Painel de Referência no TCU Acórdão 56/2013 Processo: TC / CGU - BRASÍLIA-DF AGOSTO/2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Painel de Referência no TCU Acórdão 56/2013 Processo: TC-017.206/2012-4 - CGU - BRASÍLIA-DF AGOSTO/2013"

Transcrição

1 Painel de Referência no TCU Acórdão 56/2013 Processo: TC / CGU - BRASÍLIA-DF AGOSTO/2013

2 I. A importância de um Sistema de Referência II. Das limitações do Sistema de Referência SINAPI III. Foco nas ações de melhoria IV. Das práticas da orçamentação V. Evolução do processo de fraude VI. Conclusão

3 Da importância de um Sistema de Referência Para orçamentista/gestor Uniformização da sistemática de obtenção de custos; Procedimentos padronizados para tratamento dos dados; Uniformização da disponibilização dos dados, propiciando maior facilidade no uso; e Fonte de composições de serviço (a exemplo de outras fontes: Pini, Orse, EMOP, etc.), facilitando a escolha de uma composição para posterior ajuste à realidade da obra.

4 Da importância de um Sistema de Referência Para auditor Fonte de composições de serviços e de custos de insumos para fins de auditoria de obras públicas, uma vez que os órgãos de controle não executam obras suficientes a ponto de terem um banco de dados próprio.

5 Das limitações do Sistema de Referência SINAPI Não possui informações sobre diversos serviços empregados em obras de maior porte; Não contempla elementos construtivos mais modernos, a exemplo de drywall (painéis de gesso acartonado), concretos de alto desempenho, protendido ou projetado, lajes nervuradas, etc.; Pesquisa de insumos (representativos) e cotações são realizadas para a capital dos Estados, apesar de obter custos em outras praças quando dos levantamentos diretos junto a fornecedores situados fora da capital; e A apresentação dos custos referenciais refere-se ao praticado nas capitais dos Estados.

6 Foco nas ações de melhoria do Sistema Aferição em campo de composições de serviços (contrato FDTE/USP); Extensão da pesquisa de insumos; Inclusão de novas tecnologias construtivas; Memorial das composições; e Criação de manuais, a exemplo do SICRO, de modo a apresentar as premissas utilizadas, a forma de apropriação dos insumos, etc.

7 Das práticas da orçamentação É usual a cotação de aquisição de equipamentos e materiais em separado das obras, visto que o SINAPI não contempla 100% dos itens do orçamento; No entanto, faz-se necessário reavaliar a proposta de se ampliar essa cotação a itens já previstos no Sistema (custos x benefícios x riscos); Cotações extra-sinapi e Sicro levam dias ou semanas para se concretizarem. Atribuição a cargo do contratado responsável pela elaboração do projeto básico/executivo (geralmente privado); Dificuldade de tal prática no caso de orçamentações realizadas por Prefeituras (estrutura atual dos municípios brasileiros); e

8 Das práticas da orçamentação Efeito Administração Pública versus Efeitos Cotação + Barganha: Ainda que o órgão realize cotações (efeito cotação) e leve em conta a compra de grandes quantidades (efeito barganha), tais preços podem se comportar como medianos, mesmo que se adotem os menores preços cotados.

9 Das práticas da orçamentação Além da diretriz de cotação de insumos relevantes (fora do SINAPI), devem ser abordados outros pontos como: tratamento estatístico dos valores cotados; número de cotações ideal, diferenças entre preços CIF e FOB; diferenças de ICMS; cotação em praças locais ou capitais; consulta a fornecedores que vendem materiais para grandes construtoras; diferenças de alíquotas de impostos por tipo de opção tributária dos fabricantes; lucro real ou presumido; e valores atualizados por meio de índices setoriais, etc.

10 Evolução do processo de fraude Evolução das tipologias de fraude: (In)existência da obra Preços unitários e BDI Quantitativos Coeficientes de produtividade Qualidade da obra, etc; Atualmente, as fraudes estão mais relacionadas às composições do que propriamente aos valores unitários dos insumos; e Caso prático de fraude nas composições.

11 CORTE VISÃO DO SERVIÇO FILME DA OBRA IÇAMENTO MOVIMENTAÇÃO DISPOSIÇÃO

12 ESTRUTURA DE IÇAMENTO ESTRUTURA DE IÇAMENTO DISPOSIÇÃO MOVIMENTAÇÃO

13 LEVANTAMENTO DEMOLIÇÃO DEMOLIÇÃO DEMOLIÇÃO

14 SEPARAÇÃO DOS MATERIAIS CARGA SEPARAÇÃO DOS MATERIAIS MATERIAL RECICLADO

15 CARGA E TRANSPORTE CARGA E TRANSPORTE Depois do mapeamento de todo o serviço, o próximo passo é a elaboração da CPU. 15

16 N ITEM ITEM EMOP DESCRICAO VISÃO DO SERVIÇO CHAPA DE ACO 3/4", ENTREMEADA COM MADEIRA DE LEI 3"x9", INCLUSIVE MOBILIZACAO, TRANSPORTE, CARGA, DESCARGA E DESLOCAMENTOS DENTRO DO CANTEIRO DE OBRAS, PARA DISTRIBUIÇÃO UNIFORME, NO SOLO, DO PESO DOS GUINDASTES UTILIZADOS NADEMOLIÇÃO DA MARQUISE DO MARACANÃ. LOCAÇÃO DE GUINDASTE COM LANÇA TRELIÇADA SOBRE ESTEIRAS COM CAPACIDADE DE 230 T, INCLUSIVE SINALIZAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DO ESQUIPAMENTO - OBRA MARACANÃ COPA 2014 LOCAÇÃO DE GUINDASTE COM LANÇA TRELIÇADA SOBRE ESTEIRAS COM CAPACIDADE DE 400 T, INCLUSIVE SINALIZAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DO ESQUIPAMENTO - OBRA MARACANÃ COPA 2014 LOCAÇÃO DE GUINDASTE COM LANÇA TRELIÇADA SOBRE ESTEIRAS COM CAPACIDADE DE 800 T, INCLUSIVE SINALIZAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DO ESQUIPAMENTO - OBRA MARACANÃ COPA 2014 UNID Dados DADOS da DA Contratada EMOP Quantidade Preço Unitário Preço Total Quantidade Preço Unitário DADOS CGU Preço Total M2 300, , ,16 300, , ,41 H 1.233,00 906, ,30 0,00 906,86 - H 3.600, , , , , ,62 H 1.260, , ,21 378, , , REMOÇÃO DA MARQUISE DO ESTÁDIO, UTILIZANDO CORTE DE CONCRETO COM FIO DIAMANTADO, INCLUSIVE DESLOCAMENTO DE EQUIPAMENTO, FORNECIMENTO, FABRICAÇÃO E MONTAGEM DE ESTRUTURA METÁLICA AUXILIAR E PERFURAÇÕES NA LAJE. MEDIDA PELA ÁREA DE PROJEÇÃO DA COBERTURA. OBRA MARACANÃ COPA 2014 M ,00 385, , ,00 121, , XXX-X MANIPULADOR TELESCÓPICO 17M x 4,5T - OBRA MARACANÃ COPA 2014 TRANSPORTE DE QUALQUER NATUR. C/VELOC. MEDIA DE 20KM/H EM CAMINHAO BASCUL. CAPAC. UTIL DE 12T CARGA E DESC. MEC. C/PA-CARREGADEIRA CAPAC. DE 1.50M3 E CAMINHAO BASCUL CAPAC. UTIL DE ST, CARGA DE 50T P/DIA DE 8:00H CORTE DE AÇO (VERGALHÃO), INCLUSIVE REMOÇÃO DO LOCAL, APÓS SERVIÇOS DE DEMOLIÇÃO DE CONCRETO. 10 ROMPEDOR HIDRÁULICO ACOPLADO A ESCAVADEIRA HIDRÁULICA. RECICLAGEM DE MATERIAL PROVENIENTE DE DEMOLIÇÕES PRIMÁRIAS DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO EMPREGANDO PULVERIZADORES HIDRÁULICOS COM GARRAS ARTICULADAS GIRATÓRIAS DE 360º ACOPLADOS AS ESCAVADEIRAS. BRITAGEM DESTE MATERIAL E DESAGREGAÇÃO DO AÇO IMPREGNADO TOTAL UNxMES 10, , ,62 5, , ,97 T X KM ,42 0, , ,74 0, ,80 T ,14 7, , ,79 7, ,96 KG ,00 0, , ,80 0, ,98 M ,55 19, , ,36 19, ,06 M ,77 93, , ,30-0, (1.512,39) , ,08

