Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT"

Transcrição

1 Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT

2 Sorriso Pensante Autor: Ivan Cabral

3 Distribuição dos Vertebrados vs Invertebrados: 4,0% 96,0% Vertebrados Invertebrados

4 Principais características dos vertebrados: Esses animais são chamados de vertebrados por possuírem um esqueleto que proporciona um eixo de sustentação formado por: Crânio Uma caixa de ossos ou de cartilagem que abriga a maior parte do sistema nervoso central; Vértebras Estruturas ósseas ou cartilaginosas que forma a coluna vertebral, protegendo a medula espinhal, parte do sistema nervoso. Considerando a biodiversidade animal conhecida, apenas cerca de espécies conhecidas ou, aproximadamente, 4% são vertebrados; No Brasil, a riqueza de espécies de vertebrados, é umas das maiores do planeta.

5 Classes do filo Chordata: Super Classe dos PEIXES REPTILIA MAMMALIA AMPHIBIA AVES

6

7 Os peixes são os vertebrados mais abundantes da Terra: São conhecidas mais de espécies; Vivem nos oceanos, rios e lagos que cobrem cerca de 69% da superfície do planeta; Eles têm grande importância nos ambientes aquáticos, fazendo parte da cadeia alimentar. Morfologia: Normalmente têm o corpo alongado e hidrodinâmico; Presença de escamas; Nadadeiras que auxiliam a locomoção e nado; No corpo destes animais há o muco protetor que auxilia na hidrodinâmica, além de proteger o animais de patologias; Na grande maioria das espécies a respiração é branquial; Brânquias protegidas pelo opérculo (peixes ósseos).

8 Morfologia dos Peixes: linha lateral

9 Morfologia dos Peixes: Osteícte Condricte Opérculo protegendo as brânquias. Ausência de opérculo, possuem fendas branquiais. Aruanã-dourado Scleropages formosus Tubarão-de-seis-brânquias Hexanchus griseus

10 Peixes Agnatos ( sem mandíbula ): Formam um grupo pequeno: São conhecidas cerca de 40 espécies de lampreias e 15 espécies de feiticeiras; As lampreias são seres ectoparasitas e detritívoras; Já as feiticeiras são carnívoras e detritívoras; São animais ectotérmicos; Encontradas principalmente em água marinha, há espécies de água doce. a = sem gnato = mandíbula Morfologia: Possuem pele lisa; Boca circular; Ausência de escamas; A respiração acontece através de brânquias.

11 Feiticeira Lampreia

12 Peixes Condrictes (peixes cartilaginosos): Grupo dos cartilaginosos: Tubarões e arraias são exemplares deste grupo; São animais ectotérmicos; Esqueleto nunca é ossificado; Presença de alguns dos maiores e mais eficientes predadores da Terra; Praticamente todos são marinhos. Morfologia: Possuem nadadeiras pares ao logo do corpo; Possuem mandíbula; Presença de uma densa camada de escamas; A respiração acontece através das fendas branquiais.

13 Reprodução dos condrictes: Ovíparo Ovovivíparo

14 Peixes Osteíctes (peixes ósseos): Esses animais formam o grupo de vertebrados mais diversificado da Terra, com cerca de 20 mil espécies; Osteo = osso Ictes = peixes Há uma espécie de peixe pulmonado neste grupo, a piramboia, um peixe amazônico; A alimentação varia neste grupo, há espécies herbívoras e carnívoras, se alimentando de pequenos mamíferos. Todos são ectotérmicos; Quanto a reprodução, a maioria dos peixes ósseos possui uma fecundação externa, com gametas liberados no ambiente, e geralmente é ovípara; Os ovos são pequenos e dão origem a larvas chamadas de alevinos. Piramboia

15

16 Os Amphibios: amphi de um e outro lado bios vida

17 O grupo dos anfíbios: Os anfíbios se desenvolveram a partir de um grupo de antigos peixes, há cerca de 400 milhões de anos; A principal características dos anfíbios é a dependência da água para completar seu ciclo de vida: Precisam da água para: formação dos ovos, desenvolvimento nas fases iniciais e para a fecundação. Características que permitem identificar os animais pertencentes a este grupo: Pele úmida: sendo lisa, coberta por muco, fina, sem escamas, rica em vasos sanguíneos e glândulas. Os anfíbios atuais secretam toxinas pelas glândulas presentes na pele; Respiração cutânea: responsável por boa parte das trocas gasosas destes animais, na fase adulta, a respiração pela pele te o suporte da respiração pulmonar; Metamorfose: são alterações do corpo durante seu desenvolvimento da fase juvenil até a fase adulta.

18 O grupo dos anfíbios: Características que permitem identificar os animais pertencentes a este grupo: Ectotermia: são incapazes de regular a temperatura do corpo em relação a variações de temperatura ambiental, os anfíbios estão restritos a ambientes de temperatura quente e úmidas; Coração com três cavidades: há dois átrios e um único ventrículo. Ao ser bombeado o sangue rico em oxigênio se mistura com o sangue rico em gás carbônico.

19 Movimentando-se fora d água:

20 A respiração dos anfíbios: Fase Larval Fase Adulta

21 Transformações (metarmofose):

22 As ordens dos anfíbios: Ordem dos Anuros ( sem cauda ): Anfíbios sem caudas, a maioria podem medir de 2 a 12 centímetros; Presentes em todos os continentes, exceção da Antártida; Adaptações nas patas posteriores, do quadril e da coluna vertebral, que permitem a locomoção em saltos. Perereca Phyllomedusa hyponcondrialis Geralmente vivem sobre a vegetação, possuem olhos grandes, cintura fina e pernas longas, com projeções alongadas nas extremidades dos dedos. Sapo Rhinella marina Os sapos geralmente dão saltos curtos e tem pernas relativamente curtas. Alguns apresentam coloração forte, o que indica a presença de toxina. Rã Leptodactylus fuscus As rãs são geralmente aquáticas, com grandes pés dotados de uma membrana entre os dedos, que auxilia a natação.

