ÁGUA DE COCO EM PÓ EM BIOTÉCNICAS DA REPRODUÇÃO DE CAPRINOS. (Powdered coconut water in biotechnologies of reproduction in goats) RESUMO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ÁGUA DE COCO EM PÓ EM BIOTÉCNICAS DA REPRODUÇÃO DE CAPRINOS. (Powdered coconut water in biotechnologies of reproduction in goats) RESUMO"

Transcrição

1 ÁGUA DE COCO EM PÓ EM BIOTÉCNICAS DA REPRODUÇÃO DE CAPRINOS (Powdered coconut water in biotechnologies of reproduction in goats) Cristiane Clemente de Mello SALGUEIRO 1, José Ferreira NUNES 2 1 Universidade Potiguar (UnP) 2 Universidade Estadual do Ceará (UECE) * RESUMO O uso de biotecnologias reprodutivas objetiva a obtenção do melhoramento genético dos animais de interesse econômico. A utilização dessas biotecnologias, como o uso de diluentes seminais associados a processos de preservação por refrigeração ou congelação, seguidos de inseminação artificial, visa aumentar o número de animais disponíveis para seleção, diminuindo o intervalo entre gerações e obtendo-se ganho genético pelo aumento da eficiência reprodutiva de machos e fêmeas caprinas. Dentre os diluentes seminais, estudos vêm sendo realizados com o uso da água de coco in natura desde a década de 80 e, mais recentemente, com a água de coco em pó desde 2002, apresentando resultados satisfatórios quanto à preservação espermática. Palavras-chave: Biotecnologia; Reprodução; Caprinos; Água de coco em pó ABSTRACT The use of reproductive biotechnologies search breeding of animals of economic interest. The use of these biotechnologies, such as the use of sperm extenders associated with the processes of preservation by cooling or freezing, followed by artificial insemination, aimed to increasing the number of animals available for selection, reducing the generation interval and obtaining genetic gain by increasing reproductive performance of bucks and dams. Among the sperm extenders, studies are being conducted with the use of fresh coconut water since the 80 s and, more recently, with 27 a 29 de junho de

2 the powdered coconut water since 2002, with satisfactory results related to sperm preservation. Key words: Biotechnology; Reproduction; Goats; Powdered coconut water INTRODUÇÃO O uso de biotecnologias reprodutivas objetiva a obtenção do melhoramento genético dos animais de interesse econômico, buscando atingir três objetivos fundamentais: o aumento do número de animais disponíveis para a seleção e, por consequência, a diminuição do intervalo de geração, e a obtenção de ganho genético, o que se dá pelo aumento da eficiência reprodutiva de machos e fêmeas (Martins Filho & Martins, 2010). A geração de tecnologias e sua transferência ao setor produtivo ainda não conseguiu modificar o perfil da cadeia produtiva de caprinos no Brasil. A dispersão das tecnologias, assim como da própria cadeia produtiva, e a falta de recursos humanos qualificados em todos os níveis, parece ser o maior problema que enfrentamos. A falta de um modelo produtivo para a região, estratificado para a produção de carne, leite e pele através da utilização de tecnologias aplicadas, junto com a eleição de raças mais adequadas aos propósitos regionais, poderá solucionar o problema. A introdução de normas de manejo tecnificado nos sistemas de produção, assim como um programa de melhoramento genético que vá de encontro às necessidades dos produtores da região, deverá receber toda a prioridade. A criopreservação de sêmen e embriões de animais geneticamente superiores poderá, através do trabalho de controle zootécnico, inseminação artificial (IA) e transferência de embriões, aumentar a produtividade ponderal e numérica dos rebanhos. Para tanto, apresentaremos a seguir algumas das biotécnicas da reprodução que podem ser aplicadas à criação de caprinos. Refrigeração seminal O fundamento da refrigeração do sêmen é prolongar a capacidade de fertilização dos espermatozoides ao reduzir ou deter sua motilidade e suas reações metabólicas. O 27 a 29 de junho de

3 método de conservação por refrigeração consiste em refrigerar o sêmen diluído dos 30 ºC aos 15 ºC ou, com maior frequência, aos 5 ºC. Deve-se evitar a rápida queda de temperatura entre 18 ºC a 5 ºC, pois, nessa faixa de temperatura, os espermatozoides são mais sensíveis ao choque térmico. O choque térmico causa perda irreversível da motilidade, da atividade metabólica e da capacidade de fertilização, o que resulta em alterações na membrana espermática (Maxwell & Evans, 1990). A velocidade de refrigeração do sêmen deve estar entre 0.25 e 0.35 ºC/min até alcançar a temperatura de 5 ºC, mantendo, desta maneira, a motilidade dos espermatozoides em baixos níveis por algumas horas ou dias (Machado & Simplício, 1995). O sêmen caprino diluído em leite e refrigerado a 15 ºC mantém sua viabilidade até 12 horas quando refrigerado a 5 ºC, podendo manter um nível aceitável de fertilidade até 48 horas (Evans & Maxwell, 1987). A refrigeração do sêmen de caprino a 4 ºC utilizando diluentes à base de água de coco tem mostrado bons resultados. Nunes & Silva (1984) demonstraram que o sêmen de caprinos da raça Anglo Nubiana diluído em água de coco e refrigerado a 4 ºC era viável por um período de horas. Nunes & Salgueiro (1999) observaram que o sêmen de animais da raça Saanen diluído em água de coco e refrigerado a 4 ºC manteve-se viável durante 48 horas e com qualidade superior ao sêmen dos mesmos animais refrigerado em diluente à base de leite desnatado. Os testes de determinação da qualidade de movimento e de porcentagem de espermatozoides móveis às 2, 4, 6, 8 e 24 horas de incubação a 15 ºC mostraram valores mais altos nos espermatozoides conservados em diluente à base de água de coco que nos diluídos em leite desnatado (Nunes et al., 1994). Utilizando diluente à base de água de coco e refrigerado a 4 ºC, Oliveira et al. (1996) alcançaram 50% de fertilidade em cabras da raça Saanen e nativas através de IA. A adição de glicerol ao sêmen diluído em água de coco-gema não afeta a cinética dos espermatozoides. Assim, em cabras nativas inseminadas com sêmen refrigerado da raça Saanen, diluído em água de coco-gema-glicerol, obtiveram-se taxas de fertilidade de 41,29% e 54% para o sêmen conservado em refrigeração durante 12 e 24 horas, respectivamente (Figueirêdo et al., 2002). 27 a 29 de junho de

4 Congelação seminal Segundo Hunter (1982), para congelar o sêmen e poder usá-lo posteriormente com bons resultados, é necessário se ter em conta uma série de fatores chave: o diluente e a concentração de células; o agente crioprotetor adequado e sua concentração no meio; o tempo e a temperatura de equilíbrio; a natureza da curva de congelação; a natureza da curva de descongelação; a utilização de um procedimento específico de descongelação; a maneira de se eliminar o agente crioprotetor (diluição ou diálise). De acordo com Hopkins & Evans (1991), a sensibilidade dos espermatozoides às mudanças de temperatura é determinada pela ação protetora do plasma seminal e pela integridade da membrana espermática. Sendo que a última depende ainda da composição básica dos lipídios/proteínas e da proporção colesterol/fosfolipídios presente na mesma. A congelação do sêmen em caprinos têm além dos problemas comuns às outras espécies, como a formação de cristais de gelo e aumento da concentração intra e extracelular de solutos, características ou particularidades na composição de seu plasma seminal, como a presença de fosfolipases produzidas pelas glândulas bulbouretrais (Mateos-Rex & Aguilar, 1996). Quando o sêmen é congelado sem a eliminação do plasma seminal (não-lavado), os ejaculados recém colhidos podem ser diluídos pela adição de um meio que contenha glicerol a 30 C (uma fase), refrigerados em 1-1,5 horas para chegar a 4-5 C e congelados sem tempo de equilíbrio (Ritar et al., 1990). Alternativamente, a diluição do sêmen não-lavado pode ser realizada em duas fases, a primeira depois da colheita (30 ºC) com um diluente que não contenha glicerol, e a segunda depois da refrigeração (4-5 C) com um diluente que contenha glicerol, seguido de um tempo de equilíbrio de 1,5 horas antes da congelação. Qualquer que seja o método utilizado para a congelação, são observadas diferenças entre os indivíduos com relação à congelabilidade e à capacidade fertilizante do sêmen (Corteel et al., 1987). Na atualidade, na congelação de sêmen caprino, são utilizadas palhetas francesas de 0,25 ml ou 0,50 ml. Esta técnica consiste colocar as palhetas com sêmen, durante cinco minutos, a 3 cm de distância dos vapores de nitrogênio líquido (NL) a uma 27 a 29 de junho de

