ANEXO 1 DOCUMENTOS DA PROPOSTA DE ENQUADRAMENTO DE APL. Compõem a Proposta de Enquadramento de APL os seguintes documentos:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO 1 DOCUMENTOS DA PROPOSTA DE ENQUADRAMENTO DE APL. Compõem a Proposta de Enquadramento de APL os seguintes documentos:"

Transcrição

1 ANEXO 1 DOCUMENTOS DA PROPOSTA DE ENQUADRAMENTO DE APL Compõem a Proposta de Enquadramento de APL os seguintes documentos: Documento 1 Modelo de Identificação de Arranjos Produtivos Locais. Documento 2 Delimitação Econômica e Territorial do APL, com indicação dos municípios e das atividades econômicas (CNAE) que o compõe. Documento 3 Formulário com nome das instituições que apoiam o APL, com a respectiva assinatura do responsável pela instituição. Documento 4 Formulário com nomes de Empresas/Produtores, indicando sua participação no APL, com respectiva assinatura do responsável. Documento 5 Evidências, Publicações, Reportagens e Sítio Eletrônico (Site ou Blog do APL) Documento 6 Atas ou Relatórios das reuniões de Governança do APL (do último ano) Documento 7 Versão Preliminar de Plano de Trabalho, contendo cronograma de atividades e planilha de custos para a execução das ações coletivas e de articulação e mobilização do APL Documento 8 Agenda de Ações Coletivas do APL Anexo 1 do Edital de Seleção de APLs nº 02/2015 1

2 DOCUMENTO 1 MODELO DE IDENTIFICAÇÃO DE ARRANJO PRODUTIVO LOCAL Este documento serve como base de orientação para a apresentação de propostas de projetos de Arranjo Produtivo Locais. Para cada item abaixo, deve haver a descrição para as quais disponham as informações solicitadas, bem como deve ser apresentadas as evidências de que se dispõe. É permitido acrescentar outras informações relevantes, desde que se respeite o número máximo de páginas permitido para cada tópico. 1. Apresentação (máximo 2 páginas) Apresentar uma justificativa que contemple os motivos pelos quais este APL deve ser apoiado pelo Programa de APLs, bem como justifique ser um Arranjo Produtivo Local e demonstre há quanto tempo ele existe. Cite como foi o processo de elaboração da proposta e quais foram os atores que participaram. 2. Contextualização e Caracterização do Arranjo (máximo 22 páginas) 2.1. Caracterização econômica e institucional (máximo 4 páginas) a) Principais características da formação do APL: explique como o arranjo começou e se desenvolveu; b) Delimitação territorial do arranjo: municípios que compõe o APL; c) Segmentos econômicos: principais e complementares que formam a cadeia produtiva; d) Principais processos para agregação de valor no APL frente à cadeia de valor; e) Empreendimentos e empregos (do APL): 1. Empreendimentos existentes e pessoal ocupado, especificando formais e informais; 2. Significado, em termos percentuais, do número de empreendimentos e de pessoal ocupado em comparação com a economia local/regional. 3. Conexão com outros setores e empregos diretos. f) Produção: quantidade produzida/ano, por tipo de produto, e tendência da produção; g) Estimativa da participação percentual do APL no total da região e nos respectivos setores do estado: empreendimentos, empregos, produção e renda; Anexo 1 do Edital de Seleção de APLs nº 02/2015 2

3 h) Renda: massa salarial, renda média, apropriação local da renda, efeitos na distribuição e impactos indiretos; i) Instituições de Apoio: cite as instituições públicas, semi-públicas e privadas que oferecem apoio ao arranjo produtivo: de ensino, de fomento, de representação, de tecnologia, de capacitação, de pesquisa e outras; j) Infraestrutura do aglomerado: caracterize e cite os pontos positivos e os pontos negativos, especialmente em relação às infraestruturas de logística, energia e comunicação; k) Programas governamentais: 1. Cite os vínculos já existentes com programas públicos ou de apoio das instituições do NEAT relacionados aos objetivos do APL; 2. Cite os vínculos potenciais, caso o APL seja selecionado, com outros programas públicos ou de apoio das instituições do NEAT relacionados aos objetivos do APL; 2.2. Acesso aos Mercados Interno e Externo (máximo 2 páginas) a) Segmentos de mercado das empresas do APL; b) Diversificação de produtos ofertados; c) Perfil de distribuição dos produtos vendidos pelos empreendimentos do APL, em percentual: consumidor final, consumidor industrial, varejista, atacadista, agentes de exportação, venda direta ao exterior, outros; d) Destino das vendas do APL segundo o local, em percentual: na região; nas demais regiões do Estado, nos demais estados do país, no exterior; e) Onde estão localizados os principais concorrentes das empresas do APL: na região, nas demais regiões do Estado, nos demais estados do país, no exterior Formação e Capacitação (máximo 2 páginas) a) Perfil nível educacional dos trabalhadores do APL. b) Onde os trabalhadores aprendem seu ofício (em centros de treinamento financiados pela empresa, em centros de treinamento financiados pelo próprio empregado, no trabalho na empresa, no trabalho nos empregos anteriores, outros - especifique e quantifique). c) Identifique as instituições que ofertam capacitação para mão-de-obra existentes no arranjo: número de CEFETs (Centros Federais de Educação Tecnológica) ou IFETs (Institutos Federais de Educação, Ciência Tecnologia, que participam direta ou indiretamente do APL; número de Anexo 1 do Edital de Seleção de APLs nº 02/2015 3

4 universidades, faculdades e centros de ensino envolvidos no APL; número de laboratórios disponíveis e número de pesquisadores e bolsistas envolvidos. d) Cursos ofertados pelas instituições: número de cursos técnicos e profissionalizantes que atendam algum segmento da cadeia produtiva do APL e número de vagas nesses cursos; número de cursos de graduação, mestrado e doutorado que atendam algum segmento da cadeia produtiva do APL e nº de vagas nesses cursos. e) Demanda potencial de capacitação em termos de cursos, tamanho das turmas e periodicidade. f) Mercado de trabalho: enumere os principais problemas que as empresas enfrentam em seu relacionamento com o mercado de trabalho local (rotatividade da mão-de-obra; carência de trabalhadores não especializados; carência de trabalhadores especializados; absenteísmo; qualificações disponíveis; problemas de saúde do trabalhador; existência de contratos coletivos de trabalho; demandas sindicais; outros). 2.4 Cooperação (máximo 4 páginas) a) Existência e tipos de interação e cooperação entre as empresas ou produtores do arranjo: empréstimo de maquinário, intercâmbio de infraestrutura produtiva, participação em consórcios, visita a outros produtores ou empresas, troca de informações em reuniões sociais, treinamento de trabalhadores, compra de insumos, ações coletivas de marketing e vendas, ações de compra coletiva de insumos produtivos, desenvolvimento tecnológico, ações coletivas em pesquisa de produtos e processos, desenvolvimento coletivo de marcas e denominações, serviços coletivos de apoio à produção, ações coletivas de qualificação da logística, ações coletivas de fomento e financiamento, outros. b) Existência e tipos de interação e cooperação entre as empresas/produtores do arranjo e as instituições públicas e privadas locais: entidades representativas, associações e seus membros, cooperativas e seus cooperados. c) Marca coletiva do APL: existência de uma marca ou denominação coletiva do APL pela qual os produtos fabricados são identificados; d) Possíveis parcerias a serem desenvolvidas: compra de matéria prima e insumos (central de compras), compra coletiva de equipamentos, venda consorciada de produtos; troca de experiências com empreendedores do setor (cadeia produtiva); gestão do negócio Ações de Cooperação Realizadas e Em Andamento (páginas conforme quantidade de ações) Anexo 1 do Edital de Seleção de APLs nº 02/2015 4