23 As ordens dos anfíbios: Ordem dos Urodelos ( cauda visível ): Anfíbios de corpo alongado, com quatro patas e cauda longa; Geralmente aquáticos ou semiaquáticos; São animais carnívoros; A locomoção é feita com auxílio da cauda, serve como se fosse um leme, durante a natação; São aproximadamente 400 espécies, quase todas restritas ao hemisfério norte. Salamandra Salamandra salamandra Tritão Cynops orientalis

24 As ordens dos anfíbios: Ordem das Gimnofionas ou Ápodes ( nu semelhantes a cobra ): Trata-se do menor e menos conhecido grupo de anfíbios, reunindo animais chamados de cecília ou cobras-cegas; São animais que vivem sob o solo e se alimentam de formigas, cupins e minhocas as formas aquáticas se alimentam de larvas e ovos de outros animais; São aproximadamente 180 espécies. Anfíbios sem membros e de corpo alongado (adaptado a vida subterrânea), semelhante a de uma cobra, mas sem as escamas. Os olhos são atrofiados, e sentido mais importante nesses animais é o tato. Cobra-cega Amphisbaena trachura

25 Defesa contra predadores: Produção de toxinas: As espécies venenosas possuem substâncias capazes de intoxicar o predador que tentar comê-las. O veneno funciona, portanto, como uma forma contra seus predadores. Camuflagem: A pele do animal apresenta uma cor ou um desenho, muito semelhante a do ambiente em que ele vive. Assim o animal fica camuflado e passa despercebido em meio a paisagem. Coloração de advertência: Algumas espécies costumam ter a cores vivas e brilhantes, que servem de advertência aos predadores. Aquele animal que tentar predá-lo, corre o risco, de passar mal ou até morrer, assim evitará a predação do anfíbio. Glândulas Paratoides: No sapo, as glândulas produtoras de veneno, situam-se atrás dos olhos. Se algum predador tentar engoli-lo, a pressão na pele do sapo, fará esguichar um veneno que irá intoxicar o seu predador.

26

27 O corpo dos répteis ( reptare = rastejar): Atualmente os repteis ocupam ambientes terrestres e aquáticos e, embora no passado tenham existido répteis voadores, eles se extinguiram; Mandíbulas mais fortes que as dos anfíbios; Dentes e músculos mais desenvolvidos, favorecendo a captura de presas; A temperatura do corpo dos peixes, anfíbios e répteis, acompanha mais ou menos a temperatura do ambiente (ectotérmicos); Os répteis utilizam pouca água para eliminar toxinas, devido a isso, a urina se torna pastosa.

28 A pele dos répteis: Em vez de uma pele fina e com glândulas produtoras de muco, como nos anfíbios, nós répteis temos uma pele grossa, seca e impermeável; Com isto, há a eliminação da respiração cutânea e aprimoramento (evolução adaptativa) da respiração pulmonar, mais eficiente; Diminuição da dependência de estar próximo a água (há exceções); A queratina auxilia os répteis a terem uma pele impermeabilizada, diminuindo consideravelmente a desidratação para o meio.

29 A pele dos répteis:

30 A respiração dos répteis:

31 Sistema Circulatório: Dois átrios e um ventrículo (parcialmente dividido); Crocodilos e jacarés, possuem dois átrios e dois ventrículos, ou seja, quatro cavidades; Circulação dupla e incompleta, sendo assim, há a mistura de sangue arterial com o sangue venoso.

32 Os Quelônios: Entre os quelônios podemos encontrar: as tartarugas, os jabutis e os cágados; A maioria das espécies é herbívora e tem um casco, no dorso do corpo, que protege o corpo; Todos os quelônios são ovíparos, ou seja, o embrião se desenvolve dentro de um ovo fora do corpo da mãe; Eles não tem dentes, evolutivamente foram substituídos por um bico córneo; Os quelônios marinhos se alimentam, principalmente, de moluscos, mexilhões e caranguejos; Os jabutis comem frutas, verduras, legumes, insetos, minhocas e até camundongos; Os cágados se alimentam de peixes, plantas das margens dos rios, frutas quem caem nos rios, insetos e moluscos. Tartaruga-verde Cheloni amydas Cágado de barbicha Phrynops geoffroanus Jabuti Geochelone denticulata

33 Os Escamados: Entre os escamados encontramos: os lacertílios ou sáurios, que incluem os lagartos, as lagartixas e os camaleões; Cobra-de-duas-cabeças Tem também os anfisbenídeos, que incluem as cobras-de-duas-cabeças e os ofídios que são as serpentes; Todos eles têm o corpo coberto por escamas. Camaleão Serpentes Lagartixa

34 Os Crocodilianos: Entre os escamados encontramos: os crocodilos e jacarés; O corpo deles é coberto por escamas e placas ósseas, caudas longas e achatadas e todos são semiaquáticos; São carnívoros e passam boa parte do tempo dentro da água ou na beira dos rios; A cauda é usada como mecanismo de defesa no ambiente terrestre; Possuem as mordidas mais fortes do reino animal; Coração possui quatro cavidades (dois átrios e dois ventrículos). Jacaré Crocodilo Gaviais

35 Os Rincocéfalos: Esse grupo de réptil é representado por apenas duas espécies de tuataras, ambos vivendo em ilhas da Nova Zelândia; São animais com aparência semelhante à dos lagartos; Eles são terrestres, de hábito noturno e se alimentam de pequenos animais, especialmente de aves; Possuem uma fileira de escamas pontiagudas, ou espinhos, ao longo do dorso e da cauda. Rincocéfalos não será cobrado na avaliação.

36

Revisão de Ciências 3 Trimestre 7 anos. Prof. José Roberto

Revisão de Ciências 3 Trimestre 7 anos. Prof. José Roberto Revisão de Ciências 3 Trimestre 7 anos Prof. José Roberto VERTEBRADOS CARACTERÍSTICAS GERAIS Animais vertebrados são todos aqueles que possuem como caracteristica principal, uma coluna vertebral. Animais

Leia mais

EUCORDADOS (Vertebrados): possuem coluna vertebral e têm crânio com encéfalo.

