PROCESSO DO TRABALHO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROCESSO DO TRABALHO"

Transcrição

1 PROCESSO DO TRABALHO Atualizações: - Súmulas 430 até 434 TST; - OJ 412 até 420 SDI-1 TST; - Revogado o único do Art. 442 CLT; revogado pela Lei nº /12; Organização e Competência do Judiciário Trabalhista: - Art. 111 ao 116 CF/88; - Art. 111 da CF/88; fala quais são os órgão da justiça do trabalho: TST TRT Juiz do Trabalho a) Juiz do Trabalho: atuam nas Varas do Trabalho; 1ª instância; b) TRT s: são os Tribunais Regionais, espalhados pelo país; em regra, cada Estado tem o seu TRT, mas isso depende de seu volume de ações trabalhistas (tem Estados que tem mais de um TRT, e tem Estados que não tem TRT e o Estado vizinho abrange essa região); Art. 674 CLT; 2ª instância; c) TST: órgão de cúpula; só existe um, fica em Brasília; OBS: O órgão é o JUIZ DO TRABALHO e não as Varas do Trabalho; OBS: JCT Junta de Conciliação Trabalhista, NÃO existe mais; hoje se chama Vara do Trabalho; NÃO existe mais Juízes Classistas; - Art. 112 da CF/88; Juiz de Direito (Estadual) julga como se fosse juiz do trabalho suas sentenças cabe recurso para o TRT (Recurso Ordinário);

2 Comissão de Conciliação Prévia: - É conhecida pela sigla CCP; - Ser prévia = ANTES de se ingressar no poder judiciário; - O objetivo da CCP era desafogar o judiciário; - Art. 625-A ao 625-H da CLT; - Art. 625-A e 625-B da CLT; diz que, a CCP pode ser formada tanto no âmbito das empresas, como no âmbito dos Sindicatos; - Art. 625-D da CLT; STF entende que passar ou não pela CCP é uma FACULDADE (Art. 5º, XXXV da CF/88); após esse entendimento, a CPP perdeu força; - A CCP é EXTRAJUDICIAL; - NÃO é órgão do poder judiciário; - Art. 625-E da CLT; Mas, feita a proposta e feito o acordo, esse acordo feito perante CCP, terá força de Titulo Executivo Extrajudicial; pode ser executado esse título; quando se assina o termo, quem assina o termo dá quitação geral = diz o único desse artigo; quitação geral = entende-se que o trabalhador não irá procurar a Justiça do Trabalho, SALVO aquilo que for objeto de ressalva; Competência: A) Competência Absoluta: pode ser arguida de ofício pelo juiz ou, arguida a requerimento das próprias partes; isso pode ser feito a qualquer momento; em qualquer grau de jurisdição; compete a JT ação oriundas da relação de trabalho; os funcionários da administração pública regidos pela CLT são julgados pela Justiça do Trabalho (fora da JT os militares e os estatutários); Art Compete à Justiça do Trabalho processar e julgar: I as ações oriundas da relação de trabalho, abrangidos os entes de direito público externo e da administração pública direta e indireta da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios; II as ações que envolvam exercício do direito de greve; III as ações sobre representação sindical, entre sindicatos, entre sindicatos e trabalhadores, e entre sindicatos e empregadores; IV os mandados de segurança, habeas corpus e habeas data, quando o ato questionado envolver matéria sujeita à sua jurisdição; V os conflitos de competência entre órgãos com jurisdição trabalhista, ressalvado o disposto no art. 102, I, o; VI as ações de indenização por dano moral ou patrimonial, decorrentes da relação de trabalho;

3 VII as ações relativas às penalidades administrativas impostas aos empregadores pelos órgãos de fiscalização das relações de trabalho; VIII a execução, de ofício, das contribuições sociais previstas no art. 195, I, a, e II, e seus acréscimos legais, decorrentes das sentenças que proferir; IX outras controvérsias decorrentes da relação de trabalho, na forma da lei. 1º - Frustrada a negociação coletiva, as partes poderão eleger árbitros. 2º Recusando-se qualquer das partes à negociação coletiva ou à arbitragem, é facultado às mesmas, de comum acordo, ajuizar dissídio coletivo de natureza econômica, podendo a Justiça do Trabalho decidir o conflito, respeitadas as disposições mínimas legais de proteção ao trabalho, bem como as convencionadas anteriormente. 3º Em caso de greve em atividade essencial, com possibilidade de lesão do interesse público, o Ministério Público do Trabalho poderá ajuizar dissídio coletivo, competindo à Justiça do Trabalho decidir o conflito. i. Em razão da Matéria: Art. 114 da CF/88; OJ 416 SDI-1 TST: imunidade de jurisdição; OJ 414 SDI-1 TST; súmula 330 e 389 TST; súmula 424 TST; contribuições previdenciárias e fiscais decorrentes das decisões que o juiz do trabalho proferir, podem ser executadas; ações possessórias podem ser matéria da justiça do trabalho (súmula vinculante 23 STF); súmula vinculante 21 STF, deposito judicial prévio nos recursos administrativos é inconstitucional; ii. Em razão da Pessoa: iii. Competência Funcional/Hierárquica: B) Competência Relativa: NÃO pode ser arguida de ofício, TEM que se arguida pela parte interessada; existe um momento e um meio próprio para a sua arguição; o momento é na audiência, e o meio próprio é através de uma Exceção de Incompetência; se a parte não arguir na audiência, haverá a Prorrogação da Competência; i. Competência Territorial ou Em razão do lugar: Art. 651 da CLT; a regra é o local da prestação do serviço; Art. 651 A competência das Juntas de Conciliação e Julgamento é determinada pela localidade onde o empregado, reclamante ou reclamado, prestar serviços ao empregador, ainda que tenha sido contratado noutro local ou no estrangeiro. 1º Quando for parte no dissídio agente ou viajante comercial, a competência será da Junta da localidade em que a empresa tenha agência ou filial e a esta o empregado esteja subordinado e, na

4 falta, será competente a Junta da localização em que o empregado tenha domicílio ou a localidade mais próxima. 2º A competência das Juntas de Conciliação e Julgamento, estabelecida neste artigo, estende-se aos dissídios ocorridos em agência ou filial no estrangeiro, desde que o empregado seja brasileiro e não haja convenção internacional dispondo em contrário. 3º Em se tratando de empregador que promova realização de atividades fora do lugar do contrato de trabalho, é assegurado ao empregado apresentar reclamação no foro da celebração do contrato ou no da prestação dos respectivos serviços. Exceções: 1º agente ou viajante comercial; 2º trabalho no estrangeiro; se for brasileiro + não houver convenção internacional dispondo em contrário = a ação pode ser ajuizada no Brasil, e a lei que será aplicada é a MAIS BENÉFICA (cancelamento em 2012 da súmula 207 TST); 3º pessoa que presta serviços FORA do local da contratação; se a pessoa trabalha no local da contratação + fora do local da contratação = a ação pode ser ajuizada em qualquer um dos locais (escolher); Procedimentos Trabalhistas: - Também conhecido como Ritos Procedimentais; a) Procedimento Comum: o determinante aqui é o VALOR DA CAUSA; esse procedimento é subdividido em: i) Procedimento Sumário: Art. 2º, 3º e 4º da Lei nº 5584/70; as causas possuem o valor de ATÉ dois salários mínimos; das sentenças proferidas no procedimento sumário NÃO cabe recurso, SALVO se ferir matéria constitucional (Recurso Extraordinário / julgado pelo STF); ii) Procedimento Sumaríssimo: Art. 852-A até 852-I da CLT; menos formalidades; - Art. 852-A CLT: o valor da causa é de ATÉ 40 salários mínimos no momento do ajuizamento da ação, EXCETO aquelas demandas em que for parte a Administração Pública (NÃO fazem parte do procedimento sumaríssimo a Administração Pública Direta, Autárquica e Fundacional); Administração Pública INDIRETA PODE ajuizar no procedimento sumaríssimo (Empresa Pública, Sociedade de Economia Mista); - Art. 852-B da CLT: no inciso I, o pedido tem que ser CERTO, DETERMINADO e tem que

5 INDICAR o seu valor correspondente (fazer cálculos); esse procedimento é para a demanda andar mais rápido; o pedido tem que ser LÍQUIDO; no inciso II, NÃO cabe citação por edital; no inciso III, o endereço tem que está completo das partes; 1º - as exigências do inciso I e II se não forem cumpridas, terá o ARQUIVAMENTO (extinção sem a resolução do mérito e o autor terá que pagar as custas); - Art. 852-E da CLT: a conciliação pode ser feito em qualquer fase da audiência; - Art. 852-H da CLT: todas as provas serão produzidas na audiência, AINDA que não requeridas previamente; ex: testemunhas trazidas para audiência podem ser ouvidas; 1º - prova documental, não há prazo, manifestação em audiência e imediatamente; 2º - máximo de duas testemunhas para cada parte, e pode comparecer independente de intimação, fazer remissão do Art. 821 CLT; 3º - em regra a testemunha não é intimada, SÓ será intimada aquela testemunha que foi comprovadamente convidada e não compareceu em audiência; 4º - cabe prova técnica (prova pericial); o prazo para as partes comentar sobre o laudo é de 05 dias (prazo comum); quem paga o perito é quem for sucumbente no objeto da perícia (Art. 790-B CLT / quem é beneficiário de gratuidade de justiça não arcar com a perícia); Instrução Normativa 27 / Art. 6º se for uma relação de trabalho, pode sim exigir deposito prévio dos honorários periciais; se for uma relação de emprego, NÃO pode o juiz exigir deposito prévio dos honorários periciais; - Art. 852-I da CLT: a sentença do sumaríssimo terá a convicção do juízo (fundamentação + dispositivo), MAS é DISPENSÁVEL o relatório; da sentença do sumaríssimo CABE recurso (Recurso Ordinário / Art. 895, 1º CLT); do acórdão proferido pelo TRT CABE Recurso de Revista para o TST (Art.896, 6º da CLT); os recursos no procedimento sumaríssimo possuem regras especiais; iii) Procedimento Ordinário: - Art. 837 e seguintes da CLT; - Art. 821 CLT: no máximo de ATÉ 03 testemunhas;

