CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 01/2015 CADERNO DE PROVA ENGENHEIRO CIVIL INSTRUÇÕES AO CANDIDATO:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 01/2015 CADERNO DE PROVA ENGENHEIRO CIVIL INSTRUÇÕES AO CANDIDATO:"

Transcrição

1 CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 01/2015 CADERNO DE PROVA ENGENHEIRO CIVIL INSTRUÇÕES AO CANDIDATO: 1- CONFIRA SEU NOME E CARGO NO CARTÃO-RESPOSTA. 2- ASSINE O CARTÃO-RESPOSTA. 3- CONFIRA SEU CADERNO DE PROVAS: COMUNIQUE IMEDIATAMENTE AO FISCAL SE HOUVER QUALQUER IRREGULARIDADE, TAIS COMO IMPERFEIÇÕES GRÁFICAS OU SE A SEQUÊNCIA DE QUESTÕES NÃO ESTÁ CORRETA. 4- NÃO É PERMITIDO QUALQUER TIPO DE CONSULTA DURANTE A REALIZAÇÃO DA PROVA. 5- NÃO É PERMITIDO QUALQUER TIPO DE PERGUNTA AOS FISCAIS QUANTO À INTERPRETAÇÃO DAS QUESTÕES. 6- NÃO AMASSE, DOBRE OU MANCHE O CARTÃO-RESPOSTA, ELE NÃO SERÁ SUBSTITUÍDO. 7- ASSINALE APENAS UMA ALTERNATIVA EM CADA QUESTÃO. 8- É PROIBIDO O USO DE CELULARES E DEMAIS APARELHOS ELETRÔNICOS, SOB PENA DE DESCLASSIFICAÇÃO, OS PERTENCES DO CANDIDATO DEVEM SER ACONDICIONADOS EMBAIXO DA CARTEIRA OU EMBAIXO DA CADEIRA, DESLIGADOS. 9- PREENCHA COMPLETAMENTE O QUADRINHO DA ALTERNATIVA NO CARTÃO-RESPOSTA, COMO NO EXEMPLO A SEGUIR: 10- SÓ ENTREGUE A PROVA APÓS TRANSCORRIDOS 45 (QUARENTA E CINCO) MINUTOS DO SEU INÍCIO. 11- APÓS O PERÍODO MÍNIMO, AO TERMINAR A PROVA, O CANDIDATO DEVE SE RETIRAR IMEDIATAMENTE DO LOCAL DE REALIZAÇÃO DE PROVAS, EM SILÊNCIO, SOB PENA DE DESCLASSIFICAÇÃO. 12- NÃO SERÁ PERMITIDO AO CANDIDATO QUE TERMINOU A PROVA FAZER USO DO BANHEIRO, POIS O MESMO DEVE SE RETIRAR IMEDIATAMENTE DO LOCAL DE PROVAS. O USO DO BANHEIRO SÓ É PERMITIDO DURANTE A REALIZAÇÃO DA PROVA, SENDO QUE O SEU USO SERÁ DE UM CANDIDATO POR VEZ, ACOMPANHADO DE FISCAL. 13- OS TRÊS ÚLTIMOS CANDIDATOS DEVERÃO ASSINAR O TERMO DE ENCERRAMENTO DA PROVA, LACRAR O ENVELOPE E RETIRAR-SE SIMULTANEAMENTE DA SALA DE PROVAS. BOA PROVA. Rio do Campo, 12 de abril de

2 LÍNGUA PORTUGUESA LEIA O TEXTO A SEGUIR E RESPONDA ÀS QUESTÕES 01 e 02. SMS NÃO PIORA ORTOGRAFIA DOS ADOLESCENTES, DIZ ESTUDO As mensagens de texto não têm influência negativa sobre a ortografia dos estudantes e ainda oferecem uma oportunidade adicional para a prática da escrita, afirma um estudo realizado por pesquisadores franceses. "É o nível geral da ortografia dos alunos que determina o tipo de erros presentes no SMS, e não o contrário", resume o Centro de Pesquisa sobre a Cognição e a Aprendizagem (CNRS/ Université de Poitiers/Université François Rabelais de Tours) em um comunicado divulgado nesta terça-feira. O estudo se baseia em mensagens escritas por 19 jovens de 12 anos que não possuíam telefone celular antes do início da pesquisa. As abreviações ou variações e aproximações ortográficas de uma palavra em relação à escrita tradicional utilizadas nos SMS são frequentemente apontadas pelos pais e professores como a causa das dificuldades de ortografia entre os estudantes. Esse estudo mostra que, quando os jovens começam a escrever SMS, "é o nível de escrita tradicional que determina a forma dos SMS enviados, e não os SMS que influenciam negativamente a ortografia tradicional". E quando a prática do envio de SMS já está enraizada, após um ano, "não há nenhuma ligação entre o nível de ortografia tradicional e a forma dos SMS", asseguram os pesquisadores. "Ao contrário dos temores muitas vezes expressados, são bons alunos os que fazem um monte de abreviações com o código ortográfico tradicional e os menos bons as praticam menos", segundo o CNRS. Longe de ser uma ameaça para o nível de ortografia da juventude, os SMS são, portanto, "uma chance nova e adicional para praticar a expressão escrita". Além disso, a escrita tradicional ensinada na escola e as mensagens de texto redigidas fora de qualquer quadro institucional "dependem das mesmas habilidades cognitivas", garantem os pesquisadores. Estudos recentes sobre a língua inglesa e finlandesa também demonstraram que não havia ligação entre o nível ortográfico dos alunos com idades entre 9 e 12 anos e os "erros" nos SMS. Uma vez que o celular e o SMS são usados com facilidade e entusiasmo por adolescentes, "eles poderiam ser usados como um suporte de aprendizado escolar, ideia que a Unesco já havia defendido em 2010", acreditam os pesquisadores. Fonte: Disponível em:< Acesso em: 04 abr ) Sobre o texto, é correto afirmar: a) Os erros cometidos pelos jovens são influenciados pelo SMS; b) O SMS é mais uma ferramenta para a prática da escrita; c) Os maus alunos fazem muitas abreviações com o código ortográfico; d) O SMS é uma ameaça para a ortografia. 2) Segundo o texto, os erros presentes nos SMS são oriundos de: a) Abreviações; b) Ausência de celulares; c) Frequência com que usam o SMS; d) Nível geral da ortografia dos alunos. 3) Assinale a alternativa que contém um determinante demonstrativo: a) Meu; b) Minhas; c) O próprio; d) Nosso. 4) Assinale a alternativa que contém um adjetivo substantivado: a) Aquele aluno era bom; b) No mundo ainda existem bons homens; c) Os bons chegarão primeiro; d) Pedro é um bom marido. 5) Leia o período a seguir e responda ao que se pede: Os irmãos, Pedro e Paulo, foram premiados com um carro. O núcleo do sujeito do período é: a) Irmãos; b) Pedro e Paulo; c) Os Irmãos; d) Os irmãos Pedro e Paulo.