EUCORDADOS (Vertebrados): possuem coluna vertebral e têm crânio com encéfalo. Cordados compreende animais adaptados para a vida aquática e terrestre. Dividem-se em: PROTOCORDADOS: destituídos de coluna vertebral e de caixa craniana EUCORDADOS (Vertebrados): possuem coluna vertebral

Leia mais

Herpetologia Estudo dos répteis. Prof. Pablo Paim Biologia

Herpetologia Estudo dos répteis. Prof. Pablo Paim Biologia Herpetologia Estudo dos répteis Prof. Pablo Paim Biologia Atualmente segundo a SBH são descritas para o Brasil 1026 espécies de anfíbios e 760 espécies de répteis. Anfíbios 988 Anuros; 1 Caudata; 33 Gymnophionas

Leia mais

Evolução dos vertebrados

Evolução dos vertebrados PEIXES Evolução dos vertebrados PEIXES PULMONADOS AVES ÓSSEOS ANFÍBIOS RÉPTEIS CICLÓSTOMO PEIXES MAMÍFEROS CARTILAGINOSOS Peixe Primitivo (Lampreias e Feiticeiras) Características gerais Exclusivamente

Leia mais

Reino Animalia 0 (Metazoa)

Reino Animalia 0 (Metazoa) Reino Animalia 0 (Metazoa) Filo Chordata (Parte II) Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Chordata Triblásticos, celomados, deuterostômios e possuem simetria bilateral;

Leia mais

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Conteúdo: Conteúdo Recuperação do 3 Bimestre disciplina: Ciências - Peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos. Diferenças entre esses seres vivos e importâncias

Leia mais

Filo Cordado. Apostila VII Unidade 24 a Características Embrionárias: 2- Caracterização Fisiológica: Característica

Filo Cordado. Apostila VII Unidade 24 a Características Embrionárias: 2- Caracterização Fisiológica: Característica 1- Características Embrionárias: Característica Tipo Simetria* Bilateral Tecidos Eumetazoa Tecidos embrionários Triblástico Celoma Celomado Origem do celoma Enterocelomado Blastóporo Deuterostômico Metameria

Leia mais

Filo Chordada (Cordados) Vitor Leite

Filo Chordada (Cordados) Vitor Leite Filo Chordada (Cordados) Vitor Leite Filo Chordata (Cordados) Características gerais: -Triblásticos, celomados, deuterostômios, apresentam metameria (evidente na fase embrionária); Características Exclusivas:

Leia mais

Biologia FILO CORDADOS

Biologia FILO CORDADOS CPMG- NADER ALVES DOS SANTOS Biologia FILO CORDADOS Prof. Weber FILO DOS CORDADOS Filo Chordata grandes animais existentes na Terra, dentre eles, o homem. Grande adaptação, diversos hábitos de vida, grande

Leia mais

SUPERCLASSE PEIXES 2) CLASSE CONDRÍCTEIS PEIXES CARTILAGINOSOS

SUPERCLASSE PEIXES 2) CLASSE CONDRÍCTEIS PEIXES CARTILAGINOSOS PEIXES SUPERCLASSE PEIXES 2) CLASSE CONDRÍCTEIS PEIXES CARTILAGINOSOS Endoesqueleto cartilaginoso Espiráculos Boca ventral 5 a 7 pares de fendas branquiais Sem bexiga natatória Presença de cloaca Glândula

Leia mais

REVISÃO DO FILO DOS CORDADOS. Biologia Professora: Maria Lucia Fensterseifer

REVISÃO DO FILO DOS CORDADOS. Biologia Professora: Maria Lucia Fensterseifer REVISÃO DO FILO DOS CORDADOS Biologia Professora: Maria Lucia Fensterseifer PROTOCORDADOS NOTOCORDA TUBO NERVOSO DORSAL FENDAS FARÍNGEAS ASCÍDIA = UROCORDADO (NOTOCORDA NA CAUDA DA FASE LARVAL) ANFIOXO

Leia mais

A forma do corpo provavelmente evoluiu a partir de um tipo inicial semelhante ao das salamandras, nadando por ondulações do corpo e cauda.

A forma do corpo provavelmente evoluiu a partir de um tipo inicial semelhante ao das salamandras, nadando por ondulações do corpo e cauda. Silvestre A forma do corpo provavelmente evoluiu a partir de um tipo inicial semelhante ao das salamandras, nadando por ondulações do corpo e cauda. A mudança para um anfíbio saltador pode ser relacionada

Leia mais

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE 08 CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP 0 Intenção sem ação é ilusão. Ouse fazer e o poder lhe será dado

Leia mais

Cor C da or do da s do Prof. Fernando Belan Prof. Fernand - BIOLOGIA MAIS o Belan

Cor C da or do da s do Prof. Fernando Belan Prof. Fernand - BIOLOGIA MAIS o Belan Cordados Cordados Prof. Fernando Fernando Belan Belan -- BIOLOGIA BIOLOGIA MAIS MAIS Prof. Introdução Protocordados (anfioxo e ascídia); Vertebrados (peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos); Simetria

Leia mais

Aula 4.4 - Os conquistadores do ambiente terrestre

Aula 4.4 - Os conquistadores do ambiente terrestre Aula 4.4 - Os conquistadores do ambiente terrestre Além do vegetais outros organismos habitavam o ambiente terrestre Organismos de corpo mole como moluscos e anelídeos Organismos com cutícula redução da

Leia mais

Biologia Móds. 21/22 Setor 1423 Cordados Prof. Rafa

Biologia Móds. 21/22 Setor 1423 Cordados Prof. Rafa Biologia Móds. 21/22 Setor 1423 Cordados Prof. Rafa Características: Triblásticos Celomados ectoderme intestino mesoderme celoma cavidade corporal na mesoderme endoderme Características: Deuterostômios:

Leia mais

FILO CHORDATA. Anfioxo. Ascídia

FILO CHORDATA. Anfioxo. Ascídia FILOS ANIMAIS FILO CHORDATA O filo apresenta cerca de 50.000 espécies distribuídas entre protocordados e vertebrados. Protocordados cordados mais simples, pequenos e exclusivamente marinhos não são muito

Leia mais

Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT

Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT Níquel Náusea Autor: Fernando Gonsales Distribuição dos Invertebrados: 12,3% 87,7% Como são os artrópodes: O esqueleto destes animais é externo,

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 60 CORDADOS

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 60 CORDADOS BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 60 CORDADOS ixação F ) Um aluno esquematizou um anfioxo, indicando, com legendas, os principais caracteres do 2 lo Chordata. p Indique a legenda que aponta o ERRO cometido

Leia mais

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III

REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 AULA: 18.1 REVISÃO E AVALIAÇÃO DA UNIDADE III 2 REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 Reino Animal 3 REVISÃO 1 REVISÃO 2 REVISÃO 3 Apesar da grande diversidade, quase todos os animais

Leia mais

MAMÍFEROS. 15 Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti

MAMÍFEROS. 15 Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti MAMÍFEROS Capítulo 15 Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS MAMÍFEROS Aquáticos: Habitat: Mamíferos podem ser terrestres: Único mamífero que voa: Pelos Estratificada

