Livro Os Ciganos: História e Cultura - crianças e jovens - 12/15 anos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Livro Os Ciganos: História e Cultura - crianças e jovens - 12/15 anos"

Transcrição

1 Sugestões pedagógicas para orientar a leitura dos livros da Biblioteca Digital Livro Os Ciganos: História e Cultura - crianças e jovens - 12/15 anos Atividades para trabalhar os temas: Tolerância intercultural versus Intolerância contra a etnia cigana As sugestões apresentadas devem ser adaptadas a cada grupo de crianças ou jovens, tendo em conta a sua especificidade, o grau de desenvolvimento e as características do grupo. Sugere- se uma abordagem por capítulos. Por vezes pode fazer mais sentido que diferentes grupos tratem diferentes capítulos em simultâneo e que, no final do trabalho, partilhem as suas conclusões e descobertas. Sugestões para a abordagem de cada um dos capítulos: Capítulo: O QUE É QUE SABES SOBRE OS CIGANOS? Antes da leitura do capítulo, promover uma conversa de turma sobre a pergunta que abre o capítulo: o que sabem sobre os ciganos. As respostas devem ser anotadas e, ao longo da abordagem do livro, podem ir sendo desfeitos os mitos que surgirem nesta primeira conversa. Encerramento da atividade com a leitura do capítulo e proposta de trabalho para casa: pesquisa sobre os ciganos, recorrendo a informações disponíveis na internet. Capítulo: AS ORIGENS Leitura do capítulo, seguida de diálogo centrado nas questões: De onde vieram os ciganos? Como nasceu a cultura cigana? 1

2 Capítulo: OS CIGANOS NA HISTÓRIA Leitura do capítulo, seguida de diálogo centrado nas questões: Qual foi a reação das comunidades dominantes à presença dos grupos de ciganos? Diálogo com as crianças sobre a maneira como as comunidades acolheram os grupos de viajantes. Capítulo: AS FAMÍLIAS Leitura do capítulo, seguida de diálogo centrado nas questões: Como vivem as famílias ciganas? Quais são as diferenças entre os homens e as mulheres nas famílias ciganas? Pesquisa em grupos e apresentação à turma sobre as diferenças entre os homens e as mulheres na sociedade ocidental e noutros grupos étnicos. Capítulo: OS VALORES Leitura do capítulo, seguida de diálogo centrado nas questões: Os principais valores na cultura cigana. Capítulo: A APARÊNCIA E A DECORAÇÃO DO LAR Leitura do capítulo, seguida de diálogo centrado na questão: Quais são os hábitos ciganos no que diz respeito à apresentação da casa e das pessoas? Pesquisa em grupos e apresentação à turma sobre a aparência e decoração do lar na sociedade ocidental e noutros grupos étnicos Capítulo: A LÍNGUA Leitura do capítulo, seguida de diálogo centrado na questão: Qual é a importância da língua? Reflexão em turma sobre a importância da língua na cultura e na identidade das comunidades. 2

3 Capítulo: A ESCOLA Leitura do capítulo, seguida de diálogo centrado na questão: Qual é a relação da comunidade cigana com a escola? Reflexão em pequenos grupos sobre o tema: De que maneira podemos contribuir para a integração de membros de outras comunidades na nossa escola? Debate de turma com partilha das conclusões dos vários grupos. Capítulo: OS CIGANOS EM PORTUGAL Leitura do capítulo, seguida de diálogo centrado nas questões : Quando chegaram a Portugal os primeiros ciganos? Quantos ciganos há hoje em Portugal? Capítulo: A RELAÇÃO COM OS OUTROS Leitura do capítulo, seguida de diálogo centrado na questão: Como é que os ciganos se relacionam com os outros? Capítulo: UMA CULTURA MARCADA PELA DIVERSIDADE Leitura do capítulo, seguida de diálogo centrado na questão: O que podemos aprender com a história dos ciganos? Capítulo: DATAS IMPORTANTES Leitura do capítulo, seguida de registo sobre as datas importantes na cultura cigana. Capítulo: CIGANOS FAMOSOS NO MUNDO Leitura do capítulo, seguida de preenchimento individual do quadro seguinte: 3

4 Áreas em que personalidades de origem cigana se destacaram Nomes de personalidades que se destacaram nesta área Informações sobre a ação de cada personalidade Ciência Artes: Literatura Artes: Moda Artes: Música Artes: Joalharia Artes: Pintura Artes: Teatro Artes: Cinema Artes: Circo Educação Política Jornalismo Religião Desporto 4

5 Capítulo: CURIOSIDADES Leitura do capítulo seguida de elaboração de cartazes com factos e curiosidades sobre os ciganos. Identificação de pessoas ciganas ou associações na proximidade da escola. 5

Educar para a Cidadania Contributo da Geografia Escolar

Educar para a Cidadania Contributo da Geografia Escolar Iª JORNADAS IGOT DOS PROFESSORES DE GEOGRAFIA Educar para a Cidadania Contributo da Geografia Escolar Maria Helena Esteves 7 de Setembro de 2013 Apresentação O que é a Educação para a Cidadania Educação

Leia mais

Currículo. Identificação de Aprendizagens Essenciais. 25/10/ Lisboa

Currículo. Identificação de Aprendizagens Essenciais. 25/10/ Lisboa Currículo Identificação de Aprendizagens Essenciais 25/10/2016 - Lisboa Enquadramento 12 anos da escolaridade obrigatória Características dos documentos curriculares Resultados do inquérito nacional aos

Leia mais

Plano Nacional de Leitura

Plano Nacional de Leitura 2012-2014 Plano Nacional de Leitura 1 I. O que motivou o projeto? Centralidade da leitura Leitura como ponto de partida para: - Aprender (competência transversal ao currículo) - Colaborar - Interagir /

Leia mais

Externato Cantinho Escolar. Plano Anual de Atividades

Externato Cantinho Escolar. Plano Anual de Atividades Externato Cantinho Escolar Plano Anual de Atividades Ano letivo 2016 / 2017 Pré-escolar e 1º Ciclo Receção dos Fomentar a integração da criança no meio escolar. Promover a socialização dos alunos. Receção

