MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA 1 a LISTA DE EXERCÍCIOS DE MAT Suponha que uma força de 1 newtons é aplicada em um objeto ao longo do semi-eixo negativo dos x e que uma força de 5 newtons é aplicada ao longo do semi-eixo positivo dos y. Encontre a intensidade, a direção e o sentido da força resultante. Represente graficamente.. Suponha que um barco está atravessando um rio na direção leste a uma velocidade de quilômetros por hora, enquanto a corrente do rio está fluindo na direção sul a uma velocidade de quilômetros por hora. Encontre a velocidade resultante do barco e desenhe sua direção e sentido.. O vetor u = (0,0,80,10) dá o número de amplificadores, tocadores de CD, alto-falantes e toca-fitas em uma loja. O vetor v = (00,10,80,70) dá o preço (em reais) de cada amplificador, tocador de CD, alto-falante e toca-fitas, respectivamente. O que o produto escalar uv diz para o dono?. Sabendo que o ângulo entre os vetores u=(,1,-1) e v=(1,-1, m+) é π/, determine m. 5. Verifique que: n = <, >+, uv, R. u v u uv v 6. Sejam u e v vetores não-nulos no espaço bi ou tridimensional. a) Aplicando a lei dos cossenos ao triângulo na figura ao lado, mostre que u v = u + v u v cosθ b) Utilize o item a) e o exercício 5 para mostrar que uv, u v cosθ < >= onde θ é o ângulo compreendido entre u e v. u -v u θ v 0 7. A figura abaixo, apresenta um paralelepípedo retângulo de arestas paralelas aos eixos coordenados e de medidas, e 5. Encontre as coordenadas dos pontos A, B, C, D e E e determine as componentes dos vetores a) Mostre que o vetor b) Mostre que o vetor AC é combinação linear dos vetores BA e AC não é uma combinação linear dos vetores 8. Considere os vetores u = (1, 1,), v = (, 1,1) e w = (,6, ) : a) Calcule: a.1) u + v a.) u + v a.) 1 w w BC. BA e BE. a.5) ( uww ) AC, b) Encontre dois vetores z e t tais que u= z+ t, z é paralelo a (1,0,1) e t é ortogonal a este último. 9. Encontre o ângulo entre a diagonal de um cubo e uma de suas faces. 10. Prove que se u é ortogonal a v - w, e v é ortogonal a w - u, então w é ortogonal a u - v. BA e BE.

2 π 11. Sabendo que o ângulo entre os vetores u e v é de, determine o ângulo formado pelos vetores: 6 a. u e v; b. u e v 1. Se u 0, é correto cancelar u de ambos os lados da equação u v = u w e concluir que v= w? Explique seu raciocínio. 1. Sejam u = (,1,), v = (,0, 8) e w = (6, 1, ). Encontre escalares c 1 tais que cu 1 + cv + cw = (,0,). 1. Encontre todos os escalares c 1 tais que c 1 (1,,0) + c (,1,1) + c (0,,1) = (0,0,0) 15. Nos itens a e b são apresentados um conjunto com as operações de adição e multiplicação por escalar nele definidas. Verifique se eles são espaços vetoriais. Para aquele que não foritar os axiomas que não se verificam. a. V = : ( a, b ) + (c, d ) = ( a + b, 0) e multiplicação escalar usual b. V = : ( a, b ) + (c, d ) = ( a + b + d) e α (a, b ) = (α a, α b) 16. Verifique detalhadamente que os seguintes conjuntos são espaços vetoriais (com a soma e o produto por escalar usuais): a) Matrizes quaisquer de ordem X; b) Polinômios de grau menor ou igual a ; c) Conjunto das funções contínuas de I R em I R. 17. Em cada item deste exercício são dados um espaço vetorial V e um subconjunto W de V. Verifique se W é um subespaço do espaço vetorial V. V =, +,.,,, W = xyz R ; x+ y+ z = 0 ; a) ( ) b) V = (, +,., ) R R ( ) R R ( ) c) V = (, +,., ) d) = ( M + ) { } {,, R ; 1 } ; W = xyz x+ y+ z M R W = conjunto de todas as matrizes simétricas, isto é, as matrizes t V,,., R W = conjunto de todas as matrizes com determinante igual a zero; 18. Considere W = {( xyz,, ) R tal que ax+ by+ cz = d, onde a, bcd,, } abc,, A= A R. Para que valores de e d, W é um subespaço vetorial do espaço vetorial R? Interprete geometricamente sua conclusão. 19. Mostre que seguintes subconjuntos do são subespaços do a. {(x, y, z, t) :x-y-z = 0 } b. {(x, y, z, t) :x-y+z = 0 e t = 0 } 0. Sejam os vetores u = (,-, ) e v = (-1,, ) em. a. Escreva w = (7,-11, ) como combinação linear de u e v. b. O vetor (,-5,) pode ser escrito como combinação linear de u e v? Por que? c. Para que valor de k é w = (-8,1, k) uma combinação linear de u e v? d. Encontre condições sobre a, b, e c de modo que (a, b) seja uma combinação linear de u e v. 1. Quais dos subconjuntos seguintes são subespaços vetoriais de M? a b c a) W = ; d = a + b+ c ; 0 d 0 a b c b) W = 0 0 0,d < a + b + c ; 0 d 0

3 . Sejam os vetores u = (-1,, 1), v = (1,, 0) e w = (-,-1, 0). Expressar cada um dos vetores v 1 = (-8,, 1), v =(0,, ) e v = ( 0, 0, 0) como combinação linear de u, v, e w.. Escreva E como combinação linear, se possível, de A = B = C = , , 0 0, onde (i) E = (ii) E = 1 Que conjunto de vetores de M ( R ) que podem ser escritos como combinação linear de A, B e C?. Mostre que (1,1,1), (0,1,1), (0,1,-1) geram o. O que isto significa? 5. Determine condições sobre a, b de modo que (a, b) R pertença ao espaço gerado pelos vetores u = (, 1, 0), v = (1,-1, ) e w = (0,,-). 6. Para qual valor de k o vetor u ( 1,,k ) w = (, 1, 5)? 7. Determine que condições b dos vetores u = ( 1,,) e w = (, 11, ). = em R será uma combinação linear dos vetores v = (,0, ) e a, e c devem satisfazer para que o vetor v ( a, b, c) 8. Mostre que o plano yz, isto é W = {(0, b), b IR } em a. (0,1,1) e ( 0,,-1) b. (0,1,), (0,,) e (0,,1) R é gerado por: = seja combinação linear c. Por que um mesmo plano pode ser gerado por dois ou três vetores? Este mesmo plano pode ser gerado por um vetor? Exiba um conjunto de quatro vetores que geram W e um conjunto de dois vetores que geram W. 9. Verifique se o vetor u = (1,, ) pertence ao subespaço do R gerado pelos vetores v = (0, 1, ) e w = (1, 0, 1). 0. Verifique se o conjunto C = { ,,, } geram o espaço vet. M 1 ( R ). 1. Mostre que os conjuntos {(1,-1,), (,0,1)} e {(-1,-,), (,,-)} geram o mesmo subespaço vetorial do R.. Determine um conjunto de geradores para cada um dos seguintes subespaços do a. U={(x,y,z) : x - y = 0} b. V={(x,y,z) : x + z = 0 e x - y = 0} c. U V. Encontre um vetor em vetores (1,,) e ( 1,-1,1). R. R que gere a interseção de V e W onde V é o plano xy e W é o espaço gerado pelos. Mostre que a interseção de subespaços é também um subespaço e verifique com um exemplo que a união de subespaços nem sempre é um subespaço. 5. Mostre com um exemplo que a união de dois subespaços de um espaço vetorial não precisa ser necessariamente um subespaço desse espaço.

