Questão 1. Questão 2. Resposta. Resposta

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Questão 1. Questão 2. Resposta. Resposta"

Transcrição

1 Questão 1 Em matéria recentemente publicada no Caderno Sinapse da Folha de S. Paulo, é apresentada uma definição de media training: ensinar profissionais a lidarem com a imprensa e se saírem bem nas entrevistas. Na parte final da reportagem, o jornalista faz a seguinte ressalva: O media training não se restringe a corporações. A Universidade X distribui para seus profissionais uma cartilha com dicas para que professores e médicos possam ter um bom relacionamento com a imprensa. Ironicamente intitulado de Corra que a Imprensa vem aí, o manual aponta gafes cometidas e dá dicas sobre a melhor forma de atender um repórter. (Adaptado de Vinícius Queiroz Galvão, Treinamento antigafe, Caderno Sinapse, 30/09/2003, p. 32). a) No trecho acima, as aspas são utilizadas em dois momentos diferentes. Transcreva as passagens entre aspas e explique seu uso em cada uma delas. b) Podemos relacionar o título da cartilha com o título em português da conhecida comédia norte-americana Corra que a polícia vem aí, que trata de um inspetor de polícia atrapalhado. Explicite os sentidos da palavra correr nos títulos do filme e do manual. a) "media training": as aspas são usadas pois trata-se de um estrangeirismo; "Corra que a Imprensa vem aí": trata-se do título da cartilha distribuída pela Universidade X. b) Em "Corra que a polícia vem aí" o verbo correr assume o sentido de fugir, escapar, retirar-se. Já em "Corra que a Imprensa vem aí", correr corresponde a preparar-se, cuidar-se. Questão 2 Em sua coluna na Folha Ilustrada, Mônica Bergamo comenta sobre o curta-metragem previsto para ser lançado em novembro de 2003 Um Caffé com o Miécio. Transcrevemos parte da coluna a seguir: (...) Quando ouvia a trilha sonora do curta Um Caffé com o Miécio, que Carlos Adriano finaliza sobre o caricaturista, colecionador de discos e estudioso Miécio Caffé ( ), Caetano Veloso se encantou por uma música específica. Era a desconhecida marchinha A Voz do Povo, de Malfitano e Frazão, que Orlando Silva gravou em 1940, cuja letra diz que raiva danada que eu tenho do povo, que não me deixa ser original. É um manifesto, como sua obra, disse o músico baiano ao cineasta paulistano. (Adaptado de Mônica Bergamo, Folha de S. Paulo, 11/10/2003, p. E2). a) Explique o título do curta-metragem. b) Identifique pelo menos duas possibilidades de leitura de sua obra e justifique cada uma delas. c) As três ocorrências da partícula que destacadas em negrito estabelecem relações de natureza lingüística diversa. Explicite-as. d) Os dois trechos sublinhados retomam elementos anteriormente apresentados no texto de maneira diferente dos recursos analisados nos itens b e c. Como funciona esse processo de retomada? a) O título do curta-metragem é um trocadilho com o nome próprio Caffé e o substantivo comum café, sugerindo o encontro e um bate-papo com o artista. b) O trecho "sua obra" gera ambigüidade: pode referir-se tanto à obra de Malfitano e Frazão autores da marchinha gravada por Caetano quanto à obra do cineasta paulista Carlos Adriano. c) "que raiva danada": que é pronome indefinido adjetivo, dando entonação exclamativa à frase. "que eu tenho do povo": que é termo expletivo (de realce), usado apenas para dar ênfase ao enunciado. "que não me deixa ser original": que é pronome relativo, referindo-se ao termo antecedente "povo". d) Os dois trechos retomam elementos anteriores por meio da citação da profissão, ao mesmo tempo em que identificam a origem de cada um: músico baiano, para Caetano Veloso, e cineasta paulistano, para Carlos Adriano.

2 português 2 Questão 3 Questão 4 Em setembro de 2003, uma universidade brasileira veiculou um convite-propaganda para a palestra Desenvolvimento da saúde e seus principais problemas, que seria proferida por José Serra, ex-ministro da saúde. Do convite-propaganda fazia parte uma foto de José Serra sobre a qual foi colocada uma tarja branca com o seguinte enunciado: A Universidade X ADVERTE: ESSA PALESTRA FAZ BEM À SAÚDE a) Esse enunciado faz alusão a um outro. Qual? b) Compare os dois enunciados. c) O convite-propaganda situa a Universidade X em um lugar de autoridade. Explique como isso acontece. Folha de S. Paulo, 8/10/2003, p. F8. Jogos de imagens e palavras são característicos da linguagem de história em quadrinhos. Alguns desses jogos podem remeter a domínios específicos da linguagem a que temos acesso em nosso cotidiano, tais como a linguagem dos médicos, a linguagem dos economistas, a linguagem dos locutores de futebol, a linguagem dos surfistas, dentre outras. É o que ocorre na tira de Laerte, acima apresentada. a) Transcreva as passagens da tira que remetem a domínios específicos e explicite que domínios são esses. b) Levando em consideração as relações entre imagens e palavras, identifique um momento de humor na tira e explique como é produzido. a) As passagens da tira e os respectivos domínios específicos são: "sofrido perda total" linguagem das seguradoras de automóvel; "reconstruíram meu corpo a partir do DNA" da engenharia genética; e "um molar cariado" da odontologia. b) O corpo da personagem Hugo apresenta-se escavado, esburacado, semelhante à forma como poderia estar um molar cariado. a) "O Ministério da Saúde adverte: fumar é prejudicial à saúde." b) Há uma relação de intertextualidade entre o textodadoeotextosubentendido; o texto da universidade parodia o slogan do Ministério da Saúde, criando uma relação de oposição: o fumo é prejudicial, ao passo que a palestra faz bem. c) No enunciado, é a "Universidade X" que adverte, portanto ela se reveste de autoridade. Questão 5 Em 28/11/2003, quando muito se noticiava sobre a reforma ministerial, a Folha de S. Paulo publicou uma matéria intitulada Lula sugere que Walfrido e Agnelo ficam.. Considerando as relações entre as palavras que compõem o título da matéria, justifique o uso do verbo ficar no presente do indicativo. O verbo "ficar", no presente do indicativo, pode indicar uma constatação: Lula já tem opinião definida, que já se constitui um fato real, embora ainda não revelado publicamente. Não se trata de uma sugestão do presidente, de uma hipótese ou possibilidade, o que levaria o verbo para o presente do subjuntivo (fiquem).

