elevado volume de tráfego

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "elevado volume de tráfego"

Transcrição

1

2 Long-Life Asphalt Pavements Technical version

3 Pavimentos Asfálticos de Elevada Performance e Pavimentos de Longa Duração Conservação de Pavimentos de Longa Duração Exemplo prático de um projecto de conservação de um pavimento da rede de elevado desempenho em Portugal, e algumas patologias que ocorreram após a construção.

4 Um pavimento de elevada performance é um tipo de pavimento onde nenhuma deterioração significativa irá desenvolver nas fundações ou nas camadas de base do pavimento, desde que a correta manutenção na camada superficial seja realizada.

5 Pré-requisitos Financiamento suficiente Conhecimento sobre as condições locais - Tipos de subleito - Volumes de tráfego - Materiais disponíveis Projeto Componentes Vida útil, ex.: > 40 anos Critérios de conservação Especificações de desempenho: - Resistência ao desgaste da camada superficial - Resistência a fadiga da camada de base Substituição da camada superficial Objetivos Baixo custo de ciclo de vida - Manutenção simples - Baixo custo de demora de tráfego - Baixo custo ambiental

6 Usando análise Custo / Benefício, experiências do Reino Unido mostraram que pavimentos classificados como PAP são esperados ser mais rentáveis do que pavimentos rodoviários tradicionais desde que o pequeno aumento no custo de construção seja compensado por menores custos de manutenção. Por um período de 10 anos, a economia total adotando o princípio do PAP no Reino Unido, devem chegar a 350 milhões de euros.

7 Durabilidade de Camadas de Desgaste na Europa Pavimentos de longa duração significa a construção de estradas, de tal maneira que a fadiga na parte inferior da camada betuminosa não é um parâmetro crítico. Por conseguinte, para a manutenção da estrada em boas condições, é suficiente substituir apenas a camada de desgaste. Deste modo, a durabilidade da camada de superfície é agora o factor dominante para a vida da superfície do pavimento. Para obter uma visão sobre a vida de camadas de desgaste em serviço, o Comitê Técnico da EAPA investigou a durabilidade das camadas superficiais utilizados na Europa.

8 Estradas Principais e Autoestradas Estradas Principais / Autoestradas Tipo 15% Nível Baixo Media Europeia 85% Nível Elevado AC AC-TL mm AC-VTL mm UTLAC PA L-PA 1) SMA HRA Mastic-A

9

10 Beneficiação de um lanço de estrada (IC) com elevado tráfego pesado e com fendilhamento tipo pele de crocodilo numa extensão significativa A fundação do pavimento é constituída por uma camada de leito de pavimento com 0.20m de solos granulares (saibro) e solos residuais xistosos com um teor em água muito elevado que comprometeu o desempenho do pavimento Durante a elaboração deste projecto foi possível observar que o dreno existente estava colmatado e foi instalado a uma profundidade insuficiente (70cm).

11 Tendo em consideração o elevado grau de deterioração do pavimento, em que cada secção apresenta vários tipos de patologias, optou-se por representar graficamente uma versão simplificada com 3 níveis de degradação, que estão associadas a 3 tipos de trabalhos de beneficiação, em função da sua gravidade: Nível 1- Fendas isoladas ou ramificadas de abertura reduzida; Nível 2 Fendas ramificadas ou formando blocos de abertura média; Nível 3 Fendas do tipo pele de crocodilo de grande dimensão, por vezes com bordos degradados.

12

13 No âmbito da reabilitação do pavimento considerou-se como tarefa primordial a requalificação e melhoria da drenagem profunda. Para melhorar a drenagem profunda deste pavimento preconiza-se a demolição das valetas de plataforma existentes e implementação de novas valetas com secção igual à existente e dreno associado em todas as secções em escavação. Para impedir a passagem da água das escavações para os aterros através das camadas mais permeáveis (base em ABGE e leito do pavimento em solos granulares) preconizase a execução de drenos transversais em espinha nas secções de transição escavação/aterro. De modo a possibilitar a drenagem, e consequente redução do teor em água dos solos de fundação, recomenda-se que os trabalhos de pavimentação sejam executados 3 a 4 meses após a conclusão dos drenos, e de preferência no fim da época das chuvas.

14 PATOLOGIAS LOGO APÓS A CONCLUSÃO DA OBRA

15 PATOLOGIAS LOGO APÓS A CONCLUSÃO DA OBRA

Comportamento de camadas de desgaste não estruturais:

Comportamento de camadas de desgaste não estruturais: Comportamento de camadas de desgaste não estruturais: Luís Picado Santos Estrutura Enquadramento Camada de desgaste convencional Camada de desgaste porosa Camada de desgaste delgada Desenvolvimentos Conclusões

Leia mais

PATOLOGIAS EM PAVIMENTOS DE AUTOESTRADAS NA REDE BRISA

PATOLOGIAS EM PAVIMENTOS DE AUTOESTRADAS NA REDE BRISA Patologias em Pavimentos Flexíveis PATOLOGIAS EM PAVIMENTOS DE AUTOESTRADAS NA REDE BRISA LNEC, 23-01-2018 Isabel Gonzalez, Fernanda Caetano, Armando Matos ÍNDICE Rede BCR Tipos de Patologias Meios de

Leia mais

RUI VIEGAS DE BARROS DIRECTOR EXECUTIVO NORVIA / PRONORSAN PAULO FONSECA DIRECTOR GERAL RECIPAV PINTO RODRIGUES ADMINISTRADOR DELEGADO - VALNOR RESUMO

RUI VIEGAS DE BARROS DIRECTOR EXECUTIVO NORVIA / PRONORSAN PAULO FONSECA DIRECTOR GERAL RECIPAV PINTO RODRIGUES ADMINISTRADOR DELEGADO - VALNOR RESUMO A UTILIZAÇÃO DE MISTURAS BETUMINOSAS COM BETUME MODIFICADO COM BORRACHA RECICLADA DE PNEUS USADOS NA BENEFICIAÇÃO DE ESTRADAS MUNICIPAIS DE ACESSO AO ATERRO SANITÁRIO DE AVIS RUI VIEGAS DE BARROS DIRECTOR

