ORIENTAÇÃO PARA O ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO (LEI , DE 25 DE SETEMBRO DE 2008)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ORIENTAÇÃO PARA O ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO (LEI , DE 25 DE SETEMBRO DE 2008)"

Transcrição

1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS Av. Ministro Olavo Drummond, n. 25, bairro Amazonas Araxá-MG CEP: Fone: (34) ORIENTAÇÃO PARA O ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO (LEI , DE 25 DE SETEMBRO DE 2008)

2 ÍNDICE 1 AVISOS GERAIS SOBRE O ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO PROCEDIMENTOS PARA VALIDAR O ESTÁGIO DOS CURSOS TÉCNICOS: LEI PROCEDIMENTOS PARA VALIDAR O ESTÁGIO DOS CURSOS TÉCNICOS: EMPREGO FORMAL PROCEDIMENTOS PARA VALIDAR O ESTÁGIO DOS CURSOS TÉCNICOS: INICIAÇÃO CIENTÍFICA CRONOGRAMA PARA ENTREGA DE DOCUMENTOS DO ESTAGIÁRIO AO FICHA DE INSCRIÇÃO NO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO FICHA DE AVALIAÇÃO DO ESTÁGIO ª AVALIAÇÃO DO ESTAGIÁRIO PELA EMPRESA ª AVALIAÇÃO DO ESTAGIÁRIO PELA EMPRESA ORIENTAÇÃO NA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO TÉCNICO FINAL DO ESTÁGIO

3 1 AVISOS GERAIS SOBRE O ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO 1.1 PROCEDIMENTOS PARA VALIDAR O ESTÁGIO DOS CURSOS TÉCNICOS: LEI O Estágio Curricular Obrigatório poderá ser cumprido da seguinte forma: Estágio Empresarial: refere-se às atividades que o aluno poderá realizar em entidades públicas ou privadas, conveniadas com o CEFET-MG, abrangendo o eixo tecnológico e as áreas dos cursos técnicos ofertados pela instituição. Documentação e rotinas: 1. O aluno deverá fazer o estágio em uma mesma empresa, por no mínimo 6 meses, e cumprir no mínimo 480 horas de estágio, para que ele seja considerado Estágio Curricular Obrigatório. 2. O aluno tem o prazo máximo de até 30 dias, a partir do início do estágio, para entregar toda a documentação (itens 4, 5, 6, 7 e 8) ao Setor de Estágio. 3. Link para todos os documentos que serão solicitados abaixo: 4. A empresa deve preencher o Acordo para Cooperação para Estágio (item 2), em 2 vias. Caso a empresa já tenha o acordo com o Cefet-MG e este tenha sido formalizado no período de 5 anos, não é necessário fazer outro. 5. O aluno e a empresa devem preencher o Termo de Compromisso de Estágio (item 7), em 3 vias. 6. A empresa deverá preencher o Plano de Atividades de Estágio (item 10), em 3 vias. O aluno deverá levar este documento ao Coordenador do Curso, que, no prazo de 5 dias úteis, indicará o professor orientador de estágio, que, por sua vez, vai deferir as atividades, assinar e já agendar, no próprio documento, a data e horário da 1ª RAE, que vai acontecer no segundo mês do Estágio. 7. A empresa deve fazer, em favor do aluno, um Seguro Contra Acidentes Pessoais. A empresa deve disponibilizar ao aluno uma cópia do seguro, para apresentar ao Setor de Estágio, como documentação exigida para validação do estágio. O nome da seguradora e o número da apólice devem constar no Termo de Compromisso de Estágio. 3

4 8. O aluno e a empresa deverão preencher a Ficha de Inscrição no Estágio Curricular Obrigatório (página 10 deste Guia dos Estagiários dos Cursos Técnicos). 9. No segundo mês de estágio, o aluno deve comparecer na 1ª RAE (dia e horário já agendados com o professor orientador quando da assinatura do Plano de Atividades de Estágio) e levar a Ficha de Avaliação do Estágio (páginas 11 e 12 deste Guia dos Estagiários dos Cursos Técnicos) e, em envelope lacrado pela empresa, a 1ª Avaliação do Estagiário pela Empresa (pág. 13 deste Guia dos Estagiários dos Cursos Técnicos). Ao final da reunião, caso aprovado, o professor e o aluno agendarão dia e horário da 2ª RAE, que deve ocorrer no 4º mês do estágio, e o professor deve preencher o Comprovante de Aprovação da 1ª RAE (item 12) e o aluno deve entregá-lo no Setor de Estágio imediatamente. 10. No quarto mês de estágio, o aluno deve comparecer na 2ª RAE (dia e horário já agendados com o professor orientador quando da 1ª RAE), e trazer, em envelope lacrado pela empresa, a 2ª Avaliação do Estagiário pela Empresa (página 14 do Guia do Estagiários dos Cursos Técnicos). Ao final, caso aprovado, o professor deve preencher o Comprovante de Aprovação da 2ª RAE (item 13) e o aluno deve entregá-lo no Setor de Estágio imediatamente. 11. Após os 6 meses necessários para o Estágio Curricular Obrigatório, o aluno tem até 30 dias para entregar o seu Relatório de Estágio, assinado pelo aluno e pelo seu Supervisor de Estágio da Empresa, para o professor orientador. A Coordenação do Curso orienta ao aluno que, após a 2ª RAE, já comece a desenvolver o Relatório de Estágio. O Comprovante de Aprovação do Relatório (item 14) deve ser entregue pelo professor orientador no Setor de Estágio tão logo aprove o relatório. 12. Quando do término do Estágio, o aluno deve requisitar que a empresa preencha o Termo de Realização do Estágio (item 15) ou a Rescisão do Termo de Compromisso, que deve ser entregue imediatamente no Setor de Estágio. 13. A legislação federal que disciplina o Estágio Curricular Obrigatório é a Lei n OBS: O último passo para a conclusão do curso é a participação no Seclept e na Colação de Grau, que sempre acontece no mês de novembro. Para participar o aluno deve ter sido aprovado em todas as disciplinas teóricas e também no Estágio até um dia anterior ao Seclept. O aluno deve fazer a inscrição para participar do Seminário e a Colação de Grau. Todas as informações acerca dos eventos serão divulgadas no site 4