3 português 3 Questão 6 Por ocasião da comemoração do dia dos professores, no mês de outubro de 2003, foi veiculada a seguinte propaganda, assinada por uma grande corporação de ensino: Parabéns [Pl. de parabém] S. m. pl. 1. Felicitações, congratulações. 2. Oxítona terminada em ens, sempre acentuada. Acentuam-se também as terminadas em a, as, e, es, o, os, e em. Para a homenagem ao Dia do Professor ser completa, a gente precisava ensinar alguma coisa. a) Observe os itens 1 e 2 do verbete Parabéns no interior do quadro. Há diferenças entre eles. Aponte-as. b) Levando em conta o enunciado que está abaixo do quadro, a quem se dirige essa propaganda? c) Diferentes imagens da educação escolar sustentam essa propaganda. Indique pelo menos duas dessas imagens. a) A primeira definição é de caráter semântico, ou seja, explicita o significado da palavra. Já a segunda definição é gramatical e apresenta regras de acentuação. b) Aos professores. c) A propaganda relaciona a atividade docente a algo prazeroso (definição 1) e, ao mesmo tempo, à transmissão do conhecimento (definição 2). Questão 7 LeiaaseguintepassagemdapeçaO demônio familiar (ato II, cena IV), que estreou em EDUARDO E que lucras tu com isto! Sou tão pobre que te falte aquilo de que precisas? Não te trato mais como amigo do que como escravo? PEDRO Oh! Trata muito bem, mas Pedro queria que senhor tivesse muito dinheiro e comprasse carro bem bonito para... EDUARDO Para... Dize! PEDRO Para Pedro ser cocheiro de senhor! EDUARDO Então a razão única de tudo isto é o desejo que tens de ser cocheiro? PEDRO Sim, senhor. (José de Alencar, Obras Completas. v. IV, Rio de Janeiro: Aguilar, 1960, p. 100). a) A que acontecimentos se refere Eduardo com a expressão tudo isto? b) Qual a relação entre esses acontecimentos e o título da peça? c) Na passagem citada acima, Eduardo pergunta a Pedro: Não te trato mais como amigo do que como escravo? No final da peça lhe diz: Toma: é a tua carta de liberdade, ela será a tua punição de hoje em diante (...). Que contradições as falas de Eduardo revelam a respeito da abolição? a) O moleque Pedro inferniza a vida de uma pacata e tradicional família carioca do século XIX: troca cartas de amor, causando confusões entre casais, porque separa os pares realmente enamorados (Eduardo/Henriqueta; Alfredo/Carlotinha), movido por interesses escusos, ou seja, juntar o ricaço e afetado Azevedo com Henriqueta e uma viúva rica com seu senhor. Tudo isso para se tornar cocheiro, realizando assim seu grande sonho de ascensão. b) Alencar explica que as casas eram habitadas por uma espécie de "demônio familiar", alguém que convive no seio da família, mas que, por ignorância ou malícia, perturba a paz doméstica. Faz do amor, da amizade, da boa reputação e de tudo o mais que a família preza um jogo de interesses. No caso da peça, Pedro, o moleque escravo, desestrutura a ordem de uma família em função de suas aspirações. c) Para Eduardo, representante da elite escravocrata da época, a escravidão de Pedro era abençoada, porque ele desfrutava das regalias de "amigo", vivendo no seio de uma família digna. A carta de alforria que o moleque recebe no final vem como um castigo por seus atos. Assim, a liberdade não é um direito que cabe ao escravo, mas uma concessão e um castigo de seu senhor. Questão 8 Considereaseguintepassagem,queseencontra em um dos últimos capítulos do romance A Brasileira de Prazins:

4 português 4 São impenetráveis os segredos revelados no tribunal da penitência por Marta ao seu diretor espiritual. O padre Osório, não obstante, suspeitava que a penitente revelasse, com escrupulosa consciência, solicitada por miúdas averiguações do missionário, saudades, reminiscências sensualistas, carnalidades que se lhe formalizavam no espírito dementado, enfim, visões e sonhos com José Dias. (Camilo Castelo Branco, A Brasileira de Prazins. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1995). a) Por que Marta fica conhecida como a senhora Brasileira de Prazins? b) Qual a relação entre Marta e José Dias quando ela se confessa ao missionário? c) Padre Osório e Frei João, o missionário confessor, tinham explicações diferentes para o fato de Marta ter um espírito dementado. Quais são elas e o que indicam sobre o pensamento da época? a) Por ter casado com Feliciano, o Brasileiro de Prazins. Em Portugal, eram conhecidos como "brasileiros" os portugueses que enriqueceram no Brasil e voltavam a Portugal para desfrutar dessa riqueza, como é o caso de Feliciano. b) José Dias fora o seu grande amor, despertado na juventude e que continuou ao longo de sua vida. José Dias morreu tuberculoso e Marta foi impelida a casar-se com seu tio Feliciano, em virtude da riqueza deste. Mas continuou, em espírito, "fiel" ao seu amor. Quando Marta enlouqueceu, tinha visões de José; achava que a alma do seu "Josezinho" vinha vê-la, e ela "conversava" com ele... Guardou para sempre as lembranças daquele amor e, aos 53 anos, quando o romance se encerra, ela ainda se lembra de José Dias e ainda chora por ele. Desse modo, quando ela se confessa com o Frei João e revela essas "aparições" da alma de José Dias, a sua relação com este é a de um amor que sobrevive apesar da morte de Dias, das pressões familiares contrárias ao relacionamento e união dos jovens amantes, do casamento ao qual foi impelida e até mesmo da demência que dela se apossou. É o tema do amor impossível e eterno do romântico Camilo Castelo Branco. c) Para Frei João, a loucura de Marta era uma prova de que o demônio se apossara de sua alma e, para curá-la, submetia-a a terríveis sessões de exorcismo, ignorando sistemática e absurdamente as alegações médicas. Para Padre Osório, a demência de Marta era devida à hereditariedade: ela tinha um "cérebro lesionado" tal como o de sua mãe, que também fora louca. Portanto, tratava-se de uma doença que devia ser tratada com métodos naturais e não com água-benta e rezas. Desse modo, estão em cena duas concepções: uma ligada à religião, obscurantista em seu descaso pelos avanços da ciência; outra, reveladora do cientificismo que impregnava, de um modo geral, as pessoas mais esclarecidas da época. Questão 9 O poema abaixo pertence ao Cancioneiro de Fernando Pessoa. 1 Ah, quanta vez, na hora suave 2 Em que me esqueço, 3 Vejo passar um vôo de ave 4 E me entristeço! 5 Por que é ligeiro, leve, certo 6 No ar de amavio? 7 Por que vai sob o céu aberto 8 um desvio? 9 Por que ter asas simboliza 10 A liberdade 11 Que a vida nega e a alma precisa? 12 Sei que me invade 13 Um horror de me ter que cobre 14 Como uma cheia 15 Meu coração, e entorna sobre 16 Minh alma alheia 17 Um desejo, não de ser ave, 18 Mas de poder 19 Ter não sei quê do vôo suave 20 Dentro em meu ser. Amavio: feitiço, encanto (Fernando Pessoa, Obra Poética. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1995, p.138). a) Identifique o recurso lingüístico que representa a ave tanto no plano sonoro quanto no imagético. b) Que relação o eu lírico estabelece entre a tristeza e a liberdade? c) Interprete o fato de que as três interrogações (do verso 5 ao 11) são respondidas, a partir do verso 12, em uma única e longa frase.