Leia mais

Sensibilizar para o Desperdício Alimentar

Sensibilizar para o Desperdício Alimentar Sensibilizar para o Desperdício Alimentar 1. Descrição Sensibilizar para o Desperdício Alimentar 2. Razões justificativas da ação: Problema/Necessidade de formação identificado A nível mundial, são muitas

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2015

PLANO DE ATIVIDADES 2015 PLANO DE ATIVIDADES 2015 ÍNDICE ENQUADRAMENTO QUEM SOMOS MISSÃO, VISÃO E VALORES SERVIÇOS À COMUNIDADE MISSÃO PRINCIPAL DA COOPERATIVA RESPOSTAS SOCIAIS ESTRATÉGIAS CHAVE QUAIS SÃO AS ESTRATÉGIAS CHAVE

Leia mais

Nenhum a Menos: Integração de um Povo que viveu debaixo das Estrelas... Comunicação Maria Helena Carvalho Dias Pereira

Nenhum a Menos: Integração de um Povo que viveu debaixo das Estrelas... Comunicação Maria Helena Carvalho Dias Pereira Nenhum a Menos: Integração de um Povo que viveu debaixo das Estrelas... Comunicação Maria Helena Carvalho Dias Pereira Nenhum a Menos: Integração de um Povo que viveu debaixo das Estrelas Objectivo da

Leia mais

Plano de Actividades Ano lectivo 2008/2009 Tema: A aventura dos livros

Plano de Actividades Ano lectivo 2008/2009 Tema: A aventura dos livros Plano de Actividades Ano 2008/2009 Tema: A aventura dos livros 1 ACTIVIDADES DE ORGANIZAÇÃO Actividades Objectivos Intervenientes Calendarização Proceder à gestão de colecções. Organização e gestão do

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Aradas Trabalho Desenvolvido Equipa de Avaliação Interna

Agrupamento de Escolas de Aradas Trabalho Desenvolvido Equipa de Avaliação Interna AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ARADAS Agrupamento de Escolas de Aradas Trabalho Desenvolvido Equipa de Avaliação Interna 2006-2013 Equipa de Avaliação Interna Página 1 [ES C R E V E R O E N D E R E Ç O D A

Leia mais

SEMINÁRIO A RESPONSABILIDADE SOCIAL E AMBIENTAL INCLUSÃO SUSTENTÁVEL

SEMINÁRIO A RESPONSABILIDADE SOCIAL E AMBIENTAL INCLUSÃO SUSTENTÁVEL SEMINÁRIO A RESPONSABILIDADE SOCIAL E AMBIENTAL PARA UMA INCLUSÃO SUSTENTÁVEL O CATL SIRUGA AS NOSSAS ATIVIDADES EM PROL DUMA CIDADANIA PLENA Rosa Correia Secretariado Diocesano de Lisboa da Pastoral dos

Leia mais

Agrupamento de Escolas José Maria dos Santos - Escola Básica Zeca Afonso Plano Anual de Atividades 2011/2012 Departamento do Pré escolar

Agrupamento de Escolas José Maria dos Santos - Escola Básica Zeca Afonso Plano Anual de Atividades 2011/2012 Departamento do Pré escolar Atividades Objetivos Intervenientes Recursos/Custos Calendário Avaliação Receção na sala de aula (cada sala será identificada por uma fruta) Apresentação das equipes de sala às crianças Exploração de materiais

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FILOSOFIA 1º PERÍODO

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FILOSOFIA 1º PERÍODO EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FILOSOFIA 1º PERÍODO FIL02457 - FILOSOFIA POLÍTICA I (60 h, OBR) O homem e sua ação política. A noção de polis no pensamento grego antigo e seus desdobramentos

Leia mais

CURSO: LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2º PERÍODO

CURSO: LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2º PERÍODO 1 CURSO: LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2º PERÍODO 2 1.- A UTILIZAÇÃO DO COMPUTADOR Os computadores são produtos de ponta de uma tecnologia inteligente, isto é, uma tecnologia que se desenvolve e

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. Documento de Apoio: Desagregação das medidas e das tipologias de atividades

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. Documento de Apoio: Desagregação das medidas e das tipologias de atividades Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento Documento de Apoio: Desagregação das medidas e das tipologias de atividades Desagregação das medidas e das tipologias de atividades ESTRATÉGIA NACIONAL

Leia mais

Escola Básica do 1º Ciclo c/ Jardim de Infância do Reguengo

Escola Básica do 1º Ciclo c/ Jardim de Infância do Reguengo Escola Básica do 1º Ciclo c/ Jardim de Infância do Reguengo Actividades Recepção aos novos alunos - Promover a integração dos novos alunos; Início do ano lectivo 15/09/2003 algumas regras de convivência

Leia mais

PLANO TIC E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O D O E N S I N O B Á S I C O 2012/2013. O Coordenador TIC. Manuel José Gouveia Alves

PLANO TIC E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O D O E N S I N O B Á S I C O 2012/2013. O Coordenador TIC. Manuel José Gouveia Alves PLANO TIC 2012/2013 E D U C A Ç Ã O P RÉ- E S C O L A R E 1 º C I C L O D O E N S I N O B Á S I C O O Coordenador TIC Manuel José Gouveia Alves [1] CARACTERIZAÇÃO DA ESCOLA ESCOLA Escola Básica do 1º Ciclo

Leia mais

PREVENÇÃO NAS ESCOLAS

PREVENÇÃO NAS ESCOLAS PREVENÇÃO NAS ESCOLAS PREVENÇÃO NAS ESCOLAS Diga Sim à Vida a Turma da Mônica na Prevenção do Uso de Drogas Parceria: SENAD/MEC/FIOCRUZ 2º ao 5º ano Ensino Fundamental Escolas da Rede Pública Público-Alvo:

Leia mais

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LETIVO 2011 / 2012

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LETIVO 2011 / 2012 PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LETIVO 2011 / 2012 CURSO/CICLO DE FORMAÇÃO DISCIPLINA: Docente Técnico de Turismo Ambiental e Rural/2011-2014 Área de Integração Pedro Bandeira Simões N.º TOTAL DE MÓDULOS DE 1º/2º/3º

