Primeiro Estudo COPA 2010 FIFA EFETIVIDADE NO FUTEBOL. Grupo Ciência no Futebol DEF UFRN

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Primeiro Estudo COPA 2010 FIFA EFETIVIDADE NO FUTEBOL. Grupo Ciência no Futebol DEF UFRN"

Transcrição

1 Primeiro Estudo COPA 2010 FIFA EFETIVIDADE NO FUTEBOL Grupo Ciência no Futebol DEF UFRN

2 Autores Jeferson Tafarel Pereira do Rêgo Nickson Barbosa Marinho Péricles Roberto Silva Rodrigues Orientador: João Roberto Liparotti Grupo de Estudos: Ciência no Futebol Linha de pesquisa CNPq Registrado desde 2003 Projeto de extensão DEF UFRN BRASIL Sitio de relacionamento: Orkut UFRN na COPA

3 K1: relação entre número de chutes e chutes certos. Reflete o nível de acertos dos futebolistas. K2: relação da quantidade de chutes certos, executados na grande área com a quantidade geral destes chutes. K3: relação de quantidade de gols e a quantidade geral de chutes certos. Este índice depende da efetividade dos jogadores que chutam, e das ações do goleiro. Escautes dos jogos da Copa do Mundo de futebol masculino 2010

4 Estudo realizado na Copa do Mundo 1990 Equipes vencedores obtiveram média de 2 gols por jogo, realizaram, por partida, média de 16 chutes ao gol com um acerto de 50%; Equipes perdedoras realizaram uma media de 10 chutes ao gol, com um acerto de 30%, e uma media de 0,37 gols por jogo.

5 Jogos das oitavas de finais África 2010 Vencedores: dados médios das equipes são de 2,12 gols por partida, com média de 16 chutes ao gol e uma efetividade de 45%. Perdedores: dados médios das equipes são de 0,62 gols por partida, com média de 14 chutes ao gol e uma efetividade de 35%.

6 Jogos das quartas de finais Vencedores: dados médios das equipes são de 2 gols por partida, com média de 16 chutes ao gol e uma efetividade de 38%. Perdedores: dados médios das equipes são de 0,5 gols por partida, com média de 18,5 chutes ao gol e uma efetividade de 34%.

7 Vencedores: dados médios das equipes são de 2 gols por partida, com média de 12 chutes ao gol e uma efetividade de 50%. Perdedores: dados médios das equipes são de 1 gol por partida, com média de 8,5 chutes ao gol e uma efetividade de 47%. Jogos da semi-finais

8 Disputa 3º/4º Vencedor: 3 gols na partida, com 18 chutes ao gol e uma efetividade de 39%. Perdedor: 2 gols na partida, 16 chutes ao gol e uma efetividade de 44%. Final Vencedor: 1 gol na partida, com 18 chutes ao gol e uma efetividade de 33%. Perdedor: obteve 13 chutes ao gol e uma efetividade de 38%.

9 Jogos da fase eliminatória Vencedores: dados médios das equipes são de 2 gols por partida, com média de 16 chutes ao gol e uma efetividade de 42%. Perdedores: dados médios das equipes são de 0,68 gols por partida, com média de 15 chutes ao gol e uma efetividade de 36%.

10 Análise da relação entre o número de chutes e chutes certos (K1) e da relação quantidade de gols e a quantidade de chutes certos (K3) dos três campeões da Copa FIFA 2010 Variável analisada

11 ALEMANHA Gráfico 1. K1 - relação entre número de chutes e chutes certos. K1 100% 100% 44% 25% 75% 36% ALE x SER ALE x ARG ALE x ESP 1 2 Tempo Gráfico 2. K3 - relação quantidade de gols e a quantidade de chutes certos. K3 50% 25% ALE x SER ALE x ARG ALE x ESP 0% 0% 1 2 Tempo

12 HOLANDA Gráfico 3. K1 - relação entre número de chutes e chutes certos. K1 75% 78% 43% 38% 50% 40% HOL x DIN HOL x EVQ HOL x ESP 1 2 Tempo Gráfico 4. K3 - relação quantidade de gols e a quantidade de chutes certos. 33% K3 20% 14% HOL x DIN HOL x EVQ HOL x ESP 0% 0% 1 2 Tempo

13 Gráfico 5. K1 - relação entre número de chutes e chutes certos. ESPANHA K1 50% 50% 40% 38% 20% 40% 38% 25% ESP x SUI ESP x PAR ESP x ALE ESP x HOL 1 2 Tempo Gráfico 4. K3 - relação quantidade de gols e a quantidade de chutes certos. K3 ESP x SUI ESP x PAR ESP x ALE ESP x HOL 1 2 Tempo

14 Referências Bibliográficas BANGSBO J. Energy demands in competitive soccer. Journal of Sports Science 1994:12: BARROS T, GUERRA I. Ciência do futebol. Barueri, SP: Manole, CÂMARA HCR, ALCHIERI JC. Critérios de Avaliação Comportamental no Desempenho Esportivo de Atletas Profissionais de Futebol. In: III Congresso Brasileiro de Avaliação Psicológica e XII Conferência Internacional de Avaliação Psicológica: Formas e Contextos. João Pessoa, PB: FIFA. Fédération Internationale de Football Association. Disponível em: <http://pt.fifa.com/>. Acesso em: 31 jul GODIK, Mark Alexandrovich. Preparação para futebolistas de alto nível. Londrina, PR: Palestra Sport, GOMES, AC, SOUZA J. Futebol: Treinamento desportivo de alto nível. Porto Alegre, RS: Artmed, MANTOVANI M, FRISSELLI,A. Futebol / teoria e prática. São Paulo, SP: Phorte, SILVA MHAF., LIPAROTTI JR. Potência Anaeróbica Total de Futebolistas da Seleção Universitária do Rio Grande do Norte estimativa pelo Teste de 40 segundos. In: III Simpósio Internacional em Treinamento Desportivo, 2002, João Pessoa, PB. Anais. João Pessoa, PB: Idéia, p. 60

CHAVE C 1- Cícero 2- Marcos Vinícius 3- João Legal 4- João de Deus 5- Cristiano

CHAVE C 1- Cícero 2- Marcos Vinícius 3- João Legal 4- João de Deus 5- Cristiano CHAVE A - 2- Jairo 3- Paulo Roberto 4- Walter 5-6- Ronilson TORNEIO DE SINUCA SEVERINO BOTELHO DATAS 24,25,28,3 de MAIO e 0de JUNHO 204 ª FASE Jogam todos entre si na chave, classificando 02(Dois) jogadores

Leia mais

Arranca hoje o Mundial de Futebol 2010 na África do Sul

Arranca hoje o Mundial de Futebol 2010 na África do Sul Arranca hoje o Mundial de Futebol 2010 na África do Sul Enviado por AB 11-Jun-2010 Portal da Ilha do Fogo Arranca hoje na África do Sul, o mundial de 2010. O campeonato mundial de futebol a ser disputado