5 a) Pilar, o narrador-protagonista, consegue a pratinha numa transação com o colega de classe Raimundo. Este, filho do professor Policarpo, tenta se livrar do castigo do pai, por não conseguir fazer a lição, comprando, assim, o serviço de Pilar, que aceita a proposta para ganhar a moedinha. b) Um colega denuncia a transação entre Raimundo e Pilar para o professor que, furioso, castiga os dois alunos, atirando longe a moeda, que cai em um lugar de impossível acesso. c) O "Conto de Escola" se caracteriza por um conjunto de oposições e contradições. A oposição que sustenta o conto se dá entre o espaço da escola, que simboliza a educação através da ordem e da autoridade, e o espaço da rua, que representa a liberdade própria da infância. Mas, ao mesmo tempo, cada um desses espaços apresenta sua contradição. Na escola, Pilar aprende, diante da distração do professor e do olhar atento do colega mais velho Curvelo, sua primeira lição sobre corportuguês 5 a) Trata-se do recurso da musicalidade assonâncias e aliterações, sobretudo do v: como fonema, pode sugerir o canto ou o ruflar das asas; como letra, sugere a forma das asas. b) Pode-se interpretar a relação como contraste/ conflito entre realidade e sonho: a alma anseia pela liberdade, mas esta é negada pela vida real. Ver o vôo da ave faz ressurgir no eu-lírico a tristeza pelos anseios não cumpridos. c) A estrutura sintática pode sugerir a extensão e a densidade do seu anseio e do horror que o invade: "... que cobre / Como uma cheia / Meu coração, e entorna sobre / Minh alma alheia...". Questão 10 Considera-se a estréia da peça Vestido de noiva (1943), de Nelson Rodrigues, um marco na renovação do teatro brasileiro. a) Cite a principal novidade estrutural da peça e comente. b) Por que no encerramento da peça uma rubrica indica que a Marcha Nupcial e a Marcha Fúnebre devem ser executadas simultaneamente? a) A peça tem o palco dividido em três planos, abarcando o plano da realidade, emqueaprotagonista Alaíde sofre um acidente, é hospitalizada, sofre uma intervenção cirúrgica e vem a falecer; o plano da memória, em que a mulher rememora os conflitos de um passado recente, que vai do namoro ao casamento; e o plano da alucinação, em que Alaíde se projeta como "prostituta" no seu alter-ego Mme. Clessi. Os planos confundem-se e há um jogo cênico ora iluminando um plano, ora outros, conforme requer o texto. b) A finalização da peça faz coincidirem as duas marchas. Mesmo após a morte de Alaíde, que teoricamente deveria encerrar o drama, a peça continua como uma espécie de projeção do subconsciente e do inconsciente da protagonista, que anuncia o casamento da irmã (Lúcia) com o marido (Pedro) (a marcha nupcial), e as mortes de Alaíde/Clessi (marcha fúnebre). Questão 11 Leia a seguinte passagem do Conto de escola, de Machado de Assis. (...) E lá fora, no céu azul, por cima do morro, o mesmo eterno papagaio, guinando a um lado e outro, como se me chamasse a ir ter com ele. Imaginei-me ali, com os livros e a pedra embaixo da mangueira, e a pratinha no bolso das calças, que eu não daria a ninguém, nem que me serrassem; guardá-la-ia em casa, dizendo a mamãe que a tinha achado na rua. Para que me não fugisse, ia-a apalpando, roçando-lhe os dedos pelo cunho, quase lendo pelo tacto a inscrição, com uma grande vontade de espiá-la. (Machado de Assis, Várias histórias. Obra completa, v. II. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1979, p ). a) Como o narrador personagem conseguiu a pratinha que estava em seu bolso? b) Qual o destino final da pratinha? c) Nessa passagem, há uma oposição entre o espaço da rua ( Lá fora, no céu azul ) e o espaço em que acontece a ação, oposição que também comparece no início e no final do conto. Em que medida tal oposição contribui para caracterizar a personagem que narra?

6 português 6 rupção e sedução pelo dinheiro. No final do conto, na rua, Pilar se divide entre pensar na "pratinha" e o som concreto do "tambor", ambos símbolos de mecanismos de obtenção de poder: o dinheiro e a força militar, respectivamente. Questão 12 Considere o seguinte poema de Hilda Hilst: Passará Tem passado Passa com a sua fina faca. Tem nome de ninguém. Não faz ruído. Não fala. Mas passa com a sua fina faca. Fecha feridas, é ungüento. Mas pode abrir a tua mágoa Com a sua fina faca. Estanca ventura e voz Silêncio e desventura. Imóvel Garrote Algoz No corpo da tua água passará Tem passado Passa com a sua fina faca. (Hilda Hilst, Da morte. Odes mínimas. São Paulo: Globo, 2003, p. 72). a) Tendo em vista que esse poema faz parte de uma série intitulada Tempo-morte, indique de que maneira a primeira estrofe exprime certo sentido de absoluto associado ao título. b) Nesse poema há pronomes de segunda e terceira pessoas. Transcreva uma estrofe em que constem ambas as pessoas pronominais e diga a que se referem. a) O tempo e a morte são absolutos: deles não se consegue escapar. Não se detém o tempo ("Passará / Tem passado"), o qual conduz inexoravelmente para o fim, a tudo destruindo ("Passa com a sua fina faca."). b) Em "Mas pode abrir a tua mágoa / Com a sua fina faca (...) No corpo da tua água passará (...)", tua (2ª p.) refere-se ao leitor e sua (3ª p.), ao tempo.

UNICAMP 2004. Você na elite das universidades! PORTUGUÊS ELITE SEGUNDA FASE

UNICAMP 2004. Você na elite das universidades! PORTUGUÊS ELITE SEGUNDA FASE www.elitecampinas.com.br Fone: (19) 3232-2713 O ELITE RESOLVE IME 2004 PORTUGUÊS/INGLÊS Você na elite das universidades! UNICAMP 2004 SEGUNDA FASE PORTUGUÊS LÍNGUA PORTUGUESA 1. Em matéria recentemente

Leia mais

Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa. 2ª Fase

Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa. 2ª Fase 2ª Fase Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa INTRODUÇÃO Este material apresenta a prova de Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa do Vestibular Unicamp 2004, comentada pela

Leia mais

UNICAMP - 2004. 2ª Fase PORTUGUÊS BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UNICAMP - 2004. 2ª Fase PORTUGUÊS BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UNICAMP - 2004 2ª Fase PORTUGUÊS BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Português Questão 01 Em matéria recentemente publicada no Caderno Sinapse da Folha de S. Paulo, é apresentada uma definição de media

Leia mais

PORTUGUÊS. UNICAMP 2004 2 a FASE PORTUGUÊS/BIOLOGIA

PORTUGUÊS. UNICAMP 2004 2 a FASE PORTUGUÊS/BIOLOGIA PORTUGUÊS 1. Em matéria recentemente publicada no Caderno Sinapse da Folha de S. Paulo, é apresentada uma definição de media training: ensinar profissionais a lidarem com a imprensa e se saírem bem nas

Leia mais

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa.

