GESTÃO DA MOBILIDADE INTERNACIONAL PORTUGAL EXPORTADOR de Outubro de 2011

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GESTÃO DA MOBILIDADE INTERNACIONAL PORTUGAL EXPORTADOR 2011 13 de Outubro de 2011"

Transcrição

1 GESTÃO DA MOBILIDADE INTERNACIONAL PORTUGAL EXPORTADOR de Outubro de 2011

2 Agenda 12:00 Expatriados e Políticas de Mobilidade - Enquadramento - Desenho da Política de Mobilidade Internacional - Tendências 12:20 Ferramentas de Apoio à Gestão da Mobilidade Internacional José Pedro Sousa, Mercer Tiago Borges, Mercer 12:40 Protecção pessoal dos deslocados e Carlos Vasconcelos, Mercer expatriados 13:00 Debate 1

3 ENQUADRAMENTO José Pedro Sousa, Mercer

4 Enquadramento Política de Mobilidade Internacional Práticas actuais de gestão de mobilidade complexidade crescente Diferentes tipos de destacamento Diferentes combinações (país de origem e de destino) Impactos culturais Realidades económicas rendimentos Considerações legais e outras Países em todo o mundo Fusos horários Nacionalidades e línguas Sistemas de governo Nº crescente de colaboradores transferidos de/ para diferentes países Como compensar os colaboradores Como garantir a equidade Como repatriá-los para o país de origem (ex: India ou China) O que os motiva Questões familiares 3

5 Enquadramento Política de Mobilidade Internacional Desafios actuais Custo Recessão global Crescimento do nº de colaboradores em destacamento Gestão de múltiplos tipos de destacamento Elevada mobilidade Desenvolvimento Destacamentos para mercados emergentes Estratégia Processo de aprovação Governance & compliance Gestão de talentos Repatriamento Flexibilidade Objectivo do destacamento Circunstâncias individuais 4

6 Enquadramento Política de Mobilidade Internacional Uma política de abordagem única não é mais apropriadas para todos os destacamentos As necessidades variam de acordo com: Objectivo do destacamento Circunstâncias individuais Expansão do negócio Objectivos do destacamento Necessidades de projecto Desenvolvimento de liderança Os custos serão superiores se a mesma abordagem for aplicada a todos os destacamentos A segmentação permite à empresa fornecer o apoio apropriado com um custo mais eficiente Transferência de conhecimento Técnico Gestão Formação Controlo corporativo Benefício mútuo 5

7 Enquadramento Política de Mobilidade Internacional Tipos de destacamento internacional Tipos de Destacamento Duração (referência) Viagem de Negócios Até 2 meses Curto Prazo 2 a 12 meses Longo Prazo 12 meses a 5 anos Commuters Indefinida Localização (transferência) Permanente 6

8 DESENHO DA POLÍTICA DE MOBILIDADE INTERNACIONAL

9 Desenho da Política de Mobilidade Internacional Importância da definição de uma política Alinhar a política com os objectivos estratégicos da organização Definir e caracterizar os diferentes tipos de destacamento Estabelecer critérios uniformes e objectivos Criar oportunidades de desenvolvimento profissional Proporcionar as condições adequadas para os colaboradores desempenharem a sua actividade em diferentes países Contribuir para que as condições de vida que o colaborador detém actualmente se mantenham no local de destino Não existe uma política Existe uma única política que cobre todos os programas Existem diferentes políticas Source: International Assignments Survey

10 Desenho da Política de Mobilidade Internacional Objectivos da mobilidade internacional Source: International Assignments Survey 2010 Expertise técnica devido à falta de competências no local Melhoria da performance de uma operação Lançamento de um novo investimento externo Competência técnica específica para a empresa Melhoria da relação com o cliente de forma global Salvaguarda de um investimento maduro 9

11 Desenho da Política de Mobilidade Internacional Barreiras à mobilidade internacional Os custos e a selecção dos candidatos melhor habilitados para os programas de mobilidade Falta de pessoal com as competências necessárias tornouse o primeiro driver para a mobilidade internacional (expertise técnica), em detrimento da expansão do negócio A crise económica provocou um ligeiro aumento da pool de candidatos disponíveis para se deslocarem para países ou regiões menos afectadas pela crise Actuais condições são muito onerosas Identificação de candidatos que respondam às necessidades Inabilidade para utilizar a experiência adquirida após a repatriação Actuais condições não são suficientemente atractivas Políticas actuais não reflectem as necessidades de negócio (ex.: não segmentação) Nível de desempenho dos colaboradores no programa de mobilidade Políticas actuais não permitem flexibilidade Source: International Assignments Survey 2010 Como consequência do clima económico e do aumento do desemprego, as empresas estão menos preocupadas com a atractividade dos seus pacotes de mobilidade 10

12 Desenho da Política de Mobilidade Internacional Modelo de abordagem ao destacamento internacional Durante Antes Após Política de mobilidade internacional (objectivos e linhas de orientação) - Tipo de destacamento respectiva caracterização e enquadramento - Remuneração: fixa e variável - Benefícios (custo de vida, qualidade de vida, alojamento, seguros) - Aspectos administrativos, legais e fiscais Selecção de candidatos Aplicação da política definida Integração do colaborador Gestão de questões familiares e seu impacto, se aplicável Acompanhamento do desempenho Apoio no regresso Gestão da carreira 11

13 Desenho da Política de Mobilidade Internacional Abordagem à compensação (destacamentos de curto prazo/ commuters) Ajuda de custo Per Diem Alojamento Transportes Alimentação Telefone Entretenimento Cuidados pessoais Salário do país de origem Salário do país de origem MERCER

14 Desenho da Política de Mobilidade Internacional Abordagem à compensação (longo prazo) Abordagem ao país de origem Baseado no país de origem Baseado na casa-mãe País de origem Abordagem ao país de destino País de destino Abordagem destino/ local plus Híbrida/ melhor de origem ou destino Estruturas regionais e internacionais 13

15 Abordagem à Compensação (Longo Prazo) Abordagem ao país de origem Salário líquido no país de origem Custos habitação Salário líquido no país de destino Outros prémios de expatriação e subsídios Subsídio de alojamento Custos habitação COLA Qualidade de vida Custos de educação Prémios de mobilidade Subsídio de custo de vida Rendimento disponível Rendimento disponível Poupanças e outras despesas Poupanças e outras despesas MERCER

16 Abordagem à Compensação (Longo Prazo) Abordagem ao país de destino Salário do país de origem Salário do país de destino MERCER

17 Abordagem à Compensação (Longo Prazo) Abordagem ao país de destino local plus Prémios e subsídios adicionais (Pacote local plus ) Custos de alojamento? Custos de educação? Outros subsídios? Salário do país de origem Salário do país de destino MERCER

18 Desenho da Política de Mobilidade Internacional Abordagem à compensação (longo prazo) Abordagem ao país de origem Baseado no país de origem Baseado na casa-mãe País de origem Abordagem ao país de destino País de destino Abordagem destino/ local plus Híbrida/ melhor de origem ou destino Estruturas regionais e internacionais 17

19 Desenho da Política de Mobilidade Internacional Abordagem à compensação práticas (longo prazo) Baseado no país de origem Baseado na casa-mãe País de destino Melhor de origem ou destino País de origem Destino/ local plus Outro N/A 10 0 Worldwide EMEA Source: Mercer 2010/2011 Worldwide Survey of International Assignment Policies and Practices 18