17 CPU da ADM/Contratada. COMPOSIÇÃO DE CUSTO UNITÁRIO SERVIÇO REMOÇÃO DA MARQUISE DO ESTÁDIO, UTILIZANDO CORTE DE CONCRETO COM FIO DIAMANTADO, INCLUSIVE DESLOCAMENTO DE EQUIPAMENTO, FORNECIMENTO, FABRICAÇÃO E MONTAGEM DE ESTRUTURA METÁLICA AUXILIAR E PERFURAÇÕES NA LAJE. MEDIDA PELA ÁREA DE PROJEÇÃO DA COBERTURA. UNIDADE m² DESCRIÇÃO CÓDIGO UNID. QUANT. % P. UNIT VALOR MATERIAL CORTE DE CONCRETO COM FIO DIAMANTADO SINALIZAÇÃO / RIGGER PARA LOCAÇÃO DE GUINDASTE COM CAPACIDADES DE 230t, 400t e 800t. TOTAL A 0,0000 EQUIPAMENTO PINI m² 0, , , ,8879 h 0, ,5600 5,9292 CARGA, TRANSPORTE E DESCARGA DOS DISPOSITIVOS DE SUSTENTAÇÃO E IÇAMENTO DAS PEÇAS DE CONCRETO REMOVIDAS DA MARQUISE, INCLUSIVE TEMPO DE ESPERA DO CAMINHÃO PARA CARGA E DESCARGA. Perfuração Vertical ( ) Estrutura Metálica ( ) AJUDANTE FEITOR ELETRICISTA txkm 0,2083 1,6000 0,3333 m 0, ,4000 4,5072 Kg 5, ,0700 TOTAL B 78, ,1373 MÃO-DE-OBRA 1921 h 0,2706 5,0000 7,0000 1, h 0,0902 5, ,5400 1, h 0,0902 5, ,2500 TOTAL C 0,9708 4,2425 SOMA (A+B+C) = R$ 332,38 TOTAL (I0 = 12/09) = R$ 332,38

18 ELABORAÇÃO DA CPU Memória de cálculo das quantidades Área Total a cortar. Espessura Comprimento Quantidades Área (m2) TOTAL de corte Laje 0,08 32,00 120,00 307,20 307,20 Vigas invertidas 0,15 0, ,00 198,00 198,00 Gigante 01 Variável 60,00 0,88 52,80 Gigante 02 Variável 60,00 1,64 98,40 Área Total a cortar (m²): 656,40 Área Total da Cobertura (m²): ,00 Coeficiente de Consumo (m² por m²) 0, Observação: 1) As dimensões foram retiradas durante a visita à obra. O Custo do serviço de corte com fio diamantado já considera o operador da máquina de corte. 18

19 SINALIZAÇÃO PARA GUINDASTE Cálculo das horas de servente/ajudantes para SINALIZAÇÃO Un nº Dias nº Homens nº Horas Total de Horas Sinalizador h 130,00 2,00 9, ,00 Ajudantes h 130,00 2,00 9, ,00 TOTAL 260,00 4,00 18, ,00 Área total de Cobertura (m²) ,00 Coeficiente de Consumo (H por m²): 0,18142 Observação: 1) O serviço de Sinalização para locação de guindaste ( ) da EMOP contempla os insumos: Encarregado ( ) e o Técnico de Edificações ( ). Essa mão-de-obra já está inclusa na Administração Local da obra, logo este item deve ser excluído. 2) As quantidades de mão-de-obra foram apropriadas pela CGU durante a execução do serviço. - 19

20 ELABORAÇÃO EMOP - EMPRESA DE OBRAS PÚBLICAS DA DO ESTADO CPU DO RIO DE JANEIRO - RJ SEOBRAS - SECRETARIA DE OBRAS - RJ DEPRE - DEPARTAMENTO DE PREÇOS COMPOSIÇÃO DE CUSTO UNITÁRIO SERVIÇO SINALIZAÇÃO / RIGGER PARA SERVIÇO DE DEMOLIÇÃO DA MARQUISE - OBRA MARACANÃ COPA UNIDADE h DESCRIÇÃO CÓDIGO UNID. QUANT. % P. UNIT VALOR MATERIAL EQUIPAMENTO TOTAL A 0,0000 TÉCNICO ( ) ENCARREGADO ( ) TOTAL B 0,0000 MÃO-DE-OBRA h 1, , ,2800 h 1, ,2800 TOTAL C 16, ,5600 SOMA (A+B+C) = R$ 32,56 TOTAL (I0 = 12/09) = R$ 32,56 COMPOSIÇÃO DE CUSTO UNITÁRIO - CGU SERVIÇO SINALIZAÇÃO / RIGGER PARA SERVIÇO DE DEMOLIÇÃO DA MARQUISE - OBRA MARACANÃ COPA UNIDADE h DESCRIÇÃO CÓDIGO UNID. QUANT. % P. UNIT VALOR MATERIAL EQUIPAMENTO TOTAL A 0,0000 SERVENTE SINALEIRO TOTAL B 0,0000 MÃO-DE-OBRA h 1,5000 7, ,9650 h 1,5000 7,3100 TOTAL C 10, ,9300 SOMA (A+B+C) = R$ 21,93 TOTAL (I0 = 12/09) = R$ 21,93

21 ELABORAÇÃO DA CPU CARGA, DESCARGA E IÇAMENTO DE ESTRUTURAS METÁLICAS Estruturas Metálicas. Un Quantidade Total Treliça nº 01 (14,2 Ton) Kg 2, ,00 Treliça nº 02 (12,67 Ton) Kg 2, ,00 Treliça nº 03 (7,0 Ton) Kg 2, ,00 TOTAL Kg ,00 Área Total da Cobertura (m²): ,00 Coeficiente de Consumo (Kg por m²) 2, Coeficiente de Consumo (TxKm por m²) 0, Observação: 1) Peso foi obtido com base no memorial de cálculo da EMOP, confirmados em campo com o operador do guindaste de 400 Ton e com outros trabalhadores da Construtora. 2) A DMT considerada foi de 0,15 Km. 21

22 Perfuração Vertical. PERFURAÇÃO VERTICAL Un Quantidade Total Furos fixação (36 furos por laje c/c 2 lajes por módulo) m 72,00 648,00 Cortes (13 metros por laje c/c 2 lajes por módulo) m 26, ,00 TOTAL 2.208,00 Área Total da Cobertura (m²): ,00 Coeficiente de Consumo (m por m²) 0, Observação: 1) Cada furo tem em média 15 cm de diâmetro. 2) São ao todo 60 módulos. 22

23 ELABORAÇÃO DA CPU Perfuração Vertical COMPOSIÇÃO DE CUSTO UNITÁRIO - CGU SERVIÇO UNIDADE m DESCRIÇÃO Corte de aço com maçarico. MARTELETE OU ROMPEDOR PNEUMATICO TIPO ATLAS COPCO 27 A 44KG INCLUSIVE CONJUNTO DE MANGUEIRAS ( 2 X 15M) COMPRESSOR DE AR DIESEL REBOCAVEL 160PCM CÓDIGO UNID. QUANT. % P. UNIT VALOR Composição Auxiliar Sinapi adaptada 1,0000 2,9800 TOTAL A 2,9800 2,9800 EQUIPAMENTO Sinapi ,0533 3,9300 0,2096 Sinapi , ,1200 0,6997 Pedreiro Servente TOTAL B 0,9093 MÃO-DE-OBRA Sinapi 4244 h 0,0533 9,9500 0,5307 Sinapi 6111 h 0,0533 7,3100 0,3899 TOTAL C 0,9205 SOMA (A+B+C) = R$ 4,81 TOTAL (I0 = 12/09) = R$ 4,81 Observação: 1) Conforme verificado em campo, gasta-se em média 40 minutos para cortar, com maçarico, 12,5 metros da ferragem da laje da cobertura. 23

24 ELABORAÇÃO DA CPU Serviço: Corte de aço com maçarico. Localidade: Abrangência: Unidade: Cód. Composição: RJ. Nacional m Sinapi adaptada a realidade da obra. Data de preço: 12/09 Cód. Tipo Descrição Unid. Coef. Consumo Custo Unit. Custo Total Equipamentos 0,00 Material 2, Insumo SI. Acetileno kg 0,027 28,42 0, Insumo SI. Oxigênio m³ 0,15 10,95 1,64 Mão de Obra 0, Insumo SI. Maçariqueiro h 0,04 10,71 0, Insumo SI. Servente h 0,020 7,31 0,15 Observações: Composições Auxiliares Equipamento 0,00 Material 2,41 Mão de Obra 0,57 Composição Auxiliar 0,00 Custo Unitário Direto 2,98 Preço Unitário Total 2,98 1) Coeficiente de consumo de Acetileno foi retirado da composição para corte de chapa de aço de 3/8" ( SINAPI 17883/3). 2) O coeficiente de consumo do Oxigênio foi retirado da composição para corte de chapa de aço de 3/8" ( SINAPI 17883/3) 3) Conforme verificado em campo gasta-se em média de min para cortar com maçarico 12,5 metros da ferragem da laje da cobertura. 4) Conforme verifica-se nas composições do Sinapi a produtividade o coeficiente do servente/ajudante é metade do maçariqueiro.