Leia mais

GRUPO N-1 GRUPO N-2 1- Cabeça de Chave 1- Cabeça de Chave. 2- Cabeça de Chave 2- Cabeça de Chave

GRUPO N-1 GRUPO N-2 1- Cabeça de Chave 1- Cabeça de Chave. 2- Cabeça de Chave 2- Cabeça de Chave 17ª COPA KAISER DE FUTEBOL AMADOR/2014 FORMAÇÃO DOS GRUPOS FASE A ZONA NORTE 32 times divididos em 8 grupos de 4. Classifica-se para a Fase B o campeão de cada grupo. GRUPO N-1 GRUPO N-2 GRUPO N-3 GRUPO

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina

Universidade Estadual de Londrina Universidade Estadual de Londrina CENTRO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE CURSO DE BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ANÁLISE DA POTÊNCIA ANAERÓBIA EM ATLETAS DE FUTEBOL DE DIFERENTES

Leia mais

Regulamento DA 2º COPA SINDGEL 2016 FUTEBOL DE 7

Regulamento DA 2º COPA SINDGEL 2016 FUTEBOL DE 7 Regulamento DA 2º COPA SINDGEL 2016 FUTEBOL DE 7.P - 1 01 - local da competição: Parque Esportivo Alpendre da Vila: Rua Armando Monteiro, 555 - Vila União. 02 - atletas: Funcionários nas Empresas da Categoria

Leia mais

Copas do Mundo: Leitura e Interpretação de Texto com Atividades

Copas do Mundo: Leitura e Interpretação de Texto com Atividades Copas do Mundo: Leitura e Interpretação de Texto com Atividades Copas do Mundo De quatro em quatro anos, seleções de futebol de diversos países do mundo se reúnem para disputar a Copa do Mundo de Futebol.

Leia mais

COPA DO BRASIL DE FUTEBOL FEMININO/ 2014 REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO. CAPÍTULO I Da Denominação e Participação

COPA DO BRASIL DE FUTEBOL FEMININO/ 2014 REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO. CAPÍTULO I Da Denominação e Participação COPA DO BRASIL DE FUTEBOL FEMININO/ 2014 CAPÍTULO I Da Denominação e Participação Art. 1º A Feminino 2014, doravante denominada Copa, é regida por dois regulamentos mutuamente complementares identificados

Leia mais

BOLETIM DE SORTEIO CINFAABB 2016 SORTEIO FENABB 06/05/ h, via internet.

BOLETIM DE SORTEIO CINFAABB 2016 SORTEIO FENABB 06/05/ h, via internet. BOLETIM DE SORTEIO CINFAABB 2016 SORTEIO FENABB 06/05/2016 11h, via internet. FUTEBOL MINICAMPO MASTER SÉRIE A FLORIANÓPOLIS RIO DE JANEIRO BRASÍLIA "A" LONDRINA SÃO PAULO GOIÂNIA PORTO ALEGRE (campeã

Leia mais

Serviço Social do Comércio - ARMG Gerência de Desenvolvimento Físico-Esportivo Informações gerais:

Serviço Social do Comércio - ARMG Gerência de Desenvolvimento Físico-Esportivo Informações gerais: A Coordenação Técnica Local, conforme competências designadas, informa: 1- Fica estabelecida a data limite para envio da ficha de inscrição de atletas para 23 de setembro de 2015. Após esta data, não será

Leia mais

i a do Rev stinh apresenta: 2006

i a do Rev stinh apresenta: 2006 apresenta: Revistinh a do 2006 Teste seus conhecimentos sobre a história da Copa do Mundo! 1 - Quando foi realizada a primeira Copa do Mundo? vermelho e amarelo? A) em 1928 A) Na Copa do Uruguai, em 1930

Leia mais

Autêntica joia tricolor, Kaká foi lapidado desde criança pelas categorias de base do clube para ser uma verdadeira potência entre os atletas.

Autêntica joia tricolor, Kaká foi lapidado desde criança pelas categorias de base do clube para ser uma verdadeira potência entre os atletas. Autêntica joia tricolor, Kaká foi lapidado desde criança pelas categorias de base do clube para ser uma verdadeira potência entre os atletas. Bom caráter, inteligente, forte, ágil, veloz. Poucas são as

Leia mais

II TORNEIO DE FUTEBOL DA OAB SUB. PARNAÍBA-PI

II TORNEIO DE FUTEBOL DA OAB SUB. PARNAÍBA-PI II TORNEIO DE FUTEBOL DA OAB SUB. PARNAÍBA-PI REGULAMENTO GERAL I. OBJETIVO Art. 1º - O 2º Torneio de Futebol Society da OAB Subseção de Parnaíba-PI, tem por finalidade a integração entre a comunidade

Leia mais

Confederação Brasileira de Futebol

Confederação Brasileira de Futebol Confederação Brasileira de Futebol Diretoria de Competições Regulamento Específico da Competição Copa de Seleções Estaduais Sub 20 2015 1 SUMÁRIO DEFINIÇÕES... 3 CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO E PARTICIPAÇÃO...

Leia mais

Formação dos Grupos e forma de disputa

Formação dos Grupos e forma de disputa Formação dos Grupos e forma de disputa Sorteio realizado no dia 01 de Novembro de 2010 na sede social da APMP. Categoria Força Livre 1. Amazonas 2. Acre 3. Amapá 4. Ceara 5. Espirito Santo 6. Goiás 7.

Leia mais

ALTINHO FUTEBOL CLUBE LTDA.

ALTINHO FUTEBOL CLUBE LTDA. COPA AGRESTE ALTINHO FC SUB 18 2016 REGULAMENTO ESPECÍFÍCO DA COMPETIÇÃO CAPÍTULO I Da Denominação e Participação Art. 1º - Copa Agreste Altinho FC Sub 18 2016, doravante denominada Copa, e regida por

Leia mais

REGULAMENTO DO CAMPEONATO ALAGOANO DE FUTEBOL FEMININO 2014

REGULAMENTO DO CAMPEONATO ALAGOANO DE FUTEBOL FEMININO 2014 REGULAMENTO DO CAMPEONATO ALAGOANO DE FUTEBOL FEMININO 2014 CAPÍTULO I DOS PARTICIPANTES Art. 1º - O CAMPEONATO ALAGOANO DE FUTEBOL FEMININO DE 2014, que será realizado de acordo com calendário definido

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO FUTEBOL DE CAMPO

REGULAMENTO TÉCNICO FUTEBOL DE CAMPO FUTEBOL DE CAMPO Art. 1º - O Campeonato de Futebol será regido pelas regras oficiais estabelecidas pela FIFA, em vigor, por este Regulamento e conforme o disposto no Regulamento Geral. Art. 2º - Modalidade