20 TENDÊNCIAS

21 Principais Tendências Maior diversidade entre destacamentos: Masculino/Feminino Conjunto de nacionalidades Mais destacamentos Países emergentes vs. desenvolvidos Tolerância nas diferenças de compensação Maior variedade no tipo e duração dos destacamentos: curtoprazo, commuter, nómadas Maior conjunto de destinos, incluindo alguns com questões de segurança e de qualidade de vida Foco na Gestão do Custo Aumento da resistência à mobilidade devido a: Preocupações com carreiras duplas Equilibrio trabalho/ vida pessoal Questões familiares Foco no retorno do investimento Preocupações na gestão de talentos, recrutamento e retenção 20

22 Evolução do Padrão nos Destacamentos Internacionais Visão tradicional Nacionais do país de origem Repatriação Garantia de emprego Apenas considerava o colaborador Protecção do custo Uma política Processo interno Foco no custo Valor líquido total Sem diversidade de género Pouca ou nenhuma integração Visão emergente Procura de talentos globais Localização Valor de empregabilidade Considerações familiares Equalização do custo Segmentação da política Fornecedores externos Foco no custo e no valor Recompensa total Diversidade de género Gestão de talentos globais 21

23 Alteração às Políticas de Mobilidade nas Organizações Europeias Existe uma preocupação crescente com medidas de contenção dos custos associados às políticas de mobilidade Adopção de uma abordagem mais estruturada e customizada Sem alteração Redução Algumas organizações: Dão preferência a programas de curto prazo Alteraram a aplicação de índices de custo de vida mais generosos Eliminaram benefícios não essenciais Incremento Programas de curto prazo Programas de longo prazo Transferências Source: ORC Worldwide Surveys of Cost Savings - July 2009 and April 2010 ( Europe only) 22

24 Redução de Custos Preocupação mais comum nas organizações europeias Implementação de projecção de custos Controlo mais apertado de excepções à política Revisão mais cuidadosa da necessidade de cada programa 48% 45% 71% 65% 57% 64% Aumento de utilização de colaboradores locais Revisão dos fornecedores e dos custos de deslocalização Transferência de colaboradores 22% 26% 34% 52% 51% 50% Abril 2010 Julho 2009 Source: ORC Worldwide Surveys of Cost Savings - July 2009 and April 2010 (Europe only) 23

25 Futuro da Compensação no Destacamento Internacional Os padrões de vida e os níveis de compensação irão ser harmonizados globalmente A compensação de expatriados irá evoluir à medida que trabalhar num ambiente internacional se torne mais fácil/ acessível A compensação do país de destino e local plus tornar-se-à mais comum As componentes local plus podem variar para se adaptarem às necessidades do negócio e individuais Os custos podem ser minimizados através da utilização de sub-políticas e diferentes tipos de destacamento Os destacamentos apenas deverão ocorrer quando se verificar um retorno do investimento, mensurável e demonstrável As políticas serão mais orientadas à família Programas criativos deverão ser utilizados para a geração do novo milénio 24

26 FERRAMENTAS DE APOIO À GESTÃO DA MOBILIDADE INTERNACIONAL Tiago Borges, Mercer

27 Ferramentas de apoio à Gestão da Mobilidade Internacional A Mercer apresenta soluções aos seus clientes que abrangem: Serviços de consultoria estratégica, desenho e implementação de políticas de mobilidade internacional Informação de mercado Relatórios Custo de Vida e Qualidade de Vida International Assignment Survey Pan European Health & Benefits Survey Ferramentas de Gestão global de compensação e benefícios Global HR Monitor, Mercer Passport, Pay Monitor Mercer Passport 26

28 Custo de Vida Definição Quando se deslocam colaboradores de um país para outro, existem diferenciais de custo de vida entre a origem e o destino que são necessários de compensar para não criarem desequilíbrios entre a compensação local e a do expatriado O pagamento mensal dos diferenciais de custo de vida deve compensar eventuais situações de alteração nos custos relativos Objectivo Reconhecer e compensar custos de vida distintos, eventualmente mais gravosos no destino Encorajar mobilidade entre destinos com diferente custo de vida Prática usual Subsídio de Custo de Vida de vida definido pela comparação entre o custo de vida na origem e no destino do expatriado 27

29 Abordagens à definição do Custo de Vida País de Origem Baseada nos padrões de consumo do país de origem, i.e. diferentes cabazes de bens para cada nacionalidade País de Destino Baseado nos padrões de consumo do destino, i.e. indice de preços do consumidor, inflação local Abordagem Internacional Baseada no padrão típico de despesa representativo de um colaborador expatriado De acordo com a abordagem, deve determinar-se um cabaz e ponderação apropriada 28

30 Análise de Padrões de Despesa Estatísticas Nacionais Comparação de Padrões de Despesa Mercer Categories Europe USA Australia Singapore Japan S.Korea International Weights Total Food Category Food at Home Food Away From Home Alcohol and tobacco Domestic Supplies Personal Care Clothing and Footwear Domestic Services Utilities Transportation Sports and Leisure Total

31 Informação de Mercado Mercer Cost of Living Cabaz e Ponderadores Alimentação em Casa 16.8 % Álcool e Tabaco 3.9 % Utensílios e mobiliário doméstico 7.4 % Saúde e cuidados pessoais 7.5 % Vestuário e calçado 11.4 % Serviços domésticos 2.6 % Utilities 9.6 % Alimentação fora de casa 9.5 % Transportes 19.0 % Desporto e entretenimento 12.2 % Total Index

32 Informação de Mercado Índices de Custo de Vida (COL Indexes) Cidade Base Cidade Destino Mean to Mean Low Medium High Low Medium High 0% Efficient Low Medium High Low Medium High +11% Convenience Low Medium High Low Medium High +20% 31

33 Informação de Mercado Relatório e Índices de Custo de Vida (COL) O Relatório de Custo de Vida (COL) é realizado pela Mercer a nível mundial, duas vezes por ano: Início de Março Início de Setembro Publicação no início de Maio e de Novembro Os surveys são realizados em simultâneo em todo o mundo Por consultores Mercer, especificamente formados e alinhados na metodologia de análise do Custo de Vida 32

34 Informação de Mercado Relatório e Índices de Custo de Vida (COL) Os resultados são transparentes e consistentes Nomes de lojas, restaurantes, hotéis Dados das agências fornecedoras de custos de habitação Preços detalhados para uma lista de 202 produtos A partir dos surveys Cost of Living, a Mercer produz 3 tipos de COL index, sendo que o utilizador poderá excluir categorias de produtos na sua construção: Mean to Mean Efficient Convenience 33

35 Ferramentas de Gestão de Informação Global Global HRMonitor - Cost of Living Index 34

36 Cost of Living menor no local de destino O que fazer? Devem as organizações aplicar um COLA negativo? Mundial EMEA 10 0 Suporte de Custos de Habitação mas dedução ao rendimento Custos Totalmente Suportados Suportado o diferencial Sem suporte Fonte: Mercer 2010/2011 Worldwide Survey of International Assignment Policies and Practices 35

37 Custos de Alojamento Exemplos Qual o preço de um apartamento T2 não mobilado em cada uma destas cidades, numa zona premium? Shanghai Luanda Paris Tokyo Moscow Singapore 36

38 Custos de Alojamento T2, não mobilado, zona premium Percepção Cidade Renda Mensal em USD Zonas Shanghai Luanda 3,680 9,000 Lu Wan District; Xu Hui District Miramar, Alvalade, Luanda Sul Paris Tokyo 4,100 7,000 6ème, 7ème, 16ème, 17ème, Neuilly Yoyogi Uehara, Nakameguro Moscow 5,500 Sretenka, Polyanka, Gogolevsky boulevard Singapore 5,500 Sommerville, Cairnhill, Orange Grove, Holland Peak, Flora East, Water Place, District: 9, 10, 11, 15 37