Leia mais

AVALIAÇÃO ECONÓMICA DE DIFERENTES SOLUÇÕES DE PAVIMENTAÇÃO AO LONGO DO CICLO DE VIDA DAS INFRA-ESTRUTURAS RODOVIÁRIAS

AVALIAÇÃO ECONÓMICA DE DIFERENTES SOLUÇÕES DE PAVIMENTAÇÃO AO LONGO DO CICLO DE VIDA DAS INFRA-ESTRUTURAS RODOVIÁRIAS AVALIAÇÃO ECONÓMICA DE DIFERENTES SOLUÇÕES DE PAVIMENTAÇÃO AO LONGO DO CICLO DE VIDA DAS INFRA-ESTRUTURAS RODOVIÁRIAS Maria de Lurdes Antunes Vânia Marecos Objectivos >Melhor conhecimento dos custos associados

Leia mais

Reabilitação Estrutural de Pavimentos Flexíveis

Reabilitação Estrutural de Pavimentos Flexíveis Reabilitação Estrutural de Pavimentos Maria de Lurdes Antunes, Investigadora Coordenadora do LNEC Simona Fontul, Investigadora Auxiliar do LNEC Vânia Marecos, Bolseira de Doutoramento Caso de estudo de

Leia mais

Pavimentos Rígidos. Patologias em Pavimentos de Autoestradas Pavimentos Rígidos. Pavimentos

Pavimentos Rígidos. Patologias em Pavimentos de Autoestradas Pavimentos Rígidos. Pavimentos Patologias em de Autoestradas Patologias em de Autoestradas Auto-Estradas do Atlântico Direção Técnica Paula Rolo prolo@aeatlantico.pt Consulpav Rossana Sousa rossana.sousa@consulpav.com Patologias em

Leia mais

Helena Lima, EP, S.A. Oscar Furtado, CENOR

Helena Lima, EP, S.A. Oscar Furtado, CENOR 1 Helena Lima, EP, S.A. Oscar Furtado, CENOR Índice Enquadramento A caracterização do pavimento rígido A solução de beneficiação A camada de desgaste em mistura betuminosa anti-fissuras rugosa A aplicação

Leia mais

VOL.1: PROJECTO DE REABILITAÇÃO

VOL.1: PROJECTO DE REABILITAÇÃO GABINETE DE GESTÃO DA REDE 2008 VOL.1: PROJECTO DE REABILITAÇÃO Catálogo de Degradações dos Pavimentos Rodoviários Volume 1: Projecto de Reabilitação Ficha Técnica Título: Catálogo de Degradações dos

Leia mais

APLICAÇÕES DE MISTURAS BETUMINOSAS DE ELEVADO DESEMPENHO EM REDES VIÁRIAS URBANAS

APLICAÇÕES DE MISTURAS BETUMINOSAS DE ELEVADO DESEMPENHO EM REDES VIÁRIAS URBANAS APLICAÇÕES DE MISTURAS BETUMINOSAS DE ELEVADO DESEMPENHO EM REDES VIÁRIAS URBANAS Fátima Batista LNEC Henrique Miranda ISEL Maria delurdesantunes LNEC Santiago Lanchas JRS Fernando Martinho FM Consult/JRS

Leia mais

Soluções com incorporação de fibras celulósicas

Soluções com incorporação de fibras celulósicas Soluções com incorporação de fibras celulósicas Misturas betuminosas de grande durabilidade e alto desempenho SMA (Stone Mastic Asphalt) e PA (Porous Asphalt) Fernando Martinho (FMc / JRS) fernando.martinho@ist.utl.pt

Leia mais

ESTRADAS II. Prof. Me.: ARNALDO TAVEIRA CHIOVETTO Acadêmicos: BIANCA GIANGARELI JOACI ALEXANDRE DA SILVA WILLIAN SCHERNER

ESTRADAS II. Prof. Me.: ARNALDO TAVEIRA CHIOVETTO Acadêmicos: BIANCA GIANGARELI JOACI ALEXANDRE DA SILVA WILLIAN SCHERNER ESTRADAS II Prof. Me.: ARNALDO TAVEIRA CHIOVETTO Acadêmicos: BIANCA GIANGARELI JOACI ALEXANDRE DA SILVA WILLIAN SCHERNER REGULARIZAÇÃO DO SUBLEITO DNIT 137/2010-ES Definição Condições Material Ensaios

Leia mais

DRENAGEM DE RODOVIAS. DRENAGEM DE RODOVIAS -Sumário - DRENAGEM DE RODOVIAS - Introdução - DRENAGEM DE RODOVIAS - Introdução -

DRENAGEM DE RODOVIAS. DRENAGEM DE RODOVIAS -Sumário - DRENAGEM DE RODOVIAS - Introdução - DRENAGEM DE RODOVIAS - Introdução - UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL E AMBIENTAL CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL Introdução -Sumário - Desempenho x Drenagem Histórico Função e Sistema

Leia mais

SGPav - Sistema de Gestão de Pavimentos

SGPav - Sistema de Gestão de Pavimentos EMANUEL DUARTE F. COSTA PEREIRA J. EMÍDIO DE OLIVEIRA M. CONCEIÇÃO AZEVEDO SGPav - Sistema de Gestão de Pavimentos Objectivos e Funcionalidades 6 de Abril de 2006 GESTÃO DA CONSERVAÇÃO DEFINIÇÃO DE ESTRATÉGIAS

Leia mais

MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA CIVIL VIAS DE COMUNICAÇÃO. Luís de Picado Santos Drenagem

MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA CIVIL VIAS DE COMUNICAÇÃO. Luís de Picado Santos Drenagem MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA CIVIL VIAS DE COMUNICAÇÃO Luís de Picado Santos (picsan@civil.ist.utl.pt) Drenagem Caracterização das possibilidades de intervenção Estimativa do caudal de ponta de cheia

Leia mais

casos de estudo Aplicação de borracha reciclada de pneus

casos de estudo Aplicação de borracha reciclada de pneus Fátima Batista LNEC Objectivo Transferência de conhecimentos sobre estratégias de fim de vida para as outros materiais que não são habitualmente reciclados na construção rodoviária: Técnicas de demolição

