SOLUÇÕES EM QUALIDADE DE ENERGIA Soluções em média e alta tensão

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SOLUÇÕES EM QUALIDADE DE ENERGIA Soluções em média e alta tensão"

Transcrição

1 SOLUÇÕES EM QUALIDADE DE ENERGIA Soluções em média e alta tensão

2 2 Moving together

3 1. PAINÉIS METÁLICOS, FILTROS DE HARMÔNICOS E BANCOS DE CAPACITORES 1. PAINÉIS METÁLICOS, FILTROS DE HARMÔNICOS E BANCOS DE CAPACITORES A ARTECHE oferece soluções de engenharia customizadas para aplicações em concessionárias de energia e grandes indústrias. Nossos bancos de capacitores e filtros de harmônicos podem ser fornecidos em painéis metálicos. Bancos de capacitores e filtros de harmônicos são geralmente instalados nas subestações de serviço e fornecidos com chaveamento automático para manter o fator de potência e as distorções de harmônicos dentro das condições ideais, independente das variações de cargas no sistema. As soluções ARTECHE podem incluir reatores sintonizados ou dessintonizados para redução de distorções de harmônicos, fornecimento de reativos e evitar ressonância dos capacitores com a indutância do sistema. A alimentação dos bancos de capacitores e dos filtros pode ser por via aérea ou subterrânea, dependendo de cada projeto. 1.1 Características gerais CAPACITOR DE POTÊNCIA As unidades capacitivas utilizadas nas soluções ARTECHE estão disponíveis em versões monofásicas ou trifásicas, em caixa de aço inoxidável. Nossos capacitores não contêm Bifenilas Policloradas PCB`s e estão disponíveis em potências de 20 kvar a 1000 kvar (unidades monofásicas), podendo ser fabricados com fusíveis internos ou externos (tipo expulsão). Cada capacitor tem um resistor de descarga para reduzir a tensão entre os terminais a 50 V em cinco minutos, conforme norma NBR REATORES DE SINTONIA Aos filtros harmônicos são adicionados reatores de sintonia com núcleo de ar. REATORES DE ENERGIZAÇÃO Bancos de capacitores necessitam de reatores de inserção para limitar correntes de inrush. FUSÍVEIS LIMITADORES DE CORRENTE Bancos de capacitores devem ser protegidos com fusíveis limitadores de corrente para correntes de curto-circuito ou ressonância no sistema. TRANSFORMADORES DE MEDIÇÃO Bancos de capacitores automáticos requerem sinais de tensão e corrente para operação, podendo estes serem fornecidos juntamente com o banco de capacitores ou utilizando transformadores já instalados. Transformadores de corrente para desequilíbrio de neutro ou transformadores de tensão devem ser instalados dependendo do tipo de conexão do banco. CHAVE DE MANOBRA SOB CARGA Interruptor monofásico ou trifásico sob carga a óleo ou a vácuo, projetado especialmente para manobra com cargas capacitivas. Qualidade de Energia Painéis metálicos, filtros de harmônicos e bancos de capacitores 3

4 1. PAINÉIS METÁLICOS, FILTROS DE HARMÔNICOS E BANCOS DE CAPACITORES PARA-RAIOS Devido a descargas atmosféricas no sistema, os bancos de capacitores podem ser protegidos por para-raios. CONTROLE DE PASSAGEM POR ZERO (TENSÃO) Em projetos específicos são utilizados interruptores especiais para chaveamento, minimizando transitórios no sistema. CHAVE DE ATERRAMENTO É utilizada para garantir que o banco de capacitores esteja completamente desenergizado para manutenção, garantindo assim a segurança dos operadores. SISTEMA DE PROTEÇÃO E CONTROLE As principais proteções são sobrecorrente, desequilíbrio de neutro, ajuste de tensão e tempo, entre outras. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE FILTRO DE HARMÔNICOS E BANCOS DE CAPACITORES Capacidade Tensão Frequência Conexão Serviço Compartimento Qualquer valor de kvar Até 38 kv 50 Hz ou 60 Hz Fixa ou Automática Interno ou Externo IP ou NEMA 4 Qualidade de Energia Painéis metálicos, filtros de harmônicos e bancos de capacitores

5 2. CUBÍCULOS BLINDADOS 2. CUBÍCULOS BLINDADOS A ARTECHE oferece uma gama completa de soluções de bancos de capacitores em cubículos blindados com chave de manobra a vácuo e aterramento, ambos instalados em painel metálico com alto nível de segurança. A ARTECHE pode atender suas necessidades com soluções econômicas para correção de fator de potência, redução de harmônicos e controle de nível de tensão. Reatores de inrush são equipamentos opcionais para aplicação em bancos de capacitores. Nos bancos de capacitores em paralelo no mesmo barramento, devem ser instalados reatores de inrush para redução de transitórios no sistema. Os bancos de capacitores da ARTECHE utilizam células capacitivas isentas de PCB com níveis de isolação de até 200 kv, resistor de descarga interna e buchas de porcelana, sendo totalmente compatíveis com serviços externos. Nossos capacitores estão disponíveis em unidades mono ou trifásicas com fusíveis opcionais. ESPECIFICAÇÕES DE MONTAGEM DO CAPACITOR Capacidade Máx. kvar Máx. Corrente Tensão Máx. Tensão Frequência Serviço Compartimento Montagem Qualquer valor de kvar 135% do nível 180% do nível (rms) Até 38 kv 110% do nível (rms) 50 Hz ou 60 Hz Interno e externo Aço galvanizado Compartimento IP ou NEMA Qualidade de Energia Cubículos blindados 5

6 3. BANCOS DE CAPACITORES E FILTROS DE HARMÔNICOS TIPO SUBESTAÇÃO 3. BANCOS DE CAPACITORES E FILTROS DE HARMÔNICOS TIPO SUBESTAÇÃO 3.1 Adequação à subestação A ARTECHE fornece bancos de capacitores para sistemas de compensação reativa e filtros harmônicos em configurações montadas em estrutura em aço galvanizado a fogo para uso interno ou externo tipo subestação. Bancos de capacitores e filtros harmônicos são conectados em derivação (shunt) ao sistema. Podem ser fabricados em vários requisitos de potência e tensão e operar de maneira fixa ou automática com várias configurações. Além de fornecer potência reativa, os filtros de harmônicas podem ser sintonizados ou dessintonizados para redução de distorções harmônicas. 3.2 Características gerais CONFIGURAÇÃO Bancos de capacitores e filtros de harmônicos tipo subestação podem ser fabricados com diversas configurações de proteção de desequilíbrio: Dupla estrela isolada, Estrela isolada, Estrela aterrada, Ponte H, Fuseless, Delta. NORMAS APLICÁVEIS Os projetos ARTECHE atendem aos principais padrões de normais nacionais e internacionais: NBR IEC 871. Classificação IEEE STD 18 e CSA. 6 Qualidade de Energia Bancos de capacitores e filtros de harmônicos