5 1.2 PROCEDIMENTOS PARA VALIDAR O ESTÁGIO DOS CURSOS TÉCNICOS: EMPREGO FORMAL O Estágio Curricular Obrigatório poderá ser cumprido da seguinte forma: Emprego Formal: refere-se ao trabalho correlacionado à área de formação técnica exercido em entidades públicas ou privadas, com vínculo formal, regido pelas normas da Consolidação das Leis Trabalhistas, ou por regime estatutário, inclusive autônomos e empresários. Documentação e rotinas: 1. O aluno deverá fazer o estágio em uma mesma empresa, por no mínimo 6 meses, e cumprir no mínimo 480 horas de estágio, para que ele seja considerado Estágio Curricular Obrigatório. 2. O aluno tem o prazo máximo de 30 dias, a partir do início do estágio, para entregar toda a documentação (itens 4, 5 e 6) ao Setor de Estágio. 3. Link para todos os documentos que serão solicitados abaixo: 4. O aluno deve entregar no Setor de Estágio a cópia da Carteira de Trabalho (dados pessoais, contrato e alteração), comprovando o vínculo empregatício, com apresentação da original. 5. A empresa deverá preencher o Plano de Atividades de Estágio (item 10), em 3 vias. O aluno deverá levar este documento ao Coordenador do Curso, que, no prazo de 5 dias úteis, indicará o professor orientador de estágio, que, por sua vez, vai deferir as atividades, assinar e já agendar, no próprio documento, a data e horário da 1ª RAE, que vai acontecer no segundo mês do Estágio. 6. O aluno e a empresa deverão preencher a Ficha de Inscrição no Estágio Curricular Obrigatório (página 10 deste Guia dos Estagiários dos Cursos Técnicos). 7. No segundo mês de estágio, o aluno deve comparecer na 1ª RAE (dia e horário já agendados com o professor orientador quando da assinatura do Plano de Atividades de Estágio) e levar a Ficha de Avaliação do Estágio (páginas 11 e 12 deste Guia dos Estagiários dos Cursos Técnicos) e, em envelope lacrado pela empresa, a 1ª Avaliação do Estagiário pela Empresa (pág. 13 deste Guia dos Estagiários dos Cursos Técnicos). Ao final da reunião, caso aprovado, o professor e o aluno agendarão dia e horário da 2ª RAE, que deve ocorrer no 4º mês do estágio, e o professor deve preencher o Comprovante de 5

6 Aprovação da 1ª RAE (item 12) e o aluno deve entregá-lo no Setor de Estágio imediatamente. 8. No quarto mês de estágio, o aluno deve comparecer na 2ª RAE (dia e horário já agendados com o professor orientador quando da 1ª RAE), e trazer, em envelope lacrado pela empresa, a 2ª Avaliação do Estagiário pela Empresa (página 14 do Guia do Estagiários dos Cursos Técnicos). Ao final, caso aprovado, o professor deve preencher o Comprovante de Aprovação da 2ª RAE (item 13) e o aluno deve entregá-lo no Setor de Estágio imediatamente. 9. Após os 6 meses necessários para o Estágio Curricular Obrigatório, o aluno tem até 30 dias para entregar o seu Relatório de Estágio, assinado pelo aluno e pelo seu Supervisor de Estágio da Empresa, para o professor orientador. A Coordenação do Curso orienta ao aluno que, após a 2ª RAE, já comece a desenvolver o Relatório de Estágio. O Comprovante de Aprovação do Relatório (item 14) deve ser entregue pelo professor orientador no Setor de Estágio tão aprove o relatório. 10. Quando do término do Estágio, o aluno deve requisitar que a empresa preencha o Termo de Realização do Estágio (item 15) ou a Rescisão do Termo de Compromisso, que deve ser entregue imediatamente no Setor de Estágio. 11. A legislação federal que disciplina o Estágio Curricular Obrigatório é a Lei n OBS: O último passo para a conclusão do curso é a participação no Seclept e na Colação de Grau, que sempre acontece no mês de novembro. Para participar o aluno deve ter sido aprovado em todas as disciplinas teóricas e também no Estágio até um dia anterior ao Seclept. O aluno deve fazer a inscrição para participar do Seminário e a Colação de Grau. Todas as informações acerca dos eventos serão divulgadas no site 6

7 1.3 PROCEDIMENTOS PARA VALIDAR O ESTÁGIO DOS CURSOS TÉCNICOS: INICIAÇÃO CIENTÍFICA O Estágio Curricular Obrigatório poderá ser cumprido da seguinte forma: Atividades de extensão ou pesquisa: referem-se às a) Atividades desenvolvidas em programas regulamentares reconhecidos pela Instituição vinculados às Diretorias de Pesquisa e Pós-Graduação (DPPG) ou de Extensão e Desenvolvimento Comunitário (DEDC). Os critérios para validação dessas atividades serão definidos pelo Colegiado de Curso, com as justificativas cabíveis, conforme as exigências apresentadas neste Regulamento. b) Atividades desenvolvidas em programas regulamentares ofertados por outras instituições de ensino técnico ou superior, desde que a instituição concedente ateste a participação do estudante na condição de aluno do CEFET-MG. Os critérios para validação dessas atividades serão definidos pelo Colegiado de Curso, com as justificativas cabíveis, conforme as exigências apresentadas neste Regulamento. Documentação e rotinas: 1. O aluno deverá fazer o estágio na mesma instituição, por no mínimo 6 meses, e cumprir no mínimo 480 horas de estágio, para que ele seja considerado Estágio Curricular Obrigatório. 2. O aluno tem o prazo máximo de 30 dias, a partir do início do estágio, para entregar toda a documentação (itens 4, 5, 6 e 7) ao Setor de Estágio. 3. Link para todos os documentos que serão solicitados abaixo: 4. O aluno deve obter uma cópia do Projeto, com parecer favorável do Curso (Colegiado) e carta de aprovação do projeto. 5. O professor orientador do projeto deverá fazer uma Declaração atestando a participação do aluno na atividade (declaração contendo nome, data do início e término do projeto, carga horária - no mínimo 04 horas diárias e 20 horas semanais). 6. O aluno e o professor orientador do projeto deverão preencher a Ficha de Inscrição no Estágio Curricular Obrigatório (página 10 deste Guia dos Estagiários dos Cursos Técnicos). 7. O professor orientador do projeto deverá preencher o Plano de Atividades de Estágio (item 10). O aluno deverá levar este documento ao Coordenador do Curso, que, no prazo de 5 dias úteis, indicará o professor orientador de estágio (obrigatoriamente diverso do 7

8 professor orientador do projeto), que, por sua vez, vai deferir as atividades, assinar e já agendar, no próprio documento, a data e horário da 1ª RAE, que vai acontecer no segundo mês do Estágio. 8. No segundo mês de estágio, o aluno deve comparecer na 1ª RAE (dia e horário já agendados com o professor orientador quando da assinatura do Plano de Atividades de Estágio) e levar a Ficha de Avaliação do Estágio (páginas 11 e 12 deste Guia dos Estagiários dos Cursos Técnicos) e, em envelope lacrado pela empresa, a 1ª Avaliação do Estagiário pela Empresa (pág. 13 deste Guia dos Estagiários dos Cursos Técnicos). Ao final da reunião, caso aprovado, o professor e o aluno agendarão dia e horário da 2ª RAE, que deve ocorrer no 4º mês do estágio, e o professor deve preencher o Comprovante de Aprovação da 1ª RAE (item 12) e o aluno deve entregá-lo no Setor de Estágio imediatamente. 9. No quarto mês de estágio, o aluno deve comparecer na 2ª RAE (dia e horário já agendados com o professor orientador quando da 1ª RAE), e trazer, em envelope lacrado pela empresa, a 2ª Avaliação do Estagiário pela Empresa (página 14 do Guia do Estagiários dos Cursos Técnicos). Ao final, caso aprovado, o professor deve preencher o Comprovante de Aprovação da 2ª RAE (item 13) e o aluno deve entregá-lo no Setor de Estágio imediatamente. 10. Em prazo a ser definido em cada caso pelo Colegiado do Curso, o aluno deve entregar o seu Relatório de Estágio, assinado pelo aluno e pelo seu professor orientador do projeto, para o professor orientador de estágio. O Comprovante de Aprovação do Relatório (item 14) deve ser entregue pelo professor orientador no Setor de Estágio tão logo aprove o relatório. 11. Quando do término do Estágio, o aluno deve requisitar que o professor orientador do projeto preencha o Termo de Realização do Estágio (item 15) ou a Rescisão do Termo de Compromisso, que deve ser entregue imediatamente no Setor de Estágio. 12. A legislação federal que disciplina o Estágio Curricular Obrigatório é a Lei n OBS: O último passo para a conclusão do curso é a participação no Seclept e na Colação de Grau, que sempre acontece no mês de novembro. Para participar o aluno deve ter sido aprovado em todas as disciplinas teóricas e também no Estágio até um dia anterior ao Seclept. O aluno deve fazer a inscrição para participar do Seminário e a Colação de Grau. Todas as informações acerca dos eventos serão divulgadas no site 8

