GESTÃO DE RH COMO FATOR COMPETITIVO PARTICIPANTES. CÉLIA MARCONDES FERRAZ Coordenadora do Núcleo de Pessoas do PósGraduação da ESPM

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GESTÃO DE RH COMO FATOR COMPETITIVO PARTICIPANTES. CÉLIA MARCONDES FERRAZ Coordenadora do Núcleo de Pessoas do PósGraduação da ESPM"

Transcrição

1 Mesa-Redonda GESTÃO DE RH COMO FATOR COMPETITIVO LUIZ EDMUNDO PARTICIPANTES CÉLIA MARCONDES FERRAZ Coordenadora do Núcleo de Pessoas do PósGraduação da ESPM FRANCISCO GRACIOSO Conselheiro Associado da ESPM PAULO AMORIM LUIZ EDMUNDO PRESTES ROSA Diretor Corporativo/ Recursos Humanos América Latina da ACCOR MARCOS SPERA POLETTO Diretor de Recursos Humanos da Telhanorte PAULO AMORIM Diretor de Recursos Humanos da DELL 92 RJ. EROBERTO V I S T A D WHITAKER A E S P M JANEIRO / FEVEREIRO DE 2008 PENTEADO Moderador CÉLIA MARCONDES FERRAZ

2 J. ROBERTO WHITAKER PENTEADO Gestão de RH como fator competitivo FRANCISCO GRACIOSO Fotos: Jr. de Oliveira MARCOS SPERA POLETTO A Revis Revista vista istaa da ESPM reuniu destacados especialistas, de importantes empresas multinacionais convidou também a coordenadora do Núcleo de Pessoas do Pós-graduação para e con co conv vidou tam debater os melhores caminhos para preparar os líderes de pessoas do futuro; num de ebater bate sobre bater s o que se discute a importância das empresas na realização do sonho de todos moment momento omen em e qu brasileiros os brasile brasileiro os de ver o Brasil integrando o grupo de países desenvolvidos, tanto sob o ponto econômico, como no que diz respeito ao índice de desenvolvimento humano. de vista eco ec econ on onô nôm num mundo globalizado e com alta competitividade. E para serem vitoriosas Mas M vivemos vivem nu n e, conseqüentemente, ajudarem o nosso país, as empresas precisam renovar sua forma de atuar no mercado, jogando um jogo cujas regras ainda estão sendo inventadas. E é neste momento que o talento das pessoas se constitui num fator-chave de sucesso. Como formar líderes capazes de motivar, permitindo fazer fluir o seu melhor talento? Como garantir que as pessoas que agregam valor pelo que sabem e pelas informações que podem fornecer às organizações, se empenhem na construção desse sonho maior? Leia nas páginas a seguir, algumas das respostas que surgiram para estas dúvidas e outras que ocorreram ao longo do debate. JANEIRO / FEVEREIRO DE 2008 R E V I S T A D A E S P M 93

3 Mesa-Redonda A EMPRESA ESTAVA ENTENDENDO CADA VEZ MENOS DA PARTE MAIS POBRE DO NOSSO MERCADO. JR Estamos reunidos para falar sobre Recursos Humanos. Como as nossas empresas e instituições encaram o seu desenvolvimento a partir do desenvolvimento das suas pessoas? Gostaria de pedir ao professor Gracioso que desse início ao debate. GRACIOSO O tema desta mesa-redonda é como atrair, desenvolver e motivar jovens dotados de talento, de capacidade administrativa para transformá-los nos executivos da empresa do futuro. Enfim, gestão de talentos. Não é novo, mas é, às vezes, insuficientemente compreendido. Participei de um almoço, com executivos da Unilever que tem um dos mais tradicionais programas de trainees do Brasil e ouvi que, depois de 25 anos de seleção de jovens vindos das elites, recrutados nas melhores escolas, com bom inglês e conhecimento sobre culturas estrangeiras, começou-se a perceber que a empresa estava entendendo cada vez menos da parte mais pobre do nosso mercado. Muitos daqueles executivos, que tinham sido trainees, foram recrutados por conhecer bem o ambiente da empresa, muitas vezes até do exterior. Mas poucos conheciam o próprio país. Cito este exemplo para mostrar que por mais seguros que estejamos das soluções haverá sempre algum pequeno ou grande problema para atrapalhar. Gostaria de propor que falem das suas visões sobre gestão de talentos, hoje, no Brasil. LUIZ EDMUNDO Acho que gestão de talentos deixou de ser uma questão local para ser global; porque quando falamos de talento, na acepção do indivíduo que detém formação e competência especiais essa pessoa também tem, hoje, uma condição que se chama mobilidade. Essa mobilidade resulta em que tenha poder de escolha, não somente dentro do próprio país, mas também em relação às oportunidades que as empresas globais oferecem ao redor do mundo. Os estudos sobre tendências globais mostram que já estamos vivendo e continuaremos a viver uma redução muito grande de talen tos, desses que nós estamos falando, embora reconheça que o conceito de talento pressupõe uma visão mais ampla do que apenas um indivíduo com dotes especiais... JR Como você definiria talento, do ponto de vista da sua empresa? LUIZ EDMUNDO Na minha empresa, consideramos que todos têm talento. Alguns têm talentos evidentes, mas muitos têm talentos que precisam ser descobertos e aflorados; e um time não se faz só com uma categoria, mas sim combinando as duas. Então é importante que se criem as condições para a organização aproveitar o melhor das pessoas. Especialmente na área de serviços, onde atuo, temos de ter essa visão amplificada de talento. Mas quando falamos de dirigir um negócio, ser um executivo top, estamos tratando mais do talento que o professor Gracioso citou. E é esse talento que está ficando cada vez mais escasso. É um problema mundial, que se tende a tornar sério nos próximos anos. Uma pesquisa feita pelo IMD, recentemente, dentro de um estudo chamado Global Trends, aponta que a partir de 2010, daqui a 3 anos vários países desenvolvidos vão enfrentar sérios problemas de talentos. GRACIOSO Eles analisam as causas, também? LUIZ EDMUNDO Por volta de 2015, haverá 33 a 35 milhões de universitários, dos quais 2/3 estarão em países em desenvolvimento. Quando olhamos o crescimento populacional dos países desenvolvidos, com taxas muito baixas, e as propostas de crescimento de empresas com taxas elevadas, é óbvio que vai haver um descompasso. JR Elas cresceriam nos mercados emergentes? LUIZ EDMUNDO A realidade dos mercados emergentes é diferente: há excesso de mão-deobra e falta de qualificação. 94 REVISTA DA ESPM JANEIRO/FEVEREIRO DE 2008

4 Gestão de RH como fator competitivo GRACIOSO A Cia. Vale do Rio Doce ameaça o governo de cessar os investimentos, se o Ministério do Trabalho não mudar a política que, praticamente, impede a contratação de estrangeiros no Brasil. Eles não sabem mais onde encontrar os engenheiros de que precisam. A Embraer também. Querem trazer engenheiros de fora e o MT não permite. PAULO Eu gostaria de abordar essa questão sob duas óticas: primeiro a da expectativa com relação à gestão de talentos, por parte da pessoa que tem o talento; e a outra é a expectativa do lado das empresas. Concordo com o que Luiz expôs, mas o que vejo são esses talentos especiais tidos como futuros executivos, futuros gerentes de pessoas com uma expectativa muito grande, quando entram em uma organização, fazendo com que as empresas acelerem e, às vezes, queimem algumas etapas necessárias para o desenvolvimento das pessoas... JR Queimando as pessoas? PAULO Algumas vezes, sim. Pode acontecer de se promover uma pessoa para gerenciar outras, sem que ela ainda tenha capacidade para isso. Acaba por forçar situações que depois, lá no futuro, refletem até em problemas legais, como assédio moral. São pessoas que pensam assim: temos de fazer acontecer. Sob a outra ótica, vejo pessoas com habilidades, conhecimentos, mas só algumas usam essas habilidades e esses conhecimentos. Para mim, é o que diferencia o talento especial do talento em geral. As empresas têm expectativas, a partir do investimento em determinado profissional, de que isso se transforme em resultado para a organização. Ora, muitas vezes, conhecer duas ou três línguas, ter vivido em vários países e conhecer diversas culturas não será um diferencial competitivo dentro de uma organização específica. Há coisas que, às vezes, consideramos básicas e que, no Brasil, ainda não são. Exemplo: línguas. Profissionais formados no exterior, com MBA, normalmente têm fluência em inglês e espanhol. Mas aquela fluência é apenas um conhecimento, uma habilidade de comunicação. Assim como a informática, que costumamos tratar como coisas muito básicas mas que na verdade não são... MARCOS Como é a questão da excelência, em termos do talento? Esse conceito pode diferenciar-se bastante de uma empresa para outra. Nesse momento, estou na Telhanorte, que é uma organização de varejo, do grupo Saint-Gobain. São lojas, que abrem aos domingos. Trabalhei em projetos de trainees na Saint-Gobain, e agora trabalho nos projetos da Telhanorte. Então, fazer com que esses jovens de alto nível venham trabalhar no domingo é um problema... GRACIOSO Precisa vocação, mesmo. MARCOS Talvez mais do que isso. Então qual é o conceito de excelência em cada tipo de organização? Acho isso primordial. Em qualquer hipótese, o nível superior tem de ser constituído JANEIRO/FEVEREIRO DE 2008 R EVISTA DA ESPM 95