7 3. BANCOS DE CAPACITORES E FILTROS DE HARMÔNICOS TIPO SUBESTAÇÃO 3.3 Descrição geral CAPACITORES As unidades capacitivas monofásicas ou trifásicas em caixa de aço inoxidável não contêm Bifenilas Policloradas PCB`s e estão disponíveis em potências de 20 kvar a 1000 kvar (unidades monofásicas), podendo ser fabricadas com fusíveis internos ou externos (tipo expulsão). Cada capacitor possui um resistor de descarga para reduzir a tensão residual a valores especificados em normas. FUSÍVEL Os bancos de capacitores podem ser protegidos com fusíveis de alto poder de interrupção de corrente, como HH ou expulsão. REATORES DE SINTONIA Para filtros harmônicos, são inseridos reatores de sintonia de núcleo de ar, conforme necessidade. REATORES DE INSERSÃO (INRUSH) Bancos de capacitores necessitam de reatores de inserção para limitar correntes de inrush. REATORES Para bancos de capacitores podem ser necessários reatores de inserção para limitar correntes de inrush. Para filtros harmônicos são inseridos reatores de sintonia. CHAVE DE MANOBRA SOB CARGA O interruptor de manobra é especialmente projetado para as correntes capacitivas, sendo a óleo ou a vácuo. RELÉS DE PROTEÇÃO E CONTROLE A proteção e controle dos bancos de capacitores podem ser de sobrecorrente, tensão, proteção de neutro e/ou controle automático. PARA-RAIOS Bancos de capacitores podem ser protegidos por para-raios, em consequência de descargas atmosféricas no sistema. CONTROLE DE PASSAGEM POR ZERO (TENSÃO) Em projetos específicos são utilizados interruptores especiais para chaveamento, minimizando transitórios no sistema. ISOLADORES Atendem as principais normas e nacionais e internacionais (IEC ou ANSI). ESTRUTURA Aço galvanizado a fogo. TRANSFORMADOR DE TENSÃO Utilizado para medir tensões de fase ou tensões de desequilibrio, podendo também ser usado para funções de automação e controle. TRANSFORMADOR DE CORRENTE Transformadores de corrente para desequilíbrio de neutro devem ser instalados dependendo do tipo de conexão do banco. CHAVE DE ATERRAMENTO É utilizada para garantir que o banco de capacitores esteja completamente desenergizado para manutenção, garantindo assim a segurança dos operadores. PAINEL DE CONTROLE Os bancos de capacitores ou filtros harmônicos com controle automático podem ser fornecidos com ou sem painel de controle. Qualidade de Energia Bancos de capacitores e filtros de harmônicos 7

8 4. BANCOS DE CAPACITORES EM POSTE 4. BANCOS DE CAPACITORES EM POSTE 4.1 Capacitores para compensação reativa Uma compensação reativa mais eficiente é alcançada quando os bancos de capacitores são instalados através de todo o sistema de distribuição de energia, assim como as cargas indutivas. Quanto mais próxima da carga a compensação reativa for aplicada, melhor será o desempenho no sistema. A ARTECHE oferece uma gama completa de soluções de capacitores instalados em postes para adequar as tensões do sistema de energia, melhorar o fator de potência e reduzir as perdas. Os sistemas de capacitores em postes da ARTECHE utilizam unidades capacitivas livres de PCB`s com níveis de NBI de até 200 kv, resistor de descarga interna e buchas de porcelana, próprios para uso externo. Os capacitores estão disponíveis em unidades monofásicas ou trifásicas, protegidos por fusíveis externos. ESPECIFICAÇÕES DE MONTAGEM DO CAPACITOR Capacidade Tensão Frequência Conexão Serviço Montagem kvar Até 38 kv 50 Hz ou 60 Hz Fixa ou Automática Externo (poste) Estrutura de aço 5. COMPENSAÇÃO REATIVA DISTRIBUÍDA No sistema de potência, a compensação reativa é aplicada em bancos de capacitores na subestação. Em caso de subtensão na linha gerada por baixo fator de potência, perdas na linha ou demandas de pico, os bancos de capacitores podem ser inseridos na subestação para estabilizar a tensão, conforme o método tradicional. Independente de onde as cargas contribuintes estejam localizadas, toda a compensação é adicionada a um ponto central, o que pode significar que a tensão perto deste ponto é alta, enquanto a tensão nominal é sentida no final da linha. A solução mais prática e benéfica envolve a aplicação de compensação reativa o mais próximo possível de onde as cargas estão localizadas. A compensação reativa distribuída fornece a potência reativa exatamente onde é necessária e o benefício é percebido por toda a linha. Quando a compensação reativa é distribuída perto das cargas, reduz-se a corrente nos condutores e transformadores, aumentando a vida útil dos equipamentos e entregando uma potência com mais eficiência. No caso de ocorrer uma falha no banco de capacitores, o sistema permanece intacto. 8 Qualidade de Energia Bancos de capacitores em poste

9 Em um mundo que exige energia elétrica altamente confiável, a compensação reativa distribuída faz mais sentido. 9

10 6. ESTUDOS E SUPORTE TÉCNICO 6. ESTUDOS E SUPORTE TÉCNICO Nosso corpo técnico realiza estudos no sistema elétrico em condições permanente ou transitória, buscando a melhor solução técnica em termos de correção de fator de potência, filtragem harmônica e qualidade de energia, de acordo com a necessidade de cada cliente. Utilizamos o que há de melhor no mercado em softwares e ferramentas de modelagem, tais como PQF, PSS/E, ETAP, EDSA, EMTP-AT, além de nossos próprios programas desenvolvidos e validados. Entre outros, os seguintes estudos podem ser realizados: Estudos de coordenação e proteção, Análise de curto-circuito, Estudos de confiabilidade, Estudos transientes de chaveamento, Estudos de fluxo de carga, Análise de qualidade, Estudos de suporte de tensão, Estudos de estabilidade dinâmica, Estudos de estabilidade de tensão, Estudos de impacto de sistema. VALIDAÇÃO DO CÓDIGO DE REDE Simulação da integração de parques eólicos com sistema (WTGs, transformadores e linhas elétricas) para realizar: Análises de fluxo de potência para determinar perdas elétricas e variações de tensão no Ponto de Acoplamento Comum (PAC) em diferentes pontos de geração de energia WTG, fatores de potência e geração da curva P-Q. Análise da necessidade de equipamento externo (serviços auxiliares de controle de tensão). DISTORÇÃO HARMÔNICA TOTAL Estudo de qualidade de energia contemplando análise de distorção harmônica total de tensão (DHTv) e corrente (DTi), visando a análise de necessidades de equipamentos externos (filtros passivos sintonizados ou ativos). GERAÇÃO DE POTÊNCIA REATIVA Estudo para definição de equipamentos necessários para correção de fator de potência e requisitos de tensão da instalação. Aplicação de capacitores para suporte de tensão Nível de tensão necessário para o sistema Capacitores distribuídos perto de cargas para suporte de tensão Método de compensação tradicional Método de compensação reativa distribuída 10 Qualidade de Energia Estudos e suporte técnico

