III Panorama da Terceirização Logística no Brasil. Guepardo Consultoria e Serviços Técnicos Ltda São Paulo, SP Brasil Dezembro/2009

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "III Panorama da Terceirização Logística no Brasil. Guepardo Consultoria e Serviços Técnicos Ltda São Paulo, SP Brasil Dezembro/2009"

Transcrição

1 III Panorama da Terceirização Logística no Brasil Guepardo Consultoria e Serviços Técnicos Ltda São Paulo, SP Brasil Dezembro/2009

2 Apresentação Inicial Esta pesquisa é realizada a cada dois anos pela Tigerlog/Guepardo Logística, nos anos ímpares, desde 2005, portanto, esta é a terceira edição. Neste ano contamos com a importante colaboração da Ciclo Eventos (www.ciclo.srv.br) no processo de obtenção de questionários. Este trabalho tem como objetivo um melhor entendimento do processo de terceirização logística no Brasil e a identificação de tendências que possam orientar as Transportadoras e os Operadores Logísticos na gestão e no planejamento estratégico de seus negócios. Esperamos contribuir com o amadurecimento desta prática de gestão, que tem se mostrado extremamente viável nos países da América do Norte e da Europa Ocidental. Existindo dúvidas, favor contatar-me no 2

3 Índice Metodologia utilizada... página 04 Questionário aplicado... página 17 Análise consolidada... página 19 Análise por Segmentos... página 56 3

4 Metodologia Utilizada III Panorama da Terceirização Logística no Brasil

5 Metodologia de Abordagem aplicação de questionário ao contato logístico identificado (nível estratégico e tático) através de . pesquisa realizada entre os meses de Setembro a Dezembro/2009. mais de Embarcadores de diferentes segmentos foram convidados a participar desta edição, havendo um retorno de aproximadamente 3,0%, contabilizando ao final, 340 empresas participantes. Além do desinteresse de muitos Embarcadores, algumas empresas tratam essas informações como confidenciais e não divulgam seus dados. Mas, quando comparado com outras pesquisas realizadas, esta é ainda a mais representativa do Brasil e com um número maior de participantes. ao todo, foram abordados14 diferentes segmentos. 5

6 Segmentos Pesquisados Agronegócio Alimentos e Bebidas Alta Tecnologia (Eletroeletrônicos, Telecomunicações, Computadores e Periféricos, Automação Industrial e Aeronáutico) Automotivo (Montadoras e Autopeças) Bens de Capital Cosméticos e Higiene Pessoal Farmacêutico Ferro e Aço (Metalúrgico / Siderúrgico) Gráfico / Embalagens / Papel e Celulose / Florestal Prestação de Serviços Químico e Petroquímico Têxtil Varejo Outros 6

7 Quantidade de Empresas por Segmento 7 Segmento Empresas % Total Agronegócio 20 5,9% Alimentos e Bebidas 54 15,9% Alta Tecnologia 34 10,0% Automotivo 40 11,8% Bens de Capital 20 5,9% Construção Civil 6 1,8% Farmacêutico 18 5,3% Ferro e Aço 10 2,9% Higiene Pessoal / Cosméticos 16 4,7% Madeireiro / Papel e Celulose / Gráfico / Embalagens 30 8,8% Outros 20 5,9% Prestação de Serviços 12 3,5% Químico e Petroquímico 34 10,0% Têxtil 14 4,1% Varejo 12 3,5% Total ,0%

8 Algumas das Empresas Participantes Alimentos e Bebidas Agronegócio Máquinas e Equipamentos 8

9 Algumas das Empresas Participantes Automotivo e Autopeças Eletro-Eletrônicos e Informática 9

10 Algumas das Empresas Participantes Madeireiro / Papel e Celulose / Gráfico / Embalagens Farmacêutico Têxtil Varejo 10

11 Algumas das Empresas Participantes Químico e Petroquímico 11 Higiene Pessoal e Cosméticos Outros

12 Perfil do Entrevistado 12 mais da metade dos entrevistados (57,1%) ocupam cargo de Gerente ou Diretor.

13 Porte da Empresa acima de R$ 500 milhões 44,7% entre R$ 250 e R$ 500 milhões 17,1% entre R$ 50 e R$ 250 milhões 22,9% entre R$ 10 e R$ 50 milhões 7,6% abaixo de R$ 10 milhões 5,3% não informado 2,4% Total 100,0% 13

14 Origem da Empresa 14 Brasil 64,1% Canadá e EUA 12,9% Europa 18,2% Ásia 2,4% América Latina 2,4% Total 100,0%

15 Representatividade do Custo Logístico (em relação à Receita Operacional Líquida) 15 Faixa % Total acima de 12% 5,3% entre 8% e 12% 14,7% entre 5% e 8% 22,4% entre 2% e 5% 47,6% menor que 2% 10,0% não informado 0,0% Total 100,0%

16 Representatividade do Custo Logístico (em relação à Receita Operacional Líquida) % de Empresas por Faixa de Custo Faixa Agronegócio Alimentos Alta Automotivo Farmacêutico Higiene Pessoal Papel e Celulose Químico e e Bebidas Tecnologia e Autopeças e Cosméticos Petroquímico acima de 12% 20% 15% 6% 0% 0% 13% 7% 0% entre 8% e 12% 30% 15% 6% 20% 0% 0% 33% 12% entre 5% e 8% 20% 37% 24% 15% 11% 50% 33% 0% entre 2% e 5% 10% 33% 47% 45% 78% 38% 27% 76% menor que 2% 20% 0% 18% 20% 11% 0% 0% 12% não informado 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% 0% Total 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 16

17 Questionário Aplicado III Panorama da Terceirização Logística no Brasil

18 Questionário Utilizado Por favor, vide anexo em Excel, enviado por , junto com esta apresentação em Power Point. 18

19 Análise CONSOLIDADA III Panorama da Terceirização Logística no Brasil

20 Estratégia de Terceirização Logística adotada pela Empresa 20 Atuar com operação própria 5,9% Parcial, com enfoque em Transportes 50,0% Parcial, com enfoque ampliado em Logística 27,6% Total, em atividades de gestão e operação Logística 12,4% Ainda não temos uma estratégia clara e definida 4,1% Total 100,0% 50% dos Embarcadores ainda mantém restrito o escopo de terceirização logística, limitando-o apenas às atividades de transportes, priorizando, na parceria com Operadores Logísticos etransportadoras, o uso do ativo operacional (frota). por outro lado, 40% dos Embarcadores buscam um escopo ampliado de terceirização logística, sendo que 12,4% querem também a inteligência que existe por detrás do ativo.

21 Estratégia de Terceirização Logística adotada pela Empresa Comparativo 2009 x Atuar com operação própria 5,9% 4,0% Parcial, com enfoque em Transportes 50,0% 56,6% Parcial, com enfoque ampliado em Logística 27,6% 29,3% Total, em atividades de gestão e operação Logística 12,4% 9,1% Ainda não temos uma estratégia clara e definida 4,1% 1,0% Total 100,0% 100,0% no comparativo 2009 x 2007, verificamos uma pequena evolução de 38,4% para 40,0% no percentual de empresas interessadas em um escopo mais amplo de terceirização logística. observamos também uma retração no % de empresas apenas interessadas em uma terceirização unicamente focada em transportes, de 56,6% para 50,0%. chama a atenção (e deverá ser objeto de estudo na pesquisa em 2011) o % de empresas que pretende atuar com operação própria, que embora ainda pouco representativo, apresenta um avanço de 4,0% para 5,9%.

22 Perfil do Parceiro Logístico Desejado Empresa do TRC 15,9% Empresa do TRC, atuante em logística 38,2% Operador Logístico consolidado, de origem nacional 33,5% Operador Logístico consolidado, de origem internacional 10,0% Não informado 2,4% Total 100,0% a pesquisa aponta a predominância de dois tipos de empresas: empresas do TRC com mix de serviços ampliado (em logística) e o Operador Logístico de origem nacional. o mercado está dividido entre essas duas empresas, existindo uma pequena vantagem para astransportadoras prestadoras de serviços básicos. 22

23 Perfil do Parceiro Logístico Desejado Comparativo 2009 x Empresa do TRC 15,9% 18,2% Empresa do TRC, atuante em logística 38,2% 42,4% Operador Logístico consolidado, de origem nacional 33,5% 25,3% Operador Logístico consolidado, de origem internacional 10,0% 10,1% Não informado 2,4% 4,0% Total 100,0% 100,0% porém, no comparativo 2009 x 2007, observamos o aumento do interesse do mercado pelo Operador Logístico consolidado, de origem nacional, que salta de 25,3% para 33,5% das preferências, enquanto que a Transportadora atuante com serviços básicos em logística sofre uma queda de 42,4% para 38,2%. também perde espaço no mercado as transportadoras convictas, que reduzem a sua participação de 18,2% para 15,9%. interesse notar também a estagnação dos Operadores Logísticos internacionais em 10% das preferências.