5 Mesa-Redonda por verdadeiros talentos, porque é o que vai balizar o conceito de excelência para o resto da organização, vai repercutir em cadeia decrescente daí em diante. O segundo ponto é: há 10 ou 12 anos, lembro que, no grupo Saint-Gobain, lançamos o projeto trainee como uma espécie de jovens salvadores da pátria, verdadeiros heróis. Usando força de expressão, contratavamse centauros: metade homem e metade cavalo. E eles apresentavam uma relação difícil com o resto da organização. Isso impactou muito e ao mesmo tempo não resolvia o problema; porque, na organização moderna, é necessário um conjunto de lideranças que funcionem bem, e não super-heróis. Como imaginar numa organização de varejo que vou ter 300 super-homens? Não tenho como pagar os altos salários para isso, nem tenho capacidade de atração; nenhum varejo tem... JR Para ajudar a entender, seriam 300 líderes para quantos funcionários, no total? GESTÃO DE TALENTOS DEIXOU DE SER UMA QUESTÃO LOCAL PARA SER GLOBAL. Temos jovens bem preparados, que às vezes passam um ano ou mais vivendo fora do Brasil, participando dos convênios que temos com as universidades estrangeiras. Apesar de um bom porcentual desses jovens ir para as melhores empresas, temos ainda boa parte com dificuldades para se colocar. Talvez esteja faltando um decodificador, porque o jovem se sente frustrado por ter trabalhado, estudado, viajado para fora, ter estudado inglês, espanhol, japonês temos um grupo na ESPM que estuda mandarim e não consegue se colocar. Ele vai de um processo seletivo ao outro e não encontra sua oportunidade. O que está faltando? JR E ouvimos, ainda, que falta gente... MARCOS É preciso ver se a pergunta cabe no caso de jovens que se candidatam aos programas de trainees. Um programa desses, nas nossas empresas, resulta em 10 a 30 mil candidatos para 20 vagas. É dez vezes mais difícil do que entrar na mais desejada faculdade, como medicina, por exemplo. A entrada pela porta do trainee, no Brasil, não é uma entrada normal: é o caminho do príncipe e nem todo mundo é príncipe... PAULO Você diz uma coisa certa: um programa de trainee tem muito mais candidatos do que o número de posições. Isso porque a maioria procura organizações grandes, de renome, que lhe dêem condições de crescimento e projeção. Mas é claro que não há lugar para todos nessas organizações, mesmo para os que têm talentos. Então, se o caminho direto não é possível, é preciso traçar um caminho alternativo. Há muitas empresas menores, que são boas, MARCOS Cerca de funcionários. JR Então, 10% da equipe seriam líderes. CÉLIA Quero colocar outra questão, que pode ser paradoxal. 96 REVISTA DA ESPM JANEIRO/FEVEREIRO DE 2008

6 Gestão de RH como fator competitivo excelentes até; algumas familiares, outras não, mas eles podem chegar a conquistar posições em multinacionais ou em empresas nacionais de grande porte a partir das carreiras alternativas. LUIZ EDMUNDO Essa questão da oferta e da demanda precisa ser melhor regrada. Mas uma questão importante é que a empresa que quiser ter bons talentos precisa preparar sua liderança para trabalhar com esses talentos. Tem de ser uma cultura que valorize uma série de competências como a inovação e a capacidade de realização e pelo reconhecimento, pelo resultado que cada um alcança; ou seja, a tr a- vés da meritocracia. Essa é uma questão vital para o sucesso. Outro ponto a destacar é a importância das empresas se aproximarem das universidades e vice-versa. Existe um distanciamento, até um descomprometimento das empresas com a universidade. Esse distanciamento faz com que não se possa influir e contribuir para o processo de formação de pessoas quando estão na universidade. Elas acabam recebendo alguém pronto, quando, na verdade, poderiam ter ajudado a construir juntos. GRACIOSO Este é um problema que me preocupa. Vocês falam de capacidades e habilidades que esperam encontrar nos candidatos, e eu posso citá-las de cor: inovação, capacidade de realização, negociação, enfim coisas que as universidades brasileiras e de outros países não consideram como parte do currículo. Um aluno, na nossa Escola, tem 12 matérias por ano; portanto, 48 em um curso de 4 anos. Então eles saem prontos, como vocês disseram, em termos de conhecimentos matemáticos ou de informática ou português. E aí, encontram situações sobre as quais a escola talvez não os advertiu: têm de ser éticos, ter capacidade criativa para inovar, mas também músculo, para realizar e gerar lucros... Eles perguntam: Por que não me disseram tudo isso antes? LUIZ EDMUNDO Há uma defasagem que tem a ver, também, com o desenvolvimento intelectual, maturidade pessoal, relação interpessoal, respeito às pessoas, à ética como disse o professor Gracioso. Esse aluno entra na empresa meio maravilhado... e, de repente, descobre as frustrações, descobre que a própria empresa tem uma dimensão menor do que de fato ele foi levado a crer. GRACIOSO A família não prepara para a vida, hoje, e eu me pergunto se a escola prepara... PAULO Na época em que fiz a faculdade, o acesso à informação e à leitura era muito mais complexo. Hoje, é tanto que até confunde. Eu tinha que pedir livro emprestado de programação. Hoje se entra na internet e aprende-se isso direto. Mas falta a empresa se motivar, se aproximar das escolas e universidades, e também ao aluno acordar para essas coisas do mundo lá fora, que não é somente o mundo escolar. LUIZ EDMUNDO De um lado, está o conhecimento essencial, que pode ser adquirido de várias formas; de outro estão competências que também podemos chamar de essenciais, que vão assegurar o sucesso ou insucesso de alguém na carreira. Lembro de ter perguntado a executivos de sucesso: o que foi significativo em suas carreiras? Ouvi de vários deles que não era o reconhe cimento da universidade (todos admitiam que era uma condição importante); mas o que parecia decisivo foi o dia em que fizeram o curso de gestão de pessoas. Isso ajudou-os a perceber a importância de transformar a capacidade de lide rança em resultado; não só para a empresa como para a própria carreira. As pessoas não falham por conhecimento, mas falham por falta da capacidade de colocar o conhecimento na prática. JR Como poderíamos definir competência? GRACIOSO Creio que, para cada tipo de negócio, há determinadas competências. JR Vamos ouvir sobre mais algumas, então? LUIZ EDMUNDO Mesmo reconhe cendo habilidades, dificilmente uma empresa inovadora como a Dell (que o que tem de mais precioso são pessoas e não equi- NOS MERCADOS EMERGENTES HÁ EXCESSO DE MÃO-DE-OBRA E FALTA DE QUALIFICAÇÃO. JANEIRO/FEVEREIRO DE 2008 R EVISTA DA ESPM 97

