Experiência 05: TRANSITÓRIO DE SISTEMAS RC

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Experiência 05: TRANSITÓRIO DE SISTEMAS RC"

Transcrição

1 ( ) Prova ( ) Prova Semestral ( ) Exercícios ( ) Prova Modular ( ) Segunda Chamada ( ) Exame Final ( ) Prática de Laboratório ( ) Aproveitamento Extraordinário de Estudos Nota: Disciplina: Turma: Aluno (a): Professor: Data: Experiência 05: TRANSITÓRIO DE SISTEMAS RC 1. Objetivo Geral Verificar as características do comportamento de um sistema de primeira ordem para uma entrada do tipo degrau. 2. Objetivo Específico Verificar na prática o tipo de resposta de um sistema de primeira ordem; Verificar experimentalmente a carga e descarga de um capacitor; Projetar resistor para obter determinado comportamento. 3. RESUMO TEÓRICO O capacitor é um componente que armazena energia na forma de campo elétrico. 1 Os capacitores se apresentam numa grande variedade de tamanhos e formas. Entretanto, os elementos básicos de qualquer capacitor são dois condutores isolados de formato arbitrário. Chamamos tais condutores de placas, qualquer que seja sua geometria. A figura 01 mostra um arranjo chamado de capacitor de placas paralelas. Figura 01 Capacitor de Placas Paralelas Fonte: 1 HALLIDAY, D.; RESNICK, R.; WALKER, J. Fundamentos de Física 3: Eletromagnetismo. Rio de Janeiro: LTC, p. Página 1 de 9

2 Portanto um capacitor é um componente composto de placas separadas por um material dielétrico (isolante). A capacitância (C) é uma constante que define a capacidade do capacitor armanezar energia por unidade de tensão. Por definição: q( t) C = ; onde q = carga elétrica. Unidade: Coulomb (C) (01) V ( t) V = tensão. Unidade: Volt (V) Logo a unidade da capacitância é coulomb por volt, que também é denominada de farad (F). O farad é uma unidade muito grande, portanto na prática depara-se usualmente com microfarad (µf = 10-6 F), nanofarad (nf = 10-9 F) e o picofarad (pf = F). Existem vários tipos de capacitores, o que muda basicamente de um para o outro é o valor de capacitância e a tensão de isolação. A codificação dos capacitores é bem variada, depende do tipo e do tamanho deste componente. Há a codificação em cores, conforme mostra a figura 02, e a codificação em letras. Para maiores informações sobre este assunto recomenda-se a leitura de livros técnicos. Figura 02 Código de Cores dos Capacitores Circuitos elétricos do tipo RC (resistor e capacitor) funcionam como sistemas de primeira ordem contínuos, pois a lei que rege o comportamento destes é descrito matematicamente pela seguinte equação: Página 2 de 9

3 dy( t) a 1 + a0 y( t) = f ( x) ; onde y(t) = saída no tempo (02) dt f (x) = função entrada a1, a 0 = constantes Um esquema de um circuito RC é mostrado na figura 03, onde a saída é a tensão no capacitor (V c ) e a entrada é uma fonte de tensão constante V. Figura 03 Circuito RC Aplicando a Lei de Kirchhoff da tensão para esta malha, tem-se: V ( t) = V ( t) + V ( t) V ( t) = i( t) * R V ( t) (03) r C + C dq( t) Como i( t) = e q ( t) = CV ( t), conforme equação 01, obtém-se: dt dvc ( t) V ( t) = RC + VC ( t) (04) dt A equação diferencial acima rege o comportamento de sistemas de primeira ordem do tipo RC. Esta descreve a curva de carga e descarga do capacitor. 3.1 Carga do Capacitor Neste caso, supõe-se que o capacitor encontra-se inicialmente descarregado, ou seja, V c (t 0 ) = 0 V e que em t 0 = 0 (tempo inicial) a chave S é fechada instantaneamente. Neste instante a corrente inicial do circuito é máxima e começa o processo de carga do capacitor com um aumento gradativo de V c dado pela constante de tempo do circuito. Conforme a tensão V c aumenta, a corrente do circuito diminui até chegar ao valor zero. Nesta situação o capacitor encontra-se totalmente carregado. Página 3 de 9

4 O comportamento das variáveis tensão no capacitor e corrente do circuito é dado pela resolução da equação 04. É possível provar que: ( t t0 ) V = RC c( t) V * 1 e ; onde a constante de tempo (τ) do circuito é R*C. (05) ( t t0 ) V i( t) = * e RC (06) R 3.2 Descarga do Capacitor Neste caso, com base na figura 03, supõe-se que o capacitor encontra-se inicialmente carregado, ou seja, V c (t 0 ) = V cmáx e que a fonte de tensão constante é igual a 0 V, o que significa que a mesma foi curto-circuitada. Em t 0 = 0 (tempo inicial) a chave S é fechada instantaneamente. Neste instante inicia o processo de descarga do capacitor com um decréscimo gradativo de V c dado pela constante de tempo do circuito. O comportamento da tensão no capacitor é dado pela resolução da equação 04, fazendo f(x)=0. Desta forma: c cmáx ( t t0 ) RC V ( t) = V * e ; onde a constante de tempo (τ) do circuito é R*C. (07) equação 07. A curva de descarga do capacitor é mostrada na figura 04, esta obtida através da Figura 04 Curvas de Carga e Descarga do Circuito RC A curva do comportamento da corrente do circuito (figura da direita) e a curva de carga do capacitor (figura da esquerda) são mostradas na figura 04, ambas obtidas através das equações 05 e 06. Página 4 de 9

5 4. Lista de Material e Equipamentos Gerador de Sinais; Potenciômetro Linear de 10kΩ; Osciloscópio (20MHz); Capacitor de 47nF; 5. Procedimento Dado o circuito de primeira ordem abaixo: Figura 06 Circuito da Experiência 5.1 Calcule o valor da resistência para que a constante de tempo seja igual a 5 µs. Página 5 de 9

