CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL DE INVESTIMENTOS, GESTOR DOS RECURSOS E COMITÊ DE INVESTIMENTOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL DE INVESTIMENTOS, GESTOR DOS RECURSOS E COMITÊ DE INVESTIMENTOS"

Transcrição

1 PARECER DE INVESTIMENTO Nº. 088/2016 Cuiabá MT, 11 de maio de 2016 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL DE INVESTIMENTOS, GESTOR DOS RECURSOS E COMITÊ DE INVESTIMENTOS Prezados senhores diretores executivos; Enviamos um parecer, explicitando sobre a gestão financeira dos RPPS Regimes Próprios de Previdência Social em relação a certificação profissional de investimentos e sobre o Comitê de Investimentos. Segue o parecer. 1

2 1 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL DE INVESTIMENTOS A Portaria MPS 519 de agosto de 2011, passou a exigir que o responsável pela gestão dos recursos dos RPPS, seja aprovado em algum exame de Certificação Profissional de Investimentos, organizado por entidades autônomas no mercado brasileiro de capitais. Art. 2º A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios deverão comprovar junto à SPS que o responsável pela gestão dos recursos dos seus respectivos RPPS tenha sido aprovado em exame de certificação organizado por entidade autônoma de reconhecida capacidade técnica e difusão no mercado brasileiro de capitais, cujo conteúdo abrangerá, no mínimo, o contido no anexo a esta Portaria. (GRIFO NOSSO) As certificações têm elevando o nível dos profissionais que atuam diretamente na gestão dos recursos e na gestão dos RPPS, contribuindo de forma efetiva para o desenvolvimento do sistema previdenciário. Existem várias entidades Entidades/Associações que trabalham para capacitar profissionais do mercado financeiro, sendo as mais conhecidas delas a ANBIMA e a APIMEC. Além de reconhecer a Certificação Profissional ANBIMA CPA 10, o Ministério do Trabalho e Previdência Social MTPS, também reconhece como Certificação Profissional de Investimentos, a Certificação da APIMEC, chamada CGRPPS Certificação de Gestores de Regime Próprio de Previdência Social. 2

3 1.1 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA CPA 10 A ANBIMA possui 5 níveis de certificação, como o CPA 10, CPA 20, CEA, CGA e CFP (sendo este, em parceria com o IBCPF Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros). No caso dos RPPS, O CPA 10, atende aos requisitos exigidos pelo artigo 2º, da Portaria MPS 519/2011. AGENDAMENTO EXAME: Para realizar o exame de CPA 10, o participante deverá fazer sua inscrição diretamente no site da ANBIMA, pagar uma taxa de inscrição (atualmente no valor de R$ 276,00) e agendar seu exame em um dos Centros de Testes, disponíveis no site da ANBIMA. REALIZAÇÃO E APROVAÇÃO DO EXAME: O exame possui 50 questões de múltipla escolha com 4 alternativas, com 2 horas de duração. Para ser aprovado, o participante deverá acertar no mínimo, 70% das questões. VENCIMENTO DA CERTIFICAÇÃO: A certificação CPA 10 precisa ser atualizada no período de 3 anos para não vinculados a instituições participantes (no caso, os responsáveis pelos RPPS) e 5 anos para vinculados empregatícios a instituições participantes. O participante deverá atualizar sua certificação, antes da data de vencimento. 3

4 1.2 APIMEC PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO DE GESTORES DE REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL CGRPPS A APIMEC possui três níveis de certificação, sendo o CNPI, CIIA e, em parceria com a Associação Brasileira de Instituições de Previdência de Estados e Municípios ABIPEM, implantou o Programa de Certificação de Gestores de Regime Próprio de Previdência Social CGRPPS. O exame CGRPPS visa comprovar a qualificação técnica necessária dos profissionais que atuam nas instituições de previdência estadual e municipal. AGENDAMENTO EXAME: Para realizar o exame de CGRPPS, o participante deverá fazer sua inscrição diretamente no site da APIMEC e pagar uma taxa de inscrição (atualmente no valor de R$ 260,00) e agendar seu exame em um dos Centros de Testes, disponíveis no site da APIMEC. REALIZAÇÃO E APROVAÇÃO DO EXAME: O candidato realiza uma prova composta por 50 questões de múltipla escolha e terá 2 horas de duração. Para ser aprovado, o participante deverá acertar no mínimo, 50% das questões. VENCIMENTO DA CERTIFICAÇÃO: O CGRPPS possui validade de 4 anos. O exame de atualização do CGRPPS, deverá ser realizado um ano antes do seu vencimento. Anualmente, o profissional certificado, deverá renovar sua certificação, atualizando os dados cadastrais e recolhendo a taxa anual de manutenção (atualmente em R$ 260,00). 4

5 2 RESPONSÁVEL COM CERTIFICAÇÃO PELA GESTÃO DOS RECURSOS RPPS O 4º, artigo 2º da Portaria MPS 519 de agosto de 2011, menciona sobre o responsável pela gestão dos recursos dos RPPS, aprovado em algum exame de Certificação Profissional de Investimento. A lei não especifica diretamente, que o gestor do RPPS, tenha que possuir uma Certificação Profissional de Investimentos. Ela exige que o responsável pela gestão dos recursos (gestor dos recursos), tenha a certificação. Caso a figura de gestor de recursos seja acumulada pelo gestor (Diretor ou Presidente) do RPPS, aí sim, torna se obrigatória para o responsável pelo RPPS. A lei permite que o RPPS possua um gestor específico para administrar os recursos, desde que, possua a certificação profissional de investimentos. Geralmente, os RPPS que possuem um gestor de recursos são chamados de gestor de investimentos. Art. 2º, 4º O responsável pela gestão dos recursos do RPPS deverá ser pessoa física vinculada ao ente federativo ou à unidade gestora do regime como servidor titular de cargo efetivo ou de livre nomeação e exoneração, e apresentar se formalmente designado para a função por ato da autoridade competente. (GRIFO NOSSO) 5

6 NOSSO COMENTÁRIO: Por questões financeiras, a maioria dos gestores de RPPS realizam a função de gestor dos recursos, portanto, o próprio gestor do RPPS, acaba sendo obrigado a possuir a certificação Profissional de Investimento, por acumular a função do gestor dos recursos. Da forma como foi escrita, a Portaria MPS 519/2011 acaba exigindo um conhecimento maior (através de certificações) para o responsável do RPPS que não tem dinheiro para administração (Taxa administrativa), do que aquele que possui sobra de custeio e pode contratar um gestor de recursos com certificação. Pela lógica, deveria ser ao contrário, já que, quanto mais segurados e maior o patrimônio líquido do RPPS, maior é a responsabilidade desse gestor da Instituição e maior deveria ser a exigência de qualificação e certificação desse gestor. No intuito de elevar o conhecimento e desenvolvimento do RPPS, alguns municípios estão aprovando Leis próprias, exigindo que, além do gestor dos recursos (caso exista), o gestor do RPPS também tenha a certificação profissional de investimento. Existem municípios por exemplo, cujo cargo de gestor do RPPS é eletivo, exige se a comprovação da certificação do candidato, no ato de sua inscrição. E concluindo, a Portaria exige que o responsável pela gestão dos recursos, tenha certificação. Caso o RPPS possua um gestor de recursos, exime se a responsabilidade do gestor do RPPS, sobre os recursos? Nossa opinião é que deveria ser cobrado a certificação Profissional de Investimentos de ambos os gestores, pois, tanto o gestor do RPPS, quanto o gestor de recursos, são responsáveis pela administração desses recursos, que são públicos. 6