Leia mais

DIA HORA LOCAL AÇÃO ORADOR(A) PÚBLICO ALVO PROMOTOR OBJETIVOS

DIA HORA LOCAL AÇÃO ORADOR(A) PÚBLICO ALVO PROMOTOR OBJETIVOS Mês: Janeiro 13/01 20:30h BE/CRE Bloco B Com as Mãos nas Letras Sónia Oliveira 20/01 19:30h 20 de Janeiro Com as Mãos na Cultura Palestra O Mito de Narciso e Eco Drª Ana Paula Torres Despertar a curiosidade

Leia mais

Calendarização Temas/Conteúdos Objectivos Actividades Intervenientes

Calendarização Temas/Conteúdos Objectivos Actividades Intervenientes Início do Ano Lectivo Estruturar, Organizar e planificar o Ano Lectivo Reunião com os diferentes Intervenientes no processo educativo Equipa Pedagógica e Encarregados de Educação das crianças Setembro

Leia mais

Dia de Reis 6 de janeiro. Atividades musicais Canções, Canções com gestos. Sessões de psicomotricidade

Dia de Reis 6 de janeiro. Atividades musicais Canções, Canções com gestos. Sessões de psicomotricidade 6 de janeiro Inverno sensoriais Azul musicais Canções, Canções com gestos Sessões de psicomotricidade Sessões de Música para bebés, às 3ªfeiras, às 9h30. A sala Azul tem como metodologia o Movimento da

Leia mais

O programa BE\CRE à la carte apresenta atividades e projetos pedagógicos que a equipa de Bibliotecas do Agrupamento de Escolas de Mem Martins

O programa BE\CRE à la carte apresenta atividades e projetos pedagógicos que a equipa de Bibliotecas do Agrupamento de Escolas de Mem Martins O programa BE\CRE à la carte apresenta atividades e projetos pedagógicos que a equipa de Bibliotecas do Agrupamento de Escolas de Mem Martins pretende desenvolver ao longo do ano com os diferentes níveis

Leia mais

Plano de Ações de Melhoria

Plano de Ações de Melhoria Plano de Ações de Escola Básica Elias Garcia Escola Básica Miquelina Pombo J. I. da Sobreda 2014/2015 1 INTRODUÇÃO O presente plano de ações de melhoria 2014/15 - resulta da avaliação do plano de ações

Leia mais

A Escola João Afonso de Aveiro está inserida no Agrupamento de Escolas de Aveiro.

A Escola João Afonso de Aveiro está inserida no Agrupamento de Escolas de Aveiro. A Escola João Afonso de Aveiro está inserida no Agrupamento de Escolas de Aveiro. 1 / 6 Somos uma Escola com excelentes horários e diversos apoios ao estudo: de Salas de Estudo em grupo, Aulas de Apoio

Leia mais

* Sempre que se trate de um Objectivo Estratégico, previsto no Projecto Educativo, é obrigatório referenciar o respectivo Código.

* Sempre que se trate de um Objectivo Estratégico, previsto no Projecto Educativo, é obrigatório referenciar o respectivo Código. Projecto/Serviços/ Código N.ºA1/A2 Actividade Nº 1 Reuniões de docentes do pré-escolar, 1º e 2º Ciclos. A1 Promover a sequencialidade coerente e estruturada entre a educação préescolar, o 1º Ciclo e o

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE AS FORMAS GEOMÉTRICAS EM NOSSO COTIDIANO. Instituto de Ciências Exatas da Universidade Federal de Minas Gerais

UM ESTUDO SOBRE AS FORMAS GEOMÉTRICAS EM NOSSO COTIDIANO. Instituto de Ciências Exatas da Universidade Federal de Minas Gerais UM ESTUDO SOBRE AS FORMAS GEOMÉTRICAS EM NOSSO COTIDIANO Fernanda Lima Ferreira Instituto de Ciências Exatas da Universidade Federal de Minas Gerais Introdução O presente relato de experiência se refere

Leia mais

Curso: Educação de Infância. Tema: O Rapaz de Bronze As Flores Data : 8/ Objectivos Específicos. Actividade proposta 2/3/4/5 anos

Curso: Educação de Infância. Tema: O Rapaz de Bronze As Flores Data : 8/ Objectivos Específicos. Actividade proposta 2/3/4/5 anos Ano lectivo: 2005/2006 Estagiária: Curso: Educação de Infância 4º Ano Educadora Cooperante: Tema: O Rapaz de Bronze As Flores Data : 8/9.05.06 Áreas Domínios Objectivos Gerais Objectivos Específicos Actividade

Leia mais

Universidade dos Açores Campus de angra do Heroísmo Ano Letivo: 2013/2014 Disciplina: Aplicações da Matemática Docente: Ricardo Teixeira 3º Ano de

Universidade dos Açores Campus de angra do Heroísmo Ano Letivo: 2013/2014 Disciplina: Aplicações da Matemática Docente: Ricardo Teixeira 3º Ano de Universidade dos Açores Campus de angra do Heroísmo Ano Letivo: 2013/2014 Disciplina: Aplicações da Matemática Docente: Ricardo Teixeira 3º Ano de Licenciatura em Educação Básica - 1º Semestre O jogo é

Leia mais

EB1/PE DE ÁGUA DE PENA

EB1/PE DE ÁGUA DE PENA EB1/PE DE ÁGUA DE PENA 2010 2014 1.Introdução 2.Enquadramento legal 3.Diagnóstico avaliação do projecto anterior 4.Identificação de prioridades de intervenção 5.Disposições finais 6.Avaliação 1.Introdução

Leia mais

Planificações 1º PERÍODO - 3/4 anos Educação Pré-escolar Ano lectivo 2016/2017

Planificações 1º PERÍODO - 3/4 anos Educação Pré-escolar Ano lectivo 2016/2017 Planificações 1º PERÍODO - 3/4 anos Educação Pré-escolar Ano lectivo 2016/2017 ÁREAS COMPONENTES OBJETIVOS ATIVIDADES/ESTRATÉGIAS ÁREA DA FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIA Construção da identidade e da auto estima