24 Comentário 24 Os Embarcadores começam a melhorar a percepção sobre os Operadores Logísticos consolidados, de origem nacional. Anteriormente visto como pseudo Operadores Logísticos, ainda atrelados a ativos operacionais e distantes das grandes multinacionais do setor, começam agora a serem percebidos como uma solução de inteligência e gestão, numa boa relação custobenefício. Desde 2005, quando foi realizada a primeira sondagem, a preferências por essas empresas mais do que duplicou. Parecem ter sido eleitos a preferência nacional! Aqui vai, portanto, um importante recado para as Transportadoras: está na hora de reavaliar o seu posicionamento estratégico e rever a possibilidade de iniciar o processo de evolução para um Operador Logístico, algo que deverá levar de 2 a 4 anos para consolidação. Também vai um recado oportuno para os grandes conglomerados internacionais: vocês precisam melhorar a estratégia de comunicação com o seu público-alvo e se aproximar de seus clientes, de forma mais simples e objetiva. A palavra-chave é PERCEPÇÃO!

25 Comentário Diversos fatores aproximam o mercado dos Operadores Logísticos nacionais: possibilidade de contato com o proprietário e com o alto escalão da empresa maior flexibilidade e tolerância por parte das empresas nacionais maior agilidade e menos burocracia na resolução de problemas e rápida resposta às necessidades e anseios dos Embarcadores desequilíbrio de forças, a favor do Embarcador diferença de valor agregado é imperceptível quando comparada com um grande Operador Logístico internacional diferença de valor agregado é muito grande quando comparada com uma Transportadora operação com empresa que tem frota própria e grande experiência no transporte de cargas Quanto ao Operador Logístico internacional, será necessário a empresa REINVENTAR-SE para que não perca importante espaço no mercado brasileiro. 25

26 Resultados com a Terceirização Logística - CUSTOS Nenhum 1,8% Baixo impacto 15,9% Positivo 61,8% Muito positivo 14,1% não informado 6,5% Total 100,0% 75,9% das empresas entrevistadas apontam a obtenção de resultados positivos ou muito positivos com a redução de custos através da terceirização logística. trata-se de um bom índice, mas ainda aquém dos resultados obtidos pelos provedores de serviços de logística e transportes na América do Norte e Europa Ocidental, no qual verificamos patamares ao redor de 85% a 90%. 26

27 Resultados com a Terceirização Logística - CUSTOS Comparativo 2009 x Nenhum 1,8% 4,0% Baixo impacto 15,9% 10,1% Positivo 61,8% 60,6% Muito positivo 14,1% 16,2% não informado 6,5% 9,1% Total 100,0% 100,0% 27 em relação à pesquisa anterior, realizada em 2007, não observamos diferenças significativas; o % de empresas que avaliam a redução de custos como positiva ou muito positiva variou de 76,8% para 75,9% e aquelas que avaliam como baixo ou nenhum impacto de 14,1% para 17,7%, um pequeno aumento. embora a insatisfação do Embarcador tenha aumentado em 2,6%, o % de positivo e muito positivo manteve-se dentro de patamar semelhante ao da pesquisa anterior.

28 Resultados com a Terceirização Logística NÍVEL DE SERVIÇO Nenhum 2,9% Baixo impacto 24,7% Positivo 59,4% Muito positivo 6,5% não informado 6,5% Total 100,0% 65,9% das empresas entrevistadas indicam estar satisfeitas ou muito satisfeitas com os impactos no nível de serviço obtidos através da terceirização logística. trata-se de um índice razoável, também distante dos resultados obtidos pelos provedores de serviços de logística e transportes na América do Norte e Europa Ocidental, no qual verificamos patamares ao redor de 80% a 85%. 28

29 Resultados com a Terceirização Logística NÍVEL DE SERVIÇO Comparativo 2009 x Nenhum 2,9% 4,0% Baixo impacto 24,7% 21,2% Positivo 59,4% 55,6% Muito positivo 6,5% 10,1% não informado 6,5% 9,1% Total 100,0% 100,0% 29 em relação à pesquisa realizada em 2007, não observamos diferenças significativas; o % de empresas que avaliam melhora no nível de serviço como positiva ou muito positiva variou de 65,7% para 65,9% e aquelas que avaliam como baixo ou nenhum impacto de 25,2% para 27,6%. embora a insatisfação do Embarcador tenha aumentado em 2,4%, o % de positivo e muito positivo manteve-se dentro de patamar semelhante ao da pesquisa anterior.

30 Decisão quanto à Terceirização Logística aumentaria o uso substancialmente 4,1% aumentaria o uso moderadamente 42,9% nada mudaria 30,6% reduziria a participação 12,9% deixaria de utilizá-lo totalmente 2,9% não informado 6,5% Total 100,0% a pesquisa 2009 mostra que 47,0% das empresas tem interesse em ampliar negócios com seus atuais parceiros, contra 30,6% que não tem planos de rever o escopo e 15,8% que pretendem reduzir o escopo de terceirização logística ou mesmo retomar a operação própria. 30

31 Decisão quanto à Terceirização Logística Comparativo 2009 x aumentaria o uso substancialmente 4,1% 9,1% aumentaria o uso moderadamente 42,9% 43,4% nada mudaria 30,6% 28,3% reduziria a participação 12,9% 8,1% deixaria de utilizá-lo totalmente 2,9% 2,0% não informado 6,5% 9,1% Total 100,0% 100,0% 31 aqui uma péssima notícia: o % de empresas interessadas em avançar na terceirização logística caiu de 52,5% em 2007 para 47,0% em Na contramão das tendências mundiais, saltamos de 10,1% para 15,8% de empresas possivelmente interessadas em reduzir o escopo do Operador Logístico e da Transportadora ou mesmo de assumir a própria operação.

32 Comentário Enquanto os demais mercados mundiais avançam na terceirização logística e amadurecem o seu entendimento sobre as vantagens decorrentes dessa prática de gestão, aqui no Brasil vivemos um processo de desapontamento e de reflexão. Da reflexão para a ação efetiva existe uma grande distância, mas é um sinal de alerta para o mercado. Grande parte disso é responsabilidade do próprio Operador Logístico e da Transportadora, que como veremos adiante, apresenta enormes problemas na comunicação com os seus Clientes e na apresentação dos resultados (teoricamente) obtidos. Se confirmada a tendência na pesquisa a ser realizada em 2011, poderemos viver um momento atípico, de retroceder ao passado para experimentar as velhas práticas (e os problemas conseqüentes) da operação logística própria. 32

33 % de Custos Logísticos Terceirizados % de Empresas por Faixa de Custos Logísticos Terceirizados Abaixo de 25% 17,6% de 25% a 50% 14,7% de 50% a 75% 34,1% mais de 75% 26,5% não informado 7,1% Total 100,0% 33 31,3% das empresas sequer terceirizaram metade dos seus custos logísticos e apenas 26,5% delas terceirizaram mais de 75% da verba existente. existem, portanto, excelentes oportunidades para avançarmos na terceirização logística e para um crescimento (em vendas) muito acima da média do PIB brasileiro.

34 Deficiências dos Provedores Logísticos e Transportadoras 34 Motivo % Informações de desempenho / visibilidade 57,4% Projetos de melhoria contínua 50,9% Nível de serviço constante 50,3% Comunicação 49,7% Ferramentas tecnológicas 42,0% Padronização dos processos 31,4% Gestão de pessoal 23,1% Pós-venda 21,9% Adaptação à cultura do cliente 18,9% Definição de prioridades 15,4% Outros 1,8% O principal motivo da insatisfação dos Embarcadores está na falta de informações de desempenho e de ferramentas de visibilidade da performance. Também estão deficientes a capacidade de desenvolver e implantar projetos de melhoria contínua, de manutenção de um nível de serviço constante e a comunicação entre profissionais do Operador Logístico /Transportadora e Cliente.

35 Deficiências dos Provedores Logísticos e Transportadoras Nível de serviço constante 50,3% 44,4% Informações de desempenho / visibilidade 57,4% 52,5% Ferramentas tecnológicas 42,0% 38,4% Pós-venda 21,9% 27,3% Padronização dos processos 31,4% 34,3% Definição de prioridades 15,4% 22,2% Projetos de melhoria contínua 50,9% 53,5% Adaptação à cultura do cliente 18,9% 21,2% Gestão de pessoal 23,1% 27,3% Comunicação 49,7% 41,4% Outros 1,8% 0,0% 35 Na comparação com 2007, alguns itens ganham importância, ao variar positivamente como (1) Nível de Serviço Constante, (2) Informações de Desempenho / Visibilidade, (3) FerramentasTecnológicas e (4) Comunicação.