7 3 COMITÊ DE INVESTIMENTOS A Portaria MPS 519/2011, alterada pela Portaria MPS 440/2013, passou a exigir que o RPPS mantenha um Comitê de Investimento, participante da tomada de decisão, no planejamento e execução da Política de Investimento. Art. 3º A A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios deverão comprovar à SPPS que seus RPPS mantêm Comitê de Investimentos, participante do processo decisório quanto à formulação e execução da política de investimentos. (Nova redação dada pela Portaria MPS nº 440, de 09/10/2013). (GRIFO NOSSO) O Artigo 3º A, 1º, da Portaria MPS 519/2011, alterada pela Portaria MPS 440/2013, define sobre a estrutura e a composição do Comitê de Investimento, que deverá ser reconhecido por ato normativo pelo Ente Federativo. Art. 3º A, 1º A estrutura, composição e funcionamento do Comitê de Investimentos previsto no caput, será estabelecida em ato normativo pelo ente federativo, devendo atender, no mínimo, aos seguintes requisitos: (Nova redação dada pela Portaria MPS nº 440, de 09/10/2013). (GRIFO NOSSO) Dentre os requisitos para a composição do Comitê de Investimentos, a alínea a e e, do Artigo 3º A, 1º, define: 7

8 a) Os membros devem manter vínculo com o ente federativo ou com o RPPS, na qualidade de servidor titular de cargo efetivo ou de livre nomeação e exoneração; e e) Exige a certificação de que trata o art. 2º da Portaria MPS 519/2011 (CPA 10 ou CGRPPS), para a maioria dos seus membros, até 31 de julho de Sobre o número mínimo de membros, a Portaria não menciona a quantidade exigida. Após uma consulta junto à Coordenação de Investimentos do MPS em 2013, a resposta enviada pelo órgão supervisor é de que...não existe um número mínimo aconselhável, a estrutura, composição e funcionamento do Comitê de Investimentos devem ser definidos pelo ente federativo levando em consideração o tamanho do RPPS (quantidade de servidores ativos e inativos) e volume de recursos acumulados.... Como a Coordenação fugiu de qualquer comprometimento, aconselhamos que o Comitê de Investimentos possua no mínimo 5 pessoas. O Artigo 3º A, 2º, da Portaria MPS 519/2011, alterada pela Portaria MPS 440/2013, concomitantemente com o Artigo 6º, faculta (não obriga) o RPPS, a criar o seu Comitê de Investimento, desde que seu patrimônio líquido, seja abaixo de R$ ,00 (5 milhões de reais). Inclusive, a certificação Profissional de Investimentos só será exigida, aos RPPS que atingirem os valores citados neste parágrafo. 8

9 Art. 3º A, 2º A implantação do Comitê de Investimentos previsto no caput será exigida após decorridos 180 (cento e oitenta dias) da publicação desta portaria, sendo facultativa para os RPPS cujos recursos não atingirem o limite definido no art. 6º, enquanto mantida essa condição. (Incluído pela Portaria MPS nº 170/2012) Art. 6º A certificação de que trata o art. 2o deverá ser comprovada pelos entes federativos cujos recursos dos RPPS, sujeitos aos limites da Resolução do CMN, sejam iguais ou superiores a R$ ,00 (cinco milhões de reais). (GRIFO NOSSO) Qualquer dúvida quanto a Certificação Profissional e o Comitê de Investimento estamos à disposição. Atenciosamente. 9

10 PERGUNTAS SOBRE OS CERTIFICADOS DE INVESTIMENTOS 1. QUAIS SÃO AS CERTIFICAÇÕES ACEITAS PELO MTPS, COMO CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL DE INVESTIMENTO? O MTPS aceita as certificações oferecidas pela ANBIMA CPA 10 e a Certificação da APIMEC, CGRPPS Certificação de Gestores de Regime Próprio de Previdência Social. 2. QUAL O OBJETIVO DA CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA 10? O CPA 10 se destina a certificar Profissionais das Instituições Participantes que atuam na prospecção ou venda de produtos de investimento diretamente junto ao público investidor, inclusive em agências bancárias ou Plataformas de Atendimento. 3. QUEM PODE SE INSCREVER PARA O EXAME DA ANBIMA CPA 10? Qualquer pessoa física, sem requisito mínimo quanto à formação acadêmica. 4. QUAL O OBJETIVO DO CERTIFICADO CGRPPS? O CGRPPS se destina a certificar todos os gestores que atuam ou desejam atuar na gestão de instituto de previdência estadual ou municipal. A importância da certificação decorre do papel que os gestores têm nos processos decisórios dos Institutos de Previdência de Estados e Municípios. 10

11 5. QUAL A DIFERENÇA DO CERTIFICADO ANBIMA CPA 10 E O CERTIFICADO CGRPPS? O certificado da ANBIMA CPA 10 abrange o mercado financeiro e de capitais do setor financeiro já o certificado CGRPPS abrange os mesmos assuntos do CPA 10 e inclui como tema, Política de Investimento e Gestão do Passivo Previdenciário. 6. COMPARAÇÃO ENTRE AS CERTIFICAÇÕES: EXAME CPA 10 CPA 10 (Atualização) APIMEC QUANTIDADE DE QUESTÕES OPÇÕES DE RESPOSTA APROVAÇÃO 70% de acertos 70% de acertos 50% de acertos VALOR R$ 276,00 R$ 276,00 R$ 260,00 DURAÇÃO DO EXAME 2 HORAS 2 HORAS 2 HORAS VALIDADE 3 ANOS* 3 ANOS* 4 ANOS ANUIDADE Não possui Não possui Cobra um valor anual de 260,00 *Para profissionais que não possuem vínculo com Instituição Financeira. Os que possuem, a validade do CPA 10 é de 5 anos. 11

12 7. QUEM É O RESPONSÁVEL PELO RPPS, QUE NECESSITA POSSUIR CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL DE INVESTIMENTO? O responsável pelo RPPS que deverá possuir a certificação profissional de investimentos é o gestor dos recursos. 8. O GESTOR DO RPPS NECESSITA POSSUIR CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL DE INVESTIMENTO? Não é obrigatório. Somente no caso de o gestor do RPPS acumular a função de gestor de recursos, este, será obrigado a possuir a certificação. 9. QUEM PODE SER GESTOR DOS RECURSOS DE UM RPPS? Pode ser gestor dos recursos o profissional vinculado ao ente federativo ou à unidade gestora ou de livre nomeação e que possua a certificação profissional de investimentos. 10. QUAL RPPS É OBRIGADO A CRIAR O COMITÊ DE INVESTIMENTOS? Todos aqueles que possuem no mínimo R$ ,00 (cinco milhões de reais), devem ter o Comitê de Investimento. Abaixo disso, a criação é facultativa. 11. QUEM PODE SER MEMBRO DO COMITÊ DE INVESTIMENTO? As pessoas que possuírem vínculo com o ente federativo ou com o RPPS ou de livre nomeação. 12