Leia mais

Que tal estudarmos os animais jogando um jogo bem legal? Vamos lá!!!! Siga as instruções abaixo e bons estudos!!!! INSTRUÇÕES

Que tal estudarmos os animais jogando um jogo bem legal? Vamos lá!!!! Siga as instruções abaixo e bons estudos!!!! INSTRUÇÕES Atividade de Estudo - Ciências 4º ano Nome: Que tal estudarmos os animais jogando um jogo bem legal? Vamos lá!!!! Siga as instruções abaixo e bons estudos!!!! INSTRUÇÕES Durante o jogo você terá que fazer

Leia mais

Filo extremamente diversificado quanto ao tamanho e ao aspecto geral de seus representantes O agrupamento baseia-se no desenvolvimento embrionário,

Filo extremamente diversificado quanto ao tamanho e ao aspecto geral de seus representantes O agrupamento baseia-se no desenvolvimento embrionário, Filo extremamente diversificado quanto ao tamanho e ao aspecto geral de seus representantes O agrupamento baseia-se no desenvolvimento embrionário, principalmente, na nêurula, quando é possível identificar

Leia mais

Cordados. Cauda pós-anal Notocorda Sistema Nervoso Dorsal Endóstilo Fendas faringianas

Cordados. Cauda pós-anal Notocorda Sistema Nervoso Dorsal Endóstilo Fendas faringianas Filo Chordata Cordados Cauda pós-anal Notocorda Sistema Nervoso Dorsal Endóstilo Fendas faringianas Características Gerais Triblásticos; Celomados; Deuterostômios; Simetria bilateral; Sistema digestório

Leia mais

FILO CHORDATA (Cordados)

FILO CHORDATA (Cordados) FILO CHORDATA (Cordados) Chorda = cordão animais que possuem um cordão dorsal de sustentação Ocupam todos os ecossistemas 1. Características gerais Simetria bilateral Triblásticos Celomados Deuterostômios

Leia mais

Da água para a terra com sucesso Os Anfíbios

Da água para a terra com sucesso Os Anfíbios Disciplina: Ciências Série: 6ª - 3º BIMESTRE Professor: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Anfíbios e Répteis Da água para a terra com sucesso Os Anfíbios Anfíbio é um termo que significa vida dupla, ou

Leia mais

FILO CHORDATA. Cordados

FILO CHORDATA. Cordados FILO CHORDATA Cordados Cordados Notocorda Triblásticos Deuterostômios Simetria Bilateral Epineuro Celomados 2 Características presentes em todos os cordados: Notocorda; Fendas na faringe; Tubo nervoso

Leia mais

5. DIVERSIDADE DOS ANIMAIS II

5. DIVERSIDADE DOS ANIMAIS II CIÊNCIAS 5 DIVERSIDADE DOS ANIMAIS II 1 Fósseis são restos ou vestígios de seres vivos do passado que foram preservados em materiais como rochas ou resinas de plantas a) Analise as fotos de fósseis a seguir

Leia mais

Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT

Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT Ciências 2016 Professor: Danilo Lessa Materiais: Livro e PPT Com muita alegria iremos iniciar nossos estudos sobre os moluscos! O Corpo dos Moluscos ( corpo mole ): Na cabeça há a rádula (uma espécie de

Leia mais

Sistemática tica Tradicional

Sistemática tica Tradicional Sistemática tica Tradicional Classe Reptilia Ordem Crocodilia crocodilos, gaviais, jacarés Ordem Chelonia jabutis, tartarugas,cágados Ordem Rhynchocephalia tuatara Ordem Squamata Subordem Ophidia ou Serpentes

Leia mais

Características Gerais dos Cordados (Protocordados e Vertebrados)

Características Gerais dos Cordados (Protocordados e Vertebrados) Características Gerais dos Cordados (Protocordados e Vertebrados) Ocorrência, em pelo menos uma fase da vida de: Tubo Neural Dorsal Notocorda Fendas Branquiais na Faringe Classificação dos Cordados Cordados

Leia mais

Locomoção dos animais

Locomoção dos animais Locomoção dos animais Página 42 1. A locomoção 1.1 O que é a locomoção? A locomoção é a capacidade que a maioria dos animais tem de se deslocar no meio onde vivem. Os animais estão adaptados à locomoção

Leia mais

AVES PROF. MARCELO MIRANDA

AVES PROF. MARCELO MIRANDA AVES Características gerais: - penas, membros anteriores modificados em asas, homeotermia(endotermia). Penas: estruturas que revestem e isolam termicamente o corpo, permitindo a manutenção da temperatura.

Leia mais

FILO CHORDATA. Cordados

FILO CHORDATA. Cordados FILO CHORDATA Cordados Cordados Notocorda Triblásticos Deuterostômios Simetria Bilateral Epineuro Celomados 2 Características presentes em todos Notocorda; Fendas na faringe; Tubo nervoso dorsal; Cauda

Leia mais

BANCO DE ATIVIDADES Presente Ciências 3 ano - 3 bimestre Avaliação

BANCO DE ATIVIDADES Presente Ciências 3 ano - 3 bimestre Avaliação Ciências 3 ano - 3 bimestre Unidade 3 - Animais Leia com atenção a letra da música. A Dança Dos Bichos Essa é a dança dos bichos Palma, pata, pé, pé, pé Essa é a dança dos bichos E aí, que bicho você é?

Leia mais

y Para viver, viver os seres aeróbios necessitam da entrada constante de oxigénio para as células e da eliminação eficaz do dióxido de carbono que se

y Para viver, viver os seres aeróbios necessitam da entrada constante de oxigénio para as células e da eliminação eficaz do dióxido de carbono que se Trocas gasosas nos seres multicelulares y Para viver, viver os seres aeróbios necessitam da entrada constante de oxigénio para as células e da eliminação eficaz do dióxido de carbono que se forma como

Leia mais

Estudante: Ano/Turma: 7º

Estudante: Ano/Turma: 7º Estudante: Ano/Turma: 7º Educador: Marcela Salgado Ensino Fundamental II ATIVIDADE COMPLEMENTAR C.Curricular: Ciências Data: Questão 1 Sobre o assunto de células responda: a) Indique a função e/ou as características

Leia mais

Filo dos Cordados Características gerais presentes pelo menos em uma fase da vida(embrionária):

