PRÁTICA JURÍDICA III

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRÁTICA JURÍDICA III"

Transcrição

1 PRÁTICA JURÍDICA III º Semestre

2 EXPEDIENTE CURSO DE DIREITO CADERNOS DE EXERCÍCIOS Coordenação Geral do Curso de Direito da Universidade Estácio de Sá Prof. Sérgio Cavalieri Filho Prof. André Cleofas Uchôa Cavalcanti Coordenação Executiva: Márcia Sleiman COORDENAÇÃO DO PROJETO Comissão de Qualificação e Apoio Didático-pedagógico Presidência: Prof. Laerson Mauro Coordenação: Prof.ª Tereza Moura ORGANIZAÇÃO DO CADERNO Prof.ª Solange Ferreira de Moura COLABORAÇÃO Professores Aloma Rangel, Anna Cristina Motta, Cláudia Arouca, Juliana Lintz e Lilian Coelho

3 APRESENTAÇÃO A metodologia de ensino do Curso de Direito é centrada na articulação entre teoria e prática. Essa metodologia abarca o estudo interdisciplinar dos vários ramos do Direito, permitindo o exercício constante da pesquisa, bem como a análise de conceitos e a discussão de suas aplicações. O objetivo é tornar as aulas mais interativas e melhorar a qualidade do ensino da prática jurídica. Os pontos relevantes para o estudo dos casos devem ser objeto de pesquisa prévia pelos alunos, envolvendo a legislação pertinente, a doutrina e a jurisprudência, de forma a prepará-los para as discussões em sala de aula. Ao final de cada semestre, o aluno disporá de uma pasta completa e personalizada, contendo peças processuais de qualidade, que servirão de base para o exercício profissional. Coordenação Geral do Curso de Direito

4

5 SUMÁRIO Procedimentos de estágio de prática jurídica... 7 AULA 1 Articulação teoria e prática. Do processo cautelar. Disposições gerais. Requisitos específicos. Distinção da antecipação de tutela. Cautelares em espécie. Petição inicial. Estrutura de petição inicial AULA 2 Ação Cautelar. Direito de família. Incidental. Processo de execução AULA 3 Ação Cautelar. Direito de família. Preparatória de ação de conhecimento AULA 4 Ação Cautelar. Natureza satisfativa AULA 5 Embargos à execução de título extrajudicial AULA 6 Embargos de terceiro AULA 7 Articulação teoria e prática. Teoria geral dos recursos: conceito; princípios gerais; efeitos; classificação; finalidades; espécies. Juízo de admissibilidade e juízo de mérito. Estrutura dos recursos de apelação e de agravo

6 AULA 8 Recurso contra sentença. Direito de família AULA 9 Recurso contra sentença em ação de execução de título extrajudicial AULA 10 Recurso contra decisão interlocutória em exceção de incompetência AULA 11 Recurso contra decisão interlocutória. Direito de família AULA 12 Recurso contra sentença. Lei 9.099/1995. Direito do Consumidor

7 PROCEDIMENTOS DE PRÁTICA JURÍDICA Compete ao aluno 1. Ler, antecipadamente, o caso concreto que será objeto da aula seguinte, revisando a base conceitual necessária. 2. Levar para a aula os apontamentos e o material de consulta necessários à solução do caso (código, doutrina e jurisprudência) e o esboço da estrutura da peça processual cabível. 3. Elaborar, individualmente, a peça processual, após a discussão do caso com o grupo, e entregá-la ao professor para correção. 4. Observar os seguintes critérios na elaboração da peça: Forma Estrutura da petição Presença de todos os elementos necessários Coesão e coerência no discurso Observância da modalidade culta da língua Uso competente do repertório vocabular Conteúdo Direito material em questão Rito Competência Legitimidade ativa e passiva Narrativa lógica dos fatos Expressão jurídica escrita 7

8 Fundamentação jurídica Pedido Requerimento de provas Valor da causa 5) Ao receber a peça corrigida, o aluno deverá proceder às modificações sugeridas pelo professor, aprofundando sua fundamentação com doutrina e jurisprudência pertinentes. Obs: Esta peça refeita deverá ser entregue ao professor na aula seguinte, juntamente com a original, para avaliação. 6) Arquivar as peças numa pasta própria identificada com nome, turma, turno, para ser entregue ao professor no dia da prova, para atribuição de grau. Critérios de avaliação: As provas de prática jurídica (PR1, PR2 e segunda chamada) serão compostas de uma peça processual. O grau obtido na prova será somado aos pontos atribuídos com base na avaliação progressiva do aluno por meio dos trabalhos semanais que constarão da pasta, entregue obrigatoriamente na data da prova. Atenção: As PR1, PR2 e segunda chamada serão compostas de um caso concreto para avaliação e elaboração da peça processual cabível, valendo sete pontos. A correção pelo professor será baseada na subtração dos pontos relativos aos erros, conforme indicadores abaixo. Roteiro da peça processual para avaliação: Competência... Rito... Legitimidade ativa... Legitimidade passiva... 1 ponto 1 ponto 1 ponto 1 ponto 8

9 Narrativa lógica dos fatos... Fundamentação jurídica... Pedido... Requerimento de provas... Valor da causa... 1 ponto 1 ponto 2 pontos 1 ponto 1 ponto A participação do aluno na discussão dos casos, em aula, a apresentação oral dos casos, a expressão jurídica escrita, a reapresentação de todas as peças já corrigidas, com a inclusão de citações doutrinárias e jurisprudenciais, bem como, o zelo e a boa apresentação da pasta com os trabalhos, valerão até 3 pontos. A prova final será composta de uma peça processual valendo até 10 pontos. 9

10 AULA 1 Articulação teoria e prática PROCESSO CAUTELAR Arts. 796 a 889 do Código de Processo Civil (CPC) 1. Conceito A ação cautelar consiste no direito do interessado de provocar o órgão jurisdicional para tomar providências que assegurem e conservem os elementos do processo (pessoas, provas, bens), eliminando a ameaça de perigo ou prejuízo iminente e irreparável ao interesse tutelado no processo principal (de conhecimento ou de execução), para que este possa vir a ter um resultado útil. 2. Requisitos da tutela cautelar 2.1. Fumus boni iuris o direito em risco deve revelar-se como o interesse que justifica o direito de ação, ou seja, o direito ao processo de mérito Periculum in mora o perigo de dano justificador do poder geral de cautela deve ser fundado, relacionado a um dano próximo, grave e de difícil reparação. 3. Requisitos da petição inicial Art. 801 do CPC, c/c arts. 806 e A liminar Art. 804 do CPC. 10

11 5. Estrutura da petição inicial de ação cautelar EX. mo SR. DR. JUIZ DE DIREITO... (observar art. 800 e 801, I do CPC e Código de Organização e Divisão Judiciárias do Estado do Rio de Janeiro Codjerj) (NOME DO REQUERENTE), nacionalidade, estado civil, profissão, portador da carteira de identidade n xxxxxxxxx, expedida pelo IFP, inscrita no CPF/MF sob o n xxxxxxxxxxx, residente na rua (endereço completo), por seu advogado, com endereço profissional na rua (endereço completo), vem a V. Ex. a propor AÇÃO CAUTELAR, em face de (NOME DO REQUERIDO), nacionalidade, estado civil, profissão, portador da Carteira de Identidade n xxxxxxxxx, inscrito no CPF sob o n xxxxxxxxxxx, residente na rua (endereço completo), pelas razões de fato e de direito que passa a expor: A LIDE E OS FUNDAMENTOS (nas ações preparatórias, art. 801, III, do CPC) A EXPOSIÇÃO SUMÁRIA DO DIREITO AMEAÇADO E O RECEIO DA LESÃO (art. 801, IV, do CPC) A AÇÃO PRINCIPAL A SER PROPOSTA NO PRAZO DE TRINTA DIAS (arts. 806 e 808 do CPC) 11

12 DO PEDIDO Diante do exposto, requer a V. Ex. a : a) a concessão da medida liminar de..., inaudita altera pars (art. 804 do CPC); b) a expedição de ofício para... ou mandado de...; c) a citação do requerido; d) a procedência do pedido, tornando definitiva a medida liminarmente pleiteada; e) a condenação do requerido aos ônus da sucumbência. DAS PROVAS (art. 801 V) Requer a produção de prova documental, pericial, testemunhal. DO VALOR DA CAUSA Dá à causa o valor de R$... P. Deferimento. Rio de Janeiro, de de. Nome do(a) advogado(a) OAB/RJ nº xxxx 12