13 12. QUAL O NUMERO DE MEMBROS EXIGIDOS PARA COMPOR O COMITÊ DE INVESTIMENTOS? A Portaria não menciona a quantidade exigida. A estrutura, composição e funcionamento do Comitê de Investimentos devem ser definidos pelo ente federativo levando em consideração o tamanho do RPPS. 13. EXISTE A OBRIGATORIEDADE DE CERTIFICAR O COMITÊ DE INVESTIMENTOS, COM CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL DE INVESTIMENTO? O Artigo 3º A, 1º da Portaria MPS 519/2011 menciona a obrigação da maioria dos membros do comitê de investimentos a possuírem o certificado profissional de investimentos. 13

1. INTRODUÇÃO ÁREA RESPONSÁVEL BASE LEGAL ABRANGÊNCIA DEFINIÇÃO DE FIE TIPOS DE FIE...

1. INTRODUÇÃO ÁREA RESPONSÁVEL BASE LEGAL ABRANGÊNCIA DEFINIÇÃO DE FIE TIPOS DE FIE... REQUISITOS RELATIVOS AOS REGULAMENTOS DOS FUNDOS ESPECIALMENTENTE CONSTITUÍDOS - FIEs Orientações da SUSEP ao Mercado Outubro/2016 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 1 1.1. ÁREA RESPONSÁVEL... 1 1.2. BASE LEGAL...

Leia mais

PARCELAMENTO DE DÉBITOS PREVIDENCIÁRIOS

PARCELAMENTO DE DÉBITOS PREVIDENCIÁRIOS MTPS - Ministério do Trabalho e Previdência Social SPPS - Secretaria de Políticas de Previdência Social DRPSP - Departamento dos Regimes de Previdência no Serviço Público PARCELAMENTO DE DÉBITOS PREVIDENCIÁRIOS

Leia mais

EDITAL nº 002/2016-PPGCJ

EDITAL nº 002/2016-PPGCJ Programa Nacional do Pós-Doutorado CAPES (Portaria Capes nº 86/2013) EDITAL nº 002/2016-PPGCJ Seleção de Projetos de Pesquisa de Pós-doutorado O Coordenador do Programa de Pós-graduação em Ciências Jurídicas

Leia mais

RESOLUÇÃO IBA N 02/2008 RESOLVE

RESOLUÇÃO IBA N 02/2008 RESOLVE INSTITUTO BRASILEIRO DE ATUÁRIA RESOLUÇÃO IBA N 02/2008 Dispõe sobre a Certificação do Atuário Responsável Técnico e do Atuário Independente O Instituto Brasileiro de Atuária - IBA, por decisão de sua

Leia mais

Os desafios de capacitação dos profissionais certificados Workshop de Certificação

Os desafios de capacitação dos profissionais certificados Workshop de Certificação Os desafios de capacitação dos profissionais certificados Workshop de Certificação 01.10.2015 A promoção da Educação Financeira é um das prioridades da ANBIMA Fortalecer o mercado de capitais no Brasil

Leia mais

NICOLAU RODRIGUES DA SILVEIRA Advogado OAB/RS nº Mantenedora das Faculdades Integradas de Taquara FACCAT

NICOLAU RODRIGUES DA SILVEIRA Advogado OAB/RS nº Mantenedora das Faculdades Integradas de Taquara FACCAT VIII SEMINÁRIO SUL BRASILEIRO DE PREVIDÊNCIA PÚBLICA CONSELHO FISCAL DO RPPS OBRIGAÇÕES E RESPONSABILIDADE S NICOLAU RODRIGUES DA SILVEIRA Advogado OAB/RS nº 29383 Presidente do Conselho Deliberativo da

Leia mais

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO ANO LETIVO DE 2017

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO ANO LETIVO DE 2017 A Escola de Sociologia e Política de São Paulo e a Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação, mantidas pela FESPSP (Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo), tornam público que

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SCV Nº. 003/2015. UNIDADE RESPONSÁVEL: Gerência de Projetos, Planejamento e Orçamento CAPÍTULO I DA FINALIDADE CAPÍTULO II

INSTRUÇÃO NORMATIVA SCV Nº. 003/2015. UNIDADE RESPONSÁVEL: Gerência de Projetos, Planejamento e Orçamento CAPÍTULO I DA FINALIDADE CAPÍTULO II INSTRUÇÃO NORMATIVA SCV Nº. 003/2015 DISPÕE SOBRE CONTROLE E ACOMPANHAMENTO DOS CONSÓRCIOS. VERSÃO: 01 DATA: 03 de março de 2015. ATO APROVAÇÃO: Decreto 2.370/2015 UNIDADE RESPONSÁVEL: Gerência de Projetos,

Leia mais

PARECER. Trata-se de consulta formulada acerca da obrigatoriedade ou não dos Regimes Próprios de Previdência de contribuírem com o PASEP.

PARECER. Trata-se de consulta formulada acerca da obrigatoriedade ou não dos Regimes Próprios de Previdência de contribuírem com o PASEP. PARECER EMENTA: Contribuição PASEP. Regimes Próprios de Previdência. Trata-se de consulta formulada acerca da obrigatoriedade ou não dos Regimes Próprios de Previdência de contribuírem com o PASEP. As

Leia mais

GESTÃO RESPONSÁVEL EM FINAL DE MANDATO, COM FOCO NA LRF E NA LEI ELEITORAL

GESTÃO RESPONSÁVEL EM FINAL DE MANDATO, COM FOCO NA LRF E NA LEI ELEITORAL GESTÃO RESPONSÁVEL EM FINAL DE MANDATO, COM FOCO NA LRF E NA LEI ELEITORAL Resolução 002/2016/TCM/PA Analista de Controle Externo CLEBER MESQUITA VEDAÇÕES E PRAZOS EM ÚLTIMO ANO DE MANDATO Analista de

Leia mais

Prefeitura de RIO POMBA ESTADO DE MINAS GERAIS

Prefeitura de RIO POMBA ESTADO DE MINAS GERAIS PORTARIA Nº 024/2013, de 04 de março de 2013. Dispõe sobre o recadastramento obrigatório do Servidor Público Municipal, ativo e inativo, e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Rio Pomba, no

Leia mais

Das atividades, atribuições e carga horária

Das atividades, atribuições e carga horária Edital de abertura de inscrições para o processo de qualificação de candidatos à função de Coordenador de Área Responsável pelo Núcleo de Gestão Pedagógica e Acadêmica das Escolas Técnicas do Centro Estadual

Leia mais

DE APLICAÇÃO E RESGATE - APR

DE APLICAÇÃO E RESGATE - APR ART. 3º - B DA PORTARIA MPS N 519/2011, INCLUÍDO PELO ART. 2º DA PORTARIA MPS N 170, DE 25/04/2012, DOU DE 26/04/2012. Unidade Gestora do RPPS: INSTITUTO DE PREVIDENCIA DE ITABIRA - ITABIRAPREV VALOR (R$):

Leia mais

VALORA GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA

VALORA GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA POLÍTICA DE CERTIFICAÇÃO VALORA GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA Elaborado pelo Oficial de Compliance: Misak Pessoa Neto Data: 10/02/2016 Versão: 1.0 SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. ÁREAS RESPONSÁVEIS... 3 3.