6 b) Procedimento Especial: - Art. 821 CLT: no Inquérito para Falta Grave, pode ter no máximo ATÉ 06 testemunhas; REGRAS GERAIS: - Art. 763 até 769 CLT; - Art. 764 CLT: os dissídios serão SEMPRE sujeitos a conciliação; o juiz é obrigado a incentivar a conciliação; Princípio da Conciliação; 3º - é licito para as partes celebrar termo que põe fim ao processo, AINDA que passe o momento legal da conciliação; ou seja, a possibilidade de acordo pode ser feita em qualquer momento da audiência; a conciliação pode ser feita até mesmo no momento da execução; - Art. 767 CLT: compensação e dedução; elas SÓ podem ser arguidas como matéria de defesa; na contestação; quando o réu está se defendendo; a dedução = matéria de mesmo título; ex: pedido do autor é de horas extras, sendo que as horas extras já foram pagas, a dedução é que as horas extras sejam pagas, mas que sejam deduzidos as horas que já foram pagas; dedução tem que ser sempre de mesma natureza (ex: horas extras com horas extras); OJ 415 SDI-1 TST; a compensação = pode ser discussão de matéria diferente (títulos diferentes / MAS sempre matéria trabalhista); pode ser matéria de natureza diferente, porém sempre trabalhista; - Art. 768 CLT: falência; - Art. 769 CLT: omissão do direito processual do trabalho pode-se utilizar o direito processual civil; toda vez que na parte do processo do trabalho houver omissão na CLT em algum ponto, utiliza-se o código de processo civil, MAS isso na fase de CONHECIMENTO; na fase da EXECUÇÃO (Art.889 CLT), se houver omissão por parte da CLT, deve-se primeiro procurar na Lei de Executivos Fiscais (Lei nº 6830/80), se nessa lei não houver a resposta, aí sim se utiliza o CPC; OBS: não basta apenas ter a omissão na CLT para ir ao CPC, tem que ser compatível; PROCEDIMENTO ORDINÁRIO:

7 - Regra geral; - Art. 837 e seguintes da CLT; - Começa com o ajuizamento da ação (em sua grande maioria); começa com a petição inicial (reclamação trabalhista); - Dissídios coletivos, ação rescisória, NÃO começam nas Varas do Trabalho; - Art. 839 CLT: legitimados; prestadores de serviço (relação de trabalho), relação de emprego (empregados e os empregadores); os empregados e os empregadores podem ingressar com a reclamação trabalhista através de seus representantes (advogados) ou pessoalmente (jus postulandi / Art. 791 CLT); sindicatos podem atuar como representante (atuando como advogado (representação) ou substituto (atuando como se parte fosse / defendendo a categoria)); MPT procuradorias regionais do trabalho (ministério público do trabalho); OBS: Jus Postulandi Súmula 425 TST em 2010; o TST entende que o jus postulandi está em vigor, foi recepcionado pela CF/88, PORÉM NÃO pode ser utilizado no âmbito do TST, SOMENTE nas Varas do Trabalho e nos TRT s; O jus postulandi NÃO pode ser usado para Mandado de Segurança, Ações Rescisórias, Cautelas e nem Recursos de competência do TST; - Art. 791 CLT: jus postulandi; 3º reconhecimento do mandado TÁCITO; a regularidade desse mandado é comprovada com a cópia da ATA de audiência; 3º - A constituição de procurador com poderes para o foro em geral poderá ser efetivada, mediante simples registro em ata de audiência, a requerimento verbal do advogado interessado, com anuência da parte representada. Procuração apud acta = procuração colocada em ATA de audiência; poderes passados verbalmente para a ata de audiência; - Art. 840 CLT: a petição inicial trabalhista pode ser ESCRITA ou VERBAL; Art A reclamação poderá ser escrita ou verbal. 1º Sendo escrita, a reclamação deverá conter a designação do Presidente da Junta, ou do juiz de direito a quem for dirigida, a qualificação do reclamante e do reclamado, uma breve exposição dos fatos de que resulte o dissídio, o pedido, a data e a assinatura do reclamante ou de seu representante. 2º Se verbal, a reclamação será reduzida a termo, em 2 (duas) vias datadas e assinadas pelo escrivão ou chefe de secretaria, observado, no que couber, o disposto no parágrafo anterior.

8 - Art. 731 e 786 CLT: petição inicial VERBAL; Art A reclamação verbal será distribuída antes de sua redução a termo. Parágrafo único. Distribuída a reclamação verbal, a reclamação verbal, o reclamante deverá, salvo motivo de força maior, apresentar-se no prazo de 5 (cinco) dias, ao cartório ou à secretaria, para reduzi-la a termo, sob a pena estabelecida no Art Reclamação VERBAL tem que ser distribuída ANTES da sua redução a termo; primeiro distribui os dados mais importantes e, só depois, no prazo de 05 dias, é que o reclamante ou representante deve reduzir a termo; se não reduzir a termo nesse prazo de 05 dias, terá a pena de 06 meses SEM poder ingressar com a ação; Art Aquele que, tendo apresentado ao distribuidor reclamação verbal, não se apresentar, no prazo estabelecido no parágrafo único do Art. 786, à Junta ou Juízo para fazê-lo tomar por termo, incorrerá na pena de perda, pelo prazo de 6 (seis) meses, do direito de reclamar perante a Justiça do Trabalho. PEREMPÇÃO = perder o direito de ingressar com a ação; Art. 732 CLT se por DUAS vezes seguidas, o autor der causa ao arquivamento, ele ficará por 06 meses sem poder ingressar com a ação; PEREMPÇÃO nos Arts. 731 e 732 CLT; a prescrição continua correndo nos dois casos; - Art. 841 CLT: o escrivão tem que, em 48 horas, expedir uma notificação postal (é como se fosse a citação no processo civil); essa notificação tem o cunho de citação; essa notificação tem que ser enviada já com a cópia da petição inicial + a data da audiência; Art Recebida e protocolada a reclamação, o escrivão ou chefe de secretaria, dentro de 48 (quarenta e oito) horas, remeterá a segunda via da petição, ou do termo, ao reclamado, notificando-o ao mesmo tempo, para comparecer à audiência de julgamento, que será a primeira desimpedida, depois de 5 (cinco) dias. 1º A notificação será feita em registro postal com franquia. Se o reclamado criar embaraços ao seu recebimento ou não for encontrado, far-se-á a notificação por edital, inserto no jornal oficial ou no que publicar o expediente forense, ou, na falta, afixado na sede da Junta ou Juízo. 2º O reclamante será notificado no ato da apresentação da reclamação ou na forma do parágrafo anterior. - Os atos trabalhistas serão concentrados e entregues no dia da audiência trabalhista; - A data da audiência NÃO pode ser ANTES dos 05 dias da data da notificação; - Art. 843 e 844 CLT: somente terá a audiência se as partes estiverem presentes; na audiência o comparecimento das partes é OBRIGATÓRIO; se houver a ausência do RECLAMANTE (autor) = terá como consequência o arquivamento + pagamento das

9 custas (SALVO se beneficiário de gratuidade); se houver a ausência do RECLAMADO (réu) = terá como consequência a revelia + confissão; o réu pode mandar um preposto (TST = em regra o preposto tem que ser empregado da empresa / Súmula 377 TST); confissão é matéria de FATO (os fatos narrados na inicial são dados como verdadeiros) Reclamante = arquivamento + pagamento das custas; Reclamado = revelia + confissão; OBS: relação envolvendo doméstico ou micro/pequeno empresário = NÃO precisa que o preposto seja empregado; Súmula 122 TST quando o réu não aparece na audiência, mas o advogado vai para a audiência com a procuração = OCORRE REVELIA DO MESMO JEITO; o comparecimento das partes é OBRIGATÓRIO; se houver a apresentação de atestado médico, a revelia pode ser afastada. - Art. 846 CLT: 1ª proposta de conciliação; Se há acordo = será lavrado um Termo de Acordo (firmado na presença do juiz / Título Executivo Judicial); Súmula 418 TST a concessão de um acordo ou a concessão de uma liminar é uma FACULDADE do juiz; o acordo foi aceito, MAS o juiz NÃO é obrigado a aceitar o acordo; feito o acordo, NÃO cabe recurso para as partes; OBS: União que quer recorrer PODE; recorrer no tocante às contribuições que lhes sejam devidas; Art. 831, único da CLT; Recurso Ordinário; Ação Rescisória = tem como objetivo DESCONSTITUIR (desconstruir / destruir / anular) uma decisão JUDICIAL (título judicial), decisão judicial de mérito que transito em julgado; ação rescisória NÃO é recurso; Art. 485 CPC; Art.495 CPC o prazo para desconstituir é de 02 anos, contados do transito em julgado; esse prazo é um decadencial; Súmula 100 TST; Art. 836 CLT a ação rescisória cabe no processo do trabalho, mas é necessário fazer um depósito no valor de 20% do valor da causa;