39 Ferramentas de Gestão de Informação Global Global HRMonitor - Cost of Living Report Accomodation Tables Tabela 1: Bom nível de alojamento em áreas populares quer perante os locais, quer para alguns destacamentos internacionais Tabela 2: Excelente nível de alojamento em áreas preferenciais de expatriados Tabela 3: Nível superior de alojamento, em áreas exclusivas 38

40 Política de Alojamento Mundial EMEA 10 0 Suporte de Custos de Habitação mas dedução ao rendimento Custos Totalmente Suportados Suportado o diferencial Sem suporte Fonte: Mercer 2010/2011 Worldwide Survey of International Assignment Policies and Practices 39

41 Qualidade de vida Definição Quando se deslocam colaboradores de um país para outro, é necessário ter uma medida clara e objectiva que estabeleça os diferenciais de nível de vida entre países O pagamento mensal deve compensar eventuais situações de deterioração das condições de vida. Este diferencial é pago típicamente líquido de impostos, como uma percentagem do salário base anual Objectivo Reconhecer e compensar condições de vida mais difíceis devido ao destino Encorajar transferências para destinos difíceis Prática usual Subsídio de Qualidade de vida definido pelo destino ou por uma combinação entre a origem e o destino do expatriado Pode variar entre os 0% to 50% - mais elevado para situações de penosidade extrema 40

42 Conceito de Qualidade de vida Percepção Cidades Moscow Dubai Ranking de Qualidade de Vida Relativo Subsídio como % do salário bruto 5º % 2º 5 10 % Bogota Tokyo Tunis Sao Paulo Beijing Lagos 7º 1º 3º 3º 5º 8º % 0 % % % % % 41

43 Informação de Mercado Relatório e Índice de Qualidade de Vida (QOL) O Relatório de Qualidade de Vida encontra-se estruturado com informações sobre: Ambiente Político-Social Ambiente Económico Ambiente Sócio-Cultural Condições Médicas e de Saúde Escolas e Educação Serviço Público e Transportes Tempos Livres Bens de Consumo Habitação Ambiente Natural Resultados: Apresentação de informação sobre a qualidade de vida dos diferentes países ou cidades e índices de comparação entre a qualidade de vida no local de origem e de acolhimento 42

44 Ferramentas de Gestão de Informação Global Global HRMonitor - Quality of Living Index Índice Total da cidade de destino vs. cidade de origem. A qualidade de vida em Bogotá é inferior a Genebra 43

45 Informação de Mercado Relatório e Índice de Qualidade de Vida (QOL) Percentagem calculada sobre o rendimento bruto Índice da cidade de Destino Hardship Allowance Extremo 44

46 Ferramentas de Gestão de Informação Global Global HRMonitor O Global HRMonitor é uma ferramenta online, que permite o acesso a uma base de dados mundial, integrada e informatizada, para gestão de Expatriados. Apoia a construção de estruturas de compensação consistentes para expatriados em todo o mundo. Acesso a informação de Compensação e Benefícios para: Missões de longo prazo; Missões de curto prazo; Viagens de Negócios Deslocalização (interligada com informação de compensação). Informação sumarizada de outras rubricas que afectam a Compensação e a política de RH (Impostos, Condições de emprego, etc ). Comparações internacionais (Custos de Vida, Qualidade de Vida, Housing...) Políticas de compensação e benefícios locais. 45

47 Ferramentas de Gestão de Informação Global Global HRMonitor 46

48 Ferramentas de Gestão de Informação Global Mercer Passport MercerPassport Ferramenta on-line on-line de de apoio apoio ao ao expatriado, que que permite estabelecer uma uma rede rede de de contacto contacto entre entre todos todos os os expatriados com com acesso acesso ao ao MercerPassport. MercerPassport. Elemento de de comunicação entre entre a Organização e o expatriado. Repositório de de políticas e procedimentos. Simulador. Inclui Inclui também: Guias Guias do do destino para para países países e cidades. cidades. Informação dos dos padrões de de vida vida para para cidades. CostAdvisor que que compara compara o preço preço de de artigos artigos diários, diários, de de forma forma a ajudar ajudar expatriados na na gestão gestão do do seu seu orçamento. Notícia Notícia e artigos. artigos. Feedback real real de de expatriados em em torno torno do do mundo. mundo. 47

49 Informação de Mercado International Assignment Survey Estudo de âmbito Global Participam mais de 200 das maiores empresas multinacionais de diversos sectores de actividade, entre os quais os sectores Químico e Farmacêutico, Energia, Extracção Mineira e Petróleo, Bens de Consumo, Serviços, Equipamento Industrial, entre outros. 48

50 Informação de Mercado Pan European Health & Benefits Survey Estudo a nível europeu sobre as estratégias e saúde nas empresas O estudo tem como objectivo desenvolver o conhecimento sobre os desafios e práticas em áreas como os custos com os benefícios, a gestão da saúde, absentismo e bem-estar. 49

51 PROTECÇÃO PESSOAL DOS DESLOCADOS E EXPATRIADOS Carlos Vasconcelos, Mercer

52 Expatriado Por definição: Pessoa que temporariamente ( mais de 1 ano) ou permanentemente reside num país e cultura diferente daquele da sua residência legal ou educação. 51

53 Top 4 das Preocupações dos Expatriados Estabelecer uma nova rede social 52

54 Top 4 das Preocupações dos Expatriados Ausência da Família 53

55 Top 4 das Preocupações dos Expatriados Integração Cultural 54

56 Top 4 das Preocupações dos Expatriados Acidentes, Doenças e Reforma 55

57 Top 4 das Preocupações dos Expatriados Estabelecer uma nova rede social Ausência da Família Integração Cultural Acidentes, Doenças e Reforma Como? 56

58 Plano de Seguros Expatriados Acidentes Pessoais Viagem Acidentes Pessoais Saúde Vida Pensões 57

59 Plano de Seguros Expatriados Acidentes Pessoais Viagem Assistência em Viagem Bagagem e Equipamento Profissional Cancelamento e Interrupção da Viagem 58

60 Plano de Seguros Expatriados Acidentes Pessoais Morte ou Invalidez Permanente Incapacidade Temporária Absoluta Responsabilidade Civil Pessoal Repatriamento Evacuação Política 59

61 Plano de Seguros Expatriados Saúde Despesas Médicas Plafonds Ajustados Livre escolha de Prestadores Deslocações Internacionais para Tratamentos 60

62 Plano de Seguros Expatriados Vida Morte por Doença ou Acidente Invalidez Permanente por Doença ou Acidente 61

63 Plano de Seguros Expatriados Pensões Eventual redução da pensão Período de Carência (15 anos da SS em Pt) Criação de Plano de Pensões Específico 62

64 Desafios O problema do tamanho único? 63

65 Desafios Não existe uma Seguradora que seja a melhor em todo o mundo Não existe uma seguradora que seja a melhor para todos os riscos pessoais Há produtos locais e específicos para: África Ásia Europa EUA Médio Oriente 64

66 Benefícios de um bom Plano de Seguros Empresa Protecção dos seus colaboradores Garantia que são bem tratados Manutenção da competitividade Colaboradores Paz de Espírito Protecção individual e familiar 65

67 Obrigado!

Soluções Globais de Mobilidade

Soluções Globais de Mobilidade Soluções Globais de Mobilidade Soluções Globais de Mobilidade POLÍTICAS PARA A GESTÃO DE EXPATRIADOS Se a sua empresa está criando sua primeira política de transferências internacionais ou revisando sua

Leia mais

PROGRAMAS DAS UNIDADES CURRICULARES. Análise de Informação Económica para a Economia Portuguesa