Leia mais

Copa do Mundo de Futebol: desempenho dos países sedes, 1930 a 2010

Copa do Mundo de Futebol: desempenho dos países sedes, 1930 a 2010 Copa do Mundo de Futebol: desempenho dos países sedes, 1930 a 2010 La Copa del Mundo de Fútbol: rendimiento de los países sedes, 1930 a 2010 Soccer World Cup: performance of the home countries, 1930 to

Leia mais

Tabela dos Jogos - FUTSAL - ATÉ 16 ANOS MASC. DE 14 ATÉ 16 ANOS - GOIANIA

Tabela dos Jogos - FUTSAL - ATÉ 16 ANOS MASC. DE 14 ATÉ 16 ANOS - GOIANIA GRUPO - 1 COLÉGIO EXECUTIVO B CULTURA FC SESC CIDADANIA 1 GRUPO - 2 APARECIDA SESI COLEGIO DEGRAUS COLÉGIO MARIA JOANA DE JESUS GRUPO - 3 COLÉGIO EXECUTIVO HIDROLANDIA SESI PLANALTO GRUPO - 4 COLEGIO ANIMA

Leia mais

14ª COPA CLEMENTE DE FARIA DE FUTEBOL SOCIETY REGULAMENTO

14ª COPA CLEMENTE DE FARIA DE FUTEBOL SOCIETY REGULAMENTO 1 OBJETIVO É a promoção de um campeonato de Futebol Society com os funcionários do Conglomerado Alfa, com o objetivo de fortalecer o relacionamento. Outros benefícios estarão sendo conseguido como melhoria

Leia mais

ANÁLISE DAS FINALIZAÇÕES E POSSE DE BOLA EM RELAÇÃO AO RESULTADO DO JOGO DE FUTEBOL

ANÁLISE DAS FINALIZAÇÕES E POSSE DE BOLA EM RELAÇÃO AO RESULTADO DO JOGO DE FUTEBOL ANÁLISE DAS FINALIZAÇÕES E POSSE DE BOLA EM RELAÇÃO AO RESULTADO DO JOGO DE FUTEBOL José Cícero Moraes / UFRGS Daniel Perin / UFRGS Marcelo Francisco da Silva Cardoso Cardoso / UFRGS Alberto de Oliveira

Leia mais

AMÉRICA PONTAGROSSENSE FUTEBOL CLUBE 14º CAMPEONATO DE FUTEBOL DE AREIA PARA SENIORS REGULAMENTO SISTEMA DE DISPUTA

AMÉRICA PONTAGROSSENSE FUTEBOL CLUBE 14º CAMPEONATO DE FUTEBOL DE AREIA PARA SENIORS REGULAMENTO SISTEMA DE DISPUTA AMÉRICA PONTAGROSSENSE FUTEBOL CLUBE 14º CAMPEONATO DE FUTEBOL DE AREIA PARA SENIORS REGULAMENTO SISTEMA DE DISPUTA Art. 1º - O Campeonato Seniors será disputado por 12 (doze) equipes, divididas em duas

Leia mais

FUTEBOL DE AREIA HISTÓRIA, REGRAS E PRINCIPAIS FUNDAMENTOS

FUTEBOL DE AREIA HISTÓRIA, REGRAS E PRINCIPAIS FUNDAMENTOS FUTEBOL DE AREIA HISTÓRIA, REGRAS E PRINCIPAIS FUNDAMENTOS História O Futebol de Areia começou a ser disputado em 1992, quando as regras do jogo foram criadas e um campeonato piloto foi organizado em Los

Leia mais

IX CIRCUITO BRASILEIRO DE HANDEBOL DE AREIA 2014/2015

IX CIRCUITO BRASILEIRO DE HANDEBOL DE AREIA 2014/2015 IX CIRCUITO BRASILEIRO DE HANDEBOL DE AREIA 2014/2015 REGULAMENTO ESPECÍFICO CAPÍTULO I - Das Finalidades Art. 1º Com a realização do CIRCUITO BRASILEIRO DE HANDEBOL DE AREIA, a Confederação Brasileira

Leia mais

TÊNIS DE CAMPO COMPETIÇÃO INFANTO-JUVENIL. Profa.Ms. Cláudia Perrella Teixeira

TÊNIS DE CAMPO COMPETIÇÃO INFANTO-JUVENIL. Profa.Ms. Cláudia Perrella Teixeira TÊNIS DE CAMPO COMPETIÇÃO INFANTO-JUVENIL Profa.Ms. Cláudia Perrella Teixeira jeu de paume - tênis de campo - séc. XI - passatempo da nobreza - idade média - competições estudantis séc. XIX - profissionalismo

Leia mais

Art. 1º A Copa do Brasil Sub 17, doravante Copa, é regida por dois regulamentos mutuamente complementares identificados a seguir:

Art. 1º A Copa do Brasil Sub 17, doravante Copa, é regida por dois regulamentos mutuamente complementares identificados a seguir: COPA DO BRASIL SUB 17 EDIÇÃO DE 2013 REC REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO CAPÍTULO I Da Denominação e Participação Art. 1º A Copa do Brasil Sub 17, doravante Copa, é regida por dois regulamentos mutuamente

Leia mais

REGULAMENTO FUTEBOL TAÇA PAULO ROBERTO TRIVELLI 2016 FASE ESTADUAL

REGULAMENTO FUTEBOL TAÇA PAULO ROBERTO TRIVELLI 2016 FASE ESTADUAL REGULAMENTO FUTEBOL TAÇA PAULO ROBERTO TRIVELLI 2016 FASE ESTADUAL REGULAMENTO FUTEBOL TAÇA PAULO ROBERTO TRIVELLI 2016 TITULO I DAS FINALIDADES Artigo 1º - O CAMPEONATO PAULISTA UNIVERSITÁRIO de FUTEBOL

Leia mais

2º Campeoanto SINTTEL de Futebol de 8

2º Campeoanto SINTTEL de Futebol de 8 2º Campeoanto SINTTEL de Futebol de 8 REGULAMENTO 02 de julho a 27 de agosto de 2016 1 CAPITULO I Disposições Prliminares Art. 1º - O 2º Campeonato SINTTEL de Futebol de 8 será promovido pelo Sinditcato

Leia mais

ATIVIDADES NA QUADRA QUARTA-FEIRA (20/07/2016)

ATIVIDADES NA QUADRA QUARTA-FEIRA (20/07/2016) CRONOGRAMA IV GINCANA IV SEMAC IFRJ campus DUQUE DE CAXIAS ATIVIDADES NA QUADRA TERÇA-FEIRA (19/07/2016) 10:00 apresentação de dança livre (1º grupo) Roxa 10:10 apresentação de dança livre (2º grupo) Vermelha

Leia mais

BOA TARDE!! Obrigado pelo convite e pela presença.

