano Ducci com 28,6% e por último Gustavo Fruet com 26,7%. Assim, nos espaços de maior visibilidade, usando o título como

57 57 indexador, o candidato Luciano Ducci ficou muito próximo dos outros dois candidatos. No próximo tópico será abordado a mudança ao longo do tempo, com a intenção de verificar se houve variação dos resultados até então expostos quando relacionados aos meses da cobertura eleitora Mudança ao longo do tempo Nesta parte serão analisadas as mudanças ao longo do tempo, com o objetivo de verificar qual a evolução apresentada pelos candidatos Luciano Ducci, Gustavo Fruet e Ratinho Junior, para isto serão analisadas as variáveis de número de citações e valência. No primeiro gráfico será avaliado o número de citações em relação ao candidato e em relação ao mês. Conforme já explicitado na tabela 1 a tendência é que com a proximidade das eleições aumente o número de postagens, porque muitos são os eleitores que buscam ter acesso às informações sejam elas fornecidas pelo portal Gazeta do Povo ou por outros meios de comunicação, com o objetivo de contribuírem para a escolha do voto nos últimos momentos da decisão. Todavia, faz-se mister verificar se todos os candidatos acompanham esta tendência, ou se algum deles não apresenta este nível crescente das postagens. Frisa-se que no mês de outubro é natural uma queda das postagens para o candidato que não foi para o segundo turno, tendo em vista que o enfoque das postagens neste momento se restringe aos candidatos da disputa do segundo turno. Destaca-se que para a construção destes dados foram contabilizadas todas as citações que os candidatos receberam nas postagens, ou seja, se na matéria o candidato foi citado dez vezes na mesma postagem, foi contado dez citações. Assim, passemos a análise do gráfico 3 que relaciona o número de citações que os candidatos Luciano Ducci, Gustavo Fruet e Ratinho Junior receberam entre os meses de julho, agosto, setembro e outubro:

58 58 GRÁFICO 3 RELAÇÃO NÚMERO DE CITAÇÕES DURANTE O MÊS FONTE: Núcleo de Comunicação Política e Opinião Pública CPOP/UFPR. Como podemos observar no início da campanha o candidato Luciano Ducci apresenta uma maior quantidade de citações, 120 citações, uma das explicações se dá pelo fato de Luciano Ducci ser candidato à reeleição, de forma que muitas das postagens estão relacionadas ou com a campanha em si ou com sua gestão frente a Prefeitura Municipal de Curitiba. O candidato Gustavo Fruet apresentou 88 citações e Ratinho Junior apresentou 81 citações. Denota-se que no mês de julho as citações se concentram mais no Luciano Ducci e no candidato Gustavo Fruet, apesar do Ratinho apresentar um número de citações muito próximo de Gustavo Fruet. No mês de agosto novamente Luciano Ducci foi o mais citado, com 197 citações, seguido de Ratinho Junior com 165 citações e por último Gustavo Fruet com 162 citações. Os candidatos Ratinho e Gustavo apresentaram valores bastante próximos neste mês, apesar do Ratinho ter aumentado o número de citações quando comparado ao mês de julho. No mês de setembro o candidato Luciano Ducci é citado mais vezes com 285 citações contra 277 citações do Ratinho, seguido de 240 citações do Gustavo Fruet. No mês de outubro, onde há a definição do segundo turno, é possível observar uma diminuição nas citações de Luciano Ducci e um aumento bastante significativo em relação aos candidatos que foram para o segundo turno, no caso,

59 59 Gustavo Fruet e Ratinho Junior. E ainda, observando os dois candidatos é possível verificar que Ratinho Junior teve mais citações que Gustavo Fruet no período referenciado. Deste modo, observa-se que os candidatos de modo geral ocuparam espaços relativamente semelhantes ao longo dos meses, com exceção do mês de outubro que o número de citações ficou concentrado no candidato Gustavo Fruet e no candidato Ratinho Junior. Em seguida, o gráfico 4 pretende analisar a relação entre a valência considerando apenas a positiva e a negativa durantes os meses analisados em relação ao candidato Luciano Ducci, conforme demonstrado a seguir: GRÁFICO 4 RELAÇÃO VALÊNCIA POSITIVA OU NEGATIVA DURANTE O MÊS DUCCI FONTE: Núcleo de Comunicação Política e Opinião Pública CPOP/UFPR. No gráfico 4 é possível verificar que nos meses de julho a outubro predomina a valência negativa para o candidato Luciano Ducci, inclusive os maiores picos ocorrem nos meses de agosto de setembro. Nos quatro meses predominam a valência negativa, inclusive, no último mês há apenas a valência negativa. E ainda, a

60 60 valência positiva representou índices muito baixos, ao todo 7 contra 35 de valência negativa. Em relação ao candidato Gustavo Fruet, os dados apresentados no gráfico 5 foram os seguintes: GRÁFICO 5 RELAÇÃO VALÊNCIA POSITIVA OU NEGATIVA DURANTE O MÊS FRUET FONTE: Núcleo de Comunicação Política e Opinião Pública CPOP/UFPR. O candidato Gustavo Fruet apresentou entre os meses de julho a outubro o índice 26 de valência positiva contra 30 de valência negativa. O candidato no mês de julho aparece com uma valência mais negativa, no mês de agosto a valência é exclusivamente negativa (não houve nesse período nenhuma valência positiva), em setembro o quadro se altera e Gustavo apresenta exclusivamente a valência positiva não havendo nenhuma negativa e no mês de outubro a valência positiva e negativa são equilibradas. Por último é analisado no gráfico 6 a relação da valência positiva e negativa para o candidato Ratinho Junior, no período de julho a outubro de 2012, conforme dados expostos:

CANDIDATOS AO GOVERNO DO RIO GRANDE DO SUL

CANDIDATOS AO GOVERNO DO RIO GRANDE DO SUL CANDIDATOS AO GOVERNO DO RIO GRANDE DO SUL CARLOS SCHNEIDER (PMN) Vice: Maximiliano Andrade (PMN) Nome: Carlos Otavio Schneider Partido: Partido da Mobilização Nacional Tempo de horário eleitoral (estimado):