PROGRAMAS DAS UNIDADES CURRICULARES. Análise de Informação Económica para a Economia Portuguesa MESTRADO EM ECONOMIA PORTUGUESA E INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL PROGRAMAS DAS UNIDADES CURRICULARES UNIDADES CURRICULARES OBRIGATÓRIAS Análise de Informação Económica para a Economia Portuguesa 1. Identificação

Leia mais

Moçambique. Agenda EVENTOS 2013 NEW!! INSCREVA-SE EM. Também in Company. inscrip@iirportugal.com. VISITE www.iirportugal.com

Moçambique. Agenda EVENTOS 2013 NEW!! INSCREVA-SE EM. Também in Company. inscrip@iirportugal.com. VISITE www.iirportugal.com Moçambique Agenda EVENTOS 2013 NEW!! Também in Company INSCREVA-SE EM inscrip@iirportugal.com VISITE www.iirportugal.com INOVAÇÃO Estimado cliente, Temos o prazer de lhe apresentar em exclusiva o novo

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA INTEGRAR POOL DE VOLUNTÁRIOS INTERNACIONAIS PARA MISSÕES DE EMERGÊNCIA

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA INTEGRAR POOL DE VOLUNTÁRIOS INTERNACIONAIS PARA MISSÕES DE EMERGÊNCIA TERMOS DE REFERÊNCIA PARA INTEGRAR POOL DE VOLUNTÁRIOS INTERNACIONAIS PARA MISSÕES DE EMERGÊNCIA A AMI é uma Organização Não Governamental (ONG) portuguesa, privada, independente, apolítica e sem fins

Leia mais

BRASIL 2015 PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EM GESTÃO DO CAPITAL HUMANO

BRASIL 2015 PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EM GESTÃO DO CAPITAL HUMANO BRASIL 2015 PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EM GESTÃO DO CAPITAL HUMANO APRENDA, PRATIQUE E DESENVOLVA-SE COM O MERCER COLLEGE VISÃO GERAL OBJETIVOS Os objetivos do Mercer College, Programa de Desenvolvimento

Leia mais

27% das empresas prevê aumento dos postos de trabalho

27% das empresas prevê aumento dos postos de trabalho Análise da Michael Page sobre Recursos Humanos 27% das empresas prevê aumento dos postos de trabalho Manter a motivação das equipas é o principal desafio das empresas portuguesas, sendo apontado por 42%

Leia mais

POLÍTICA DE AMBIENTE, QUALIDADE E SEGURANÇA

POLÍTICA DE AMBIENTE, QUALIDADE E SEGURANÇA HOMOLOGAÇÃO: José Eduardo Carvalho 14-03- Pág. 2 de 5 A Tagusgás subscreve a Política AQS da Galp Energia. A Política AQS da Tagusgás foi definida tendo em consideração os Objectivos Estratégicos do Grupo

Leia mais

PORTUGAL Economic Outlook. Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008

PORTUGAL Economic Outlook. Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008 PORTUGAL Economic Outlook Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008 Portugal: Adaptação a um novo ambiente económico global A economia portuguesa enfrenta o impacto de um ambiente externo difícil,

Leia mais

REGULAMENTO. 1) Os Masters do Capital Humano são uma iniciativa do Grupo IFE e do Salão Profissional de Recursos Humanos - EXPO RH.

REGULAMENTO. 1) Os Masters do Capital Humano são uma iniciativa do Grupo IFE e do Salão Profissional de Recursos Humanos - EXPO RH. 12 de Março de 2014 Centro de Congressos do Estoril REGULAMENTO DISPOSIÇÕES GERAIS 1) Os Masters do Capital Humano são uma iniciativa do Grupo IFE e do Salão Profissional de Recursos Humanos - EXPO RH.

Leia mais

ACE BUSINESS CLASS PLUS SEGURO DE VIAGEM CORPORATE INTERNACIONAL

ACE BUSINESS CLASS PLUS SEGURO DE VIAGEM CORPORATE INTERNACIONAL ACE BUSINESS CLASS PLUS SEGURO DE VIAGEM CORPORATE INTERNACIONAL Apesar das sequelas da crise financeira global e da ressaca de uma recessão em vários países, os analistas esperam que a procura de viagens

Leia mais

Pesquisa de Remuneração

Pesquisa de Remuneração Pesquisa de Remuneração Por OD&M BÓSNIA BRASIL BULGÁRIA CROÁCIA ITÁLIA LITUÂNIA MACEDÔNIA MONTENEGRO SÉRVIA ESLOVÊNIA www.odmconsulting.com.br 02 GI GROUP APRESENTA OD&M CONSULTING NOVAS SOLUÇÕES A MESMA

Leia mais

90,5% dos perfis de TI disponível para mobilidade profissional

90,5% dos perfis de TI disponível para mobilidade profissional Michael Page lança Barómetro de TI 90,5% dos perfis de TI disponível para mobilidade profissional Lisboa, 21 de Julho de 2015 A Michael Page, empresa líder em recrutamento de quadros médios e superiores,

Leia mais

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades.

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades. A Protteja Seguros surge da vontade de contribuir para o crescimento do mercado segurador nacional, através da inovação, da melhoria da qualidade de serviço e de uma política de crescimento sustentável.

Leia mais

OS MAIORES RISCOS DA INTERNACIONALIZAÇÃO

OS MAIORES RISCOS DA INTERNACIONALIZAÇÃO OS RISCOS DA INTERNACIONALIZAÇÃO CRESCIMENTO GLOBAL DO NEGÓCIO Com a crescente globalização e o crescimento acelerado das economias emergentes, as empresas, independentemente da sua dimensão, estão em

Leia mais

Estudo de Remuneração 2015

Estudo de Remuneração 2015 2015 SECRETARIAL & MANAGEMENT SUPPORT Temporary & permanent recruitment www.pagepersonnel.pt Editorial Page Personnel ir ao encontro do talento A Page Personnel recruta para os seus clientes os melhores

Leia mais

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000 ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário Gestão da Qualidade 2005 1 As Normas da família ISO 9000 ISO 9000 descreve os fundamentos de sistemas de gestão da qualidade e especifica

Leia mais

Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH

Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH Os papéis do executivo de RH Pessoas são os principais ativos de uma empresa e o executivo de Recursos Humanos (RH), como responsável por administrar

Leia mais

Imobiliário: estudo conclui que é preciso apostar em novos segmentos

Imobiliário: estudo conclui que é preciso apostar em novos segmentos Re-Search Angola Imobiliário: estudo conclui que é preciso apostar em novos segmentos Está a emergir em Angola uma classe média, com maior poder de compra e interesse em adquirir casa própria. Esta é uma

Leia mais

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade Eficácia e Liderança de Performance O Administrador na Gestão de Pessoas Grupo de Estudos em Administração de Pessoas - GEAPE 27 de novembro

Leia mais

REGULAMENTO. 1) Os Masters do Capital Humano são uma iniciativa do Grupo IFE e do Salão Profissional de Recursos Humanos - EXPO RH.

REGULAMENTO. 1) Os Masters do Capital Humano são uma iniciativa do Grupo IFE e do Salão Profissional de Recursos Humanos - EXPO RH. 18 de Março de 2015 Centro de Congressos do Estoril REGULAMENTO DISPOSIÇÕES GERAIS 1) Os Masters do Capital Humano são uma iniciativa do Grupo IFE e do Salão Profissional de Recursos Humanos - EXPO RH.