36 Comentário É lamentável que os Clientes ainda reclamem da inexistência de indicadores de nível de serviço e custos, passados 15 anos de terceirização logística no Brasil. Aspectos mais complexos como projetos de melhoria contínua e ferramentas tecnológicas perdem importância para um tema básico como a gestão através de indicadores de desempenho. É também preocupante o fato de o item Comunicação aparecer em destaque, na quarta posição. Isso é reflexo da própria inexistência de indicadores de desempenho, mas também de outros fatores como venda (vender além do que se pode entregar), pós-venda (muitas vezes inexistente ou restrito a almoços e cafezinhos), gestão de pessoal (isto é, a falta de gestão de pessoas ou utilização de pessoas pouco capacitadas), etc. 36

37 Critérios na Escolha dos Provedores Logísticos e Transportadoras Critério % Preço 78,7% Experiência / atuação no segmento 65,7% Histórico de desempenho 52,1% Ferramentas tecnológicas 34,3% Qualidade do pessoal 32,0% Saúde financeira 18,3% Portfólio de clientes 8,9% Outros 6,5% 37 Preço é o critério mais importante na definição do Operador Logístico ou Transportadora. Em segundo lugar, a questão da Experiência ou Especialização no Segmento e em terceiro, novamente a questão do Desempenho do Serviço Prestado. Aquilo que deveria diferenciar uma empresa da outra, a TECNOLOGIA e as PESSOAS, surgem em quarto e quinto lugar respectivamente.

38 Critérios na Escolha dos Provedores Logísticos e Transportadoras Critério % % Preço 78,7% 77,8% Experiência / atuação no segmento 65,7% 66,7% Histórico de desempenho 52,1% 35,4% Ferramentas tecnológicas 34,3% 24,2% Qualidade do pessoal 32,0% 35,4% Saúde financeira 18,3% 20,2% Portfólio de clientes 8,9% N/D Outros 6,5% N/D no comparativo com 2007, observamos que Preço e Experiência / Atuação no Segmento constituem os dois principais critérios de seleção de um Operador Logístico /Transportadora. portanto, Embarcadores querem empresas cada vez mais especializadas e baratas!

39 Tomada de Decisão de Terceirização Logística Diretoria 74,1% Gerência 24,1% Coordenação 1,8% Total 100,0% observamos que a decisão de terceirização logística está concentrada nos altos níveis hierárquicos, envolvendo diretamente os diretores das empresas. 39

40 Tomada de Decisão de Terceirização Logística Diretoria 74,1% 75,8% Gerência 24,1% 18,2% Coordenação 1,8% 6,1% Total 100,0% 100,1% 40 no comparativo 2009 x 2007, vemos que aumenta a participação do nível gerencial no processo decisório e diminui a participação de níveis de Coordenação e Supervisão. a decisão de terceirização logística é cada vez mais vista como uma decisão tática e estratégica, exigindo dos Operadores Logísticos e Transportadoras uma melhor preparação e argumentação técnica.

41 Nível Hierárquico do Profissional de Logística nos Embarcadores Diretor 30,0% Gerente 51,8% Coordenador 18,2% Outros 0,0% Total 100,0% 41 cada vez mais os Embarcadores delegam a níveis mais altos a gestão e operação da área de logística. da amostra de mais de 300 empresas pesquisadas, 30% delas já possui um Diretor de Logística, Operações ou Supply Chain.

42 Nível Hierárquico do Profissional de Logística nos Embarcadores Diretor 30,0% 27,3% Gerente 51,8% 49,5% Coordenador 18,2% 18,2% Outros 0,0% 5,0% Total 100,0% 100,0% 42 no comparativo com 2007, verificamos que o % de empresas com profissionais de Logística no nível de Diretoria salta de 27,3% pra 30,0% e no nível gerencial de 49,5% para 51,8%. por parte dos Embarcadores a atividade Logística é cada vez mais valorizada e entendida como um diferencial tático e estratégico.

43 Processo de Seleção de PSLTs 43 RFI / RFP 52,9% Simples Cotação 43,5% Indicações 2,9% Leilão Eletrônico 0,6% Outros 0,0% Total 100,0% a visão da Logística como um importante diferencial de competitividade e como um elemento cada vez mais tático e estratégico é confirmado na forma pelo qual os Prestadores de Serviços em Logística etransportes (PSLTs) são selecionados. 52,9% das empresas pesquisadas utilizam um estruturado processo de RFI (Request for Information) e RFP (Request for Proposal). 43,5% das empresas ainda utilizam o tradicional método de cotação simples e apenas 2,9% trabalham com indicações. Felizmente, o processo de leilão eletrônico parece estar definitivamente morto, já que apenas 0,6% das empresas ainda utilizam essa ferramenta.

44 Processo de Seleção de PSLTs RFI / RFP 52,9% 54,5% Simples Cotação 43,5% 35,4% Indicações 2,9% 4,0% Leilão Eletrônico 0,6% 1,0% Outros 0,0% 5,1% Total 100,0% 100,0% 44 no comparativo 2009 x 2007, observamos que o simples processo de cotação avança de 35,4% das preferências para 43,5% enquanto que o processo de RFI / RFP praticamente mantém-se, variando pouco de 54,5% para 52,9%.

45 Serviços Terceirizados Serviço % Distribuição de Produtos Acabados 85,2% Coleta / Transporte de Insumos 65,7% Despacho Aduaneiro 58,6% Transferência entre CD e Fábrica 53,3% Freight Forwarding 40,8% Logística Reversa 36,1% Armazenagem Externa 33,1% Movimentação e Armazenagem in-house 15,4% Gestão de Transportes 14,8% Abastecimento de Linhas Produtivas 10,7% Serviços de Valor Agregado em Armazéns 8,3% Gestão de Estoques 6,5% Outros 1,8% 45 a Distribuição de Produtos Acabados é o serviço de maior nível de terceirização atualmente, apresentando, portanto, poucas oportunidades para os Operadores Logísticos e Transportadoras, já que, normalmente, a mudança de parceiro envolve redução de custos.

46 Serviços a Terceirizar (Intenção do Embarcador em 2010) 46 Serviço % Movimentação e Armazenagem in-house 11,2% Armazenagem Externa 10,1% Outros 8,3% Gestão de Transportes 7,7% Serviços de Valor Agregado em Armazéns 6,5% Distribuição de Produtos Acabados 5,9% Gestão de Estoques 5,9% Transferência entre CD e Fábrica 5,3% Abastecimento de Linhas Produtivas 4,7% Coleta / Transporte de Insumos 4,1% Freight Forwarding 3,6% Logística Reversa 3,0% Despacho Aduaneiro 3,0% apresentam-se como melhores oportunidades a Movimentação e Armazenagem In- House (nas instalações do cliente), a Armazenagem Externa, a Gestão de Transportes e os Serviços de Valor Agregado em Armazéns (rotulagem, etiquetagem, embalagens especiais, embalagens comemorativas, paletização, repaletização, etc.)

47 Formas de Remuneração dos Serviços Logísticos 47 Forma de Remuneração % Tonelada transportada 53,3% Viagem realizada 42,0% % da NF ou do faturamento 23,1% m² ou m³ armazenado ou transportado 20,1% % do custo da operação 5,3% Baseado em ganhos gerados 2,4% Outros 0,0% a forma de remuneração mais utilizada pelos Embarcadores ainda é o tradicional R$/tonelada transportada e R$/viagem realizada. alguns setores utilizam o % da NF ou do faturamento, muito comum em empresas do segmento de alta tecnologia e eletrodomésticos. práticas diferenciadas, como Baseado em Ganhos Gerados ainda são embrionárias no Brasil.

48 Índices de Reajuste de Contratos Índice Utilizado % IGPM 32,0% Indicadores próprios 26,6% Outros 16,6% Cesta de Indicadores 14,2% Gatilho para os principais custos 10,1% IPCA 7,7% INCT-F ou INCT-L 7,7% 48 o IGPM mantém-se como o principal índice de reajuste dos contratos logísticos, embora não tenha nenhuma relação direta com os itens de custo mais representativos (diesel, pneu, salário do motorista, peças de manutenção, preço do veículo, etc.) começam a se destacar entre os índices de reajuste de contratos os Indicadores Próprios, desenvolvidos pelas empresas a partir da combinação de índices governamentais e índices setoriais.

49 Índices de Reajuste de Contratos Índice Utilizado % % IGPM 32,0% 37,4% Indicadores próprios 26,6% 22,2% Outros 16,6% 22,2% Cesta de Indicadores 14,2% 23,2% Gatilho para os principais custos 10,1% 18,2% IPCA 7,7% 10,1% INCT-F ou INCT-L 7,7% N/D 49 no comparativo com 2007, constatamos que o IGPM, apesar de ser ainda o principal índice de reajuste dos contratos logísticos, começa a perder importância, variando de 37,4% para 32,0%, enquanto que os Indicadores Próprios saltam de 22,2% para 26,6%. especial atenção deve ser dada pelos PSLTs a indicadores mirabolantes criados e propostos por seus Clientes.