10 Não há acordo = resposta do réu / aparece a contestação (Art. 847 CLT) + a possibilidade da apresentação das Exceções (Art. 799 ao 802 CLT); aparece também a possibilidade da reconvenção (formulação de pedidos em face do autor / Art. 315 CPC); 20 minutos; - Art. 818 ao 830 CLT: instrução processual; provas; Art. 333 CPC ônus da prova no processo do trabalho; em situações específicas há a inversão do ônus da prova, Súmula 212 TST = na dúvida do término do contrato de trabalho, o empregador é que irá provar que a relação acabou; Súmula 338 TST = é ônus do empregador, que tem mais de 10 empregados, ter cartão de ponto de frequência, registro da jornada de trabalho, e se a empresa NÃO tiver documentação, o ônus da prova continua sendo dela; OBS: OJ 215 SDI-1 TST CANCELADA!!!!! Hoje compete ao empregador o ônus da prova em relação ao vale transporte; - Art. 850 CLT: encerrada a instrução processual, poderão as partes aduzir as razões finais, em prazo de 10 minutos, ANTES da sentença; após a apresentação das razoes finais e ANTES da sentença, o juiz irá propor a 2ª conciliação, para só depois proferir a sentença; RECURSOS: - Art. 893 e seguintes da CLT; - Art. 893, 1º da CLT: trabalha com um princípio do direito processual do trabalho, Princípio da Irrecorribilidade Imediata das decisões interlocutórias; as decisões interlocutórias são IRRECORRÍVEIS de IMEDIATO; quando da decisão, pedir que seja consignado o protesto na ata de audiência, para futuramente recorrer junto com a decisão definitiva; mas SÓ poderá recorrer do que for consignado em ata de audiência; EXCEÇÃO: Súmula 214 TST existem situações que ainda que seja regra não recorrer de imediato, não há outro momento para a pessoa se manifestar, aí terá que se manifestar naquele momento da decisão; OBS: Nulidades: Art. 794 ao 798 CLT; a nulidade tem que ser arguida na primeira oportunidade;

11 Pressupostos Recursais: - Duplo Juízo de Admissibilidade dos Recursos: ex: quando interposto o recurso (Recurso Ordinário), quem primeiro irá analisar se existem todos os pressupostos do recurso na sua parte processual, é o juízo de primeiro grau (Juiz do Trabalho / Vara do Trabalho); após analisado os pressupostos, o RO irá para o TRT, que irá analisar o mérito do recurso; OBS: Embargos de Declaração NÃO tem duplo juízo de admissibilidade; Pressupostos Subjetivos ou Intrínsecos: analisa para quem está recorrendo; os pressupostos são: a) capacidade; b) legitimidade; Art. 499 CPC; aquele que foi sucumbente (quem perdeu); MP; c) interesse de agir; Pressupostos Objetivos ou Extrínsecos: a) recorribilidade da decisão; é a primeira coisa que se analisa nos pressupostos objetivos, porque há decisões que não podem ser recorridas; b) previsão legal; Art. 893 da CLT; c) adequação; o recurso tem que ser adequado; d) regularidade da representação; e) tempestividade; prazo dos recursos; Art. 6º da lei 5584/70; recurso típico do processo do trabalho, o prazo será SEMPRE de 08 dias; quando não for um recurso típico do direito processual do trabalho, o seu prazo será o original; quando o recurso está no prazo, ele é tempestivo; Súmula 434 TST extemporâneo quando o recurso é interposto ANTES do prazo; f) preparo (recolhimentos para que o seu recurso venha a ser aceito); o preparo do recurso tem que está presente (feito + comprovado) dentro do prazo do recurso; Autor: custas; NÃO se fala de depósito recursal para o autor; Art. 789, 790 e 790-A CLT; as custas são recolhidas e comprovadas dentro do prazo do recurso; TST entendeu que, se o recurso for apresentado sem a comprovação das custas, mas ainda há prazo para o

12 recurso, a comprovação das custas pode ser apresentada até terminar o prazo; Súmula 245 TST; Réu: custas + depósito recursal; o mesmo que ocorre com as custas, ocorre com a comprovação do preparo (Súmula 245 TST); Art.899 da CLT; OBS: Agravo de Instrumento no processo do Trabalho serve para DESTRANCAR / DESTRAVAR recurso; - Art. 899 da CLT: depósito recursal; SEMPRE do réu; o Agravo de Instrumento (que era gratuito) HOJE tem preparo ( 7º) para destrancar um recurso; o depósito do agravo corresponde a 50% do valor do depósito do recurso que se quer destrancar; - Art. 790-A da CLT: trata sobre as pessoas que estão isentas das custas processuais; único a isenção NÃO alcança as entidades fiscalizadoras (ex: OAB); - Súmula 426 TST dissídios individuais, o depósito recursal será através do GFIP; OBS: Recurso Deserto = deu problema no recolhimento do recurso; TST TRT Juiz do Trabalho Sentença Embargos de Declaração Art.897-A CLT

13 Embargos de Declaração: não é um recurso típico do direito do trabalho; interposto na 1ª instância, no próprio juízo que proferiu a decisão de 1º grau; prazo de 05 dias; cabem embargos quando houver manifesto equivoco na analise dos pressupostos intrínsecos do recurso; os embargos interrompem (zera e começa do inicio) o prazo para os demais recursos; Recurso Ordinário (RO): interposto para o TRT; prazo de 08 dias; é um recurso típico trabalhista; Art. 895 CLT; são duas hipóteses de cabimento do RO, no inciso I do Art. 895 da CLT da sentença proferida pelo juiz cabe RO para TRT (RO clássico), no inciso II do Art. 895 da CLT nas matérias de competência originária dos Tribunais (TRT / acórdão / já começa no TRT, a primeira decisão foi do TRT), o recurso cabível também é o RO, que será apreciado pelo TST; RO é cabível tanto para dissídios individuais (matéria de competência do Juiz do Trabalho), como também nos dissídios coletivos (matéria de competência do TRT); RO serve para impugnar decisões terminativas (sem resolução do mérito) e definitivas (entrou no mérito), de matéria de direito e matéria de fato; Do acórdão que julgou o RO, cabe Embargos de Declaração; Do acórdão que julgou o RO (TRT), cabe Recurso de Revista (RR), com endereçamento para o TST; Recurso de Revista: Art. 896 e 896-A da CLT; prazo de 08 dias; I. Se a demanda estiver tramitando no Procedimento Ordinário, cabe RR: a) Se tiver ofensa à CF/88 (antes de mandar para STF); b) Se tiver ofensa a Lei Federal; c) Se tiver contrariedade a Súmula do TST; d) Se tiver contrariedade a OJ do TST; e) Se tiver divergência Jurisprudencial entre os Tribunais; II. Se a demanda estiver tramitando no Procedimento Sumaríssimo, cabe RR (Art. 896, 6º da CLT): a) Se houver violação à CF/88; b) Se houver uma contrariedade a uma Súmula do TST;

14 III. Se a demanda estiver na fase de Execução, cabe RR: - A Execução ocorre onde tudo começou; a) Em regra, NÃO cabe RR na fase de execução; EXCEÇÃO: quando houver violação à CF/88; Art. 896, 2º da CLT; Do acórdão proferido pelo TST, cabe Embargos de Declaração ou Recurso Extraordinário (Art. 102 da CF); Recurso Extraordinário: Art. 102 da CF; pode ser interposto quando houver violação à CF/88, sendo que também tem que haver a repercussão geral e o prequestionamento; a repercussão geral no direito do trabalho é conhecida como, Transcendência (Art. 896-A CLT / relevância no aspecto social, político...); Agravo de Instrumento: Art. 897 da CLT; finalidade de destrancar recurso, que ficou preso no primeiro juízo de admissibilidade; prazo de 08 dias; recurso típico do direito do trabalho; Agravo de Petição: é recurso típico da EXECUÇÃO; Agravo de Decisão Monocrática proferidas por membros do colegiado: Art. 557, 1º do CPC utiliza essa fundamentação se isso acontecer no âmbito do TRT (excepcionalmente o prazo desse recurso será de 08 dias); Art. 896, 5º da CLT utiliza essa fundamentação se isso acontecer no âmbito do TST (Agravo Regimental / prazo de 08 dias); Embargos ao TST: Art. 894 da CLT; cabimento para questões ligadas diretamente ao TST; inciso I Embargos ao TST para decisões NÃO unanimes de julgamento; inciso II Embargos ao TST para uniformizar a jurisprudência; Recurso Adesivo: previsão no processo civil, Art.500 CPC; colar no recurso do outro;