25 ELABORAÇÃO DA CPU Mão-de-Obra (Serventes e Ajudantes) Cálculo das horas de servente/ajudantes. Un nº Dias nº Homens nº Horas Total de Horas Operador da máquina de corte h 130,00 2,00 9, ,00 Ajudante de Corte h 130,00 2,00 9, ,00 Ajudantes para fixação da Treliça h 130,00 5,00 9, ,00 TOTAL 9,00 27, ,00 Área total de Cobertura (m²) ,00 Coeficiente de Consumo (m por m²): 0,31748 Observação: h 1) Todas as produtividades foram aferidas em campo pela CGU 2) Não foi considerarado o operador da máquina de corte, visto que o serviço de corte com fio diamantado já considera a mão-de-obra. - 25

26 CPU FINAL COMPOSIÇÃO DE CUSTO UNITÁRIO - CGU. UNIDADE m² DESCRIÇÃO CÓDIGO UNID. QUANT. % P. UNIT VALOR MATERIAL CORTE DE CONCRETO COM FIO DIAMANTADO SINALIZAÇÃO / RIGGER PARA LOCAÇÃO DE GUINDASTE COM CAPACIDADES DE 230t, 400t e 800t - OBRA MARACANÃ COPA ( ) CARGA, TRANSPORTE E DESCARGA DOS DISPOSITIVOS DE SUSTENTAÇÃO E IÇAMENTO DAS PEÇAS DE CONCRETO REMOVIDAS DA MARQUISE, INCLUSIVE TEMPO DE ESPERA DO CAMINHÃO PARA CARGA E DESCARGA - OBRA MARACANÃ COPA 2014 Perfuração Vertical Estrutura Metálica SERVENTE OU OPERARIO NAO QUALIFICADO TOTAL A 0,0000 EQUIPAMENTO PINI m² 0, ,18 57,7389 h 0, ,9300 3,98 txkm 0,3939 1,6000 0,6302 m 0,0856 4,8143 0,4121 Kg 2, ,0700 TOTAL B 39, ,3317 MÃO-DE-OBRA 6111 h 0,3175 7,3100 TOTAL C 2,4368 2,4368 SOMA (A+B+C) = R$ 104,77 TOTAL (I0 = 12/09) = R$ 104,77

27 CPU da ADM/Contratada versus CGU. COMPOSIÇÃO DE CUSTO UNITÁRIO SERVIÇO REMOÇÃO DA MARQUISE DO ESTÁDIO, UTILIZANDO CORTE DE CONCRETO COM FIO DIAMANTADO, INCLUSIVE DESLOCAMENTO DE EQUIPAMENTO, FORNECIMENTO, FABRICAÇÃO E MONTAGEM DE ESTRUTURA METÁLICA AUXILIAR E PERFURAÇÕES NA LAJE. MEDIDA PELA ÁREA DE PROJEÇÃO DA COBERTURA. COMPOSIÇÃO DE CUSTO UNITÁRIO - CGU. UNIDADE m² UNIDADE m² DESCRIÇÃO CORTE DE CONCRETO COM FIO DIAMANTADO SINALIZAÇÃO / RIGGER PARA LOCAÇÃO DE GUINDASTE COM CAPACIDADES DE 230t, 400t e 800t. CARGA, TRANSPORTE E DESCARGA DOS DISPOSITIVOS DE SUSTENTAÇÃO E IÇAMENTO DAS PEÇAS DE CONCRETO REMOVIDAS DA MARQUISE, INCLUSIVE TEMPO DE ESPERA DO CAMINHÃO PARA CARGA E DESCARGA. Perfuração Vertical ( ) Estrutura Metálica ( ) AJUDANTE FEITOR ELETRICISTA DESCRIÇÃO CÓDIGO UNID. QUANT. % P. UNIT VALOR CÓDIGO UNID. QUANT. % P. UNIT VALOR MATERIAL MATERIAL TOTAL A 0,0000 TOTAL A 0,0000 EQUIPAMENTO EQUIPAMENTO PINI CORTE m² DE CONCRETO 0, ,0000 COM FIO DIAMANTADO 2269,1800 PINI 238,8879 m² 0, ,18 57,7389 SINALIZAÇÃO / RIGGER PARA LOCAÇÃO DE GUINDASTE COM CAPACIDADES DE 230t, 400t h 0, ,5600 e 800t - OBRA MARACANÃ COPA ,9292 h 0, ,9300 3,98 ( ) CARGA, TRANSPORTE E DESCARGA DOS DISPOSITIVOS DE SUSTENTAÇÃO E IÇAMENTO DAS PEÇAS DE CONCRETO txkm 0,2083 1,6000 REMOVIDAS DA MARQUISE, INCLUSIVE 0,3333 txkm 0,3939 1,6000 0,6302 TEMPO DE ESPERA DO CAMINHÃO PARA CARGA E DESCARGA - OBRA MARACANÃ COPA 2014 Perfuração m Vertical 0, ,4000 4,5072 m 0,0856 4,8143 0,4121 Estrutura Kg Metálica 5, ,0700 TOTAL B 78, ,1373 Kg 2, ,0700 TOTAL B 39, ,3317 MÃO-DE-OBRA MÃO-DE-OBRA 1921 SERVENTE h 0,2706 5,0000 7,0000 1,9889 OU OPERARIO NAO QUALIFICADO 6111 h 0,3175 7,3100 2, h 0,0902 5, ,5400 1,2824 TOTAL C 2, h 0,0902 5, ,2500 0,9708 TOTAL C 4,2425 SOMA (A+B+C) = R$ 104,77 SOMA (A+B+C) = R$ 332,38 TOTAL (I0 = 12/09) = R$ 104,77 TOTAL (I0 = 12/09) = R$ 332,38

28 VISÃO DO SERVIÇO Dados DADOS da DA Contratada EMOP DADOS CGU N ITEM ITEM EMOP DESCRICAO Preço Preço Sobrepreço UNID Quantidade Preço Total Quantidade Preço Total Unitário Unitário (CGU - EMOP) CHAPA DE ACO 3/4", ENTREMEADA COM MADEIRA DE LEI 3"x9", INCLUSIVE MOBILIZACAO, TRANSPORTE, CARGA, DESCARGA E DESLOCAMENTOS DENTRO DO CANTEIRO DE OBRAS, PARA DISTRIBUIÇÃO UNIFORME, NO SOLO, M2 300, , ,16 300, , ,41 (98.911,75) DO PESO DOS GUINDASTES UTILIZADOS NADEMOLIÇÃO DA MARQUISE DO MARACANÃ. LOCAÇÃO DE GUINDASTE COM LANÇA TRELIÇADA SOBRE ESTEIRAS COM CAPACIDADE DE 230 T, INCLUSIVE SINALIZAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO H 1.233,00 906, ,30 0,00 906,86 - ( ,30) DO ESQUIPAMENTO - OBRA MARACANÃ COPA 2014 LOCAÇÃO DE GUINDASTE COM LANÇA TRELIÇADA SOBRE ESTEIRAS COM CAPACIDADE DE 400 T, INCLUSIVE SINALIZAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO H 3.600, , , , , ,62 ( ,02) DO ESQUIPAMENTO - OBRA MARACANÃ COPA 2014 LOCAÇÃO DE GUINDASTE COM LANÇA TRELIÇADA SOBRE ESTEIRAS COM CAPACIDADE DE 800 T, INCLUSIVE SINALIZAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DO ESQUIPAMENTO - OBRA MARACANÃ COPA 2014 H 1.260, , ,21 378, , ,56 ( ,65) REMOÇÃO DA MARQUISE DO ESTÁDIO, UTILIZANDO CORTE DE CONCRETO COM FIO DIAMANTADO, INCLUSIVE DESLOCAMENTO DE EQUIPAMENTO, FORNECIMENTO, FABRICAÇÃO E MONTAGEM DE ESTRUTURA METÁLICA AUXILIAR E PERFURAÇÕES NA LAJE. MEDIDA PELA ÁREA DE PROJEÇÃO DA COBERTURA. OBRA MARACANÃ COPA 2014 M ,00 385, , ,00 121, ,11 ( ,85) XXX-X MANIPULADOR TELESCÓPICO 17M x 4,5T - OBRA UNxMES 10, , ,62 5, , ,97 ( ,65) MARACANÃ COPA 2014 TRANSPORTE DE QUALQUER NATUR. C/VELOC. MEDIA T X KM ,42 0, , ,74 0, ,80 (46.588,72) DE 20KM/H EM CAMINHAO BASCUL. CAPAC. UTIL DE 12T CARGA E DESC. MEC. C/PA-CARREGADEIRA CAPAC. DE 1.50M3 E CAMINHAO BASCUL CAPAC. UTIL DE ST, CARGA DE 50T P/DIA DE 8:00H CORTE DE AÇO (VERGALHÃO), INCLUSIVE REMOÇÃO DO LOCAL, APÓS SERVIÇOS DE DEMOLIÇÃO DE CONCRETO. ROMPEDOR HIDRÁULICO ACOPLADO A ESCAVADEIRA HIDRÁULICA. RECICLAGEM DE MATERIAL PROVENIENTE DE DEMOLIÇÕES PRIMÁRIAS DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO EMPREGANDO PULVERIZADORES HIDRÁULICOS COM GARRAS ARTICULADAS GIRATÓRIAS DE 360º ACOPLADOS AS ESCAVADEIRAS. BRITAGEM DESTE MATERIAL E DESAGREGAÇÃO DO AÇO IMPREGNADO TOTAL T ,14 7, , ,79 7, ,96 (63.083,06) KG ,00 0, , ,80 0, ,98 ( ,29) M ,55 19, , ,36 19, ,06 (65.693,49) M ,77 93, , ,30-0, (1.512,39) ( ,55) , ,08 ( ,32)

29 Fechamento de orçamento Composição de custos Estilo das condicionantes (condições de contorno) Processo de Orçamentação Edital Projeto Especificações Visita técnica Identificação serviços CUSTO DIRETO Encargos Levantamento quantitativo Cotação de preços Composições de custo CUSTO INDIRETO Encargos Cotação de preços SINAPI, SICRO, etc Lucro Impostos Preço de venda/bdi Desbalanceamento ORÇAMENTO (Mattos, adaptado)

30 Conclusão Hoje é fundamental a existência do SINAPI!!! Sistema como fonte de informações = subsídio do orçamento. Evitar a desqualificação dos Sistemas Oficiais de Referência, principalmente em obras de grande vulto => risco de extinção, perda do histórico de dados e do controle público sobre os bancos de custos => uso exclusivo de fontes privadas? Fortalecimento e capacitação das áreas de orçamentação e de projeto na Administração Pública. Necessidade de se avaliar todo o processo de definição de um orçamento. CGU se inclui nas ações de melhoria do SINAPI e do SICRO.