50 Prazo dos Contratos Logísticos 50 o prazo médio dos contratos logísticos é de 2,3 anos.

51 Empresas Mais Admiradas (Pesquisa Espontânea) Empresa Votos DHL-Exel 14 Júlio Simões 12 Expresso Jundiaí 8 Atlas Logística e Transportes 7 Ceva Logistics 7 TNT Mercúrio 7 Rapidão Cometa 6 McLane 4 Tegma Logística 4 Transportadora Americana 4 AGV Logística 3 Bravo Servs. Logs. 3 Outras 16 empresas 2 Outras 91 empresas 1 Total ao todo foram computados 202 votos 16 empresas receberam 2 votos outras 92 diferentes empresas receberam um único voto

52 Empresas Mais Admiradas (Pesquisa Espontânea) Empresa Votos DHL-Exel 14 Júlio Simões 12 Expresso Jundiaí 8 Atlas Logística e Transportes 7 Ceva Logistics 7 TNT Mercúrio 7 Rapidão Cometa 6 McLane 4 Tegma Logística 4 Transportadora Americana 4 AGV Logística 3 Bravo Servs. Logs. 3 Outras 16 empresas 2 Outras 91 empresas 1 Pela segunda vez consecutiva a DHL Exel é reconhecida como a empresa mais admirada pelo mercado. Desta vez, seguida muito de perto pela JÚLIO SIMÕES, numa brilhante evolução, saltando de um único voto em 2007 para 12 votos em Em terceiro lugar, o EXPRESSO JUNDIAÍ, que na última pesquisa também havia obtido apenas 1 voto, mas que desta vez, atinge 8 votos. Total

53 Empresas com DOIS Votos 53 Empresa Votos Ativa Transp. Log. 2 Columbia 2 Gafor 2 Golden Cargo 2 Irapuru 2 Jamef 2 LDB Cargas 2 Mira 2 Pituta 2 Reus Transportes 2 Rodonaves 2 Schenker 2 Toniato 2 Transcamila Cargas 2 Transportes Bertolini 2 Transportadora Grande ABC 2

54 Empresas com UM Voto Empresas Votos Aliança 1 ALL Logística 1 Anacirema 1 Bami Transportes 1 BBS 1 Belmok 1 Brasilmaxi 1 Brasilway 1 Braspress 1 Cargolift 1 Cesari 1 Comvel 1 CSI Cargo 1 Dalçóquio 1 Dialog 1 Ebamag 1 Emece 1 Entregadora Dias 1 Essemaga Transportes 1 Exato Transportes 1 Expresso Minas Frios 1 Expresso Nepomuceno 1 Empresas Votos Expresso Renovação 1 Expresso Sul Americano 1 Ferreiro Torto 1 Figwal 1 FTLog 1 Giglio 1 Gold 1 Greenwich 1 Grupo Ultra 1 ID Logistics 1 IDF Transportes 1 Intercargas 1 Intracargo 1 Javali Transportes 1 Jolivan 1 KN 1 Leschaco 1 Libra Logística 1 Login Logística 1 LTA 1 Lubiani Logística 1 Luft 1 Mamuth Transportes 1 Empresas Votos Minás Goiás 1 Mitsui 1 Morada do Sol 1 Mosca 1 New Robótica 1 NIK Transportes 1 Ômega 1 Ouro Verde 1 Panalpina 1 PanCargo Express 1 Patrus 1 Pilati 1 Platinum Log Transp 1 Plimor 1 Quick Logística 1 Ramos Transportes 1 RM Transportes 1 Rodomax 1 Rodoviário Schio 1 Saratoga 1 Serrafrio 1 Servilog 1 Servipolo 1 Empresas Votos Sideral Transportes 1 Sirius Logística 1 Starlog 1 Sulista 1 Superpesa 1 TAM 1 TDB 1 Tio Carlo 1 Transiguaçu 1 Transligue 1 Translíquido 1 Translovato 1 Transmagna 1 Transmarcos 1 Transmiro 1 Transp. Massa Costa 1 Transportadora JPN 1 Transportadora Panex 1 Transrios 1 Transville 1 Trevel Cargo 1 Uti 1 Videira Transportes 1 54 Se a sua empresa não aparece sequer nesta lista, é importante repensar a estratégia de comunicação e marketing.

55 Conclusões Do lado dos Embarcadores percebemos um maior nível de profissionalização dado o melhor entendimento do papel e da importância da área de logística. Isso significa, por um lado, abertura a novas oportunidades de terceirização logística, mas também uma maior pressão QUALITATIVA, que se reflete na busca por melhor informação, ferramentas tecnológicas, pessoal qualificado, etc. Daí, o destaque dado ao Operador Logístico consolidado, de origem nacional, teoricamente mais preparado que as empresas de transporte ou Transportadoras com alguma atuação em logística. Operadores Logísticos internacionais enfrentarão mais dificuldades no mercado com o avanço das empresas nacionais e precisão rever seus produtos e sua abordagem comercial e mercadológica. Às Transportadoras convictas restará atuar em parceria com os Operadores Logísticos, focar em segmentos específicos e de baixo valor agregado ou iniciar um processo evolutivo para tornar-se um Operador Logístico em 2 a 4 anos. 55

56 Análise por SEGMENTOS III Panorama da Terceirização Logística no Brasil

57 Estratégia de Terceirização Logística adotada pela Empresa Estratégia de Alimentos Alta Automotivo Farmacêutico Terceirização Logística e Bebidas Tecnologia e Autopeças atuar com operação própria 11,1% 6,3% 5,3% 0,0% parcial com enfoque em transportes 44,4% 31,3% 47,4% 66,7% parcial com enfoque ampliado em logística 25,9% 37,5% 26,3% 22,2% total com atividades de gestão e operação logística 18,5% 25,0% 21,1% 11,1% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Estratégia de Higiene Pessoal Papel e Químico e Têxtil Terceirização Logística e Cosméticos Celulose Petroquímico atuar com operação própria 12,5% 16,7% 0,0% 0,0% parcial com enfoque em transportes 37,5% 83,3% 20,0% 100,0% parcial com enfoque ampliado em logística 37,5% 0,0% 66,7% 0,0% total com atividades de gestão e operação logística 12,5% 0,0% 13,3% 0,0% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 57

58 Perfil do Parceiro Logístico Desejado Perfil do PSLT Alimentos Alta Automotivo Farmacêutico desejado e Bebidas Tecnologia e Autopeças empresa do TRC 14,8% 6,3% 25,0% 22,2% empresa do TRC atuante em Logística 25,9% 37,5% 30,0% 55,6% Operador Logístico nacional 55,6% 31,3% 20,0% 22,2% Operador Logístico internacional 3,7% 25,0% 25,0% 0,0% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Perfil do PSLT Higiene Pessoal Papel e Químico e Têxtil desejado e Cosméticos Celulose Petroquímico empresa do TRC 12,5% 35,7% 6,3% 0,0% empresa do TRC atuante em Logística 12,5% 50,0% 43,8% 85,7% Operador Logístico nacional 62,5% 14,3% 37,5% 14,3% Operador Logístico internacional 12,5% 0,0% 12,5% 0,0% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 58

59 Resultados com a Terceirização Logística - CUSTOS Impacto em Alimentos Alta Automotivo Farmacêutico CUSTO e Bebidas Tecnologia e Autopeças muito positivo 11,1% 20,0% 5,0% 0,0% positivo 59,3% 73,3% 70,0% 55,6% baixo impacto 25,9% 6,7% 25,0% 44,4% nenhum impacto 3,7% 0,0% 0,0% 0,0% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Impacto em Higiene Pessoal Papel e Químico e Têxtil CUSTO e Cosméticos Celulose Petroquímico muito positivo 16,7% 7,7% 18,8% 14,3% positivo 83,3% 61,5% 62,5% 85,7% baixo impacto 0,0% 23,1% 18,8% 0,0% nenhum impacto 0,0% 7,7% 0,0% 0,0% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 59

Brochura - Panorama ILOS

Brochura - Panorama ILOS Brochura - Panorama ILOS c Custos Logísticos no Brasil - 2014 - Apresentação O tema custos é uma preocupação recorrente dos executivos de logística no Brasil. Por isso, de dois em dois anos, o ILOS vai

Leia mais

Artigo publicado. na edição 29. www.revistamundologistica.com.br. Assine a revista através do nosso site. julho e agosto de 2012

Artigo publicado. na edição 29. www.revistamundologistica.com.br. Assine a revista através do nosso site. julho e agosto de 2012 Artigo publicado na edição 29 Assine a revista através do nosso site julho e agosto de 2012 www.revistamundologistica.com.br Paulo Guedes :: opinião O crescimento dos Gastos Logísticos no Brasil e no mundo

Leia mais

ATENÇÃO. Apresentação

ATENÇÃO. Apresentação Apresentação O tema logística reversa vem crescendo em importância entre as empresas desde a regulamentação da Política Nacional de Resíduos Sólidos. Com as novas exigências, as empresas precisam buscar

Leia mais

Brochura - Panorama ILOS

Brochura - Panorama ILOS Brochura - Panorama ILOS Planejamento no Supply Chain - 2015 - Apresentação As empresas devem garantir que suas cadeias de suprimento estejam preparadas para um mercado em constante modificação. Planejar

Leia mais

Artigo publicado. na edição 17. www.revistamundologistica.com.br. Assine a revista através do nosso site. julho e agosto de 2010

Artigo publicado. na edição 17. www.revistamundologistica.com.br. Assine a revista através do nosso site. julho e agosto de 2010 Artigo publicado na edição 17 Assine a revista através do nosso site julho e agosto de 2010 www.revistamundologistica.com.br :: artigo 2010 Práticas Logísticas Um olhar sobre as principais práticas logísticas

Leia mais

O Supply Chain Evoluiu?