6 5.2 Monte o circuito da figura 6 e ajuste o potenciômetro com o valor de resistência encontrado no item 5.1. Ajuste o gerador de sinais com uma onda quadrada de 4 volts de amplitude e freqüência adequada. Com o osciloscópio monitore a tensão no capacitor. Desenhe a forma de onda na saída do circuito. Vp (tensão de pico) = Vpp (tensão pico a pico) = Vrms (tensão eficaz) = T (período) = f (frequência) = s Hz Encontre a equação matemática teórica que descreve o comportamento do sistema nesta situação (carga e descarga), conforme equações 05 e 07. Página 6 de 9

7 5.3 Monte o circuito da figura 6, porém coloque as ponteiras do osciloscópio no resistor. Ajuste o gerador de sinais com uma onda quadrada de 4 volts de amplitude e freqüência adequada. Desenhe a forma de onda na saída do circuito. Vp (tensão de pico) = Vpp (tensão pico a pico) = Vrms (tensão eficaz) = T (período) = f (frequência) = s Hz Encontre a equação matemática teórica que descreve o comportamento da corrente do circuito nesta situação (carga e descarga). Página 7 de 9

8 5.4 Monte o circuito da figura 6 e ajuste o potenciômetro com a metado do valor de resistência encontrado no item 5.1. Ajuste o gerador de sinais com uma onda quadrada de 4 volts de amplitude e freqüência adequada. Com o osciloscópio monitore a tensão no capacitor. Desenhe a forma de onda na saída do circuito. Página 8 de 9

9 Vp (tensão de pico) = Vpp (tensão pico a pico) = Vrms (tensão eficaz) = T (período) = f (frequência) = s Hz Qual(is) é(são) a(s) diferença(s) entre este comportamento e o comportamento registrado no item 5.2? Descreva em detalhes. 6. REFLEXÕES Página 9 de 9

LABORATÓRIO ATIVIDADES 2013/1

LABORATÓRIO ATIVIDADES 2013/1 LABORATÓRIO ATIVIDADES 2013/1 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO LABORATÓRIO MÓDULO I ELETRICIDADE BÁSICA TURNO NOITE CURSO TÉCNICO EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL CARGA HORÁRIA EIXO TECNOLÓGICO CONTROLE

Leia mais

Aquino, Josué Alexandre.

Aquino, Josué Alexandre. Aquino, Josué Alexandre. A657e Eletrotécnica para engenharia de produção : análise de circuitos : corrente e tensão alternada / Josué Alexandre Aquino. Varginha, 2015. 53 slides; il. Sistema requerido:

Leia mais

Teo. 9 - Capacitância

Teo. 9 - Capacitância Teo. 9 - apacitância 9. Introdução Uma das importantes aplicações da Eletrostática é a possibilidade de construir dispositivos que permitem o armazenamento de cargas elétricas. Esses dispositivos são chamados

Leia mais

Princípios de Circuitos Elétricos. Prof. Me. Luciane Agnoletti dos Santos Pedotti

Princípios de Circuitos Elétricos. Prof. Me. Luciane Agnoletti dos Santos Pedotti Princípios de Circuitos Elétricos Prof. Me. Luciane Agnoletti dos Santos Pedotti Resistência, Indutância e Capacitância Resistor: permite variações bruscas de corrente e tensão Dissipa energia Capacitor:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DO PONTAL FÍSICA EXPERIMENTAL III CAPACITORES E CIRCUITOS RC COM ONDA QUADRADA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DO PONTAL FÍSICA EXPERIMENTAL III CAPACITORES E CIRCUITOS RC COM ONDA QUADRADA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DO PONTAL FÍSICA EXPERIMENTAL III CAPACITORES E CIRCUITOS RC COM ONDA QUADRADA 1. OBJETIVO O objetivo desta aula é estudar o comportamento

Leia mais

*Circuitos propostos para a aula prática

*Circuitos propostos para a aula prática Técnicas Digitais para Computação Laboratório: AP03 Turma: A Nomes: Miller Biazus 187984 Raphael de Leon Ferreira Lupchinski 191942 INTRODUÇÃO No laboratório 3 foram propostas algumas atividades, como:

Leia mais

Experiência : RETIFICADORES MONOFÁSICOS COM FILTRO CAPACITIVO E ESTABILIZAÇÃO

Experiência : RETIFICADORES MONOFÁSICOS COM FILTRO CAPACITIVO E ESTABILIZAÇÃO ( ) Prova ( ) Prova Semestral ( ) Exercícios ( ) Prova Modular ( ) Segunda Chamada ( ) Exame Final ( ) Prática de Laboratório ( ) Aproveitamento Extraordinário de Estudos Nota: Disciplina: Turma: Aluno

Leia mais

Objetivo Geral Entender o funcionamento e as principais características do amplificador operacional ou ampop como comparador de sinais.

Objetivo Geral Entender o funcionamento e as principais características do amplificador operacional ou ampop como comparador de sinais. ( ) Prova ( ) Prova Semestral ( ) Exercícios ( ) Prova Modular ( ) Segunda Chamada ( ) Exame Final ( ) Prática de Laboratório ( ) Aproveitamento Extraordinário de Estudos Nota: Disciplina: Turma: Aluno

Leia mais

Eletricidade Aplicada

Eletricidade Aplicada Eletricidade Aplicada Profa. Grace S. Deaecto Instituto de Ciência e Tecnologia / UNIFESP 12231-28, São J. dos Campos, SP, Brasil. grace.deaecto@unifesp.br Novembro, 212 Profa. Grace S. Deaecto Eletricidade

Leia mais

Introdução teórica aula 6: Capacitores

Introdução teórica aula 6: Capacitores Introdução teórica aula 6: Capacitores Capacitores O capacitor é um elemento capaz de armazenar energia. É formado por um par de superfícies condutoras separadas por um material dielétrico ou vazio. A

Leia mais

And« Física 12. São dispositivos para armazenar energia. Os condensadores são usados, por exemplo, em:

And« Física 12. São dispositivos para armazenar energia. Os condensadores são usados, por exemplo, em: 25042016 CAPACDADE E CONDENSADORES And«CONDENSADORES São dispositivos para armazenar energia. Os condensadores são usados, por exemplo, em: Recetores de radio Dispositivos de armazenamento com flash Desfibrilhadores,

Leia mais

Resposta em Frequência. Guilherme Penello Temporão Junho 2016

Resposta em Frequência. Guilherme Penello Temporão Junho 2016 Resposta em Frequência Guilherme Penello Temporão Junho 2016 1. Preparatório parte 1: teoria Experiência 9 Resposta em Frequência Considere inicialmente os circuitos RC e RL da figura abaixo. Suponha que

Leia mais

CAPACITOR. Simbologia: Armazenamento de carga

CAPACITOR. Simbologia: Armazenamento de carga CAPACITOR O capacitor é um componente eletrônico capaz de armazenar cargas elétricas. É composto por duas placas de material condutor, eletricamente neutras em seu estado natural, denominadas armaduras,

Leia mais

Experimento 4 Indutores e circuitos RL com onda quadrada

Experimento 4 Indutores e circuitos RL com onda quadrada Experimento 4 Indutores e circuitos RL com onda quadrada 1. OBJETIVO O objetivo desta aula é estudar o comportamento de indutores associados a resistores em circuitos alimentados com onda quadrada. 2.

Leia mais

Capítulo 27: Circuitos

Capítulo 27: Circuitos Capítulo 7: Circuitos Índice Força letromotriz Trabalho, nergia e Força letromotriz Calculo da Corrente de um Circuito de uma Malha Diferença de Potencial entre dois Pontos Circuitos com mais de uma Malha

Leia mais

GUIA DE EXPERIMENTOS

GUIA DE EXPERIMENTOS ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVESIDADE DE SÃO PAULO Departamento de Engenharia de Sistemas Eletrônicos PSI 3 - LABOATÓIO DE CICUITOS ELÉTICOS GUIA DE EXPEIMENTOS EXPEIÊNCIA 06 - SIMULAÇÃO DE CICUITOS ELÉTICOS

Leia mais

Fundamentos de Eletrônica

Fundamentos de Eletrônica 6872 - Fundamentos de Eletrônica Lei de Ohm Última Aula Elvio J. Leonardo Universidade Estadual de Maringá Departamento de Informática Bacharelado em Ciência da Computação Associação de Resistores Análise

Leia mais

Figura 1 Várias formas de ondas repetitivas: (a) onda cosseno, (b) onda seno, (c) onda triangular (d) onda quadrada

Figura 1 Várias formas de ondas repetitivas: (a) onda cosseno, (b) onda seno, (c) onda triangular (d) onda quadrada ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DOM BOSCO FACULDADE DE ENGENHARIA DE RESENDE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA Disciplina: Laboratório de Circuitos Elétricos Corrente Alternada 1. Objetivo Uma medida elétrica é a

Leia mais

ELETROTÉCNICA ENGENHARIA

ELETROTÉCNICA ENGENHARIA Aquino, Josué Alexandre. A657e Eletrotécnica : engenharia / Josué Alexandre Aquino. Varginha, 2015. 50 slides; il. Sistema requerido: Adobe Acrobat Reader Modo de Acesso: World Wide Web 1. Eletrotécnica.

Leia mais

CAPITULO 1 0 CAPACITORES Campo Elétrico:

CAPITULO 1 0 CAPACITORES Campo Elétrico: CAPITULO 10 CAPACITORES O capacitor, assim como o indutor, são componentes que exibem seu comportamento característico quando ocorrem variações de tensão ou corrente no circuito em que se encontram. Alem

Leia mais

CF360 - Resumo Experimentos Prova 2

CF360 - Resumo Experimentos Prova 2 CF360 - Resumo Experimentos Prova 2 Fabio Iareke 19 de dezembro de 2011 1 Força Magnética sobre Condutores de Corrente 1.1 Roteiro de Estudos 1. Qual é a expressão para o campo magnético

Leia mais

1. Objectivos Verificação experimental de uma relação exponencial entre duas grandezas físicas. Fazer avaliações numéricas.

1. Objectivos Verificação experimental de uma relação exponencial entre duas grandezas físicas. Fazer avaliações numéricas. Ciências Experimentais P9: Carga e descarga do condensador 1. Objectivos Verificação experimental de uma relação exponencial entre duas grandezas físicas. Fazer avaliações numéricas. 2. Introdução O condensador

Leia mais

Fundamentos de Eletromagnetismo (098116B)

Fundamentos de Eletromagnetismo (098116B) Grupo de Supercondutividade e Magnetismo Fundamentos de Eletromagnetismo (098116B) Prof. Dr. Maycon Motta São Carlos-SP, Brasil, 2016 Turma B Prof. Dr. Maycon Motta E-mail: m.motta@df.ufscar.br Site: www.gsm.ufscar.br/mmotta

Leia mais

CEIFADORES E GRAMPEADORES

CEIFADORES E GRAMPEADORES CEIFADORES E GRAMPEADORES Ceifadores e grampeadores são circuitos compostos por diodos para a obtenção de formas de ondas especiais, cada um deles, desempenhando uma função específica como sugere o nome.

