NÚCLEO ESTADUAL DE REGULAMENTAÇÃO DA ANS Regimento Interno

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NÚCLEO ESTADUAL DE REGULAMENTAÇÃO DA ANS Regimento Interno"

Transcrição

1 NÚCLEO ESTADUAL DE REGULAMENTAÇÃO DA ANS Regimento Interno 1. DAS ATRIBUIÇÕES 1.1. O Núcleo Estadual de Regulamentação da ANS tem por atribuições: a) padronizar ações, modelos e processos que envolvam o cumprimento das normas regulamentares da ANS, ajustando-os às necessidades e particularidades de cada Unimed; b) ser órgão consultivo do Comitê Jurídico Estadual, nos limites de sua atuação; c) compartilhar ideias e soluções entre as singulares do Paraná, observada a legislação vigente; e d) promover a capacitação profissional dos técnicos das Unimeds paranaenses na regulamentação da Agência Reguladora Não compete ao Núcleo Estadual de Regulamentação da ANS exarar pareceres jurídicos fora do âmbito da Lei Federal nº 9656/98 e regulamentação da ANS ou decidir pela propositura de ações judiciais, embora seja um órgão consultivo do Comitê Jurídico Estadual. 2. DOS OBJETIVOS ESTRATÉGICOS 2.1. O Núcleo Estadual de Regulamentação da ANS contribuirá para o alcance dos seguintes objetivos estratégicos: a) aumentar a eficiência operacional dos processos de apoio das singulares; e b) fomentar a integração, compartilhamento e padronização de processos de gestão e serviços entre singulares. 3. DA COMPOSIÇÃO

2 3.1. O Núcleo Estadual de Regulamentação da ANS será composto por representantes das áreas de regulamentação das Unimeds do Paraná, devidamente designados por suas respectivas Diretorias Executivas Cada Unimed singular paranaense deve designar um membro titular e um suplente ao Núcleo Estadual de Regulamentação da ANS A designação como membro do Núcleo Estadual de Regulamentação da ANS não implica em remuneração adicional. 4. DA DIRETORIA 4.1. A diretoria do Núcleo Estadual de Regulamentação da ANS será composta por um(a) presidente, um(a) vice-presidente e uma secretaria executiva, sendo esta última representada pela Assessoria Regulamentar da Unimed Federação do Paraná Aplica-se aos membros da diretoria do Núcleo Estadual de Regulamentação da ANS o disposto no item São elegíveis para a função de presidente e de vice-presidente todos os membros do Núcleo Estadual de Regulamentação da ANS, sendo possível que ambos os cargos sejam preenchidos por colaboradores da mesma operadora A designação do(a) presidente e do(a) vice-presidente será realizada por meio de eleição dos membros do Núcleo Estadual de Regulamentação da ANS O primeiro mandato de eleição para presidência e vice-presidência do Núcleo Estadual de Regulamentação terá a duração de dois anos consecutivos, ou seja, iniciará em outubro de 2015, com término previsto para setembro de É permitida a recondução para os cargos de diretores por um único mandato, desde que assim definido pelo grupo por intermédio de eleição As eleições para membros da diretoria do Núcleo Estadual de Regulamentação da ANS se dará por maioria simples, mediante voto secreto, sempre em reunião ordinária e na forma presencial.

3 4.6. Os membros do Núcleo Estadual de Regulamentação da ANS são considerados eleitores, porém será admitido um único voto por singular e um único voto da Unimed Federação do Paraná, para cada um dos cargos de diretoria. 5. DAS RESPONSABILIDADES 5.1. São responsabilidades de cada membro do Núcleo Estadual de Regulamentação da ANS: a) Eleger o presidente e vice-presidente do Núcleo Estadual de b) Aprovar e alterar o regimento interno do Núcleo Estadual de c) Estar presente em todas as reuniões ordinárias promovidas pelo Núcleo Estadual de Regulamentação da ANS, sendo facultado às singulares designar para participação o titular ou suplente (ou ambos); d) Sugerir a pauta para as reuniões; e) Aprovar as atas das reuniões do Núcleo Estadual de f) Propor ações ou elaboração de trabalhos ao Núcleo Estadual de g) Participar ativamente na execução de trabalhos a serem propostos pelo Núcleo Estadual de h) Manter-se atualizado(a) quanto às normas regulamentares da ANS; i) Disseminar o conhecimento adquirido nas reuniões do Núcleo Estadual de Regulamentação da ANS em suas respectivas cooperativas; e j) Compartilhar com as áreas internas de suas singulares todos os materiais e informativos relacionados com a regulamentação, delegando às áreas pertinentes, quando necessário, a responsabilidade de operacionalização de atos normativos, com o intuito de garantir o cumprimento das normas.

4 5.2. São responsabilidades dos diretores eleitos do Núcleo Estadual de Regulamentação da ANS: a) Apoiar as ações e decisões emanadas do Núcleo Estadual de Regulamentação ANS; b) Aprovar a pauta das reuniões do Núcleo Estadual de c) Convocar os membros do Núcleo Estadual de Regulamentação da ANS para reuniões extraordinárias, quando necessário; e d) Representar os membros do Núcleo Estadual de Regulamentação perante o órgão regulador, nos assuntos pertinentes ao grupo e de interesse comum ao Sistema Unimed paranaense São responsabilidades da secretaria executiva do Núcleo Estadual de Regulamentação da ANS: a) Organizar e participar das reuniões do Núcleo Estadual de Regulamentação, conforme critérios definidos no presente regulamento; b) Elaborar as atas das reuniões do Núcleo Estadual; c) Desenvolver ambiente virtual, a fim de centralizar, veicular informações e manter o histórico de todas as decisões tomadas nas reuniões do Núcleo Estadual de e d) Se, por qualquer motivo, houver vacância para os cargos da presidência e vice-presidência do Núcleo Estadual de Regulamentação, promover nova eleição, num prazo máximo de dois meses. 6. DAS REUNIÕES 6.1. O Núcleo Estadual de Regulamentação da ANS promoverá duas reuniões ordinárias por ano, sendo um evento realizado de forma

