492 Dívida Pública: a experiência brasileira

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "492 Dívida Pública: a experiência brasileira"

Transcrição

1 Siglas Abipem Associação Brasileira de Instituições de Previdência e Assistência Estaduais e Municipais Abrapp Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar ALM Assets and Liability Management Anapp Associação Nacional de Previdência Privada Anbid Associação Nacional dos Bancos de Investimento Andima Associação Nacional das Instituições do Mercado Financeiro ARO Operação de Crédito por Antecipação de Receita Orçamentária Bacen Banco Central do Brasil BaR Budget-at-Risk BC Banco Central do Brasil BCB Banco Central do Brasil BCO Com Nac Banco Comercial Nacional Best Brazil: Excellence in Securities Transactions BFC Belgian Banking and Finance Comission BIB Brazil Investment Bond BID Banco Interamericano de Desenvolvimento Bird Banco Internacional para o Desenvolvimento Econômico BIS Bank for International Settlements BM&F Bolsa de Mercadorias e Futuros BM&FBovespa Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros Bovespa Bolsa de Valores de São Paulo Bovespa Fix ambiente integrado para negociação, liquidação e custódia de títulos de renda fixa. BPM5 Balance of Payments Manual BVRJ Bolsa de Valores do Rio de Janeiro CACs Cláusulas de Ação Coletiva CaR Costa-at-Risk CBLC Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia CCAPM Consumption Capital Asset Pricing Model CDB Certificado de Depósito Bancário CDI Certificados de Depósito Interbancário 491

2 CE Código de Ética CEF Caixa Econômica Federal Cetip Câmara de Custódia e Liquidação CetipNET Plataforma de negociação da Cetip CFaR Cash-Flow-at-Risk CFC Conselho Federal de Contabilidade CFT Certificado Financeiro do Tesouro CGPC Conselho de Gestão da Previdência Complementar CGU Controladoria Geral da União CIR Cox, Ingersoll e Ross CKLS Chan, Karolyi, Longstaff e Sanders CMN Conselho Monetário Nacional CMO Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização CNPJ Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica CNSP Conselho Nacional de Seguros Privados Codip Coordenação-Geral de Operações da Dívida Pública Codiv Coordenação-Geral de Controle da Dívida Pública Cogep Coordenação-Geral de Planejamento Estratégico da Dívida Pública COM Código Operacional do Mercado Compare Sistema de Comparação de Taxas Confere Calculadora Eletrônica de Títulos Públicos Federais Conorf Consultoria de orçamentos, fiscalização e controle Copom Comitê de Política Monetária Corex Coordenação-Geral de Assuntos Externos Corr Dist Nac Corretora-Distribuidora Nacional Coso Comittee of Sponsoring Organizations COT Dist Fundos Clubes, Cotista Distribuidor CPF Cadastro de Pessoa Física CPMF Contribuição Provisória sobre a Movimentação Financeira CRI Certificado de Recebíveis Imobiliários CTN Certificado do Tesouro Nacional CVM Comissão de Valores Mobiliários 492 Dívida Pública: a experiência brasileira

3 DBGG Dívida Bruta do Governo Geral DCB Debt Conversion Bond DCL Dívida Consolidada Líquida Demab Departamento de Operações do Mercado Aberto do Banco Central do Brasil Depec Departamento Econômico do Banco Central do Brasil DI Depósito Interbancário DLSP Dívida Líquida do Setor Público DM Dealer Manager DMO Debt Management Office DPF Dívida Pública Federal DPFe Dívida Pública Federal externa DPMFe Dívida Pública Mobiliária Federal externa DPMFi Dívida Pública Mobiliária Federal interna DRS Sistema de Divulgação de Dívida Externa do Banco Mundial DRS World Bank s External Debt Reporting System DTC Depository Trust Company DTCC Depository Trust & Clearing Corporation DV01 Dolar Value of 1 Basis Point DVP Delivery versus Payment EAPC Entidades Abertas de Previdência Complementar EDP Excessive Deficit Procedure EFPC Entidades Fechadas de Previdência Complementar EFPC Fundos de Pensão EFS Entidade de Fiscalização Superior EFU Encargos Financeiros da União EI Eligible Interest Bond EMTA Trade Association for the Emerging Markets ESA95 European System of Accounts 1995 EUA Estados Unidos da América FAT Fundo de Amparo ao Trabalhador Febraban Federação Brasileira de Bancos Fenaprevi Federação Nacional de Previdência Privada e Vida 493

4 Fenaseg Federação Nacional das Empresas de Seguros Privados e de Capitalização FGV Fundação Getulio Vargas FI Fundos de investimento FIDC Fundo de Investimento em Direitos Creditórios FLIRB Front-Loaded Interest Reduction Bond FMI Fundo Monetário Internacional GAP ou ALM do inglês Asset and Liability Management Gepec Gerência de Pesquisas e Cenários Gerin Gerência de Relacionamento Institucional GFSM Government Finance Statistics Manual IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IDU Interest Due and Unpaid IF Instituições Financeiras IFAC International Federation of Accountants IGCP Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público de Portugal IGP Índice Geral de Preços IGPM Índice Geral de Preços do Mercado IIA Institute of Internal Auditors IIF Instituto Internacional de Finanças IMA Índice de Mercado ANDIMA IMA 5 Índice de Mercado ANDIMA com prazo menor ou igual a cinco anos IMA 5+ Índice de Mercado ANDIMA com prazo maior que cinco anos IMA-B Índice de Mercado ANDIMA composto por títulos atrelados ao IPCA (NTN-B) IMA-C Índice de Mercado ANDIMA composto por títulos atrelados ao IGP-M (NTN-C) IMA-Geral Índice de Mercado ANDIMA resultado da ponderação (pelo valor de mercado da carteira) das variações de cada índice que o compõe IMA-S Índice de Mercado ANDIMA composto por títulos atrelados à Selic INSS Instituto Nacional de Seguridade Social INTOSAI International Organization of Supreme Audit Institutions INV N Res Investidor Não-residente IOF Imposto sobre Operações Financeiras IPC Índice de Preços ao Consumidor 494 Dívida Pública: a experiência brasileira

