AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS REVESTIMENTOS DE FACHADAS Projeto REFA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS REVESTIMENTOS DE FACHADAS Projeto REFA"

Transcrição

1 FINEP - FNDCT/VERDE - AMARELO AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOS REVESTIMENTOS DE FACHADAS 1 Relatório de Atividades Junho / 2005 Executor: UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE Co-Executor(es): UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Interveniente(s): R. Matoso Engenharia Ltda RG Côrtes Engenharia S/A JM Construções Ltda 1

2 EQUIPE: Coordenadores: Prof. Regina Helena Ferreira de Souza - Dept. Engenharia Civil UFF Prof. Ivan Ramalho de Almeida - Dept. Engenharia Civil UFF Pesquisadores: Prof. Paulo Cesar Almeida Dept. Engenharia Civil, UFF Prof. Evandro Biassi Barbiéri - Instituto de Geociências, UFF Prof. Fernando B. Mainier Depart. Engenharia Química, UFF Prof. Helena Carasek Dept. Engenharia Civil, UFG Prof. Moacir Carvalho Dept. Engenharia Civil, UERJ Prof. José Carlos Rinelli Dept. Engenharia Civil, UERJ Prof. Ana Catarina Evangelista - Dept. Engenharia Civil, UFRJ Eng. Civil Maria do Rosário Veiga, LNEC Eng. Eletrotécnico João Palma, LNEC Aluna de Eng. Civil Lizandra Prado - Bolsista de I.C., CNPq OBJETIVOS: A pesquisa visa estudar o desempenho ao longo do tempo - por pelo menos 10 anos - dos revestimentos de concreto aparente e de alvenaria, normalmente utilizados nas fachadas prediais no Rio de Janeiro, em função da mão de obra e das condições climáticas específicas da região litorânea da Baía de Guanabara, compreender os mecanismos de degradação e buscar melhores soluções construtivas. 2

3 DESCRIÇÃO E LOCALIZAÇÃO DOS MODELOS Os modelos experimentais constituem-se de paredes de alvenaria de tijolos cerâmicos, apoiados em vigas de concreto armado e revestidos com diferentes tipos de materiais. 200 PAREDE DE ALVENARIA DE BLOCOS CERÂMICOS VIGA DE CONCRETO BLOCO DE FUNDAÇÃO DESCRIÇÃO E LOCALIZAÇÃO DOS MODELOS Os modelos ficarão expostos ao ambiente marinho e às intempéries - Estação UFF de Ensaio Natural de Revestimentos de Paredes. 3

4 DESCRIÇÃO E LOCALIZAÇÃO DOS MODELOS Com os ensaios pretende-se averiguar: a penetração de umidade nas paredes a penetração de dióxido de carbono e de cloretos na superfície das vigas. As condições ambientais serão monitoradas com registros constantes, obtidos por estação meteorológica. TIPOS DE REVESTIMENTOS ESTUDADOS argamassas prontas argamassas monocamada argamassas de cimento fabricadas em canteiro, considerando diferentes composições (com ou sem adição de cal ou de aditivo) Para o acabamento final são testados tintas e texturas de cores claras, materiais cerâmicos e pedras ornamentais. Nas superfícies de concreto das vigas serão testados revestimentos protetores específicos para o concreto armado - hidrofugantes e vernizes acrílicos. 4

5 Detalhamento das paredes: Parede 1: rev. argamassa (cimento:cal:areia) fabricada em canteiro; acabamento em tinta Parede 2: rev. argamassa pronta de cal; acabamento em tinta Parede 3: rev. argamassa (cimento:areia + aditivo) fabricada em canteiro; acabamento em tinta Parede 4: rev. argamassa (cimento:areia + aditivo) fabricada em canteiro; acabamento em textura Parede 5: rev. argamassa fabricada em canteiro, com emboço e reboco; acabamento em tinta Parede 6: rev. argamassa pronta (fabricante1); acabamento em tinta e textura Parede 7: rev. argamassa pronta (fabricante2); acabamento em tinta e textura Parede 8: revestimento com argamassa monocamada; Parede 9: rev. argamassa fabricada em canteiro; acabamento em pastilhas Parede 10: rev. argamassa fabricada em canteiro; acabamento em cerâmica Parede 11: rev. argamassa fabricada em canteiro; acabamento em porcelanato Parede 12: rev. argamassa fabricada em canteiro; acabamento em mármore ou granito ENSAIOS E MEDIÇÕES a) Caracterização dos Materiais Ensaios de curta duração Tijolos Cerâmicos: determinação da massa e da absorção de água. Argamassas: resistência à compressão, retração, absorção de água, permeabilidade, retenção de água. Concreto: resistência à compressão, retração, resistência à névoa salina, permeabilidade. 5

6 ENSAIOS E MEDIÇÕES b) Ensaios sobre as paredes Ensaios de longa duração Determinação do perfil de umedecimento na espessura do revestimento devido à penetração da água da chuva, o teor de umidade superficial, a aderência dos revestimentos, a formação e a evolução das manchas de umidade e o aparecimento de fissuras, colonização biológica, alteração cromática, efeitos da poluição, etc. ENSAIOS E MEDIÇÕES c) Ensaios sobre o concreto aparente das vigas Ensaios de longa duração Nas vigas será avaliada a penetração de cloretos e de CO 2, colhendo-se amostras do pó de concreto em diferentes profundidades, a partir da superfície. 6

7 ENSAIOS E MEDIÇÕES d) Avaliação do Ambiente Ensaios de longa duração Dados relativos às condições atmosféricas como a temperatura e umidade relativa do ar, a precipitação de chuvas e a intensidade e velocidade do vento serão obtidos em registros constantes, na estação meteorológica existente no Campus da UFF. PRINCIPAIS ETAPAS EXECUTADAS Oficialização da demarcação da área no Campus da UFF Por ser um estudo de longa duração, o processo administrativo foi demorado com início em Julho/2002 e autorização do Magnífico Reitor, em Fevereiro/2005). Atualmente, a área está oficialmente demarcada. 7

8 Oficialização da demarcação da área no Campus da UFF PRINCIPAIS ETAPAS EXECUTADAS Prosseguimento da pesquisa bibliográfica Dentro deste item fez-se um estudo sobre os revestimentos do concreto aparente - hidrofugantes e vernizes e os revestimentos das argamassas tintas e texturas. Este estudo deu origem a uma monografia que foi apresentada no 14º Seminário de Iniciação Científica. 8

9 PRINCIPAIS ETAPAS EXECUTADAS Estabelecimento de contactos com fabricantes de materiais e equipamentos e construtores. Estes contactos permitiram definir: as especificações dos produtos a serem testados, o tipo do concreto e da alvenaria, as cerâmicas, as rochas ornamentais, as técnicas construtivas. PRINCIPAIS ETAPAS EXECUTADAS Projetos Elaboraram-se os projetos de dimensionamento, detalhamento e execução dos modelos físicos, ou seja, das vigas, pilares, sapatas e das paredes propriamente ditas. Neste trabalho contou-se com a colaboração dos alunos bolsistas de iniciação científica Rodrigo Mendes e Lizandra Azevedo. 9

10 Memória de Cálculo Desenhos 10

11 PRINCIPAIS ETAPAS EXECUTADAS Trabalho de campo Neste momento, está-se iniciando a construção dos modelos físicos, com a colaboração da empresa JM Construções Ltda, que se disponibilizou a construir as fundações e as vigas de concreto armado. Caberá à empresa RG Côrtes Engenharia S/A a construção das paredes e à empresa R.Matoso Engenharia Ltda a aplicação dos revestimentos sobre elas. PRINCIPAIS ETAPAS EXECUTADAS Aquisição do humidímetro Este equipamento, sem similar comercial, foi desenvolvido pelo Engº João Palma, do LNEC e é largamente utilizado em estudos e trabalhos deste laboratório, sob a coordenação da Engª Rosário Veiga. A título de participação, estes dois engenheiros construíram um exemplar do Humidímetro para o projeto. 11

12 Humidímetro PRINCIPAIS ETAPAS EXECUTADAS Visita ao LNEC Esta visita foi necessária para: participar dos testes de fabricação e aprender a manusear o aparelho, ver ensaios com o humidímetro em desenvolvimento naquele Laboratório, aprender a confeccionar as sondas que ficarão embutidas nos tijolos e que, ligadas ao humidímetro, permitem a leitura da penetração de umidade na parede. 12