9 2 CRONOGRAMA PARA ENTREGA DE DOCUMENTOS DO ESTAGIÁRIO AO Acordo para Cooperação para Estágio Termo de Compromisso de Estágio Plano de Atividades de Estágio Seguro contra Acidentes Pessoais Ficha de inscrição no Estágio Curricular Obrigatório Carteira de Trabalho (para alunos empregados) Cópia do projeto (para alunos em iniciação científica) Declaração (para alunos em iniciação científica) Ficha de Avaliação do Estágio- Estagiário 1ª Avaliação do estagiário pela empresa Comprovante de Aprovação da 1ª RAE 2 Avaliação do estagiário pela empresa Comprovante de Aprovação da 2ª RAE Termo de Realização de Estágio Relatório Final Comprovante de Aprovação do Relatório Início do ECO 1ª RAE (2 meses) 2ª RAE (4 meses) Término do ECO (6 meses) 7 meses 9

10 3 FICHA DE INSCRIÇÃO NO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO I Dados do Estagiário: Nome do estagiário: Curso: Série atual: Turno: Matrícula: Ano de entrada: Endereço: Nº: Complemento Bairro: Cidade: Estado: CEP: Telefone residencial: Celular: II Dados da Concedente: Nome da concedente: CNPJ: Endereço: Nº: Complemento Bairro: Cidade: Estado: CEP: Telefone(s): Nome do Diretor / Presidente: Nome do responsável pelo R.H.: III Dados Referentes ao Estágio: Data de início prevista em contrato: / / Término previsto em contrato: / / Duração prevista em meses: Nº de horas semanais: Total de horas previstas: Setor de estágio: Telefone do setor/ramal: Nome do Supervisor de Estágio: Formação do Supervisor: Cargo do Supervisor: IV Programa do Estágio Curricular (PEC) Preenchido pelo Supervisor de Estágio da Concedente: Objetivo do Estágio: Atividades propostas para o estagiário: Pré-requisitos exigidos: Assinatura do aluno Data: / / Assinatura do supervisor de estágio e carimbo da concedente Data: / / Atenção: A inscrição do aluno na disciplina de Estágio Curricular depende da entrega deste documento, acompanhado de 3 (três) vias do Termo de Compromisso, com o nome da seguradora e o número ou cópia da Apólice contratada. 10

11 4 FICHA DE AVALIAÇÃO DO ESTÁGIO I Dados do Estagiário: Nome Curso: Empresa: Supervisor: Fone Res.: Fone comercial: II Ficha de Avaliação do Estágio: Período Avaliado: / / a / / Principais atividades técnicas desenvolvidas: AUTO-AVALIAÇÃO Marque com um X a coluna que corresponde à sua avaliação: Conceitos: 1: Insuficiente 2: Regular 3: Bom 4: Muito bom 5: Ótimo Desempenho do estagiário Responsabilidade Iniciativa Capacidade de assimilação de novos conhecimentos Capacidade de assimilação de instruções de trabalho Relacionamento pessoal na empresa Qualidade dos trabalhos executados Interesse pelas atividades executadas no estágio Desempenho geral no estágio Compromisso em valorizar o CEFET, com atitudes e palavras, dentro da empresa. Liste as principais oportunidades de aprendizagem técnica identificadas por você. Liste as tarefas em que você encontrou maiores dificuldades, citando os motivos. Comente sobre a supervisão técnica que você tem recebido na empresa. 11

12 A empresa tem um programa de estágio a ser cumprido? Em caso positivo, descreva o programa proposto e os instrumentos de controle/avaliação utilizados pela empresa para acompanhar o estagiário. Descreva as condições de estágio oferecidas pela empresa (segurança no trabalho, equipamentos e tecnologia, cursos e orientações dadas aos estagiários, apoio financeiro etc). Como é trabalhada a questão do relacionamento interpessoal e da adaptação do estagiário na empresa, pela alta direção e chefias imediatas? Como você avalia sua formação em termos de conhecimentos gerais em função das competências que lhe foram atribuídas? Justifique sua resposta. E em termos de conhecimentos técnicos? Justifique a sua resposta. Assinatura do aluno Data: / / 12

13 5 1ª AVALIAÇÃO DO ESTAGIÁRIO PELA EMPRESA Estagiário: Empresa: Curso: Período avaliado: dias Função do estagiário: I = Insatisfatório R = Regular B = Bom O = Ótimo I R B O Quanto ao envolvimento e responsabilidade com as atividades profissionais: Disposição em pesquisar os assuntos que não domina Iniciativa Interesse pelos assuntos relativos à empresa Interesse pelos assuntos relativos ao conteúdo técnico Organização Pontualidade Qualidade dos relatórios emitidos durante o trabalho Zelo pelo ambiente de trabalho Quanto ao relacionamento interpessoal: Relacionamento com os colegas Relacionamento com o supervisor Quanto à formação profissional: Conhecimentos gerais Conhecimentos técnicos Facilidade em assimilar novos conhecimentos Avaliação geral: Resultados apresentados Desempenho geral no estágio Comentários: Assinatura e carimbo da empresa / / Data 13

14 6 2ª AVALIAÇÃO DO ESTAGIÁRIO PELA EMPRESA Data da 2ª RAE: / / Estagiário: Empresa: Supervisor de estágio: Curso: Período avaliado: dias Tema da pesquisa técnica: I = Insatisfatório R = Regular S = Satisfatório M = Muito bom O = Ótimo Favor deixar em branco o(s) item(ns) que não for(em) passível(eis) de avaliação, até a presente data. I R S M O Quanto ao envolvimento e responsabilidade com as atividades profissionais: a) Disposição em pesquisar os assuntos que não domina b) Iniciativa c) Interesse pelos assuntos relativos à empresa d) Interesse pelos assuntos relativos ao conteúdo técnico e) Organização f) Pontualidade g) Qualidade dos relatórios emitidos durante o trabalho h) Zelo pelo ambiente de trabalho Quanto ao relacionamento interpessoal: Relacionamento com os colegas Relacionamento com o supervisor Quanto à formação profissional: Conhecimentos gerais Conhecimentos técnicos Facilidade em assimilar novos conhecimentos Avaliação geral: Resultados apresentados Desempenho geral no estágio Comentários: Assinatura e carimbo da empresa / / Data 14

