Qual é a função Básica de um Roteador? Interconectar LAN s através de WAN s, esta é a função principal de um Roteador.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Qual é a função Básica de um Roteador? Interconectar LAN s através de WAN s, esta é a função principal de um Roteador."

Transcrição

1 Uma vez conhecidos os Modos de Operação dos Roteadores Cisco, vamos às Configurações Básicas. Devemos nos perguntar. Qual é a função Básica de um Roteador? Interconectar LAN s através de WAN s, esta é a função principal de um Roteador. Vejamos a seguir um Topologia onde fica claro esta função. 1

2 FastEthernet0/0 IP /24 Serial0/0 DTE-V35 PPP IP /30 DCE-V35 Acesso Lp 2Mbps Roteador1 Switch Modem G703 G703 DCE-V35 Modem Rede /24 Topologia da Interconexão de duas LAN s através de um acesso via Modem FastEthernet0/0 IP /24 Serial1/0 DTE-V35 PPP IP /30 Roteador2 Switch Rede /24 2

3 O que a Topologia mostrada deixa claro, são os RECURSOS dos Roteadores que estão sendo usados. Vejam bem. Nos dois Roteadores as interfaces de LAN e as de WAN (seriais) são os recursos usados para executarem a Função Básica, ou seja: Enviar os Pacotes da Rede LAN /24 para a Rede LAN /24 e vice versa. Ficando evidente que para satisfazer as condições básicas o que realmente necessitamos é configurar as INTERFACES e o Roteamento, tudo o mais será considerado bijuterias, não fundamentais ao perfeito funcionamento básico do Roteador. 3

4 Vamos então ao que interessa? Como o Roteador necessita lidar com as 3 Camadas do Modelo OSI, o programador ao se focar neste detalhe, verá que a tarefa de configurá-lo passa a ser simples. Vamos nos utilizar das informações dadas na Topologia anterior. Inicialmente faremos as configurações relativas à Interface de WAN (serial). Nível Físico É a primeira configuração que devemos fazer. Não importa a qual equipamento o roteador vai estar se conectando, sempre haverá uma interface que se ligará a outra. 4

5 No nível físico, mecânico, qual deve ser nossa preocupação? Veja a seguir um exemplo banal, porém prático. Se você tiver um CANO de 1 (polegada) com uma rosca de 1 na extremidade e quiser conectá-lo à um sistema, é obvio que o encaixe só se dará se você tiver no sistema uma interface de 1. Correto? Óbvio, não vou rosquear 1 numa luva de ½! Mas não é só isto, não basta ser 1, tem que ser o mesmo tipo de rosca. Um CANO de 1 com rosca MÉTRICA não vai conectar com uma luva de rosca de 1 Whitwoth. São PADRÕES diferentes. Percebeu? Pois é por aí. A nossa interface do roteador tem que ser do mesmo padrão do equipamento que iremos conectar. Pode ser V24, V35, V36 ou G703. E daí? Qual vai ser? 5

6 O que define o padrão a ser escolhido é nossa necessidade. A velocidade do circuito é que vai determinar nossa escolha. Para velocidades até 64Kbps o padrão recomenda interface V24. Para velocidades acima de 64K até 2M o padrão recomendado é V35 ou V36. Para velocidades acima de 2M recomenda-se a interface G703. As recomendações acima se referem a interfaces de WAN, porém na LAN é idêntico. Padrão Ethernet, Fast Ethernet, Giga Ethernet ou interface óptica, seja qual for o padrão escolhido tem que ser o mesmo da interface a qual iremos nos conectar. Resumindo. Mesmos Protocolos nas Camadas Correspondentes 6

7 Lembra da função da Camada 2 do Modelo OSI? Receber o Pacote do nível 3 e encapsular no protocolo de nível 2. Palavra chave ENCAPSULAR. Usando então o bom e velho recurso do HELP. E aí? Qual comando tem a sintaxe parecida com a nossa palavra Chave??? 7

8 Isto mesmo!!! Então; Roteador1(config-if)# encapsulation + o nome do protocolo a ser usado, no nosso exemplo PPP, logo... Roteador1(config-if)# encapsulation PPP Pronto. O protocolo de nível de enlace já está configurado. Nunca devemos esquecer de usar o mesmo Protocolo que estará sendo usado pelo equipamento ao qual nos ligaremos. Lembra do caso do Cabo ser DCE? Neste caso devemos definir o Clock (somente como exemplo, pois na nossa topologia a Interface de WAN do Roteador será DTE). Router(config-if) clock rate (representa a velocidade do circuito em bits/s) 8

Roteamento Prof. Pedro Filho

Roteamento Prof. Pedro Filho Roteamento Prof. Pedro Filho Definição Dispositivo intermediário de rede projetado para realizar switching e roteamento de pacotes O roteador atua apenas na camada 3 (rede) Dentre as tecnologias que podem

Leia mais

Erratas CCNA 5.0 (atualizado )

Erratas CCNA 5.0 (atualizado ) Erratas CCNA 5.0 (atualizado 27-09-2014) Página 40 5º parágrafo, deveria ser: "Já alguns dos protocolos desenhados para atuar em redes geograficamente dispersas (WAN) são definidos nas três primeiras camadas