3 6) Na frase Eles queriam roupas novas o sujeito deve ser classificado em: a) Simples; b) Determinado; c) Indeterminado; d) Oculto. 7) Dependendo da colocação dos pronomes oblíquos átonos, a colocação pronominal recebe o nome de, exceto: a) Próclise; b) Mesóclise; c) Ênclise; d) Póstise. 8) Complete a frase a seguir com a alternativa correta: Toda palavra deve ser acentuada. a) Proparoxítona; b) Paroxítona; c) Oxítona; d) Tônica. 9) Assinale a alternativa que não apresenta uma figura de linguagem: a) Assíndeto; b) Pleonasmo; c) Predicado; d) Anáfora. 10) Sobre DENOTAÇÃO, é correto afirmar: a) Expressa algo falso; b) Expressa algo no sentido real, do dicionário; c) Expressa algo irreal; d) Expressa algo que só é verdadeiro na ficção. MATEMÁTICA 11) Um produto que custa R$ 75,00 terá um aumento de 32% em seu custo. O custo deste produto passará a ser de: a) R$ 83,00; b) R$ 99,00; c) R$ 107,00; d) R$ 108,00. 12) Uma turma possui 12 professores, sendo que, 4 destes, são homens. Para definir qual professor seria o regente da turma, colocou-se em uma urna os nomes dos doze professores e fez-se um sorteio. Tendo cada professor as mesmas chances de ser sorteado, a probabilidade do regente desta turma ser uma mulher é: a) 1/8; b) 2/3; c) 1/12; d) 3/4. 13) Um professor utiliza a média ponderada para estabelecer a média final de seus alunos. A tabela a seguir demonstra as avaliações que um de seus alunos realizou durante o bimestre, acompanhadas de seus pesos e notas. AVALIAÇÃO PESO NOTA A 3 4,0 B 2 7,0 C 2 8,0 D 1 9,0 A média ponderada deste aluno é: a) 6,38; b) 7,00; c) 7,50; d) 8,00. 14) O consumo médio de água de uma residência, em março, foi de 30 m 3, 20% acima do seu consumo médio. O consumo médio desta residência é: a) 10 m 3 ; b) 20 m 3 ; c) 25 m 3 ; d) 36 m 3. 15) O conjunto solução da equação x 2 3x 28 = 0 é: a) ( 4, 7); b) ( 3, 4); c) ( 7, 7); d) ( 4, 4). CONHECIMENTOS GERAIS 16) Um fato de relevância nacional acontecido em Santa Catarina foi a Guerra do Contestado ( ), um dos maiores conflitos sociais da história do país. O que desencadeou a revolta do povo foi a concessão de terras que o governo brasileiro fez a uma empresa dos Estados Unidos, a Brazil Railway Company, que em troca da construção da estrada de ferro entre as cidades de e Santa Maria

4 (RS), poderia explorar uma faixa de 30 km ao longo da ferrovia. As famílias que viviam nessas terras foram desalojadas; puderam trabalhar na construção da ferrovia, mas acabaram sem emprego e sem terras ao final da obra. Assinale a alternativa que completa corretamente a lacuna: a) São Paulo (SP); b) Rio de Janeiro (RJ); c) Belo Horizonte (MG); d) Belém (PA). 17) Ao analisarmos o crescimento populacional brasileiro, principalmente da década de 1980 até os dias atuais, podemos afirmar que: 19) A maior bacia hidrográfica inteiramente brasileira, ou seja, localizada inteiramente em território brasileiro, é a: a) Bacia Amazônica; b) Bacia do São Francisco; c) Bacia do Tocantins-Araguaia; d) Bacia do Prata. 20) Das alternativas apresentadas abaixo, assinale aquela que possui o entendimento mais completo para: país desenvolvido: a) país com muito boa situação econômica e social; b) país que possui elevado crescimento econômico nas últimas décadas; c) país industrializado; d) país com IDH Índice de Desenvolvimento Humano superior a 0,500 pontos. CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS a) A população brasileira vem diminuindo; b) Está ocorrendo uma diminuição da taxa de crescimento da população brasileira; c) O crescimento da população brasileira está mais elevado; d) O crescimento da população brasileira mostra-se estável. 18) De toda a água doce consumida no planeta, em média 70% são destinadas às atividades agrícolas, 20% às atividades industriais e 10% às residenciais. Essa distribuição, no entanto, é variável conforme o nível de desenvolvimento do país. Assinale a alternativa que apresenta a produção com maior consumo de água, dentre as alternativas a seguir: a) açúcar; b) alumínio; c) papel; d) cerveja. 21) O dimensionamento do sistema de esgoto de um ginásio de esportes resultou numa tubulação com diâmetro de 75 mm, em PVC. Numa das visitas à obra foi constatado que a tubulação, cujo comprimento era de 18 metros, apresentava um desnível de 36 centímetros. De acordo com a NBR 8160/99, é correto afirmar que: a) A declividade encontrada foi de 2%, portanto insuficiente; b) A declividade encontrada foi de 0,5%, portanto insuficiente; c) A declividade encontrada foi de 2%, o dobro da recomendada; d) A declividade encontrada foi de 2%, portanto suficiente. 22) No uso das boas técnicas de engenharia e construção faz-se uso do encunhamento da alvenaria, em geral na sua parte superior. Essa atividade tem como principal objetivo: a) Aumentar a estabilidade do painel de alvenaria executado; b) Melhorar o acabamento junto à estrutura inclinada do telhado; c) Evitar a fissuração que poderia surgir ao redor de aberturas de portas e janelas; d) Permitir que sejam corrigidos pequenos problemas de prumo e alinhamento. 23) De acordo com a NBR 8160/99, em seu item , a qualidade dos sistemas prediais de esgoto deve ser garantida por uma série de ações.

5 Marque, a seguir, a ação que NÃO é citada pela norma: a) Verificação do atendimento ao projeto; b) Verificação do atendimento às normas; c) registro das alterações efetuadas, de modo a possibilitar a elaboração do projeto como construído ; d) verificação da estanqueidade do sistema. 24) Na execução de uma obra onde a estrutura de concreto ficará em contato direto com esgoto e águas contaminadas por alguns tipos de sais, o Cimento Portland mais indicado será do tipo: a) CP I, em razão da adição de gesso; b) CP II-F, pois adição de filler provê resistência aos sais; c) CP III, pois a adição de escória diminui sua permeabilidade; d) CP V-ARI, por ter uma moagem mais fina que os demais cimentos. 25) A NBR 6118/2014 trata do cobrimento de armaduras em estruturas de concreto. Supondo uma edificação situada numa área em que a classe de agressividade ambiental é igual a II (Moderada), é correto afirmar que um pilar externo, em concreto aparente, deve apresentar cobrimento mínimo: a) 45 mm junto às fundações e 30 mm no restante do comprimento; b) 30 mm em toda a sua extensão, mesmo que em contato com o solo; c) 45 mm junto às fundações e 25 mm no restante do comprimento; d) 45 mm em toda a extensão, pelo fato do concreto ser aparente. 26) As normas brasileiras especificam um coeficiente de dilatação térmica igual a 10-5 / C para estruturas de concreto. Considerando uma variação de temperatura de 50 C, é correto afirmar que a área de um piso de concreto armado com dimensões de 20,00 x 40,00 metros, varia: a) 0,40 m²; b) 0,16 m²; c) 0,64 m²; d) 0,80 m². 27) Em relação ao ensaio de solos pelo método SPT, é correto afirmar que: a) O martelo tem 75 kg e deve atingir diretamente uma peça denominada trépano; b) O martelo tem 65 kg e deve cair de uma altura de 65 cm sobre o trépano; c) O martelo tem 65 kg e deve possuir em sua parte inferior um coxim de madeira; d) O trépano é responsável pela coleta da amostra de solo durante o ensaio. 28) O projeto de estruturas prevê que sejam consideradas as forças devidas ao vento em edificações. A velocidade característica do vento é obtida de um mapa/gráfico que traz linhas denominadas: a) Isoietas de vento; b) Isopletas de vento; c) Isoipsas de vento; d) Isócronas de vento. 29) O AutoCAD 2010 está relacionado a um tipo de arquivo cuja extensão é CTB. Esse tipo de arquivo tem a função de: a) Armazenar dados relativos aos comandos de texto definidos pelo usuário; b) Armazenar informações dinâmicas que relacionam o arquivo de projeto a referências externas, como imagens e endereços eletrônicos; c) Armazenar coordenadas topográficas importadas diretamente de equipamentos de medição; d) Armazenar informações relativas a cores, espessuras de pena e tipos de linha para impressão. 30) Uma laje maciça de concreto armado terá espessura de 8 cm e será revestida por piso cerâmico na face superior, com peso de 0,8 kn/m². Na face inferior receberá reboco de 2,0 cm, com massa específica de 20 kn/m³. A carga acidental na laje é de 3,0 kn/m² e o peso específico do concreto é admitido como sendo de 25 kn/m³. Diante do exposto, a carga total na laje, desconsiderados quaisquer fatores de segurança, é de: a) 6,0 kn/m²; b) 6,2 kn/m²; c) 6,7 kn/m²; d) 8,3 kn/m². 31) Um pilar descarrega sobre uma sapata uma carga de 600 kn. Admitindo que a sapata seja rígida, com base quadrada de lado 2,00 metros e altura 40 cm, e que o peso específico do concreto da sapata é de 25 kn/m³, é correto afirmar que:

6 a) A pressão sobre o solo é de 1,5 kgf/cm²; b) A pressão sobre o solo é de 1,6 kgf/cm²; c) A pressão sobre o solo é de 3,2 kgf/cm²; d) A pressão sobre o solo é de 9,0 kgf/cm². 32) De acordo com a NBR 9050/2004 a área mínima para a manobra de uma cadeira de rodas num giro de 180, sem deslocamento, está inscrita num quadrilátero de: a) 1,20 x 1,20 m; b) 1,50 x 1,50 m; c) 1,20 x 1,50 m; d) 1,50 x 1,90 m. 33) Durante o caminhamento de um levantamento topográfico foram obtidos os dados da tabela: Trecho Distância (m) Ângulo (graus) Azimute (graus) O A 123, A B 192, B C 63, É correto afirmar que o azimute do trecho BC é exatamente igual a: a) ; b) ; c) ; d) ) No dimensionamento de muros de arrimo existe um esforço denominado Empuxo Ativo. É correto afirmar que o Empuxo Ativo: a) representa uma força aplicada pelo muro sobre as suas fundações, durante uma deformação; b) representa uma força que surge quando o muro se afasta de forma significativa do aterro; c) representa uma força que surge quando o muro se desloca no sentido do aterro, comprimindo-o; d) representa a ação das fundações do muro sobre o solo, na área de maior compressão. 35) De acordo com a NBR 13133/1994, uma estação total topográfica pode ser considerada de alta precisão se, além de outros fatores, ela tiver uma precisão angular: a) ± 30 ; b) ± 07 ; c) ± 05 ; d) ± ) Considerando o sistema operacional Windows 8.1, a combinação da Tecla do logotipo do Windows + W resulta em qual ação? a) Abrir o botão Pesquisar para pesquisar configurações; b) Abrir o botão Configurações; c) Abrir o botão Pesquisar para pesquisar no Windows e na Web; d) Abrir o botão Compartilhar. 37) Qual das opções abaixo não corresponde a uma versão do sistema operacional Windows? I- Windows 7. II- Windows XP. III- Windows Vista. IV - Windows Server Agora, assinale a alternativa correta: a) Somente a alternativa I está correta; b) Somente a alternativa II está correta; c) Somente a alternativa IV está correta; d) Nenhuma das alternativas está correta. 38) No Word, o atalho do teclado para selecionar todo o conteúdo do arquivo é: a) Ctrl + A; b) Ctrl + T; c) Ctrl + W; d) Ctrl + C. 39) De acordo com o Art. 7º da Lei Orgânica Municipal de Rio do Campo, ao município compete prover a tudo quanto se relacionar ao seu peculiar interesse e ao bem-estar de sua população, cabendo-lhe, entre outras, as seguintes atribuições, exceto: a) Dispor sobre a utilização e alienação de seus bens; b) Dispor sobre a concessão, permissão e autorização de serviços públicos locais; c) Criar distinções entre brasileiros, ou preferenciais em favor de qualquer pessoa de direito público interno; d) Exigir, na forma de lei, para a execução de obras e serviços, ou para o exercício de atividade potencialmente causadora de degradação do meio ambiente, estudo prévio dos respectivos impactos ambientais. 40) De acordo com o Art. 96º da Lei Orgânica Municipal de Rio do Campo, a publicação das leis e dos atos municipais far-se-á em órgãos da

7 imprensa local ou, não havendo, em órgão oficial. No caso de não haver periódicos no município, a publicação será feita: a) em órgãos da imprensa estadual; b) em meio eletrônico; c) no diário oficial do estado de Santa Catarina; d) por afixação, em local próprio e de acesso público, na sede da Prefeitura e da Câmara Municipal.

CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 01/2015 CADERNO DE PROVA PSICÓLOGO INSTRUÇÕES AO CANDIDATO:

CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 01/2015 CADERNO DE PROVA PSICÓLOGO INSTRUÇÕES AO CANDIDATO: CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 01/2015 CADERNO DE PROVA PSICÓLOGO INSTRUÇÕES AO CANDIDATO: 1- CONFIRA SEU NOME E CARGO NO CARTÃO-RESPOSTA. 2- ASSINE O CARTÃO-RESPOSTA. 3- CONFIRA SEU CADERNO DE PROVAS: COMUNIQUE

Leia mais

PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL

PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 01/2015 CADERNO DE PROVA PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL INSTRUÇÕES AO CANDIDATO: 1- CONFIRA SEU NOME E CARGO NO CARTÃO-RESPOSTA. 2- ASSINE O CARTÃO-RESPOSTA. 3- CONFIRA SEU CADERNO

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 01/2015 CADERNO DE PROVA FISIOTERAPEUTA INSTRUÇÕES AO CANDIDATO:

CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 01/2015 CADERNO DE PROVA FISIOTERAPEUTA INSTRUÇÕES AO CANDIDATO: CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 01/2015 CADERNO DE PROVA FISIOTERAPEUTA INSTRUÇÕES AO CANDIDATO: 1- CONFIRA SEU NOME E CARGO NO CARTÃO-RESPOSTA. 2- ASSINE O CARTÃO-RESPOSTA. 3- CONFIRA SEU CADERNO DE PROVAS:

Leia mais

SAPATAS ARMADAS Fundações rasas Solos arenosos

SAPATAS ARMADAS Fundações rasas Solos arenosos SAPATAS ARMADAS Fundações rasas Solos arenosos Prof. Marco Pádua Se a superestrutura do edifício for definida por um conjunto de elementos estruturais formados por lajes, vigas e pilares caracterizando

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES. Disciplina: Projeto de Estruturas. Aula 7

CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES. Disciplina: Projeto de Estruturas. Aula 7 AULA 7 CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES Disciplina: Projeto de Estruturas CLASSIFICAÇÃO DAS ARMADURAS 1 CLASSIFICAÇÃO DAS ARMADURAS ALOJAMENTO DAS ARMADURAS Armadura longitudinal (normal/flexão/torção) Armadura

Leia mais

Admissão por Transferência Facultativa 2. a Transferência Facultativa/2010 ENGENHARIA CIVIL

Admissão por Transferência Facultativa 2. a Transferência Facultativa/2010 ENGENHARIA CIVIL assinatura do(a) candidato(a) Admissão por Transferência Facultativa 2. a Transferência Facultativa/2010 Segunda Etapa Prova Dissertativa LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 1 Confira atentamente se