13 AULA 2 CASO CONCRETO Mariana Santos Rodrigues, menor impúbere, representada por sua mãe, Fernanda Santos Rodrigues, brasileira, casada, professora, residente na Rua Jota, 32, Nova Iguaçu, propôs ação de alimentos em face de Jorge Rodrigues, seu pai, brasileiro, casado, contador, residente na rua Paulina, 25/302, Flamengo, sendo esta julgada procedente em 25 de fevereiro de 2003, com trânsito em julgado, restando o mesmo condenado a pagar a quantia de R$ 1.000,00 por mês (processo 111, que tramitou perante a 2ª Vara de Família de Nova Iguaçu). Em processo de separação judicial, casal discute partilha do único bem, adquirido na constância do casamento por esforço comum. O processo tramita na 1ª Vara de Família da Capital, sob o nº 222. O bem é um automóvel no valor de R$ ,00 que está na posse do varão. Ocorre que há três meses Jorge Rodrigues não paga a pensão, o que ensejou a execução judicial nos autos da ação de alimentos nesta data. É certo que o varão está anunciando o veículo para venda, o que se comprova com os anúncios publicados em jornal, além de haver testemunhas de que diversas pessoas o procuraram em casa, interessadas no veículo (declarações em anexo). Visando proteger os interesses de Mariana, elabore a medida judicial cabível. AULA 3 CASO CONCRETO José Moreira Sampaio, delegado de polícia, vive em união estável há 12 anos com Maria Lúcia Soares. Residem na rua dos Sabiás, 633/1.001, Freguesia. Na convivência, adquiriram vários bens, pelo esforço comum, a saber: apartamento na rua dos Sabiás, 633/1.001, registrado somente em nome de José; casa de praia na estrada da Maresia, 2.300, Búzios; automóvel Citroën 2004, placa LKF-7795; 25 mil ações da Petrobrás; todos os móveis que guarnecem a residência do casal (fogão, geladeira, 13

14 sofá, televisão, aparelho de som, mobília do quarto, DVD, dois aparelhos de ar- condicionado). Em 20 de fevereiro de 2004 Maria foi surpreendida pelo companheiro, ao ouvi-lo dizer que estava abandonando o lar conjugal, que tinha uma namorada, muito mais nova e culta que ela, e que, como todos os bens estavam em seu nome, iria aliená-los, deixando-a sem nada. Apavorada, Maria Lúcia procura você, advogado(a), para que tome as medidas judiciais cabíveis a fim de resguardar os bens, até que seja proposta a ação visando o desfazimento da união estável. Promova a medida judicial cabível, apontando a fundamentação legal. AULA 4 CASO CONCRETO Aparecida Mendes Pinto, brasileira, casada, médica pediatra, portadora da carteira de identidade nº , expedida pelo IFP/RJ, CPF , residente na estrada do Pau Ferro, 89, Jacarepaguá, comparece ao seu escritório narrando o que segue. Casei-me com Raimundo Pinto, brasileiro, empresário, carteira de identidade , CPF , residente na estrada do Ouro, 187, Barra da Tijuca. Tivemos dois filhos: Pedro e Lucas, que hoje estão com 4 e 5 anos. No dia 1º de março de 2003, meu marido deixou o lar conjugal. Desde então passei a viver sozinha com a posse de fato das minhas crianças. Raimundo propôs ação de regulamentação de visita, que tramitou perante o MM. Juízo da 1ª Vara de Família de Jacarepaguá. No dia 10 de setembro de 2003 foi proferida a seguinte decisão: (...) Ante o exposto, julgo procedente o pedido, autorizando o Autor a ter os menores em sua companhia em finais de semana alternados, apanhando-os às 10 horas de sábado e devolvendo-os às 19 horas de domingo na residência de sua mãe, detentora da guarda dos menores (...) condeno a ré ao pagamento das custas e honorários fixados em 10% do valor da causa. Tal decisão vinha sendo cumprida regularmente. Ocorre que no dia 15 de março de 2004 Raimundo pegou as crianças para passear e não as devolveu como combinado. O telefone da casa de Raimundo não atende, nem o seu celular. As crianças estão longe de casa e de mim pela primeira vez. 14

15 Estão faltando à escola há quinze dias. Estou desesperada. Soube ontem pela minha sogra que as crianças estão na casa de Raimundo e que ele desligou os telefones. Aparecida disse, ainda, que pretende propor a ação de separação judicial litigiosa, porque o acordo proposto pelo marido é inaceitável, já que ela teria de abrir mão de grande parte do patrimônio ao qual tem direito na partilha. Aparentemente, sua recusa em aceitar as condições injustas foi a causa da atitude irresponsável de seu marido que pretende usar os filhos para pressioná-la. Diante desta situação proponha a medida judicial cabível. AULA 5 CASO CONCRETO Wanderson Darlan procura você, advogado(a), munido do mandado de intimação da penhora do caminhão da marca Mercedes, modelo Mega X, ano 2003, de propriedade da executada, no valor de R$ 130 mil e apresentando a petição inicial abaixo. Informa ainda que jamais recebeu as mercadorias objeto do pedido, que deveriam ter sido entregues até o dia 10 de dezembro, razão pela qual cancelou o pedido e se recusou a pagar as duplicatas, que sequer foram protestadas. A Fábrica de Camisetas Darlan Ltda. não fechou, apenas mudou de sede, para a rua da Paz, 39, em Nova Iguaçu. A citação efetuou-se em seu endereço residencial. Seu cliente apresenta prova documental de todas as afirmações. Promova a medida judicial cabível. 15

16 EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA... VARA CÍVEL DA COMARCA DE NOVA IGUAÇU Distribuição por dependência ao proc. n : LANCASTER-EMPRESA PRODUTORA DE EMBALAGENS LTDA., inscrita no CNPJ sob o nº , Inscrição Estadual n , com sede na estrada Velha da Pavuna, nº 533, Rio de Janeiro, CEP , representado por Emerson Lancaster, sócio-gerente, por seu advogado infra-assinado, com endereço profissional na rua da Luz, n 29, sala 707, Centro, nesta Capital, vem a V. Exa. respeitosamente propor EXECUÇÃO POR QUANTIA CERTA FACE A DEVEDOR SOLVENTE FUNDADA EM TÍTULO EXECUTIVO EXTRAJUDICIAL em face à FÁBRICA DE CAMISETAS DARLAN LTDA., inscrita no CNPJ n , Inscrição Estadual n , com sede em Nova Iguaçu, à Rua das Marrecas, n 222, Rio de Janeiro, CEP , nesta cidade, pelos fatos e fundamentos de direito que passa a expor: DOS FATOS A exequente figura como empresa produtora de embalagens e afins, conquistando posição de renome nacional por sua lisura e competência, seja nos produtos que fabrica e comercializa, seja pelo zelo com seu maior patrimônio sua idoneidade. Ocorre que em 01 de dezembro de 2004, a exequente recebeu solicitação de compra de mercadoria por parte da executada, consistindo no fornecimento de (vinte e cinco mil) caixas de papelão, compreendendo um valor total de R$ ,00 (setenta e cinco mil reais). Em virtude das negociações acordadas, foram emitidas 3 (três) duplicatas mercantis, no valor de R$ ,00 (vinte e cinco mil reais) cada, com os vencimentos marcados, respectivamente, para 01 de janeiro de 2005, 01 de fevereiro de 2005 e 1 de março de

17 Todavia, já no primeiro pagamento começaram os problemas, visto que a primeira duplicata não foi paga. No mês seguinte, a executada deixou de efetuar o pagamento do segundo título, constituindo a inadimplência desta parcela e do restante da obrigação. No deslinde, convém ressaltar que o representante da exequente procurou resolver a aflitiva situação pela via amigável, empreendendo uma série de contatos telefônicos e, inclusive, procurando a sede da empresa devedora. Entretanto, o representante legal da exeqüente, ao chegar à sede da requerida, estarreceu-se, ao constatar que estava abandonada e completamente vazia. Na oportunidade, foi informado por vizinhos que a fábrica da executada não mais existia e que o proprietário retirou todo o maquinário, a viatura e demais pertences da empresa, bem como o estoque de mercadorias, levando-os para sua residência. DOS FUNDAMENTOS Destarte, diante da inoportuna falta de pudor comercial da executada, não apenas por deixar de arcar com a obrigação avençada, mas por ter se furtado à dignidade de enfrentar a situação, se sujeitando ao desaparecimento precoce, encerrando suas atividades e se escondendo, configurase com limpidez o direito que ora se pleiteia, corroborados pela presença dos requisitos necessários. Nesta esteira, torna-se imprescindível a demonstração dos requisitos essenciais para a realização da presente medida, presentes sob a forma que se exige no processo de execução, qual seja o título executivo extrajudicial e o inadimplemento do devedor. Ocorrendo o vencimento de todos títulos, quedou-se inerte a executada quanto ao pagamento dos mesmos, consubstanciando o direito do credor de buscar a tutela jurisdicional para a cobrança do débito de R$ ,70 (setenta e sete mil oitocentos e trinta e seis reais e setenta centavos), conforme planilha de débito em anexo. Com efeito, ficam explicitamente comprovados os elementos essenciais exigidos por lei e balizadores da sanção que ora se propõe, configurados pelo título executivo extrajudicial DUPLICATAS MERCANTIS líquidas, certas e plenamente exigíveis, além da inadimplência do executado a embasar a execução forçada.. 17

18 DO PEDIDO Diante do exposto, requer a V. Exa: a) a citação da executada na pessoa de seu representante legal, Sr. Wanderson Darlan, que pode ser encontrado na rua Ingá, n 339, Nova Iguaçu, para, no prazo de 24 horas, pagar a quantia de R$ ,70 (setenta e sete mil oitocentos e trinta e seis reais e setenta centavos), sob pena de penhora; b) seja lavrado o auto de penhora, com a conseqüente intimação do executado; c) a expropriação de tantos bens do devedor quantos forem necessários para a satisfação integral do crédito a que tem direito o exequente; d) a condenação do executado aos ônus sucumbenciais. Dá-se à causa o valor de ,70 (setenta e sete mil oitocentos e trinta e seis reais e setenta centavos) Nestes termos, P. Deferimento. Rio de Janeiro, 1 de abril de Nome do(a) advogado(a) OAB/RJ nº