5 temperatura de -60 ºC, submergindo-as na sequência em NL e armazenando-as em botijões de NL (-196 ºC) (Vázquez, 1993). Independentemente do método utilizado, deve-se levar em consideração que a velocidade de congelação deve ser rápida suficiente para prevenir a formação de cristais de gelo intracelulares e lenta suficiente para prevenir a perda de conteúdo intracelular. De acordo com Maxwell & Evans (1990), o sêmen deve ser descongelado tão rápido quanto foi a congelação para permitir uma rápida recuperação espermática. Deve também ser levado em conta que o sêmen congelado se deteriora rapidamente após a descongelação, então a descongelação deve ser realizada próxima ao momento da IA (Hunter, 1982). Além de facilitar o emprego da IA, o sêmen congelado também permite ser armazenamento e transportado entre propriedades e a utilização de bodes em um número maior de fêmeas do que seria obtido em condições naturais de acasalamento (Xavier et al., 2009). Apesar dessas vantagens, ainda existem limitações ao uso de sêmen congelado, bem como dificuldades na sua implementação devido à capacidade fertilizante do sêmen congelado ser menor comparada à obtida com o sêmen fresco (Salamon & Maxwell, 1995). Diluentes seminais Hafez (1995) sugere que um bom diluente deve: proporcionar nutrientes como fonte de energia; proteger os espermatozoides dos efeitos deletérios do frio; proporcionar um meio tampão; manter a pressão osmótica adequada; inibir o crescimento bacteriano; aumentar o volume do ejaculado; e proteger as células espermáticas durante a congelação. Os diluentes diferem em sua composição dependendo da espécie animal, da utilidade que se dará ao sêmen, da temperatura e do tempo no qual o mesmo será conservado diluído (Hopkins & Evans, 1991). A capacidade tamponante de um diluente tem grande importância para o sêmen caprino. Por isso, é necessário manter o ph entre 6.2 e 6.8 (Martín & Alfonso, 1985). Vázquez et al. (1989) consideram que a pressão osmótica dos diluentes de sêmen 27 a 29 de junho de

6 caprino deve estar entre 300 e 330 mosm/kg H 2 O. Para inibir o crescimento de microrganismos no sêmen, é adicionada penicilina, estreptomicina, gentamicina, polimixina B ou outra combinação de antibióticos de amplo espectro para controlar os vários tipos de micróbios encontrados (Hafez, 1995). Normalmente são utilizados dois tipos de diluente, de refrigeração e de congelação. O diluente de refrigeração não contém glicerol já que este, em temperatura ambiente, é muito tóxico para os espermatozoides. O glicerol, assim como o etilenoglicol, são crioprotetores penetrantes que atuam reduzindo os dados celulares, prevenindo os efeitos deletérios do choque térmico (Vishwanath & Sahnnon, 2000). A concentração do glicerol usada por diferentes pesquisadores varia de 3% a 9%, preferencialmente de 4-7% no sêmen diluído. No método de Corteel (1987), o leite desnatado com 14% de glicerol é adicionado a 4 C em três passos, com intervalo de 10 minutos, resultando em uma concentração final de glicerol de 7% e uma concentração espermática de 400 a 500 x 10 6 espermatozoides por ml. No método de Ritar & Salamon (1982) o diluente à base de TRIS com glicerol é adicionado ao sêmen não-lavado em um passo a 30 ºC, sendo a concentração final de glicerol e gema de ovo de 4% e 20%, respectivamente, no sêmen diluído (Evans & Maxwell, 1987). A adição de glicerol a 5 ºC não apresentou vantagens sobre a adição a 30 ºC (Tuli & Holtz, 1994). Diluentes seminais alternativos a água de coco em pó A busca por produtos naturais, exclusivamente de origem vegetal, com baixo risco de transmissão de doenças e capacidade de incrementar a viabilidade espermática levou os pesquisadores a buscarem um diluente alternativo para a criopreservação espermática. Dentre eles, a água de coco tem sido usada desde os anos 80 e 90, principalmente na conservação de células espermáticas. Os primeiros resultados obtidos com a água de coco in natura levaram os pesquisadores a aprofundarem os estudos no sentido de padronizá-la e estabilizá-la na forma de pó (ACP), para que a mesma, em não perdendo suas características físicoquímicas, tivesse seu uso simplificado, podendo representar uma alternativa para a difusão de várias biotecnologias, fato alcançado no início de a 29 de junho de

7 No que diz respeito às inovações biotecnológicas, a água de coco tem sido utilizada em várias biotecnologias relacionadas à reprodução animal. Excelentes resultados têm sido obtidos com o uso da água de coco em estudos de preservação seminal em animais domésticos como caprinos, ovinos, bovinos, bufalinos, suínos, caninos, equinos, coelhos, galos, felídeos, peixes de água doce como tambaqui, carpa, pirapitinga, além de animais silvestres como o macaco-prego. O uso de diluentes pobres em fosfolipídios na biotecnologia de criopreservação do sêmen caprino suprime o processo de lavagem ao qual o sêmen era submetido antes da diluição nos meios convencionais (Machado, 1991). As vantagens incluem não somente o fato de ser um produto natural de origem vegetal, como aumentar a viabilidade a 4 ºC por até 48 horas e a motilidade pósdescongelação, permitindo seu uso em IA por via cervical com taxas que superam as atualmente praticadas. Inseminação artificial Para que a reprodução seja econômica e competitiva, a única forma de aumentar a produtividade é não perder de vista a rentabilidade. Isso requer uma revisão dos conceitos obsoletos e um novo enfoque para programas de desenvolvimento reprodutivo, como a inseminação artificial em tempo fixo (IATF), que está direcionando os esforços dos criadores tanto para ganhos qualitativos (genéticos) como quantitativos (número de crias nascidas). A IA é uma das técnicas mais simples e de baixo custo empregada na área da reprodução animal e a que apresenta o melhor resultado quando se deseja realizar a seleção e o melhoramento genético de um rebanho em seu conjunto. O melhoramento genético é obtido através da utilização do sêmen de reprodutores de comprovado valor zootécnico e de seu uso em rebanhos selecionados através do processo de IA. Apesar de sua simplicidade, a IA requer um controle cuidadoso e rigoroso das distintas etapas, desde a seleção do reprodutor doador de sêmen, passando pelo processamento tecnológico deste, seleção e controle do rebanho, até o treinamento do inseminador. Com a IATF, toda a reprodução fica sobre o controle do produtor. Através desta técnica, as matrizes tratadas são inseminadas em um momento determinado, sem a 27 a 29 de junho de

8 necessidade de se observar os cios. Portanto, o produtor pode inseminar mais matrizes em menos tempo, programar a inseminação e o nascimento das crias, aumentar o número de produtos nascidos de IA no começo da estação de parição e obter um melhor aproveitamento de mão de obra. Resultados da utilização do diluente à base de água de coco em caprinos Os primeiros estudos utilizando a agua de coco como diluente para sêmen caprino foram realizados por Nunes (1986) na cidade de Maceió, Alagoas, de setembro de 1985 a dezembro de Após duas horas de incubação a 37 ºC foi observado que tanto o vigor espermático (VE) como a porcentagem de espermatozoides móveis (PEM) foi maior quando o sêmen foi diluído em uma solução à base de agua de coco que quando foi diluído em leite desnatado (Tab. 1). Tabela 1: Avaliação in vitro a 37 ºC da porcentagem de espermatozoides móveis (PEM) e da motilidade individual progressiva (MIP) do sêmen caprino diluído em água de coco ou leite (Adaptado de Nunes, 1986) Tempo de Incubação (minutos) Água de coco (PEM e MIP) Leite (PEM e MIP) A motilidade individual progressiva dos espermatozoides diluídos em água de coco permanece elevada desde o início da incubação até o final da mesma, duas horas depois, enquanto que no leite-glicose há uma degradação da motilidade de 25%, podendo esta perda comprometer a qualidade do sêmen (Nunes & Salgueiro, 1999). Foram obtidos resultados similares quando se utilizou a água de coco ou leite na 27 a 29 de junho de

9 diluição e refrigeração do sêmen a 4 C (Tab. 2) e em seu uso na inseminação artificial de cabras que tiveram seus estros sincronizados através de hormônios (Tab. 3). Tabela 2: Avaliação in vitro a 37º C da porcentagem de espermatozoides móveis (PEM) e da motilidade individual progressiva (MIP) do sêmen caprino diluído em água de coco ou leite e conservado por 48 horas a 4 ºC (Adaptado de Nunes, 1986) Tempo de Incubação a 4 ºC (horas) Água de coco (PEM e MIP) Leite (PEM e MIP) Tabela 3: Fertilidade de cabras inseminadas com sêmen caprino diluído em água de coco ou leite (Adaptado de Nunes, 1986) Parâmetros Água de coco Leite Fertilidade aos 60 dias (%) 88 (194) 85 (136) Taxa de parição (%) 68 (150) 60 (96) Taxa de prolificidade (%) 180* (266) 110** (105) Proporção de fêmeas (%) 72 (194) 43 (45) Proporção de machos (%) 28 (72) 57 (60) ( ) Número de cabras ou crias; *P < 0,05. Com o uso da inseminação artificial com sêmen caprino diluído em água de coco e refrigerado a 4 ºC foram obtidas taxas de parição acima de 60% (Tab. 4). Alguns dados de inseminação artificial de cabras com o uso de sêmen diluído em água de coco são apresentados nas tabelas 5-7 a seguir. 27 a 29 de junho de