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO - EST 1

DESCRITIVO TÉCNICO - EST 1 DESCRITIVO TÉCNICO - EST 1 1 DESCRITIVO TÉCNICO 1.1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS Todos os cálculos e detalhamentos estão de acordo com o prescrito nas normas NBR 6118:2014 Projeto de Estruturas de Concreto -

Leia mais

Notas de aulas - Concreto Armado. Lançamento da Estrutura. Icléa Reys de Ortiz

Notas de aulas - Concreto Armado. Lançamento da Estrutura. Icléa Reys de Ortiz Notas de aulas - Concreto Armado 2 a Parte Lançamento da Estrutura Icléa Reys de Ortiz 1 1. Lançamento da Estrutura Antigamente costumava-se lançar vigas sob todas as paredes e assim as lajes ficavam menores

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONA E MUCURI DIAMANTINA MG ESTUDO DIRIGIDO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONA E MUCURI DIAMANTINA MG ESTUDO DIRIGIDO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONA E MUCURI DIAMANTINA MG ESTUDO DIRIGIDO Disciplina: Construções Rurais 2011/1 Código: AGR006/AGR007 Curso (s): Agronomia e Zootecnia

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.0 - Calçadas Externas/rampa/escada:

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.0 - Calçadas Externas/rampa/escada: PROJETO Nº 051/2013 Solicitação: Memorial Descritivo Tipo da Obra: Reforma, ampliação e adequação acesso Posto de Saúde Santa Rita Área existente: 146,95 m² Área ampliar: 7,00 m² Área calçadas e passeio:

Leia mais

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço 1 Av. Brigadeiro Faria Lima, 1685, 2º andar, conj. 2d - 01451-908 - São Paulo Fone: (11) 3097-8591 - Fax: (11) 3813-5719 - Site: www.abece.com.br E-mail: abece@abece.com.br Av. Rio Branco, 181 28º Andar

Leia mais

CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA

CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA 1 CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA I. SISTEMAS ESTRUTURAIS Podemos citar diferentes sistemas estruturais a serem adotados durante a concepção do projeto de uma edificação. A escolha

Leia mais

ANALISE DA INFLUÊNCIA DE DIFERENTES SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL NO CUSTO FINAL DE UMA ESTRUTURA EM CONCRETO ARMADO

ANALISE DA INFLUÊNCIA DE DIFERENTES SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL NO CUSTO FINAL DE UMA ESTRUTURA EM CONCRETO ARMADO Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - Como requisito parcial para obtenção do Título de Engenheiro Civil ANALISE DA INFLUÊNCIA DE DIFERENTES SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL NO CUSTO FINAL

Leia mais

Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - Como requisito parcial para obtenção do Título de Engenheiro Civil

Artigo submetido ao Curso de Engenharia Civil da UNESC - Como requisito parcial para obtenção do Título de Engenheiro Civil Como requisito parcial para obtenção do Título de Engenheiro Civil AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO DE UMA ESTRUTURA DE CONCRETO ARMADO ANALISANDO A RIGIDEZ DO ENGASTAMENTO ENTRE VIGAS E PILARES E UTILIZANDO

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS A respeito das especificações de materiais, julgue os itens a seguir. 51 Os cimentos CP III cimentos portland de alto-forno e CP IV cimento portland pozolânico são menos porosos e resistentes, sendo ideais

Leia mais

MANUAL DO FABRICANTE:

MANUAL DO FABRICANTE: MANUAL DO FABRICANTE: ALVENARIA ESTRUTURAL Características e especificações, instruções de transporte, estocagem e utilização. GESTOR: Engenheiro civil EVERTON ROBSON DOS SANTOS LISTA DE TABELAS Tabela

Leia mais

OPERADOR DE MOTONIVELADORA

OPERADOR DE MOTONIVELADORA CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 01/2014 CADERNO DE PROVA OPERADOR DE MOTONIVELADORA INSTRUÇÕES AO CANDIDATO: 1- CONFIRA SEU NOME E CARGO NO CARTÃO-RESPOSTA. 2- ASSINE O CARTÃO-RESPOSTA. 3- CONFIRA SEU CADERNO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: MONITOR DE INCLUSÃO DIGITAL CADERNO DE PROVAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: MONITOR DE INCLUSÃO DIGITAL CADERNO DE PROVAS CADERNO DE PROVAS 1 A prova terá a duração de duas horas, incluindo o tempo necessário para o preenchimento do gabarito. 2 Marque as respostas no caderno de provas, deixe para preencher o gabarito depois

Leia mais

Prefeitura Municipal de Botucatu

Prefeitura Municipal de Botucatu Prefeitura Municipal de Botucatu CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 001/2012 AUXILIAR DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS I 201 AUXILIAR DE ESCRITÓRIO 203 RECEPCIONISTA Nome do Candidato Número de Inscrição INSTRUÇÕES

Leia mais

CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA

CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA OBRA: ESTAÇÃO ELEVATÓRIA PARA ESGOTO - ELEVADO RESPONSÁVEL TÉCNICO: ENG. CIVIL MICHAEL MALLMANN MUNICÍPIO: ITAPIRANGA - SC 1 INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS Deve ser

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE VENÂNCIO AIRES PROJETO ARQUITETÔNICO ADEQUAÇÕES NA USINA DE TRIAGEM DE LIXO LINHA ESTRELA MEMORIAL DESCRITIVO 1 MEMORIAL DESCRITIVO 1. OBJETIVO: USINA DE TRIAGEM DE LIXO A presente especificação tem por objetivo estabelecer

Leia mais

CAPÍTULO IV - ALVENARIA

CAPÍTULO IV - ALVENARIA CAPÍTULO IV - ALVENARIA Alvenaria é a arte ou ofício de pedreiro ou alvanel, ou ainda, obra composta de pedras naturais ou artificiais, ligadas ou não por argamassa. Segundo ZULIAN et al. (2002) também

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE CATALÃO SECRETARIA DE 0BRAS 1.0 INTRODUÇÃO 2.0 DISPOSIÇÕES GERAIS

MEMORIAL DESCRITIVO PREFEITURA MUNICIPAL DE CATALÃO SECRETARIA DE 0BRAS 1.0 INTRODUÇÃO 2.0 DISPOSIÇÕES GERAIS MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: Nova Instalação da SEMMAC LOCAL: Rua Dr. Lamartine Pinto de Avelar, 2338. Setor Ipanema. Catalão GO TIPO DE SERVIÇO: Reforma e Ampliação. 1.0 INTRODUÇÃO A finalidade do presente

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÃO DE VOLUME DE CAIXA D'ÁGUA NA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÃO DE VOLUME DE CAIXA D'ÁGUA NA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÃO DE VOLUME DE CAIXA D'ÁGUA NA CASA DE PASSAGEM DO MUNICÍPIO DE CAÇADOR 1 SUMÁRIO SUMÁRIO 2 MEMORIAL DESCRITIVO 3 I. DADOS FÍSICOS LEGAIS 3 II. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 3 III.