19 AULA 6 CASO CONCRETO Em agosto de 2002, Lígia Bastos ajuizou ação de despejo por falta de pagamento c/c cobrança de aluguéis (período de novembro de 2001 a agosto de 2002) em face do locatário João Evangelista e de seus fiadores André Madeira e sua mulher Márcia Lopes Madeira, consoante contrato de locação assinado em 23 de abril de 1996, distribuído para o MM Juízo da 32ª Vara Cível da comarca da Capital. Após ser citado, o locatário desocupou o imóvel objeto da locação, motivo pelo qual a ação de despejo foi extinta pela perda do objeto, prosseguindo-se com a cobrança dos aluguéis em relação aos fiadores. André Madeira, devidamente citado no processo de conhecimento, celebrou acordo homologado judicialmente, comprometendo-se a efetuar o pagamento dos aluguéis em atraso em três parcelas iguais e sucessivas, com vencimento em março, abril e maio de Em decorrência do inadimplemento da obrigação assumida, iniciouse a Execução do Título Judicial. Ao ser citado, André indicou a penhora o imóvel de sua propriedade constituído pela unidade 702 do edifício localizado no número 60 da rua Bambina, em Botafogo, Rio de Janeiro. Apesar da efetivação da penhora, André não opôs embargos, e a execução prosseguiu normalmente. Quando o avaliador judicial, em 13 de março de 2005, compareceu ao referido imóvel para proceder à avaliação, encontrou ali residindo Márcia Lopes Madeira, o que foi certificado no mandado de avaliação. Márcia procura você, advogado(a), e faz o relato a seguir. 1) Em 11 de setembro de 1998, mediante sentença proferida pelo juízo da 6ª Vara de Família, ela e André separaram-se judicialmente, sem terem procedido à partilha do patrimônio comum. 2) Como possuíam dois imóveis, seu ex-marido permaneceu no imóvel em que o casal residia, na rua Anita Garibaldi, 35, apartamento 1.102, enquanto ela mudou-se para o imóvel objeto da penhora. 19

20 3) Realmente, em 1996 assumiu o encargo de fiadora de João Evangelista, mas em outubro de 1998, quando o contrato de locação foi prorrogado por prazo indeterminado, notificou o locador de que a partir daquela data não mais assumiria tal encargo, o que foi perfeitamente aceito por este. 4) Jamais teve conhecimento da ação proposta por Lígia Bastos e, muito menos, do acordo celebrado por seu ex-marido. 5) Desde que se mudou para o imóvel objeto da penhora exerce, tranqüilamente, a posse sobre o mesmo, efetuando, pontualmente, o pagamento da cota condominial e de todos os tributos que incidem sobre ele. Elabore a peça processual cabível para a defesa dos interesses de Márcia, esclarecendo que esta apresentou todos os documentos comprobatórios de suas alegações. 20 AULA 7 CASO CONCRETO Articulação teoria e prática TEORIA GERAL DOS RECURSOS 1. Recursos São assim chamados porque podem se exercitar dentro do processo em que surgiu a decisão impugnada; diferem das ações impugnativas autônomas, cujo exercício, em regra, pressupõe a irrecorribilidade da decisão, ou seja, o seu trânsito em julgado (ex.: ação rescisória). 2. Admissibilidade 2.1. Juízo de admissibilidade Verificação das condições impostas pela lei para que se possa apreciar o conteúdo da postulação. Com o resultado positivo, o recurso é admissível. Quando o órgão a que compete julgar o recurso o declara inadmissível, diz-se que ele não conhece do recurso. O juízo de admissibilidade é preliminar ao de mérito.

21 2.2. Requisitos de admissibilidade Intrínsecos: cabimento, legitimação para recorrer, interesse em recorrer e inexistência de fato impeditivo ou extintivo do poder de recorrer; extrínsecos: tempestividade, regularidade formal e preparo. 3. Juízo de mérito Após a preliminar da admissibilidade, cumpre apreciar a matéria impugnada, para acolhê-la, caso fundada, ou rejeitá-la, caso infundada. O objeto do juízo de mérito é o próprio conteúdo da impugnação à decisão recorrida. Pode ocorrer error in iudicando reforma da decisão em razão da má apreciação da questão de direito, ou da questão de fato, ou de ambas. Pode ocorrer error in procedendo invalidação da decisão por vício de atividade. 4. Teoria da causa madura Art. 515, 3 o do CPC, alterado pela Lei /2001, objetivando atender ao princípio da efetividade da prestação jurisdicional, além da celeridade e da economia processual. Possibilita que, sendo o processo extinto no primeiro grau sem exame do mérito e o tribunal, em grau de recurso, entendendo descabida a extinção, possa decidir o mérito. Só é cabível a aplicação da causa madura se a matéria for unicamente de direito ou, sendo também de fato, em relação a este não houver controvérsia. 5. Efeitos da interposição Impedimento ao trânsito em julgado, efeito suspensivo, efeito devolutivo. 6. Espécies. Disposições legais. Reforma. Leis , de , , de , e , de Apelação (arts. 513 a 521) Sentença, com ou sem julgamento de mérito O novo inc. VII do art. 520 do CPC inclui, entre os casos de apelação sem efeito suspensivo, aquela que for interposta contra sentença que confirmar a antecipação de tutela. Entende-se por essa expressão a 21

22 sentença que, decidindo o mérito a favor do beneficiado da antecipação, implícita ou explicitamente, reafirma a decisão antecipatória O art. 296 prevê o juízo de retratação em apelação de sentença que indefere a petição inicial Agravo Arts. 522 a 529. Decisão interlocutória. Não pode o recurso prejudicar o andamento do feito Agravo retido A reforma introduziu no CPC um dispositivo de abrangência geral, destinado a demarcar divisas entre o agravo de instrumento e o agravo retido, dizendo: Será retido o agravo das decisões proferidas na audiência de instrução e julgamento e das posteriores à sentença, salvo nos casos de dano difícil e de incerta reparação, nos de inadmissão da apelação e nos relativos aos efeitos em que a apelação é recebida. (art. 523, 4 o, redação dada pela Lei /2001) O novo 4 o do art. 523 do CPC associa-se ao inc. II de seu art. 527, também trazido pela Lei /2001, segundo o qual é da competência do relator do agravo de instrumento convertê-lo em retido, nos casos em que o veto se imponha e, portanto, seja admissível este agravo e não aquele. Prazo: o prazo de resposta ao agravo retido antigo, de cinco dias, foi dilatado para dez dias, nos termos do art. 523, 2 o da Lei / Agravo de instrumento A reforma do CPC trouxe inúmeras mudanças na disciplina legal do agravo de instrumento, objetivando maior celeridade de sua tramitação Comunicação ao juízo de origem Art. 526 O legislador criou a norma no sentido de condicionar à iniciativa do agravado a possibilidade de extinção do agravo por falta de cumprimento do ônus instituído pelo art Dessa forma, criou uma argüição em sentido estrito, ou seja, aquela que só pode ser apreciada pelo juiz se for levantada pelo interessado. Entende-se que tal alegação deva ser feita logo nas contra-razões recursais, muito embora a lei não aponte o prazo. 22

23 Negar seguimento ao agravo (art. 527, I) no entendimento do legislador, negar seguimento ao recurso abrangeria hipóteses de recursos desmerecedores de conhecimento, por lhes faltar algum dos pressupostos de admissibilidade, e recursos desmerecedores de provimento, porque desamparados pelo Direito, pela jurisprudência ou pela prova. Negando provimento ao recurso, o relator impede que o mesmo siga para câmara ou turma Converter o agravo de instrumento em retido Arts. 527, II, e 523, 4 o trata-se de uma inovação ao Direito vigente antes da reforma Suspensão da medida e efeito ativo Arts. 527, I e III, e 557, 1 o, a admite que o relator tem não só o poder de suspender os efeitos da decisão agravada, como ainda de conceder, ele próprio, a medida urgente que o juiz inferior haja negado. O que significa dizer que efeito ativo seria o poder do relator de reverter uma decisão inferior negativa, agregando à situação processual do agravante efeito ativo. Obs.: Quando houver pedido de liminar no agravo, para conceder efeito suspensivo, deverá ser destacado e fundamentado no art. 558 do CPC, na peça de interposição Embargos de declaração Arts. 535 a 538 quando na sentença ou no acórdão existe obscuridade, contradição; quando for omitido ponto sobre o qual devia pronunciar-se o juiz ou tribunal Embargos infringentes Art. 530 cabem embargos infringentes quando o acórdão não unânime houver reformado, em grau de apelação, a sentença de mérito, ou houver julgado procedente ação rescisória. Se o desacordo for parcial, os embargos serão restritos à matéria objeto da divergência (redação dada pela Lei , de ) Agravo regimental Regimento Interno do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro CPC Recurso ordinário 23