Filo dos Cordados Características gerais presentes pelo menos em uma fase da vida(embrionária): Filo dos Cordados Características gerais presentes pelo menos em uma fase da vida(embrionária): Presença de notocorda (eixo dorsal de sustentação). Tubo nervoso dorsal. Fendas branquiais na faringe. Cauda

Leia mais

Trocas gasosas nos animais

Trocas gasosas nos animais Trocas gasosas nos animais Todos os seres aeróbios necessitam de um fluxo constante de oxigénio para as células e de uma remoção eficiente de dióxido de carbono formado durante a respiração. Os seres vivos

Leia mais

AS CÉLULAS ORGANIZAM-SE EM TECIDOS

AS CÉLULAS ORGANIZAM-SE EM TECIDOS AS CÉLULAS ORGANIZAM-SE EM TECIDOS AS CÉLULAS ORGANIZAM-SE EM TECIDOS 1 AS CÉLULAS ORGANIZAM-SE EM TECIDOS Um grupamento de células diferenciadas e especializadas na execução de certa função denomina-se

Leia mais

Gabi, personagem da animação Rio 2, é um anfíbio, que apresenta as chamadas cores de advertência.

Gabi, personagem da animação Rio 2, é um anfíbio, que apresenta as chamadas cores de advertência. PARA A VALIDADE DO QiD, AS RESPOSTAS DEVEM SER APRESENTADAS EM FOLHA PRÓPRIA, FORNECIDA PELO COLÉGIO, COM DESENVOLVIMENTO E SEMPRE A TINTA. TODAS AS QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA DEVEM SER JUSTIFICADAS.

Leia mais

Os Répteis. Capítulo 13- Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti

Os Répteis. Capítulo 13- Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti Os Répteis Capítulo 13- Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti Evolução dos Répteis Origem do latim Reptilis = que se rasteja A conquista do meio terrestre Surgiram a cerca de 300 milhões

Leia mais

Artrópodes. - A enorme diversidade de adaptação destes animais permite que sobrevivam em todos os habitats.

Artrópodes. - A enorme diversidade de adaptação destes animais permite que sobrevivam em todos os habitats. Artrópodes - O filo Arthropoda (Artrópodes) possui um número muito grande de animais, o maior grupo com espécies diferentes; - A enorme diversidade de adaptação destes animais permite que sobrevivam em

Leia mais

CORDADOS. bilatérias, triblásticos. Radiados, diblásticos

CORDADOS. bilatérias, triblásticos. Radiados, diblásticos CORDADOS bilatérias, triblásticos Radiados, diblásticos FILO CHORDATA (gr. Chorda, cordão) FILO CHORDATA É o maior filo da linha deuterostômia Compreendem dois grupos: Protocordados (cordados inferiores):

Leia mais

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: FreD. DISCIPLINA: Ciências da Natureza SÉRIE: 2º. ALUNO(a): Lista de Exercícios 3º bimestre P2

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: FreD. DISCIPLINA: Ciências da Natureza SÉRIE: 2º. ALUNO(a): Lista de Exercícios 3º bimestre P2 GOIÂNIA, / / 2016 PROFESSOR: FreD DISCIPLINA: Ciências da Natureza SÉRIE: 2º ALUNO(a): Lista de Exercícios 3º bimestre P2 No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente

Leia mais

Alta capacidade de locomoção Deuterostômios com simetria pentarradial. Os equinodermos alimentam-se de pequenos animais e algas.

Alta capacidade de locomoção Deuterostômios com simetria pentarradial. Os equinodermos alimentam-se de pequenos animais e algas. Os equinodermos constituem um grupo exclusivamente marinhos, dotados de um endoesqueleto calcário muitas vezes provido de espinhos salientes. Alta capacidade de locomoção Deuterostômios com simetria pentarradial

Leia mais

EDITAL DE RECUPERAÇÃO PARALELA SEMESTRAL 1º SEMESTRE/2016

EDITAL DE RECUPERAÇÃO PARALELA SEMESTRAL 1º SEMESTRE/2016 EDITAL DE RECUPERAÇÃO PARALELA SEMESTRAL 1º SEMESTRE/2016 Aluno: Ano: Professora: Disciplina: No Colégio Pentágono trabalhamos com a Recuperação Contínua e Paralela. A Recuperação Contínua ocorre durante

Leia mais

Filo Annelida Vermes Anelados

Filo Annelida Vermes Anelados Filo Annelida Vermes Anelados CARACTERÍSTICAS GERAIS Anelídeo anelo = anel Metameria Meta = sucessão; meros = partes Externa e Interna Triblástico ( endoderme, mesoderme e ectoderme) Celomados Simetria

Leia mais

Revisão de Ciências 3 Trimestre 7 anos

Revisão de Ciências 3 Trimestre 7 anos PARNAMIRIM - RN Revisão de Ciências 3 Trimestre 7 anos Prof. José Roberto E Raphaella Madruga. Nematódeo Vermes de corpo cilíndrico, coberto por cutícula. Apresentam sexos separados (dimorfismo sexual

Leia mais

ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre

ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre ZOOLOGIA DE VERTEBRADOS CURSO: Ciências Biológicas 3º Ano 2º semestre 2ª Aula 1ª Parte Diversidade, Evolução e Origem dos vertebrados (Ministrante: Profa. Dra. Virginia S. Uieda) Professores Responsáveis:

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL 2013 BIOLOGIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL 2013 BIOLOGIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL 2013 BIOLOGIA Série: 2ª EM Disciplina: Biologia Professor (a): Bernardo Grieco Aluno (a): Caro (a) aluno (a), O roteiro de recuperação abrange todo conteúdo trabalhado ao longo

Leia mais

Filo Annelida Latim annelus, pequeno anel + ida, sufixo plural

Filo Annelida Latim annelus, pequeno anel + ida, sufixo plural Filo Annelida Latim annelus, pequeno anel + ida, sufixo plural Corpo segmentado (metamerizado) em anéis. Triblásticos, celomados, protostômio. Sistema digestório completo: boca e ânus. Mais de 200.000

Leia mais

Sanguessugas. Poliquetos. Minhocas

Sanguessugas. Poliquetos. Minhocas Sanguessugas Poliquetos Minhocas Representados pelas minhocas, sanguessugas e poliquetos Vivem em solos úmidos, água doce ou marinhos Podem ser parasitas ou vida livre São triblásticos, simetria bilateral

Leia mais

Filos: Poríferos Cnidários Platelmintos- Nematelmintos Anelídeos Moluscos Artrópodes - Equinodermos Cordatas. Professora Débora Biologia