Leia mais

Interconexão de redes locais. Repetidores. Hubs. Existência de diferentes padrões de rede

Interconexão de redes locais. Repetidores. Hubs. Existência de diferentes padrões de rede Interconexão de redes locais Existência de diferentes padrões de rede necessidade de conectá-los Interconexão pode ocorrer em diferentes âmbitos LAN-LAN LAN: gerente de um determinado setor de uma empresa

Leia mais

CCT0023 INFRAESTRUTURA DE REDES DE COMPUTADORES Aula 9: Equipamentos Rede / Topologia Hierárquica

CCT0023 INFRAESTRUTURA DE REDES DE COMPUTADORES Aula 9: Equipamentos Rede / Topologia Hierárquica CCT0023 Aula 9: Equipamentos Rede / Topologia Hierárquica Placa de rede Placa de rede Preparação dos quadros para que possam ser enviados pelos cabos. A placa de rede gera os bits de um quadro no sentido

Leia mais

Manual de Configuração.

Manual de Configuração. O NX WiFi é um conversor de Serial e Ethernet para WiFi, com isso eliminando o cabeamento em suas instalações e deixando-os equipamentos com mais mobilidade. NX WiFi Modo STA Modo STA Neste modo o NXWiFi

Leia mais

Configurando o NAT Estático e o NAT Dinâmico Simultaneamente

Configurando o NAT Estático e o NAT Dinâmico Simultaneamente Configurando o NAT Estático e o NAT Dinâmico Simultaneamente Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Usados Convenções Configurando o NAT Informações Relacionadas Introdução Em algumas

Leia mais

Capítulo 4: Conceitos de Roteamento

Capítulo 4: Conceitos de Roteamento Capítulo 4: Conceitos de Roteamento Protocolos de roteamento 1 Capítulo 4 4.0 Conceitos de Roteamento 4.1 Configuração inicial de um roteador 4.2 Decisões de roteamento 4.3 Operação de roteamento 4.4 Resumo

Leia mais

ROTEADORES. Introdução ao roteamento e ao encaminhamento de pacotes

ROTEADORES. Introdução ao roteamento e ao encaminhamento de pacotes ROTEADORES Introdução ao roteamento e ao encaminhamento de pacotes Laboratório de Redes de Computadores Introdução do capítulo As redes atuais têm um impacto significativo em nossas vidas alterando a forma

Leia mais

terça-feira, 30 de julho de 13 Equipamentos de Interconexão

terça-feira, 30 de julho de 13 Equipamentos de Interconexão Equipamentos de Interconexão Repetidor Um repetidor ( repeater ) é um dispositivo utilizado para estender o alcance de uma LAN. Atuando na camada física, o repetidor conecta segmentos de rede, amplificando

Leia mais

Escola de Educação Profissional SENAI Visconde de Mauá

Escola de Educação Profissional SENAI Visconde de Mauá Escola de Educação Profissional SENAI Visconde de Mauá Automação Industrial Porto Alegre, Outubro de 2014 Revisão: C Conhecer a utilidade de uma IHM e seu funcionamento; Conhecer principais pontos necessários

Leia mais

EIA232. Introdução. Comunicação de Dados 3º EEA 2004/2005

EIA232. Introdução. Comunicação de Dados 3º EEA 2004/2005 EIA232 Comunicação de Dados 3º EEA 2004/2005 Introdução Criado nos EUA em 1969 para definir o interface eléctrico e mecânico entre equipamento com troca de dados digitais: Equipamento terminal de dados

Leia mais

RCO2. Redes Locais: Interligação de LANs com roteadores

RCO2. Redes Locais: Interligação de LANs com roteadores RCO2 Redes Locais: Interligação de LANs com roteadores Pontes e switches: ativos de camada de enlace 2 Pontes e switches: aprendem que estações estão em cada porta Mas pode haver problemas! Considere a

Leia mais

Este documento requer uma compreensão do ARP e de ambientes Ethernet.

Este documento requer uma compreensão do ARP e de ambientes Ethernet. Proxy ARP Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Como o Proxy ARP Funciona? Diagrama de Rede Vantagens do Proxy ARP Desvantagens do Proxy ARP Introdução Este documento

Leia mais

Atividade 6.4.1: Cálculo de VLSM e design de endereçamento básico

Atividade 6.4.1: Cálculo de VLSM e design de endereçamento básico Diagrama de Topologia Tabela de endereçamento Dispositivo Interface Endereço IP Gateway padrão HQ Filial1 Filial2 Fa0/0 Fa0/1 S0/0/0 S0/0/1 Fa0/0 Fa0/1 S0/0/0 S0/0/1 Fa0/0 Fa0/1 S0/0/0 S0/0/1 All contents

Leia mais

- Curso: ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Redes de Computadores Lista de Exercício I

- Curso: ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Redes de Computadores Lista de Exercício I 1- Um dos componentes de um a Rede de Teleprocessamento que tem a função de compatibilizar o sinal digital de dados ao sinal analógico para uso da Rede Pública de Telefonia é: a) UNIDADE CONTROLADORA DE