24 Seu cabimento está disciplinado nos arts. 102, II, a, e 105, II, b, c da Constituição Federal (CF), e nos arts. 539 e 540 do CPC Recurso extraordinário Arts. 102, III, a, b, c da CF, e 541 a 546 do CPC Recurso especial Arts. 105, III, a, b, c da CF, e 541 a 546 do CPC Embargos de divergência em recurso especial e em recurso extraordinário Art. 496, VIII do CPC. 7. Estrutura do recurso de apelação EX. mo SR. DR. JUIZ DE DIREITO... (art. 514 do CPC) (NOME DO APELANTE e qualificação completa), nos autos da AÇÃO, que tramita pelo rito, movida por (NOME DO APELADO e qualificação completa), inconformado com a r. sentença de fls., vem a V. Ex. a, tempestivamente, interpor recurso de APELAÇÃO para o Egrégio Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, apresentando as razões em anexo, assim como o comprovante de recolhimento das custas relativas ao preparo do recurso. 24

25 Diante do exposto, requer a V. Ex. a se digne em receber o presente recurso, no seu efeito prescrito em lei, remetendo os autos à Superior Instância. P. Deferimento. Rio de Janeiro, de de. Nome do(a) advogado(a) OAB/RJ nº xxxx (Peça de interposição) RAZÕES DE APELAÇÃO Processo n o Apelante: Apelado: EGRÉGIA CÂMARA, Merece reforma a referida sentença recorrida em razão da má apreciação das questões de fato e de Direito, como irá demonstrar o apelante. 25

26 DOS FUNDAMENTOS DE FATO E DE DIREITO Obs.: Atacar os fundamentos da sentença apelada, indicando nas folhas dos autos as razões de fato e articulando os fundamentos para a reforma. 1. Trata-se de ação DO PEDIDO DE NOVA DECISÃO Em razão de todo o exposto, requer o apelante que esse Egrégio Tribunal conheça do recurso ora interposto e lhe dê provimento para reformar a sentença recorrida no sentido de julgar procedente/improcedente o pedido, por ser medida de Direito e de Justiça. Rio de Janeiro, de de. Nome do(a) advogado(a) OAB/RJ nº xxxx (Razões do recurso) 26

27 8. Estrutura do recurso de agravo EX. mo SR. DR. DESEMBARGADOR VICE-PRE- SIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (Codjerj e RITJ/RJ) (NOME DO AGRAVANTE), (qualificação), data venia, inconformado com a referida decisão de fls., da lavra do eminente Dr. Juiz de Direito da Vara da Comarca de, proferida nos autos da AÇÃO que move em face de (NOME DO AGRAVADO), (qualificação), vem, por seu advogado infra-assinado, com endereço profissional na rua (art. 524, III do CP), com fundamento nos arts. 524 e segs. do CPC, dela interpor recurso de AGRAVO DE INSTRUMENTO a fim de ver reformada a decisão, pelas anexas razões, requerendo a V. Ex.ª se digne em recebê-lo e processá-lo, distribuindo o presente a uma das Colendas Câmaras deste Egrégio Tribunal. Outrossim, de acordo com o que dispõe o art. 525 do CPC, anexa os documentos abaixo relacionados, para a devida formação do instrumento. 1. Cópia da decisão agravada. 2. Cópia da certidão da intimação da decisão agravada. 3. Cópia da procuração outorgada aos advogados do agravante e do agravado. 27

28 4. Cópia da petição inicial da Ação Cópia da afirmação de pobreza (se for o caso). 6. Cópia da íntegra da decisão proferida em eventual acórdão. Nestes termos, P. Deferimento. Rio de Janeiro, de de. Nome do(a) advogado(a) OAB/RJ nº xxxx (Peça de interposição) 28

29 RAZÕES DE AGRAVO Processo n o Ação: Agravante: Agravado: EGRÉGIO TRIBUNAL. COLENDA CÂMARA, Merece reforma a referida decisão atacada, posto que proferida contrariamente à prova dos autos e sem qualquer amparo legal. 1. Trata-se de AÇÃO proposta pela Agravante em face de. 2. Ocorre que... (expor os fatos e fundamentos motivadores da reforma da decisão) Diante do exposto, requer seja conhecido e provido o presente Recurso de Agravo de Instrumento, para o fim de reformar a decisão ora agravada, no sentido de por ser medida de Direito e de Justiça. P. Deferimento. Rio de Janeiro, de de. Nome do(a) advogado(a) OAB/RJ nº xxxx (Razões do recurso) 29

AGRAVO DE INSTRUMENTO: Conceito: é o recurso adequado para a impugnação das decisões que denegarem seguimento a outro recurso.

AGRAVO DE INSTRUMENTO: Conceito: é o recurso adequado para a impugnação das decisões que denegarem seguimento a outro recurso. AGRAVO DE INSTRUMENTO: Conceito: é o recurso adequado para a impugnação das decisões que denegarem seguimento a outro recurso. Por que se diz instrumento: a razão pela qual o recurso se chama agravo de

Leia mais

EXERCÍCIO MODELO QUEIXA-CRIME

EXERCÍCIO MODELO QUEIXA-CRIME 2ª Fase OAB/FGV Direito Processual Penal Monitoria Penal Karina Velasco EXERCÍCIO 1 O juiz, ao proferir sentença condenando João por furto qualificado, admitiu, expressamente, na fundamentação, que se

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA 14ª VARA DA JUSTIÇA FEDERAL EM SÃO PAULO - SP

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA 14ª VARA DA JUSTIÇA FEDERAL EM SÃO PAULO - SP EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA 14ª VARA DA JUSTIÇA FEDERAL EM SÃO PAULO - SP PROCESSO nº DISTRIBUIÇÃO POR DEPENDÊNCIA AO PROCESSO nº 90.0042414-3 MARÍTIMA SEGUROS S/A, pessoa jurídica de

Leia mais

PROVA PRÁTICA DE SENTENÇA CÍVEL

PROVA PRÁTICA DE SENTENÇA CÍVEL Poder Judiciário da Ufiilo TJDFT TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO DISTRITO FEDERAL EDOS TERRITÓRIOS SEGUNDA PROVA ESCRITA DISCURSIVA CADERNO DE RELATÓRIO E DOCUMENTOS REFERENTES À PROVA PRÁTICA DE SENTENÇA CÍVEL

Leia mais

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DE SÃO PAULO.

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DE SÃO PAULO. EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DE SÃO PAULO...., brasileiro, casado, médico, portador da Cédula de Identidade RG nº... - SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob nº... com

Leia mais

A execução incide somente sobre o patrimônio do executado. É sempre real.

A execução incide somente sobre o patrimônio do executado. É sempre real. PRINCÍPIOS DA EXECUÇÃO - Princípio da Patrimonialidade A execução incide somente sobre o patrimônio do executado. É sempre real. Art. 591. O devedor responde, para o cumprimento de suas obrigações, com

Leia mais

SUMÁRIO CAPÍTULO I FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... 19 CAPÍTULO II - DO PROCESSO CIVIL... 39

SUMÁRIO CAPÍTULO I FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... 19 CAPÍTULO II - DO PROCESSO CIVIL... 39 SUMÁRIO Apresentação da Coleção...15 CAPÍTULO I FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... 19 1. Antecedentes históricos da função de advogado...19 2. O advogado na Constituição Federal...20 3. Lei de regência da

Leia mais

i iiiiii um mu um um um um mu mi mi

i iiiiii um mu um um um um mu mi mi PODER JUDICIÁRIO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRATICA REGISTRADO(A) SOB N i iiiiii um mu um um um um mu mi mi Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL V EXAME UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA PROVA DO DIA 4/12/2011 DIREITO CIVIL

CONSELHO FEDERAL DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL V EXAME UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA PROVA DO DIA 4/12/2011 DIREITO CIVIL DIREITO CIVIL PEÇA PRÁTICO-PROFISSIONAL Trata-se da hipótese em que o(a) examinando(a) deverá se valer de medidas de urgência, sendo cabíveis cautelares preparatórias, com pedido de concessão de medida

Leia mais

Petição Inicial. OBS: todas as petições iniciais obedecem aos mesmos requisitos, seja ela de rito ordinário, sumário, cautelar procedimento especial.

Petição Inicial. OBS: todas as petições iniciais obedecem aos mesmos requisitos, seja ela de rito ordinário, sumário, cautelar procedimento especial. Petição Inicial A Petição inicial é a peça por meio da qual o autor provoca a atuação jurisdicional do Estado. A sua redação deverá obedecer a determinados requisitos estabelecidos no artigo 282 do CPC.