11 Experiência mundial em análise e simulação de integração de energia renovável em redes elétricas (especialmente energia eólica). 11

12 Moving together Atualizações: ARTECHE_CT_QUALIDADE_ENERGIA_PT_A1 ARTECHE

PROCESSO DE PROJETO E CONSTRUÇÃO SUBPROCESSO DE INSTALAÇÃO ELÉTRICA DE CONSUMIDOR

PROCESSO DE PROJETO E CONSTRUÇÃO SUBPROCESSO DE INSTALAÇÃO ELÉTRICA DE CONSUMIDOR PROCESSO DE PROJETO E CONSTRUÇÃO SUBPROCESSO DE INSTALAÇÃO ELÉTRICA DE CONSUMIDOR 1. OBJETIVO Estabelecer critérios para projeto de melhoria do fator de potência nas instalações elétricas das unidades

Leia mais

Modelo CSL de 15kV e 20kV Seccionador Unipolar

Modelo CSL de 15kV e 20kV Seccionador Unipolar Modelo CSL de 15kV e 20kV Seccionador Unipolar Documento sujeito a alterações. Moving together 2 1. PLICÇÕES 1. PLICÇÕES s chaves a óleo tipo CSL são projetadas para chaveamento de banco de capacitores,

Leia mais

Transdutor Digital MKM-01

Transdutor Digital MKM-01 [1] Introdução O Transdutor é um instrumento digital microprocessado, para instalação em fundo de painel, que permite a medição de até 33 parâmetros elétricos em sistema de corrente alternada (CA). Para

Leia mais

CURSO A PROTEÇÃO E A SELETIVIDADE EM SISTEMAS ELÉTRICOS INDUSTRIAIS

CURSO A PROTEÇÃO E A SELETIVIDADE EM SISTEMAS ELÉTRICOS INDUSTRIAIS CURSO A PROTEÇÃO E A SELETIVIDADE EM SISTEMAS ELÉTRICOS INDUSTRIAIS WWW.ENGEPOWER.COM TEL: 11 3579-8777 PROGRAMA DO CURSO A PROTEÇÃO E A SELETIVIDADE EM SISTEMAS ELÉTRICOS INDUSTRIAIS DIRIGIDO A : Engenheiros

Leia mais

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA.

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA. PROJETO DE INSTALAÇÕES ELETRICAS DE BAIXA TENSÃO MERCADO DO SÃO JOAQUIM BAIRRO SÃO JOAQUIM, TERESINA - PI TERESINA PI AGOSTO/2014 MEMORIAL DESCRITIVO INST. ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO 1.0 IDENTIFICAÇÃO Obra:

Leia mais

Décimo Quinto Encontro Regional Ibero-americano do CIGRÉ Foz do Iguaçu-PR, Brasil 19 a 23 de maio de 2013

Décimo Quinto Encontro Regional Ibero-americano do CIGRÉ Foz do Iguaçu-PR, Brasil 19 a 23 de maio de 2013 DETERMINAÇÃO DOS PARÂMETROS DO CIRCUITO PRINCIPAL DE COMPENSADORES ESTÁTICOS INSTALADOS PARA INTEGRAÇÃO AO SISTEMA INTERLIGADO BRASILEIRO DE PARQUES EÓLICOS: O EXEMPLO DO CE EXTREMOZ Manfredo Correia Lima

Leia mais

1. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL DA BAHIA PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E ADMINISTRAÇÃO Diretoria de Infraestrutura

1. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL DA BAHIA PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E ADMINISTRAÇÃO Diretoria de Infraestrutura 1. FINALIDADE MEMORIAL DESCRITIVO Fornecimento de energia elétrica a três edifícios da Universidade Federal do Sul da Bahia, com a sede sendo a Reitoria localizada na Rua Itabuna, s/n, Rod. Ilhéus Vitória

Leia mais

INVERSOR MONOFÁSICO CC/CA GUARDIAN

INVERSOR MONOFÁSICO CC/CA GUARDIAN INVERSOR MONOFÁSICO CC/CA GUARDIAN MICROPROCESSADO SAÍDA SENOIDAL ISOLADA OPÇÃO EM RACK 19 Modelos de gabinetes auto-sustentados, tipo torre e rack 19. Disponíveis também em gabinete para fixação em parede.

Leia mais

PROTEÇÃO CONTRA SOBRETENSÕES

PROTEÇÃO CONTRA SOBRETENSÕES PROTEÇÃO CONTRA SOBRETENSÕES Dispositivos de Proteção contra Surtos (DPS) Prof. Marcos Fergütz fev/2014 - O Surto - Geração da Sobretensão(Surto): Descarga Atmosférica (raio) Direta; Indução por descarga

Leia mais

1. Objetivo Estabelecer os procedimentos a serem seguidos na inspeção, ensaios e manutenção em banco de capacitores e seus componentes.

1. Objetivo Estabelecer os procedimentos a serem seguidos na inspeção, ensaios e manutenção em banco de capacitores e seus componentes. 1/7 1. Objetivo Estabelecer os procedimentos a serem seguidos na inspeção, ensaios e manutenção em banco de capacitores e seus componentes. 2. Aplicação Distribuição. 3. Documentos de Referência OT-CPFL

Leia mais

Cabos de Alta Tensão do Tipo OF (Oil Filled) - Determinação dos Tempos de Espera

Cabos de Alta Tensão do Tipo OF (Oil Filled) - Determinação dos Tempos de Espera Cabos de Alta Tensão do Tipo OF (Oil Filled) - Determinação dos Tempos de Espera E.W. Citron-CTEEP, W.R. Bacega-CTEEP H. Tatizawa IEE/USP, P.F. Obase IEE/USP, N.M. Matsuo consultor IEE/USP no decorrer

Leia mais

Diego Amaral, 16 de Outubro de 2015 PPHV Para raios Workshop

Diego Amaral, 16 de Outubro de 2015 PPHV Para raios Workshop Diego Amaral, 16 de Outubro de 2015 PPHV Para raios Workshop Conteúdo Treinamento Para raios de Alta Tensão. Overview - O que é? - Para que serve?. Portfólio ABB - Para raios de baixa tensão - Para raios

Leia mais

Chave Seccionadora Abertura Sob Carga Isolada em SF6. Power Quality

Chave Seccionadora Abertura Sob Carga Isolada em SF6. Power Quality Chave Seccionadora Abertura Sob Carga Isolada em SF6 Power Quality Introdução As chaves de abertura sob carga isoladas em SF6, modelo JK-Arteche foram projetadas para atender as crescente exigências do