4 6. Mostre que a união de subespaços de um espaço vetorial V é também um subespaço se, e somente se, um dos subespaços dados está contido no outro. 7. Seja S o subespaço do R definido por S = {(x, y, z, t) R / x + y - z = 0 e t = 0}.Pergunta-se: a. (-1,,, 0) pertence a S? b. (, 1,, 0) pertence a S? c. Determine dois vetores que geram S. Eles são os únicos? Se não, apresente outros! 8. Determine [S], onde S = {(1,,5,),(,,1, ),(,8,, 5) }. 9. Verifique se o vetor p = t t pertence ao subespaço de P gerado por { t 1, t + 1, t}. 0. Determine para que valores de k os vetores do R abaixo são l.i ou l.d. a) u = ( 1,1, ), v = ( 1,,) e w = ( k, 1,1) ; b) u = ( 1, 0, 7), v = (,5, k ), w = ( 0,, ) e ( k,,1) z = ; 1. Suponha que { u, v, w} é um conjunto l.i. Então { u + v u v, u v + w}, é l.i. ou l.d.? Justifique.. Os conjuntos abaixo são linearmente independentes ou linearmente dependentes? Justifique (Faça contas somente quando for realmente necessário!) + + P ; a) { x x, x, 5x 7x, x 8, 6x} 5 b) {( 1,0,,0,1 ), ( 0,1,0,,1 ), (,,, 6,5) } c).{(,-1,)} R ; d) {(,-1,0), (-1,,0),(,5,0)} e) {(,1,), (0,0,0), (1,5,)}. Suponha que S = {v 1, v } seja LI mas {v 1, v,w} seja LD. Então w é combinação linear dos vetores de S.. Sejam v 1, v vetores LI de um espaço vetorial V. e suponha que u é uma combinação linear desses vetores, digamos u = α v + α v α v onde os α i são escalares. Mostre que a representação de u 1 1 n n acima é única. Dê um exemplo em mostrando que se o conjunto de vetores for LD então a representação não será única. 5. Prove que o subconjunto S = { v 1, v } de vetores de um espaço vetorial V e LD se, e somente se, existe k inteiro, 1 k n tal que v k é combinação linear dos demais vetores do subconjunto S. 6. Mostre que: a. Se u, v, w são LI então u + v, u + w e v + w são LI. b. Se um conjunto A V contém o vetor nulo então A é LD. c. Se uma parte de um conjunto A V é LD então A é LD. d. Se um conjunto A V é LI, qualquer parte de A é LI

5 5 7. Consideremos no espaço vetorial os vetores u = (1 - a, 1 + a) e v = (1 + a, 1 - a) onde a 0. Mostre que {u, v} é L.I. 8. Mostre que o conjunto {(1, 0, a), (1, 1, a), (1, 1, a )} de vetores do é L.I. se que a 0 e a Se u, v, e w são vetores de um espaço vetorial V tais que u [w] e v [w] mostrar que {u,v} é L.I. 50. Determine uma base e a dimensão do subespaço de 51. Determine uma base e a dimensão dos subespaços vetoriais a. a b c W = ; abc,, ; c b a M R b. W = {( xy, ) ; x y = 0 } R ; c. W = ( 1,, ), ( 0,0,, ) (,, ) ; d. W = {( xyzt,,, ) ; x y = 0 t+ x= z 5 } R e ; M formado por todas as matrizes diagonais. 5. Sendo v 1 = (1, ), determinar v tal que { v1, v} seja base do. 5. Quais dos seguintes conjuntos formam uma base do? Nos que formarem, escrever um vetor genérico do como combinação linear dos elementos desse conjunto. (a) {(1, 0, 1), (0, -1, ),(-, 1, -)} (b) {(, 1, -1), (-1, 0, 1), (0, 0, 1)} (c) {(,, -1), (-, 1, 1), (, 0, 1)} 5. Mostre que 1 1 7,,, é uma base de M ( ) 55. Mostre que os vetores v 1 = (1, 1, 1), v = (1,, ), v = (, 0, ), v = (, -1, 1) geram o e encontrar uma base dentre esses vetores. 56. Determinar o vetor coordenada de v = (6, ) em relação às seguintes bases: (a) {(, 0), (0, )} (b) {(1, ), (, 1)} (c) {(1, 0), (0, 1)} 57. Considere a seguinte base do espaço vetorial B = {(1, 0, 0), (0, 1, 0), (1, -1, 1)}. Determine o vetor coordenada de v em relação à base B se: (a) v = (, -, ) (b) v = (, 5, 6) (c) v = (1,-, 1) 58. Determine uma base de que contenha os seguintes vetores (1, 1, 1, 0), (1, 1,, 1). 59. Determine a dimensão e uma base para cada um dos seguintes subespaços vetoriais de M ( ) a (a) c b ; c = a - b e d = 0 a (b) d c b ; a + d = b + c d

6 6 60. Seja W o subespaço do gerado pelos vetores (1,-, 5,-), (,,1,-) e (,8,-,-5). (i) Encontre uma base e a dimensão de W (ii) Estenda a base de W a uma base do espaço todo (iii) Faça agora o caminho inverso, encontre os vetores da base canônica do que geram W. Qualquer combinação de três vetores da base canônica do vai gerar W? 61. Encontrar uma base e a dimensão do espaço-solução do sistema linear 6. Achar uma base e a dimensão dos seguintes subespaços do : (a) U = {(x, y, z, t) : x - z = 0 e x + y + t = 0} (b) U = {(x, y, z, t) :x y + z = 0} x + y - z + 5t = 0 x - y + z - t = 0. 6x + y + t = 0 6. Em consideremos os seguintes subespaços os subespaços U e V, Em cada item abaixo, determine uma base e a dimensão dos subespaços U, V, U + V e U V. (a) U={(x, y, z): x = 0}, V={(x, y, z): y-z = 0} (b) U={(x,y,z) : x + y = x-z = 0} e V=[(1,-1,), (,1,1)], 6. Sejam U e W os subespaços do R gerados por (a) Determine uma base para cada um dos espaços U e W. (b) Determine dim U, dim W, dim ( U W ) e dim (U+W). 65. Sejam U e W os subespaços do { at + bt + ct + d,d = a + b + c} W =. (a) Determine uma base para cada um dos espaços U e W. (b) Determine dim U, dim W, dim ( U W ) e dim (U+W). S R = {(1,1,0, 1),(1,,,0), (,,, 1)} e respectivamente. = {(1,,, ),(,,, ), (1,,, )} P dados por U { at + bt + ct + d,a = b c} = e 66. Quais as coordenadas do vetor v = (1,0,0) em relação à base β = {( 1,1,1),( 1,1,0),(1,0, 1)}? 67. Determine as coordenadas do vetor u=(,-5,) do em relação às seguintes bases: (a) canônica (b) {(1,1,1), (1,,0), (,1,0)} (c) {(1,,1),(0,,), (1,1,)} 68. Quais as coordenadas do vetor p = t t + 1 em relação à base β = { t + 1, t 1, t,}?