15 ocorre quando uma parte não recorreu, mas pega carona quando a outra parte recorre; Recursos no processo civil, em regra eles são recebidos no duplo efeito, suspensivo e devolutivo; MAS quando falamos no processo do trabalho, a regra é que o efeito do recurso seja apenas DEVOLUTIVO (devolver a matéria para o TRT ou TST apreciar); porém, pode acontecer de ser necessário o pedido do efeito suspensivo, e esse pedido é feito através de uma CAUTELAR (Súmula 414, I TST); A parte da decisão que não foi efeito do recurso (que não foi recorrida), pode-se fazer a chamada EXECUÇÃO PROVISÓRIA, agilizando na parte que não foi impugnada; porém a execução provisória SÓ pode ir ATÉ a penhora; Art. 620 CPC; Súmula 417 TST; a execução provisória tem que se dar da forma menos gravosa para o executado;

SUMÁRIO. Direito do Trabalho Direito Processual Civil Direito Processual do Trabalho

SUMÁRIO. Direito do Trabalho Direito Processual Civil Direito Processual do Trabalho SUMÁRIO Direito do Trabalho... 05 Direito Processual Civil... 139 Direito Processual do Trabalho... 195 DIREITO DO TRABALHO ÍNDICE CAPÍTULO 01... 7 Fontes e Princípios de Direito do Trabalho... 7 Surgimento

Leia mais

RECURSOS TRABALHISTAS MONITOR JEAN LUIZ

RECURSOS TRABALHISTAS MONITOR JEAN LUIZ TRABALHISTAS MONITOR JEAN LUIZ Efeitos dos recursos Conceito- é a forma pela qual a parte pode obter o reexame de uma decisão. Efeitos: Devolutivo- é inerente a todos recurso. Suspensivo- suspende os efeitos

Leia mais

Processo do Trabalho I Simulados_Corrigidos_UNESA

Processo do Trabalho I Simulados_Corrigidos_UNESA Processo do Trabalho I Simulados_Corrigidos_UNESA SIMULADO 1: 1a Questão: A Consolidação das Leis do Trabalho autoriza que o Direito Processual Comum seja aplicado subsidiariamente ao Direito Processual

Leia mais

NIVELAMENTO PARA PÓS GRADUAÇÃO. - Direito Individual do Trabalho - (aula 11/11)

NIVELAMENTO PARA PÓS GRADUAÇÃO. - Direito Individual do Trabalho - (aula 11/11) NIVELAMENTO PARA PÓS GRADUAÇÃO - Direito Individual do Trabalho - (aula 11/11) CUSTÓDIO NOGUEIRA Advogado militante especializado em Direito Civil e Processo Civil; Sócio da Tardem e Nogueira Assessoria

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS FACULDADE DE DIREITO Direito Processual do Trabalho Profª. Ms. Tatiana Riemann DISSÍDIO COLETIVO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS FACULDADE DE DIREITO Direito Processual do Trabalho Profª. Ms. Tatiana Riemann DISSÍDIO COLETIVO DISSÍDIO COLETIVO 1. Conceito - Dissídio coletivo é o processo que vai dirimir os conflitos coletivos do trabalho, por meio do pronunciamento do Poder Judiciário, criando ou modificando condições de trabalho

Leia mais

Prefácio..., Nota do Autor Voto de Louvor do Tribunal Superior do Trabalho Livro I A JUSTIÇA DO TRABALHO

Prefácio..., Nota do Autor Voto de Louvor do Tribunal Superior do Trabalho Livro I A JUSTIÇA DO TRABALHO ÍNDICE GERAL Prefácio...,............ 19 Nota do Autor... 21 Voto de Louvor do Tribunal Superior do Trabalho... 23 Livro I A JUSTIÇA DO TRABALHO Capítulo 1 Introdução 27 1. O trabalho e sua proteção legal.

Leia mais

Direito do Trabalho Teoria Geral dos Recursos Trabalhistas Konrad Mota Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

Direito do Trabalho Teoria Geral dos Recursos Trabalhistas Konrad Mota Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Direito do Trabalho Teoria Geral dos Recursos Trabalhistas Konrad Mota 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. TEORIA GERAL DOS RECURSOS TRABALHISTAS Prof.: Konrad

Leia mais

Manual de Prática Trabalhista - 6ª Edição - Cinthia Machado de Oliveira. Título I PETIÇÃO INICIAL Capítulo I PETIÇÃO INICIAL EM DISSÍDIO INDIVIDUAL

Manual de Prática Trabalhista - 6ª Edição - Cinthia Machado de Oliveira. Título I PETIÇÃO INICIAL Capítulo I PETIÇÃO INICIAL EM DISSÍDIO INDIVIDUAL SUMÁRIO Título I PETIÇÃO INICIAL PETIÇÃO INICIAL EM DISSÍDIO INDIVIDUAL Fundamento legal... 15 Cabimento... 15 Espécies de ritos do processo do trabalho... 16 Rito sumário... 16 Rito sumaríssimo... 16

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO PRÁTICA TRABALHISTA ORGANIZAÇÃO DA JUSTIÇA DO TRABALHO

ESTÁGIO SUPERVISIONADO PRÁTICA TRABALHISTA ORGANIZAÇÃO DA JUSTIÇA DO TRABALHO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PRÁTICA TRABALHISTA ORGANIZAÇÃO DA JUSTIÇA DO TRABALHO 1. Surgimento da Justiça do Trabalho origens históricas - Surge em face do Direito do Trabalho e dos conflitos trabalhistas

Leia mais

Processo do Trabalho I

Processo do Trabalho I Processo do Trabalho I»Aula 5 Jurisdição e Competência Parte 1 Introdução Jurisdição Competência Em razão da Matéria Competência Funcional Jurisdição e competência da Justiça a do Trabalho I Introdução

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO PARTE I TEORIA GERAL DOS RECURSOS

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO PARTE I TEORIA GERAL DOS RECURSOS SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 19 PARTE I TEORIA GERAL DOS RECURSOS CAPÍTULO I MEIOS DE IMPUGNAÇÃO, CONCEITO, CLASSIFICAÇÃO E DIREITO INTERTEMPORAL... 25 1. Meios de impugnação... 25 2. Conceito de recurso...

Leia mais

Composição JUSTIÇA DO TRABALHO TST ÚLTIMA INSTÂNCIA TRT 2ª. INSTÂNCIA VARA 1ª. INSTÂNCIA

Composição JUSTIÇA DO TRABALHO TST ÚLTIMA INSTÂNCIA TRT 2ª. INSTÂNCIA VARA 1ª. INSTÂNCIA Composição JUSTIÇA DO TRABALHO TST ÚLTIMA INSTÂNCIA TRT 2ª. INSTÂNCIA VARA 1ª. INSTÂNCIA TST Vinte e sete ministros TRT Vinte e oito desembargadores Varas do Trabalho Um juiz titular em cada vara Art.

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL PEÇA PROFISSIONAL Trata-se de reclamação trabalhista sob o rito ordinário visto que a empresa foi fechada e seus representantes se encontram em local incerto e não sabido, à medida que o art. 825-B, II,

Leia mais

RECURSO DE REVISTA-AIRR REC. ADESIVO EMBARGOS À SDI RECURSO EXTRAORDINÁRIO PROFESSOR LAURO GUIMARÃES

RECURSO DE REVISTA-AIRR REC. ADESIVO EMBARGOS À SDI RECURSO EXTRAORDINÁRIO PROFESSOR LAURO GUIMARÃES RECURSO DE REVISTA-AIRR REC. ADESIVO EMBARGOS À SDI RECURSO EXTRAORDINÁRIO PROFESSOR LAURO GUIMARÃES NOVA SISTEMÁTICA RECURSAL TRABALHISTA REP. GERAL/REC. REPETITIVOS LEI 13.015/2014 NOVO CPC CPC - ARTS.