10 Tabela 4: Eficiência reprodutiva de cabras sem padrão racial definido, Saanen e Marota inseminadas artificialmente com sêmen diluído em água de coco e refrigerado a 4 ºC (Adaptado de Nunes, 1986) Parâmetros 1º ano 2º ano 3º ano Fertilidade baseada no não retorno ao estro (%) Taxa de parição (%) Prolificidade Proporção de machos (%) 28 (26) 30 (79) 27 (21) ( ) Número de crias. Tabela 5: Fertilidade e prolificidade de cabras inseminadas com sêmen diluído e congelado em água de coco in natura (ACIN) e TRIS Parâmetro ACIN TRIS Fertilidade (%) 47,69 (65) 40,63 (64) Prolificidade 1.80 [56] 1.77 [46] ( ) número de cabras inseminadas; [ ] número de crias nascidas (Salgueiro, 2003). Tabela 6: Fertilidade de cabras inseminadas com sêmen diluído em água de coco in natura (ACIN) ou em pó (ACP-101) Parâmetro ACIN ACP-101 Taxa de concepção aos 17 dias 63,33 (11) 88,89 (09) ( ) número de cabras inseminadas (Salgueiro et al., 2002). Tabela 7: Fertilidade de cabras inseminadas com sêmen diluído e congelado em água de coco em pó (ACP-101c) Parâmetro Total Prenhez Taxa de fertilidade aos 30 dias (48,64%) Nunes et al. (2010). 27 a 29 de junho de

11 CONSIDERAÇÕES FINAIS Com o conhecimento dos mecanismos fisiológicos da reprodução é possível se realizar um planejamento adequado do manejo reprodutivo do rebanho. Uma vez que as fêmeas de raças tropicais apresentam atividade reprodutiva durante todo o ano, e que os machos produzem uma quantidade extraordinária de espermatozoides durante todo o ano, sugere-se o uso de biotécnicas, como a IA, que objetivem maximizar a eficiência reprodutiva. Obviamente que o êxito do uso dessas ferramentas para o melhoramento genético depende do manejo geral, em particular da nutrição e sanidade do rebanho. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CORTEEL, J. M.; BARIL, G.; LEBOEUF, B. Development and application of artificial insemination with deep frozen semen and out-of season breeding of goats in France. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON GOATS, 4, 1987, Anais... Brasília, 1987, v. 1, p EVANS, G.; MAXWELL, W. M. C. Salamon s Artificial Insemination of Sheep and Goats. London: Butterworth p. FIGUEIRÊDO, E. L.; NUNES, J. F.; MONTEIRO, A. W. U.; PINHEIRO, J. H. T.; CAMPOS, A. C. N.; SANTOS, R. R.; MEDEIROS, C. H. N. Fertilidade de cabras inseminadas artificialmente com sêmen refrigerado a 4 o C e conservado por até 24 horas. Rev. Bras. Reprod. Anim., v. 5, p , HAFEZ, E. S. E. Reprodução Animal. 6 ed. São Paulo: Manole p. HOPKINS, S. M.; EVANS, L. E. In: MCDONALD, L. E. Endocrinología Veterinaria y Reproducción. 4 ed. México: Interamericana HUNTER, R. H. F. Fisiología y tecnología de la reproducción de la hembra de los animales domésticos. Zaragoza: Acribia MACHADO, R. Inseminación artificial con semen congelado en caprinos. Rev. Bras. Reprod. Anim., v. 3, p , MACHADO, R.; SIMPLÍCIO, A. A. Inseminação artificial em caprinos no Brasil: estado atual. Rev. Bras. Reprod. Anim., v. 1, p , MARTÍN, E. M.; ALFONSO, C. G. Fisiopatología de la reproducción con sus bases sinópticas. 1 ed. Zaragoza: Instituto Experimental de Cirugía y Reproducción de la Universidad de Zaragoza a 29 de junho de

12 MARTINS FILHO, R.; MARTINS, J. A. M. Biotecnologias reprodutivas aplicadas ao melhoramento genético animal. In: NUNES, J. F. Biotécnicas reprodutivas aplicadas aos pequenos ruminantes. Fortaleza: Tecnograf, p MATEOS-REX, E.; AGUILLAR, C. G. C. Técnicas de control de la reproducción en ganado caprino. In: Nuevas técnicas de reproducción asistida aplicadas a la producción animal. Colección Estudios. Cuenca: Ed. S. Pub. U. Castilla la Mancha. n. 32, cap. 9, p , MAXWELL, W. M. C.; EVANS, G. Inseminación artificial de ovejas y cabras. Madrid: Acribia NUNES, J. F.; SILVA, A. E. F. D. Tecnologia do sêmen resfriado em caprinos. Rev. Bras. Reprod. Anim., v. 8, n. 2, p , NUNES, J. F. A inseminação artificial como método alternativo para o melhoramento da caprinocultura leiteira. In: SIMPÓSIO DA CAPRINOCULTURA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, 1, 1986, Anais... Niterói-RJ, NUNES, J. F.; COMBARNOUS, Y.; PRISCILA, L. Utilisation d une substance ativa JYP presents dans l eau de coco pour la conservation in vitro et la fertilité dês spermatozoides de mammifers. S.I.: Sn NUNES, J. F.; SALGUEIRO, C. C. M. Utilização da água de coco como diluente do sêmen de caprinos e ovinos. Rev. Cient. Prod. Anim., v. 1, n. 1, p , OLIVEIRA, L.F.; AZEVEDO JÚNIOR, A. R.; TEIXEIRA, M. D. A.; ARAÚJO, A. A.; NUNES, J. F. Desempenho reprodutivo de cabras exóticas e SRD sincronizadas e inseminadas com sêmen refrigerado e diluído em água de coco. In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 35, 1996, Anais... Fortaleza, RITAR, A. J.; SALAMON, S. Effects of seminal plasma and of its removal and of egg yolk in the diluent and the survival of fresh and frozen spermatozoa of Angora goat. Aust. Jour. Biol. Sci., v. 35, p , RITAR, A. J.; BALL, P. D.; O MAY, P. J. Examination of methods for the deep freezing of goat semen. Reprod. Fertil. Dev., v. 2, p , SALAMON, S.; MAXWELL, W. M. C. Frozen storage of ram semen I. Processing, freezing, thawing and fertility after cervical insemination. Anim. Reprod. Sci., v. 37, p , a 29 de junho de

13 TULI, R. K.; HOLTZ, W. Effect of glycerolization procedure and removal of seminal plasma on post-thaw survival and got-release from Boer goat spermatozoa. Theriogenology, v. 42, p , VÁZQUEZ, I.; CALDERÓN, F.; CASTILLO, M. Influencia de la presión osmótica de los diluyentes en la conservación del esperma refrigerado de morueco. In: JORNADAS INTERNACIONALES DE REPRODUCCIÓN ANIMAL, 4, 1989, Anais León, Espanha, VÁZQUEZ, I. Características morfológicas del semen. In: CURSO INTERNACIONAL DE REPRODUCCIÓN ANIMAL, 16, 1993, Anais Madrid, Espanha: CIT/INIA. VISHWANATH, R.; SAHNNON, P. Storage of bovine semen liquid and frozen state. Anim. Reprod. Sci., v. 62, p , XAVIER, M. N.; MOUSTACAS, V. S.; CARVALHO JÚNIOR, C. A. Avaliação de diferentes antibióticos na inibição do crescimento de Brucella ovis em sêmen ovino congelado. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE REPRODUÇÃO ANIMAL, 18, 2009, Anais... Belo Horizonte: CBRA. 27 a 29 de junho de

Criopreservação de Embriões

Criopreservação de Embriões UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ FACULDADE DE VETERINÁRIA BIOTECNOLOGIA DA REPRODUÇÃO ANIMAL Criopreservação de Embriões Vicente José de F. Freitas Laboratório de Fisiologia e Controle da Reprodução www.uece.br/lfcr

Leia mais

Processamento e preservação de sêmen de peixes nativos

Processamento e preservação de sêmen de peixes nativos Processamento e preservação de sêmen de peixes nativos Paulo César Falanghe Carneiro Embrapa Aracaju - SE Introdução Blaxter 1950: Arenque com reprodução em épocas diferentes Uso do gelo seco Conhecimento

Leia mais

MELHORAMENTO GENÉTICO E CRUZAMENTOS DE OVINOS

MELHORAMENTO GENÉTICO E CRUZAMENTOS DE OVINOS UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE ZOOTECNIA OVINOCULTURA MELHORAMENTO GENÉTICO E CRUZAMENTOS DE OVINOS André Gustavo Leão Dourados - MS, 09 de outubro de 2013

Leia mais

ABS NEO. Genética Matinha. O futuro que começou há 40 anos inova mais uma vez.