5 presencial e outro por videoconferência, num intervalo de, no máximo, seis meses Sempre que houver demanda do órgão regulador que justifique, o Núcleo Estadual de Regulamentação da ANS poderá ser convocado para reuniões extraordinárias A organização e divulgação das reuniões ordinárias e extraordinárias serão de responsabilidade da secretaria executiva do Núcleo Estadual As sugestões de pauta devem ser encaminhadas à secretaria executiva do Núcleo Estadual de Regulamentação da ANS, por e- mail, com antecedência mínima de 15 dias da data estipulada para a realização do evento, cabendo à diretoria do Núcleo a análise da pertinência e viabilidade das solicitações A ata deverá ser enviada a todos os membros do Núcleo As reuniões presenciais serão realizadas na sede da Unimed Federação do Paraná, em Curitiba, sendo permitido que as Unimeds singulares sediem o evento em suas respectivas cooperativas, desde que aprovada a mudança de local pelos membros do Núcleo Estadual de Regulamentação da ANS Na hipótese de Unimed singular ser aprovada para sediar reunião do Núcleo, esta será responsável pelo pagamento integral das despesas e pela organização do evento, tais como aluguel de sala, equipamentos e outras necessidades As despesas com passagens, hospedagem e alimentação para a participação dos membros do Núcleo Estadual de Regulamentação em reuniões presenciais serão de responsabilidade da Unimed a qual pertença o representante Ainda que haja titulares e suplentes designados para representar as Unimeds, cada singular tem direito a um único voto, para todas as deliberações do Núcleo Estadual de Regulamentação da ANS. Aprovado em

Comissão de Atletas Regulamento

Comissão de Atletas Regulamento Comissão de Atletas Regulamento 1. Missão 1.1. A Comissão de Atletas do COB tem por missão representar os Atletas Olímpicos perante o COB, fortalecendo os laços de comunicação e interação entre as partes.

Leia mais

Regimento do Comitê Financeiro. Grupo NEOENERGIA

Regimento do Comitê Financeiro. Grupo NEOENERGIA Regimento do Comitê Financeiro Grupo NEOENERGIA Regimento do Comitê Financeiro do Grupo NEOENERGIA constituído por decisão do Conselho de Administração da NEOENERGIA S.A O presente Regimento foi aprovado

Leia mais

REDE DE CONTROLE DA GESTÃO PÚBLICA PARANÁ. Regimento Interno TÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E DOS OBJETIVOS

REDE DE CONTROLE DA GESTÃO PÚBLICA PARANÁ. Regimento Interno TÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E DOS OBJETIVOS TÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E DOS OBJETIVOS Art. 1º. A Rede de Controle da Gestão Pública, constituída como espaço colegiado e permanente no âmbito do Estado do Paraná, formada por órgãos/instituições integrantes

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO DE BANCAS DA ESCOLA PAULISTA DE POLÍTICA, ECONOMIA E NEGÓCIOS (EPPEN)/UNIFESP

REGULAMENTO DA COMISSÃO DE BANCAS DA ESCOLA PAULISTA DE POLÍTICA, ECONOMIA E NEGÓCIOS (EPPEN)/UNIFESP REGULAMENTO DA COMISSÃO DE BANCAS DA ESCOLA PAULISTA DE POLÍTICA, ECONOMIA E NEGÓCIOS (EPPEN)/UNIFESP Dispõe sobre as atribuições Comissão de Bancas Examinadoras da EPPEN/UNIFESP, sua composição e condução

Leia mais

Anexo I REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE GESTÃO DE PESSOAS E GOVERNANÇA CORPORATIVA

Anexo I REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE GESTÃO DE PESSOAS E GOVERNANÇA CORPORATIVA Anexo I REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE GESTÃO DE PESSOAS E GOVERNANÇA CORPORATIVA Artigo 1 : O Comitê de Gestão de Pessoas e Governança Corporativa ( Comitê ) é um órgão de apoio ao Conselho de Administração

Leia mais

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Nobres CNPJ: / LEI MUNICIPAL Nº 1.282/2013 DE 21 DE OUTUBRO DE 2013.

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Nobres CNPJ: / LEI MUNICIPAL Nº 1.282/2013 DE 21 DE OUTUBRO DE 2013. LEI MUNICIPAL Nº 1.282/2013 DE 21 DE OUTUBRO DE 2013. DISPÕE SOBRE A ATUALIZAÇÃO ESTRUTURAL E ADMINISTRATIVA DO CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DE NOBRES CMAS E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O Sr. SEBASTIÃO

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE ENSINO

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE ENSINO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE ENSINO REGIMENTO INTERNO DO FÓRUM PERMANENTE DOS CURSOS TÉCNICOS DO IFPE RECIFE, 2014 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSU Nº. 41/2013 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO CONSU Nº. 41/2013 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO CONSU Nº. 41/2013 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013 A Presidente do Conselho Superior Universitário da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, no uso de suas atribuições regimentais, considerando

Leia mais

REGULAMENTO NOS, SGPS, S.A.

REGULAMENTO NOS, SGPS, S.A. REGULAMENTO DA COMISSÃO DE AUDITORIA E FINANÇAS NOS, SGPS, S.A. 1/5 O presente instrumento regulamenta o exercício de competências e deveres, e o funcionamento, da Comissão de Auditoria e Finanças da NOS

Leia mais

REGIMENTO DOS CONSELHOS DE DIRETORES DE TURMA DO 2º e 3º CICLOS DO ENSINO BÁSICO GERAL E DO ENSINO SECUNDÁRIO (CURSOS CIENTIFICO-HUMANÍSTICOS)

REGIMENTO DOS CONSELHOS DE DIRETORES DE TURMA DO 2º e 3º CICLOS DO ENSINO BÁSICO GERAL E DO ENSINO SECUNDÁRIO (CURSOS CIENTIFICO-HUMANÍSTICOS) REGIMENTO DOS CONSELHOS DE DIRETORES DE TURMA DO 2º e 3º CICLOS DO ENSINO BÁSICO GERAL E DO ENSINO SECUNDÁRIO (CURSOS CIENTIFICO-HUMANÍSTICOS) Preâmbulo De acordo com a legislação em vigor e o regulamento

Leia mais

COMITÊ DE RECURSOS HUMANOS REGIMENTO INTERNO

COMITÊ DE RECURSOS HUMANOS REGIMENTO INTERNO COMITÊ DE RECURSOS HUMANOS REGIMENTO INTERNO Aprovado na Reunião do Conselho de Administração realizada em 8 de maio de 2015 COMITÊ DE RECURSOS HUMANOS REGIMENTO INTERNO 1. Regimento. O presente Regimento

Leia mais

COMISSÃO DE DIREITO SECURITÁRIO

COMISSÃO DE DIREITO SECURITÁRIO COMISSÃO DE DIREITO SECURITÁRIO Regimento Interno Art. 1 º A Comissão de Direito Securitário é composta de: I Membros Efetivos, dentre eles o Presidente, o Vice-Presidente, Secretário e Membros Consultores;

Leia mais

Agrupamento de Escolas Júdice Fialho Portimão Conselho Geral REGIMENTO. Artigo 1º Objeto Artigo 2º Definição Artigo 3º Composição...

