MANUAL DE PROCEDIMENTOS CÍVEIS DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO RIO GRANDE DO NORTE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DE PROCEDIMENTOS CÍVEIS DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO RIO GRANDE DO NORTE"

Transcrição

1 MANUAL DE PROCEDIMENTOS CÍVEIS DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO RIO GRANDE DO NORTE Autora: Divone Maria Pinheiro Colaboradores : Luciana Araújo dos Santos, Teolinda Maria Azevedo Dantas, Anderson Leonardo de Oliveira Brito, Michellson Costa de Lima Cordeiro e Francisco Ribeiro de Lima.

2 Agradecimentos Agradecemos aos juízes Madson Ottoni de Oliveira Rodrigues, Martha Danielle Sant Ana Costa Barbosa, Marcelo Pinto Varela, André Luís de Medeiros Pereira e Rossana Alzir Diógenes Macedo pelas valiosas contribuições para a elaboração desse trabalho. Agradecimentos especiais a Luciana Araújo dos Santos e a Teolinda Maria de Azevedo Dantas, pela colaboração total e irrestrita e pela dedicação incansável à realização de uma justiça melhor. Abreviaturas: MI Código do Modelo de Instituição no SAJ/PG5 SAJ Sistema de automação do Judiciário implantado no âmbito da primeira instância do Poder Judiciário do Rio Grande do Norte CPC- Código de Processo Civil CC Código Civil AO Ato ordinatório MP Medida Provisória JG Justiça Gratuita

3 SUMÁRIO 1. Apresentação Procedimento ordinário Análise de petição inicial Competência Casos de Incompetência Custas processuais Pedido de Justiça Gratuita Requisitos da inicial Documentos indispensáveis Valor da causa Pressupostos processuais Condições da ação Prescrição Recebimento da petição inicial Emenda à inicial Citação Pedidos de Pesquisa de endereço Contestação Reconvenção Exceção de incompetência Atos a serem praticados após a contestação Perícia Audiência de Instrução Sentença Homologação de acordo Desistência Sentenças em ações específicas Exibição de documentos Indenização Ação de Cobrança de Aluguéis Recurso de apelação Cumprimento de Sentença Monitória Petição inicial Prescrição Procedimento Noções para sentença em monitórias Sentença da Ação Monitória embargada Ação de Busca e Apreensão Petição Inicial Adimplemento substancial Procedimento Purgação da mora Revisão de contrato na busca e apreensão Sentença Com mérito Extinção sem mérito Extinção por falta de notificação pessoal Extinção por ausência de complementação das custas processuais Extinção por falta de endereço Reintegração de Posse em contratos bancários (Leasing)... 24

4 Petição Inicial Procedimento Ação de revisão de contrato Petição inicial Liminar Procedimento Contrato de financiamento de veículos Contrato de Cédula de Crédito Contrato com desconto em folha de pagamento Cartão de Crédito Execução de Título Extrajudicial Petição inicial Prazos de prescrição Procedimento Da penhora Penhora de veículos - RENAJUD Dificuldades na localização de bens penhoráveis Bacenjud Outras diligências Embargos do devedor Seguro DPVAT Seguro Habitacional Despejo Despejo por inadimplência Despejo para uso próprio Fiança Sugestões de atos a serem praticados após a certificação de prazos Anexo I Modelos da Instituição de Atos ordinatórios, Despachos, Decisões e Sentenças Anexos II Listas de modelos de instituição de Ofícios, Cartas e Mandados Fluxogramas... 64

5 1. Apresentação O presente manual de procedimentos cíveis do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte foi elaborado com o objetivo de facilitar a análise de petições relativas a procedimentos cíveis não especializados. Nele constam diversas situações e hipóteses que comumente se apresentam para a apreciação do magistrado. Levou-se em consideração que um manual de gestão e rotinas de secretaria está sendo elaborado ao mesmo tempo em que esse, de modo que se deu especial atenção às questões afetas à análise de juiz de primeira instância com atuação em área cível não especializada. Com o crescimento da demanda, torna-se difícil ou quase impossível que o magistrado consiga sozinho despachar, decidir, sentenciar, fazer ofícios e audiência em todos os processos que tramitam em sua vara ou comarca. A cada dia, faz-se mais necessária a ajuda de servidores, assistentes ou estagiários na elaboração de minutas de atos judiciais. Ademais, a crescente virtualização de processos fará diminuir o trabalho da secretaria judiciária e propiciará que mais servidores e estagiários possam ajudar na elaboração de minutas de atos próprios de juiz. Diante disso, e com enfoque na prática judiciária, apresentam-se algumas orientações, modelos de instituição e fluxogramas de procedimentos, com vistas à facilitação do trabalho dos auxiliares do juízo. Partiu-se da prática da vida forense para a busca de conteúdos teóricos sucintos, sem qualquer semelhança com livros de processo civil e sem a pretensão de exaurir qualquer assunto. Cada magistrado dificilmente encontra tempo para a elaboração de um manual que trate das principais e mais frequentes questões que são postas à apreciação, bem como, para treinar os servidores de sua equipe. Diante dessa dificuldade, o presente manual surge como um ponto de partida para as orientações que precisam ser transmitidas às pessoas de cada grupo de trabalho. Por adentrarmos em áreas controvertidas, tais como, aspectos a serem observados na elaboração de despachos, decisões e sentenças, que, obviamente, dependem do entendimento do magistrado, colocou-se, em muitas questões, diferentes posições jurídicas, cabendo a cada juiz complementar o manual com o seu entendimento sobre a matéria e com o número e nome do modelo de grupo ou de instituição a ser utilizado. Previstas algumas situações no presente manual, sempre será possível ao magistrado concordar ou não com o entendimento jurídico ou modelo indicado, podendo inserir no manual escrito e digital a sua posição sobre a matéria. As orientações e modelos sugeridos foram colhidos em reuniões prévias com os juízes e elaborados com base no Código de Processo Civil vigentenão se pretende com o presente manual vincular o magistrado a qualquer entendimento jurídico, mas tão somente facilitar a elaboração de despachos, decisões e sentenças mais rotineiros e propiciar que os juízes tenham mais tempo para a análise das questões mais complexas ou menos usuais, objetivando a agilidade dos procedimentos e celeridade na realização da justiça. 2. Procedimento ordinário 2.1. Análise de petição inicial O bom andamento do processo depende de uma análise cuidadosa e rigorosa da petição inicial, que servirá ao saneamento de falhas, de vícios processuais e de defeitos de instrução relativos a provas documentais Competência

6 As ações devem ser instruídas e julgadas pelo juiz que tenha competência para apreciá-las. A competência pode ser absoluta a ação somente pode ser processada pelo juízo determinado, ou pode ser relativa, quando se admite a prorrogação da competência, em razão de eleição de foro, de não proposição de exceção declinatória pelo réu, ou por conexão ou continência. O Superior Tribunal de Justiça estabeleceu o entendimento na Súmula 33 de que: "a incompetência relativa não pode ser declarada de oficio". A incompetência absoluta deve ser declarada de ofício pelo juiz. O artigo 112, parágrafo único do CPC, prevê hipótese de declaração de ofício da nulidade da cláusula de eleição. É absoluta a competência firmada em favor do consumidor em contratos de adesão e tal competência prevalece sobre a cláusula de eleição de foro. Também são dadas como absolutas a competência determinada em razão da hierarquia, em razão da matéria e da pessoa. A competência territorial é, em princípio, relativa, sendo absoluta a do foro da situação do imóvel, em caso de demanda fundada nos direitos reais indicados no art. 95 do Código de Processo Civil. Para fins de análise da competência de Varas com atribuições para matéria cível não especializada, é preciso atentar que: A regra geral de competência é que a ação deve ser proposta no domicílio do réu. É competente o foro: onde está a sede, para a ação em que for ré a pessoa jurídica; onde se acha a agência ou sucursal, quanto às obrigações que ela contraiu. Conexão quando as ações tiverem o mesmo objeto ou mesma causa de pedir e puderem gerar decisões contraditórias, devem ser julgadas pelo mesmo juiz. Ex: busca e apreensão fundada no mesmo contrato em que se funda a ação de revisão de contrato e a ação de execução de dívida discutida em ação de conhecimento. Decisões contraditórias pressupõem que as mesmas partes ou algumas delas estejam envolvidas em ambos os processos, tanto no polo ativo como passivo. Em se tratando de causas semelhantes, mas com partes distintas, poder-se-á falar em decisões diferentes para casos idênticos, mas não em decisão contraditória. Prevenção por dependência: reiterado processo extinto sem apreciação do mérito, ações idênticas e conexão (art. 253 do CPC), ou quando já proposta ação cautelar Casos de Incompetência Os casos mais frequentes de incompetência dizem respeito a: Revisão de contrato ou exibição em que nenhuma das partes mora na comarca (relativa); Prevenção de ação cautelar; Usucapião (competência de Vara Especializada); Alvarás de valores de pessoa falecida competência da Vara de Sucessões, PIS e FGTS (casos de competência da Justiça Federal); Busca e apreensão contra réu que mora em outro município (competência do domicílio do réu consumidor); Se um dos réus for o Estado do RN, Município de Natal, autarquias e fundações públicas, a competência é da Vara ou Juizado da Fazenda Pública, onde houver. As varas cíveis não especializadas têm competência para julgar processos contra empresas públicas e sociedades de economia mista, como Petrobrás e Banco do Brasil. Mandado de segurança contra instituição de ensino competência da Justiça Federal se for universidade federal. Se for ação ordinária relativa à inadimplência, a competência é da Justiça Estadual.

7 Acidente de trabalho em ação proposta por empregado contra empregador, a competência é da Justiça do Trabalho. Se a ação acidentária for contra o INSS, a competência é da Justiça Estadual. Seguro DPVAT: se o acidentado mora em outro município, o acidente ocorreu em outro município e a seguradora não tem domicílio na comarca, há incompetência territorial. Prevalece o entendimento que, em sendo incompetência relativa, não poderá ser decretada de ofício. Possessórias, reivindicatórias e imissão de posses relativas a imóveis que não se situam na comarca. Competência do foro da situação do imóvel é absoluta e deve ser declarada de ofício. Em revisão de contrato, exibição, reintegração de posse e busca e apreensão, deve-se consultar sempre o SAJ para verificar se já tem outra ação idêntica ou conexa proposta em outra Vara. Se houver, emitir decisão de prevenção de ação idêntica ou de conexão, verificar quem despachou primeiro (duas Varas da mesma comarca) ou quem citou primeiro (comarcas diferentes) Custas processuais Custas processuais se constituem como tributos, da espécie taxa, sendo, portanto, compulsórias e obrigatórias. Para a Justiça Estadual do Rio Grande do Norte, a matéria é regulada pela Lei de custas, Lei nº 9.278, de 30 de dezembro de 2009, merecendo transcrição os seguintes dispositivos: Art. 4º - As Custas processuais são devidas pela prática dos atos processuais e pagas em instituição conveniada, por meio de guia de recolhimento padronizada pelo Tribunal de Justiça e disponível nos sítios eletrônicos oficiais ou de acordo com a Tabela I constante do anexo desta Lei. 1º. A petição inicial só será distribuída quando estiver acompanhada da guia de recolhimento respectiva, devidamente autenticada pela instituição credenciada, salvo nos casos previstos legalmente. Art. 5. 2º. Caso o recolhimento tenha sido realizado sem observar os termos desta Lei, o Magistrado determinará a intimação do interessado para complementá-lo no prazo de 10 (dez) dias, sob pena de aplicação do disposto no art. 257, do Código de Processo Civil. 3º. Os valores previstos nesta Lei correspondem aos atos processuais ordinários praticados da distribuição ao arquivamento do feito, exceto a publicação de edital no Diário da Justiça eletrônico ou em outros jornais de circulação estadual ou regional, a expedição de cartas de sentença, de arrematação ou de adjudicação, formal de partilha, busca em processos ou livros em Secretaria e certidões de interesse das partes. Art. 6º Também estão sujeitos ao pagamento de custas os embargos de terceiro, os embargos à execução, a ação declaratória incidental, a reconvenção e os incidentes processuais. Art. 9º Não haverá devolução dos valores pagos, 3º. Havendo elevação do valor da causa durante o curso do processo, a parte autora deverá complementar o depósito no prazo de 10 (dez) dias, na forma da legislação processual. Art. 38. Não há incidência de custas, despesas ou emolumentos: I quando a parte for beneficiária da Assistência Judiciária; VI na busca de autos findos há menos de 02 (dois) anos; 2º. Indeferida a Assistência Judiciária, por decisão fundamentada, aplica-se a disposição contida no artigo 5º, 2º, desta Lei (Intimar para pagar em 10 dias).