Leia mais

MISTURAS BETUMINOSAS DO TIPO SMA A EXPERIÊNCIA DA MOTA-ENGIL ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO

MISTURAS BETUMINOSAS DO TIPO SMA A EXPERIÊNCIA DA MOTA-ENGIL ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO MISTURAS BETUMINOSAS DO TIPO SMA A EXPERIÊNCIA DA MOTA-ENGIL ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO João Afonso 1 e Luís Gomes 2 1 Mota-Engil Engenharia e Construção, Direção Coordenação Técnica Rodoviária Núcleo Técnico

Leia mais

3Dimensionamento. de pavimentos

3Dimensionamento. de pavimentos 3Dimensionamento de pavimentos 35 Os materiais a utilizar e as espessuras das camadas do pavimento de uma estrada devem ser fixados em função do tráfego que esta deverá suportar e das características do

Leia mais

Disciplina Vias de Comunicacao II. Pavimentos

Disciplina Vias de Comunicacao II. Pavimentos Disciplina Vias de Comunicacao II Pavimentos Pavimento É uma estrutura de múltiplas camadas de espessuras finitas, construída sobre a superfície final de terraplenagem, destinada técnica e economicamente

Leia mais

CASO DE ESTUDO DUM REFORÇO ESTRUTURAL DUM PAVIMENTO RODOVIÁRIO FLEXÍVEL

CASO DE ESTUDO DUM REFORÇO ESTRUTURAL DUM PAVIMENTO RODOVIÁRIO FLEXÍVEL Proceedings CLME2014 / IVCEM 7º Congresso Luso-Moçambicano de Engenharia / IV Congresso de Engenharia de Moçambique Inhambane/Moçambique, 14-18 Abril 2014 Artigo Nº A023723 CASO DE ESTUDO DUM REFORÇO ESTRUTURAL

Leia mais

Nº total de Rio de Janeiro RJ CEP Palavras-chave: páginas Tel/fax: (0xx21) Pavimentação, deformação, defeitos, terminologia 12

Nº total de Rio de Janeiro RJ CEP Palavras-chave: páginas Tel/fax: (0xx21) Pavimentação, deformação, defeitos, terminologia 12 DNIT NORMA DNIT 005/2003 - TER Defeitos nos pavimentos flexíveis e semi-rígidos Terminologia MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA- ESTRUTURA DE TRANSPORTES DIRETORIA DE PLANEJAMENTO

Leia mais

e Manutenção de Infra-estruturas de Transportes

e Manutenção de Infra-estruturas de Transportes 1/38 Construção e Manutenção de Infra-estruturas de Transportes Aula T5 Drenagem Sumário da aula Construção e Manutenção de Infra-estruturas de Transportes Construção e manutenção de orgãos de drenagem

Leia mais

Construção. e Manutenção de Infra-estruturas de Transportes. IST - DECivil. Total de páginas: Sumário. da aula. Terminologia

Construção. e Manutenção de Infra-estruturas de Transportes. IST - DECivil. Total de páginas: Sumário. da aula. Terminologia 1/31 Construção e Manutenção de Infra-estruturas de Transportes Aula T4 Terraplenagens Sumário da aula Fundação e leito do pavimento Tratamento de materiais 2/31 Terminologia 3/31 Pavimento Fundação Terraplenagem

Leia mais

Ecopavimento para Grama Ecotelhado

Ecopavimento para Grama Ecotelhado Ecopavimento para Grama Ecopavimento para Grama Objetivo A aplicação do Ecopavimento é indicada para locais onde requer alta permeabilidade ou em locais onde haja trânsito de pessoas e/ou veículos leves,

Leia mais

Aplicação de Geossintéticos em Ferrovia. Prof. Dr. Gilberto Fernandes

Aplicação de Geossintéticos em Ferrovia. Prof. Dr. Gilberto Fernandes Aplicação de Geossintéticos em Ferrovia Prof. Dr. Gilberto Fernandes INTRODUÇÃO O termo geossintético é usado para descrever uma família de produtos sintéticos utilizados para resolver problemas em geotecnia.

Leia mais

Dimensionamento de pavimentos

Dimensionamento de pavimentos Dimensionamento de pavimentos Consiste em: calcular as espessuras das camadas especificar as características dos materiais dessas camadas por forma a limitar, durante a vida de projecto, a ocorrência de

Leia mais

Sistema de Gestão de Pavimentos da Estradas de Portugal, S.A.

Sistema de Gestão de Pavimentos da Estradas de Portugal, S.A. Sistema de Gestão de Pavimentos da Estradas de Portugal, S.A. 26 de Novembro de 2010 João Gomes Morgado Direcção de Construção e Manutenção Departamento de Gestão de Conservação de Vias ÍNDICE Objectivos

Leia mais

Avaliação do Comportamento à Deformação Permanente de Misturas Betuminosas com base nas Normas de Ensaio Europeias

Avaliação do Comportamento à Deformação Permanente de Misturas Betuminosas com base nas Normas de Ensaio Europeias Avaliação do Comportamento à Deformação Permanente de Misturas Betuminosas com base nas Normas de Ensaio Europeias Maria de Lurdes Antunes, LNEC Ana Cristina Freire, LNEC Contribuição das camadas betuminosas

Leia mais

Conservação Periódica de Redes

Conservação Periódica de Redes Conservação Periódica de Redes Conservação de Pavimentos na Rede BCR Isabel Gonzalez - Brisa Gestão de Infraestruturas Maria Fernanda Caetano - Brisa Gestão de Infraestruturas Armando Matos - Brisa Gestão

Leia mais

e Manutenção de Infra-estruturas de Transportes

e Manutenção de Infra-estruturas de Transportes 1/31 Construção e Manutenção de Infra-estruturas de Transportes Aula T4 Terraplenagens 2/31 Sumário da aula Fundação e leito do pavimento Tratamento de materiais Controlo de qualidade Terminologia Pavimento

Leia mais

PROGRAMA ASFALTO NOVO PROGRAMA ASFALTO NOVO

PROGRAMA ASFALTO NOVO PROGRAMA ASFALTO NOVO PROGRAMA ASFALTO NOVO NOVEMBRO/2018 CONCEITOS Conjunto de serviços de zeladoria que visa o recapeamento de vias públicas em conjunto com obras de drenagem, e reparos profundos. Funcionalidade e Durabilidade