Leia mais

PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo)

PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo) PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo) Duração: 5 Sessões (45 minutos) Público-Alvo: 6 a 7 anos (1º Ano) Descrição: O programa A Família é constituído por uma série de cinco actividades. Identifica o

Leia mais

As empresas que quiserem ser competitivas terão de se rodear dos melhores gestores globais

As empresas que quiserem ser competitivas terão de se rodear dos melhores gestores globais Ana Resendes Vera Amaral As empresas que quiserem ser competitivas terão de se rodear dos melhores gestores globais Karl Moore Negócios Internacionais 2 Objectivos do Capítulo Ilustrar a importância dos

Leia mais

O incumprimento entre empresas aumenta, em comparação com 2011

O incumprimento entre empresas aumenta, em comparação com 2011 Lisboa, 29 de Maio de 2013 Estudo revela que os atrasos nos pagamentos entre empresas na região da Ásia - Pacífico se agravaram em 2012 - As empresas estão menos optimistas relativamente à recuperação

Leia mais

Declaração de Brighton sobre Mulheres e Desporto

Declaração de Brighton sobre Mulheres e Desporto Declaração de Brighton sobre Mulheres e Desporto A I Conferência Mundial sobre Mulheres e Desporto realizou-se em Brighton, no Reino Unido, entre os dias 5 e 8 de Maio de 1994, reunindo à mesma mesa políticos

Leia mais

Estudo de Remuneração 2015

Estudo de Remuneração 2015 2015 HUMAN RESOURCES Temporary & permanent recruitment www.pagepersonnel.pt Editorial Page Personnel ir ao encontro do talento A Page Personnel recruta para os seus clientes os melhores perfis qualificados,

Leia mais

Despesas de Viagem. Estudo

Despesas de Viagem. Estudo Despesas de Viagem 2014 Estudo SOBRE O ESTUDO A Carreira Muller, empresa especializada em consultoria de gestão de pessoas, desenvolveu o estudo Despesas de Viagens com o objetivo de publicar valores e

Leia mais

INTRODUÇÃO À MACROECONOMIA

INTRODUÇÃO À MACROECONOMIA UNIVERSIDADE DA MADEIRA Departamento de Gestão e Economia INTRODUÇÃO À MACROECONOMIA 2º Semestre 2004/2005 1º CADERNO DE EXERCÍCIOS Introdução 1. INTRODUÇÃO 1. * A macroeconomia lida com: a) A Economia

Leia mais

Mercer College Brasil 2014. Programa de Desenvolvimento em Gestão do Capital Humano

Mercer College Brasil 2014. Programa de Desenvolvimento em Gestão do Capital Humano Mercer College Brasil 2014 Programa de Desenvolvimento em Gestão do Capital Humano APRENDA, PRATIQUE E DESENVOLVA-SE COM O MERCER COLLEGE VISÃO GERAL OBJETIVOS Os objetivos do Programa de Desenvolvimento

Leia mais

Compromissos na educação

Compromissos na educação Compromissos na educação Comentário Paulo Santiago Direcção da Educação e das Competências, OCDE Ciclo de Seminários Sextas da Reforma Lisboa, 23 de Maio de 2014 Organização do Banco de Portugal, do Conselho

Leia mais

Processo nº2-responsável de Projetos (2 vagas Empresas diferentes)

Processo nº2-responsável de Projetos (2 vagas Empresas diferentes) Processo nº1-project Manager Construction Company Engenheiro Civil para ser Gerente de Projetos - Experiência de 5 anos em empresas relevantes (construção); Alto nível de habilidades organizacionais e

Leia mais

A mobilidade do talento e o futuro do trabalho

A mobilidade do talento e o futuro do trabalho Dados: 2011 Estudo global: 30 países Amostra Portugal: 9000 A mobilidade do talento e o futuro do trabalho R E L A T Ó R I O S Í N T E S E P O R T U G A L Dados: 2011 Estudo global: 30 países Amostra Portugal:

Leia mais

Sistemas de Protecção Social: experiência de Portugal

Sistemas de Protecção Social: experiência de Portugal Sistemas de Protecção Social: experiência de Portugal José Luís Albuquerque Subdirector-Geral do Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP) do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social (MTSS) VIII

Leia mais

Acção Social Produtiva em Moçambique: algumas questões chave para discussão

Acção Social Produtiva em Moçambique: algumas questões chave para discussão Acção Social Produtiva em Moçambique: algumas questões chave para discussão Denise Magalhães Projecto STEP em Moçambique Maputo, 12 de Maio de 2010 1 Elementos chave na definição de um Programa Nacional

Leia mais

Diários Financeiros em Moçambique. 29 de Outubro de 2014

Diários Financeiros em Moçambique. 29 de Outubro de 2014 Diários Financeiros em Moçambique 29 de Outubro de 2014 1 Agenda 1. O que são Diários Financeiros? 2. O Estudo em Moçambique 3. Alguns Resultados 4. O que Esperamos Aprender 2 O que são diários financeiros

Leia mais

Saúde e produtividade: um olhar sobre o cenário brasileiro. Cesar Lopes Líder de Saúde e Benefícios em Grupo, Towers Watson

Saúde e produtividade: um olhar sobre o cenário brasileiro. Cesar Lopes Líder de Saúde e Benefícios em Grupo, Towers Watson Saúde e produtividade: o valor de uma força de trabalho saudável para o sucesso nos negócios Saúde e produtividade: um olhar sobre o cenário brasileiro Cesar Lopes Líder de Saúde e Benefícios em Grupo,

Leia mais

Protecção Social para um Crescimento Inclusivo. Nuno Cunha Nações Unidas

Protecção Social para um Crescimento Inclusivo. Nuno Cunha Nações Unidas Protecção Social para um Crescimento Inclusivo Nuno Cunha Nações Unidas Contexto moçambicano O País tem experienciado um crescimento económico impressionante nos últimos 15 anos Importantes progressos

Leia mais

PASSAPORTE PARA ANGOLA

PASSAPORTE PARA ANGOLA PASSAPORTE PARA ANGOLA Ana Pinelas Pinto 17 e 18 de Fevereiro 2011 QUESTÕES FISCAIS NA EXPATRIAÇÃO 17 e 18 de Fevereiro 2011 Principais Dificuldades/ Riscos Criação de EE para a entidade empregadora não

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Social

Programa de Desenvolvimento Social Programa de Desenvolvimento Social Introdução A Portucel Moçambique assumiu um compromisso com o governo moçambicano de investir 40 milhões de dólares norte-americanos para a melhoria das condições de

Leia mais

Enquadramento e Experiência Internacional Leasing

Enquadramento e Experiência Internacional Leasing 1 Enquadramento e Experiência Internacional Leasing Leasing como factor de Crescimento Económico Importância Leasing no Mundo Factores de sucesso Vantagens utilização Sector Público 2 O Mercado Leasing

Leia mais

WePeopleValueYourPeople

WePeopleValueYourPeople WePeopleValueYourPeople e info@peoplevalue.com.pt w www.peoplevalue.com.pt Actualizado em 2010Jan14 quem somos? Somos a consultora sua parceira focada nas Pessoas e na sua valorização. Através da especialização

Leia mais

www.pwc.com Os Avanços da Gestão Pública no Brasil Os Desafios para a Gestão de Pessoas Novembro de 2011

www.pwc.com Os Avanços da Gestão Pública no Brasil Os Desafios para a Gestão de Pessoas Novembro de 2011 www.pwc.com Os Avanços da Gestão Pública no Brasil Os Desafios para a Gestão de Pessoas Novembro de 2011 Agenda 1. Demanda por profissionais e a estratégia de gestão de pessoas 2. Gestão de pessoas tendências

Leia mais

Escolas de Pentatlo Moderno

Escolas de Pentatlo Moderno Escolas de Pentatlo Moderno ÍNDICE O que é o franchising PENTAKID? 3 Serviços PENTAKID 5 Marketing 6 Recursos Humanos 7 Financiamento 8 Processo de aquisição 9 Ficha técnica 10 Carta de resposta 11 2 O