ABS NEO. Genética Matinha. O futuro que começou há 40 anos inova mais uma vez. P R O N T O P A R A Q U E M Q U E R M A I S ABS NEO Genética Matinha O futuro que começou há 40 anos inova mais uma vez. P R O N T O P A R A Q U E M Q U E R M A I S CONHEÇA O ABS NEO Já são 75 anos conquistando

Leia mais

Tatiane Guedes Bueno*, Laiza Sartori de Camargo, Karym Christine de Freitas Cardoso, Anelise Ribeiro Peres, Fabiana Ferreira de Souza

Tatiane Guedes Bueno*, Laiza Sartori de Camargo, Karym Christine de Freitas Cardoso, Anelise Ribeiro Peres, Fabiana Ferreira de Souza AVALIAÇÃO DA ESTERILIZAÇÃO APÓS A OCLUSÃO DOS VASOS SANGUÍNEOS OVARIANOS DE COELHAS UTILIZANDO ELÁSTICO DE AFASTAR OS DENTES OU ABRAÇADEIRAS DE NÁILON Tatiane Guedes Bueno*, Laiza Sartori de Camargo, Karym

Leia mais

Colheita e Avaliação Seminal

Colheita e Avaliação Seminal UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ FACULDADE DE VETERINÁRIA BIOTECNOLOGIA DA REPRODUÇÃO ANIMAL Colheita e Avaliação Seminal Vicente José de F. Freitas Laboratório de Fisiologia e Controle da Reprodução www.uece.br/lfcr

Leia mais

(c) Muco (d) Vulva inchada (e) Olhar languido 7. Qual das alternativas abaixo não é considerada uma vantagem da inseminação artificial em relação a mo

(c) Muco (d) Vulva inchada (e) Olhar languido 7. Qual das alternativas abaixo não é considerada uma vantagem da inseminação artificial em relação a mo 1. A fertilização é o evento que decorre a partir do encontro dos gametas masculino e feminino. No trato reprodutivo da fêmea bovina em qual local ocorre a fertilização? (a) Útero (b) Tuba uterina (c)

Leia mais

ÁGUA DE COCO ESTABILIZADA SUPLEMENTADA COM ANTIBIÓTICOS E ÁCIDO 3-INDOL ACÉTICO NA CONSERVAÇÃO DE SÊMEN DE CAPRINOS MAROTA

ÁGUA DE COCO ESTABILIZADA SUPLEMENTADA COM ANTIBIÓTICOS E ÁCIDO 3-INDOL ACÉTICO NA CONSERVAÇÃO DE SÊMEN DE CAPRINOS MAROTA Ciência Animal 1999, 9(1):37-42 ÁGUA DE COCO ESTABILIZADA SUPLEMENTADA COM ANTIBIÓTICOS E ÁCIDO 3-INDOL ACÉTICO NA CONSERVAÇÃO DE SÊMEN DE CAPRINOS MAROTA (Estabilized coconut water added of antibiotics

Leia mais

Efeito de dois diferentes protocolos para congelação lenta de embriões bovinos produzidos in vitro na região da Amazônia Legal

Efeito de dois diferentes protocolos para congelação lenta de embriões bovinos produzidos in vitro na região da Amazônia Legal Efeito de dois diferentes protocolos para congelação lenta de embriões bovinos produzidos in vitro na região da Amazônia Legal Karina Almeida Maciel 1 ; Márcio Gianordoli Teixeira Gomes 2 ; Francisca Elda

Leia mais

09 a 11 de setembro de 2015, Campus da UFRPE Dois Irmãos, Recife

09 a 11 de setembro de 2015, Campus da UFRPE Dois Irmãos, Recife 09 a 11 de setembro de 2015, Campus da UFRPE Dois Irmãos, Recife TECNOLOGIA DE SÊMEN E INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM CAPRINOS E OVINOS Semen processing and artificial insemination in goats and sheep Marciane

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA FACULDADE DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA FACULDADE DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA FACULDADE DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS BÁRBARA MARA BANDEIRA SANTOS CRIOPRESERVAÇÃO DE SÊMEN

Leia mais

SORGO - UMA BOA ALTERNATIVA PARA REDUÇÃO DOS CUSTOS DE ALIMENTAÇÃO

SORGO - UMA BOA ALTERNATIVA PARA REDUÇÃO DOS CUSTOS DE ALIMENTAÇÃO Data: Junho/2001 SORGO - UMA BOA ALTERNATIVA PARA REDUÇÃO DOS CUSTOS DE ALIMENTAÇÃO Estamos iniciando a colheita de uma safra de Sorgo, que segundo estimativas deve girar ao redor de 1,350 a 1,500 milhões

Leia mais

CARACTERÍSTICAS SEMINAIS E PERÍMETRO ESCROTAL DE TOUROS NELORE E TABAPUÃ CRIADOS NA REGIÃO NORTE DO PARANÁ

CARACTERÍSTICAS SEMINAIS E PERÍMETRO ESCROTAL DE TOUROS NELORE E TABAPUÃ CRIADOS NA REGIÃO NORTE DO PARANÁ 1 CARACTERÍSTICAS SEMINAIS E PERÍMETRO ESCROTAL DE TOUROS NELORE E TABAPUÃ CRIADOS NA REGIÃO NORTE DO PARANÁ DENIS MARQUES ROSSI 1, FLÁVIO GUISELLI LOPES 2, FILIPE ALEXANDRE BOSCARO DE CASTRO 3, BRUNO

Leia mais

Fertilidade após a inseminação artificial intracervical ou laparoscópica intra-uterina de ovelhas utilizando diluidores à base de água de coco

Fertilidade após a inseminação artificial intracervical ou laparoscópica intra-uterina de ovelhas utilizando diluidores à base de água de coco 43 Fertilidade após a inseminação artificial intracervical ou laparoscópica intra-uterina de ovelhas utilizando diluidores à base de água de coco Vanessa Porto MACHADO 1 José Ferreira NUNES 1 Airton Alencar

Leia mais

Bom dia... Manejo e Aleitamento Artificial de Cabritos. Programa. Mas tem mais... Importância do aleitamento Objetivos

Bom dia... Manejo e Aleitamento Artificial de Cabritos. Programa. Mas tem mais... Importância do aleitamento Objetivos Bom dia... Manejo e Aleitamento Artificial de Cabritos * * * Prof. Dr. Silvio Doria de Almeida Ribeiro Profa. Dra. Anamaria Cândido Ribeiro 1/39 Programa Introdução Introdução Cuidados com o recém- nascido

Leia mais

Revista Agrarian ISSN:

Revista Agrarian ISSN: Diluentes para sêmen de carneiros nativos de Mato Grosso do Sul Extenders for native ram semen in Mato Grosso do Sul Antonio Carlos Duenhas Monreal 1,Ricardo Freitas Schmid 1, José Geraldo Souza de Paula

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA FACULDADE DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA FACULDADE DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA FACULDADE DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS EMMANUELLE LIMA DE FIGUEIRÊDO AVALIAÇÃO IN VITRO E IN

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Bovinocultura de Corte e Leite Código: VET244 Curso: Medicina Veterinária Semestre de oferta: 7 p Faculdade responsável: Medicina Veterinária Programa em vigência a partir

Leia mais

Banco Português de Germoplasma Animal e Tecnologias da Reprodução

Banco Português de Germoplasma Animal e Tecnologias da Reprodução Banco Português de Germoplasma Animal e Tecnologias da Reprodução AEM Horta Investigador Coordenador Unidade de Recursos Genéticos Reprodução e Melhoramento Animal Instituto Nacional de Recursos Biológicos

Leia mais

CONGELAÇÃO DE SÊMEN CANINO COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE GEMA DE OVO E GLICEROL EM DILUIDORES À BASE DE TRIS E ÁGUA DE COCO

CONGELAÇÃO DE SÊMEN CANINO COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE GEMA DE OVO E GLICEROL EM DILUIDORES À BASE DE TRIS E ÁGUA DE COCO Ciência Rural, Santa Maria, v.30, n.6, p.1021-1025, 2000 ISSN 0103-8478 1021 CONGELAÇÃO DE SÊMEN CANINO COM DIFERENTES CONCENTRAÇÕES DE GEMA DE OVO E GLICEROL EM DILUIDORES À BASE DE TRIS E ÁGUA DE COCO

Leia mais

Categorização de estado de risco de uma população

Categorização de estado de risco de uma população INCT: Informação Genético-Sanitária da Pecuária Brasileira SÉRIE TÉCNICA: GENÉTICA Publicado on-line em www.animal.unb.br em 07/01/2011 Categorização de estado de risco de uma população Concepta McManus

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ RODRIGO V

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ RODRIGO V UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ RODRIGO V ii Rodrigo Vasconcelos de Oliveira Efeito de meios de re-diluição pós-descongelação sobre a cinética e morfologia de espermatozóides caprinos congelados em meio

Leia mais

A Raça Girolando. Desenvolvimento, Oportunidades e Expectativas. Leandro de Carvalho Paiva Superintendente Técnico

A Raça Girolando. Desenvolvimento, Oportunidades e Expectativas. Leandro de Carvalho Paiva Superintendente Técnico A Raça Girolando Desenvolvimento, Oportunidades e Expectativas Leandro de Carvalho Paiva Superintendente Técnico O Início de Tudo! PROCRUZA 1978 a 1988 Uberaba, décadas de 1970 e 1980 ORIGEM DO PROGRAMA

Leia mais

TECNOLOGIAS TRADICIONAIS DE INDUSTRIALIZAÇÃO DO PESCADO

TECNOLOGIAS TRADICIONAIS DE INDUSTRIALIZAÇÃO DO PESCADO INDUSTRIALIZAÇÃO DO PESCADO TECNOLOGIAS TRADICIONAIS DE INDUSTRIALIZAÇÃO DO PESCADO O valor agregado em produtos de pescado não deve necessariamente estar vinculado à elaboração de produtos sofisticados

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA CAMPUS: São Mateus CURSO: Agronomia DEPARTAMENTO RESPONSÁVEL: Ciências Agrárias e Biológicas-DCAB PROFESSOR RESPONSÁVEL: Thasia Martins Macedo CÓDIGO DISCIPLINA OU ESTÁGIO PERIODIZAÇÃO

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2017/1 Mestrado Nutrição e Produção Animal Campus Rio Pomba ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA. Leia, com atenção, antes de começar!