5 Coletivas: Elencar as ações efetivamente realizadas e em andamento, conforme Anexo 3 - Agenda de Ações Eixo: selecionar o eixo em que a ação se encaixa. Eixos: Acesso a Mercados e Inteligência Comercial; Financiamento e Investimento; Inovação e Tecnologia; Extensão Produtiva e Inovação; Gestão; Pesquisas e Estudos; Formação de Trabalhadores; Normas e Regulação; Governança e Cooperação; Plano de Desenvolvimento do APL; Sustentabilidade Ambiental; Infraestrutura e Logística; Incentivos; Ações Estratégicas (médio e longo prazo). Demanda/problema: descreva o que motivou a ação Ação: nome e descrição da ação Objetivo: descrever o(s) objetivo(s) específico(s) da ação Executor: nome da instituição e da pessoa responsável pela execução da ação Contato: telefone e da pessoa responsável pela ação Data final da ação: data de término ou prevista para o término da ação Recurso: valor total aportado, incluindo contrapartidas Fonte: parceiros que viabilizam financeiramente a ação Metas: resultado(s) a alcançar Indicadores de impacto: descreva o impacto potencial da ação, discriminando o número de beneficiários diretos e indiretos Situação da Ação: informar se Concluída, Em Andamento, Suspensa, Cancelada, etc Ações de Cooperação Previstas (páginas conforme quantidade de ações) Elencar as ações previstas, classificando-as em Curto Prazo (1 ano), Médio Prazo (3 anos) e Longo Prazo (5 anos), conforme Anexo 3 - Agenda de Ações Coletivas: Eixo: selecionar o eixo em que a ação se encaixa. Eixos: Acesso a Mercados e Inteligência Comercial; Financiamento e Investimento; Inovação e Tecnologia; Extensão Produtiva e Inovação; Gestão; Pesquisas e Estudos; Formação de Trabalhadores; Normas e Regulação; Governança e Cooperação; Plano de Desenvolvimento do APL; Sustentabilidade Ambiental; Infraestrutura e Logística; Incentivos; Ações Estratégicas (médio e longo prazo). Demanda/problema: descreva o que motivou a ação Ação: nome e descrição da ação Objetivo: descrever o(s) objetivo(s) específico(s) da ação Anexo 1 do Edital de Seleção de APLs nº 02/2015 5

6 Executor: nome da instituição e da pessoa responsável pela execução da ação Contato: telefone e da pessoa responsável pela ação Data final da ação: data de término ou prevista para o término da ação Recurso: valor total aportado, incluindo contrapartidas Fonte: parceiros que viabilizam financeiramente a ação Metas: resultado(s) a alcançar Indicadores de impacto: descreva o impacto potencial da ação, discriminando o número de beneficiários diretos e indiretos Situação da Ação: informar se A Iniciar, Aguardando recursos, Em contratação, etc Coordenação (máximo 2 páginas) a) Coordenação e existência de vínculos entre as entidades associativas, universidades, centros de pesquisa/tecnologia e instituições de ensino/formação/capacitação, entidades de fomento/desenvolvimento, entre outros, voltados ao desenvolvimento do APL; b) Organização da governança: qual a periodicidade das reuniões de governança e quais suas atribuições principais; tipos de instâncias decisórias em prol do arranjo e que entidades as compõem; existência de regimento interno ou termos de cooperação ou parceria entre as instituições que compõem a governança; c) Relações com organizações comunitárias locais: contribuição para o desenvolvimento da comunidade; promoção de projetos sociais; disseminação de valores educativos e a melhoria das condições sociais. d) Projetos desenvolvidos no APL: existência e relação dos projetos desenvolvidos com universidades, centros tecnológicos ou de pesquisa, instituições de ensino, instituições de fomento e desenvolvimento e associações e entidades representativas Investimento e Financiamento (máximo 1 página) a) Tendência recente do desempenho econômico das empresas do APL (nos últimos 5 anos, o lucro/faturamento líquido: cresceu; permaneceu igual; diminuiu) b) Em quais, das seguintes áreas, as empresas do APL têm investido: expansão de capacidade produtiva na região; expansão da capacidade produtiva em outras regiões; desenvolvimento de produto; desenvolvimento de tecnologias; empresas de setores auxiliares; empresas com ligações Anexo 1 do Edital de Seleção de APLs nº 02/2015 6

7 para a frente (trading companies, lojas, showrooms); marketing (publicidade, feiras, comerciais, etc.). c) Em quais, das seguintes áreas, as empresas do APL tencionam investir nos próximos 5 anos: expansão de capacidade produtiva na região; expansão da capacidade produtiva em outras regiões; desenvolvimento de produto; desenvolvimento tecnológico; empresas de setores auxiliares; empresas com ligações para a frente (trading companies, lojas, showrooms); marketing (publicidade, feiras comerciais, etc.). d) Demanda potencial em termos de tipo de crédito a ser ofertado (capital de giro, financiamento de máquinas e equipamentos, ampliação da produção, etc.) e volume Qualidade e Produtividade (máximo 1 página) a) Capacidade instalada (ou área de produção) e respectiva utilização. b) Fornecedores: origem dos insumos das empresas e problemas que o APL tem enfrentado no relacionamento com seus fornecedores: disponibilidade, preço, qualidade, prazo de entrega, etc. c) Terceirização: por quem são executadas as atividades produtivas e as atividades de apoio, bem como a extensão pela qual os estágios de produção são terceirizados para outras empresas. d) Localização das firmas para as quais as fases da produção são terceirizadas: na região; nas demais regiões do estado; nos demais estados do país; no exterior. e) Certificações e selos de qualidade das empresas do arranjo: número de empresas certificadas; tipos de ferramentas de certificação de qualidade utilizadas no APL; selos de qualidade existentes; número de Produtos em conformidade com normas do INMETRO; programas de qualidades implementadas pelas empresas do APL, etc. f) Certificações nacionais e internacionais de proteção ambiental (ex.: ISO ) Tecnologia e Inovação (máximo 2 páginas) a) Em relação à tecnologia empregada pelos concorrentes nacionais e pelos internacionais, as empresas do APL encontram-se: defasadas, em igualdade ou mais avançadas, em termos de produtos, processos de produção e formas de organização. b) Maquinário das empresas do APL: padrão, idade média das máquinas e tendência. c) Origem das inovações técnicas dos empreendimentos do APL: adquiridas no mercado nacional; adquiridas no mercado internacional; desenvolvidas na empresa; adaptadas na empresa; Anexo 1 do Edital de Seleção de APLs nº 02/2015 7

8 desenvolvidas em colaboração com outros produtores; desenvolvidas em colaboração com fornecedores ou prestadores de serviço; desenvolvidas em colaboração com clientes; outros. d) Fontes de informação para inovação de processo: visitas a outras empresas da região; visitas a outras empresas em outras regiões; fornecedores de máquinas e equipamentos; exibições e feiras; publicações especializadas; trabalhadores que trabalhavam em outras empresas; ocasiões sociais; agentes de exportação; clientes; consultores da região; consultores de fora da região; outros. e) Inovações chave em processos (produção, gestão e comercialização) e produtos, introduzidas no APL, nos últimos anos. f) Demanda potencial por consultoria tecnológica e serviços: laboratórios de testes e ensaios/calibração/certificação/normalização, etc. g) Número de projetos tecnológicos entre o meio acadêmico e Instituições de Pesquisa Tecnológica e o APL implementados/ano (realizados/concluídos; em curso, paralisados e/ou cancelados por ano); h) Articulação entre Empresas e Instituições de Tecnologia: descrever as ações desenvolvidas em conjunto entre os empreendimentos do APL e as instituições tecnológicas existentes na região; i) Número de patentes ou registros de novos produtos e/ou novos processos produtivos desenvolvidos pelos empreendimentos e instituições locais de ensino, formação e tecnologia do APL; j) Existência e a qualidade dos sistemas de informação e difusão tecnológica de uso compartilhado entre os empreendimentos/produtores do APL k) Adequação da infraestrutura científico-tecnológica (laboratórios, maquinário produtivo e tecnologias utilizadas) da região em relação às estratégias tecnológicas do APL Meio ambiente e Saúde (máximo 2 páginas) a) Compatibilidade do APL com o meio ambiente local: uso de matérias primas, preservação, conflitos, uso de recursos naturais, geração e destinação de resíduos produtivos. b) Existência de Plano de Preservação Ambiental, compromissos com a melhoria da qualidade ambiental, projetos e investimentos visando à compensação ambiental pelo uso de recursos naturais e pelo impacto causado por suas atividades. c) Gerenciamento do impacto das empresas na comunidade de entorno: respeito às normas e costumes locais, interação com os grupos locais e seus representantes. d) Existência de planos e estratégias para o cuidado com a saúde dos trabalhadores dos empreendimentos do APL e da comunidade Relações Sociais e Culturais (máximo 2 páginas) Anexo 1 do Edital de Seleção de APLs nº 02/2015 8