BOA TARDE!! Obrigado pelo convite e pela presença. BOA TARDE!! Obrigado pelo convite e pela presença. www.gustavolpsouza.com.br LEI GERAL DA COPA Aspectos Gerais e Pontos Polêmicos COPA DO MUNDO Evolução do Evento Uruguai 1930 Campeão: Uruguai Vice: Argentina

Leia mais

LIGA DE FUTEBOL DE NOVA ESPERANÇA

LIGA DE FUTEBOL DE NOVA ESPERANÇA LIGA DE FUTEBOL DE NOVA ESPERANÇA V CAMPEONATO VETERANO REGIONAL DE FUTEBOL 2015 DEPARTAMENTO DE FUTEBOL AMADOR V CAMPEONATO VETERANO REGIONAL DE FUTEBOL - 2.015 NORMAS ESPECIAIS CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO

Leia mais

Regulamento DA 1º COPA SINDGEL 2015 FUTEBOL DE 7

Regulamento DA 1º COPA SINDGEL 2015 FUTEBOL DE 7 Regulamento DA 1º COPA SINDGEL 2015 FUTEBOL DE 7.P - 1 01 - local da competição: Parque Esportivo Toque de Bola: Avenida Recreio, 1078 Lagoa Redonda. 02 - atletas: Funcionários nas Empresas da Categoria

Leia mais

V Encontro de Pesquisa em Educação Física EFEITOS DE UM PROGRAMA DE TREINAMENTO SOBRE OS COMPONENTES DE APTIDÃO FÍSICA EM ATLETAS DE FUTEBOL DE CAMPO

V Encontro de Pesquisa em Educação Física EFEITOS DE UM PROGRAMA DE TREINAMENTO SOBRE OS COMPONENTES DE APTIDÃO FÍSICA EM ATLETAS DE FUTEBOL DE CAMPO ESTUDOS E REFLEXÕES V 5 - Nº 9 PÁGS. 159 A 164 V Encontro de Pesquisa em Educação Física 2ª ª Parte ARTIGO ORIGINAL EFEITOS DE UM PROGRAMA DE TREINAMENTO SOBRE OS COMPONENTES DE APTIDÃO FÍSICA EM ATLETAS

Leia mais

SCOUT NO FUTEBOL: UMA ANÁLISE ESTATÍSTICA

SCOUT NO FUTEBOL: UMA ANÁLISE ESTATÍSTICA SCOUT NO FUTEBOL: UMA ANÁLISE ESTATÍSTICA Prof. Dr. Laércio Luiz Vendite Instituto de Matemática e Estatística/UNICAMP Prof. Dr.Antonio Carlos de Moraes Mestranda Carolina Coluccio Vendite Faculdade de

Leia mais

Inteligência Esportiva

Inteligência Esportiva Inteligência Esportiva Objetivo Geral Produzir, aglutinar, sistematizar, analisar e difundir informações sobre o esporte de alto rendimento no Brasil e no mundo. Objetivos Específicos: Definir variáveis

Leia mais

Confederação Brasileira de Futebol

Confederação Brasileira de Futebol Confederação Brasileira de Futebol Diretoria de Competições Regulamento Específico da Competição Copa do Brasil Sub-20 2017 1 SUMÁRIO DEFINIÇÕES... 3 CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO E PARTICIPAÇÃO... 4 CAPÍTULO

Leia mais

Matéria Especial para a RECORD Além do Peso

Matéria Especial para a RECORD Além do Peso RELATÓRIO FUTEBOL DE 5 Matéria Especial para a RECORD Além do Peso Link: http://entretenimento.r7.com/programa-da-tarde/videos/alem-do-peso-vendadosparticipantes-jogam-partida-de-futebol-com-deficientes-visuais-12052015

Leia mais

PROJEÇÃO ESPORTES 1º TORNEIO UNIVERSITÁRIO DE FUTSAL LENÍSIO TEIXEIRA / PROJEÇÃO REGULAMENTO I DOS VALORES

PROJEÇÃO ESPORTES 1º TORNEIO UNIVERSITÁRIO DE FUTSAL LENÍSIO TEIXEIRA / PROJEÇÃO REGULAMENTO I DOS VALORES PROJEÇÃO ESPORTES 1º TORNEIO UNIVERSITÁRIO DE FUTSAL LENÍSIO TEIXEIRA / PROJEÇÃO REGULAMENTO I DOS VALORES Artigo 1º - Valores e princípios que norteiam a 1º TORNEIO UNIVERSITÁRIO DE FUTSAL LENÍSIO TEIXEIRA

Leia mais

REGULAMENTO GERAL IV COPA N1 DE FUTSAL 2015 COPA : N1 CHAMPIONS LEAGUE 3.0

REGULAMENTO GERAL IV COPA N1 DE FUTSAL 2015 COPA : N1 CHAMPIONS LEAGUE 3.0 REGULAMENTO GERAL IV COPA N1 DE FUTSAL 2015 COPA : N1 CHAMPIONS LEAGUE 3.0 TÍTULO I - DAS FINALIDADES Art. 1º A IV copa N1 de futsal é uma competição interna com convidados que tem por objetivo incentivar,

Leia mais

Ministério de Juniores e Adolescentes. JUNAD nos JOGOS

Ministério de Juniores e Adolescentes. JUNAD nos JOGOS REGULAMENTO GERAL: Ministério de Juniores e Adolescentes O regulamento tem a função de orientar os participantes e a equipe que está executando as atividades do evento. Participantes de outras igrejas,

Leia mais

Emissão Original: 04/12/13

Emissão Original: 04/12/13 COPA VERDE/2014 REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO CAPÍTULO I Da Denominação e Participação Art. 1º A Copa Verde de 2014, doravante denominada Copa, é regida por dois regulamentos mutuamente complementares

Leia mais

8ª LIGA INTERNA DE FUTEBOL SOCIETY 2016

8ª LIGA INTERNA DE FUTEBOL SOCIETY 2016 8ª LIGA INTERNA DE FUTEBOL SOCIETY 2016 REGULAMENTO GERAL I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 01 - Este regulamento é o conjunto das disposições preliminares que regem a 8ª LIGA INTERNA DE FUTEBOL SOCIETY

Leia mais

REGULAMENTO OFICIAL COPA ARCO DE FUTEBOL SOCIETY ano 2016 (POR REGIÃO)

REGULAMENTO OFICIAL COPA ARCO DE FUTEBOL SOCIETY ano 2016 (POR REGIÃO) REGULAMENTO OFICIAL COPA ARCO DE FUTEBOL SOCIETY ano 2016 (POR REGIÃO) 01 DA FINALIDADE 1.1. A COPA ARCO DE FUTEBOL SOCIETY 2016 (por Região), tem como finalidade principal, promover a integração dos funcionários

Leia mais

Federação Paulista de Futebol

Federação Paulista de Futebol Federação Paulista de Futebol RUA FEDERAÇÃO PAULISTA DE FUTEBOL, 55 SÃO PAULO - SP Telefone 2189-7000 Fax 2189-7022 REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COPA JUVENTUS DE FUTEBOL FEMININO - CATEGORIA LIVRE - 2016