Leia mais

Aula 4_1. Capacitores. Física Geral e Experimental III Prof. Cláudio Graça Capítulo 4

Aula 4_1. Capacitores. Física Geral e Experimental III Prof. Cláudio Graça Capítulo 4 Aula 4_1 Capacitores Física Geral e Experimental III Prof. Cláudio Graça Capítulo 4 Capacitores Definição da Capacitância: capacitor e sua capacitância Carga de um capacitor Exemplos de Cálculo da Capacitância

Leia mais

LISTA 3 - Prof. Jason Gallas, DF UFPB 10 de Junho de 2013, às 17:42. Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica,

LISTA 3 - Prof. Jason Gallas, DF UFPB 10 de Junho de 2013, às 17:42. Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica, LISTA 3 - Prof. Jason Gallas, DF UFPB 0 de Junho de 203, às 7:42 Exercícios Resolvidos de Física Básica Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica, Doutor em Física pela Universidade

Leia mais

PROTOCOLOS DAS AULAS PRÁTICAS. LABORATÓRIOS 2 - Campos e ondas

PROTOCOLOS DAS AULAS PRÁTICAS. LABORATÓRIOS 2 - Campos e ondas PROTOCOLOS DAS AULAS PRÁTICAS DE LABORATÓRIOS 2 - Campos e ondas Conteúdo P1 - Amplificador operacional...3 P2 - RTEC....5 P3 - RTET e RTEC....7 P4 - Realimentação positiva...9 P5 - Intensidade luminosa....11

Leia mais

Disciplina Física 3. Prof. Rudson R. Alves Bacharel em Física pela UFES Mestrado IFGW UNICAMP. Prof. da UVV desde 1998 Engenharias desde 2000

Disciplina Física 3. Prof. Rudson R. Alves Bacharel em Física pela UFES Mestrado IFGW UNICAMP. Prof. da UVV desde 1998 Engenharias desde 2000 Disciplina Física 3 Prof. Rudson R. Alves Bacharel em Física pela UFES Mestrado IFGW UNICAMP Prof. da UVV desde 1998 Engenharias desde 2000 Sobre a Apresentação Todas as gravuras, senão a maioria, são

Leia mais

CIRCUITOS DE CORRENTE CONTÍNUA

CIRCUITOS DE CORRENTE CONTÍNUA Departamento de Física da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa T5 Física Experimental I - 2007/08 CIRCUITOS DE CORRENTE CONTÍNUA 1. Objectivo Verificar as leis fundamentais de conservação da

Leia mais

Elementos de Circuitos Elétricos

Elementos de Circuitos Elétricos Elementos de Circuitos Elétricos Corrente e Lei de Ohm Consideremos um condutor cilíndrico de seção reta de área S. Quando uma corrente flui pelo condutor, cargas se movem e existe um campo elétrico. A

Leia mais

A diferença entre as intensidades das correntes que passam nos pontos x e y é: a) 0,5 A. b) 1,5 A. c) 2,0 A. d) 4,0 A.

A diferença entre as intensidades das correntes que passam nos pontos x e y é: a) 0,5 A. b) 1,5 A. c) 2,0 A. d) 4,0 A. 1. Seja o circuito elétrico apresentado, onde R = ohms. A diferença entre as intensidades das correntes que passam nos pontos x e y é: a) 0,5 A. b) 1,5 A. c),0 A. d) 4,0 A.. Um circuito de malha dupla

Leia mais

Apostila de Física 36 Capacitores

Apostila de Física 36 Capacitores Apostila de Física 36 Capacitores 1.0 Definições Na presença de um condutor neutro, um condutor eletrizado pode armazenar mais cargas elétricas com o mesmo potencial elétrico. Capacitor ou condensador

Leia mais

Filtro passa-baixa e passa-alta

Filtro passa-baixa e passa-alta Exper. 5 Filtro passa-baixa e passa-alta Objetivos Verificar, experimentalmente, o funcionamento de um circuito RC atuando como filtro passa-baixa. Verificar, experimentalmente, o funcionamento de um circuito

Leia mais

Noções de corrente alternada

Noções de corrente alternada Noções de corrente alternada Corrente alternada, ou CA (em inglês AC) é uma corrente elétrica cuja intensidade e sentido variam periodicamente, ao contrário da corrente contínua cuja direção permanece

Leia mais

Roteiro para experiências de laboratório. AULA 5: Divisores de tensão. Alunos: 2-3-

Roteiro para experiências de laboratório. AULA 5: Divisores de tensão. Alunos: 2-3- Campus SERRA COORDENADORIA DE AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL Disciplinas: Circuitos em Corrente Contínua Turma: AN1 Professor: Vinícius Secchin de Melo Roteiro para experiências de laboratório AULA 5: Divisores

Leia mais

Universidade Federal de Juiz de Fora - Laboratório de Eletrônica 22

Universidade Federal de Juiz de Fora - Laboratório de Eletrônica 22 Universidade Federal de Juiz de Fora - Laboratório de Eletrônica 22 1 Título Prática 1 - Fonte de Alimentação Regulável 2 Objetivos Desenvolvimento de uma fonte de alimentação regulável. 3 Fundamentos

Leia mais

Física Experimental III

Física Experimental III Física Experimental III Unidade 4: Circuitos simples em corrente alternada: Generalidades e circuitos resistivos http://www.if.ufrj.br/~fisexp3 agosto/26 Na Unidade anterior estudamos o comportamento de

Leia mais

Aula 6 Circuitos em Corrente Alternada Prof. Marcio Kimpara

Aula 6 Circuitos em Corrente Alternada Prof. Marcio Kimpara ELETRICIDADE Aula 6 Circuitos em Corrente Alternada Prof. Marcio Kimpara Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Tensão (e/ou corrente) contínua Corrente contínua CC (ou DC - do inglês direct current)

Leia mais

Aula Prática 01. O Amplificador Diferencial e Aplicações

Aula Prática 01. O Amplificador Diferencial e Aplicações Aula Prática 01 I - Objetivos O objetivo desta aula prática é estudar o amplificador diferencial, suas propriedades e aplicações. A técnica adotada é reforçar a noção de associação de amplificadores em

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Disciplina: Física Eletricidade Ótica Carga Horária: 80h Período: 3º. Ementa

PLANO DE ENSINO. Disciplina: Física Eletricidade Ótica Carga Horária: 80h Período: 3º. Ementa Disciplina: Física Eletricidade Ótica Carga Horária: 80h Período: 3º Ementa PLANO DE ENSINO Processos de eletrização, carga elétricas, força elétrica, campo elétrico, Lei de Gauss, potencial elétrico,