8 Da leitura dos dispositivos legais acerca das custas, destaca-se que: Estão sujeitas à cobrança de custas a reconvenção, incidentes processuais, embargos de terceiros, embargos à execução, a publicação de editais, mesmo no Diário Oficial do Estado, autos e cartas de arrematação e adjudicação, bem como certidões de interesse das partes. O prazo para a complementação das custas é de 10(dez) dias. No caso de indeferimento de justiça gratuita, a Lei Estadual também prevê no artigo 38, 2º, a aplicação do prazo de 10 (dez) dias. Entretanto, em reunião com juízes para fins de discussão de assuntos abordados neste Manual, entendeu-se que deve prevalecer o artigo 257 do CPC, que prevê o prazo de 30 dias, aplicando-se o prazo de dez dias, somente quando for o caso de complementação de custas, que não foi previsto expressamente na Legislação Federal. Com relação ao desarquivamento, a Lei nº 9.278, de 30 de dezembro de 2009, estabelece que haverá isenção de custas no caso de busca de autos findos há menos de dois anos, ou seja, custas de desarquivamento somente deverão ser cobradas quando o processo tiver sido baixado no sistema há dois anos ou mais Pedido de Justiça Gratuita A Lei 1.060, de 05 de fevereiro de 1950, estabelece normas para a concessão de assistência judiciária gratuita, considerando necessitado aquele cuja situação econômica não lhe permita pagar custas do processo e honorários do advogado, sem prejuízo do sustento próprio ou da família. Assim, cabe analisar pelo contrato realizado ou direito envolvido no processo, bem como pelo bairro de residência do autor e demais documentos trazidos com a inicial, as condições financeiras do autor e somente deferir justiça gratuita, se constatada a carência de recursos, pois a simples declaração de necessidade não prevalecerá sobre provas em sentido contrário. A impugnação ao pedido de justiça gratuita deverá ser feita mediante petição a ser autuada em apartado, acompanhada do pagamento das custas do incidente. O impugnado deverá ser intimado para se manifestar no prazo de 48 horas (artigo 8º da Lei 1.060/1950) e (Código do Modelo de Instituição ato ordinatório ) e após, o juiz proferirá decisão, da qual cabe recurso de apelação (art. 17 da mesma Lei). Como o recurso cabível é o de apelação, há entendimento no sentido de que o ato decisório é uma sentença. Consultar entendimento do magistrado. Se o juiz julgar procedente a impugnação ao pedido de justiça gratuita e considerar que o autor tinha condições de arcar com custas e honorários, e mesmo assim fez declaração de que não poderia pagá-las, poderá condenar o autor impugnado ao pagamento de até dez vezes o valor das custas judiciais. (art. 4º, 1º). No caso de decisão pelo indeferimento da justiça gratuita, na decisão deverá constar a ordem de pagar custas em 30 dias (art. 257 do CPC). O entendimento de que o prazo é de 10 (dez) dias, encontra amparo no artigo 38, 2º, da Lei Nº 9.278, de 30 de dezembro de 2009, mas foi rejeitado em reunião de juízes Requisitos da inicial Parte Verificar qualificação completa (inclusive CPF das partes) e se consta o CEP, relativo ao endereço das partes. Se não constar, intimar o autor para fornecer endereço completo do réu, com CEP. É necessário criar a cultura do CEP e evitar que a secretaria perca tempo, procurando-o. Fatos Os fatos são mais importantes do que os fundamentos jurídicos. Verificar se foram narrados, com os detalhes necessários, como data e especificações que o caso requeira. É preciso ter cuidado com as petições padronizadas em que os fatos de cada caso deixam de ser descritos.

9 Pedido Verificar se consta o pedido de mérito certo e determinado. Admite-se pedido indeterminado no caso de indenização por danos morais, em que o juiz estima o valor da indenização, conforme entendimento jurisprudencial e nas hipóteses do artigo 286 do CPC (não for possível individuar os bens em ações universais; não for possível determinar os efeitos do ato, ou depender de ato que deva ser praticado pelo réu). Consideram-se incluídas no pedido as prestações periódicas, independentemente de declaração expressa do autor (art. 290 do CPC). Os juros legais também são incluídos no pedido independentemente de requerimento expresso (art. 293 do CPC). Também são implícitas no pedido correção monetária e verbas sucumbenciais. Observar se houve pedido de liminar cautelar ou de tutela antecipada e verificar o entendimento do magistrado para a elaboração de minuta Documentos indispensáveis Na revisão de contrato o contrato, salvo se o autor pedir que o réu o apresente. Na execução título executivo: cheque, nota promissória, duplicata com aceite ou com nota fiscal com comprovação de entrega da mercadoria e protesto, cédula de crédito bancário, industrial, comercial, contratos com assinatura de duas testemunhas, dentre outros. Na execução de duplicata, exige-se o aceite ou que seja protestada e acompanhada da nota fiscal com comprovante de entrega da mercadoria ou serviço (Lei n.º 5474, de 18 de julho de 1968, em seu artigo 15, II, b). Na execução de contrato de serviço educacional, também se exige a comprovação da prestação de serviço. O exequente deverá juntar, para tanto, o histórico escolar demonstrando que o aluno cursou o período que está sendo cobrado. Monitória documento de dívida. Na monitória de cheque prescrito, verificar de quando é o cheque, pois depois de cinco anos (art. 206,5º, I do CC), prescreve a pretensão de cobrança do cheque, sendo incabível até mesmo a monitória Valor da causa O valor da causa tem que corresponder ao proveito econômico desejado. Se manifestamente não corresponder, corrigir de ofício o valor da causa e mandar pagar custas remanescentes em 10 (dez) dias, sob pena de cancelamento da distribuição. Atribuir, por exemplo, R$ 1.000,00 a causa para fins fiscais, quando a causa tem valor superior, é manifestar claramente perante o juiz a intenção de sonegação fiscal. Nas ações de revisão de contrato, o valor da causa poderá corresponder ao valor do contrato (art. 259, V, do CPC), ou sendo possível identificar o valor do proveito econômico pretendido, será esse o valor, ou seja, o equivalente à diferença entre o valor que estava sendo cobrado pelo réu e o valor que o autor entende devido. Nas ações de busca e apreensão e reintegração de posse (arrendamento mercantil), há entendimento no sentido de que o valor da causa é o valor do bem que se quer apreender e há magistrados que admitem que o valor da causa seja o valor das prestações em atraso. Nas ações de despejo, o valor da causa corresponderá a doze meses de aluguel, ou, na hipótese do inciso II do art. 47, a três salários vigentes por ocasião do ajuizamento. O critério estabelecido em lei de doze meses de aluguel deve ser obedecido, ainda que na ação de despejo somente esteja sendo cobrados dois meses de aluguéis em atraso. O valor da causa nos embargos à execução corresponde ao quantum impugnado. Em ação em que se pleiteia indenização por dano moral, o valor requerido na inicial é meramente estimativo, cabendo ao juiz fixá-lo por ocasião da sentença. Não se cobram custas ou honorários obrigatoriamente sobre tal valor (Código do Modelo de instituição decisão 1177). Consultar entendimento do juiz. Se não se apresenta certo o valor pretendido pelo autor, no aforamento da inicial, é válida a sua estimativa feita na inicial, salvo se não for razoável.

10 Pressupostos processuais Os casos mais freqüentes de ausência de pressuposto processual dizem respeito a: Competência- analisar a competência conforme anotações do tópico Competência. Procuração- nos processos que tramitam em Varas comuns da Justiça Estadual, a participação do advogado é, em regra, indispensável. Conferir se foi trazida a procuração. Em casos de seguro DPVAT, conferir, inclusive, se a assinatura do autor na procuração corresponde à assinatura constante dos documentos de identificação do autor, para detectar fraudes. Se o autor for analfabeto, a procuração deve ser pública. Notificação- nas ações de busca e apreensão, verificar se houve notificação do devedor válida (expedida por cartório do domicílio do devedor) Condições da ação As condições da ação são legitimidade de parte, interesse de agir e possibilidade jurídica do pedido. Para a análise da legitimidade de parte, necessário observar se as alegações sobre os fatos narrados na inicial e os pedidos nela formulados envolvem as partes ativa e passiva, ressalvadas as hipóteses de substituição processual. Não é necessário que haja prova de que o autor tem o direito e o réu tenha que responsabilizar-se para que seja o réu a parte legítima. Basta que os fatos e pedidos digam respeito ao réu, para estar configurada a legitimidade passiva. Com relação ao interesse de agir, constitui a necessidade ou utilidade da tutela pleiteada, bem como a adequação. Tal condição da ação deve estar presente no início do processo, bem como persistir durante a tramitação processual, sob pena de ser extinto, aplicando-se, em relação aos honorários, o princípio da causalidade. Quando há resistência do réu à pretensão do autor, verifica-se que a tutela jurisdicional é necessária, rejeitando-se a preliminar de ausência de interesse de agir, que diz respeito à necessidade ou utilidade e adequação do provimento jurisdicional. Quando proposta ação cautelar, deve-se analisar se a ação é necessária, pois o artigo 273, 7º, do CPC, permite deferir medida cautelar na ação ordinária, dispensando-se, em muitos casos, a ação cautelar como ação autônoma (Código do Modelo de Instituição ou MI despacho ). Com relação à possibilidade jurídica do pedido, tal condição somente não está presente quando o direito pleiteado não tem guarida no ordenamento jurídico em qualquer circunstância ou independentemente da prova produzida, ou seja, quando não tem objeto lícito ou possível, como é o caso de dívida de jogo, pedido de entrega de cocaína, dentre outros sem qualquer respaldo jurídico Prescrição Verificar se houve prescrição, que pode ser decretada de ofício, seguindo os prazos do artigo 205 do Código Civil: Principais: o Indenizações: três anos o Seguro: um ano, do segurado contra o segurador. o Aluguéis atrasados: três anos. o Previdência Privada: O código civil de 1916 estabelecia que o prazo prescricional para as ações para a cobrança de prestações de renda temporárias ou vitalícias era de 05 (cinco) anos (art. 178, 10, II do CC/1916). O novo Código Civil, em seu artigo 206, 3.º, II do CC/02, estabelece que

11 em 03 (três) anos a pretensão para receber prestações vencidas de rendas temporárias ou vitalícias está prescrita. A Súmula 291 do STJ estabelece que: A ação de cobrança de parcelas de complementação de aposentadoria pela previdência privada prescreve em cinco anos (SEGUNDA SE- ÇÃO, julgado em , DJ p. 201)"). O prazo previsto em tal Súmula tem aplicação para os casos que se regem pelo Código Civil anterior. Tais prazos prescricionais se aplicam ao caso de diferenças de correção monetária sobre os valores recolhidos em previdência privada, conforme decidiu o STJ, no EDcl no AgRg no REsp /RJ, Rel. Ministro SIDNEI BENETI, TERCEIRA TURMA, julgado em 11/11/2008, DJe 24/11/2008. o Cheque (Lei 7.357/1985, art. 59, fl. 1145)- para ação de execução: seis meses após o prazo de pagamento, que é de um mês se for da mesma praça e dois meses de outra cidade. Para a ação de cobrança ou monitória: o prazo é de cinco anos (art. 205, 3º, VIII, CC). o Letras de câmbio e notas promissórias 3 anos para a execução e para a cobrança (art. 70 do Dec /66) o Prescrição do Seguro DPVAT: Se do acidente resultou morte: Acidente ocorrido até 11 de janeiro de 1993 aplica prazo prescricional de 20 anos do antigo Código Civil. Acidente ocorrido após 11 de janeiro de aplica prazo de 03 anos do novo CC (art. 206, 3º, VIII) contado de 11 de janeiro de 2003 ou da data do óbito, se posterior a 11 de janeiro de Se do acidente resultou lesões e incapacidade, a prescrição somente começa a correr a partir da ciência da incapacidade. Se não foi aposentado por invalidez ou apresentado laudo de invalidez, a a- ção, possivelmente, não estará prescrita porque dependerá do laudo pericial atestar a incapacidade. Ver modelos de sentença de prescrição na lista de modelos da instituição Recebimento da petição inicial Analisando-se todos os requisitos do artigo 282 do CPC, as condições da ação e pressupostos processuais, o valor da causa, e, estando todos em conformidade com a Lei, o juiz receberá a petição inicial. A petição poderá ser recebida por despacho inicial (MI ), no qual poderá haver determinação de réplica (MI 1088), ou no qual poderá ser marcada audiência preliminar do artigo 331 do CPC (MI ), ou audiência prévia (MI 1091). Há entendimentos no sentido de que a petição inicial deverá ser recebida por meio de decisão (MI ). Havendo pedido de medida liminar, o juiz apreciará o pleito, podendo em alguns casos, deixar para apreciar após a manifestação do réu. Seguem alguns modelos de instituição de despachos iniciais que recebem a petição inicial, inclusive em outros ritos processuais que não o ordinário: CÓDIGO DO MODELO DO ATO JUDICIAL NO SAJ/PG5 Despacho Despacho 1088 Inicial Ordinária Inicial- Ordinária com réplica TÍTULO