5 IPCA Índice de Preços ao Consumidor Amplo IPSASs International Public Sector Accounting Standards IR Imposto de Renda IRB Instituto de Resseguros do Brasil IRF-M Índice de Renda Fixa - Mercado IRPF Imposto de renda pessoa física JBIC Japan Bank for International Cooperation JSTN Título da Secretaria do Tesouro Nacional Indexados à Taxa Selic KfW Kreditanstalt für Wiederaufbau (banco de desenvolvimento do governo alemão) LAC Debt Group Grupo de Especialistas em Gerenciamento da Dívida Pública da América Latina e Caribe LBC Letra do Banco Central LBTR sistema de liquidação em tempo real LDO Lei de Diretrizes Orçamentárias LFT Letras Financeiras do Tesouro LFT-E Letras Financeiras do Tesouro série E LFTE-M Letra Financeira do Tesouro de Estados e Municípios LM Liability management LOA Lei Orçamentária Anual LRF Lei de Responsabilidade Fiscal LTN Letras do Tesouro Nacional Mercosul Mercado Comum do Sul MF Ministério da Fazenda MGDD Manual on Government Debt and Deficit MTF Manual de Transparência Fiscal MTS plataforma eletrônica de negociação de títulos soberanos NASD National Association Of Securities Dealers NBB National Bank of Belgium NBCE Nota do Banco Central série E NFSP Necessidade de Financiamento do Setor Público NTN Notas do Tesouro Nacional NTN-B Nota do Tesouro Nacional, série B NTN-C Nota do Tesouro Nacional, série C 495

6 NTN-D Nota do Tesouro Nacional, série D NTN-F Nota do Tesouro Nacional, série F NYSE Regulation, Inc New York Stock Exchange OCDE Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico OGU Orçamento Geral da União ORTN Obrigação Reajustável do Tesouro Nacional OUT PJF Nac Outras Pessoas Jurídicas Financeiras Nacionais PAEG Plano de Ação Econômica do Governo PAF Plano Anual de Financiamento da Dívida Pública Federal PCASP Plano de Contas Aplicado ao Setor Público PEC Proposta de Emenda Constitucional PF PRIV Pessoa física private PF Tot Pessoa Física Total PF Var Pessoa física varejo PGFN Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PIB Produto Interno Bruto PJFIN Pessoa Jurídica Financeira PJNF Pessoa Jurídica Não Financeira PJNF PRIV Pessoa Jurídica Não Financeira Private PJNF Tot Pessoa Jurídica Não Financeira Total PJNF Var Pessoa Jurídica Não Financeira Varejo PLOA Projeto de Lei Orçamentária Anual PME Papel Moeda Emitido PND Programa Nacional de Desestatização PPA Plano Plurianual Prev Comp Previdência Complementar Proer Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional Proes Programa de Incentivo à Redução do Setor Público Estadual na Atividade Bancária PVBP Present Value of a Basis Point RAD Relatório Anual da Dívida Pública Federal RB Reserva Bancária RCL Receita Corrente Líquida 496 Dívida Pública: a experiência brasileira

7 RDB Recibo de Depósito Bancário RFP Request for Proposal RI Relacionamento com Investidores RMD Relatório Mensal da Dívida Pública Federal S&P Standard and Poor s SAI Supreme Audit Institution SAIN Secretaria de Assuntos Internacionais SaR Stock-at-Risk SDDS Special Data Dissemination Standard SE Secretaria Executiva Seae Secretaria de Acompanhamento Econômico SEC Securities and Exchange Commission Selic Sistema Especial de Liquidação e Custódia SET Serviço de Empréstimo de Títulos SFC Secretaria Federal de Controle SFH Sistema Financeiro da Habitação SFN Sistema Financeiro Nacional SGS Sistema Gerenciador de Séries Temporais Siafi Sistema Integrado de Administração Financeira e Orçamentária SID Sistema Integrado da Dívida Sidor Sistema Integrado de Dados Orçamentários Sisbex sistema de negociação eletrônica da Bolsa de Mercadorias e Futuros SNA System of National Accounts Soc Capital Seguradora, Sociedade Capitalização SOF Secretaria de Orçamento Federal Soma Fix Sistema eletrônico de negociação e registro de títulos e valores mobiliários de renda fixa privada SOT Spread Over Treasury SPB Sistema de Pagamentos Brasileiro SPC Secretaria de Previdência Complementar SPE Secretaria de Política Econômica SPI Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos SPI/MPOG Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão 497

8 SPS Secretaria de Previdência Social SRF Secretaria de Receita Federal STN Secretaria do Tesouro Nacional STR Sistema de Transferência de Reservas SUSEP Superintendência de Seguros Privados TCU Tribunal de Contas da União TD Tesouro Direito TDA Títulos da Dívida Agrária TN Tesouro Nacional Unctad United Nations Conference on Trade and Development Usaid United States Agency for International Development Var Value-at-Risk VNA Valor Nominal Atualizado 498 Dívida Pública: a experiência brasileira

Parte 3 Capítulo 3. Organização do mercado financeiro no Brasil

Parte 3 Capítulo 3. Organização do mercado financeiro no Brasil Parte 3 Capítulo 3 Organização do mercado financeiro no Brasil Helena Mulim Venceslau Guilherme Binato Villela Pedras 1 Introdução Este capítulo irá abordar a participação das diversas instituições privadas

Leia mais

Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10. www.eadempresarial.net.br. www.eadempresarial.net.br - 18 3303-0383

Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10. www.eadempresarial.net.br. www.eadempresarial.net.br - 18 3303-0383 Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10 www.eadempresarial.net.br SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL Uma conceituação bastante abrangente de sistema financeiro poderia ser a de um conjunto de

Leia mais

TÍTULOS PÚBLICOS FEDERAIS

TÍTULOS PÚBLICOS FEDERAIS TÍTULOS PÚBLICOS FEDERAIS 6 Capítulo I Títulos de responsabilidade do Tesouro Letras do Tesouro Nacional (LTN) Legislação básica: Decreto nº 3.859, de 4.7.2001. Finalidade: poderão ser emitidas para cobertura

Leia mais

TOP O BACEN atualmente pode emitir títulos? Sistema Especial de Liquidação e Custódia - Selic. Professor Luiz Antonio de Carvalho

TOP O BACEN atualmente pode emitir títulos? Sistema Especial de Liquidação e Custódia - Selic. Professor Luiz Antonio de Carvalho Professor Luiz Antonio de Carvalho Sistema Especial de Liquidação e Custódia - Selic lac.consultoria@gmail.com 1 2 CONCEITO O Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic), do Banco Central do Brasil,