Leia mais

Packet Tracer/Construindo Simulações

Packet Tracer/Construindo Simulações Packet Tracer/Construindo Simulações Origem: Wikilivros, livros abertos por um mundo aberto. < Packet Tracer Tabela de conteúdo 1 Equipamentos de Redes 1.1 Cabeamento 1.1.1 Cabo de Par Trançado 1.1.2 Outros

Leia mais

Disciplina: Dispositivos de Rede II. Professor: Jéferson Mendonça de Limas. 4º Semestre. Aula 02 Dispositivos Básicos de Rede

Disciplina: Dispositivos de Rede II. Professor: Jéferson Mendonça de Limas. 4º Semestre. Aula 02 Dispositivos Básicos de Rede Disciplina: Dispositivos de Rede II Professor: Jéferson Mendonça de Limas 4º Semestre Aula 02 Dispositivos Básicos de Rede 2014/2 Roteiro Introdução Adaptadores de Rede Reptidor Hub Bridge Introdução O

Leia mais

Capítulo6-7 Redes de Computadores Camada 2 Conceitos

Capítulo6-7 Redes de Computadores Camada 2 Conceitos Há três formas de se calcular o frame check sum: cyclic redundancy check (CRC) - executa cálculos polinomiais sobre os dados paridade bidimensional - adiciona um 8 th oitavo bit que faz uma seqüência de

Leia mais

Redes para Automação Industrial: Introdução às Redes de Computadores Luiz Affonso Guedes

Redes para Automação Industrial: Introdução às Redes de Computadores Luiz Affonso Guedes Redes para Automação Industrial: Introdução às Redes de Computadores Luiz Affonso Guedes Conteúdo Definição Classificação Aplicações típicas Software de rede Modelos de referências Exemplos de redes Exemplos

Leia mais

Arquiteturas de Redes de Computadores

Arquiteturas de Redes de Computadores Arquiteturas de Redes de Computadores Material de apoio Conceitos Básicos de Rede Cap.1 19/01/2012 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura da bibliografia

Leia mais

Integração IP/ATM. Características das redes atuais

Integração IP/ATM. Características das redes atuais Integração IP/ Msc. Marcelo Zanoni Santos Msc. Adilson Guelfi Msc. Frank Meylan Características das redes atuais Ethernet, Fast Ethernet, Token Ring, FDDI etc Não orientadas a conexão Unidade de transmissão

Leia mais

CST em Redes de Computadores

CST em Redes de Computadores CST em Redes de Computadores Dispositivos de Rede II Aula 02 Unidade II Dispositivos Básicos de Rede Prof: Jéferson Mendonça de Limas Introdução Redes LAN Dois ou mais dispositivos interligados por um

Leia mais

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO/ PROCESSAMENTO DE DADOS DISCIPLINA: ADM e PROJETO DE REDES PROFESSOR: Msc Walter Augusto Varella

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO/ PROCESSAMENTO DE DADOS DISCIPLINA: ADM e PROJETO DE REDES PROFESSOR: Msc Walter Augusto Varella CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO/ PROCESSAMENTO DE DADOS DISCIPLINA: ADM e PROJETO DE REDES PROFESSOR: Msc Walter Augusto Varella Lista de Exercícios 1 1. Diga com suas palavras o que vem a ser uma rede

Leia mais

Guia Rápido Roteador RE041. quickguide_rv1.indd 1 21/09/ :42:40

Guia Rápido Roteador RE041. quickguide_rv1.indd 1 21/09/ :42:40 Guia Rápido Roteador RE041 quickguide_rv1.indd 1 21/09/2012 14:42:40 quickguide_rv1.indd 2 21/09/2012 14:42:40 3 Sumário Sumário...3 1. Conectando o roteador...4 2. Login no roteador...6 3. Conectando

Leia mais

Multiplexação por Divisão de Tempo UNIP. Renê Furtado Felix.

Multiplexação por Divisão de Tempo UNIP. Renê Furtado Felix. Multiplexação por Divisão de Tempo UNIP rffelix70@yahoo.com.br Comunicação Serial Como funciona a comunicação serial? Você sabe que a maioria dos PCs têm portas seriais e paralelas. Você também sabe que

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Informática Qualificação:

Leia mais

Manual de utilização NSE Módulo TCP/IP MTCP-1E1S

Manual de utilização NSE Módulo TCP/IP MTCP-1E1S INSTALAÇÃO 1 Conecte a fonte 12Vcc/1A (ou 24Vcc/1A) a tomada e em seguida ao módulo MTCP-1E1S ( Negativo externo ---(o--- Positivo interno ). 2 Conecte o cabo de rede que acompanha o produto ao módulo

Leia mais

Guia Rápido de Instalação SL-D300N. Guia Rápido de Instalação

Guia Rápido de Instalação SL-D300N. Guia Rápido de Instalação Guia Rápido de Instalação SL-D300N Guia Rápido de Instalação Roteador Wireless SL-D300N Conteúdo do Pacote Um Modem Roteador Wireless SL-D300N Um Adaptador de Energia Um cabo Rj45 Dois Cabos Rj11 Guia

Leia mais

Introdução aos Protocolos de Roteamento Dinâmico

Introdução aos Protocolos de Roteamento Dinâmico CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Introdução aos Protocolos de Roteamento Dinâmico Cronograma Introdução Perspectiva e histórico Classificação de protocolos Métrica Distância administrativa

Leia mais

Redistribuindo Protocolos de Roteamento

Redistribuindo Protocolos de Roteamento Redistribuindo Protocolos de Roteamento Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Usados Convenções Métricas Distância Administrativa Sintaxe e Exemplos de Configuração de Redistribuição

Leia mais

Compreendendo os Modos Transparente e de Tradução com FRF.8

Compreendendo os Modos Transparente e de Tradução com FRF.8 Compreendendo os Modos Transparente e de Tradução com FRF.8 Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Usados Convenções Entendendo Cabeçalhos de Camada 2 Entendendo Encapsulamento da IETF

Leia mais

O que é a distância administrativa?