12 Decisão Despacho 1091 Despacho Despacho 1123 Despacho Despacho Despacho Despacho Despacho 1071 Despacho Decisão 1134 Decisão Decisão 1162 Decisão 1137 Decisão 1181 Decisão 1180 Decisão Decisão Decisão Decisão 1146 Decisão Decisão Decisão 1137 Sentença 1287 Inicial ordinária por decisão Inicial - Ordinária (com Audiência prévia) Inicial- Ordinária com audiência preliminar (saneamento) Inicial - Rito Sumário Inicial Ação de Cobrança - Rito ordinário (com audiência) Inicial Ação de Cobrança -DPVAT por morte (= inicial ordinária) Inicial Inicial Ação de Cobrança - DPVAT com Perícia (por invalidez) Inicial Ação de Execução Extrajudicial (sem pedido de penhora on line) Inicial - Ação de Execução Extrajudicial com pedido de penhora on line Inicial - Ação de Exibição sem pedido de liminar Inicial - Ação de Exibição de contrato deferir liminar Inicial - Ação de Exibição de extratos de plano Collor 1 e 2 deferir liminar Inicial - Ação de Despejo- deferir liminar Inicial Ação de Busca e apreensão - deferir liminar Inicial - Ação Monitória Deferir inicial- básica Inicial- Ação Monitória- Deferir revel perde direito intimação Inicial Ação de REVISÃO de Contrato Depositar parcela contratada (com capitalização) e indeferir Justiça Gratuita Inicial. Revisional. Improcedente- Indefere retirada de capitalização Inicial. Revisional. Retira a capitalização e liquida Inicial - Ação de REVISÃO de Contrato Indeferir (não trouxe contrato) Inicial Ação de Revisão de CÉDULA de crédito indeferir liminar e Justiça Gratuita Inicial - Ação de REVISÃO de cartão de crédito (sem depositar nada) Indeferir Inicial - Ação de Reintegração de Posse (leasing)- deferir liminar Sentença de improcedência de plano de PIS/COFINS em conta da COSERN 2.3. Emenda à inicial Se da análise da inicial se constatar a falta de algum requisito ou de pressuposto processual sanável, o juiz deverá determinar a emenda da inicial para suprir a falha, conforme artigo 284 do Código de Processo Civil Citação A citação, ou seja, o ato pelo qual se chama o réu ou o interessado ao processo para apresentar defesa é indispensável ao processo. Sua ausência acarreta nulidade se não for suprida. No processo ordinário, havendo pluralidade de réus, o prazo de defesa começa a ser contado da juntada do último mandado cumprido ou Aviso de recebimento (Art. 241, III, CPC). Para fins de s embargos à execução, o prazo é contado separadamente para cada executado, salvo se cônjuges (Art. 738, 1º, CPC). Conforme Art. 219, 2º, do CPC, incumbe à parte promover a citação do réu nos 10 (dez) dias seguintes ao despacho que a ordenar, prazo esse que poderá ser prorrogado até o máximo de 90(noventa) dias (Art. 219, 4º).

13 Há entendimento no sentido de que a prorrogação do prazo por mais noventa dias depende de requerimento do autor, devendo-se considerar somente o prazo de 10 (dez) dias se não houver qualquer pedido de dilação do prazo. Conferir o entendimento do magistrado. Promover a citação significa, dentre outras providências: fazer o pedido de citação, trazer cópia da inicial, dizer o endereço correto e atual da parte ré, pagar custas de precatória ou providenciar a publicação de editais, quando for o caso. Se o autor não trouxer aos autos o endereço correto e atual do réu, ou não praticar algum dos atos importantes para a efetivação da citação, mesmo após a intimação para tanto, e nada tiver requerido a esse respeito, não terá cumprido as diligências necessárias à promoção da citação do réu. Não promovendo a citação, ausente está pressuposto de validade do processo, conforme vem entendendo o TJRN (Apelação Cível nº ª Câmara Cível. Relator: Des. Expedito Ferreira. Votação unânime. Julgamento: 25/02/2010) e o processo deve ser extinto sem apreciação do mérito (Código do Modelo de Instituição MI sentença ) Pedidos de Pesquisa de endereço Intimado o autor para promover a citação, pode requerer que o juízo proceda à pesquisa de bens em órgãos públicos, como TRE, Receita Federal (INFOJUD), DETRAN (RENA- JUD), Banco Central (BACENJUD 1.0), operadoras de telefonia celular, dentre outros. Diante dos pedidos de ofícios, caberá verificar o entendimento do magistrado sobre o deferimento ou não dos pleitos e em que limites. Alguns magistrados exigem que o autor, principalmente quando se trata de empresa que não é suficientemente frágil, comprove que fez pesquisa em listas telefônicas, cadastros de restrição e outras listas na internet, para somente após, se não for encontrado o endereço, determinar a pesquisa. As consultas à Receita Federal, DETRAN e bancos foram facilitadas mediante convênios como INFOJUD, RENAJUD E BACENJUD. O ofício ao TRE depende de constar dos autos nome da mãe e data de nascimento. Os ofícios às operadoras de telefonia não têm surtido efeito, em face do que alguns magistrados indeferem tais pleitos com o fundamento de que é pequena a probabilidade de utilidade da diligência. Sugere-se, se requerida, deferir a consulta no SAJ, no BACENJUD 1.0, no INFO- JUD e no RENAJUD sobre o endereço do réu (MI decisão ). Consultar entendimento do magistrado Contestação O réu poderá defender-se mediante a apresentação de contestação, reconvenção ou exceções. Importantíssimo o cadastramento do nome do advogado do réu no sistema, a fim de que seu nome conste das intimações posteriores. Na contestação, é importante observar se o réu negou os fatos afirmados pelo autor ou acrescentou novos fatos. Não tendo negado os fatos, dispensa-se, em regra, a instrução Reconvenção A reconvenção deve ser juntada nos mesmos autos. Não precisa abrir incidente. Exige-se o pagamento de custas da reconvenção, salvo se beneficiário de justiça gratuita. Intimar reconvindo para responder à reconvenção (MI ato ordinatório ). Na mesma sentença serão julgadas a ação e a reconvenção. A audiência e as provas serão para conciliar ou instruir ambas Exceção de incompetência

14 Suspende o processo principal, inclusive o prazo para contestar. Ato ordinatório para ouvir excepto em 10 dias (MI ato ordinatório 1258). Após, concluso para decisão Atos a serem praticados após a contestação Apresentada contestação, a secretaria deverá ter todo o cuidado no sentido de cadastrar o nome do advogado da parte ré no sistema de automação do Judiciário (SAJ). Em seguida, ver o posicionamento do juiz sobre o que fazer em vários assuntos. A análise individualizada do processo será necessária. Seguem algumas propostas genéricas, para observar se são adequadas no caso concreto: Aprazar audiência de conciliação (MI despacho 850) em: o Algumas ações indenizatórias, dependendo do réu e do assunto; o Embargos à execução, se alegado excesso de execução; o Monitórias, quando alegado excesso; o Quando as partes pedirem; o Em execuções e monitórias, quando não encontrados bens penhoráveis e o credor requerer; o Ações de cobrança de condomínio e prestações escolares. Mandar especificar provas (MI despacho 1026) em: o Ações diversas em que as partes tenham pedido produção de prova, onde os fatos relevantes não estejam todos provados e a conciliação não seja provável; o Quando na petição inicial houver muitos fatos descritos e não tiver sido requerida a oitiva de testemunhas. Fazer concluso para sentença após a contestação (julgamento antecipado) em: o Ações revisionais; o Busca e apreensão e reintegração de posse em contrato bancário; o Cautelares, inclusive de exibição de documento; o Despejo; o Plano de saúde; o DPVAT em caso de morte. Ato ordinatório para se manifestar sobre preliminares e documentos: o Somente em ações diversas com várias preliminares; o Em ações em que forem juntados muitos documentos ou documentos relevantes à instrução da causa; o Quando houver preliminar de prescrição; o Quando houver preliminar de defeito de representação (falta de procuração), mandar sanar. Nos casos de preliminares de ilegitimidade, falta de interesse de agir e impossibilidade jurídica e inépcia da inicial, é possível analisar na audiência ou na sentença tais preliminares e, somente se for caso de acolher, abrir vista à parte autora para réplica. No caso de rejeição da preliminar, a réplica é desnecessária, pois não haverá nulidade por falta de prejuízo ao autor Perícia Analisar sobre a real necessidade da prova pericial. Em revisões de contrato, por e- xemplo, tem sido dispensada a prova pericial, vez que a capitalização de juros se constata facilmente, quando se observa que a taxa de juros anual é mais que doze vezes superior à taxa de juros mensal. Ademais, na fórmula usada para fins de fazer os cálculos da Tabela Price, os juros são multiplicados por eles mesmos tantas vezes quantas sejam as prestações a serem pagas.

15 Uma tabela de Excel que calcula o financiamento com juros simples pode ser conseguida, solicitando-se ao Constatada a necessidade de prova pericial, o juiz designará o perito, formulará os quesitos, decidirá quem deve pagar os honorários periciais e o valor destes, além de intimar as partes para elaborarem quesitos, indicarem assistente técnico e a parte para efetuar o depósito dos honorários periciais. Códigos de Modelos de instituição: despacho 1109 (Contador sem quesitos), despacho 1117 (cartão de crédito). Sugere-se fixar logo os honorários do perito, evitando-se a intimação do perito somente para fazer a proposta de honorários. Se o perito não ficar satisfeito com os honorários fixados pelo juiz, poderá fazer o pedido de complementação. Em casos de perícia médica, o perito deverá ser intimado para indicar dia e hora para consultar o periciando e informar ao juízo, para que seja providenciada a intimação das partes para comparecimento. (Modelo de Instituição ). A comunicação com o perito ficará facilitada se for cadastrado o e as intimações forem feitas por . Com relação aos honorários periciais, em causas que tenha como réu o INSS (acidente de trabalho), O STJ na Súmula 232 diz que: A Fazenda Pública, quando parte no processo, fica sujeita à exigência do depósito prévio dos honorários do perito. E na Súmula 178: O INSS não goza de isenção do pagamento de custas e emolumentos, nas ações acidentarias e de benefícios, propostas na justiça estadual. Assim, o INSS está obrigado a adiantar os honorários periciais e o faz mediante depósito, devendo ser informado o nome, CPF e número da conta bancária do perito (Modelo de instituição decisão 1119) Audiência de Instrução Os juízes precisam aprender a gravar as audiências, evitando que um servidor fique durante todo o tempo da audiência parado escutando a audiência, enquanto a mesma é gravada. Sugere-se, ainda, opcionalmente, que o servidor prepare a gravação, teste o som, e o juiz controle apenas o iniciar e parar, bem como a posição da câmera, conforme depoimentos estejam sendo tomados. O servidor poderá sair da sala de audiências para fazer outras tarefas e voltar ao final para salvar, editar e gravar em CD Sentença As sentenças devem conter: relatório, fundamentação e dispositivo. Necessário separar cada um, de modo que no relatório não contenha fundamentação e sempre se refira a qualquer fundamento como alegado por alguma das partes. Usar sempre: aduz, alega, relata, informa, diz, assevera, dentre outros. No relatório, não deve haver juízo de valor. Informa sobre os fatos do processo e versão das partes. Fundamentação: jurídica e fática. A maior relevância é da fundamentação fática, expondo como ela se encaixa na tese jurídica sustentada. Dispositivo: Raciocínio lógico dependente da fundamentação. Procedente, improcedente, procedente em parte, extinto sem mérito. Não é para fundamentar no dispositivo, salvo com relação aos honorários. Em se tratando de sentença extintiva sem mérito ou de prescrição (com mérito), dizer o dispositivo legal em que se baseia. Analisar honorários: se deve haver condenação, quem deve pagar e fundamentar o valor ou percentual em conformidade com artigo 20 e parágrafos do CPC. Quanto aos honorários, deve haver fundamentação, mesmo ficando na parte dispositiva da sentença, principalmente quando caracterizada uma das hipóteses do artigo 20, 4º, do CPC (causas de pequeno valor, nas de valor inestimável, naquelas em que não houver condenação ou for vencida a fazenda pública e nas execuções, embargadas ou não, os honorários deverão ser fixados consoante apreciação equitativa do juiz).