Leia mais

FORMAÇÃO DE AGENTES SOCIAIS DE ESPORTE E LAZER PROGRAMAÇÃO

FORMAÇÃO DE AGENTES SOCIAIS DE ESPORTE E LAZER PROGRAMAÇÃO MINISTÉRIO DO ESPORTE SECRETARIA NACIONAL DE ESPORTE, EDUCAÇÃO, LAZER E INCLUSÃO SOCIAL PROGRAMA ESPORTE E LAZER DA CIDADE PELC FORMAÇÃO DE AGENTES SOCIAIS DE ESPORTE E LAZER 1 - IDENTIFICAÇÃO: PROGRAMAÇÃO

Leia mais

SOBRE A EVOLUIR. Visite: /

SOBRE A EVOLUIR. Visite:  / CONSTRUINDO MÚSICA SOBRE A EVOLUIR A Evoluir é uma editora e uma empresa de educação para sustentabilidade. O nosso trabalho é, por meio de projetos e materiais educativos, levar as pessoas a refletir

Leia mais

Políticas e Práticas de Acolhimento e Integração. Portimão, 24 de junho de 2015

Políticas e Práticas de Acolhimento e Integração. Portimão, 24 de junho de 2015 Políticas e Práticas de Acolhimento e Integração Portimão, 24 de junho de 2015 Plano Estratégico para as Migrações Plano Estratégico para as Migrações 2015-2020 Novos desafios» Governação integrada para

Leia mais

Projecto «Ler +, agir contra a Gripe» ACTIVIDADES PARA O ANO LECTIVO 2009/2010

Projecto «Ler +, agir contra a Gripe» ACTIVIDADES PARA O ANO LECTIVO 2009/2010 Projecto «Ler +, agir contra a Gripe» ACTIVIDADES PARA O ANO LECTIVO 2009/2010 No âmbito do Projecto «Ler +, agir contra a Gripe», uma iniciativa do Ministério da Educação e do Ministério da Saúde, impulsionado

Leia mais

III Congresso Internacional sobre Culturas - Interfaces da Lusofonia

III Congresso Internacional sobre Culturas - Interfaces da Lusofonia III Congresso Internacional sobre Culturas - Interfaces da Lusofonia Discussion published by Carla Alferes Pinto on Monday, January 16, 2017 III Congresso Internacional sobre Culturas - Interfaces da Lusofonia

Leia mais

PROVAS E TRABALHOS 1º TRIMESTRE

PROVAS E TRABALHOS 1º TRIMESTRE Turma 71 PROVAS E TRABALHOS 1º TRIMESTRE Disciplina: Matemática 19/03 Trabalho em dupla Unidade 1 apostila - números inteiros 16/04 Trabalho Soma e Subtração em Z 24/04 Trimestral Capítulos 2 e 4 da apostila

Leia mais

Resolução CEB nº 3, de 26 de junho de Apresentado por: Luciane Pinto, Paulo Henrique Silva e Vanessa Ferreira Backes.

Resolução CEB nº 3, de 26 de junho de Apresentado por: Luciane Pinto, Paulo Henrique Silva e Vanessa Ferreira Backes. Resolução CEB nº 3, de 26 de junho de 1998 Apresentado por: Luciane Pinto, Paulo Henrique Silva e Vanessa Ferreira Backes. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. O Presidente

Leia mais

TIC e Inovação Curricular História de algumas práticas

TIC e Inovação Curricular História de algumas práticas TIC e Inovação Curricular História de algumas práticas Era uma vez um processo de investigação Agora vão a www.pensamentocritico.com e clicam em Respostas!!! AVALIAÇÃO FORMATIVA E APRENDIZAGEM DA LÍNGUA

Leia mais

Publico alvo: alunos do 1º ao 9º ano E.E. Otávio Gonçalves Gomes

Publico alvo: alunos do 1º ao 9º ano E.E. Otávio Gonçalves Gomes Projeto Brasil misturado Duração: 01/11/12 a 30/11/12 Publico alvo: alunos do 1º ao 9º ano E.E. Otávio Gonçalves Gomes Culminância: Dia 30 de novembro Característica: Projeto interdisciplinar, envolvendo

Leia mais

GABINETE DE INFORMAÇÃO E APOIO AO ALUNO (GIAA)

GABINETE DE INFORMAÇÃO E APOIO AO ALUNO (GIAA) Unidade Local de Saúde do Alto Minho, EPE Centro de Saúde de Ponte da Barca Unidade de Cuidados na Comunidade de Ponte da Barca Saúde Escolar Agrupamento de Escolas de Ponte da Barca Escola Básica e Secundária

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 89-CEPE/UNICENTRO, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2011. Aprova o Curso de Especialização em Letras, modalidade regular, a ser ministrado no Campus Santa Cruz, da UNICENTRO. O REITOR DA UNIVERSIDADE

Leia mais

Plano Anual de Atividades 2014/2015 CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE SÃO PEDRO DE LOUSA

Plano Anual de Atividades 2014/2015 CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE SÃO PEDRO DE LOUSA CENTRO SOCIAL PAROQUIAL DE SÃO PEDRO DE LOUSA Mês Temas/conteúdos Atividades Objetivos gerais Intervenientes Espaço -Início do Ano Escolar; -Recepção dos Alunos. - Atividades de grupo; -Acolhimento e receção

Leia mais

Clube do Desporto Escolar

Clube do Desporto Escolar Agrupamento de Escolas das Taipas Clube do Desporto Escolar 1. Estrutura organizacional Coordenador: Maria Elisabete da Silva Martinho Grupo de Recrutamento: 620 Departamento: Expressões Composição do

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES DA CRECHE

PLANO DE ATIVIDADES DA CRECHE 01 Início do Ano Letivo Atividades de escolha livre. Atividades de exploração do espaço exterior. - Promover a integração / (re) adaptação das crianças; - Integração da criança no meio envolvente. Materiais

Leia mais

A LEI /03 E UMA PROPOSTA DE IMPLEMENTAÇÃO ATRAVÉS DA LITERATURA

A LEI /03 E UMA PROPOSTA DE IMPLEMENTAÇÃO ATRAVÉS DA LITERATURA A LEI 10.639/03 E UMA PROPOSTA DE IMPLEMENTAÇÃO ATRAVÉS DA LITERATURA Gisele Ferreira da Silva 1 - INTRODUÇÃO Diante da complexidade de nossa história e sociedade, medidas e políticas afirmativas tornaram-se