9 Descrever a importância das atividades econômicas do APL na história da região, na formação cultural e sua contribuição para o desenvolvimento. Apresentar as relações e instituições sociais e culturais constituídas localmente, que sejam relevantes ao desenvolvimento do APL: a) Descrever sobre a Importância Histórica do APL para a região em que está inserido; b) Descrever sobre a Importância Social do APL para a região em que está inserido; c) Descrever sobre a Importância Cultural do APL para a região em que está inserido; d) Listar os Eventos organizados, realizados, patrocinados ou apoiados pelo APL em sua região nos últimos cinco anos. e) Existência de Plano de Responsabilidade Social no âmbito dos empreendimentos do APL. 3. Desafios e Oportunidades de Desenvolvimento (máximo 2 páginas) Descrever os principais potenciais e oportunidades que justifiquem a inclusão do APL no Programa Estadual: a) Variáveis importantes para caracterização da situação atual do Arranjo Produtivo. b) Pontos positivos e negativos do arranjo. c) Obstáculos a serem superados: de curto, médio e longo prazos. d) Desafios a serem alcançados: de curto, médio e longo prazos. e) Oportunidades a serem conquistadas. Inclua como anexo, caso existam, os diagnósticos ou estudos utilizados como base e fonte de informação para a elaboração desta proposta. 4. Conclusão (máximo 2 páginas) Descrever os resultados finais que se espera alcançar através do apoio ao APL. Os resultados devem ser, de preferência, quantificáveis. Numere os resultados esperados de acordo com as ações previstas na proposta. Anexo 1 do Edital de Seleção de APLs nº 02/2015 9

10 Nome completo e assinatura dos responsáveis pela elaboração do projeto: Nome completo: Instituição: Telefone: Assinatura: Nome completo: Instituição: Telefone: Assinatura: Nome completo: Instituição: Telefone: Assinatura: Nome completo: Instituição: Telefone: Assinatura: Nome completo: Instituição: Telefone: Assinatura: Anexo 1 do Edital de Seleção de APLs nº 02/

11 DOCUMENTO 2 DELIMITAÇÃO ECONÔMICA E TERRITORIAL DO APL Deverão ser indicados os municípios que formam o território do APL, bem como os respectivos segmentos econômicos que compõem o APL (nos termos da CNAE), classe com cinco dígitos (acessar a página do CONCLA - Comissão Nacional de Classificações utilizando a CNAE 2.0 Classes Atualizada Resolução 02/2010), disponível em: LISTA DOS MUNICÍPIOS ABRANGENTES AO ARRANJO PRODUTIVO LOCAL: Município 1, Município 2, Município 3,... LISTA DAS CLASSES DAS ATIVIDADES ECONÔMICAS, SEGUNDO A CNAE 2.0: Classe Descrição Atividade Atividade Atividade Atividade Atividade Atividade Atividade Atividade Atividade Atividade Atividade Atividade... Anexo 1 do Edital de Seleção de APLs nº 02/

12 DOCUMENTO 3 Nome da Instituição: Município Polo: FORMULÁRIO COM NOME DAS INSTITUIÇÕES QUE APOIAM O APL (com a assinatura do respectivo responsável): Telefone da Instituição: Nome do Responsável pela Instituição: Assinatura do Responsável: Nome para contato: para contato: Telefone para contato: Nome da Instituição: Município Polo: Telefone da Instituição: Nome do Responsável pela Instituição: Assinatura do Responsável: Nome para contato: para contato: Telefone para contato: Nome da Instituição: Município Polo: Telefone da Instituição: Nome do Responsável pela Instituição: Assinatura do Responsável: Nome para contato: para contato: Telefone para contato: Data: / / Anexo 1 do Edital de Seleção de APLs nº 02/

13 DOCUMENTO 4 FORMULÁRIO COM NOMES DE EMPRESAS/PRODUTORES PARTICIPANTES DO APL (com a assinatura do respectivo responsável) Nome da empresa/produtor Município Polo: Telefone da Empresa: Nome do Responsável pela Empresa: Assinatura do Responsável: Nome para contato: para contato: Telefone para contato: Nome da empresa/produtor Município Polo: Telefone da Empresa: Nome do Responsável pela Empresa: Assinatura do Responsável: Nome para contato: para contato: Telefone para contato: Nome da empresa/produtor Município Polo: Telefone da Empresa: Nome do Responsável pela Empresa: Assinatura do Responsável: Nome para contato: para contato: Telefone para contato: Data: / / Anexo 1 do Edital de Seleção de APLs nº 02/

14 DOCUMENTO 5 EVIDÊNCIAS DO APL Acrescentar evidências que demonstrem as informações apresentadas na proposta, especialmente quanto à atuação do APL, à cooperação entre empresas/produtores e à coordenação do APL pelas instituições que compõe sua Governança (documentos, fotos, recortes ou impressos de notícias, publicações, reportagens e sítio eletrônico site ou blog do APL). Anexo 1 do Edital de Seleção de APLs nº 02/

15 DOCUMENTO 6 ATAS OU RELATÓRIOS DAS REUNIÕES DE GOVERNANÇA (Acrescentar as atas ou relatórios das reuniões de governança ocorridas nos últimos doze meses) Anexo 1 do Edital de Seleção de APLs nº 02/

16 DOCUMENTO 7 VERSÃO PRELIMINAR DO PLANO DE TRABALHO 1. DESCRIÇÃO DO PROJETO 1.1 TÍTULO DO PROJETO (Descrever sucintamente o título deste projeto: Período de Execução Início Após a publicação da súmula da parceria no Diário Oficial do Estado Término 18º mês 1.2 IDENTIFICAÇÃO DO OBJETO (Aquilo que o projeto se propõe a realizar e o Estado se propõe a copatrocinar, com vistas a tornar viável o cumprimento dos objetivos e metas pré-estabelecidos) 1.3 JUSTIFICATIVA DA PROPOSIÇÃO (Deve apresentar o diagnóstico da realidade do APL, a necessidade de execução das atividades previstas, a metodologia pelas quais estas atividades serão executadas e os objetivos gerais e específicos a serem alcançados. Também deve explicitar os interesses comuns e coincidentes entre o APL e a Administração Pública, bem como as finalidades sociais a serem alcançadas com a execução deste objeto) Anexo 1 do Edital de Seleção de APLs nº 02/

17 2. CRONOGRAMA DE ATIVIDADES Meta 1: Etapa Ações/Atividades Produto/ Resultado Duração Unidade Quantidade Início Término Meta 2: Etapa Ações/Atividades Produto/ Resultado Duração Unidade Quantidade Início Término Anexo 1 do Edital de Seleção de APLs nº 02/