Leia mais

Selagem asfáltica de fissuras de pavimentos Edição Maio/2006 Revista Téchne

Selagem asfáltica de fissuras de pavimentos Edição Maio/2006 Revista Téchne Selagem asfáltica de fissuras de pavimentos Edição 110 - Maio/2006 Revista Téchne Todas as estradas, rodovias e ruas necessitam de manutenção para manter suas condições operacionais, pois sofrem constante

Leia mais

Universidade do Estado de Mato Grosso Engenharia Civil Estradas II

Universidade do Estado de Mato Grosso Engenharia Civil Estradas II Universidade do Estado de Mato Grosso Engenharia Civil Estradas II Histórico e Definições anaelza00@hotmail.com Considerações Gerais Pavimentação e a Sociedade O asfalto é sinônimo de progresso e desenvolvimento

Leia mais

Reciclagem de materiais relacionados com a estrada revisão do estado da arte

Reciclagem de materiais relacionados com a estrada revisão do estado da arte Reciclagem de materiais relacionados com a estrada revisão do estado da arte Maria de Lurdes Antunes LNEC Enquadramento Deposição de materiais em aterro Proibição nalguns países Taxas variáveis (3 a 50

Leia mais

Aplicação de borracha reciclada de pneus em obras de pavimentação

Aplicação de borracha reciclada de pneus em obras de pavimentação Aplicação de borracha reciclada de pneus em obras de pavimentação Catarina Santos Recipav O projecto DIRECT-MAT Partilha, a nível europeu, de conhecimentos e práticas sobre a reciclagem de materiais de

Leia mais

Universidade do Estado de Mato Grosso Engenharia Civil Estradas II

Universidade do Estado de Mato Grosso Engenharia Civil Estradas II Universidade do Estado de Mato Grosso Engenharia Civil Estradas II Parâmetros preliminares Generalidades Estudos preliminares Ensaios Geotécnicos Especificações Normatizadas 2 Generalidades Segundo o DNER

Leia mais

1. Dados e-bidim #082

1. Dados e-bidim #082 1. Dados e-bidim #082 e-bidim # 082 Data 14/04/2006 Tema Assunto Local Geossintético Caso de Obra Utilização de Manta Geotêxtil Bidim em Aterro Sobre Solo Mole e Drenagem Sub-superficial. Campos Elíseos

Leia mais

AULA 3: PAVIMENTAÇÃO RODOVIÁRIA

AULA 3: PAVIMENTAÇÃO RODOVIÁRIA AULA 3: PAVIMENTAÇÃO RODOVIÁRIA Disciplina: Sistemas de transportes Centro Universitário Dinâmica das Cataratas - Campus Centro Pavimentação no Brasil Pavimentos com baixo conforto ao rolamento; 1 a 2

Leia mais

MATERIAIS DE BASE, SUB- BASE E REFORÇO DO SUBLEITO

MATERIAIS DE BASE, SUB- BASE E REFORÇO DO SUBLEITO MATERIAIS DE BASE, SUB- BASE E REFORÇO DO SUBLEITO Introdução Tipos de revestimentos asfálticos 2 Introdução Classificação dos materiais segundo seu comportamento frente aos esforços: Materiais granulares

Leia mais

VIA ORIENTAL NO CONCELHO DE CASCAIS - TROÇO 1 PROJECTO DE EXECUÇÃO

VIA ORIENTAL NO CONCELHO DE CASCAIS - TROÇO 1 PROJECTO DE EXECUÇÃO PROJECTO DE VALORIZAÇÃO E REABILITAÇÃO DA RIBEIRA DE SASSOEIROS PROJECTO DE EXECUÇÃO ÍNDICE.......1 SUB-TROÇO AUTO-ESTRADA A5 / ALDEAMENTO DAS ENCOSTAS 2 7.01 Trabalhos de Correcção Fluvial.... 2 7.02

Leia mais

SINALIZAÇÃO HORIZONTAL. Materiais e critérios de seleção

SINALIZAÇÃO HORIZONTAL. Materiais e critérios de seleção DER-MG II Seminário de Sinalização e Segurança Viária SINALIZAÇÃO HORIZONTAL Materiais e critérios de seleção Heverton Moreira Considerando os estudos e a aprovação na 8 a Reunião Ordinária da Câmara Temática

Leia mais

DRENAGEM AULA 01 INTRODUÇÃO: CONCEITOS BÁSICOS TIPOS DE DRENAGEM ELEMENTOS DE PROJETO

DRENAGEM AULA 01 INTRODUÇÃO: CONCEITOS BÁSICOS TIPOS DE DRENAGEM ELEMENTOS DE PROJETO AULA 01 INTRODUÇÃO: CONCEITOS BÁSICOS TIPOS DE DRENAGEM ELEMENTOS DE PROJETO Uma estrada depois de construida só terá 03 problemas: Drenagem, Drenagem e Drenagem Drenagem consiste no controle das

Leia mais

Engenharia Civil na Construção de um Parque Eólico. Antonio Medeiros de Oliveira Engenheiro Civil, MPM

Engenharia Civil na Construção de um Parque Eólico. Antonio Medeiros de Oliveira Engenheiro Civil, MPM Engenharia Civil na Construção de um Parque Eólico Antonio Medeiros de Oliveira Engenheiro Civil, MPM ROTEIRO DO CURSO Contratos turnkey Estradas Sondagens Fundações Orçamentos O terreno natural e a topografia

Leia mais

ECOPAVIMENTO - BRITA

ECOPAVIMENTO - BRITA ECOPAVIMENTO - BRITA A aplicação do Ecopavimento é indicada para locais onde requer alta permeabilidade ou em locais onde haja trânsito de pessoas e/ou veículos leves, como estacionamentos, gramados onde