PROC IBR EDIF 01.02.004/2014

PROC IBR EDIF 01.02.004/2014 INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS IBRAOP INSTITUTO RUI BARBOSA IRB / COMITÊ OBRAS PÚBLICAS PROC IBR EDIF 01.02.004/2014 01 - Fase Licitatória 01.02 - Análise das especificações, quantidades

Leia mais

SINAPI Modelo de Apresentação

SINAPI Modelo de Apresentação SINAPI Modelo de Apresentação Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil Administrado pela CAIXA Precisão do Preço de Referência Margem de erro elevada MÉTODO DE CÁLCULO DO

Leia mais

3.4 REVISÃO NAS CALHAS E TUBOS DE DESCIDA DE AGUA PLUVIAIS E INSTALAÇÃO DE RALOS TIPO ABACAXI vb 1,00 1.560,00 2.100,00 3.

3.4 REVISÃO NAS CALHAS E TUBOS DE DESCIDA DE AGUA PLUVIAIS E INSTALAÇÃO DE RALOS TIPO ABACAXI vb 1,00 1.560,00 2.100,00 3. Planilha Orçamentaria sintética UNIDADE DO BRB: AGÊNCIA ANAPOLIS Obra/Serviço: REFORMA DA FACHADA Endereço: Rua 15 de Dezembro, nº 50, Centro ANÁPOLIS/GO ANEXO II DATA: 04/01/11 Nº OS: 119/2009 REVISÃO:

Leia mais

CURVA ABC OBJETO: SUBSTITUIÇÃO DAS CORTINAS DO FLOCULADOR DA ESTAÇAO DE TRATAMENTO DE AGUA

CURVA ABC OBJETO: SUBSTITUIÇÃO DAS CORTINAS DO FLOCULADOR DA ESTAÇAO DE TRATAMENTO DE AGUA CURVA ABC ITEM DISCRIMINAÇÃO UN. PREÇO (R$) % % ACUM. CLASSE 5.2 Chapas de madeira ud 30.950,88 24,16% 24,16% 5.1 Calhas para fixação das chincanas ud 30.546,96 23,85% 48,01% A 3.4,4.1 Impermeabilização

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PLANILHAS DE ORÇAMENTO DE OBRAS

ELABORAÇÃO DE PLANILHAS DE ORÇAMENTO DE OBRAS OBJETIVO ELABORAÇÃO DE PLANILHAS DE ORÇAMENTO DE OBRAS 04 E 05 DE SETEMBRO DE 2013 Curitiba/PR Proporcionar o aprimoramento dos servidores envolvidos diretamente na elaboração de orçamentos de obras e

Leia mais

PROCESSO DE AFERIÇÃO DAS COMPOSIÇÕES DO BANCO SINAPI. Dezembro/2013

PROCESSO DE AFERIÇÃO DAS COMPOSIÇÕES DO BANCO SINAPI. Dezembro/2013 PROCESSO DE AFERIÇÃO DAS COMPOSIÇÕES DO BANCO SINAPI Dezembro/2013 Pauta 1. Contexto, Informações Contratuais e Premissas de trabalho 2. Base Teórica e Metodologia Equipe FDTE e experiência pretérita 3.

Leia mais

INSTRUÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE PLANILHA ORÇAMENTÁRIA PARA CONTRATAÇÃO DE OBRAS

INSTRUÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE PLANILHA ORÇAMENTÁRIA PARA CONTRATAÇÃO DE OBRAS INSTRUÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE PLANILHA ORÇAMENTÁRIA PARA CONTRATAÇÃO DE OBRAS DIRETRIZES BÁSICAS O orçamento de uma obra compõe-se de um conjunto de elementos capazes de quantificar e customizar

Leia mais

1.3 FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DE PLACA DE IDENTIFICAÇÃO DA OBRA (3,0 x 1,5 m) 74209/001 M² 4,50 232,82 291,03 1.309,64 2 PAVIMENTAÇÃO 952.

1.3 FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DE PLACA DE IDENTIFICAÇÃO DA OBRA (3,0 x 1,5 m) 74209/001 M² 4,50 232,82 291,03 1.309,64 2 PAVIMENTAÇÃO 952. PLANILHA DE CUSTO - PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA OBRA: PAVIMENTAÇÃO DE VIAS URBANAS abr/14 LOCAL: DIVERSAS VIAS DO MUNICIPIO DE VAZEA DA PALMA - MG DATA BASE SINAPI: MARÇO/2014 BDI: PRAZO DE EXECUÇÃO: 180 dias

Leia mais

PLANILHA DE PREÇO PARA PERFURAÇÃO DE POÇO TUBULAR

PLANILHA DE PREÇO PARA PERFURAÇÃO DE POÇO TUBULAR QUADRO II- ESPECIFICAÇÕES DA OBRA Ministério da Integração Nacional Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba PLANILHA DE PREÇO PARA PERFURAÇÃO DE POÇO TUBULAR ITEM MÃO DE OBRA/

Leia mais

SINAPI Processo de Aprimoramento

SINAPI Processo de Aprimoramento SINAPI Processo de Aprimoramento SICEPOT/COP - CBIC/CAIXA 29/05/2015 Belo Horizonte Histórico do SINAPI 1969 1986 1997 2003 2008 2009 2013 2014 Criação do SINAPI BNH/IBGE Gestão CAIXA/IBGE Sistema de Orçamentação

Leia mais

PROC-IBR-EDIF 018/2014 Análise das especificações, quantidades e preços dos Vidros

PROC-IBR-EDIF 018/2014 Análise das especificações, quantidades e preços dos Vidros INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS IBRAOP INSTITUTO RUI BARBOSA IRB / COMITÊ OBRAS PÚBLICAS PROC-IBR-EDIF 018/2014 Análise das especificações, quantidades e preços dos Vidros Primeira

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI PREFEITURA DE CAMPUS - SETOR DE OBRAS COMPOSIÇÃO DO BDI PARA OBRA DE CONSTRUÇÃO DO PRÉDIO DO CAMAT - 1ª etapa

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI PREFEITURA DE CAMPUS - SETOR DE OBRAS COMPOSIÇÃO DO BDI PARA OBRA DE CONSTRUÇÃO DO PRÉDIO DO CAMAT - 1ª etapa UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI PREFEITURA DE CAMPUS - SETOR DE OBRAS COMPOSIÇÃO DO BDI PARA OBRA DE CONSTRUÇÃO DO PRÉDIO DO CAMAT - 1ª etapa (BÔNUS E DESPESAS INDIRETAS) Itens de valor percentual

Leia mais

OBJETO: MELHORIAS NOS FILTROS E DECANTADORES NA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DA ETA-I TAXA DE BDI: SERVIÇOS = 27,22% MATERIAIS = 15,00% EQUIPAMENTOS = 15,00%

OBJETO: MELHORIAS NOS FILTROS E DECANTADORES NA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DA ETA-I TAXA DE BDI: SERVIÇOS = 27,22% MATERIAIS = 15,00% EQUIPAMENTOS = 15,00% COMPOSIÇÃO DE CUSTO MÉDICO H.H Total Obra 1.057,48 Funcionários por Obra 7 6,01 Funcionários por Mês 3 2,33 Tempo de Obra(mês) 3,00 NE= Nº de Exames Necessários obra: N= Números de dias trabalhados mês

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CÍVIL - SINAPI

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CÍVIL - SINAPI SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CÍVIL - SINAPI 1 UTILIZAÇÃO DA TABELA SINAPI: VISÃO DA ÁREA EMPRESARIAL O QUE VEM OCORRENDO NO MERCADO COM APLICAÇÃO DO SISTEMA SINAPI 2 ÍNDICE

Leia mais

ORÇAMENTO ESTIMATIVO DETALHADO

ORÇAMENTO ESTIMATIVO DETALHADO ORÇAMENTO ESTIMATIVO DETALHADO ITEM ATIVIDADES UNIDADE QUANTIDADE PREÇO UNITÁRIO PREÇO TOTAL OBSERVAÇÕES 4.1 SERVIÇOS DE LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO 4.1.1 LOCAÇÃO DE EQUIPE DE TOPOGRAFIA PARA EXECUÇÃO

Leia mais

PROC IBR EDIF 028/2014 Análise das especificações, quantidades e preços das Instalações de Prevenção à Incêndio e Pânico

PROC IBR EDIF 028/2014 Análise das especificações, quantidades e preços das Instalações de Prevenção à Incêndio e Pânico INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS IBRAOP INSTITUTO RUI BARBOSA IRB / COMITÊ OBRAS PÚBLICAS PROC IBR EDIF 028/2014 Análise das especificações, quantidades e preços das Instalações de Prevenção

Leia mais

CURSO DE ORÇAMENTAÇÃO DE OBRAS DE ENGENHARIA

CURSO DE ORÇAMENTAÇÃO DE OBRAS DE ENGENHARIA GERANDO COMPETITIVIDADE ATRAVÉS DO CONHECIMENTO E DA INOVAÇÃO CURSO DE ORÇAMENTAÇÃO DE OBRAS DE ENGENHARIA LOCAL: CREA-PB. DIAS: 10, 11 e 12 de Junho de 2015. Quarta das 19h às 22h; Quinta das 08h às 12h

Leia mais

Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos

Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos 1º Fórum Brasileiro de Custos de Obras Públicas Metodologia de Cálculo Orientação Técnica para Cálculo do Preço de Referência em Licitações de Obras Públicas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLANDIA PREFEITURA UNIVERSITÁRIA DIRETORIA DE INFRAESTRUTURA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLANDIA PREFEITURA UNIVERSITÁRIA DIRETORIA DE INFRAESTRUTURA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLANDIA PREFEITURA UNIVERSITÁRIA DIRETORIA DE INFRAESTRUTURA PLANILHA COMPOSIÇÕES ANALÍTICAS OBRA : REDE DE TELEFONIA 1YSM ORÇAMENTO : REDE DE TELEFONIA 1YSM LOCAL : CAMPUS SANTA

Leia mais

REF.: Quesitação da Sociedade Empresária XXXXXXXXXXXXXXXXX, relativa ao Edital de Concorrência n.º 001/2015.