Leia mais

Fundamentos. Prof. Dr. Gustavo Della Colletta 1 / 27

Fundamentos. Prof. Dr. Gustavo Della Colletta 1 / 27 Fundamentos Prof. Dr. Gustavo Della Colletta Universidade federal de Itajubá-UNIFEI 1 / 27 Agenda 1 Introdução Definições 2 Legislação NBR 5410 Normas específicas 3 Componentes das instalações Componente

Leia mais

Fonte Bivolt 24 Vdc / 5 A

Fonte Bivolt 24 Vdc / 5 A Descrição do Produto A fonte de alimentação é uma solução para aplicações de uso geral no que se refere a alimentação de controladores programáveis, sensores e comando de quadro elétricos. Tem uma saída

Leia mais

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil Hirofumi Takayanagi Danilo Iwamoto Paulo Rogério Granja Empresa Bandeirante de Energia

Leia mais

SANTA MARIA Empresa Luz e Força Santa Maria S.A. PROCEDIMENTOS PARA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE MEDIÇÃO DE FATURAMENTO (SMF)

SANTA MARIA Empresa Luz e Força Santa Maria S.A. PROCEDIMENTOS PARA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE MEDIÇÃO DE FATURAMENTO (SMF) PROCEDIMENTOS PARA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE MEDIÇÃO DE FATURAMENTO (SMF) JUNHO/2016 SUMÁRIO 1- OBJETIVO 2- REFERÊNCIAS 3- PROCESSO DE MIGRAÇÃO 4- RESPONSABILIDADES DO CONSUMIDOR 5- RESPONSABILIDADES DA

Leia mais

Disjuntor Tripolar a Vácuo de MT Série HAF

Disjuntor Tripolar a Vácuo de MT Série HAF Disjuntor Tripolar a Vácuo de MT Série HAF Tensão Nominal (kv) 7,2 12 15 24 Capacidade de interrupção nominal ka Capacidade de estabelecimento ka 80 100 1 80 100 1 80 100 12,5 16 20 0A HAF10414 HAF10514

Leia mais

ADEQUAÇÃO DO SISTEMA DE MEDIÇÃO PARA FATURAMENTO DE CLIENTES OPTANTES AO MERCADO LIVRE

ADEQUAÇÃO DO SISTEMA DE MEDIÇÃO PARA FATURAMENTO DE CLIENTES OPTANTES AO MERCADO LIVRE ADEQUAÇÃO DO SISTEMA DE MEDIÇÃO PARA FATURAMENTO DE CLIENTES OPTANTES AO MERCADO LIVRE Junho/2016 1 Objetivo Este documento tem por objetivo estabelecer os procedimentos técnicos relativos à adequação

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE ENSINO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INSTRUÇÃO E ADAPTAÇÃO DA AERONÁUTICA CONCURSO DE ADMISSÃO AO EAOEAR 2002 05 No circuito mostrado na figura abaixo, determine a resistência

Leia mais

Multimedidor de Grandezas Elétricas MD4040

Multimedidor de Grandezas Elétricas MD4040 Multimedidor de Grandezas Elétricas MD4040 E M B R A S U L Grandezas Medidas: V, A, kwh, kvarh, kvarih, kvarch, FP, demanda ativa total, demanda reativa total, potência ativa, reativa e aparente; Rateio

Leia mais

Outros tópicos transformadores. Placa de identificação trafo de potência Trafos de instrumentos

Outros tópicos transformadores. Placa de identificação trafo de potência Trafos de instrumentos Outros tópicos transformadores Placa de identificação trafo de potência Trafos de instrumentos Placa de identificação Transformadores para Instrumentos São dispositivos utilizados de modo a tornar compatível

Leia mais

Motores Automação Energia Tintas. Automação Conjunto de Manobra e Controle de Média Tensão

Motores Automação Energia Tintas. Automação Conjunto de Manobra e Controle de Média Tensão Motores Automação Energia Tintas Automação Conjunto de Manobra e Controle de Média Tensão Os CMC s (Conjuntos de Manobra e Controle em M.T.) da WEG, são montados e testados em fábrica para tensões de 2,3

Leia mais

Padrão de Dados para Redes de Distribuição de Energia Elétrica

Padrão de Dados para Redes de Distribuição de Energia Elétrica Laboratório de Planejamento de Sistemas de Energia Elétrica Comissão de Padronização Padrão de Dados para Redes de Distribuição de Energia Elétrica Ilha Solteira, Janeiro de 2011 TR Dados da Linha (Código

Leia mais

Para isolação e conversão de tensões e correntes alternadas senoidais em sinais padronizados.

Para isolação e conversão de tensões e correntes alternadas senoidais em sinais padronizados. Transmissores CA/CC Para isolação e conversão de tensões e correntes alternadas senoidais em sinais padronizados. As Vantagens A classe de precisão é de 0,5 não há necessidade de reajustar as faixas comutáveis.

Leia mais

CONTROLADOR DE FATOR DE POTÊNCIA COISARADA CFPC-12

CONTROLADOR DE FATOR DE POTÊNCIA COISARADA CFPC-12 CONTROLADOR DE FATOR DE POTÊNCIA COISARADA CFPC-12 1. Funções e Características - Interface totalmente em português. - Possui um eficaz sistema de medição de fator de potência da onda fundamental, o que

Leia mais

Análise da Instalação de Filtros Harmônicos Passivos em Circuitos Secundários de Distribuição

Análise da Instalação de Filtros Harmônicos Passivos em Circuitos Secundários de Distribuição Análise da Instalação de Filtros Harmônicos Passivos em Circuitos Secundários de Distribuição C. Penna, ENERSUL e J. W. Resende, UFU RESUMO Este artigo apresenta as bases teóricas, os resultados práticos

Leia mais

Definição de uma Subestação (SE) Classificação das Subestações (SEs) Arranjos de Barramentos de uma SE

Definição de uma Subestação (SE) Classificação das Subestações (SEs) Arranjos de Barramentos de uma SE Definição de uma Subestação (SE) Classificação das Subestações (SEs) Arranjos de Barramentos de uma SE SUBESTAÇÃO ELÉTRICA Conjunto de máquinas, aparelhos e circuitos cuja finalidade é modificar os níveis

Leia mais

INTEGRANTES: Pedro Alcantara Rafael Cunha Tadeu Cerqueira. Professor e Avaliador: Eduardo Simas Data: 26/03/2013

INTEGRANTES: Pedro Alcantara Rafael Cunha Tadeu Cerqueira. Professor e Avaliador: Eduardo Simas Data: 26/03/2013 INTEGRANTES: Pedro Alcantara Rafael Cunha Tadeu Cerqueira Professor e Avaliador: Eduardo Simas Data: 26/03/2013 1 Sumário Introdução Principais Topologias Derivação ou Paralelo (Shunt) Série Hibrido Princípios

Leia mais

3M Terminal Contrátil a Frio QT-II Série 5620

3M Terminal Contrátil a Frio QT-II Série 5620 3M Terminal Contrátil a Frio QT-II Série 5620 Corpo Isolador em Borracha de Silicone Classe Tensão 3,6/6 kv a 8,7/15 kv Ambientes Internos Boletim Técnico Março 2014 Descrição do produto Os conjuntos de