Agrupamento de Escolas Júdice Fialho Portimão Conselho Geral REGIMENTO. Artigo 1º Objeto Artigo 2º Definição Artigo 3º Composição... Agrupamento de Escolas Júdice Fialho Portimão Conselho Geral REGIMENTO Índice Artigo 1º Objeto... 2 Artigo 2º Definição... 2 Artigo 3º Composição... 2 Artigo 4º Eleição... 2 Artigo 5º Competências... 3

Leia mais

a. O Conselho Pedagógico é composto por docentes e discentes, eleitos pelos membros de cada um dos respectivos cursos.

a. O Conselho Pedagógico é composto por docentes e discentes, eleitos pelos membros de cada um dos respectivos cursos. Regulamento Interno do Conselho Pedagógico da ESAP (Nº de Membros para o biénio 2013/2015: 14) Aprovado por unanimidade na reunião de 27.02.2014 1. Funcionamento a. O Conselho Pedagógico é composto por

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 75/99 - CEPE R E S O L V E: CAPÍTULO I. Das Finalidades CAPÍTULO II. Da Natureza Jurídica e Objetivos

RESOLUÇÃO Nº 75/99 - CEPE R E S O L V E: CAPÍTULO I. Das Finalidades CAPÍTULO II. Da Natureza Jurídica e Objetivos RESOLUÇÃO Nº 75/99 - CEPE Estabelece normas para a constituição e funcionamento dos Comitês Central e Setoriais de Ética em Pesquisa Envolvendo Seres Humanos da Universidade Federal do Paraná. O CONSELHO

Leia mais

Acordo de Acionistas. da CPFL Energia S.A. de Assessoramento do. Conselho da de Draft Administração. Atual Denominação Social. II Participações S.A.

Acordo de Acionistas. da CPFL Energia S.A. de Assessoramento do. Conselho da de Draft Administração. Atual Denominação Social. II Participações S.A. Acordo de Acionistas Regimento da Interno CPFL dos Energia Comitês S.A. de Assessoramento do Atual Denominação Social Conselho da de Draft Administração II Participações S.A. da CPFL Energia S.A. 1 Sumário

Leia mais

ESTATUTO CONSELHO DA MULHER EXECUTIVA DE UBIRATÃ. Capitulo I. Denominação e criação

ESTATUTO CONSELHO DA MULHER EXECUTIVA DE UBIRATÃ. Capitulo I. Denominação e criação ESTATUTO CONSELHO DA MULHER EXECUTIVA DE UBIRATÃ. Capitulo I. Denominação e criação Artigo 1º. O Conselho da Mulher Executiva a Associação Comercial e Empresarial de Ubiratã, é um órgão de expressão da

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS RESOLUÇÃO N o 14/2013, DE 02 DE JULHO DE 2013 Reedita, com alterações, a Resolução n o 03/2006, de 29 de junho de 2006, que aprovou o Regimento do Centro de Microscopia da UFMG. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO

Leia mais

Art. 2º São competências do Conselho Municipal de Esporte e Lazer:

Art. 2º São competências do Conselho Municipal de Esporte e Lazer: REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER CAPÍTULO I DO CONSELHO E SUAS ATRIBUIÇÕES Art. 1º O Conselho Municipal de Esporte e Lazer de Carlos Barbosa é um órgão colegiado de caráter, consultivo,

Leia mais

REGIMENTO DO NÚCLEO DE MICROSCOPIA E MICROANÁLISE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA

REGIMENTO DO NÚCLEO DE MICROSCOPIA E MICROANÁLISE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA REGIMENTO DO NÚCLEO DE MICROSCOPIA E MICROANÁLISE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO E FINALIDADE Art.1º O Núcleo de Microscopia e Microanálise (NMM) caracteriza-se pela reunião

Leia mais

Regimento do Conselho Geral da Universidade de Évora

Regimento do Conselho Geral da Universidade de Évora Regimento do Conselho Geral da Universidade de Évora O Conselho Geral da Universidade de Évora, adiante designado por Conselho Geral, é o órgão de governo previsto no n.º 1 da alínea a) do artigo 11.º

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO-CPA

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO-CPA REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO-CPA Versão 1 BARRETOS-SP 1 ÍNDICE REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA/FACISB 3 TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 3 TÍTULO II DA NATUREZA E

Leia mais

9. ORGANIZAÇÂO ADMINISTRATIVA

9. ORGANIZAÇÂO ADMINISTRATIVA 9. ORGANIZAÇÂO ADMINISTRATIVA 9.1 Estrutura Organizacional, Instâncias de Decisão e Organograma Institucional e Acadêmico (conforme Estatuto e Regimento Geral). O Instituto Federal de Ciência e Tecnologia

Leia mais

REGIMENTO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGIMENTO TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS COMISSÃO PROPRIA DE AVALIAÇÃO COMISSÃO CENTRAL Avenida Prof.

Leia mais

Art. 2º- O Comitê Gestor será composto por 4 (quatro) membros titulares e seus respectivos suplentes. Sendo:

Art. 2º- O Comitê Gestor será composto por 4 (quatro) membros titulares e seus respectivos suplentes. Sendo: Regimento Interno Regimento Interno do Comitê Gestor de Investimento do Plano de Suplementação de Aposentadoria e Pensão da Bandeirante Energia S.A. PSAP/Bandeirante 26/2/2015 CAPÍTULO I - DA FINALIDADE

Leia mais

Decreto Nº 353 DE 04/07/2016

Decreto Nº 353 DE 04/07/2016 Decreto Nº 353 DE 04/07/2016 Publicado no DOE em 5 jul 2016 Institui o Comitê Gestor da Rede para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios do Estado de Minas Gerais - REDESIM-MG.

Leia mais

Art. 1º. Aprovar o Regulamento relativo à Comissão Própria de Avaliação (CPA) da Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas de Cascavel.