7 Mesa-Redonda FAZER COM QUE ESSES JOVENS VENHAM TRABALHAR NO DOMINGO É UM PROBLEMA... pamentos) iria permitir a alguém comprometer o clima, os valores, o relacionamento etc. na empresa. A própria comunidade o expeliria antes. No passado, ouvíamos falar de pessoas que eram verdadeiras tiranas nos seus relacionamentos; hoje, ninguém mais aceita isso. Nenhum talento vai suportar um chefe tirano. PAULO Quero aproveitar para falar sobre network. Ouvi, certa vez, que a gente vê quem é bom pelo número de cartões que guarda. Para mim isso é uma competência essencial da capacidade de relacionamento, e, por trás dessa capacidade, vem uma série de outras competências, como entender a multicultura e as diferenças regionais nos países. Para mim o relacionamento, realmente, faz a diferença. Os programas de trainee formavam pessoas para serem líderes, mas líderes mais autocráticos do que interativos. Nas dinâmicas de grupo, valia quem era mais agressivo. Hoje, sabemos que as empresas mudaram o enfoque e olhamos as coisas de forma diferente, e aí o network é uma decorrência, não uma capacidade fundamental. E falamos de globalização, globalização... Mas o que é globalização e como é que eu me preparo? Que competências devo ter para ser um profissional globalizado? Aprendi isso ao longo da minha carreira: tem de estudar, buscar o co nhecimento, mas também adquirir uma capacidade de entendimento multicultural que se traduz na capacidade de relacionamento entre os povos. JR Considero-me leigo, na área de RH, mas participo de um grupo de discussão, na internet, de jovens executivos e confesso que sinto certo desânimo. Eles são de várias empresas, e não percebo gente muito motivada, vestindo a camisa. Tenho até a impressão contrária. Estou sendo pessimista? LUIZ EDMUNDO Nós temos acesso a uma pesquisa mundial, chamada Great Place to Work, da qual participam 500 mil empregados em 30 países. A questão de comprometimento com a empresa tem relação direta na conjugação de alguns elementos se a pessoa consegue colocar no ambiente de trabalho a sua vocação, o quanto os seus potenciais e competências estão sendo aproveitados pela empresa, com oportunidades concretas, que ela possa demonstrar o seu valor, sua identidade e, ao mesmo tempo, colher os resultados do que produz. Esses são alguns elementos que fazem com que pessoas tenham um grau de comprometimento elevado. Mas quero acrescentar algo além do RH tradicional, de que estamos tratando. Nas empresas, não trabalhamos só com as pessoas da relação de CLT, mas com uma multiplicidade de pessoas, na cadeia de valor: os stakeholders. Alguns são mais próximos do que outros, mas temos de cuidar para que essas relações na cadeia de valor sejam todas virtuosas, ou seja, não posso simplesmente fechar os olhos para os fornecedores, que vão contribuir para o valor do meu produto. Cada vez mais vamos ser organizadores de soluções. A Embraer não vende avião; vende solução. A Telhanorte, na verdade, oferece uma série de soluções, e a mesma coisa é a Dell. Então, temos de olhar o conceito de RH e expandi-lo, porque a motivação e a liderança têm de ser exercidas em pessoas sobre as quais não temos hierarquia. Assim se caracteriza um novo estilo de liderança, que transcende o ambiente de trabalho. A gente não deveria ser apenas um gestor de RH no sentido clássico. Hoje a empresa tem de liderar o seu contexto; o gestor de pessoas tem de ser um líder de resultados. CÉLIA Eu quero trazer outro ponto ao debate. De um lado é a busca por esse comprometimento, essa capacidade de fazer acontecer; do outro, as pessoas se sentindo esvaziadas, porque apenas trabalham. Trabalham jornadas muito longas, que tiram o tempo para estudar história, ir à internet para pesquisar; as distâncias são muito grandes, São Paulo tem um trânsito horrível... rouba-se das pessoas a vida familiar. Então é uma situação complexa, para se buscar motivação. Queria saber como vocês estão sentindo isso. PAULO Os profissionais que eu conheço e que, normalmente, estão descontentes, desmotivados, em geral não estão fazendo o que gostam. Foram até pessoas 98 REVISTA DA ESPM JANEIRO/FEVEREIRO DE 2008

8 Gestão de RH como fator competitivo bem-sucedidas em uma carreira, que são competentes. Por exemplo, por trancos e barrancos, era médico e virou diretor administrativo do hospital... Mas olha no espelho, de manhã, e diz: lá vou eu de novo, poderia estar operando, mas vou lá tratar de compras. Em toda organização encontramos pessoas assim. Na Dell achamos que carreira é um problema do funcionário e não da empresa. Cada vez mais as pessoas têm de desenhar as suas carreiras. O que não significa que eu não possa mudar esse desenho ao longo do tempo, mas significa que eu tenho de pensar aonde quero ir. E isso passa por fazer algumas escolhas: a cidade onde eu moro, as empresas em que eu gostaria de trabalhar, o país onde eu gostaria de estar. Vejo muita gente descontente com o nosso país e a pergunta que me vem à mente é: o que está fazendo para mudar isso? Mas, se mudar não funciona, o que está fazendo para sair daqui? E aí ouço: é uma coisa difícil. Claro que é difícil, muitas vezes os caminhos são tortuosos. E não estou falando só das coisas profissionais; mas também pessoalmente, como ser humano. Eu sou apaixonado por informática, desde criança, e, quando entrei na Dell, consegui unir o meu trabalho ao que gosto. Eu trabalhei na Coca-Cola e, naquela época, era apaixonado pelo varejo. JR Você pode amar varejo e trabalhar na Coca-Cola, que é uma indústria, e pode amar informática e trabalhar na mesma Coca-Cola... GRACIOSO Essa ênfase em planejar a própria carreira pode ser otimista demais e eu volto ao que a Célia disse. A realidade das grandes empresas pode ser de instabilidade. Está nos jornais: a Danone resolveu mudar sua política comercial e demitiu, de uma tacada, 40 ou 50 executivos de marketing. Há alguns anos, a Coca-Cola, mudou totalmente a política de comunicação de varejo e demitiu aqui no Brasil 120 pessoas do departamento de marketing, inclusive o diretor. A Nestlé (e isso não é confidencial, porque está em entrevista), passando por reorganização, nas mãos de Ivan Zurita, nos últimos três ou quatro anos, de uma forma ou de outra, trocou todos os seus diretores; só ficou o próprio Ivan. Estamos tapando o sol com a peneira, se achamos que os jovens não percebem essas coisas; eles não podem se sentir seguros e a mensagem que a empresa dá, a toda hora, é: não conte conosco para a sua aposentadoria, prepare a sua carreira, as suas economias porque dentro de 10 anos, no máximo, conte com a possibilidade de não estar mais aqui. É irônico, porque as empresas falam cada vez mais em carreiras, em motivação, em objetivos de longo prazo e, no entanto sejamos francos tratam as pessoas a pontapés. MARCOS Talvez seja esse o mundo. Eu, por exemplo, trabalho num grupo que tem 220 mil pessoas e todos, lá, consideram que é um universo em si mas, de repente, pode vir um investidor internacional e comprar a Saint-Gobain e toda aquela sensação de estabilidade, natural num grupo desse tamanho, vai por água abaixo. E você vai colocar, não digo todos os 220 mil, mas uns 30 mil executivos em polvorosa. Essa é a realidade do mundo e não podemos criar JANEIRO/FEVEREIRO DE 2008 R EVISTA DA ESPM 99