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ROBERTO MANGE

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ROBERTO MANGE FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI ROBERTO MANGE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO DO OBJETIVO Art. 1.º Os cursos de pós-graduação lato sensu do SENAI de São Paulo, obedecem o que dispõe a Resolução CNE/CES

Leia mais

REGULAMENTO DE CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS

REGULAMENTO DE CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS REGULAMENTO DE CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS O Conselho Deliberativo do Instituto de Previdência do Município de Jundiaí/SP (IPREJUN), no uso de suas atribuições estabelecidas na Lei nº 5.894/02

Leia mais

Edital. Processo Seletivo FACULDADE CEPEP

Edital. Processo Seletivo FACULDADE CEPEP Edital Processo Seletivo 2017.1 FACULDADE CEPEP Janeiro/2017 1. ABERTURA EDITAL PROCESSO SELETIVO 2017.1 EDITAL N 01/2017 O Diretor Acadêmico da Faculdade CEPEP, no uso de suas atribuições e com base no

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 1º SEMESTRE/2017

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 1º SEMESTRE/2017 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 1º SEMESTRE/2017 ABERTURA A IBE-FGV, em parceria com o programa de Pós Graduação GVlaw pós graduação lato sensu FGV DIREITO SP (GVlaw) torna

Leia mais

Parágrafo 1º Para a apuração do limite estabelecido no caput define-se como:

Parágrafo 1º Para a apuração do limite estabelecido no caput define-se como: CIRCULAR Nº 2894 Documento normativo revogado pela Circular 3.367, de 12/09/2007. Estabelece procedimentos para o cálculo do limite de exposição em ouro e em ativos e passivos referenciados em variação

Leia mais

POLÍTICA DE FISCALIZAÇÃO DE PRESTADORES DE SERVIÇOS

POLÍTICA DE FISCALIZAÇÃO DE PRESTADORES DE SERVIÇOS POLÍTICA DE FISCALIZAÇÃO DE PRESTADORES DE SERVIÇOS Versão 2016.1 Editada em abril de 2016 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 2. DA POLÍTICA... 2 2.1. Dos prestadores de serviços... 2 2.2. Atribuições e responsabilidades...

Leia mais

REGISTO DE ENTIDADES NA ANPC (Portaria n.º 773/2009, de 21 de julho e Despacho n.º 10738/2011 de 30 de agosto) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES

REGISTO DE ENTIDADES NA ANPC (Portaria n.º 773/2009, de 21 de julho e Despacho n.º 10738/2011 de 30 de agosto) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES REGISTO DE ENTIDADES NA ANPC (Portaria n.º 773/2009, de 21 de julho e Despacho n.º 10738/2011 de 30 de agosto) PERGUNTAS MAIS FREQUENTES 1. Que entidades devem efetuar o registo na ANPC (Autoridade Nacional

Leia mais

Resolução nº 581, de 29 de agosto de 2013

Resolução nº 581, de 29 de agosto de 2013 Resolução nº 581, de 29 de agosto de 2013 Ementa: Institui o título de especialista profissional farmacêutico, sem caráter acadêmico, dispondo sobre os procedimentos e critérios necessários para a sua

Leia mais

COMISSÃO DE BOLSAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FEUSP.

COMISSÃO DE BOLSAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FEUSP. COMISSÃO DE BOLSAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FEUSP. EDITAL 01 Bolsas de Mestrado e Doutorado (CNPq/CAPES) 2015/2016. BOLSAS NOVAS E RENOVAÇÕES 1. INSCRIÇÕES PARA BOLSAS NOVAS E SOLICITAÇÕES

Leia mais

PORTARIA Nº 092, DE 31 DE MARÇO DE 2016.

PORTARIA Nº 092, DE 31 DE MARÇO DE 2016. PORTARIA Nº 092, DE 31 DE MARÇO DE 2016. Dispõe sobre a obrigatoriedade de recadastramento anual de aposentados e pensionistas que integram a folha de pagamento de pessoal do Instituto de Previdência Social

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO REITORIA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO REITORIA RESOLUÇÃO UNESP N º 59, de 10 de julho de 2014. Regulamenta os Cursos de Extensão Universitária ministrados na UNESP. A Vice-Reitora no exercício da Reitoria da Universidade Estadual Paulista "Júlio de

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX PREVIDÊNCIA SOCIAL

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX PREVIDÊNCIA SOCIAL TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX PREVIDÊNCIA SOCIAL Orientador Empresarial Servidores do Estado de Minas Gerais - RGPS-Regime Geral de Previdência Social - Critérios para Enquadramento

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA CELEBRAÇÃO DE ACORDO DE COOPERAÇÃO E TERMOS DE COMPROMISSO PARA ESTÁGIO DOS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UNEMAT

ORIENTAÇÕES PARA CELEBRAÇÃO DE ACORDO DE COOPERAÇÃO E TERMOS DE COMPROMISSO PARA ESTÁGIO DOS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UNEMAT ORIENTAÇÕES PARA CELEBRAÇÃO DE ACORDO DE COOPERAÇÃO E TERMOS DE COMPROMISSO PARA ESTÁGIO DOS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UNEMAT ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE BACHARELADO DOCUMENTOS

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2014 Dispõe sobre os procedimentos de emissão e homologação da Certidão de Tempo de Contribuição CTC. O DIRETOR-PRESIDENTE DO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS

Leia mais

Resolução UNESP nº 65 de 23/04/2012

Resolução UNESP nº 65 de 23/04/2012 Resolução UNESP nº 65 de 23/04/2012 Aprova o Regulamento do Programa de Pós-graduação em Ciências Odontológicas- Áreas de Odontopediatria, Ortodontia e Dentística Restauradora, Cursos de Mestrado Acadêmico

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR SANTA CRUZ CNPJ nº /

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR SANTA CRUZ CNPJ nº / CENTRO DE ENSINO SUPERIOR SANTA CRUZ CNPJ nº 05.744.399/0001-39 INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO - ISED Autorizado pela Portaria MEC nº 3.002, DOU. de 27/09/2004 Reconhecida pela Portaria MEC nº DOU.295

Leia mais

aprovação do pleno, ocorrida na sessão ordinária de 7 de outubro de 2014;

aprovação do pleno, ocorrida na sessão ordinária de 7 de outubro de 2014; 1 RESOLUÇÃO CONSU Nº. 13/2014, DE 10 DE OUTUBRO DE 2014. Regulamenta o processo de revalidação de diploma de cursos de graduação em Medicina obtido em instituição estrangeira de ensino superior. A Presidente

Leia mais

Resolução nº 004/2015

Resolução nº 004/2015 Resolução nº 004/2015 Dispõe sobre estágio de prática docente para os alunos do Mestrado em Direito e Instituições do Sistema de Justiça. Art. 1º O Estágio de Prática Docente (EPD) tem por objetivo aperfeiçoar

Leia mais

T e s t e Acadêmico de Proficiência em Idiomas

T e s t e Acadêmico de Proficiência em Idiomas T e s t e Acadêmico de Proficiência em Idiomas 1. TAPI é um teste modular; elaborado para certificar proficiência em Inglês, Espanhol, Francês e Português. 2. O TAPI é composto por 4 módulos: gramática,

Leia mais

Referência: Notificação de Mudanças na Metodologia de Qualificação e Certificação do PNQC, da ABRAMAN.