16 Custas: verificar se é beneficiário de justiça gratuita. Nesse caso, suspende a condenação por cinco anos (art. 12 da Lei 1.060/50). Se já foi pago alto valor de custas e a sentença é de improcedência ou de extinção sem julgamento de mérito, colocar na sentença que custas já foram pagas e que não há custas remanescentes a serem pagas. Quando o réu for sucumbente (pedido do autor procedente), condenar o réu a pagar ao autor custas adiantadas e recolhidas ao Fundo de Desenvolvimento da Justiça no início do processo. Verificar se houve penhora ou impedimento de alienação de veículo, e se, em conformidade com a sentença, é caso de liberar gravames. Verificar se é caso de expedir alvará. Verificar se é caso de expedir ofício ao SERASA e SPC para baixa em restrição e o posicionamento do juiz sobre o assunto, levando em consideração que, com a baixa na distribuição, o setor de distribuição deverá comunicá-la ao SERASA, para fins cancelamento da restrição. Em caso de sentença de mérito, ver modelos e perguntar entendimento do magistrado antes de elaborar Homologação de acordo Verificar se as partes assinaram o acordo. Se aceita que o advogado de uma ou de ambas as partes não tenha assinado, mas nesse caso, necessário mais cuidado para ver se não tem cláusulas abusivas. Em acordo sobre imóveis: verificar se consta assinatura do cônjuge. Se o advogado tiver poderes para transigir (ver na procuração), poderá assinar o acordo em nome da parte que representa. Observar se o acordo tem objeto lícito. Sempre ler o acordo. Observar se as partes pediram a suspensão ou extinção do processo. Se for processo de conhecimento, sempre extinguir, mesmo que pedida a suspensão (MI sentença ). Se tiver havido penhora e para fins de não perder a garantia, poderá ser feita a homologação do acordo sem extinção do processo. Mas, deve-se verificar se as partes concordaram com o levantamento da penhora, e, neste caso, determinar tal providência, assim como o levantamento de restrição em cadastro de inadimplentes (SERASA e outros). Pactuada a desconstituição da penhora melhor será extinguir o processo Desistência No processo de conhecimento: decorrido o prazo para resposta e se tiver sido apresentada contestação, intima-se a parte ré para dizer se concorda (MI ato ordinatório genérico 1193). Se houver concordância, homologa-se a desistência (MI sentença ). Em caso de revelia (MI sentença ) ou, antes da contestação (MI sentença ), homologa-se a desistência sem intimar o réu. Na Execução: nunca precisa ouvir se o executado concorda. Cuidado com pedidos de desistência ou extinção formulados pelo próprio executado. Somente o exequente pode pedir a desistência Sentenças em ações específicas Exibição de documentos O STJ editou a Súmula 372 enunciando que na ação de exibição de documento não cabe multa cominatória. Diante disso, se no curso da ação, não for apresentado o documento, e já tiver havido liminar nesse sentido, na sentença, o juiz poderá determinar exibir sob pena de busca e apreensão (MI sentença 1312) Indenização

17 Quantum do dano moral: fixar levando em conta principalmente a extensão do dano e o grau de culpa. Se a condenação for estipulada em valor inferior ao requerido pelo autor de danos morais, não há sucumbência recíproca. Quanto aos encargos de juros e correção monetária, levar em consideração o seguinte: CORREÇÃO JUROS CONTRATUAL EXTRACONTRATUAL MORAL MATERIAL MORAL MATERIAL Da sentença Do efetivo prejuízo Da sentença (súmula 43 Do efetivo pre- (súmula 43 (súmula STJ) juízo (súmula STJ) 43 STJ) 43 STJ) Desde a citação (art. 405 CC) Desde a citação (art. 405 CC) Do evento danoso (súmula 54-STJ) Do evento danoso (súmula 54-STJ +art.398-cc) 385 do STJ). Por inscrição em cadastro de inadimplentes: Verificar se provou a inscrição no SPC, SERASA, etc. A manutenção indevida de inscrição legítima não gera direito à indenização (Súmula Ação de Cobrança de Aluguéis Requisitos indispensáveis para análise do mérito: 1º relação contratual: locação deve ser comprovada, em regra, pelo contrato escrito; 2º comprovada a relação contratual, averiguar as condições da ação, a fim de dirimir as preliminares porventura suscitadas; 3º - analisar se o pedido é cumulado com pedido de despejo (é o normal); 4º identificar a mora. Provada esta, dar-se-á a rescisão contratual (essencial quando haja pedido de despejo). Se for formulado somente pedido de cobrança, identificar o período da mora para a procedência da demanda; 5º verificar, no caso de despejo, se o imóvel já foi desocupado, para fins de verificar a data do fim da obrigação das prestações locatícias e demais encargos. Lembrar que a ação de despejo e de cobrança de prestações vencidas engloba o pagamento das prestações vincendas, incluindo-se as que se vencerem durante o processo. 6º fixar os encargos moratórios e sucumbenciais: juros a partir da citação; correção a partir do inadimplemento de cada uma das prestações locatícias, com base no INPC ou outro; honorários advocatícios, na maioria dos casos, de 10% (dez por cento) sobre o valor da condenação Recurso de apelação Requisitos: TEMPESTIVIDADE verificar se foi interposto no prazo de 15 dias ou de 30 dias (quando houver mais de um réu e diferentes procuradores, Ministério Público ou defensoria pública); Se o recurso for interposto fora do prazo, não receber (MI decisão ). PREPARO (pagamento das custas do recurso). O preparo deve ser feito no ato de interposição do recurso, não sendo admitido o preparo posterior (MI decisão ), salvo quando tenha sido requerida gratuidade de justiça somente no recurso e tal pleito tenha sido indeferido, caso em que o juiz deve conceder prazo para o depósito do preparo (MI decisão ). São isentos do

18 pagamento de preparo os beneficiários de justiça gratuita, magistrados, servidores e Ministério Público. Cabimento: recurso previsto na lei como cabível para impugnação da sentença de que se recorre. Legitimidade para recorrer: partes, Ministério Público e terceiro prejudicado. Interesse em recorrer. Somente pode recorrer se a sentença não lhe foi totalmente favorável Inexistência de ato extintivo ou impeditivo. Ex: Renúncia ao direito de recorrer. Ao receber a apelação, o juiz fixará os efeitos em que a recebe, podendo-se adotar os seguintes parâmetros, com os respectivos códigos de modelo de instituição: Apelação de sentenças em geral efeitos suspensivo e devolutivo (MI decisão 1125) Recebimento de apelação concedendo justiça gratuita- MI decisão Apelação da sentença que concedeu tutela ou confirmou a antecipação da tutela - Receber a apelação somente no efeito devolutivo no que diz respeito ao provimento confirmador da tutela antecipada deferida, para que esta continue válida e eficaz. Receber a apelação nos efeitos suspensivo e devolutivo com relação às demais obrigações impostas na sentença. (MI decisão ). Apelação de sentença que julgou procedente ação de despejo e busca e apreensãoreceber apenas no efeito devolutivo. Apelação da sentença de Revisão de contrato que determinou o valor das prestações pendentes - A apelação terá somente efeito devolutivo quanto à obrigação de depositar mensalmente as prestações vincendas, de modo que os depósitos deverão ser efetuados enquanto se julga a apelação (MI decisão 1128). Se a sentença não for líquida, receber a apelação nos efeitos suspensivo e devolutivo (MI decisão 1125). Apelação da decisão que julgou improcedente ou rejeitou liminarmente embargos à execução - Receber a apelação no efeito devolutivo (art. 520, IV, do CPC) e determinar que se desentranhem os embargos dos autos da execução, para que essa tenha regular prosseguimento. Junte-se cópia da sentença de embargos nos autos da execução e prossiga-se com a execução (MI decisão ). Apelação de sentença de improcedência que cassou liminar ou tutela - receber a apelação nos efeitos suspensivo e devolutivo. Entretanto, a sentença de improcedência revoga a liminar ou tutela anteriormente concedida, por incompatibilidade lógica, ou seja, para não resguardar ou conceder direito a quem, conforme sentença judicial não o tem. O pressuposto de verossimilhança das alegações inexiste, de forma que a liminar não mais subsiste, tendo perdido seu fundamento de validade e todos os seus efeitos (Súmula 405 do STF). Independentemente do efeito do recurso, por ter sido revogada a liminar com a improcedência do pedido declarada na sentença, a decisão liminar não surtirá qualquer efeito (MI 1129). 3. Cumprimento de Sentença Após o trânsito em julgado, cumpre verificar se na sentença constou algo quanto ao pagamento do valor da condenação. Se constar da sentença que a parte fica intimada com a publicação da sentença a pagar em 15 dias do trânsito em julgado, quando transitar em julgado, abrir o prazo de 15 dias, ou verificar se já decorreu tal prazo nos processos vindos do Tribunal. Se na sentença ou acórdão não constou que a parte vencida fica intimada para efetuar o pagamento, fazer ato ordinatório intimando para pagar em 15 dias, sob pena de multa de 10% (MI ato ordinatório ).

19 Não havendo pagamento, o credor terá o prazo de até seis meses para promover a e- xecução do julgado. Alguns magistrados fazem despacho ou ato ordinatório determinando que se aguarde o prazo de seis meses para o vencedor promover a execução e determinam a publicação de tal ato (MI despacho 867). Outros entendem que o prazo de seis meses deve correr em secretaria, independentemente de intimação (MI despacho ) e outros intimam para promover a execução em 30 dias, sob pena de arquivamento (MI ato ordinatório ), facultando o desarquivamento, independentemente de pagamento de custas de desarquivamento, pelo prazo de dois anos (art. 38, VI, da Lei n.º 9.278, de 30 de dezembro de 2009). Consultar entendimento do magistrado. Requerida pelo vencedor a execução, sem pedir penhora on line e decorrido o prazo de 15 dias sem pagamento: Despacho mandando expedir mandado de penhora e cadastrar como cumprimento de sentença (MI despacho ). O correto cadastramento das partes na fase de cumprimento de sentença, colocando no SAJ quem é o exequente (às vezes é o réu ou advogado do réu), é importante para evitar futuros erros em publicações e intimações. Se requerida a penhora de dinheiro em contas bancárias, autorizar, em regra, tal penhora (MI despacho, 869), uma vez que o dinheiro é o primeiro bem na lista de bens a serem penhorados, conforme artigo 655 do CPC, e que é o bem que melhor satisfaz à execução. Efetuado o bloqueio, lavra-se termo de penhora e intima-se o executado para impugnar em 15 (quinze) dias. No despacho de cumprimento de sentença, há magistrados que determinam a consulta ao Renajud, ao Infojud, e alguns que determinam o arquivamento imediato do processo após tais consultas. Consultar entendimento do magistrado sobre a questão. Em caso de penhora de imóvel, lavrar termo de penhora em secretaria se constar dos autos documento que permita identificá-lo. Intimar exequente para providenciar o registro da penhora no cartório competente. Intimar executado para impugnar em 15 dias, bem como o exequente para dizer se tem interesse na adjudicação, alienação particular, usufruto ou se prefere a arrematação em hasta pública (MI termo/ato ordinatório 1207). Na penhora de imóvel, determinar a intimação do cônjuge. Havendo solicitação pela parte exequente ou executada de aprazamento de audiência de conciliação, em regra, defere-se. Consultar entendimento do magistrado. Deferir pesquisas de endereço em Infojud, Renajud e Bacenjud ou não, bem como em outros órgãos, conforme entendimento do magistrado (MI decisão ). Se o exequente nada requereu após a intimação para dizer se tinha interesse na adjudicação, remetem-se os autos à Central de Avaliação e Arrematação, onde houver, ou se providencia o leilão, praça ou pregão eletrônico. Chegando novo endereço aos autos, expedir novo mandado, independentemente de despacho. Para alguns magistrados, em casos de revelia, e em razão da natureza una do processo, dispensa-se a futura intimação pessoal, até mesmo da sentença, bem como para pagar. Considera-se intimado com a publicação, mesmo que não tenha advogado constituído (MI despacho 868). Não se encontrando bens penhoráveis, há entendimentos no sentido de arquivar o processo (MI despacho1069), facultando-se o desarquivamento durante o prazo prescricional. Se a parte for intimada para indicar bens penhoráveis em 30 (trinta) dias, e depois, pessoalmente, em 48 horas, e se não se manifestar, extingue-se a execução por abandono (MI sentença ). Havendo impugnação ao cumprimento de sentença, há magistrados que determinam que se faça de imediato ato ordinatório para se manifestar, e outros que venham os autos conclusos para decisão. Seguem alguns códigos de modelos de decisão da instituição sobre o recebimento da impugnação ao cumprimento de sentença: Nº 1155 Se alegar excesso de execução e não disser o valor que entende devido, rejeita-se liminarmente a impugnação;