Art. 1º. Aprovar o Regulamento relativo à Comissão Própria de Avaliação (CPA) da Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas de Cascavel. Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas de Cascavel Av. Tito Muffato, 2317 Bairro Santa Cruz 85806-080 Cascavel PR Fone: (45) 3036-3636 30363806 http://www.univel.br cpe@univel.br RESOLUÇÃO Nº 01 DE JULHO

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU (CONPPG) TÍTULO I - DO OBJETIVO DO REGIMENTO

REGIMENTO DO CONSELHO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU (CONPPG) TÍTULO I - DO OBJETIVO DO REGIMENTO REGIMENTO DO CONSELHO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU (CONPPG) TÍTULO I - DO OBJETIVO DO REGIMENTO Art. 1º. Este Regimento estabelece a constituição, a competência e o funcionamento do Conselho

Leia mais

Regimento da Comissão Especial de Sistemas de Informação CESI SBC I. Composição da CESI e seu Comitê Gestor

Regimento da Comissão Especial de Sistemas de Informação CESI SBC I. Composição da CESI e seu Comitê Gestor Regimento da Comissão Especial de Sistemas de Informação CESI SBC I. Composição da CESI e seu Comitê Gestor a. A Comissão Especial de Sistemas de Informação, doravante denominada CESI, é integrante da

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSUP Nº 51, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2015.

RESOLUÇÃO CONSUP Nº 51, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2015. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO CONSUP Nº 51, DE 23 DE DEZEMBRO

Leia mais

DELIBERAÇÃO CRF-RJ nº706 / 2010

DELIBERAÇÃO CRF-RJ nº706 / 2010 DELIBERAÇÃO CRF-RJ nº706 / 2010 Aprova o Regulamento das Câmaras Técnicas do CRF-RJ e dá outras providências. O ESTADO DO RIO DE JANEIRO / CRF-RJ, no uso de suas atribuições legais e em conformidade com

Leia mais

RESOLUÇÃO CEAFI N. 01/2015, de 13 de agosto de 2015.

RESOLUÇÃO CEAFI N. 01/2015, de 13 de agosto de 2015. RESOLUÇÃO CEAFI N. 01/2015, de 13 de agosto de 2015. Altera o Regimento Interno da Comissão Especial de Acompanhamento e Fiscalização dos Programas de Bolsas da Secretaria de Estado da Educação de Santa

Leia mais

Estatuto da Frente Parlamentar do Cooperativismo

Estatuto da Frente Parlamentar do Cooperativismo Estatuto da Frente Parlamentar do Cooperativismo CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, DURAÇÃO, SEDE E FINALIDADE Art. 1º. A Frente Parlamentar do Cooperativismo, Frencoop, é uma entidade civil, de interesse

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB Pró-Reitoria de Pesquisa e Ensino de Pós-Graduação PPG Avenida Silveira Martins, nº Cabula

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB Pró-Reitoria de Pesquisa e Ensino de Pós-Graduação PPG Avenida Silveira Martins, nº Cabula UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB Pró-Reitoria de Pesquisa e Ensino de Pós-Graduação PPG Avenida Silveira Martins, nº 2555 - Cabula REGIMENTO DO COMITÊ INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Capítulo

Leia mais

ESTATUTO DA AAPCEU. ART. 2º - A ASSOCIAÇÃO tem sede e foro na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais.

ESTATUTO DA AAPCEU. ART. 2º - A ASSOCIAÇÃO tem sede e foro na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais. ESTATUTO DA AAPCEU TÍTULO I - DA ENTIDADE Capítulo Único - Da Denominação, Sede e Objeto ART. 1º - A Associação dos Aposentados e Pensionistas da Caixa dos Empregados da Usiminas, doravante denominada

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MATO GROSSO CONSELHO ESCOLAR REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADE

SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MATO GROSSO CONSELHO ESCOLAR REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADE SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MATO GROSSO CONSELHO ESCOLAR REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADE Art. 1º O Conselho Escolar da ESP/MT tem por finalidade

Leia mais

ASSUNTO: REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA NEAD.

ASSUNTO: REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA NEAD. Processo CONSUN Nº 009-2011 ASSUNTO: REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA NEAD. PROTOCOLADO EM: 24/03/2011 INTERESSADO: Universidade do Contestado PROCEDÊNCIA: Reitoria COMISSÃO DE LEGISLAÇÃO

Leia mais

1. Esta Política Institucional de Comunicação e Marketing do Sicoob:

1. Esta Política Institucional de Comunicação e Marketing do Sicoob: 1. Esta Política Institucional de Comunicação e Marketing do Sicoob: a) visa estabelecer diretrizes sistêmicas aplicáveis à execução do Planejamento Estratégico em vigência, no que se refere às ações de

Leia mais

CONSELHO GERAL - REGIMENTO -

CONSELHO GERAL - REGIMENTO - CONSELHO GERAL - REGIMENTO - 2013-2017 Aprovado em reunião plenária de 30 de outubro de 2013 Preâmbulo O Regimento do Conselho Geral do Agrupamento de Escolas de Carcavelos tem por objetivo definir os

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS AVANÇADO EM JANDAIA DO SUL Colegiado do Curso de Engenharia Agrícola R E S O L U Ç Ã O N.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS AVANÇADO EM JANDAIA DO SUL Colegiado do Curso de Engenharia Agrícola R E S O L U Ç Ã O N. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS AVANÇADO EM JANDAIA DO SUL Colegiado do Curso de Engenharia Agrícola R E S O L U Ç Ã O N.º 01/2015 Regimentar o Núcleo Docente Estruturante NDE do Curso de Engenharia

Leia mais

VIX LOGÍSTICA S/A COMITÊ DE GOVERNANÇA CORPORATIVA E GESTÃO DE PESSOAS

VIX LOGÍSTICA S/A COMITÊ DE GOVERNANÇA CORPORATIVA E GESTÃO DE PESSOAS VIX LOGÍSTICA S/A COMITÊ DE GOVERNANÇA CORPORATIVA E GESTÃO DE PESSOAS 1. Objetivo O Comitê de Governança Corporativa e Gestão de Pessoas é um órgão acessório ao Conselho de Administração (CAD) da VIX

Leia mais

Regulamento Interno do Departamento de Sistemas de Informação. Escola Superior de Ciências Empresariais Instituto Politécnico de Setúbal