Leia mais

BENEFICIAÇÃO DE PAVIMENTO COM UTILIZAÇÃO DE MISTURAS BETUMINOSAS TIPO SMA COM FIBRAS NA REDE DE AUTO-ESTRADAS DA BRISA

BENEFICIAÇÃO DE PAVIMENTO COM UTILIZAÇÃO DE MISTURAS BETUMINOSAS TIPO SMA COM FIBRAS NA REDE DE AUTO-ESTRADAS DA BRISA BENEFICIAÇÃO DE PAVIMENTO COM UTILIZAÇÃO DE MISTURAS BETUMINOSAS TIPO SMA COM FIBRAS NA REDE DE AUTO-ESTRADAS DA BRISA Isabel Cristina da Silva Gonzalez 1 e Maria Dora Baptista 2 1 Brisa-Engenharia e Gestão,

Leia mais

Infraestrutura UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL. SNP38D58 Superestrutura Ferroviária

Infraestrutura UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL. SNP38D58 Superestrutura Ferroviária UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL SNP38D58 Superestrutura Ferroviária Prof.: Flavio A. Crispim (FACET/SNP-UNEMAT) SINOP - MT 2015 Resolução CONAMA 349, de 16 de agosto de

Leia mais

Reciclagem dos Pavimentos

Reciclagem dos Pavimentos UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FACULDADE DE CIENCIAS EXATAS E TECNOLOGICAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: MANUTENÇÃO DE PAVIMENTOS Reciclagem dos Pavimentos

Leia mais

TRATAMENTO SUPERFICIAL NA CONSERVAÇÃO E CONSTRUÇÃO DE RODOVIAS

TRATAMENTO SUPERFICIAL NA CONSERVAÇÃO E CONSTRUÇÃO DE RODOVIAS TEXTO COMPLEMENTAR TRATAMENTO SUPERFICIAL NA CONSERVAÇÃO E CONSTRUÇÃO DE RODOVIAS INTRODUÇÃO Durante os últimos anos, tem surgido no mundo inteiro interesse reflorescente em se empregar tratamentos superficiais

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA Especificação de Serviço Página 1 de 6 1. DEFINIÇÃO São segmentos da plataforma da via, cuja implantação requer o depósito de materiais, quer proveniente de cortes, quer de empréstimos, sobre o terreno

Leia mais

APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO SISTEMA DE DRENAGEM DA QUADRA DE FUTEBOL SOCIETY DO CENTRO PAULISTA DE LAZER

APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO SISTEMA DE DRENAGEM DA QUADRA DE FUTEBOL SOCIETY DO CENTRO PAULISTA DE LAZER APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM NO SISTEMA DE DRENAGEM DA QUADRA DE FUTEBOL SOCIETY DO CENTRO PAULISTA DE LAZER Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Colaboração: Engº Valéria C. Pellicci Di Stephani

Leia mais

Aeroporto da Madeira. Selagem de fissuras com Juntoplast C. João Afonso José Morais

Aeroporto da Madeira. Selagem de fissuras com Juntoplast C. João Afonso José Morais Aeroporto da Madeira Selagem de fissuras com Juntoplast C João Afonso José Morais Índice Aeroporto da Madeira; O Projeto; A Obra; Aplicação de Juntoplast C; Conclusões. Aeroporto da Madeira Orientação

Leia mais

CUIDADOS NA CONSTRUÇÃO DE ATERROS E VIAS DE COMUNICAÇÃO

CUIDADOS NA CONSTRUÇÃO DE ATERROS E VIAS DE COMUNICAÇÃO CUIDADOS NA CONSTRUÇÃO DE ATERROS E VIAS DE COMUNICAÇÃO FILIPE MARQUES Workshop Práticas e Intervenções a Evitar em Engenharia Civil e Geologia da Engenharia Laboratório Regional de Engenharia Civil, Ponta

Leia mais

TÓPICOS AVANÇADOS DE PAVIMENTAÇÃO

TÓPICOS AVANÇADOS DE PAVIMENTAÇÃO Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Departamento de Transportes TÓPICOS AVANÇADOS DE PAVIMENTAÇÃO Prof. Djalma R. Martins Pereira, M.Eng. AVALIAÇÃO DE PAVIMENTOS TÓPICOS AVANÇADOS DE PAVIMEMTAÇÃO

Leia mais

às Vias de Comunicação

às Vias de Comunicação Vias de Comunicação Luís Picado Santos 1/4 Apresentação e Introdução Geral às Vias de Comunicação O ensino das vias de comunicação no DECivil Tipos de vias de comunicação e ciclo de vida Conceitos gerais

Leia mais

AULA 3 - PAVIMENTAÇÃO RODOVIÁRIA COMPARAÇÃO ENTRE PAVIMENTOS

AULA 3 - PAVIMENTAÇÃO RODOVIÁRIA COMPARAÇÃO ENTRE PAVIMENTOS AULA 3 - PAVIMENTAÇÃO RODOVIÁRIA COMPARAÇÃO ENTRE PAVIMENTOS Prof.º: Roque Rodrigo Rodrigues Disciplina: Pavimentos especiais Centro Universitário Dinâmica das Cataratas - Campus Centro Pavimento rígido

Leia mais

CATÁLOGO DE PAVIMENTOS COM RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO PARA ESTRADAS E ARRUAMENTOS DE BAIXO TRÁFEGO

CATÁLOGO DE PAVIMENTOS COM RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO PARA ESTRADAS E ARRUAMENTOS DE BAIXO TRÁFEGO CATÁLOGO DE PAVIMENTOS COM RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO PARA ESTRADAS E ARRUAMENTOS DE BAIXO TRÁFEGO José Neves 1, Ana Martins 2 e Ana Cristina Freire 3 1 Instituto Superior Técnico, Universidade

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM PARA ESTABILIZAÇÃO DE ESTRADA NÃO-PAVIMENTADA SÃO FRANCISCO XAVIER SP

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM PARA ESTABILIZAÇÃO DE ESTRADA NÃO-PAVIMENTADA SÃO FRANCISCO XAVIER SP UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM PARA ESTABILIZAÇÃO DE ESTRADA NÃO-PAVIMENTADA SÃO FRANCISCO XAVIER SP Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim PERÍODO 2003 Revisado ABRIL 2011 - Departamento Técnico.