Leia mais

Matemática para todos: questões das salas de aula multiculturais

Matemática para todos: questões das salas de aula multiculturais Matemática para todos: questões das salas de aula multiculturais Darlinda Moreira Universidade Aberta ProfMat-2003 Santarém A complexidade da realidade social O mundo foi sempre multicultural, sempre coexistiram

Leia mais

e grandes desastres sugestão para leitura orientada e exploração pedagógica do livro

e grandes desastres sugestão para leitura orientada e exploração pedagógica do livro Ana maria magalhães isabel alçada [ ilustrações de Carlos marques ] Catástrofes e grandes desastres Coleção seguros e cidadania sugestão para leitura orientada e exploração pedagógica do livro Áreas de

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL 25 JANEIRO

ASSEMBLEIA GERAL 25 JANEIRO ASSEMBLEIA GERAL 25 JANEIRO 2008 @ http://www.cm-pvarzim.pt/cidades-geminadas Relatório de Actividades 2007 O ano que agora começa foi designado pela União Europeia como o Ano Europeu do Diálogo Intercultural,

Leia mais

Todos temos um papel na economia da nossa comunidade FOLHA DE SÍNTESE

Todos temos um papel na economia da nossa comunidade FOLHA DE SÍNTESE Todos temos um papel na economia da nossa comunidade FOLHA DE SÍNTESE Os participantes da AJUDADA AJUDADA AJUDADA TODOS AJUDADA AJUDADA Encontro Internacional a realizar em Portalegre entre os dias 14

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES do Trigal CAMPOS INTERVENÇÃO PROJETO EDUCATIVO ATIVIDADES OBJETIVOS RESPONSÁVEIS DATA LOCAL DESTINATÁRIOS CPI 3 Receção aos novos alunos e formação de utilizadores -Motivar para a utilização da ; -Informar

Leia mais

RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO CLDS MARINHA SOCIAL

RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO CLDS MARINHA SOCIAL RELATÓRIO DE MONITORIZAÇÃO CLDS MARINHA SOCIAL O presente relatório reflecte a actividade do CLDS Marinha Social, desde o inicio da sua actividade, em Julho de 2009 até Junho de 2010, analisando-se 2 momentos

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Sustentável da Escola (PDSE) Instituto Brasil Solidário

Programa de Desenvolvimento Sustentável da Escola (PDSE) Instituto Brasil Solidário Apresentação Neste ano, sua escola e comunidade receberão diversas atividades com a chegada do Programa de Desenvolvimento Sustentável da Escola (PDSE) no seu município, com o Instituto Brasil Solidário

Leia mais

Projeto Escola Brasil

Projeto Escola Brasil Projeto Escola Brasil Projeto Escola Brasil - PEB Programa de voluntariado corporativo do Grupo Santander Brasill Criado em 1998 Conta com suporte institucional do Instituto Escola Brasil - IEB Gestão

Leia mais

II Partilhar para Crescer: Encontro de Bibliotecas do Distrito de Coimbra. Apresentação da Biblioteca Municipal de Oliveira do Hospital

II Partilhar para Crescer: Encontro de Bibliotecas do Distrito de Coimbra. Apresentação da Biblioteca Municipal de Oliveira do Hospital II Partilhar para Crescer: Encontro de Bibliotecas do Distrito de Coimbra Apresentação da Biblioteca Municipal de Oliveira do Hospital A Biblioteca Pública deve estar centrada nas pessoas: instituição

Leia mais

SUGESTÕES DE AVALIAÇÃO

SUGESTÕES DE AVALIAÇÃO UNIDADE 1 EU E OS OUTROS *Perceber a diversidade étnica física e de gênero no seu meio de convivência. *Reconhecer mudanças e permanências nas vivências humanas, presentes na sua realidade e em outras

Leia mais

DEPARTAMENTO CURRICULAR DAS EXPRESSÕES PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES 2007/2008. comunidade. educativa. actividades. que suscitem.

DEPARTAMENTO CURRICULAR DAS EXPRESSÕES PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES 2007/2008. comunidade. educativa. actividades. que suscitem. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO ALENTEJO CENTRO DE ÁREA EDUCATIVA DO BAIXO ALENTEJO E ALENTEJO LITORAL E.B.I c/j.i. FIALHO DE ALMEIDA de CUBA DEPARTAMENTO CURRICULAR DAS EXPRESSÕES

Leia mais

Filme: Negócio Fechado

Filme: Negócio Fechado Filme: Negócio Fechado Gênero: Ficção Diretor: Rodrigo Costa Elenco: Camilo Bevilacqua, Fernando Alves Pinto, Reinaldo Gonzaga, Thais Garayp Ano: 2001 Cor: Colorido Bitola: 35mm Duração: 15 min País: Brasil

Leia mais

REGULAMENTO ORGANIZAÇÃO

REGULAMENTO ORGANIZAÇÃO REGULAMENTO ORGANIZAÇÃO A mostra digital de diversidades culturais é uma idealização e realização da Área de Ciências Humanas e suas Tecnologias da Escola Técnica Machado de Assis. A primeira mostra digital

Leia mais

ZA5968. Flash Eurobarometer 408 (European Youth) Country Questionnaire Portugal

ZA5968. Flash Eurobarometer 408 (European Youth) Country Questionnaire Portugal ZA98 Flash Eurobarometer 08 (European Youth) Country Questionnaire Portugal FL08 European Youth PT D Poderia dizer-me a sua idade? (ESCREVER - SE "RECUSA" CÓDIGO '99') D Sexo Masculino Feminino D Que idade

Leia mais

INGRESSANTES VAGAS REMANESCENTES POR TURNO

INGRESSANTES VAGAS REMANESCENTES POR TURNO I - CARACTERÍSTICAS SÓCIO-CULTURAIS 01 - Sexo: 6 4 2 Masculino Feminino 1 Masculino 43 53,09 3 14,29 82 54,67 25 29,07 153 45,27 2 Feminino 38 46,91 18 85,71 68 45,33 61 70,93 185 54,73 81 100 21 100 150