REF.: Quesitação da Sociedade Empresária XXXXXXXXXXXXXXXXX, relativa ao Edital de Concorrência n.º 001/2015. Rio de Janeiro, 27 de fevereiro de 2015. REF.: Quesitação da Sociedade Empresária XXXXXXXXXXXXXXXXX, relativa ao Edital de Concorrência n.º 001/2015. Este documento visa responder às solicitações formuladas

Leia mais

2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço

2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço 23 2. Sistemas de Lajes 2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço Neste capítulo são apresentados os tipos mais comuns de sistemas de lajes utilizadas na construção civil. 2.1.1.

Leia mais

2.1.1 Relatório de Composição Geral

2.1.1 Relatório de Composição Geral 2.1.1 CONFECÇÃO DE ANEIS CALANDRADOS DN 800 mm X 1.500 mm X 8 mm 1.654,07 I0037 AJUDANTE H 5,9500 3,1300 18,6235 I2424 SOLDADOR RAIO X H 4,9400 8,1900 40,4586 I1530 MONTADOR H 1,0100 4,3600 4,4036 I6815

Leia mais

DETERMINAÇÃO DE UM CUSTO UNITÁRIO BÁSICO PARA EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS UNIFAMILIARES NO MUNICÍPIO DE JACINTO MACHADO SC

DETERMINAÇÃO DE UM CUSTO UNITÁRIO BÁSICO PARA EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS UNIFAMILIARES NO MUNICÍPIO DE JACINTO MACHADO SC DETERMINAÇÃO DE UM CUSTO UNITÁRIO BÁSICO PARA EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS UNIFAMILIARES NO MUNICÍPIO DE JACINTO MACHADO SC RESUMO Bruno Pereira Alexandre (1), Mônica Elizabeth Daré (2) UNESC Universidade

Leia mais

Disciplina: Gerenciamento de Obras Informática aplicada ao Gerenciamento de Obras

Disciplina: Gerenciamento de Obras Informática aplicada ao Gerenciamento de Obras Disciplina: Gerenciamento de Obras Informática aplicada ao Gerenciamento de Obras Prof. Ms. Daniele Ornaghi Sant Anna Informática aplicada ao Gerenciamento de Obras Programas computacionais gráficos podem

Leia mais

CURSO ORÇAMENTO E CÁLCULO DO CUSTO DE OBRAS

CURSO ORÇAMENTO E CÁLCULO DO CUSTO DE OBRAS CURSO ORÇAMENTO E CÁLCULO DO CUSTO DE OBRAS 1. Curso de ORÇAMENTO E CALCULO DE CUSTOS de Obras Inclui Composição de Preços, BDI e Programa de Orçamento Edificações Terraplanagem Estruturas Pavimentação

Leia mais

EMOP - Outubro/2013. m x m = m² 3.281,25 0,60 1.968,75 1.968,75 m²

EMOP - Outubro/2013. m x m = m² 3.281,25 0,60 1.968,75 1.968,75 m² 01 01 1.1 01.018.0001-0 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE TRÊS RIOS Centro - /RJ Marcação de obra sem instrumento topográfico, considerada a projeção horizontal da área envolvente 3.281,25 0,60 1.968,75 1.968,75

Leia mais

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO - SINTÉTICO

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO - SINTÉTICO RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO - SINTÉTICO TC nº 008.765/2011-1 Fiscalização nº 345/2011 DA FISCALIZAÇÃO Modalidade: conformidade Ato originário: Acórdão 564/2011 - Plenário Objeto da fiscalização: Proj. básico

Leia mais

CURSO OBRAS RODOVIÁRIAS : ORÇAMENTO, PLANEJAMENTO E GERENCIAMENTO

CURSO OBRAS RODOVIÁRIAS : ORÇAMENTO, PLANEJAMENTO E GERENCIAMENTO CURSO OBRAS RODOVIÁRIAS : ORÇAMENTO, PLANEJAMENTO E GERENCIAMENTO O setor de transportes rodoviários tem destacada importância no desenvolvimento econômico nacional. Anualmente são disponibilizados recursos

Leia mais

Planilhas orçamentárias: visão prática

Planilhas orçamentárias: visão prática Capítulo 13 Planilhas orçamentárias: visão prática Sumário: 13.1 Considerações iniciais 13.2 Elaboração da planilha base do orçamento 13.3 Relação dos insumos que serão utilizados e a pesquisa de preços

Leia mais

Obra: Demolição do edifício São Vito e Mercúrio Treme-Treme

Obra: Demolição do edifício São Vito e Mercúrio Treme-Treme Obra: Demolição do edifício São Vito e Mercúrio Treme-Treme Cliente:Fremix / Prefeitura de São Paulo Local:Av do estado Parque Dom Pedro São Paulo Demolição total da edificação com uso de mini-escavadeiras

Leia mais

A cobertura pode ser feita com telhas que podem ser metálicas, de barro ou ainda telhas asfálticas tipo shingle.

A cobertura pode ser feita com telhas que podem ser metálicas, de barro ou ainda telhas asfálticas tipo shingle. CONCEITO Light (LSF estrutura em aço leve) é um sistema construtivo racional e industrial. Seus principais componentes são perfis de aço galvanizado dobrados a frio, utilizados para formar painéis estruturais

Leia mais

O Brasil tem utilizados desses equipamentos em todas as obras como os Estádios de Futebol, Portos, Aeroportos, Construção Civil, etc.

O Brasil tem utilizados desses equipamentos em todas as obras como os Estádios de Futebol, Portos, Aeroportos, Construção Civil, etc. GRUAS Os modernos Canteiros de Obras se utilizam de GRUAS para reduzirem o número de operários, auxiliar no cumprimento de prazos apertados e viabilizar a implantação de diversos sistemas de pré-moldados

Leia mais

ANEXO I ORÇ AMENTO B ÁSI CO

ANEXO I ORÇ AMENTO B ÁSI CO ANEXO I ORÇ AMENTO B ÁSI CO MÓDULO SERVIÇOS CONTRATANTE I II III PLANILHA RESUMO DE INVESTIMENTOS ANUAIS Sistema de Coleta e Transporte de Resíduos Sólidos Urbanos Sistema de Serviços Complementares de

Leia mais

CUSTO COMPARADO DE ELEMENTOS PRÉ-FABRICADOS DE CONCRETO: PRÉ-LAJE PROTENDIDA X LAJE ALVEOLAR PROTENDIDA.

CUSTO COMPARADO DE ELEMENTOS PRÉ-FABRICADOS DE CONCRETO: PRÉ-LAJE PROTENDIDA X LAJE ALVEOLAR PROTENDIDA. CUSTO COMPARADO DE ELEMENTOS PRÉ-FABRICADOS DE CONCRETO: PRÉ-LAJE PROTENDIDA X LAJE ALVEOLAR PROTENDIDA. Adriano Mariot da Silva (1), Mônica Elizabeth Daré (2) UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES PROJETO ARQUITETÔNICO ADEQUAÇÕES NA USINA DE TRIAGEM DE LIXO LINHA ESTRELA MEMORIAL DESCRITIVO 1 MEMORIAL DESCRITIVO 1. OBJETIVO: USINA DE TRIAGEM DE LIXO A presente especificação tem por objetivo estabelecer

Leia mais

Introdução e Esclarecimentos

Introdução e Esclarecimentos ORÇAMENTO: 1911 - ESPECIFICAÇÕES SINTÉTICAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS A SEREM EXECUTADOS NA OBRA DE RECUPERAÇÃO ESTRUTURAL DA ALA SUL DO HOSPITAL MUNICIPAL DE MARACANAÚ - CEARÁ (HOSPITAL DR. JOÃO ELÍSEO

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL SEA - PR/RS CONCORRÊNCIA 01/2009

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL SEA - PR/RS CONCORRÊNCIA 01/2009 ANEXO I-D ORÇAMENTO ESTIMATIVO ANALÍTICO PROCURADORIA DA REPÚBLICA EM PELOTAS/RS ORÇAMENTO - PLANILHA ANALÍTICA BDI = 19,57% e LS = 176,82% DATA: JULHO/2009 CÓDIGO DESCRIÇÃO UNIDADE COEF. PREÇO(R$) TOTAL

Leia mais

Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos Engenheiro Civil Paulo Roberto Vilela Dias, MSc Mestre em Engenharia Civil - uff Professor do Mestrado em Engenharia Civil da Universidade Federal Fluminense

Leia mais

CRONOGRAMA FÍSICO-FINANCEIRO

CRONOGRAMA FÍSICO-FINANCEIRO Serviço: 1ª FASE DO LABORATÓRIO DE ESCOAMENTOS DE MULTIFÁSICOS INDUSTRIAIS - ESTRUTURA E COBERTURA DATA: 9 de novembro de 2010 CRONOGRAMA FÍSICO-FINANCEIRO DESCRIÇÃO UNID. QUANT. PREÇO MAT. (UNIT.)(R$)