9 Mesa-Redonda uma ilha de fantasia sobre essa macro-realidade. Mas, no nosso dia-a-dia, a gente não vive só de crise; no dia-a-dia, a minha empresa não está sendo comprada, o resultado de vendas está indo bem, e é preciso gerenciar bem as pessoas sabendo que existe essa realidade de fundo. Agora, voltando à motivação, de que forma você monta a sua organização? Na estrutura da sua empresa, os postos são desqualificados, ou são muito especializados? As pessoas não têm autonomia ou você montou a sua organização dando-lhes um espaço vital importante? E você delega? Não adianta ter espaço vital sem responsabilidade e precisa dar formação você tem uma universidade corporativa? Esse conjunto de coisas independe da crise porque o pano de fundo não é de crise, mas de realidade. PAULO Eu não usaria o termo instabilidade, mas sim mudança. Certa vez, alguém me disse: se eu abrir uma loja de ferragens, não preciso de inglês ou espanhol, não preciso me preparar. Perguntei: e se vier uma empresa espanhola e abrir uma ferragem em frente à sua, com características mais competitivas? Você nem vai poder dizer buenos dias para a pessoa, porque não sabe espanhol. Já passei por várias empresas, joint-ventures, junções de empresas, já tive oportunidades de participar de desligamentos em massa, lay-offs etc., e entendo que temos de nos preparar para essas coisas, que não são boas nem ruins. É o diaa-dia. O sonho da estabilidade é uma visão do passado em que se decidia: vou ser médico ou vou trabalhar no Banco do Brasil. Acho que as empresas podem dedicar-se não a mudar esse ambiente, porque as mudanças sempre vão existir mas a preparar melhor as lideranças para lidar com as pessoas, nesse processo. JR Peço agora aos nossos convidados que contribuam com algum conselho ou sugestão específica para nossa Escola e outras instituições de ensino superior. LUIZ EDMUNDO Está no momento de pensar em um programa universitário que leve em conta as questões que estamos discutindo e que possa ajudar a formar gestores de pessoas. Profissionais que sejam agentes de mudança. Vimos que há determinados tipos de competências que podem ser desenvolvidas a partir da universidade. Lembrome de quando tínhamos o Projeto Rondon, no Brasil, que era como o período de residência ELES PERGUNTAM: - POR QUE NÃO ME DISSERAM TUDO ISSO ANTES? médica, em que as pessoas vão à realidade da vida. Temos o que aprender com instituições que, milenarmente, têm cuidado bem de liderança, e não só as empresas. Vamos descobrir lide ranças em equipes esportivas, não importa a modalidade vôlei, futebol no esporte coletivo, em que não só os que estão em campo, mas toda a estrutura da cadeia de valor faz com que o time seja vitorioso. Precisamos ter um programa com esse olhar para o futuro, um olhar mais transversal, para a questão da competência e ao mesmo tempo que dê instrumentos a esse gestor de pessoas, com as competências que fazem a diferença; porque o que é insubstituível é a competência. PAULO Uma coisa que tive, durante a minha carreira e acho que as universidades podem ajudar é o mentor. Todos temos os nossos mentores, começando pelos nossos pais, passando por amigos, tios, primos, que são o conceito de mentor como pessoa que eu admiro, de quem digo gostaria de ser você não por inveja, mas por admiração. Nós temos esses mentores na nossa vida, mas me parece que em determinado momento como quando estou entrando na universidade e começando os meus estudos, isso se perde. Eu entendo que as universidades são vastos bancos de mentores, de pessoas com conhecimentos teóricos, práticos e que estão disponíveis, entre os professores e na rede de relacionamento da própria universidade. Eu não sou 100 REVISTA DA ESPM JANEIRO/FEVEREIRO DE 2008

10 Gestão de RH como fator competitivo AS PESSOAS FALHAM POR FALTA DA CAPACIDADE DE PÔR O CONHECIMENTO NA PRÁTICA. professor da ESPM, mas teria prazer em ser mentor de alguém. Gostaria de deixar esta sugestão, como minha contribuição. MARCOS Peguem o exemplo de um jovem que acabou de se graduar na ESPM e vai fazer uma pós-graduação em marketing. Está estendendo os seus estudos em 2 anos, quando o que deveria era estar mergulhando em gente, teria de aprender sobre gente e não mais sobre coisas. Quando esse jovem for diretor de uma empresa, ele vai ver que o seu desafio vai ser 80% gente e só 20% coisas. A questão que eu proponho é: de que forma as universidades traçam essa realidade? O segundo ponto em que acredito é a questão da predestinação. O cara está lá com 20 anos e diz: vou trabalhar em marketing ou vou ser médico, e o que pode acontecer é que, depois de uns 3 ou 4 anos ele descobre que não é bem isso, mas ainda assim permanece no jogo. Na minha equipe de RH, por exemplo, tenho três pessoas da área de marketing e se encontraram em RH, assim como tive um engenheiro que se deu muito bem. Uma criança desde pequena diz que vai ser médico, mas pode fazer um concurso público e virar ministro. E a empresa, dentro do seu processo de administração e sucessão, tem de criar mecanismos para detectar isso. Significa que eu tenho de olhar as pessoas na estrutura e imaginar que esse cara pode ser qualquer coisa, que um engenheiro de produção pode se tornar um cara maravilhoso em marketing e o cara de marketing pode se tornar maravilhoso em planejamento de produção. GRACIOSO Eu dirigi esta Escola durante 26 anos e olhan do para trás foi uma das fases mais felizes da minha vida profissional. Mas, ao longo desses anos, pessoas que conviviam comigo disseram: você parece que tem medo de ser feliz. Porque muitas vezes eu me comportava como possuído por um espírito de missão, que é característico das pessoas que se dão uma tarefa, a inquietação que isto traz, a angústia... Que bom executivo não conviveu com a angústia, a incerteza, com a insatisfação consigo mesmo, com a ênfase demasiada para a sua própria felicidade no futuro e não no presente? Vocês concordam que isso é parte da vida e da sina de um executivo e que nós deveríamos também preparar os jovens para que não tenham medo de ser infelizes? MARCOS O que é a evolução? Você tem de desestabilizar para poder evoluir. Se você não desestabiliza, mantém o status quo. Esses jovens querem evoluir. Essa é a escolha que a gente tem de fazer de fato. A escolha é: eu espero que o mundo me desestabilize para que eu vá para frente, ou eu mesmo me desestabilizo? JR Existe uma terceira, que é desestabilizar o mundo. MARCOS Eu acredito mais em eu me desestabilizo. Quer dizer, ponho a crise em mim mesmo, JANEIRO/FEVEREIRO DE 2008 R EVISTA DA ESPM 101

11 Mesa-Redonda no sentido de que preciso mudar, naturalmente, e, daí, evoluo. É até uma filosofia de vida: não esperar que o mundo me empurre. CÉLIA Essa angústia vem da sensibilidade maior do líder à desestabilização. Pensando no caso do Prof. Gracioso, toda vez que as coisas assentavam, ele inventava outro curso, se auto-colocava em um novo desafio e aí, com isso, com esse novo desafio vinha aquela angústia. No processo, houve crescimento: dele e de todos nós. GRACIOSO E existe outra forma de dirigir uma empresa? PAULO Uma palavra muito bacana é escolha. Faz parte dessa evolução, desestabilização, essa ansiedade, angústia. Quando entrei na companhia, era o sexto diretor no período de menos de 4 anos, e pensei: estou me metendo em uma enrascada. Mas disse: poxa, aí é que está o grande desafio, eu vou ser o cara que vai ficar e estou lá há cinco anos. Cabe-nos a escolha de gerar a desestabilização como o Prof. Gracioso fazia ou alguém ou alguma coisa virá e fará com que a gente faça. MARCOS E ser empurrado gera estresse, ser empurrado por uma crise, por um chefe, por uma conjuntura, por um fornecedor... UM ENGENHEIRO DE PRODUÇÃO PODE SE TORNAR UM CARA MARAVILHOSO EM MARKETING. LUIZ EDMUNDO Acho que essa questão final remete-nos a pensar no que significa sucesso. As novas gerações querem crescer, realizar, mas não querem pagar o preço que a geração antecedente pagou. Então, talvez, a nova geração esteja tentando encontrar um caminho que estabeleça um melhor equilíbrio entre o lado da pessoa, família e o lado do profissional, que nos últimos anos chegou ao absurdo de pessoas trabalharem 14, 15, 20 horas. Muitos jovens olham para esse tipo de vida e querem ter a opção da escolha. A maneira pela qual as pessoas vão construir as suas carreiras será pautada por valores diferentes daqueles que nós pautamos as nossas. Ajudar o jovem a encontrar, nas suas escolhas, as que melhor lhe tragam realização e sucesso no sentido mais completo talvez seja o grande desafio da universidade. Mas sempre que desestabilizamos e saímos fora do convencional, encontramos soluções. Um programa de gestão de pessoas deveria pensar nesse caminho. Vamos ter de pensar numa proposta de formação de gestor de pessoas com um conceito de felicidade, de sucesso e vivência diferentes daquele a que nos acostumamos. A universidade pode fazer isso porque tem esses meios, tem network, que precisa ser usado de forma diferente. JR E também voltar muitas vezes à escola, porque hoje, quando se fala de educação, não é só a graduação, a pós mas a permanente, continuada, que não se obtém só na escola, mas ao longo da vida. Vocês encerraram o debate de forma muito estimulante. Quero agradecer em nome da ESPM e da nossa Revista ESPM a presença de todos. 102 REVISTA DA ESPM JANEIRO/FEVEREIRO DE 2008

O RH dos sonhos dos CEOs

O RH dos sonhos dos CEOs O RH dos sonhos dos CEOs Expectativas e estratégias da liderança para os Recursos Humanos Presidentes de empresas de todos os portes falaram sobre a importância dos Recursos Humanos para as suas empresas

Leia mais

Como planejar a sua carreira profissional

Como planejar a sua carreira profissional 1 Como planejar a sua carreira profissional Normalmente, as crises e os momentos difíceis pelos quais todos nós vivenciamos, são excelentes momentos para repensarmos as nossas decisões e ações. Talvez

Leia mais

Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008

Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008 Veículo: Site Estilo Gestão RH Data: 03/09/2008 Seção: Entrevista Pág.: www.catho.com.br SABIN: A MELHOR EMPRESA DO BRASIL PARA MULHERES Viviane Macedo Uma empresa feita sob medida para mulheres. Assim

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Minicurso Parte VI A fonte do sucesso ou fracasso: Valores e Crenças (continuação) Página 2 de 16 PARTE 5.2 Crenças e regras!