Referência: Notificação de Mudanças na Metodologia de Qualificação e Certificação do PNQC, da ABRAMAN. Retificação do Ofício Q&C 01-2014. 1/1 Rio de Janeiro, 30 de dezembro de 2014. Aos Membros de Comissão Técnica Setorial da ABRAMAN; Profissionais Certificados, Candidatos, Solicitantes e demais partes

Leia mais

PORTARIA Nº 021/2016, de 22 de novembro de 2016

PORTARIA Nº 021/2016, de 22 de novembro de 2016 PORTARIA Nº 021/2016, de 22 de novembro de 2016 Dispõe sobre os procedimentos e rotinas referentes ao recadastramento dos aposentados e pensionistas da CAPPS. O Presidente da Caixa de Assistência, Previdência

Leia mais

EDITAL N. 11 /2013. Este edital entrará em vigor a partir desta data, revogando os dispositivos anteriores. Curitiba, 15 de abril de 2013

EDITAL N. 11 /2013. Este edital entrará em vigor a partir desta data, revogando os dispositivos anteriores. Curitiba, 15 de abril de 2013 GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ Reconhecida pelo Decreto Governamental n.º 70.906 de 01/08/72 e Portaria n.º 1.062

Leia mais

POLÍTICA DE RISCO DE LIQUIDEZ

POLÍTICA DE RISCO DE LIQUIDEZ POLÍTICA DE RISCO DE LIQUIDEZ Gerência de Riscos e Compliance Página 1 Sumário 1. Objetivo... 3 2. Organograma... 3 3. Vigência... 4 4. Abrangência... 4 5. Conceito... 5 5.1 Risco de liquidez do fluxo

Leia mais

DECISÃO da Diretoria Executiva em sua 8ª reunião realizada no dia 11 de novembro de 2015, ad-referendum do Plenário,

DECISÃO da Diretoria Executiva em sua 8ª reunião realizada no dia 11 de novembro de 2015, ad-referendum do Plenário, Publicado no D.O.U. nº 223 de 23/11/2015, Seção 1 pag. 138 e 139 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 472, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2015, (Alterada pela RN 482,09/06/2016) Dispõe sobre os valores das anuidades, taxas

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2017/1

PROCESSO SELETIVO 2017/1 EDITAL Nº 04/Diretor Geral/2016 Dispõe sobre processo seletivo para o 1º semestre de 2017. O presente Edital do Processo Seletivo da Faculdades SPEI, torna público, em extrato, as normas para ingresso

Leia mais

I- Contrato de Concessão, à partir da 7ª Rodada de Licitações

I- Contrato de Concessão, à partir da 7ª Rodada de Licitações CREDENCIAMENTO COMO SE TORNAR UMA CERTIFICADORA DE CONTEÚDO LOCAL Coordenadoria de Conteúdo Local ANP Credenciamento de Empresas para Certificação de Conteúdo Local Base Legal: I- Contrato de Concessão,

Leia mais

EDITAL PPGSP PROCESSO SELETIVO PARA BOLSA DE PÓS-DOUTORADO PNPD-CAPES 2016

EDITAL PPGSP PROCESSO SELETIVO PARA BOLSA DE PÓS-DOUTORADO PNPD-CAPES 2016 EDITAL PPGSP PROCESSO SELETIVO PARA BOLSA DE PÓS-DOUTORADO PNPD-CAPES 2016 O Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro - UENF informa que

Leia mais

DECRETO Nº DE 26 DE JANEIRO DE 2017 (DOERJ 27/01/2017)

DECRETO Nº DE 26 DE JANEIRO DE 2017 (DOERJ 27/01/2017) DECRETO Nº 45.895 DE 26 DE JANEIRO DE 2017 (DOERJ 27/01/2017) REGULAMENTA DISPOSITIVOS DA LEI ESTADUAL Nº 5.628, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2009, ALTERADA PELA LEI ESTADUAL Nº 7.506, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2016,

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº 554/14: CLASSIFICAÇÃO DE INVESTIDORES. São Paulo, 18 de dezembro de 2014 Flavia Mouta

INSTRUÇÃO CVM Nº 554/14: CLASSIFICAÇÃO DE INVESTIDORES. São Paulo, 18 de dezembro de 2014 Flavia Mouta INSTRUÇÃO CVM Nº 554/14: CLASSIFICAÇÃO DE INVESTIDORES São Paulo, 18 de dezembro de 2014 Flavia Mouta 1 Comissão de Valores Mobiliários Protegendo quem investe no futuro do Brasil. O conteúdo da apresentação

Leia mais

(Texto relevante para efeitos do EEE)

(Texto relevante para efeitos do EEE) L 301/22 P 18.11.2015 REGULAMENO DE EXECUÇÃO (UE) 2015/2066 DA COMISSÃO de 17 de novembro de 2015 que estabelece, nos termos do Regulamento (UE) n. o 517/2014 do Parlamento Europeu e do Conselho, os requisitos

Leia mais

MAUÁ CAPITAL INVESTIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS ( POLÍTICA DE VOTO )

MAUÁ CAPITAL INVESTIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS ( POLÍTICA DE VOTO ) MAUÁ CAPITAL INVESTIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS ( POLÍTICA DE VOTO ) MAIO 2016 OBJETO O presente documento tem por objetivo estabelecer os princípios,

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO DE VAGAS PARA DOCENTES PARA O 2º SEMESTRE DE 2016 DA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE

PROCESSO DE SELEÇÃO DE VAGAS PARA DOCENTES PARA O 2º SEMESTRE DE 2016 DA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE EDITAL N º 02/2016 PROCESSO DE SELEÇÃO DE VAGAS PARA DOCENTES PARA O 2º SEMESTRE DE 2016 DA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE DA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS. De ordem do

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 364, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008 (Revogada pela Resolução Normativa CFA nº 378, de 18 de novembro de 2009)

RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 364, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008 (Revogada pela Resolução Normativa CFA nº 378, de 18 de novembro de 2009) Publicada no D.O.U. nº 250, de 24/12/08 Seção I, página 199 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 364, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2008 (Revogada pela Resolução Normativa CFA nº 378, de 18 de novembro de 2009) Fixa os valores

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE SERVIÇO SCAP N.º 013/2012 SALÁRIO FAMÍLIA DO TRABALHADOR SEGURADO DO REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RGPS

ORIENTAÇÃO DE SERVIÇO SCAP N.º 013/2012 SALÁRIO FAMÍLIA DO TRABALHADOR SEGURADO DO REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RGPS ORIENTAÇÃO DE SERVIÇO SCAP N.º 013/2012 SALÁRIO FAMÍLIA DO TRABALHADOR SEGURADO DO REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RGPS A SCAP, no uso das atribuições conferidas pelo art. 34 do Decreto n.º 45.794,