Leia mais

CALENDÁRIO DA PROPAGANDA PARTIDÁRIA PARA 2013 SEGUNDO O TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL TSE

CALENDÁRIO DA PROPAGANDA PARTIDÁRIA PARA 2013 SEGUNDO O TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL TSE CALENDÁRIO DA PROPAGANDA PARTIDÁRIA PARA 2013 SEGUNDO O TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL TSE Atualizado em 29.10.2012 DEM - DEMOCRATAS Rede nacional (10 min.): dias 06.06 e 12.12.2013. Geradoras: Empresa Brasil

Leia mais

PROGRAMA PARTIDÁRIO - 2011 PROGRAMA EM CADEIA NACIONAL (Quintas-feiras) Pedidos de Programas em análise - Atualizado em 16.12.2010

PROGRAMA PARTIDÁRIO - 2011 PROGRAMA EM CADEIA NACIONAL (Quintas-feiras) Pedidos de Programas em análise - Atualizado em 16.12.2010 PROGRAMA PARTIDÁRIO - 2011 PROGRAMA EM CADEIA NACIONAL (Quintas-feiras) Pedidos de Programas em análise - Atualizado em 16.12.2010 Nos termos da Resolução-TSE nº 20.034/1997: As cadeias nacionais ocorrerão

Leia mais

Romer Mottinha Santos 2 Doacir Gonçalves de Quadros 3 Faculdade Internacional de Curitiba Grupo Uninter - Curitiba, PR

Romer Mottinha Santos 2 Doacir Gonçalves de Quadros 3 Faculdade Internacional de Curitiba Grupo Uninter - Curitiba, PR Jornal Impresso e Eleições: Um Panorama da Cobertura dos Jornais Gazeta do Povo, O Estado do Paraná e Folha de Londrina, sobre as Eleições 2010 para Governador do Paraná 1 Romer Mottinha Santos 2 Doacir

Leia mais

PROGRAMA PARTIDÁRIO - 2011 PROGRAMA EM CADEIA NACIONAL (Quintas-feiras) Programas deferidos - Atualizado em 6.5.2011

PROGRAMA PARTIDÁRIO - 2011 PROGRAMA EM CADEIA NACIONAL (Quintas-feiras) Programas deferidos - Atualizado em 6.5.2011 PROGRAMA PARTIDÁRIO - 2011 PROGRAMA EM CADEIA NACIONAL (Quintas-feiras) Programas deferidos - Atualizado em 6.5.2011 Nos termos da Resolução-TSE nº 20.034/1997: As cadeias nacionais ocorrerão às quintas-feiras,

Leia mais

Partidos Políticos do Brasil

Partidos Políticos do Brasil Partidos Políticos do Brasil Fonte: http://www.suapesquisa.com/partidos/ INTRODUÇÃO 04.06.2012 Atualmente, a legislação eleitoral brasileira e a Constituição, promulgada em 1988, permitem a existência

Leia mais

Eleições presidenciais no Brasil em 2010: o perfil dos candidatos e de suas alianças

Eleições presidenciais no Brasil em 2010: o perfil dos candidatos e de suas alianças Eleições presidenciais no Brasil em 2010: o perfil dos candidatos e de suas alianças Aline Bruno Soares Rio de Janeiro, julho de 2010. Desde seu início, o ano de 2010 tem se mostrado marcante em relação

Leia mais

PROGRAMA PARTIDÁRIO - 2011 PROGRAMA EM CADEIA NACIONAL (Quintas-feiras) Pedidos de Programas em análise - Atualizado em 23.11.2010

PROGRAMA PARTIDÁRIO - 2011 PROGRAMA EM CADEIA NACIONAL (Quintas-feiras) Pedidos de Programas em análise - Atualizado em 23.11.2010 PROGRAMA PARTIDÁRIO - 2011 PROGRAMA EM CADEIA NACIONAL (Quintas-feiras) Pedidos de Programas em análise - Atualizado em 23.11.2010 Nos termos da Resolução-TSE nº 20.034/1997: As cadeias nacionais ocorrerão

Leia mais

A perspectiva de reforma política no Governo Dilma Rousseff

A perspectiva de reforma política no Governo Dilma Rousseff A perspectiva de reforma política no Governo Dilma Rousseff Homero de Oliveira Costa Revista Jurídica Consulex, Ano XV n. 335, 01/Janeiro/2011 Brasília DF A reforma política, entendida como o conjunto

Leia mais

Telefones: 41.91135521 e-mails: doacir.q@grupouninter.com.br

Telefones: 41.91135521 e-mails: doacir.q@grupouninter.com.br IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO Título do projeto: Meios de Comunicação e Política Pesquisador responsável: Prof. Doutor Doacir Gonçalves de Quadros Contatos: Telefones: 41.91135521 e-mails: doacir.q@grupouninter.com.br

Leia mais

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS

PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS 2014 1 Índice 1. Contexto... 3 2. O Programa Cidades Sustentáveis (PCS)... 3 3. Iniciativas para 2014... 5 4. Recursos Financeiros... 9 5. Contrapartidas... 9 2 1. Contexto

Leia mais

QUEM APARECEU MAIS? VISIBILIDADE DOS CANDIDATOS A PREFEITO DE CURITIBA EM 2012 NA CAPA DA GAZETA DO POVO

QUEM APARECEU MAIS? VISIBILIDADE DOS CANDIDATOS A PREFEITO DE CURITIBA EM 2012 NA CAPA DA GAZETA DO POVO QUEM APARECEU MAIS? VISIBILIDADE DOS CANDIDATOS A PREFEITO DE CURITIBA EM 2012 NA CAPA DA GAZETA DO POVO Autor Renan Colombo, UFPR jornalistarenan@gmail.com Co autor¹: Adriano Guandagnin, UFPR adrianoguadags@gmail.com

Leia mais

Partido: Telefone /fax Representante E-mail Partido Comunista Brasileiro - PCB (51) 3224-0716 3062-4141 3209-7785 9969-9459