15 7 ORIENTAÇÃO NA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO TÉCNICO FINAL DO ESTÁGIO O Relatório Técnico Final do estágio é sujeito à aprovação do professor designado para avaliação do mesmo. O relatório deve conter informações sobre as atividades desenvolvidas pelo estagiário durante o seu período de estágio. Ao relatar estas atividades, o estagiário deve se aprofundar na natureza técnica dela, detalhando como, porquê e o seu resultado. O Relatório Técnico Final, obrigatoriamente, deverá ter todos os textos impressos utilizando o software Word for Windows, fonte Times New Roman, tamanho 12, em espaçamento simples ou 1,5. Deve ser composto por: CAPA Devera conter: - A identificação do CEFET-MG / Unidade Araxá e logo abaixo Estágio Supervisionado (no alto da pagina). - Em fonte maior (18,20) e no centro da pagina RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DE HABILITAÇÃO PROFISSIONAL. - Nome completo do aluno; Curso mais abaixo a esquerda - Mês/ Ano (no rodapé). FOLHA DE ROSTO DADOS DO ESTAGIÁRIO - Nome do aluno. - Ano em Curso. - Curso - Carteira de identidade. - Endereço residencial. - / Telefone/ Fax. DADOS DO ESTÁGIO - Período de realização. - Duração total do período em horas. - Área do conhecimento. - Área especifica. - Nome do professor orientador. DADOS DA EMPRESA - Nome. - Endereço. - Telefone, fax, , site. - Principal atividade da empresa. 15

16 - Empresa oferece: - Alojamento: ( ) Sim ( ) Não - Alimentação: ( ) Sim ( ) Não - Remuneração: ( ) Sim ( ) Não - Outros (Especificar): - Nome do Supervisor Técnico do Estágio. - Cargo. INTRODUÇÃO Deve conter dados gerais que facilitem a introdução do leitor ao relatório. Descrever a área de estágio realizada, caracterizando a empresa em que foi feito o estágio, suas atividade, sua inserção no mercado, suas áreas de atuação e demais detalhes da empresa em geral. RELATO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS É a síntese das atividades realizadas e desenvolvidas durante o estágio. Devem ser descritas com o maio nível possível, observando sempre, os passos seguintes. - Descrição da atividade Carga horária; - Disciplinas cursadas afins com suas atividades. - Tecnologia utilizada. - Equipamentos e dispositivos Utilizados. - Resultados obtidos. - Análise dos Resultados. - Propostas e Soluções para Resolução dos problemas. ATENÇÃO: O relatório não deve ser feito descrevendo atividades diárias. CONCLUSÕES E SUGESTÕES Deve conter uma analise critica do estágio como instrumento para a formação profissional do estagiário, possibilitando a avaliação do estágio pela escola e pela empresa. Aqui podem e devem ser apresentados as possíveis sugestões para melhoria da qualidade do estágio e do ensino no CEFET-MG/Unidade - Araxá. Enriquecendo o relatório, o estagiário deve citar se o conteúdo(s) da(s) disciplina(s) na CEFET-MG/Unidade - Araxá esta compatível com a realidade da vivida. E por quê? ANEXO É o conjunto de material ilustrado ou complementar ao texto (gráficos, tabelas, fotos, modelos de formulários etc.). 16

17 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Caso tenha sido utilizado material bibliográfico durante o estágio, deve-se relacioná-lo, ao final, pela ordem alfabética dos sobrenomes dos autores. 17

ORIENTAÇÃO PARA O ESTÁGIO COMPLEMENTAR EDUCACIONAL (LEI DE 25 DE SETEMBRO DE 2008)

ORIENTAÇÃO PARA O ESTÁGIO COMPLEMENTAR EDUCACIONAL (LEI DE 25 DE SETEMBRO DE 2008) SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS UNIDADE ARAXÁ COORDENAÇÃO DE PROGRAMAS DE ESTÁGIO Av Ministro Olavo Drummond, 25 Amazonas Fone: (34) 3669-4507 - Cep: 38180-510

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA REQUERIMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU / CERTIFICADO CONCLUSÃO DE CURSO

PROCEDIMENTOS PARA REQUERIMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU / CERTIFICADO CONCLUSÃO DE CURSO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS Departamento de Ensino à Distância Educação Profissional Técnica de Nível Médio PROCEDIMENTOS PARA REQUERIMENTO DA COLAÇÃO DE GRAU / CERTIFICADO CONCLUSÃO

Leia mais

ESTÁGIOS E RELATÓRIOS DE CONCLUSÃO DE CURSO

ESTÁGIOS E RELATÓRIOS DE CONCLUSÃO DE CURSO ESTÁGIOS E RELATÓRIOS DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO TÉCNICO EM MEIO AMBIENTE Documentos e Tutorial Esse documento foi feito para fornecer orientação básica ao aluno do Curso Técnico em Meio Ambiente na realização

Leia mais

Normas para realização do Estágio Supervisionado do Curso de Graduação em Engenharia de Alimentos

Normas para realização do Estágio Supervisionado do Curso de Graduação em Engenharia de Alimentos UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS Normas para realização do Estágio Supervisionado do Curso de Graduação em Engenharia de Alimentos Lavras 2014 INTRODUÇÃO Art. 1º. O Estágio

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS Comissão de Graduação do Curso de Ciências Biológicas COMGRAD/BIO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UFRGS INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS Comissão de Graduação do Curso de Ciências Biológicas COMGRAD/BIO DECISÃO 03/2015 - Altera: Decisão n o 03/2013 ESTÁGIO SUPERVISIONADO A, reunida em 18 de novembro de 2015, no uso de suas atribuições, DECIDE Regulamentar a atividade de Ensino de Estágio Supervisionado,

Leia mais

RESOLUÇÃO 01/ TGP

RESOLUÇÃO 01/ TGP UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA - SEPT COORDENAÇÃO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO PÚBLICA REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO - CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL I - Introdução O Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental, aprovado através da Resolução nº

Leia mais

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS Universidade Estadual de Maringá Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Departamento de Letras Curso de Secretariado Executivo Trilíngue Estágio Curricular Supervisionado MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS

Leia mais

EDITAL Nº 03/2016 PPGBiotec PROCESSO SELETIVO PARA ESTÁGIO DE PÓS-DOUTORADO VOLUNTÁRIO FLUXO CONTÍNUO

EDITAL Nº 03/2016 PPGBiotec PROCESSO SELETIVO PARA ESTÁGIO DE PÓS-DOUTORADO VOLUNTÁRIO FLUXO CONTÍNUO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS CÂMPUS DE GURUPI PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA Rua Badejós, chácaras 69/72, Zona Rural 77402-970 Gurupi/TO (63) 3311-3504 www.uft.edu.br ppgbiotec@uft.edu.br

Leia mais

Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação

Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação Regimento do Estágio Supervisionado do Curso de Sistemas de Informação da Universidade do Estado de Minas Gerais Campus de Frutal/MG

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL Estágio Curricular

REGULAMENTO INSTITUCIONAL Estágio Curricular REGULAMENTO INSTITUCIONAL Estágio Curricular CAPITULO I DA DEFINIÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR E SUAS FINALIDADES Art. 1º Este regulamento tem por finalidade orientar a operacionalização do Estágio Curricular

Leia mais

PROCESSO PÚBLICO PARA SELEÇÃO E ADMISSÃO DE ALUNOS REGULARES PARA O CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL ANO º SEMESTRE LETIVO

PROCESSO PÚBLICO PARA SELEÇÃO E ADMISSÃO DE ALUNOS REGULARES PARA O CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL ANO º SEMESTRE LETIVO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil EDITAL DPPG N O 114/2011, de 09 de dezembro

Leia mais

REGULAMENTO COMPLEMENTAR DOS ESTÁGIOS CURRICULARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA DA UTFPR CÂMPUS APUCARANA