Leia mais

Obra: Ampliação Câmara de Vereadores Local : VRS- 801 Almirante Tamandaré do Sul - RS Proprietário: Prefeitura Municipal de Almirante Tamandaré do Sul

Obra: Ampliação Câmara de Vereadores Local : VRS- 801 Almirante Tamandaré do Sul - RS Proprietário: Prefeitura Municipal de Almirante Tamandaré do Sul MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Ampliação Câmara de Vereadores Local : VRS- 801 Almirante Tamandaré do Sul - RS Proprietário: Prefeitura Municipal de Almirante Tamandaré do Sul 1. O presente memorial tem por

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2015 PREFEITURA MUNICIPAL DE ITIRAPINA-SP

CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2015 PREFEITURA MUNICIPAL DE ITIRAPINA-SP FISCAL DE OBRAS CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2015 PREFEITURA MUNICIPAL DE ITIRAPINA-SP Nome do (a) Candidato (a) Número de Inscrição Este caderno de questões está assim constituído: DISCIPLINAS Nº QUESTOES

Leia mais

SISTEMAS ESTRUTURAIS II

SISTEMAS ESTRUTURAIS II Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Engenharia Faculdade de Arquitetura e Urbanismo SISTEMAS ESTRUTURAIS II 2. CARGAS ATUANTES SOBRE ESTRUTURAS Professor Eduardo Giugliani

Leia mais

ASSISTENTE DE EDUCAÇÃO

ASSISTENTE DE EDUCAÇÃO CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 01/2014 CADERNO DE PROVA ASSISTENTE DE EDUCAÇÃO INSTRUÇÕES AO CANDIDATO: 1- CONFIRA SEU NOME E CARGO NO CARTÃO-RESPOSTA. 2- ASSINE O CARTÃO-RESPOSTA. 3- CONFIRA SEU CADERNO DE

Leia mais

Prova Engenheiro Civil 08/08/2010 QUESTÕES DE PORTUGUÊS MAR PORTUGUÊS

Prova Engenheiro Civil 08/08/2010 QUESTÕES DE PORTUGUÊS MAR PORTUGUÊS QUESTÕES DE PORTUGUÊS MAR PORTUGUÊS Ó Mar salgado, quanto do teu sal são lágrimas de Portugal! Por te cruzarmos, quantas mães choraram! Quantos filhos em vão rezaram! Quantas noivas ficaram por casar para

Leia mais

MANUAL DE COLOCAÇÃO. Laje Treliça. Resumo Esse material tem como objetivo auxiliar no dimensionamento, montagem e concretagem da laje.

MANUAL DE COLOCAÇÃO. Laje Treliça. Resumo Esse material tem como objetivo auxiliar no dimensionamento, montagem e concretagem da laje. MANUAL DE COLOCAÇÃO Laje Treliça Resumo Esse material tem como objetivo auxiliar no dimensionamento, montagem e concretagem da laje. Henrique. [Endereço de email] 1 VANTAGENS LAJE TRELIÇA É capaz de vencer

Leia mais

a. Efetivos b. Autônomos c. Comissionados d. Empregados

a. Efetivos b. Autônomos c. Comissionados d. Empregados CONHECIMENTOS GERAIS 5 QUESTÕES 1. Segundo o Art. 5º do Estatuto do Servidor Público Municipal de Bom Jardim da Serra, quanto às formas de provimento os cargos públicos dividem-se em, exceto: a. Efetivos

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SARAPUÍ - SP MONITOR DE TRANSPORTE ESCOLAR. 08 Matemática. 10 Informática. 06 Língua Portuguesa.

PREFEITURA MUNICIPAL DE SARAPUÍ - SP MONITOR DE TRANSPORTE ESCOLAR. 08 Matemática. 10 Informática. 06 Língua Portuguesa. CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2015 PREFEITURA MUNICIPAL DE SARAPUÍ - SP MONITOR DE TRANSPORTE ESCOLAR Nome do(a) Candidato(a) Número de Inscrição Este caderno de questões está assim constituído: DISCIPLINAS

Leia mais

LISTA 1 CS2. Cada aluno deve resolver 3 exercícios de acordo com o seu númeo FESP

LISTA 1 CS2. Cada aluno deve resolver 3 exercícios de acordo com o seu númeo FESP LISTA 1 CS2 Cada aluno deve resolver 3 exercícios de acordo com o seu númeo FESP Final 1 exercícios 3, 5, 15, 23 Final 2 exercícios 4, 6, 17, 25 Final 3- exercícios 2, 7, 18, 27 Final 4 exercícios 1 (pares),

Leia mais

INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS

INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II TIPOS Água Fria Esgoto Águas Pluviais Água Quente Incêndio

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE BOMBINHAS PROJETO PAVIMENTAÇÃO COM LAJOTAS SEXTAVADAS E DRENAGEM PLUVIAL RUA CANGERANA

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE BOMBINHAS PROJETO PAVIMENTAÇÃO COM LAJOTAS SEXTAVADAS E DRENAGEM PLUVIAL RUA CANGERANA - 1 - PROJETO PAVIMENTAÇÃO COM LAJOTAS SEXTAVADAS E DRENAGEM PLUVIAL RUA CANGERANA MUNICÍPIO DE BOMBINHAS - SC PROJETO: AMFRI Associação dos Municípios da Região da Foz do Rio Itajaí Carlos Alberto Bley

Leia mais

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara

E S T A D O D O M A T O G R O S S O. Prefeitura Municipal de Jaciara MEMORIAL DESCRITIVO REDE CEGONHA - HOSPITAL MUNICIPAL JACIARA/MT O presente memorial descritivo define diretrizes referentes à reforma do espaço destinado a Programa REDE CEGONHA no Hospital Municipal

Leia mais

Seminário Integrado sobre Direito do Urbanismo Centro de Estudos Judiciários 26-01-2012

Seminário Integrado sobre Direito do Urbanismo Centro de Estudos Judiciários 26-01-2012 Seminário Integrado sobre Direito do Urbanismo Centro de Estudos Judiciários 26-01-2012 Construção civil Execução de obras, tais como moradias, edifícios, pontes, barragens, estradas, aeroportos e outras

Leia mais

Ajudante Auxiliar de Serviços Gerais Operador de Bombas. Nível Fundamental Incompleto. Águas e Esgoto. 22.01.2012 - Tarde

Ajudante Auxiliar de Serviços Gerais Operador de Bombas. Nível Fundamental Incompleto. Águas e Esgoto. 22.01.2012 - Tarde Ajudante Auxiliar de Serviços Gerais Operador de Bombas Nível Fundamental Incompleto Águas e Esgoto 22.01.2012 - Tarde LÍNGUA PORTUGUESA AJUDANTE / AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS / OPERADOR DE BOMBAS 22.01

Leia mais

Previsão de Vida Útil da Terceira Ponte de Vitória (ES) O estudo de determinação da vida útil das estruturas de concreto da Terceira

Previsão de Vida Útil da Terceira Ponte de Vitória (ES) O estudo de determinação da vida útil das estruturas de concreto da Terceira Previsão de Vida Útil da Terceira Ponte de Vitória (ES) O estudo de determinação da vida útil das estruturas de concreto da Terceira Ponte de Vitória (ES) é um trabalho pioneiro no Brasil, principalmente

Leia mais

a) 290mm; 250mm; 200mm b) 400mm; 475mm; 350mm c) 250mm; 200mm; 330mm d) 250mm; 350mm; 200mm

a) 290mm; 250mm; 200mm b) 400mm; 475mm; 350mm c) 250mm; 200mm; 330mm d) 250mm; 350mm; 200mm Engenheiro Civil 11) O quadroabaixo mostra o volume de precipitação de água da chuva no município, nos últimos sete meses. Com base nos valores apresentados, marque a opção que corresponde aos valores

Leia mais

ESTACAS HÉLICE CONTÍNUA, PROVAS DE CARGA ESTÁTICA e ENSAIOS DINÂMICOS. Eng. Marcio Abreu de Freitas GEOFIX FUNDAÇÕES