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Pedro, brasileiro, solteiro, jogador de futebol profissional, residente no Rio de Janeiro/RJ, legítimo proprietário de um imóvel situado em Juiz de Fora/MG, celebrou,

Leia mais

O CONVÊNIO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO E A UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA: RESULTADOS ESTATÍSTICOS (ANO BASE 2007) DO CARTÓRIO DO

O CONVÊNIO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO E A UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA: RESULTADOS ESTATÍSTICOS (ANO BASE 2007) DO CARTÓRIO DO O CONVÊNIO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO E A UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA: RESULTADOS ESTATÍSTICOS (ANO BASE 2007) DO CARTÓRIO DO ANEXO II DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DA UNOESTE... 969

Leia mais

MODELO DE PETIÇÃO INICIAL RITO ORDINÁRIO. (espaço aproximadamente 10 cm 4 )

MODELO DE PETIÇÃO INICIAL RITO ORDINÁRIO. (espaço aproximadamente 10 cm 4 ) Modelos práticos 1. Petição inicial rito ordinário MODELO DE PETIÇÃO INICIAL RITO ORDINÁRIO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO 1 DA VARA CÍVEL 2 DO FORO DA COMARCA DE CAMPINAS 3 NO ESTADO DE

Leia mais

Peça prático-profissional

Peça prático-profissional Peça prático-profissional Marilza assinou 5 notas promissórias, no valor de R$ 1.000,00 cada uma, para garantir o pagamento de um empréstimo tomado de uma factoring chamada GBO Ltda. Recebeu na data de

Leia mais

ALEKSANDER MENDES ZAKIMI Advogado militante; Mestrando em Direito Difusos e Coletivos pela UNIMES; Especialista em Direito Processual Civil

ALEKSANDER MENDES ZAKIMI Advogado militante; Mestrando em Direito Difusos e Coletivos pela UNIMES; Especialista em Direito Processual Civil Curso: Recurso de Embargos de Declaração e Agravo no Processo Civil Sistemática do CPC Vigente e do Novo CPC ALEKSANDER MENDES ZAKIMI Advogado militante; Mestrando em Direito Difusos e Coletivos pela UNIMES;

Leia mais

Nesses termos, pede deferimento. Uberaba/MG,

Nesses termos, pede deferimento. Uberaba/MG, MERITÍSSIMA JUÍZA DE DIREITO DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DA COMARCA DE UBERABA/ MINAS GERAIS. Autos n. 701. Secretaria cível BANCO xxxx., já qualificado nos autos epigrafados da AÇÃO DECLARATÓRIA DE INEXISTÊNCIA

Leia mais

PROCESSO: 0000108-40.2010.5.01.0482 - RTOrd A C Ó R D Ã O 4ª Turma

PROCESSO: 0000108-40.2010.5.01.0482 - RTOrd A C Ó R D Ã O 4ª Turma Multa de 40% do FGTS A multa em questão apenas é devida, nos termos da Constituição e da Lei nº 8.036/90, no caso de dispensa imotivada, e não em qualquer outro caso de extinção do contrato de trabalho,

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL IX EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL IX EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Moema, brasileira, solteira, natural e residente em Fortaleza, no Ceará, maior e capaz, conheceu Tomás, brasileiro, solteiro, natural do Rio de Janeiro, também maior

Leia mais

OAB 2ª Fase Direito Constitucional Modelos: Ações Constitucionais e Recursos Cristiano Lopes

OAB 2ª Fase Direito Constitucional Modelos: Ações Constitucionais e Recursos Cristiano Lopes OAB 2ª Fase Direito Constitucional Modelos: Ações Constitucionais e Recursos Cristiano Lopes 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. MODELOS: AÇÕES CONSTITUCIONAIS

Leia mais

Exposição. 1. Município de Londrina ajuizou execução fiscal em face de Alessandro

Exposição. 1. Município de Londrina ajuizou execução fiscal em face de Alessandro APELAÇÃO CÍVEL N. 638896-9, DA COMARCA DE LONDRINA 2.ª VARA CÍVEL RELATOR : DESEMBARGADOR Francisco Pinto RABELLO FILHO APELANTE : MUNICÍPIO DE LONDRINA APELADO : ALESSANDRO VICTORELLI Execução fiscal

Leia mais

COMPLEXO EDUCACIONAL DAMÁSIO DE JESUS EXAME DA OAB 2011.2 2ª FASE DIREITO DO TRABALHO AULA AÇÃO RESCISÓRIA E AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO

COMPLEXO EDUCACIONAL DAMÁSIO DE JESUS EXAME DA OAB 2011.2 2ª FASE DIREITO DO TRABALHO AULA AÇÃO RESCISÓRIA E AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO COMPLEXO EDUCACIONAL DAMÁSIO DE JESUS EXAME DA OAB 2011.2 2ª FASE DIREITO DO TRABALHO AULA AÇÃO RESCISÓRIA E AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO I) AÇÃO RESCISÓRIA ESTRUTURA DA AÇÃO RESCISÓRIA 1. Endereçamento

Leia mais

DECISÃO MONOCRÁTICA CONTRATO DE SEGURO DE VIDA E INVALIDEZ PERMANENTE EM GRUPO. PRESCRIÇÃO. INOCORRÊNCIA. SEGURADO COM LESÃO NEUROLÓGICA QUE

DECISÃO MONOCRÁTICA CONTRATO DE SEGURO DE VIDA E INVALIDEZ PERMANENTE EM GRUPO. PRESCRIÇÃO. INOCORRÊNCIA. SEGURADO COM LESÃO NEUROLÓGICA QUE DÉCIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO N.º 0402603-95.2008.8.19.0001 APELANTE: SULAMÉRICA SEGUROS DE VIDA E PREVIDENCIA APELADO: FRANCISCO DE SOUZA COELHO JUNIOR RELATOR: DES. LINDOLPHO MORAIS MARINHO DECISÃO

Leia mais

PRESSUPOSTOS SUBJETIVOS DE ADMISSIBILIDADE RECURSAL: - Possui legitimidade para recorrer quem for parte na relação jurídica processual.

PRESSUPOSTOS SUBJETIVOS DE ADMISSIBILIDADE RECURSAL: - Possui legitimidade para recorrer quem for parte na relação jurídica processual. PRESSUPOSTOS SUBJETIVOS DE ADMISSIBILIDADE RECURSAL: - Legitimidade - art. 499 CPC: - Possui legitimidade para recorrer quem for parte na relação jurídica processual. Preposto é parte? Pode recorrer? NÃO.

Leia mais

ALTERAÇÕES À LEI DE LOCAÇÃO Lei nº. 12.112/2009

ALTERAÇÕES À LEI DE LOCAÇÃO Lei nº. 12.112/2009 ALTERAÇÕES À LEI DE LOCAÇÃO Lei nº. 12.112/2009 SWISSCAM - Câmara de Comércio Suíço-Brasileira - São Paulo, Brasil - 13 de agosto de 2010 MULTA CONTRATUAL Lei nº. 8.245/91 O locatário poderia devolver

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. FAGUNDES CUNHA PRESIDENTE RELATOR

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. FAGUNDES CUNHA PRESIDENTE RELATOR RECURSO INOMINADO Nº 2006.0003212-2/0, DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DA COMARCA DE CRUZEIRO DO OESTE RECORRENTE...: BRADESCO SEGUROS S. A. RECORRIDO...: ALEXANDRE GONÇALVES MANFRIM RELATOR...: EMENTA RECURSO

Leia mais

XV Exame de Ordem 2ª Fase OAB Civil - ProfessorAoVivo Qual a peça Juquinha? Prof. Darlan Barroso

XV Exame de Ordem 2ª Fase OAB Civil - ProfessorAoVivo Qual a peça Juquinha? Prof. Darlan Barroso XV Exame de Ordem 2ª Fase OAB Civil - ProfessorAoVivo Qual a peça Juquinha? Prof. Darlan Barroso 2ª Fase OAB - Civil Juquinha Junior, representado por sua genitora Ana, propôs ação de investigação de paternidade

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta:

O CONGRESSO NACIONAL decreta: Altera a Lei nº 8.245, de 18 de outubro de 1991, que dispõe sobre as locações de imóveis urbanos e os procedimentos pertinentes. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Esta Lei introduz alteração na Lei

Leia mais

PEDIDO DE VISTA NA INDICAÇÃO Nº 022/2012, RELATIVA AO PROJETO DE LEI Nº 2963/11, DE RELATORIA DO DR. IVAN NUNES FERREIRA.

PEDIDO DE VISTA NA INDICAÇÃO Nº 022/2012, RELATIVA AO PROJETO DE LEI Nº 2963/11, DE RELATORIA DO DR. IVAN NUNES FERREIRA. PEDIDO DE VISTA NA INDICAÇÃO Nº 022/2012, RELATIVA AO PROJETO DE LEI Nº 2963/11, DE RELATORIA DO DR. IVAN NUNES FERREIRA. VOTO DE VISTA: FAUZI AMIM SALMEM PELA APROVAÇÃO DO RELATÓRIO, COM AS SEGUINTES

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB EXAME DE ORDEM

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB EXAME DE ORDEM DISCIPLINA: DIREITO CIVIL CÓDIGO: C002 QUESTÃO PRÁTICO-PROFISSIONAL QUESTÃO C002041 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Lei de locações (58.2); tutela antecipada (40); agravo de instrumento (48.4); tutela específica

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0024.12.273016-1/001 Númeração 2730161- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Marcos Lincoln Des.(a) Marcos Lincoln 11/02/2015 23/02/2015 EMENTA: APELAÇÃO

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) JUIZ(A) DO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DE (cidade/uf)

EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) JUIZ(A) DO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DE (cidade/uf) Modelos Âmbito Jurídico - Contratos 00024 - Inicial de concessão de aposentadoria por invalidez B-32 EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) JUIZ(A) DO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DE (cidade/uf) Reqte.: (nome do requerente)

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça MEDIDA CAUTELAR Nº 17.612 - RJ (2010/0226953-6) REQUERENTE ADVOGADA REQUERIDO : LANDUALDO CLEBER DE BRITO : MARIAH DE CAMPOS PINTO E OUTRO(S) : BANCO BRADESCO S/A DECISÃO 1. Os autos dão conta de que Banco

Leia mais

2 - Qualquer pessoa pode reclamar seu direito nos Juizados Especiais Cíveis?