Leia mais

Qualidade da Energia e Fator de Potência

Qualidade da Energia e Fator de Potência UFPR Departamento de Engenharia Elétrica Qualidade da Energia e Fator de Potência Ewaldo Luiz de Mattos Mehl Universidade Federal do Paraná Departamento de Engenharia Elétrica Centro Politécnico, Curitiba,

Leia mais

Terrômetro Digital com Bluetooth

Terrômetro Digital com Bluetooth Terrômetro Digital com Bluetooth Características Fácil medição de resistência de terra: basta envolver o condutor de terra. Comunicação wireless com aplicação de Android. Monitor remoto, função de e mail,

Leia mais

Medidor TKE-120. [1] Introdução. [2] Princípio de funcionamento. [5] Precisão. [6] Características Elétricas. [3] Aplicações. [4] Grandeza medida

Medidor TKE-120. [1] Introdução. [2] Princípio de funcionamento. [5] Precisão. [6] Características Elétricas. [3] Aplicações. [4] Grandeza medida [1] Introdução O Medidor TKE-120 é um instrumento para instalação em fundo de painel, que permite a medição do consumo de energia ativa (Wh) ou reativa (VArh) em sistemas de corrente alternada (CA). Possui

Leia mais

Analisador de Energia RE7080

Analisador de Energia RE7080 Analisador de Energia RE7080 Uso ao tempo (IP65); Atende PRODIST módulo 8 da ANEEL; Flicker, Harmônicas e outros eventos; Acesso remoto via 3G e WiFi; Amplo display gráfico; Fácil instalação e operação;

Leia mais

2 Materiais e Equipamentos Elétricos Capítulo 9 Mamede

2 Materiais e Equipamentos Elétricos Capítulo 9 Mamede 2 Materiais e Equipamentos Elétricos Capítulo 9 Mamede 1 De modo geral para a especificação de materiais e equipamentos, é necessário conhecer: Tensão nominal; Corrente Nominal; Frequência nominal; Potência

Leia mais

Indicador Analógico EW96 / EW144 EV96 / EV144

Indicador Analógico EW96 / EW144 EV96 / EV144 [1] Introdução Os indicadores analógicos de potência modelo EW (potência ativa - watts) ou EV (potência reativa vars) tem por finalidade a medição da potência de um determinado circuito com forma de onda

Leia mais

1. Introdução ao Estudo de Equipamentos Elétricos Os estudos básicos visando à especificação das características dos equipamentos, realizados na

1. Introdução ao Estudo de Equipamentos Elétricos Os estudos básicos visando à especificação das características dos equipamentos, realizados na 1. Introdução ao Estudo de Equipamentos Elétricos Os estudos básicos visando à especificação das características dos equipamentos, realizados na etapa de detalhamento, consistem no estudo de fluxo de potência,

Leia mais

2 Condutores Elétricos

2 Condutores Elétricos 2 Condutores Elétricos 2.1 Introdução O dimensionamento de um condutor deve ser precedido de uma análise detalhada de sua instalação e da carga a ser suprida. Um condutor mal dimensionado, além de implicar

Leia mais

Reatores. THE PROVEN POWER.

Reatores. THE PROVEN POWER. Reatores THE PROVEN POWER. www.trench-group.com Reatores Parcerias com clientes do mundo inteiro Mais de 250.000 reatores entregues a mais de 170 países. Mais de 60 anos de experiência operacional. 35.000

Leia mais

1. TRANSFORMADORES DE CORRENTE Isolamento seco

1. TRANSFORMADORES DE CORRENTE Isolamento seco 1. TRANSFORMADORES DE CORRENTE Isolamento seco 4 INTRODUÇÃO Os transformadores de corrente foram desenhados para reduzir as correntes para valores tratáveis e proporcionais às principais originais. Separam

Leia mais

CONVERSORES DE FREQUÊNCIA

CONVERSORES DE FREQUÊNCIA CONVERSORES DE FREQUÊNCIA Introdução a inversores Convertem tensão c.c. para c.a. simétrica de amplitude e frequência desejadas A forma de onda dos inversores não é senoidal 1 Algumas aplicações dos inversores

Leia mais

Configurações e modos de operação dos inversores híbridos e seus requisitos técnicos para operação on-grid e off-grid

Configurações e modos de operação dos inversores híbridos e seus requisitos técnicos para operação on-grid e off-grid Configurações e modos de operação dos inversores híbridos e seus requisitos técnicos para operação on-grid e off-grid Prof. Me. Lucas Vizzotto Bellinaso lucas@gepoc.ufsm.br Prof. Dr. Leandro Michels michels@gepoc.ufsm.br

Leia mais

Analisador de Energia RE6000

Analisador de Energia RE6000 EMBRASUL Analisador de Energia RE6000 EMBRASUL EMBRASUL RE6000 Excelente custo/benefício; Composição por módulos; H Harmônicas até a 50ª ordem; T Transientes; N Medição da corrente de neutro; Fácil instalação;

Leia mais

CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA (FP) Prof. Marcos Fergütz Fev/2016

CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA (FP) Prof. Marcos Fergütz Fev/2016 CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA (FP) Prof. Marcos Fergütz Fev/2016 CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA (FP) CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA (FP) CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA (FP) - Objetivo: Manter o FP 0,92 Q

Leia mais

Prática de Acionamentos e Comandos Elétricos I

Prática de Acionamentos e Comandos Elétricos I Data: / / 20 Aluno(a): Aula 4 : Motores de indução trifásicos (MIT). Partida manual, reversão e ligação em estrela/triângulo. 1 - Introdução: Chaves manuais de partida de motores de indução trifásicos

Leia mais

Nobreaks. Smart-UPS C. Proteção e disponibilidade para aplicações críticas.

Nobreaks. Smart-UPS C. Proteção e disponibilidade para aplicações críticas. Nobreaks Smart-UPS C Proteção e disponibilidade para aplicações críticas. APC Smart-UPS C Proteção inteligente e eficiente de energia, ideal para servidores, pontos de venda e equipamentos de rede. Design

Leia mais

1. FINALIDADE 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO. Aplica-se ao Departamento de Gestão Técnica Comercial, fabricantes e fornecedores da empresa. 3.