O Supply Chain Evoluiu? O Supply Chain Evoluiu? Apresentação - 24º Simpósio de Supply Chain & Logística 0 A percepção de estagnação do Supply Chain influenciada pela volatilidade do ambiente econômico nos motivou a entender sua

Leia mais

Julio Nascif Xavier 31-3227-2705 nascif@tecem.com.br

Julio Nascif Xavier 31-3227-2705 nascif@tecem.com.br abraman Congresso de Manutenção - 2001 EFEITOS DA TERCEIRIZAÇÃO SOBRE A MANUTENÇÃO Julio Nascif Xavier 31-3227-2705 nascif@tecem.com.br Terceirização é a transferência para terceiros de atividades que

Leia mais

Brochura - Panorama ILOS Terceirização Logística no Brasil - 2014 -

Brochura - Panorama ILOS Terceirização Logística no Brasil - 2014 - Brochura - Panorama ILOS Terceirização Logística no Brasil - 2014 - Apresentação A terceirização de atividades logísticas no Brasil tem sido motivada pela redução de custos e melhoria nas operações logísticas.

Leia mais

Logistica e Distribuição. Conceito. Nomenclatura dos Operadores Logísticos

Logistica e Distribuição. Conceito. Nomenclatura dos Operadores Logísticos A terceirização de serviços logísticos se constitui uma das Logística e Distribuição novas tendências da prática empresarial moderna, principalmente dentro dos conceitos da Gestão da Cadeia de Suprimentos

Leia mais

2013 Inventta Todos os direitos reservados.

2013 Inventta Todos os direitos reservados. Agenda Quem Somos Gerindo a Inovação nas Empresas Estímulos Governamentais à Inovação Resultados da pesquisa FDC/Inventta Conclusões O GRUPO A Inventta é uma consultoria especializada em gestão da inovação,

Leia mais

Brochura - Panorama ILOS

Brochura - Panorama ILOS Brochura - Panorama ILOS Transporte Rodoviário de Cargas no Brasil A percepção das empresas contratantes de transporte 2ª Edição Revisada e Ampliada em 2014 Apresentação O Panorama ILOS Transporte Rodoviário

Leia mais

Pesquisa sobre Logística no E-commerce Brasileiro 2013

Pesquisa sobre Logística no E-commerce Brasileiro 2013 Pesquisa sobre Logística no E-commerce Brasileiro 2013 www.brazilpanels.com.br www.abcomm.com.br www.ecommerceschool.com.br Apoio: INTRODUÇÃO A Logística foi escolhida para ser o tema do primeiro estudo

Leia mais

Práticas da gestão do transporte rodoviário de cargas nas empresas (Parte 1)

Práticas da gestão do transporte rodoviário de cargas nas empresas (Parte 1) Práticas da gestão do transporte rodoviário de cargas nas empresas (Parte 1) Rachel Fanti Coelho Lima O objetivo deste artigo é apresentar algumas práticas e decisões gerenciais que vêm sendo adotadas

Leia mais

TENDÊNCIAS E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS 2015

TENDÊNCIAS E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS 2015 TENDÊNCIAS E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS 2015 CONTEÚDO 1. Como estamos até agora? 2. O que vem por aí... 3. Prioridades do RH para 2015 4. Nossa visão de 2015 01 COMO ESTAMOS ATÉ AGORA? PERFIL DOS PARTICIPANTES

Leia mais

CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014. Logística, Supply Chain e Infraestrutura. Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura

CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014. Logística, Supply Chain e Infraestrutura. Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014 Logística, Supply Chain e Infraestrutura Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura Paulo Tarso Vilela de Resende Paulo Renato de Sousa Bolsistas Fapemig Gustavo

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

Um olhar sobre a implantação do conceito de integração financeira na cadeia de suprimentos das organizações.

Um olhar sobre a implantação do conceito de integração financeira na cadeia de suprimentos das organizações. Supply Chain Finance 2011 Supply Chain Finance 2011 3 Supply Chain Finance 2011 Um olhar sobre a implantação do conceito de integração financeira na cadeia de suprimentos das organizações. Autor: Vanessa

Leia mais

Brochura - Panorama ILOS. Supply Chain Finance Como o Supply Chain pode contribuir no planejamento financeiro das empresas - 2015 -

Brochura - Panorama ILOS. Supply Chain Finance Como o Supply Chain pode contribuir no planejamento financeiro das empresas - 2015 - Brochura - Panorama ILOS Supply Chain Finance Como o Supply Chain pode contribuir no planejamento financeiro das empresas - 2015 - Por que adquirir este Panorama ILOS? O Supply Chain Finance é a forma

Leia mais

Pesquisa TERCEIRIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO NO BRASIL

Pesquisa TERCEIRIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO NO BRASIL Pesquisa TERCEIRIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO NO BRASIL Data da Pesquisa: Junho 2009 Realização: Pesquisa realizada através do Site www.indicadoresdemanutencao.com.br Divulgação e Colaboração: Divulgação e colaboração

Leia mais

Balanço Mercado de Trabalho 2014

Balanço Mercado de Trabalho 2014 Balanço Mercado de Trabalho 2014 x Resultados Fevereiro/2015 Apresentação Respondentes: 1016 profissionais do LinkedIn Período: de 15/jan/2015 a 10/fev/2015 Público:participantes dos seguintes grupos de

Leia mais

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 141 A LOGÍSTICA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Douglas Fernandes 1, Josélia Galiciano Pedro 1 Docente do Curso Superior

Leia mais

Software de gerenciamento de trabalho

Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho GoalPost O software de gerenciamento de trabalho (LMS) GoalPost da Intelligrated fornece informações sob demanda para medir,

Leia mais

Pesquisa Logística no E-commerce Brasileiro 2015 Mauricio Salvador Presidente

Pesquisa Logística no E-commerce Brasileiro 2015 Mauricio Salvador Presidente Pesquisa Logística no E-commerce Brasileiro 2015 Mauricio Salvador Presidente AGRADECIMENTOS! A ABComm agradece o apoio dos mantenedores 2015 METODOLOGIA Foram coletados 451 questionários válidos no campo

Leia mais

Navegação de Cabotagem no Brasil. João Guilherme Araujo. Novembro/2013

Navegação de Cabotagem no Brasil. João Guilherme Araujo. Novembro/2013 Navegação de Cabotagem no Brasil João Guilherme Araujo Novembro/2013 Agenda Porque falar de Cabotagem? Cabotagem no Brasil Pontos Favoráveis e Desfavoráveis Números da Cabotagem no Brasil Cabotagem de

Leia mais

35 a Convenção Anual do Atacadista Distribuidor. Desafios da Logística para Empresas do Setor

35 a Convenção Anual do Atacadista Distribuidor. Desafios da Logística para Empresas do Setor 35 a Convenção Anual do Atacadista Distribuidor Desafios da Logística para Empresas do Setor PAULO RESENDE, Ph.D. Fortaleza 2015 PRINCIPAIS TÓPICOS DE ABORDAGEM A fonte dos desafios logísticos no Brasil

Leia mais

ENTREVISTA EXCLUSIVA COM O PALESTRANTE

ENTREVISTA EXCLUSIVA COM O PALESTRANTE 20-21 Maio de 2013 Tivoli São Paulo Mofarrej São Paulo, Brasil ENTREVISTA EXCLUSIVA COM O PALESTRANTE Fernando Cotrim Supply Chain Director, Rio 2016 Perguntas: Quais são os desafios de gerenciar o Supply

Leia mais

Vantagens competitivas e estratégicas no uso de operadores logísticos. Prof. Paulo Medeiros