Universidade Federal de Viçosa Centro de Ciências Exatas Departamento de Matemática 3 a Lista - MAT 137 - Introdução à Álgebra Linear 2013/I

Universidade Federal de Viçosa Centro de Ciências Exatas Departamento de Matemática 3 a Lista - MAT 137 - Introdução à Álgebra Linear 2013/I 1 Universidade Federal de Viçosa Centro de Ciências Exatas Departamento de Matemática 3 a Lista - MAT 137 - Introdução à Álgebra Linear 013/I 1 Sejam u = ( 4 3) v = ( 5) e w = (a b) Encontre a e b tais

Leia mais

1. Conhecendo-se somente os produtos AB e AC, calcule A = X 2 = 2X. 3. Mostre que se A e B são matrizes que comutam com a matriz M = 1 0

1. Conhecendo-se somente os produtos AB e AC, calcule A = X 2 = 2X. 3. Mostre que se A e B são matrizes que comutam com a matriz M = 1 0 Lista de exercícios. AL. 1 sem. 2015 Prof. Fabiano Borges da Silva 1 Matrizes Notações: 0 para matriz nula; I para matriz identidade; 1. Conhecendo-se somente os produtos AB e AC calcule A(B + C) B t A

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA Centro de Ciências Exatas Departamento de Matemática

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA Centro de Ciências Exatas Departamento de Matemática UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA Centro de Ciências Exatas Departamento de Matemática 2 a Lista - MAT 137 - Introdução à Álgebra Linear II/2005 1 Resolva os seguintes sistemas lineares utilizando o Método

Leia mais

ESPAÇOS VETORIAIS. Álgebra Linear e Geometria Analítica Prof. Aline Paliga

ESPAÇOS VETORIAIS. Álgebra Linear e Geometria Analítica Prof. Aline Paliga ESPAÇOS VETORIAIS Álgebra Linear e Geometria Analítica Prof. Aline Paliga INTRODUÇÃO Sabe-se que o conjunto 2 ( x, y) / x, y é interpretado geometricamente como o plano cartesiano. O par ordenado (x,y)

Leia mais

1. Entre as funções dadas abaixo, verifique quais são transformações lineares: x y z

1. Entre as funções dadas abaixo, verifique quais são transformações lineares: x y z MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA 657- - VIÇOSA - MG BRASIL a LISTA DE EXERCÍCIOS DE MAT 8 I SEMESTRE DE Entre as funções dadas abaixo, verifique quais são transformações

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro / PUC-Rio Departamento de Engenharia Mecânica. ENG1705 Dinâmica de Corpos Rígidos.

Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro / PUC-Rio Departamento de Engenharia Mecânica. ENG1705 Dinâmica de Corpos Rígidos. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro / PUC-Rio Departamento de Engenharia Mecânica ENG1705 Dinâmica de Corpos Rígidos (Período: 2016.1) Notas de Aula Capítulo 1: VETORES Ivan Menezes ivan@puc-rio.br

Leia mais

x 1 3x 2 2x 3 = 0 2 x 1 + x 2 x 3 6x 4 = 2 6 x x 2 3x 4 + x 5 = 1 ( f ) x 1 + 2x 2 3x 3 = 6 2x 1 x 2 + 4x 3 = 2 4x 1 + 3x 2 2x 3 = 4

x 1 3x 2 2x 3 = 0 2 x 1 + x 2 x 3 6x 4 = 2 6 x x 2 3x 4 + x 5 = 1 ( f ) x 1 + 2x 2 3x 3 = 6 2x 1 x 2 + 4x 3 = 2 4x 1 + 3x 2 2x 3 = 4 INSTITUTO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO MAT-47 Álgebra Linear para Engenharia I Primeira Lista de Exercícios - Professor: Equipe da Disciplina EXERCÍCIOS. Resolva os seguintes sistemas:

Leia mais

(x 1 + iy 1 ) + (x 2 + iy 2 ) = x 1 + x 2 + i(y 1 + y 2 ) a(x + iy) = ax + i(ay)

(x 1 + iy 1 ) + (x 2 + iy 2 ) = x 1 + x 2 + i(y 1 + y 2 ) a(x + iy) = ax + i(ay) Espaços Vetoriais Definição. Um espaço vetorial sobre R é um conjunto V no qual se tem definida uma adição e uma multiplicação de seus elementos por escalares (isto é, por números reais), ou seja, dados

Leia mais

6. Calcular as equações paramétricas de uma reta s que passa pelo ponto A(1, 1, 1) e é ortogonal x 2

6. Calcular as equações paramétricas de uma reta s que passa pelo ponto A(1, 1, 1) e é ortogonal x 2 Lista 2: Retas, Planos e Distâncias - Engenharia Mecânica Professora: Elisandra Bär de Figueiredo x = 2 + 2t 1. Determine os valores de m para que as retas r : y = mt z = 4 + 5t sejam: (a) ortogonais (b)

Leia mais

Álgebra Linear Exercícios Resolvidos

Álgebra Linear Exercícios Resolvidos Álgebra Linear Exercícios Resolvidos Agosto de 001 Sumário 1 Exercícios Resolvidos Uma Revisão 5 Mais Exercícios Resolvidos Sobre Transformações Lineares 13 3 4 SUMA RIO Capítulo 1 Exercícios Resolvidos

Leia mais

Capítulo Equações da reta no espaço. Sejam A e B dois pontos distintos no espaço e seja r a reta que os contém. Então, P r existe t R tal que

Capítulo Equações da reta no espaço. Sejam A e B dois pontos distintos no espaço e seja r a reta que os contém. Então, P r existe t R tal que Capítulo 11 1. Equações da reta no espaço Sejam A e B dois pontos distintos no espaço e seja r a reta que os contém. Então, P r existe t R tal que AP = t AB Fig. 1: Reta r passando por A e B. Como o ponto

Leia mais

Bacharelado em Ciência e Tecnologia 2ª Lista de Exercícios - Geometria Analítica

Bacharelado em Ciência e Tecnologia 2ª Lista de Exercícios - Geometria Analítica MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS AMBIENTAIS Bacharelado em Ciência e Tecnologia ª Lista de Exercícios - Geometria Analítica 008. ) São dados os pontos

Leia mais

Universidade Federal Fluminense - GAN

Universidade Federal Fluminense - GAN Solimá Gomes Pimentel Universidade Federal Fluminense IM - GAN Solimá Gomes Pimentel, ****- Matemática para Economia III/Solimá Gomes Pimentel 2pt, ; 31cm Inclui Bibliografia. 1. Matemática para Economia

Leia mais

1 Geometria Analítica Plana

1 Geometria Analítica Plana UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PARANÁ CAMPUS DE CAMPO MOURÃO Curso: Matemática, 1º ano Disciplina: Geometria Analítica e Álgebra Linear Professora: Gislaine Aparecida Periçaro 1 Geometria Analítica Plana A Geometria

Leia mais

Lista de exercícios: Unidade 1 Espaços Vetoriais

Lista de exercícios: Unidade 1 Espaços Vetoriais Lista de exercícios: Unidade 1 Espaços Vetoriais Nos problemas de 1 a 7 apresenta-se um conjunto com as operações de adição e multiplicação por escalar nele definidas. Verificar quais deles são espaços