Partido: Telefone /fax Representante E-mail Partido Comunista Brasileiro - PCB (51) 3224-0716 3062-4141 3209-7785 9969-9459 TELEFONES E E-MAILS DOS PARTIDOS E COLIGAÇÕES CONCORRENTES EM 2014 ATENÇÃO: alguns dados podem não estar atualizados, visto que nem todas as alterações ocorridas são comunicadas ao TRE-RS. Para atualizar

Leia mais

Você pode contribuir para eleições mais justas

Você pode contribuir para eleições mais justas Procuradoria Regional Eleitoral no Estado de SP Defesa da democracia, combate à impunidade. Você pode contribuir para eleições mais justas Os cidadãos e as cidadãs podem auxiliar muito na fiscalização

Leia mais

O Poder Legislativo e a Imprensa: estudo crítico da cobertura das Comissões Permanentes da Câmara dos Deputados pela imprensa escrita.

O Poder Legislativo e a Imprensa: estudo crítico da cobertura das Comissões Permanentes da Câmara dos Deputados pela imprensa escrita. Câmara dos Deputados Centro de Formação e Treinamento CEFOR Programa de Pós-Graduação Nara Lucia de Lima O Poder Legislativo e a Imprensa: estudo crítico da cobertura das Comissões Permanentes da Câmara

Leia mais

RELATÓRIO DE ANÁLISE DA MÍDIA

RELATÓRIO DE ANÁLISE DA MÍDIA RELATÓRIO DE ANÁLISE DA MÍDIA CLIPPING SENADO FEDERAL E CONGRESSO NACIONAL NOTICIÁRIO JUNHO DE 2010 SEAI 06/2010 Brasília, julho de 2010 Análise de Notícias Senado Federal e Congresso Nacional 1. Eleições:

Leia mais

Planejamento estratégico do Movimento Nossa São Paulo

Planejamento estratégico do Movimento Nossa São Paulo Planejamento estratégico do Movimento Nossa São Paulo Contribuições construídas pelo GT Juventude A avaliação das entidades e grupos que compõe o GT Juventude faz da atuação do Movimento em 2008 é extremamente

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA AVALIAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL CANDIDATURAS: PRESIDENTE / GOVERNADOR / SENADOR ELEIÇÕES 2014 LONDRINA (PR)

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA AVALIAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL CANDIDATURAS: PRESIDENTE / GOVERNADOR / SENADOR ELEIÇÕES 2014 LONDRINA (PR) PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA AVALIAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL CANDIDATURAS: PRESIDENTE / GOVERNADOR / SENADOR ELEIÇÕES 2014 LONDRINA (PR) QUANTITATIVA EXTERNA PESQUISA REGISTRADA E PROTOCOLIZADA: TRE

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA. A VOLATILIDADE ELEITORAL: Uma análise socioeconômica e espacial sobre o voto em Santa Maria.

PROJETO DE PESQUISA. A VOLATILIDADE ELEITORAL: Uma análise socioeconômica e espacial sobre o voto em Santa Maria. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS BACHARELADO GUSTAVO ANDRÉ AVELINE MÜLLER PROJETO DE PESQUISA A VOLATILIDADE

Leia mais

Sondagem de Opinião Parlamentar Reforma Política

Sondagem de Opinião Parlamentar Reforma Política Reforma Política Abril a Maio de 2009 Brasília, 28 de Maio de 2008 Introdução O recente envio da proposta do Poder Executivo de reforma política trouxe força e fôlego para o debate do tema no Brasil, mobilizando

Leia mais

Resenha Internet e Participação Política no Brasil

Resenha Internet e Participação Política no Brasil Resenha Internet e Participação Política no Brasil (Orgs. MAIA, Rousiley Celi Moreira; GOMES, Wilson; MARQUES, Paulo Jamil Almeida. Porto Alegre: Ed. Sulina, 2011.) Átila Andrade de CARVALHO 1 A democracia

Leia mais

O SR. NELSON MARQUEZELLI (PTB - sp) pronuncia o. seguinte discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados,

O SR. NELSON MARQUEZELLI (PTB - sp) pronuncia o. seguinte discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, O SR. NELSON MARQUEZELLI (PTB - sp) pronuncia o seguinte discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, encontra-se em curso, no Congresso Nacional, uma proposta de reforma que aborda questões consideradas

Leia mais

REQUERIMENTO nº, de 2015. (Do Sr. Carlos Melles)

REQUERIMENTO nº, de 2015. (Do Sr. Carlos Melles) REQUERIMENTO nº, de 2015 (Do Sr. Carlos Melles) Requer a Convocação de Sessão Solene em 2016, em Homenagem ao vigésimo aniversário da Lei que criou o SIMPLES no Brasil. Senhor Presidente, Representando

Leia mais

Clientelismo, internet e voto: a campanha nos websites dos candidatos a vereador no Brasil Meridional

Clientelismo, internet e voto: a campanha nos websites dos candidatos a vereador no Brasil Meridional Braga, Nicolás & Becher (2009): 33º Encontro Anual da Anpocs 1 Clientelismo, internet e voto: a campanha nos websites dos candidatos a vereador no Brasil Meridional Sérgio Soares Braga (DECISO/UFPR) Autor

Leia mais

CARTILHA DO VOTO CONSCIENTE

CARTILHA DO VOTO CONSCIENTE CARTILHA DO VOTO CONSCIENTE ART. 1, 1 da Constituição Federal de 88: Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição. Voto consciente:

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL O ELEITOR E A REFORMA POLÍTICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL O ELEITOR E A REFORMA POLÍTICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL O ELEITOR E A REFORMA POLÍTICA JUNHO DE 2007 Dados Técnicos Pesquisa Pesquisa de opinião pública nacional Universo Eleitores e potenciais eleitores brasileiros que