Leia mais

Você é comprometido?

Você é comprometido? Você é comprometido? Não, isso não é uma cantada. O que o seu chefe quer saber é se você veste a camisa da organização. Você adora seu trabalho e desempenha suas funções com eficiência, mas não aposta

Leia mais

Expectativas e desafios do jovem no mercado de trabalho:

Expectativas e desafios do jovem no mercado de trabalho: ASSUNTO em pauta Expectativas e desafios do jovem no mercado de trabalho: comunicação entre jovem e empresa Velychko 30 REVISTA DA ESPM maio/junho de 2011 O jovem quer seu espaço no mercado de trabalho.

Leia mais

Teste sua empregabilidade

Teste sua empregabilidade Teste sua empregabilidade 1) Você tem noção absoluta do seu diferencial de competência para facilitar sua contratação por uma empresa? a) Não, definitivamente me vejo como um título de cargo (contador,

Leia mais

Grasiela - Bom à gente pode começar a nossa conversa, você contando para a gente como funciona o sistema de saúde na Inglaterra?

Grasiela - Bom à gente pode começar a nossa conversa, você contando para a gente como funciona o sistema de saúde na Inglaterra? Rádio Web Saúde dos estudantes de Saúde Coletiva da UnB em parceria com Rádio Web Saúde da UFRGS em entrevista com: Sarah Donetto pesquisadora Inglesa falando sobre o NHS - National Health Service, Sistema

Leia mais

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LI ESTAMOS PASSANDO PELA MAIOR TRANSFORMAÇÃO NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE. VALORIZAR PESSOAS

Leia mais

Veja 10 fatores a serem avaliados ao receber proposta de emprego

Veja 10 fatores a serem avaliados ao receber proposta de emprego Terça-feira, 10 de dezembro de 2013 Atualizado em 10/12/2013 08h00 Veja 10 fatores a serem avaliados ao receber proposta de emprego Profissional deve pesar salário, plano de carreira, horário, entre outros.

Leia mais

8 Passos para o Recrutamento Eficaz. Por Tiago Simões

8 Passos para o Recrutamento Eficaz. Por Tiago Simões 8 Passos para o Recrutamento Eficaz Por Tiago Simões Uma das coisas que aprendi na indústria de marketing de rede é que se você não tem um sistema de trabalho que comprovadamente funcione, muito provavelmente

Leia mais

Rotinas de DP-Professor: Robson Soares

Rotinas de DP-Professor: Robson Soares Rotinas de DP-Professor: Robson Soares Capítulo 3 Agregando Pessoas -Recrutamento e Seleção de Pessoas Nesse capítulo veremos com as organizações agregam pessoas através do recrutamento e seleção de pessoas.

Leia mais

Você, no entanto, pode nos ajudar!

Você, no entanto, pode nos ajudar! Este livro pode ser adquirido por educação, negócios, vendas ou uso promocional. Embora toda precaução tenha sido tomada na preparação deste livro, o autor não assume nenhuma responsabilidade por erros

Leia mais

FILOSOFIA BUDISTA APLICADA A EMPRESA:

FILOSOFIA BUDISTA APLICADA A EMPRESA: FILOSOFIA BUDISTA APLICADA A EMPRESA: CRESCENDO PESSOAL E PROFISSIONALMENTE. 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 Onde você estiver que haja LUZ. Ana Rique A responsabilidade por um ambiente

Leia mais

por futebol profissional ou amador?

por futebol profissional ou amador? Tabela 3 - Síntese das entrevistas com torcedores I O que é o futebol pra você? Uma paixão. É um esporte que eu pratico, que gosto. O meu time de futebol é a razão do meu viver. Você se interessa mais

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA Profº Paulo Barreto Paulo.santosi9@aedu.com www.paulobarretoi9consultoria.com.br 1 Analista da Divisão de Contratos da PRODESP Diretor de Esporte do Prodesp

Leia mais

Região. Mais um exemplo de determinação

Região. Mais um exemplo de determinação O site Psicologia Nova publica a entrevista com Úrsula Gomes, aprovada em primeiro lugar no concurso do TRT 8 0 Região. Mais um exemplo de determinação nos estudos e muita disciplina. Esse é apenas o começo

Leia mais

Tendências em Gestão de Pessoas

Tendências em Gestão de Pessoas Tendências em Gestão de Pessoas Iniciamos um novo ano, 2011. Dois meses já se passaram, e voltamos aos artigos sobre RH estratégico, Tendências de Recursos Humanos, Novos Rumos para a área de Recursos

Leia mais

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça?

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Caro amigo (a) Se sua empresa está sofrendo com a falta de clientes dispostos a comprar os

Leia mais

www.poderdocoachingemgrupos.com.br

www.poderdocoachingemgrupos.com.br Pesquisa de Mercado A condução de pesquisas de mercado é uma das atividades mais eficazes e importantes que você pode fazer quando você estiver projetando seu coaching em grupo. Você vai se surpreender

Leia mais

Como entendemos a Gestão por Processos?

Como entendemos a Gestão por Processos? RIO DE JANEIRO SÃO PAULO BRASÍLIA BELO HORIZONTE Como entendemos a Gestão por Processos? Mobilizando pessoas para promover melhorias e inovações a partir de processos André Macieira & Leandro Jesus Alguns

Leia mais

Sinopse II. Idosos não institucionalizados (INI)

Sinopse II. Idosos não institucionalizados (INI) Sinopse II. Idosos não institucionalizados (INI) II 1 Indicadores Desqualificação Não poder fazer nada do que preciso, quero fazer as coisas e não posso ; eu senti-me velho com 80 anos. Aí é que eu já

Leia mais

OSVALDO. Como também foi determinante a motivação e a indicação feita por um professor.

OSVALDO. Como também foi determinante a motivação e a indicação feita por um professor. OSVALDO Bom dia! Meu nome é Osvaldo, tenho 15 anos, sou de Santa Isabel SP (uma cidadezinha próxima à Guarulhos) e, com muito orgulho, sou bolsista ISMART! Ingressei no ISMART este ano e atualmente estou

Leia mais

Estamos presentes em 20 estados

Estamos presentes em 20 estados http://goo.gl/7kuwo O IDEBRASIL é voltado para compartilhar conhecimento de gestão com o empreendedor do pequeno e micro negócio, de forma prática, objetiva e simplificada. A filosofia de capacitação é

Leia mais

Manifeste Seus Sonhos

Manifeste Seus Sonhos Manifeste Seus Sonhos Índice Introdução... 2 Isso Funciona?... 3 A Força do Pensamento Positivo... 4 A Lei da Atração... 7 Elimine a Negatividade... 11 Afirmações... 13 Manifeste Seus Sonhos Pág. 1 Introdução

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO 11/2010

BOLETIM INFORMATIVO 11/2010 Sindicato das Secretárias e Secretários do Estado do Rio Grande do Sul SISERGS Unindo você a todos os Secretários do RS! SISERGS BOLETIM INFORMATIVO 11/2010 Dia 06 de novembro ocorreu o penúltimo treinamento

Leia mais

Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013: conexões e troca de experiências

Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013: conexões e troca de experiências boletim Jovem de Futuro ed. 04-13 de dezembro de 2013 Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013: conexões e troca de experiências O Encontro Nacional Jovem de Futuro 2013 aconteceu de 26 a 28 de novembro.