Vantagens competitivas e estratégicas no uso de operadores logísticos. Prof. Paulo Medeiros Vantagens competitivas e estratégicas no uso de operadores logísticos Prof. Paulo Medeiros Introdução nos EUA surgiram 100 novos operadores logísticos entre 1990 e 1995. O mercado para estas empresas que

Leia mais

Gestão orçamentária na Construção Civil

Gestão orçamentária na Construção Civil Um retrato dos desafios, práticas e resultados do planejamento orçamentário Maio, 2014 Agenda Metodologia e amostra Desafios e cultura da organização na gestão orçamentária Processos e riscos do planejamento

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

Pesquisa sobre: Panorama da Gestão de Estoques

Pesquisa sobre: Panorama da Gestão de Estoques Pesquisa sobre: Panorama da Gestão de Estoques Uma boa gestão de estoques comprova sua importância independente do segmento em questão. Seja ele comércio, indústria ou serviços, o profissional que gerencia

Leia mais

GRUPO OURO FINO DEPARTAMENTO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO MODELO DE GESTÃO INOVAÇÃO ABERTA

GRUPO OURO FINO DEPARTAMENTO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO MODELO DE GESTÃO INOVAÇÃO ABERTA GRUPO OURO FINO DEPARTAMENTO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO MODELO DE GESTÃO INOVAÇÃO ABERTA Ms.Lucimara C. Toso Bertolini. Gerente PD&I OURO FINO AGRONEGÓCIOS DIVISÃO SAÚDE ANIMAL 1987: Nasce a Ouro Fino

Leia mais

O faturamento das respondentes equivale a cerca de 17% do PIB brasileiro.

O faturamento das respondentes equivale a cerca de 17% do PIB brasileiro. Autores Paulo Tarso Vilela de Resende Paulo Renato de Sousa Bolsistas Fapemig Gustavo Alves Caetano André Felipe Dutra Martins Rocha Elias João Henrique Dutra Bueno Estudo realizado com 111 empresas. O

Leia mais

Uma situação típica...

Uma situação típica... Uma situação típica... A Empresa X é do setor têxtil Tamanho - Micro-Pequena (9 Operários) Produção Diversificada (aproximadamente 800 itens) Cartela de cores com aproximadamente 100 cores variáveis Pedido

Leia mais

Curso Intensivo. Logística Farmacêutica

Curso Intensivo. Logística Farmacêutica Curso Intensivo Logística Farmacêutica O EaDPLUS é um dos melhores portais de cursos à distância do Brasil e conta com um ambiente virtual de aprendizagem que visa a capacitação profissional objetivando

Leia mais

Operadores Logísticos : uma tendência nos sistemas de distribuição das empresas brasileiras?

Operadores Logísticos : uma tendência nos sistemas de distribuição das empresas brasileiras? Operadores Logísticos : uma tendência nos sistemas de distribuição das empresas brasileiras? Introdução O Contexto econômico do mundo globalizado vem sinalizando para as empresas que suas estratégias de

Leia mais

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010 Metodologia Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Através de e-survey - via web Público Alvo: Executivos de empresas associadas e não associadas à AMCHAM Amostra: 500 entrevistas realizadas Campo: 16

Leia mais

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza edwin@engenharia-puro.com.br www.engenharia-puro.com.br/edwin Gerenciamento Logístico Gerenciamento Logístico A missão do gerenciamento logístico é planejar

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C Mídias sociais como apoio aos negócios B2C A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

Reduza custos. Potencialize o valor da TI em seus negócios.

Reduza custos. Potencialize o valor da TI em seus negócios. Reduza custos. Potencialize o valor da TI em seus negócios. Autor: Douglas Marcos da Silva 7 Sumário Executivo Nas últimas décadas, a evolução tecnológica, a interdependência dos mercados e a intensificação

Leia mais

NeoGrid & Ciclo Desenvolvimento

NeoGrid & Ciclo Desenvolvimento Inteligência e Colaboração na Cadeia de Suprimentos e Demanda NeoGrid & Ciclo Desenvolvimento Paulo Viola paulo.viola@neogrid.com Introdução Tema: Inteligência e Colaboração na Cadeia de Suprimentos e

Leia mais

Por que escolher a Oplay Logística?

Por que escolher a Oplay Logística? Por que escolher a Oplay Logística? Porque a Oplay Logística tem soluções completas e inovadoras que a sua empresa precisa. Porque a Oplay Logística oferece serviços diferenciados desenhados de acordo

Leia mais

FEA. Desenvolvimento de Profissionais de Logística com Foco nos Resultados dos Negócios. Sergio Rodrigues Bio

FEA. Desenvolvimento de Profissionais de Logística com Foco nos Resultados dos Negócios. Sergio Rodrigues Bio FEA Desenvolvimento de Profissionais de Logística com Foco nos Resultados dos Negócios Sergio Rodrigues Bio Centro Breve Apresentação USP 6 campi, 5.000 profs. 60.000 alunos Cerca de 30% da produção científica

Leia mais

Brochura - Panorama ILOS Portos Brasileiros Inclui capítulo sobre Cabotagem

Brochura - Panorama ILOS Portos Brasileiros Inclui capítulo sobre Cabotagem Brochura - Panorama ILOS Portos Brasileiros Inclui capítulo sobre Cabotagem - 2015 - Pré-Venda Pré-Venda Ao garantir o Panorama ILOS Portos Brasileiros Avaliação dos Usuários e Análise de Desempenho 2015

Leia mais

Processo de Negociação. Quem somos. Nossos Serviços. Clientes e Parceiros

Processo de Negociação. Quem somos. Nossos Serviços. Clientes e Parceiros Quem somos Nossos Serviços Processo de Negociação Clientes e Parceiros O NOSSO NEGÓCIO É AJUDAR EMPRESAS A RESOLVEREM PROBLEMAS DE GESTÃO Consultoria empresarial a menor custo Aumento da qualidade e da

Leia mais

Profissionais de sustentabilidade Atuação, projetos e aspirações. Pesquisa 2015

Profissionais de sustentabilidade Atuação, projetos e aspirações. Pesquisa 2015 Profissionais de sustentabilidade Atuação, projetos e aspirações Pesquisa 2015 O agente do crescimento sustentável A Deloitte e a Associação Brasileira dos Profissionais de Sustentabilidade (ABRAPS) apresentam

Leia mais

Yusen Logistics do Brazil. Supply Chain Solutions

Yusen Logistics do Brazil. Supply Chain Solutions Yusen Logistics do Brazil Supply Chain Solutions Yusen Logistics Group NYK A YUSEN LOGISTICS é uma empresa do Grupo NYK (fundada em Tóquio em 1885), que atua na gestão do fluxo de bens, serviços e informações

Leia mais

ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO

ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO PLANEJAMENTO, SEGMENTAÇÃO E AÇÕES DE PROMOÇÃO CASO ABIHPEC EIXOS ESTRATÉGICOS DO PROJETO DE (Resultado do Workshop out 2008) Objetivos Relacionados: 11 - AUMENTAR A DECLARAÇÃO

Leia mais

ABDI A 2004 11.080) O

ABDI A 2004 11.080) O Atualizada em 28 de julho de 2010 Atualizado em 28 de julho de 2010 1 ABDI ABDI A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial foi instituída em dezembro de 2004 com a missão de promover a execução

Leia mais

LOGÍSTICA MADE DIFFERENT LOGÍSTICA

LOGÍSTICA MADE DIFFERENT LOGÍSTICA LOGÍSTICA MADE DIFFERENT LOGÍSTICA ENTREGA ESPECIAL Na economia globalizada 24/7 de hoje, a logística e a gestão de armazéns eficientes são essenciais para o sucesso operacional. O BEUMER Group possui

Leia mais

FRATTINI. Associados. Econômico. Agosto/14

FRATTINI. Associados. Econômico. Agosto/14 Agosto/14 Sumário ECONOMIA MELHORES & MAIORES 2014 ECONOMIA Inflação PIB Fonte: Veja, Julho 2014 Fonte: Veja, Julho 2014 Inflação Inflação continua preocupando em 2015. Fonte: Itaú BBA, Julho/14 Inflação

Leia mais

DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT Artigo para a Revista Global Fevereiro de 2007 DIFERENTES INTERPRETAÇÕES DO CONCEITO DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT O conceito de Supply Chain Management (SCM), denominado Administração da Cadeia de Abastecimento

Leia mais

Aula 2º bim. GEBD dia16/10

Aula 2º bim. GEBD dia16/10 Aula 2º bim. GEBD dia16/10 Compras e Manufatura (produção) O ciclo de compras liga uma organização a seus fornecedores. O ciclo de manufatura envolve a logística de apoio à produção. O ciclo de atendimento