18 3. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO FÍSICA DISCRIMINAÇÃO MESES Meta: (Ex: Apoio a infraestrutura da Governança) Etapa 1: (Ex: Aquisição de equipamentos e mobiliário do APL) Atividade 1.1: X X X Atividade 1.2: X X X Meta: (Ex: Apoio ao fortalecimento / à consolidação da Governança do APL) Etapa 2: (Ex: Disponibilização de equipe técnica) Atividade 2.1: Atividade 2.2: X X Etapa 3: (Ex: Capacitação da equipe técnica) Atividade 3.1: Atividade 3.2: Etapa 4: (Ex: Articulação e mobilização da Governança) Atividade 4.1: Atividade 4.2: Etapa 5: (Ex: Divulgação das ações e atividades realizadas e promoção do APL) Atividade 5.1: Atividade 5.2: Meta: (Ex: Apoio às ações coletivas do APL) Etapa 6: (Ex: Participação do APL, com estande coletivo, em feira internacional) Atividade 6.1: Atividade 6.2: Desembolso da 1ª parcela* X Prestação de Contas do ano fiscal anterior (para Convênios com vigência superior a 12 meses) X Prestação de Contas Final X *Mediante apresentação da Prestação de Contas Parcial. Anexo 1 do Edital de Seleção de APLs nº 02/

19 4. PLANILHA DE CUSTOS (R$) 1 - DESPESAS DE CUSTEIO AGDI PARCEIRA Item Especificação Unid. Valor Unit. Quant. Valor Quant. Valor SUBTOTAL SUBTOTAL R$ R$ R$ 2 - DESPESAS DE CAPITAL AGDI PARCEIRA SUBTOTAL (A) + (B) Item Especificação Unid. Valor Unit. Quant. Valor Quant. Valor SUBTOTAL R$ R$ R$ 5. COMPOSIÇÃO DA HORA TÉCNICA CARGO VALOR HORA-TÉCNICA ENCARGOS PROVISÕES SALÁRIO- LÍQUIDO Anexo 1 do Edital de Seleção de APLs nº 02/

20 6. PLANO DE APLICAÇÃO Partícipes Especificação Valor (R$) Participação (%) AGDI ENTIDADE PARCEIRA Unidade Orçamentária: AGDI Origem do Recurso: 306 PROREDES BIRD Projeto/Atividade: 3342 Promoção e Desenvolvimento dos APLs NAD*: (custeio) NAD*: (capital) TOTAL 100% (*) A Natureza da Despesa (NAD) deve ser especificada (capital e/ou custeio) com o respectivo código e nomenclatura 7. CRONOGRAMA DE DESEMBOLSO (R$ 1,00) a. AGDI Metas Parcela Mês Valor 1. Parcela 2. Única Após a publicação da Súmula do Convênio no D.O.E. TOTAL b. ENTIDADE PARCEIRA Meta Valor da Contrapartida Econômica Valor da Contrapartida Financeira Valor Total de Contrapartida 8. DECLARAÇÃO Na qualidade de representante legal do proponente, declaro, para fins de prova junto à Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento - AGDI, para os efeitos e sob as penas da lei, que inexiste qualquer débito em mora ou situação de inadimplência com o Tesouro Estadual ou qualquer outro órgão ou entidade da Administração Pública Estadual, que impeça a transferência de recursos oriundos de dotações consignadas nos orçamentos do Estado do Rio Grande do Sul, na forma deste Plano de Trabalho....,... de... de nome do representante legal da entidade proponente, cargo. 9. APROVAÇÃO PELA AGDI Aprovado. Porto Alegre,... de... de Álvaro Rodrigo Woiciechoski da Silva, Diretor-Presidente da AGDI Anexo 1 do Edital de Seleção de APLs nº 02/

21 Anexo 1 do Edital de Seleção de APLs nº 02/

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ANEXO 1 MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Este documento serve como base orientadora para a apresentação de propostas de Arranjos Produtivos Locais para enquadramento no

Leia mais

MANUAL OPERACIONAL PLANO DE DESENVOLVIMENTO PRELIMINAR PDP

MANUAL OPERACIONAL PLANO DE DESENVOLVIMENTO PRELIMINAR PDP MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO DEPARTAMENTO DE MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS MANUAL OPERACIONAL PLANO DE DESENVOLVIMENTO PRELIMINAR

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL AGÊNCIA GAÚCHA DE DESENVOLVIMENTO E PROMOÇÃO DO INVESTIMENTO EDITAL Nº 01/2013

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL AGÊNCIA GAÚCHA DE DESENVOLVIMENTO E PROMOÇÃO DO INVESTIMENTO EDITAL Nº 01/2013 ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL AGÊNCIA GAÚCHA DE DESENVOLVIMENTO E PROMOÇÃO DO INVESTIMENTO EDITAL Nº 01/2013 A AGÊNCIA GAÚCHA DE DESENVOLVIMENTO E PROMOÇÃO DO INVESTIMENTO- AGDI, torna público que estará

Leia mais

PLANO DE TRABALHO 1 DADOS CADASTRAIS. Convenente. Concedente. Nome Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento

PLANO DE TRABALHO 1 DADOS CADASTRAIS. Convenente. Concedente. Nome Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento PLANO DE TRABALHO (Anexo a Instrução Normativa CAGE Nº 01/2006) 1 DADOS CADASTRAIS Convenente Órgão/Entidade Proponente Associação Parque Tecnológico de Santa Maria CNPJ 10.639.521/0001-47 Endereço Rua

Leia mais

PROGRAMA PROREDES BIRD - RS SWAp

PROGRAMA PROREDES BIRD - RS SWAp PROGRAMA PROREDES BIRD - RS SWAp TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE CONSULTORIA VISANDO À ELA- BORAÇÃO DE PLANO DE DESENVOLVIMENTO E PLANO ESTRATÉGICO DE MARKETING PARA APLs NO RS. TOR

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

Chamada de Projetos 01/2014 - FUNDOAPL. Projeto de Fortalecimento das Cadeias e APLs

Chamada de Projetos 01/2014 - FUNDOAPL. Projeto de Fortalecimento das Cadeias e APLs Chamada de Projetos 01/2014 - FUNDOAPL Projeto de Fortalecimento das Cadeias e APLs Objetivos: Apoiar a execução de projetos coletivos, de soluções coletivas e/ou que estejam disponíveis para um conjunto

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria para promover estudos, formular proposições e apoiar as Unidades

Leia mais

Anexo I MODELO DE PROJETO DE EVENTOS SELEÇÃO 2012

Anexo I MODELO DE PROJETO DE EVENTOS SELEÇÃO 2012 1 Anexo I MODELO DE PROJETO DE EVENTOS SELEÇÃO 2012 1. NOME DA ONG: NOME DO PROJETO: POPULAÇÃO ALVO: ÁREA GEOGRÁFICA ABRANGIDA PELO PROJETO: (Regiões do estado, do município, bairros, etc) 2. DADOS INSTITUCIONAIS

Leia mais

Edital 03.2014 TERMO DE REFERÊNCIA 01

Edital 03.2014 TERMO DE REFERÊNCIA 01 Edital 03.2014 TERMO DE REFERÊNCIA 01 ELABORAÇÃO DE PLANOS DE SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA PARA EMPREENDIMENTOS ECONÔMICOS SOLIDÁRIOS ORGANIZADOS EM REDES DE COOPERAÇÃO NOS TERRITÓRIOS DA MATA SUL/PE, MATA

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS Estabelece a política de pesquisa, desenvolvimento, inovação e extensão da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração superior

Leia mais

2ºSeminário Experiência dos Estados com Editais de Apoio a APL de Baixa Renda -BNDES. Apoio a Projetos Produtivos - Ceará

2ºSeminário Experiência dos Estados com Editais de Apoio a APL de Baixa Renda -BNDES. Apoio a Projetos Produtivos - Ceará 2ºSeminário Experiência dos Estados com Editais de Apoio a APL de Baixa Renda -BNDES Apoio a Projetos Produtivos - Ceará Política Estadual de Desenvolvimento Estabelecer mecanismos de estímulo ao processo