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Encontro com a Palavra Agosto/2011 Mês de setembro, mês da Bíblia 1 encontro Nosso Deus se revela Leitura Bíblica: Gn. 12, 1-4 A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Boas

Leia mais

1 Em matéria recentemente publicada no Caderno Sinapse da Folha de S. Paulo, é apresentada uma definição de media training: ensinar profissionais a

1 Em matéria recentemente publicada no Caderno Sinapse da Folha de S. Paulo, é apresentada uma definição de media training: ensinar profissionais a PORTUGUÊS 1 Em matéria recentemente publicada no Caderno Sinapse da Folha de S. Paulo, é apresentada uma definição de media training: ensinar profissionais a lidarem com a imprensa e se saírem bem nas

Leia mais

Sugestão de avaliação

Sugestão de avaliação Sugestão de avaliação 6 PORTUGUÊS Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao segundo bimestre escolar ou às Unidades 3 e 4 do livro do Aluno. Avaliação - Língua Portuguesa NOME: TURMA: escola:

Leia mais

FUVEST 2003. Língua Portuguesa Segunda Fase 05/01/2003

FUVEST 2003. Língua Portuguesa Segunda Fase 05/01/2003 FUVEST 2003 Língua Portuguesa Segunda Fase 05/01/2003 Q.01 BR. Contribuindo para o cinema brasileiro rodar cada vez melhor. A Petrobras Distribuidora sempre investiu na cultura do País e acreditou no potencial

Leia mais

Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor

Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor Colégio dos Santos Anjos Avenida Iraí, 1330 Planalto Paulista www.colegiosantosanjos.g12.br A Serviço da Vida por Amor Curso: Nome do (a) Aluno (a): Ano: 3º Componente Curricular: Língua Portuguesa Professor

Leia mais

Músicos, Ministros de Cura e Libertação

Músicos, Ministros de Cura e Libertação Músicos, Ministros de Cura e Libertação João Paulo Rodrigues Ferreira Introdução Caros irmãos e irmãs; escrevo para vocês não somente para passar instruções, mas também partilhar um pouco da minha experiência

Leia mais

PROVA DE SELEÇÃO LÍNGUA PORTUGUESA SÉRIE: 8 ANO. Candidato (a):

PROVA DE SELEÇÃO LÍNGUA PORTUGUESA SÉRIE: 8 ANO. Candidato (a): PROVA DE SELEÇÃO LÍNGUA PORTUGUESA SÉRIE: 8 ANO Data: 12/01/2015 Candidato (a): Valor: 10 Obtido: Analise o cartaz da propaganda. QUESTÃO 1 (1 PONTO) - Observe o texto principal da propaganda. Que estratégia

Leia mais

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação...

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação... Sumário Agradecimentos... 7 Introdução... 9 1 - Um menino fora do seu tempo... 13 2 - O bom atraso e o vestido rosa... 23 3 - O pequeno grande amigo... 35 4 - A vingança... 47 5 - O fim da dor... 55 6

Leia mais

PORTUGUÊS CIDA BISPO

PORTUGUÊS CIDA BISPO TIPO 1 PORTUGUÊS CIDA BISPO 7º UNIDADE IV Orientações: Não será aceita a utilização de corretivo; não será permitido o empréstimo de material durante a avaliação; use somente caneta esferográfica azul

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO 2015/2016 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (PROVA 3) 1º Ano / Ensino Médio

CONCURSO DE ADMISSÃO 2015/2016 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (PROVA 3) 1º Ano / Ensino Médio Leia atentamente o texto 1 e responda às questões de 01 a 06, assinalando a única alternativa correta. Texto 1 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30

Leia mais

PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA ANOS FINAIS / SRE - CURVELO

PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA ANOS FINAIS / SRE - CURVELO 61 Poema O que é: Segundo o poeta Carlos Drummond de Andrade, entre coisas e palavras principalmente entre palavras circulamos. As palavras, entretanto, não circulam entre nós como folhas soltas no ar.

Leia mais

5º Ano O amor é paciente. (I Coríntios 13:4 a)

5º Ano O amor é paciente. (I Coríntios 13:4 a) 5º Ano Roteiro Semanal de Atividades de Casa (13 a 17 de Maio 2013) NA TEIA DA ARANHA Resolva as operações, pinte a trilha que o resultado seja 67 e descubra o inseto que caiu na teia da aranha. O inseto

Leia mais

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA OBJETIVOS: 1 ano Levar o estudante a realizar a escrita do próprio nome e outros nomes. Promover a escrita das letras do alfabeto. Utilizar a linguagem oral para conversar,

Leia mais

1ª QUESTÃO MÚLTIPLA ESCOLHA. 7,00 (sete) pontos distribuídos em 20 itens

1ª QUESTÃO MÚLTIPLA ESCOLHA. 7,00 (sete) pontos distribuídos em 20 itens PAG - 1 1ª QUESTÃO MÚLTIPLA ESCOLHA 7,00 (sete) pontos distribuídos em 20 itens Marque no cartão de respostas a única alternativa que responde de maneira correta ao pedido de cada item: PORTUGUÊS Considere

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO 1

PROJETO PEDAGÓGICO 1 PROJETO PEDAGÓGICO 1 Projeto Pedagógico Por Beatriz Tavares de Souza* Título: Maricota ri e chora Autor: Mariza Lima Gonçalves Ilustrações: Andréia Resende Formato: 20,5 cm x 22 cm Número de páginas: 32

Leia mais

A regra geral de concordância verbal é bastante simples: o verbo concorda com o núcleo (ou os núcleos) do sujeito. Desse modo, temos:

A regra geral de concordância verbal é bastante simples: o verbo concorda com o núcleo (ou os núcleos) do sujeito. Desse modo, temos: Concordância Na aula de hoje, estudaremos os principais tipos e ocorrências de itens relacionados à concordância verbal cobrados nos vestibulares do país. Nesse sentido, é válido lembrar que serão observadas

Leia mais

Xixi na Cama. Cara Professora, Caro Professor,

Xixi na Cama. Cara Professora, Caro Professor, Xixi na Cama Cara Professora, Caro Professor, Estamos oferecendo a você e a seus alunos mais um livro da coleção Revoluções: Xixi na Cama, do autor mineiro Drummond Amorim. Junto com a obra, estamos também

Leia mais

Poética & Filosofia Cultural - Chico Xavier & Dalai Lama

Poética & Filosofia Cultural - Chico Xavier & Dalai Lama Page 1 of 6 Tudo Bem! Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia Disciplina: Filosofia Cultural Educador: João Nascimento Borges Filho Poética

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE LÍNGUA PORTUGUESA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE LÍNGUA PORTUGUESA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE LÍNGUA PORTUGUESA Nome: Nº 8º Data / / Professor: Nota: A INTRODUÇÃO Agora, você terá a oportunidade de recuperar os conteúdos do ano por meio de um roteiro de estudo. Leia

Leia mais

4ª, 6ª e 8ª séries / 5º, 7º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio SARESP. Escala de Proficiência de Língua Portuguesa (Leitura)

4ª, 6ª e 8ª séries / 5º, 7º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio SARESP. Escala de Proficiência de Língua Portuguesa (Leitura) 4ª, 6ª e 8ª séries / 5º, 7º e 9º anos do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio SARESP Escala de Proficiência de Língua Portuguesa (Leitura) ESCALA DE PROFICIÊNCIA DE LÍNGUA PORTUGUESA LEITURA A

Leia mais

COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 9º Ano Profº: Clécio Oliveira Língua 65 Portuguesa Aluno (a):. No.

COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 9º Ano Profº: Clécio Oliveira Língua 65 Portuguesa Aluno (a):. No. COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 9º Ano Profº: Clécio Oliveira Língua 65 Portuguesa Aluno (a):. No. Trabalho Avaliativo Valor: 30 % Nota: Minhas Férias Eu, minha mãe, meu pai, minha irmã (Su) e meu cachorro

Leia mais

Localizar e copiar o nome do autor, se houver.

Localizar e copiar o nome do autor, se houver. Páginas 3-7 1. Nome do livro analisado Localizar e copiar o nome do autor. Nome do jornal analisado Localizar e copiar o nome do autor, se houver. Nome da revista analisada Localizar e copiar o nome do

Leia mais

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA Clodoaldo Meneguello Cardoso Nesta "I Conferência dos lideres de Grêmio das Escolas Públicas Estaduais da Região Bauru" vamos conversar muito sobre política.

Leia mais

Sobre esta obra, você tem a liberdade de:

Sobre esta obra, você tem a liberdade de: Sobre esta obra, você tem a liberdade de: Compartilhar copiar, distribuir e transmitir a obra. Sob as seguintes condições: Atribuição Você deve creditar a obra da forma especificada pelo autor ou licenciante

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE CONTEÚDO ESTRUTURANTE

PLANO DE TRABALHO DOCENTE CONTEÚDO ESTRUTURANTE COLEGIO ESTADUAL DARIO VELLOZO ENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO E PROFISSIONAL Rua Haroldo Hamilton, 271 Centro - CEP 85905-390 Fone/Fax 45 3378-5343 - Email: colegiodariovellozo@yahoo.com.br www.toodariovellozo.seed.pr.gov.br

Leia mais

Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos. Quem sou eu? Dinâmica de Apresentação para Grupo de Jovens

Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos. Quem sou eu? Dinâmica de Apresentação para Grupo de Jovens Disponível no site Esoterikha.com: http://bit.ly/dinamicas-para-jovens Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos As dinâmicas de grupo já fazem parte do cotidiano empresarial,

Leia mais

Content Area: Língua Portuguesa Grade 1 Quarter I

Content Area: Língua Portuguesa Grade 1 Quarter I Content Area: Língua Portuguesa Grade 1 Quarter I 1- Produção de escrita 1.1- Escrita livre 1.2 - Listas (animais, brinquedos, alimentos, etc); 1.3 - Narrações sequenciadas com apoio de ilustrações; 1.4

Leia mais

CADERNO DE PROVA 2.ª FASE. Nome do candidato. Coordenação de Exames Vestibulares

CADERNO DE PROVA 2.ª FASE. Nome do candidato. Coordenação de Exames Vestibulares CADERNO DE PROVA 2.ª FASE Nome do candidato Nome do curso / Turno Local de oferta do curso N.º de inscrição Assinatura do candidato Coordenação de Exames Vestibulares I N S T R U Ç Õ E S LEIA COM ATENÇÃO

Leia mais

Sugestão de avaliação

Sugestão de avaliação Sugestão de avaliação 8 PORTUGUÊS Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao primeiro bimestre escolar ou às Unidades 1 e 2 do Livro do Aluno. Avaliação - Língua Portuguesa NOME: TURMA: escola:

Leia mais

Texto 1 PRA DAR NO PÉ (Pedro Antônio de Oliveira)

Texto 1 PRA DAR NO PÉ (Pedro Antônio de Oliveira) PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - LÍNGUA PORTUGUESA - 3 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Texto 1 PRA DAR NO PÉ (Pedro

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA OS GRUPOS QUE ESTÃO PRODUZINDO UMA: REPORTAGEM Tipos de Textos Características

Leia mais

TALVEZ TE ENCONTRE AO ENCONTRAR-TE

TALVEZ TE ENCONTRE AO ENCONTRAR-TE TALVEZ TE ENCONTRE Vivaldo Terres Itajaí /SC Talvez algum dia eu te encontre querida Para renovarmos momentos felizes, Já que o nosso passado foi um passado lindo, Tão lindo que não posso esquecer Anseio

Leia mais

coleção Conversas #10 - junho 2014 - Respostas que podem estar sendo feitas para algumas perguntas Garoto de Programa por um.

coleção Conversas #10 - junho 2014 - Respostas que podem estar sendo feitas para algumas perguntas Garoto de Programa por um. coleção Conversas #10 - junho 2014 - Eu sou Estou garoto num de programa. caminho errado? Respostas para algumas perguntas que podem estar sendo feitas Garoto de Programa por um. A Coleção CONVERSAS da

Leia mais

Atividades - O Hino Nacional Brasileiro

Atividades - O Hino Nacional Brasileiro Atividades - O Hino Nacional Brasileiro Educador, o projeto a seguir é sobre música. A proposta consiste em uma série de procedimentos para o trabalho de interpretação do Hino Nacional Brasileiro. Para

Leia mais

CPV O Cursinho que Mais Aprova na GV

CPV O Cursinho que Mais Aprova na GV CPV O Cursinho que Mais Aprova na GV FGV Economia 2 a Fase 13/Dezembro/2015 LÍNGUA PORTUGUESA 01. Leia a charge. Pancho. Gazeta do Povo, 03/09/2015 Na fala da personagem, a concordância verbal está em

Leia mais

Como utilizar este caderno

Como utilizar este caderno INTRODUÇÃO O objetivo deste livreto é de ajudar os grupos da Pastoral de Jovens do Meio Popular da cidade e do campo a definir a sua identidade. A consciência de classe, ou seja, a consciência de "quem

Leia mais

Carlos Neves. Antologia. Raízes. Da Poesia

Carlos Neves. Antologia. Raízes. Da Poesia 1 Antologia Raízes Da Poesia 2 Copyrighr 2013 Editra Perse Capa e Projeto gráfico Autor Registrado na Biblioteca Nacional ISBN International Standar Book Number 978-85-8196-234- 4 Literatura Poesias Publicado

Leia mais

Vivendo a Liturgia Ano A

Vivendo a Liturgia Ano A Vivendo a Liturgia Junho/2011 Vivendo a Liturgia Ano A SOLENIDADE DA ASCENSÃO DO SENHOR (05/06/11) A cor litúrgica continua sendo a branca. Pode-se preparar um mural com uma das frases: Ide a anunciai

Leia mais

EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO. Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos.

EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO. Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Prova Escrita de Português 12.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova 639/2.ª Fase 8 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

GUIA PARA ESCREVER MELHOR. Saiba que erros evitar para ter um bom desempenho na prova de redação

GUIA PARA ESCREVER MELHOR. Saiba que erros evitar para ter um bom desempenho na prova de redação GUIA PARA ESCREVER MELHOR Saiba que erros evitar para ter um bom desempenho na prova de redação Í N D I C E Capítulo 1 Não exagere nos adjetivos Capítulo 2 Evite o queísmo Capítulo 3 Não seja intrometido(a)

Leia mais

VL I - DVD 13, 14, 15, 16, 17. LÍNGUA PORTUGUESA VL I - DVD 13 O QUE ACONTECE QUANDO LEMOS Programa que analisa o processo de leitura e os vários

VL I - DVD 13, 14, 15, 16, 17. LÍNGUA PORTUGUESA VL I - DVD 13 O QUE ACONTECE QUANDO LEMOS Programa que analisa o processo de leitura e os vários VL I - DVD 13, 14, 15, 16, 17. LÍNGUA PORTUGUESA VL I - DVD 13 O QUE ACONTECE QUANDO LEMOS Programa que analisa o processo de leitura e os vários aspectos envolvidos nessa atividade. O ato de observar

Leia mais

João Nerval: Eu sou ladrão, eu não gosto de trabalhar não. Eu sou ladrão.