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean. Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky

O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean. Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky Tradução: Diogo Kosaka Gostaria de compartilhar minha experiência pessoal como engenheiro

Leia mais

05/12/2006. Discurso do Presidente da República

05/12/2006. Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, no encerramento da 20ª Reunião Ordinária do Pleno Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social Palácio do Planalto, 05 de dezembro de 2006 Eu acho que não cabe discurso aqui,

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Cristina Soares. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Cristina Soares. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Cristina Soares Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Quando decidi realizar meu processo de coaching, eu estava passando por um momento de busca na minha vida.

Leia mais

Este texto é de autoria da Diretora de Vendas Cláudia Leme, muito bom!!! Vale a pena conferir!!! O PRIMEIRO PEDIDO

Este texto é de autoria da Diretora de Vendas Cláudia Leme, muito bom!!! Vale a pena conferir!!! O PRIMEIRO PEDIDO Este texto é de autoria da Diretora de Vendas Cláudia Leme, muito bom!!! Vale a pena conferir!!! O PRIMEIRO PEDIDO A Sra Mary Kay já dizia: nada acontece enquanto você não vende alguma coisa. Se você está

Leia mais

OS 3 PASSOAS PARA O SUCESSO NA SEGURANÇA PATRIMONIAL

OS 3 PASSOAS PARA O SUCESSO NA SEGURANÇA PATRIMONIAL WWW.SUPERVISORPATRIMONIAL.COM.BR SUPERVISOR PATRIMONIAL ELITE 1 OS 3 PASSOS PARA O SUCESSO NA CARREIRA DA SEGURANÇA PATRIMONIAL Olá, companheiro(a) QAP TOTAL. Muito prazer, meu nome e Vinicius Balbino,

Leia mais

Os desafios do Bradesco nas redes sociais

Os desafios do Bradesco nas redes sociais Os desafios do Bradesco nas redes sociais Atual gerente de redes sociais do Bradesco, Marcelo Salgado, de 31 anos, começou sua carreira no banco como operador de telemarketing em 2000. Ele foi um dos responsáveis

Leia mais

Como atrair e reter talentos

Como atrair e reter talentos Como atrair e reter talentos na Panificação PORQUE A DISCUSSÃO DE TALENTOS É IMPORTANTE PARA ORGANIZAÇÕES COMPETITIVAS? Em toda a história do mundo empresarial, nunca houve tanta preocupação e cuidados

Leia mais

Passos para recrutar voluntários

Passos para recrutar voluntários Passos para recrutar voluntários Encontrando o voluntário Faça um - mostrando o que Deus está fazendo no ministério Coloque no boletim um Em todos os eventos do ministério que levantam outras pessoas passe

Leia mais

02/12/2004. Discurso do Presidente da República

02/12/2004. Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de entrega do Prêmio Finep e sanção da Lei de Inovação de Incentivo à Pesquisa Tecnológica Palácio do Planalto, 02 de dezembro de 2004 Meus companheiros ministros,

Leia mais

Freelapro. Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo

Freelapro. Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo Palestrante: Pedro Quintanilha Freelapro Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo Quem sou eu? Eu me tornei um freelancer

Leia mais

MINHA HISTÓRIA NO NOVOTEL

MINHA HISTÓRIA NO NOVOTEL MINHA HISTÓRIA NO NOVOTEL Lembro-me que haviam me convocado para uma entrevista de trabalho no NOVOTEL. Lembro-me de estar ansioso e ter passado a noite anterior preparando a minha entrevista. Como iria

Leia mais

As cinco disciplinas

As cinco disciplinas As cinco disciplinas por Peter Senge HSM Management julho - agosto 1998 O especialista Peter Senge diz em entrevista exclusiva que os programas de aprendizado podem ser a única fonte sustentável de vantagem

Leia mais

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR INTRODUÇÃO Você está cansado de falsas promessas uma atrás da outra, dizendo

Leia mais

CANDIDATO BANCADO PELOS PAIS

CANDIDATO BANCADO PELOS PAIS CANDIDATO BANCADO PELOS PAIS Desânimo total Acho que minhas forças estão indo abaixo, ando meio desmotivado!!!! Não quero desanimar, mas os fatores externos estão superando minha motivação... cobrança

Leia mais

Gestão de carreiras nas organizações

Gestão de carreiras nas organizações Gestão de carreiras nas organizações A expressão "Plano de carreira", nas organizações, sempre corre o risco de ser interpretada como algo antiquado, retrógrado, que interessa aos funcionários e, principalmente,

Leia mais

ACENDA O OTIMISMO EM SUA VIDA. Quiz Descubra Se Você é uma Pessoa Otimista

ACENDA O OTIMISMO EM SUA VIDA. Quiz Descubra Se Você é uma Pessoa Otimista ACENDA O OTIMISMO EM SUA VIDA Quiz Descubra Se Você é uma Pessoa Otimista Uma longa viagem começa com um único passo. - Lao-Tsé Ser Otimista não é uma tarefa fácil hoje em dia, apesar de contarmos hoje

Leia mais

FACULDADE REDENTOR ITAPERUNA RJ

FACULDADE REDENTOR ITAPERUNA RJ RESULTADOS DA PESQUISA DE PERCEPÇÃO E SATISFAÇÃO DOS CURSOS DE: MBA - GESTÃO ESTRATÉGICA DOS NEGÓCIOS MBA - GESTÃO ESTRATÉGICA COM PESSOAS FACULDADE REDENTOR 2012 ITAPERUNA RJ MODELO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO

Leia mais

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Ultrapassando barreiras e superando adversidades. Ser um gestor de pessoas não é tarefa fácil. Existem vários perfis de gestores espalhados pelas organizações,

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 14 Discurso: em encontro com professores

Leia mais

Como usar o LinkedIn para buscar emprego

Como usar o LinkedIn para buscar emprego 1 Como usar o LinkedIn para buscar emprego Por Rogerio Jovaneli, de INFO Online - 02 de maio de 2011 SÃO PAULO - As redes sociais representam, cada vez mais, uma ferramenta importante para profissionais

Leia mais

Jairo Martins da Silva. FOTOs: divulgação

Jairo Martins da Silva. FOTOs: divulgação Jairo Martins da Silva FOTOs: divulgação E N T R E V I S T A Disseminando qualidade e cultura Superintendente-geral da Fundação Nacional da Qualidade, Jairo Martins da Silva fala sobre o desafio da qualidade

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Rafael Marques Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Minha idéia inicial de coaching era a de uma pessoa que me ajudaria a me organizar e me trazer idéias novas,

Leia mais

Um exemplo prático. Como exemplo, suponha que você é um recémcontratado

Um exemplo prático. Como exemplo, suponha que você é um recémcontratado pessoas do grupo. Não basta simplesmente analisar cada interpretação possível, é preciso analisar quais as conseqüências de nossas possíveis respostas, e é isso que proponho que façamos de forma racional.

Leia mais

SOU UMA STARTUP, E AGORA? Descubra algumas respostas para o futuro da sua Startup baseado nas lições do Empreendedorismo

SOU UMA STARTUP, E AGORA? Descubra algumas respostas para o futuro da sua Startup baseado nas lições do Empreendedorismo SOU UMA STARTUP, E AGORA? Descubra algumas respostas para o futuro da sua Startup baseado nas lições do Empreendedorismo Empreendedor Empresas Micro e Pequenas Empreender Empreendedorismo Cultural Ação

Leia mais

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no hotel Skt. Petri Copenhague-Dinamarca, 01 de outubro de 2009 Bem, primeiro dizer a vocês da alegria de poder estar

Leia mais

0 21 anos: Fase do amadurecimento biológico 21 42 anos: Fase do amadurecimento psicológico mais de 42 anos: Fase do amadurecimento espiritual

0 21 anos: Fase do amadurecimento biológico 21 42 anos: Fase do amadurecimento psicológico mais de 42 anos: Fase do amadurecimento espiritual Por: Rosana Rodrigues Quando comecei a escrever esse artigo, inevitavelmente fiz uma viagem ao meu passado. Lembrei-me do meu processo de escolha de carreira e me dei conta de que minha trajetória foi

Leia mais

Os 3 Passos da Fluência - Prático e Fácil!