Leia mais

FUNDO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE BELÉM-PA E DO TESOURO MUNICIPAL EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS- Nº 01/2015

FUNDO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE BELÉM-PA E DO TESOURO MUNICIPAL EDITAL DE SELEÇÃO DE PROJETOS- Nº 01/2015 FUNDO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO DE BELÉM-PA E DO TESOURO MUNICIPAL 1 PREÂMBULO RESOLUÇÃO Nº 05/2015 Publica o Edital de Seleção de Projetos das Organizações Não-Governamentais, a serem apoiados

Leia mais

Respostas às perguntas frequentes: Chamada Pública MCT/FINEP/AT Inova Empresa PNI/Parques Tecnológicos 02/2013

Respostas às perguntas frequentes: Chamada Pública MCT/FINEP/AT Inova Empresa PNI/Parques Tecnológicos 02/2013 Respostas às perguntas frequentes: Chamada Pública MCT/FINEP/AT Inova Empresa PNI/Parques Tecnológicos 02/2013 Parte 1: Objetivos, instrumentos de apoio e quem pode participar Geral 1.1 Qual o objetivo

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA PARA INCUBAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS DA ECONOMIA CRIATIVA NO PORTO DIGITAL (CP 01/2012)

CHAMADA PÚBLICA PARA INCUBAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS DA ECONOMIA CRIATIVA NO PORTO DIGITAL (CP 01/2012) CHAMADA PÚBLICA PARA INCUBAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS DA ECONOMIA CRIATIVA NO PORTO DIGITAL (CP 01/2012) 1. APRESENTAÇÃO O Núcleo de Gestão do Porto Digital (NGPD), com o apoio da Secretaria de Ciência, Tecnologia

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 5306, DE 04 DE MAIO DE 2010. CEZAR AUGUSTO SCHIRMER, Prefeito Municipal do Município de Santa Maria, Estado do Rio Grande do Sul.

LEI MUNICIPAL Nº 5306, DE 04 DE MAIO DE 2010. CEZAR AUGUSTO SCHIRMER, Prefeito Municipal do Município de Santa Maria, Estado do Rio Grande do Sul. LEI MUNICIPAL Nº 5306, DE 04 DE MAIO DE 2010 Estabelece medidas de incentivo à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no Município de Santa Maria e dá outras providências. CEZAR AUGUSTO SCHIRMER,

Leia mais

1. Apresentação. 2. Pontos Fixos de Comercialização Solidária

1. Apresentação. 2. Pontos Fixos de Comercialização Solidária Edital de Seleção de Pontos Fixos de Comercialização Solidária Candidatos para Participar da Rede Brasileira de Comercialização Solidária - Rede Comsol (Edital - Ubee/Ims N. 01/2014) 1. Apresentação A

Leia mais

Formulário de Apresentação de Proposta - TECNOVA PB

Formulário de Apresentação de Proposta - TECNOVA PB Formulário de Apresentação de Proposta - TECNOVA PB Secretaria de Recursos Hídricos, Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia - SERHMACT Fundação de Apoio à Pesquisa - FAPESQ Setembro/Outubro de 2013 TECNOVA

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS CUL 07-09 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS CUL 07-09 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS CUL 07-09 01 Vaga 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria de pessoa física para realizar ações e organizar atividades

Leia mais

Elaboração de Projetos

Elaboração de Projetos DE E DE Elaboração de Projetos PROGRAMAÇÃO DA AULA Estrutura de projetos de inovação Avaliação de projetos de inovação DE E DE Características dos Projetos de P&D DE E DE OPORTUNIDADES Parceiros Recursos

Leia mais

Curso de Capacitação de Gestores de APLs

Curso de Capacitação de Gestores de APLs Programa de Fortalecimento das Cadeias e Arranjos Produtivos Locais Curso de Capacitação de Gestores de APLs Porto Alegre, 22-24/abril/2013 1 Objetivo: Capacitar os gestores (técnicos) a promoverem os

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS SEPPIR/Nº 001/2008

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS SEPPIR/Nº 001/2008 Presidência da República Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial Subsecretaria de Políticas para Comunidades Tradicionais EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA DE PROJETOS SEPPIR/Nº 001/2008

Leia mais

Estado de Goiás Secretaria de Ciência e Tecnologia Superintendência de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Estado de Goiás Secretaria de Ciência e Tecnologia Superintendência de Desenvolvimento Científico e Tecnológico SIBRATEC Instituído por meio do Decreto 6.259, de 20 de novembro de 2007 e complementado pela Resolução do Comitê Gestor SIBRATEC nº 001, de 17 de março de 2008, para atender as demandas específicas de

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E INTERNET ASSESPRO REGIONAL PARANÁ

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E INTERNET ASSESPRO REGIONAL PARANÁ APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL ASSOCIAÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, SOFTWARE E INTERNET ASSESPRO REGIONAL PARANÁ LUÍS MÁRIO LUCHETTA DIRETOR PRESIDENTE GESTÃO 2005/2008 HISTÓRICO

Leia mais

CidadesDigitais. A construção de um ecossistema de cooperação e inovação

CidadesDigitais. A construção de um ecossistema de cooperação e inovação CidadesDigitais A construção de um ecossistema de cooperação e inovação CidadesDigitais PRINCÍPIOs 1. A inclusão digital deve proporcionar o exercício da cidadania, abrindo possibilidades de promoção cultural,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável ANEXO III ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável ANEXO III ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ANEXO III ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS O QUE É UM PROJETO? É um documento que organiza idéias para se realizar um empreendimento, explicitando o motivo de realizá-lo, as etapas de trabalho, as

Leia mais

Termo de Referência nº 2014.0918.00040-2. 1. Antecedentes

Termo de Referência nº 2014.0918.00040-2. 1. Antecedentes Termo de Referência nº 2014.0918.00040-2 Ref: Contratação de consultoria pessoa física para realização de um plano de sustentabilidade financeira para o Jardim Botânico do Rio de Janeiro, no âmbito da

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

Plano Plurianual 2012-2015

Plano Plurianual 2012-2015 12. Paraná Inovador PROGRAMA: 12 Órgão Responsável: Contextualização: Paraná Inovador Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - SETI As ações em Ciência, Tecnologia e Inovação visam

Leia mais

Taxonomias para orientar e coordenar a formulação, execução, acompanhamento e avaliação das políticas de APLS

Taxonomias para orientar e coordenar a formulação, execução, acompanhamento e avaliação das políticas de APLS Taxonomias para orientar e coordenar a formulação, execução, acompanhamento e avaliação das políticas de APLS José E Cassiolato Coordenador da RedeSist, IE-UFRJ Marcelo G P de Matos Pesquisador da RedeSist,

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO As ações de pesquisa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas constituem um processo educativo

Leia mais

Guia para Pré-Proposta FUMDEC Macaé

Guia para Pré-Proposta FUMDEC Macaé Guia para Pré-Proposta FUMDEC Macaé 1. Objetivo O presente guia tem como objetivo orientar o empreendedor a como preencher o Formulário de Pré-proposta para financiamento, item fundamental para início

Leia mais

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012 Programa 2047 - Micro e Pequenas Empresas Número de Ações 10 Tipo: Operações Especiais 0473 - Honra de Aval decorrente de Garantia do Risco das Operações de Financiamento a Micro, Pequenas e Médias Empresas

Leia mais

Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia

Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia ANEXO XIII XXXIII REUNIÓN ESPECIALIZADA DE CIENCIA Y TECNOLOGÍA DEL MERCOSUR Asunción, Paraguay 1, 2 y 3 de junio de 2005 Gran Hotel del Paraguay Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia Anexo XIII Projeto:

Leia mais

SELEÇÃO PROGRAMA PROCOMPI SEBRAE/CNI/FIEAC PROGRAMA DE APOIO À COMPETITIVIDADE DAS MICRO E PEQUENAS INDÚSTRIAS - PROCOMPI