Leia mais

INFLUÊNCIA DAS METODOLOGIAS DE PROJECTO E TÉCNICAS CONSTRUTIVAS NA OCORRÊNCIA DE DEGRADAÇÕES EM PAVIMENTOS DE AUTO-ESTRADAS

INFLUÊNCIA DAS METODOLOGIAS DE PROJECTO E TÉCNICAS CONSTRUTIVAS NA OCORRÊNCIA DE DEGRADAÇÕES EM PAVIMENTOS DE AUTO-ESTRADAS INFLUÊNCIA DAS METODOLOGIAS DE PROJECTO E TÉCNICAS CONSTRUTIVAS NA OCORRÊNCIA DE DEGRADAÇÕES EM PAVIMENTOS DE AUTO-ESTRADAS JOÃO MORGADO (INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO) CO-AUTORES: JOSÉ NEVES (INSTITUTO SUPERIOR

Leia mais

Pavimentação TC Profª Bárbara Silvéria

Pavimentação TC Profª Bárbara Silvéria Pavimentação TC Profª Bárbara Silvéria Revestir um piso ou chão com uma cobertura; No âmbito da engenharia, pavimentação constitui uma base horizontal composta por uma ou mais camadas sobrepostas, elevando

Leia mais

às Vias de Comunicação

às Vias de Comunicação Vias de Comunicação Luís Picado Santos 1/24 Apresentação e Introdução Geral às Vias de Comunicação O ensino das vias de comunicação no DECivil Tipos de vias de comunicação Projecto, construção e manutenção

Leia mais

Formulação e caracterização do desempenho

Formulação e caracterização do desempenho Reciclagem semi-quente de misturas betuminosas Formulação e caracterização do desempenho Maria de Lurdes Antunes mlantunes@lnec.pt Fátima Batista xana@lnec.pt João Castro Gomes castro.gomes@ubi.pt Marisa

Leia mais

2Concepção. de pavimentos

2Concepção. de pavimentos 2Concepção de pavimentos 21 O pavimento de uma estrada ou de um arruamento é constituído por um conjunto de camadas colocadas horizontalmente sobre o terreno, tendo como principal função, proporcionar

Leia mais

DRENAGEM SUBTERRÂNEA

DRENAGEM SUBTERRÂNEA DRENAGEM SUBTERRÂNEA Especificação Particular C D T - CENTRO DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO Janeiro de 2016 DESIGNAÇÃO - ARTERIS ES 017 Rev.00 01/2016 ES 017 Rev0 pg. 1 - Centro de Desenvolvimento Tecnológico

Leia mais

DOSSIÊ TÉCNICO. Pavimentos permeáveis de concreto

DOSSIÊ TÉCNICO. Pavimentos permeáveis de concreto DOSSIÊ TÉCNICO Pavimentos permeáveis de concreto Indexadores: Concreto; Placa de concreto; Concreto permeável; Pavimento São Paulo, 19 de Agosto 2015. ABNT-CIT_DossiêTécnico 20150819_Pavimentos permeáveis

Leia mais

MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA CIVIL VIAS DE COMUNICAÇÃO. Luís de Picado Santos

MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA CIVIL VIAS DE COMUNICAÇÃO. Luís de Picado Santos MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA CIVIL VIAS DE COMUNICAÇÃO Luís de Picado Santos (picsan@civil.ist.utl.pt) Pavimentos de Infraestruturas de Transportes caracterização e funcionamento 1/19 1 PAVIMENTOS

Leia mais

AVALIAÇÕES DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA. Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo

AVALIAÇÕES DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA. Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo AVALIAÇÕES DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo 1 Identificação de 31 locais de acumulação de acidentes e/ou de perceção de risco na Comunidade Intermunicipal da Lezíria

Leia mais

CAPÍTULO 3 DESCRIÇÃO DA OBRA DE RECICLAGEM

CAPÍTULO 3 DESCRIÇÃO DA OBRA DE RECICLAGEM CAPÍTULO 3 DESCRIÇÃO DA OBRA DE RECICLAGEM 3.1 INTRODUÇÃO Esta obra refere-se à beneficiação de um troço da EN 244 entre Ponte Sôr e o cruzamento com a EN 118, já no concelho de Gavião, com uma extensão

Leia mais

PROJETO DE NORMA NIE 6

PROJETO DE NORMA NIE 6 DISTRESS CLASSIFICATION IN ROAD ASSET NETWORK CLASSIFICATION DES DÉGRADATIONS EN ACTIFS DU RÉSEAU ROUTIER ÍNDICE Art.º 1º Preâmbulo... 3 Art.º 2º Campo de aplicação... 5 Art.º 3º Referências normativas...

Leia mais

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO RELATÓRIO FOTOGRÁFICO DEZEMBRO 2012 OBRA: EXECUÇÃO DE OBRAS DE ENGENHARIA PARA ALARGAMENTO DE PISTA DE ROLAMENTO E RECUPERAÇÃO DA PAVIMENTAÇÃO DO SISTEMA DE PÁTIOS E PISTAS DO AEROPORTO INTERNACIONAL DO

Leia mais

AVALIAÇÃO E CONSERVAÇÃO DE PAVIMENTOS RODOVIÁRIOS MUNICIPAIS COM BAIXO TRÁFEGO SITUAÇÃO EXISTENTE E METODOLOGIA DE APOIO

AVALIAÇÃO E CONSERVAÇÃO DE PAVIMENTOS RODOVIÁRIOS MUNICIPAIS COM BAIXO TRÁFEGO SITUAÇÃO EXISTENTE E METODOLOGIA DE APOIO AVALIAÇÃO E CONSERVAÇÃO DE PAVIMENTOS RODOVIÁRIOS MUNICIPAIS COM BAIXO TRÁFEGO SITUAÇÃO EXISTENTE E METODOLOGIA DE APOIO Nélia Figueiredo 1, Silvino Capitão 1 e José Neves 1 IPC Instituto Superior de Engenharia

Leia mais

e Manutenção de Infra-estruturas de Transportes

e Manutenção de Infra-estruturas de Transportes 1/24 Construção e Manutenção de Infra-estruturas de Transportes Aula T6 Pavimentos Sumário da aula Pavimentos rodoviários: Tipos de pavimentos Funções das camadas do pavimento Materiais de pavimentação:

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO DO TROÇO IP 3 MORTÁGUA EN228 / RAIVA IC6 RESUMO NÃO TÉCNICO

PLANO DE ACÇÃO DO TROÇO IP 3 MORTÁGUA EN228 / RAIVA IC6 RESUMO NÃO TÉCNICO PLANO DE ACÇÃO DO TROÇO IP 3 MORTÁGUA EN228 / RAIVA IC6 RESUMO NÃO TÉCNICO Abril de 2013 IP 3 - Mortágua (EN 228) / Raiva (IC 6). Resumo do Plano de Acção ÍNDICE DE TEXTO Pág. 1 - CONSIDERAÇÕES GERAIS...