20 Nº Penhora em dinheiro Concede, em regra, efeito suspensivo; Nº 1156 Penhora em outros bens- Indefere efeito suspensivo; Nº 1159 Impugnação sem garantia do juízo- concede prazo; Nº Impugnação sem garantia do juízo Rejeição; Nº 1157 Improcedência imediata da impugnação. A concessão de efeito suspensivo dependerá da relevância dos fundamentos da impugnação e do perigo de dano irreparável ou de difícil reparação e de estar a dívida garantida pela penhora. 4. Monitória 4.1-Petição inicial Monitória petição inicial instruída com documento de dívida (prova escrita sem e- ficácia de título executivo) Prescrição Ressalte-se que é assente o entendimento dos Tribunais de que é possível a ação monitória com base em cheque prescrito. Sempre que não há prescrição da pretensão de cobrança, admite-se a monitória com cheque prescrito para a ação executiva. Entretanto, quando a pretensão está prescrita, inclusive para a ação de cobrança, não se pode admitir a monitória. Na monitória de cheque prescrito, verificar de quando é o cheque, pois depois de cinco anos (art. 206,5º, I do CC), prescreve a pretensão de cobrança do cheque, sendo incabível até a monitória (MI sentença 1298). 4.3 Procedimento Verificando-se que há documento de dívida que não é título executivo, receber a inicial. Constam dois modelos cadastrados no SAJ PG5 como modelo de instituição, sendo uma decisão básica (MI decisão 1181) e outra decisão inicial em que já informa que se o réu for revel perderá o direito a futuras intimações (MI decisão 1180). Não havendo embargos monitórios, converte-se de pleno direito o mandado em título executivo. Não precisa de decisão ou de sentença. Faz ato ordinatório (MI ato ordinatório 1211). Consultar entendimento do magistrado. Segue o rito do cumprimento de sentença, por força de lei e independentemente de ter havido sentença, concedendo prazo para pagar em 15 (quinze) dias, sob pena de multa. Para alguns magistrados, o prazo corre em secretaria, independente de intimação pessoal, por ser o réu revel. Para outros, expede novo mandado intimando o réu para efetuar o pagamento no prazo de 15 dias, sob pena de multa. Há também entendimento no sentido de expedir logo o mandado de penhora. Se houver embargos monitórios, intimar o autor/embargado, por ato ordinatório, para responder em 15 (quinze) dias (MI ato ordinatório ). 4.4 Noções para sentença em monitórias Sentença da Ação Monitória embargada Requisitos: 1º verificar a relação jurídica firmada entre as partes (verificar requisitos de existência, validade e eficácia do negócio jurídico; 2º analisar os requisitos de exigibilidade da obrigação (vencimento); 3º deduzir valores já pagos; 4º - para a liquidez, estabelecer a data da constituição da mora.

PODER JUDICIÁRIO - JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe 7ª Vara Federal FLUXOGRAMA 28 - AÇÃO MONITÓRIA

PODER JUDICIÁRIO - JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe 7ª Vara Federal FLUXOGRAMA 28 - AÇÃO MONITÓRIA PODER JUDICIÁRIO - JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe 7ª Vara Federal FLUXOGRAMA 28 - AÇÃO MONITÓRIA INÍCIO análise inicial Verificar a existência de demonstrativo de débito e contrato

Leia mais

2 FASE DIREITO CIVIL ESTUDO DIRIGIDO DE PROCESSO CIVIL 2. Prof. Darlan Barroso - GABARITO

2 FASE DIREITO CIVIL ESTUDO DIRIGIDO DE PROCESSO CIVIL 2. Prof. Darlan Barroso - GABARITO Citação 2 FASE DIREITO CIVIL ESTUDO DIRIGIDO DE PROCESSO CIVIL 2 Prof. Darlan Barroso - GABARITO 1) Quais as diferenças na elaboração da petição inicial do rito sumário e do rito ordinário? Ordinário Réu

Leia mais

O CONVÊNIO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO E A UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA: RESULTADOS ESTATÍSTICOS (ANO BASE 2007) DO CARTÓRIO DO

O CONVÊNIO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO E A UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA: RESULTADOS ESTATÍSTICOS (ANO BASE 2007) DO CARTÓRIO DO O CONVÊNIO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO E A UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA: RESULTADOS ESTATÍSTICOS (ANO BASE 2007) DO CARTÓRIO DO ANEXO II DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DA UNOESTE... 969

Leia mais

SUMÁRIO CAPÍTULO I FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... 19 CAPÍTULO II - DO PROCESSO CIVIL... 39

SUMÁRIO CAPÍTULO I FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... 19 CAPÍTULO II - DO PROCESSO CIVIL... 39 SUMÁRIO Apresentação da Coleção...15 CAPÍTULO I FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... 19 1. Antecedentes históricos da função de advogado...19 2. O advogado na Constituição Federal...20 3. Lei de regência da

Leia mais

LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR

LEGISLAÇÃO COMPLEMENTAR ATUALIZAÇÃO 9 De 1.11.2014 a 30.11.2014 VADE MECUM LEGISLAÇÃO 2014 CÓDIGO CIVIL PÁGINA LEGISLAÇÃO ARTIGO CONTEÚDO 215 Lei 10.406/2002 Arts. 1.367 e 1.368-B Art. 1.367. A propriedade fiduciária em garantia

Leia mais

PETIÇÃO INICIAL (CPC 282)

PETIÇÃO INICIAL (CPC 282) 1 PETIÇÃO INICIAL (CPC 282) 1. Requisitos do 282 do CPC 1.1. Endereçamento (inciso I): Ligado a competência, ou seja, é imprescindível que se conheça as normas constitucionais de distribuição de competência,

Leia mais

Agrupadores. GESTÃO DE VARA ELETRÔNICA - PJE Jessiane Carla Siqueira Moreira Assessoria de Apoio à Primeira Instância JUIZ E SEUS ASSISTENTES

Agrupadores. GESTÃO DE VARA ELETRÔNICA - PJE Jessiane Carla Siqueira Moreira Assessoria de Apoio à Primeira Instância JUIZ E SEUS ASSISTENTES Agrupadores JUIZ E SEUS ASSISTENTES»Processos com pedido liminar ou de antecipação de tutela não apreciado GESTÃO DE VARA ELETRÔNICA - PJE DIRETOR E SEUS ASSISTENTES»Processos com Petições Avulsas»Processos

Leia mais

Honorários advocatícios

Honorários advocatícios Honorários advocatícios Os honorários advocatícios são balizados pelo Código de Processo Civil brasileiro (Lei de n. 5.869/73) em seu artigo 20, que assim dispõe: Art. 20. A sentença condenará o vencido

Leia mais

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO 1 1) O DIREITO MATERIAL DE PAGAMENTO POR CONSIGNAÇÃO a) Significado da palavra consignação b) A consignação como forma de extinção da obrigação c) A mora accipiendi 2 c)

Leia mais

SUMÁRIO NOTA DO AUTOR À TERCEIRA EDIÇÃO

SUMÁRIO NOTA DO AUTOR À TERCEIRA EDIÇÃO SUMÁRIO NOTA DO AUTOR À TERCEIRA EDIÇÃO... 15 PREFÁCIO... 17 INTRODUÇÃO... 19 Capítulo I FLEXIBILIZAÇÃO... 21 1.1. Definição... 21 1.2. Flexibilização da norma... 23 1.3. Flexibilizar a interpretação e

Leia mais

ALTERAÇÕES À LEI DE LOCAÇÃO Lei nº. 12.112/2009

ALTERAÇÕES À LEI DE LOCAÇÃO Lei nº. 12.112/2009 ALTERAÇÕES À LEI DE LOCAÇÃO Lei nº. 12.112/2009 SWISSCAM - Câmara de Comércio Suíço-Brasileira - São Paulo, Brasil - 13 de agosto de 2010 MULTA CONTRATUAL Lei nº. 8.245/91 O locatário poderia devolver

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2015 R E S O L V E:

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2015 R E S O L V E: ESTADO DO PARANÁ INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2015 O Desembargador Fernando Wolff Bodziak, 2º Vice-Presidente e Supervisor-Geral dos Juizados Especiais, no uso de suas atribuições legais e CONSIDERANDO o

Leia mais

PEDIDO DE VISTA NA INDICAÇÃO Nº 022/2012, RELATIVA AO PROJETO DE LEI Nº 2963/11, DE RELATORIA DO DR. IVAN NUNES FERREIRA.

PEDIDO DE VISTA NA INDICAÇÃO Nº 022/2012, RELATIVA AO PROJETO DE LEI Nº 2963/11, DE RELATORIA DO DR. IVAN NUNES FERREIRA. PEDIDO DE VISTA NA INDICAÇÃO Nº 022/2012, RELATIVA AO PROJETO DE LEI Nº 2963/11, DE RELATORIA DO DR. IVAN NUNES FERREIRA. VOTO DE VISTA: FAUZI AMIM SALMEM PELA APROVAÇÃO DO RELATÓRIO, COM AS SEGUINTES

Leia mais

Caderno de apoio Master MASTER /// JURIS

Caderno de apoio Master MASTER /// JURIS Turma e Ano: Flex B ( 2014 ) Matéria/Aula : Direito Empresarial - Títulos de crédito em espécie e falência / aula 07 Professor: Wagner Moreira. Conteúdo: Ações Cambiais / Monitoria / Cédulas e Notas de

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 637, DE 24 DE JUNHO DE 2014

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 637, DE 24 DE JUNHO DE 2014 AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO Nº 637, DE 24 DE JUNHO DE 2014 Aprova o Regulamento de Parcelamento de Créditos Não Tributários Administrados pela Agência Nacional de Telecomunicações Anatel

Leia mais

A execução incide somente sobre o patrimônio do executado. É sempre real.

A execução incide somente sobre o patrimônio do executado. É sempre real. PRINCÍPIOS DA EXECUÇÃO - Princípio da Patrimonialidade A execução incide somente sobre o patrimônio do executado. É sempre real. Art. 591. O devedor responde, para o cumprimento de suas obrigações, com

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRA INSTÂNCIA Seção Judiciária do Rio Grande do Norte 6ª Vara PORTARIA Nº POR.0006.

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRA INSTÂNCIA Seção Judiciária do Rio Grande do Norte 6ª Vara PORTARIA Nº POR.0006. PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRA INSTÂNCIA Seção Judiciária do Rio Grande do Norte 6ª Vara PORTARIA Nº POR.0006.000006-0/2014 O Juiz Titular da 6ª Vara Federal da Seção Judiciária do Rio Grande

Leia mais

1 - AÇÕES. Modelo: AÇÃO ANULATÓRIA DE DÉBITO FISCAL - DÍVIDA ATIVA ESTADUAL (PROCEDIMENTO ORDINÁRIO)

1 - AÇÕES. Modelo: AÇÃO ANULATÓRIA DE DÉBITO FISCAL - DÍVIDA ATIVA ESTADUAL (PROCEDIMENTO ORDINÁRIO) Modelo: AÇÃO ANULATÓRIA DE DÉBITO FISCAL - DÍVIDA ATIVA ESTADUAL (PROCEDIMENTO ORDINÁRIO) ESC.DIV.ATIVA EST. 1106-4 211,76 Recolhimento das custas referentes ao ato dos escrivães no valor de R$ 211,76,

Leia mais

Petição Inicial. OBS: todas as petições iniciais obedecem aos mesmos requisitos, seja ela de rito ordinário, sumário, cautelar procedimento especial.