Leia mais

Guia de Aulas Práticas de Eletrônica Analógica e Digital AULA PRÁTICA 05 CIRCUITOS A DIODOS. 1. OBJETIVOS: Estudar diversas aplicações para os diodos

Guia de Aulas Práticas de Eletrônica Analógica e Digital AULA PRÁTICA 05 CIRCUITOS A DIODOS. 1. OBJETIVOS: Estudar diversas aplicações para os diodos AULA PRÁTICA 05 CIRCUITOS A DIODOS 1. OBJETIVOS: Estudar diversas aplicações para os diodos 2. PRÉ-REQUISITOS: Capítulo 2 do livro texto. 3. RESUMO TEÓRICO: O diodo, apesar de ser o dispositivo semicondutor

Leia mais

O Capacitor Q = V. C. V C = Vcc. (1 e t/τ ) τ = R. C

O Capacitor Q = V. C. V C = Vcc. (1 e t/τ ) τ = R. C O Capacitor Componente eletrônico constituído de duas placas condutoras, separadas por um material isolante. É um componente que, embora não conduza corrente elétrica entre seus terminais, é capaz de armazenar

Leia mais

CIRCUITOS COM CAPACITORES

CIRCUITOS COM CAPACITORES CIRCUITOS COM CAPACITORES 1. (Ufpr 13) Considerando que todos os capacitores da associação mostrada na figura abaixo têm uma capacitância igual a C, determine a capacitância do capacitor equivalente entre

Leia mais

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM. Ementa. Objetivos. Conteúdo Programático

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM. Ementa. Objetivos. Conteúdo Programático Disciplina: Física III C.H. Teórica: 60 Período Letivo: 2 sem/2015 PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM Série: 3ª Série CURSO: Engenharia Mecânica Periodo: Noturno C.H. Prática: Semestre de Ingresso: 2º C.H.

Leia mais

Descrição de Sistemas LTI por Variáveis de Estados 1

Descrição de Sistemas LTI por Variáveis de Estados 1 Descrição de Sistemas LTI por Variáveis de Estado Os estados de um sistema podem ser definidos como o conjunto mínimo de sinais que descrevem o comportamento dinâmico do sistema. Sendo assim, dado o valor

Leia mais

Universidade Federal de São João del-rei. Material Teórico de Suporte para as Práticas

Universidade Federal de São João del-rei. Material Teórico de Suporte para as Práticas Universidade Federal de São João del-rei Material Teórico de Suporte para as Práticas 1 Amplificador Operacional Um Amplificador Operacional, ou Amp Op, é um amplificador diferencial de ganho muito alto,

Leia mais

CAPÍTULO V I APLICAÇÕES DOS AMPLIFICADORES OPERACIONAIS

CAPÍTULO V I APLICAÇÕES DOS AMPLIFICADORES OPERACIONAIS CAPÍTULO V I APLICAÇÕES DOS AMPLIFICADORES OPERACIONAIS Neste capítulo, o objetivo é o estudo das aplicações com os Amplificadores Operacionais realizando funções matemáticas. Como integração, diferenciação,

Leia mais

Componentes eletrónicos. Maria do Anjo Albuquerque

Componentes eletrónicos. Maria do Anjo Albuquerque Componentes eletrónicos Motherboard de um computador e respetivos componentes eletrónicos Alguns componentes eletrónicos Características dos díodos de silício São o tipo mais simples de componente eletrónico

Leia mais

ELETRÔNICA DE POTÊNCIA I

ELETRÔNICA DE POTÊNCIA I ELETRÔNICA DE POTÊNCIA I Conversor Buck Módulo de Potência APARATO UTILIZADO: Você recebeu uma placa com de circuito com o circuito cujo esquema é mostrado na figura 1. O circuito é composto por um retificador

Leia mais

O CAPACITOR. -q E = V

O CAPACITOR. -q E = V MINISTÉRIO D EDUÇÃO SERETRI DE EDUÇÃO PROFISSIONL E TENOLÓGI INSTITUTO FEDERL DE EDUÇÃO, IÊNI E TENOLOGI DE SNT TRIN MPUS DE SÃO JOSÉ URSO TÉNIO INTEGRDO EM TELEOMUNIÇÕES Disciplina: nálise de ircuitos

Leia mais

Lista de Exercícios Amplificadores Operacionais

Lista de Exercícios Amplificadores Operacionais Lista de Exercícios Amplificadores Operacionais Para solução dos exercícios, suponha o amplificador operacional ideal e a alimentação simétrica de 12V. 1- Para os circuitos abaixo, diga qual configuração

Leia mais

Capítulo 3 Circuitos com Capacitância e Indutância

Capítulo 3 Circuitos com Capacitância e Indutância Capítulo 3 Circuitos com Capacitância e Indutância Sumário Respostas: Livre e ao Degrau Funções Singulares Resposta às Funções Singulares Representação de Sinais como Soma de Funções Singulares O Teorema

Leia mais

Introdução teórica aula 12: Pisca- Pisca Controlado por Luz

Introdução teórica aula 12: Pisca- Pisca Controlado por Luz Introdução teórica aula 12: Pisca- Pisca Controlado por Luz IC555 O IC555 é um circuito integrado (chip) utilizado em uma variedade de aplicações como temporizador ou multivibrador. O CI foi projetado

Leia mais

Indutância Elétrica. Professor João Luiz Cesarino Ferreira

Indutância Elétrica. Professor João Luiz Cesarino Ferreira Indutância Elétrica Um indutor é essencialmente um condutor enrolado em forma helicoidal. Pode ser enrolado de forma auto-sustentada ou sobre um determinado núcleo. Para lembrar sua constituição, o símbolo

Leia mais

FÍSICA EXPERIMENTAL 3001

FÍSICA EXPERIMENTAL 3001 FÍSICA EXPERIMENTAL 3001 EXPERIÊNCIA 1 CIRCUITO RLC EM CORRENTE ALTERNADA 1. OBJETIOS 1.1. Objetivo Geral Apresentar aos acadêmicos um circuito elétrico ressonante, o qual apresenta um máximo de corrente