Leia mais

A COBRANÇA DE HONORÁRIOS PROFISSIONAIS PERANTE A JUSTIÇA DO TRABALHO

A COBRANÇA DE HONORÁRIOS PROFISSIONAIS PERANTE A JUSTIÇA DO TRABALHO A COBRANÇA DE HONORÁRIOS PROFISSIONAIS PERANTE A JUSTIÇA DO TRABALHO Eneida Cornel * A Emenda Constitucional nº 45/2004 trouxe mudanças profundas de competência dos órgãos do Poder Judiciário, especificamente

Leia mais

Processo Trabalho Prova Corrigida AV2

Processo Trabalho Prova Corrigida AV2 Processo Trabalho Prova Corrigida AV2 Fonte: Universidade Estácio de Sá 1a Questão: (134o Exame OAB/SP) Nos dissídios de alçada exclusiva da vara do trabalho, apenas cabe recurso no caso de a questão decidida:

Leia mais

Sumário Capítulo 1 Prazos Capítulo 2 Incompetência: principais mudanças

Sumário Capítulo 1 Prazos Capítulo 2 Incompetência: principais mudanças Sumário Capítulo 1 Prazos 1.1. Forma de contagem: somente em dias úteis 1.2. Prática do ato processual antes da publicação 1.3. Uniformização dos prazos para recursos 1.4. Prazos para os pronunciamentos

Leia mais

RECURSOS NO PROCESSO DO TRABALHO

RECURSOS NO PROCESSO DO TRABALHO Curso de RECURSOS NO PROCESSO DO TRABALHO Turma 5 LOCAL: Pelotas - RS PÚBLICO-ALVO: SERVIDORES LOTADOS NAS VARAS DO TRABALHO DE: Arroio Grande, Bagé, Camaquã, Cachoeira do Sul, Pelotas, Rio Grande, Santa

Leia mais

DIR. COLETIVO DO TRABALHO FABRÍCIO AITA IVO PONTO 1: DISSÍDIO COLETIVO PONTO 2: NEGOCIAÇÃO COLETIVA PONTO 3: SINDICATOS

DIR. COLETIVO DO TRABALHO FABRÍCIO AITA IVO PONTO 1: DISSÍDIO COLETIVO PONTO 2: NEGOCIAÇÃO COLETIVA PONTO 3: SINDICATOS DIR. COLETIVO DO TRABALHO DIR. COLETIVO DO TRABALHO PONTO 1: DISSÍDIO COLETIVO PONTO 2: NEGOCIAÇÃO COLETIVA PONTO 3: SINDICATOS DIREITO COLETIVO DO TRABALHO: os sujeitos são os Sindicatos. *DISSÍDIO COLETIVO:

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL PEÇA PROFISSIONAL Trata-se de contestação ou defesa, que deve trazer em seu bojo tópico próprio relativamente à prescrição quinquenal de que trata o art. 7.º, XXIX, da Constituição Federal, por meio do

Leia mais

Sumário. Parte I DIREITO DO TRABALHO

Sumário. Parte I DIREITO DO TRABALHO Sumário Parte I DIREITO DO TRABALHO Capítulo I REGULAMENTO DE EMPRESA, PRINCÍPIOS E PROGRAMA DE INCENTIVO À DEMISSÃO VOLUNTÁRIA... 17 1. Regulamento de empresa (norma regulamentar)... 17 1.1. Complementação

Leia mais

5.6 Ações Trabalhistas Advindas da Relação de Emprego

5.6 Ações Trabalhistas Advindas da Relação de Emprego Dano moral individual o Competência Súmula nº 392 do TST - DANO MORAL. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO (conversão da Orientação Jurisprudencial nº 327 da SBDI-1) - Res. 129/2005, DJ 20, 22 e 25.04.2005

Leia mais

Escola de Ciências Jurídicas-ECJ

Escola de Ciências Jurídicas-ECJ Posição legal Momento processual Necessidade, finalidade, objeto e limites Natureza jurídica Liquidação na pendência de recurso Liquidação concomitante com execução Modalidades Liquidação de sentença Sumário

Leia mais

Auxiliar Jurídico. Módulo III. Aula 01

Auxiliar Jurídico. Módulo III. Aula 01 Auxiliar Jurídico Módulo III Aula 01 1 INTRODUÇÃO O 3º módulo correspondente ao Direito Processual do Trabalho que trata de alguns mecanismos processuais dentro da Justiça do Trabalho. Estudaremos ainda,

Leia mais

LEGALE FORMAÇÃO DO ADVOGADO ATÉ 2 ANOS DE OAB

LEGALE FORMAÇÃO DO ADVOGADO ATÉ 2 ANOS DE OAB LEGALE FORMAÇÃO DO ADVOGADO ATÉ 2 ANOS DE OAB Teoria Geral dos Recurso / Embargos de Declaração / Recurso Ordinário Professor: Rogério Martir Doutorando em Ciências Jurídicas e Sociais, Advogado militante

Leia mais

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA OFICINA DO NOVO CPC EMBARGOS DE DECLARAÇÃO

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA OFICINA DO NOVO CPC EMBARGOS DE DECLARAÇÃO OFICINA DO NOVO CPC EMBARGOS DE DECLARAÇÃO Artigos 1.022 a 1.026 do Código de Processo Civil 1. Conceito Os embargos declaratórios são opostos contra qualquer decisão que contenha obscuridade, omissão,

Leia mais

CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE A AÇÃO CIVIL PÚBLICA... 23

CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE A AÇÃO CIVIL PÚBLICA... 23 SUMÁRIO Capítulo I CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE A AÇÃO CIVIL PÚBLICA... 23 1. Previsão normativa... 23 1.1. A tradição individualista na tutela dos direitos... 23 1.2. Surgimento e consolidação da tutela

Leia mais

PARTES E PROCURADORES DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO. Aula 5 Partes e procuradores. Professora: Maria Inês Gerardo. Site: mariainesgerardo.com.

PARTES E PROCURADORES DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO. Aula 5 Partes e procuradores. Professora: Maria Inês Gerardo. Site: mariainesgerardo.com. DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO Aula 5 Partes e procuradores. Professora: Maria Inês Gerardo Site: mariainesgerardo.com.br Facebook: Maria Inês Gerardo Conteúdo Programático desta aula Partes e Procuradores

Leia mais

I CONCEITOS PROCESSUAIS BÁSICOS

I CONCEITOS PROCESSUAIS BÁSICOS I CONCEITOS PROCESSUAIS BÁSICOS 1) Pretensão: A pretensão é o desejo de uma pessoa de submeter ao seu o interesse de terceiro, de obter certo benefício, como o recebimento de alguma importância ou a imposição

Leia mais

AULA 4 11/03/11 A COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO

AULA 4 11/03/11 A COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO AULA 4 11/03/11 A COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO 1 A COMPETÊNCIA A competência nada mais é, senão, a medida de extensão do poder de exercer a jurisdição, ou seja, de dizer o direito no caso concreto.

Leia mais

TEORIA GERAL DOS RECURSOS

TEORIA GERAL DOS RECURSOS TEORIA GERAL DOS RECURSOS FUNDAMENTO, CONCEITO E NATUREZA JURIDICA Fundamentos: A necessidade psicológica do vencido irresignação natural da parte A falibidade humana do julgador Razões históricas do próprio

Leia mais

Sumário PARTE I ASPECTOS PROCESSUAIS GERAIS

Sumário PARTE I ASPECTOS PROCESSUAIS GERAIS Sumário PARTE I ASPECTOS PROCESSUAIS GERAIS 1 Jurisdição 1.1 Introdução 1.2 Conceito e características 1.3 Divisão da jurisdição 1.4 Organização judiciária 2 Direito Processual Civil 2.1 Conceito e delimitação

Leia mais

Sumário. Capítulo 1 A Situação Concreta Exposição da Situação Concreta e de suas mais de 50 Petições Vinculadas...1

Sumário. Capítulo 1 A Situação Concreta Exposição da Situação Concreta e de suas mais de 50 Petições Vinculadas...1 Sumário Capítulo 1 A Situação Concreta... 1 1.1. Exposição da Situação Concreta e de suas mais de 50 Petições Vinculadas...1 Capítulo 2 Petições Cíveis: Procedimento Comum... 7 2.1. Petição Inicial...7

Leia mais

I - Objetivos Gerais:- Ensino do Direito Processual do Trabalho, enfocando a formação humanística com o

I - Objetivos Gerais:- Ensino do Direito Processual do Trabalho, enfocando a formação humanística com o Plano de Ensino Disciplina: DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO Curso: DIREITO Código: Série: 4ª Obrigatória ( X ) Optativa ( ) CH Teórica: 34 CH Prática: 34 CH Total:68 I - Objetivos Gerais:- Ensino do Direito

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL

DIREITO PROCESSUAL CIVIL DIREITO PROCESSUAL CIVIL FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS (FCC) TÉCNICO TRT s 07 PROVAS 34 QUESTÕES (2012 2010) A apostila contém provas de Direito Processual Civil de concursos da Fundação Carlos Chagas (FCC),

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 15ª REGIÃO 2ª Vara do Trabalho de Sorocaba

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 15ª REGIÃO 2ª Vara do Trabalho de Sorocaba PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 15ª REGIÃO 2ª Vara do Trabalho de Sorocaba PODER JUDICIÁRIO FEDERAL Justiça do Trabalho - 15ª Região 2ª Vara do Trabalho de Sorocaba

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL ESCOLA DE DIREITO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO 10º PERÍODO NIVELAMENTO RECURSO DE REVISTA

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL ESCOLA DE DIREITO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO 10º PERÍODO NIVELAMENTO RECURSO DE REVISTA FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL ESCOLA DE DIREITO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO 10º PERÍODO NIVELAMENTO RECURSO DE REVISTA ESTUDO PROVA OAB FGV QUESTIONAMENTOS E REFLEXÕES PARA

Leia mais

Questão 1 (FCC TJ-PE - Técnico Judiciário - Área Judiciária - e Administrativa)

Questão 1 (FCC TJ-PE - Técnico Judiciário - Área Judiciária - e Administrativa) CURSO DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DE PROCESSO CIVIL PONTO A PONTO PARA TRIBUNAIS MÓDULO 10 RECURSOS. Professora: Janaína Noleto Curso Agora Eu Passo () Olá, pessoal! Chegamos ao nosso décimo módulo. No módulo

Leia mais

Teoria Geral dos Recursos 2ª Parte

Teoria Geral dos Recursos 2ª Parte Teoria Geral dos Recursos 2ª Parte Olá pessoal! A prova do TRT/ES está próxima então vamos dar continuidade a nossa aula de recursos no processo do trabalho. Hoje a nossa aula será sobre recursos em espécie

Leia mais

SUMÁRIO. Parte I: TEORIA GERAL DOS RECURSOS. Capítulo I Teoria geral dos recursos Modalidades recursais e competência legislativa...