O que é a distância administrativa? O que é a distância administrativa? Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Usados Convenções Selecione o Melhor Caminho Tabela de Valor de Distância Padrão Outras Aplicações da Distância

Leia mais

I/O para Dispositivos Externos e Outros Computadores. Redes de Interconexão. Redes de Interconexão. Redes de Computadores Correntes

I/O para Dispositivos Externos e Outros Computadores. Redes de Interconexão. Redes de Interconexão. Redes de Computadores Correntes para Dispositivos Externos e Outros Computadores Processor interrupts Cache Memory - Bus Main Memory Disk Disk Graphics Network ideal: bandwidth alto, baixa latência Redes de Computadores Correntes Objetivos:

Leia mais

CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Protocolo RIP

CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Protocolo RIP CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Protocolo RIP Cronograma Introdução Formato da mensagem e características do RIP Operação do RIP Habilitando o RIP Verificando, identificando e resolvendo

Leia mais

Redes de Computadores. Apresentação

Redes de Computadores. Apresentação Redes de Computadores Apresentação Sumário! Programa! Bibliografia! Método de avaliação! Horário de Atendimento 2 Programa! Introdução! Arquitecturas arquitectura TCP/IP, modelo de referência OSI e arquitecturas

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO - APP MONIVOX ROIP

MANUAL DO USUÁRIO - APP MONIVOX ROIP 1. INFORMAÇÕES DO PRODUTO 1.1 INTRODUÇÃO Bem vindo ao manual do usuário do app RoIP. Neste você encontrará instruções de como configurar e colocar em operação o MoniVox app RoIP. 1.2 DIREITOS AUTORAIS

Leia mais

Nota de aplicação. Descobrindo o endereço de IP de um STBNIP2212. Douglas da Silva Data: 23/11/16 Versão: V1.0

Nota de aplicação. Descobrindo o endereço de IP de um STBNIP2212. Douglas da Silva Data: 23/11/16 Versão: V1.0 Nota de aplicação Descobrindo o endereço de IP de um STBNIP2212 Douglas da Silva Data: 23/11/16 Versão: V1.0 Especificações técnicas Especificações Técnicas Hardware Firmware STBNIP2212 Software Advantys

Leia mais

Use sempre uma pulseira Anti-estática para não danificar o hardware

Use sempre uma pulseira Anti-estática para não danificar o hardware Aprenda a montar seu computador Recomendações: Use sempre uma pulseira Anti-estática para não danificar o hardware Colocação da Placa Mãe no Gabinete. Vamos pegar a placa-mãe sem nenhum periférico adicional

Leia mais

E M B R A S U L. embrasul.com.br. Controlador de Demanda GDE4000

E M B R A S U L. embrasul.com.br. Controlador de Demanda GDE4000 Controlador de Demanda Funções avançadas de controle de demanda e fator de potência; Seleção de cargas por prioridade e por potências; Flexibilidade na programação de demandas sazonais; Simulação de fatura

Leia mais

Instalação do MySQL e da ferramenta MySQL- Front

Instalação do MySQL e da ferramenta MySQL- Front Instalação do MySQL e da ferramenta MySQL- Front 1. Introdução Este tutorial irá ensinar passo a passo como instalar o banco de dados totalmente grátis (muito utilizado na web) e também como instalar a

Leia mais

Cabos de fibra ótica devem ser utilizados no backbone e risers (conexões verticais) em todos os projetos de cabeamento. Cabos de Categoria 6 UTP

Cabos de fibra ótica devem ser utilizados no backbone e risers (conexões verticais) em todos os projetos de cabeamento. Cabos de Categoria 6 UTP Projeto de camada 1 Um dos componentes mais importantes a considerar no projeto de uma rede é o cabeamento. Hoje, a maior parte do cabeamento das redes locais é baseada na tecnologia Fast Ethernet. Fast

Leia mais

PROGRAMA. 1. Ementa. 2. Objetivos. 3. Metodologia. 4. Avaliação

PROGRAMA. 1. Ementa. 2. Objetivos. 3. Metodologia. 4. Avaliação Universidade Católica do Salvador Curso de Bacharelado em Informática Disciplina : INF363 - Teleprocessamento e Redes Pré-Requesitos : INF-375 - Sistemas Operacionais INF-359 - Pesquisa Operacional Carga

Leia mais

Configuração de Internet em modo Bridge

Configuração de Internet em modo Bridge Configuração de Internet em modo Bridge Para acesso as configurações avançada do modem digite: 192.168.1.1/main.html 1-Para realizar essa configuração o computador deve estar conectado via cabo Ethernet