PROCESSO SELETIVO 2017/1 Mestrado Nutrição e Produção Animal Campus Rio Pomba ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA. Leia, com atenção, antes de começar! ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA Leia, com atenção, antes de começar! 1. Este Caderno de Prova contém 10 (dez) questões: 5 (cinco) questões: Linha de Pesquisa 1. Nutrição e Produção de Bovinos; 5 (cinco) questões:

Leia mais

Profa. Angélica Pinho Zootecnista. Fones: Profa. Gladis Ferreira Corrêa

Profa. Angélica Pinho Zootecnista. Fones: Profa. Gladis Ferreira Corrêa Profa. Angélica Pinho Zootecnista Fones: 3243-7300 Email: angelicapinho@unipampa.edu.br Profa. Gladis Ferreira Corrêa Unidade 1. Introdução à tecnologia de alimentos: conceitos fundamentais, definições

Leia mais

862 OLIVEIRA, R. V. de et al.

862 OLIVEIRA, R. V. de et al. 862 OLIVEIRA, R. V. de et al. AVALIAÇÃO MORFOLÓGICA DE ESPERMATOZOIDES CAPRINOS DILUÍDOS E CONGELADOS EM MEIO À BASE DE ÁGUA DE COCO EM PÓ (ACP-101) OU TRIS, CORADOS POR EOSINA-NIGROSINA E AZUL DE BROMOFENOL*

Leia mais

Isolamento, Seleção e Cultivo de Bactérias Produtoras de Enzimas para Aplicação na Produção mais Limpa de Couros

Isolamento, Seleção e Cultivo de Bactérias Produtoras de Enzimas para Aplicação na Produção mais Limpa de Couros Universidade Federal do Rio Grande do Sul Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química Departamento de Engenharia Química Laboratório de Estudos em Couro e Meio Ambiente Isolamento, Seleção e Cultivo

Leia mais

Aspectos econômicos da aplicação de técnicas reprodutivas: MN, IA e IATF. Thaís Basso Amaral Fernando Paim Costa

Aspectos econômicos da aplicação de técnicas reprodutivas: MN, IA e IATF. Thaís Basso Amaral Fernando Paim Costa Aspectos econômicos da aplicação de técnicas reprodutivas: MN, IA e IATF Thaís Basso Amaral Fernando Paim Costa INTRODUÇÃO Questionamentos ligados à reprodução: O que é O que é mais economicamente viável,

Leia mais

Valor das vendas dos principais produtos Agropecuários em 2008

Valor das vendas dos principais produtos Agropecuários em 2008 MANEJO E EVOLUÇÃO DE REBANHO DE BOVINOS DE CORTE Prof. Dr. Cássio C. Brauner Prof. Dr. Marcelo A. Pimentel Departamento de Zootecnia FAEM -UFPel Valor das vendas dos principais produtos Agropecuários em

Leia mais

CARACTERÍSTICAS SEMINAIS DE CAPRINOS SADIOS E INFECTADOS PELO LENTIVÍRUS DE PEQUENOS RUMINANTES EM SOBRAL-CE

CARACTERÍSTICAS SEMINAIS DE CAPRINOS SADIOS E INFECTADOS PELO LENTIVÍRUS DE PEQUENOS RUMINANTES EM SOBRAL-CE CARACTERÍSTICAS SEMINAIS DE CAPRINOS SADIOS E INFECTADOS PELO LENTIVÍRUS DE PEQUENOS RUMINANTES EM SOBRAL-CE Elizângela Pinheiro Pereira 1 ; Rosivaldo Quirino Bezerra Junior 2 ; João Ricardo Furtado 3

Leia mais

Célula Espermática: Projeto e desenvolvimento de objetos educacionais

Célula Espermática: Projeto e desenvolvimento de objetos educacionais Célula Espermática: Projeto e desenvolvimento de objetos educacionais Eneder Rosana Oberst - Faculdade de Veterinária Liane Margarida Rockenbach Tarouco - Pós-graduação em Informática da Educação Mary

Leia mais

26 a 29 de novembro de 2013 Campus de Palmas

26 a 29 de novembro de 2013 Campus de Palmas AVALIAÇÃO DE ESTRUTURAS EMBRIONÁRIAS DE BOVINOS PÓS VITRIFICAÇÃO NA REGIÃO NORTE DO TOCANTINS Karina Almeida Maciel 1 ; Márcio Gianordoli Teixeira Gomes 2 ; Francisca Elda Ferreira Dias 3, 1 Aluno do Curso

Leia mais

EFEITO DA FRAÇÃO DO EJACULADO E DO MÉTODO DE CONSERVAÇÃO SOBRE AS CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DO SÊMEN SUÍNO E A FERTILIDADE DE FÊMEAS

EFEITO DA FRAÇÃO DO EJACULADO E DO MÉTODO DE CONSERVAÇÃO SOBRE AS CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DO SÊMEN SUÍNO E A FERTILIDADE DE FÊMEAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE VETERINÁRIA Colegiado dos Cursos de Pós-Graduação EFEITO DA FRAÇÃO DO EJACULADO E DO MÉTODO DE CONSERVAÇÃO SOBRE AS CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DO SÊMEN SUÍNO

Leia mais

ISSN Acta Veterinaria Brasilica, v.7, n.4, p , 2013

ISSN Acta Veterinaria Brasilica, v.7, n.4, p , 2013 TESTE DE LIGAÇÃO DO ESPERMATOZOIDE À MEMBRANA PERIVITELINA DA GEMA DE OVO APÓS ADIÇÃO DE RINGER LACTATO, CITRATO DE SÓDIO 2,92 % E SOLUÇÃO TRIS NO SÊMEN CAPRINO DESCONGELADO [Sperm-perivitelline membrane

Leia mais

ASPECTOS PECULIARES DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM OVINOS

ASPECTOS PECULIARES DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM OVINOS ASPECTOS PECULIARES DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM OVINOS Bicudo, S.D.*; Azevedo, H.C.; Silva Maia, M.S.; Sousa, D.B.; Rodello, L. DRARV - FMVZ UNESP Botucatu - *sony@fmvz.unesp.br Características reprodutivas

Leia mais

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM PEQUENOS RUMINANTES NA REGIÃO NOROESTE DO PARANÁ, BRASIL

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM PEQUENOS RUMINANTES NA REGIÃO NOROESTE DO PARANÁ, BRASIL ISBN 978-85-61091-05-7 V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM PEQUENOS RUMINANTES NA REGIÃO NOROESTE DO PARANÁ, BRASIL Caroline

Leia mais

OVINOPLUS PROGRAMA DE AVALIAÇÃO GENÉTICA DE OVINOS DE CORTE

OVINOPLUS PROGRAMA DE AVALIAÇÃO GENÉTICA DE OVINOS DE CORTE OVINOPLUS PROGRAMA DE AVALIAÇÃO GENÉTICA DE OVINOS DE CORTE O Ovinoplus é o programa idealizado pela Alta Genetics para avaliação de ovinos baseada nos principais pontos geradores de resultados econômicos

Leia mais

Decifrando os catálogos de sêmen

Decifrando os catálogos de sêmen Decifrando os catálogos de sêmen Anamaria Cândido Ribeiro Silvio Doria de Almeida Ribeiro Engenheiro Agrônomo, Mestre e Doutorando em Zootecnia; Capritec Planejamento, Consultoria e Assistência Técnica

Leia mais

ZOOTECNIA. COORDENADOR Edenio Detmann

ZOOTECNIA. COORDENADOR Edenio Detmann ZOOTECNIA COORDENADOR Edenio Detmann detmann@ufv.br 96 Currículos dos Cursos do CCA UFV Currículo do Curso de Zootecnia Zootecnista ATUAÇÃO O Zootecnista é um profissional com sólida base de conhecimentos

Leia mais

FiberMax. Mais que um detalhe: uma genética de fibra.