13 PRINCIPAIS ETAPAS EXECUTADAS Confecção das Sondas As sondas que são confeccionadas de forma artesanal, estão sendo feitas por um técnico em eletricidade, e recebem em suas extremidades uma douragem para proteção anti-corrosiva, que será efetuada por uma empresa metaloquímica, já contatada. PRINCIPAIS ETAPAS EXECUTADAS Equipamentos Neste momento, está-se re-definindo os equipamentos ideais e os aparatos necessários a cada tipo de ensaio, bem como feita nova avaliação dos itens disponíveis nos laboratórios das três Universidades, a fim de minimizar os custos. Novos orçamentos foram solicitados, agora em fase de avaliação, para dar-se início a compra desses equipamentos. 13

14 PRINCIPAIS ETAPAS EXECUTADAS Aquisição de Normas Técnicas, Livros e Outras Publicações PRINCIPAIS ETAPAS EXECUTADAS Atualização e Divulgação Técnica O desenvolvimento do projeto tem levado a pesquisadora a estar em constante atualização, participando de Cursos, de Seminários e Congressos, inclusive com a apresentação e divulgação do Projeto da UFF. Participação em Bancas Examinadoras de Dissertação de Mestrado sobre este tema específico. 14

15 Divulgação Técnica Construção 2004 Divulgação Técnica Revista Construlink 15

16 PRINCIPAIS ETAPAS EXECUTADAS Divulgação do Projeto O projeto da UFF foi divulgado em Jornais da cidade do Rio de Janeiro e de Niterói. Estas reportagens dão conhecimento público à pesquisa e mostram que o tema é de interesse dos cidadãos comuns. Divulgação - Folha de Niterói, Ano X, nº 448, de 07/02/

17 Divulgação Jornal O Dia de 15/02/2004, caderno A Palavra do Universitário Divulgação - Jornal O Globo de 07/03/2004, Caderno Niterói 17

18 PRINCIPAIS RESULTADOS Trabalhos Completos apresentados e publicados em Anais de Congressos SOUZA, Regina H. F.; ALMEIDA, I. R. O projeto da UFF para avaliar o Desempenho de Revestimentos de fachadas, VI Simpósio Brasileiro de Tecnologia de Argamassas e I International Symposium on Mortars Technology, Maio de 2005, Florianópolis. SOUZA, Regina H. F.; ALMEIDA, I. R.; VERÇOSA, D.K. : Fachadas Prediais Considerações sobre o Projeto, os Materiais, a Execução, a Utilização, a Manutenção e a Deterioração, 2º Congresso Nacional da Construção, Construção 2004 Repensar a Construção, Dezembro de 2004, Porto, Portugal. SOUZA, Regina H. F.; ALMEIDA, I. R. : Demolição de um Prédio Sinistrado na Cidade de Niterói (RJ). In: XXXI Jornadas Sul Americanas de Engenharia Estrutural, 2004, Mendoza. Anais em CD ROM, PRINCIPAIS RESULTADOS Trabalhos Completos apresentados e publicados em Anais de Congressos SOUZA, Regina H. F.; CAMPOS FILHO, A. ; PALIGA, C. M. ; REAL, M. V. ; APPLETON, J. Estudo Teórico-Experimental sobre a Recuperação de Vigas de Concreto Armado com o Emprego de Argamassas Especiais. In: XXXI Jornadas Sul Americanas de Engenharia Estrutural, Mendoza. Anais em CD ROM CAMPOS FILHO, A.; SOUZA, Regina H. F. ; PALIGA, C. M. ; REAL, M. V. ; APPLETON, J.. Recuperação de Vigas de Concreto utilizando Argamassas Especiais: Estudo Teórico-Experimental. In: 46º Congresso Brasileiro do Concreto. Florianópolis, Ibracon. Anais em CD ROM v. 1. p SOUZA, Regina H. F. ; APPLETON, J. A. S.. Assessing the structural performance of repaired concrete members. In: International Conference on Performance of Construction Materials, Cairo. Anais em CD-ROM,

19 PRINCIPAIS RESULTADOS Trabalhos Completos apresentados e publicados em Anais de Congressos SOUZA, Regina H. F.; APPLETON, J.. A Utilização de Argamassas de Reparação pré-empacotadas no Comportamento Estrutural de Pilares de Concreto. XXX Jornadas Sul-Americanas de Engenharia Estrutural. Brasília. Anais em CD ROM v. 1. p M.M. Corrêa; J.C.Vinagre ; SOUZA, Regina H. F.. A Utilização da Argamassa na reparação de Pilares de Concreto Armado. 44º Congresso Brasileiro do Concreto, Belo Horizonte. Competitividade e Excelência em Concreto. IBRACON, Anais em CD ROM v. 1. p SOUZA, Regina H. F.; APPLETON, J. A. S. A Influência das Propriedades Físicas e Mecânicas dos Sistemas de Reparação no Comportamento Estrutural de Vigas de Concreto Armado Reparadas. 43º Congresso Brasileiro do Concreto, Excelência em Concreto, Foz do Iguaçu. Anais em CD ROM v. 1. p PRINCIPAIS RESULTADOS Trabalhos apresentados e Resumos publicados em Anais MENDES, R. B.T.; SOUZA, Regina H. F. Considerações sobre o desempenho de tintas e vernizes utilizados nas fachadas prediais, In: 14º Seminário de Iniciação Científica e Prêmio UFF Vasconcelos Torres de Ciência e Tecnologia, 2004, Niterói. Eduff. VERÇOSA, K.S.D.; SOUZA, Regina H. F. Inspeção Visual e Avaliação do Estado Atual do Prédio da Reitoria da UFF. In: 13º Seminário de Iniciação Científica e Prêmio Vasconcellos, 2003, Niterói. Eduff. VERÇOSA, K.S.D.; SOUZA, Regina H. F.. Durabilidade dos Revestimentos nas Estruturas de Concreto. In: 12º Seminário de Iniciação Científica e Prêmio Vasconcelos Torres, 2002, Niterói, Eduff, v. 1. p

20 PRINCIPAIS RESULTADOS Trabalhos apresentados e Resumos publicados em Anais VERÇOSA, K.D.S.; SOUZA, Regina.H.F. Durabilidade dos revestimentos nas estruturas de concreto, II Congresso Nacional de Iniciação Científica em Arquitetura e Urbanismo, CICAU, Curitiba, PERDIGÃO, B. O.; SOUZA, Regina H. F.. Avaliação Experimental do Desempenho de Pilares Reparados. In: 11º Seminário de Iniciação Científica e Prêmio Vasconcelos Torres de Ciência e Tecnologia, Niterói. Série Futuros Cientistas. EDUFF, v. 1. p PRINCIPAIS RESULTADOS Trabalhos publicados em Periódicos SOUZA, Regina H. F.; ALMEIDA, I. R.; VERÇOSA, D.K. : Fachadas Prediais Considerações sobre o Projeto, os Materiais, a Execução, a Utilização, a Manutenção e a Deterioração, Revista Internacional Construlink, ISSN , Nº 8, Vol.3, Fevereiro 2005, Lisboa. VEIGA, M. R.; SOUZA, Regina H. F. Metodologia de Avaliação da Retracção Livre das Argamassas desde a sua Moldagem. Engenharia Civil UM, Universidade do Minho, nº. 20, p , M.M. Corrêa ; J.C.Vinagre ; SOUZA, Regina H. F.. Reparação com argamassa de pilares de betão armado. Engenharia Civil UM, Guimarães, nº. 20, p. 1729,

21 PRINCIPAIS RESULTADOS Conferência Proferida SOUZA, Regina H. F.. Panorama Atual da Situação dos Sistemas de Revestimentos na Construção Civil Fluminense, In: 1º Seminário da Comunidade da Construção sobre Racionalização das Estruturas de Concreto e Revestimentos de Argamassas, patrocinado por ABCP, SINDUSCON RJ, SENAI, Rio de Janeiro, 8/7/2003. PRINCIPAIS RESULTADOS Orientações de Graduandos em Iniciação Científica Daniela Karina da Silva Verçosa, Estudo do Desempenho dos revestimentos nas estruturas de concreto, Curso de Graduação em Arquitetura da UFF, Set/01 a Jul/02. Daniela Karina da Silva Verçosa, Estudo do Desempenho dos revestimentos nas estruturas de concreto, Curso de Graduação em Arquitetura da UFF, Set/02 a Jul/03. Rodrigo Belém Trigueiro Mendes, Estudo do Desempenho das Edificações Prediais de Concreto Armado, Curso de Graduação em Engenharia Civil da UFF, Set/03 a Jul/04. 21