2 - Qualquer pessoa pode reclamar seu direito nos Juizados Especiais Cíveis? Tribunal de Justiça do Estado de Goiás Juizados Especias Perguntas mais freqüentes e suas respostas 1 - O que são os Juizados Especiais Cíveis? Os Juizados Especiais Cíveis são órgãos da Justiça (Poder

Leia mais

2 FASE DIREITO CIVIL ESTUDO DIRIGIDO DE PROCESSO CIVIL 2. Prof. Darlan Barroso - GABARITO

2 FASE DIREITO CIVIL ESTUDO DIRIGIDO DE PROCESSO CIVIL 2. Prof. Darlan Barroso - GABARITO Citação 2 FASE DIREITO CIVIL ESTUDO DIRIGIDO DE PROCESSO CIVIL 2 Prof. Darlan Barroso - GABARITO 1) Quais as diferenças na elaboração da petição inicial do rito sumário e do rito ordinário? Ordinário Réu

Leia mais

CÓDIGO: 248 IMPOSTO DE RENDA DEVOLUÇÃO DE IR RECOLHIDO NA VENDA DE FÉRIAS, LICENÇA PRÊMIO E ABONO ASSIDUIDADE.

CÓDIGO: 248 IMPOSTO DE RENDA DEVOLUÇÃO DE IR RECOLHIDO NA VENDA DE FÉRIAS, LICENÇA PRÊMIO E ABONO ASSIDUIDADE. CÓDIGO: 248 IMPOSTO DE RENDA DEVOLUÇÃO DE IR RECOLHIDO NA VENDA DE FÉRIAS, LICENÇA PRÊMIO E ABONO ASSIDUIDADE. Pedido: Requer a compensação dos valores indevidamente tributados relativos a conversão em

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.280.171 - SP (2011/0144286-3) RELATOR RECORRENTE RECORRIDO : MINISTRO MASSAMI UYEDA : A C DE A : ANNA CRISTINA BORTOLOTTO SOARES E OUTRO(S) : B L C DE A E OUTRO : CLEBER SPERI EMENTA

Leia mais

EXCELENTISSIMO(A) SENHOR(A) JUIZ(A) DE DIREITO DA COMARCA DE PORTO ALEGRE/RS

EXCELENTISSIMO(A) SENHOR(A) JUIZ(A) DE DIREITO DA COMARCA DE PORTO ALEGRE/RS EXCELENTISSIMO(A) SENHOR(A) JUIZ(A) DE DIREITO DA COMARCA DE PORTO ALEGRE/RS TRAMITAÇÃO PREFERENCIAL VERBA ALIMENTAR Com pedido de Gratuidade de Justiça. JOÃOZINHO DA SILVA, brasileiro, maior, solteiro,

Leia mais

1. PETIÇÃO INICIAL RECLAMAÇÃO TRABALHISTA.

1. PETIÇÃO INICIAL RECLAMAÇÃO TRABALHISTA. 1. PETIÇÃO INICIAL RECLAMAÇÃO TRABALHISTA. Fundamento legal: Art. 840 CLT Subsidiariamente: 282 do CPC. Partes: Reclamante (autor), Reclamada (ré). Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz do Trabalho da ª Vara

Leia mais

VISTOS, relatados e discutidos, os autos acima

VISTOS, relatados e discutidos, os autos acima ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Gen ésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO N 001.2011.015750-81001 RELATOR : Dr. Aluízio Bezerra Filho, Juiz Convocado para

Leia mais

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO

AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO 1 1) O DIREITO MATERIAL DE PAGAMENTO POR CONSIGNAÇÃO a) Significado da palavra consignação b) A consignação como forma de extinção da obrigação c) A mora accipiendi 2 c)

Leia mais

ACÓRDÃO. Salles Rossi RELATOR Assinatura Eletrônica

ACÓRDÃO. Salles Rossi RELATOR Assinatura Eletrônica fls. 1 ACÓRDÃO Registro: 2012.0000382774 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0001561-08.2012.8.26.0562, da Comarca de Santos, em que é apelante PLANO DE SAÚDE ANA COSTA LTDA, é apelado

Leia mais

Desembargador SEBASTIÃO COELHO Acórdão Nº 732.640 E M E N T A

Desembargador SEBASTIÃO COELHO Acórdão Nº 732.640 E M E N T A Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios Órgão 5ª Turma Cível Processo N. Agravo de Instrumento 20130020148016AGI Agravante(s) SINDICATO DOS ODONTOLOGISTAS DO

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB PADRÃO DE RESPOSTAS PEÇA PROFISSIONAL Jorge, professor de ensino fundamental, depois de longos 20 anos de magistério, poupou quantia suficiente para comprar um pequeno imóvel à vista. Para tanto, procurou

Leia mais

Modelos Âmbito Jurídico - Contratos 00026 Ação previdenciária de salário maternidade com pedido de antecipação de tutela Segurada especial

Modelos Âmbito Jurídico - Contratos 00026 Ação previdenciária de salário maternidade com pedido de antecipação de tutela Segurada especial Modelos Âmbito Jurídico - Contratos 00026 Ação previdenciária de salário maternidade com pedido de antecipação de tutela Segurada especial EXCELENTÍSSIMO SENHOR(A) JUIZ DO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DE (cidade)/(uf)

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no CONFLITO DE COMPETÊNCIA Nº 112.956 - MS (2010/0125033-8) AGRAVANTE : APARECIDA CALVIS AGRAVADO : CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - CEF ADVOGADO : CLEONICE JOSÉ DA SILVA HERCULANO E OUTRO(S) SUSCITANTE

Leia mais

VI Exame OAB 2ª FASE Padrão de correção Direito Civil

VI Exame OAB 2ª FASE Padrão de correção Direito Civil VI Exame OAB 2ª FASE Padrão de correção Direito Civil Peça A peça cabível era uma petição inicial, endereçada ao Juízo da Vara Família da Comarca do Rio de Janeiro ou de Belo Horizonte, tendo em vista

Leia mais

A peça cabível será uma petição inicial direcionada para o Juízo Cível.

A peça cabível será uma petição inicial direcionada para o Juízo Cível. OAB 2010.3 GABARITO COMENTADO SEGUNDA FASE CIVIL PEÇA PRÁTICO PROFISSIONAL A peça cabível será uma petição inicial direcionada para o Juízo Cível. Trata-se de uma ação indenizatória proposta por José,

Leia mais

ACÓRDÃO. Vistos, relatados e discutidos os autos.

ACÓRDÃO. Vistos, relatados e discutidos os autos. ADMINISTRATIVO. CONCURSO PÚBLICO. VALORA- ÇÃO DE TÍTULOS. ENTIDADE PRIVADA. REMUNERA- ÇÃO PAGA PELO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS). ADMISSIBILIDADE. 1. Admite-se a valoração, em concurso público do Município

Leia mais

2ª FASE OAB CIVIL Direito Processual Civil Prof. Renato Montans Aula online. EMBARGOS INFRINGENTES (Art. 530 534 do CPC)

2ª FASE OAB CIVIL Direito Processual Civil Prof. Renato Montans Aula online. EMBARGOS INFRINGENTES (Art. 530 534 do CPC) 2ª FASE OAB CIVIL Direito Processual Civil Prof. Renato Montans Aula online EMBARGOS INFRINGENTES (Art. 530 534 do CPC) Cabe de acórdão não unânime por 2x1 3 modalidades: a) Julgamento da apelação b) Julgamento

Leia mais

Prática Jurídica 1. Verônica Duarte Empresarial Karen - Trabalhista

Prática Jurídica 1. Verônica Duarte Empresarial Karen - Trabalhista Prática Jurídica 1 Verônica Duarte Empresarial Karen - Trabalhista 17/02 Quanto à bibliografia, a professora recomenda apenas o Curso de direito processual do trabalho de Carlos Henrique Bezerra Leite.

Leia mais

A propositura da ação vincula apenas o autor e o juiz, pois somente com a citação é que o réu passa a integrar a relação jurídica processual.

A propositura da ação vincula apenas o autor e o juiz, pois somente com a citação é que o réu passa a integrar a relação jurídica processual. PROCESSO FORMAÇÃO, SUSPENSÃO E EXTINÇÃO DO FORMAÇÃO DO PROCESSO- ocorre com a propositura da ação. Se houver uma só vara, considera-se proposta a ação quando o juiz despacha a petição inicial; se houver

Leia mais

LABORATÓRIO 3. VI EXAME DE ORDEM UNIFICADO 2ª FASE DIREITO DO TRABALHO LABORATÓRIO 3 PROFA. Maria Eugênia Conde @mageconde.

LABORATÓRIO 3. VI EXAME DE ORDEM UNIFICADO 2ª FASE DIREITO DO TRABALHO LABORATÓRIO 3 PROFA. Maria Eugênia Conde @mageconde. Caso Prático Emerson Lima propôs reclamação trabalhista, pelo rito ordinário, em face de Rancho dos Quitutes, alegando que trabalhava como atendente em uma loja de conveniência localizada em um posto de

Leia mais

Inteiro Teor (869390)

Inteiro Teor (869390) : Acórdão Publicado no D.J.U. de 19/10/2005 EMENTA PREVIDENCIÁRIO. REVISÃO DA RMI. IRSM DE FEVEREIRO/94 (39,67%). NÃO RETENÇÃO DE IRRF. JUROS MORATÓRIOS. 1. Os salários de contribuição devem ser reajustados,

Leia mais

SENTENÇA. Foi concedida a antecipação dos efeitos da tutela para suspender a exigibilidade da notificação de nº 2012/808804682957086 (evento 9).