Leia mais

Aula 12. Ângulo entre duas retas no espaço. Definição 1. O ângulo (r1, r2 ) entre duas retas r1 e r2 se define da seguinte maneira:

Aula 12. Ângulo entre duas retas no espaço. Definição 1. O ângulo (r1, r2 ) entre duas retas r1 e r2 se define da seguinte maneira: Aula 1 1. Ângulo entre duas retas no espaço Definição 1 O ângulo (r1, r ) entre duas retas r1 e r se define da seguinte maneira: (r1, r ) 0o se r1 e r são coincidentes, Se as retas são concorrentes, isto

Leia mais

TRANSFORMAÇÕES LINEARES

TRANSFORMAÇÕES LINEARES ransformação Linear RNSFORMÇÕES LINERES Sejam e espaços vetoriais reais Dizemos que uma função : é uma transformação linear se a função preserva as operações de adição e de multiplicação por escalar, isto

Leia mais

Na figura acima, o vetor tem origem no ponto A e extremidade no ponto B. Notação usual: 1 O ESPAÇO R3

Na figura acima, o vetor tem origem no ponto A e extremidade no ponto B. Notação usual: 1 O ESPAÇO R3 VETORES E R3 Ultra-Fast Prof.: Fábio Rodrigues fabio.miranda@engenharia.ufjf.br Obs.: A maioria das figuras deste texto foram copiadas do livro virtual álgebra vetorial e geometria analítica, 9ª edição,

Leia mais

Capítulo 1 - Cálculo Matricial

Capítulo 1 - Cálculo Matricial Capítulo 1 - Carlos Balsa balsa@ipb.pt Departamento de Matemática Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Bragança Matemática I - 1 o Semestre 2011/2012 Matemática I 1/ 33 DeMat-ESTiG Sumário Cálculo

Leia mais

3. Obter a equação do plano que contém os pontos A = (3, 0, 1), B = (2, 1, 1) e C = (3, 2, 2).

3. Obter a equação do plano que contém os pontos A = (3, 0, 1), B = (2, 1, 1) e C = (3, 2, 2). Lista II: Retas, Planos e Distâncias Professora: Ivanete Zuchi Siple. Equação geral do plano que contém o ponto A = (,, ) e é paralelo aos vetores u = (,, ) e v = (,, ).. Achar a equação do plano que passa

Leia mais

Capítulo 1 - Cálculo Matricial

Capítulo 1 - Cálculo Matricial Capítulo 1 - Carlos Balsa balsa@ipb.pt Departamento de Matemática Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Bragança Matemática I - 1 o Semestre 2011/2012 Matemática I 1/ 34 DeMat-ESTiG Sumário Cálculo

Leia mais

Dependência linear e bases

Dependência linear e bases Dependência linear e bases Sadao Massago 2014 Sumário 1 Dependência linear 1 2 ases e coordenadas 3 3 Matriz mudança de base 5 Neste texto, introduziremos o que é uma base do plano ou do espaço 1 Dependência

Leia mais

Álgebra Linear I - Aula 19

Álgebra Linear I - Aula 19 Álgebra Linear I - Aula 19 1. Matrizes diagonalizáveis. 2. Matrizes diagonalizáveis. Exemplos. 3. Forma diagonal de uma matriz diagonalizável. 1 Matrizes diagonalizáveis Uma matriz quadrada T = a 1,1 a

Leia mais

Vetores e Geometria Analítica

Vetores e Geometria Analítica Vetores e Geometria Analítica Vetores ECT2102 Prof. Ronaldo Carlotto Batista 28 de março de 2016 Sistema de coordenadas e distâncias Nesse curso usaremos o sistema de coordenadas cartesiano destro em três

Leia mais

Geometria Analítica. Geometria Analítica 28/08/2012

Geometria Analítica. Geometria Analítica 28/08/2012 Prof. Luiz Antonio do Nascimento luiz.anascimento@sp.senac.br www.lnascimento.com.br Conjuntos Propriedades das operações de adição e multiplicação: Propriedade comutativa: Adição a + b = b + a Multiplicação

Leia mais

Geometria analítica. Professor Me: Lucas Corrêa de Almeida

Geometria analítica. Professor Me: Lucas Corrêa de Almeida Geometria analítica Professor Me: Lucas Corrêa de Almeida Definição A palavra geometria vem do grego geometrien onde geo significa terra e metrien medida. Geometria foi, em sua origem, a ciência de medição

Leia mais

Álgebra Linear. Mauri C. Nascimento Departamento de Matemática UNESP/Bauru. 19 de fevereiro de 2013

Álgebra Linear. Mauri C. Nascimento Departamento de Matemática UNESP/Bauru. 19 de fevereiro de 2013 Álgebra Linear Mauri C. Nascimento Departamento de Matemática UNESP/Bauru 19 de fevereiro de 2013 Sumário 1 Matrizes e Determinantes 3 1.1 Matrizes............................................ 3 1.2 Determinante

Leia mais

Posição relativa entre retas e círculos e distâncias

Posição relativa entre retas e círculos e distâncias 4 Posição relativa entre retas e círculos e distâncias Sumário 4.1 Distância de um ponto a uma reta.......... 2 4.2 Posição relativa de uma reta e um círculo no plano 4 4.3 Distância entre duas retas no

Leia mais

p a p. mdc(j,k): máximo divisor comum dos números inteiros j e k. n(x) : número de elementos de um conjunto finito X. (a,b) = {x : a < x < b}.

p a p. mdc(j,k): máximo divisor comum dos números inteiros j e k. n(x) : número de elementos de um conjunto finito X. (a,b) = {x : a < x < b}. MATEMÁTICA NOTAÇÕES = {0,,,,...} : conjunto dos números inteiros : conjunto dos números racionais : conjunto dos números reais : conjunto dos números complexos i: unidade imaginária; i = Izl: módulo do

Leia mais

1) A seguir são dados operadores lineares T em IR e em IR. Verificar quais são inversíveis e, nos casos afirmativos, determinar uma fórmula para T.

1) A seguir são dados operadores lineares T em IR e em IR. Verificar quais são inversíveis e, nos casos afirmativos, determinar uma fórmula para T. Lista de Exercícios cap 5 1) A seguir são dados operadores lineares T em IR e em IR. Verificar quais são inversíveis e, nos casos afirmativos, determinar uma fórmula para T. a) T: IR²IR², T(x, y) = (3x

Leia mais

Curso de Geometria Analítica

Curso de Geometria Analítica Curso de Geometria Analítica Abrangência: Graduação em Engenharia e Matemática - Professor Responsável: Anastassios H. Kambourakis Resumo Teórico 10 - Posições relativas entre Pontos Retas e Planos. I.

Leia mais

ÍNDICE MATRIZES SISTEMAS DE EQUAÇÕES LINEARES ESPAÇO VETORIAL REAL DE DIMENSÃO FINITA

ÍNDICE MATRIZES SISTEMAS DE EQUAÇÕES LINEARES ESPAÇO VETORIAL REAL DE DIMENSÃO FINITA ÍNDICE MATRIZES Definição 1 Igualdade 2 Matrizes Especiais 2 Operações com Matrizes 3 Classificação de Matrizes Quadradas 9 Operações Elementares 11 Matriz Equivalente por Linha 11 Matriz na Forma Escalonada

Leia mais

Programa. 3. Curvas no Plano: equação de lugar geométrico no plano; equações reduzidas da elipse,

Programa. 3. Curvas no Plano: equação de lugar geométrico no plano; equações reduzidas da elipse, Programa 1. Vetores no Plano e no Espaço: conceito; adição de vetores; multiplicação de vetor por n real; combinação linear de vetores; coordenadas; produto interno; produto vetorial; produto misto. 2.