Leia mais

MANUAL EVENTOS APOIADOS

MANUAL EVENTOS APOIADOS MANUAL DE EVENTOS APOIADOS Atualizado em 06 de Maio de 2016 1. INTRODUÇÃO... 3 2. NATUREZA DO APOIO... 3 3. PROPOSTA DE REALIZAÇÃO DO EVENTO... 3 3.1 PERÍODO DE REALIZAÇÃO DOS EVENTOS... 4 4. SERVIÇOS

Leia mais

SELEÇÃO DE BOLSISTA PNPD CAPES BOLSA DE PÓS-DOUTORADO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS

SELEÇÃO DE BOLSISTA PNPD CAPES BOLSA DE PÓS-DOUTORADO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS Viçosa, MG 36570-000 Tel: (31)3899-2226 Fax: (31)3899-2735 E-Mail: tcaufv@gmail.com

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA 001/2016 DE 07 DE JANEIRO DE 2016

INSTRUÇÃO NORMATIVA 001/2016 DE 07 DE JANEIRO DE 2016 INSTRUÇÃO NORMATIVA 001/2016 DE 07 DE JANEIRO DE 2016 Dispõe sobre os procedimentos para a Certificação de Conclusão do Ensino Médio e da Declaração Parcial de Proficiência com base nos resultados do Exame

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO AMAZONAS DIVISÃO DE GESTÃO DA QUALIDADE Sistema de Gestão da Qualidade PROCEDIMENTO P.TJAM 67 Planejamento Estratégico Elaborado por: Carla Winalmoller

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL Gabinete do Reitor EDITAL Nº 390/UFFS/2014

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL Gabinete do Reitor EDITAL Nº 390/UFFS/2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL Gabinete do Reitor EDITAL Nº 390/UFFS/2014 CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO DO PROGRAMA DE DEMANDA SOCIAL/CAPES O REITOR PRO TEMPORE DA UNIVERSIDADE

Leia mais

Edital 01/2015 SELEÇÃO PARA BOLSISTA DE PÓS-DOUTORADO (PNPD 2015/CAPES)

Edital 01/2015 SELEÇÃO PARA BOLSISTA DE PÓS-DOUTORADO (PNPD 2015/CAPES) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA Edital 01/2015 SELEÇÃO PARA BOLSISTA DE PÓS-DOUTORADO (PNPD

Leia mais

BC GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS

BC GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS BC GESTÃO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS CAPÍTULO I Definição 1.1 A presente Política, adotada em conformidade com o Código de Auto-Regulação da ANBID para os Fundos de Investimento,

Leia mais

GABINETE DO MINISTRO COMITÊ GESTOR DO ESOCIAL RESOLUÇÃO Nº 1, DE 20 DE FEVEREIRO DE 2015

GABINETE DO MINISTRO COMITÊ GESTOR DO ESOCIAL RESOLUÇÃO Nº 1, DE 20 DE FEVEREIRO DE 2015 GABINETE DO MINISTRO COMITÊ GESTOR DO ESOCIAL RESOLUÇÃO Nº 1, DE 20 DE FEVEREIRO DE 2015 Dispõe sobre o Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (esocial).

Leia mais

EDITAL Nº. 02 CCNE/DEPT. BIOQUÍMICA E BIOLOGIA MOLECULAR/UFSM SELEÇÃO DE BOLSITAS

EDITAL Nº. 02 CCNE/DEPT. BIOQUÍMICA E BIOLOGIA MOLECULAR/UFSM SELEÇÃO DE BOLSITAS EDITAL Nº. 02 CCNE/DEPT. BIOQUÍMICA E BIOLOGIA MOLECULAR/UFSM SELEÇÃO DE BOLSITAS A Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), através do projeto Institucional FIEX, torna pública a abertura de inscrições

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SRH Nº , 15 DE SETEMBRO DE 2014.

INSTRUÇÃO NORMATIVA SRH Nº , 15 DE SETEMBRO DE 2014. INSTRUÇÃO NORMATIVA SRH Nº 001 2014, 15 DE SETEMBRO DE 2014. Versão: 01 Ato de Aprovação: Instrução Normativa SRH nº 001 2014. Unidade Responsável: Diretoria de Recursos Humanos. Dispõe sobre procedimentos

Leia mais

Universidade Federal Rural de Pernambuco

Universidade Federal Rural de Pernambuco EDITAL Nº /26. Seleção Pública para Tutor Virtual e Professor Executor. - UAEADTec UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO A UNIDADE ACADÊMICA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

GARANTIAS EM PPP. Arena Fonte Nova

GARANTIAS EM PPP. Arena Fonte Nova GARANTIAS EM PPP Arena Fonte Nova I - Mecanismo de Pagamento SUMÁRIO Legislação; Fluxo Financeiro da Garantia de Pagamento; Adesões ao Mecanismo de Garantia; Bloco de Contratos; Controle de Pagamentos

Leia mais

Campus Porto Alegre PORTARIA Nº. 128, DE 17 DE JUNHO DE 2011.

Campus Porto Alegre PORTARIA Nº. 128, DE 17 DE JUNHO DE 2011. PORTARIA Nº. 128, DE 17 DE JUNHO DE 2011. O Diretor-Geral do IFRS -, no uso das atribuições legais que lhe são conferidas pela Portaria nº 08/2009, R E S O L V E: Art. 1º Regulamentar a concessão de auxílio

Leia mais

Considerando a Lei Municipal nº 495, de 27 de novembro de 1991, que criou o Fundo de Aposentadoria e Pensões FAPEN, resolve:

Considerando a Lei Municipal nº 495, de 27 de novembro de 1991, que criou o Fundo de Aposentadoria e Pensões FAPEN, resolve: L E I Nº 1 2 7 8 Cria o Comitê de Investimentos COMIN, do Fundo de Aposentadoria e Pensões - FAPEN do Município de Renascença, Estado do Paraná, implanta o seu Regimento Interno e Disciplina a Hierarquia

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO Art. 1º Com base no disposto no Art. 79 do Regulamento Geral dos Cursos de Graduação da Universidade Federal

Leia mais

MANTENEDORA ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE AECISA MANTIDA FACULDADE PERNAMBUCANA DE SAÚDE- FPS

MANTENEDORA ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE AECISA MANTIDA FACULDADE PERNAMBUCANA DE SAÚDE- FPS MANTENEDORA ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE AECISA MANTIDA FACULDADE PERNAMBUCANA DE SAÚDE- FPS REGULAMENTO ATIVIDADES COMPLEMENTARES RECIFE/PE Atualizado em 21 de setembro de 2015 1 SUMÁRIO

Leia mais

EDITAL N.º 83/2016-CRCA/UNIFESSPA, DE 10 DE OUTUBRO DE 2016 EDITAL DE SELEÇÃO PARA ESTAGIÁRIO/BOLSISTA

EDITAL N.º 83/2016-CRCA/UNIFESSPA, DE 10 DE OUTUBRO DE 2016 EDITAL DE SELEÇÃO PARA ESTAGIÁRIO/BOLSISTA EDITAL N.º 83/2016-CRCA/UNIFESSPA, DE 10 DE OUTUBRO DE 2016 EDITAL DE SELEÇÃO PARA ESTAGIÁRIO/BOLSISTA 1. CONVOCAÇÃO 1.1 O Centro de Registro e Controle Acadêmico- CRCA da Universidade Federal do Sul e