Leia mais

REGULAMENTO DA COPA ZICO 2013

REGULAMENTO DA COPA ZICO 2013 REGULAMENTO DA COPA ZICO 2013 I - DAS FINALIDADES, ORGANIZAÇÃO E OUTROS. Art.1º - A COPA ZICO - 2013, competição de futebol de campo, de forma amadora, com regras aqui estabelecidas e, nos casos omissos,

Leia mais

REGULAMENTO GERAL COPA KAGIVA DE FUTEBOL EDUCACIONAL - 2016

REGULAMENTO GERAL COPA KAGIVA DE FUTEBOL EDUCACIONAL - 2016 REGULAMENTO GERAL COPA KAGIVA DE FUTEBOL EDUCACIONAL - 2016 Associação Brasileira do Desporto Educacional ABRADE - 2016 SUMÁRIO REGULAMENTO GERAL... 2 TÍTULO I DOS OBJETIVOS... 2 TÍTULO II - DA ORGANIZAÇÃO

Leia mais

PROJETO FUTURO EM JOGO COPA MIRIM REGULAMENTO TÉCNICO CAPÍTULO I DA PARTICIPAÇÃO

PROJETO FUTURO EM JOGO COPA MIRIM REGULAMENTO TÉCNICO CAPÍTULO I DA PARTICIPAÇÃO Fone: (61) PROJETO FUTURO EM JOGO COPA MIRIM REGULAMENTO TÉCNICO CAPÍTULO I DA PARTICIPAÇÃO Art. 1º - As participações dos estudantes na competição obedecerão às seguintes faixas etárias e gêneros: a)

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE AS AÇÕES MOTORAS DE JOGADORES ATACANTES DA SEGUNDA DIVISÃO DO CAMPEONATO BRASILEIRO DE FUTEBOL DE CAMPO

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE AS AÇÕES MOTORAS DE JOGADORES ATACANTES DA SEGUNDA DIVISÃO DO CAMPEONATO BRASILEIRO DE FUTEBOL DE CAMPO Recebido em: 19/03/2011 Emitido parece em: 18/04/2011 Artigo inédito ESTUDO COMPARATIVO ENTRE AS AÇÕES MOTORAS DE JOGADORES ATACANTES DA SEGUNDA DIVISÃO DO CAMPEONATO BRASILEIRO DE FUTEBOL DE CAMPO Paulo

Leia mais

LIGA DE FITEBOL DE 7 SOCIETY DO RIO DE JANEIRO

LIGA DE FITEBOL DE 7 SOCIETY DO RIO DE JANEIRO LIGA DE FITEBOL DE 7 SOCIETY DO RIO DE JANEIRO Inter Ligas 1ª Divisão I - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES DO PERÍODO DE REALIZAÇÃO Art. 1º - O Campeonato de futebol de 7, competição de organização da Liga de

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO

REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO COPA DA PRIMEIRA LIGA 2017 2 CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO E ORGANIZAÇÃO Art. 1º A Copa da Primeira Liga 2017 é uma competição organizada pela Primeira Liga, doravante

Leia mais

Gala do Desporto 2012

Gala do Desporto 2012 Gala do Desporto 2012 Reunião de Câmara 05-Nov-2012 Índice 1. Introdução... 3 2. Destinatários... 3 3. Processo e prazo de candidatura... 3 4. Processo de seleção... 3 5. Critérios de seleção... 4 7. Exceções...

Leia mais

O ANO DE NASCIMENTO DETERMINA A ESCOLHA DO ESTATUTO POSICIONAL EM JOGADORES DE FUTEBOL NAS CATEGORIAS DE BASE?

O ANO DE NASCIMENTO DETERMINA A ESCOLHA DO ESTATUTO POSICIONAL EM JOGADORES DE FUTEBOL NAS CATEGORIAS DE BASE? 980 O ANO DE NASCIMENTO DETERMINA A ESCOLHA DO ESTATUTO POSICIONAL EM JOGADORES DE FUTEBOL NAS CATEGORIAS DE BASE? Felipe Ruy Dambroz - NUPEF/UFV João Vítor de Assis - NUPEF/UFV Israel Teoldo da Costa

Leia mais

COPA MARIO GRILLO 2014

COPA MARIO GRILLO 2014 COPA MARIO GRILLO 2014 Copa Mario Grillo 2014 REGULAMENTO ESPECÍFICO CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO E DA PARTICIPAÇÃO Art. 1º A Copa Mario Grillo 2014, é uma competição promovida pela Liga INDEPENDENTE DE NITERÓI

Leia mais

COPA DO BRASIL SUB 20 DE 2013 REC REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO

COPA DO BRASIL SUB 20 DE 2013 REC REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO COPA DO BRASIL SUB 20 DE 2013 REC REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO CAPÍTULO I Da Denominação e Participação Art. 1º A Copa do Brasil Sub 20, edição de 2013, doravante denominada simplesmente Copa,

Leia mais

Boletim 3 OLIENT 2016 : DESCLASSIFICAÇÃO DE EQUIPES:

Boletim 3 OLIENT 2016 : DESCLASSIFICAÇÃO DE EQUIPES: Boletim 3 OLIET 2016 : DESCLASSIFICAÇÃO DE EQUIPES: De acordo com o artigo 5 O das ormas Gerais do regulamento geral da competição, ficam desclassificadas as seguintes equipes da OLIET 2016: FUTSAL MASCULIO

Leia mais

CAMPEONATO MUNICIPAL DE FUTEBOL 2016 LUDI SPORTS

CAMPEONATO MUNICIPAL DE FUTEBOL 2016 LUDI SPORTS CAMPEONATO MUNICIPAL DE FUTEBOL 2016 LUDI SPORTS REGULAMENTO DO CAMPEONATO MUNICIPAL DE FUTEBOL. ARTIGO- 9º- FORMA DE DISPUTA Artigo- 1º- Somente poderão participar atletas registrado de acordo com o artigo

Leia mais

XIV COPA SMEL DE FUTSAL 2016

XIV COPA SMEL DE FUTSAL 2016 XIV COPA SMEL DE FUTSAL 2016 Regulamento Geral XIV COPA SMEL DE FUTSAL CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS Art. 1º - A XIV COPA SMEL DE FUTSAL tem por objetivo principal o congraçamento geral dos participantes

Leia mais

CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO E ORGANIZAÇÃO

CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO E ORGANIZAÇÃO REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO PRIMEIRA LIGA 2016 1 CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO E ORGANIZAÇÃO Art. 1º A Primeira Liga 2016 é uma competição organizada pela Primeira Liga, doravante denominada LIGA,

Leia mais

42 Revista Brasileira de Futsal e Futebol

42 Revista Brasileira de Futsal e Futebol 42 Revista Brasileira de Futsal e Futebol ANÁLISE DA INCIDÊNCIA DE GOLS NO CAMPEONATO PAULISTA 2009: SÉRIE A1, A2 e A3 Diego Ide Mascara 1,2, Leandro Calicchio 1, João Guilherme Cren Chimina 2, Antonio