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO WR-3300N

GUIA DE INSTALAÇÃO WR-3300N GUIA DE INSTALAÇÃO WR-3300N Roteador e Repetidor Parabéns! O Roteador e Repetidor Wireless WR-3300N possui excelente alcance, com velocidade que permite realizar a montagem de um sistema de rede wireless

Leia mais

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO ROTEADOR DLINK DIR-615

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO ROTEADOR DLINK DIR-615 MANUAL DE CONFIGURAÇÃO ROTEADOR DLINK DIR-615 AVISO IMPORTANTE 2 CARO CLIENTE, A NAXI FIBRA disponibiliza em sua residência/empresa, por padrão, dois equipamentos: ONU (Modem Óptico / Dispositivo Branco);

Leia mais

Aula 5 Camada de rede (TCP/IP):

Aula 5 Camada de rede (TCP/IP): Aula 5 Camada de rede (TCP/IP): Protocolos da Camada de Rede; Endereços IP (Versão 4); ARP (Address Resolution Protocol); ARP Cache; RARP (Reverse Address Resolution Protocol); ICMP. Protocolos da Camada

Leia mais

Manual de cabeamento para console e portas AUX

Manual de cabeamento para console e portas AUX Manual de cabeamento para console e portas AUX Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Tabela de roteadores com console e portas AUX Configurações das portas do console

Leia mais

Rede de Computadores Modelo OSI

Rede de Computadores Modelo OSI Rede de Computadores Modelo OSI Protocolos TCP/IP Protocolos TCP X UDP CUIDADO! HTTPS IPv4 e IPv6 IPv4 IPv6 Protocolos de Email SMTP (Simple Mail Transfer Protocol) POP3 (POST OFFICE PROTOCOL

Leia mais

Cabos Ethernet 100BaseTX e 10BaseT: Guidelines and Specifications

Cabos Ethernet 100BaseTX e 10BaseT: Guidelines and Specifications Cabos Ethernet 100BaseTX e 10BaseT: Guidelines and Specifications Índice Introdução Prérequisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Qual o cabo necessário? Diretrizes de cabeamento de Ethernet

Leia mais

MODELO OSI. Prof. Msc. Hélio Esperidião

MODELO OSI. Prof. Msc. Hélio Esperidião MODELO OSI Prof. Msc. Hélio Esperidião PROTOCOLOS Na área das comunicações, um protocolo é um conjunto de regras ou convenções que governam a operação e o intercâmbio de informações entre dois sistemas

Leia mais

Wireless N 300 ADSL2+ Router GUIA DE INSTALAÇÃO RÁPIDA

Wireless N 300 ADSL2+ Router GUIA DE INSTALAÇÃO RÁPIDA Wireless N 300 ADSL2+ Router GUIA DE INSTALAÇÃO RÁPIDA CONTEÚDO DA EMBALAGEM CONTEÚDO Wireless N 300 ADSL2+ Router PORTUGUÊS ADAPTADOR DE ENERGIA ADAPTADOR CABO ETHERNET (CABO RJ-45) CONECTE O MODEM NO

Leia mais

Ementário das disciplinas do Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores. - Núcleo Básico -

Ementário das disciplinas do Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores. - Núcleo Básico - Ementário das disciplinas do Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores - Núcleo Básico - NBT 001 - Matemática CH Teórica 120 CH Prática 00 CH Total 120 cr 6 Potenciação. Radiciação. Expressões

Leia mais

Curso Técnico em Informática Redes TCP/IP 2 o Módulo. Prof. Cristiano da Silveira Colombo

Curso Técnico em Informática Redes TCP/IP 2 o Módulo. Prof. Cristiano da Silveira Colombo Curso Técnico em Informática Redes TCP/IP 2 o Módulo Prof. Cristiano da Silveira Colombo Objetivos da Aula Apresentar os conceitos de tecnologias e padrões de redes de computadores. Agenda da Aula Padronização

Leia mais

Roteamento IPv4 básico com OSPF. Por Patrick Brandão TMSoft

Roteamento IPv4 básico com OSPF. Por Patrick Brandão TMSoft Roteamento IPv4 básico com OSPF Por Patrick Brandão TMSoft www.tmsoft.com.br Pré-requisitos Conhecimento técnico de IPv4 Laboratório com roteadores OSPF Cisco MyAuth3 Mikrotik RouterOs Conceitos básicos

Leia mais

Redes e Conectividade

Redes e Conectividade Redes e Conectividade Padrões e estrutura do quadro ethernet Versão 1.0 Setembro de 2016 Prof. Jairo jairo@uni9.pro.br professor@jairo.pro.br http://www.jairo.pro.br/ Redes e Conectividade setembro/2016

Leia mais

Manual de Implantação

Manual de Implantação SisMoura: Multi-Loja Manual de Implantação A seguir mostraremos os passos necessários para que os bancos de dados das lojas estejam aptos para o correto funcionamento do modo Multi-Loja do SisMoura. Os