Leia mais

AVALIAÇÃO DA INTENÇÃO DE VOTO EM MINAS GERAIS PARA AS ELEIÇÕES 2014

AVALIAÇÃO DA INTENÇÃO DE VOTO EM MINAS GERAIS PARA AS ELEIÇÕES 2014 AVALIAÇÃO DA INTENÇÃO DE VOTO EM MINAS GERAIS PARA AS ELEIÇÕES 2014 MINAS GERAIS JUNHO DE 2014 REGISTRO TSE: MG 00048/2014 REGISTRO TSE: BR 00188/2014 INTRODUÇÃO Este relatório contém os resultados de

Leia mais

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Política de Comunicação Institucional

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Política de Comunicação Institucional Política de Comunicação Institucional POLÍTICA PÚBLICA P DE COMUNICAÇÃO O homem é um ser social. O intercâmbio de suas experiências e de seus conhecimentos possibilitou que as pessoas se apropriassem dos

Leia mais

AOS CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA DO BRASIL PROPOSTAS DE POLÍTICAS PARA A ÁREA DAS COMUNICAÇÕES

AOS CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA DO BRASIL PROPOSTAS DE POLÍTICAS PARA A ÁREA DAS COMUNICAÇÕES AOS CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA DO BRASIL PROPOSTAS DE POLÍTICAS PARA A ÁREA DAS COMUNICAÇÕES 1 Apresentação 1. As comunicações, contemporaneamente, exercem crescentes determinações sobre a cultura,

Leia mais

O que fazer para reformar o Senado?

O que fazer para reformar o Senado? O que fazer para reformar o Senado? Cristovam Buarque As m e d i d a s para enfrentar a crise do momento não serão suficientes sem mudanças na estrutura do Senado. Pelo menos 26 medidas seriam necessárias

Leia mais

LEVANTAMENTO TEMÁTICO DA PROPAGANDA ELEITORAL NA TELEVISÃO ESTUDO DE CASO SOBRE AS ELEIÇÕES MUNICIPAIS DE CURITIBA EM 2012

LEVANTAMENTO TEMÁTICO DA PROPAGANDA ELEITORAL NA TELEVISÃO ESTUDO DE CASO SOBRE AS ELEIÇÕES MUNICIPAIS DE CURITIBA EM 2012 LEVANTAMENTO TEMÁTICO DA PROPAGANDA ELEITORAL NA TELEVISÃO ESTUDO DE CASO SOBRE AS ELEIÇÕES MUNICIPAIS DE CURITIBA EM 2012 Universidade Federal do Paraná Luciana Panke - lupanke@gmail.com Gabriel Bozza

Leia mais

PROPOSTA DE GOVERNO DA COLIGAÇÃO BLUMENAU: QUEM AMA CUIDA.

PROPOSTA DE GOVERNO DA COLIGAÇÃO BLUMENAU: QUEM AMA CUIDA. PROPOSTA DE GOVERNO DA COLIGAÇÃO BLUMENAU: QUEM AMA CUIDA. PARTIDOS COLIGADOS: 1. Partido dos Trabalhadores PT; 2. Partido Progressista PP; 3. Partido Democrático Trabalhista PDT; 4. Partido Comunista

Leia mais

TEMAS DEBATIDOS DECISÕES DA COMISSÃO 1- SUPLÊNCIA DE SENADOR. Foram aprovadas as seguintes alterações:

TEMAS DEBATIDOS DECISÕES DA COMISSÃO 1- SUPLÊNCIA DE SENADOR. Foram aprovadas as seguintes alterações: Senado Federal Comissão da Reforma Política TEMAS DEBATIDOS DECISÕES DA COMISSÃO 1- SUPLÊNCIA DE SENADOR a) Redução de dois suplentes de Senador para um; b) Em caso de afastamento o suplente assume; em

Leia mais

Clipping. ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO 03 de outubro de 2011 ESTADO DE MINAS

Clipping. ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO 03 de outubro de 2011 ESTADO DE MINAS ESTADO DE MINAS 1 2 ESTADO DE MINAS 3 ESTADO DE MINAS http://www.em.com.br PSD de Kassab mira 'órfãos' do PMDB quercista O PSD obteve registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na terça-feira e corre

Leia mais

Guia de Reforma Política

Guia de Reforma Política Guia de Reforma Política Guia de Reforma Política - 2 de 13 O que os partidos querem com a Reforma Política e a proposta do Movimento Liberal Acorda Brasil O Movimento Liberal Acorda Brasil avaliou as

Leia mais

PROGRAMA FALANDO EM POLÍTICA 1

PROGRAMA FALANDO EM POLÍTICA 1 PROGRAMA FALANDO EM POLÍTICA 1 Juliane Cintra de Oliveira 2 Antônio Francisco Magnoni 2 RESUMO Criado em 2007, o Programa Falando de Política é um projeto de experimentação e extensão cultural em radiojornalismo,

Leia mais

Comunicação e Reputação. 10 dicas para manter o alinhamento e assegurar resultados

Comunicação e Reputação. 10 dicas para manter o alinhamento e assegurar resultados Comunicação e Reputação 10 dicas para manter o alinhamento e assegurar resultados 1 Introdução Ao contrário do que alguns podem pensar, reputação não é apenas um atributo ou juízo moral aplicado às empresas.

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009 03/08/2010 Pág.01 POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DA CEMIG COM A COMUNIDADE Substitui a NO-02.15 de 23/06/2009 1. INTRODUÇÃO 1.1 A Política de Comunicação da CEMIG com a Comunidade explicita as diretrizes que

Leia mais

Documento aprovado na Conferência Estadual do Maranhão em 2011

Documento aprovado na Conferência Estadual do Maranhão em 2011 Documento aprovado na Conferência Estadual do Maranhão em 2011 Impulsionar o governo Dilma a aproveitar a janela de oportunidade aberta pela crise para fazer avançar o Projeto Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Comunicação é um direito de todos No Brasil, os meios de comunicação estão concentrados nas mãos de poucas empresas familiares que têm a

Leia mais

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política No Brasil, há poucas experiências conhecidas de uso de ferramentas de monitoramento de mídias sociais em campanhas políticas. Uma delas

Leia mais

Clientelismo, internet e voto:

Clientelismo, internet e voto: Paraná Artigo Eleitoral: revista brasileira de direito eleitoral e ciência política Paraná Eleitoral v. 1 n. 1 p 61-78 Clientelismo, internet e voto: A campanha nos websites dos candidatos a vereador no

Leia mais

CÓDIGO DE BOAS PRÁTICAS DA GOVERNANÇA

CÓDIGO DE BOAS PRÁTICAS DA GOVERNANÇA CÓDIGO DE BOAS PRÁTICAS DA GOVERNANÇA Versão 1.0 Setembro/2014 Página2 2014 Programa de Desenvolvimento Econômico do Território Oeste do Paraná Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada

Leia mais

Regimento Interno. Capítulo I Da natureza da Renoi. Capítulo II Dos objetivos da Renoi

Regimento Interno. Capítulo I Da natureza da Renoi. Capítulo II Dos objetivos da Renoi Rede Nacional de Observatórios de Imprensa Capítulo I Da natureza da Renoi Regimento Interno Art. 1º - A Rede Nacional de Observatórios de Imprensa Renoi - é uma rede de organizações e pessoas que atuam

Leia mais

D O S S I Ê DE CURITIBA EM. Emerson Cervi & Nelson Rosário de Souza

D O S S I Ê DE CURITIBA EM. Emerson Cervi & Nelson Rosário de Souza D O S S I Ê MÍDIA, DISCURSO E PODER IMPRENSA E ELEIÇÕES MUNICIPAIS DE CURITIBA EM 2000 E 2004: EM AS COBERTURAS DA FOLHA DO PARANÁ E DA GAZETA DO POVO 1 Emerson Cervi & Nelson Rosário de Souza 34 EMERSON

Leia mais

Datafolha, propaganda e eleitores nos estados

Datafolha, propaganda e eleitores nos estados Datafolha, propaganda e eleitores nos estados 23 de agosto de 2010 1. Vitória de Dilma no 1º turno Bastou uma semana de horário eleitoral gratuito em rádio e televisão ao lado do presidente Lula para Dilma

Leia mais

MÍDIA E POLÍTICA. Pesquisa sobre hábitos de informação dos Deputados Federais

MÍDIA E POLÍTICA. Pesquisa sobre hábitos de informação dos Deputados Federais MÍDIA E POLÍTICA Pesquisa sobre hábitos de informação dos Deputados Federais 2 0 1 0 Mídia e Política Pesquisa sobre hábitos de informação dos Deputados Federais - 2010 Coordenação da Pesquisa Wladimir

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DA FINALIDADE

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DA FINALIDADE REGULAMENTO DO -CAEx CAPÍTULO I DA NATUREZA E DA FINALIDADE Art.1º O Conselho Acadêmico de Atividades de Extensão do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, IFRJ, é um órgão

Leia mais

Seminário Nacional. Pacto pela qualidade da Informação e da Comunicação em Saúde

Seminário Nacional. Pacto pela qualidade da Informação e da Comunicação em Saúde Seminário Nacional Comunicação, Informação e Informática em Saúde Pacto pela qualidade da Informação e da Comunicação em Saúde Informação e Comunicação Que Qualidade? Que Pacto? Aurea Maria da Rocha Pitta

Leia mais

Financiamento de Campanhas Eleitorais. Brasília - DF 09/10/2014

Financiamento de Campanhas Eleitorais. Brasília - DF 09/10/2014 Financiamento de Campanhas Eleitorais Brasília - DF 09/10/2014 Democracia representativa Direito de votar e ser votado Financiamento de campanhas Financiamento de campanhas Nº Nome Partido Receitas 21

Leia mais

MANUAL DE OFICINA VOTO CONSCIENTE - VOTO VAI ALÉM Metodologias & Informações extras

MANUAL DE OFICINA VOTO CONSCIENTE - VOTO VAI ALÉM Metodologias & Informações extras MANUAL DE OFICINA VOTO CONSCIENTE - VOTO VAI ALÉM Metodologias & Informações extras INTRODUÇÃO & OBJETIVOS 1. O QUE EU TENHO A VER COM ISSO? CONTEÚDOS: O QUE É POLÍTICA? Enfatizar a presença da política

Leia mais

PROGRAMA PARTIDÁRIO - 2011 PROGRAMA EM CADEIA NACIONAL (Quintas-feiras) Programas em análise - Atualizado em 20.5.2010

PROGRAMA PARTIDÁRIO - 2011 PROGRAMA EM CADEIA NACIONAL (Quintas-feiras) Programas em análise - Atualizado em 20.5.2010 PROGRAMA PARTIDÁRIO - 2011 PROGRAMA EM CADEIA NACIONAL (Quintas-feiras) Programas em análise - Atualizado em 20.5.2010 Nos termos da Resolução-TSE nº 20.034/1997: As cadeias nacionais ocorrerão às quintas-feiras,

Leia mais

Cinco pontos sobre redes sociais na Internet

Cinco pontos sobre redes sociais na Internet Cinco pontos sobre redes sociais na Internet Por Raquel Recuero (*) Nos últimos anos, assistimos a um crescimento espantoso das chamadas tecnologias de comunicação. Essas tecnologias tornaram-se mais rápidas,

Leia mais

PARTIDOS POLÍTICOS NO BRASIL (Módulo 19)

PARTIDOS POLÍTICOS NO BRASIL (Módulo 19) COLÉGIO O BOM PASTOR SOCIOLOGIA- 2º ANO PROF. RAFAEL CARLOS PARTIDOS POLÍTICOS NO BRASIL (Módulo 19) Atualmente, a legislação eleitoral brasileira e a Constituição, promulgada em 1988, permitem a existência

Leia mais

TRANSPARÊNCIA QUANTO À ATUAÇÃO PARLAMENTAR DIRETA

TRANSPARÊNCIA QUANTO À ATUAÇÃO PARLAMENTAR DIRETA De: Gabinete do Vereador Jimmy Pereira Para: Ação Jovem Brasil Resposta à solicitação de Informações para a formação do Índice de Transparência da Câmara do Rio TRANSPARÊNCIA QUANTO À ATUAÇÃO PARLAMENTAR