Leia mais

GLOSSÁRIO DO RELATÓRIO MENSAL DA DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL

GLOSSÁRIO DO RELATÓRIO MENSAL DA DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL GLOSSÁRIO DO RELATÓRIO MENSAL DA DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL A Bond (8% Amortizing Global Bonds): Bônus de dívida soberana, com pagamento semestral de cupom, emitido em troca do C Bond. O A Bond, com vencimento

Leia mais

INVESTIMENTOS 1ª aula

INVESTIMENTOS 1ª aula INVESTIMENTOS 1ª aula Regis Klock - Graduação em Ciências Econômicas Pontifícia Universidade Católica - Pós-Graduação em Didática e Metodologia do Ensino Superior UMC - Universidade Mogi das Cruzes Experiência

Leia mais

BAN CO DO BRASIL. Atualizada 19/01/2011 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 1

BAN CO DO BRASIL. Atualizada 19/01/2011 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 1 41. (CAIXA/2010) Compete à Comissão de Valores Mobiliários CVM disciplinar as seguintes matérias: I. registro de companhias abertas. II. execução da política monetária. III. registro e fiscalização de

Leia mais

Apêndice. Administração do Banco Central do Brasil. Siglas. Março 2012 Relatório de Estabilidade Financeira 52

Apêndice. Administração do Banco Central do Brasil. Siglas. Março 2012 Relatório de Estabilidade Financeira 52 Apêndice Administração do Banco Central do Brasil Siglas Março 2012 Relatório de Estabilidade Financeira 52 Administração do Banco Central do Brasil ia Colegiada Alexandre Antonio Tombini Presidente Aldo

Leia mais

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL BRUNI BRUNI BRUNI BRUNI. Sistema Financeiro Nacional

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL BRUNI BRUNI BRUNI BRUNI. Sistema Financeiro Nacional Capítulo Sistema Financeiro Nacional Bibliografia básica Todo o conteúdo dos slides deve ser acompanhado com o livro Mercados Financeiros, publicado pela Editora Atlas. Objetivos do capítulo Distinguir

Leia mais

Semana Nacional de Educação Financeira Tema. Opções de investimentos em um cenário de juros em elevação

Semana Nacional de Educação Financeira Tema. Opções de investimentos em um cenário de juros em elevação Tema Opções de investimentos em um cenário de juros em elevação Apresentação JOCELI DA SILVA SILVA Analista Administrativo/Gestão Pública Lotado na Assessoria de Coordenação 3ª CCR Especialização UNB Clube

Leia mais

PROGRAMA DETALHADO Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10)

PROGRAMA DETALHADO Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10) PROGRAMA DETALHADO Programa da Certificação Detalhado Profissional da Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10) ANBID Série 10 Controle: D.04.08.07 Data da Elaboração: 10/11/2009 Data da Revisão:

Leia mais

Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10. Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 3º versão

Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10. Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 3º versão Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 3º versão 0 Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID SÉRIE 10-3º

Leia mais

atividade a prática de operações de arrendamento As sociedades de arrendamento mercantil são

atividade a prática de operações de arrendamento As sociedades de arrendamento mercantil são Arrendamento mercantil ou leasing é uma operação em que o proprietário de um bem cede a terceiro o uso desse bem por prazo determinado, recebendo em troca uma contraprestação. No que concerne ao leasing,

Leia mais

Conteúdo Programático. Agente Autônomo de Investimentos (ANCORD)

Conteúdo Programático. Agente Autônomo de Investimentos (ANCORD) Conteúdo Programático Agente Autônomo de Investimentos (ANCORD) 1. A atividade do agente autônomo de investimento Instrução CVM 497 Diferenciação das atividades do agente autônomo, administração de carteiras,

Leia mais

Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10

Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID Série 10 Programa Detalhado da Certificação Profissional ANBID SÉRIE 10 - Versão 5.4 OBJETIVOS DA CPA-10 A CPA 10 é uma importante parte do Programa

Leia mais

Preparatório para Certificação da ANBID CPA 10

Preparatório para Certificação da ANBID CPA 10 Preparatório para Certificação da ANBID CPA 10 Programa 2011 PROGRAMA: 1) Sistema Financeiro Nacional Funções Básicas: Função dos intermediários financeiros e definição de intermediação financeira. Estrutura

Leia mais

Mercado de Renda Fixa: Regras de Negócios, Liquidez e Transparência

Mercado de Renda Fixa: Regras de Negócios, Liquidez e Transparência Mercado de Renda Fixa: Regras de Negócios, Liquidez e Transparência 1º Seminário Internacional sobre Renda Fixa em Mercado de Balcão 29/9/2006 Agenda Cenário Macroeconômico Transparência e Liquidez Principais

Leia mais

Apêndice. Administração do Banco Central do Brasil. Siglas. Outubro 2015 Relatório de Estabilidade Financeira 57

Apêndice. Administração do Banco Central do Brasil. Siglas. Outubro 2015 Relatório de Estabilidade Financeira 57 Apêndice Administração do Banco Central do Brasil Siglas Outubro 2015 Relatório de Estabilidade Financeira 57 Administração do Banco Central do Brasil (Referente a 30 de junho de 2015) ia Colegiada Alexandre

Leia mais

Santos, 30 de setembro de 2009

Santos, 30 de setembro de 2009 Santos, 30 de setembro de 2009 Estas são nossas primeiras impressões, comentário e observações quanto a Resolução 3790/09 que regula as aplicações financeiras dos RPPS: Valorização da elaboração da política

Leia mais

Relatório Anual da Dívida Pública 2010 Plano Anual de Financiamento 2011

Relatório Anual da Dívida Pública 2010 Plano Anual de Financiamento 2011 Dívida Pública Federal Brasileira Relatório Anual da Dívida Pública 2010 Plano Anual de Financiamento 2011 Fevereiro 2011 B R A S Í L I A D Í V I D A P Ú B L I C A F E D E R A L B R A S I L E I R A Dívida

Leia mais

Preparatório para Certificação da ANBIMA CPA 10

Preparatório para Certificação da ANBIMA CPA 10 Preparatório para Certificação da ANBIMA CPA 10 Programa 2012 OBJETIVO: Habilitar os candidatos à Certificação Profissional ANBIMA CPA-10 a participarem do exame reunindo os conhecimentos necessários.