João Nerval: Eu sou ladrão, eu não gosto de trabalhar não. Eu sou ladrão. Se você pesquisar no site do YouTube, vai encontrar um vídeo incomum, chamado Profissão Ladrão, no qual um repórter entrevista um ladrão confesso de nome João Nerval. O que se percebe de positivo no personagem

Leia mais

Palavras primitivas terminadas em S acrescenta-se INHO: Chinês = Chinesinho Um pequeno chinês é um chinesinho.

Palavras primitivas terminadas em S acrescenta-se INHO: Chinês = Chinesinho Um pequeno chinês é um chinesinho. FICHA DA SEMANA 5º ANO A e B Instruções: 1- Cada atividade terá uma data de realização e deverá ser entregue a professora no dia seguinte; 2- As atividades deverão ser copiadas e respondidas no caderno,

Leia mais

JONAS RIBEIRO. ilustrações de Suppa

JONAS RIBEIRO. ilustrações de Suppa JONAS RIBEIRO ilustrações de Suppa Suplemento do professor Elaborado por Camila Tardelli da Silva Deu a louca no guarda-roupa Supl_prof_ Deu a louca no guarda roupa.indd 1 02/12/2015 12:19 Deu a louca

Leia mais

Meu pai disse-me, à porta do Ateneu, que eu ia encontrar ( que eu encontraria ) o mundo e que (eu) tivesse coragem para a luta.

Meu pai disse-me, à porta do Ateneu, que eu ia encontrar ( que eu encontraria ) o mundo e que (eu) tivesse coragem para a luta. Tipos de Discurso (exercícios para fixação de conteúdo, bem como material de consulta e estudo). 1. Transforme a fala abaixo em um discurso indireto. Para tal, imagine que há, na cena, um narrador que

Leia mais

PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa

PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa 7 o ano 2 o bimestre PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa Escola: Nome: Turma: n o : Sotaque mineiro: é ilegal, imoral ou engorda? Gente, simplificar é um pecado. Se a vida não fosse tão corrida, se não tivesse

Leia mais

Formação de PROFESSOR EU ME DECLARO CRIANÇA

Formação de PROFESSOR EU ME DECLARO CRIANÇA Formação de PROFESSOR EU ME DECLARO CRIANÇA 1 Especial Formação de Professor Por Beatriz Tavares de Souza* Apresentação O livro apresenta os princípios da Declaração Universal dos Direitos da Criança.

Leia mais

Turma: 3º ano FG e ADM

Turma: 3º ano FG e ADM COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 2ª Etapa 2013 Disciplina: Literatura Ano: 2013 Professor (a): Felipe Amaral Turma: 3º ano FG e ADM Caro aluno, você está recebendo o conteúdo

Leia mais

O SUICÍDIO: UMA OUTRA VISÃO PERANTE A MORTE

O SUICÍDIO: UMA OUTRA VISÃO PERANTE A MORTE 53 O SUICÍDIO: UMA OUTRA VISÃO PERANTE A MORTE Sidnei Shirosaki Faculdade Unida de Suzano(sidnei.shirosaki@uniesp.edu.br) Resumo A morte é tratada de forma diferente por diversos povos, mas sempre com

Leia mais

Gabarito - LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA - Grupos D, E, F e G. Leia o conceito de pontuação e os fragmentos de texto abaixo:

Gabarito - LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA - Grupos D, E, F e G. Leia o conceito de pontuação e os fragmentos de texto abaixo: Leia o conceito de pontuação e os fragmentos de texto abaixo: Pontuar é sinalizar gramatical e expressivamente um texto. Celso Cunha, Gramática do Português Contemporâneo, p.618. Texto I Que bom vento

Leia mais

BÍBLIA E HERMENÊUTICAS JUVENIS EVANGELHO DE MARCOS - SAÚDE E VIOLÊNCIA. O que procuramos? Quem procura acha. Nem sempre achamos o que procuramos...!

BÍBLIA E HERMENÊUTICAS JUVENIS EVANGELHO DE MARCOS - SAÚDE E VIOLÊNCIA. O que procuramos? Quem procura acha. Nem sempre achamos o que procuramos...! BÍBLIA E HERMENÊUTICAS JUVENIS EVANGELHO DE MARCOS - SAÚDE E VIOLÊNCIA O que procuramos? Quem procura acha. Nem sempre achamos o que procuramos...! Quem procura acha. Módulo 2 Etapa 3 Nem sempre acha o

Leia mais

CARTAS: REGISTRANDO A VIDA

CARTAS: REGISTRANDO A VIDA CARTAS: REGISTRANDO A VIDA A carta abaixo foi escrita na época da ditadura militar. Ela traduz a alegria de um pai por acreditar estar próxima sua liberdade e, assim, a possibilidade do reencontro com

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA PROVA 3º BIMESTRE 6 ANO

LÍNGUA PORTUGUESA PROVA 3º BIMESTRE 6 ANO PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO LÍNGUA PORTUGUESA PROVA 3º BIMESTRE 6 ANO 2010 QUESTÃO 1 Folheto Publicitário No

Leia mais

Associação Tenda Espírita Pai Joaquim D Angola e Vovó Cambina

Associação Tenda Espírita Pai Joaquim D Angola e Vovó Cambina Associação Tenda Espírita Pai Joaquim D Angola e Vovó Cambina Psicografias Outubro de 2014 Sumário Cavaleiro da Chama-Vermelha.... 2 Dr. Emanuel.... 2 João Augusto... 3 Mago Horax... 3 Caravana de Koré....

Leia mais

SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR

SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 6 TURMA(S):

Leia mais

TIPO DE AVALIAÇÃO: Lista de Exercícios - Recuperação

TIPO DE AVALIAÇÃO: Lista de Exercícios - Recuperação TIPO DE AVALIAÇÃO: Lista de Exercícios - Recuperação Nome: Nº 8º ano / Ensino Fundamental Turma: Disciplina(s): Português Data: Professor(a): Érica Beatriz Nota: Leia o texto de Clarice Lispector e veja

Leia mais

Português 5º ano Ens. Fund. I. 1. Observe a imagem e assinale a alternativa correta.

Português 5º ano Ens. Fund. I. 1. Observe a imagem e assinale a alternativa correta. Português 5º ano Ens. Fund. I 1. Observe a imagem e assinale a alternativa correta. a) A paisagem mostra uma zona urbana. b) A paisagem representa uma zona rural. c) Essa tela não representa um texto.