SELEÇÃO PROGRAMA PROCOMPI SEBRAE/CNI/FIEAC PROGRAMA DE APOIO À COMPETITIVIDADE DAS MICRO E PEQUENAS INDÚSTRIAS - PROCOMPI SELEÇÃO PROGRAMA PROCOMPI SEBRAE/CNI/FIEAC PROGRAMA DE APOIO À COMPETITIVIDADE DAS MICRO E PEQUENAS INDÚSTRIAS - PROCOMPI EDITAL DE SELEÇÃO Nº 001/2011 PERFIL: Consultoria Técnica para o Programa de Apoio

Leia mais

ANEXO IV TERMO DE REFERÊNCIA E ELABORAÇÃO DO PROJETO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA CIÊNCIA, DA TECNOLOGIA E DA INOVAÇÃO

ANEXO IV TERMO DE REFERÊNCIA E ELABORAÇÃO DO PROJETO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA CIÊNCIA, DA TECNOLOGIA E DA INOVAÇÃO ANEXO IV TERMO DE REFERÊNCIA E ELABORAÇÃO DO PROJETO ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA CIÊNCIA, DA TECNOLOGIA E DA INOVAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA EDITAL 01/2013 PROPOSTA / ELABORAÇÃO DE PROJETOS

Leia mais

SENAI e SESI, parceiros da Indústria na Inovação

SENAI e SESI, parceiros da Indústria na Inovação SENAI e SESI, parceiros da Indústria na Inovação Março 2009 I DENOMINAÇÃO E FINALIDADE Art. 1º - Art. 2º - Denominação. SENAI/SESI Inovação 2009. É uma ação de abrangência nacional voltada para os Departamentos

Leia mais

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA ESTEVÃO FREIRE estevao@eq.ufrj.br DEPARTAMENTO DE PROCESSOS ORGÂNICOS ESCOLA DE QUÍMICA - UFRJ Tópicos: Ciência, tecnologia e inovação; Transferência de tecnologia; Sistemas

Leia mais

3 INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO BÁSICO

3 INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO BÁSICO 3 INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO BÁSICO IDENTIFICAÇÃO Nome do projeto Instituição proponente CNPJ/MF da Instituição proponente Responsável pela instituição proponente (nome, CPF, RG, endereço, telefone,

Leia mais

CONCEITOS DE INOVAÇÃO. Título da Apresentação

CONCEITOS DE INOVAÇÃO. Título da Apresentação CONCEITOS DE INOVAÇÃO Título da Apresentação Novo Marco Legal para Fomento à P,D&I Lei de Inovação. Nº 10.973 (02.12.04) Apresenta um conjunto de medidas de incentivos à inovação científica e tecnológica,

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS RECICLÁVEIS E RECICLADOS DISTRITO FEDERAL

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS RECICLÁVEIS E RECICLADOS DISTRITO FEDERAL ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS RECICLÁVEIS E RECICLADOS DISTRITO FEDERAL O arranjo produtivo dedicado aos resíduos sólidos é uma iniciativa inovadora de agentes produtivos locais como a Ascoles,

Leia mais

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação;

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação; DECRETO Nº 7.642, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 * Programa Ciência sem Fronteiras. * Institui o Programa Ciência sem Fronteiras. A Presidenta da República, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84,

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 254/2014

EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 254/2014 EDITAL DE SELEÇÃO DE PESSOAL Nº 254/2014 O Presidente do Instituto Pauline Reichstul-IPR, torna público que receberá inscrições para o processo seletivo de pessoal para atuação no projeto Ações Integradas

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII

CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII A Associação Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial EMBRAPII torna público o processo de seleção para credenciamento de Unidades EMBRAPII (UE)

Leia mais

ANEXO 2 PLANO DE INVESTIMENTO E GESTÃO SOCIOAMBIENTAL - MODELO 1.1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.2 IDENTIFICAÇÃO

ANEXO 2 PLANO DE INVESTIMENTO E GESTÃO SOCIOAMBIENTAL - MODELO 1.1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.2 IDENTIFICAÇÃO PLANO DE INVESTIMENTO E GESTÃO SOCIOAMBIENTAL MODELO Descrição da Proposta 1.1 SUMÁRIO EXECUTIVO Objetivos Resultados Esperados Estratégia de Ação Nome da Entidade 1.2 IDENTIFICAÇÃO Razão Social CGC/CNPJ

Leia mais

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO OBJETIVO Incrementar a economia digital do Estado de Alagoas e seus benefícios para a economia local, através de ações para qualificação, aumento de competitividade e integração das empresas e organizações

Leia mais

EDITAL Nº 02/2012 PROPP/UEMS/MCT/FINEP/CT- INFRA PROINFRA 01/2011

EDITAL Nº 02/2012 PROPP/UEMS/MCT/FINEP/CT- INFRA PROINFRA 01/2011 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DIVISÃO DE PESQUISA EDITAL Nº 02/2012 PROPP/UEMS/MCT/FINEP/CT- INFRA PROINFRA 01/2011 SELEÇÃO DE PROPOSTAS PARA APOIO

Leia mais

Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos

Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos Atores envolvidos Movimentos Sociais Agricultura Familiar Governos Universidades Comunidade Científica em Geral Parceiros Internacionais,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TOR)

TERMO DE REFERÊNCIA (TOR) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO DIRETORIA DE POLÍTICAS PARA EDUCAÇÃO DO CAMPO E DIVERSIDADE COORDENAÇÃO GERAL DE EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA

Leia mais

INSERIR LOGOMARCA DA INSTITUIÇÃO PROPONENTE INSERIR O TÍTULO DO PROJETO

INSERIR LOGOMARCA DA INSTITUIÇÃO PROPONENTE INSERIR O TÍTULO DO PROJETO INSERIR LOGOMARCA DA INSTITUIÇÃO PROPONENTE INSERIR O TÍTULO DO PROJETO O título do projeto deve delimitar a área de abrangência onde as ações serão executadas. Setembro, 2014 1 SUMÁRIO 1. DADOS GERAIS

Leia mais

ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade

ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade DECLARAÇÃO DOS MINISTROS DA AGRICULTURA, SÃO JOSÉ 2011 1. Nós, os Ministros e os Secretários de Agricultura

Leia mais

Prazo de execução: xxxx meses, a partir da assinatura do convênio

Prazo de execução: xxxx meses, a partir da assinatura do convênio MODELO PARA APRESENTAÇÃO PLANO DE TRABALHO EDITAL 2013 1 - IDENTIFICAÇÃO 1.1 DO PROJETO Nome do Projeto: Local onde será executado o projeto: (endereço completo) Nº de Beneficiários diretos: xx crianças

Leia mais

Planilha de Objetivos e Ações Viabilizadoras GT de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia A Santa Maria que Queremos

Planilha de Objetivos e Ações Viabilizadoras GT de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia A Santa Maria que Queremos Disseminar a cultura empreendedora e inovadora em Santa Maria Ações de disseminação da Cultura Empreendedora Ações de trabalho conjunto entre Universidades e Comunidade Divulgação do trabalho pelo CEI

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Página 1 de 5 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 7.405, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2010. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84,

Leia mais

Plano de Ação e Programa de Formação de Recursos Humanos para PD&I

Plano de Ação e Programa de Formação de Recursos Humanos para PD&I Plano de Ação e Programa de Formação de Recursos Humanos para PD&I 1. Plano de Ação A seguir apresenta-se uma estrutura geral de Plano de Ação a ser adotado pelo Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

Fluxo do Processo de Convênio, Acordo, Protocolo de Intenções

Fluxo do Processo de Convênio, Acordo, Protocolo de Intenções Fluxo do Processo de Convênio, Acordo, Protocolo de Intenções 1º Passo: A unidade interessada em celebrar o Convênio (ou Acordo ou Protocolo de Intenções) deverá formalizar solicitação abrindo processo,