Leia mais

PROJETOS CULTURAIS ELEIÇÕES. 5 0 a O - fu dame tal. Votar é uma forma de lutar pelos nossos direitos. Justificativa

PROJETOS CULTURAIS ELEIÇÕES. 5 0 a O - fu dame tal. Votar é uma forma de lutar pelos nossos direitos. Justificativa ELEIÇÕES ELEIÇÕES 5 0 a O - fu dame tal Votar é uma forma de lutar pelos nossos direitos. Justificativa PROJETOS CULTURAIS Estamos em época de eleições, em tempo de discutir ideias para fazer a melhor

Leia mais

RELACIONAMENTO E POSTURA NA ATIVIDADE PÚBLICA

RELACIONAMENTO E POSTURA NA ATIVIDADE PÚBLICA XXX CONGRESSO BRASILEIRO DE SERVIDORES DE CÂMARAS MUNICIPAIS X ENCONTRO NACIONAL DE VEREADORES - ABRASCAM. RELACIONAMENTO E POSTURA NA ATIVIDADE PÚBLICA Adriana Nóbrega Comunicação e Marketing Político

Leia mais

Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais

Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais A campanha do prefeito de Duque de Caxias Alexandre Aguiar Cardoso, natural de Duque de Caxias, cidade da região metropolitana do Rio de Janeiro,

Leia mais

DECRETO Nº 8.243, DE 23 DE MAIO DE 2014

DECRETO Nº 8.243, DE 23 DE MAIO DE 2014 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 8.243, DE 23 DE MAIO DE 2014 Institui a Política Nacional de Participação Social - PNPS e o Sistema Nacional de Participação

Leia mais

A ESTRUTURAÇÃO DA COMUNICAÇÃO DO PODER JUDICIÁRIO

A ESTRUTURAÇÃO DA COMUNICAÇÃO DO PODER JUDICIÁRIO A ESTRUTURAÇÃO DA COMUNICAÇÃO DO PODER JUDICIÁRIO A transparência, tônico infalível da cidadania, outorga confiabilidade e, por conseguinte, maior respeito. Por sua vez, a população, melhor informada,

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL Pesquisa e Consultoria Relatório Síntese PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL RODADA 89 CNT 18 a 22 de Junho de 2007 SAS Q 06 - Lote 03 - Bloco J Rua Grão Pará, 737-4º andar Ed. Camilo Cola - 2 o andar

Leia mais

O reflexo da opinião pública nas eleições 2010 e as expectativas em relação ao Governo Dilma 1

O reflexo da opinião pública nas eleições 2010 e as expectativas em relação ao Governo Dilma 1 O reflexo da opinião pública nas eleições 2010 e as expectativas em relação ao Governo Dilma 1 Maria Salete Souza de Amorim 2 Resumo: A eleição presidencial de 2010, disputada por nove candidatos, dentre

Leia mais

Trabalho interdisciplinar e atividade extensionista na UEPG: o projeto Portal Comunitário

Trabalho interdisciplinar e atividade extensionista na UEPG: o projeto Portal Comunitário Trabalho interdisciplinar e atividade extensionista na UEPG: o projeto Portal Comunitário SOUZA, Kauana Mendes 1 ; XAVIER, Cintia 2 Universidade Estadual de Ponta Grossa, Paraná, PR RESUMO O projeto Portal

Leia mais

RELATÓRIO DE ANÁLISE DA MÍDIA

RELATÓRIO DE ANÁLISE DA MÍDIA RELATÓRIO DE ANÁLISE DA MÍDIA CLIPPING SENADO FEDERAL E CONGRESSO NACIONAL NOTICIÁRIO MAIO DE 2010 SEAI 05/2010 Brasília, junho de 2010 Análise de Notícias Senado Federal e Congresso Nacional 1. Mídia

Leia mais

Os Partidos Políticos e as Estratégias de Campanha no Horário Gratuito de Propaganda Eleitoral nas Eleições Municipais de 2008 em Juiz de Fora - MG

Os Partidos Políticos e as Estratégias de Campanha no Horário Gratuito de Propaganda Eleitoral nas Eleições Municipais de 2008 em Juiz de Fora - MG Os Partidos Políticos e as Estratégias de Campanha no Horário Gratuito de Propaganda Eleitoral nas Eleições Municipais de 008 em Juiz de Fora - MG Isis Arantes Resumo Este artigo examina como as imagens

Leia mais

Colóquio Internacional Democracia e interfaces digitais para a participação

Colóquio Internacional Democracia e interfaces digitais para a participação Colóquio Internacional Democracia e interfaces digitais para a participação pública (Projeto) PPG-AU/UFBA Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo 1 Contexto e justificativa Odesenvolvimento

Leia mais

HISTÓRIA DO LEGISLATIVO

HISTÓRIA DO LEGISLATIVO HISTÓRIA DO LEGISLATIVO Maurício Barbosa Paranaguá Seção de Projetos Especiais Goiânia - 2015 Origem do Poder Legislativo Assinatura da Magna Carta inglesa em 1215 Considerada a primeira Constituição dos

Leia mais

TEMAS DA REFORMA POLÍTICA

TEMAS DA REFORMA POLÍTICA TEMAS DA REFORMA POLÍTICA 1 Sistemas Eleitorais 1.1 Sistema majoritário. 1.2 Sistema proporcional 1.2 Sistema misto 2 - Financiamento eleitoral e partidário 3- Suplência de senador 4- Filiação partidária

Leia mais

Estratégia eleitoral e consolidação situacionista nas eleições brasileiras: o caso do pleito de 2010.