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE HISTÓRIA ANPUH

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE HISTÓRIA ANPUH REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE HISTÓRIA ANPUH CAPÍTULO I DAS ANUIDADES ARTIGO. 1º A fixação do valor da anuidade, sua correção e sua distribuição entre a ANPUH Nacional e as Seções Estaduais

Leia mais

FIES. 1 - Dados cadastrais da mantenedora Dados da mantenedora: Mantenedora: FUNDACAO EDUCACIONAL MACHADO DE ASSIS

FIES. 1 - Dados cadastrais da mantenedora Dados da mantenedora: Mantenedora: FUNDACAO EDUCACIONAL MACHADO DE ASSIS Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Superior - SESu Diretoria de Políticas e Programas de Graduação - Dipes Fundo de Financiamento Estudantil FIES Termo de Participação Proposta de Oferta

Leia mais

A GESTÃO DO RPPS SOB O ENFOQUE DA CONTABILIDADE

A GESTÃO DO RPPS SOB O ENFOQUE DA CONTABILIDADE A GESTÃO DO RPPS SOB O ENFOQUE DA CONTABILIDADE Por Otoni Gonçalves Guimarães Cuiabá - MT, 06 de dezembro de 2016 1 OBJETIVOS DA CONTABILIDADE PÚBLICA É importante lembrar que o objetivo da Contabilidade

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE ARATIBA. Rua Luis Loeser, 287 Centro Fone: (54) CNPJ

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE ARATIBA. Rua Luis Loeser, 287 Centro Fone: (54) CNPJ Edital nº004/2016 ABRE PROCESSO SELETIVO PÚBLICO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE ENFERMEIRA (O) PARA ATUAÇÃO JUNTO A SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE PROGRAMA PSF O Município de Aratiba, Estado

Leia mais

MAUÁ INVESTIMENTOS LTDA. MANUAL DE CONTROLES INTERNOS

MAUÁ INVESTIMENTOS LTDA. MANUAL DE CONTROLES INTERNOS MAUÁ INVESTIMENTOS LTDA. MANUAL DE CONTROLES INTERNOS MAIO 2016 Sumário Introdução... 3 Abrangência... 3 Risco de mercado... 3 Risco de Liquidez... 4 Risco de Crédito... 4 Risco operacional... 5 Organograma...

Leia mais

PROMOÇÃO DE DOCENTE. É a passagem do servidor do último nível de uma classe da Carreira de Magistério para outra subsequente.

PROMOÇÃO DE DOCENTE. É a passagem do servidor do último nível de uma classe da Carreira de Magistério para outra subsequente. DEFINIÇÃO PROMOÇÃO DE DOCENTE Cód.: PVD Nº: 94 Versão: 5 Data: 12/01/2014 É a passagem do servidor do último nível de uma classe da Carreira de Magistério para outra subsequente. REQUISITOS BÁSICOS 1.

Leia mais

Relatório Anual. São Rafael Sociedade de Previdência Privada

Relatório Anual. São Rafael Sociedade de Previdência Privada 2011 Relatório Anual São Rafael Sociedade de Previdência Privada Prezados Participantes: O ano de 2011 foi mais um ano marcado por muitas incertezas nas economias mundiais acarretando uma instabilidade

Leia mais

PORTARIA N o 388 de 01/08/2016

PORTARIA N o 388 de 01/08/2016 PORTARIA N o 388 de 01/08/2016 Aprova a Tabela de Descontos para alunos matriculados em cursos e programas da Universidade Positivo (UP). O Reitor da Universidade Positivo, no uso de suas atribuições estatutárias,

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 40, DE (Do Poder Executivo)

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 40, DE (Do Poder Executivo) PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 40, DE 2003 (Do Poder Executivo) Modifica os artigos 37, 40, 42, 48, 96, 142 e 149 da Constituição Federal, o artigo 8º da Emenda Constitucional nº 20, de 15 de dezembro

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE CONSELHO DIRETOR Resolução n.º 01, de 14 de fevereiro de 2008 A Presidente do Conselho Diretor da Fundação Universidade Federal do Acre, em exercício, no uso das atribuições

Leia mais

MARILZA VIEIRA CUNHA RUDGE Vice-Reitora no exercício da Reitoria

MARILZA VIEIRA CUNHA RUDGE Vice-Reitora no exercício da Reitoria RESOLUÇÃO UNESP Nº 35, DE 11 DE ABRIL DE 2014 Publicada no D.O.E. de 12.04.14, Seção I, pág. 70 Aprova o Regulamento do Programa de Pósgraduação em Arquitetura e Urbanismo, Curso de Mestrado Acadêmico,

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CMAS Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social EDITAL 01/2016

CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CMAS Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social EDITAL 01/2016 CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CMAS Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social EDITAL 01/2016 Edital de convocação de Assembleia Geral de Entidades de Assistência Social de Diamantina para

Leia mais

Edital 009-junho/2013 para contratação de Téc. de Enfermagem, Ofic. de Portaria e Aux. Administrativo

Edital 009-junho/2013 para contratação de Téc. de Enfermagem, Ofic. de Portaria e Aux. Administrativo Edital de Convocação Processo Seletivo Santa Casa Mococa faz pública para conhecimento dos interessados a abertura de inscrições para o Processo Seletivo Simplificado para contratação de Técnico de Enfermagem,

Leia mais

PORTARIA DA PROPPEX nº 002/2007

PORTARIA DA PROPPEX nº 002/2007 PORTARIA DA PROPPEX nº 002/2007 O Prof. Dr. Paulo Rogério Stella, Pró-Reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da Fundação Santo André, no uso de suas atribuições legais, constantes no Regimento Geral

Leia mais

UNIABEU CENTRO UNIVERSITÁRIO EDITAL DE 28 DE MARÇO DE 2013 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO POR TRANSFERÊNCIA EXTERNA

UNIABEU CENTRO UNIVERSITÁRIO EDITAL DE 28 DE MARÇO DE 2013 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO POR TRANSFERÊNCIA EXTERNA UNIABEU CENTRO UNIVERSITÁRIO EDITAL DE 28 DE MARÇO DE 2013 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO POR TRANSFERÊNCIA EXTERNA 2013-2 O Reitor do UNIABEU Centro Universitário, no uso de suas atribuições

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04 CAGV/IFMG/SETEC/MEC DE 15 DE DEZEMBRO DE 2016.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04 CAGV/IFMG/SETEC/MEC DE 15 DE DEZEMBRO DE 2016. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04 CAGV/IFMG/SETEC/MEC DE 15 DE DEZEMBRO DE 2016. Dispõe sobre regulamentação de normas e procedimentos para realização de eventos acadêmicos e administrativos, cerimonial e protocolo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO EDITAL Nº 23, DE 02 DE ABRIL DE 2008.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO EDITAL Nº 23, DE 02 DE ABRIL DE 2008. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO EDITAL Nº 23, DE 02 DE ABRIL DE 2008. O Reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no uso de suas atribuições, torna público que estarão abertas as inscrições