22 PRINCIPAIS RESULTADOS Orientações de Graduandos em Iniciação Científica Rodrigo Belém Trigueiro Mendes, Estudo do Desempenho dos Revestimentos em Paredes de Alvenaria e Concreto Aparente, Curso de Graduação em Engenharia Civil da UFF, Set/04 a Jan/05. Lizandra Prado de Azevedo, Estudo do Desempenho dos Revestimentos em Paredes de Alvenaria e Concreto Aparente, Curso de Graduação em Engenharia Civil da UFF a partir de Jan/05. PRINCIPAIS RESULTADOS Participação em Cursos, Seminários e outros Participação no Curso de Gestão em Revestimentos Racionalizados de Concreto, oferecido pela Associação Brasileira de Cimento Portland, Março, 2005, Rio de Janeiro. Participação no Seminário Debate Técnico IBRACON Lições de Areia Branca - Acidentes, Responsabilidades e Segurança das Obras Civis, promovido por IBRACON, ABECE e IBAPE, 8/12/2004, São Paulo. Participação da Comissão Examinadora de Defesa de Dissertação de Mestrado do Eng. Adriano Carvalho de Souza, intitulada "Avaliação em Obra da Permeabilidade e Absorção de Água e da Resistência de Aderência de Revestimentos de Argamassa Aplicados em Estruturas de Concreto Armado", UFG, 31/08/2004, Goiânia. 22

23 PRINCIPAIS RESULTADOS Participação em Cursos, Seminários e outros Participação da Comissão Examinadora de Defesa de Dissertação de Mestrado do Eng. Evaristo Clementino Rezende dos Santos Junior, intitulada "A Estrutura do Palácio Itamaraty: Aspectos Históricos, Científicos e Tecnológicos de Projeto, Execução, Intervenções e Proposta de Manutenção", UNB, 23/04/2004, Brasília. Participação como consultora ad Hoc da Finep, na avaliação de projetos de pesquisa no âmbito do Programa Habitare, Outubro, 2004, Rio de Janeiro. Assessoria a Órgãos de Fomento: Consultorias ad-hoc ao CNPq e à CAPES. Membro do Conselho Técnico da Revista RECUPERAR, editada por THOMASTEC - Editora de Tecnologia Aplicada Ltda, Rio de Janeiro. PRINCIPAIS RESULTADOS Divulgação do Projeto de Pesquisa Jornal O DIA de 15/02/2004, caderno A Palavra do Universitário, reportagem Prédios novos mais seguros" dá grande destaque à pesquisa. Jornal O Globo de 07/03/2004, caderno Niterói, reportagem "Crea vai propor plano para prevenir deterioração nos prédios da cidade" dá informações sobre a pesquisa da UFF. Folha de Niterói, Ano X, nº 448, de 07/02/2004, Nota sobre o projeto. 23

24 PRINCIPAIS RESULTADOS Atividades de Pesquisa Líder do Grupo de Pesquisa do CNPq - Revestimentos de Fachadas Prediais. Desempenho de Co-Líder do Grupo de Pesquisa do CNPq - Qualidade, Patologia e Reforço do Concreto Estrutural. Pesquisador do Grupo de Pesquisa do CNPq - Comportamento de estruturas de concreto armado e protendido. Pesquisador do Grupo de Pesquisa do CNPq tecnológicas em estruturas de concreto. Pesquisadora do CNPq desde Inovações COMENTÁRIOS FINAIS O convênio com a Finep e a comparticipação das Construtoras, das Universidades e do LNEC estão sendo fundamentais para a implantação do projeto. Todas as etapas do projeto estão sendo realizadas com muito cuidado e, com isso, tem-se conseguido alcançar os objetivos previstos com êxito. Espera-se que o desenrolar das outras atividades continuem ocorrendo da melhor forma possível. 24

25 OBRIGADA PELA ATENÇÃO DISPENSADA 25

O Projeto da Estação UFF de Ensaio Natural de Revestimentos de Paredes

O Projeto da Estação UFF de Ensaio Natural de Revestimentos de Paredes O Projeto da Estação UFF de Ensaio Natural de Revestimentos de Paredes Ivan Ramalho de Almeida Regina Helena F. de Souza Maria do Rosário Veiga Prof. da Universidade Federal Fluminense, Niterói (RJ) Brasil

Leia mais

VI Simpósio Brasileiro de Tecnologia de Argamassas e I International Symposium on Mortars Technology O projeto da UFF para avaliar o Desempenho de

VI Simpósio Brasileiro de Tecnologia de Argamassas e I International Symposium on Mortars Technology O projeto da UFF para avaliar o Desempenho de VI Simpósio Brasileiro de Tecnologia de Argamassas e I International Symposium on Mortars Technology O projeto da UFF para avaliar o Desempenho de Revestimentos de Fachadas Regina H.F. de Souza; Ivan R.

Leia mais

ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO DE FACHADAS EXPOSTAS À. AMBIENTE MARINHO Avaliação da Aderência

ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO DE FACHADAS EXPOSTAS À. AMBIENTE MARINHO Avaliação da Aderência ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO DE FACHADAS EXPOSTAS À AMBIENTE MARINHO Avaliação da Aderência Por: Regina Helena Ferreira de Souza Professora Dra., Titular de Estruturas, Departamento de Engenharia Civil Universidade

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO DE ARGAMASSAS USUAIS NO REVESTIMENTO DE FACHADAS PREDIAIS COMPARATIVE STUDY OF MORE USABLE MORTARS IN RENDERING BUILDING FACADES

ESTUDO COMPARATIVO DE ARGAMASSAS USUAIS NO REVESTIMENTO DE FACHADAS PREDIAIS COMPARATIVE STUDY OF MORE USABLE MORTARS IN RENDERING BUILDING FACADES ESTUDO COMPARATIVO DE ARGAMASSAS USUAIS NO REVESTIMENTO DE FACHADAS PREDIAIS COMPARATIVE STUDY OF MORE USABLE MORTARS IN RENDERING BUILDING FACADES Regina Helena F. Souza (1); Márcia D. Felício (2); Fernanda

Leia mais

ÁREA DO CONCURSO: TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL

ÁREA DO CONCURSO: TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL PONTUAÇÃO-LIMITE DOS QUESITOS DA PROVA DE TÍTULOS DO CONCURSO PARA PROVIMENTO DE VAGA DE PROFESSOR ASSISTENTE EM REGIME DE 20 HORAS SEMANAIS PARA O DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE MATERIAIS E CONSTRUÇÃO

Leia mais

IMPORTÂNCIA DA CURA NO DESEMPENHO DAS ARGAMASSAS IMPORTÂNCIA DA CURA NO DESEMPENHO DAS ARGAMASSAS

IMPORTÂNCIA DA CURA NO DESEMPENHO DAS ARGAMASSAS IMPORTÂNCIA DA CURA NO DESEMPENHO DAS ARGAMASSAS Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Departamento de Ciência e Tecnologia dos Materiais IMPORTÂNCIA DA CURA NO DESEMPENHO DAS ARGAMASSAS Prof.Dra Vanessa Silveira Silva 1 IMPORTÂNCIA DA CURA

Leia mais

ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DA FISSURAÇÃO DE REVESTIMENTOS NA DURABILIDADE DE PILARES DE FACHADAS DE EDIFÍCIOS

ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DA FISSURAÇÃO DE REVESTIMENTOS NA DURABILIDADE DE PILARES DE FACHADAS DE EDIFÍCIOS ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DA FISSURAÇÃO DE REVESTIMENTOS NA DURABILIDADE DE PILARES DE FACHADAS DE EDIFÍCIOS Turíbio J. da Silva (1); Dogmar A. de Souza Junior (2); João F. Dias (3); Gercindo Ferreira (4)

Leia mais

INFLUÊNCIA DAS ADIÇÕES MINERAIS NA CORROSÃO DE ARMADURAS INDUZIDA POR CLORETOS E POR CARBONATAÇÃO NO CONCRETO ARMADO

INFLUÊNCIA DAS ADIÇÕES MINERAIS NA CORROSÃO DE ARMADURAS INDUZIDA POR CLORETOS E POR CARBONATAÇÃO NO CONCRETO ARMADO INFLUÊNCIA DAS ADIÇÕES MINERAIS NA CORROSÃO DE ARMADURAS INDUZIDA POR CLORETOS E POR CARBONATAÇÃO NO CONCRETO ARMADO 1 OLIVEIRA, Andrielli Morais (1), CASCUDO, Oswaldo (2) Palavras chave: Corrosão, adições