Leia mais

ADM 250 capítulo 13 - Slack, Chambers e Johnston

ADM 250 capítulo 13 - Slack, Chambers e Johnston ADM 250 capítulo 13 - Slack, Chambers e Johnston 20030917 Adm250 Administração da Produção 1 Planejamento e Controle Recursos de entrada a serem transformados Materiais Informação Consumidores AMBIENTE

Leia mais

5. Mapeamento da oferta de transportes (RFI)

5. Mapeamento da oferta de transportes (RFI) 52 5. Mapeamento da oferta de transportes (RFI) Para mapear a oferta, uma Request for Information (RFI) foi lançada no mercado, pela empresa pesquisada, com o objetivo de levantar informações adicionais

Leia mais

Plataforma FIESP Serviços Prestados à Indústria Paulista

Plataforma FIESP Serviços Prestados à Indústria Paulista Plataforma FIESP Serviços Prestados à Indústria Paulista Pesquisa sobre Fatores Facilitadores e Limitadores da Terceirização de Serviços na Indústria Prof. Isaias Custodio Faculdade de Economia, Administração

Leia mais

QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL. Agosto de 2013

QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL. Agosto de 2013 QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL Agosto de 2013 PRINCIPAIS CADEIAS PRODUTIVAS Soja, milho e bovinos AGROPECUÁRIA AÇÚCAR E ÁLCOOL Soja, milho e bovinos Cana de açúcar MINERAÇÃO E SIDERURGIA

Leia mais

Guia de Boas Práticas para a elaboração de uma Concorrência

Guia de Boas Práticas para a elaboração de uma Concorrência Guia de Boas Práticas para a elaboração de uma Concorrência Comitê de Agências Gestão 2008 ÍNDICE OBJETIVO DO DOCUMENTO... 3 DEFINIÇÕES... 4 PONTOS PARA A ELABORAÇÃO DE UMA CONCORRÊNCIA... 5 RFI: Quando

Leia mais

5 Objetivos Principais

5 Objetivos Principais A Rainforest Business School Escola de Negócios Sustentáveis de Floresta Tropical Instituto de Estudos Avançados Universidade de São Paulo (USP) Programa de Pesquisa Amazônia em Transformação (AmazonIEA)

Leia mais

Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT CIÊNCIAS CONTÁBEIS e ADMINISTRAÇÃO Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT maio/2014 APRESENTAÇÃO Em um ambiente onde a mudança é a única certeza e o número de informações geradas é desmedido,

Leia mais

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc. FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

Leia mais

Custos Logísticos. Não basta somente realizar tarefas, é preciso ser assertivo.

Custos Logísticos. Não basta somente realizar tarefas, é preciso ser assertivo. É todo custo gerado por operações logística em uma empresa, visando atender as necessidades dos clientes de qualidade custo e principalmente prazo. Não basta somente realizar tarefas, é preciso ser assertivo.

Leia mais

Despesas de Viagem. Estudo

Despesas de Viagem. Estudo Despesas de Viagem 2014 Estudo SOBRE O ESTUDO A Carreira Muller, empresa especializada em consultoria de gestão de pessoas, desenvolveu o estudo Despesas de Viagens com o objetivo de publicar valores e

Leia mais

Excelência operacional

Excelência operacional Excelência operacional o pilar para obter um crescimento lucrativo na Colômbia POR: DAVID MONROY E ROBERTO PALACIOS, SINTEC Siga-nos: @Perspectiva Sintec @Sintec_ @PerspectivaSintec Introdução Toda empresa

Leia mais

Paulo Gadas JUNHO-14 1

Paulo Gadas JUNHO-14 1 Paulo Gadas JUNHO-14 1 Cadeia de Suprimentos Fornecedor Fabricante Distribuidor Loja Paulo Gadas JUNHO-14 2 Exemplo de cadeia de suprimentos Fornecedores de matériaprima Indústria principal Varejistas

Leia mais

E-BUSINESS: O USO CORPORATIVO DA INTERNET

E-BUSINESS: O USO CORPORATIVO DA INTERNET ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 2 - AO2 GERÊNCIA SETORIAL DE COMÉRCIO E SERVIÇOS Data: Junho/2000 N o 15 E-BUSINESS: O USO CORPORATIVO DA INTERNET INTRODUÇÃO As empresas que, de alguma forma, estão envolvidas

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE TERCEIRIZAÇÃO - TST -

AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE TERCEIRIZAÇÃO - TST - AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE TERCEIRIZAÇÃO - TST - (4 e 5 de outubro de 2011) PROF. LÍVIO GIOSA PROF. LÍVIO GIOSA Administrador de Empresas com Pós Graduação em Business Administration pela New York University

Leia mais

Pesquisa Nacional Práticas e Resultados da Educação Corporativa 2009

Pesquisa Nacional Práticas e Resultados da Educação Corporativa 2009 Pesquisa Nacional Práticas e Resultados da Educação Corporativa 2009 Apresentação e discussão dos resultados do Setor Financeiro 1º Congresso Latino-Americano de Educação Financeira São Paulo,21 de outubro

Leia mais

PLATAFORMA DE NEGÓCIOS

PLATAFORMA DE NEGÓCIOS SOBRE NOSSA PLATAFORMA COMPLETA A Plataforma de Negocio da Tommasi foi formada ao longo de 20 anos de experiência no ramo de importação e exportação e de uma equipe especializada para formação de uma estrutura

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

Marketing Visão 360º. O nosso objetivo é ter uma visão ampla dos temas de Marketing, abordando os seguintes tópicos.

Marketing Visão 360º. O nosso objetivo é ter uma visão ampla dos temas de Marketing, abordando os seguintes tópicos. Marketing Visão 360º O Mundo do Marketing em parceria com a TNS Research International está realizando pesquisas mensais com profissionais da área de marketing para investigar temas relacionados ao dia-a-dia

Leia mais

StrategicSourcing. 4. Desenvolver. 5. Conduzir Análise de Fornecedores. Modelo de. Novos Modelos Fornecimento

StrategicSourcing. 4. Desenvolver. 5. Conduzir Análise de Fornecedores. Modelo de. Novos Modelos Fornecimento Aprenda a utilizar......a Metodologia que alavanca resultados de forma sustentável. Aproveite e incremente os seus conhecimentos na prática de compras, mais aplicada nas organizações de alto desempenho.

Leia mais

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Uma evolução nos sistemas de controle gerencial e de planejamento estratégico Francisco Galiza Roteiro Básico 1 SUMÁRIO:

Leia mais

Recursos Humanos Prof. Angelo Polizzi. Logística Empresarial e Sistema Integrado. Objetivos do Tema. Logística

Recursos Humanos Prof. Angelo Polizzi. Logística Empresarial e Sistema Integrado. Objetivos do Tema. Logística Recursos Humanos Prof. Angelo Polizzi e Sistema Integrado Objetivos do Tema Apresentar: Uma visão da logística e seu desenvolvimento com o marketing. A participação da logística como elemento agregador

Leia mais

DHL OCEAN DIRECT (FCL) A CONFIABILIDADE QUE VOCÊ EXIGE A FLEXIBILIDADE QUE VOCÊ PRECISA

DHL OCEAN DIRECT (FCL) A CONFIABILIDADE QUE VOCÊ EXIGE A FLEXIBILIDADE QUE VOCÊ PRECISA DHL OCEAN DIRECT (FCL) A CONFIABILIDADE QUE VOCÊ EXIGE A FLEXIBILIDADE QUE VOCÊ PRECISA POR QUE ESCOLHER O DHL OCEAN DIRECT (FCL) EXPERIÊNCIA EM LOGÍSTICA PARA NEGÓCIOS DE TODOS OS TAMANHOS Nossa experiência

Leia mais

Desafios para a Indústria Eletroeletrônica

Desafios para a Indústria Eletroeletrônica Desafios para a Indústria Eletroeletrônica 95 O texto aponta as características das áreas da indústria eletroeletrônica no país e os desafios que este setor tem enfrentado ao longo das últimas décadas.

Leia mais

10º Estudo da Gestão de TI no Brasil

10º Estudo da Gestão de TI no Brasil www.pwc.com/br 10º Estudo da Gestão de TI no Brasil Sumário executivo Maio de 2011 PwC Índice Introdução Resultados Conclusão 3 5 11 1 1. Introdução A 10º edição do Estudo da Gestão de Tecnologia da

Leia mais

SENALIMP 2010 CLRB. CONSELHO DE LOGÍSTICA REVERSA DO BRASIL www.clrb.com.br clrb@clrb.com.br

SENALIMP 2010 CLRB. CONSELHO DE LOGÍSTICA REVERSA DO BRASIL www.clrb.com.br clrb@clrb.com.br SENALIMP 2010 CLRB CONSELHO DE LOGÍSTICA REVERSA DO BRASIL www.clrb.com.br clrb@clrb.com.br Missão Oferecer oportunidades de aumento de competitividade empresarial através da Logística Reversa. Objetivos

Leia mais

Logística Empresarial. Global Sourcing A Globalização e a Nova Visão da Logística Parte II. Aula 6. Conceitos Importantes.