SUMÁRIO. Parte I: TEORIA GERAL DOS RECURSOS. Capítulo I Teoria geral dos recursos Modalidades recursais e competência legislativa... SIGLAS... 25 INTRODUÇÃO... 27 Parte I: TEORIA GERAL DOS RECURSOS Capítulo I Teoria geral dos recursos... 31 1. Introdução e conceito... 31 2. Modalidades recursais e competência legislativa... 32 3. Características...

Leia mais

IMPACTOS CORPORATIVOS SOBRE AS ALTERAÇÕES DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL Carolina Sayuri Nagai Calaf

IMPACTOS CORPORATIVOS SOBRE AS ALTERAÇÕES DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL Carolina Sayuri Nagai Calaf IMPACTOS CORPORATIVOS SOBRE AS ALTERAÇÕES DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL Carolina Sayuri Nagai Calaf O QUE MUDOU EM LINHAS GERAIS Parágrafo 5º, no art. 46: Execução Fiscal sempre será proposta no domicílio

Leia mais

DISPOSIÇÕES APLICÁVEIS EM CURSO NO JEF. Dra. Fiorella Ignacio Bartalo.

DISPOSIÇÕES APLICÁVEIS EM CURSO NO JEF. Dra. Fiorella Ignacio Bartalo. DISPOSIÇÕES APLICÁVEIS DO NCPC NOS PROCESSOS EM CURSO NO JEF Dra. Fiorella Ignacio Bartalo fiorella@aasp.org.br Artigo 985: Incidente de Resolução de Demandas Repetitivas Julgado o incidente, a tese jurídica

Leia mais

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 DIREITO INDIVIDUAL DO TRABALHO CAPÍTULO 2 CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO... 29

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 DIREITO INDIVIDUAL DO TRABALHO CAPÍTULO 2 CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO... 29 SUMÁRIO CAPÍTULO 1 DIREITO INDIVIDUAL DO TRABALHO... 15 1.1 FONTES DO DIREITO DO TRABALHO...15 1.1.1 Classificação...15 1.1.2 Hierarquia entre as fontes justrabalhistas...16 1.2 Princípios do direito do

Leia mais

Cursos Jurídicos. Prática Trabalhista Prof. Carlos Gonçalves da Cruz

Cursos Jurídicos. Prática Trabalhista Prof. Carlos Gonçalves da Cruz Do Fluxograma dos Recursos Sentença Há omissão, obscuridade ou contradição? Embargos de declaração Prazo: 5 dias Sentença dos ED Recurso Ordinário 1 Recurso Ordinário 2? de Instrumento Prazo ultâneo Contra-razões

Leia mais

3 Prazos processuais 3.1 Classificação 3.2 Contagem dos prazos

3 Prazos processuais 3.1 Classificação 3.2 Contagem dos prazos SUMÁRIO I Introdução ao Direito Processual do Trabalho 1 Fontes do direito processual do trabalho 1.1 Fontes materiais 1.2 Fontes formais 1.2.1 Fontes formais diretas 1.2.2 Fontes formais indiretas 1.2.3

Leia mais

XXI Encontro Institucional de Magistrados do TRT 14 Região. Porto Velho, 24 de junho de 2016.

XXI Encontro Institucional de Magistrados do TRT 14 Região. Porto Velho, 24 de junho de 2016. XXI Encontro Institucional de Magistrados do TRT 14 Região. Porto Velho, 24 de junho de 2016. Enunciado 01 NATUREZA JURÍDICA DA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 39/2016 DO TST. A instrução normativa consiste em

Leia mais

RECURSO ORDINÁRIO. Recurso Ordinário

RECURSO ORDINÁRIO. Recurso Ordinário RECURSO ORDINÁRIO Conceito: Os recursos ordinários são os recursos cabíveis para impugnar decisões havidas nos casos previstos no art. 1.027 do CPC. Apesar de serem julgados pelo Supremo Tribunal Federal

Leia mais

Recurso ordinário1 1. Conceito e cabimento final terminativa recurso ordinário Tobias Damião Corrêa Bruna Fernanda Bronzatti

Recurso ordinário1 1. Conceito e cabimento final terminativa recurso ordinário Tobias Damião Corrêa Bruna Fernanda Bronzatti Recurso ordinário 1 1. Conceito e cabimento Através do recurso ordinário se impugna a decisão proferida pela Vara, consoante o art. 895 da CLT. Por decisões definitivas das Varas, deve-se entender a final

Leia mais

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL - STF

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL - STF SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL - STF Atualizado em 09/11/2016 RESOLUÇÃO Nº 581, DE 8 DE JUNHO DE 2016 Dispõe sobre as Tabelas de Custas e a Tabela de Porte de Remessa e Retorno dos Autos e dá outras providências.

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XXI EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XXI EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Paulo foi empregado da microempresa Tudo Limpo Ltda. de 22/02/15 a 15/03/16. Trabalhava como auxiliar de serviços gerais, atuando na limpeza de parte da pista de

Leia mais

José, já qualificado vem, respeitosamente, por meio de seu advogado interpor com fundamento nos arts. 893, II e art. 895, I da CLT Recurso Ordinário

José, já qualificado vem, respeitosamente, por meio de seu advogado interpor com fundamento nos arts. 893, II e art. 895, I da CLT Recurso Ordinário EXCELENTÍSSIMO DR. JUIZ DO TRABALHO DA VARA DO TRABALHO DE Processo número José, já qualificado, vem, respeitosamente, por meio de seu advogado, interpor, com fundamento nos arts. 893, II e art. 895, I

Leia mais

BOLETIM SINDICAL 04 DE TEMA: Acordo coletivo de trabalho. ENVIADO EM 26 de maio de 2009

BOLETIM SINDICAL 04 DE TEMA: Acordo coletivo de trabalho. ENVIADO EM 26 de maio de 2009 BOLETIM SINDICAL 04 DE 2009 TEMA: Acordo coletivo de trabalho ENVIADO EM 26 de maio de 2009 1. Dando continuidade ao boletim sindical nº 003/2009 no qual abordamos a convenção coletiva de trabalho, vamos

Leia mais

Aula 12 Meios de prova no Processo do Trabalho.

Aula 12 Meios de prova no Processo do Trabalho. Aula 12 Meios de prova no Processo do Trabalho. Documental: é a forma de uma coisa poder ser conhecida por alguém, de modo a reproduzir certa manifestação de pensamento. O documento vai representar um

Leia mais

Capítulo 1. A Interdisciplinaridade do Direito Tributário... 3

Capítulo 1. A Interdisciplinaridade do Direito Tributário... 3 Sumário Parte I Introdução... 1 Capítulo 1. A Interdisciplinaridade do Direito Tributário... 3 Parte II Petição inicial e contestação... 7 Capítulo 1. Introdução... 9 Capítulo 2. Estrutura da petição inicial...

Leia mais

Jurisdição. Competência DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO

Jurisdição. Competência DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO Aula 3 Competência da Justiça do Trabalho: Jurisdição e competência; Competência em razão da matéria e das pessoas; Competência funcional; Competência territorial. Professora:

Leia mais

SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Governador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site:

SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Governador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site: SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Governador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site: www.sei-cesucol.edu.br e-mail: sei-cesucol@vsp.com.br FACULDADE

Leia mais

REPRESENTAÇÃO PROCESSUAL DO EMPREGADOR DOMÉSTICO EM AUDIENCIA TRABALHISTA

REPRESENTAÇÃO PROCESSUAL DO EMPREGADOR DOMÉSTICO EM AUDIENCIA TRABALHISTA REPRESENTAÇÃO PROCESSUAL DO EMPREGADOR DOMÉSTICO EM AUDIENCIA TRABALHISTA Este trabalho tem por finalidade estudar os aspectos da representação processual trabalhista em foco da representação do empregador

Leia mais

A CLT cuidou de definir expressamente o conceito de uma Convenção Coletiva de Trabalho, em seu artigo 611:

A CLT cuidou de definir expressamente o conceito de uma Convenção Coletiva de Trabalho, em seu artigo 611: Conceito Entende-se por Convenção Coletiva de Trabalho como sendo um acordo de caráter normativo, pactuado entre dois ou mais sindicatos representativos de categorias econômicas e profissionais, com o

Leia mais

PARTES, REPRESENTAÇÃO E SUBSTITUIÇÃO PROCESSUAL

PARTES, REPRESENTAÇÃO E SUBSTITUIÇÃO PROCESSUAL PARTES, REPRESENTAÇÃO E SUBSTITUIÇÃO PROCESSUAL Art. 791 - Os empregados e os empregadores poderão reclamar pessoalmente perante a Justiça do Trabalho e acompanhar as suas reclamações até o final. 1º -