Petição Inicial. OBS: todas as petições iniciais obedecem aos mesmos requisitos, seja ela de rito ordinário, sumário, cautelar procedimento especial. Petição Inicial A Petição inicial é a peça por meio da qual o autor provoca a atuação jurisdicional do Estado. A sua redação deverá obedecer a determinados requisitos estabelecidos no artigo 282 do CPC.

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0024.12.273016-1/001 Númeração 2730161- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Marcos Lincoln Des.(a) Marcos Lincoln 11/02/2015 23/02/2015 EMENTA: APELAÇÃO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECLAMAÇÃO Nº 14.696 - RJ (2013/0339925-1) RELATORA : MINISTRA MARIA ISABEL GALLOTTI RECLAMANTE : BANCO BRADESCO FINANCIAMENTOS S/A ADVOGADO : JOSÉ ANTÔNIO MARTINS E OUTRO(S) RECLAMADO : TERCEIRA TURMA

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.084.748 - MT (2008/0194990-5) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO SIDNEI BENETI : AGRO AMAZÔNIA PRODUTOS AGROPECUÁRIOS LTDA : DÉCIO JOSÉ TESSARO E OUTRO(S) :

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL CÍVEL DESANTOS Praça Barão do Rio Branco nº 30 - Centro Santos (SP) Fone (13) 3228-1000 PORTARIA N.

PODER JUDICIÁRIO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL CÍVEL DESANTOS Praça Barão do Rio Branco nº 30 - Centro Santos (SP) Fone (13) 3228-1000 PORTARIA N. PODER JUDICIÁRIO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL CÍVEL DESANTOS Praça Barão do Rio Branco nº 30 - Centro Santos (SP) Fone (13) 3228-1000 PORTARIA N. 49/2008 A Doutora Luciana de Souza Sanchez, Juíza Federal Titular,

Leia mais

PROVIMENTO CONJUNTO Nº 13, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2014.

PROVIMENTO CONJUNTO Nº 13, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2014. PROVIMENTO CONJUNTO Nº 13, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2014. Regulamenta os procedimentos a serem adotados no âmbito da Justiça do Trabalho da 4ª Região em virtude da implantação do PJe- JT, revoga o Provimento

Leia mais

Manual do Procedimento Comum Ordinário Cível da SJPE. BizAgi Process Modeler

Manual do Procedimento Comum Ordinário Cível da SJPE. BizAgi Process Modeler Manual do Procedimento Comum Ordinário Cível da SJPE BizAgi Process Modeler Índice Procedimento Comum Ordinário Cível... 8 Procedimento comum ordinário...9 Elementos do processo...9 01. Receber inicial...

Leia mais

Honorários Periciais Judiciais

Honorários Periciais Judiciais Honorários Periciais Judiciais Atualização monetária Juros legais de mora Impugnação aos Cálculos CAROLINE DA CUNHA DINIZ Máster em Medicina Forense pela Universidade de Valência/Espanha Título de especialista

Leia mais

Prática Cível 2ª Fase da OAB Ação Monitória AÇÃO MONITÓRIA

Prática Cível 2ª Fase da OAB Ação Monitória AÇÃO MONITÓRIA AÇÃO MONITÓRIA A está regulada nos artigos 1102-A a 1102-C, CPC. Eles são fruto da Lei 9.079/95. Essa ação é um grande exemplo de sincretismo processual em nosso ordenamento. é processo sincrético que

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECLAMAÇÃO Nº 14.424 - PE (2013/0315610-5) RELATORA : MINISTRA MARIA ISABEL GALLOTTI RECLAMANTE : SANTANDER LEASING S/A ARRENDAMENTO MERCANTIL ADVOGADO : ANTÔNIO BRAZ DA SILVA E OUTRO(S) RECLAMADO : SEXTA

Leia mais

Manual de Rotinas do Procedimento Cível Comum Ordinário. Protocolo

Manual de Rotinas do Procedimento Cível Comum Ordinário. Protocolo 29 Protocolo 2. DISTRIBUIÇÃO A previsão legal dos atos de distribuição e registro está no Código de Processo Civil, nos artigos 251 a 257. A distribuição tem a função de dividir os processos entre juízos

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Determinada pessoa jurídica declarou, em formulário próprio estadual, débito de ICMS. Apesar de ter apresentado a declaração, não efetuou o recolhimento do crédito

Leia mais

Exposição. 1. Município de Londrina ajuizou execução fiscal em face de Alessandro

Exposição. 1. Município de Londrina ajuizou execução fiscal em face de Alessandro APELAÇÃO CÍVEL N. 638896-9, DA COMARCA DE LONDRINA 2.ª VARA CÍVEL RELATOR : DESEMBARGADOR Francisco Pinto RABELLO FILHO APELANTE : MUNICÍPIO DE LONDRINA APELADO : ALESSANDRO VICTORELLI Execução fiscal

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CODÓ ESTADO DO MARANHÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CODÓ ESTADO DO MARANHÃO LEI Nº 1552, DE 18 DE AGOSTO DE 2011. Disciplina a dação em pagamento de obras, serviços e bem móvel como forma de extinção da obrigação tributária no Município de Codó, prevista no inciso XI do artigo

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.237.894 - MT (2011/0026945-1) RELATOR : MINISTRO SIDNEI BENETI RECORRENTE : BANCO DO BRASIL S/A ADVOGADO : NAGIB KRUGER E OUTRO(S) RECORRIDO : SUSSUMO SATO E OUTRO ADVOGADO : GILMAR

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta:

O CONGRESSO NACIONAL decreta: Altera a Lei nº 8.245, de 18 de outubro de 1991, que dispõe sobre as locações de imóveis urbanos e os procedimentos pertinentes. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Esta Lei introduz alteração na Lei

Leia mais

PROCEDIMENTO SUMÁRIO e SUMARÍSSIMO

PROCEDIMENTO SUMÁRIO e SUMARÍSSIMO PROCEDIMENTO SUMÁRIO e SUMARÍSSIMO 1. Procedimento Sumário e Sumaríssimo 1.1 Generalidades I. Processo de Conhecimento (artigo 272 Livro I): b) Comum: a.1) Ordinário (regra geral) a.2) Sumário (275) b)especiais

Leia mais

ROTEIRO PARA AUDIÊNCIA DE CONCILIAÇÃO ORIENTAÇÕES PARA CONCILIADORES

ROTEIRO PARA AUDIÊNCIA DE CONCILIAÇÃO ORIENTAÇÕES PARA CONCILIADORES ROTEIRO PARA AUDIÊNCIA DE CONCILIAÇÃO ORIENTAÇÕES PARA CONCILIADORES Juizado Especial Cível Lei 9099/95 Organização: Gladis de Fátima Canelles Piccini Micheline Pinto Bonatto Audiência 1. Pregão Uma vez

Leia mais

SUMÁRIO DIREITOS DO CONSUMIDOR

SUMÁRIO DIREITOS DO CONSUMIDOR SUMÁRIO DIREITOS DO CONSUMIDOR 1. E nós consumidores... 21 1.1. Um pouco de historia... 22 1.2. Todos tem o mesmo direito?... 23 1.3. O que podemos fazer?... 24 1.4. Que direitos básicos temos como consumidores?...

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN No-328, DE 22 DE ABRIL DE 2013

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN No-328, DE 22 DE ABRIL DE 2013 RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN No-328, DE 22 DE ABRIL DE 2013 Altera a Resolução Normativa - RN 4, de 19 de abril de 2002, que dispõe sobre o parcelamento de débitos tributários e não tributários para com a

Leia mais

EXECUÇÃO E CUMPRIMENTO DE SENTENÇA

EXECUÇÃO E CUMPRIMENTO DE SENTENÇA EXECUÇÃO E CUMPRIMENTO DE SENTENÇA 1. Processo de execução Título executivo extrajudicial art. 876, CLT e art. 4º, Lei 6.830/80 (Lei de Execução Fiscal LEF) a) Termo de ajustamento de conduta firmado com

Leia mais

2 - Qualquer pessoa pode reclamar seu direito nos Juizados Especiais Cíveis?

2 - Qualquer pessoa pode reclamar seu direito nos Juizados Especiais Cíveis? Tribunal de Justiça do Estado de Goiás Juizados Especias Perguntas mais freqüentes e suas respostas 1 - O que são os Juizados Especiais Cíveis? Os Juizados Especiais Cíveis são órgãos da Justiça (Poder

Leia mais

Associação dos Advogados de São Paulo - AASP CUMPRIMENTO DE SENTENÇA DEFINITIVO E PROVISÓRIO. Prof. Luís Eduardo Simardi Fernandes @LuisSimardi

Associação dos Advogados de São Paulo - AASP CUMPRIMENTO DE SENTENÇA DEFINITIVO E PROVISÓRIO. Prof. Luís Eduardo Simardi Fernandes @LuisSimardi Associação dos Advogados de São Paulo - AASP CUMPRIMENTO DE SENTENÇA DEFINITIVO E PROVISÓRIO Prof. Luís Eduardo Simardi Fernandes @LuisSimardi INTRODUÇÃO - TÍTULO EXECUTIVO - DINAMARCO: Título executivo

Leia mais

Repercussões do novo CPC para o Direito Contratual

Repercussões do novo CPC para o Direito Contratual Repercussões do novo CPC para o Direito Contratual O NOVO CPC E O DIREITO CONTRATUAL. PRINCIPIOLOGIA CONSTITUCIONAL. REPERCUSSÕES PARA OS CONTRATOS. Art. 1 o O processo civil será ordenado, disciplinado

Leia mais

Portaria PGFN nº 164, de 27.02.2014 - DOU de 05.03.2014

Portaria PGFN nº 164, de 27.02.2014 - DOU de 05.03.2014 Portaria PGFN nº 164, de 27.02.2014 - DOU de 05.03.2014 Regulamenta o oferecimento e a aceitação do seguro garantia judicial para execução fiscal e seguro garantia parcelamento administrativo fiscal para

Leia mais

Dívidas não parceladas anteriormente

Dívidas não parceladas anteriormente Débitos abrangidos Dívidas não parceladas anteriormente Artigo 1º da Portaria Conjunta PGFN/RFB nº 6, de 2009 Poderão ser pagos ou parcelados, em até 180 (cento e oitenta) meses, nas condições dos arts.

Leia mais

PETIÇÃO INICIAL AASP / IBDP - 2015. Daniel Brajal Veiga

PETIÇÃO INICIAL AASP / IBDP - 2015. Daniel Brajal Veiga PETIÇÃO INICIAL AASP / IBDP - 2015 Daniel Brajal Veiga Introdução Algumas novidades que devem ser mencionadas antes do tema: Princípio da Cooperação: Todos os sujeitos do processo devem cooperar entre

Leia mais

LEI Nº 10.259, DE 12 DE JULHO DE 2001.