Leia mais

Guia de Informação do Franchise

Guia de Informação do Franchise HÁ MAIS DE ANOS Guia de Informação do Franchise Venha Trabalhar Connosco Fazemos Limpezas no Mundo Há Mais de 40 Anos! Isabel Monteiro Directora Geral HÁ MAIS DE ANOS A Jani- King tem sido classificada

Leia mais

Macroeconomia. Faculdade de Direito UNL 2008/09. José A. Ferreira Machado

Macroeconomia. Faculdade de Direito UNL 2008/09. José A. Ferreira Machado Macroeconomia Faculdade de Direito UNL 2008/09 José A. Ferreira Machado 1. As principais grandezas macroeconómicas e a sua medição Medição do rendimento nacional, do nível geral de preços e da taxa de

Leia mais

Protocolo BBVA Soluções Financeiras

Protocolo BBVA Soluções Financeiras Protocolo BBVA Soluções Financeiras Conheça as soluções financeiras que o BBVA tem para lhe oferecer e aproveite o Protocolo BBVA com condições exclusivas para os Associados do SPLIU. Para o BBVA cada

Leia mais

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler 2 Introdução A política corporativa de RH da Schindler define as estratégias relacionadas às ações para com seus colaboradores; baseia-se na Missão e nos

Leia mais

traçam 'plano de ataque'

traçam 'plano de ataque' Seguradoras contra a crise traçam 'plano de ataque' Com os rendimentos das famílias cada vez mais reduzidos, as seguradoras têm-se empenhado em oferecer pacotes mais atractivos aos clientes, que vão desde

Leia mais

POLÍTICA DE REMUNERAÇÃO DOS MEMBROS DOS ÓRGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO E DE FISCALIZAÇÃO DO BANCO SANTANDER TOTTA, S.A.

POLÍTICA DE REMUNERAÇÃO DOS MEMBROS DOS ÓRGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO E DE FISCALIZAÇÃO DO BANCO SANTANDER TOTTA, S.A. POLÍTICA DE REMUNERAÇÃO DOS MEMBROS DOS ÓRGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO E DE FISCALIZAÇÃO DO BANCO SANTANDER TOTTA, S.A. Nos termos e para os efeitos do disposto no artigo 2.º, n.º 1, da Lei n.º 28/2009, de 19

Leia mais

HEALTH WEALTH CAREER MERCER COLLEGE BRASIL 2016. Programa de Desenvolvimento em Gestão do Capital Humano

HEALTH WEALTH CAREER MERCER COLLEGE BRASIL 2016. Programa de Desenvolvimento em Gestão do Capital Humano HEALTH WEALTH CAREER MERCER COLLEGE BRASIL 2016 Programa de Desenvolvimento em Gestão do Capital Humano APRENDA, PRATIQUE E DESENVOLVA-SE COM O MERCER COLLEGE 2 Q U E M S O M O S? O Mercer College é um

Leia mais

NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO

NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO NIP: Nº DO RELATÓRIO: DENOMINAÇÃO DA EMPRESA: EQUIPA AUDITORA (EA): DATA DA VISITA PRÉVIA: DATA DA AUDITORIA: AUDITORIA DE: CONCESSÃO SEGUIMENTO ACOMPANHAMENTO

Leia mais

O que é a Responsabilidade Social Empresarial?

O que é a Responsabilidade Social Empresarial? O que é a Responsabilidade Social Empresarial? 1.5. Campos de acção da RSE Resumo O mundo dos negócios é extremamente heterogéneo. Assim as diferentes abordagens e estratégias sobre responsabilidade compromisso

Leia mais

Controles Internos e Governança de TI. Charles Holland e Gianni Ricciardi

Controles Internos e Governança de TI. Charles Holland e Gianni Ricciardi Controles Internos e Governança de TI Para Executivos e Auditores Charles Holland e Gianni Ricciardi Alguns Desafios da Gestão da TI Viabilizar a inovação em produtos e serviços do negócio, que contem

Leia mais

Plano de Contingência para Serviços e Empresas

Plano de Contingência para Serviços e Empresas Plano de Contingência para Este documento contém: Lista de Verificação de Medidas e Procedimentos para O Plano de Contingência consiste num conjunto de medidas e acções que deverão ser aplicadas oportunamente,

Leia mais

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XIX Gestão da Prevenção. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao.

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XIX Gestão da Prevenção. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao. Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XIX Gestão da Prevenção um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a expressa

Leia mais

5º Seminário. Propostas da campanha nacional. A Política Ambiental no Sector Energético Português. 3 de Julho de 2008

5º Seminário. Propostas da campanha nacional. A Política Ambiental no Sector Energético Português. 3 de Julho de 2008 5º Seminário A Política Ambiental no Sector Energético Português 3 de Julho de 2008 Propostas da campanha nacional Índice da apresentação - O que é a RFA - RFA Europeia - Exemplos e comparação com PT -

Leia mais

B U S I N E S S I M P R O V E M E N T

B U S I N E S S I M P R O V E M E N T BUSINESS IMPROVEMENT A I N D E V E QUEM É A Indeve é uma empresa especializada em Business Improvement, composta por consultores com uma vasta experiência e com um grande conhecimento do mundo empresarial

Leia mais

Avaliando Ações de Treinamento e Desenvolvimento. Daniel Orlean

Avaliando Ações de Treinamento e Desenvolvimento. Daniel Orlean Avaliando Ações de Treinamento e Desenvolvimento Daniel Orlean ou... 6Ds + ROI Daniel Orlean Como você faz para aprovar um programa de T&D Na sua percepção, qual a maior barreira ao implementar um processo

Leia mais

Planificação Anual. Escola Secundária de Pombal - (400634) Referência ANO LECTIVO - 2010/ 2011 COMPETÊNCIAS GERAIS

Planificação Anual. Escola Secundária de Pombal - (400634) Referência ANO LECTIVO - 2010/ 2011 COMPETÊNCIAS GERAIS Planificação Anual Escola Secundária de Pombal - (400634) Referência Direcção Regional de Educação do Centro Equipa de Apoio às Escolas - Leiria ANO LECTIVO - 2010/ 2011 ÁREA DISCIPLINAR DE ECONOMIA E

Leia mais

Workshop SESI SC Florianopolis 27 Setembro

Workshop SESI SC Florianopolis 27 Setembro Workshop SESI SC Florianopolis 27 Setembro 1. Por que Promoção da Saúde no Trabalho (PST)? 2. PST funciona? 3. Tendências Globais e Programas em PST 4. Guias e Critérios Internacionais de Qualidade 5.

Leia mais

Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão

Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão Como as pessoas tendem a imitar os seus líderes, estes devem-se empenhar e comprometer-se com o QSSA, para servirem

Leia mais

Perspectivas das Migrações Internacionais: SOPEMI 2009

Perspectivas das Migrações Internacionais: SOPEMI 2009 International Migration Outlook: SOPEMI 2009 Summary in Portuguese Perspectivas das Migrações Internacionais: SOPEMI 2009 Sumário em Português Nas duas últimas décadas, a imigração para os países da OCDE

Leia mais

A Concepção da Ideia

A Concepção da Ideia A Concepção da Ideia Inov@emprego - Fórum do emprego, formação e empreendedorismo do litoral alentejano Tiago Santos Sines, 7 de Novembro de 2008 Sines Tecnopolo O Sines Tecnopolo é uma associação de direito

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

ESTRATÉGIA ORÇAMENTAL 2011-2015 Administração Pública e Segurança Social

ESTRATÉGIA ORÇAMENTAL 2011-2015 Administração Pública e Segurança Social ESTRATÉGIA ORÇAMENTAL 2011-2015 Administração Pública e Segurança Social O Ministro das Finanças apresentou recentemente o "Documento de Estratégia Orçamental 2011-2015", que contém diversas medidas a

Leia mais

Graf. 1 - Índices de preços no consumidor e de inflação subjacente (taxa de variação homóloga e média dos últimos 12 meses) Jun-07. Mar-07.