Leia mais

CD: Ao Sentir. Alencastro e Patrícia. 1- Ao Sentir Jairinho. Ao sentir o mundo ao meu redor. Nada vi que pudesse ser real

CD: Ao Sentir. Alencastro e Patrícia. 1- Ao Sentir Jairinho. Ao sentir o mundo ao meu redor. Nada vi que pudesse ser real Alencastro e Patrícia CD: Ao Sentir 1- Ao Sentir Jairinho Ao sentir o mundo ao meu redor Nada vi que pudesse ser real Percebi que todos buscam paz porém em vão Pois naquilo que procuram, não há solução,

Leia mais

MÚSICAS. Hino da Praznik Sempre Quando vens p ras colónias Sei de alguém Menino de Bronze Tenho Vontade VuVu & ZéZé

MÚSICAS. Hino da Praznik Sempre Quando vens p ras colónias Sei de alguém Menino de Bronze Tenho Vontade VuVu & ZéZé MÚSICAS Hino da Praznik Sempre Quando vens p ras colónias Sei de alguém Menino de Bronze Tenho Vontade VuVu & ZéZé Hino da Praznik Do Fá Gosto de aqui estar Sol Do E contigo brincar E ao fim vou arranjar

Leia mais

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade 1 Guia do Professor Episódio Conhecendo a Cidade Programa Vozes da Cidade Apresentação Como já vimos nos trabalhos desenvolvidos para o episódio 1, os trabalhos para o episódio 2 também trazem várias questões

Leia mais

Ano: 9 Turmas: 9.1 e 9.2

Ano: 9 Turmas: 9.1 e 9.2 COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Final 3ª Etapa 2013 Disciplina: PORTUGUÊS Professor (a): Cris Souto Ano: 9 Turmas: 9.1 e 9.2 Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO 2015/2016 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (Prova 1) 6º Ano / Ensino Fundamental

CONCURSO DE ADMISSÃO 2015/2016 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA (Prova 1) 6º Ano / Ensino Fundamental Leia atentamente o texto 1 e responda às questões de 01 a 12 e 18, assinalando a única alternativa correta. Texto 1 O pote vazio 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24

Leia mais

Data de entrega 16/03/2015 segunda-feira Frase, oração e período

Data de entrega 16/03/2015 segunda-feira Frase, oração e período Nome: Ano: 7 ano Disciplina: P.T. Textos Nº: Data: Professor: Valdeci Lopes Data de entrega 16/03/2015 segunda-feira Frase, oração e período 1. Leia a tirinha abaixo: Reescreva a frase nominal do quadrinho,

Leia mais

PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA Rotina de Sala de Aula TEMA GERADOR: Bicharada

PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA Rotina de Sala de Aula TEMA GERADOR: Bicharada PREFEITURA MUNICIPAL DE ARARIPE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA DO PROGRAMA LUZ DO SABER INFANTIL PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA Rotina de Sala de Aula TEMA GERADOR:

Leia mais

VIOLÊNCIA, A NOVA ORDEM MUNDIAL? Guila Azevedo

VIOLÊNCIA, A NOVA ORDEM MUNDIAL? Guila Azevedo Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA A 1 ạ SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM 2014 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: VIOLÊNCIA, A NOVA ORDEM MUNDIAL? Guila Azevedo Não me

Leia mais

VOCÊ DÁ O SEU MELHOR TODOS OS DIAS. CONTINUE FAZENDO ISSO.

VOCÊ DÁ O SEU MELHOR TODOS OS DIAS. CONTINUE FAZENDO ISSO. VOCÊ DÁ O SEU MELHOR TODOS OS DIAS. CONTINUE FAZENDO ISSO. Qualquer hora é hora de falar sobre doação de órgãos. Pode ser à mesa do jantar, no caminho para o trabalho ou até mesmo ao receber este folheto.

Leia mais

Leia a letra da música "Fico Assim Sem Você", de Claudinho e Buchecha:

Leia a letra da música Fico Assim Sem Você, de Claudinho e Buchecha: Leia a letra da música "Fico Assim Sem Você", de Claudinho e Buchecha: Avião sem asa, Fogueira sem brasa, Sou eu assim, sem você Futebol sem bola, Piu-piu sem Frajola, Sou eu assim, sem você... Porque

Leia mais

O Livro de informática do Menino Maluquinho

O Livro de informática do Menino Maluquinho Coleção ABCD - Lição 1 Lição 1 O Livro de informática do Menino Maluquinho 1 2 3 4 5 6 7 8 Algumas dicas para escrever e-mails: 1. Aprender português. Não adianta fi car orgulhoso por mandar um e-mail

Leia mais

Aula 6 Tema: Tecnologia: corpo, movimento e linguagem na era da informação. LÍNGUA PORTUGUESA FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA

Aula 6 Tema: Tecnologia: corpo, movimento e linguagem na era da informação. LÍNGUA PORTUGUESA FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula 6 Tema: Tecnologia: corpo, movimento e linguagem na era da informação. 3 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE LINGUA PORTUGUESA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE LINGUA PORTUGUESA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE LINGUA PORTUGUESA Nome: Nº 7º ano / /2015 Professora: Nota: (valor: 1,0) 3º e 4º bimestres A - Introdução Você estudou vários conteúdos gramaticais e realizou atividades para

Leia mais

Dia_Logos. café teatral

Dia_Logos. café teatral café Café Teatral Para esta seção do Caderno de Registro Macu, a coordenadora do Café Teatral, Marcia Azevedo fala sobre as motivações filosóficas que marcam esses encontros. Partindo da etimologia da

Leia mais

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão Jorge Esteves Objectivos 1. Reconhecer que Jesus se identifica com os irmãos, sobretudo com os mais necessitados (interpretação e embora menos no

Leia mais

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 1 a Edição Editora Sumário Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9 Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15 Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 Santos, Hugo Moreira, 1976-7 Motivos para fazer

Leia mais

Formação de PROFESSOR

Formação de PROFESSOR Formação de PROFESSOR 1 Especial Formação de Professor Por Beatriz Tavares de Souza* Apresentação Livro de ensinamentos, reflexão, que procura ajudar o público infantil a compreender a morte. A obra foi

Leia mais

Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 8 Ọ ANO EM 2014. Disciplina: PoRTUGUÊs

Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: PARA QUEM CURSA O 8 Ọ ANO EM 2014. Disciplina: PoRTUGUÊs Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 8 Ọ ANO EM 2014 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: Texto para as questões 1 e 2. O MELHOR DE CALVIN /Bill Watterson MÃE, O

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA. Elaborada por Ana Carolina Carvalho

PROPOSTA PEDAGÓGICA. Elaborada por Ana Carolina Carvalho PROPOSTA PEDAGÓGICA Elaborada por Ana Carolina Carvalho PROPOSTA PEDAGÓGICA Crianças do Brasil Suas histórias, seus brinquedos, seus sonhos elaborada por ANA CAROLINA CARVALHO livro de JOSÉ SANTOS ilustrações

Leia mais

Língua Portuguesa RESOLUÇÃO

Língua Portuguesa RESOLUÇÃO PROCESSO SELETIVO/2009 CADERNO 2 Respostas da 2. a Fase Língua Portuguesa RESOLUÇÃO FGVS-2.ªFase/2.ºCad-Língua Portuguesa-Resolução-manhã 2 LÍNGUA PORTUGUESA Leia o texto para responder às questões de