Leia mais

Figura disponível em: .

Figura disponível em: <http://soumaisenem.com.br/fisica/conhecimentos-basicos-e-fundamentais/grandezas-escalares-egrandezas-vetoriais>. n. 7 VETORES vetor é um segmento orientado; são representações de forças, as quais incluem direção, sentido, intensidade e ponto de aplicação; o módulo, a direção e o sentido caracterizam um vetor: módulo

Leia mais

Prof. José Carlos Morilla

Prof. José Carlos Morilla 1 Cálculo Vetorial e Geometria Analítica Santos 009 1 CÁLCULO VETORIAL... 4 1.1 Segmentos Orientados... 4 1. Vetores... 4 1..1 Soma de um ponto com um vetor... 5 1.. Adição de vetores... 5 1..3 Diferença

Leia mais

Números Reais. Víctor Arturo Martínez León b + c ad + bc. b c

Números Reais. Víctor Arturo Martínez León b + c ad + bc. b c Números Reais Víctor Arturo Martínez León (victor.leon@unila.edu.br) 1 Os números racionais Os números racionais são os números da forma a, sendo a e b inteiros e b 0; o conjunto b dos números racionais

Leia mais

NOTAÇÕES. R : conjunto dos números reais C : conjunto dos números complexos

NOTAÇÕES. R : conjunto dos números reais C : conjunto dos números complexos NOTAÇÕES R : conjunto dos números reais C : conjunto dos números complexos i : unidade imaginária: i = 1 z : módulo do número z C Re(z) : parte real do número z C Im(z) : parte imaginária do número z C

Leia mais

Álgebra Linear I - Aula 5. Roteiro

Álgebra Linear I - Aula 5. Roteiro 1. Produto vetorial. 2. Aplicações. 3. Produto misto. Álgebra Linear I - Aula 5 1 Produto vetorial Roteiro Definição: Dados vetores ū = (u 1, u 2, u 3 ) e v = (v 1, v 2, v 3 ) de R 3 definimos o produto

Leia mais

Ponto 1) Representação do Ponto

Ponto 1) Representação do Ponto Ponto 1) Representação do Ponto Universidade Federal de Pelotas Cálculo com Geometria Analítica I Prof a : Msc. Merhy Heli Rodrigues Plano Cartesiano, sistemas de coordenadas: pontos e retas Na geometria

Leia mais

PLANO DE ENSINO e APRENDIZAGEM Álgebra Linear

PLANO DE ENSINO e APRENDIZAGEM Álgebra Linear UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA PARFOR CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA PLANO DE ENSINO e APRENDIZAGEM Álgebra Linear I IDENTIFICAÇÃO 1.1. Disciplina:

Leia mais

Álgebra Linear Transformações Lineares

Álgebra Linear Transformações Lineares Álgebra Linear Transformações Lineares Prof. Carlos Alexandre Mello cabm@cin.ufpe.br cabm@cin.ufpe.br 1 Transformações Lineares Funções lineares descrevem o tipo mais simples de dependência entre variáveis

Leia mais

AULA Exercícios. DEMONSTRAR QUE UMA TRANSFORMAÇÃO É LINEAR Se A é uma matriz real m n e. u R, a aplicação T : R R tal que

AULA Exercícios. DEMONSTRAR QUE UMA TRANSFORMAÇÃO É LINEAR Se A é uma matriz real m n e. u R, a aplicação T : R R tal que Note bem: a leitura destes apontamentos não dispensa de modo algum a leitura atenta da bibliografia principal da cadeira Chama-se a atenção para a importância do trabalho pessoal a realizar pelo aluno

Leia mais

2.1 Equações do Plano

2.1 Equações do Plano 2.1 Equações do Plano EXERCÍCIOS & COMPLEMENTOS 2.1 1. Classi que as a rmações em verdadeiras V) ou falsas F), justi cando cada resposta. a) ) Um ponto A x; y; z) pertence ao eixo z se, e somente se, x

Leia mais

Controle do Professor

Controle do Professor Controle do Professor Compensou as faltas CURSO: CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO DISCIPLINA: GEOMETRIA ANALÍTICA VETORIAL E INTRODUÇÃO À ÁLGEBRA LINEAR SÉRIE: 2º ANO TRABALHO DE COMPENSAÇÃO DE FALTAS DOS ALUNOS

Leia mais

2 Álgebra Linear (revisão)

2 Álgebra Linear (revisão) Teoria de Controle (sinopse) 2 Álgebra Linear (revisão) J. A. M. Felippe de Souza Neste capítulo vamos citar os principais tópicos de Álgebra Linear que são necessários serem revistos para o acompanhamento

Leia mais

Álgebra Linear. Sérgio L. Zani

Álgebra Linear. Sérgio L. Zani Álgebra Linear Sérgio L Zani Segundo Semestre de 2001 2 Sumário 1 Espaços Vetoriais 5 11 Introdução e Exemplos 5 12 Propriedades 8 2 Subespaços Vetoriais 9 21 Introdução e Exemplos 9 22 Propriedades 10

Leia mais

Escola Secundária de Alberto Sampaio Ficha Formativa de Matemática A Geometria II O produto escalar na definição de lugares geométricos

Escola Secundária de Alberto Sampaio Ficha Formativa de Matemática A Geometria II O produto escalar na definição de lugares geométricos Escola Secundária de Alberto Sampaio Ficha Formativa de Matemática A Geometria II O produto escalar na definição de lugares geométricos º Ano No plano Mediatriz de um segmento de reta [AB] Sendo M o ponto

Leia mais

NOÇÕES DE ÁLGEBRA LINEAR

NOÇÕES DE ÁLGEBRA LINEAR ESPAÇO VETORIAL REAL NOÇÕES DE ÁLGEBRA LINEAR ESPAÇOS VETORIAIS Seja um conjunto V φ no qual estão definidas duas operações: adição e multiplicação por escalar, tais que u, v V, u+v V e α R, u V, αu V

Leia mais

Álgebra Linear Teoria de Matrizes

Álgebra Linear Teoria de Matrizes Álgebra Linear Teoria de Matrizes 1. Sistemas Lineares 1.1. Coordenadas em espaços lineares: independência linear, base, dimensão, singularidade, combinação linear 1.2. Espaço imagem (colunas) - Espaço

Leia mais

, a equação. x, y x, y k. u, u, k. x, y 2, 3 k. 1, 2, k. Exemplo: Determina uma equação reduzida da reta que tem declive 3 e ordenada na origem 2.