1. FINALIDADE 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO. Aplica-se ao Departamento de Gestão Técnica Comercial, fabricantes e fornecedores da empresa. 3. MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE SERVIÇOS E CONSUMIDORES SUBSISTEMA MEDIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-321.0016 MEDIDOR ELETRÔNICO MULTIFUNÇÃO PARA MEDIÇÃO INDIRETA PARA CLIENTES DO GRUPO B 1/9 1. FINALIDADE Estabelecer

Leia mais

VBWK Módulo de Entrada em MT para Instalações em Alvenaria. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

VBWK Módulo de Entrada em MT para Instalações em Alvenaria. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas VBWK Módulo de Entrada em MT para Instalações em Alvenaria Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Solução Integrada para Instalações em Alvenaria O kit de entrada em média tensão VBWK

Leia mais

REMANEJAMENTO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA

REMANEJAMENTO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA REMANEJAMENTO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA Redes de Distribuição de Baixa e Média Tensão CANOAS- RS MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO PROJETO EXECUTIVO 1. OBJETIVO: Fornecer informações necessárias sobre os

Leia mais

3 Boletim Técnico Terminal Contrátil a Frio QTIII Série 7672 S8 (RW)

3 Boletim Técnico Terminal Contrátil a Frio QTIII Série 7672 S8 (RW) Boletim Técnico Terminal Contrátil a Frio QTIII Série 7672 S8 (RW) 1- Descrição do produto: O Terminal Contrátil a Frio M MR QTIII 7672-S-8 é um produto que atende os requisitos da norma IEEE 48 classe

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 57

COMUNICADO TÉCNICO Nº 57 Página 1 de 14 COMUNICADO TÉCNICO Nº 57 ALTERAÇÃO DO PADRÃO DE CONJUNTOS BLINDADOS PARA LIGAÇÃO DE CLIENTES ATENDIDOS EM MT Diretoria de Engenharia e Serviços Gerência de Engenharia da Distribuição ELABORADO

Leia mais

Dispositivos de proteção

Dispositivos de proteção Dispositivos de proteção Conceitos básicos e aplicações Giovanni Manassero Junior Depto. de Engenharia de Energia e Automação Elétricas Escola Politécnica da USP 14 de março de 2013 EPUSP Giovanni Manassero

Leia mais

Compensação de Reativos e Harmônicas

Compensação de Reativos e Harmônicas Compensação de Reativos e Harmônicas O que é Potência Reativa Como compensar e o que compensar Como especificar um Banco de Capacitores O que são harmônicas O que é ressonância. Apresentação das medições

Leia mais

ATENGE. Mais confiabilidade para o seu Sistema Elétrico. Serviços em Cabines Elétricas e Subestações de Alta, Média e Baixa Tensão ATENGE

ATENGE. Mais confiabilidade para o seu Sistema Elétrico. Serviços em Cabines Elétricas e Subestações de Alta, Média e Baixa Tensão ATENGE www.atenge.com Serviços em Cabines Elétricas e Subestações de Alta, Média e Baixa Tensão ATENGE Serviço Especializado de Manutenção Elétrica SOROCABA SÃO PAULO - BRASIL ATENGE Mais confiabilidade para

Leia mais

Finalidade Fonte de Alimentação Proteção da Rede de Média Tensão Proteção contra Sobretensão: 2.5.

Finalidade Fonte de Alimentação Proteção da Rede de Média Tensão Proteção contra Sobretensão: 2.5. MEMÓRIAL DESCRITIVO 5 2.1. - Finalidade Traçar diretrizes básicas para a implementação dos projetos de iluminação externa do Campus Petrolina e iluminação da via de interligação entre o anel viário e os

Leia mais

Retificadores Tiristorizados Linha CF

Retificadores Tiristorizados Linha CF Retificadores Tiristorizados Linha CF Conceituada como fabricante de Retificadores Chaveados para Telecomunicações com certificados pela ANATEL a mais de 50 anos, a PROTECO traz ao mercado uma nova linha

Leia mais

1. FINALIDADE 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO. Aplica-se ao Departamento de Gestão Técnica Comercial, fabricantes e fornecedores da empresa. 3.

1. FINALIDADE 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO. Aplica-se ao Departamento de Gestão Técnica Comercial, fabricantes e fornecedores da empresa. 3. MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE SERVIÇOS E CONSUMIDORES SUBSISTEMA MEDIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-321.0007 MEDIDOR ELETRÔNICO PARA SISTEMA DE MEDIÇÃO DE CONSUMIDORES LIVRES 1/12 1. FINALIDADE Estabelecer os

Leia mais

OCS 0041 ISO Pinot AQ I/1

OCS 0041 ISO Pinot AQ I/1 OCS 0041 ISO 9001 NoBreak Line Interativo Família Pinot 1400 VA NoBreak Line Interativo microprocessado de alta velocidade,integrando diversas funções periferias. Possui estabilizador interno com estágios

Leia mais

2. TOMADA DE ENERGIA:

2. TOMADA DE ENERGIA: MEMORIAL DESCRITIVO DO POSTO DE TRANSFORMAÇÃO DE ENERGIA DA EMEII LUZIA MARIA DAIBEM FERRAZ DE ARRUDA RUA LUIZ MARCÍLIO BERNARDO, 03-160, NÚCLEO HABITACIONAL NOBUJI NAGASAWA O presente memorial descritivo

Leia mais

i. Funções aritméticas: adição e subtração.

i. Funções aritméticas: adição e subtração. A. Controlador de demanda e fator de potência 1. Disposições gerais a. Todos os parâmetros de configuração necessários pelo Sistema de Monitoramento de Energia (SME) devem ser gravados em memória não-volátil

Leia mais

Entre (F / N), (F / PE) e (F / PEN) Tecnologia de proteção. Varistor de Óxido de Zinco - MOV Tempo de resposta

Entre (F / N), (F / PE) e (F / PEN) Tecnologia de proteção. Varistor de Óxido de Zinco - MOV Tempo de resposta VC L Dispositivo de Proteção contra Surtos (DPS) com tecnologia de proteção baseada na utilização de varistor de óxido de zinco (). -Três locais para marcadores/identificadores; -Encaixe em trilho ( linha

Leia mais

1 - Eficiência Energética:

1 - Eficiência Energética: 1 1 - Eficiência Energética: Otimização da Compra de Energia; Utilização Eficiente dos Recursos Energéticos - Usos Finais; Estudos de Fontes Alternativas de Energia; Viabilidade Técnico-Econômica. Energia

Leia mais

Painéis de Média Tensão

Painéis de Média Tensão Painéis de Média Tensão ARCO INTERNO APROVADO 20kA/1s CEPEL - RJ Sumário Apresentação... 2 Principais Componentes... 3 Células de Entrada/Saída e Transição... 4 Células de Seccionamento... 5 Células de

Leia mais

Projeto e instalação de filtros harmônicos passivos em redes aéreas de distribuição em média tensão

Projeto e instalação de filtros harmônicos passivos em redes aéreas de distribuição em média tensão Projeto e instalação de filtros harmônicos passivos em redes aéreas de distribuição em média tensão José Rubens Macedo Jr. José Wilson Resende Milton Itsuo Samesima ENERGIAS DO BRASIL UNIV. FED. UBERLÂNDIA

Leia mais

Inversor Trifásico 1CV e 2CV

Inversor Trifásico 1CV e 2CV Inversor Trifásico 1CV e 2CV Página 1 de 10 Esta linha de inversores de frequência da Neotec tende a unir a versatilidade do seu firmware com o desempenho a um baixo custo. Com isso pode ser inserido em