Leia mais

IMAGENS CONTRA A CORRUPÇÃO CONCURSO NACIONAL DE VÍDEOS 2015/16

IMAGENS CONTRA A CORRUPÇÃO CONCURSO NACIONAL DE VÍDEOS 2015/16 IMAGENS CONTRA A CORRUPÇÃO CONCURSO NACIONAL DE VÍDEOS 2015/16 Tema Imagens Contra a Corrupção Tipo Concurso de vídeos de Curta duração Público-alvo Alunos dos Escolas do 2º e 3º ciclo e do Ensino Secundário

Leia mais

UMA NOVA EXPERIÊNCIA DE CONSELHO PARTICIPATIVO NA ESCOLA DE ENSINO INTEGRAL. Sala 11 Temas Diversos EF II Integral

UMA NOVA EXPERIÊNCIA DE CONSELHO PARTICIPATIVO NA ESCOLA DE ENSINO INTEGRAL. Sala 11 Temas Diversos EF II Integral UMA NOVA EXPERIÊNCIA DE CONSELHO PARTICIPATIVO NA ESCOLA DE ENSINO INTEGRAL Sala 11 Temas Diversos EF II Integral E.E.CARLOS MAXIMILIANO PEREIRA DOS SANTOS Professores Apresentadores: M Maria Emilia A.S.

Leia mais

PROJETO: SOU LETRANDO.

PROJETO: SOU LETRANDO. PROJETO: SOU LETRANDO. Acadêmicos: Thainara Lobo e Ailton Ourique Escola Estadual de Ensino Fundamental Dr Mário Vieira Marques (CIEP) São Luiz Gonzaga, 2016 1.TEMA Projeto de Leitura: Sou Letrando. 2.PROBLEMA

Leia mais

UNIFLOR E PREFEITURA DE MATUPÁ: JUNTOS NUMA JORNADA DE CIDADANIA

UNIFLOR E PREFEITURA DE MATUPÁ: JUNTOS NUMA JORNADA DE CIDADANIA UNIFLOR E PREFEITURA DE MATUPÁ: JUNTOS NUMA JORNADA DE CIDADANIA Guarantã do Norte 2013 DADOS DE IDENTIFICAÇÃO IES: Faculdade de Ciências Sociais de Guarantã do Norte PARCERIA: Prefeitura Municipal de

Leia mais

ESCOLA DE COMUNICAÇÕES E ARTES / USP SERVIÇO DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO SEÇÃO DE MONOGRAFIAS E OUTROS MATERIAIS NÃO PERIÓDICOS

ESCOLA DE COMUNICAÇÕES E ARTES / USP SERVIÇO DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO SEÇÃO DE MONOGRAFIAS E OUTROS MATERIAIS NÃO PERIÓDICOS ESCOLA DE COMUNICAÇÕES E ARTES / USP SERVIÇO DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO SEÇÃO DE MONOGRAFIAS E OUTROS MATERIAIS NÃO PERIÓDICOS Orientações simplificadas para a elaboração de fichas catalográficas : Teses,

Leia mais

Forum AMP Empreendedorismo Social 2020

Forum AMP Empreendedorismo Social 2020 Forum AMP Empreendedorismo Social 2020 Porto 29 junho 2016 www.akdn.org 1 AGA KHAN DEVELOPMENT NETWORK AKDN geographic presence: 30 countries in 7 regions Fundação Aga Khan - Portugal A misão em Portugal

Leia mais

Plano Local de Promoção dos Direitos da Criança

Plano Local de Promoção dos Direitos da Criança Plano Local de Promoção dos Direitos da Criança Breve Enquadramento O Plano Local de Promoção dos Direitos da Criança constitui o resultado do Projeto Tecer a, promovido pela Comissão Nacional de Promoção

Leia mais

Festival de Sopas, Culturas e Alimentação Saudável da Ilha Terceira

Festival de Sopas, Culturas e Alimentação Saudável da Ilha Terceira Preâmbulo É mais do que certa e sabida a importância de uma alimentação saudável, em todas as faixas etárias, mas, de particular relevância, junto dos jovens. Fazendo uma análise bastante objectiva à variadíssima

Leia mais

Objetivos. Apresentar o mercado de pesquisa quantitativa e qualitativa no Brasil para jovens de Ensino Médio;

Objetivos. Apresentar o mercado de pesquisa quantitativa e qualitativa no Brasil para jovens de Ensino Médio; 28 de julho de 2016 Objetivos Principal Coletar dados quantitativos sobre jovens de 14 a 24 anos em comunidades pacificadas através da capacitação profissional de jovens de Ensino Médio. Específicos Apresentar

Leia mais

Construir o Futuro (I, II, III e IV) Pinto et al. Colectiva. Crianças e Adolescentes. Variável. Nome da prova: Autor(es): Versão: Portuguesa

Construir o Futuro (I, II, III e IV) Pinto et al. Colectiva. Crianças e Adolescentes. Variável. Nome da prova: Autor(es): Versão: Portuguesa Nome da prova: Autor(es): Versão: Tipo de aplicação: População: Tempo de aplicação: Objectivos: Materiais incluídos no jogo (kit) completo: Construir o Futuro (I, II, III e IV) Pinto et al. Portuguesa

Leia mais

Catequese Adolescência Paróquia S. Salvador de Carregosa 8º ano/ º Período Objectivos Data Tema da catequese Objectivos Estratégias

Catequese Adolescência Paróquia S. Salvador de Carregosa 8º ano/ º Período Objectivos Data Tema da catequese Objectivos Estratégias Finalidade: Descobrir-se Cristão Objectivos: Participar na eucaristia Concretizar projecto comunitário (partilha fraterna) Tema do Período Em Diálogo 1 1º Período Objectivos Data Tema da catequese Objectivos

Leia mais

O MODELO DE ATENDIMENTO À DIVERSIDADE (MAD) E SISTEMAS EDUCACIONAIS INCLUSIVOS DE APOIO A ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS.