, a equação. x, y x, y k. u, u, k. x, y 2, 3 k. 1, 2, k. Exemplo: Determina uma equação reduzida da reta que tem declive 3 e ordenada na origem 2. Escola Secundária de lberto Sampaio Ficha Formativa de Matemática Geometria I Inclinação e declive de uma reta no plano; ângulo de duas retas; retas perpendiculares. º no Equação vetorial da reta: Dado

Leia mais

Geometria Analítica. Superfícies. Prof Marcelo Maraschin de Souza

Geometria Analítica. Superfícies. Prof Marcelo Maraschin de Souza Geometria Analítica Superfícies Prof Marcelo Maraschin de Souza Superfícies Quadráticas A equação geral do 2º grau nas três variáveis x,y e z ax 2 + by 2 + cz 2 + 2dxy + 2exz + 2fyz + mx + ny + pz + q

Leia mais

VETORES NO ² E NO ³. Álgebra Linear e Geometria Analítica Prof. Aline Paliga

VETORES NO ² E NO ³. Álgebra Linear e Geometria Analítica Prof. Aline Paliga VETORES NO ² E NO ³ Álgebra Linear e Geometria Analítica Prof. Aline Paliga 2.1 DECOMPOSIÇÃO DE UM VETOR NO PLANO Dados dois vetores v 1 e v 2, não colineares, qualquer vetor v (coplanar com v 1 e v 2

Leia mais

Álgebra Linear I - Aula 21

Álgebra Linear I - Aula 21 Álgebra Linear I - Aula 1 1. Matrizes ortogonalmente diagonalizáveis: exemplos. Matrizes simétricas. Roteiro 1 Matrizes ortogonalmente diagonalizáveis: exemplos Exemplo 1. Considere a matriz M = 4 4 4

Leia mais

1. Mostre que o conjunto R 2 = {(x, y)/x, y R} é um espaço vetorial real, com as operações usuais de adição de elementos e multiplicação por escalar.

1. Mostre que o conjunto R 2 = {(x, y)/x, y R} é um espaço vetorial real, com as operações usuais de adição de elementos e multiplicação por escalar. Fundação Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF Colegiado de Engenharia de Produção - CPROD Prof. Felipe Wergete a Lista de Exercícios de Álgebra Linear - 202.. Mostre que o conjunto R

Leia mais

(Todos os cursos da Alameda) Paulo Pinto

(Todos os cursos da Alameda) Paulo Pinto Instituto Superior Técnico Departamento de Matemática Secção de Álgebra e Análise Resumo das Aulas Teóricas de 2 o Semestre 2004/2005 (Todos os cursos da Alameda) Paulo Pinto Álgebra Linear Conteúdo Sistemas

Leia mais

APLICAÇÃO DE AUTOVALORES E AUTOVETORES NAS POTÊNCIAS DE MATRIZES

APLICAÇÃO DE AUTOVALORES E AUTOVETORES NAS POTÊNCIAS DE MATRIZES Universidade Federal de Goiás Câmpus de Catalão Departamento de Matemática Seminário Semanal de Álgebra APLICAÇÃO DE AUTOVALORES E AUTOVETORES NAS POTÊNCIAS DE MATRIZES Aluno: Ana Nívia Pantoja Daniela

Leia mais

Capítulo 6: Transformações Lineares e Matrizes

Capítulo 6: Transformações Lineares e Matrizes 6 Livro: Introdução à Álgebra Linear Autores: Abramo Hefez Cecília de Souza Fernandez Capítulo 6: Transformações Lineares e Matrizes Sumário 1 Matriz de uma Transformação Linear....... 151 2 Operações

Leia mais

AULA 2 DO PLANO DE TRABALHO

AULA 2 DO PLANO DE TRABALHO AULA 2 DO PLANO DE TRABALHO Nº 9 Rosa Canelas EQUAÇÃO REDUZIDA DE UMA RETA Voltemos a uma das retas da aula anterior x,y 1,4 k 3,1,k IR (equação vetorial) 3,1 são as coordenadas de um vetor diretor desta

Leia mais

ESPAÇOS VETORIAIS. Álgebra Linear

ESPAÇOS VETORIAIS. Álgebra Linear Álgebra Linear ESPAÇOS VETORIAIS Com doze andares de altura e pesando 75 toneladas, o US Columbia partiu majestosamente de sua plataforma de lançamento numa manhã fresca num domingo de abril de 1981, em

Leia mais

Cálculo a Várias Variáveis I - MAT Cronograma para P2: aulas teóricas (segundas e quartas)

Cálculo a Várias Variáveis I - MAT Cronograma para P2: aulas teóricas (segundas e quartas) Cálculo a Várias Variáveis I - MAT 116 0141 Cronograma para P: aulas teóricas (segundas e quartas) Aula 10 4 de março (segunda) Aula 11 6 de março (quarta) Referências: Cálculo Vol James Stewart Seções

Leia mais

Da aula passada... Posição relativa entre duas retas no espaço: { paralelas concorrentes COPLANARES. NÃO COPLANARES = reversas

Da aula passada... Posição relativa entre duas retas no espaço: { paralelas concorrentes COPLANARES. NÃO COPLANARES = reversas Simulados Na semana passada foi divulgado o primeiro simulado de gaal: vetores e produto escalar. Hoje será divulgado o segundo simulado: retas, planos e produto vetorial. Procure Monitoria GAAL 2013/1

Leia mais

- identificar operadores ortogonais e unitários e conhecer as suas propriedades;

- identificar operadores ortogonais e unitários e conhecer as suas propriedades; DISCIPLINA: ELEMENTOS DE MATEMÁTICA AVANÇADA UNIDADE 3: ÁLGEBRA LINEAR. OPERADORES OBJETIVOS: Ao final desta unidade você deverá: - identificar operadores ortogonais e unitários e conhecer as suas propriedades;

Leia mais

Lista de Exercícios de Geometria

Lista de Exercícios de Geometria Núcleo Básico de Engenharias Geometria - Geometria Analítica Professor Julierme Oliveira Lista de Exercícios de Geometria Primeira Parte: VETORES 1. Sejam os pontos A(0,0), B(1,0), C(0,1), D(-,3), E(4,-5)

Leia mais

Escola Secundária com 3º ciclo D. Dinis 11º Ano de Matemática A Tema II Introdução ao Cálculo Diferencial I Funções Racionais e com Radicais

Escola Secundária com 3º ciclo D. Dinis 11º Ano de Matemática A Tema II Introdução ao Cálculo Diferencial I Funções Racionais e com Radicais Escola Secundária com 3º ciclo D. Dinis 11º Ano de Matemática A Tema II Introdução ao Cálculo Diferencial I Funções Racionais e com Radicais Taxa de Variação e Derivada TPC nº 9 (entregar em 11-03-011)

Leia mais

Mecânica Técnica. Aula 2 Lei dos Senos e Lei dos Cossenos. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Mecânica Técnica. Aula 2 Lei dos Senos e Lei dos Cossenos. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Aula 2 Lei dos Senos e Lei dos Cossenos Tópicos Abordados Nesta Aula Cálculo de Força Resultante. Operações Vetoriais. Lei dos Senos. Lei dos Cossenos. Grandezas Escalares Uma grandeza escalar é caracterizada

Leia mais

Conjuntos Numéricos. É o conjunto no qual se encontram os elementos de todos os conjuntos estudados.

Conjuntos Numéricos. É o conjunto no qual se encontram os elementos de todos os conjuntos estudados. Conjuntos Numéricos INTRODUÇÃO Conjuntos: São agrupamentos de elementos com algumas características comuns. Ex.: Conjunto de casas, conjunto de alunos, conjunto de números. Alguns termos: Pertinência Igualdade

Leia mais

Vetores em R n e C n, Vetores Espaciais

Vetores em R n e C n, Vetores Espaciais Capítulo 1 Vetores em R n e C n, Vetores Espaciais 1.1 INTRODUÇÃO A noção de vetor pode ser motivada ou por uma lista de números e índices, ou por meio de certos objetos da Física. Vejamos ambas maneiras.