Leia mais

Confederação Brasileira de Futebol

Confederação Brasileira de Futebol Confederação Brasileira de Futebol Diretoria de Competições Regulamento Específico da Competição Copa Verde 2016 1 SUMÁRIO DEFINIÇÕES... 3 CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO E PARTICIPAÇÃO... 4 CAPÍTULO II -

Leia mais

COPA DO BRASIL DE 2010 REC - REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO. CAPÍTULO I Da Denominação e Participação

COPA DO BRASIL DE 2010 REC - REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO. CAPÍTULO I Da Denominação e Participação COPA DO BRASIL DE 2010 REC - REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO CAPÍTULO I Da Denominação e Participação Art. 1º A Copa do Brasil, edição de 2010, doravante denominado Copa, será disputada pelos 64 clubes

Leia mais

Confederação Brasileira de Futebol

Confederação Brasileira de Futebol Confederação Brasileira de Futebol Diretoria de Competições Regulamento Específico da Competição Copa do Brasil Sub 20 2015 1 SUMÁRIO DEFINIÇÕES... 3 CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO E PARTICIPAÇÃO... 4 CAPÍTULO

Leia mais

PREFEITURA MUN. DE SÃO MIGUEL DO TAPUIO SECRETARIA MUN. DE ESPORTE, LAZER E TURISMO 1ª COPA NOVOS TALENTOS INFANTIL DE FUTEBOL SOCIETY 2010

PREFEITURA MUN. DE SÃO MIGUEL DO TAPUIO SECRETARIA MUN. DE ESPORTE, LAZER E TURISMO 1ª COPA NOVOS TALENTOS INFANTIL DE FUTEBOL SOCIETY 2010 1ª COPA NOVOS TALENTOS INFANTIL DE FUTEBOL SOCIETY 2010 REGULAMENTO GERAL 1.0 DA ORGANIZAÇÃO E PARCERIAS: Art.01 - A I COPA NOVOS TALENTOS INFANTIL DE FUTEBOL SOCIETY 2010 será uma promoção da Prefeitura

Leia mais

Interséries FEMA 2016

Interséries FEMA 2016 Interséries FEMA 2016 CAPITULO I - DA ORGANIZAÇÃO Art. 01 - Este regulamento é o conjunto das disposições que regem as disputas das interséries 2016, nas modalidades de voleibol e caçador misto, basquete,

Leia mais

REGULAMENTO DO CAMPEONATO ALAGOANO DE FUTEBOL AMADOR CATEGORIA SUB

REGULAMENTO DO CAMPEONATO ALAGOANO DE FUTEBOL AMADOR CATEGORIA SUB REGULAMENTO DO CAMPEONATO ALAGOANO DE FUTEBOL AMADOR CATEGORIA SUB 20 2016 I Das Associações Participantes Art. 1º O CAMPEONATO ALAGOANO DE FUTEBOL SUB20 2016 terá a participação de 22 (vinte e duas) Associações

Leia mais

Futebol Sete Masculino Livre

Futebol Sete Masculino Livre Futebol Sete Masculino Livre FASE LOCAL CANOINHAS 2016 FUTEBOL SETE MASCULINO LIVRE CHAVE A CHAVE B 1 CIA B 6 FRICASA A 2 BONETES 7 INVIOLÁVEL 3 MILI 8 GRUPO GSA B 4 PROENGEL 9 GRUPO GSA A 5 CIA A 10 FRICASA

Leia mais

X CIRCUITO BRASILEIRO DE HANDEBOL DE AREIA 2015/2016

X CIRCUITO BRASILEIRO DE HANDEBOL DE AREIA 2015/2016 X CIRCUITO BRASILEIRO DE HANDEBOL DE AREIA 2015/2016 REGULAMENTO ESPECÍFICO CAPÍTULO I - Das Finalidades Art. 1º Com a realização do CIRCUITO BRASILEIRO DE HANDEBOL DE AREIA, a Confederação Brasileira

Leia mais

Confederação Brasileira de Futebol

Confederação Brasileira de Futebol Confederação Brasileira de Futebol Diretoria de Competições Regulamento Específico da Competição Copa do Nordeste Sub-20 2016 1 SUMÁRIO DEFINIÇÕES... 3 CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO E PARTICIPAÇÃO... 4 CAPÍTULO

Leia mais

TABELA DA 2º COPA SINDGEL 2016 FUTEBOL DE 7

TABELA DA 2º COPA SINDGEL 2016 FUTEBOL DE 7 .P - 1 TABELA DA 2º COPA SINDGEL 2016 FUTEBOL DE 7 FASE DE GRUPOS: GRUPO A A1 - EVALDO AUTO PEÇAS A2 - TRUCKÃO / FAÇANHA A3 - AUTOFORT A4 - PADRE CICERO (Maracanaú - Filial 13) GRUPO B B1 - BEZERRA E OLIVEIRA

Leia mais

Confederação Brasileira de Futebol

Confederação Brasileira de Futebol Confederação Brasileira de Futebol Diretoria de Competições Regulamento Específico da Competição Copa do Nordeste Sub 20 2015 1 SUMÁRIO DEFINIÇÕES... 3 CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO E PARTICIPAÇÃO... 4 CAPÍTULO

Leia mais

PROGRAMA DE TREINAMENTO DE VOLEIBOL DESTINADO À COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA

PROGRAMA DE TREINAMENTO DE VOLEIBOL DESTINADO À COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA PROGRAMA DE TREINAMENTO DE VOLEIBOL DESTINADO À COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA Vitor Hugo Fernando de Oliveira, Flávio da Rosa Júnior, Fábio Santos Mello Acadêmicos do Curso de Educação Física da UFSC Juarez

Leia mais

FORTALECENDO SABERES EDUCAÇÃO FÍSICA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. AULA: 11.1 Conteúdo: A copa do Mundo de futebol

FORTALECENDO SABERES EDUCAÇÃO FÍSICA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. AULA: 11.1 Conteúdo: A copa do Mundo de futebol 2 EDUCAÇÃO CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA AULA: 11.1 Conteúdo: A copa do Mundo de futebol 2 EDUCAÇÃO CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA AULA: 11.1 Habilidades:

Leia mais

REGULAMENTO DO II CAMPEONATO ADEBOLEIROS FIFA WORLD CUP SOUTH AFRICA 2010 DA ASSOCIAÇÃO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA DO DISTRITO FEDERAL ADEPOL/DF

REGULAMENTO DO II CAMPEONATO ADEBOLEIROS FIFA WORLD CUP SOUTH AFRICA 2010 DA ASSOCIAÇÃO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA DO DISTRITO FEDERAL ADEPOL/DF REGULAMENTO DO II CAMPEONATO ADEBOLEIROS FIFA WORLD CUP SOUTH AFRICA 2010 DA ASSOCIAÇÃO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA DO DISTRITO FEDERAL ADEPOL/DF DA DENOMINAÇÃO E PARTICIPAÇÃO Art. 1 o O II Campeonato Adeboleiros

Leia mais

Nenhum atleta será coroado, se não tiver lutado segundo as Regras. 2Tm 2,5 REGULAMENTO

Nenhum atleta será coroado, se não tiver lutado segundo as Regras. 2Tm 2,5 REGULAMENTO REGULAMENTO Nenhum atleta será coroado, se não tiver lutado segundo as Regras. 2Tm 2,5 Art. 1º A Copa Shalom Ronaldo Pereira é uma competição realizada pela Comunidade Católica Shalom, que visa o entretenimento

Leia mais

O conceito do Árbitro é sempre considerado antes de cada partida. O trabalho realizado, todavia, é que consolida ou afeta tal conceito.