Filos: Poríferos Cnidários Platelmintos- Nematelmintos Anelídeos Moluscos Artrópodes - Equinodermos Cordatas. Professora Débora Biologia Filos: Poríferos Cnidários Platelmintos- Nematelmintos Anelídeos Moluscos Artrópodes - Equinodermos Cordatas Professora Débora Biologia Filo Poríferos Esponjas Filo Poríferos Características São todas

Leia mais

BIOLOGIA AULA 12: ZOOLOGIA CORDADOS (Aves e mamíferos)

BIOLOGIA AULA 12: ZOOLOGIA CORDADOS (Aves e mamíferos) BIOLOGIA AULA 12: ZOOLOGIA CORDADOS (Aves e mamíferos) 1. Classe das aves Apresentam um padrão estrutural muito bem adaptado e homogêneo. São dióicos, geralmente com dimorfismo sexual, fecundação interna

Leia mais

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: FreD. DISCIPLINA: Biologia TOOOP SÉRIE: 3º

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: FreD. DISCIPLINA: Biologia TOOOP SÉRIE: 3º GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: FreD DISCIPLINA: Biologia TOOOP SÉRIE: 3º ALUNO(a): No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: - É fundamental

Leia mais

Vivendo na Terra. Como era a Terra e quais os grupos animais viventes no momento evolutivo em que se deu a transição para o ambiente terrestre?

Vivendo na Terra. Como era a Terra e quais os grupos animais viventes no momento evolutivo em que se deu a transição para o ambiente terrestre? Vivendo na Terra Como era a Terra e quais os grupos animais viventes no momento evolutivo em que se deu a transição para o ambiente terrestre? Transição para o ambiente terrestre Peixes com características

Leia mais

Sugestões de atividades para avaliação. Ciências 7 o ano Unidade 8

Sugestões de atividades para avaliação. Ciências 7 o ano Unidade 8 Sugestões de atividades para avaliação Ciências 7 o ano Unidade 8 5 Nome: Data: UniDaDE 8 1 Com relação às suas características gerais, podemos dizer que os vertebrados possuem exclusivamente: I. patas.

Leia mais

Curso Wellington - Biologia - Reino Animal - Cordados - Anfíbios Prof Hilton Franco

Curso Wellington - Biologia - Reino Animal - Cordados - Anfíbios Prof Hilton Franco 1. Os anfíbios são animais extremamente dependentes do ambiente aquático, em especial, na fase reprodutiva. Sobre a reprodução desses animais, assinale o que for correto. 01) Seus ovos sem casca, apenas

Leia mais

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Ciências

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Ciências COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Ciências Nome: Ano: 3º Ano 2ª Etapa 2014 Colégio Nossa Senhora da Piedade Área do Conhecimento: Ciências Naturais Disciplina:

Leia mais

DATA: 01 / 12 / 2015 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE CIÊNCIAS 7.º ANO/EF

DATA: 01 / 12 / 2015 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE CIÊNCIAS 7.º ANO/EF SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA UNIDADE: DATA: 0 / 2 / 205 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE CIÊNCIAS 7.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

Você sabia que os corais

Você sabia que os corais PROFESSOR: EQUIPE DE CIÊNCIAS BANCO DE QUESTÕES - CIÊNCIAS 4º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Os Seres Vivos Além dos animais e das plantas,

Leia mais

Moluscos. Prof. Fernando Belan

Moluscos. Prof. Fernando Belan Moluscos Prof. Fernando Belan Características gerais Enterozoários, triblásticos, celomados, protostômios, simetri bilateral. Sistemanervoso: ganglionar cerebral, visceral e pedal. Sistema digestório completo

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Querido(a) aluno(a), Colégio Santa Dorotéia Tema Transversal: Casa comum, nossa responsabilidade. Disciplina: Ciências / ORIENTAÇÃO DE ESTUDOS - RECUPERAÇÃO Série: 3ª - Ensino Fundamental Aluno(a): N o

Leia mais

Plano de Recuperação Final EF2

Plano de Recuperação Final EF2 Professor: Cybelle / José Henrique / Sarah Ano: 7º ano Objetivos: Proporcionar ao aluno a oportunidade de resgatar os conteúdos trabalhados em Ciências nos quais apresentou defasagens e os quais lhe servirão

Leia mais

Roteiro de Estudos de Ciências 7 ANO. 3º trimestre

Roteiro de Estudos de Ciências 7 ANO. 3º trimestre Ciências/15 7º ano Turma: 3º trimestre Nome: Data: / / 7ºcie303r Roteiro de Estudos de Ciências 7 ANO 3º trimestre O que estudamos no terceiro trimestre? No terceiro trimestre finalizamos nosso estudo

Leia mais

Oi pessoal dos 8 os anos, estão com saudade das atividades escolares? Pois bem, precisamos dar seqüência aos estudos e, na volta às aulas, no dia 17,

Oi pessoal dos 8 os anos, estão com saudade das atividades escolares? Pois bem, precisamos dar seqüência aos estudos e, na volta às aulas, no dia 17, Oi pessoal dos 8 os anos, estão com saudade das atividades escolares? Pois bem, precisamos dar seqüência aos estudos e, na volta às aulas, no dia 17, algumas atividades devem estar prontas. Mas antes de

Leia mais

OS PEIXES. Capítulo 9 Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti

OS PEIXES. Capítulo 9 Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti OS PEIXES Capítulo 9 Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti A EVOLUÇÃO DOS PEIXES Os primeiros peixes surgiram nos oceanos primitivos a cerca de 510 milhões de anos atrás - ''Ostracodermas'

Leia mais

Nome: Data: 1. Observa a molécula de água e tenta descobrir qual a fórmula escrita que melhor a representa (marca com um X a resposta correta):

Nome: Data: 1. Observa a molécula de água e tenta descobrir qual a fórmula escrita que melhor a representa (marca com um X a resposta correta): Nome: Data: 1. Observa a molécula de água e tenta descobrir qual a fórmula escrita que melhor a representa (marca com um X a resposta correta): - O 3 NH - H 2 O - H 2 SO 4 - CH 4 2. Sempre que se adicionam

Leia mais

Características gerais. Habitat e modo de vida

Características gerais. Habitat e modo de vida Filo Artropoda Características gerais Corpo segmentado, revestido por um exoesqueleto. Nas espécies terrestres ele é de quitina e nas marinhas de CaCO 3. Vantagens conferidas pelo exoesqueleto: Sustentação