Graf. 1 - Índices de preços no consumidor e de inflação subjacente (taxa de variação homóloga e média dos últimos 12 meses) Jun-07. Mar-07. ÍNDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR Dezembro de 2009 13 de Janeiro 2010 Em 2009 a taxa de variação média diminuiu para -0,8 0,8% e em Dezembro a taxa t de variação homóloga situou-se se em -0, 0,1% Em 2009,

Leia mais

Investimento Directo Estrangeiro e Salários em Portugal Pedro Silva Martins*

Investimento Directo Estrangeiro e Salários em Portugal Pedro Silva Martins* Investimento Directo Estrangeiro e Salários em Portugal Pedro Silva Martins* Os fluxos de Investimento Directo Estrangeiro (IDE) para Portugal tornaram-se uma componente importante da economia portuguesa

Leia mais

Advocacia e TI estão entre as mais procuradas e melhor pagas

Advocacia e TI estão entre as mais procuradas e melhor pagas Guia das Funções Mais Procuradas Page Personnel 2015 Advocacia e TI estão entre as mais procuradas e melhor pagas Lisboa, 16 de Junho de 2015 - A Page Personnel, empresa de recrutamento de quadros intermédios

Leia mais

As regiões Portuguesas: Lisboa: Competitividade e Emprego; Madeira: Phasing-in; Algarve: Phasing-out; Norte, Centro, Alentejo, Açores: Convergência

As regiões Portuguesas: Lisboa: Competitividade e Emprego; Madeira: Phasing-in; Algarve: Phasing-out; Norte, Centro, Alentejo, Açores: Convergência A Nova Agenda da Política de Coesão no Espaço Europeu Nuno Teixeira CCDR-LVT 26.Novembro.2010 A Nova Agenda da Política de Coesão no Espaço Europeu 1 ÍNDICE I. A coesão no espaço europeu II. O Tratado

Leia mais

Glossário sobre Planos e Fundos de Pensões

Glossário sobre Planos e Fundos de Pensões Glossário sobre Planos e Fundos de Pensões Associados Benchmark Beneficiários Beneficiários por Morte CMVM Comissão de Depósito Comissão de Gestão Comissão de Transferência Comissão Reembolso (ou resgate)

Leia mais

Estratégia Empresarial. Capítulo 4 Missão e Objectivos. João Pedro Couto

Estratégia Empresarial. Capítulo 4 Missão e Objectivos. João Pedro Couto Estratégia Empresarial Capítulo 4 Missão e Objectivos João Pedro Couto ESTRATÉGIA EMPRESARIAL Pensamento Estratégico Análise do Meio Envolvente Análise da Empresa Análise Estratégica Missão, Objectivos

Leia mais

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO Introdução Escopo A Carta de Bangkok identifica ações, compromissos e promessas necessários para abordar os determinantes da saúde em

Leia mais

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A satisfação e o desempenho dos recursos humanos em qualquer organização estão directamente relacionados entre

Leia mais

Abordagem Formativa Web-Based. Success does not happen by accident. It happens by Design.

Abordagem Formativa Web-Based. Success does not happen by accident. It happens by Design. Abordagem Formativa Web-Based Success does not happen by accident. It happens by Design. Objectivo, Processo, Resultado Objectivo desta Apresentação Introduzir as características e benefícios chave de

Leia mais

IV.2 - LISTA E ÂMBITO DAS CONTAS CLASSE 7 CUSTOS POR NATUREZA. As contas desta classe registam os custos correntes do exercício

IV.2 - LISTA E ÂMBITO DAS CONTAS CLASSE 7 CUSTOS POR NATUREZA. As contas desta classe registam os custos correntes do exercício Anexo à Instrução nº 5/96 IV.2 - LISTA E ÂMBITO DAS CONTAS CLASSE 7 CUSTOS POR NATUREZA As contas desta classe registam os custos correntes do exercício 70 - JUROS E CUSTOS EQUIPARADOS 703 - Juros de recursos

Leia mais

LinkedIn - Tendências globais em recrutamento para 2013 1

LinkedIn - Tendências globais em recrutamento para 2013 1 LinkedIn - Tendências globais em recrutamento para 2013 Visão Brasil As cinco principais tendências em atração de talentos que você precisa saber 2013 LinkedIn Corporation. Todos os direitos reservados.

Leia mais

www.tal-search.com P O R T U G A L E S P A N H A A N G O L A M O Ç A M B I Q U E

www.tal-search.com P O R T U G A L E S P A N H A A N G O L A M O Ç A M B I Q U E www.tal-search.com P O R T U G A L E S P A N H A A N G O L A M O Ç A M B I Q U E Quem somos? Quem somos? O que fazemos? O que nos distingue? Onde estamos? 2 Quem somos? APRESENTAÇÃO A Talent Search foi

Leia mais

Avaliação de Investimentos Logísticos e. Outsourcing Logístico

Avaliação de Investimentos Logísticos e. Outsourcing Logístico APLOG Centro do Conhecimento Logístico Avaliação de Investimentos Logísticos e Outsourcing Logístico Guilherme Loureiro Cadeia de Abastecimento- Integração dos processos de gestão Operador Logístico vs

Leia mais

Situação dos migrantes e seus descendentes directos no mercado de trabalho MANUAL ENTREVISTADOR

Situação dos migrantes e seus descendentes directos no mercado de trabalho MANUAL ENTREVISTADOR DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS E SOCIAIS SERVIÇO DE ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS Situação dos migrantes e seus descendentes directos no mercado de trabalho MANUAL DO ENTREVISTADOR Março 2008 2

Leia mais

A taxa de variação média do IPC foi -0,3% em 2014 e a taxa de variação homóloga situou-se em -0,4% em dezembro

A taxa de variação média do IPC foi -0,3% em 2014 e a taxa de variação homóloga situou-se em -0,4% em dezembro 13 de janeiro de 2015 ÍNDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR Dezembro de 2014 A taxa de variação média do IPC foi -0,3% em 2014 e a taxa de variação homóloga situou-se em -0,4% em dezembro Em 2014, o Índice de

Leia mais

Mercados informação de negócios

Mercados informação de negócios Mercados informação de negócios Angola Oportunidades e Dificuldades do Mercado Novembro 2008 Índice 1. Oportunidades 03 1.1 Pontos Fortes 03 1.2 Áreas de Oportunidade 03 2. Dificuldades 04 2.1 Pontos Fracos

Leia mais

Workshop de Economia da Saúde

Workshop de Economia da Saúde A Doença de Baumol Portugal e a Experiência dos Países da OCDE UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA João Tovar Jalles Fevereiro 2006 (1) Sector da Saúde com importância económica e social crescente na sociedade

Leia mais

Human Resources Human Resources. Estudos de Remuneração 2012

Human Resources Human Resources. Estudos de Remuneração 2012 Human Resources Human Resources Estudos de Remuneração 2012 3 Michael Page Page 4 Apresentamos-lhe os Estudos de Remuneração 2012, realizados pela Michael Page. O objectivo dos nossos Estudos de Remuneração

Leia mais

Como alinhar os RH em outsourcing com a estratégia empresarial e garantir a criação de valor na relação com o cliente Pedro F. Pinto - IBM Portugal