O conceito do Árbitro é sempre considerado antes de cada partida. O trabalho realizado, todavia, é que consolida ou afeta tal conceito. Arbitrar bem é sentir o jogo para possibilitar seu desenvolvimento natural, somente interferindo para cumprimento das regras e, especialmente, de seu espirito. O conceito do Árbitro é sempre considerado

Leia mais

Análise de indicadores quantitativos de vitórias e derrotas na Copa do Mundo FIFA 2010

Análise de indicadores quantitativos de vitórias e derrotas na Copa do Mundo FIFA 2010 Artigo de Revisão ISSN: 1983-7194 Análise de indicadores quantitativos de vitórias e derrotas na Copa do Mundo FIFA 2010 Quantitative analysis of the teams winners and losers in World Cup FIFA 2010 Tempone,

Leia mais

Confederação Brasileira de Futebol

Confederação Brasileira de Futebol Confederação Brasileira de Futebol Diretoria de Competições Regulamento Específico da Competição Copa do Nordeste 2016 1 SUMÁRIO DEFINIÇÕES... 3 CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO E PARTICIPAÇÃO... 4 CAPÍTULO

Leia mais

CAMPEONATO PAULISTA 2016 Futebol de 7 PC

CAMPEONATO PAULISTA 2016 Futebol de 7 PC CAMPEONATO PAULISTA 2016 Futebol de 7 PC REGULAMENTO GERAL I Objetivo Art.1º O Campeonato Paulista 2016 tem como objetivo fomentar o desporto em São Paulo e desenvolver o intercâmbio desportivo e social,

Leia mais

Inteligência Artificial Aplicada a Robôs Reais

Inteligência Artificial Aplicada a Robôs Reais Inteligência Artificial Aplicada a Robôs Reais Prof. Dr. Eduardo Simões Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação USP Cópias das Transparências: http://www.icmc.usp.br/~simoes/seminars/semi.html

Leia mais

Federação Paulista de Futebol

Federação Paulista de Futebol Federação Paulista de Futebol REGULAMENTO ESPECÍFICO DO CAMPEONATO PAULISTA DE FUTEBOL PROFISSIONAL - PRIMEIRA DIVISÃO - SÉRIE A2-2017 DENOMINAÇÃO E PARTICIPAÇÃO Art. 1º - O Campeonato Paulista de Futebol

Leia mais

FUTSAL Art. 1º - As partidas obedecerão as regras oficiais da C.B.F.S.. Art. 2º - O tempo de cada partida será de 08 (oito) minutos. Inciso I - quando

FUTSAL Art. 1º - As partidas obedecerão as regras oficiais da C.B.F.S.. Art. 2º - O tempo de cada partida será de 08 (oito) minutos. Inciso I - quando VOLEIBOL Art. 1º - As partidas obedecerão às regras oficiais da FIVB, com as seguintes alterações: Inciso I - Os jogos serão realizados em 01 (um) set de 16 (dezesseis) pontos. Inciso II - Em caso de empate

Leia mais

RENATO ANGELO SECCO ANÁLISE DA POTÊNCIA EM GOLEIROS DE FUTEBOL ATRAVÉS DO TREINAMENTO PLIOMÉTRICO

RENATO ANGELO SECCO ANÁLISE DA POTÊNCIA EM GOLEIROS DE FUTEBOL ATRAVÉS DO TREINAMENTO PLIOMÉTRICO RENATO ANGELO SECCO ANÁLISE DA POTÊNCIA EM GOLEIROS DE FUTEBOL ATRAVÉS DO TREINAMENTO PLIOMÉTRICO Artigo apresentado como Trabalho de Conclusão de Curso em Especialização em Ciência do Treinamento Desportivo

Leia mais

1. PROGRAMAÇÃO. 05/04 Chegada das delegações e credenciamento. 06/04 Abertura Oficial: 08h30 Concentração na recepção do hotel..

1. PROGRAMAÇÃO. 05/04 Chegada das delegações e credenciamento. 06/04 Abertura Oficial: 08h30 Concentração na recepção do hotel.. 1. PROGRAMAÇÃO 05/04 Chegada das delegações e credenciamento. 06/04 Abertura Oficial: 08h30 Concentração na recepção do hotel.. 09h00 - Chegada das delegações no Ginásio. 09h30 - Inicio da abertura. 11h00

Leia mais

JOGOS DO SESI FUTEBOL DE CAMPO versão 1-17/05/2017 NORMAS REGULADORAS

JOGOS DO SESI FUTEBOL DE CAMPO versão 1-17/05/2017 NORMAS REGULADORAS JOGOS DO SESI 2017 - FUTEBOL DE CAMPO versão 1-17/05/2017 1-SISTEMA DE DISPUTA DUPLA ELIMINATÓRIA. CLASSIFICAM-SE OS GANHADORES DE CADA CHAVE E O GANHADOR DA CHAVE DOS PERDEDORES. Segunda fase - eliminatória

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO GERAL DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO GERAL DISPOSIÇÕES PRELIMINARES ART. 1º A competição será para alunos devidamente matriculados na Instituição de Ensino - Univale. ART. 2º As pessoas físicas que participarem do evento consideradas

Leia mais

Projeto Especial: Copa das Confederações

Projeto Especial: Copa das Confederações Projeto Especial: Copa das Confederações Alemanha 2005 COBERTURA TOTAL DA TV CULTURA Rádio e TV Cultura Tel: 3874-3015 / Fax: 3611-2060 www.tvcultura.com.br/publicidade TV CULTURA Fundação Padre Anchieta

Leia mais

FICHA DE INSCRIÇÃO TORNEIO DE FUTEBOL 7 - MONTEIRO LOBATO 2016 NOME DA EQUIPE: REPRESENTANTE: CELULAR: 1. RG/MATRÍCULA 2.