Leia mais

PROCESSO Nº TST-RR A C Ó R D Ã O 4ª TURMA GDCCAS/CVS/NC/iap

PROCESSO Nº TST-RR A C Ó R D Ã O 4ª TURMA GDCCAS/CVS/NC/iap A C Ó R D Ã O 4ª TURMA GDCCAS/CVS/NC/iap RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO PELA UNIÃO (PGF), EM FACE DE DECISÃO PUBLICADA ANTES DA VIGÊNCIA DA LEI Nº 13.015/2014. PROCEDIMENTO SUMARÍSSIMO. ACORDO HOMOLOGADO

Leia mais

RECURSO ORDINÁRIO EM RITO SUMARÍSSIMO ORIGEM: 75ª VARA DO TRABALHO DE SÃO PAULO

RECURSO ORDINÁRIO EM RITO SUMARÍSSIMO ORIGEM: 75ª VARA DO TRABALHO DE SÃO PAULO PODER JUDICIÁRIO FEDERAL TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 2ª REGIÃO PROCESSO Nº 0001174-17.2012.5.02.0075 5ª TURMA PROCESSO Nº 0001174-17.2012.5.02.0075 RECURSO ORDINÁRIO EM RITO SUMARÍSSIMO ORIGEM: 75ª VARA

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL ESCOLA DE DIREITO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO 10º PERÍODO NIVELAMENTO CONTESTAÇÃO

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL ESCOLA DE DIREITO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO 10º PERÍODO NIVELAMENTO CONTESTAÇÃO FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL ESCOLA DE DIREITO E RELAÇÕES INTERNACIONAIS CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO 10º PERÍODO NIVELAMENTO CONTESTAÇÃO ESTUDO PROVA OAB FGV QUESTIONAMENTOS E REFLEXÕES PARA A PROVA

Leia mais

Anexo II do Provimento 3/ CÍVEL SENTENÇA DE JULGAMENTO COM RESOLUÇÃO DE MÉRITO (CÍVEL) :

Anexo II do Provimento 3/ CÍVEL SENTENÇA DE JULGAMENTO COM RESOLUÇÃO DE MÉRITO (CÍVEL) : ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO CORREGEDORIA-GERAL DE JUSTIÇA CENTRO ADMINISTRATIVO GOVERNADOR VIRGÍLIO TÁVORA Av. Gal. Afonso Albuquerque de Lima s/n.º - Cambeba Fortaleza Ceará CEP 60.830-120 DDD (0**85)

Leia mais

OAB 2ª Fase Direito Constitucional Meta 8 Cristiano Lopes

OAB 2ª Fase Direito Constitucional Meta 8 Cristiano Lopes OAB 2ª Fase Direito Constitucional Meta 8 Cristiano Lopes 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. META 8 LEITURA OBRIGATÓRIA Legislação: CF, art. 5 o, LXIX e LXX;

Leia mais

QUESTÕES COMENTADAS DE PROCESSO DO TRABALHO PARTE 1 TEORIA GERAL DO PROCESSO.

QUESTÕES COMENTADAS DE PROCESSO DO TRABALHO PARTE 1 TEORIA GERAL DO PROCESSO. www.brunoklippel.com.br QUESTÕES COMENTADAS DE PROCESSO DO TRABALHO PARTE 1 TEORIA GERAL DO PROCESSO. 1. MEUS CURSOS NO ESTRATÉGIA CONCURSOS: Estão disponíveis no site do Estratégia Concursos (www.estrategiaconcursos.com.br),

Leia mais

Teoria Geral do Processo

Teoria Geral do Processo Arno Melo Schlichting Teoria Geral do Processo Concreta - Objetiva - Atual Livro 2 3 a Edição SUMÁRIO Apresentação 9 Identificação 11 Natureza... 13 Objetivo... 13 1 Teoria Geral das Ações 15 1.1 Ação,

Leia mais

Teoria Geral dos Recursos

Teoria Geral dos Recursos Componente Curricular: Direito Processual Civil II Professor: Rodrigo Reül 1) Recurso - Conceito: é uma espécie de remédio processual que a lei coloca à disposição das partes para impugnação das decisões

Leia mais

FUTURO TENDÊNCIAS INOVAÇÃO PARA QUEM BUSCA SUCESSO NA CARREIRA JURÍDICA, PRATICAR É LEI. Uma instituição do grupo

FUTURO TENDÊNCIAS INOVAÇÃO PARA QUEM BUSCA SUCESSO NA CARREIRA JURÍDICA, PRATICAR É LEI. Uma instituição do grupo FUTURO TENDÊNCIAS INOVAÇÃO PARA QUEM BUSCA SUCESSO NA CARREIRA JURÍDICA, PRATICAR É LEI. Uma instituição do grupo PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO DO TRABALHO E PROCESSO DO TRABALHO OBJETIVOS: O curso de Pós-graduação

Leia mais

PROCESSO: RTOrd

PROCESSO: RTOrd ACÓRDÃO 9ª Turma PROCESSO: 0022300-36.2009.5.01.0341 - RTOrd ADICIONAL DE INSALUBRIDADE. BASE DE CÁLCULO. O STF há muito, repudia a adoção do salário mínimo como base de cálculo para qualquer outra relação

Leia mais

RESPOSTA DO RÉU CONTESTAÇÃO

RESPOSTA DO RÉU CONTESTAÇÃO RESPOSTA DO RÉU CONTESTAÇÃO ESQUELETO MEMORIZE: ENDEREÇAMENTO QUALIFICAÇÃO PRELIMINAR PREJUDICIAL MÉRITO REQUERIMENTOS FINAIS - art. 847 da CLT fala em defesa - apresentada em audiência reclamado tem 20

Leia mais

PARTE I DA TEORIA GERAL DOS JUIZADOS ESPECIAIS CÍVEIS

PARTE I DA TEORIA GERAL DOS JUIZADOS ESPECIAIS CÍVEIS PARTE I DA TEORIA GERAL DOS JUIZADOS ESPECIAIS CÍVEIS 1 Introdução: a contextualização histórica da gênese da Lei nº 9.099/95 2 As características básicas dos Juizados Especiais Cíveis 2.1 A estrutura

Leia mais

Disciplina: Direito e Processo do Trabalho 3º Semestre Professor Donizete Aparecido Gaeta Resumo de Aula

Disciplina: Direito e Processo do Trabalho 3º Semestre Professor Donizete Aparecido Gaeta Resumo de Aula 1. Fontes materiais e formais. 2. Normas Jurídicas de Direito do Trabalho. Constituição, Leis, Atos do Poder Executivo, Sentença normativa, Convenções e Acordos Coletivos, Regulamentos de empresa, Disposições

Leia mais

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA OFICINA DO NOVO CPC RECURSOS

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA OFICINA DO NOVO CPC RECURSOS OFICINA DO NOVO CPC RECURSOS RECURSO DE APELAÇÃO Artigos 1.009 a 1.014 do Código de Processo Civil 1. Recurso de Apelação Conceito Cabe recurso de apelação contra a sentença do juiz que põe fim à fase

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL PEÇA PROFISSIONAL Espera-se que o(a) examinando(a) elabore recurso de apelação, dirigido ao próprio juízo que prolatou a decisão (art. 475-M, 3.º, do CPC, art. 496, inciso I, c/c os arts. 513-521 do CPC),

Leia mais

RECURSO DE APELAÇÃO. Pode ser interposto contra qualquer sentença, seja ou não de mérito;

RECURSO DE APELAÇÃO. Pode ser interposto contra qualquer sentença, seja ou não de mérito; RECURSO DE APELAÇÃO O recurso de apelação é a modalidade recursal mais importante no sistema jurídico brasileiro. Através dele se atua o princípio do duplo grau de jurisdição. O Código de Processo Civil

Leia mais

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA RECURSOS ESPECIAL E EXTRAORDINÁRIO

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA RECURSOS ESPECIAL E EXTRAORDINÁRIO RECURSOS ESPECIAL E EXTRAORDINÁRIO O Recurso Especial é interposto contra acórdão que desrespeita matéria infraconstitucional. O Recurso Extraordinário, contra acórdão que violar a Constituição Federal.

Leia mais

DA RESPOSTA DO RÉU. ESPÉCIES Contestação (Art. 300 a 303 do CPC); Reconvenção (Art. 315 a 318 do CPC); Exceção (Art. 304 a 314 do CPC).