Leia mais

ANÁLISE DAS PATOLOGIAS EXISTENTES NO CONJUNTO HABITACIONAL MONTE CARLO PRESIDENTE PRUDENTE

ANÁLISE DAS PATOLOGIAS EXISTENTES NO CONJUNTO HABITACIONAL MONTE CARLO PRESIDENTE PRUDENTE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 187 ANÁLISE DAS PATOLOGIAS EXISTENTES NO CONJUNTO HABITACIONAL MONTE CARLO PRESIDENTE PRUDENTE Gabriella Fernandes

Leia mais

2. REQUISITOS DAS ARGAMASSAS PARA REPARAÇÃO

2. REQUISITOS DAS ARGAMASSAS PARA REPARAÇÃO ESTUDO DE ARGAMASSAS DE CAL HIDRAULICA DE REFECHAMENTO DE JUNTAS DE PEDRAS José Domingos Costa Cimpor Argamassas Grupo Cimpor Portugal jdcosta@cimpor.com Ana Pérez Lobato Morteros de Galicia,S.L. Grupo

Leia mais

REVESTIMENTO CERÂMICOS

REVESTIMENTO CERÂMICOS SEMINÁRIOS DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS DE ENGENHARIA REALIZAÇÃO: IBAPE NACIONAL E IBAPE PR Dias 18 e 19 de setembro de 2014 Foz do Iguaçu-PR II Seminário Nacional de Perícias de Engenharia PERÍCIAS EM FACHADAS

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES GLOBAIS DE SERVIÇOS E MATERIAIS REFORMA E ADAPATAÇÃO DO PRÉDIO DA ANTIGA CPFL - GRADUAÇÃO

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES GLOBAIS DE SERVIÇOS E MATERIAIS REFORMA E ADAPATAÇÃO DO PRÉDIO DA ANTIGA CPFL - GRADUAÇÃO CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES GLOBAIS DE SERVIÇOS E MATERIAIS REFORMA E ADAPATAÇÃO DO PRÉDIO DA ANTIGA CPFL - GRADUAÇÃO INSTITUTO UNI-FAMEMA / OSCIP Marília/SP ÍNDICE 1. PRELIMINARES. 2. DEMOLIÇÕES E RETIRADAS.

Leia mais

PLANO DE DIVULGAÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO LABORATÓRIO REGIONAL DE ENGENHARIA CIVIL 2014 MARÇO ABRIL MAIO JUNHO

PLANO DE DIVULGAÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO LABORATÓRIO REGIONAL DE ENGENHARIA CIVIL 2014 MARÇO ABRIL MAIO JUNHO MARÇO Curso: Projeto Geotécnico de Acordo com os Euro códigos Data: 10 a 14 de Março de 2014 Presencial: 250 Via internet: 200 ABRIL Curso: Reabilitação Não-Estrutural de Edifícios Data: 29 a 30 de Abril

Leia mais

poder de compra x custo da construção poder de compra:

poder de compra x custo da construção poder de compra: w ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO poder de compra x custo da construção poder de compra: - Conceito Geral - Engenheiro Civil - Ph.D. (85)3244-3939 (85)9982-4969 luisalberto1@terra.com.br custo

Leia mais

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO 1a. parte: TÉCNICA Engenheiro Civil - Ph.D. 85-3244-3939 9982-4969 la99824969@yahoo.com.br skipe: la99824969 de que alvenaria

Leia mais

Estudo sobre a utilização do ensaio de dureza superficial no controle tecnológico de fundações rasas do tipo radier

Estudo sobre a utilização do ensaio de dureza superficial no controle tecnológico de fundações rasas do tipo radier PROCEDIMENTOS Estudo sobre a utilização do ensaio de dureza superficial no controle tecnológico de fundações rasas do tipo radier VALIN JR, Marcos de Oliveira(1); CUNHA DA SILVA, Roberto Sampaio (2); (1)

Leia mais

Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco 1

Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco 1 Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 7 REVESTIMENTOS VERTICAIS Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção Civil

Leia mais

MAXIJUNTA - PASTILHAS DE PORCELANA

MAXIJUNTA - PASTILHAS DE PORCELANA INDICAÇÕES: Argamassa colante de assentamento e rejuntamento simultâneo flexível, de alta adesividade, para áreas internas e externas. O Maxijunta Pastilhas de Porcelana é indicado principalmente para

Leia mais

Doutorando do Departamento de Construção Civil PCC/USP, São Paulo, SP paulo.barbosa@poli.usp.br 2

Doutorando do Departamento de Construção Civil PCC/USP, São Paulo, SP paulo.barbosa@poli.usp.br 2 Influência de ciclos de molhamento e secagem, da altura e do posicionamento de pilares no teor de íons cloreto presentes no concreto de estrutura com 30 anos de idade Paulo Barbosa 1, Paulo Helene 2, Fernanda

Leia mais

INSTITUTO ALGE DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL JANILSON CASSIANO

INSTITUTO ALGE DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL JANILSON CASSIANO CONSTRUINDO NO SISTEMA (CES) LIGHT STEEL FRAMING O sistema Light Steel Frame é caracterizado por um esqueleto estrutural leve composto por perfis de aço galvanizado que trabalham em conjunto para sustentação

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.0 - Calçadas Externas/rampa/escada:

MEMORIAL DESCRITIVO. 2.0 - Calçadas Externas/rampa/escada: PROJETO Nº 051/2013 Solicitação: Memorial Descritivo Tipo da Obra: Reforma, ampliação e adequação acesso Posto de Saúde Santa Rita Área existente: 146,95 m² Área ampliar: 7,00 m² Área calçadas e passeio:

Leia mais

Rua do Príncipe nº 526 - Boa Vista - Recife - PE CEP 50050-900 Fone: (81) 2119-4217

Rua do Príncipe nº 526 - Boa Vista - Recife - PE CEP 50050-900 Fone: (81) 2119-4217 MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DE RECUPERAÇÃO DAS FACHADAS DO BLOCO A Recife, 10 de julho de 2015 1 APRESENTAÇÃO A Universidade Católica de Pernambuco, com mais de 60 anos de história, vem contribuindo cada

Leia mais

Tecnologia da Construção I CRÉDITOS: 4 (T2-P2)

Tecnologia da Construção I CRÉDITOS: 4 (T2-P2) UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO DECANATO DE ENSINO DE GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS E REGISTRO GERAL DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS PROGRAMA ANALÍTICO DISCIPLINA CÓDIGO: IT836

Leia mais

CONSERVAÇÃO DE REVESTIMENTOS HISTÓRICOS

CONSERVAÇÃO DE REVESTIMENTOS HISTÓRICOS PONTA DELGADA, 15 NOVEMBRO CONSERVAÇÃO DE REVESTIMENTOS HISTÓRICOS 3 Maria do Rosário Veiga rveiga@lnec.pt novembro 2013 PONTA DELGADA, 15 NOVEMBRO ESTRATÉGIAS DE CONSERVAÇÃO Critérios de decisão, técnicas

Leia mais

MAXIJUNTA - 3 EM 1 PRODUTO:

MAXIJUNTA - 3 EM 1 PRODUTO: INDICAÇÕES: Argamassa colante de assentamento e rejuntamento simultâneo flexível de alta adesividade para áreas internas e externas. Assenta e rejunta pastilhas de porcelana e cerâmica até 7,5 x 7,5 cm,

Leia mais

PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA

PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA Parede de Concreto 29/04/2015 1 PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA OBJETIVO - reduzir o déficit habitacional 2009 MCMV Início do Programa 2010 MCMV I 1.000.000 de unid. contratadas 2011/14 MCMV II 2.400.000

Leia mais

GESTÃO DO CONTROLE TECNOLÓGICO DE REVESTIMENTOS. Comunidade da Construção de Vitória

GESTÃO DO CONTROLE TECNOLÓGICO DE REVESTIMENTOS. Comunidade da Construção de Vitória GESTÃO DO CONTROLE TECNOLÓGICO DE REVESTIMENTOS 1 Objetivo Utilizar o controle tecnológico como ferramenta imprescindível para execução do revestimento de argamassa e cerâmica em fachadas, aumentando a

Leia mais

concreto É unir economia e sustentabilidade.

concreto É unir economia e sustentabilidade. concreto É unir economia e sustentabilidade. A INTERBLOCK Blocos e pisos de concreto: Garantia e confiabilidade na hora de construir. Indústria de artefatos de cimento, que já chega ao mercado trazendo

Leia mais

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética REVESTIMENTO DE FACHADA Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética Documentos de referência para a execução do serviço: Projeto arquitetônico Projeto de esquadrias NR 18 20

Leia mais

LINHA de Argamassas. Uma mistura de qualidade com alta produtividade.