Leia mais

Desempenho de Pavimentos Rodoviários. Prof. M.Sc. em Eng. Civil Matheus Lemos Nogueira

Desempenho de Pavimentos Rodoviários. Prof. M.Sc. em Eng. Civil Matheus Lemos Nogueira Desempenho de Pavimentos Rodoviários Prof. M.Sc. em Eng. Civil Matheus Lemos Nogueira Desempenho É a variação da serventia ao longo do tempo (ou do tráfego) de uso do pavimento. VSA Valor de Serventia

Leia mais

MT DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM. Norma Rodoviária DNER-PRO 176/94 Procedimento Página 1 de 23

MT DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM. Norma Rodoviária DNER-PRO 176/94 Procedimento Página 1 de 23 Procedimento Página 1 de 23 RESUMO Este documento, que é uma norma técnica, fixa as condições que devem ser obedecidas no projeto e na execução de barreiras de segurança. ABSTRACT This document presents

Leia mais

BENEFICIAÇÃO E REABILITAÇÃO DOS PAVIMENTOS DA A22 VIA DO INFANTE, ENTRE O NÓ DA GUIA E O NÓ DE FARO/AEROPORTO

BENEFICIAÇÃO E REABILITAÇÃO DOS PAVIMENTOS DA A22 VIA DO INFANTE, ENTRE O NÓ DA GUIA E O NÓ DE FARO/AEROPORTO BENEFICIAÇÃO E REABILITAÇÃO DOS PAVIMENTOS DA A22 VIA DO INFANTE, ENTRE O NÓ DA GUIA E O NÓ DE FARO/AEROPORTO EDUARDO FUNG Coordenador de Projectos da COBA,S.A. e Director Técnico da CONSULSTRADA FERNANDO

Leia mais

Câmara Municipal de Águeda Pavimentação e Arranjos Urbanísticos do Estacionamento do Bairro do Redolho, na Borralha.

Câmara Municipal de Águeda Pavimentação e Arranjos Urbanísticos do Estacionamento do Bairro do Redolho, na Borralha. MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA Memória Descritiva e Justificativa 1 1 - GENERALIDADES 1.1 - Denominação e Localização Refere-se a presente memória descritiva e justificativa ao projecto de execução

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina CIV311 Pavimentação

Programa Analítico de Disciplina CIV311 Pavimentação 0 Programa Analítico de Disciplina Departamento de Engenharia Civil - Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Número de créditos: 4 Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 15 Carga horária semanal

Leia mais

BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE CABANAS DE VIRIATO

BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE CABANAS DE VIRIATO BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE CABANAS DE VIRIATO RELATÓRIO GEOTÉCNICO (REFª 72/2008/08/GER - 1126) Agosto de 2008 QUARTEL DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE CABANAS DE VIRIATO ÍNDICE 1- INTRODUÇÃO... 2 2- ENQUADRAMENTO

Leia mais

Universidade do Estado de Mato Grosso Engenharia Civil Estradas II

Universidade do Estado de Mato Grosso Engenharia Civil Estradas II Universidade do Estado de Mato Grosso Engenharia Civil Estradas II Classificação de Materiais e Equipamentos Generalidades Ciclo de Operações Classificações dos Materiais Classificação dos Equipamentos

Leia mais

Deterioração dos Pavimentos Asfálticos

Deterioração dos Pavimentos Asfálticos UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FACULDADE DE CIENCIAS EXATAS E TECNOLOGICAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: MANUTENÇÃO DE PAVIMENTOS Deterioração dos Pavimentos

Leia mais

IP- 05 INSTRUÇÃO PARA DIMENSIONAMENTO DE PAVIMENTOS FLEXÍVEIS PARA TRÁFEGO MEIO PESADO, PESADO, MUITO PESADO E FAIXA EXCLUSIVA DE ÔNIBUS

IP- 05 INSTRUÇÃO PARA DIMENSIONAMENTO DE PAVIMENTOS FLEXÍVEIS PARA TRÁFEGO MEIO PESADO, PESADO, MUITO PESADO E FAIXA EXCLUSIVA DE ÔNIBUS 1. OBJETIVO O objetivo deste documento é apresentar o procedimento para o dimensionamento de pavimentos flexíveis de vias urbanas do município de São Paulo, submetidas a tráfego meio pesado, pesado, muito

Leia mais

PROJECTO, CONSTRUÇÃO E REABILITAÇÃO DE PAVIMENTOS COM MISTURAS BETUMINOSAS

PROJECTO, CONSTRUÇÃO E REABILITAÇÃO DE PAVIMENTOS COM MISTURAS BETUMINOSAS DEPARTAMENTO DE TRANSPORTES Núcleo de Infra-estruturas Rodoviárias e Aeroportuárias Proc. 0111/70/25 Proc. 0702/553/404 PROJECTO, CONSTRUÇÃO E REABILITAÇÃO DE PAVIMENTOS COM MISTURAS BETUMINOSAS Relatório

Leia mais

LOCALIZAÇÃO DE PATOLOGIAS DE ORIGEM GEOTÉCNICA EM PAVIMENTOS RODOVIÁRIOS COM RECURSO A BDE E SIG

LOCALIZAÇÃO DE PATOLOGIAS DE ORIGEM GEOTÉCNICA EM PAVIMENTOS RODOVIÁRIOS COM RECURSO A BDE E SIG LOCALIZAÇÃO DE PATOLOGIAS DE ORIGEM GEOTÉCNICA EM PAVIMENTOS RODOVIÁRIOS COM RECURSO A BDE E SIG DETECTION OF ROAD PAVEMENT PATHOLOGIES OF GEOTECHNICAL ORIGIN USING EDB AND GIS Maganinho, Leonor; Universidade