Estratégia eleitoral e consolidação situacionista nas eleições brasileiras: o caso do pleito de 2010. Estratégia eleitoral e consolidação situacionista nas eleições brasileiras: o caso do pleito de 2010. Resumo Estudos políticos, sócio - jurídicos e institucionais Maurício Ferreira da Silva Universidade

Leia mais

QUESTIONÁRIO PARA ENTREVISTAS COM ELITE POLÍTICA PARANAENSE

QUESTIONÁRIO PARA ENTREVISTAS COM ELITE POLÍTICA PARANAENSE 1 QUESTIONÁRIO PARA ENTREVISTAS COM ELITE POLÍTICA PARANAENSE GRUPO DE PESQUISA DE DEMOCRACIA E NÚCLEO DE ESTUDOS DE SOCIOLOGIA POLÍTICA UFPR - CURITIBA - 2004 INFORMAÇÕES GERAIS AO ENTREVISTADOR 1 O PRIMEIRO

Leia mais

A Propaganda Institucional e as Eleições de 2008. Randolpho Martino JúniorJ www.vicosa.com.br/randolpho

A Propaganda Institucional e as Eleições de 2008. Randolpho Martino JúniorJ www.vicosa.com.br/randolpho A Propaganda Institucional e as Eleições de 2008 Randolpho Martino JúniorJ www.vicosa.com.br/randolpho Propaganda Institucional Definição: é a publicidade destinada a divulgar os atos, programas, obras,

Leia mais

AS RECENTES MUDANÇAS NAS VAGAS DOS LEGISLATIVOS MUNICIPAIS DO BRASIL

AS RECENTES MUDANÇAS NAS VAGAS DOS LEGISLATIVOS MUNICIPAIS DO BRASIL Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 18 a 22 de outubro, 2010 770 AS RECENTES MUDANÇAS NAS VAGAS DOS LEGISLATIVOS MUNICIPAIS DO BRASIL Tiago Valenciano Mestrando do Programa de

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM POLÍTICA E REPRESENTAÇÃO PARLAMENTAR

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM POLÍTICA E REPRESENTAÇÃO PARLAMENTAR CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM POLÍTICA E REPRESENTAÇÃO PARLAMENTAR SUB-COMISSÃO DO VOTO ELETRÔNICO E O DEBATE EM TORNO DA ESCOLHA DEMOCRÁTICA DOS REPRESENTANTES POR MEIO DO VOTO ELETRÔNICO, A MANUTENÇÃO E

Leia mais

Apresentação da FAMA

Apresentação da FAMA Pós-Graduação Lato Sensu CURSO DE ESPECIIALIIZAÇÃO 444 horras/aulla 1 Apresentação da FAMA A FAMA nasceu como conseqüência do espírito inovador e criador que há mais de 5 anos aflorou numa família de empreendedores

Leia mais

Curso de Especialização em Saúde da Pessoa Idosa

Curso de Especialização em Saúde da Pessoa Idosa Curso de Especialização em Saúde da Pessoa Idosa Módulo Unidade 01 Tópico 01 Políticas na Atenção do Idoso Introdução as Políticas Públicas Políticas Públicas Ao longo do tempo o papel do Estado frente

Leia mais

DOCUMENTO FINAL DO ENCONTRO

DOCUMENTO FINAL DO ENCONTRO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE HISTÓRIA ANPUH-BRASIL O PERFIL PROFISSIONAL DOS HISTORIADORES ATUANTES EM ARQUIVOS DOCUMENTO FINAL DO ENCONTRO São Paulo, dezembro de 2012. APRESENTAÇÃO Este documento, produzido

Leia mais

RELATÓRIO DE ANÁLISE DA MÍDIA

RELATÓRIO DE ANÁLISE DA MÍDIA RELATÓRIO DE ANÁLISE DA MÍDIA CLIPPING SENADO FEDERAL E CONGRESSO NACIONAL NOTICIÁRIO OUTUBRO DE 2009 SEAI 10/2009 Brasília, novembro de 2009 Análise de Notícias Senado Federal e Congresso Nacional 1.

Leia mais

CAMPANHAS ELEITORAIS E COMUNICAÇÃO MIDIÁTICA: CICLOS DE MUDANÇA E CONTINUIDADE

CAMPANHAS ELEITORAIS E COMUNICAÇÃO MIDIÁTICA: CICLOS DE MUDANÇA E CONTINUIDADE CAMPANHAS ELEITORAIS E COMUNICAÇÃO MIDIÁTICA: CICLOS DE MUDANÇA E CONTINUIDADE 48 Monalisa Soares Lopes Universidade Federal do Ceará (UFC) monalisaslopes@gmail.com Os estudos da política contemporânea,

Leia mais

Novas estratégias no ensino de geografia para vestibulandos

Novas estratégias no ensino de geografia para vestibulandos Novas estratégias no ensino de geografia para vestibulandos Renata de Souza Ribeiro (UERJ/FFP) Thiago Jeremias Baptista (UERJ/FFP) Eixo: Fazendo escola com múltiplas linguagens Resumo Este texto relata

Leia mais

PROPAGANDA PARTIDÁRIA 2016 Inserções regionais consulta por partido

PROPAGANDA PARTIDÁRIA 2016 Inserções regionais consulta por partido 1º PROS 16/05/2016 segunda-feira 2 inserções de 60 (Diretório 18/05/2016 quarta-feira 2 inserções de 60 Nacional) 20/05/2016 sexta-feira 2 inserções de 60 13/06/2016 segunda-feira 2 inserções de 60 15/06/2016

Leia mais

DELIBERAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA N 01/2014

DELIBERAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA N 01/2014 CONSELHO ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE MINAS GERAIS DELIBERAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA N 01/2014 A Diretoria Executiva do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente

Leia mais

Acirrada como não se via desde 1989, a campanha pelo primeiro turno

Acirrada como não se via desde 1989, a campanha pelo primeiro turno Panorama Edição 07 Sexta-feira, 3 de de 2014 Acirrada como não se via desde 1989, a campanha pelo primeiro turno das eleições presidenciais demonstrou a importância da internet e das redes sociais. Elas

Leia mais

LEI DOS PARTIDOS POLÍTICOS (Lei n. 9.096/95)

LEI DOS PARTIDOS POLÍTICOS (Lei n. 9.096/95) - Partido Político: pessoa jurídica de direito privado, destinada a assegurar, no interesse democrático, a autenticidade do sistema representativo e a defender os direitos fundamentais definidos na CF.