Regulamento Interno do Departamento de Sistemas de Informação. Escola Superior de Ciências Empresariais Instituto Politécnico de Setúbal Regulamento Interno do Departamento de Sistemas de Informação Escola Superior de Ciências Empresariais Instituto Politécnico de Setúbal CAPÍTULO I Disposições Gerais (Artigo 1º) Definição O Departamento

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE PESSOAS DA CIELO S.A. ( Regimento )

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE PESSOAS DA CIELO S.A. ( Regimento ) REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE PESSOAS DA CIELO S.A. ( Regimento ) I DEFINIÇÃO Este Regimento Interno, organizado em conformidade com o Capítulo VI do Estatuto Social da Cielo S.A. ( Companhia ), estabelece

Leia mais

COORDENAÇÃO NACIONAL DAS CENTRAIS DE SERVIÇOS ELETRÔNICOS COMPARTILHADOS DO REGISTRO DE IMÓVEIS COMITÊ GESTOR REGIMENTO INTERNO CAPITULO I

COORDENAÇÃO NACIONAL DAS CENTRAIS DE SERVIÇOS ELETRÔNICOS COMPARTILHADOS DO REGISTRO DE IMÓVEIS COMITÊ GESTOR REGIMENTO INTERNO CAPITULO I COORDENAÇÃO NACIONAL DAS CENTRAIS DE SERVIÇOS ELETRÔNICOS COMPARTILHADOS DO REGISTRO DE IMÓVEIS COMITÊ GESTOR REGIMENTO INTERNO CAPITULO I DA APRESENTAÇÃO Art. 1º O presente Regimento Interno disciplina

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 118, DE 22 DE OUTUBRO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 118, DE 22 DE OUTUBRO DE 2015 RESOLUÇÃO Nº 118, DE 22 DE OUTUBRO DE 2015 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 68ª Reunião Ordinária, realizada no dia 22 de outubro de 2015, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

O Conselho Estadual de Turismo de Minas Gerais - CET/MG

O Conselho Estadual de Turismo de Minas Gerais - CET/MG O Conselho Estadual de Turismo de Minas Gerais - CET/MG Criação : Lei n 8.502 de dezembro/1983 Artigo 18 Decreto n.º 45.072, de março/2009 Dispõe sobre a composição do Conselho Estadual de Turismo 28 entidades

Leia mais

DECRETO - Nº , DE 07 DE MAIO DE 2014.

DECRETO - Nº , DE 07 DE MAIO DE 2014. DECRETO - Nº. 2.901, DE 07 DE MAIO DE 2014. Institui a Comissão Municipal de Emprego, no âmbito do Sistema Público de Emprego, e dá providências correlatas. PE. OSWALDO ALFREDO PINTO, Prefeito Municipal

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO FORO CONSULTIVO DE MUNICÍPIOS, ESTADOS FEDERADOS, PROVÍNCIAS E DEPARTAMENTOS DO MERCOSUL

REGULAMENTO INTERNO DO FORO CONSULTIVO DE MUNICÍPIOS, ESTADOS FEDERADOS, PROVÍNCIAS E DEPARTAMENTOS DO MERCOSUL MERCOSUL/GMC/RES Nº 26/07 REGULAMENTO INTERNO DO FORO CONSULTIVO DE MUNICÍPIOS, ESTADOS FEDERADOS, PROVÍNCIAS E DEPARTAMENTOS DO MERCOSUL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto

Leia mais

DECRETO N.º 4.490, DE 08 DE SETEMBRO DE 2015.

DECRETO N.º 4.490, DE 08 DE SETEMBRO DE 2015. DECRETO N.º 4.490, DE 08 DE SETEMBRO DE 2015. Aprova o Regimento Interno do Conselho Municipal do Meio Ambiente - COMDEMA, e dá outras providências. O Prefeito Municipal de São Luiz Gonzaga, no uso de

Leia mais

Dispõe sobre a criação do Comitê Gestor da Internet no Brasil - CGI.br, sobre o modelo de governança da Internet no Brasil, e dá outras providências.

Dispõe sobre a criação do Comitê Gestor da Internet no Brasil - CGI.br, sobre o modelo de governança da Internet no Brasil, e dá outras providências. Decreto Nº 4.829, de 3 de setembro de 2003 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Dispõe sobre a criação do Comitê Gestor da Internet no Brasil - CGI.br, sobre o modelo de

Leia mais

1ª CCA RV 1ª CÂMARA DE CONCILIAÇÃO E ARBITRAGEM DE RIO VERDE - GO

1ª CCA RV 1ª CÂMARA DE CONCILIAÇÃO E ARBITRAGEM DE RIO VERDE - GO 1ª CCA RV 1ª CÂMARA DE CONCILIAÇÃO E ARBITRAGEM DE RIO VERDE - GO Com fundamento no artigo 65 do Regimento Interno, procede-se à quinta alteração do Regimento Interno, tomando-se as seguintes deliberações:

Leia mais

FUNDAÇÃO GAMMON DE ENSINO FACULDADES GAMMON

FUNDAÇÃO GAMMON DE ENSINO FACULDADES GAMMON PROPOSTA DE REFORMULAÇÃO DO REGULAMENTO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE (NDE) DAS, DE 9 DE JUNHO DE 2015. Dispõe sobre a reformulação do Regulamento do Núcleo Docente Estruturante (TCC) das Faculdades Gammon.

Leia mais

REGIMENTO DA DIRETORIA DO IBAPE/SP. Art. 19, 20, 21, 22, 23, 24, 25, 26, 27, 28, 29, 30, 31, 32 e 33 do Estatuto

REGIMENTO DA DIRETORIA DO IBAPE/SP. Art. 19, 20, 21, 22, 23, 24, 25, 26, 27, 28, 29, 30, 31, 32 e 33 do Estatuto REGIMENTO DA DIRETORIA DO IBAPE/SP Art. 19, 20, 21, 22, 23, 24, 25, 26, 27, 28, 29, 30, 31, 32 e 33 do Estatuto 1. OBJETIVO: A Diretoria do IBAPE/SP tem por objetivo: 1.1) Dirigir as atividades, administrar

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE TURISMO DE JUIZ DE FORA - COMTUR CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO DO REGIMENTO INTERNO

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE TURISMO DE JUIZ DE FORA - COMTUR CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO DO REGIMENTO INTERNO REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE TURISMO DE JUIZ DE FORA - COMTUR CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO DO REGIMENTO INTERNO Art.1º O presente Regimento Interno foi estabelecido pelos membros do Conselho