Leia mais

Concurso Literário. O amor

Concurso Literário. O amor Concurso Literário O Amor foi o tema do Concurso Literário da Escola Nova do segundo semestre. Durante o período do Concurso, o tema foi discutido em sala e trabalhado principalmente nas aulas de Língua

Leia mais

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro;

2. 1 A poesia trovadoresca - Leitura de cantigas de amor e de amigo semântico, sintático, lexical e sonoro; EIXO TEMÁTICO: 1 TEXTO LITERÁRIO E NÃO LITERÁRIO 1) Analisar o texto em todas as suas dimensões: semântica, sintática, lexical e sonora. 1. Diferenciar o texto literário do não-literário. 2. Diferenciar

Leia mais

HISTÓRIA E NARRAÇÃO NEGRA: O DIÁRIO DE CAROLINA MARIA DE JESUS

HISTÓRIA E NARRAÇÃO NEGRA: O DIÁRIO DE CAROLINA MARIA DE JESUS HISTÓRIA E NARRAÇÃO NEGRA: O DIÁRIO DE CAROLINA MARIA DE JESUS Aline Cavalcante e Silva (Bolsista PIBIC/CNPq/UFPB) aline.mbz@hotmail.com Orientador: Dr. Elio Chaves Flores (PPGH/UFPB) elioflores@terra.com.br

Leia mais

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco REDAÇÃO AULA 5 Professora Sandra Franco DISSERTAÇÃO 1. Definição de Dissertação. 2. Roteiro para dissertação. 3. Partes da dissertação. 4. Prática. 5. Recomendações Gerais. 6. Leitura Complementar. 1.

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 1ª PROVA PARCIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA Aluno(a): Nº Ano: 6º Turma: Data: 18/03/2011 Nota: Professora: Letícia A. S. Ottoboni Valor da Prova: 40 pontos Assinatura

Leia mais

Convite. Poesia é brincar com palavras como se brinca com bola, papagaio, pião. Só que bola, papagaio, pião de tanto brincar se gastam.

Convite. Poesia é brincar com palavras como se brinca com bola, papagaio, pião. Só que bola, papagaio, pião de tanto brincar se gastam. Convite Poesia é brincar com palavras como se brinca com bola, papagaio, pião. Só que bola, papagaio, pião de tanto brincar se gastam. As palavras não: quanto mais se brinca com elas mais novas ficam.

Leia mais

GINCANA JOVENS LINDEIROS LIGADOS À VIDA GRUPO: FAÇA A DIFERENÇA AÇÕES 5 E 6: JINGLE E AÇÃO NA COMUNIDADE

GINCANA JOVENS LINDEIROS LIGADOS À VIDA GRUPO: FAÇA A DIFERENÇA AÇÕES 5 E 6: JINGLE E AÇÃO NA COMUNIDADE GINCANA JOVENS LINDEIROS LIGADOS À VIDA GRUPO: FAÇA A DIFERENÇA AÇÕES 5 E 6: JINGLE E AÇÃO NA COMUNIDADE PATO BRAGADO 2011 1. AÇÃO 5: JINGLE O grupo FAÇA A DIFERENÇA elaborou a paródia da música Perigo

Leia mais

DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESCOLA DOMINICAL

DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESCOLA DOMINICAL SUGESTÃO DE CELEBRAÇÃO DE NATAL 2013 ADORAÇÃO Prelúdio HE 21 Dirigente: Naqueles dias, dispondo-se Maria, foi apressadamente à região montanhosa, a uma cidade de Judá, entrou na casa de Zacarias e saudou

Leia mais

Prova Escrita de Português

Prova Escrita de Português EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova Escrita de Português 12.º Ano de Escolaridade Prova 639/Época Especial 8 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

2- Nas frases a seguir estão destacadas quatro formas verbais de um mesmo verbo. Compare-as.

2- Nas frases a seguir estão destacadas quatro formas verbais de um mesmo verbo. Compare-as. FICHA DA SEMANA 5º ANO A / B Instruções: 1- Cada atividade terá uma data de realização e deverá ser entregue a professora no dia seguinte; 2- As atividades deverão ser copiadas e respondidas no caderno,

Leia mais

SOLENE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA

SOLENE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA SOLENE CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA Antes da Solene celebração, entregar a lembrança do centenário No Final terá um momento de envio onde cada pessoa reassumirá a missão. O sinal deste momento será a colocação

Leia mais

O escritor Paulo Coelho, hoje um dos imortais da Academia Brasileira de Letras, relata em

O escritor Paulo Coelho, hoje um dos imortais da Academia Brasileira de Letras, relata em O escritor Paulo Coelho, hoje um dos imortais da Academia Brasileira de Letras, relata em artigo do jornal Folha de São Paulo, como se tornou escritor de sucesso. A narrativa de Paulo Coelho fez parte

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

PASTORAL DA EDUCAÇÃO - PINDAMONHANGABA ATIVIDADES ABRIL/2015

PASTORAL DA EDUCAÇÃO - PINDAMONHANGABA ATIVIDADES ABRIL/2015 Amar e louvar a Deus, altíssimo e sumamente bom. Sentir-se irmão(s) de toda criatura humana. Descobrir e valorizar o que há de positivo nas pe s- soas. Amar os pobres e saber perdoar de coração. Levar

Leia mais

7 Tal pai, tal filho. Acabada a assembléia da comunidade de. Cenatexto

7 Tal pai, tal filho. Acabada a assembléia da comunidade de. Cenatexto JANELA A U L A 7 Tal pai, tal filho Cenatexto Acabada a assembléia da comunidade de Júpiter da Serra, em que se discutiu a expansão da mineradora, dona Ana volta para casa com o Samuel, seu garotinho.

Leia mais

Cara Professora, Caro Professor,

Cara Professora, Caro Professor, A olhinhos menina de rasgados Cara Professora, Caro Professor, Estamos oferecendo a você e a seus alunos um belo livro de narrativa A menina de olhinhos rasgados, do premiado autor mineiro Vanderlei Timóteo.

Leia mais

1. (FUVEST-SP) Em Queria que me ajudasses, o trecho destacado pode ser substituído por:

1. (FUVEST-SP) Em Queria que me ajudasses, o trecho destacado pode ser substituído por: COLÉGIO DE APLICAÇÃO DOM HÉLDER CÂMARA AVALIAÇÃO: EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES I DISCIPLINA: LÍNGUA PORTUGUESA PROFESSOR(A): ANA PAULA DA VEIGA CALDAS ALUNO(A) DATA: / / TURMA: M SÉRIE: 9º ANO DATA PARA ENTREGA:

Leia mais

5º ANO 8 8/nov/11 PORTUGUÊS 4º

5º ANO 8 8/nov/11 PORTUGUÊS 4º 5º ANO 8 8/nov/11 PORTUGUÊS 4º 1. Um músico muito importante do nosso país é Milton Nascimento, cantor e compositor brasileiro, reconhecido, mundialmente, como um dos mais influentes e talentosos cantores

Leia mais