LINHA de Argamassas. Uma mistura de qualidade com alta produtividade. Concreto LINHA de Argamassas Uma mistura de qualidade com alta produtividade. Estabilizada 01Argamassa Projetada A evolução chegou ao canteiro de obras. Elimine etapas, corte custos e aumente o controle

Leia mais

CORROSÃO EM ESTRUTURAS DE CONCRETO. Prof. Ruy Alexandre Generoso

CORROSÃO EM ESTRUTURAS DE CONCRETO. Prof. Ruy Alexandre Generoso CORROSÃO EM ESTRUTURAS DE CONCRETO Prof. Ruy Alexandre Generoso É um dos materiais mais importantes de engenharia usado em construções. É usado nos mais variados tipos de construções tais como: barragens,

Leia mais

Revestimentos de Alto Desempenho - RAD

Revestimentos de Alto Desempenho - RAD Revestimentos de Alto Desempenho - RAD O mercado de revestimentos para pisos de concreto se desenvolveu mais expressivamente no Brasil na década de 1980. Foi nesse momento que os revestimentos autonivelantes

Leia mais

Arq. Tiago S. Ferrari Royal do Brasil Technologies S.A.

Arq. Tiago S. Ferrari Royal do Brasil Technologies S.A. Concreto PVC A Utilização do Sistema Royal para construção de casas populares. Arq. Tiago S. Ferrari Royal do Brasil Technologies S.A. O Sistema Construtivo O sistema construtivo Royal (Concreto-PVC) nasceu

Leia mais

Previsão de Vida Útil da Terceira Ponte de Vitória (ES) O estudo de determinação da vida útil das estruturas de concreto da Terceira

Previsão de Vida Útil da Terceira Ponte de Vitória (ES) O estudo de determinação da vida útil das estruturas de concreto da Terceira Previsão de Vida Útil da Terceira Ponte de Vitória (ES) O estudo de determinação da vida útil das estruturas de concreto da Terceira Ponte de Vitória (ES) é um trabalho pioneiro no Brasil, principalmente

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ADERÊNCIA DE SISTEMAS ARGAMASSADOS SOBRE MANTAS ASFÁLTICAS

AVALIAÇÃO DA ADERÊNCIA DE SISTEMAS ARGAMASSADOS SOBRE MANTAS ASFÁLTICAS AVALIAÇÃO DA ADERÊNCIA DE SISTEMAS ARGAMASSADOS SOBRE MANTAS ASFÁLTICAS IRENE DE AZEVEDO LIMA JOFFILY (1) MARCELO BRAGA PEREIRA (2) (1) Professora Mestre do UniCeub/Virtus Soluções (2) Graduando em Engenharia

Leia mais

AVALIAÇÃO COMPARATIVA DA PERDA DE ÁGUA DA ARGAMASSA PARA DIFERENTES BASES

AVALIAÇÃO COMPARATIVA DA PERDA DE ÁGUA DA ARGAMASSA PARA DIFERENTES BASES AVALIAÇÃO COMPARATIVA DA PERDA DE ÁGUA DA ARGAMASSA PARA DIFERENTES BASES Angelo Just da Costa e Silva (1); João Manoel de Freitas Mota (2); Fred Rodrigues Barbosa (3); José Orlando Vieira Filho (4) (1)

Leia mais

INSPEÇÃO E MONITORAMENTO DE EDIFÍCIOS COM ESTRUTURA EM CONCRETO ARMADO

INSPEÇÃO E MONITORAMENTO DE EDIFÍCIOS COM ESTRUTURA EM CONCRETO ARMADO INFORMAÇÕES OBJECTIVOS Detalhar e analisar a inspeção de edifícios, avaliando os fatores que a influenciam e as ferramentas disponíveis. Dar a conhecer os diferentes tipos de ensaios experimentais em edifícios,

Leia mais

ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL SISTEMA DE VEDAÇÃO Um subsistema

Leia mais

ISO 9001 : 2008. De 11/03/2013 a 15/03/2013. Local: Hotel a definir Rio de Janeiro. Carga Horária: 40 horas. Horário: Das 8h30min às 17h30min

ISO 9001 : 2008. De 11/03/2013 a 15/03/2013. Local: Hotel a definir Rio de Janeiro. Carga Horária: 40 horas. Horário: Das 8h30min às 17h30min ISO 9001 : 2008 Inspeção, Avaliação, Reforço e Recuperação das Estruturas de Concreto e Edificações De 11/03/2013 a 15/03/2013 Visita à obra do Estádio do Maracanã Local: Hotel a definir Rio de Janeiro

Leia mais

TT32 REFORÇO ESTRUTURAL COM FIBRA DE CARBONO

TT32 REFORÇO ESTRUTURAL COM FIBRA DE CARBONO TT32 REFORÇO ESTRUTURAL COM FIBRA DE CARBONO GILBERTO COURI ENGENHEIRO CIVIL (PUC/RJ), MESTRE EM CIÊNCIAS EM ENGENHARIA (PUC/RJ), DOUTORADO EM ENGENHARIA (COPPE/UFRJ). PROFESSOR TITULAR NA FACULDADE DE

Leia mais

Blocos e Alicerces CONCEITO

Blocos e Alicerces CONCEITO CONCEITO Os blocos são elementos estruturais de grande rigidez que são ligados pelas vigas baldrame. Sua profundidade varia de 0,5 a 1 metro. São utilizados quando há atuação de pequenas cargas, como em

Leia mais

5. Limitações: A argamassa Matrix Assentamento Estrutural não deve ser utilizada para assentamento de blocos silicocalcário;

5. Limitações: A argamassa Matrix Assentamento Estrutural não deve ser utilizada para assentamento de blocos silicocalcário; A argamassa Matrix Assentamento Estrutural é uma mistura homogênea de cimento Portland, agregados minerais com granulometria controlada e aditivos químicos. 3. Indicação: Excelente para assentamento de

Leia mais

A OCORRÊNCIA DE EFLORESCÊNCIA EM LOCAIS IMPERMEABILIZADOS COM MANTA ASFÁLTICA

A OCORRÊNCIA DE EFLORESCÊNCIA EM LOCAIS IMPERMEABILIZADOS COM MANTA ASFÁLTICA A OCORRÊNCIA DE EFLORESCÊNCIA EM LOCAIS IMPERMEABILIZADOS COM MANTA ASFÁLTICA IRENE DE AZEVEDO LIMA JOFFILY (1) ANA LUIZA ALVES DE OLIVEIRA (2) (1) Professora UniCeub/Virtus Soluções (2) Graduanda em Engenharia

Leia mais

Feita de isopor Construir 370 m2 em seis meses sem estourar o orçamento nem gerar entulho: valeu investir na casa

Feita de isopor Construir 370 m2 em seis meses sem estourar o orçamento nem gerar entulho: valeu investir na casa Feita de isopor Construir 370 m2 em seis meses sem estourar o orçamento nem gerar entulho: valeu investir na casa Será que é resistente? Aceita qualquer revestimento? E se molhar? Esse mar de dúvidas invade

Leia mais

IV Seminário de Iniciação Científica 372

IV Seminário de Iniciação Científica 372 IV Seminário de Iniciação Científica 372 AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE REVESTIMENTOS DE ARGAMASSA INDUSTRIALIZADA Juliane Barbosa Rosa 1,3., Renato Resende Angelim 2,3. 1 Voluntária Iniciação Científica PVIC/UEG

Leia mais

PROCEDIMENTOS RECOMENDADOS DA QUALIDADE DE CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND

PROCEDIMENTOS RECOMENDADOS DA QUALIDADE DE CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND PROCEDIMENTOS RECOMENDADOS PARA O CONTROLE TECNOLÓGICO E DA QUALIDADE DE CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND Engº.. Roberto José Falcão Bauer JUNHO / 2006 SUMÁRIO 1. DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO 2. PREMISSAS VISANDO