SENTENÇA. Foi concedida a antecipação dos efeitos da tutela para suspender a exigibilidade da notificação de nº 2012/808804682957086 (evento 9). AÇÃO ORDINÁRIA (PROCEDIMENTO COMUM ORDINÁRIO) Nº 5029780-43.2013.404.7000/PR AUTOR : ETEVALDO VAZ DA SILVA ADVOGADO : LEONILDA ZANARDINI DEZEVECKI RÉU : UNIÃO - FAZENDA NACIONAL MPF : MINISTÉRIO PÚBLICO

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO 111 AGRAVO DE INSTRUMENTO N 2 001.2008.016272-8 /002 - Capital RELATOR: Carlos Antônio Sarmento, Juiz

Leia mais

Caso prático V exame de ordem unificado

Caso prático V exame de ordem unificado Caso prático V exame de ordem unificado Em 19 de março de 2005, Agenor da Silva Gomes, brasileiro, natural do Rio de Janeiro, bibliotecário, viúvo, aposentado, residente na Rua São João Batista, n. 24,

Leia mais

O empregado caminhando na empresa, cai e se machuca vai pedir uma indenização na justiça do trabalho. (empregado x empregador);

O empregado caminhando na empresa, cai e se machuca vai pedir uma indenização na justiça do trabalho. (empregado x empregador); Turma e Ano: Flex B (2014) Matéria / Aula: Processo do Trabalho / Aula 04 Professor: Leandro Antunes Conteúdo: Procedimento Sumário, Procedimento Sumaríssimo. A competência para julgar acidente de trabalho:

Leia mais

Prática Cível 2ª Fase da OAB Ação Monitória AÇÃO MONITÓRIA

Prática Cível 2ª Fase da OAB Ação Monitória AÇÃO MONITÓRIA AÇÃO MONITÓRIA A está regulada nos artigos 1102-A a 1102-C, CPC. Eles são fruto da Lei 9.079/95. Essa ação é um grande exemplo de sincretismo processual em nosso ordenamento. é processo sincrético que

Leia mais

1. RECURSO DE APELAÇÃO

1. RECURSO DE APELAÇÃO 1. RECURSO DE APELAÇÃO 1. 1 HIPÓTESES DE CABIMENTO - Sentença condenatória. - Sentença absolutória. - Sentença de absolvição sumária no âmbito do Tribunal do Júri, nos termos do art. 415 do CPP. - Decisão

Leia mais

Prática civil Aula I

Prática civil Aula I Prática civil Aula I Sandro Gilbert Martins* Processo Classificação dos processos O Código de Processo Civil (CPC) prevê e regula três tipos de processos: de conhecimento (Livro I arts. 10 a 565), de execução

Leia mais

Direito Constitucional Peças e Práticas

Direito Constitucional Peças e Práticas PETIÇÃO INICIAL RECLAMAÇÃO CONSTITUCIONAL ASPECTOS JURÍDICOS E PROCESSUAIS DA RECLAMAÇÃO Trata-se de verdadeira AÇÃO CONSTITUCIONAL, a despeito da jurisprudência do STF a classificar como direito de petição

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA - Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA - Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho , 1. " ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA - Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO. APELAÇÃO CÍVEL N 076.2005.000115-5/001 Comarca de Gurinhém RELATOR: Des. Genésio Gomes Pereira

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) DOUTOR(A) JUIZ(A) DE DIREITO DA VARA DE FAMÍLIA E SUCESSÕES DO FORO CENTRAL DA COMARCA DE PORTO ALEGRE-RS.

EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) DOUTOR(A) JUIZ(A) DE DIREITO DA VARA DE FAMÍLIA E SUCESSÕES DO FORO CENTRAL DA COMARCA DE PORTO ALEGRE-RS. EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) DOUTOR(A) JUIZ(A) DE DIREITO DA VARA DE FAMÍLIA E SUCESSÕES DO FORO CENTRAL DA COMARCA DE PORTO ALEGRE-RS. ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA GRATUITA A DO ESTADO, por seus Defensores Públicos

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR ACÓRDÃO

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR ACÓRDÃO Registro: 2013.0000227069 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Agravo de Instrumento nº 0051818-40.2013.8.26.0000, da Comarca de Barueri, em que é agravante ITAU UNIBANCO S/A, são agravados

Leia mais

SUMÁRIO NOTA DO AUTOR À TERCEIRA EDIÇÃO

SUMÁRIO NOTA DO AUTOR À TERCEIRA EDIÇÃO SUMÁRIO NOTA DO AUTOR À TERCEIRA EDIÇÃO... 15 PREFÁCIO... 17 INTRODUÇÃO... 19 Capítulo I FLEXIBILIZAÇÃO... 21 1.1. Definição... 21 1.2. Flexibilização da norma... 23 1.3. Flexibilizar a interpretação e

Leia mais

executivo e sua remuneração era de R$ 3.000,00 acrescida de gratificação de um terço de seu salário.

executivo e sua remuneração era de R$ 3.000,00 acrescida de gratificação de um terço de seu salário. EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA VARA DO TRABALHO DE FLORIANÓPOLIS/SC ANA KARENINA, estado civil..., profissão..., residente e domiciliada na Rua..., nº..., cidade... estado..., CEP..., representada

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA o. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR JOÃO ALVES DA SILVA DECISÃO MONOCRÁTICA AGRAVO DE INSTRUMENTO NQ 001.2010.006903-6/001 RELATOR : Desembargador João Alves da Silva AGRAVANTE

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC N.º 1.360/11 Dispõe sobre o Regime de Parcelamento de Débitos de Anuidades e Multas (Redam II) para o Sistema CFC/CRCs O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições

Leia mais

OAB 2ª FASE DE DIREITO EMPRESARIAL Profª. Elisabete Vido PEÇA 01

OAB 2ª FASE DE DIREITO EMPRESARIAL Profª. Elisabete Vido PEÇA 01 OAB 2ª FASE DE DIREITO EMPRESARIAL Profª. Elisabete Vido PEÇA 01 (OAB/LFG 2009/02). A sociedade Souza e Silva Ltda., empresa que tem como objeto social a fabricação e comercialização de roupas esportivas,

Leia mais

1. Apresentação do caso jurídico

1. Apresentação do caso jurídico 1. Apresentação do caso jurídico Mario e Henrique celebraram contrato de compra e venda, tendo por objeto uma máquina de cortar grama, ficando ajustado o preço de R$ 1.000,00 e definido o foro da comarca

Leia mais

caso; c) seja consolidada a propriedade do autor junto ao bem objeto do contrato; d) seja declarada a quitação do contrato em questão, bem como seja

caso; c) seja consolidada a propriedade do autor junto ao bem objeto do contrato; d) seja declarada a quitação do contrato em questão, bem como seja Estado do Rio de Janeiro Poder Judiciário Fls. Processo: 0047641-29.2012.8.19.0205 Processo Eletrônico Classe/Assunto: Procedimento Ordinário - Revisão Contratual / Obrigações / D. Civil Em 09/07/2014

Leia mais

EXCELENTISSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DA COMARCA DE...

EXCELENTISSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DA COMARCA DE... EXCELENTISSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DA COMARCA DE... Excelência, INTERPOR..., vem por intermédio de sua advogada infra-assinada, à presença de Vossa AÇÃO DE CONCESSÃO

Leia mais

COMPLEXO EDUCACIONAL DAMÁSIO DE JESUS EXAME DA OAB 2011.2 2ª FASE DIREITO DO TRABALHO AULA RECURSO ORDINÁRIO E TERCEIRIZAÇÃO

COMPLEXO EDUCACIONAL DAMÁSIO DE JESUS EXAME DA OAB 2011.2 2ª FASE DIREITO DO TRABALHO AULA RECURSO ORDINÁRIO E TERCEIRIZAÇÃO COMPLEXO EDUCACIONAL DAMÁSIO DE JESUS EXAME DA OAB 2011.2 2ª FASE DIREITO DO TRABALHO AULA RECURSO ORDINÁRIO E TERCEIRIZAÇÃO ESTRUTURA DO RECURSO ORDINÁRIO 1ª PEÇA: PETIÇÃO DE INTERPOSIÇÃO OU PEÇA DE ENCAMINHAMENTO

Leia mais

Ciclano da Silva Advogados Associados

Ciclano da Silva Advogados Associados Ciclano da Silva Advogados Associados EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DO FORO REGIONAL DE ALTA FLORESTA, COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE BAIXA FLORESTA/PR. FULANO DE TAL, pessoa

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores JAYME QUEIROZ LOPES (Presidente), ARANTES THEODORO E PEDRO BACCARAT.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores JAYME QUEIROZ LOPES (Presidente), ARANTES THEODORO E PEDRO BACCARAT. fls. 1 Registro: 2015.0000378701 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0001863-52.2013.8.26.0481, da Comarca de Presidente Epitácio, em que é apelante UNIÃO NACIONAL DAS INSTITUIÇÕES

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIX EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIX EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Antônio Augusto, ao se mudar para seu novo apartamento, recém-comprado, adquiriu, em 20/10/2015, diversos eletrodomésticos de última geração, dentre os quais uma

Leia mais

TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. Fagundes Cunha Presidente Relator : MARIA ALICE FERRAZ. : BRASIL TELECOM S/A. : J. S. FAGUNDES CUNHA.