Leia mais

Simulado CPA 10 Completo

Simulado CPA 10 Completo Simulado CPA 10 Completo Question 1. O SELIC é um sistema informatizado que cuida da liquidação e custódia de: ( ) Certificado de Depósito Bancário ( ) Contratos de derivativos ( ) Ações negociadas em

Leia mais

PROGRAMA DETALHADO Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10)

PROGRAMA DETALHADO Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10) PROGRAMA DETALHADO Programa da Certificação Detalhado Profissional da Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10) ANBID Série 10 Controle: D.04.08.06 Data da Elaboração: 10/11/2009 Data da Revisão:

Leia mais

Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20

Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20 Solange Honorato Curso Preparatório ANBIMA - CPA-10 Curso Preparatório ANBIMA - CPA-20 E Solange Honorato Facilitadora Certificação Profissional ANBIMA - CPA-10 Destina-se aos profissionais que desempenham

Leia mais

1. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE ECONOMIA, FINANÇAS E ESTATÍSTICA

1. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE ECONOMIA, FINANÇAS E ESTATÍSTICA CONTEÚDO CURSO PREPARATÓRIO PARA A REALIZAÇÃO DE PROVA DE CERTIFICAÇÃO PARA RESPONSÁVEIS PELA GESTÃO DOS RECURSOS DOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS (CPA-20, CPA-10 e ANCOR) 1. PRINCÍPIOS

Leia mais

Conselho de Regulação e Melhores Práticas de Negociação de Instrumentos Financeiros

Conselho de Regulação e Melhores Práticas de Negociação de Instrumentos Financeiros Conselho de Regulação e Melhores Práticas de Negociação de Instrumentos Financeiros DELIBERAÇÃO Nº 03 O Conselho de Regulação e Melhores Práticas de Negociação de Instrumentos Financeiros, no exercício

Leia mais

ENTIDADES AUTO-REGULADORAS DO MERCADO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO

ENTIDADES AUTO-REGULADORAS DO MERCADO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO BM&FBOVESPA A BM&FBOVESPA é muito mais do que um espaço de negociação: lista empresas e fundos; realiza negociação de ações, títulos, contratos derivativos; divulga cotações; produz índices de mercado;

Leia mais

Parte 1 Capítulo 4. Conceitos e estatísticas da dívida pública 1

Parte 1 Capítulo 4. Conceitos e estatísticas da dívida pública 1 Parte 1 Capítulo 4 Conceitos e estatísticas da dívida pública 1 Aline Dieguez B. de Meneses Silva Otavio Ladeira de Medeiros 1 Introdução Este capítulo tem por objetivo apresentar os principais conceitos,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL (UFRGS) ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO (EA) DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS (DCA)

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL (UFRGS) ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO (EA) DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS (DCA) UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL (UFRGS) ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO (EA) DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS (DCA) Bruno Etchepare Dornelles TÍTULOS PÚBLICOS NEGOCIADOS NO TESOURO DIRETO: alternativa

Leia mais

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. prof.bancario@gmail.com

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. prof.bancario@gmail.com Concurso 2011 Prof. Cid Roberto prof.bancario@gmail.com Bolsa de Valores As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) 8ª aula Início da

Leia mais

Renda fixa e Tesouro Direto

Renda fixa e Tesouro Direto Renda fixa e Tesouro Direto Classificação de investimentos Collor CDB Renda fixa Caderneta de poupança Fundos DI Imóveis Renda variável Ações Liquidez Liquidez Liquidez Segurança Segurança Segurança Rentabilidade

Leia mais

1. Sistema Financeiro 2. O Mercado Financeiro 1. Mercado Monetário 2. Mercado Cambial 3. Mercado Capitais 4. Mercado de Crédito 3.

1. Sistema Financeiro 2. O Mercado Financeiro 1. Mercado Monetário 2. Mercado Cambial 3. Mercado Capitais 4. Mercado de Crédito 3. 28 de junho de 2013 1. Sistema Financeiro 2. O Mercado Financeiro 1. Mercado Monetário 2. Mercado Cambial 3. Mercado Capitais 4. Mercado de Crédito 3. Política Econômicas 4. Fundos de Investimentos 5.

Leia mais

RENDA FIXA? Fuja do seu banco!

RENDA FIXA? Fuja do seu banco! RENDA FIXA? Fuja do seu banco! Janeiro 2014 COMO FUNCIONA A RENDA FIXA? COMO INVESTIR EM RENDA FIXA! COMO FUNCIONA A RENDA FIXA? Renda Fixa = Emprestar Dinheiro Tipos de Investimentos em Renda Fixa: CDB

Leia mais

Apêndice. Administração do Banco Central do Brasil. Unidades envolvidas na elaboração do Relatório. Siglas

Apêndice. Administração do Banco Central do Brasil. Unidades envolvidas na elaboração do Relatório. Siglas Apêndice Administração do Banco Central do Brasil Unidades envolvidas na elaboração do Relatório Siglas Novembro 2008 Relatório de Estabilidade Financeira 167 Administração do Banco Central do Brasil*

Leia mais

Prof. Cid Roberto. Concurso 2012

Prof. Cid Roberto. Concurso 2012 Prof. Cid Roberto Concurso 2012 Grupo Conhecimentos Bancários no Google http://goo.gl/gbkij Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) http://goo.gl/4a6y7 São realizadas por bancos de investimentos e demais

Leia mais

PREPARATÓRIO PARA O BANCO DO BRASIL

PREPARATÓRIO PARA O BANCO DO BRASIL PREPARATÓRIO PARA O BANCO DO BRASIL Prof. AGENOR PAULINO TRINDADE AGENOR PAULINO TRINDADE Bacharel em Direito pela Universidade Estadual do Piauí UESPI; - Especializando - MBA GESTÃO EMPRESARIAL PELA Fundação

Leia mais

Conjuntura semanal. Itaú Personnalité. Semana de 12 a 16 de Agosto. Fatores externos e internos elevaram o dólar para perto de R$ 2,40;

Conjuntura semanal. Itaú Personnalité. Semana de 12 a 16 de Agosto. Fatores externos e internos elevaram o dólar para perto de R$ 2,40; Semana de 12 a 16 de Agosto Fatores externos e internos elevaram o dólar para perto de R$ 2,40; Curva de juros voltou a precificar mais aumentos de 0,5 p.p. para a taxa Selic; Com a presente semana muito