Leia mais

CAR Componentes Ativos de Rede

CAR Componentes Ativos de Rede Componentes Ativos de Rede 1 Componentes Ativos de Rede Elementos de Rede Repetidores Hub Bridges Switches Roteadores 2 Componentes Ativos de Rede Simbologias Roteador Servidor de acesso remoto Switch

Leia mais

a ponto utilizando o protocolo ethernet. ( ) Para que duas redes de dados distintas se comuniquem, o equipamento utilizado para conectar e efetuar as

a ponto utilizando o protocolo ethernet. ( ) Para que duas redes de dados distintas se comuniquem, o equipamento utilizado para conectar e efetuar as Exercícios Aula 6 1. Nomeie duas das funções que podem ser executadas pelos LEDs em um adaptador de interface de rede típico. 2. Pesquise e pontue os passos necessários, fundamentais para a instalação

Leia mais

3 ESTRUTURA DO CURSO DE CABEAMENTO ESTRUTURADO. O curso Cabeamento Estruturado foi dividido em 8 Módulos ou Capítulos como foram chamados.

3 ESTRUTURA DO CURSO DE CABEAMENTO ESTRUTURADO. O curso Cabeamento Estruturado foi dividido em 8 Módulos ou Capítulos como foram chamados. 3 ESTRUTURA DO CURSO DE CABEAMENTO ESTRUTURADO Estrutura do Curso (Introdução ao Projeto) O curso Cabeamento Estruturado foi dividido em 8 Módulos ou Capítulos como foram chamados. No Capítulo 1 e 2 foi

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES. Infraestrutura de Redes de Computadores

REDES DE COMPUTADORES. Infraestrutura de Redes de Computadores MPLS Multiprotocol Label Switching (MPLS) ou Comutação de etiquetas de múltiplos protocolos Quem usa Praticamente todas as operadoras de Telecom e provedores tem em operação o protocolo MPLS em sua rede.

Leia mais

MANUAL TÉCNICO PROCEDIMENTO DE RECUPERAÇÃO DE FIRMWARE P/ FAMÍLIA WOM 5000

MANUAL TÉCNICO PROCEDIMENTO DE RECUPERAÇÃO DE FIRMWARE P/ FAMÍLIA WOM 5000 MANUAL TÉCNICO PROCEDIMENTO DE RECUPERAÇÃO DE FIRMWARE P/ FAMÍLIA WOM 5000 1. Introdução Eventualmente, caso o WOM 5000 seja desligado no meio de uma atualização de firmware ou restauração de backup (mesmo

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUIDOS

SISTEMAS DISTRIBUIDOS 1 2 O que são Sistemas Distribuídos? Sistemas Distribuídos consistem em uma coleção de computadores autônomos ligados por uma rede de comunicação. O uso de tais sistemas tem se expandido nos últimos anos

Leia mais

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços - italo@dcc.ufba.br Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia,

Leia mais

Procedimento para Configuração de Internet em modo Bridge

Procedimento para Configuração de Internet em modo Bridge Procedimento para Configuração de Internet em modo Bridge 1- Para realizar o procedimento de configuração em modo Bridge o computador deve estar conectado via cabo Ethernet em uma das portas LAN do DSL-2640B

Leia mais

Redes sem Fio Redes Locais Wireless (WLANs) Ricardo Kléber. Ricardo Kléber

Redes sem Fio Redes Locais Wireless (WLANs) Ricardo Kléber. Ricardo Kléber Redes sem Fio 2016.1 Redes Locais Wireless (WLANs) 802.11 Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Turma: TEC.SIS.5M Redes sem Fio Conteúdo Programático Sistemas de comunicação wireless Redes

Leia mais

Rede Corporativa INTRODUÇÃO. Tutorial 10 mar 2009 Fabio Montoro

Rede Corporativa INTRODUÇÃO. Tutorial 10 mar 2009 Fabio Montoro Tutorial 10 mar 2009 Fabio Montoro Rede Corporativa INTRODUÇÃO Rede corporativa é um sistema de transmissão de dados que transfere informações entre diversos equipamentos de uma mesma corporação, tais

Leia mais

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08 Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08 Configuração de Routers com IPv6 #2 Pedro Lorga (lorga@fccn.pt) Carlos Friaças (cfriacas@fccn.pt) Exercício Prático: Configuração de Router IPv6 #2

Leia mais

Balanceamento de Carga de NAT no IOS para Duas Conexões de ISP

Balanceamento de Carga de NAT no IOS para Duas Conexões de ISP Balanceamento de Carga de NAT no IOS para Duas Conexões de ISP Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Configuração Diagrama de Rede Configurações Verificação Troubleshooting

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Camada de Enlace Parte II Prof. Thiago Dutra Agenda Camada de Enlace n Introdução ndetecção e Correção de Erros n Protocolos de Acesso Múltiplo n Endereçamento

Leia mais

IPv6 - O Novo Protocolo da Internet (2013) ::: Samuel Henrique Bucke Brito 1

IPv6 - O Novo Protocolo da Internet (2013) ::: Samuel Henrique Bucke Brito 1 IPv6 - O Novo Protocolo da Internet (2013) ::: Samuel Henrique Bucke Brito 1 IPv6 - O Novo Protocolo da Internet (2013) ::: Samuel Henrique Bucke Brito 2 Roteamento Estático 1 Rotas Estáticas a Rotas Flutuantes