LEI Nº 10.259, DE 12 DE JULHO DE 2001. LEI Nº 10.259, DE 12 DE JULHO DE 2001. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, Dispõe sobre a instituição dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais no âmbito da Justiça Federal. Faço saber que o Congresso Nacional

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL V EXAME UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA PROVA DO DIA 4/12/2011 DIREITO CIVIL

CONSELHO FEDERAL DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL V EXAME UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA PROVA DO DIA 4/12/2011 DIREITO CIVIL DIREITO CIVIL PEÇA PRÁTICO-PROFISSIONAL Trata-se da hipótese em que o(a) examinando(a) deverá se valer de medidas de urgência, sendo cabíveis cautelares preparatórias, com pedido de concessão de medida

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO fls. 163 SENTENÇA Processo nº: 1020203-79.2015.8.26.0053 Classe - Assunto Procedimento Ordinário - Anulação de Débito Fiscal Requerente: Comercial Móveis das Nações Sociedade Ltda. (Lojas Marabraz) Requerido:

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Registro: 2013.0000250943 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0080413-48.2010.8.26.0002, da Comarca de São Paulo, em que é apelante

Leia mais

DECISÃO MONOCRÁTICA CONTRATO DE SEGURO DE VIDA E INVALIDEZ PERMANENTE EM GRUPO. PRESCRIÇÃO. INOCORRÊNCIA. SEGURADO COM LESÃO NEUROLÓGICA QUE

DECISÃO MONOCRÁTICA CONTRATO DE SEGURO DE VIDA E INVALIDEZ PERMANENTE EM GRUPO. PRESCRIÇÃO. INOCORRÊNCIA. SEGURADO COM LESÃO NEUROLÓGICA QUE DÉCIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO N.º 0402603-95.2008.8.19.0001 APELANTE: SULAMÉRICA SEGUROS DE VIDA E PREVIDENCIA APELADO: FRANCISCO DE SOUZA COELHO JUNIOR RELATOR: DES. LINDOLPHO MORAIS MARINHO DECISÃO

Leia mais

GABINETE DA CORREGEDORIA SETOR DE CORREIÇÃO/2014 3º JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DO RIO DE JANEIRO JUIZ FEDERAL TITULAR DR. MARCO FALCÃO CRITSINELIS

GABINETE DA CORREGEDORIA SETOR DE CORREIÇÃO/2014 3º JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DO RIO DE JANEIRO JUIZ FEDERAL TITULAR DR. MARCO FALCÃO CRITSINELIS GABINETE DA CORREGEDORIA SETOR DE CORREIÇÃO/2014 3º JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DO RIO DE JANEIRO JUIZ FEDERAL TITULAR DR. MARCO FALCÃO CRITSINELIS Partindo de levantamentos realizados no questionário da

Leia mais

SENTENÇA. Foi concedida a antecipação dos efeitos da tutela para suspender a exigibilidade da notificação de nº 2012/808804682957086 (evento 9).

SENTENÇA. Foi concedida a antecipação dos efeitos da tutela para suspender a exigibilidade da notificação de nº 2012/808804682957086 (evento 9). AÇÃO ORDINÁRIA (PROCEDIMENTO COMUM ORDINÁRIO) Nº 5029780-43.2013.404.7000/PR AUTOR : ETEVALDO VAZ DA SILVA ADVOGADO : LEONILDA ZANARDINI DEZEVECKI RÉU : UNIÃO - FAZENDA NACIONAL MPF : MINISTÉRIO PÚBLICO

Leia mais

LEI Nº 11.608, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2003

LEI Nº 11.608, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2003 LEI Nº 11.608, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2003 Dispõe sobre a Taxa Judiciária incidente sobre os serviços públicos de natureza forense O GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Faço saber que a Assembléia Legislativa

Leia mais

REGULAMENTO Nº 001 Rev.04-A PROCEDIMENTO ARBITRAL NA ÁREA TRABALHISTA

REGULAMENTO Nº 001 Rev.04-A PROCEDIMENTO ARBITRAL NA ÁREA TRABALHISTA TAESP Arbitragem & O Mediação, com sede nesta Capital do Estado de São Paulo, na Rua Santa Isabel, 160 cj.43, nos termos dos Artigos 5º, 13, 3º e 21 da Lei 9.307/96, edita o presente REGULAMENTO PARA PROCEDIMENTOS

Leia mais

D E C I S Ã O. Contra-razões ofertadas as fls. 176/184 em total prestígio a. sentença.

D E C I S Ã O. Contra-razões ofertadas as fls. 176/184 em total prestígio a. sentença. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA QUARTA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL Nº 0168239-18.2007.8.19.0001 APELANTE: BRADESCO VIDA E PREVIDÊNCIA S/A APELADO: CATIA MARIA DA SILVA COUTO RELATOR:

Leia mais

MUNICÍPIO DE CAUCAIA

MUNICÍPIO DE CAUCAIA LEI N 1765, DE 25 DE AGOSTO 2006. Institui o Programa de Recuperação Fiscal - REFIS no Município de Caucaia, e dá outras providências. A PREFEITA MUNICIPAL DE CAUCAIA, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

RECUPERAÇÃO JUDICIAL E EXTRAJUDICIAL - XIV. I Introdução:

RECUPERAÇÃO JUDICIAL E EXTRAJUDICIAL - XIV. I Introdução: RECUPERAÇÃO JUDICIAL E EXTRAJUDICIAL - XIV I Introdução: - A Lei nº 11.101/05 contém duas medidas judiciais para evitar que a crise na empresa venha a provocar a falência de quem a explora, ou seja, a

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO ACÓRDÃO Registro: 2013.0000166668 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0203107-50.2009.8.26.0100, da Comarca de São Paulo, em que é apelante VERSAILLES INCORPORADORA SPE LTDA, são

Leia mais

HASTAS PÚBLICAS UNIFICADAS DA JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU EM SÃO PAULO REGRAS PARA PARTICIPAÇÃO

HASTAS PÚBLICAS UNIFICADAS DA JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU EM SÃO PAULO REGRAS PARA PARTICIPAÇÃO HASTAS PÚBLICAS UNIFICADAS DA JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU EM SÃO PAULO REGRAS PARA PARTICIPAÇÃO As Hastas Públicas Unificadas serão realizadas em dois leilões, sendo: 1º leilão: os lotes de bens oferecidos

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0024.08.286340-8/001 Númeração 2863408- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Marcos Lincoln Des.(a) Marcos Lincoln 02/10/2013 07/10/2013 EMENTA: < APELAÇÃO

Leia mais

Instrução Normativa nº 03, de 11 de setembro de 2006.

Instrução Normativa nº 03, de 11 de setembro de 2006. Instrução Normativa nº 03, de 11 de setembro de 2006. Dispõe sobre o Sistema Integrado de Protocolização e Fluxo de Documentos Eletrônicos do Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região (e-doc). O Juiz-Presidente

Leia mais

A propositura da ação vincula apenas o autor e o juiz, pois somente com a citação é que o réu passa a integrar a relação jurídica processual.

A propositura da ação vincula apenas o autor e o juiz, pois somente com a citação é que o réu passa a integrar a relação jurídica processual. PROCESSO FORMAÇÃO, SUSPENSÃO E EXTINÇÃO DO FORMAÇÃO DO PROCESSO- ocorre com a propositura da ação. Se houver uma só vara, considera-se proposta a ação quando o juiz despacha a petição inicial; se houver

Leia mais

CORREGEDORIA-GERAL PROVIMENTO Nº 001 DE 13 DE MARÇO DE 2002. CONSIDERANDO as conclusões apresentadas pelo Fórum de Juízes Distribuidores da 2ª Região;

CORREGEDORIA-GERAL PROVIMENTO Nº 001 DE 13 DE MARÇO DE 2002. CONSIDERANDO as conclusões apresentadas pelo Fórum de Juízes Distribuidores da 2ª Região; CORREGEDORIA-GERAL PROVIMENTO Nº 001 DE 13 DE MARÇO DE 2002 A Excelentíssima Doutora MARIA HELENA CISNE CID, Corregedora- Geral da Justiça Federal da 2ª Região, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

Leia mais

Da TUTELA ANTECIPADA. Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO

Da TUTELA ANTECIPADA. Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO Da TUTELA ANTECIPADA Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO ANTECIPAÇÃO DE TUTELA - REQUISITOS Art. 273. O juiz poderá, a requerimento da parte, antecipar, total ou parcialmente, os efeitos da tutela pretendida

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL Módulo I Matutino Prof. ELISABETE VIDO Data: 24.06.2009 Aula: 6 e 7

DIREITO EMPRESARIAL Módulo I Matutino Prof. ELISABETE VIDO Data: 24.06.2009 Aula: 6 e 7 TEMAS TRATADOS EM AULA DIREITO EMPRESARIAL 1) Títulos de crédito (continuação): a) Cheque (Lei 7.357/85). A lei diz que cheque é ordem de pagamento à vista. A Súmula 370 do STJ menciona a expressão cheque

Leia mais

O Novo Código de Processo Civil e a Cobrança dos rateios em Condomínios

O Novo Código de Processo Civil e a Cobrança dos rateios em Condomínios O Novo Código de Processo Civil e a Cobrança dos rateios em Condomínios Jaques Bushatsky Setembro de 2015 Rateio das despesas: O Decreto nº 5.481, de 25/06/1928 possibilitou a alienação parcial dos edifícios

Leia mais

ROTEIRO DA LEI DO PROCESSO ELETRÔNICO Ana Amelia Menna Barreto

ROTEIRO DA LEI DO PROCESSO ELETRÔNICO Ana Amelia Menna Barreto ROTEIRO DA LEI DO PROCESSO ELETRÔNICO Ana Amelia Menna Barreto A Lei que instituiu o processo judicial informatizado, em vigor desde março de 2007, aplica-se indistintamente aos processos civil, penal,

Leia mais

Ciclano da Silva Advogados Associados

Ciclano da Silva Advogados Associados Ciclano da Silva Advogados Associados EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DO FORO REGIONAL DE ALTA FLORESTA, COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BAIXA FLORESTA/PR. FULANO DE TAL, pessoa

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO JURÍDICA Disciplina: Direito Comercial Tema: Contratos Mercantis Prof.: Alexandre Gialluca Data: 19/04/2007 RESUMO

CURSO DE ATUALIZAÇÃO JURÍDICA Disciplina: Direito Comercial Tema: Contratos Mercantis Prof.: Alexandre Gialluca Data: 19/04/2007 RESUMO RESUMO 1) Alienação fiduciária 1.1) Alienação fiduciária de bens móveis (Dec-Lei 911/69) Na doutrina há quem diga que se trata de contrato acessório e a quem diga que se trata de contrato incidental. Na

Leia mais

AÇÃO DECLARATÓRIA DE INEXISTÊNCIA DE RELAÇÃO JURÍDICA TRIBUTÁRIA E AÇÃO ANULATÓRIA DE DÉBITO FISCAL ÍRIS VÂNIA SANTOS ROSA

AÇÃO DECLARATÓRIA DE INEXISTÊNCIA DE RELAÇÃO JURÍDICA TRIBUTÁRIA E AÇÃO ANULATÓRIA DE DÉBITO FISCAL ÍRIS VÂNIA SANTOS ROSA AÇÃO DECLARATÓRIA DE INEXISTÊNCIA DE RELAÇÃO JURÍDICA TRIBUTÁRIA E AÇÃO ANULATÓRIA DE DÉBITO FISCAL ÍRIS VÂNIA SANTOS ROSA IRIS VÂNIA SANTOS ROSA ADVOGADA SAAD ADVOGADOS; Doutora em Direito do Estado:

Leia mais

TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. Fagundes Cunha Presidente Relator

TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. Fagundes Cunha Presidente Relator RECURSO INOMINADO Nº 2006.3281-7/0, DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DA COMARCA DE FAZENDA RIO GRANDE RECORRENTE...: EDITORA ABRIL S/A RECORRIDO...: RAFAELA GHELLERE DAL FORNO RELATOR...: J. S. FAGUNDES CUNHA

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Rio Grande do Sul 13ª Vara Federal de Porto Alegre

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Rio Grande do Sul 13ª Vara Federal de Porto Alegre Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Rio Grande do Sul 13ª Vara Federal de Porto Alegre Rua Otávio Francisco Caruso da Rocha, 600, 7º andar - Ala Leste - Bairro: Praia de Belas - CEP: 90010-395

Leia mais

GABINETE DA CORREGEDORIA SETOR DE CORREIÇÃO/2014

GABINETE DA CORREGEDORIA SETOR DE CORREIÇÃO/2014 GABINETE DA CORREGEDORIA SETOR DE CORREIÇÃO/2014 23ª VARA FEDERAL DO RIO DE JANEIRO JUÍZA FEDERAL TITULAR DRA. MARIA AMELIA ALMEIDA SENOS DE CARVALHO JUÍZA FEDERAL SUBSTITUTA DRA. LUCIANA DA CUNHA VILLAR

Leia mais

DESENVOLVIMENTO VÁLIDO E REGULAR DO PROCESSO - QUESTÃO DE ORDEM PÚBLICA - EXTINÇÃO DO FEITO SEM JULGAMENTO DO MÉRITO - ART. 557, DO CPC.