FiberMax. Mais que um detalhe: uma genética de fibra. FiberMax. Mais que um detalhe: uma genética de fibra. Requisitos para o cultivo de algodoeiro GlyTol LibertyLink, além de boas práticas de manejo integrado de plantas daninhas. Cap 1: Descrição do Produto

Leia mais

Efeitos da homeopatia combinado com diluente a base de leite de cabra na criopreservação de sêmen de ovinos

Efeitos da homeopatia combinado com diluente a base de leite de cabra na criopreservação de sêmen de ovinos ARTIGO ORIGINAL Recebido - 23/09/2015 Aceito - 20/11/2015 Efeitos da homeopatia combinado com diluente a base de leite de cabra na criopreservação de sêmen de ovinos Effects of homeopathy combined with

Leia mais

RAÇAS CAPRINAS E CRUZAMENTOS PARA O NORDESTE DO BRASIL

RAÇAS CAPRINAS E CRUZAMENTOS PARA O NORDESTE DO BRASIL RAÇAS CAPRINAS E CRUZAMENTOS PARA O NORDESTE DO BRASIL Airton Alencar de Araújo 1 Maria Gorete Flores Salles 2 Priscila Teixeira de Souza 3 David Ramos da Rocha 4 Erica Araújo 5 1 Universidade Estadual

Leia mais

Projeto Estruturante de Pirarucu da Amazônia. Martin Halverson

Projeto Estruturante de Pirarucu da Amazônia. Martin Halverson Projeto Estruturante de Pirarucu da Amazônia Martin Halverson 67-9996-8739 mmhalver@terra.com.br Realidade da Industria do Paiche Hoy Industria pouca Consolidada- Precisa se Organizar Custo Elevada de

Leia mais

Criopreservação de sêmen canino com um diluidor à base de água de coco na forma

Criopreservação de sêmen canino com um diluidor à base de água de coco na forma Criopreservação de sêmen canino com um diluidor à base de água de coco na forma... 1209 CRIOPRESERVAÇÃO DE SÊMEN CANINO COM UM DILUIDOR À BASE DE ÁGUA DE COCO NA FORMA DE PÓ (ACP-106 ): EFEITO DA TEMPERATURA

Leia mais

Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro

Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro Importância Reprodutiva em Gado de Leiteiro Prof. Me.: Whelerson Luiz Vitro vitro@fea.br Disciplina de Bovinocultura FEA Andradina 2015 Introdução O desempenho adequado de qualquer sistema de produção

Leia mais

FRAÇÃO ATIVA DA ÁGUA DE COCO: CONSERVAÇÃO E FERTILIDADE DO SÊMEN DE SUÍNO RESUMO

FRAÇÃO ATIVA DA ÁGUA DE COCO: CONSERVAÇÃO E FERTILIDADE DO SÊMEN DE SUÍNO RESUMO Ciência Animal, 17(2):91-100,2007 FRAÇÃO ATIVA DA ÁGUA DE COCO: CONSERVAÇÃO E FERTILIDADE DO SÊMEN DE SUÍNO (Active fraction of coconut water: conservation and fertility of the swine semen) Ricardo TONIOLLI

Leia mais

CURRÍCULOS E PRÉ-REQUISITOS. Currículo: BACHARELADO ZOOTECNIA Código Disciplina Optativa C.H. Total Nº Créditos

CURRÍCULOS E PRÉ-REQUISITOS. Currículo: BACHARELADO ZOOTECNIA Código Disciplina Optativa C.H. Total Nº Créditos 1º PERÍODO 1511 ANATOMIA ANIMAL Não 80 4 52 BIOLOGIA CELULAR E MOLECULAR Não 80 4 50 CIÊNCIAS DO AMBIENTE E ECOLOGIA Não 80 4 55 INFORMÁTICA BÁSICA Não 40 2 1509 INTRODUÇÃO A ZOOTECNIA E DEONTOLOGIA Não

Leia mais

Jean Berg Alves da Silva HIGIENE ANIMAL. Jean Berg Alves da Silva. Cronograma Referências Bibliográficas 09/03/2012

Jean Berg Alves da Silva HIGIENE ANIMAL. Jean Berg Alves da Silva. Cronograma Referências Bibliográficas 09/03/2012 Jean Berg Alves da Silva Médico Veterinário UFERSA (2001) Dr. Ciências Veterinárias UECE (2006) Professor do Departamentos de Ciências Animais da UFERSA HIGIENE ANIMAL Jean Berg Jean Berg Alves da Silva

Leia mais

AVALIAÇÃO DA NECESSIDADE DO TEMPO DE EQUILÍBRIO NO CONGELAMENTO DE SÊMEN CAPRINO

AVALIAÇÃO DA NECESSIDADE DO TEMPO DE EQUILÍBRIO NO CONGELAMENTO DE SÊMEN CAPRINO AVALIAÇÃO DA NECESSIDADE DO TEMPO DE EQUILÍBRIO NO CONGELAMENTO DE SÊMEN CAPRINO Paula Letícia Nemes Schawb Gomes¹; Leandro Cavalcante Lipinski²; Raimundo Jorge Teles de Araújo Pereira³ ¹ Acadêmica do

Leia mais

TERMORREGULAÇÃO TESTICULAR EM BOVINOS

TERMORREGULAÇÃO TESTICULAR EM BOVINOS Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Medicina Veterinária TERMORREGULAÇÃO TESTICULAR EM BOVINOS Mara Regina Bueno de M. Nascimento Mara Regina Bueno de M. Nascimento Profa. Adjunto III Jul./

Leia mais

MANU Manual de Urologia

MANU Manual de Urologia MANU Manual de Urologia Manual de Urologia CAPÍTULO 2 Introdução O espermograma ou análise seminal é o exame complementar inicial na avaliação do homem infértil. O sêmen deve ser coletado por masturbação,

Leia mais

POLPA DE FRUTA NÉCTAR SUCO

POLPA DE FRUTA NÉCTAR SUCO ZEA 0666 / 2012 Tecnologia de Produtos Vegetais POLPA DE FRUTA NÉCTAR SUCO Padrões de Identidade e Tecnologias de Processamento POLPA DE FRUTA PURÊ Produto obtido pelo esmagamento da parte comestível de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA ANIMAL VIII CONGRESSO NORTE E NORDESTE DE REPRODUÇÃO ANIMAL REPRODUÇÃO ANIMAL E O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Leia mais

20 de outubro - terça-feira

20 de outubro - terça-feira Programação da Semana do Conhecimento de 2015 Escola de 20 de outubro - terça-feira Palestra: Sanidade de aves silvestres Convidado: Prof. Nelson Rodrigo da Silva Martins Local: Sala B102 da Escola de

Leia mais

Edital Nº 15 de 12 de fevereiro de 2014, publicado no Diário Oficial da União de 18/02/2014.

Edital Nº 15 de 12 de fevereiro de 2014, publicado no Diário Oficial da União de 18/02/2014. Edital Nº 15 de 12 de fevereiro de 2014, publicado no Diário Oficial da União de 18/02/2014. Área: Reprodução Animal (Cód. CNPq 5.05.04.00-2), Clínica e Semiologia Veterinária Titulação Exigida: Graduação

Leia mais

ESTAÇÃO DE MONTA: POR QUE INVESTIR? EDSON RAMOS DE SIQUEIRA FMVZ / UNESP Botucatu- SP

ESTAÇÃO DE MONTA: POR QUE INVESTIR? EDSON RAMOS DE SIQUEIRA FMVZ / UNESP Botucatu- SP ESTAÇÃO DE MONTA: POR QUE INVESTIR? EDSON RAMOS DE SIQUEIRA FMVZ / UNESP Botucatu- SP OBTENÇÃO DE ALTOS ÍNDICES REPRODUTIVOS (OWEN, 1988) PRECOCIDADE LONGEVIDADE REPRODUTIVA INTERVALO ENTRE PARTOS PROLIFICIDADE

Leia mais

Inseminação Artificial com sêmen fresco e sua Aplicabilidade como Biotecnologia da Reprodução na Espécie Ovina

Inseminação Artificial com sêmen fresco e sua Aplicabilidade como Biotecnologia da Reprodução na Espécie Ovina 1 RENAN DENADAI Inseminação Artificial com sêmen fresco e sua Aplicabilidade como Biotecnologia da Reprodução na Espécie Ovina Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação apresentado à Faculdade de Medicina

Leia mais

EFEITO INDIVIDUAL DE FERTILIDADE DE TOUROS DA RAÇA HOLANDESA

EFEITO INDIVIDUAL DE FERTILIDADE DE TOUROS DA RAÇA HOLANDESA EFEITO INDIVIDUAL DE FERTILIDADE DE TOUROS DA RAÇA HOLANDESA ZANATTA, Guilherme Machado 1 ; SCHEEREN, Verônica Flores da Cunha 2 ; ARAUJO, Laurence Boligon de 3; PESSOA, Gilson Antônio 4 ; RUBIN, Mara

Leia mais

Portfólio de Produtos Lácteos

Portfólio de Produtos Lácteos Caprinos e Ovinos Apoio: Portfólio de Produtos Lácteos Realização: Embrapa Caprinos e Ovinos Fazenda Três Lagoas, Estrada Sobral/Groaíras, km 04 Caixa Postal 145 CEP: 62010-970 Sobral-CE Telefone (88)

Leia mais

Estudo da produção de leite de caprinos da raça Saanen do IFMG Campus Bambuí

Estudo da produção de leite de caprinos da raça Saanen do IFMG Campus Bambuí Estudo da produção de leite de caprinos da raça Saanen do IFMG Campus Bambuí Larisse PEREIRA 1,2, ; André DuarteVIEIRA 1,3 ; Vanessa Daniella ASSIS 2 ; André Luís da Costa PAIVA 4 ; Rafael Bastos TEIXEIRA

Leia mais

NEWS BRASIL SEM FRONTEIRAS ABC & ANO IV N o 04 R$ 19,50

NEWS BRASIL SEM FRONTEIRAS ABC & ANO IV N o 04 R$ 19,50 ASSOCIAÇÃO 1 DORPER BRASIL SEM FRONTEIRAS NEWS ANO IV N o 04 R$ 19,50 9 771414 620009 0 2 ORGÃO OFICIAL DA ASSOCIAÇÃO ABC & DORPER B R A S I L BRASILEIRA DOS CRIADORES DE DORPER BIOTECNOLOGIAS REPRODUTIVAS