Leia mais

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS EMBRIOLOGIA

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS EMBRIOLOGIA UFRGS EMBRIOLOGIA 1. (Ufrgs 2012) Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do enunciado abaixo, na ordem em que aparecem. Em mamíferos, o... e as células trofoblásticas interagem com

Leia mais

3ª Tarefa NTD 4ª Etapa Biologia 2 (Prof. Alexsandra Ribeiro)

3ª Tarefa NTD 4ª Etapa Biologia 2 (Prof. Alexsandra Ribeiro) 1. (Unesp 2006) Segundo crenças populares, é "muito perigoso se aproximar ou tocar em sapos comuns, devido ao veneno que produzem". Esse medo a) não tem fundamento, porque o veneno precisa ser lançado

Leia mais

1.1 DIVERSIDADE NOS ANIMAIS FORMA E REVESTIMENTO

1.1 DIVERSIDADE NOS ANIMAIS FORMA E REVESTIMENTO 1.1 DIVERSIDADE NOS ANIMAIS FORMA E REVESTIMENTO Como é a forma do corpo dos animais? A forma do corpo dos animais está relacionada com o ambiente em que vivem e com o seu modo de vida. Podem ser: Fusiforme

Leia mais

Sobre os Equinodermos

Sobre os Equinodermos Os equinodermos Equinodermos Equinodermos (equinos: espinhos; dermo: pele); Animais exclusivamente marinhos; Possuem de um endoesqueleto de calcário e muitas vezes com espinhos salientes; O endoesqueleto

Leia mais

Trocas Gasosas em Seres Multicelulares

Trocas Gasosas em Seres Multicelulares Trocas Gasosas em Seres Multicelulares -Trocas gasosas nas plantas -Trocas gasosas nos animais Prof. Ana Rita Rainho TROCAS GASOSAS NAS PLANTAS www.biogeolearning.com 1 Trocas gasosas nas plantas Nas plantas,

Leia mais

Grupo de maior sucesso evolutivo: encontrados em praticamente todos os ambientes. Apêndices articulados Correr, nadar, saltar, escavar, copular...

Grupo de maior sucesso evolutivo: encontrados em praticamente todos os ambientes. Apêndices articulados Correr, nadar, saltar, escavar, copular... Grupo de maior sucesso evolutivo: encontrados em praticamente todos os ambientes Apêndices articulados Correr, nadar, saltar, escavar, copular... Exoesqueleto quitinoso Proteção contra agressões e desidratação

Leia mais

COLÉGIO MARQUES RODRIGUES - SIMULADO

COLÉGIO MARQUES RODRIGUES - SIMULADO COLÉGIO MARQUES RODRIGUES - SIMULADO PROFESSOR ELIANE GONÇALVES DISCIPLINA CIÊNCIAS SIMULADO: P4 Estrada da Água Branca, 2551 Realengo RJ Tel: (21) 3462-7520 www.colegiomr.com.br ALUNO TURMA 501 TECIDOS,

Leia mais

Características Gerais dos Seres Vivos, Reino Vegetal, Fungos, Protoctistas e Monera

Características Gerais dos Seres Vivos, Reino Vegetal, Fungos, Protoctistas e Monera Características Gerais dos Seres Vivos, Reino Vegetal, Fungos, Protoctistas e Monera Características Gerais dos Seres Vivos, Reino Vegetal, Fungos, Protoctistas e Monera 1. A figura apresenta uma proposta

Leia mais

Ciclostomados e peixes

Ciclostomados e peixes Ciclostomados e peixes Agnatos ou ciclostomados Disponível em: . Acesso em: 17 jun. 2012. Agnatos ou ciclostomados

Leia mais

RESUMO Nº 1 3º TRIMESTRE

RESUMO Nº 1 3º TRIMESTRE 7 O ANO EF CIÊNCIAS RESUMO Thiago Judice RESUMO Nº 1 3º TRIMESTRE Leia o resumo com atenção e traga as dúvidas para a sala de aula. Para melhor compreensão da origem dos animais estudados, leia os textos

Leia mais

Unidade III Ser humano e Saúde Aula 16.2 Conteúdo: Artrópodes II

Unidade III Ser humano e Saúde Aula 16.2 Conteúdo: Artrópodes II A A Unidade III Ser humano e Saúde Aula 16.2 Conteúdo: Artrópodes II A A Habilidade: Identificar a diversidade e abundância dos artrópodes. A A Crustáceos Coberto de crosta - exoesqueleto Dois pares de

Leia mais

BANCO DE QUESTÕES - CIÊNCIAS 4º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL

BANCO DE QUESTÕES - CIÊNCIAS 4º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL PROFESSOR: EQUIPE DE CIÊNCIAS BANCO DE QUESTÕES - CIÊNCIAS 4º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Vertebrados Um dos componentes do esqueleto

Leia mais

ARTRÓPODES INSETOS, CRUSTÁCEOS, ARACNÍDEOS, QUILÓPODES E DIPLÓPODES. Profa. Monyke Lucena

ARTRÓPODES INSETOS, CRUSTÁCEOS, ARACNÍDEOS, QUILÓPODES E DIPLÓPODES. Profa. Monyke Lucena ARTRÓPODES INSETOS, CRUSTÁCEOS, ARACNÍDEOS, QUILÓPODES E DIPLÓPODES Profa. Monyke Lucena CARACTERÍSTICAS GERAIS Os artrópodes, o grupo mais numeroso de animais, reúnem mais de 1 milhão de espécies catalogados.