Leia mais

Argamassa de reparação estrutural, aplicação manual ou por projecção

Argamassa de reparação estrutural, aplicação manual ou por projecção Ficha de Produto Edição de Abril de 2011 Nº de identificação: 03.114 Versão nº 1 Sika MonoTop -412 S Argamassa de reparação estrutural, aplicação manual ou por projecção Descrição do produto Sika MonoTop

Leia mais

CONSTRUTORA A F CINTRA LTDA. Recuperação e Reforço de Estruturas Restauração de Fachadas - Impermeabilizações Pisos - Laudos Técnicos

CONSTRUTORA A F CINTRA LTDA. Recuperação e Reforço de Estruturas Restauração de Fachadas - Impermeabilizações Pisos - Laudos Técnicos Guarujá, 30 janeiro de 2014. Condomínio Edifício Tivoli Garden. Av. Atlântica, 490. Enseada Guarujá - SP. At.: Sr. Wanderley Síndico. Ref: Execução de serviços de construção de sacadas na fachada frontal,

Leia mais

ESTUDO PARA IMPERMEABILIZAÇÃO NA INTERFACE ESTRUTURA METÁLICA E ALVENARIA

ESTUDO PARA IMPERMEABILIZAÇÃO NA INTERFACE ESTRUTURA METÁLICA E ALVENARIA ESTUDO PARA IMPERMEABILIZAÇÃO NA INTERFACE ESTRUTURA METÁLICA E ALVENARIA Joel Henrique Rohr 1 Resumo: Uma das patologias existentes na construção civil são as infiltrações. Um dos pontos críticos das

Leia mais

Fabricação de blocos cerâmicos. Classificação dos materiais pétreos. Fabricação de blocos cerâmicos. Classificação dos produtos cerâmicos

Fabricação de blocos cerâmicos. Classificação dos materiais pétreos. Fabricação de blocos cerâmicos. Classificação dos produtos cerâmicos Classificação dos materiais pétreos Fabricação de blocos cerâmicos Pedras naturais: encontradas in natura, usadas normalmente após beneficiamento. Ex.: agregados, placas de rocha para revestimento. Pedras

Leia mais

Argamassa TIPOS. AC-I: Uso interno, com exceção de saunas, churrasqueiras, estufas e outros revestimentos especiais. AC-II: Uso interno e externo.

Argamassa TIPOS. AC-I: Uso interno, com exceção de saunas, churrasqueiras, estufas e outros revestimentos especiais. AC-II: Uso interno e externo. Especificações Técnicas Argamassa INDUSTRIALIZADA : Produto industrializado, constituído de aglomerantes e agregados miúdos, podendo ainda ser adicionados produtos especiais (aditivos), pigmentos com a

Leia mais

PATOLOGIAS EM ALVENARIA DE BLOCOS CERÂMICOS (2011) 1

PATOLOGIAS EM ALVENARIA DE BLOCOS CERÂMICOS (2011) 1 PATOLOGIAS EM ALVENARIA DE BLOCOS CERÂMICOS (2011) 1 RUBIN, Ariane P. 2 ; CERVO, Fernanda 3 ; PALMA, Cleomar 4 ; ALMEIDA, Leonardo 5 ; QUERUZ, Francisco 6 1 Trabalho de Pesquisa _UNIFRA 2 Curso de Arquitetura

Leia mais

MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes

MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes MACO II PUC GO Professora Mayara Moraes Argamassas NBR13281 Histórico 1º. registro de emprego na construção: Pré-História Piso polido de 180 m² feito com pedras e argamassa cal e areia: ~ 7000 a 9000

Leia mais

INCIDÊNCIAS PATOLÓGICAS EM FACHADAS E ÁREAS COMUNS DE EDIFICAÇÕES PARA ENSINO CASO DO CAMPUS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ

INCIDÊNCIAS PATOLÓGICAS EM FACHADAS E ÁREAS COMUNS DE EDIFICAÇÕES PARA ENSINO CASO DO CAMPUS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ INCIDÊNCIAS PATOLÓGICAS EM FACHADAS E ÁREAS COMUNS DE EDIFICAÇÕES PARA ENSINO CASO DO CAMPUS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ RESUMO PADARATZ, Ivo J. (1); CANOVA, José A. (2); DE MORI, Luci M. (3);

Leia mais

Prof. Marcelo Ferreira:

Prof. Marcelo Ferreira: MINI CURRICULUM IRIA LÍCIA OLIVA DONIAK Engenheira Civil, graduada pela PUC-PR em 1988,atua no setor concreto desde 86,tendo iniciado suas atividades em Laboratório de Controle Tecnológico,posteriormente

Leia mais

DETERIORAÇÃO DAS ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO

DETERIORAÇÃO DAS ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO DETERIORAÇÃO DAS ESTRUTURAS DE CONCRETO ARMADO (CAUSAS QUÍMICAS ATAQUE ÁLCALI/AGREGADO) Profa. Eliana Barreto Monteiro 1 REAÇÕES ENVOLVENDO A FORMAÇÃO DE PRODUTOS EXPANSIVOS Ataque por sulfatos Ataque

Leia mais

São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que levaria à derrubada de árvores para utilizar a madeira como combustível,

São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que levaria à derrubada de árvores para utilizar a madeira como combustível, TIJOLOS ECOLÓGICOS Casa construída com tijolos ecológicos Fonte: paoeecologia.wordpress.com TIJOLOS ECOLÓGICOS CARACTERÍSTICAS São assim denominados pois não utilizam o processo de queima cerâmica que

Leia mais

PATOLOGIA DE FACHADAS

PATOLOGIA DE FACHADAS PATOLOGIA DE FACHADAS Antônio Henrique Correa de Freitas 1 Poliana Miranda França 2 Tamiris Miranda França 2 RESUMO Este artigo tem por finalidade explorar as diversas patologias existentes em fachadas,

Leia mais

I. P. R. inovação e pesquisa para o restauro

I. P. R. inovação e pesquisa para o restauro I. P. R. inovação e pesquisa para o restauro MUSEU DA IMIGRAÇÃO Santa Bárbara d Oeste - SP Proposta de Intervenção Emergencial I. P. R. inovação e pesquisa para o restauro 2 16 MUSEU DA IMIGRAÇÃO Santa

Leia mais

CONTRIBUTO DAS ARGAMASSAS NA SUSTENTABILIDADE LISBOA 15.05.2015

CONTRIBUTO DAS ARGAMASSAS NA SUSTENTABILIDADE LISBOA 15.05.2015 CONTRIBUTO DAS ARGAMASSAS NA SUSTENTABILIDADE LISBOA 15.05.2015 ÍNDICE SOLUÇÕES EM ARGAMASSAS PARA A REABILITAÇÃO ENERGÉTICA Sobre a Secil Argamassas Perspectiva de melhoramento do conforto André Correia

Leia mais

REAPROVEITAMENTO E RECICLAGEM DE ENTULHOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO EM PASSO FUNDO, RS

REAPROVEITAMENTO E RECICLAGEM DE ENTULHOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO EM PASSO FUNDO, RS REAPROVEITAMENTO E RECICLAGEM DE ENTULHOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL: ESTUDO DE CASO EM PASSO FUNDO, RS Evanisa F. R. Q. Melo (1); Rubens M. Astolfi (2); Leunir Freitas (3); Ricardo Henryque Reginato Quevedo

Leia mais

SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO

SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO CONCEITO A tipologia estrutural composta por bloco, argamassa, graute e eventualmente armações é responsável por um dos sistemas construtivos

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL: DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE

ALVENARIA ESTRUTURAL: DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE ALVENARIA ESTRUTURAL: BLOCOS DE CONCRETO DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE O uso de alvenaria como sistema estrutural já vem sendo usado a centenas de anos, desde as grandes

Leia mais

MANUAL DO FABRICANTE:

MANUAL DO FABRICANTE: MANUAL DO FABRICANTE: ALVENARIA ESTRUTURAL Características e especificações, instruções de transporte, estocagem e utilização. GESTOR: Engenheiro civil EVERTON ROBSON DOS SANTOS LISTA DE TABELAS Tabela

Leia mais

ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais

ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais LA-J ARTEFATOS DE CIMENTO LUCAS LTDA Av. Cônsul Assaf Trad 6977 Em frente ao Shopping Bosque dos Ipês / Campo Grande MS 0800 647 1121 www.lajlucas.com.br

Leia mais

Desafios e Oportunidades para atender as demandas habitacionais. Valter Frigieri Júnor - ABCP

Desafios e Oportunidades para atender as demandas habitacionais. Valter Frigieri Júnor - ABCP Desafios e Oportunidades para atender as demandas habitacionais Valter Frigieri Júnor - ABCP A ABCP Centro Tecnológico da ABCP 15.000 m 2 de área 5.300 m 2 de edificações (60% da área destinada a laboratórios)

Leia mais

PALAVRAS CHAVE: Tijolos de solo-cimento, rochas ornamentais, absorção de água.