O MODELO DE ATENDIMENTO À DIVERSIDADE (MAD) E SISTEMAS EDUCACIONAIS INCLUSIVOS DE APOIO A ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS. O MODELO DE ATENDIMENTO À DIVERSIDADE (MAD) E SISTEMAS EDUCACIONAIS INCLUSIVOS DE APOIO A ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS. Andréa Tonini Luís de Miranda Correia Ana Paula Loução Martins

Leia mais

REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS DADOS DOS QUESTIONÁRIOS DA IGEC RELATÓRIO IGEC - TRABALHADORES DOCENTES I

REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS DADOS DOS QUESTIONÁRIOS DA IGEC RELATÓRIO IGEC - TRABALHADORES DOCENTES I REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS DADOS DOS QUESTIONÁRIOS DA IGEC A - TRABALHADORES DOCENTES RELATÓRIO IGEC - TRABALHADORES DOCENTES I 1. O ensino nesta escola é exigente 17,3 19,6 58,3 2. A escola é aberta ao

Leia mais

Início da aprendizagem bilíngue 2 professoras em sala - línguas alemã e portuguesa

Início da aprendizagem bilíngue 2 professoras em sala - línguas alemã e portuguesa 2014-2027 Nós preparamos os alunos para a vida em uma sociedade globalizada, caracterizada pela competitividade. O ensino de línguas e o encontro com outras culturas, principalmente a divulgação da língua

Leia mais

A Organização do Trabalho de Pedagógico na Forma de Projetos

A Organização do Trabalho de Pedagógico na Forma de Projetos A Organização do Trabalho de Pedagógico na Forma de Projetos Marcos Cordiolli 1 Marcos Cordiolli www.cordiolli.com (41)9962 5010 Marcos Cordiolli é Mestre em Educação, pela PUC-SP. Professor de cursos

Leia mais

a cobronça, a princesa e a supresa

a cobronça, a princesa e a supresa projeto pedagógico a cobronça, a princesa e a supresa Rua Tito, 479 Lapa São Paulo SP CEP 05051-000 divulgação escolar (11) 3874-0884 divulga@melhoramentos.com.br Fê ilustrações e Celso Linck www.editoramelhoramentos.com.br

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO EUROPEU

PLANO DE DESENVOLVIMENTO EUROPEU PLANO DE DESENVOLVIMENTO EUROPEU 2015-2017 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ARRIFANA, SANTA MARIA DA FEIRA PLANO DE DESENVOLVIMENTO EUROPEU AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ARRIFANA, SANTA MARIA DA FEIRA 2015-2017 Aprovado

Leia mais

Projecto aler

Projecto aler Área de incidência Estratégia para envolver toda a escola Actividades para envolver toda a comunidade educativa profissional contínuo Relações interdisciplinares Projecto aler+ 2010-2011 Lançamento Uma

Leia mais

PROGRAMA PINHAL NOVO PALMELA E QUINTA DO ANJO MARATECA E POCEIRÃO

PROGRAMA PINHAL NOVO PALMELA E QUINTA DO ANJO MARATECA E POCEIRÃO PROGRAMA PINHAL NOVO PALMELA E QUINTA DO ANJO MARATECA E POCEIRÃO A diversidade dos espaços e dos tempos educativos remete cada vez mais para o conceito de Escola - Comunidade, aberta ao diálogo e à educação

Leia mais

MOSTRA DE ARTE, CULTURA E DESIGN Regulamento para submissão de trabalhos

MOSTRA DE ARTE, CULTURA E DESIGN Regulamento para submissão de trabalhos MOSTRA DE ARTE, CULTURA E DESIGN Regulamento para submissão de trabalhos A Mostra de Arte, Cultura e Design, propõe o debate e a reflexão sobre a democratização da Arte, da Cultura e do Design em nossa

Leia mais

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DA DISCIPLINA: HISTÓRIA E CULTURA INDÍGENA BRASILEIRA NOME DO CURSO: PEDAGOGIA

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DA DISCIPLINA: HISTÓRIA E CULTURA INDÍGENA BRASILEIRA NOME DO CURSO: PEDAGOGIA 1. IDENTIFICAÇÃO PERÍODO: VII CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DA DISCIPLINA: HISTÓRIA E CULTURA INDÍGENA BRASILEIRA NOME DO CURSO: PEDAGOGIA 2. EMENTA Noções de história

Leia mais

SETEMBRO EXTERNATO DO PARQUE PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2016/2017. Local. Data Ações a desenvolver Turmas envolvidas

SETEMBRO EXTERNATO DO PARQUE PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2016/2017. Local. Data Ações a desenvolver Turmas envolvidas SETEMBRO Ao longo Oração da manhã 1º do ano ciclo 9 set. Acolhimento aos novos alunos: Convívio com os pais e com os alunos Informações de caracter geral 12 set. Receção aos alunos: Convívio de alunos,

Leia mais

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo

Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS. Uma instituição do grupo Educador A PROFISSÃO DE TODOS OS FUTUROS F U T U R O T E N D Ê N C I A S I N O V A Ç Ã O Uma instituição do grupo CURSO 2 OBJETIVOS Discutir e fomentar conhecimentos sobre a compreensão das potencialidades,

Leia mais

Associação de Pais, Encarregados de Educação e Amigos dos Alunos da EB1/JI de Pinhal de Frades. Plano de Actividades 2012/2013

Associação de Pais, Encarregados de Educação e Amigos dos Alunos da EB1/JI de Pinhal de Frades. Plano de Actividades 2012/2013 Setembro Recepção dos alunos (dias 03 a 07) Promover a integração/adaptação das crianças Desenvolver atitudes de auto-estima e auto-confiança Conhecer os colegas e a escola Conhecer as regras da sala Recepção

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO. Nome: Fátima Cristina Dias Pereira. Data de Nascimento 15 de Maio de Naturalidade Monte * Funchal. Nacionalidade Portuguesa

IDENTIFICAÇÃO. Nome: Fátima Cristina Dias Pereira. Data de Nascimento 15 de Maio de Naturalidade Monte * Funchal. Nacionalidade Portuguesa IDENTIFICAÇÃO Nome: Fátima Cristina Dias Pereira Data de Nascimento 15 de Maio de 1971 Naturalidade Monte * Funchal Nacionalidade Portuguesa Bilhete de Identidade 957 60 42 Número de Contribuinte 168 257

Leia mais

Guião de exploração pedagógica painel 8. Autoria: Maria José Marques

Guião de exploração pedagógica painel 8. Autoria: Maria José Marques Autoria: Maria José Marques A Exposição Itinerante Santillana é da autoria de Maria José Marques e foi exibida pela primeira vez na Universidade de Verão Santillana, nos dias 9, 10 e 11 de julho de 2012,

Leia mais

INTRODUÇÃO PRIMEIRA APROXIMAÇÃO AO PATRIMÓNIO IMATERIAL

INTRODUÇÃO PRIMEIRA APROXIMAÇÃO AO PATRIMÓNIO IMATERIAL INTRODUÇÃO PRIMEIRA APROXIMAÇÃO AO PATRIMÓNIO IMATERIAL Certamente já ouviste falar de Património Cultural, isto é, do conjunto de elementos de uma cultura, produzidos ao longo dos tempos, que recebemos

Leia mais

CENTRO PSICOPEDAGÓGICO DA LINHA. Programa Formativo. Atenção! Este Programa Formativo pode ser atualizado a qualquer momento! Mantenha-se Informado!