Leia mais

PROFESSOR VISITANTE ESTRANGEIRO PVE

PROFESSOR VISITANTE ESTRANGEIRO PVE 1 Do programa e objetivos PROFESSOR VISITANTE ESTRANGEIRO Edital CGCI nº 015/2007 1.1 O Programa Professor Visitante Estrangeiro, tem como objetivo incentivar a realização de visitas de média ou longa

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO PORTARIA NORMATIVA Nº 17, DE 12 DE AGOSTO DE 2016 Dispõe sobre a ocupação de vagas remanescentes do processo seletivo do Fundo de Financiamento Estudantil Fies referente ao segundo

Leia mais

LEI Nº DE 06 DE JANEIRO DE 2010

LEI Nº DE 06 DE JANEIRO DE 2010 LEI Nº 5.639 DE 06 DE JANEIRO DE 2010 DISPÕE SOBRE OS CONTRATOS DE GESTÃO ENTRE O ÓRGÃO GESTOR E EXECUTOR DA POLÍTICA ESTADUAL DE RECURSOS HÍDRICOS E ENTIDADES DELEGATÁRIAS DE FUNÇÕES DE AGÊNCIA DE ÁGUA

Leia mais

NOTA DE ESCLARECIMENTOS NOVAS REGRAS NO SISTEMA DE COMPENSAÇÃO PREVIDENCIÁRIA

NOTA DE ESCLARECIMENTOS NOVAS REGRAS NO SISTEMA DE COMPENSAÇÃO PREVIDENCIÁRIA NOTA DE ESCLARECIMENTOS NOVAS REGRAS NO SISTEMA DE COMPENSAÇÃO PREVIDENCIÁRIA Considerações sobre a aplicabilidade da Instrução Normativa nº. 50 de 04 de janeiro de 2011, publicada no Diário Oficial do

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES GERAIS Art. 1º - Este Regulamento visa normatizar as Atividades Complementares do Curso de História. Parágrafo único As Atividades Complementares

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO - CAPES

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO - CAPES PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO Normas e Critérios para Concessão de Bolsas por quota - CAPES e CNPq 2014/2015 (* Alterações aprovadas em reunião do Conselho do Programa realizada no dia 22 de agosto

Leia mais

PROJETO BÁSICO GRAMADOTUR

PROJETO BÁSICO GRAMADOTUR PROJETO BÁSICO GRAMADOTUR 1 Projeto Básico da Contratação de Serviços: 1.1 O presente Projeto Básico consiste na contratação de empresa para realizar serviços de brigadista, incluindo prevenção a incêndio,

Leia mais

Novo PD CEA. Vigência a partir de 01/04/2017

Novo PD CEA. Vigência a partir de 01/04/2017 Novo PD CEA Vigência a partir de 01/04/2017 Módulo I: Revisão PD CEA e início da vigência Exclusão dos Códigos ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para: (i) Serviços Qualificados ao Mercado de Capitais;

Leia mais

Lâmina de Informações Essenciais Sobre o QUEST ACOES FIC FI ACOES

Lâmina de Informações Essenciais Sobre o QUEST ACOES FIC FI ACOES Lâmina de Informações Essenciais Sobre o QUEST ACOES FIC FI ACOES Informações referentes a Dezembro de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o QUEST AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO Aprova alterações no Programa de Professor Colaborador Voluntário. O CONSELHO DE ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da Universidade Federal de Sergipe, no uso de suas atribuições legais e estatutárias,

Leia mais

REGRAS, PROCEDIMENTOS E DESCRIÇÃO DOS CONTROLES INTERNOS. Tutors Multi Family Office Gestão de Patrimônio EIRELI - ME

REGRAS, PROCEDIMENTOS E DESCRIÇÃO DOS CONTROLES INTERNOS. Tutors Multi Family Office Gestão de Patrimônio EIRELI - ME REGRAS, PROCEDIMENTOS E DESCRIÇÃO DOS CONTROLES INTERNOS Tutors Multi Family Office Gestão de Patrimônio EIRELI - ME Sumário I. Introdução... 3 II. Política de Confidencialidade... 4 III. Políticas de

Leia mais

NORMAS COMPLEMENTARES AO REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA REGIONAL E LOCAL CAMPUS V

NORMAS COMPLEMENTARES AO REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA REGIONAL E LOCAL CAMPUS V Universidade do Estado da Bahia UNEB Reconhecida pela portaria ministerial n º 909 de 31 07 95 Departamento de Ciências Humanas/Campus V Santo Antonio de Jesus Programa de Pós-Graduação em História Regional

Leia mais

ANÁLISE DA RENTABILIDADE E DA PERFORMANCE DOS FUNDOS DE PREVIDÊNCIA DA CATEGORIA ANBIMA - PREVIDÊNCIA AÇÕES 1

ANÁLISE DA RENTABILIDADE E DA PERFORMANCE DOS FUNDOS DE PREVIDÊNCIA DA CATEGORIA ANBIMA - PREVIDÊNCIA AÇÕES 1 ANÁLISE DA RENTABILIDADE E DA PERFORMANCE DOS FUNDOS DE PREVIDÊNCIA DA CATEGORIA ANBIMA - PREVIDÊNCIA AÇÕES 1 Anderson Felipe Cezar Coracini 2, Daniel Knebel Baggio 3, Vanessa Leal De Souza 4. 1 Resultados

Leia mais

Resolução ANP Nº 30 DE 29/06/2015

Resolução ANP Nº 30 DE 29/06/2015 Resolução ANP Nº 30 DE 29/06/2015 Publicado no DO em 30 jun 2015 Altera a Resolução ANP nº 40 de 2013, que regula as especificações das gasolinas de uso automotivo, consoante as disposições contidas no

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO DE TUTORES Modalidade On-line EDITAL DE SELEÇÃO

CURSO DE FORMAÇÃO DE TUTORES Modalidade On-line EDITAL DE SELEÇÃO CURSO DE FORMAÇÃO DE TUTORES Modalidade On-line EDITAL DE SELEÇÃO CURSO DE EXTENSÃO ONLINE NOME DO CURSO FORMAÇÃO DE TUTORES COORDENAÇÃO Professor Mestre Ivan Carlos Alcântara de Oliveira ÁREA DO CONHECIMENTO

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO CULTURAS E INDENTIDADES BRASILEIRAS. Programa Nacional de Pós-Doutorado PNPD/CAPES 2013 (Portaria n.

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO CULTURAS E INDENTIDADES BRASILEIRAS. Programa Nacional de Pós-Doutorado PNPD/CAPES 2013 (Portaria n. PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO CULTURAS E INDENTIDADES BRASILEIRAS Programa Nacional de Pós-Doutorado PNPD/CAPES 2013 (Portaria n. 86/2013) Edital IEB-USP nº 31/ 2013 Edital de abertura de inscrições para o

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS O Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório está organizado em duas etapas, uma no sétimo e outra

Leia mais

Perguntas e Respostas Frequentes

Perguntas e Respostas Frequentes Perguntas e Respostas Frequentes (Portaria n.º 644-A/2015, de 24 de agosto) Ano letivo 2015/2016 Relativas a AEC: P1: Nos casos em que os agrupamentos/escolas não agrupadas sejam as entidades promotoras

Leia mais