Leia mais

Exercícios de Moluscos a Equinodermos

Exercícios de Moluscos a Equinodermos Exercícios de Moluscos a Equinodermos Material de apoio do Extensivo 1. Que diferença característica permite considerar os moluscos mais complexos que os cnidários? a) Os cnidários apresentam apenas reprodução

Leia mais

Passa_Palavras_Ed.52_Miolo.indd 1 20/01/2015 09:23:31

Passa_Palavras_Ed.52_Miolo.indd 1 20/01/2015 09:23:31 ANFÍBIOS Constituem uma CLASSE de animais VERTEBRADOS, pecilotérmicos que não possuem BOLSA AMNIÓTICA agrupados na classe AMPHIBIA. A característica mais MARCANTE dos seres vivos da classe é o seu ciclo

Leia mais

Trocas Gasosas em Seres Unicelulares

Trocas Gasosas em Seres Unicelulares Trocas Gasosas em Seres Unicelulares Respiração celular Nos seres unicelulares as trocas ocorrem diretamente com o meio. Trocas Gasosas em Seres Multicelulares Trocas gasosas nas plantas Trocas gasosas

Leia mais

Vertebrados. Classe dos Peixes

Vertebrados. Classe dos Peixes Vertebrados Os animais vertebrados, pertencentes ao reino animal e ao filo chordata, são animais que possuem vértebras, ou seja, os ossos que compõem a coluna vertebral. Importante salientar que nem todos

Leia mais

NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO DOS SERES VIVOS E PRINCIPAIS TIPOS DE TECIDOS

NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO DOS SERES VIVOS E PRINCIPAIS TIPOS DE TECIDOS NÍVEIS DE ORGANIZAÇÃO DOS SERES VIVOS E PRINCIPAIS TIPOS DE TECIDOS Profª MSc Monyke Lucena Átomos Compostos químicos Célula Tecidos Órgão Sistema Organismo Os animais apresentam diferentes tipos de tecidos,

Leia mais

REINO ANIMAL PORÍFEROS CNIDÁRIOS PLATELMINTOS NEMATELMINTOS ANELÍDEOS MOLUSCOS ARTRÓPODES EQUINODERMOS CORDADOS

REINO ANIMAL PORÍFEROS CNIDÁRIOS PLATELMINTOS NEMATELMINTOS ANELÍDEOS MOLUSCOS ARTRÓPODES EQUINODERMOS CORDADOS REINO ANIMAL PORÍFEROS CNIDÁRIOS PLATELMINTOS NEMATELMINTOS ANELÍDEOS MOLUSCOS ARTRÓPODES EQUINODERMOS CORDADOS NÃO POSSUI TECIDOS VERDADEIROS (ESPECIALIZADOS). DIGESTÃO É INTRACELULAR. PORÍFEROS

Leia mais

Aula 2: Sistema esquelético Sistema tegumentar

Aula 2: Sistema esquelético Sistema tegumentar Aula 2: Sistema esquelético Sistema tegumentar Sistema esquelético Sistema ósseo Conceito de esqueleto: conjunto de ossos e cartilagens que se interligam para formar o arcabouço do corpo Funções do esqueleto

Leia mais

5. Respiração A respiração por difusão ocorre no sistema ambulacrário.

5. Respiração A respiração por difusão ocorre no sistema ambulacrário. 1. Revestimento e proteção A epiderme simples recobre o esqueleto e os espinhos (quando presentes). Os espinhos, que servem como proteção (principalmente no ouriço-do-mar), são bem alongados e às vezes

Leia mais

6 ª série Ensino Fundamental Ciências Escola Santa Angélica

6 ª série Ensino Fundamental Ciências Escola Santa Angélica 6 ª série Ensino Fundamental Ciências Escola Santa Angélica Unidade I Descobrindo os seres vivos Níveis de organização biológica Unidade I Descobrindo os seres vivos Hereditariedade: passagem dos genes

Leia mais

2012 3ª PROVA SUBSTITUTIVA de BIOLOGIA

2012 3ª PROVA SUBSTITUTIVA de BIOLOGIA COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 2012 3ª PROVA SUBSTITUTIVA de BIOLOGIA Aluno: Nº Série: 1º Turma: Data: 12/12/2012 Nota: Professor: Regina e Gabriela Valor da Prova: 65 pontos 1) Número de

Leia mais

RÉPTEIS PROF. MARCELO MIRANDA

RÉPTEIS PROF. MARCELO MIRANDA RÉPTEIS Padrões evolutivos Surgimento dos amniotas Âmnio: membrana que envolve completamente o embrião e delimita uma cavidade cheia de líquido que protege contra choques mecânicos e evita o ressecamento

Leia mais

b) Seres decompositores. Alguns são comestíveis, outros são venenosos. Também causam o mofo em alguns alimentos.

b) Seres decompositores. Alguns são comestíveis, outros são venenosos. Também causam o mofo em alguns alimentos. Atividade de Estudo - Ciências 5º ano Nome: 1- A quantidade de seres vivos no mundo é enorme. Eles estão espalhados pelas diversas regiões do planeta. Os seres vivos são classificados em alguns grupos,

Leia mais

FILO ARTHROPODA - INTRODUÇÃO

FILO ARTHROPODA - INTRODUÇÃO Entomologia Entomologia veterinária: é o estudo de insetos de importância veterinária, num sentido mais amplo que engloba inclusive os aracnídeos (carrapatos e ácaros). Filo Arthropoda O filo arthropoda

Leia mais

REINO ANIMAL. Qual a importância da metameria? FILO: ANELÍDEOS VERMES CILÍNDRICOS E SEGMENTADOS. Qual a importância da metameria?

REINO ANIMAL. Qual a importância da metameria? FILO: ANELÍDEOS VERMES CILÍNDRICOS E SEGMENTADOS. Qual a importância da metameria? REINO ANIMAL FILO: ANELÍDEOS VERMES CILÍNDRICOS E SEGMENTADOS Metâmeros são compartimentos contíguos, revestidos internamente por mesoderme, e separados uns dos outros por paredes (septos) mesodérmicas.

Leia mais

Filo Chordata Super Classe Tetrapoda Classe Amphibia

Filo Chordata Super Classe Tetrapoda Classe Amphibia Filo Chordata Super Classe Tetrapoda Classe Amphibia TETRAPODES gr. tetra + podos Representam os vertebrados que invadiram o meio terrestre - 4 extremidades destinadas à locomoção - em oposição aos Pisces,

Leia mais

CIÊNCIAS DA NATUREZA 2º CICLO. Calendarização /2011

CIÊNCIAS DA NATUREZA 2º CICLO. Calendarização /2011 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AVEIRO ESCOLA BÁSICA DO 2º E 3º CICLOS JOÃO AFONSO CIÊNCIAS DA NATUREZA 2º CICLO Calendarização - 20/2011 Período Data N.º semanas Número de tempos 8 minutos) por ano de escolaridade

Leia mais

SISTEMA CARDIOVASCULAR. Prof. Jair

SISTEMA CARDIOVASCULAR. Prof. Jair SISTEMA CARDIOVASCULAR Prof. Jair FUNÇÕES Transporte de gases dos pulmões aos tecidos e dos tecidos aos pulmões Transporte dos nutrientes das vias digestivas aos tecidos Transporte de toxinas Distribuição

Leia mais