TURMA RECURSAL ÚNICA J. S. Fagundes Cunha Presidente Relator : MARIA ALICE FERRAZ. : BRASIL TELECOM S/A. : J. S. FAGUNDES CUNHA. RECURSO INOMINADO 2006.0003546-2/0 3 o JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DA COMARCA DE MARINGÁ RECORRENTE RECORRIDO_ RELATOR : MARIA ALICE FERRAZ. : BRASIL TELECOM S/A. : J. S. FAGUNDES CUNHA. AUSÊNCIA DO AUTOR,

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO Registro: 2015.0000853162 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 1012384-11.2014.8.26.0576, da Comarca de São José do Rio Preto, em que é apelante ALEX VOLTOLINI, é apelado MOLISE

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO - JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe 7ª Vara Federal FLUXOGRAMA 28 - AÇÃO MONITÓRIA

PODER JUDICIÁRIO - JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe 7ª Vara Federal FLUXOGRAMA 28 - AÇÃO MONITÓRIA PODER JUDICIÁRIO - JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Estado de Sergipe 7ª Vara Federal FLUXOGRAMA 28 - AÇÃO MONITÓRIA INÍCIO análise inicial Verificar a existência de demonstrativo de débito e contrato

Leia mais

Estado de Mato Grosso do Sul Poder Judiciário Sonora Juizado Especial Adjunto

Estado de Mato Grosso do Sul Poder Judiciário Sonora Juizado Especial Adjunto fls. 213 Estado de Mato Grosso Poder Judiciário Sonora CERTIDÃO CARTORÁRIA Autos n.º 0001764-60.2011.8.12.0055 parte interessada se manifestar transcorreu em 26.1.2015. CERTIFICO, para os devidos fins,

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO DECISAUW ^ N0 ACÓRDÃO \\ll\w "»"»'" lo3046968* Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento n 990.10.048613-6, da Comarca de São Paulo, em

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO COLÉGIO RECURSAL DA COMARCA DE SANTOS ACÓRDÃO. Recurso nº 0007220-95.2012.8.26.0562. Registro 2012.0000021251

PODER JUDICIÁRIO COLÉGIO RECURSAL DA COMARCA DE SANTOS ACÓRDÃO. Recurso nº 0007220-95.2012.8.26.0562. Registro 2012.0000021251 fls. 1 Registro 2012.0000021251 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Recurso Inominado nº 0007220-95.2012.8.26.0562, da Comarca de Santos, em que é recorrente L I V - INTERMEDIAÇÃO IMOBILIÁRIA

Leia mais

ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA. Apelação Cível ri 026.2006.000553-0/001 Origem : 2 4 Vara da Comarca de naná

ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA. Apelação Cível ri 026.2006.000553-0/001 Origem : 2 4 Vara da Comarca de naná ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA Apelação Cível ri 026.2006.000553-0/001 Origem : 2 4 Vara da Comarca de naná TRIBUNAL DE JUSTIÇA Relator : Desembargador Frederico Martinho da NObrega Coutinho

Leia mais

Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Legitimidade ativa (Pessoas relacionadas no art. 103 da

Leia mais

AGRAVO DE INSTRUMENTO N º 904.124-0/9 São Paulo Agravante: Patrícia de Carvalho Izoldi Agravado: Paulo Penido Pinto Marques

AGRAVO DE INSTRUMENTO N º 904.124-0/9 São Paulo Agravante: Patrícia de Carvalho Izoldi Agravado: Paulo Penido Pinto Marques AGRAVO DE INSTRUMENTO N º 904.124-0/9 São Paulo Agravante: Patrícia de Carvalho Izoldi Agravado: Paulo Penido Pinto Marques AÇÃO DE DESPEJO POR FALTA DE PAGAMENTO CUMULADA COM COBRANÇA DE ALUGUERES E ENCARGOS.

Leia mais

D E C I S Ã O. Vistos.

D E C I S Ã O. Vistos. D E C I S Ã O Vistos Trata-se de mandado de segurança impetrado pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos ECT pretendendo a concessão de liminar nas modalidades initio litis e inaudita altera pars

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Desembargadores LUIS MARIO GALBETTI (Presidente sem voto), MIGUEL BRANDI E RÔMOLO RUSSO.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Desembargadores LUIS MARIO GALBETTI (Presidente sem voto), MIGUEL BRANDI E RÔMOLO RUSSO. fls. 300 Registro: 2015.0000529177 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 1106882-72.2014.8.26.0100, da Comarca de São Paulo, em que é apelante ANA LIGIA PAES NASCIMENTO, é apelado

Leia mais

PROCESSO Nº TST-CorPar-16901-96.2015.5.00.0000

PROCESSO Nº TST-CorPar-16901-96.2015.5.00.0000 Requerente: BANCO DO BRASIL S.A. Advogado : Dr. Ângelo César Lemos Requerido : MARCELO JOSÉ FERLIN D'AMBROSO - DESEMBARGADOR DO TRT DA 4ª REGIÃO. Terceiro : SINDICATO DOS BANCARIOS DE PORTO ALEGRE E REGIAO

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Em março de 2014, o Estado A instituiu, por meio de decreto, taxa de serviço de segurança devida pelas pessoas jurídicas com sede naquele Estado, com base de cálculo

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO Registro: 2013.0000209289 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0017770-14.2003.8.26.0224, da Comarca de Guarulhos, em que é apelante/apelado HSBC SEGUROS ( BRASIL ) S/A, são

Leia mais

Ponto 1. Ponto 2. Ponto 3

Ponto 1. Ponto 2. Ponto 3 DIREITO CIVIL PEÇA PROFISSIONAL Ponto 1 Sílvia, residente em São Paulo SP, foi citada, no foro de sua residência, em ação de separação judicial litigiosa proposta por seu marido, Hamilton, que, em sede

Leia mais

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DO FORO REGIONAL DE... DA COMARCA DE SÃO PAULO.

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DO FORO REGIONAL DE... DA COMARCA DE SÃO PAULO. EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DO FORO REGIONAL DE... DA COMARCA DE SÃO PAULO...., brasileiro, casado, comerciante, portador da Cédula de Identidade RG nº..., inscrito no CPF/MF sob nº...,

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo fls. 142 Registro: 2014.0000196662 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Agravo de Instrumento nº 2032279-20.2014.8.26.0000, da Comarca de, em que é agravante ENGELUX CONSTRUTORA LTDA.

Leia mais

AÇÃO REVISIONAL DE ALIMENTOS COM PEDIDO DE ANTECIPAÇÃO DOS EFEITOS DA TUTELA

AÇÃO REVISIONAL DE ALIMENTOS COM PEDIDO DE ANTECIPAÇÃO DOS EFEITOS DA TUTELA EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA DA COMARCA DE MACEIÓ AL JOSÉ RODRIGUES DOS SANTOS, brasileiro, solteiro, desempregado, CPF 555.555 e RG 555.555, residente e domiciliado na Rua Belo

Leia mais

Ambos os recursos de estrito direito têm a sua causa de pedir prevista na Constituição Federal

Ambos os recursos de estrito direito têm a sua causa de pedir prevista na Constituição Federal Interposição: perante o órgão prolator da decisão Recurso Especial Nomenclatura: REsp Competência: Superior Tribunal de Justiça STJ Prazo para interposição 15 dias; Recurso Extraordinário Nomenclatura:

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Registro: 2014.0000104277 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 9000088-33.2009.8.26.0562, da Comarca de Santos, em que é apelante

Leia mais

http://www.profmarcelomoura.blogspot.com EXAME DE ORDEM ( CESPE/UnB ) 2009.2

http://www.profmarcelomoura.blogspot.com EXAME DE ORDEM ( CESPE/UnB ) 2009.2 EXAME DE ORDEM ( CESPE/UnB ) 2009.2 OBSERVAÇÃO O gabarito pretende abranger diversos aspectos do tema abordado. Assim, o fato do candidato não ter abordado todos os temas referidos neste comentário não

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Em 15 de janeiro de 2013, Marcelo, engenheiro, domiciliado no Rio de Janeiro, efetuou a compra de um aparelho de ar condicionado fabricado pela G S. A., empresa sediada

Leia mais

ACÓRDÃO. Rio de Janeiro, 05 de outubro de 2010. Desembargador ROBERTO FELINTO Relator

ACÓRDÃO. Rio de Janeiro, 05 de outubro de 2010. Desembargador ROBERTO FELINTO Relator DÉCIMA OITAVA CÂMARA CÍVEL Apelação Cível nº 0355516-46.2008.8.19.0001 Apelante 1 : AZZURRA PARIS VEÍCULOS LTDA. Apelante 2 : SUL AMÉRICA COMPANHIA NACIONAL DE SEGUROS Apelados 1 : OS MESMOS Apelado 2

Leia mais

A executada PATRÍCIA DOMINGUES DOS SANTOS opôs embargos à execução às fls. 862/875 dos autos.

A executada PATRÍCIA DOMINGUES DOS SANTOS opôs embargos à execução às fls. 862/875 dos autos. PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO 7ª VARA DO TRABALHO DE BELÉM Processo: 0000239-19.2012.5.08.0007 Exequente : ANTONIO CLAUDIO DARWICH CNPJ/CPF:044.002.007-79 BORGES LEAL Executado

Leia mais