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS FIN 04 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS FIN 04 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS FIN 04 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria Financeira de conciliação das informações repassadas pelos

Leia mais

TELECENTROS.BR PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À INCLUSÃO DIGITAL NAS COMUNIDADES. Informações preliminares Outubro de 2009

TELECENTROS.BR PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À INCLUSÃO DIGITAL NAS COMUNIDADES. Informações preliminares Outubro de 2009 TELECENTROS.BR PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À INCLUSÃO DIGITAL NAS COMUNIDADES Informações preliminares Outubro de 2009 1 OBSERVAÇÃO IMPORTANTE Esta apresentação é baseada na consolidação da proposta preliminar

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA nº 050/2015. Convênio PMSP/TERMO DE CONVÊNIO nº 025/2014/SDTE

CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA nº 050/2015. Convênio PMSP/TERMO DE CONVÊNIO nº 025/2014/SDTE CHAMADA PÚBLICA SIMPLIFICADA nº 050/2015 Convênio PMSP/TERMO DE CONVÊNIO nº 025/2014/SDTE A Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários do Brasil UNISOL, entidade sem fins econômicos, com sede

Leia mais

Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais. Secretaria Nacional de Programas Urbanos

Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais. Secretaria Nacional de Programas Urbanos Programa de Reabilitação de Áreas Urbanas Centrais Secretaria Nacional de Programas Urbanos CONCEITOS Área Urbana Central Bairro ou um conjunto de bairros consolidados com significativo acervo edificado

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 7.405, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2010. Institui o Programa Pró-Catador, denomina Comitê Interministerial para Inclusão Social

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL ESPECIALIZADO

TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL ESPECIALIZADO TERMOS DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL ESPECIALIZADO 1. IDENTIFICAÇÃO DO TERMO DE REFERÊNCIA 1.1 UGP Nº 002/ 2012. 2. IDENTIFICAÇÃO DO CONTRATANTE 2.1 Contratante A Secretaria de Desenvolvimento

Leia mais

O IDEC é uma organização não governamental de defesa do consumidor e sua missão e visão são:

O IDEC é uma organização não governamental de defesa do consumidor e sua missão e visão são: 24/2010 1. Identificação do Contratante Nº termo de referência: TdR nº 24/2010 Plano de aquisições: Linha 173 Título: consultor para desenvolvimento e venda de produtos e serviços Convênio: ATN/ME-10541-BR

Leia mais

EDITAL CHAMADA DE NEGÓCIOS FIAM2009 SELEÇÃO DE PROPOSTAS SALÃO DE NEGÓCIOS E EMPREENDEDORISMO INOVADOR

EDITAL CHAMADA DE NEGÓCIOS FIAM2009 SELEÇÃO DE PROPOSTAS SALÃO DE NEGÓCIOS E EMPREENDEDORISMO INOVADOR EDITAL CHAMADA DE NEGÓCIOS FIAM2009 SELEÇÃO DE PROPOSTAS SALÃO DE NEGÓCIOS E EMPREENDEDORISMO INOVADOR A Superintendência da Zona Franca de Manaus SUFRAMA e o Centro de Biotecnologia da Amazônia CBA selecionarão

Leia mais

Projeto Cidades da Copa PLANO DE AÇÃO PORTO ALEGRE - RS

Projeto Cidades da Copa PLANO DE AÇÃO PORTO ALEGRE - RS Projeto Cidades da Copa PLANO DE AÇÃO PORTO ALEGRE - RS PORTO ALEGRE EM AÇÃO É ESPORTE E EDUCAÇÃO O esporte não é educativo a priori, é o educador que precisa fazer dele ao mesmo tempo um objeto e meio

Leia mais

Documento de Referência do Projeto de Cidades Digitais Secretaria de Inclusão Digital Ministério das Comunicações

Documento de Referência do Projeto de Cidades Digitais Secretaria de Inclusão Digital Ministério das Comunicações Documento de Referência do Projeto de Cidades Digitais Secretaria de Inclusão Digital Ministério das Comunicações CIDADES DIGITAIS CONSTRUINDO UM ECOSSISTEMA DE COOPERAÇÃO E INOVAÇÃO Cidades Digitais Princípios

Leia mais

Dicas para Projetos de Financiamento em Inovação

Dicas para Projetos de Financiamento em Inovação Dicas para Projetos de Financiamento em Inovação Formulação de Projetos de Inovação Tecnológica Não se formulam projetos apenas para obter benefício de mecanismos públicos de estímulo

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA Nº 04

TERMO DE REFERENCIA Nº 04 TERMO DE REFERENCIA Nº 04 CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA PARA APOIO NA ELABORAÇÃO DE PRODUTO REFERENTE À AÇÃO 02 DO PROJETO OBSERVATÓRIO LITORAL SUSTENTÁVEL - INSTITUTO PÓLIS EM PARCERIA COM A PETROBRAS. Perfil:

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

PROPOSTA. Plano de Trabalho do Comitê Temático de APLs de Base Mineral 2011/ 2012.

PROPOSTA. Plano de Trabalho do Comitê Temático de APLs de Base Mineral 2011/ 2012. PROPOSTA Plano de Trabalho do Comitê Temático de APLs de Base Mineral 2011/ 2012. 1 Apresentação No campo da Política Nacional de Apoio aos Arranjos Produtivos Locais (APLs), o Grupo de Trabalho Permanente

Leia mais

Apoio para fornecedores do setor de Petróleo & Gás em São Paulo

Apoio para fornecedores do setor de Petróleo & Gás em São Paulo Apoio para fornecedores do setor de Petróleo & Gás em São Paulo Ubirajara Sampaio de Campos Subsecretário de Petróleo e Gás Secretaria de Energia do Estado de São Paulo Santos Offshore 09 Abril 2014 Indústria

Leia mais

SÍNTESE DO PLANO DE TRABALHO

SÍNTESE DO PLANO DE TRABALHO SÍNTESE DO PLANO DE TRABALHO Titulo do Projeto: CENTRO DE INOVAÇÃO & DIFUSÃO TECNOLÓGICA Convênio: SCIT 24/2013 Processo: 413-2500/13-5 Modalidade: Edital [02/2013 ] Situação: Em consolidação APRESENTAÇÃO

Leia mais

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS EIXO III - CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

EDITAL N 003/2015 PROEX SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA DE UNIDADES AUXILIARES DA UNESP

EDITAL N 003/2015 PROEX SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA DE UNIDADES AUXILIARES DA UNESP EDITAL N 003/2015 PROEX SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA DE UNIDADES AUXILIARES DA UNESP Seleção de propostas de extensão universitária de Unidades Auxiliares no âmbito da PROEX/UNESP para

Leia mais

Edital 02/2015 Saldo Remanescente

Edital 02/2015 Saldo Remanescente Edital 02/2015 Saldo Remanescente EDITAL Nº 02/2015 CMDCA EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS PARA FINANCIAMENTO NO ANO DE 2015 O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente CMDCA, no

Leia mais

Termo de Referência para contratação de consultor na modalidade Produto

Termo de Referência para contratação de consultor na modalidade Produto TÍTULO DO PROJETO: Fortalecimento da capacidade institucional com vistas a melhoria dos processos de monitoramento e avaliação dos programas de fomento voltados para a Educação Básica e para o Ensino Superior

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DO SETOR METAL MECÂNICO DO GRANDE ABC

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DO SETOR METAL MECÂNICO DO GRANDE ABC ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DO SETOR METAL MECÂNICO DO GRANDE ABC TERMO DE REFERÊNCIA Nº 002/2009 SERVIÇOS DE CONSULTORIA DE COORDENAÇÃO DO PROJETO Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Relações Institucionais)

Leia mais

Gestão de Competências em Redes de Organizações e Governança de Redes e de Arranjos

Gestão de Competências em Redes de Organizações e Governança de Redes e de Arranjos Gestão de Competências em Redes de Organizações e Governança de Redes e de Arranjos o que se discute na Academia e como usar na prática Sérgio Mecena, DSc. Laboratório Initiä de Inovação e Empreendedorismo

Leia mais

Descreva as suas experiências mais recentes com o apoio de fundos internacionais: Nome do Nome do Período Valor em Número de Nome do

Descreva as suas experiências mais recentes com o apoio de fundos internacionais: Nome do Nome do Período Valor em Número de Nome do ANEXO 1 Formulário Edital de Seleção de Pré-Projetos nº 001/2015 1. INFORMACÃO SOBRE A INSTITUICÃO Dados da Instituição Proponente Nome da Instituição: CNPJ: Natureza da Instituição: Endereço: Página da

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009.