Leia mais

Instalações Elétricas Industriais

Instalações Elétricas Industriais Instalações Elétricas Industriais ENG 1480 Professor: Rodrigo Mendonça de Carvalho Dimensionamento de Condutores Elétricos Livro: João Mamede Filho Instalações Elétricas Industriais 2 Dimensionamento de

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Automação Capacitores para Correção do Fator de Potência

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Automação Capacitores para Correção do Fator de Potência Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas Automação Capacitores para Correção do Fator de Potência Capacitores para Correção do Fator de Potência Sumário Tecnoloia dos Capacitores 04

Leia mais

Série 78 - Fonte chaveada. Características Relés temporizadores e de controle SÉRIE

Série 78 - Fonte chaveada. Características Relés temporizadores e de controle SÉRIE Série - Fonte chaveada SÉRIE Características.12...2400.12...1200.36 Fontes de alimentação DC Alta eficiência (acima de 91%) Baixo consumo em stand-by (

Leia mais

HARMÔNICAS. Sr. Jean Baptiste Joseph FOURIER. WEG - Transformando Energia em Soluções. Menu

HARMÔNICAS. Sr. Jean Baptiste Joseph FOURIER. WEG - Transformando Energia em Soluções. Menu HARMÔNICAS Formas de onda com freqüências múltiplas da fundamental; Ferramenta matemática desenvolvida para representar qualquer tipo de forma de onda (série de FOURIER); f(t) = a0 + (ah.cos(hω ot) + bh.sen(hω0t))

Leia mais

Qualidade de Energia Elétrica

Qualidade de Energia Elétrica Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC Centro de Ciências Tecnológicas - CCT Mestrado em Engenharia Elétrica - MEE Qualidade de Energia Elétrica Prof. Sérgio Vidal Garcia Oliveira, Dr. svgo_udesc@svgo.net

Leia mais

ESCLARECIMENTOS Nº 13

ESCLARECIMENTOS Nº 13 ASSUNTO: CO.APR.T.046.2004 Serviços de modernização das unidades geradoras 1 a 6 da UHE Luiz Carlos Barreto de Carvalho ESCLARECIMENTOS Nº 13 1) Transcrevemos abaixo, perguntas de empresas participantes

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Capacitores Correção do Fator de Potência

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Capacitores Correção do Fator de Potência Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Capacitores Correção do Fator de Potência Tecnologia dos Capacitores Os capacitores para correção do fator de potência WEG são fabricados em

Leia mais

CCM. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão. Painéis metálicos fabricados em aço carbono.

CCM. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão. Painéis metálicos fabricados em aço carbono. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão Painéis metálicos fabricados em aço carbono. Definição ( montado): é uma combinação de dispositivos e equipamentos de manobra,

Leia mais

Módulo 16 SD Relé NA Contato Seco

Módulo 16 SD Relé NA Contato Seco Descrição do Produto O módulo, integrante da Série Ponto, possui 16 pontos de saída digital com contatos secos. Ideal para acionamento de cargas em corrente contínua ou alternada e para inserção no intertravamento

Leia mais

Bancos de Capacitores WGR

Bancos de Capacitores WGR Bancos de Capacitores WGR Os Bancos de Capacitores WGR são constituídos de várias unidades capacitivas monofásicas, atendendo a cargas ou centro de cargas com necessidade de grande valor de potência reativa.

Leia mais

Transientes de ligação de condensadores. Comparação de tecnologias

Transientes de ligação de condensadores. Comparação de tecnologias Medium voltage products Comparação de ligação de condensadores a supremacia da tecnologia de díodo Transientes de ligação de condensadores Ao nível da distribuição, são necessárias baterias de condensadores

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Automação Inversores Fotovoltaicos SIW

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Automação Inversores Fotovoltaicos SIW Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Automação Inversores Fotovoltaicos SIW Aplicações Fotovoltaicas www.weg.net Inversor Solar Central (137 kw - 1665 kw) A WEG conta com décadas

Leia mais

POTÊNCIA EM CIRCUITOS SENOIDAIS.

POTÊNCIA EM CIRCUITOS SENOIDAIS. POTÊNCIA EM CIRCUITOS SENOIDAIS. EXERCÍCIO 1: Um transformador com capacidade para fornecer a potência aparente máxima de 25kVA está alimentando uma carga, constituída pelo motor M1 que consome 4.8kW com

Leia mais

LINHA Bt100. Conjunto de Manobra e Controle de Baixa Tensão. Bt100

LINHA Bt100. Conjunto de Manobra e Controle de Baixa Tensão. Bt100 LINHA LINHA CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS Dimensões Altura: 2200mm., Largura: 700/900/1100mm., Profundidade: 400/600/800mm. Outras configurações conforme consulta; Estrutura fabricada em chapa de 1,90mm.

Leia mais

MATERIAIS PARA REDES APARELHAGEM AT E MT

MATERIAIS PARA REDES APARELHAGEM AT E MT MATERIAIS PARA REDES APARELHAGEM AT E MT Disjuntores MT 17,5 kv Características Elaboração: DNT Homologação: conforme despacho do CA de 2007-02-13 Edição: 2ª. Substitui a edição de DEZ 1987 Emissão: EDP

Leia mais

Terminais e Emendas para Cabos Elétricos

Terminais e Emendas para Cabos Elétricos Terminais e Emendas para Cabos Elétricos Jul. 2015 QUEM SOMOS: A KIT Acessórios, com sede no Rio de Janeiro, vem se dedicando exclusivamente a produção de acessórios para cabos elétrico desde 1991. Em

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Transdutor de Potência WA / RA / WR

MANUAL DO USUÁRIO. Transdutor de Potência WA / RA / WR MANUAL DO USUÁRIO WA / RA / WR Revisão 1.1 Junho/2012 Índice Capítulo Página Introdução 3 Termo de Garantia 3 Características Técnicas 4 Esquemas de Ligação 6 Transdutor 1 elemento 2 Fios WA ou RA 6 Transdutor

Leia mais

EVENTO BUS WAY ACE/CELESC

EVENTO BUS WAY ACE/CELESC EVENTO BUS WAY ACE/CELESC DISJUNTORES Definição Disjuntor Disjuntor: dispositivo de seccionamento automático para proteção de circuitos elétricos. Normas Vigentes no Brasil * NBR NM 60898:2004 (em processo

Leia mais

SUBESTAÇÃO AÉREA 225KVA PNT IND E COM DE PLASTICOS LTDA.