Leia mais

COMO CALCULAR A PROPORÇÃO TOURO:VACA NA ESTAÇÃO DE MONTA DE BOVINOS DE CORTE

COMO CALCULAR A PROPORÇÃO TOURO:VACA NA ESTAÇÃO DE MONTA DE BOVINOS DE CORTE COMO CALCULAR A PROPORÇÃO TOURO:VACA NA ESTAÇÃO DE MONTA DE BOVINOS DE CORTE Rogério Taveira Barbosa 1 1 - Méd. Veterinário, Dr., Pesquisador da Embrapa Pecuária Sudeste, São Carlos, SP PANORAMA DO REBANHO

Leia mais

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO: UMA BIOTECNOLOGIA A SERVIÇO DO EMPRESÁRIO RURAL

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO: UMA BIOTECNOLOGIA A SERVIÇO DO EMPRESÁRIO RURAL INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO: UMA BIOTECNOLOGIA A SERVIÇO DO EMPRESÁRIO RURAL Daniel Cardoso PqC do Pólo Regional do Noroeste Paulista/APTA danielcardoso@apta.sp.gov.br 1. Introdução O Brasil possui

Leia mais

DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A PESQUISA E USO DE LEGUMINOSAS EM PASTAGENS TROPICAIS: UMA REFLEXÃO. Sila Carneiro da Silva 1

DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A PESQUISA E USO DE LEGUMINOSAS EM PASTAGENS TROPICAIS: UMA REFLEXÃO. Sila Carneiro da Silva 1 DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A PESQUISA E USO DE LEGUMINOSAS EM PASTAGENS TROPICAIS: UMA REFLEXÃO Sila Carneiro da Silva 1 O interesse pela produção animal em pastagens tem crescido bastante nos últimos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE SAÚDE E TECNOLOGIA RURAL CAMPUS DE PATOS-PB CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA MONOGRAFIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE SAÚDE E TECNOLOGIA RURAL CAMPUS DE PATOS-PB CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA MONOGRAFIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE SAÚDE E TECNOLOGIA RURAL CAMPUS DE PATOS-PB CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA MONOGRAFIA AVALIAÇÃO DE SÊMEN OVINO REFRIGERADO DILUIDO EM ÁGUA DE COCO EM PÓ.

Leia mais

PRINCIPAIS AVANÇOS NA PRODUÇÃO DO PIRARUCU:

PRINCIPAIS AVANÇOS NA PRODUÇÃO DO PIRARUCU: PRINCIPAIS AVANÇOS NA PRODUÇÃO DO PIRARUCU: OPORTUNIDADES, DESAFIOS E PERSPECTIVAS MARTIN HALVERSON DIRETOR TECNOLÓGICO: PROJETO PACU AQUICULTURA TEMAS GERAIS Estado da Tecnologia Oportunidades Problemas

Leia mais

JÚLIO CÉSAR OLIVEIRA DIAS ADIÇÃO DE RINGER LACTATO, CITRATO DE SÓDIO 2,92 % E SOLUÇÃO TRIS EM SÊMEN CAPRINO DESCONGELADO

JÚLIO CÉSAR OLIVEIRA DIAS ADIÇÃO DE RINGER LACTATO, CITRATO DE SÓDIO 2,92 % E SOLUÇÃO TRIS EM SÊMEN CAPRINO DESCONGELADO JÚLIO CÉSAR OLIVEIRA DIAS ADIÇÃO DE RINGER LACTATO, CITRATO DE SÓDIO 2,92 % E SOLUÇÃO TRIS EM SÊMEN CAPRINO DESCONGELADO Dissertação apresentada à Universidade Federal de Viçosa, como parte das exigências

Leia mais

Uma nave fechada para a reprodução. Reportagem da granjas

Uma nave fechada para a reprodução. Reportagem da granjas Reportagem da granjas 2013 Uma nave fechada para a reprodução Em Rio Seco da Tapia, Leon, encontrar a Seravi um exemplo de granja de reprodução da ultima generação. 1 Em Rio Seco da Tapia, Leon, encontrar

Leia mais

VITRIFICAÇÃO DE SÊMEN SUÍNO

VITRIFICAÇÃO DE SÊMEN SUÍNO I Mostra de Iniciação Científica I MIC 30/09 e 01/10 de 2011 Instituto Federal Catarinense Campus Concórdia Concórdia SC INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CAMPUS CONCÓRDIA MEDICINA VETERINÁRIA VITRIFICAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA FACULDADE DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA FACULDADE DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA FACULDADE DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS JOSÉ MAURÍCIO MACIEL CAVALCANTE AVALIAÇÃO DO SÊMEN

Leia mais

ZOOTECNIA. COORDENADOR Edenio Detmann

ZOOTECNIA. COORDENADOR Edenio Detmann ZOOTECNIA COORDENADOR Edenio Detmann detmann@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2009 99 Zootecnista ATUAÇÃO O Zootecnista é um profissional com sólida base de conhecimentos científicos e tecnológicos e está

Leia mais

AGÊNCIA PAULISTA DE TECNOLOGIA DOS AGRONEGÓCIOS ESTAÇÃO EXPERIMENTAL DE SALMONICULTURA

AGÊNCIA PAULISTA DE TECNOLOGIA DOS AGRONEGÓCIOS ESTAÇÃO EXPERIMENTAL DE SALMONICULTURA AGÊNCIA PAULISTA DE TECNOLOGIA DOS AGRONEGÓCIOS ESTAÇÃO EXPERIMENTAL DE SALMONICULTURA Dr ASCÂNIO DE FARIA Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de Campos do Jordão SP PARA SE CRIAR TRUTA ARCO-ÍRIS é fundamental

Leia mais

Com que trabalho? Viva Caatinga! Pesquisadora

Com que trabalho? Viva Caatinga! Pesquisadora Profissão Tipo de atividade: fechada Tipo de inteligência: visual e verbal Com que trabalho? Vamos conhecer o trabalho de uma pesquisadora que escolheu o Semiárido para realizar seu estudo? Assista ao

Leia mais

Tuberculose. Definição Enfermidade infecto-contagiosa evolução crônica lesões de aspecto nodular - linfonodos e pulmão Diversos animais Zoonose

Tuberculose. Definição Enfermidade infecto-contagiosa evolução crônica lesões de aspecto nodular - linfonodos e pulmão Diversos animais Zoonose 1 2 3 Tuberculose Definição Enfermidade infecto-contagiosa evolução crônica lesões de aspecto nodular - linfonodos e pulmão Diversos animais Zoonose ETIOLOGIA Família: Mycobacteriaceae Ordem: Actinomycetalis

Leia mais

Redução da contagem bacteriana na propriedade

Redução da contagem bacteriana na propriedade Redução da contagem bacteriana na propriedade Marcos Veiga dos Santos Agenda Fontes de contaminação do leite Redução da Contagem Bacteriana Total (CBT); Limpeza de equipamentos e utensílios Resfriamento

Leia mais

OMELETE DE CLARAS. Uma opção proteica metabolizada para seu póstreino. Informações Técnicas. SINÔNIMOS: Albumina

OMELETE DE CLARAS. Uma opção proteica metabolizada para seu póstreino. Informações Técnicas. SINÔNIMOS: Albumina Informações Técnicas OMELETE DE CLARAS Uma opção proteica metabolizada para seu póstreino SINÔNIMOS: Albumina O omelete trata-se de uma opção proteica com 22g de proteína na porção. Uma excelente alternativa

Leia mais

Nutrição e Eficiência Reprodutiva de Vacas Leiteiras. Profa. Ricarda Maria dos Santos FAMEV Universidade Federal de Uberlândia

Nutrição e Eficiência Reprodutiva de Vacas Leiteiras. Profa. Ricarda Maria dos Santos FAMEV Universidade Federal de Uberlândia Nutrição e Eficiência Reprodutiva de Vacas Leiteiras Profa. Ricarda Maria dos Santos FAMEV Universidade Federal de Uberlândia Por que devemos nos preocupar com Eficiência Reprodutiva? Eficiência Reprodutiva

Leia mais

Cruzamento em gado de corte. Gilberto Romeiro de Oliveira Menezes Zootecnista, DSc Pesquisador Embrapa Gado de Corte

Cruzamento em gado de corte. Gilberto Romeiro de Oliveira Menezes Zootecnista, DSc Pesquisador Embrapa Gado de Corte Cruzamento em gado de corte Gilberto Romeiro de Oliveira Menezes Zootecnista, DSc Pesquisador Embrapa Gado de Corte Resumo Introdução: Cruzamento o que é? Por que? Aspectos/conceitos importantes Sistemas

Leia mais

Avaliação do custo de doses inseminantes suínas em diferentes cenários Evaluation of the cost of insemination doses in different settings

Avaliação do custo de doses inseminantes suínas em diferentes cenários Evaluation of the cost of insemination doses in different settings Rev. Bras. Reprod. Anim., Belo Horizonte, v.38, n.2, p.116-120, abr./jun. 2014. Disponível em www.cbra.org.br Avaliação do custo de doses inseminantes suínas em diferentes cenários Evaluation of the cost