DESENVOLVIMENTO VÁLIDO E REGULAR DO PROCESSO - QUESTÃO DE ORDEM PÚBLICA - EXTINÇÃO DO FEITO SEM JULGAMENTO DO MÉRITO - ART. 557, DO CPC. AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 929977-6, DO FORO REGIONAL DE FAZENDA RIO GRANDE DA COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA - VARA CÍVEL E ANEXOS AGRAVANTE : ROBERTO GOMES DA SILVA AGRAVADO : BANCO SANTANDER

Leia mais

Petições Trabalhistas 3.0

Petições Trabalhistas 3.0 Contestações 1. Contestação - ação de cobrança de contribuição sindical 2. Contestação - ação rescisória trabalhista 3. Contestação - adicional de insalubridade - limpeza de banheiro - empresa 4. Contestação

Leia mais

Seguro Garantia Judicial em Execução Fiscal: condições e autorização legal. Íris Vânia Santos Rosa Mestre e Doutora PUC/SP

Seguro Garantia Judicial em Execução Fiscal: condições e autorização legal. Íris Vânia Santos Rosa Mestre e Doutora PUC/SP Seguro Garantia Judicial em Execução Fiscal: condições e autorização legal Íris Vânia Santos Rosa Mestre e Doutora PUC/SP 1. Como podemos incluir o Seguro Garantia Judicial como válida hipótese de Penhora

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JURANDA Estado do Paraná

PREFEITURA MUNICIPAL DE JURANDA Estado do Paraná LEI Nº 872/2009 Disciplina a dação de bens imóveis como forma de extinção da obrigação tributária no município de Juranda,, prevista no inciso XI do artigo 156 do Código Tributário Nacional, acrescido

Leia mais

EXECUÇÃO FISCAL - ASPECTOS CONTROVERTIDOS Ementas Aprovadas dos painéis e oficinas da área referente à Justiça Comum (Federal e Estadual)

EXECUÇÃO FISCAL - ASPECTOS CONTROVERTIDOS Ementas Aprovadas dos painéis e oficinas da área referente à Justiça Comum (Federal e Estadual) EXECUÇÃO FISCAL - ASPECTOS CONTROVERTIDOS Ementas Aprovadas dos painéis e oficinas da área referente à Justiça Comum (Federal e Estadual) Ementa 01 - A execução fiscal administrativa representa a indevida

Leia mais

CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO Rafael Carvalho Rezende Oliveira 2ª para 3ª edição

CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO Rafael Carvalho Rezende Oliveira 2ª para 3ª edição A 3ª edição do livro CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO foi atualizada com o texto do PL de novo CPC enviado pelo Congresso Nacional à sanção presidencial em 24.02.2015. Em razão da renumeração dos artigos

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL X EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL X EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Em ação de indenização, em que determinada empresa fora condenada a pagar danos materiais e morais a Tício Romano, o Juiz, na fase de cumprimento de sentença, autorizou

Leia mais

DÚVIDAS E ESCLARECIMENTOS. Quais as formas de que disponho para quitar meu débito?

DÚVIDAS E ESCLARECIMENTOS. Quais as formas de que disponho para quitar meu débito? DÚVIDAS E ESCLARECIMENTOS Quais as formas de que disponho para quitar meu débito? À vista: Emitir DAE (Documento de Arrecadação Estadual) para pagamento à vista na sede da Procuradoria Geral do Estado,

Leia mais

MÁXIMA RENDA CORPORATIVA FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII COMUNICAM QUE

MÁXIMA RENDA CORPORATIVA FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII COMUNICAM QUE ATUALIZAÇÃO SOBRE A SITUAÇÃO DAS AÇÕES JUDICIAIS QUE ENVOLVEM OS IMÓVEIS DO FUNDO MÁXIMA RENDA CORPORATIVA FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII CNPJ/MF nº 13.584.584/0001-31 Código ISIN nº BRMXRCCTF005

Leia mais

Poder Judiciário Tribunal Regional Federal da 5ª Região Gabinete do Desembargador Federal Rogério Fialho Moreira

Poder Judiciário Tribunal Regional Federal da 5ª Região Gabinete do Desembargador Federal Rogério Fialho Moreira RELATOR: DESEMBARGADOR FEDERAL ROGÉRIO FIALHO MOREIRA RELATÓRIO Trata-se de apelação interposta pelo INSS (fls. 83/90), em face da sentença (fls. 79/80), que julgou procedente o pedido de aposentadoria

Leia mais

22/10/2015 https://pje.tjdft.jus.br/pje/consultapublica/detalheprocessoconsultapublica/documentosemloginhtml.seam?ca=e7a42b30ee6f6d0ff5bb5ab6f2d34

22/10/2015 https://pje.tjdft.jus.br/pje/consultapublica/detalheprocessoconsultapublica/documentosemloginhtml.seam?ca=e7a42b30ee6f6d0ff5bb5ab6f2d34 Poder Judiciário da União TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO DISTRITO FEDERAL E DOS TERRITÓRIOS 2JEFAZPUB 2º Juizado Especial da Fazenda Pública do DF Número do processo: 0706261 95.2015.8.07.0016 Classe judicial:

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ. EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ. Assunto: Desconto da Contribuição Sindical previsto no artigo 8º da Constituição Federal, um dia de trabalho em março de 2015.

Leia mais

Área Falência e Recuperação Judicial/Extrajudicial

Área Falência e Recuperação Judicial/Extrajudicial Área Falência e Judicial/Extrajudicial ÁREA FALÊNCIA E RECUPERAÇÃO JUDICIAL/EXTRAJUDICIAL Descrição da Classe Ação Civil Pública 65 judicial e Falência Empresas 9616 Alienação Judicial de Bens 52 Alienação

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no CONFLITO DE COMPETÊNCIA Nº 112.956 - MS (2010/0125033-8) AGRAVANTE : APARECIDA CALVIS AGRAVADO : CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - CEF ADVOGADO : CLEONICE JOSÉ DA SILVA HERCULANO E OUTRO(S) SUSCITANTE

Leia mais

Resumo. Sentença Declaratória pode ser executada quando houver o reconhecimento de uma obrigação.

Resumo. Sentença Declaratória pode ser executada quando houver o reconhecimento de uma obrigação. 1. Execução Resumo A Lei 11.232/05 colocou fim à autonomia do Processo de Execução dos Títulos Judiciais, adotando o processo sincrético (a fusão dos processos de conhecimento e executivo a fim de trazer

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 10.259, DE 12 DE JULHO DE 2001. Vigência Regulamento Dispõe sobre a instituição dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais no

Leia mais

LIBERAÇÃO DE MERCADORIAS APREENDIDAS DECORRENTE DE AUTO DE INFRAÇÃO

LIBERAÇÃO DE MERCADORIAS APREENDIDAS DECORRENTE DE AUTO DE INFRAÇÃO LIBERAÇÃO DE MERCADORIAS APREENDIDAS DECORRENTE DE AUTO DE INFRAÇÃO Dec. 24.569/97(RICMS/CE), art. 843 ao 850. Art. 843. As mercadorias retidas poderão ser liberadas, no todo em parte, antes do trânsito

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XV EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XV EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Em 2003, João ingressou como sócio da sociedade D Ltda. Como já trabalhava em outro local, João preferiu não participar da administração da sociedade. Em janeiro

Leia mais

SENTENÇA TIPO A AUTOS n 0021894-60.2011.403.6100 AÇÃO ORDINÁRIA AUTORA: EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS RÉ: ANP TRANSPORTE LTDA - ME

SENTENÇA TIPO A AUTOS n 0021894-60.2011.403.6100 AÇÃO ORDINÁRIA AUTORA: EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS RÉ: ANP TRANSPORTE LTDA - ME Registro n' SENTENÇA TIPO A AUTOS n 0021894-60.2011.403.6100 AÇÃO ORDINÁRIA AUTORA: EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS RÉ: ANP TRANSPORTE LTDA - ME Vistos. Trata-se de ação ordinária, visando

Leia mais

Estado de Mato Grosso do Sul Poder Judiciário Sonora Juizado Especial Adjunto

Estado de Mato Grosso do Sul Poder Judiciário Sonora Juizado Especial Adjunto fls. 213 Estado de Mato Grosso Poder Judiciário Sonora CERTIDÃO CARTORÁRIA Autos n.º 0001764-60.2011.8.12.0055 parte interessada se manifestar transcorreu em 26.1.2015. CERTIFICO, para os devidos fins,

Leia mais

S E N T E N Ç A JOSÉ. 3ª Vara do Trabalho de São José RTOrd 0000307-11.2012.5.12.0054 - Sentença - p. 1

S E N T E N Ç A JOSÉ. 3ª Vara do Trabalho de São José RTOrd 0000307-11.2012.5.12.0054 - Sentença - p. 1 3ª VARA DO TRABALHO DE SÃO JOSÉ - SC TERMO DE AUDIÊNCIA RTOrd 0000307-11.2012.5.12.0054 Aos 17 dias do mês de abril do ano de dois mil e doze, às 17h57min, na sala de audiências da, por ordem da Exma.

Leia mais

Nº 70034654392 COMARCA DE NOVO HAMBURGO BRUNA MACHADO DE OLIVEIRA

Nº 70034654392 COMARCA DE NOVO HAMBURGO BRUNA MACHADO DE OLIVEIRA AGRAVO DE INSTRUMENTO. DECISÃO MONOCRÁTICA. AÇÃO DE COBRANÇA DE SEGURO OBRIGATÓRIO. DPVAT. LEGITIMIDADE PASSIVA. RESPONSABILIDADE DE QUALQUER SEGURADORA INTEGRANTE DO CONSÓRCIO. INCLUSÃO DA SEGURADORA

Leia mais

Espelho Civil Peça Item Pontuação Fatos fundamentos jurídicos Fundamentos legais

Espelho Civil Peça Item Pontuação Fatos fundamentos jurídicos Fundamentos legais Espelho Civil Peça A peça cabível é PETIÇÃO INICIAL DE ALIMENTOS com pedido de fixação initio litis de ALIMENTOS PROVISÓRIOS. A fonte legal a ser utilizada é a Lei 5.478/68. A competência será o domicílio

Leia mais

CÓDIGO: 248 IMPOSTO DE RENDA DEVOLUÇÃO DE IR RECOLHIDO NA VENDA DE FÉRIAS, LICENÇA PRÊMIO E ABONO ASSIDUIDADE.

CÓDIGO: 248 IMPOSTO DE RENDA DEVOLUÇÃO DE IR RECOLHIDO NA VENDA DE FÉRIAS, LICENÇA PRÊMIO E ABONO ASSIDUIDADE. CÓDIGO: 248 IMPOSTO DE RENDA DEVOLUÇÃO DE IR RECOLHIDO NA VENDA DE FÉRIAS, LICENÇA PRÊMIO E ABONO ASSIDUIDADE. Pedido: Requer a compensação dos valores indevidamente tributados relativos a conversão em

Leia mais

Inteiro Teor (869390)

Inteiro Teor (869390) : Acórdão Publicado no D.J.U. de 19/10/2005 EMENTA PREVIDENCIÁRIO. REVISÃO DA RMI. IRSM DE FEVEREIRO/94 (39,67%). NÃO RETENÇÃO DE IRRF. JUROS MORATÓRIOS. 1. Os salários de contribuição devem ser reajustados,

Leia mais

ANTEPROJETO DA LEI DE EXECUÇÃO FISCAL COMENTÁRIOS E SUGESTÕES

ANTEPROJETO DA LEI DE EXECUÇÃO FISCAL COMENTÁRIOS E SUGESTÕES ANTEPROJETO DA LEI DE EXECUÇÃO FISCAL COMENTÁRIOS E SUGESTÕES 1) artigo 1, parágrafo único: É facultado aos Municípios, às suas autarquias e fundações de direito público efetuarem a cobrança de suas dívidas

Leia mais

PROCESSO CAUTELAR. COMPETÊNCIA EFICÁCIA CITAÇÃO E PRAZO PARA DEFESA

PROCESSO CAUTELAR. COMPETÊNCIA EFICÁCIA CITAÇÃO E PRAZO PARA DEFESA PROCESSO CAUTELAR. JUSTIFICATIVA MOROSIDADE DO PROCESSO PROCESSO CAUTELAR CARACTERÍSTICAS ASSEGURAR A PRETENSÃO EXISTENCIA DE PROCESSO PRINCIPAL CARÁTER PROVISÓRIO PROCESSO CAUTELAR CARACTERÍSITCAS CITAÇÃO

Leia mais