Leia mais

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO DO ROTEADOR WIRELESS 150M TL-WR720N

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO DO ROTEADOR WIRELESS 150M TL-WR720N MANUAL DE CONFIGURAÇÃO DO ROTEADOR WIRELESS 150M TL-WR720N Produto: ROTEADOR WIRELESS 150M TL-WR702N Código: HW.00261.00 Módulo: - Código: - Montagem ( ) Operação ( ) Apresentação ( ) Implantação( ) Boletim

Leia mais

SI INTERFACE EIA-232/ EIA-485

SI INTERFACE EIA-232/ EIA-485 MANUAL DO USUÁRIO SI-700 - INTERFACE EIA-232/ EIA-485 JUL / 05 SI-700 VERSÃO 1 TM FOUNDATION S I 7 0 0 M P smar www.smar.com.br Especificações e informações estão sujeitas a modificações sem prévia consulta.

Leia mais

CFIP Série Lumina Agregação de Enlace 2+0. Manual de Instalação

CFIP Série Lumina Agregação de Enlace 2+0. Manual de Instalação CFIP Série Lumina Agregação de Enlace 2+0 Manual de Instalação SAF Tehnika JSC 2011 Resumo Este documento descreve de enlace 2+0 (figura No. 1) e comandos CLI de e interface WEB. Agregação de conexão 2+0

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Engenharia Departamento de Informática

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Engenharia Departamento de Informática 1. Esta teste serve como avaliação de frequência às aulas teóricas. 2. Leia as perguntas com atenção antes de responder. São perguntas de escolha múltipla. 3. Escreva as suas respostas apenas na folha

Leia mais

Redes de Computadores. Técnico em Informática - Integrado Prof. Bruno C. Vani

Redes de Computadores. Técnico em Informática - Integrado Prof. Bruno C. Vani Redes de Computadores Técnico em Informática - Integrado Prof. Bruno C. Vani Internet: aplicações diversas tostadeira Porta-retratos TV a cabo Refrigerador telefones Visão geral da Internet: PC servidor

Leia mais

Curso Técnico Integrado em Informática Redes de Computadores e Aplicações

Curso Técnico Integrado em Informática Redes de Computadores e Aplicações Redes de Computadores Curso Técnico Integrado em Informática Redes de Computadores e Aplicações Aula 23 Estratégias de Roteamento IP Unicast Parte 1 Objetivo Entender as diferentes estratégias de roteamento;

Leia mais

Manual do usuário M Parabéns,

Manual do usuário M Parabéns, Manual do usuário M-300+ Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade JFL Alarmes produzido no Brasil com a mais alta tecnologia de fabricação. Este manual mostra todas as funções do equipamento.

Leia mais

Comunicação de Dados IV

Comunicação de Dados IV Departamento de Engenharia de Telecomunicações - UFF Bibliografia Redes de Computadores Andrew S. Tanenbaum Tradução da Quarta Edição Editora Campus Profa. Débora Christina Muchaluat Saade deborams@telecom.uff.br

Leia mais

Redes de Automação VLan s. Robson Manfredi Outubro/2010

Redes de Automação VLan s. Robson Manfredi Outubro/2010 Redes de Automação VLan s Robson Manfredi Outubro/2010 Evolução das Redes Depois do cabo coaxial surgiram os Hubs, Evolução das Redes Introdução de Switches Domínio de Colisão Domínios de colisão correspondem

Leia mais

Manual de Compilação/Execução da Aplicação SmartHome

Manual de Compilação/Execução da Aplicação SmartHome Manual de Compilação/Execução da Aplicação SmartHome 1. Pré-Requisitos de Instalação 2. Passos para Executar a Aplicação 3. Instruções de Uso das Funcionalidades 4. Observações 1. Pré-Requisitos de Instalação

Leia mais

Barramento. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Barramento. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Barramento Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Componentes do Computador; Funções dos Computadores; Estrutura de Interconexão; Interconexão de Barramentos Elementos de projeto de barramento;

Leia mais

Terminal de Consulta Gertec TC 506

Terminal de Consulta Gertec TC 506 Terminal de Consulta Gertec TC 506 Fabricado com alta tecnologia, o Terminal de Consulta Gertec TC 506 tem um dos melhores custos-benefícios e é extremamente útil para o varejo. Seu scanner a laser é capaz

Leia mais

Como usar efeitos na Midas Pro Series

Como usar efeitos na Midas Pro Series Como usar efeitos na Midas Pro Series Se você não teve contato com consoles analógicas, você pode acabar tendo dificuldades em fazer alguns endereçamentos nas consoles Midas, mas este tutorial vem mostrar

Leia mais

Redes de Computadores e Aplicações. Aula 34 Estratégias de Roteamento IP Unicast Parte 1

Redes de Computadores e Aplicações. Aula 34 Estratégias de Roteamento IP Unicast Parte 1 Redes de Computadores Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do N Campus Currais Novos Redes de Computadores e Aplicações Aula 34 Estratégias de Roteamento IP Unicast Parte 1

Leia mais

Comissionamento RBS6000 LTE. Elaborado por FERNANDO SOUZA SUPORTE N3 Em Março/2015