Leia mais

Soluções do Capítulo 8 (Volume 2)

Soluções do Capítulo 8 (Volume 2) Soluções do Capítulo 8 (Volume 2) 1. Não. Basta considerar duas retas concorrentes s e t em um plano perpendicular a uma reta r. As retas s e t são ambas ortogonais a r, mas não são paralelas entre si.

Leia mais

1. O conjunto dos polinômios de grau m, com 2 m 5, acrescido do polinômio nulo, é um subespaço do espaço P 5.

1. O conjunto dos polinômios de grau m, com 2 m 5, acrescido do polinômio nulo, é um subespaço do espaço P 5. UFPB/PRAI/CCT/DME - CAMPUS II DISCIPLINA: Álgebra Linear ALUNO (A): 2 a LISTA DE EXERCÍCIOS 1 a PARTE: QUESTÕES TIPO VERDADEIRO OU FALSO COM JUSTI- FICATIVA. 1. O conjunto dos polinômios de grau m com

Leia mais

Figura 9.1: Corpo que pode ser simplificado pelo estado plano de tensões (a), estado de tensões no interior do corpo (b).

Figura 9.1: Corpo que pode ser simplificado pelo estado plano de tensões (a), estado de tensões no interior do corpo (b). 9 ESTADO PLANO DE TENSÕES E DEFORMAÇÕES As tensões e deformações em um ponto, no interior de um corpo no espaço tridimensional referenciado por um sistema cartesiano de coordenadas, consistem de três componentes

Leia mais

Vetores. 2. (G1 - ifpe 2012) Qual o cosseno do ângulo formado pelos vetores A 4. i 3. j e

Vetores. 2. (G1 - ifpe 2012) Qual o cosseno do ângulo formado pelos vetores A 4. i 3. j e Vetores 1. (Uece 2014) Duas únicas forças, uma de 3 N e outra de 4 N, atuam sobre uma massa puntiforme. Sobre o módulo da aceleração dessa massa, é correto afirmar-se que a) é o menor possível se os dois

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DE LINHARES Prof. Esp. Thiago Magalhães

FACULDADE PITÁGORAS DE LINHARES Prof. Esp. Thiago Magalhães VETORES NO PLANO E NO ESPAÇO INTRODUÇÃO Cumpre de início, distinguir grandezas escalares das grandezas vetoriais. Grandezas escalares são aquelas que para sua perfeita caracterização basta informarmos

Leia mais

ENSINO PRÉ-UNIVERSITÁRIO PROFESSOR(A) TURNO. 01. Determine a distância entre dois pontos A e B do plano cartesiano.

ENSINO PRÉ-UNIVERSITÁRIO PROFESSOR(A) TURNO. 01. Determine a distância entre dois pontos A e B do plano cartesiano. SÉRIE ITA/IME ENSINO PRÉ-UNIVERSITÁRIO PROFESSOR(A) ALUNO(A) TURMA MARCELO MENDES TURNO SEDE DATA Nº / / TC MATEMÁTICA Geometria Analítica Exercícios de Fixação Conteúdo: A reta Parte I Exercícios Tópicos

Leia mais

Escola Secundária com 3º ciclo D. Dinis 10º Ano de Matemática A TEMA 1 GEOMETRIA NO PLANO E NO ESPAÇO I. 3º Teste de avaliação versão2.

Escola Secundária com 3º ciclo D. Dinis 10º Ano de Matemática A TEMA 1 GEOMETRIA NO PLANO E NO ESPAÇO I. 3º Teste de avaliação versão2. Escola Secundária com 3º ciclo D. Dinis 10º no de Matemática TEM 1 GEMETRI N PLN E N ESPÇ I 3º Teste de avaliação versão Grupo I s cinco questões deste grupo são de escolha mqaúltipla. Para cada uma delas

Leia mais

UNIVERSITÁRIO DE SINOP CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

UNIVERSITÁRIO DE SINOP CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Exercícios propostos: aulas 01 e 02 GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO GA - LISTA DE EXERCÍCIOS 001 1. Calcular o perímetro do triângulo ABC, sendo dado A = (2, 1), B = (-1, 3) e C = (4, -2). 2. Provar que

Leia mais

MÓDULO 17. Radiciações e Equações. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias MATEMÁTICA

MÓDULO 17. Radiciações e Equações. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias MATEMÁTICA Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias MATEMÁTICA. Mostre que MÓDULO 7 Radiciações e Equações 3 + 8 5 + 3 8 5 é múltiplo de 4. 2. a) Escreva A + B como uma soma de radicais simples. b) Escreva

Leia mais

Álgebra Linear. André Arbex Hallack Frederico Sercio Feitosa

Álgebra Linear. André Arbex Hallack Frederico Sercio Feitosa Álgebra Linear André Arbex Hallack Frederico Sercio Feitosa Janeiro/2006 Índice 1 Sistemas Lineares 1 11 Corpos 1 12 Sistemas de Equações Lineares 3 13 Sistemas equivalentes 4 14 Operações elementares

Leia mais

ROTEIRO: 1. Cap. 2 Plano Cartesiano; 2. Vetores.

ROTEIRO: 1. Cap. 2 Plano Cartesiano; 2. Vetores. ROTEIRO: 1. Cap. 2 Plano Cartesiano; 2. Vetores. Capítulo 2 Plano Cartesiano / Vetores: Plano Cartesiano Foi criado pelo matemático René Descartes, associando a geometria à álgebra. Desse modo, ele pôde

Leia mais

A lei dos cossenos da geometria plana estabelece que a 2 = b 2 +c 2 2bc cosâ. Podemos ver as possíveis situações na figura acima.

A lei dos cossenos da geometria plana estabelece que a 2 = b 2 +c 2 2bc cosâ. Podemos ver as possíveis situações na figura acima. Capítulo 4 Produtos e aplicações Palavras-chave: produto escalar, produto vetorial, produto misto, vetores ortogonais, base ortogonal, base ortonormal, ângulos, distâncias, projeção ortogonal, área de

Leia mais

A Reta. Docente Pedro Macário de Moura

A Reta. Docente Pedro Macário de Moura A Reta Docente Pedro Macário de Moura A Matemática é a única linguagem que temos em comum com a natureza. Hawking. A Matemática é a honra do espírito 2 Equação Vetorial da Reta Seja r uma reta que passa

Leia mais

ÁLGEBRA LINEAR E GEOMETRIA ANALÍTICA

ÁLGEBRA LINEAR E GEOMETRIA ANALÍTICA ÁLGEBRA LINEAR E GEOMETRIA ANALÍTICA Álgebra Linear e Geometria Analítica Prof. Aline Paliga EMENTA Vetores Dependência Linear Bases Produto Escalar Produto Vetorial Produto Misto Coordenadas Cartesianas

Leia mais

Na forma reduzida, temos: (r) y = 3x + 1 (s) y = ax + b. a) a = 3, b, b R. b) a = 3 e b = 1. c) a = 3 e b 1. d) a 3

Na forma reduzida, temos: (r) y = 3x + 1 (s) y = ax + b. a) a = 3, b, b R. b) a = 3 e b = 1. c) a = 3 e b 1. d) a 3 01 Na forma reduzida, temos: (r) y = 3x + 1 (s) y = ax + b a) a = 3, b, b R b) a = 3 e b = 1 c) a = 3 e b 1 d) a 3 1 0 y = 3x + 1 m = 3 A equação que apresenta uma reta com o mesmo coeficiente angular

Leia mais

O PLANO...> Equação do Plano

O PLANO...> Equação do Plano Equação do Plano O PLANO...> Equação vetorial de um Plano Equações Paramétricas do Plano Equações Geral de um Plano Casos Particulares da Equações Geral de um Plano Vetor normal a um plano Feixe de Planos

Leia mais

3. Achar a equação da esfera definida pelas seguintes condições: centro C( 4, 2, 3) e tangente ao plano π : x y 2z + 7 = 0.