Leia mais

Guia de Renda Fixa. 1. Principais Características

Guia de Renda Fixa. 1. Principais Características Guia de Renda Fixa Os títulos de renda fixa se caracterizam por possuírem regras definidas de remuneração. Isto é, são aqueles títulos cujo rendimento é conhecido previamente (juro prefixado) ou que depende

Leia mais

Apêndice. Administração do Banco Central do Brasil. Membros do Comitê de Política Monetária (Copom) Março 2011 Relatório de Inflação 141

Apêndice. Administração do Banco Central do Brasil. Membros do Comitê de Política Monetária (Copom) Março 2011 Relatório de Inflação 141 Apêndice Administração do Banco Central do Brasil Membros do Comitê de Política Monetária (Copom) Março 2011 Relatório de Inflação 141 Administração do Banco Central do Brasil ia Colegiada Alexandre Antonio

Leia mais

COMO SE FORMAM AS TAXAS DE JUROS PRATICADAS PELOS BANCOS - PARTE I

COMO SE FORMAM AS TAXAS DE JUROS PRATICADAS PELOS BANCOS - PARTE I COMO SE FORMAM AS TAXAS DE JUROS O QUE É E COMO FUNCIONA O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL? O QUE É POLÍTICA MONETÁRIA? QUAIS INSTRUMENTOS O BANCO CENTRAL UTILIZA PARA INTERFERIR NO MERCADO? O QUE É ASSISTÊNCIA

Leia mais

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE MERCADO ABERTO DELIBERAÇÃO Nº 3

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE MERCADO ABERTO DELIBERAÇÃO Nº 3 CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE MERCADO ABERTO DELIBERAÇÃO Nº 3 O Conselho de Regulação e Melhores Práticas de Mercado Aberto, no exercício das atribuições a ele conferidas pelo Código ANBIMA

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS CAGEPREV - FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PLANO DE BENEFÍCIO DE CONTRIBUIÇÃO VARIÁVEL Vigência: 01/01/2013 a 31/12/2017 1. OBJETIVOS A Política de Investimentos tem

Leia mais

Perguntas Frequentes sobre a Dívida Pública Federal

Perguntas Frequentes sobre a Dívida Pública Federal Perguntas Frequentes sobre a Dívida Pública Federal Brasília Dezembro/2010 Subsecretaria da Dívida Pública 1 Equipe Técnica Coordenação-Geral de Planejamento Estratégico da Dívida Pública Coordenador-Geral:

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS CAGEPREV - FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA Vigência: 01/01/2013 a 31/12/2017 1. OBJETIVOS A Politica de Investimentos tem como objetivo

Leia mais

Relatório Mensal da Dívida Pública Federal Junho/2014

Relatório Mensal da Dívida Pública Federal Junho/2014 Relatório Mensal da Dívida Pública Federal Junho/2014 Brasília 1 MINISTRO DA FAZENDA Guido Mantega SECRETÁRIO DO TESOURO NACIONAL Arno Hugo Augustin Filho SUBSECRETÁRIOS DO TESOURO NACIONAL Cleber Ubiratan

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte:

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte: Conhecimentos Bancários Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte: Conhecimentos Bancários Item 2.1.4- Fundos de Investimentos: São condomínios, que reúnem aplicações de vários indivíduos para investimento

Leia mais

Sistema Financeiro Nacional 3. Sistema Financeiro Nacional 3.1 Conceito 3.2 Subsistema de Supervisão 3.3 Subsistema Operativo 6/7/2006 2 3.1 - Conceito de Sistema Financeiro Conjunto de instituições financeiras

Leia mais

Os títulos de renda fixa são caracterizados pó terem previamente definida a forma de remuneração. Esses títulos podem ser prefixados ou pós-fixados.

Os títulos de renda fixa são caracterizados pó terem previamente definida a forma de remuneração. Esses títulos podem ser prefixados ou pós-fixados. Faculdades Integradas Campos Salles Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Aplicada às Instituições Financeiras Professor: Adeildo Paulino Aula: 12/05/2012 Matéria: Títulos e Valores Mobiliários

Leia mais

Dívida Pública Federal Brasileira

Dívida Pública Federal Brasileira Dívida Pública Federal Brasileira BRASÍLIA 5 novembro, 2012 Dívida Pública Federal Condições Macroeconômicas Política Econômica Atividade Econômica e Destaques Administração da Dívida 2 dez/99 dez/00 dez/01

Leia mais

Carteira Recomendada RENDA FIXA segunda-feira, 1 de junho de 2015

Carteira Recomendada RENDA FIXA segunda-feira, 1 de junho de 2015 1. Alocação recomendada para Junho de 2015 Classe de Ativo Carteira Conservadora* Carteira Moderada* Carteira Agressiva* Curto Prazo Longo Prazo Curto Prazo Longo Prazo Curto Prazo Longo Prazo Pós-Fixado

Leia mais

Factoring. Leasing. Capítulo 7

Factoring. Leasing. Capítulo 7 Sumário Capítulo 1 Fundamentos: Sistema Financeiro Nacional, Conselho Monetário Nacional, Banco Central e Moeda 1.1. Sistema Financeiro Nacional (SFN) 1.1.1. Legislação Básica 1.1.2. Subdivisões do SFN

Leia mais

VITER GEICO. Vice-Presidência de Gestão. Gerência Nacional de Investidores Corporativos

VITER GEICO. Vice-Presidência de Gestão. Gerência Nacional de Investidores Corporativos VITER Vice-Presidência de Gestão de Ativos de Terceiros GEICO Gerência Nacional de Investidores Corporativos CENÁRIOS ECONÔMICOS JUROS JUROS x INFLAÇÃO x META ATUARIAL Meta Atuarial = 6,00% + IPCA (FOCUS

Leia mais

Baixa do dólar e recuo das Treasuries corroboram para fechamento dos juros futuros; Fatores domésticos levam a depreciação do dólar frente ao real;

Baixa do dólar e recuo das Treasuries corroboram para fechamento dos juros futuros; Fatores domésticos levam a depreciação do dólar frente ao real; 20-jan-2014 Baixa do dólar e recuo das Treasuries corroboram para fechamento dos juros futuros; Fatores domésticos levam a depreciação do dólar frente ao real; Ibovespa recuou 1,04% na semana, seguindo

Leia mais

Semana com dólar em forte queda, alta da Bolsa e menor pressão nos juros futuros; Programa de intervenção do BCB no câmbio vem surtindo efeito;