ESTACAS HÉLICE CONTÍNUA, PROVAS DE CARGA ESTÁTICA e ENSAIOS DINÂMICOS. Eng. Marcio Abreu de Freitas GEOFIX FUNDAÇÕES 1 ESTACAS HÉLICE CONTÍNUA, PROVAS DE CARGA ESTÁTICA e ENSAIOS DINÂMICOS Eng. Marcio Abreu de Freitas GEOFIX FUNDAÇÕES 2 ÍNDICE: 1) Estacas Hélice Continua 2) Provas de Carga Estática 3) Ensaios Dinâmicos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções. Patologia das Fundações

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções. Patologia das Fundações UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções Patologia das Fundações ETAPAS IMPORTANTES: Determinar o número de furos de sondagem, bem como a sua localização; Analisar

Leia mais

Prova Objetiva Prova de Redação

Prova Objetiva Prova de Redação CAp - FUNEMAC 2014 1ª série do Ensino Médio Prova Objetiva Prova de Redação 10/11/2013 Este caderno, com 20 páginas numeradas, contém 40 questões objetivas de Língua Portuguesa e de Matemática, além da

Leia mais

CASAS TERREAS EM PAREDES DE ALVANARIA EM BLOCOS DE GESSO

CASAS TERREAS EM PAREDES DE ALVANARIA EM BLOCOS DE GESSO CASAS TERREAS EM PAREDES DE ALVANARIA EM BLOCOS DE GESSO MANUAL CONSTRUTIVO Recomendações Técnicas 1/6 1.CARACTERIZAÇÃO E RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS O sistema construtivo utilizado para construção de casas

Leia mais

2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço

2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço 23 2. Sistemas de Lajes 2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço Neste capítulo são apresentados os tipos mais comuns de sistemas de lajes utilizadas na construção civil. 2.1.1.

Leia mais

Dimensionamento dos Sistemas Prediais de Esgoto Sanitário

Dimensionamento dos Sistemas Prediais de Esgoto Sanitário AULA 15 Dimensionamento dos Sistemas Prediais de Esgoto Sanitário Vamos dimensionar as tubulações do sistema de esgoto abaixo: 1. Análise do projeto. Temos uma casa com um banheiro, área de serviço e cozinha.

Leia mais

NORMA TÉCNICA CRUZETA DE CONCRETO ARMADO DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DPE

NORMA TÉCNICA CRUZETA DE CONCRETO ARMADO DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DPE NORMA TÉCNICA DEPARTAMENTO DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DPE 1. OBJETIVO Esta norma padroniza as dimensões e estabelece as condições gerais e específicas mínimas exigíveis para o fornecimento das cruzetas

Leia mais

Ação do vento. c) calcular a pressão dinâmica q:

Ação do vento. c) calcular a pressão dinâmica q: Ação do vento Neste item são apresentados os principais procedimentos para a determinação da ação do vento sobre edificações, extraídos da NBR 6123 (ABNT, 1988). 2.3.1 Procedimentos para o cálculo das

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO - Edital N.º 001/2009 - PREFEITURA MUNICIPAL DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA. REALIZAÇÃO DA PROVA OBJETIVA: 27 de Setembro de 2009

CONCURSO PÚBLICO - Edital N.º 001/2009 - PREFEITURA MUNICIPAL DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA. REALIZAÇÃO DA PROVA OBJETIVA: 27 de Setembro de 2009 CONCURSO PÚBLICO - Edital N.º 001/2009 - PREFEITURA MUNICIPAL DE CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA REALIZAÇÃO DA PROVA OBJETIVA: 27 de Setembro de 2009 NÍVEL MÉDIO Cargo: AGENTE DE FISCALIZAÇÃO DE AMBIENTAL (SECRETARIA

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 722/2014 CADERNO DE PROVA ASSISTENTE SOCIAL INSTRUÇÕES AO CANDIDATO:

CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 722/2014 CADERNO DE PROVA ASSISTENTE SOCIAL INSTRUÇÕES AO CANDIDATO: CONCURSO PÚBLICO EDITAL Nº 722/2014 CADERNO DE PROVA ASSISTENTE SOCIAL INSTRUÇÕES AO CANDIDATO: 1- CONFIRA SEU NOME E CARGO NO CARTÃO-RESPOSTA. 2- ASSINE O CARTÃO-RESPOSTA. 3- CONFIRA SEU CADERNO DE PROVAS:

Leia mais

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I REVESTIMENTO DEFACHADA Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I FUNÇÕES DO REVESTIMENTO DE FACHADA Estanqueida de Estética CONDIÇÕES DE INÍCIO

Leia mais

CASA DA MOEDA DO BRASIL

CASA DA MOEDA DO BRASIL CASA DA MOEDA DO BRASIL SETEMBRO 2005 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este caderno, com o enunciado das 30 questões das Provas Objetivas, sem

Leia mais

ESTRUTURAS METÁLICAS

ESTRUTURAS METÁLICAS SEÇÃO DE ENSINO DE ENGENHARIA DE FORTIFICAÇÃO E CONSTRUÇÃO ESTRUTURAS METÁLICAS DIMENSIONAMENTO SEGUNDO A NBR-8800:2008 Forças devidas ao Vento em Edificações Prof Marcelo Leão Cel Prof Moniz de Aragão

Leia mais

MATERIAIS EMPREGADOS NAS REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS

MATERIAIS EMPREGADOS NAS REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS MATERIAIS EMPREGADOS NAS REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS 1 - INTRODUÇÃO. A escolha do material a empregar (tipo de tubulação) nas redes coletoras de esgotos sanitários é função das características dos esgotos,

Leia mais

Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Estruturas. Alvenaria Estrutural.

Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Estruturas. Alvenaria Estrutural. Alvenaria Estrutural Introdução CONCEITO ESTRUTURAL BÁSICO Tensões de compressão Alternativas para execução de vãos Peças em madeira ou pedra Arcos Arco simples Arco contraventado ASPECTOS HISTÓRICOS Sistema

Leia mais

ENSINO TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO NA FORMA DE ORGANIZAÇÃO ARTICULADA: INTEGRADA

ENSINO TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO NA FORMA DE ORGANIZAÇÃO ARTICULADA: INTEGRADA Edital 02-2016-1 ENSINO TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO NA FORMA DE ORGANIZAÇÃO ARTICULADA: INTEGRADA CADERNO: 1 LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES AGENDA 1 - A duração da prova é de 4 horas, já incluído o tempo de

Leia mais

MANUAL DE ENGENHARIA

MANUAL DE ENGENHARIA 02.04.2007 1/6 1. OBJETIVO Esta especificação padroniza as dimensões e estabelece as condições gerais e específicas mínimas exigíveis para o fornecimento das cruzetas de concreto armado destinadas ao suporte

Leia mais

3) Calcule o alongamento elástico da peça do esquema abaixo. Seu material tem módulo de elasticidade de 2x10 5 N/mm 2.