3. Achar a equação da esfera definida pelas seguintes condições: centro C( 4, 2, 3) e tangente ao plano π : x y 2z + 7 = 0. Universidade Federal de Uerlândia Faculdade de Matemática Disciplina : Geometria Analítica (GMA00) Assunto: Superfícies, Quádricas, Curvas e Coordenadas Professor Sato 4 a Lista de exercícios. Determinar

Leia mais

Ficha de Exercícios nº 3

Ficha de Exercícios nº 3 Nova School of Business and Economics Álgebra Linear Ficha de Exercícios nº 3 Transformações Lineares, Valores e Vectores Próprios e Formas Quadráticas 1 Qual das seguintes aplicações não é uma transformação

Leia mais

Geometria Analítica e Vetorial - Daniel Miranda, Rafael Grisi, Sinuê Lodovici

Geometria Analítica e Vetorial - Daniel Miranda, Rafael Grisi, Sinuê Lodovici Geometria Analítica e Vetorial - Daniel Miranda, Rafael Grisi, Sinuê Lodovici 5 Â N G U LO S E D I ST Â N C I A 5.1 ângulos No capítulo anterior nos concentramos no estudo da posição relativa entre dois

Leia mais

Segunda prova de Álgebra Linear - 01/07/2011 Prof. - Juliana Coelho

Segunda prova de Álgebra Linear - 01/07/2011 Prof. - Juliana Coelho Segunda prova de Álgebra Linear - 01/07/011 Prof - Juliana Coelho JUSTIFIQUE SUAS RESPOSTAS! Questões contendo só a resposta, sem desenvolvimento ou justificativa serão desconsideradas! QUESTÃO 1, pts

Leia mais

Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza. Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza de Carvalho

Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza. Eletromagnetismo I. Prof. Daniel Orquiza de Carvalho de Carvalho Revisão Analise Vetorial e Sist. de Coord. Revisão básica álgebra vetorial e Sist. de Coordenadas (Páginas 1 a 22 no Livro texto) Objetivo: Introduzir notação que será usada neste e nos próximos

Leia mais

1. Quantos são os planos determinados por 4 pontos não coplanares?justifique.

1. Quantos são os planos determinados por 4 pontos não coplanares?justifique. Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Disciplina: Geometria euclidiana espacial (GMA010) Assunto: Paralelisno e Perpendicularismo; Distância e Ângulos no Espaço. Prof. Sato 1 a Lista

Leia mais

Pré-requisitos Algebra Linear. Lorí Viali. Afiliação

Pré-requisitos Algebra Linear. Lorí Viali. Afiliação Lorí Viali Licenciatura Plena em Matemática UFRGS Bacharelado em Matemática UFRGS Especialização em Formação de Pesquisadores PUCRS Mestrado em Engenharia de Produção (PO) UFSC Doutorado Sanduíche na USF

Leia mais

Disciplina: Introdução à Álgebra Linear

Disciplina: Introdução à Álgebra Linear Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte Campus: Mossoró Curso: Licenciatura Plena em Matemática Disciplina: Introdução à Álgebra Linear Prof.: Robson Pereira de Sousa

Leia mais

Universidade Federal de Alagoas UFAL Centro de Tecnologia - CTEC Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil - PPGEC

Universidade Federal de Alagoas UFAL Centro de Tecnologia - CTEC Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil - PPGEC Universidade Federal de Alagoas UFAL Centro de Tecnologia - CTEC Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil - PPGEC Introdução à Mecânica do Contínuo Tensores Professor: Márcio André Araújo Cavalcante

Leia mais

Geometria Analítica - Aula

Geometria Analítica - Aula Geometria Analítica - Aula 19 246 IM-UFF K. Frensel - J. Delgado Aula 20 Vamos analisar a equação Ax 2 + Cy 2 + Dx + Ey + F = 0 nos casos em que exatamente um dos coeficientes A ou C é nulo. 1. Parábola

Leia mais

Lembremos que um paralelogramo é um quadrilátero (figura geométrica com quatro lados) cujos lados opostos são paralelos.

Lembremos que um paralelogramo é um quadrilátero (figura geométrica com quatro lados) cujos lados opostos são paralelos. Capítulo 5 Vetores no plano 1. Paralelogramos Lembremos que um paralelogramo é um quadrilátero (figura geométrica com quatro lados) cujos lados opostos são paralelos. Usando congruência de triângulos,

Leia mais

Eduardo. Matemática Matrizes

Eduardo. Matemática Matrizes Matemática Matrizes Eduardo Definição Tabela de números dispostos em linhas e colunas. Representação ou Ordem da Matriz Se uma matriz A possui m linhas e n colunas, dizemos que A tem ordem m por n e escrevemos

Leia mais

2. SEGMENTOS ORIENTADOS

2. SEGMENTOS ORIENTADOS FFCLRP-USP - ALGEBRA LINEAR - Vetores Geométricos 1 NOTAS DE AULAS Professor Doutor: Jair Silvério dos Santos 1 1. LEMBRETE DA GEOMETRIA DE EUCLIDES RETA Dados dois pontos distintos no espaço P e Q, existe

Leia mais

Exercícios de Aprofundamento Mat Geom Espacial

Exercícios de Aprofundamento Mat Geom Espacial 1. (Fuvest 015) No cubo ABCDEFGH, representado na figura abaixo, cada aresta tem medida 1. Seja M um ponto na semirreta de origem A que passa por E. Denote por θ o ângulo BMH e por x a medida do segmento

Leia mais

Professor Mascena Cordeiro

Professor Mascena Cordeiro www.mascenacordeiro.com Professor Mascena Cordeiro º Ano Ensino Médio M A T E M Á T I C A. Determine os valores de m pertencentes ao conjunto dos números reais, tal que os pontos (0, -), (, m) e (-, -)

Leia mais

1 Determinantes, traços e o teorema espectral para operadores arbitrários

1 Determinantes, traços e o teorema espectral para operadores arbitrários Álgebra Linear e Aplicações - Lista para Segunda Prova Nestas notas, X, Y,... são espaços vetoriais sobre o mesmo corpo F {R, C}. Você pode supor que todos os espaços têm dimensão finita. (x, y) = (x,

Leia mais

Ordenar ou identificar a localização de números racionais na reta numérica.

Ordenar ou identificar a localização de números racionais na reta numérica. Ordenar ou identificar a localização de números racionais na reta numérica. Estabelecer relações entre representações fracionárias e decimais dos números racionais. Resolver situação-problema utilizando

Leia mais