Semana com dólar em forte queda, alta da Bolsa e menor pressão nos juros futuros; Programa de intervenção do BCB no câmbio vem surtindo efeito; 06-set-2013 Semana com dólar em forte queda, alta da Bolsa e menor pressão nos juros futuros; Programa de intervenção do BCB no câmbio vem surtindo efeito; Ata do Copom referendou nosso novo cenário para

Leia mais

Unidade III. Mercado Financeiro. Prof. Maurício Felippe Manzalli

Unidade III. Mercado Financeiro. Prof. Maurício Felippe Manzalli Unidade III Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Maurício Felippe Manzalli Mercados Financeiros Lembrando da aula anterior Conceitos e Funções da Moeda Política Monetária Política Fiscal Política Cambial

Leia mais

Como funciona o Sistema Financeiro Nacional. José Reynaldo de Almeida Furlani Junho de 2013

Como funciona o Sistema Financeiro Nacional. José Reynaldo de Almeida Furlani Junho de 2013 José Reynaldo de Almeida Furlani Junho de 2013 Segmentação do Mercado MERCADO MONETÁRIO MERCADO DE CRÉDITO MERCADO FINANCEIRO MERCADO DE CAPITAIS MERCADO CAMBIAL Conceito de Sistema Financeiro Conjunto

Leia mais

A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil. Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID

A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil. Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID A ANBID A ANBID Associação Nacional dos Bancos de Investimentos Criada em 1967, é a maior representante das

Leia mais

AS EMPRESAS SEGURADORAS E RESSEGURADORAS COMO INVESTIDORAS DO MERCADO DE CAPITAIS

AS EMPRESAS SEGURADORAS E RESSEGURADORAS COMO INVESTIDORAS DO MERCADO DE CAPITAIS AS EMPRESAS SEGURADORAS E RESSEGURADORAS COMO INVESTIDORAS DO MERCADO DE CAPITAIS HSM EXPO MANAGEMENT 2014 4 de novembro de 2014 Alexandre H. Leal Neto Superintendente de Regulação CNseg Agenda Representação

Leia mais

Relatório Mensal Dívida Pública Federal Janeiro

Relatório Mensal Dívida Pública Federal Janeiro 2015 Relatório Mensal Dívida Pública Federal Janeiro MINISTRO DA FAZENDA Joaquim Vieira Ferreira Levy SECRETÁRIO EXECUTIVO DO MINISTÉRIO DA FAZENDA Tarcísio José Massote de Godoy SECRETÁRIO DO TESOURO

Leia mais

Brasília 22 de Junho 0

Brasília 22 de Junho 0 Brasília 22 de Junho 0 Princípios da Gestão da Dívida Visão Geral do Programa Vantagens do Tesouro Direto Entendendo o que altera o preço Perfil do Investidor Código de Ética STN Mudanças Recentes 1 O

Leia mais

CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA

CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA Fiscalização e autorregulação Principais Intermediários Outros Intermediários Sistema de Liquidação e Custódia CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA CPA-10 Copyright 2011 2012 BMI Brazilian Management Institute

Leia mais

Cadastro de clientes Conjunto de dados e informações gerais sobre a qualificação dos clientes e das sociedades corretoras.

Cadastro de clientes Conjunto de dados e informações gerais sobre a qualificação dos clientes e das sociedades corretoras. Câmbio Uma operação de câmbio envolve a negociação de moeda estrangeira através da troca da moeda de um país pela de outro. Uma pessoa que pretende viajar para o exterior precisa fazer uma operação de

Leia mais

Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Cleber Rentroia MBA em Finanças e Banking

Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Cleber Rentroia MBA em Finanças e Banking 1. Quando o IPCA tende a subir além das metas de inflação, qual medida deve ser tomada pelo COPOM: a) Abaixar o compulsório b) Reduzir taxa do redesconto c) Aumentar o crédito d) Elevar a taxa de juros

Leia mais

Estudo sobre Investimentos World One Julho 2014

Estudo sobre Investimentos World One Julho 2014 Introdução, perguntas e respostas que vão te ajudar a conseguir dialogar com clientes que tenham dúvidas sobre os investimentos que estão fazendo, ou alguma outra pessoa que realmente entenda do mercado

Leia mais

TABELA 2.6.1.a DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL DE RESPONSABILIDADE DO TESOURO NACIONAL. Mapa Analítico - DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL - CONSOLIDADO

TABELA 2.6.1.a DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL DE RESPONSABILIDADE DO TESOURO NACIONAL. Mapa Analítico - DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL - CONSOLIDADO 2.6 - GESTÃO DA DÍVIDA PÚBLICA 2.6.1. Variação do Estoque da Dívida Pública Federal A Dívida Pública Federal DPF de responsabilidade do Tesouro Nacional apresentou, no ano de 2009, crescimento nominal

Leia mais

PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA

PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2015 PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA Aprovado pelo Conselho Deliberativo da Fundação Baneb de Seguridade Social Bases, no dia 28 de novembro de 2014, Ata nº 279. SUMÁRIO 1 DOS

Leia mais

CAIXA. Caixa Econômica Federal TÉCNICO BANCÁRIO. Errata 001 de 30 de março de 2012

CAIXA. Caixa Econômica Federal TÉCNICO BANCÁRIO. Errata 001 de 30 de março de 2012 Edição 4ª 7 8 9 8 4 8 1 9 2 4 5 6 3 CAIXA Caixa Econômica Federal TÉCNICO BANCÁRIO Errata 001 de 30 de março de 2012 Conhecimentos bancários com atualizações e complementos que ocorreram nas páginas citadas.