Como alinhar os RH em outsourcing com a estratégia empresarial e garantir a criação de valor na relação com o cliente Pedro F. Pinto - IBM Portugal Como alinhar os RH em outsourcing com a estratégia empresarial e garantir a criação de valor na relação com o cliente Pedro F. Pinto - IBM Portugal A no Mundo Fundada em 1911 Presente em mais de 170 países

Leia mais

Percepção de Portugal no mundo

Percepção de Portugal no mundo Percepção de Portugal no mundo Na sequência da questão levantada pelo Senhor Dr. Francisco Mantero na reunião do Grupo de Trabalho na Aicep, no passado dia 25 de Agosto, sobre a percepção da imagem de

Leia mais

A IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA DA PROTECÇÃO SOCIAL COMPLEMENTAR. Palestrante: Manuel Moreira

A IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA DA PROTECÇÃO SOCIAL COMPLEMENTAR. Palestrante: Manuel Moreira A IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA DA PROTECÇÃO SOCIAL COMPLEMENTAR Palestrante: Manuel Moreira OBJECTIVOS DA SEGURANÇA SOCIAL A segurança social tem o fim primordial de libertar os membros da sociedade das preocupações

Leia mais

Soluções Financeiras ANEXO I. Protocolo exclusivo. Soluções Ordenado BBVA. Soluções Habitação BBVA

Soluções Financeiras ANEXO I. Protocolo exclusivo. Soluções Ordenado BBVA. Soluções Habitação BBVA Protocolo exclusivo. Soluções Financeiras ANEXO I Aproveite o Protocolo BBVA para realizar os seus projectos pessoais. O Banco Bilbao Vizcaya Argentaria, coloca ao seu dispor um conjunto de Produtos e

Leia mais

RECURSOS HUMANOS. Gestão Estratégica de. RH Management Series. www.iirangola.com LUANDA. Planificação Estratégica de Recursos Humanos

RECURSOS HUMANOS. Gestão Estratégica de. RH Management Series. www.iirangola.com LUANDA. Planificação Estratégica de Recursos Humanos RH Management Series Advanced Training for Strategic Advantage CICLO DE FORMAÇÃO EM Gestão Estratégica de RECURSOS HUMANOS Planificação Estratégica de Recursos s SEMINÁRIO Recrutamento, Selecção & Entrevista

Leia mais

. evolução do conceito. Inspecção 3. Controlo da qualidade 4. Controlo da Qualidade Aula 05. Gestão da qualidade:

. evolução do conceito. Inspecção 3. Controlo da qualidade 4. Controlo da Qualidade Aula 05. Gestão da qualidade: Evolução do conceito 2 Controlo da Qualidade Aula 05 Gestão da :. evolução do conceito. gestão pela total (tqm). introdução às normas iso 9000. norma iso 9000:2000 gestão pela total garantia da controlo

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO. Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br

GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO. Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Guia de Estudo Vamos utilizar para a nossa disciplina de Modelagem de Processos com BPM o guia

Leia mais

NORMAS INTERNACIONAIS DO TRABALHO Convenção (n.º 102) relativa à segurança social (norma mínima), 1952

NORMAS INTERNACIONAIS DO TRABALHO Convenção (n.º 102) relativa à segurança social (norma mínima), 1952 NORMAS INTERNACIONAIS DO TRABALHO Convenção (n.º 102) relativa à segurança social (norma mínima), 1952 Bureau Internacional do Trabalho 1 Ratificação Como são utilizadas as Normas Internacionais do Trabalho?

Leia mais

Perfil do Franqueado. Procuramos empreendedores com o seguinte perfil: Experiência em varejo ou rede de negócio.

Perfil do Franqueado. Procuramos empreendedores com o seguinte perfil: Experiência em varejo ou rede de negócio. F R A N Q U I A Benefícios do Modelo Uma das marcas mais fortes e reconhecidas do país. A marca faz parte de um conglomerado que se consolida como um dos maiores do país (Alpargatas - Grupo Camargo Corrêa).

Leia mais

SOlUçõES PARA O CAPItAl HUMANO de SUA EMPRESA

SOlUçõES PARA O CAPItAl HUMANO de SUA EMPRESA SOlUçõES PARA O CAPItAl HUMANO de SUA EMPRESA fundada em 1986 É precursora na implementação de serviços especializados em mapeamentos de competências humanas. Empresa de pesquisa aplicada especializada

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE UM CONSULTOR PARA PRESTAR APOIO ÀS ACTIVIDADES ELEITORAIS EM MOÇAMBIQUE

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE UM CONSULTOR PARA PRESTAR APOIO ÀS ACTIVIDADES ELEITORAIS EM MOÇAMBIQUE TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE UM CONSULTOR PARA PRESTAR APOIO ÀS ACTIVIDADES ELEITORAIS EM MOÇAMBIQUE Local de trabalho: Maputo, Moçambique Duração do contrato: Três (3) meses: Novembro 2011

Leia mais

Trabalho Temporário. Uma Soluçao Provisória ou Uma Escolha com Futuro? Marisa Assunção Novembro/2008

Trabalho Temporário. Uma Soluçao Provisória ou Uma Escolha com Futuro? Marisa Assunção Novembro/2008 Trabalho Temporário Uma Soluçao Provisória ou Uma Escolha com Futuro? Marisa Assunção Novembro/2008 Enquadramento Histórico O Trabalho Temporário é praticado na vida empresarial portuguesa desde os princípios

Leia mais

Moving at labour market

Moving at labour market Moving at labour market Checklist Projecto financiado com o apoio da Comissão Europeia. A informação contida neste Website vincula exclusivamente o autor, não sendo a Comissão responsável pela utilização

Leia mais

Plano Estratégico Nacional do Turismo. Desafios do Turismo Sustentável do PATES

Plano Estratégico Nacional do Turismo. Desafios do Turismo Sustentável do PATES Ferramentas para a Sustentabilidade do Turismo Seminário Turismo Sustentável no Espaço Rural Castro Verde, 7 Março 2012 Teresa Bártolo 2012 Sustentare Todos os direitos reservados www.sustentare.pt 2 Turismo

Leia mais

ACORDO ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A REPÚBLICA DA BULGÁRIA SOBRE CONTRATAÇÃO RECÍPROCA DOS RESPECTIVOS NACIONAIS.

ACORDO ENTRE A REPÚBLICA PORTUGUESA E A REPÚBLICA DA BULGÁRIA SOBRE CONTRATAÇÃO RECÍPROCA DOS RESPECTIVOS NACIONAIS. Decreto n.º 23/2003 Aprova o Acordo entre a República Portuguesa e a República da Bulgária sobre Contratação Recíproca dos Respectivos Nacionais, assinado em Sófia em 26 de Setembro de 2002 Considerando

Leia mais

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES AVALIAÇÃO DE COLABORADORES RESUMO A preocupação com o desempenho dos colaboradores é um dos fatores que faz parte do dia-a-dia da nossa empresas. A avaliação de desempenho está se tornando parte atuante

Leia mais

Uma agenda para a mudança: conseguir acesso universal à água, ao saneamento e à higiene (WASH) até 2030.

Uma agenda para a mudança: conseguir acesso universal à água, ao saneamento e à higiene (WASH) até 2030. Uma agenda para a mudança: conseguir acesso universal à água, ao saneamento e à higiene (WASH) até 2030. O acordo sobre uma meta do Objectivo de Desenvolvimento Sustentável relativamente ao acesso universal

Leia mais

M&A Tax Services. Burning hot Os temas actuais de Private Equity

M&A Tax Services. Burning hot Os temas actuais de Private Equity M&A Tax Services Burning hot Os temas actuais de Private Equity 1 Os nossos serviços contemplam todo o ciclo de uma transacção Na actual situação do mercado, o retorno de um investimento não pode estar

Leia mais