Os 3 Passos da Fluência - Prático e Fácil! Os 3 Passos da Fluência - Prático e Fácil! Implemente esses 3 passos para obter resultados fantásticos no Inglês! The Meridian, 4 Copthall House, Station Square, Coventry, Este material pode ser redistribuído,

Leia mais

Número 7 - Setembro / 2011. As melhores empresas para trabalhar em Campinas e região RECURSOS HUMANOS

Número 7 - Setembro / 2011. As melhores empresas para trabalhar em Campinas e região RECURSOS HUMANOS Número 7 - Setembro / 2011 As melhores empresas para trabalhar em Campinas e região RECURSOS HUMANOS Índice Estágio e trainee: rumo à evolução 18 A força da criatividade 10 Apoio para crescer 28 Editorial

Leia mais

INOVAÇÃO NA ADVOCACIA A ESTRATÉGIA DO OCEANO AZUL NOS ESCRITÓRIOS JURÍDICOS

INOVAÇÃO NA ADVOCACIA A ESTRATÉGIA DO OCEANO AZUL NOS ESCRITÓRIOS JURÍDICOS INOVAÇÃO NA ADVOCACIA A ESTRATÉGIA DO OCEANO AZUL NOS ESCRITÓRIOS JURÍDICOS Ari Lima Um empreendimento comercial tem duas e só duas funções básicas: marketing e inovação. O resto são custos. Peter Drucker

Leia mais

"Busca pelo Envolvimento do Funcionário Parte Dois: O Poder do Reforço Positivo.

Busca pelo Envolvimento do Funcionário Parte Dois: O Poder do Reforço Positivo. "Busca pelo Envolvimento do Funcionário Parte Dois: O Poder do Reforço Positivo. Por Bill Sims, Jr. www.safetyincentives.com Na primeira parte desta história, expliquei sobre os três tipos de funcionários

Leia mais

5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching,

5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching, 5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching, Consultoria, Terapias Holísticas e Para Encher Seus Cursos e Workshops. Parte 01 Como Se Posicionar e Escolher os Clientes dos Seus Sonhos 1 Cinco Etapas Para

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

Entrevistado: Almir Barbassa Entrevistador: - Data:11/08/2009 Tempo do Áudio: 23 30

Entrevistado: Almir Barbassa Entrevistador: - Data:11/08/2009 Tempo do Áudio: 23 30 1 Entrevistado: Almir Barbassa Entrevistador: - Data:11/08/2009 Tempo do Áudio: 23 30 Entrevistador- Como o senhor vê a economia mundial e qual o posicionamento do Brasil, após quase um ano da quebra do

Leia mais

De mãos dadas: RH e marketing

De mãos dadas: RH e marketing De mãos dadas: RH e marketing A união de RH e marketing é um dos melhores caminhos para a sobrevivência de uma empresa - e das próprias áreas Não é incomum, em tempos de turbulência e incertezas econômicas,

Leia mais

Como contratar staff de Projetos...

Como contratar staff de Projetos... Como contratar staff de Projetos... Que qualidades estou buscando no profissional de Projetos, e como identificá-las...? Alguns exemplos do que podemos buscar..! 1. Visão 2. Orientação estratégica 3. Inovação

Leia mais

Orientação ao mercado de trabalho para Jovens. 1ª parte. Projeto Super Mercado de Trabalho 1ª parte Luiz Fernando Marca

Orientação ao mercado de trabalho para Jovens. 1ª parte. Projeto Super Mercado de Trabalho 1ª parte Luiz Fernando Marca Orientação ao mercado de trabalho para Jovens 1ª parte APRESENTAÇÃO Muitos dos jovens que estão perto de terminar o segundo grau estão lidando neste momento com duas questões muito importantes: a formação

Leia mais

Minha lista de sonhos

Minha lista de sonhos Licença No: # 122314/LS Fone: +55-11 5539-4719 E mail: vagner@programavirandoojogo.com.br Web: www.programavirandoojogo.com.br 2015 Minha lista de sonhos Com visão 2025 PREPARADO POR VAGNER MOLINA Rua

Leia mais

MANUAL DE RETENÇÃO BARRED S

MANUAL DE RETENÇÃO BARRED S MANUAL DE RETENÇÃO BARRED S A contratação contínua de talentos não pode ser isolada da estratégia geral da empresa, pois o correto recrutamento irá agregar pessoas mais valiosas, trazendo mais resultados.

Leia mais

personal cool brand anouk pappers & maarten schäfer

personal cool brand anouk pappers & maarten schäfer personal cool brand Os holandeses Anouk Pappers e Maarten Schäfer, da CoolBrands, trabalham há 12 anos fazendo storytelling para marcas, que se trata de extrair histórias sobre elas por meio de conversas

Leia mais

Desafio para a família

Desafio para a família Desafio para a família Família é ideia de Deus, geradora de personalidade, melhor lugar para a formação do caráter, da ética, da moral e da espiritualidade. O sonho de Deus para a família é que seja um

Leia mais

O bê-á-bá das finanças

O bê-á-bá das finanças 14/10/2014 às 05h00 O bê-á-bá das finanças Por Luciana Seabra De São Paulo Annamaria Lusardi: "É bom lembrar que o analfabetismo financeiro é regressivo. É um imposto sobre o pobre" A decepção das pessoas

Leia mais

CIP-Brasil. Catalogação-na-fonte Sindicato Nacional dos Editores de Livros, R.J.

CIP-Brasil. Catalogação-na-fonte Sindicato Nacional dos Editores de Livros, R.J. Aline Clark 2006 Copyright 2006 by Aline Clark Projeto gráfico e capa: Pedro Costa Diagramação: Pedro Costa Revisão: João Pinheiro CIP-Brasil. Catalogação-na-fonte Sindicato Nacional dos Editores de Livros,

Leia mais

Guia CARREIRAS E SALÁRIOS

Guia CARREIRAS E SALÁRIOS Guia CARREIRAS E SALÁRIOS em contabilidade Guia Carreiras e Salários Se você é gestor de alguma empresa contábil, está procurando melhorar sua posição profissional ou é dono de um escritório de contabilidade:

Leia mais

O que os seus funcionários realmente valorizam? (PMEs) Gerencie seus benefícios! Faça um teste em convenia.com.br

O que os seus funcionários realmente valorizam? (PMEs) Gerencie seus benefícios! Faça um teste em convenia.com.br O que os seus funcionários realmente valorizam? (PMEs) Gerencie seus benefícios! Faça um teste em convenia.com.br O que esperar deste ebook Para ser valorizado, é preciso valorizar Pesquisa feita pela

Leia mais

O que as empresas e profissionais devem fazer na crise!

O que as empresas e profissionais devem fazer na crise! O que as empresas e profissionais devem fazer na crise! Temos visto e vivido no Brasil um constante cenário de lamentações, reclamações, busca de culpados, busca de responsáveis e bodes expiatórios para

Leia mais

10 segredos para falar inglês

10 segredos para falar inglês 10 segredos para falar inglês ÍNDICE PREFÁCIO 1. APENAS COMECE 2. ESQUEÇA O TEMPO 3. UM POUCO TODO DIA 4. NÃO PRECISA AMAR 5. NÃO EXISTE MÁGICA 6. TODO MUNDO COMEÇA DO ZERO 7. VIVA A LÍNGUA 8. NÃO TRADUZA

Leia mais

Informativo EDIÇÃO 12 ANO IV. Julho/ Agosto/ Setembro 2015. PACER comemora 12 anos de história DESTAQUES DESTA EDIÇÃO TRANSPORTE DE CARGAS:

Informativo EDIÇÃO 12 ANO IV. Julho/ Agosto/ Setembro 2015. PACER comemora 12 anos de história DESTAQUES DESTA EDIÇÃO TRANSPORTE DE CARGAS: EDIÇÃO 12 ANO IV (11) 3648-4700 / (21) 3161-8600 www.pacer.com.br Informativo Julho/ Agosto/ Setembro 2015 PACER comemora 12 anos de história DESTAQUES DESTA EDIÇÃO TRANSPORTE DE CARGAS: 10 ANOS PACER:

Leia mais

1 Dicas para o profissional que vira chefe dos colegas

1 Dicas para o profissional que vira chefe dos colegas 1 Dicas para o profissional que vira chefe dos colegas http://oglobo.globo.com/economia/emprego/dicas-para-profissional-que-vira-chefe-dos-colegas-13653201 Tudo depende da postura pessoal, mas clareza

Leia mais

Aprenda a Gerar Renda Utilizando Seus Conhecimentos em Promob e Projetos 3D.ACDEMY.COM.BR COMO GERAR RENDA COM PROJETO VERSÃO 1.0

Aprenda a Gerar Renda Utilizando Seus Conhecimentos em Promob e Projetos 3D.ACDEMY.COM.BR COMO GERAR RENDA COM PROJETO VERSÃO 1.0 Aprenda a Gerar Renda Utilizando Seus Conhecimentos em Promob e Projetos CAIO HENRIQUE TEODORO DOS SANTOS Página 1 Versão 1.0 2013 Esforcei-me ao máximo para transmitir em poucas páginas algumas dicas

Leia mais

Prefácio. Julio Rezende Pai, empreendedor

Prefácio. Julio Rezende Pai, empreendedor Prefácio Nesse treinamento vou compartilhar o que os empresários do ramo de SEGURANÇA ELETRÔNICA não compartilham com ninguém, aliás, nenhum empresário quer contar o segredo de suas Empresas, Correto?