3) Calcule o alongamento elástico da peça do esquema abaixo. Seu material tem módulo de elasticidade de 2x10 5 N/mm 2. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CÂMPUS DE CHAPADÃO DO SUL DISCIPLINA: CONSTRUÇÕES RURAIS LISTA DE EXERCICIOS I RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS PROFESSOR: PAULO CARTERI CORADI 1) Calcule a deformação

Leia mais

MANUAL TÉCNICO Amanco Ramalfort

MANUAL TÉCNICO Amanco Ramalfort Amanco Ramalfort Desenho e Dimensões Os tubos Amanco Ramalfort foram desenvolvidos para condução de água no trecho compreendido entre o ponto de derivação da rede de distribuição de água e o kit cavalete

Leia mais

CATÁLOGO 2015 LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS PARA SUA OBRA. Metro Form System

CATÁLOGO 2015 LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS PARA SUA OBRA. Metro Form System LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS PARA SUA OBRA CATÁLOGO 2015 Metro Form System São Paulo Matriz Rua Maria Paula Motta, 239 CEP 07171-140 Guarulhos SP Brasil Fone: (11) 2431-6666 Rio de Janeiro Filial Rua Agaí,

Leia mais

Concreto Convencional

Concreto Convencional TIPOS DE CONCRETO Concreto Convencional Pode-se dizer que o Concreto Convencional é aquele sem qualquer característica especial e que é utilizado no dia a dia da construção civil. Seu abatimento (Slump)

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO O

MEMORIAL DESCRITIVO O MEMORIAL DESCRITIVO O presente memorial tem por objetivo estabelecer requisitos técnicos, definir materiais e padronizar os projetos e execuções da obra localizada na Rua Jorge Marcelino Coelho, s/n, Bairro

Leia mais

SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha

SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha Carazinho, RS, 30 de junho de 2014. APRESENTAÇÃO OBRA: Tanque Séptico Escola Municipal

Leia mais

TEMA 2 Reabilitação e reforço de estruturas

TEMA 2 Reabilitação e reforço de estruturas TEMA 2 Reabilitação e reforço de estruturas SÍNTESE DAS ANÁLISES ESTRUTURAIS REALIZADAS EM 35 EDIFÍCIOS DO CONJUNTO RESIDENCIAL ARTHUR LUNDGREN NA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE-PE José Afonso Pereira

Leia mais

Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto

Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto INTRODUÇÃO O presente trabalho tem como objetivo fornecer aos projetistas e contratantes, recomendações básicas e orientações

Leia mais

PAULUZZI BLOCOS CERÂMICOS

PAULUZZI BLOCOS CERÂMICOS Conheça a PAULUZZI BLOCOS CERÂMICOS Mais de 80 anos de experiência O imigrante italiano Giovanni Pauluzzi e seus filhos Theo e Ferrucio construíram a primeira unidade da empresa em 1928, especializada

Leia mais

PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA

PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA ECC 1008 ESTRUTURAS DE CONCRETO PRÉ-DIMENSIONAMENTO DA ESTRUTURA (Aulas 9-12) Prof. Gerson Moacyr Sisniegas Alva Algumas perguntas para reflexão... É possível obter esforços (dimensionamento) sem conhecer

Leia mais

guia de instalação cisterna vertical

guia de instalação cisterna vertical guia de instalação cisterna vertical FORTLEV CARACTERÍSTICAS FUNÇÃO Armazenar água pluvial ou água potável à temperatura ambiente. APLICAÇÃO Residências, instalações comerciais, fazendas, escolas ou qualquer

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA POLITÉCNICA Curso de Engenharia Civil Departamento de Mecânica Aplicada e Estruturas

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA POLITÉCNICA Curso de Engenharia Civil Departamento de Mecânica Aplicada e Estruturas UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA POLITÉCNICA Curso de Engenharia Civil Departamento de Mecânica Aplicada e Estruturas PROJETO DE ESTRUTURAS COM GRANDES VARANDAS EDUARDO VIEIRA DA COSTA Projeto

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DE FOSSA SÉPTICA E SUMIDOURO EM SUA CASA

INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DE FOSSA SÉPTICA E SUMIDOURO EM SUA CASA INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DE FOSSA SÉPTICA E SUMIDOURO EM SUA CASA A participação da Comunidade é fundamental Na preservação do Meio Ambiente COMPANHIA DE SANEAMENTO AMBIENTAL DO DISTRITO FEDERAL ASSESSORIA

Leia mais

Manual do Locatário ANDAIME TUBULAR Instruções para Instalação e Operação e Manutenção CARIMBO DO ASSOCIADO ANDAIMES Andaimes são estruturas metálicas tubulares para acesso à altura para trabalho aéreo

Leia mais

Caixa de Inspeção e Interligação

Caixa de Inspeção e Interligação Caixa de Inspeção e Interligação Localização no website Tigre: Obra predial Esgoto CAIXA DE INSPEÇÃO e/ou Obra predial Águas Pluviais CAIXA DE INTERLIGAÇÃO Função/Aplicação: Caixa de Inspeção: destinada

Leia mais

ESTACAS HÉLICE CONTÍNUA, PROVAS DE CARGA ESTÁTICA e ENSAIOS DINÂMICOS. Eng. Marcio Abreu de Freitas GEOFIX FUNDAÇÕES

ESTACAS HÉLICE CONTÍNUA, PROVAS DE CARGA ESTÁTICA e ENSAIOS DINÂMICOS. Eng. Marcio Abreu de Freitas GEOFIX FUNDAÇÕES 1 ESTACAS HÉLICE CONTÍNUA, PROVAS DE CARGA ESTÁTICA e ENSAIOS DINÂMICOS Eng. Marcio Abreu de Freitas GEOFIX FUNDAÇÕES 2 ÍNDICE: 1) Estacas Hélice Continua 2) Provas de Carga Estática 3) Ensaios Dinâmicos

Leia mais

Departamento de Água e Esgoto de Bauru

Departamento de Água e Esgoto de Bauru Língua Portuguesa Leia a tirinha abaixo para responder às questões de 1 a 5: a) O novo papel de parede do quarto da personagem Mônica; b) O antigo papel de parede do quarto da personagem Mônica; c) O novo

Leia mais

I N S T R U Ç Õ E S Leia ATENTAMENTE as INSTRUÇÕES abaixo, antes de iniciar a PROVA:

I N S T R U Ç Õ E S Leia ATENTAMENTE as INSTRUÇÕES abaixo, antes de iniciar a PROVA: I N S T R U Ç Õ E S Leia ATENTAMENTE as INSTRUÇÕES abaixo, antes de iniciar a PROVA: 1. Você CANDIDATO recebe, juntamente com este Caderno de Provas, o Cartão-Resposta, único e insubstituível. Confira

Leia mais

EDITAL SMEE/DAA Nº 47, DE 10 DE OUTUBRO DE 2013

EDITAL SMEE/DAA Nº 47, DE 10 DE OUTUBRO DE 2013 EDITAL SMEE/DAA Nº 47, DE 10 DE OUTUBRO DE 2013 DURVAL ORLATO, Secretário de Educação e Esportes da Prefeitura do Município de Jundiaí. Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, ------------------------------------------

Leia mais

Estruturas Metálicas. Módulo IV. Cobertura

Estruturas Metálicas. Módulo IV. Cobertura Estruturas Metálicas Módulo IV Cobertura COBERTURA 1.Considerações Gerais No módulo II já vimos ás partes que compõe a cobertura. A cobertura constitui a parte superior da construção que tem como função

Leia mais

MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO

MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO Andaime Tubo Equipado...03 Acessórios...04 Modos e Pontos de Ancoragem...05 Dicas Importantes...07 Acesso dos Andaimes...08 Informações de Segurança...09 Fotos Obras...10 Atualização

Leia mais

MINISTERIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO 23ª REGIÃO RUA E S/N, CENTRO POLÍTICO ADMINISTRATIVO, CUIABÁ - MT

MINISTERIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO 23ª REGIÃO RUA E S/N, CENTRO POLÍTICO ADMINISTRATIVO, CUIABÁ - MT MINISTERIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO 23ª REGIÃO RUA E S/N, CENTRO POLÍTICO ADMINISTRATIVO, CUIABÁ - MT MEMÓRIA DE CÁLCULO ESTRUTURA DE CONCRETO SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 1.1. Hipóteses

Leia mais

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA Caderno de Provas SEGURANÇA DO TRABALHO Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA Use apenas caneta esferográfica azul ou preta. Escreva o seu nome completo e o