Leia mais

Prefeitura da Estância de Atibaia

Prefeitura da Estância de Atibaia Prefeitura da Estância de Atibaia 2 REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DO IDOSO - CMI, de Atibaia/SP Capítulo I DA NATUREZA Art. 1 - O presente Regimento define, explicita e regulamenta as atividades,

Leia mais

ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS DOS LOUROS ASSOCIAÇÃO DE PAIS E ENCAREGADOS DE EDUCAÇÃO

ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS DOS LOUROS ASSOCIAÇÃO DE PAIS E ENCAREGADOS DE EDUCAÇÃO CAPITULO I ARTIGO 1.º (Denominação, natureza, sede e âmbito) 1. A Associação adopta a designação de Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos dos Louros. 2. É uma

Leia mais

2º EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO E CONSTITUIÇÃO DOS CONSELHOS DE USUÁRIOS DA SKY DA REGIÃO NORTE

2º EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO E CONSTITUIÇÃO DOS CONSELHOS DE USUÁRIOS DA SKY DA REGIÃO NORTE 2º EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO E CONSTITUIÇÃO DOS CONSELHOS DE USUÁRIOS DA SKY DA REGIÃO NORTE São convocados os senhores Usuários dos serviços de Telecomunicações e as associações ou entidades que

Leia mais

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários

ESTATUTO DAS LIGAS ACADÊMICAS Diretoria de Extensão e Assuntos Comunitários ESTATUTO DA LIGA DE MEDICINA ESPORTIVA Capítulo I da Liga e seus fins Art. 1º A Liga de Medicina Esportiva é uma entidade sem fins lucrativos, com duração ilimitada, sob a supervisão da da Universidade

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO BANCO DO BRASIL - Alteração do artigo 23. Srs. Acionistas, Visando alcançar:

ESTATUTO SOCIAL DO BANCO DO BRASIL - Alteração do artigo 23. Srs. Acionistas, Visando alcançar: ESTATUTO SOCIAL DO BANCO DO BRASIL - Alteração do artigo 23 Srs. Acionistas, Visando alcançar: a) maior equilíbrio na vinculação de Unidades Estratégicas aos membros do Conselho Diretor; b) maior flexibilidade

Leia mais

Ciências Biológicas-Modalidade Médica (Biomedicina)

Ciências Biológicas-Modalidade Médica (Biomedicina) REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE DO CURSO CIÊNCIAS BIOLÓGICAS-MODALIDADE MÉDICA (BIOMEDICINA) Considerando a Resolução nº 01, de 17 de junho de 2010, que normatiza o Núcleo Docente Estruturante

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA DO NÚCLEO DE PESQUISAS DA ENIAC NUPE ENIAC

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA DO NÚCLEO DE PESQUISAS DA ENIAC NUPE ENIAC REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA DO NÚCLEO DE PESQUISAS DA ENIAC NUPE ENIAC CAPÍTULO I DO OBJETO E SUAS FINALIDADES Artigo 1º O Comitê de Ética em Pesquisa do Núcleo de Pesquisas da ENIAC

Leia mais

DECRETO Nº 239/2015. Aprova o Regimento Interno do Conselho Municipal de Anti Drogas (COMAD) de Gramado.

DECRETO Nº 239/2015. Aprova o Regimento Interno do Conselho Municipal de Anti Drogas (COMAD) de Gramado. DECRETO Nº 239/2015 Aprova o Regimento Interno do Conselho Municipal de Anti Drogas (COMAD) de Gramado. NESTOR TISSOT, Prefeito Municipal de Gramado, no uso de suas atribuições legais, de acordo com a

Leia mais

Prefeitura Municipal de Valente-BA. A Prefeitura Municipal de Valente, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR.

Prefeitura Municipal de Valente-BA. A Prefeitura Municipal de Valente, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. ANO. 2013 DIÁRIO DO MUNICÍPIO DE VALENTE - BAHIA 1 A Prefeitura Municipal de Valente, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. LEI N.º 598, DE. Valente - Bahia Gestor: Ismael

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO DE DIRECÇÃO REG.03_

REGULAMENTO DO CONSELHO DE DIRECÇÃO REG.03_ REG.03_13.07.011 INTRODUÇÃO O Estatuto da Escola Superior de Enfermagem S. Francisco das Misericórdias, determina que cada órgão aprova o respectivo regulamento interno. Como este, tem por base as competências

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE HISTÓRIA ANPUH

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE HISTÓRIA ANPUH REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE HISTÓRIA ANPUH CAPÍTULO I DAS ANUIDADES ARTIGO. 1º A fixação do valor da anuidade, sua correção e sua distribuição entre a ANPUH Nacional e as Seções Estaduais

Leia mais

Regimento do Departamento Curricular do 1º Ciclo

Regimento do Departamento Curricular do 1º Ciclo Regimento do Departamento Curricular do 1º Ciclo 2013-2017 O departamento curricular do 1º ciclo, nos termos do Regulamento Interno, aprova o seguinte regimento, definindo as respetivas regras de organização

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO DE AREAL/ RJ RESOLUÇÃO N º 001/2016

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO DE AREAL/ RJ RESOLUÇÃO N º 001/2016 CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO DE AREAL/ RJ RESOLUÇÃO N º 001/2016 O CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO do município de Areal, no âmbito de ação e conforme preceitua sua Lei de Criação

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS I DEFINIÇÃO Este Regimento Interno, organizado em conformidade com o Estatuto Social da Ser Educacional S.A. ( Companhia ), estabelece procedimentos a serem observados

Leia mais

Regimento. Conselhos de Turma dos Cursos Profissionais e CEF. Capítulo I Enquadramento, composição e competências. Artigo 1º. Enquadramento.

Regimento. Conselhos de Turma dos Cursos Profissionais e CEF. Capítulo I Enquadramento, composição e competências. Artigo 1º. Enquadramento. Capítulo I Enquadramento, composição e competências Artigo 1º Enquadramento 1. O presente documento estabelece o Regimento Interno de funcionamento dos Profissionais e dos Cursos de Educação e Formação.