REGULAMENTO COMPLEMENTAR DOS ESTÁGIOS CURRICULARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA DA UTFPR CÂMPUS APUCARANA REGULAMENTO COMPLEMENTAR DOS ESTÁGIOS CURRICULARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA DA UTFPR CÂMPUS APUCARANA CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º O Estágio Curricular Supervisionado integrante

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO PÚBLICA UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO PÚBLICA RESOLUÇÃO CSTGP Nº 02/2015 Regulamenta o Estágio Supervisionado obrigatório do Curso

Leia mais

Manual do Estágio Supervisionado

Manual do Estágio Supervisionado IBB Ano 2015 1. APRESENTAÇÃO: A partir do 1º Semestre Letivo de 2016, os alunos em fase de conclusão do Curso de (Currículo 2013) deverão realizar o Estágio Curricular Supervisionado. O presente manual

Leia mais

Licenciatura em Ciências Exatas Revisão 3 REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO

Licenciatura em Ciências Exatas Revisão 3 REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO O Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Ciências Exatas do Setor Palotina da UFPR prevê a realização de estágios nas modalidades de estágio obrigatório e

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES DO ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES DO ESTÁGIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO Considerando o significado e a importância do Estágio como parte fundamental da formação profissional, define-se

Leia mais

Relatório de Pendências

Relatório de Pendências Instituto Monitor Relatório impresso em: 16/07/2015 Hora: 16:45 Relatório de Pendências O preenchimento do seu Relatório de Estágio foi realizado com sucesso. Antes de enviar ou entregar o Relatório para

Leia mais

Regulamento de Estágio ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL

Regulamento de Estágio ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL Regulamento de Estágio ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL Coronel Fabriciano/ 2008 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. OBJETIVOS... 1 3. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL... 2 4. ATRIBUIÇÕES... 2 5. LOCAIS DE ESTÁGIO E

Leia mais

PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO. Escola SENAI Anchieta

PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO. Escola SENAI Anchieta PROGRAMA VIVÊNCIA PROFISSIONAL : REGULAMENTO DA PRÁTICA PROFISSIONAL / ESTÁGIO Escola SENAI Anchieta Sumário Página 01 Prática Profissional / Estágio 03 02 Da carga horária da Prática Profissional / Estágio

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO. Curriculum 2003/2008 e Curriculum 2010

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO. Curriculum 2003/2008 e Curriculum 2010 REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO Curriculum 2003/2008 e Curriculum 2010 Estágio Obrigatório o Para validação apresentar: Relatório de Estágio Documentos comprobatórios: Declaração de

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA - CAMPUS UFV FLORESTAL DIRETORIA DE EXTENSÃO E CULTURA ESTÁGIO SUPERVISIONADO E RELAÇÕES EMPRESARIAIS RODOVIA LMG 818 KM 06 FLORESTAL / MG 35690-000 FONE: (31)3536-3362 E-MAIL:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AGROALIMENTAR CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AGROALIMENTAR CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AGROALIMENTAR CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS RESOLUÇÃO CCEAL Nº 01/2010 Regulamenta o Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia

Leia mais

REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MINAS DO CEFET/MG/CAMPUS ARAXÁ

REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MINAS DO CEFET/MG/CAMPUS ARAXÁ SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS UNIDADE ARAXÁ COLEGIADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE MINA REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO

Leia mais

Campus Itaqui Curso de Ciência e Tecnologia de Alimentos Normas para o Estágio Supervisionado Obrigatório

Campus Itaqui Curso de Ciência e Tecnologia de Alimentos Normas para o Estágio Supervisionado Obrigatório Campus Itaqui Curso de Ciência e Tecnologia de Alimentos Normas para o Estágio Supervisionado Obrigatório 1. ASPECTOS LEGAIS O Estágio Supervisionado tem caráter curricular obrigatório e é uma exigência

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL COMUNITÁRIA FORMIGUENSE FUOM CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA UNIFOR-MG

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL COMUNITÁRIA FORMIGUENSE FUOM CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA UNIFOR-MG FUNDAÇÃO EDUCACIONAL COMUNITÁRIA FORMIGUENSE FUOM CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA UNIFOR-MG REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (ATO DE APROVAÇÃO: Resolução do Reitor

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Engenharia Civil é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares

Leia mais

EDITAL N. 11 /2013. Este edital entrará em vigor a partir desta data, revogando os dispositivos anteriores. Curitiba, 15 de abril de 2013

EDITAL N. 11 /2013. Este edital entrará em vigor a partir desta data, revogando os dispositivos anteriores. Curitiba, 15 de abril de 2013 GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ Reconhecida pelo Decreto Governamental n.º 70.906 de 01/08/72 e Portaria n.º 1.062

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DOS CURSOS DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA DO

Leia mais

COORDENAÇÃO DE ESTÁGIO

COORDENAÇÃO DE ESTÁGIO COORDENAÇÃO DE ESTÁGIO KIT ALUNO ESTÁGIO PASSO A PASSO Maceió/2016 1º PASSO: PREENCHIMENTO DO CADASTRO DO ALUNO COORDENAÇÃO DE ESTÁGIOS CADASTRO DO ALUNO Curso: Período que Cursa: Matrícula: Nome Completo:

Leia mais

RESOLUÇÃO TGT Nº 04/2015

RESOLUÇÃO TGT Nº 04/2015 ANO XLV N. 078 26/05/2015 SEÇÃO II PÁG. 028 RESOLUÇÃO TGT Nº 04/2015 Niterói, 06 de maio de 2015 O Colegiado do Curso de Graduação em Engenharia de Telecomunicações, em reunião ordinária de 06/05/2015,

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE INFORMÁTICA REGULAMENTO DE ESTÁGIO Regulamenta a realização de estágio no âmbito do curso de Bacharelado em Ciências da Computação do Instituto

Leia mais

Bacharelado em Teologia. Regulamento do Estágio Supervisionado Obrigatório FUNDAMENTOS LEGAIS E REGULAMENTAÇÃO

Bacharelado em Teologia. Regulamento do Estágio Supervisionado Obrigatório FUNDAMENTOS LEGAIS E REGULAMENTAÇÃO Página 1 de 7 Bacharelado em Teologia Regulamento do Estágio Supervisionado Obrigatório FUNDAMENTOS LEGAIS E REGULAMENTAÇÃO Art. 1º. O estágio supervisionado obrigatório do curso de graduação em Teologia

Leia mais

ANEXO 2 NORMAS GERAIS ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECATRÔNICA

ANEXO 2 NORMAS GERAIS ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECATRÔNICA ANEXO 2 NORMAS GERAIS ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECATRÔNICA A2-121 ESTÁGIO OBRIGATÓRIO A atual Resolução CNE/CES n o 11, de 11 de março de 2002, do Conselho Nacional de Educação

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE TRABALHO E EMPREGO FUNDAÇÃO DE EDUCAÇÃO PARA O TRABALHO DE MINAS GERAIS UTRAMIG

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE TRABALHO E EMPREGO FUNDAÇÃO DE EDUCAÇÃO PARA O TRABALHO DE MINAS GERAIS UTRAMIG EDITAL PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS PARA O ATENDIMENTO NO LABORATÓRIO DO CURSOS TÉCNICO DE MEIO AMBIENTE UTRAMIG/DEP Nº 1/2016 1- A, inscrita sob o CNPJ 17.319.831/0001-23, com sede e foro nesta Capital,