Leia mais

ATENDENTE DE CRECHE. 05 Matemática. 05 Conhecimentos Específicos. 30 Total de questões 40

ATENDENTE DE CRECHE. 05 Matemática. 05 Conhecimentos Específicos. 30 Total de questões 40 CONCURSO PÚBLICO Nº 002/2015 PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHEIRO PRETO - SC ATENDENTE DE CRECHE Nome do (a) Candidato (a) Número de Inscrição Este caderno de questões está assim constituído: DISCIPLINAS Nº

Leia mais

SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO:

SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO: SISTEMA CONSTRUTIVO EM PAREDES DE CONCRETO: Adequações frente às s normas de desempenho. Marcelo Moacyr Diretor de Engenharia, Construção e Relacionamento 1 Escolha do Sistema Construtivo 2 Avaliações

Leia mais

(NOME COMPLETO EM LETRA DE FORMA) INSTRUÇÕES

(NOME COMPLETO EM LETRA DE FORMA) INSTRUÇÕES UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO CONCURSO PÚBLICO EDITAL N o 135/2011 FUNÇÃO: OFICIAL DE MANUTENÇÃO PEDREIRO (NOME COMPLETO EM LETRA DE FORMA) INSTRUÇÕES (N o DE INSCRIÇÃO)

Leia mais

NOME: INSCRIÇÃO: INSTRUÇÕES:

NOME: INSCRIÇÃO: INSTRUÇÕES: ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO CARLOS EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 001/2014 CADERNO DE PROVA OBJETIVA - TIPO 02 CARGO: PROFESSOR DE ENSINO FUNDAMENTAL ANOS INICIAIS 1º AO 5º ANO,

Leia mais

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Centro de Ensino Superior do Amapá-CEAP Curso: Arquitetura e Urbanismo Assunto: Cálculo de Pilares Prof. Ederaldo Azevedo Aula 4 e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Centro de Ensino Superior do Amapá-CEAP

Leia mais

UNIDADE 2 DIMENSIONAMENTO DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO

UNIDADE 2 DIMENSIONAMENTO DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO Universidade Federal de Pelotas Centro de Engenharias Curso de Engenharia Civil e Engenahria Agrícola UNIDADE 2 DIMENSIONAMENTO DE ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO (AULA 2 AÇÕES E SOLICITAÇÕES) Prof. Estela

Leia mais

ANEXO II Conteúdo Programático da Prova

ANEXO II Conteúdo Programático da Prova ANEXO II Conteúdo Programático da Prova CONHECIMENTOS GERAIS: ATUALIDADES Assuntos de interesse geral nas esferas: Municipal, Estadual e Nacional, Internacional, amplamente veiculados na imprensa escrita

Leia mais

Caderno de Prova PR13. Inglês. prova dissertativa. Professor de. Prefeitura Municipal de Florianópolis Secretaria Municipal de Educação

Caderno de Prova PR13. Inglês. prova dissertativa. Professor de. Prefeitura Municipal de Florianópolis Secretaria Municipal de Educação Prefeitura Municipal de Florianópolis Secretaria Municipal de Educação Edital n o 001/2009 Caderno de Prova prova dissertativa PR13 Professor de Inglês Dia: 8 de novembro de 2009 Horário: das 8 às 11 h

Leia mais

Aprova Alterações na Norma Técnica nº 005/2000-CBMDF, sobre a Central Predial de Gás Liqüefeito de Petróleo do Distrito Federal, que especificam.

Aprova Alterações na Norma Técnica nº 005/2000-CBMDF, sobre a Central Predial de Gás Liqüefeito de Petróleo do Distrito Federal, que especificam. DODF Nº 237 de 14 de dezembro de 2000. CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL PORTARIA Nº 68/2002-CBMDF, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2002 Aprova Alterações na Norma Técnica nº 005/2000-CBMDF, sobre a

Leia mais

2. INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS

2. INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Banheiros Públicos Rincão do Segredo Local: Rua Carlos Massman - Rincão do Segredo Alm. Tam. do Sul-RS Proprietário: Município de Almirante Tamandaré do Sul / RS 1. O presente

Leia mais

Microsoft Office Excel

Microsoft Office Excel 1 Microsoft Office Excel Introdução ao Excel Um dos programas mais úteis em um escritório é, sem dúvida, o Microsoft Excel. Ele é uma planilha eletrônica que permite tabelar dados, organizar formulários,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO EXECUTIVO PROTEÇÃO DE ESTRUTURAS CONTRA DESCARGAS ATMOSFÉRICAS

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO EXECUTIVO PROTEÇÃO DE ESTRUTURAS CONTRA DESCARGAS ATMOSFÉRICAS MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO EXECUTIVO PROTEÇÃO DE ESTRUTURAS CONTRA DESCARGAS ATMOSFÉRICAS Referência: Projeto: Data: MD-SPDA CER - BRASIL OUTUBRO/2013 SUMÁRIO 1 GENERALIDADES 2 DESCRIÇÃO DO PROJETO 3

Leia mais

NÍVEL FUNDAMENTAL Cargo: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE

NÍVEL FUNDAMENTAL Cargo: AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE ESTADO DO PARÁ MUNICÍPIO DE CURUÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE CURUÁ - CONCURSO PÚBLICO - Edital N.º 001/2009 REALIZAÇÃO DA PROVA OBJETIVA: 23 de Agosto de 2009 NÍVEL FUNDAMENTAL Cargo: AGENTE COMUNITÁRIO DE

Leia mais

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0022 CRUZETAS DE CONCRETO ARMADO

Leia mais

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 04. FUNDAÇÃO

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 04. FUNDAÇÃO DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 04. FUNDAÇÃO Av. Torres de Oliveira, 76 - Jaguaré CEP 05347-902 - São Paulo / SP FUNDAÇÃO 1. TIPO DE SOLO A primeira parte da casa a ser construída são suas fundações, que

Leia mais

CIMENTO PORTLAND: NOMENCLATURA

CIMENTO PORTLAND: NOMENCLATURA Pontifícia Universidade Católica de Goiás Engenharia Civil Prof.: Mayara Moraes CIMENTO PORTLAND: NOMENCLATURA TIPO CP XXX RR Cimento Portland Composição Classe - Resistência aos 28 dias(mpa) SIGLA Ex.:

Leia mais

Quanto aos esforços: compressão, tração e flexão; Flexibilidade de formas; Durabilidade; Transmissão de calor

Quanto aos esforços: compressão, tração e flexão; Flexibilidade de formas; Durabilidade; Transmissão de calor 1. CONCEITO: Produto resultante da associação íntima entre um aglomerante mais um agregado miúdo, mais um agregado graúdo e água (+ ferragens). 2. CARACTERÍSTICAS Quanto aos esforços: compressão, tração

Leia mais

1.1 DEFINIÇÕES Concreto é um material de construção proveniente da mistura, em proporção adequada, de: aglomerantes, agregados e água.

1.1 DEFINIÇÕES Concreto é um material de construção proveniente da mistura, em proporção adequada, de: aglomerantes, agregados e água. ESTRUTURAS DE CONCRETO CAPÍTULO 1 Libânio M. Pinheiro; Cassiane D. Muzardo; Sandro P. Santos Março de 2004 INTRODUÇÃO Este é o capítulo inicial de um curso cujos objetivos são: os fundamentos do concreto;

Leia mais

Aula 7 : Desenho de Ventilação

Aula 7 : Desenho de Ventilação Aula 7 : Desenho de Ventilação Definições: NBR 10821:2001, Caixilho para edificação: Janela Caixilho, geralmente envidraçado, destinado a preencher um vão, em fachadas ou não. Entre outras, sua finalidade

Leia mais