Leia mais

PLANO DE ENSINO IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA

PLANO DE ENSINO IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA 1 PLANO DE ENSINO IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Curso: SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÔES Nome da disciplina: ELETRICIDADE E MAGNETISMO Código: 54155 Carga horária: 83 horas Semestre

Leia mais

Capacitores e Indutores (Aula 7) Prof. Daniel Dotta

Capacitores e Indutores (Aula 7) Prof. Daniel Dotta Capacitores e Indutores (Aula 7) Prof. Daniel Dotta 1 Sumário Capacitor Indutor 2 Capacitor Componente passivo de circuito. Consiste de duas superfícies condutoras separadas por um material não condutor

Leia mais

Figura 1 Circuito RLC série

Figura 1 Circuito RLC série ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DOM BOSCO FACULDADE DE ENGENHARIA DE RESENDE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA Disciplina: Laboratório de Circuitos Elétricos Circuitos de Segunda Ordem. Objetivo Os circuitos elétricos

Leia mais

Laboratório 7 Circuito RC *

Laboratório 7 Circuito RC * Laboratório 7 Circuito RC * Objetivo Observar o comportamento de um capacitor associado em série com um resistor e determinar a constante de tempo do circuito. Material utilizado Gerador de função Osciloscópio

Leia mais

Resumo e exercícios sobre capacitores Sex, 06 de Agosto de :26 - Última atualização Seg, 15 de Junho de :04

Resumo e exercícios sobre capacitores Sex, 06 de Agosto de :26 - Última atualização Seg, 15 de Junho de :04 CAPACITORES I) RESUMO DO ESTUDO DE CAPACITORES OU CONDENSADORES São dispositivos que tem a função de armazenar cargas elétricas. Nos circuitos os capacitores quando estão carregados não passam correntes.

Leia mais

Prof. Rogério Eletrônica Geral 1

Prof. Rogério Eletrônica Geral 1 Prof. Rogério Eletrônica Geral 1 Apostila 3 Continuação de Diodos III - CIRCUITOS COM DIODOS 1 - Sinal senoídal Um dos sinais elétricos alternados mais comuns é o senoídal. O sinal senoídal pode ser representado

Leia mais

Capacitor. Utilidade do Capacitor

Capacitor. Utilidade do Capacitor Capacitor Componentes que, embora não conduzam corrente elétrica entre seus terminais, são capazes de armazenar certa corrente, que será "descarregada", assim que não houver resistência entre seus terminais.

Leia mais

Introdução teórica Aula 8: Fonte de Tensão Regulada. Regulador LM7805. Fonte de tensão regulada. EEL7011 Eletricidade Básica Aula 8 EEL/CTC/UFSC

Introdução teórica Aula 8: Fonte de Tensão Regulada. Regulador LM7805. Fonte de tensão regulada. EEL7011 Eletricidade Básica Aula 8 EEL/CTC/UFSC Introdução teórica Aula 8: Fonte de Tensão Regulada Regulador LM7805 78xx é o nome de uma popular família de reguladores positivos de tensão. É um componente comum em muitas fontes de alimentação. Eles

Leia mais

Eletrotecnia. Nome: Nº Nome: Nº. Figura 1 Figura 2

Eletrotecnia. Nome: Nº Nome: Nº. Figura 1 Figura 2 1º Ano CET Energias Renováveis Eletrotecnia TRABALHO PRÁTICO 10 Condensador Elementos do grupo: Nome: Nº Nome: Nº Objectivos: Mostrar experimentalmente que a curva de carga e descarga de um condensador

Leia mais

Identificação do Valor Nominal do Resistor

Identificação do Valor Nominal do Resistor Conteúdo complementar 1: Identificação do Valor Nominal do Resistor Os resistores são identificados por um código de cores ou por um carimbo de identificação impresso no seu corpo. O código de cores consiste

Leia mais

INTRODUÇÃO. São propostas as práticas que deverão ser feita em 1 dia de aula prática (uma aula com duração de 50 minutos).

INTRODUÇÃO. São propostas as práticas que deverão ser feita em 1 dia de aula prática (uma aula com duração de 50 minutos). INTRODUÇÃO Este guia foi desenvolvido para as aulas práticas de Eletrônica e Instrumentação do Curso de Graduação em Engenharia Mecânica da Universidade Kroton/Anhanguera. São propostas as práticas que

Leia mais

Capacitância. Q e V são proporcionais em capacitor. A constante de proporcionalidade é denominada capacitância.

Capacitância. Q e V são proporcionais em capacitor. A constante de proporcionalidade é denominada capacitância. apacitância Dois condutores (chamados de armaduras) carregados formam um capacitor ue, uando carregado, faz com ue os condutores tenham cargas iguais em módulo e sinais contrários. Q e V são proporcionais

Leia mais

EXPERIMENTO 3: CIRCUITOS DE CORRENTE CONTÍNUA

EXPERIMENTO 3: CIRCUITOS DE CORRENTE CONTÍNUA EXPERIMENTO 3: CIRCUITOS DE CORRENTE CONTÍNUA 3.1 OBJETIVOS Verificar experimentalmente as Leis de Kirchhoff 3.2 INTRODUÇÃO Para a resolução de um circuito de corrente contínua (cc), com várias malhas,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES E LEIS DE KIRCHHOFF

ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES E LEIS DE KIRCHHOFF ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES E LEIS DE KIRCHHOFF Introdução Associação de Resistores Em muitas aplicações na engenharia elétrica e eletrônica é muito comum fazer associações de resistores com o objetivo de

Leia mais

25-1 Capacitância. Figura 25-1 Vários tipos de capacitores. Fonte: PLT 709. Me. Leandro B. Holanda,

25-1 Capacitância. Figura 25-1 Vários tipos de capacitores. Fonte: PLT 709. Me. Leandro B. Holanda, 25-1 Capacitância Capacitor é um dispositivo usado para armazenar energia elétrica. As pilhas de uma máquina fotográfica, por exemplo, armazenam a energia necessária para disparar um flash, carregando

Leia mais

Experimento 10 Circuitos RLC em corrente alternada: ressonância

Experimento 10 Circuitos RLC em corrente alternada: ressonância Experimento 10 Circuitos RLC em corrente alternada: ressonância 1. OBJETIVO O objetivo desta aula é estudar o comportamento de circuitos RLC em presença de uma fonte de alimentação de corrente alternada.