Leia mais

SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL TESOURO DIRETO BALANÇO DE JULHO DE 2008

SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL TESOURO DIRETO BALANÇO DE JULHO DE 2008 TESOURO DIRETO BALANÇO DE JULHO DE 2008 O Programa Tesouro Direto, que possibilita a aquisição de títulos públicos por parte de pessoas físicas pela internet, foi implementado pelo Tesouro Nacional em

Leia mais

Gestão da Dívida Mobiliária, Operações de Mercado Aberto e Swap Cambial

Gestão da Dívida Mobiliária, Operações de Mercado Aberto e Swap Cambial Diretoria de Política Econômica Departamento de Relacionamento com Investidores e Estudos Especiais Gestão da Dívida Mobiliária, Operações de Mercado Aberto e Swap Cambial com informações até março de

Leia mais

Gestão Ativa Perfil Renda Fixa Renda Variável Super Conservador 100% 0% Conservador 80% 20% Moderado 65% 35% Agressivo 50% 50%

Gestão Ativa Perfil Renda Fixa Renda Variável Super Conservador 100% 0% Conservador 80% 20% Moderado 65% 35% Agressivo 50% 50% III) Plano de Benefícios de Contribuição Definida (Plano CD) 1) Administracão dos Recursos: A administração dos recursos da Fundação Previdenciária IBM é terceirizada, sendo prerrogativa do Conselho Deliberativo

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2009 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 2 2 OBJETIVOS... 2 2.1 OBJETIVO GERAL... 2 2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 2 3 VIGÊNCIA... 3 3.1 MODELO DE GESTÃO... 3 3.2 PROCESSO

Leia mais

EMISSÕES DIRETAS DE TÍTULOS DA DPMFi

EMISSÕES DIRETAS DE TÍTULOS DA DPMFi EMISSÕES DIRETAS DE TÍTULOS DA DPMFi Definem-se como emissões diretas de títulos da Dívida Pública Mobiliária Federal interna DPMFi aquelas destinadas a atender finalidades específicas, definidas em Lei.

Leia mais

Unidade III. Operadores. Demais instituições financeiras. Outros intermediários financeiros e administradores de recursos de terceiros

Unidade III. Operadores. Demais instituições financeiras. Outros intermediários financeiros e administradores de recursos de terceiros MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS Unidade III 6 O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL O sistema financeiro nacional é o conjunto de instituições e instrumentos financeiros que possibilita a transferência de recursos

Leia mais

ORÇAMENTOS DA UNIÃO EXERCÍCIO FINANCEIRO 2015

ORÇAMENTOS DA UNIÃO EXERCÍCIO FINANCEIRO 2015 ORÇAMENTOS DA UNIÃO EXERCÍCIO FINANCEIRO 2015 PROJETO DE LEI ORÇAMENTÁRIA Mensagem Presidencial Brasília,DF 2014 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal SOF SEPN

Leia mais

FATORES DE ATUALIZAÇÃO MONETÁRIA E TAXAS DE JUROS REFERENCIAIS

FATORES DE ATUALIZAÇÃO MONETÁRIA E TAXAS DE JUROS REFERENCIAIS FATORES DE ATUALIZAÇÃO MONETÁRIA E TAXAS DE JUROS REFERENCIAIS 7 Capítulo I Fatores de atualização monetária Bônus do Tesouro Nacional (BTN) Legislação básica: Leis nº 7.777, de 19.6.1989 (instituição);

Leia mais

PSS - Seguridade Social

PSS - Seguridade Social POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2012 PLANO C 1. Objetivos Esta versão da Política de Investimentos, que estará em vigor durante o ano de 2012, tem como objetivo definir as diretrizes dos investimentos do

Leia mais

Apêndice. Administração do Banco Central do Brasil. Siglas. Setembro 2013 Relatório de Estabilidade Financeira 54

Apêndice. Administração do Banco Central do Brasil. Siglas. Setembro 2013 Relatório de Estabilidade Financeira 54 Apêndice Administração do Banco Central do Brasil Siglas Setembro 2013 Relatório de Estabilidade Financeira 54 Administração do Banco Central do Brasil ia Colegiada Alexandre Antonio Tombini Presidente

Leia mais

Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 6 Demais Produtos de Investimento

Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 6 Demais Produtos de Investimento Pág: 1/45 Curso CPA-10 Certificação ANBID Módulo 6 Demais Produtos de Investimento Pág: 2/45 Módulo 6 - Demais Produtos de Investimento Este módulo apresenta as principais características de algumas das

Leia mais

1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: 2 - Sistema de Seguros Privados e Previdência Complementar:

1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: 2 - Sistema de Seguros Privados e Previdência Complementar: EDITAL 2012 1 - Estrutura do Sistema Financeiro Nacional: Conselho Monetário Nacional; Banco Central do Brasil; Comissão de Valores Mobiliários; Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional; bancos

Leia mais

MANUAL DE AVALIAÇÃO DE ATIVOS E DERIVATIVOS - SINTÉTICO

MANUAL DE AVALIAÇÃO DE ATIVOS E DERIVATIVOS - SINTÉTICO MANUAL DE AVALIAÇÃO DE ATIVOS E DERIVATIVOS - SINTÉTICO Maio de 2008 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. PRINCÍPIOS GERAIS...5 2.1. MELHORES PRÁTICAS...5 2.2. ABRANGÊNCIA...5 2.3. COMPROMETIMENTO...5 2.4. EQÜIDADE...5

Leia mais

Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic) Aspectos Jurídicos Relevantes

Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic) Aspectos Jurídicos Relevantes Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic) Aspectos Jurídicos Relevantes Agenda 1. Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB) 2. Papeis do Banco Central do Brasil no SPB 3. Sistema Especial de Liquidação

Leia mais

Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras

Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Prof. Onivaldo Izidoro Pereira Finanças Corporativas Ambiente Econômico Em suas atividades uma empresa relacionase com: Clientes

Leia mais

ONDE ESTAMOS? Mais de 40 mil clientes. 110 escritórios pelas principais cidades do Brasil. Mais de 600 Agentes Autônomos de Investimentos.

ONDE ESTAMOS? Mais de 40 mil clientes. 110 escritórios pelas principais cidades do Brasil. Mais de 600 Agentes Autônomos de Investimentos. ONDE ESTAMOS? Mais de 40 mil clientes. 110 escritórios pelas principais cidades do Brasil. Mais de 600 Agentes Autônomos de Investimentos. RENDA FIXA? Fuja do seu banco! Novembro 2013 COMO FUNCIONA A RENDA

Leia mais

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL INSTITUIÇÕES. Lei 4.595/64 FINANCEIRAS COLETA INTERMEDIAÇÃO APLICAÇÃO CUSTÓDIA

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL INSTITUIÇÕES. Lei 4.595/64 FINANCEIRAS COLETA INTERMEDIAÇÃO APLICAÇÃO CUSTÓDIA SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL INSTITUIÇÕES Lei 4.595/64 FINANCEIRAS COLETA INTERMEDIAÇÃO APLICAÇÃO CUSTÓDIA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA JUROS PAGOS PELOS TOMADORES - REMUNERAÇÃO PAGA AOS POUPADORES SPREAD

Leia mais

Diretoria de Política Econômica Departamento de Relacionamento com Investidores e Estudos Especiais. Indicadores Fiscais

Diretoria de Política Econômica Departamento de Relacionamento com Investidores e Estudos Especiais. Indicadores Fiscais Diretoria de Política Econômica Departamento de Relacionamento com Investidores e Estudos Especiais Indicadores Fiscais com informações até março de 2015 S é r i e Perguntas Mais Frequentes Indicadores

Leia mais

Fonte: Plano Anual de Financiamento (PAF) de 2015.