Comissionamento RBS6000 LTE. Elaborado por FERNANDO SOUZA SUPORTE N3 Em Março/2015 Comissionamento RBS6000 LTE Elaborado por FERNANDO SOUZA SUPORTE N3 Em Março/2015 Utilizar os seguintes programas: Hyper Terminal WS_FTP LE (PACOTE BÁSICO) The Personal FTP Server (UPGRADE) RBS Element

Leia mais

Fundamentos de Redes de Computadores

Fundamentos de Redes de Computadores Fundamentos de Redes de Computadores Carlos Gomes Fontinelle Carlos Gomes Fontinelle Fundamentos de Redes de Computadores 1ª Edição Manaus-AM Maio/2015 Agradecimentos Agradeço à minha esposa, Eliana, e

Leia mais

Nome do software: Freestyler

Nome do software: Freestyler LBC8 - Configuração das interfaces Lumikit em software de terceiros Autor: Gabriel Klabunde Neste documento apresentamos um passo a passo explicando como configurar as interfaces Lumikit em softwares de

Leia mais

MPLS. Multiprotocol Label Switching

MPLS. Multiprotocol Label Switching MPLS Multiprotocol Label Switching MPLS MPLS - Multiprotocol Label Switching é um tipo de técnica direcionamento de dados em redes de datagramas na qual os pacotes são direcionadas de acordo com os rótulos

Leia mais

Redes de Computadores.

Redes de Computadores. Redes de Computadores www.profjvidal.com TOPOLOGIA DE REDES Topologia de Redes A topologia de rede descreve como é o layout de uma rede de computadores, através da qual há o tráfego de informações, e também

Leia mais

Manual de Ativação AhF01 Fog IoT

Manual de Ativação AhF01 Fog IoT Manual de Ativação Sumário Introdução 3 Conteúdo da Embalagem 3 Requisitos para Instalação 3 Guia de Configuração Rápida 3 Acessando o 4 Para acessar a interface de configuração do : 4 Configurações avançadas

Leia mais

Apresentação da Disciplina

Apresentação da Disciplina Apresentação da Disciplina Edmar José do Nascimento (Rede de Computadores - Semestre 2012.1) http://www.univasf.edu.br/ edmar.nascimento Universidade Federal do Vale do São Francisco Colegiado de Engenharia

Leia mais

Declaração de Direitos

Declaração de Direitos 1 Declaração de Direitos é marca registrada de Shenzhen Tenda Technology Co., Ltd. Todos os produtos e nomes de produtos mencionados neste documento são marcas comerciais ou marcas registradas de seus

Leia mais

VigorTalk ATA. Quick Start Guide. Versão 1.0

VigorTalk ATA. Quick Start Guide. Versão 1.0 VigorTalk ATA Quick Start Guide Versão 1.0 Verifique o conteúdo da embalagem Uma VigorTalk; O Quick Start Guide do VigorTalk (este documento); CD incluindo o Manual do Usuário do VigorTalk; Um cabo de

Leia mais

GUIA DE CONFIGURAÇÃO. Conexões VPN SSL (Rede a Rede)

GUIA DE CONFIGURAÇÃO. Conexões VPN SSL (Rede a Rede) GUIA DE CONFIGURAÇÃO Conexões VPN SSL (Rede a Rede) 1 Conexões VPN SSL (Rede a Rede) 1- Introdução Uma VPN (Virtual Private Network, ou rede virtual privada) é, como o nome sugere, uma rede virtual, criada

Leia mais

Fundamentos de Rede. Aula 2 - Modelo OSI

Fundamentos de Rede. Aula 2 - Modelo OSI Fundamentos de Rede Aula 2 - Modelo OSI Protocolo e Arquitetura de Protocolos Problema Permitir a comunicação entre entidades de diferentes sistemas Solução Criar convenções de quando e como se comunicar

Leia mais

Impressora Térmica ZP160 WI-FI

Impressora Térmica ZP160 WI-FI Manual de Operação Impressora Térmica ZP160 WI-FI 1. CONTEÚDO DA CAIXA No interior da caixa você deverá encontrar: Uma Impressora; Um Manual de Operação; Um cabo serial 2. CARACTERÍSTICAS Um Certificado

Leia mais

Exemplo de comunicação entre PLC Twido, Tesys U, OTB e Zelio Logic para leitura e escrita de N palavras utilizando MACRO COMM, via Modbus.

Exemplo de comunicação entre PLC Twido, Tesys U, OTB e Zelio Logic para leitura e escrita de N palavras utilizando MACRO COMM, via Modbus. Exemplo de comunicação entre PLC Twido, Tesys U, OTB e Zelio Logic para leitura e escrita de N palavras utilizando MACRO COMM, via Modbus. Comunicação realizada entre PLC Twido (TWDLCAE40DRF), 2 Tesys

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES. Infraestrutura de Redes de Computadores

REDES DE COMPUTADORES. Infraestrutura de Redes de Computadores Objetivos Gerais da Cadeira Apresentar a camada de enlace e suas principais tecnologias de comutação em LAN, MAN, e WAN. Objetivos Específicos da Cadeira Entender os conceitos fundamentais sobre a camada

Leia mais