Leia mais

Eletrônica Geral Curso Técnico de Automação Industrial Lista 4 Análise de circuitos a diodos c.a.

Eletrônica Geral Curso Técnico de Automação Industrial Lista 4 Análise de circuitos a diodos c.a. Eletrônica Geral Curso Técnico de Automação Industrial Lista 4 Análise de circuitos a diodos c.a. 1. A Figura abaixo apresenta o oscilograma da forma de onda de tensão em um determinado nó de um circuito

Leia mais

Universidade Federal de Juiz de Fora Laboratório de Eletrônica CEL 037 Página 1 de 5

Universidade Federal de Juiz de Fora Laboratório de Eletrônica CEL 037 Página 1 de 5 Universidade Federal de Juiz de Fora Laboratório de Eletrônica CEL 037 Página 1 de 5 1 Título Prática 4 Circuitos retificadores 2 Objetivos Estudo e montagem de diferentes circuitos retificadores. 3 Fundamentos

Leia mais

CAMPO ELÉTRICO. Uma carga elétrica Q produz ao seu redor uma região afetada por sua presença denominada campo elétrico. Criado por cargas elétricas.

CAMPO ELÉTRICO. Uma carga elétrica Q produz ao seu redor uma região afetada por sua presença denominada campo elétrico. Criado por cargas elétricas. CAMPO ELÉTRICO Uma carga elétrica Q produz ao seu redor uma região afetada por sua presença denominada campo elétrico. Campo Elétrico Criado por cargas elétricas. Representado por linhas de campo. Grandeza

Leia mais

Capacitância e Dielétricos

Capacitância e Dielétricos Capacitância e Dielétricos 1 Um capacitor é um sistema constituído por dois condutores separados por um isolante (ou imersos no vácuo). Placas condutoras Carga elétrica Isolante (ou vácuo) Símbolos Em

Leia mais

Capacitância, Energia

Capacitância, Energia CAPÍTULO - 4 Capacitância, Energia Eletrostática táti e Dielétricos 1.Introdução Capacitores ou condensadores: são dispositivos que têm por função armazenar cargas elétricas. São constituídos por dois

Leia mais

GERADORES E RECEPTORES:

GERADORES E RECEPTORES: COLÉGIO ESTADUAL JOSUÉ BRANDÃO 3º Ano de Formação Geral Física IV Unidade_2009. Professor Alfredo Coelho Resumo Teórico/Exercícios GERADORES E RECEPTORES: Anteriormente estudamos os circuitos sem considerar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA LISTA DE EXERCICIOS #8 (1) FONTE DE CORRENTE a) Determine Io. b) Calcule

Leia mais

Experimento #2 AMPLIFICADOR OPERACIONAL

Experimento #2 AMPLIFICADOR OPERACIONAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA Experimento #2 AMPLIFICADOR OPERACIONAL Aplicações com amplificadores

Leia mais

Aula de Laboratório: DIODO

Aula de Laboratório: DIODO Aula de Laboratório: DIODO I.1 - Teste do estado de funcionamento de um diodo Utilizando a função apropriada do multímetro, meça a condutividade dos diodos fornecidos em ambos os sentidos de polarização.

Leia mais

DOBRADORES DE TENSÃO

DOBRADORES DE TENSÃO DOBRADORES DE TENSÃO 1 DOBRADORES DE TENSÃO OBJETIVOS: Entender o funcionamento dos dobradores de tensão; calcular as tensões na saída dos dobradores de tensão. INTRODUÇÃO TEÓRICA Um dobrador de tensão

Leia mais

GrandezasElétricase Principais Dispositivos

GrandezasElétricase Principais Dispositivos GrandezasElétricase Principais Dispositivos Vasos comunicantes podem ser uma analogia. Site Condutores, Isolantes e Semicondutores Lei de Ohm Resistor Resistor Um resistor é um componente que fornece

Leia mais

O circuito RLC. 1. Introdução

O circuito RLC. 1. Introdução O circuito C Na natureza são inúmeros os fenómenos que envolvem oscilações. Um exemplo comum é o pêndulo de um relógio, que se move periódicamente (ou seja, de repetindo o seu movimento ao fim de um intervalo

Leia mais

Experimento 6. Capacitores

Experimento 6. Capacitores Experimento 6 Capacitores 6.1 Capacitores e constante de tempo 6.1.1 Objetivos a.obter a curva de carga e a curva de descarga de capacitores; as leis e as constantes envolvidas. b.determinar o valor da

Leia mais

Universidade Anhanguera-Uniderp Pró-Reitoria de Graduação. Curso: Engenharia Civil PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

Universidade Anhanguera-Uniderp Pró-Reitoria de Graduação. Curso: Engenharia Civil PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM Disciplina: Eletricidade Aplicada Universidade Anhanguera-Uniderp Pró-Reitoria de Graduação Curso: Engenharia Civil PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM Série/Semestre: /5º Período Letivo: 2012-2 Turno: Noturno

Leia mais

Ánalise de Circuitos. 1. Método Intuitivo

Ánalise de Circuitos. 1. Método Intuitivo Ánalise de Circuitos 1. Método Intuitivo Ramo de um circuito: é um componente isolado tal como um resistor ou uma fonte. Este termo também é usado para um grupo de componentes sujeito a mesma corrente.