Fonte: Plano Anual de Financiamento (PAF) de 2015. Unidade Auditada: COORD.GERAL DE CONTROLE DA DIVIDA PUBLICA Exercício: 2014 Processo: Município: Brasília - DF Relatório nº: 201502856 UCI Executora: SFC/DE/DEFAZII - Coordenação-Geral de Auditoria da

Leia mais

Carteira Recomendada RENDA FIXA quarta-feira, 1 de abril de 2015

Carteira Recomendada RENDA FIXA quarta-feira, 1 de abril de 2015 quartafeira, 1 de abril de 2015 1. Alocação recomendada para Abril de 2015 Classe de Ativo Coservadora Moderada Agressiva Curto Prazo Longo Prazo Curto Prazo Longo Prazo Curto Prazo Longo Prazo PósFixado

Leia mais

e renda fixa Capítulo Instrumentos de renda fixa Matemática financeira Características gerais dos títulos de renda fixa Juros e taxa de desconto

e renda fixa Capítulo Instrumentos de renda fixa Matemática financeira Características gerais dos títulos de renda fixa Juros e taxa de desconto Matemática financeira e renda fixa 1 Capítulo Matemática financeira Juros e taxa de desconto Cálculo de juros simples versus juros compostos, taxas de juros reais versus taxas de juros nominais e efeito

Leia mais

MANUAL DE MARCAÇÃO A MERCADO ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A.

MANUAL DE MARCAÇÃO A MERCADO ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. MANUAL DE MARCAÇÃO A MERCADO ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. Válido para Fundos de Investimentos e Carteiras de Investimentos Setembro de 2010 Versão: 0910 V1.0 PRINCÍPIOS GERAIS E POLÍTICAS DE MARCAÇÃO A MERCADO...

Leia mais

Mirae Asset Securities (Brasil) C.T.V.M. Ltda www.miraeasset.com.br

Mirae Asset Securities (Brasil) C.T.V.M. Ltda www.miraeasset.com.br ENTIDADES AUTORREGULADORAS DO MERCADO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO BM&FBOVESPA A BM&FBOVESPA é uma companhia de capital brasileiro formada, em 2008, a partir da integração das operações da Bolsa de Valores

Leia mais

Capítulo 4 Mercado e Títulos de Renda Fixa no Brasil

Capítulo 4 Mercado e Títulos de Renda Fixa no Brasil Capítulo 4 Mercado e Títulos de Renda Fixa no Brasil 4.1 Apresentação do capítulo O objetivo deste capítulo é apresentar os conceitos e as características dos mercados de renda fixa no Brasil. Ao final,

Leia mais

Fundos de Investimento

Fundos de Investimento Gestão Financeira Prof. Marcelo Cruz Fundos de Investimento 3 Uma modalide de aplicação financeira Decisão de Investimento 1 Vídeo: CVM Um fundo de investimento é um condomínio que reúne recursos de um

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O PERFIL DE INVESTIMENTOS CONSERVADOR INDEXADO A INFLAÇÃO DA VISÃO PREV SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O PERFIL DE INVESTIMENTOS CONSERVADOR INDEXADO A INFLAÇÃO DA VISÃO PREV SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O PERFIL DE INVESTIMENTOS CONSERVADOR INDEXADO A INFLAÇÃO DA VISÃO PREV SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO L2 0 0 6 R E L AT Ó R I O A N U A EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO Prêmio de Seguros Participação no Mercado (em %) Mercado 74,2% Fonte: Susep e ANS Base: Nov/2006 Bradesco 25,8%

Leia mais

LW REPORT INVESTINDO COM OS FUNDOS DE PENSÃO BRASILEIROS. As regras do jogo. 01 Abril 2013. Principais áreas de atuação:

LW REPORT INVESTINDO COM OS FUNDOS DE PENSÃO BRASILEIROS. As regras do jogo. 01 Abril 2013. Principais áreas de atuação: LW REPORT 01 Abril 2013 Principais áreas de atuação: Societário e mercado de capitais Restructuring and Finance Real Estate M&A Executive Compensation and Benefits Direito Empresarial Externo INVESTINDO

Leia mais

Valcedir Vicente Rosa. Sistema Financeiro Nacional

Valcedir Vicente Rosa. Sistema Financeiro Nacional 1 Sistema Financeiro Nacional Tópicos a serem abordados Visão geral do sistema financeiro nacional. Atuação dos participantes Mercado monetário e política monetária. Sistemas CETIP e SELIC Principais títulos

Leia mais

Manual. Mercado Financeiro

Manual. Mercado Financeiro Manual Mercado Financeiro Apresentação O objetivo deste manual é proporcionar aos leitores um rápido tour pelo mercado financeiro brasileiro. Os conceitos foram colocados em ordem didática, de tal forma

Leia mais

1º Pré-Teste Gabarito comentado (quando necessário)

1º Pré-Teste Gabarito comentado (quando necessário) 1º Pré-Teste Gabarito comentado (quando necessário) 1) As Entidades Abertas de Previdência Privada são reguladas e fiscalizadas: a) Pelo Banco Central do Brasil, Superintendência de Seguros Privados SUSEP

Leia mais

Curso Preparatório CEA

Curso Preparatório CEA Curso Preparatório Tel: 4004-0435 ramal 4505 Email: contato@ifb.net.br CEA 7ª Edição 2 Introdução Instituto de Formação Bancária Cursos CPA 10, CPA 20 e CEA Surgimento da Anbima Entender o surgimento da

Leia mais

Atualidades do Mercado Financeiro

Atualidades do Mercado Financeiro Atualidades do Mercado Financeiro Sistema Financeiro Nacional Dinâmica do Mercado Mercado Bancário Conteúdo 1 Sistema Financeiro Nacional A estrutura funcional do Sistema Financeiro Nacional (SFN) é composta

Leia mais