Leia mais

MANUAL DE PESSOAL CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA

MANUAL DE PESSOAL CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA 1 MÓDULO 20: SEGURANÇA NO TRABALHO CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA ANEXOS: 1 Fluxo do Subprocesso Constituir Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA 2 Formulário

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CINFÃES Ano Letivo 2012/2013 REGIMENTO DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO INTERNA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CINFÃES Ano Letivo 2012/2013 REGIMENTO DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO INTERNA REGIMENTO DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO INTERNA Regimento da Comissão de Avaliação Interna Preâmbulo O conteúdo do presente Regimento resulta do desenvolvimento de uma conceção de avaliação justa e cooperativa

Leia mais

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO AMIGOS DE SANTA RITA

ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO AMIGOS DE SANTA RITA ESTATUTO DA ASSOCIAÇÃO AMIGOS DE SANTA RITA Este Estatuto foi aprovado em Assembléia Extraordinária realizada em 18 de dezembro de 2004. Capítulo I Da Fundação - Denominação - Fins e Sede Art. 1º - A Associação

Leia mais

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Vitória da Conquista, Sala de Reuniões do CONSU, 14 de agosto de 2013.

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Vitória da Conquista, Sala de Reuniões do CONSU, 14 de agosto de 2013. Salvador, Bahia Quarta-feira 4 de Setembro de 2013 Ano XCVII N o 21.227 RES. RESOLUÇÃO CONSU N.º 07/2013 O Conselho Universitário - CONSU da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB, no uso de

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Curso de Bacharelado em Estatística RESOLUÇÃO N o 01/2011, DO COLEGIADO DO CURSO DE BACHARELADO EM ESTATÍSTICA Regulamenta a composição, as competências

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA PARA O ESTUDO DA DOR-APED. ESTATUTOS (aprovados em Assembleia Geral de 25 de Janeiro de 2002)

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA PARA O ESTUDO DA DOR-APED. ESTATUTOS (aprovados em Assembleia Geral de 25 de Janeiro de 2002) ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA PARA O ESTUDO DA DOR-APED ESTATUTOS (aprovados em Assembleia Geral de 25 de Janeiro de 2002) OBJECTIVOS e SEDE Artigo 1º Parágrafo 1. A Associação Portuguesa para o Estudo da Dor,

Leia mais

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 444, DE 17 DE OUTUBRO DE 2014

PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 444, DE 17 DE OUTUBRO DE 2014 PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 444, DE 17 DE OUTUBRO DE 2014 Aprova o Regimento Interno da Comissão Gestora do Sistema Integrado de Comércio Exterior - SISCOMEX, criada pelo Decreto nº 660, de 25 de setembro

Leia mais

EDITAL Nº 13, DE 01 DE JULHO DE REPRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA NA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DO CAMPUS VACARIA DO IFRS

EDITAL Nº 13, DE 01 DE JULHO DE REPRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA NA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DO CAMPUS VACARIA DO IFRS EDITAL Nº 13, DE 01 DE JULHO DE 2016. REPRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA NA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DO CAMPUS VACARIA DO IFRS A Comissão Eleitoral Permanente, nomeada pela portaria 14/2016

Leia mais

Regimento dos Representantes dos Pais e Encarregados de Educação da Turma

Regimento dos Representantes dos Pais e Encarregados de Educação da Turma Regimento dos Representantes dos Pais e Encarregados de Educação da Turma.é nomeado/eleito na primeira reunião de Pais e Encarregados de Educação da Turma; Tem participação nos Conselhos de Turma; É a

Leia mais

REGULAMENTO DO FÓRUM DE DIRIGENTES MUNICIPAIS DE CULTURA DA BAHIA

REGULAMENTO DO FÓRUM DE DIRIGENTES MUNICIPAIS DE CULTURA DA BAHIA REGULAMENTO DO FÓRUM DE DIRIGENTES MUNICIPAIS DE CULTURA DA BAHIA Art. 1º O FÓRUM DE DIRIGENTES MUNICIPAIS DE CULTURA DA BAHIA, criado em 08 de maio de 2007, também designado como FÓRUM DE CULTURA DA BAHIA,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE PESSOAS E REMUNERAÇÃO DA BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A. CAPÍTULO I OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE PESSOAS E REMUNERAÇÃO DA BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A. CAPÍTULO I OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE PESSOAS E REMUNERAÇÃO DA BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A. CAPÍTULO I OBJETIVOS Artigo 1º. Este Regimento Interno ( Regimento ) tem por escopo disciplinar o funcionamento do Comitê

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSUNI Nº 28/2014

RESOLUÇÃO CONSUNI Nº 28/2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS RESOLUÇÃO CONSUNI Nº 28/2014 Cria o Laboratório de Análises Clínicas e Ensino em Saúde, Órgão Complementar do Instituto de Ciências Biológicas, e aprova

Leia mais

Associação Alentejo de Excelência ESTATUTOS. Artigo 1º Denominação, Sede e Duração

Associação Alentejo de Excelência ESTATUTOS. Artigo 1º Denominação, Sede e Duração Associação Alentejo de Excelência ESTATUTOS Artigo 1º Denominação, Sede e Duração 1. A associação, sem fins lucrativos, adopta a denominação de Alentejo de Excelência - Associação para a Competitividade,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO TÉCNICO - ARCO

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO TÉCNICO - ARCO Art. 1º O presente regimento interno visa regulamentar as normas e procedimentos do Conselho Técnico da ARCO - CDT e poderá ser revisado e alterado anualmente por deliberação da maioria simples dos seus

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA ASSEMBLEIA DE PARCEIROS DO GRUPO DE ACÇÃO LOCAL CASTELOS DO COA

REGULAMENTO INTERNO DA ASSEMBLEIA DE PARCEIROS DO GRUPO DE ACÇÃO LOCAL CASTELOS DO COA REGULAMENTO INTERNO DA ASSEMBLEIA DE PARCEIROS DO GRUPO DE ACÇÃO LOCAL CASTELOS DO COA PRINCÍPIOS GERAIS O presente regulamento define as normas de funcionamento da Assembleia de Parceiros do Grupo de

Leia mais

PROINFÂNCIA Fórum Nacional dos Membros do Ministério Público da Infância e Adolescência REGIMENTO INTERNO

PROINFÂNCIA Fórum Nacional dos Membros do Ministério Público da Infância e Adolescência REGIMENTO INTERNO REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I Da natureza, da finalidade e da sede Art. 1º - O PROINFÂNCIA Fórum Nacional dos Membros do Ministério Público da Infância e Adolescência - é uma instância de integração, discussão

Leia mais

ESTATUTO Modelo de Organização da Sociedade Civil de Interesse Público - OSCIP CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