Leia mais

Associação de Resistores

Associação de Resistores Exper. 4 Objetivo Associação de esistores dentificar em um circuito resistivo as associações serie, paralela e mista. Determinar a resistência equivalente entre dois pontos de um circuito elétrico resistivo,

Leia mais

EXERCÍCIOS DE TREINAMENTO

EXERCÍCIOS DE TREINAMENTO 1. (G1) O que é um farad (F)? EXERCÍCIOS DE TREINAMENTO RSE 2. (Unesp) São dados um capacitor de capacitância (ou capacidade) C, uma bateria de f.e.m. e dois resistores cujas resistências são, respectivamente,

Leia mais

REPRESENTAÇÃO DE SISTEMAS DINÂMICOS NA FORMA DO ESPAÇO DOS ESTADOS

REPRESENTAÇÃO DE SISTEMAS DINÂMICOS NA FORMA DO ESPAÇO DOS ESTADOS REPRESENTAÇÃO DE SISTEMAS DINÂMICOS NA FORMA DO ESPAÇO DOS ESTADOS. Espaço dos estados Representação da dinâmica de um sistema de ordem n usando n equações diferenciais de primeira ordem. Sistema é escrito

Leia mais

CURSO ENGENHARIA DA PRODUÇÃO Autorizado pela Portaria nº de 25/08/10 D.O.U de 27/08/10 Componente Curricular: Física Geral e Experimental III

CURSO ENGENHARIA DA PRODUÇÃO Autorizado pela Portaria nº de 25/08/10 D.O.U de 27/08/10 Componente Curricular: Física Geral e Experimental III CURSO ENGENHARIA DA PRODUÇÃO Autorizado pela Portaria nº 1.150 de 25/08/10 D.O.U de 27/08/10 Componente Curricular: Física Geral e Experimental III Código: ENG 272 Pré-requisito: Física Geral e Experimental

Leia mais

CAPACITÂNCIA TEORIA. A Equipe SEI, pensando em você, preparou este artigo contendo uma breve teoria com exemplos para auxiliá-lo nos estudos.

CAPACITÂNCIA TEORIA. A Equipe SEI, pensando em você, preparou este artigo contendo uma breve teoria com exemplos para auxiliá-lo nos estudos. ITÂNI TOI quipe SI, pensando em você, preparou este artigo contendo uma breve teoria com exemplos para auxiliá-lo nos estudos. 1. apacitância de um condutor isolado O aluno, para continuar lendo esse artigo,

Leia mais

Fundamentos do Eletromagnetismo - Aula IX

Fundamentos do Eletromagnetismo - Aula IX Fundamentos do Eletromagnetismo - Aula IX Prof. Dr. Vicente Barros Conteúdo 11 - Energia eletrostática e capacitância. Conteúdo 12- Capacitores. Antes uma revisão Existe o famoso triângulo das equações

Leia mais

Roteiro-Relatório da Experiência N o 04 TEOREMAS DE THÉVENIN E NORTON

Roteiro-Relatório da Experiência N o 04 TEOREMAS DE THÉVENIN E NORTON Roteiro-Relatório da Experiência o 04 TEOREMS DE ÉVEI E ORTO 1. COMPOETES D EQUIPE: LUOS OT 1 2 3 Data: / / : hs 2. OJETIVOS: 2.1. Determinar experimentalmente os circuitos equivalentes de Thévenin e orton

Leia mais

Condensadores (capacitores)

Condensadores (capacitores) es (capacitores) O condensador (capacitor) é um componente de circuito que armazena cargas eléctricas. O parâmetro capacidade eléctrica (C) relaciona a tensão aos terminais com a respectiva carga armazenada.

Leia mais

Experimento 8 Circuitos RC e filtros de freqüência

Experimento 8 Circuitos RC e filtros de freqüência Experimento 8 Circuitos RC e filtros de freqüência 1. OBJETIVO O objetivo desta aula é ver como filtros de freqüência utilizados em eletrônica podem ser construídos a partir de um circuito RC. 2. MATERIAL

Leia mais

MODELAGEM MATEMÁTICA E ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DE GRANDEZAS ELÉTRICAS NO CIRCUITO RLC SÉRIE

MODELAGEM MATEMÁTICA E ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DE GRANDEZAS ELÉTRICAS NO CIRCUITO RLC SÉRIE MODELAGEM MATEMÁTICA E ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DE GRANDEZAS ELÉTRICAS NO CIRCUITO RLC SÉRIE Cleber Mateus Duarte Porciuncula 1 Andre Luiz Bedendo 2 1 Graduando de licenciatura em Matemática UNIJUÍ cleber.porciuncula@unijui.edu.br

Leia mais

QUESTÕES DA PROVA DE RÁDIO ELETRICIDADE- PARTE - 1

QUESTÕES DA PROVA DE RÁDIO ELETRICIDADE- PARTE - 1 QUESTÕES DA PROVA DE RÁDIO ELETRICIDADE- PARTE - 1 QUESTÕES DE SIMPLES ESCOLHA - PARTE 1 PRÓXIMA => QUESTÃO 1 a. ( ) Fonte de corrente alternada. b. ( ) Fonte de tensão contínua. c. ( ) Fonte de corrente

Leia mais

CONDENSADORES E DIELÉCTRICOS

CONDENSADORES E DIELÉCTRICOS TRABALHO PRÁTICO Nº 4 - LICENCIATURA EM FÍSICA CONDENSADORES E DIELÉCTRICOS Objectivo - Este trabalho pretende ilustrar a constituição e o funcionamento de um condensador, bem como determinar, de uma forma

Leia mais

Capacitor em corrente contínua

Capacitor em corrente contínua Capacitor em corrente contínua OBJETIVOS: a) estudar o processo de carga e descarga de um capacitor em regime de corrente contínua; b) verificar experimentalmente o significado da constante de tempo (τ)

Leia mais

ENERGIA, CARGA E DESCARGA DE CAPACITOR

ENERGIA, CARGA E DESCARGA DE CAPACITOR UNIVERSIDADE TENOLÓGIA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO AADÊMIO DE ELETROTÉNIA ELETRIIDADE E MAGNESTISMO - ET72F Profª Elisabete N Moraes ENERGIA, ARGA E DESARGA DE APAITOR E ASSUNTOS OMPLEMENTARES Energia

Leia mais