Leia mais

Novos textos no ensino da Geografia

Novos textos no ensino da Geografia Novos textos no ensino da Geografia Renata de Souza Ribeiro (UERJ/ FFP) Thiago Jeremias Baptista (UERJ/ FFP) Resumo Este texto relata a experiência desenvolvida no curso Pré-vestibular Comunitário Cidadania

Leia mais

Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação

Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação Aprovado por: Diretoria de Informação Institucional 1 OBJETIVO Definir e padronizar os procedimentos referentes

Leia mais

REFORMA POLÍTICA: voto em lista partidária fechada na democracia

REFORMA POLÍTICA: voto em lista partidária fechada na democracia ELIAS MÁXIMO DE LIMA REFORMA POLÍTICA: voto em lista partidária fechada na democracia representativa. Projeto de pesquisa apresentado ao Programa de Pós-Graduação do CEFOR como parte das exigências do

Leia mais

Você está recebendo a Cartilha Eleitoral 2014, elaborada pela Abert para orientar a conduta do radiodifusor durante o período eleitoral.

Você está recebendo a Cartilha Eleitoral 2014, elaborada pela Abert para orientar a conduta do radiodifusor durante o período eleitoral. Cartilha Eleitoral 2014 Caro Associado da ABERT, Você está recebendo a Cartilha Eleitoral 2014, elaborada pela Abert para orientar a conduta do radiodifusor durante o período eleitoral. O desconhecimento

Leia mais

Os desafios da Comunicação Pública Jorge Duarte 1

Os desafios da Comunicação Pública Jorge Duarte 1 Os desafios da Comunicação Pública Jorge Duarte 1 Termo até então desconhecido, Comunicação Pública agora é nome de curso de pós-graduação, título de livros, de artigos e pesquisas. Nós, na Secretaria

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA DO BANCO DA AMAZÔNIA

CÓDIGO DE ÉTICA DO BANCO DA AMAZÔNIA CÓDIGO DE ÉTICA DO BANCO DA AMAZÔNIA APRESENTAÇÃO O Banco da Amazônia S.A., consciente da importância da ética nas relações com a comunidade em que atua, divulga este Código de Ética, que contém os padrões

Leia mais

b) vantagens e desvantagens para o usuário que acessa Internet grátis comparadas aos serviços oferecidos pelos provedores pagos.

b) vantagens e desvantagens para o usuário que acessa Internet grátis comparadas aos serviços oferecidos pelos provedores pagos. Questão nº 1 I. Seleção de dados relevantes para o assunto em pauta, comparação, hierarquização. Devem aparecer nos textos: a) a Internet grátis desafia os provedores estabelecidos. Ressaltar as posições

Leia mais

Propaganda Eleitoral. Eduardo Buzzinari Ribeiro de Sá 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS ESPÉCIES DE PROPAGANDA POLÍTICA

Propaganda Eleitoral. Eduardo Buzzinari Ribeiro de Sá 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS ESPÉCIES DE PROPAGANDA POLÍTICA Série Aperfeiçoamento de Magistrados 7 Curso: 1º Seminário de Direito Eleitoral: Temas Relevantes para as Eleições de 2012 Propaganda Eleitoral 85 Eduardo Buzzinari Ribeiro de Sá 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS

Leia mais

Relato da Iniciativa

Relato da Iniciativa 1 Relato da Iniciativa 5.1 Nome da iniciativa ou projeto Novo portal institucional da Prefeitura de Vitória (www.vitoria.es.gov.br) 5.2 Caracterização da situação anterior A Prefeitura de Vitória está

Leia mais

02 out - POLÍTICA: Dilma anuncia redução de oito ministérios, com salários menores e corte de cargos Sex, 02 de Outubro de 2015 13:43

02 out - POLÍTICA: Dilma anuncia redução de oito ministérios, com salários menores e corte de cargos Sex, 02 de Outubro de 2015 13:43 A nova configuração ministerial, finalizada ontem (1 ) com a ajuda do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, inclui a extinção e fusão de pastas e a realocação de titulares dos ministérios. Brasília

Leia mais

ESTADO DO AMAZONAS CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS GABINETE DO VEREADOR AMAURI COLARES

ESTADO DO AMAZONAS CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS GABINETE DO VEREADOR AMAURI COLARES PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº. 038/2013 CONCEDE Medalha de Ouro Cidade de Manaus ao senhor JOÃO LEONEL DE BRITTO FEITOZA e dá outras providências Art. 1º Fica concedida a Medalha de Ouro Cidade de

Leia mais

RELATÓRIO DE ANÁLISE DA MÍDIA

RELATÓRIO DE ANÁLISE DA MÍDIA RELATÓRIO DE ANÁLISE DA MÍDIA CLIPPING SENADO FEDERAL E CONGRESSO NACIONAL NOTICIÁRIO ABRIL DE 2011 SEAI 04/2011 Brasília, maio de 2011 Análise de Notícias Senado Federal e Congresso Nacional 1. Universo

Leia mais

Pesquisa da Avaaz sobre o legado da Copa do Mundo

Pesquisa da Avaaz sobre o legado da Copa do Mundo Q1 A Copa do Mundo oferece uma oportunidade sem precedentes para mudar o Brasil. O governo disse que haveria infraestrutura - estádios, aeroportos, transportes - mas o que você gostaria que fosse o legado

Leia mais

Avaliação governo Dilma Rousseff. Expectativas econômicas. 03 a 05/06/2014. www.datafolha.com.br

Avaliação governo Dilma Rousseff. Expectativas econômicas. 03 a 05/06/2014. www.datafolha.com.br Intenção de voto presidente Avaliação governo Dilma Rousseff Opinião sobre os protestos Expectativas econômicas PO813747 03 a 05/06/2014 INTENÇÃO DE VOTO PARA PRESIDENTE JUNHO DE 2014 DILMA CAI, MAS ADVERSÁRIOS

Leia mais