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VERA CRUZ - RS

PREFEITURA MUNICIPAL DE VERA CRUZ - RS PREFEITURA MUNICIPAL DE VERA CRUZ - RS Vera Cruz,RS, 04 de Junho de 2014 ORÇAMENTO PARA PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA LOCAL: CIPRIANO - VERA CRUZ - RS ÁREA TOTAL: 4.320,00 m² TABELA SINAPI- DATA BASE - MAR/2014-24,06%

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA Orçamento Sintético LOTE 01 M/MÊS 600,00 R$ 20,2245 R$ 9.707,78

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA Orçamento Sintético LOTE 01 M/MÊS 600,00 R$ 20,2245 R$ 9.707,78 MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA Orçamento Sintético OBRA : PINTURA GERAL NO COMPLEXO DA PGR DATA: 6/09/ LOTE 0 ITEM DESCRIÇÃO UND. QUANT. TAXAS: LS= 24,33% BASE DE PREÇOS: SINAPI

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO CONSTRUÇÃO NOVA: PRAÇA SETOR GUARUJÁ EXPANSÃO - MUNICÍPIO DE ÁGUA BOA MT

MEMORIAL DESCRITIVO CONSTRUÇÃO NOVA: PRAÇA SETOR GUARUJÁ EXPANSÃO - MUNICÍPIO DE ÁGUA BOA MT MEMORIAL DESCRITIVO CONSTRUÇÃO NOVA: PRAÇA SETOR GUARUJÁ EXPANSÃO - MUNICÍPIO DE ÁGUA BOA MT Página 1 de 8 ÍNDICE 1 SERVIÇOS GERAIS 3 1.1 SERVIÇOS TÉCNICOS 4 1.2 MÁQUINAS E FERRAMENTAS 4 1.3 LIMPEZA PERMANENTE

Leia mais

PROC-IBR-EDIF 046/2015 Análise de Projeto de Estrutura Metálica

PROC-IBR-EDIF 046/2015 Análise de Projeto de Estrutura Metálica INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS IBRAOP INSTITUTO RUI BARBOSA IRB / COMITÊ OBRAS PÚBLICAS PROC-IBR-EDIF 046/2015 Análise de Projeto de Estrutura Metálica Primeira edição válida a partir

Leia mais

TABELA DE PREÇOS COMPOSIÇÕES ANALÍTICAS RELATÓRIO ANALÍTICO DE COMPOSIÇÕES UNITÁRIAS (CONSTRUÇÃO CIVIL) - ADAPTADO AO SINAPI CONSTRUÇÃO CIVIL

TABELA DE PREÇOS COMPOSIÇÕES ANALÍTICAS RELATÓRIO ANALÍTICO DE COMPOSIÇÕES UNITÁRIAS (CONSTRUÇÃO CIVIL) - ADAPTADO AO SINAPI CONSTRUÇÃO CIVIL TABELA DE PREÇOS COMPOSIÇÕES ANALÍTICAS CONSTRUÇÃO CIVIL CONSTRUÇÃO CIVIL - COMPOSIÇÕES ANALÍTICAS.xls CONSTRUÇÃO CIVIL - COMPOSIÇÕES ANALÍTICAS.xls COMPOSIÇÃO 3 BARRACÃO, SANITÁRIO, ALMOX. E DEPOSITO

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME ANITA OLIVEIRA LACERDA - anitalic@terra.com.br PEDRO AUGUSTO CESAR DE OLIVEIRA SÁ - pedrosa@npd.ufes.br 1. INTRODUÇÃO O Light Steel Frame (LSF) é um sistema

Leia mais

DINOP / CENOP LOGÍSTICA CURITIBA (PR) ESCLARECIMENTO N.º 03

DINOP / CENOP LOGÍSTICA CURITIBA (PR) ESCLARECIMENTO N.º 03 Curitiba, 12 de Dezembro de 2014. DINOP / CENOP LOGÍSTICA CURITIBA (PR) ESCLARECIMENTO N.º 03 TOMADA DE PREÇOS 2014/15001(7419) - Contratação de reforma, sem ampliação, incluindo pavimentação, alvenaria,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA VILA CARÁS NO MUNICIPIO DE FARIAS BRITO-CE

MEMORIAL DESCRITIVO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA VILA CARÁS NO MUNICIPIO DE FARIAS BRITO-CE MEMORIAL DESCRITIVO OBJETIVO: SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA VILA CARÁS NO MUNICIPIO DE FARIAS BRITO-CE RESERVATÓRIO ELEVADO Estrutura - Toda a estrutura do reservatório será em concreto armado utilizando

Leia mais

MANUAL DE METODOLOGIAS E CONCEITOS

MANUAL DE METODOLOGIAS E CONCEITOS SINAPI SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL MANUAL DE METODOLOGIAS E CONCEITOS Versão: 005 Vigência: 06/2014 Última Atualização: 05/2015 SINAPI - Manual de Metodologias

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO I REFERENTE AO EDITAL DE TOMADA DE PREÇOS Nº 004/2013 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Página 1 de 10 Serviços de Terraplanagem na Subestação de Interligação à Rede Básica Construção de novo Bay de Saída

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE OSÓRIO SECRETARIA DE OBRAS SANEAMENTO E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE OSÓRIO SECRETARIA DE OBRAS SANEAMENTO E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE OSÓRIO SECRETARIA DE OBRAS SANEAMENTO E TRÂNSITO MEMORIAL DESCRITIVO OBJETO: Fechamento de quadra esportiva da Escola Municipal de Ensino Fundamental

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO. Planejamento e Gestão de logística; Mecanização de mão de obra.

CATÁLOGO TÉCNICO. Planejamento e Gestão de logística; Mecanização de mão de obra. CATÁLOGO TÉCNICO A LOKMAX oferece soluções aos seus clientes com o desenvolvimento de trabalhos pioneiros e desafiadores, atuando principalmente nos segmentos de: Planejamento e Gestão de logística; Mecanização

Leia mais

ELABORAÇÃO DE PLANILHAS DE ORÇAMENTO DE OBRAS

ELABORAÇÃO DE PLANILHAS DE ORÇAMENTO DE OBRAS [ ELABORAÇÃO DE PLANILHAS DE ORÇAMENTO DE OBRAS "O impacto da desoneração da folha de pagamento na construção civil nos orçamentos" "O uso do Sinapi e de outros sistemas referenciais de custos" "O novo

Leia mais

Custo Total ENCARREGADO GERAL DE OBRAS H 1 17,46 17,46 Total 17,46

Custo Total ENCARREGADO GERAL DE OBRAS H 1 17,46 17,46 Total 17,46 COMPOSIÇÕES ANALÍTICAS OBRA: CERCAMENTO FAZENDA CAPIM BRANCO LS= 90,64% BDI= 25,36% ORÇAMENTO: CERCAMENTO FAZENDA CAPIM BRANCO MÊS DE REFERÊNCIA SINAPI: JULHO/2015 LOCAL: UBERLÂNDIA - MG DATA: 08/09/2015

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA PROCURADORIA DA REPÚBLICA DA 2ª REGIÃO Avenida Almirante Barroso, nº 54, Centro, Rio de Janeiro, RJ

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA PROCURADORIA DA REPÚBLICA DA 2ª REGIÃO Avenida Almirante Barroso, nº 54, Centro, Rio de Janeiro, RJ ITEM DESCRIÇÃO UNID 2º PAV 7º PAV 8º PAV 9º PAV 10º PAV 11º PAV 12º PAV 13º PAV 14º PAV 15º PAV 16º PAV 18º PAV QUANT. VALOR UNITÁRIO VALOR TOTAL 1.330.781,34 27,04% 359.843,27 1 CANTEIRO DE OBRAS 14.779,65

Leia mais

Cent rais Elétricas de R ondônia S /A Cons t rução da S ubes tação de Alto P araís o PROJETO BÁSICO 001/2005

Cent rais Elétricas de R ondônia S /A Cons t rução da S ubes tação de Alto P araís o PROJETO BÁSICO 001/2005 PROJETO BÁSICO 001/2005 CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA CONSTRUÇÃO DA SUBESTAÇÃO DE ALTO PARAÍSO 34,5/13.8 kv 10/12,5MVA 1- OBJETIVO Este projeto tem por finalidade especificar os serviços para CONTRATAÇÃO

Leia mais

MOBIL E DESMOBIL EQUIP. DISCRIMINAÇÃO UNID. QUANT. CONSUMO (Km) (ton)

MOBIL E DESMOBIL EQUIP. DISCRIMINAÇÃO UNID. QUANT. CONSUMO (Km) (ton) ------- MOBIL E DESMOBIL EQUIP M.T. - DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES Rodovia: BR 235/BA Trecho: DIV SElBA - DIV BAlPI Subtrecho: Ente BR-324/BA (Nova Remanso) - DIV. BAlPI Segmento:

Leia mais

Relatório Comparativo do Contratado x Executado

Relatório Comparativo do Contratado x Executado Obra : 01 - Contratação de pessoa jurídica para execução das obras civis Dimensão : 0,000 UN Bem Público: : ARENA DA AMAZÔNIA Município : Manaus - 100,00% Grupo de Serviço : 200 - SERVIÇOS INICIAIS BÁSICOS

Leia mais

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO N 15, DE 20 DE DEZEMBRO DE 20 06.