Leia mais

Coordenação do Curso de Geografia - PCO

Coordenação do Curso de Geografia - PCO RESOLUÇÃO DO COLEGIADO DE COORDENAÇÃO DIDÁTICA DO CURSO DE GEOGRAFIA PUC MINAS EM CONTAGEM N. 01/2007 Regulamenta os estágios curriculares obrigatórios e não obrigatórios, no âmbito do Curso de Geografia

Leia mais

Manual de Atividades Complementares

Manual de Atividades Complementares CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Manual de Atividades Complementares Belo Horizonte 1 Prezado(a) aluno(a): Este é o Manual de Atividades Complementar

Leia mais

Data: / / Instituição:Início da viagem técnica H Término da viagem técnica: H Responsável (eis) pela recepção na instituição (nome(s) e cargo(s))

Data: / / Instituição:Início da viagem técnica H Término da viagem técnica: H Responsável (eis) pela recepção na instituição (nome(s) e cargo(s)) RELATÓRIO DE VIAGEM TÉCNICA Este relatório deverá ser entregue ao coordenador (a) de estágio até 10 dias após a Visita Técnica. Nome do estagiário (a): Turma: Identificação do(s) professor(es) Nome(s):

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Junho - 2014 SUMÁRIO 1 DIRETRIZES PARA O ESTÁGIO SUPERVISIONADO 2 DISPENSA DE ESTÁGIO 3 ATRIBUIÇÕES DO RESPONSÁVEL PELA ORIENTAÇÃO DE ESTÁGIO 4 PERFIL

Leia mais

PRÓ-REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE ESTÁGIOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO - BACHARELADOS DO UNILASALLE NORMAS DE FUNCIONAMENTO

PRÓ-REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE ESTÁGIOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO - BACHARELADOS DO UNILASALLE NORMAS DE FUNCIONAMENTO PRÓ-REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE ESTÁGIOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO - BACHARELADOS DO UNILASALLE NORMAS DE FUNCIONAMENTO Disciplinas de Estágio Supervisionado Art. 1º De acordo

Leia mais

INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O ESTÁGIO CURRICULAR E ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO

INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O ESTÁGIO CURRICULAR E ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O ESTÁGIO CURRICULAR E ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Av. Presidente Tancredo Neves, Nº 100 - Centro Petrolina PE CEP: 56.306-410

Leia mais

CURSO: FISIOTERAPIA I DA CARACTERIZAÇÃO:

CURSO: FISIOTERAPIA I DA CARACTERIZAÇÃO: REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I e II CURSO: FISIOTERAPIA I DA CARACTERIZAÇÃO: Art.1º Estágio Supervisionado é disciplina oferecida aos alunos regularmente matriculados no oitavo e nono período

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR EM SAUDE COLEGIADO DE BIOTECNOLOGIA. Instrução normativa Nº 01/2016

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR EM SAUDE COLEGIADO DE BIOTECNOLOGIA. Instrução normativa Nº 01/2016 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR EM SAUDE COLEGIADO DE BIOTECNOLOGIA Instrução normativa Nº 01/2016 Revoga a IN Nº 02/2013 e estabelece as normas referentes à orientação e à avaliação

Leia mais

Normas de Estágio Supervisionado do Bacharelado em Ciência da Computação

Normas de Estágio Supervisionado do Bacharelado em Ciência da Computação Normas de Estágio Supervisionado do Aprova as Normas de Estágio Supervisionado do Bacharelado em Ciência da Computação, em conformidade com a Lei de Estágio - Lei Federal Nº 11.788 de 25 de setembro de

Leia mais

I - Das disposições iniciais

I - Das disposições iniciais EDITAL Nº07 DE MATRÍCULA NAS CATEGORIAS DE TRANSFERÊNCIA INTERNA, TRANSFERÊNCIA EXTERNA E PORTADOR DE DIPLOMA DE GRADUAÇÃO PARA AS VAGAS RESIDUAIS DO ENSINO SUPERIOR. A Diretoria de Ensino do Instituto

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

REGULAMENTO GERAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE REGULAMENTO GERAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Seção I Das Modalidades e seu desenvolvimento Art. 1º O Estágio Supervisionado constitui-se em meio para que o aluno,

Leia mais

NORMA COMPLEMENTAR PARA O ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS MEDIANEIRA

NORMA COMPLEMENTAR PARA O ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS MEDIANEIRA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Medianeira NORMA COMPLEMENTAR PARA O ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS MEDIANEIRA NORMA COMPLEMENTAR

Leia mais

Faculdade Campo Limpo Paulista. Curso de Farmácia. Instruções para o desenvolvimento do estágio

Faculdade Campo Limpo Paulista. Curso de Farmácia. Instruções para o desenvolvimento do estágio Faculdade Campo Limpo Paulista Curso de Farmácia Instruções para o desenvolvimento do estágio Para o desenvolvimento do estágio curricular do curso de farmácia, os seguintes passos deverão ser seguidos:

Leia mais

REGULAMENTO PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO PARA AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º As Atividades Complementares (AC) atendem ao Parecer n 776/97 da CES, que trata das Diretrizes Curriculares dos Cursos

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO

TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO (Estudante realizando estágio curricular nas dependências da UFG- TCE coletivo com o mesmo supervisor) 1. Modalidade do estágio: Estágio Curricular Obrigatório N.º da Apólice

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Belo Horizonte 2017 1 Prezado(a) aluno(a): Este é o Manual de Atividades Complementares do Curso Superior de Tecnologia em Estética e Cosmética do Centro Universitário

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS DIRETRIZES PARA A REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA DE ALIMENTOS PORTO ALEGRE 2009 2 ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA DE ALIMENTOS O Estágio Curricular Supervisionado é um procedimento

Leia mais

1. Normas para Estágio Supervisionado Obrigatório do Curso de Engenharia de Alimentos diurno

1. Normas para Estágio Supervisionado Obrigatório do Curso de Engenharia de Alimentos diurno 1. Normas para Estágio Supervisionado Obrigatório do Curso de Engenharia de Alimentos diurno Apresentação: o O estágio constitui a oportunidade de complementar a formação profissional do estudante, colocando-o

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Belo Horizonte 2015 1 Prezado(a) aluno(a): Este é o Manual de Atividades Complementares do Curso Superior de Tecnologia em Estética e Cosmética do Centro Universitário

Leia mais

O Relatório final deve conter o conteúdo apresentado na 2ª RAE e todas as atividades desenvolvidas durante o estágio. Estrutura

O Relatório final deve conter o conteúdo apresentado na 2ª RAE e todas as atividades desenvolvidas durante o estágio. Estrutura Roteiro para elaboração do Relatório Técnico Final O Relatório final deve conter o conteúdo apresentado na 2ª RAE e todas as atividades desenvolvidas durante o estágio. Estrutura Capa: Deve conter o nome

Leia mais

CQ043 - ESTÁGIO SUPERVISIONADO (Bacharelado em Química) PRIMEIRO SEMESTRE DE 2016 CALENDÁRIO E ORIENTAÇÕES

CQ043 - ESTÁGIO SUPERVISIONADO (Bacharelado em Química) PRIMEIRO SEMESTRE DE 2016 CALENDÁRIO E ORIENTAÇÕES UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE QUÍMICA CQ043 - ESTÁGIO SUPERVISIONADO (Bacharelado em Química) PRIMEIRO SEMESTRE DE 2016 CALENDÁRIO E ORIENTAÇÕES Disponível em

Leia mais

Universidade Estadual do Ceará - UECE Faculdade de Veterinária - FAVET Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias PPGCV