DA RESPOSTA DO RÉU. ESPÉCIES Contestação (Art. 300 a 303 do CPC); Reconvenção (Art. 315 a 318 do CPC); Exceção (Art. 304 a 314 do CPC). DA RESPOSTA DO RÉU DISPOSIÇÕES GERAIS Uma vez efetuada a citação válida, a relação jurídica processual está completa, surgindo o ônus do réu de oferecer a defesa contra fatos e direitos sustentados pelo

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado da União

TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado da União TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado da União LEI 8.666/1993 Art. 71. O contratado é responsável pelos encargos trabalhistas, previdenciários, fiscais e comerciais resultantes da execução

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO

COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO Prática Processual Civil Programa I CONSULTA JURÍDICA 1.1 Consulta jurídica 1.2 Tentativa de resolução amigável 1.3 Gestão do cliente e seu processo II PATROCÍNIO

Leia mais

9- ATOS, TERMOS E PRAZOS PROCESSUAIS. Processo informatizado Lei /2006 TST-IN 30/2007:

9- ATOS, TERMOS E PRAZOS PROCESSUAIS. Processo informatizado Lei /2006 TST-IN 30/2007: 9- ATOS, TERMOS E PRAZOS PROCESSUAIS Fato jurídico É o acontecimento do qual nasce ou perece um direito. Ato jurídico É aquele que decorre da vontade das pessoas envolvidas no processo e que nele geram

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL Seção de São Paulo SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA STJ. Atualizado em 09/11/2016

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL Seção de São Paulo SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA STJ. Atualizado em 09/11/2016 SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA STJ Atualizado em 09/11/2016 RESOLUÇÃO STJ/GP N. 1 DE 18 DE FEVEREIRO DE 2016. Dispõe sobre o pagamento de custas judiciais e porte de remessa e retorno dos autos no âmbito

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO IV PRÁTICA TRABALHISTA. Respostas do Réu - Contestação

ESTÁGIO SUPERVISIONADO IV PRÁTICA TRABALHISTA. Respostas do Réu - Contestação ESTÁGIO SUPERVISIONADO IV PRÁTICA TRABALHISTA 1 Respostas do Réu - Contestação INTRODUÇÃO - Princípio da bilateralidade: AÇÃO E REAÇÃO - juiz só pode decidir nos autos após ter ouvido as duas partes, a

Leia mais

NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL E A CLT (DA CONTESTAÇÃO)

NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL E A CLT (DA CONTESTAÇÃO) NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL E A CLT (DA CONTESTAÇÃO) I DA CONTESTAÇÃO OS DISPOSITIVOS CLASSICOS DA CLT: O artigo 769 da CLT (SUBSIDIÁRIA), será aplicada no processo de fase conhecimento observando todas

Leia mais

FORMAS DE SOLUÇÃO DOS CONFLITOS TRABALHISTAS

FORMAS DE SOLUÇÃO DOS CONFLITOS TRABALHISTAS FORMAS DE SOLUÇÃO DOS CONFLITOS TRABALHISTAS AUTO DEFESA: Nesta espécie a solução do conflito se faz diretamente pelos envolvidos, com a imposição do interesso de um sobre o do outro. O significado da

Leia mais

Estágio Supervisionado I

Estágio Supervisionado I Estágio Supervisionado I 5ª etapa TRABALHO Nº 01 Ativ. Acomp. e Obs. em Órgãos Públicos Ministério Público Estadual ou Federal TRABALHO Nº 02 Ativ. Acomp. e Obs. em Órgãos Públicos Advocacia Geral da União

Leia mais

DA FORMAÇÃO, SUSPENSÃO E EXTINÇÃO DO PROCESSO. Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO

DA FORMAÇÃO, SUSPENSÃO E EXTINÇÃO DO PROCESSO. Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO DA FORMAÇÃO, SUSPENSÃO E EXTINÇÃO DO PROCESSO Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO Formação do processo ETAPAS DA ESTABILIZAÇÃO DO PROCESSO DA FORMAÇÃO DO PROCESSO Art. 262. O processo civil começa por

Leia mais

REVISÃO DE VÉSPERA CONCURSO PROCURADOR MARANHÃO

REVISÃO DE VÉSPERA CONCURSO PROCURADOR MARANHÃO REVISÃO DE VÉSPERA CONCURSO PROCURADOR MARANHÃO Direito Processual do Trabalho Prof. Bruno Klippel Princípios do processo do trabalho O princípio dispositivo ou princípio da inércia, previsto no Art. 2º

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores FELIPE FERREIRA (Presidente sem voto), RENATO SARTORELLI E VIANNA COTRIM.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores FELIPE FERREIRA (Presidente sem voto), RENATO SARTORELLI E VIANNA COTRIM. 1 Registro: 2016.0000888926 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Agravo de Instrumento nº 2223275-04.2016.8.26.0000, da Comarca de Santa Bárbara D Oeste, em que é agravante ELZA DOMINGOS

Leia mais

OS RECURSOS DE INCONSTITUCIONALIDADE PARA O TRIBUNAL CONSTITUCIONAL. Tribunal Constitucional, seminário 2013

OS RECURSOS DE INCONSTITUCIONALIDADE PARA O TRIBUNAL CONSTITUCIONAL. Tribunal Constitucional, seminário 2013 OS RECURSOS DE INCONSTITUCIONALIDADE PARA O TRIBUNAL CONSTITUCIONAL S Plano de apresentação S I. INTRODUÇÃO S II. RECURSO ORDINÁRIO DE INCONSTITUCIONALIDADE S III. RECURSO EXTRAORDINÁRIO S IV. REGIME COMPARADO

Leia mais

DOS RECURSOS NO PROCESSO DO TRABALHO

DOS RECURSOS NO PROCESSO DO TRABALHO DOS S NO PROCESSO DO TRABALHO INTRODUÇÃO DOS S NO PROCESSO DO TRABALHO Recurso é a provocação do reexame de determinada decisão pela autoridade prolatora da decisão, objetivando a reforma ou modificação

Leia mais

CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria nº 378 de 27/05/15-DOU de 28/05/15 Componente Curricular: Direito Processual Trabalhista PLANO DE CURSO

CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria nº 378 de 27/05/15-DOU de 28/05/15 Componente Curricular: Direito Processual Trabalhista PLANO DE CURSO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria nº 378 de 27/05/15-DOU de 28/05/15 Componente Curricular: Direito Processual Trabalhista Código: DIR-460 Pré-Requisito: Direito do Trabalho I Período Letivo: 2016.2

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA VARA DO TRABALHO DE SÃO JOÃO DE PADUA

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA VARA DO TRABALHO DE SÃO JOÃO DE PADUA EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA VARA DO TRABALHO DE SÃO JOÃO DE PADUA Recorrente: Rildo Jaime Recorrido: Soluções Empresariais Ltda. e Metalúrgica Cristina Ltda. Processo n. 644-44.2001.5.03.0015

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DIREITO PROCESSUAL CIVIL

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DIREITO PROCESSUAL CIVIL PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DIREITO PROCESSUAL CIVIL 1. APRESENTAÇÃO A Pós-Graduação em Direito Processual Civil da FAACZ visa à conjugação das referidas áreas em meio à atualização da legislação em vigor,

Leia mais

A Execução Fiscal e o novo CPC. < competência > Prof. Mauro Luís Rocha Lopes

A Execução Fiscal e o novo CPC. < competência > Prof. Mauro Luís Rocha Lopes A Execução Fiscal e o novo CPC < competência > Prof. Mauro Luís Rocha Lopes LEF, art. 5º A competência para processar e julgar a execução da Dívida Ativa da Fazenda Pública exclui a de qualquer outro juízo,

Leia mais

Curso Exame de Ordem OAB 1

Curso Exame de Ordem OAB 1 Disciplina de Direito Processual do Trabalho RECURSOS TRABALHISTAS PRESSUPOSTOS EXTRÍNSECOS OU OBJETIVOS a) Adequação Também chamada de cabimento ou previsão legal. O remédio processual escolhido pela

Leia mais

AUDIÊNCIA TRABALHISTA 1. O jus postulandi... 5

AUDIÊNCIA TRABALHISTA 1. O jus postulandi... 5 Introdução... 2 Conteúdo... 3 Audiência contínua... 3 Presença das partes à audiência... 3 Do não comparecimento das partes e suas consequências... 4 O jus postulandi... 5 Atividade proposta... 6 Referências...

Leia mais

Advocacia-Geral da União Procuradoria-Geral Federal

Advocacia-Geral da União Procuradoria-Geral Federal Advocacia-Geral da União Procuradoria-Geral Federal Acidente de Trabalho: Competência Jurisdicional Renato Rodrigues Vieira Procurador-Geral Federal Brasília Abril/2016 Cenário Atual Art. 109. Aos juízes

Leia mais

Comunicações Processuais Prof. Gladson Miranda

Comunicações Processuais Prof. Gladson Miranda Comunicações Processuais Prof. Gladson Miranda CITAÇÃO, INTIMAÇÃO E NOTIFICAÇÃO (Arts. 351 ao 372) CITAÇÃO Conceito Finalidade da Citação art. 396 do CPP FORMAS DE CITAÇÃO 1) Citação real realizada por

Leia mais

NOTAS DOS AUTORES À DÉCIMA SEGUNDA EDIÇÃO... 15

NOTAS DOS AUTORES À DÉCIMA SEGUNDA EDIÇÃO... 15 S NOTAS DOS AUTORES À DÉCIMA SEGUNDA EDIÇÃO... 15 Capítulo I TEORIA DOS RECURSOS... 17 1. Conceito de recurso... 17 2. O princípio do duplo grau de jurisdição... 18 3. O recurso no sistema dos meios de

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL

DIREITO PROCESSUAL CIVIL DIREITO PROCESSUAL CIVIL ESTÁCIO-CERS DIREITO PROCESSUAL CIVIL Prof. André Mota deomotaadv@yahoo.com.br (F) Professor André Mota (IG) @profandremota.am (TW) profandremota TEORIA GERAL DOS RECURSOS 1. DEFINIÇÃO

Leia mais