Leia mais

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos.

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos. 1) Como está sendo a expectativa do escritor no lançamento do livro Ser como um rio que flui? Ele foi lançado em 2006 mas ainda não tinha sido publicado na língua portuguesa, a espera do livro pelos fãs

Leia mais

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus Ensino - Ensino 11 - Anos 11 Anos Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus História Bíblica: Mateus 3:13 a 17; Marcos 1:9 a 11; Lucas 3:21 a 22 João Batista estava no rio Jordão batizando as pessoas que queriam

Leia mais

3. Os erros têm sido cometidos exatamente onde há maior dificuldade...

3. Os erros têm sido cometidos exatamente onde há maior dificuldade... Entrevista com PEDRO MANDELLI Consultor na área de mudança organizacional, Pedro Mandelli é um dos maiores especialistas em desenho e condução de processos de mudança em organizações. É professor da Fundação

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Pessoas e Liderança

Especialização em Gestão Estratégica de Pessoas e Liderança Especialização em Gestão Estratégica de Pessoas e Liderança Apresentação CAMPUS IGUATEMI Inscrições em Breve Turma 02 --> *Alunos matriculados após o início das aulas poderão cursar as disciplinas já realizadas,

Leia mais

carreira de sucesso como ter uma NA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

carreira de sucesso como ter uma NA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO como ter uma carreira de sucesso NA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Saiba os segredos do profissional que já está no mercado de TI à 10 anos e conseguiu se tornar um especialista altamente reconhecido com 23

Leia mais

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é Alexandre da Silva França. Eu nasci em 17 do sete de 1958, no Rio de Janeiro. FORMAÇÃO Eu sou tecnólogo em processamento de dados. PRIMEIRO DIA

Leia mais

Transcrição: Perguntas mais frequentes (FAQs) sobre o PDS

Transcrição: Perguntas mais frequentes (FAQs) sobre o PDS Transcrição: Perguntas mais frequentes (FAQs) sobre o PDS Modelo operacional Qual é o modelo organizacional do PDS? Trabalhamos bastante para chegar ao modelo organizacional certo para o PDS. E aplicamos

Leia mais

PLANO DE CARREIRA. Rosangela Ferreira Leal Fernandes *

PLANO DE CARREIRA. Rosangela Ferreira Leal Fernandes * PLANO DE CARREIRA Rosangela Ferreira Leal Fernandes * As mudanças no cenário político, econômico, social e ambiental das últimas décadas vêm exigindo uma mudança de postura das organizações e dos profissionais

Leia mais

Transcrição de Entrevista nº 5

Transcrição de Entrevista nº 5 Transcrição de Entrevista nº 5 E Entrevistador E5 Entrevistado 5 Sexo Feminino Idade 31 anos Área de Formação Engenharia Electrotécnica e Telecomunicações E - Acredita que a educação de uma criança é diferente

Leia mais

PORQUE O PRIMEIRO EMPREGO É DIFÍCIL?

PORQUE O PRIMEIRO EMPREGO É DIFÍCIL? PORQUE O PRIMEIRO EMPREGO É DIFÍCIL? Em épocas de vestibular, cerca de 1,8 milhão de jovens vão escolher uma profissão e dar arrepios no mercado, ou ficarem arrepiados, dando assim o primeiro empurrão

Leia mais

COMO FAZER A TRANSIÇÃO

COMO FAZER A TRANSIÇÃO ISO 9001:2015 COMO FAZER A TRANSIÇÃO Um guia para empresas certificadas Antes de começar A ISO 9001 mudou! A versão brasileira da norma foi publicada no dia 30/09/2015 e a partir desse dia, as empresas

Leia mais

Vencedores! Ideias de Negócio. Passos para criar. Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais!

Vencedores! Ideias de Negócio. Passos para criar. Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais! Por Rafael Piva Guia 33 Prático Passos para criar Ideias de Negócio Vencedores! Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais! Que bom que você já deu um dos

Leia mais

Desejamos a você um completo sucesso, construindo sua verdadeira riqueza.

Desejamos a você um completo sucesso, construindo sua verdadeira riqueza. PROGRAMA MASTER 72h MASTER 72h Prezado Consultor, Nós da família Hinode preparamos esse material com muito carinho para você, pois temos um sonho de fazer desse mundo, um mundo melhor. Nosso objetivo é

Leia mais

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias Lucas Zanella Collin Carter & A Civilização Sem Memórias Sumário O primeiro aviso...5 Se você pensa que esse livro é uma obra de ficção como outra qualquer, você está enganado, isso não é uma ficção. Não

Leia mais

PROJETO PROFISSÕES. Entrevista com DJ

PROJETO PROFISSÕES. Entrevista com DJ Entrevista com DJ Meu nome é Raul Aguilera, minha profissão é disc-jóquei, ou DJ, como é mais conhecida. Quando comecei a tocar, em festinhas da escola e em casa, essas festas eram chamadas de "brincadeiras

Leia mais

PERSONAL SHOPPER MARY KAY

PERSONAL SHOPPER MARY KAY PERSONAL SHOPPER MARY KAY O QUE É? Personal shopping é uma ocupação, na qual se ajuda alguém a fazer suas compras, dando conselhos e fazendo sugestões para os clientes. A personal shopper vai dar ao cliente

Leia mais

Palestra tudo O QUE VOCE. precisa entender. Abundância & Poder Pessoal. sobre EXERCICIOS: DESCUBRA SEUS BLOQUEIOS

Palestra tudo O QUE VOCE. precisa entender. Abundância & Poder Pessoal. sobre EXERCICIOS: DESCUBRA SEUS BLOQUEIOS Palestra tudo O QUE VOCE sobre precisa entender Abundância & Poder Pessoal EXERCICIOS: DESCUBRA SEUS BLOQUEIOS Como aprendemos hoje na palestra: a Lei da Atração, na verdade é a Lei da Vibracao. A frequência

Leia mais

O que tira o sono dos líderes de Recursos Humanos?

O que tira o sono dos líderes de Recursos Humanos? O que tira o sono dos líderes de Recursos Humanos? Segundo pesquisa realizada pela Robert Half com 165 executivos de Recursos Humanos, o principal desafio dos líderes em 2012 é a retenção de pessoas, seguido

Leia mais

Futuro do trabalho O futuro do trabalho Destaques O futuro do trabalho: Impactos e desafios para as empresas no Brasil

Futuro do trabalho O futuro do trabalho Destaques O futuro do trabalho: Impactos e desafios para as empresas no Brasil 10Minutos Futuro do trabalho Pesquisa sobre impactos e desafios das mudanças no mundo do trabalho para as organizações no B O futuro do trabalho Destaques Escassez de profissionais, novos valores e expectativas

Leia mais

SOU UMA STARTUP, E AGORA? Descubra algumas respostas para o futuro da sua Startup baseado nas lições do Empreendedorismo

SOU UMA STARTUP, E AGORA? Descubra algumas respostas para o futuro da sua Startup baseado nas lições do Empreendedorismo SOU UMA STARTUP, E AGORA? Descubra algumas respostas para o futuro da sua Startup baseado nas lições do Empreendedorismo Empreendedor Empresas Micro e Pequenas Empreender Empreendedorismo Cultural Ação

Leia mais