PALAVRAS CHAVE: Tijolos de solo-cimento, rochas ornamentais, absorção de água. ESTUDO DO FATOR ÁGUA/CIMENTO PARA A CONFECÇÃO DE TIJOLOS ECOLÓGICOS DE SOLO-CIMENTO INCORPORADOS COM RESÍDUOS GERADOS NO BENEFICIAMENTO DE ROCHAS ORNAMENTAIS Natália de Oliveira SANTIAGO 1, Djane de Fátima

Leia mais

CONSERVAÇÃO DE REVESTIMENTOS HISTÓRICOS

CONSERVAÇÃO DE REVESTIMENTOS HISTÓRICOS PONTA DELGADA, 15 NOVEMBRO CONSERVAÇÃO DE REVESTIMENTOS HISTÓRICOS 1 Maria do Rosário Veiga rveiga@lnec.pt novembro 2013 PONTA DELGADA, 15 NOVEMBRO Diagnóstico de Anomalias nãoestruturais: causas e metodologias

Leia mais

Residencial Recanto do Horizonte

Residencial Recanto do Horizonte MEMORIAL DESCRITIVO Residencial Recanto do Horizonte FUNDAÇÃO E ESTRUTURA As Fundações serão executadas de acordo com o projeto estrutural, elaborado de acordo com as normas técnicas pertinentes e baseadas

Leia mais

07/02/2014. Professor

07/02/2014. Professor UniSALESIANO Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Disciplina: Introdução à Engenharia Aspectos Gerais sobre a Eng. Eng. Dr. André Luís Gamino Professor Aspectos Gerais da

Leia mais

IGDITCC Importância da Gestão, do Desempenho e da Inovação Tecnológica na Construção Civil. Subsistema vedação vertical

IGDITCC Importância da Gestão, do Desempenho e da Inovação Tecnológica na Construção Civil. Subsistema vedação vertical PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco IGDITCC Importância da Gestão, do Desempenho e da Inovação Tecnológica na Construção Civil Aula

Leia mais

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I REVESTIMENTO DEFACHADA Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I FUNÇÕES DO REVESTIMENTO DE FACHADA Estanqueida de Estética CONDIÇÕES DE INÍCIO

Leia mais

Ganhos na Implantação de Projeto de Revestimento de Fachadas. São Paulo, 29/08/12

Ganhos na Implantação de Projeto de Revestimento de Fachadas. São Paulo, 29/08/12 Ganhos na Implantação de Projeto de Revestimento de Fachadas São Paulo, 29/08/12 HISTÓRICO DA LORENGE S.A. A Empresa fez 32 anos de existência em Janeiro/12; Empresa familiar com 6 sócios; Missão Empreender

Leia mais

QUALIDADE DO PROJETO NA CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS

QUALIDADE DO PROJETO NA CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS QUALIDADE DO PROJETO NA CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS Silvio Burrattino Melhado, Professor Doutor, Silvio.Melhado@upmf-grenoble.fr. INTRODUÇÃO Dentro de um contexto de evolução da construção de edifícios como

Leia mais

CONSTRUÇÕES RURAIS: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO. Vandoir Holtz 1

CONSTRUÇÕES RURAIS: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO. Vandoir Holtz 1 Vandoir Holtz 1 ARGAMASSA Classificação das argamassas: Segundo o emprego: Argamassas para assentamento de alvenarias. Argamassas para revestimentos; Argamassas para pisos; Argamassas para injeções. DOSAGEM

Leia mais

PATOLOGIAS NOS SISTEMAS DE REVESTIMENTOS DE FACHADAS

PATOLOGIAS NOS SISTEMAS DE REVESTIMENTOS DE FACHADAS Setembro, 2009 PATOLOGIAS NOS SISTEMAS DE REVESTIMENTOS DE FACHADAS 1 O QUE NÃO QUEREMOS: O QUE NÃO QUEREMOS, MESMO!! 2 NUNCA!!!! JAMAIS! 3 NA MINHA OBRA NÃO! Fonte:FUMEC É CADA UMA... 4 JÁ? TÃO CEDO...

Leia mais

CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO:

CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO: EMPREENDIMENTOS CHRONOS RESIDENCIAL CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO: Localizado em Novo Hamburgo RS; 18000 m² de área construída; 72 Unidades 3 e 2 dormitórios; 26 Pavimentos; Tratamento e reutilização

Leia mais

AVALIAÇÃO DO BIOCRETO COM FIBRAS MINERALIZADAS DE BAMBU RESUMO

AVALIAÇÃO DO BIOCRETO COM FIBRAS MINERALIZADAS DE BAMBU RESUMO AVALIAÇÃO DO BIOCRETO COM FIBRAS MINERALIZADAS DE BAMBU VIVIANE DA COSTA CORREIA 1, JOSÉ DAFICO ALVES 2, CÍRIO JOSÉ COSTA 3 1 Bolsista PBIC/UEG, acadêmico do curso de Engenharia Agrícola da UnUCET - UEG

Leia mais

XXXV ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO

XXXV ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO COMPARAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO TIJOLO DE SOLO-CIMENTO INCORPORADO COM RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL PROVENIENTES DE CATAGUASES - MG E O RESÍDUO DE BORRA DE TINTA PROVENIENTE DAS INDÚSTRIAS PERTENCENTES

Leia mais

Ambientes agressivos. Rodnei Corsini

Ambientes agressivos. Rodnei Corsini Ambientes agressivos Téchne 196 - Julho 2013 Projetos de estruturas de concreto expostas a ambientes quimicamente agressivos exigem atenção especial para assegurar desempenho e vida útil à edificação Rodnei

Leia mais

ENGº DANIEL GARCIA DE GARCIA LAUDO DE VISTORIA TÉCNICA - FORO DA COMARCA PELOTAS

ENGº DANIEL GARCIA DE GARCIA LAUDO DE VISTORIA TÉCNICA - FORO DA COMARCA PELOTAS ENGº DANIEL GARCIA DE GARCIA LAUDO DE VISTORIA TÉCNICA - FORO DA COMARCA PELOTAS PORTO ALEGRE MARÇO DE 2013 DADOS DO SERVIÇO: Cliente: DEAM - TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL FORO DA

Leia mais

Patologia em Revestimentos de Fachada

Patologia em Revestimentos de Fachada PATOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES Revestimentos de 1 Nome:Fernando Marques Ribeiro Matricula: 27667 Docente: Orlando Carlos B. Damin Artigo: Fonte: Editora: Ordem dos Engenheiros Região Norte / 2011 Autores: Ana

Leia mais

1.1 DEFINIÇÕES Concreto é um material de construção proveniente da mistura, em proporção adequada, de: aglomerantes, agregados e água.

1.1 DEFINIÇÕES Concreto é um material de construção proveniente da mistura, em proporção adequada, de: aglomerantes, agregados e água. ESTRUTURAS DE CONCRETO CAPÍTULO 1 Libânio M. Pinheiro; Cassiane D. Muzardo; Sandro P. Santos Março de 2004 INTRODUÇÃO Este é o capítulo inicial de um curso cujos objetivos são: os fundamentos do concreto;

Leia mais

PROJETOS EM ALVENARIA ESTRUTURAL: MODULAÇÃO E COMPATIBILIZAÇÃO

PROJETOS EM ALVENARIA ESTRUTURAL: MODULAÇÃO E COMPATIBILIZAÇÃO PROJETOS EM ALVENARIA ESTRUTURAL: MODULAÇÃO E COMPATIBILIZAÇÃO PRINCIPÍOS BÁSICOS PARA PROJETOS/ MODULAÇÃO E COMPATIBILIZAÇÃO EM ALVENARIA ESTRUTURAL EM BLOCOS DE CONCRETO ARQUITETA NANCI CRUZ MODULAÇÃO

Leia mais

ARG. COLANTE REVESTIMENTO REJUNTE COMPONENTES DO REVESTIMENTO

ARG. COLANTE REVESTIMENTO REJUNTE COMPONENTES DO REVESTIMENTO TECNOLOGIA DE REVESTIMENTO Componentes do sistema BASE CHAPISCO Base Características importantes: Avidez por água - inicial e continuada Rugosidade EMBOÇO ARG. COLANTE REVESTIMENTO REJUNTE Chapisco Função:

Leia mais

LEI Nº 1822, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014. Revoga o Anexo I, e altera os Anexos II e III da Lei Municipal n 1.215/2009, e dá outras providências.