Logística Empresarial. Global Sourcing A Globalização e a Nova Visão da Logística Parte II. Aula 6. Conceitos Importantes. Logística Empresarial Aula 6 Global Sourcing A Globalização e a Nova Visão da Logística Parte II Prof. Me. John Jackson Buettgen Contextualização Conceitos Importantes Fluxos logísticos É o movimento ou

Leia mais

Nos últimos anos, o setor de seguros brasileiro vem sofrendo uma. série de transformações. Algumas delas podem ser visualizadas na

Nos últimos anos, o setor de seguros brasileiro vem sofrendo uma. série de transformações. Algumas delas podem ser visualizadas na Visão das Seguradoras: Uma análise da distribuição de seguros no Brasil Francisco Galiza Mestre em Economia (FGV), membro do Conselho Editorial da FUNENSEG, catedrático pela ANSP e sócio da empresa "Rating

Leia mais

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA:

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA: Prof. Jean Cavaleiro Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA: PRODUÇÃO E COMÉRCIO Introdução Entender a integração logística. A relação produção e demanda. Distribuição e demanda. Desenvolver visão sistêmica para

Leia mais

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos Profª Caroline Pauletto Spanhol Cadeia de Abastecimento Conceitos e Definições Elementos Principais Entendendo a Cadeia de Abastecimento Integrada Importância

Leia mais

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

Exportação de Serviços

Exportação de Serviços Exportação de Serviços 1. Ementa O objetivo deste trabalho é dar uma maior visibilidade do setor a partir da apresentação de algumas informações sobre o comércio exterior de serviços brasileiro. 2. Introdução

Leia mais

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO COMO AS MUDANÇAS NAS ORGANIZAÇÕES ESTÃO IMPACTANDO A ÁREA DE RECURSOS HUMANOS Paola Moreno Giglioti Administração

Leia mais

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS.

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. A Rio Quality existe com o objetivo de proporcionar a total satisfação dos clientes e contribuir para o sucesso de todos. Essa integração se dá através do investimento

Leia mais

GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro

GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro Matheus de Aguiar Sillos matheus.sillos@pmlog.com.br AGV Logística Rua Edgar Marchiori, 255, Distrito

Leia mais

Transforme. Transforme a TI. a empresa. Três imperativos da TI para a transformação da empresa realizada pelo CIO em um mundo dinâmico.

Transforme. Transforme a TI. a empresa. Três imperativos da TI para a transformação da empresa realizada pelo CIO em um mundo dinâmico. TECH DOSSIER Transforme a TI Transforme a empresa Três imperativos da TI para a transformação da empresa realizada pelo CIO em um mundo dinâmico. Consolidar para conduzir a visibilidade da empresa e a

Leia mais

A importância estratégica da Logística na Siderurgia Brasileira

A importância estratégica da Logística na Siderurgia Brasileira A importância estratégica da Logística na Siderurgia Brasileira CARLOS JR. GERENTE DE PLANEJAMENTO INTEGRADO Jun/2013 Jorge Carlos Dória Jr. Votorantim Siderurgia Votorantim Siderurgia O Grupo Votorantim

Leia mais

CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014. Logística, Supply Chain e Infraestrutura. Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura

CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014. Logística, Supply Chain e Infraestrutura. Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014 Logística, Supply Chain e Infraestrutura Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura Autores Paulo Tarso Vilela de Resende Paulo Renato de Sousa Bolsistas Fapemig

Leia mais

ALÉM DO BID, COMO REALIZAR COM SUCESSO UM PROJETO DE TERCEIRIZAÇÃO DAS OPERAÇÕES LOGÍSTICAS

ALÉM DO BID, COMO REALIZAR COM SUCESSO UM PROJETO DE TERCEIRIZAÇÃO DAS OPERAÇÕES LOGÍSTICAS ALÉM DO BID, COMO REALIZAR COM SUCESSO UM PROJETO DE TERCEIRIZAÇÃO DAS OPERAÇÕES LOGÍSTICAS CAFÉ DA MANHÃ 17/03/2015 O MERCADO DE TERCEIRIZAÇÃO DAS OPERAÇÕES LOGÍSTICAS ESTÁ CRESCENDO 14,2% NO BRASIL Top

Leia mais

Bases Tecnológicas do curso de Logística 1991 3º Módulo

Bases Tecnológicas do curso de Logística 1991 3º Módulo Bases Tecnológicas do curso de Logística 1991 3º Módulo III.1 GESTÃO DE TRANSPORTES 1.1. O desenvolvimento econômico e o transporte. 1.2. A geografia brasileira, a infraestrutura dos estados, municípios

Leia mais

Grupo CARGO. Um jeito inteligente de fazer logística.

Grupo CARGO. Um jeito inteligente de fazer logística. Grupo CARGO Um jeito inteligente de fazer logística. Empresas do Grupo Cargo Iniciou suas atividades em 1.980 em Córdoba Argentina, prestando serviço no segmento de Transporte Nacional e Internacional.

Leia mais

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação Módulo 15 Resumo Neste módulo vamos dar uma explanação geral sobre os pontos que foram trabalhados ao longo desta disciplina. Os pontos abordados nesta disciplina foram: Fundamentos teóricos de sistemas

Leia mais

Estratégia de terceirização de serviços de transporte

Estratégia de terceirização de serviços de transporte Estratégia de terceirização de serviços de transporte Parte 1 Fábio Abrahão e Newton Soares Introdução Este artigo está dividido em duas partes. A primeira trata dos conceitos envolvidos na definição da

Leia mais

Benchmarking em Produtividade Industrial Como tornar-se uma empresa de Classe Mundial? Claudio Makarovsky Presidente Conselho de Óleo e Gás

Benchmarking em Produtividade Industrial Como tornar-se uma empresa de Classe Mundial? Claudio Makarovsky Presidente Conselho de Óleo e Gás Benchmarking em Produtividade Industrial Como tornar-se uma empresa de Classe Mundial? Claudio Makarovsky Presidente Conselho de Óleo e Gás Agenda O desafio lançado (Prominp IND - P&G 77) Centros de Excelência

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS P o r f.. E d E uar a d r o Oli l v i e v i e r i a

SISTEMAS INTEGRADOS P o r f.. E d E uar a d r o Oli l v i e v i e r i a SISTEMAS INTEGRADOS Prof. Eduardo Oliveira Bibliografia adotada: COLANGELO FILHO, Lúcio. Implantação de Sistemas ERP. São Paulo: Atlas, 2001. ISBN: 8522429936 LAUDON, Kenneth C.; LAUDON, Jane Price. Sistemas

Leia mais

OPERADORES LOGÍSTICOS. Realidade, Perspectivas e Expectativas no Brasil!

OPERADORES LOGÍSTICOS. Realidade, Perspectivas e Expectativas no Brasil! OPERADORES LOGÍSTICOS Realidade, Perspectivas e Expectativas no Brasil! OPERADOR LOGÍSTICO PROVEDOR DE SERVIÇOS LOGÍSTICOS TERCEIRIZADOS QUE, COM BASE EM CONTRATO, ATENDE A VÁRIAS OU TODAS AS NECESSIDADES

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 3. Gestão empresarial 3.1 Gestão empresarial Objetivo: prover

Leia mais

FUNDAÇÃO INSTITUTO DE ADMINISTRAÇÃO PROGRAMA DE ESTUDOS DO FUTURO. PESQUISA WebDelphi: PERSPECTIVAS DO EMPREGO E EMPREGABILIDADE

FUNDAÇÃO INSTITUTO DE ADMINISTRAÇÃO PROGRAMA DE ESTUDOS DO FUTURO. PESQUISA WebDelphi: PERSPECTIVAS DO EMPREGO E EMPREGABILIDADE FUNDAÇÃO INSTITUTO DE ADMINISTRAÇÃO PROGRAMA DE ESTUDOS DO FUTURO PESQUISA WebDelphi: PERSPECTIVAS DO EMPREGO E EMPREGABILIDADE SÍNTESE DOS RESULTADOS RODADA 1 SÃO PAULO OUTUBRO, 2004 Pesquisa WebDelphi:

Leia mais

LOGÍSTICA Prof. Edwin B. Mitacc Meza

LOGÍSTICA Prof. Edwin B. Mitacc Meza LOGÍSTICA Prof. Edwin B. Mitacc Meza Prova 1 09 de Maio de 2013 Nome: 1ª QUESTÃO (1,0) Segundo os dados divulgados pela ood and Agriculture Organization (AO, 2011) sobre as exportações brasileiras, em

Leia mais