ESTATUTO Modelo de Organização da Sociedade Civil de Interesse Público - OSCIP CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS LEGENDA Texto em NEGRITO: Claúsulas que devem necessariamente constar do Estatuto, por força da Lei nº 9.790/99. Texto em Itálico: observações pertinentes ESTATUTO Modelo de Organização da Sociedade Civil

Leia mais

ESTATUTO DO GRUPO DO LEITE UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS

ESTATUTO DO GRUPO DO LEITE UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS ESTATUTO DO GRUPO DO LEITE UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS Art.1 - O GRUPO DO LEITE, da Universidade Federal de Lavras (UFLA), entidade civil, apartidária, sem fins lucrativos,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE USUÁRIOS SAÚDE CAIXA CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADE

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE USUÁRIOS SAÚDE CAIXA CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADE Anexo I do Acordo Coletivo de Trabalho, Aditivo à CCT Convenção Coletiva de Trabalho 2007/2008 Celebrado entre a CAIXA e a CONTRAF/CUT Conforme Cláusula 23, parágrafo 14 REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DE

Leia mais

DELIBERAÇÃO CES Nº 150 DE 04 DE ABRIL DE 2016

DELIBERAÇÃO CES Nº 150 DE 04 DE ABRIL DE 2016 DELIBERAÇÃO CES Nº 150 DE 04 DE ABRIL DE 2016 APROVA O REGIMENTO DA TERCEIRA PLENÁRIA ELEITORAL COMPLEMENTAR DO CONSELHO ESTADUAL DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO, PARA O TRIÊNIO 2014/2016. O CONSELHO ESTADUAL

Leia mais

Conforme os Estatutos da Associação Brasileira de Estudos Populacionais ABEP, em seus artigos seguintes estabelece:

Conforme os Estatutos da Associação Brasileira de Estudos Populacionais ABEP, em seus artigos seguintes estabelece: Normas e Regulamentos do Processo Eleitoral para a Diretoria, Conselho Fiscal e Membros do Conselho Consultivo da Associação Brasileira de Estudos Populacionais (ABEP) Biênio 2015-2016. Em conformidade

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 033/2014, DE 30 DE ABRIL DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 033/2014, DE 30 DE ABRIL DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Conselho Superior Rua Ciomara Amaral de Paula, 167 Bairro Medicina 37550-000 - Pouso Alegre/MG Fone: (35)

Leia mais

Regulamento do Processo Eleitoral para o Conselho Geral

Regulamento do Processo Eleitoral para o Conselho Geral Regulamento do Processo Eleitoral para o Conselho Geral Artigo 1º Objeto 1. O presente Regulamento aplica-se exclusivamente ao processo eleitoral para os membros do Conselho Geral, de acordo com o regime

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS EI Nº 1421/2011 DATA: 15 de fevereiro de 2011 SÚMULA: Cria o Conselho Gestor do Telecentro Comunitário do Município de Sinop/MT e dá outras providências. JUAREZ COSTA, PREFEITO MUNICIPAL DE SINOP, ESTADO

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ADVOCACIA DE MATO GROSSO REGIMENTO INTERNO CAPITULO I DENOMINAÇÃO, OBJETIVOS E SEDE

ESCOLA SUPERIOR DE ADVOCACIA DE MATO GROSSO REGIMENTO INTERNO CAPITULO I DENOMINAÇÃO, OBJETIVOS E SEDE ESCOLA SUPERIOR DE ADVOCACIA DE MATO GROSSO REGIMENTO INTERNO CAPITULO I DENOMINAÇÃO, OBJETIVOS E SEDE Art. 1º. A Escola Superior de Advocacia de Mato Grosso, estabelecida na 2ª Avenida Transversal do

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS DA CIELO S.A. ( Regimento )

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS DA CIELO S.A. ( Regimento ) REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS DA CIELO S.A. ( Regimento ) I DEFINIÇÃO Este Regimento Interno, organizado em conformidade com o Capítulo VI do Estatuto Social da Cielo S.A. ( Companhia ), estabelece

Leia mais

ANO LETIVO 2014/2015 REGIMENTO DO CONSELHO DE DOCENTES 1º CEB

ANO LETIVO 2014/2015 REGIMENTO DO CONSELHO DE DOCENTES 1º CEB ANO LETIVO 2014/2015 REGIMENTO DO CONSELHO DE DOCENTES 1º CEB 1 Preâmbulo O Conselho de Docentes do 1.º ciclo do ensino básico é uma estrutura constituída para efeitos de avaliação dos alunos. Artigo 1.º

Leia mais

Cria o Conselho Municipal de Habitação de Interesse Social e dá outras providências.

Cria o Conselho Municipal de Habitação de Interesse Social e dá outras providências. Fone: (77)3621- PROJETO DE LEI Nº 05/2010, DE 26 DE MARÇO DE 2010. Cria o Conselho Municipal de Habitação de Interesse Social e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE COTEGIPE, ESTADO DA BAHIA,

Leia mais

Manual. Representantes dos pais e encarregados de educação da turma e da sala

Manual. Representantes dos pais e encarregados de educação da turma e da sala Manual Representantes dos pais e encarregados de educação da turma e da sala Reuniões de Turma As reuniões com os diretores de turma (no 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e no ensino secundário) ou com

Leia mais

GRUPO DE ESTUDOS MULTIDISCIPLINAR DA USINA HIDRELÉTRICA MAUÁ GEM MAUÁ REGIMENTO INTERNO JUNHO DE 2010

GRUPO DE ESTUDOS MULTIDISCIPLINAR DA USINA HIDRELÉTRICA MAUÁ GEM MAUÁ REGIMENTO INTERNO JUNHO DE 2010 1 GRUPO DE ESTUDOS MULTIDISCIPLINAR DA USINA HIDRELÉTRICA MAUÁ GEM MAUÁ REGIMENTO INTERNO JUNHO DE 2010 2 1. OBJETIVO Estabelecer através deste Regimento Interno, normas para a organização e o funcionamento

Leia mais

REGISTO DE ALTERAÇÕES

REGISTO DE ALTERAÇÕES Versão Nº REGISTO DE ALTERAÇÕES Data de elaboração Data de divulgação 1 2008.07.23 2008.08.01 2 2012.02.15 2012.06.01 Elaborado por António Gomes, Celeste Mendes, Carlos Falcão, Ganda Cêncio, Herculana

Leia mais