LEI Nº 1822, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014. Revoga o Anexo I, e altera os Anexos II e III da Lei Municipal n 1.215/2009, e dá outras providências. LEI Nº 1822, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014. Revoga o Anexo I, e altera os Anexos II e III da Lei Municipal n 1.215/2009, e dá outras providências. O Sr. Adriano Xavier Pivetta, Prefeito de Nova Mutum, Estado

Leia mais

Construção. Impermeabilizante liquido para preparo de concreto e argamassa. Descrição do Produto Usos. Características / Vantagens.

Construção. Impermeabilizante liquido para preparo de concreto e argamassa. Descrição do Produto Usos. Características / Vantagens. Ficha do Produto Edição 22/04/2011 Sikacim Impermeabilizante Construção Sikacim Impermeabilizante Impermeabilizante liquido para preparo de concreto e argamassa. Descrição do Produto Usos Características

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓREITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Fase Cód. Disciplina I II III IV V VI Matriz Curricular do curso de Engenharia Civil PréReq.

Leia mais

Análise de diferentes ligantes na formulação de argamassas industriais de reabilitação

Análise de diferentes ligantes na formulação de argamassas industriais de reabilitação Análise de diferentes ligantes na formulação de argamassas industriais de reabilitação Coimbra, 29 e 30 de Março 2012 Índice Enquadramento Norma NP EN 459 Matérias primas Composição Características Produto

Leia mais

VENCENDO OS DESAFIOS DAS ARGAMASSAS PRODUZIDAS EM CENTRAIS DOSADORAS argamassa estabilizada e contrapiso autoadensável

VENCENDO OS DESAFIOS DAS ARGAMASSAS PRODUZIDAS EM CENTRAIS DOSADORAS argamassa estabilizada e contrapiso autoadensável VENCENDO OS DESAFIOS DAS ARGAMASSAS PRODUZIDAS EM CENTRAIS DOSADORAS argamassa estabilizada e contrapiso autoadensável Juliano Moresco Silva Especialista em Tecnologia do Concreto juliano.silva@azulconcretos.com.br

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON DIRETORIA DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DA GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL AGG MEMORIAL DESCRITIVO

CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON DIRETORIA DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DA GERÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO GERAL AGG MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO: CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON OBRA: ENDEREÇO: REFORMA E ADEQUAÇÃO DE SALAS NO PRÉDIO DA UNIDADE DE NEGÓCIOS NORTE UNN, VISANDO A INSTALAÇÃO DO POSTO DE ENSAIO

Leia mais

FAUL 2007 REVESTIMENTOS DE PAREDES DE EDIFÍCIOS RECENTES. Maria do Rosário Veiga rveiga@lnec.pt Laboratório Nacional de Engenharia Civil - LNEC

FAUL 2007 REVESTIMENTOS DE PAREDES DE EDIFÍCIOS RECENTES. Maria do Rosário Veiga rveiga@lnec.pt Laboratório Nacional de Engenharia Civil - LNEC FAUL 2007 REVESTIMENTOS DE PAREDES DE EDIFÍCIOS RECENTES Maria do Rosário Veiga rveiga@lnec.pt Laboratório Nacional de Engenharia Civil - LNEC FUNÇÕES E EXIGÊNCIAS FUNCIONAIS Como especificar revestimentos

Leia mais

USO DO AÇO NA CONSTRUÇÃO CIVIL

USO DO AÇO NA CONSTRUÇÃO CIVIL 1 FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI NADIR DIAS DE FIGUEIREDO ADEMILSO PINTO BRUNO TEIXEIRA DOCE USO DO AÇO NA CONSTRUÇÃO CIVIL OSASCO 2012 2 ADEMILSO PINTO BRUNO TEIXEIRA DOCE USO DO AÇO NA CONTRUÇÃO CIVIL

Leia mais

RECICLAGEM DE RESÍDUOS E CIDADANIA: PRODUÇÃO DE TIJOLOS ECOLÓGICOS PARA CONSTRUÇÃO DE CASAS POPULARES EM REGIME DE MUTIRÃO - PARTE II

RECICLAGEM DE RESÍDUOS E CIDADANIA: PRODUÇÃO DE TIJOLOS ECOLÓGICOS PARA CONSTRUÇÃO DE CASAS POPULARES EM REGIME DE MUTIRÃO - PARTE II RECICLAGEM DE RESÍDUOS E CIDADANIA: PRODUÇÃO DE TIJOLOS ECOLÓGICOS PARA CONSTRUÇÃO DE CASAS POPULARES EM REGIME DE MUTIRÃO - PARTE II Aline Gomes de Oliveira 1 ; Gustavo de Castro Xavier 2 ; Raphael dos

Leia mais

COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 171527. O que é preciso fazer para que as fachadas e paredes internas atendam aos requisitos de desempenho da NBR 15.575-4?

COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 171527. O que é preciso fazer para que as fachadas e paredes internas atendam aos requisitos de desempenho da NBR 15.575-4? COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 171527 O que é preciso fazer para que as fachadas e paredes internas atendam aos requisitos de desempenho da NBR 15.575-4? Luciana Alves de Oliveira Slides da Palestra apresentada

Leia mais

ABNT NBR 15575 Edifícios habitacionais de até 5 (cinco) pavimentos Norma de Desempenho. Perícias judiciais

ABNT NBR 15575 Edifícios habitacionais de até 5 (cinco) pavimentos Norma de Desempenho. Perícias judiciais ABNT NBR 15575 Edifícios habitacionais de até 5 (cinco) pavimentos Norma de Desempenho Perícias judiciais IBAPE SP - AGOSTO 2011 1 NORMAS TÉCNICAS Zona de fronteira Direito Engenharia 2 Norma de Desempenho

Leia mais

2 Materiais e Métodos

2 Materiais e Métodos 1 ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DE VIGAS REFORÇADAS POR ACRÉSCIMO DE CONCRETO À FACE COMPRIMIDA EM FUNÇÃO DA TAXA DE ARMADURA LONGITUDINAL TRACIONADA PRÉ-EXISTENTE Elias Rodrigues LIAH; Andréa Prado Abreu REIS

Leia mais

VIABILIDADE E RESULTADOS OBTIDOS COM O USO DO BLOCO DE CONCRETO EM ALVENARIA DE VEDAÇÃO - Construtora Dacaza. Elaine Valentim

VIABILIDADE E RESULTADOS OBTIDOS COM O USO DO BLOCO DE CONCRETO EM ALVENARIA DE VEDAÇÃO - Construtora Dacaza. Elaine Valentim VIABILIDADE E RESULTADOS OBTIDOS COM O USO DO BLOCO DE CONCRETO EM ALVENARIA DE VEDAÇÃO - Construtora Dacaza Elaine Valentim CONSTRUTORA DACAZA CENÁRIO - 2005 Mais de 20 anos no mercado; Focada na qualidade

Leia mais

UMIDADES E IMPERMEABILIZAÇÕES

UMIDADES E IMPERMEABILIZAÇÕES 200888 Técnicas das Construções I UMIDADES E IMPERMEABILIZAÇÕES Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana pastana@projeta.com.br (14) 3422-4244 AULA 5 o Impermeabilização é a proteção das construções contra

Leia mais

FATECS Faculdade de Tecnologia e Ciências Sociais Aplicadas. ENGENHARIA CIVIL Inovação e Tecnologia pelo desenvolvimento Sustentável

FATECS Faculdade de Tecnologia e Ciências Sociais Aplicadas. ENGENHARIA CIVIL Inovação e Tecnologia pelo desenvolvimento Sustentável FATECS Faculdade de Tecnologia e Ciências Sociais Aplicadas ENGENHARIA CIVIL Inovação e Tecnologia pelo desenvolvimento Sustentável PROGRAMAÇÃO Semana das Engenharias 2014 PROGRAMAÇÃO DA SEMANA DAS ENGENHARIAS

Leia mais