CENTRO PSICOPEDAGÓGICO DA LINHA. Programa Formativo. Atenção! Este Programa Formativo pode ser atualizado a qualquer momento! Mantenha-se Informado! Atenção! Este pode ser atualizado a qualquer momento! Mantenha-se Informado! Treino de Competências Sociais em Crianças e Jovens: Uma Abordagem Prática Contribuir para o enriquecimento teo rico-pra tico

Leia mais

GRELHAS DE REGISTO DE ATIVIDADES JÁ CALENDARIZADAS As atividade com indicação de mês ou período serão introduzidas nas grelhas posteriormente.

GRELHAS DE REGISTO DE ATIVIDADES JÁ CALENDARIZADAS As atividade com indicação de mês ou período serão introduzidas nas grelhas posteriormente. GRELHAS DE REGISTO DE ATIVIDADES JÁ CALENDARIZADAS As atividade com indicação de mês ou período serão introduzidas nas grelhas posteriormente. SETEMBRO Sáb 01 Dom 02 2ª F 03 Apresentação dos docentes e

Leia mais

- Copyright GRACE Maio Grupo de Reflexão e Apoio à Cidadania Empresarial Associação

- Copyright GRACE Maio Grupo de Reflexão e Apoio à Cidadania Empresarial Associação - Copyright GRACE Maio 2012 Grupo de Reflexão e Apoio à Cidadania Empresarial Associação Uni.Network Missão Promover a ligação e a aproximação entre as Entidades Académicas portuguesas e as Empresas na

Leia mais

PROGRAMA DE INTERVENÇÃO UTILIZANDO A TÉCNICA DO GRAFFITI

PROGRAMA DE INTERVENÇÃO UTILIZANDO A TÉCNICA DO GRAFFITI SESSÃO Nº 1 Conversa com todo o grupo: Objetivos: -Conhecimento do Grupo - Falar um pouco de si - especificar se gostariam de mudar algum comportamento (encontrar denominadores comuns) - Apresentação do

Leia mais

Movimento e Cultura da Pop Art: Uma Viagem ao Museu

Movimento e Cultura da Pop Art: Uma Viagem ao Museu Movimento e Cultura da Pop Art: Uma Viagem ao Museu Aline Villela Abbade Débora A. dos Santos Ferreira Julho 2009/01 Apresentação do tema: Começamos a elaborar este projeto levando em consideração que

Leia mais

A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS.

A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS. A ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL CONGÊNITA E ADQUIRIDA ATRAVÉS DE JOGOS PEDAGÓGICOS. Luciana Barros Farias Lima Instituto Benjamin Constant Práticas Pedagógicas Inclusivas

Leia mais

Processo Seletivo 2015 (Sisu 1º/2015) LISTA DE ESPERA Sisu - Quantitativo de Vagas Disponíveis. Crateús

Processo Seletivo 2015 (Sisu 1º/2015) LISTA DE ESPERA Sisu - Quantitativo de Vagas Disponíveis. Crateús Crateús 1272079 Ciência da Computação Bacharelado Integral 19 1 5 1 4 30 1300426 Engenharia Ambiental Bacharelado Integral 19 2 6 2 3 32 1300427 Engenharia Civil Bacharelado Integral 21 3 2 2 4 32 1300429

Leia mais

FESTA DA LEITURA / PROGRAMA DA SEMANA DA LEITURA 2015

FESTA DA LEITURA / PROGRAMA DA SEMANA DA LEITURA 2015 Agrupamento de Escolas Dr. Mário Fonseca, Lousada Biblioteca Escolar FESTA DA LEITURA / PROGRAMA DA SEMANA DA LEITURA 2015 ESCOLA 16 março 17 março 18 março 19 março 20 março Outras Datas/Atividades EBS

Leia mais

XI Encontro Nacional de Educação para a Cidadania Global Rumo a uma Educação Transformadora. Lisboa, 09 de julho de 2016

XI Encontro Nacional de Educação para a Cidadania Global Rumo a uma Educação Transformadora. Lisboa, 09 de julho de 2016 XI Encontro Nacional de Educação para a Cidadania Global Rumo a uma Educação Transformadora Lisboa, 09 de julho de 2016 manuela38ster@gmail.com DIA PARA AGIR Rumo a uma Educação Transformadora A NOSSA

Leia mais

I N F O R M A Ç Ã O PROVA DE E Q U I V A L Ê N C I A À F R E Q U Ê N C I A

I N F O R M A Ç Ã O PROVA DE E Q U I V A L Ê N C I A À F R E Q U Ê N C I A Ministério da Educação e Ciência Agrupamento de Escolas de Anadia Ano letivo de 2015-2016 I N F O R M A Ç Ã O PROVA DE E Q U I V A L Ê N C I A À F R E Q U Ê N C I A CICLO CÓDIGO - DISCIPLINA ANO DE ESCOLARIDADE

Leia mais

Associação para a Promoção e Dinamização do Apoio à Família. Ano Lectivo 2015/2016

Associação para a Promoção e Dinamização do Apoio à Família. Ano Lectivo 2015/2016 Associação para a Promoção e Dinamização do Apoio à Família Ano Lectivo 2015/2016 Quem somos? A APDAF Associação para a promoção e dinamização do apoio à família, é uma instituição de solidariedade social

Leia mais