FICHA DE INSCRIÇÃO TORNEIO DE FUTEBOL 7 - MONTEIRO LOBATO 2016 NOME DA EQUIPE: REPRESENTANTE: CELULAR:   1. RG/MATRÍCULA 2. FICHA DE INSCRIÇÃO TORNEIO DE FUTEBOL 7 - MONTEIRO LOBATO 2016 NOME DA EQUIPE: REPRESENTANTE: CELULAR: EMAIL: 1. RG/MATRÍCULA 2. RG/MATRÍCULA: 3. RG/MATRÍCULA: 4. RG/MATRÍCULA 5. RG/MATRÍCULA 6. RG/MATRÍCULA

Leia mais

REGULAMENTO CAMPEONATO GAÚCHO 2015

REGULAMENTO CAMPEONATO GAÚCHO 2015 REGULAMENTO CAMPEONATO GAÚCHO 2015 l DAS FINALIDADES Artigo 1.1 O Campeonato Gaúcho de Futebol Sete Categoria Principal Masculino, tem por finalidade congregar e ampliar o Futebol Sete, meio de lazer e

Leia mais

COPA DO BRASIL DE FUTEBOL FEMININO/ 2014 REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO. CAPÍTULO I Da Denominação e Participação

COPA DO BRASIL DE FUTEBOL FEMININO/ 2014 REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO. CAPÍTULO I Da Denominação e Participação COPA DO BRASIL DE FUTEBOL FEMININO/ 2014 CAPÍTULO I Da Denominação e Participação Art. 1º A Feminino 2014, doravante denominada Copa, é regida por dois regulamentos mutuamente complementares identificados

Leia mais

COPA DO BRASIL DE FUTEBOL FEMININO REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO/EDIÇÃO 2013

COPA DO BRASIL DE FUTEBOL FEMININO REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO/EDIÇÃO 2013 COPA DO BRASIL DE FUTEBOL FEMININO REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COMPETIÇÃO/EDIÇÃO 2013 CAPÍTULO I Da Denominação e Participação Art. 1 A Copa do Brasil de Futebol Feminino, Edição de 2013, doravante denominada

Leia mais

Confederação Brasileira de Futebol

Confederação Brasileira de Futebol Confederação Brasileira de Futebol Diretoria de Competições Regulamento Específico da Competição Copa do Nordeste 2015 1 SUMÁRIO DEFINIÇÕES... 3 CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO E PARTICIPAÇÃO... 4 CAPÍTULO

Leia mais

CAMPEONATO DOS BANCÁRIOS 2010 SINDICATOS DOS BANCÁRIOS DE PERNAMBUCO SECRETARIA DE CULTURA, ESPORTE E LAZER

CAMPEONATO DOS BANCÁRIOS 2010 SINDICATOS DOS BANCÁRIOS DE PERNAMBUCO SECRETARIA DE CULTURA, ESPORTE E LAZER CAMPEONATO DOS BANCÁRIOS 2010 SINDICATOS DOS BANCÁRIOS DE PERNAMBUCO SECRETARIA DE CULTURA, ESPORTE E LAZER As presentes normas e exceções foram deliberadas e votadas pela Comissão Organizadora, tendo

Leia mais

FEDERAÇÃO GOIANA DE FUTEBOL

FEDERAÇÃO GOIANA DE FUTEBOL TAÇA MANÉ GARRINCHA (SUB-17) 2015 N O R M A S E S P E C I A I S CAPÍTULO I Da Denominação e Participação Art. 1º - A Taça Mané Garrincha Sub-17 Edição 2015, será disputada pelas 18 (dezoito) associações

Leia mais

LIGA BRAGANTINA DE FUTEBOL

LIGA BRAGANTINA DE FUTEBOL REGULAMENTO ESPECÍFICO DO CAMPEONATO AMADOR PRIMEIRA DIVISÃO - SÉRIE B 2016 DA DENOMINAÇÃO E PARTICIPAÇÃO Art. 1º - O Campeonato Amador de Futebol da Primeira Divisão - Série B da Liga Bragantina de Futebol,

Leia mais

Planilha1 PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA SECRETARIA DE ESPORTES E LAZER COPA VITÓRIA DE FUTEBOL DE CAMPO DAS COMUNIDADES 1ª DIVISÃO MASCULINO 2013

Planilha1 PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA SECRETARIA DE ESPORTES E LAZER COPA VITÓRIA DE FUTEBOL DE CAMPO DAS COMUNIDADES 1ª DIVISÃO MASCULINO 2013 PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA SECRETARIA DE ESPORTES E LAZER COPA VITÓRIA DE FUTEBOL DE CAMPO DAS COMUNIDADES 1ª DIVISÃO MASCULINO 2013 TABELA DE JOGOS QUINTA FEIRA DIA 09/05/2013 CAMPO MUNICIPAL DA

Leia mais

1ª Copa Contabilizar na Rede de Futebol Society - 2012

1ª Copa Contabilizar na Rede de Futebol Society - 2012 1ª1ª Copopa Conontababililizar na Rede de Futetebobol Societyety - 2012012 1ª Copa Contabilizar na Rede de Futebol Society - 2012 Esta Copa tem como o principal objetivo a melhor integração e confraternização

Leia mais

TAÇA DOS BANCÁRIOS Regulamento. Capítulo I Este regulamento é o conjunto das disposições que regem as disputas da TAÇA DOS BANCÁRIOS 2012.

TAÇA DOS BANCÁRIOS Regulamento. Capítulo I Este regulamento é o conjunto das disposições que regem as disputas da TAÇA DOS BANCÁRIOS 2012. TAÇA DOS BANCÁRIOS 2012 Regulamento Capítulo I Este regulamento é o conjunto das disposições que regem as disputas da TAÇA DOS BANCÁRIOS 2012. Capítulo II a competição tem por objetivo o desenvolvimento

Leia mais

HISTÓRIA Das copas do mundo - FIFA

HISTÓRIA Das copas do mundo - FIFA Museu de Topografia Prof. Laureano Ibrahim Chaffe Departamento de Geodésia IG/UFRGS HISTÓRIA Das copas do mundo - FIFA Texto original: Wikipédia, a enciclopédia livre junho/2010 Ampliação e ilustração:

Leia mais

Confederação Brasileira de Futebol

Confederação Brasileira de Futebol Confederação Brasileira de Futebol Diretoria de Competições Regulamento Específico da Competição Campeonato Brasileiro Feminino A-1 2017 1 SUMÁRIO DEFINIÇÕES... 3 CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO E PARTICIPAÇÃO...

Leia mais

TABELA DA 1º COPA SINDGEL 2015 FUTEBOL DE 7

TABELA DA 1º COPA SINDGEL 2015 FUTEBOL DE 7 TABELA DA 1º COPA SINDGEL 2015 FUTEBOL DE 7 FASE DE GRUPOS:.P - 1 GRUPO A A1 - PADRE CICERO (Visconde - Filial 18) A2 - PADRE CICERO (Messejana - Filial 05) A3 - GERARDO BASTOS (Parangaba) A4 - FRIGELAR

Leia mais