Leia mais

Porto Alegre, RS Julho Gestão de Sistemas de Produção de Leite

Porto Alegre, RS Julho Gestão de Sistemas de Produção de Leite Porto Alegre, RS 28-30 Julho 2015 Gestão de Sistemas de Produção de Leite Agenda Caracterizar os desafios gerenciais de um sistema de produção de leite Informar sobre o Gisleite - auxílio ao processo de

Leia mais

Biodigestores. Profa. Dra. Letícia Ane Sizuki Nociti

Biodigestores. Profa. Dra. Letícia Ane Sizuki Nociti Biodigestores Profa. Dra. Letícia Ane Sizuki Nociti 1. Considerações iniciais A utilização de biodigestores: assunto atualmente em evidência pela importância Mais uma fonte alternativa para geração de

Leia mais

SOPA PROTEICA DE ERVILHAS

SOPA PROTEICA DE ERVILHAS Informações Técnicas SOPA PROTEICA DE ERVILHAS Uma opção proteica metabolizada para seu póstreino SINÔNIMOS: Proteína de ervilha A sopa de ervilha trata-se de uma opção proteica com 22g de proteína na

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS DAS SOLUÇõES

PROPRIEDADES COLIGATIVAS DAS SOLUÇõES PROPRIEDADES COLIGATIVAS DAS SOLUÇõES Propriedades coligativas são propriedades de uma solução que dependem exclusivamente do número de partículas do soluto dissolvido e não da sua natureza. Cada uma dessas

Leia mais

Cromatografia Iônica. Alexandre Martins Fernandes Orientador: Prof. Jefferson Mortatti. Novembro 2006.

Cromatografia Iônica. Alexandre Martins Fernandes Orientador: Prof. Jefferson Mortatti. Novembro 2006. Cromatografia Iônica Alexandre Martins Fernandes Orientador: Prof. Jefferson Mortatti Novembro 2006. Roteiro 1. O que é troca iônica. 2. Cromatografia iônica. 3. Dionex ICS-90. 4. Vantagens. 5. Desvantagens.

Leia mais

RESSALVA. Atendendo solicitação do autor, o texto completo desta tese será disponibilizado somente a partir de 04/04/2016.

RESSALVA. Atendendo solicitação do autor, o texto completo desta tese será disponibilizado somente a partir de 04/04/2016. RESSALVA Atendendo solicitação do autor, o texto completo desta tese será disponibilizado somente a partir de 04/04/2016. UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA UNESP CÂMPUS DE JABOTICABAL CARACTERIZAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA

Leia mais

INOVAÇÃO NA AGRICULTURA, AGRO-INDÚSTRIA E FLORESTA SEMINÁRIOS REGIONAIS 2014 AIM CIALA. Organização: Apoio Institucional:

INOVAÇÃO NA AGRICULTURA, AGRO-INDÚSTRIA E FLORESTA SEMINÁRIOS REGIONAIS 2014 AIM CIALA. Organização: Apoio Institucional: AIM CIALA Organização: Apoio Institucional: RESUMO História Linhas Genéticas Tecnologia Inovação Distribuição Vendas Projetos futuros ASLA Constituído em 1995 Constituído por suinicultores do Alentejo

Leia mais

REFRIGERAÇÃO UTILIZAÇÃO DE BAIXAS TEMPERATURAS NA CONSERVAÇÃO DE ALIMENTOS

REFRIGERAÇÃO UTILIZAÇÃO DE BAIXAS TEMPERATURAS NA CONSERVAÇÃO DE ALIMENTOS REFRIGERAÇÃO Ivo Rodrigues 2007/2008 1. Objectivos da refrigeração de Alimentos... prolongar a vida útil dos alimentos aumentando as possibilidades de conservação (geral) 1 1. Objectivos da refrigeração

Leia mais

II SIMPÓSIO DE CAPRINOS E OVINOS DA EV UFMG SINCRONIZAÇÃO DE ESTRO E SUPEROVULAÇÃO EM CAPRINOS E OVINOS

II SIMPÓSIO DE CAPRINOS E OVINOS DA EV UFMG SINCRONIZAÇÃO DE ESTRO E SUPEROVULAÇÃO EM CAPRINOS E OVINOS II SIMPÓSIO DE CAPRINOS E OVINOS DA EV UFMG SINCRONIZAÇÃO DE ESTRO E SUPEROVULAÇÃO EM CAPRINOS E OVINOS Jeferson Ferreira da Fonseca Pesquisador Embrapa Caprinos 1 1 Fácil transporte! 3 Sociáveis e interativos!

Leia mais

INFLUÊNCIA DO GENÓTIPO SOBRE A PRODUÇÃO E A COMPOSIÇÃO DO LEITE DE CABRAS MESTIÇAS

INFLUÊNCIA DO GENÓTIPO SOBRE A PRODUÇÃO E A COMPOSIÇÃO DO LEITE DE CABRAS MESTIÇAS Código 1148 INFLUÊNCIA DO GENÓTIPO SOBRE A PRODUÇÃO E A COMPOSIÇÃO DO LEITE DE CABRAS MESTIÇAS NELSON NOGUEIRA BARROS 1, VÂNIA RODRIGUES DE VASCONCELOS 1, FRANCISCO LUIZ RIBEIRO DA SILVA 1, MARCELO RENATO

Leia mais

Diferentes concentrações de gema de ovo na qualidade do sêmen canino diluído em ACP -106 e resfriado a 4 C

Diferentes concentrações de gema de ovo na qualidade do sêmen canino diluído em ACP -106 e resfriado a 4 C Artigo Diferentes concentrações de gema de ovo na qualidade do sêmen canino diluído em ACP -106 e resfriado a 4 C Janaina de Fátima Saraiva Cardoso 1 *, Ney Rômulo de Oliveira Paula 1, Daniel Couto Uchoa

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOÃO V ESCOLA SECUNDÁRIA c/ 2º e 3º CICLOS D. JOÃO V Informações aos Encarregados de Educação do trabalho a realizar no: 5º Ano Ciências Naturais Ano Letivo 2015/2016 1. Aulas previstas: Aulas (*) 5º1ª 5º2ª 5º3ª 5º4ª 1º Período: 21 de Setembro - 17 de Dezembro

Leia mais

Moacyr Bernardino Dias-Filho

Moacyr Bernardino Dias-Filho Moacyr Bernardino Dias-Filho Embrapa Amazônia Oriental www.diasfilho.com.br O estigma da pecuária desenvolvida a pasto Na pecuária é possível produzir (embora com baixa eficiência) extensivamente Áreas

Leia mais

CRIOPRESERVAÇÃO DO SÊMEN CAPRINO: EFEITO DE DIFERENTES PALHETAS, TAXAS DE DESCONGELAÇÃO E CRIOPROTETORES

CRIOPRESERVAÇÃO DO SÊMEN CAPRINO: EFEITO DE DIFERENTES PALHETAS, TAXAS DE DESCONGELAÇÃO E CRIOPROTETORES UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA ANIMAL CRIOPRESERVAÇÃO DO SÊMEN CAPRINO: EFEITO DE DIFERENTES PALHETAS, TAXAS DE DESCONGELAÇÃO E CRIOPROTETORES FRANCISCO SILVESTRE

Leia mais

Objetivo: Estudar os mecanismos fisiológicos responsáveis pelas trocas gasosas e pelo controle do transporte de gases Roteiro:

Objetivo: Estudar os mecanismos fisiológicos responsáveis pelas trocas gasosas e pelo controle do transporte de gases Roteiro: TROCAS GASOSAS E CONTROLE DO TRANSPORTE DE GASES Objetivo: Estudar os mecanismos fisiológicos responsáveis pelas trocas gasosas e pelo controle do transporte de gases Roteiro: 1. Trocas gasosas 1.1. Locais

Leia mais

Sistema Reprodutor e Tecnologia da Reprodução Medicamente Assistida

Sistema Reprodutor e Tecnologia da Reprodução Medicamente Assistida MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA BIOMÉDICA DISCIPLINA DE ANATOMIA E HISTOLOGIA Sistema Reprodutor e Tecnologia da Reprodução Medicamente Assistida Carlos Plancha Instituto de Histologia e Biologia do Desenvolvimento

Leia mais

Fisiologia Pós-colheita de Flores. Msc. Cristiane Calaboni Doutoranda PPG Fisiologia e Bioquímica de Plantas

Fisiologia Pós-colheita de Flores. Msc. Cristiane Calaboni Doutoranda PPG Fisiologia e Bioquímica de Plantas Fisiologia Pós-colheita de Flores Msc. Cristiane Calaboni Doutoranda PPG Fisiologia e Bioquímica de Plantas Floricultura Atividade em plena expansão; Flores de corte e vaso, folhagens e paisagismo. 200

Leia mais

Alimentação das Crias: Aleitamento

Alimentação das Crias: Aleitamento Alimentação das Crias: Aleitamento Profa. Dra. Aurora M. G. Gouveia Médica Veterinária Sanitarista. Professora da Escola de Veterinária da UFMG aurora@vet.ufmg.br Dra. Heloisa H. Magalhães Médica Veterinária.

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Unidade Universitária: CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE Curso: FARMÁCIA Disciplina: ENZIMOLOGIA E TECNOLOGIA DAS FERMENTAÇÕES I Código da Disciplina: 061.1607.8 Professor(es): JOSÉ ALVES ROCHA

Leia mais