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009. 1 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009. A Fundação Universidade do Tocantins UNITINS torna público

Leia mais

Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos

Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos PROCESSO SELETIVO 2011 Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos REGULAMENTO Prezado Gestor, Criado em 2006, o Instituto HSBC Solidariedade é responsável por gerenciar

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO TEMA: ELABORAÇÃO DE PROJETOS COM FOCO NA FAMÍLIA Março/2010 ELABORAÇÃO DE PROJETOS ELABOR-AÇÃO: palavra-latim-elabore preparar, formar,ordenar AÇÃO: atuação, ato PRO-JETOS: palavra-latim-projetus

Leia mais

Estruturação da Implementação do Sistema Globalmente Harmonizado de Classificação e Rotulagem de Produtos Químicos GHS no Brasil

Estruturação da Implementação do Sistema Globalmente Harmonizado de Classificação e Rotulagem de Produtos Químicos GHS no Brasil 1 Estruturação da Implementação do Sistema Globalmente Harmonizado de Classificação e Rotulagem de Produtos Químicos GHS no Brasil GT GHS Brasil 2 1. Sumário 1. Sumário i 2. Apresentação 2.1. Resumo do

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO N.º 005/2011

EDITAL DE SELEÇÃO COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO N.º 005/2011 EDITAL DE SELEÇÃO COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO N.º 005/2011 Aviso de Divulgação de Seleção de Instrutor Pleno para as. REF: CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA PARA ATENDIMENTO AO CONVENIO Nº 711591/2009 MDS/ITS/CEDEP

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA)

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional CONSULTOR JÚNIOR Número e Título do Projeto: BRA/09/004 Fortalecimento da CAIXA no seu processo

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE ENTRADA NO BH-TEC

SOLICITAÇÃO DE ENTRADA NO BH-TEC SOLICITAÇÃO DE ENTRADA NO BH-TEC DE... (Candidato)... (Data) 1. CARTA DE CANDIDATURA (Minuta) (Candidato) declara seu interesse em instalar-se no BH-TEC - Parque Tecnológico de Belo Horizonte. Na oportunidade,

Leia mais

GUIA PARA AVALIAÇÃO DAS PROPOSTAS DE PROJETOS COMPONENTE 4

GUIA PARA AVALIAÇÃO DAS PROPOSTAS DE PROJETOS COMPONENTE 4 FUNDO MULTILATERAL DE INVESTIMENTOS PROGRAMA REGIONAL DE FORMAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO LOCAL COM INCLUSÃO SOCIAL- CONECTADEL GUIA PARA AVALIAÇÃO DAS PROPOSTAS DE PROJETOS COMPONENTE 4 1. Objetivo

Leia mais

EDITAL 07/2015 DE CHAMADA PÚBLICA PARA PROJETOS SOCIAIS - COMDICA

EDITAL 07/2015 DE CHAMADA PÚBLICA PARA PROJETOS SOCIAIS - COMDICA EDITAL 07/2015 DE CHAMADA PÚBLICA PARA PROJETOS SOCIAIS - COMDICA O CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE COMDICA/Sapucaia do Sul, no uso das atribuições legais que lhe confere a

Leia mais

Governo do Estado do Ceará Secretaria do Planejamento e Gestão SEPLAG Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará - IPECE

Governo do Estado do Ceará Secretaria do Planejamento e Gestão SEPLAG Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará - IPECE Governo do Estado do Ceará Secretaria do Planejamento e Gestão SEPLAG Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará - IPECE TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE ESPECIALISTA EM LICITAÇÕES PARA O

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA EDITAL 2015 CAMPUS NATAL

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA EDITAL 2015 CAMPUS NATAL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA EDITAL DE EXTENSÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA EDITAL 2015 CAMPUS NATAL 1. EDITAL A Universidade Potiguar UnP, através da Pró-Reitoria Acadêmica, torna

Leia mais

PROGRAMA DE PRODUÇÃO E DIFUSÃO DE INOVAÇÕES PARA A COMPETITIVIDADE DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS (APL) DO ESTADO DE PERNAMBUCO (PROAPL).

PROGRAMA DE PRODUÇÃO E DIFUSÃO DE INOVAÇÕES PARA A COMPETITIVIDADE DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS (APL) DO ESTADO DE PERNAMBUCO (PROAPL). 1 BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO REPRESENTAÇÃO NO BRASIL PROGRAMA DE PRODUÇÃO E DIFUSÃO DE INOVAÇÕES PARA A COMPETITIVIDADE DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS (APL) DO ESTADO DE PERNAMBUCO (PROAPL).

Leia mais

PROGRAMA DE COOPERAÇÃO TÉCNICA DESCENTRALIZADA SUL-SUL RETIFICADO

PROGRAMA DE COOPERAÇÃO TÉCNICA DESCENTRALIZADA SUL-SUL RETIFICADO PROGRAMA DE COOPERAÇÃO TÉCNICA DESCENTRALIZADA SUL-SUL I. CONTEXTO RETIFICADO Nos anos 90 e início dos 2000, diversas cidades brasileiras e latino-americanas lançaram-se em ações internacionais, prática

Leia mais

Da Ideia ao Recurso: apoio financeiro para Inovação Tecnológica

Da Ideia ao Recurso: apoio financeiro para Inovação Tecnológica Da Ideia ao Recurso: apoio financeiro para Inovação Tecnológica Christimara Garcia CEO Inventta+bgi São Paulo, 29 de abril de 2015 CONTEXTO BRASILEIRO APOIO DIRETO Captação de Recursos Evolução dos desembolsos

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA AGÊNCIA BRASILEIRA DE COOPERAÇÃO - ABC INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA - IICA INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E

Leia mais

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica Edital 1/2014 Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica A (PoloSul.org) torna pública a presente chamada e convida os interessados para apresentar propostas de incubação

Leia mais

FOCOS DE ATUAÇÃO. Tema 8. Expansão da base industrial

FOCOS DE ATUAÇÃO. Tema 8. Expansão da base industrial FOCOS DE ATUAÇÃO Tema 8. Expansão da base industrial Para crescer, a indústria capixaba tem um foco de atuação que pode lhe garantir um futuro promissor: fortalecer as micro, pequenas e médias indústrias,

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE PROJETOS DE EXTENSÃO- EDITAL Nº 76, DE 10 DE JULHO DE 2014

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE PROJETOS DE EXTENSÃO- EDITAL Nº 76, DE 10 DE JULHO DE 2014 EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE PROJETOS DE EXTENSÃO- EDITAL Nº 76, DE 10 DE JULHO DE 2014 O Diretor Geral do Campus São Luís Centro Histórico, do Instituto Federal do Maranhão, torna público que estarão

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓOGICO DA PARAÍBA 01/2013

SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓOGICO DA PARAÍBA 01/2013 SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓOGICO DA PARAÍBA 01/2013 PROGRAMA DE INCUBAÇÃO DE EMPRESAS INOVADORAS A Diretora Geral da Fundação Parque Tecnológico

Leia mais