Universidade Estadual do Ceará - UECE Faculdade de Veterinária - FAVET Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias PPGCV Universidade Estadual do Ceará - UECE Faculdade de Veterinária - FAVET Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias PPGCV NORMAS PARA QUALIFICAÇÃO - MESTRADO E DOUTORADO A qualificação consiste na

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO Abril de 2014 1 CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADE Art. 1 Este regulamento normatiza as atividades de estágio supervisionado

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FARMÁCIA

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FARMÁCIA MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FARMÁCIA Belo Horizonte 2016 Presidente do Grupo Splice Antônio Roberto Beldi Reitor João Paulo Barros Beldi Secretária-Geral Jacqueline Guimarães Ribeiro

Leia mais

O Estágio é uma atividade curricular obrigatória desenvolvida a partir da inserção do aluno no espaço

O Estágio é uma atividade curricular obrigatória desenvolvida a partir da inserção do aluno no espaço O Estágio é uma atividade curricular obrigatória desenvolvida a partir da inserção do aluno no espaço socioinstitucional, objetivando oportunizar a experiência do supervisão direta e sistemática. exercício

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO TÍTULO I DO ESTÁGIO E SEUS FINS

ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO TÍTULO I DO ESTÁGIO E SEUS FINS ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO TÍTULO I DO ESTÁGIO E SEUS FINS Art. 1º - O ESTÁGIO SUPERVISIONADO visa complementar a formação acadêmica e efetivar a habilitação profissional, exigida por lei, para

Leia mais

FACULDADE DE HORTOLÂNDIA Ato de Recredenciamento: Port. 673, 25/05/2011, D.O.U, de 26/05/2011, Seção 1, págs. 18/19

FACULDADE DE HORTOLÂNDIA Ato de Recredenciamento: Port. 673, 25/05/2011, D.O.U, de 26/05/2011, Seção 1, págs. 18/19 INSTITUTO EDUCACIONAL DO ESTADO DE SÃO PAULO Faculdade de Hortolândia REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Hortolândia 2015 1 TRABALHO DE CONCLUSÃO DO

Leia mais

RESOLUÇÃO CEPT- 18/16, de 08 de julho de 2016.

RESOLUÇÃO CEPT- 18/16, de 08 de julho de 2016. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CONSELHO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA RESOLUÇÃO CEPT- 18/16, de 08 de julho de 2016. Aprova

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO DE INTERESSE CURRICULAR DO CURSO DE ODONTOLOGIA

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO DE INTERESSE CURRICULAR DO CURSO DE ODONTOLOGIA REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO DE INTERESSE CURRICULAR DO CURSO DE ODONTOLOGIA Resolução nº 008/2005 do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO Art. 1º - Aquele não previsto na

Leia mais

REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO

REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO REGULAMENTO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS Art. 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) constitui-se como atividade facultativa e tem como objetivos: I - Desenvolver

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 26/16, de 06/07/16. CAPÍTULO I DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º O presente regulamento disciplina

Leia mais

Estágio Curricular Obrigatório

Estágio Curricular Obrigatório Estágio Curricular Obrigatório IFRS Câmpus Farroupilha Art. 1 - O estágio curricular constitui-se na interface entre a vida escolar e a vida profissional e integra o processo de ensino e aprendizagem.

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E TECNOLÓGICOS DE NÍVEL SUPERIOR

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E TECNOLÓGICOS DE NÍVEL SUPERIOR REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E TECNOLÓGICOS DE NÍVEL SUPERIOR Canoas, RS 2012 CAPÍTULO I DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º - O Estágio Supervisionado dos alunos

Leia mais

1. CARACTERÍSTICAS GERAIS E OBJETIVOS:

1. CARACTERÍSTICAS GERAIS E OBJETIVOS: Regulamento para inscrição e execução do Trabalho Final de Curso (TF) a ser desenvolvido no ano de 2017, do curso de Licenciatura em Ciências da Natureza da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE NUTRIÇÃO COORDENAÇÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO - TCC

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE NUTRIÇÃO COORDENAÇÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO - TCC REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO - TCC Goiânia 2015 Das Finalidades: REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO - TCC Art. 1º - A elaboração do TCC, conforme estabelecido pelas Diretrizes

Leia mais

FACULDADE DO NORTE GOIANO - FNG PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA DA FNG EDITAL 01/2017

FACULDADE DO NORTE GOIANO - FNG PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA DA FNG EDITAL 01/2017 FACULDADE DO NORTE GOIANO - FNG PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA DA FNG EDITAL 01/2017 A Diretoria acadêmica da Faculdade do Norte Goiano da cidade de Porangatu estado de Goiás, no uso de suas atribuições

Leia mais

EDITAL Nº 04 / 2016 NPJ

EDITAL Nº 04 / 2016 NPJ EDITAL Nº 04 / 2016 NPJ A Coordenação do Núcleo de Prática Jurídica, no uso de suas atribuições regimentais, torna pública a regulamentação da VALIDAÇÃO do ESTÁGIO SUPERVISIONADO, para o ano letivo de

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de ENGENHARIA DE PRODUÇÃO é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes

Leia mais

1. DOS FUNDAMENTOS E OBJETIVOS DO ESTÁGIO DE DOCÊNCIA

1. DOS FUNDAMENTOS E OBJETIVOS DO ESTÁGIO DE DOCÊNCIA ESTÁGIO DE DOCÊNCIA DO MESTRADO DA ESCOLA SUPERIOR DOM HELDER CÂMARA 1º SEMESTRE DE 2017 1. DOS FUNDAMENTOS E OBJETIVOS DO ESTÁGIO DE DOCÊNCIA O candidato ao estágio de docência deve ser um aluno regularmente

Leia mais

Estágio Curricular. Cursos de Engenharia de Produção. Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas - UFSC

Estágio Curricular. Cursos de Engenharia de Produção. Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas - UFSC Estágio Curricular Cursos de Engenharia de Produção Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas - UFSC ESTÁGIO CURRICULAR Normas Gerais Legislação Federal Lei 11.788/2008 Sobre estágios de estudantes

Leia mais

EDITAL Nº 07-DE, de 01 de Agosto de 2016.

EDITAL Nº 07-DE, de 01 de Agosto de 2016. EDITAL Nº 07-DE, de 01 de Agosto de 2016. EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA SOLICITAÇÃO DE TRANSFERÊNCIA INTERNA E EXTERNA PARA OS CURSOS TÉCNICOS SUBSEQUENTES DO IFRS CAMPUS VIAMÃO O do Instituto

Leia mais

Estágio Curricular. Profa. Dra. Tatiana Renata Garcia Coordenação de estágios

Estágio Curricular. Profa. Dra. Tatiana Renata Garcia Coordenação de estágios Estágio Curricular Profa. Dra. Tatiana Renata Garcia Coordenação de estágios Normas gerais Estágio obrigatório: é aquele definido como tal no projeto do curso, cuja carga horária é requisito para aprovação

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO MANTIDA PELA INSTITUIÇÃO PAULISTA DE ENSINO E CULTURA - IPEC REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO: LICENCIATURA EM PEDAGOGIA TUPÃ SP 2016 LEGISLAÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO ESTÁGIO