SUBESTAÇÃO AÉREA 225KVA PNT IND E COM DE PLASTICOS LTDA. Memorial descritivo e de cálculo SUBESTAÇÃO AÉREA 225KVA PNT IND E COM DE PLASTICOS LTDA. 1 ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO 2. IDENTIFICAÇÃO 3. CARACTERÍSTICAS DA SUBESTAÇÃO 4. PROJETO ELÉTRICO MEMORIAL DESCRITIVO

Leia mais

Aplicação de Filtros Harmônicos Passivos em Circuitos Secundários

Aplicação de Filtros Harmônicos Passivos em Circuitos Secundários Aplicação de Filtros Harmônicos Passivos em Circuitos Secundários José Rubens M. Jr, ESCELSA; José W. Resende, Milton I. Samesima, Davi B. Gomes, UFU RESUMO Em meados do ano 2000, foi desenvolvido o primeiro

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A ENG04482

Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 2 Conceitos Fundamentais Porto Alegre - 2012 Tópicos Energia elétrica Fontes de eletricidade Fontes de tensão e corrente Geração

Leia mais

NOVOS PROCEDIMENTOS PARA ATENDIMENTO DE SOLICITAÇÕES TÉCNICAS PARA ATENDER A RESOLUÇÃO NORMATIVA ANEEL N 670 DE 14 DE JULHO DE 2015

NOVOS PROCEDIMENTOS PARA ATENDIMENTO DE SOLICITAÇÕES TÉCNICAS PARA ATENDER A RESOLUÇÃO NORMATIVA ANEEL N 670 DE 14 DE JULHO DE 2015 CT-63 NOVOS PROCEDIMENTOS PARA ATENDIMENTO DE SOLICITAÇÕES TÉCNICAS PARA ATENDER A RESOLUÇÃO NORMATIVA ANEEL N 670 DE 14 DE JULHO DE 2015 Norma Técnica da AES Eletropaulo Diretoria de Planejamento, Engenharia

Leia mais

Relé de Proteção Térmica EP3 - SLIM ANSI 23/ 26/49 CATALOGO. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6

Relé de Proteção Térmica EP3 - SLIM ANSI 23/ 26/49 CATALOGO. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6 CATALOGO Relé de Proteção Térmica EP3 - SLIM ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6 Relé de Proteção Térmica EP3 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS... 3 DADOS TÉCNICOS... 4 ENSAIOS

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS INTRODUÇÃO

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS INTRODUÇÃO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS INTRODUÇÃO Os fatores básicos que envolvem o dimensionamento de um condutor são: tensão nominal; frequência nominal; potência ou

Leia mais

Especificações Técnicas. Fonte de Alimentação CA Programável Modelo 9801

Especificações Técnicas. Fonte de Alimentação CA Programável Modelo 9801 Especificações Técnicas Fonte de Alimentação CA Programável O modelo 9801 da B&K Precision é tanto uma fonte de alimentação CA programável, como também um instrumento de medições, tudo em um gabinete compacto

Leia mais

Postos de transformação

Postos de transformação Postos de transformação PFU e PF Edifícios tipo Cabina para Postos de Transformação Até 36 kv PFU EDIFÍCIO MONOBLOCO TIPO CABINA PARA POSTOS DE TRANSFORMAÇÃO APRESENTAÇÃO O edifício PFU de fabrico Ormazabal

Leia mais

REDE COMPACTA PARA-RAIOS. Sumário

REDE COMPACTA PARA-RAIOS. Sumário Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estruturas de Transição Rede Compacta Rede Nua com Para-Raios 6.1. Estrutura CE3.N3

Leia mais

Relé de Proteção Térmica EP4 - SLIM ANSI 23/ 26/49. Catalogo. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6

Relé de Proteção Térmica EP4 - SLIM ANSI 23/ 26/49. Catalogo. ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6 Catalogo ELECTRON TECNOLOGIA DIGITAL LTDA Página 1/6 Relé de Proteção Térmica EP4 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 PRINCIPAIS CARACTERISTICAS... 3 DADOS TÉCNICOS... 4 ENSAIOS DE TIPO ATENDIDOS... 4 DIMENSÕES...

Leia mais

Lâmpada TUBO LED HO Por que a lâmpada tubo led HO Intral têm qualidade superior?

Lâmpada TUBO LED HO Por que a lâmpada tubo led HO Intral têm qualidade superior? Fabricado no Brasil Lâmpada TUBO LED HO Por que a lâmpada tubo led HO Intral têm qualidade superior? As lâmpadas tuboled HO são indicadas para uso profissional, comercial e industrial. Construídas com

Leia mais

ENERGIA QUE TRANSFORMA.

ENERGIA QUE TRANSFORMA. A Romagnole possui uma energia que não para de crescer. É uma força que movimenta todos ao seu redor, motivando as pessoas, indústrias, empresas, zona rural e todos os processos onde o objetivo principal

Leia mais

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 7 Blindagem e Aterramento do Cabeamento Estruturado

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL. UNIDADE 7 Blindagem e Aterramento do Cabeamento Estruturado APRENDIZAGEM INDUSTRIAL UNIDADE 7 Blindagem e Aterramento do Cabeamento Estruturado Porque blindar ou aterrar? Quando um cabo é submetido a um campo eletromagnético, correntes e tensões são induzidas em

Leia mais

INVERSOR DE EMERGÊNCIA SLIM

INVERSOR DE EMERGÊNCIA SLIM INVERSOR DE EMERGÊNCIA SLIM O Inversor de Emergência SLIM trata-se de um dispositivo que deve ser acoplado juntamente com um reator, transformando as luminárias fluorescentes em sistemas de iluminação

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE INTERFERÊNCIA ELETROMAGNÉTICA

CONSIDERAÇÕES SOBRE INTERFERÊNCIA ELETROMAGNÉTICA CONSIDERAÇÕES SOBRE INTERFERÊNCIA ELETROMAGNÉTICA. - 1 Todo o aterramento/conexão à terra e vinculação de terras (bonding) deverá atender aos códigos e regulamentos aplicáveis. Proteção de Circuito - 2

Leia mais

GERÊNCIA DE NORMAS E PADRÕES ORIENTAÇÃO TÉCNICA OT-003/2015 (NT , NT , NT

GERÊNCIA DE NORMAS E PADRÕES ORIENTAÇÃO TÉCNICA OT-003/2015 (NT , NT , NT 1 OBJETIVO A presente Orientação Técnica altera e complementa as normas de fornecimento contemplando as mudanças ocorridas em conformidade com as alterações da REN 414/2010 da ANEEL, implementadas através

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA N ODMN-VIT-ET SOFT-START PARA CONTROLE DE PARTIDA E PARADA DE MOTORES DE INDUÇÃO DE BAIXA TENSÃO ABRIL DE 2015

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA N ODMN-VIT-ET SOFT-START PARA CONTROLE DE PARTIDA E PARADA DE MOTORES DE INDUÇÃO DE BAIXA TENSÃO ABRIL DE 2015 SOFT-START PARA CONTROLE DE PARTIDA E PARADA DE MOTORES DE INDUÇÃO DE BAIXA TENSÃO ABRIL DE 2015 1/6 1 Descrição Soft-starter de baixa tensão trifásico para controle de partida e parada suaves de motor

Leia mais