Leia mais

Universidade do Estado de Santa Catarina Departamento de Engenharia Civil. Profa. Adriana Goulart dos Santos

Universidade do Estado de Santa Catarina Departamento de Engenharia Civil. Profa. Adriana Goulart dos Santos Universidade do Estado de Santa Catarina Departamento de Engenharia Civil Profa. Adriana Goulart dos Santos Ementa: Classificação de solos para fins rodoviários; Materiais granulares: processo de seleção

Leia mais

OBJECT. E TIPOS. Reciclagem In-situ a Quente [RISQ] 1. Objectivos:

OBJECT. E TIPOS. Reciclagem In-situ a Quente [RISQ] 1. Objectivos: IV Congresso CRP ESTRADA 2006 Estoril, 6 de Abril de 2006 As Potencialidades dos Processos de Reciclagem In-situ a Quente na Reabilitação de Algumas Patologias dos Pavimentos Rodoviários DEC-UC IV Congresso

Leia mais

MANUTENÇÃO DE PAVIMENTOS

MANUTENÇÃO DE PAVIMENTOS GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGICAS MANUTENÇÃO DE PAVIMENTOS

Leia mais

Pavimentação - regularização do subleito

Pavimentação - regularização do subleito MT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IPR DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA Rodovia Presidente Dutra km 163 - Centro Rodoviário, Parada de Lucas

Leia mais

MÉTODOS DE DIMENSIONAMENTO DE PAVIMENTOS INFRAESTRUTURA

MÉTODOS DE DIMENSIONAMENTO DE PAVIMENTOS INFRAESTRUTURA PAVIMENTAÇÃO: É uma estrutura constituída por camadas sobrepostas, construídas sobre a terraplenagem, que possuem espessuras e materiais determinadas por um dos inúmeros métodos de dimensionamento e que

Leia mais

Em função de suas características de fabricação e matéria-prima poliéster, o Bidim possui as propriedades:

Em função de suas características de fabricação e matéria-prima poliéster, o Bidim possui as propriedades: Geotêxtil Bidim Propriedades Em função de suas características de fabricação e matéria-prima poliéster, o Bidim possui as propriedades: Elevada permeabilidade: 10 a 200 vezes mais permeável do que outros

Leia mais

TRANSPORTES E OBRAS DE TERRA

TRANSPORTES E OBRAS DE TERRA TRANSPORTES E OBRAS DE TERRA Movimento de Terra e Pavimentação NOTAS DE AULA Pavimentação I Prof. Dr. Edson de Moura Aula 06 Dimensionamento de Pavimento Flexível Método do DNER 2011 DIMENSIONAMENTO DE

Leia mais

PROJETO DE ESTRADAS Pr P of o. D r D. An A d n e d r e so s n o n Man a zo n l zo i

PROJETO DE ESTRADAS Pr P of o. D r D. An A d n e d r e so s n o n Man a zo n l zo i PROJETO DE ESTRADAS Prof. Dr. Anderson Manzoli CONCEITOS: Seção (Perfil) Transversal é a representação geométrica, no plano vertical, de alguns elementos dispostos transversalmente, em determinado ponto

Leia mais

2.2.2 Dimensionamento de pavimentos flexíveis (método do DNIT)

2.2.2 Dimensionamento de pavimentos flexíveis (método do DNIT) 2.2.2 Dimensionamento de pavimentos flexíveis (método do DNIT) O método tem como base o trabalho "Design of Flexible Pavements Considering Mixed Loads and Traffic Volume", da autoria de W.J. Turnbull,

Leia mais

ANÁLISE LABORATORIAL DE TRAÇOS DE CONCRETO PERMEÁVEL

ANÁLISE LABORATORIAL DE TRAÇOS DE CONCRETO PERMEÁVEL ANÁLISE LABORATORIAL DE TRAÇOS DE CONCRETO PERMEÁVEL 1. INTRODUÇÃO Conforme o crescimento das cidades e o processo de urbanização, tornam-se cada vez menores os espaços permeáveis dentro desse âmbito.

Leia mais

Soluções em Geossintéticos.

Soluções em Geossintéticos. Soluções em Geossintéticos www.cadigeo.com.br Soluções em Drenagens Geossintéticos Conheça toda linha de soluções CadiGeo e conte com nossa assessoria técnica. Sistemas drenantes para rebaixamento de lençol

Leia mais

C D T - CENTRO DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO

C D T - CENTRO DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO REMENDOS PROFUNDOS Especificação Particular C D T - CENTRO DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO Novembro de 2015 DESIGNAÇÃO - ARTERIS ES 042 Rev.2 Especificação Particular para Execução de Remendos Profundos

Leia mais

PLINTOSSOLOS. Ordem. Sheila R. Santos 1

PLINTOSSOLOS. Ordem. Sheila R. Santos 1 PLINTOSSOLOS Ordem Apresentam horizonte com pronunciado acúmulo de óxidos de Fe e/ou Al na forma de nódulos e/ou concreções, ou mesmo de camadas contínuas. Sheila R. Santos 1 Sheila R. Santos 2 Sheila

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO AGREGADO SIDERÚRGICO NA PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA DE EMPREENDIMENTOS RESIDENCIAIS

UTILIZAÇÃO DO AGREGADO SIDERÚRGICO NA PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA DE EMPREENDIMENTOS RESIDENCIAIS UTILIZAÇÃO DO AGREGADO SIDERÚRGICO NA PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA DE EMPREENDIMENTOS RESIDENCIAIS 1. Concepção e objetivos O crescimento e desenvolvimento da sociedade nos impõe desafios cada vez maiores em

Leia mais

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA PARTAMENTO OBRAS E GESTÃO FICHA TÉCNICA 1. INTIFICAÇÃO Alargamento da estrada Vila Pouca/ Quinta das Cunhas 2. LOCALIZAÇÃO Vila Pouca Freguesia do Ameal 3. SCRIÇÃO GERAL ADMINISTRATIVA Os terrenos de implantação

Leia mais