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO N 15, DE 20 DE DEZEMBRO DE 20 06. DNIT MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTÜRA DE TRANSPORTES Setor de Autarquias Norte - Quadra 03 - Lote A - 4 andar BRASÍLIA-DF - BRASIL - CEP 70040-902 INSTRUÇÃO DE SERVIÇO

Leia mais

O Custo das Alternativas de Substituição do Telhado de Cimento Amianto

O Custo das Alternativas de Substituição do Telhado de Cimento Amianto Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Construção Civil PCC O Custo das Alternativas de Substituição do Telhado de Cimento Amianto Alexandre Lee Orientador: Vanderley

Leia mais

JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Espírito Santo ANEXO 1

JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Espírito Santo ANEXO 1 PROJETO BÁSICO ORÇAMENTO PARA CONCLUSÃO DAS OBRAS DE CONSTRUÇÃO DA SEDE DEFINITIVA 1. OBJETO: Elaboração de planilha orçamentária estimativa e cronograma físico-financeiro para a conclusão das obras do

Leia mais

PROJETO DE RESTAURAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS PASSARELAS METÁLICAS NA BR-101/RN:

PROJETO DE RESTAURAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS PASSARELAS METÁLICAS NA BR-101/RN: PROJETO DE RESTAURAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS PASSARELAS METÁLICAS NA BR-101/RN: PASSARELA METÁLICA VERDE - EMAÚS (Km 100,92) PASSARELA METÁLICA AMARELA PARQUE DE EXPOSIÇÃO (Km 105,6) PASSARELA METÁLICA AZUL

Leia mais

Informador das construções

Informador das construções 02 01 TERRAPLENAGEM Informador das Contruções 02 01 01 DESMATAMENTO, DESTOC. E LIMP DE ÁRVORES, ARB. E VEGET. RASTEIRA (Execução na espessura de até 30 cm, incluindo remanejamento de material p/ fora da

Leia mais

Manutenção do Canteiro de Obras

Manutenção do Canteiro de Obras EPI Sinalização de Obra Manutenção do Canteiro de Obras Medicina do Trabalho OBRIGATÓRIO Apresentar o detalhamento de todos os custos unitários constantes da Planilha de Quantidades. Mobilização e

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME MEMÓRIA DE CÁLCULO Objeto: Centro de Referência de Assistência Social CRAS Proprietário: Endereço: Área da Edificação: 165,30 m² Pavimento: Térreo

Leia mais

Remoção de forro ou lambri de frisos de madeira ou PVC, placas de 05.001.0074-0 aglomerado prensado ou semelhantes, exclusive o engradamento.

Remoção de forro ou lambri de frisos de madeira ou PVC, placas de 05.001.0074-0 aglomerado prensado ou semelhantes, exclusive o engradamento. UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF SUPERINTENDÊNCIA DE ARQUITETURA ENGENHARIA - SAEN COORDENAÇÃO DE ARQUITETURA - CARQ DIVISÃO DE DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS - DDP OBRA: LABORATÓRIO DE RADIOLOGIA FACULDADE

Leia mais

PROC-IBR-EDIF 010/2014 Análise das especificações, quantidades e preços das Fundações, Cortinas e Muros de Arrimo

PROC-IBR-EDIF 010/2014 Análise das especificações, quantidades e preços das Fundações, Cortinas e Muros de Arrimo INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS IBRAOP INSTITUTO RUI BARBOSA IRB / COMITÊ OBRAS PÚBLICAS PROC-IBR-EDIF 010/2014 Análise das especificações, quantidades e preços das Fundações, Cortinas

Leia mais

PROC IBR EDIF 01.02.003/2014

PROC IBR EDIF 01.02.003/2014 INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS IBRAOP INSTITUTO RUI BARBOSA IRB / COMITÊ OBRAS PÚBLICAS PROC IBR EDIF 01.02.003/2014 01 - Fase Licitatória 01.02 - Análise das especificações, quantidades

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DE INDICADORES DE PRODUTIVIDADE E PERDAS PARA PROCESSOS CONSTRUTIVOS À BASE DE CIMENTO EM SALVADOR. Prof. Dayana Bastos Costa, UFBA

IMPLEMENTAÇÃO DE INDICADORES DE PRODUTIVIDADE E PERDAS PARA PROCESSOS CONSTRUTIVOS À BASE DE CIMENTO EM SALVADOR. Prof. Dayana Bastos Costa, UFBA IMPLEMENTAÇÃO DE INDICADORES DE PRODUTIVIDADE E PERDAS PARA PROCESSOS CONSTRUTIVOS À BASE DE CIMENTO EM SALVADOR Prof. Dayana Bastos Costa, UFBA Por que medir produtividade e perdas? Brasil vive descasamento

Leia mais

LAJES EM CONCRETO ARMADO

LAJES EM CONCRETO ARMADO LAJES EM CONCRETO ARMADO CONCEITOS BÁSICOS As telas soldadas, que são armaduras pré-fabricadas soldadas em todos os pontos de cruzamento, apresentam inúmeras aplicações na construção civil, destacando-se

Leia mais

EXPERIÊNCIA DA CGU EM AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS. WAGNER ROSA DA SILVA Diretor de Auditoria Área Infraestrutura Controladoria-Geral da União - CGU

EXPERIÊNCIA DA CGU EM AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS. WAGNER ROSA DA SILVA Diretor de Auditoria Área Infraestrutura Controladoria-Geral da União - CGU EXPERIÊNCIA DA CGU EM AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS WAGNER ROSA DA SILVA Diretor de Auditoria Área Infraestrutura Controladoria-Geral da União - CGU 1 I METODOLOGIA DE ATUAÇÃO II PADRONIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS

Leia mais

CURSO ELABORAÇÃO DE PLANILHAS DE ORÇAMENTO DE OBRAS COM O NOVO SINAPI PORTO ALEGRE/RS 24 e 25 DE SETEMBRO DE 2015 PROFESSOR ANDRÉ BAETA

CURSO ELABORAÇÃO DE PLANILHAS DE ORÇAMENTO DE OBRAS COM O NOVO SINAPI PORTO ALEGRE/RS 24 e 25 DE SETEMBRO DE 2015 PROFESSOR ANDRÉ BAETA CURSO ELABORAÇÃO DE PLANILHAS DE ORÇAMENTO DE OBRAS COM O NOVO SINAPI PORTO ALEGRE/RS 24 e 25 DE SETEMBRO DE 2015 PROFESSOR ANDRÉ BAETA I. ESCOPO E METODOLOGIA Dispõe a Lei 8.666/93 que as obras públicas

Leia mais

CADERNOS TÉCNICOS DAS COMPOSIÇÕES DE ESTRUTURAS METÁLICAS PARTE 1 LOTE 1

CADERNOS TÉCNICOS DAS COMPOSIÇÕES DE ESTRUTURAS METÁLICAS PARTE 1 LOTE 1 CADERNOS TÉCNICOS DAS COMPOSIÇÕES DE ESTRUTURAS METÁLICAS PARTE 1 LOTE 1 GRUPO ESTRUTURAS METÁLICAS, PARTE 1 LOTE 01 A CAIXA apresenta o grupo de composições de serviços que representam o transporte e

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA 1 de 18 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : ACOMPANHAMENTO DA GESTÃO UNIDADE AUDITADA : SEBRAE/AL CÓDIGO : 289003 CIDADE : Maceió/AL

Leia mais

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO - SINTÉTICO

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO - SINTÉTICO RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO - SINTÉTICO TC nº 011.161/2010-8 Fiscalização nº 323/2010 DA FISCALIZAÇÃO Modalidade: conformidade Ato originário: Acórdão 442/2010 - Plenário Objeto da fiscalização: Obras de

Leia mais

3. PROCESSO PRODUTIVO, TRANSPORTE,

3. PROCESSO PRODUTIVO, TRANSPORTE, 3. PROCESSO PRODUTIVO, TRANSPORTE, MONTAGEM E CONCRETAGEM CAPÍTULO 3 3.1. O PROCESSO PRODUTIVO DAS VIGOTAS TRELIÇADAS O processo produtivo de lajes formadas por vigotas treliçadas é considerado relativamente

Leia mais

2º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS EDITAL Nº 005/2015 PREGÃO ELETRÔNICO

2º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS EDITAL Nº 005/2015 PREGÃO ELETRÔNICO 2º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS EDITAL Nº 005/2015 PREGÃO ELETRÔNICO OBJETO: Execução dos serviços de manutenção da via permanente do trecho ferroviário do km 1.029+890 ao km 1525+000 mais 52,5 km

Leia mais

Paredes Diafragma moldadas in loco

Paredes Diafragma moldadas in loco Paredes Diafragma moldadas in loco Breve descrição das etapas executivas Introdução A parede diafragma moldada in loco é um elemento de fundação e/ou contenção moldada no solo, realizando no subsolo um

Leia mais

Alta produtividade Engenharia de projetos Qualidade assegurada Certificado de garantia Sigilo industrial Confiabilidade.

Alta produtividade Engenharia de projetos Qualidade assegurada Certificado de garantia Sigilo industrial Confiabilidade. Há mais de 46 anos no mercado, a Torcisão iniciou as suas atividades no desenvolvimento de materiais para a indústria automobilística, que exigia um rigoroso controle técnico e de qualidade. Em 2006, com

Leia mais

INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ESTRUTURAIS EM CONCRETO ARMADO, ESTRUTURAS METÁLICAS OU ESTRUTURAS EM MADEIRA

INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ESTRUTURAIS EM CONCRETO ARMADO, ESTRUTURAS METÁLICAS OU ESTRUTURAS EM MADEIRA INSTRUÇÕES NORMATIVAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ESTRUTURAIS EM CONCRETO ARMADO, ESTRUTURAS METÁLICAS OU ESTRUTURAS EM MADEIRA Blumenau, maio de 2010. 1. RESUMO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. INTRODUÇÃO...