Leia mais

RESOLUÇÃO TGT Nº 06/2015

RESOLUÇÃO TGT Nº 06/2015 ANO XLV N. 098 14/07/2015 SEÇÃO IV PÁG. 076 RESOLUÇÃO TGT Nº 06/2015 Niterói, 24 de junho de 2015 O Colegiado do Curso de Graduação em Engenharia de Telecomunicações, em reunião ordinária de 24/06/2015,

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO O presente regulamento normatiza a atividade de Estágio, componente dos Projetos Pedagógicos dos cursos oferecidos pela Faculdades Gammon, mantida pela Fundação Gammon de Ensino

Leia mais

Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado ENGENHARIA ELÉTRICA - TELECOMUNICAÇÕES

Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado ENGENHARIA ELÉTRICA - TELECOMUNICAÇÕES Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado ENGENHARIA ELÉTRICA - TELECOMUNICAÇÕES CAMPO LIMPO PAULISTA 2014 Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica - Telecomunicações

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS SOBRE: Estágio na Empresa e Relatório de Estágio

ORIENTAÇÕES GERAIS SOBRE: Estágio na Empresa e Relatório de Estágio Educando para o Pensar e o Fazer COORDENAÇÃO TÉCNICA ORIENTAÇÕES GERAIS SOBRE: Estágio na Empresa e Relatório de Estágio 1. O que é estágio? É a parte da formação do técnico em que o aluno colocará em

Leia mais

CURSO DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO REGIMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

CURSO DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO REGIMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE TECNOLOGIA EM AGRONEGÓCIO REGIMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Patrocínio, junho de 2013 SUMÁRIO Título I - Disposições Preliminares... 02 Título II - Da Caracterização... 02 Capítulo I Dos

Leia mais

EDITAL Nº 004/2017, DE 31 DE MAIO DE 22017

EDITAL Nº 004/2017, DE 31 DE MAIO DE 22017 DIREÇÃO GERAL EDITAL Nº 004/2017, DE 31 DE MAIO DE 22017 O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí IFPI, através da Direção Geral do campus Uruçuí, torna públicas, para conhecimento

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTO PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO

MANUAL DE PROCEDIMENTO PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO MANUAL DE PROCEDIMENTO PARA ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO O Estágio Supervisionado obrigatório é valido para os alunos que cumpriram com aprovação, no mínimo 50% da carga horária total de seu curso.

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO

TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO TERMO DE COMPROMISSO DE ESTÁGIO A Parte Concedente e o Estagiário com a interveniência da Instituição de Ensino celebram este Termo de Compromisso de Estágio, sem vínculo empregatício, comprometendo-se

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS O Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório está organizado em duas etapas, uma no sétimo e outra

Leia mais

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE LICENCIATURA EM INFORMÁTICA UTFPR FRANCISCO BELTRÃO

MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE LICENCIATURA EM INFORMÁTICA UTFPR FRANCISCO BELTRÃO MANUAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE LICENCIATURA EM INFORMÁTICA UTFPR FRANCISCO BELTRÃO 2014 APRESENTAÇÃO As Atividades Complementares têm como finalidade oferecer aos acadêmicos a oportunidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR EM SAUDE COLEGIADO DE FARMACIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR EM SAUDE COLEGIADO DE FARMACIA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR EM SAUDE COLEGIADO DE FARMACIA INSTRUÇÃO NORMATIVA 02/2007 Estabelece as normas complementares para orientação e a avaliação do estágio curricular

Leia mais

TELEFONE: MATRÍCULA: DATA DE NASCIMENTO: ESTADO CIVIL:

TELEFONE:   MATRÍCULA: DATA DE NASCIMENTO: ESTADO CIVIL: FICHA CADASTRAL DO ESTÁGIO Dados do aluno: NOME: ENDEREÇO: BAIRRO: CEP: CIDADE: TELEFONE: E-MAIL: MATRÍCULA: DATA DE NASCIMENTO: RG: ESTADO CIVIL: Dados da organização: ORGANIZAÇÃO: ENDEREÇO: BAIRRO: CEP:

Leia mais

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE QUÍMICA E GEOCIÊNCIAS CURSO DE BACHARELADO EM QUÍMICA COMISSÃO DE ESTÁGIO E MONOGRAFIA NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Pelotas, maio de 2009. NORMAS DOS ESTÁGIOS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL- REI DIVISÃO DE ENSINO COORDENADORIA DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Resolução nº. 001, de 24 de janeiro de 2005.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL- REI DIVISÃO DE ENSINO COORDENADORIA DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Resolução nº. 001, de 24 de janeiro de 2005. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL- REI DIVISÃO DE ENSINO COORDENADORIA DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Resolução nº. 001, de 24 de janeiro de 2005. Estabelece Equivalência para a Disciplina Estágio Curricular

Leia mais

CONSELHO DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA COMISSÃO DE ESTÁGIO REGULAMENTO PARA O ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA

CONSELHO DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA COMISSÃO DE ESTÁGIO REGULAMENTO PARA O ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA REGULAMENTO PARA O ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES ARTIGO 1º - Considera-se Estágio Curricular, o conjunto de atividades de aprendizagem social, profissional

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ENERGIA I INTRODUÇÃO II CARACTERÍSTICAS GERAIS

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ENERGIA I INTRODUÇÃO II CARACTERÍSTICAS GERAIS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ENERGIA I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Engenharia de Energia é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Escola de Engenharia Civil RESOLUÇÃO N 01/2008

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Escola de Engenharia Civil RESOLUÇÃO N 01/2008 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Escola de Engenharia Civil RESOLUÇÃO N 01/2008 Regulamenta as atividades de Estágio Curricular Obrigatório e Não-obrigatório do Curso de Graduação da Escola de Engenharia

Leia mais

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DO GAMA. (minuta)

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DO GAMA. (minuta) RESOLUÇÃO DO CONSELHO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DO GAMA. (minuta) Estabelece normas para a realização de estágios obrigatórios e não obrigatórios no âmbito dos cursos de graduação da Faculdade

Leia mais

EDITAL PIBIC 2015/2016

EDITAL PIBIC 2015/2016 INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR MÚLTIPLO Credenciado pela Portaria n 2.535 de 19/08/04 - MEC CNPJ 05.379.062/0001-70 Avenida Boa Vista nº700 - Bairro: São Francisco CEP: 65631-350 Timon/MA Fone: 99 3212-2185

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM REGIMENTO DO ESTÁGIO TÍTULO I. Do Estágio

CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM REGIMENTO DO ESTÁGIO TÍTULO I. Do Estágio UNVERSDADE FEDERAL DE JUZ DE FORA FACULDADE DE ENFERMAGEM Campus Universitário - Martelos - Juiz de Fora - MG - 36036-330 - Fone (032) 3229-3000 Ramais 3820/ 3821/ Tel. Fax: (0XX32) 3229-3822 - Fone (0XX32)

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE QUÍMICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE QUÍMICA PROGRAMA DE ESTÁGIO Estágio é o ato educativo escolar, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo, além de integrar o processo de formação do estudante. A Comissão

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A DEFESA DE PROJETO DE DISSERTAÇÃO (QUALIFICAÇÃO)

ORIENTAÇÕES PARA A DEFESA DE PROJETO DE DISSERTAÇÃO (QUALIFICAÇÃO) ORIENTAÇÕES PARA A DEFESA DE PROJETO DE DISSERTAÇÃO (QUALIFICAÇÃO) A Defesa de Projeto de Dissertação consiste na elaboração e apresentação oral, perante banca examinadora, do projeto de pesquisa que será

Leia mais