Leia mais

Erro! Fonte de referência não encontrada. - Laje pré-fabricada Avaliação do desempenho de vigotas e pré-lajes sob carga de trabalho

Erro! Fonte de referência não encontrada. - Laje pré-fabricada Avaliação do desempenho de vigotas e pré-lajes sob carga de trabalho Erro! Fonte de referência não encontrada. - aje pré-fabricada Avaliação do desempenho de vigotas e pré-lajes sob carga de trabalho Prefácio A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é o Foro Nacional

Leia mais

PLANILHA DE ORÇAMENTO PARA OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA

PLANILHA DE ORÇAMENTO PARA OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA MUNICÍPIO: INDAIAL PLANILHA DE ORÇAMENTO PARA OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA PROJETO: PAVIMENTAÇÃO INTERTRAVADA COM BLOCO DE CONCRETO LOCALIZAÇÃO: TRECHO: RUA MINAS GERAIS (EST. 0+00 PP) AO PARQUE MUNICIPAL

Leia mais

COMPOSIÇÃO DE PREÇO UNITÁRIO

COMPOSIÇÃO DE PREÇO UNITÁRIO IMPLANTAÇÃO DA SAÍDA RÁPIDA NA PISTA 27L/09R - Aeroporto de Guarulhos - São Paulo 1.1 SERVIÇO: COMPOSIÇÃO DE PREÇO MOBILIZAÇÃO DE PESSOAL, MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS OPER IMPROD CJ (A) DE EQUIPAMENTOS - MÃO-DE-OBRA

Leia mais

DER/PR ES-D 11/05 DRENAGEM: DEMOLIÇÃO DE DISPOSITIVOS DE CONCRETO

DER/PR ES-D 11/05 DRENAGEM: DEMOLIÇÃO DE DISPOSITIVOS DE CONCRETO DRENAGEM: DEMOLIÇÃO DE DISPOSITIVOS DE CONCRETO Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Paraná - DER/PR Avenida Iguaçu 420 CEP 80230 902 Curitiba Paraná Fone (41) 3304 8000 Fax (41) 3304 8130

Leia mais

MEMORIAL DE CÁLCULO DOS QUANTITATIVOS

MEMORIAL DE CÁLCULO DOS QUANTITATIVOS PREFEITURA MUNICIPAL DE ASCURRA ESTADO DE SANTA CATARINA CNPJ: 83.102.772/0001-61 MEMORIAL DE CÁLCULO DOS QUANTITATIVOS OBRA: Pavimentação de Rua e Calçada PROPRIETÁRIO: Prefeitura Municipal de Ascurra

Leia mais

equipe técnica: SINAPI - Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil data: julho 2010

equipe técnica: SINAPI - Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil data: julho 2010 Engenharia de Custos SINAPI - Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil Composições de Custos na visão da Engenharia de Custos data: julho 2010 Arq. - Mário Sergio Pini Eng.

Leia mais

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL - PGRCC. (folha de 8 itens)

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL - PGRCC. (folha de 8 itens) PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL - PGRCC 1.0 DADOS DO GERADOR/CONSTRUTOR (folha de 8 itens) PROCESSO Nº: CAD Nº: 1.1. Razão Social: 1.2 Endereço: 1.3 Fone: Fax: 1.4 E-mail: 1.5 CPF:

Leia mais

Oswaldo Antônio Biltoveni INSTITUTO OPUS SOBRATEMA

Oswaldo Antônio Biltoveni INSTITUTO OPUS SOBRATEMA Rigger Oswaldo Antônio Biltoveni INSTITUTO OPUS SOBRATEMA NOSSA FROTA TERÁ UM AUMENTO INCRÍVEL 70.000 NOVOS EQUIPAMENTOS POR ANO AS ESTATÍSTICAS DEMONSTRAM QUE EM MAIS DE 90% DOS ACIDENTES COM GUINDASTES

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA PLANILHA ORÇAMENTÁRIA CENTRO DE TRATAMENTO DE CARTAS E ENCOMENDAS Recuperação da Fachada do CTCE, localizado na av. Durval de Góes Monteiro, 7037, Tabuleiro dos Martins, Maceió/ Alagoas ITEM FONTE FEV/2015

Leia mais

QUESTIONAMENTOS/ESCLARECIMENTOS 1 A 20 CONCORRÊNCIA Nº 12/2015

QUESTIONAMENTOS/ESCLARECIMENTOS 1 A 20 CONCORRÊNCIA Nº 12/2015 QUESTIONAMENTOS/ESCLARECIMENTOS 1 A 20 CONCORRÊNCIA Nº 12/2015 QUESTIONAMENTO 1) O bota- fora do material escavado das fundações está incluído nos 6.600 m³ do item 3.02 (setores A e C), ou deve ser cotado

Leia mais

SISTEMA DRY WALL E STEEL FRAME

SISTEMA DRY WALL E STEEL FRAME GESSO SISTEMA DRY WALL E STEEL FRAME Gesso O gesso é uma substância, normalmente vendida na forma de um pó branco, produzida a partir do mineral gipsita, composto basicamente de sulfato de cálcio hidratado.

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1) Modalidade de Licitação: Concorrência ou Pregão (eletrônico ou presencial), do tipo menor preço.

TERMO DE REFERÊNCIA. 1) Modalidade de Licitação: Concorrência ou Pregão (eletrônico ou presencial), do tipo menor preço. TERMO DE REFERÊNCIA 1) Modalidade de Licitação: Concorrência ou Pregão (eletrônico ou presencial), do tipo menor preço. 2) Objeto: Procedimento licitatório destinado a elaboração de registro de preço para

Leia mais

Conceito AULA 4. Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil

Conceito AULA 4. Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 4 Gesso Acartonado Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção Civil Construção

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL Nº 024/2014 CRITÉRIOS DE MEDIÇÃO ANEXO Q8

EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL Nº 024/2014 CRITÉRIOS DE MEDIÇÃO ANEXO Q8 OBS.: CADA ITEM MENCIONADO A SEGUIR REFERE-SE AOS ITENS DA PLANILHA DE PREÇOS UNITÁRIOS (PPU) 1. Sub-item 1.1 e 1.2: Mobilização e Desmobilização. Será medido na conclusão total de cada sub-item, 100%

Leia mais

4. Se alguma empresa passar um centavo do preco unitario da utfpr, sera desclassificada?

4. Se alguma empresa passar um centavo do preco unitario da utfpr, sera desclassificada? 1. podem nos enviar a planilha em EXCEL, tendo em vista que utilizamos o desconto linear e fica mais facil. Voces enviaram sempre, dessa vez so veio em PDF, a qual nao da pra editar e tambem para respeitar

Leia mais

FORMAÇÃO DE CUSTOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL

FORMAÇÃO DE CUSTOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL IETEC INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PÓS-GRADUAÇÃO APERFEIÇOAMENTO ENGENHARIA DE CUSTOS E ORÇAMENTOS TURMA 01 FORMAÇÃO DE CUSTOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL Ana Milagres do Nascimento Engenheira civil orçamentista

Leia mais

Gestão da Construção. Especificações, medições e regras de medição. Gestão da Construção

Gestão da Construção. Especificações, medições e regras de medição. Gestão da Construção Especificações, medições e regras de medição 2006/2007 PEÇAS DE PROJECTO PEÇAS ESCRITAS Na prática corrente, os elementos de um projecto classificam-se da seguinte forma: Peças escritas; Peças desenhadas.

Leia mais

Curso Elaboração de Planilhas de Orçamento de Obras com o Novo SINAPI São Paulo SP 11 e 12 de dezembro de 2014 Professor André Baeta

Curso Elaboração de Planilhas de Orçamento de Obras com o Novo SINAPI São Paulo SP 11 e 12 de dezembro de 2014 Professor André Baeta Curso Elaboração de Planilhas de Orçamento de Obras com o Novo SINAPI São Paulo SP 11 e 12 de dezembro de 2014 Professor André Baeta OBJETIVO Qualificação de profissionais para a elaboração de orçamentos

Leia mais

SISTEMA DE TRATAMENTO DE ÁGUA DE LAVAGEM DE FILTROS E LODO DE ETA DO MUNICÍPIO DE ITAPIRA-SP PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

SISTEMA DE TRATAMENTO DE ÁGUA DE LAVAGEM DE FILTROS E LODO DE ETA DO MUNICÍPIO DE ITAPIRA-SP PLANILHA ORÇAMENTÁRIA ITEM INSTITUIÇÃO VALOR VALOR UN. VALOR DESCRIÇÃO UNID QUANT CÓDIGO (UNITÁRIO) BDI 25% TOTAL Sistema de Recuperação de Águas de Lavagem dos Filtros e Sedimentabilidade dos Sólidos - ALVENARIA 1 SERVIÇOS

Leia mais

PROJETO DE RESTAURAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS PASSARELAS METÁLICAS NA BR-101/RN:

PROJETO DE RESTAURAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS PASSARELAS METÁLICAS NA BR-101/RN: PROJETO DE RESTAURAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS PASSARELAS METÁLICAS NA BR-101/RN: PASSARELA METÁLICA VERDE - EMAÚS (Km 100,92) PASSARELA METÁLICA AMARELA PARQUE DE EXPOSIÇÃO (Km 105,6) PASSARELA METÁLICA AZUL

Leia mais