FÉDÉRATION INTERNATIONALE DE GYMNASTIQUE 2009 CODE OF POINTS WOMEN S ARTISTIC GYMNASTICS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FÉDÉRATION INTERNATIONALE DE GYMNASTIQUE 2009 CODE OF POINTS WOMEN S ARTISTIC GYMNASTICS"

Transcrição

1 FÉDÉRATION INTERNATIONALE DE GYMNASTIQUE 2009 CODE OF POINTS WOMEN S ARTISTIC GYMNASTICS

2 PART I Regulations Governing Competition Participants ARTICLES 1-4

3 ARTIGO 1 - Regras para as Ginastas 1.1 Direitos das ginastas Toda ginasta deve estar informada sobre o CÓDIGO DE PONTUAÇÃO e agir de acordo com as regras especificadas abaio. A ginasta tem o direito garantido de: Ter sua atuação avaliada de forma correta, justa e de acordo com as especificações do CÓDIGO de PONTUAÇÃO. Ter no ginásio de treinamento, ginásio de aquecimento e no pódium de competição, aparelhos e colchões idênticos em conformidade com as especificações e normas para as competições oficiais da FIG. Receber por escrito a avaliação da dificuldade do salto ou elemento novo apresentado, dentro de um prazo razoável antes do inicio da competição. Ter sua nota apresentada ao público imediatamente após o final de sua apresentação, por meio de um sistema eletrônico ou manual aceito pela FIG. Receber através do chefe de delegação os resultados emitidos, que mostrem todas as notas recebidas pela ginasta durante a competição. Aparelhos A ginasta deve utilizar um colchão adicional de 10 cm sobre os colchões de aterrissagem básicos (20 cm) para as aterrissagens no Salto e saídas nas Paralelas e Trave. O colchão adicional não pode ser movimentado durante a eecução da série. É permitido colocar o trampolim para entrada (PA e Trave) sobre o colchão adicional de 10 cm. Com a autorização por escrito da Presidente do Júri Superior, é permitido subir ambas as barras das paralelas (5 cm cada uma), se os pés ou o quadril da ginasta tocar o colchão. Pelo menos 24 horas ante do treinamento de pódium, a ginasta ou seu treinador podem enviar por escrito ao Presidente do Júri Superior pedido para aumentar a altura dos barrotes das PA, ou enviar o pedido de acordo com o RT da FIG que governa a competição. Com permissão do Júri Superior a ginasta pode repetir toda a sua série, se esta tiver sido interrompida por razões fora do seu controle ou responsabilidade. Aquecimento Na Competição Classificatória (C-I), Final Individual (C-II) e Final por Equipes (C-IV) Cada ginasta (incluindo aquelas que substituem as ginastas lesionadas) tem o direito a um período de aquecimento no pódium em todos os aparelhos, imediatamente antes da competição: Salto C-I, C-II e C-IV - apenas 2 tentativas C-I - qualificação para C-III e C-III - máimo 3 tentativas Paralelas - 50 segundos cada uma, incluindo a preparação das barras Trave - 30 segundos cada uma Solo - 30 segundos cada (mínimo 2 min. e 30 seg.) ARTICLE 1 Regulations for Gymnasts 1.1 Rights of the Gymnast Each gymnast must be informed about the CODE OF POINTS and act according to the rules as specified below. The gymnast is guaranteed the right to: have her performance judged correctly, fairly and in accordance with the stipulations of the CODE of POINTS. be provided with identical apparatus and mats in the training halls, warm up hall and on the competition podium, that conforms to the specifications and norms for FIG official competitions. receive in writing the evaluation of the difficulty rating for a submitted new vault or element within a reasonable time prior to the start of the competition. have her score displayed to the public immediately following her performance per the electronic or manual installations accepted by FIG. receive through her delegation leader the correct result output, showing all her scores received in the competition. Apparatus She must use an additional 10 cm soft mat on top of the eisting basic landing mats (20 cm) for dismounts on Vault, Bars and Beam. The supplementary mat cannot be moved during the eercise. She is permitted to place the take-off board on the supplementary 10 cm landing mat (UB, BB). Upon written approval from the Chair of the Superior Jury, she is permitted to raise both bar rails (each 5 cm), if her feet or hips touch the mat. At least 24 hours prior to podium training, she or her coach may submit in writing to the Chair of the Superior Jury a request to raise the rails at the uneven bars, or to submit such requests in accordance with the FIG TR that governs that competition. With permission of the Superior Jury, she may repeat her entire eercise, if the eercise has been interrupted for reasons beyond her control or responsibility. Warm-up In Qualifying (C-I), All Around Final (C-II) and Team Final (C-IV) each competing gymnast (including substitute of injured gymnast) is entitled to a touch warm-up period immediately prior to the competition on the podium on all apparatus: Vault C-I, C-II, C-IV two attempts only C-I qualification for C-III & C-III ma. three attempts Uneven bars 50 sec. each, including the preparation of the bars Balance beam 30 sec. each Floor 30 sec. each (minimum 2 min. 30 sec.) Código de Pontuação Feminino

4 Nota: Na Competição Classificatória (C-I) e na Final por Equipes (C-IV) o tempo de aquecimento (30 segundos por ginasta na trave e 50 segundos nas paralelas) pertencem à equipe. A equipe deve prestar atenção para que a última ginasta tenha o seu tempo de aquecimento. Nos grupos mistos o tempo de aquecimento pertence particularmente a cada ginasta. Note: In Qualifying (C-I) and Team Final (C-IV) the entire warm-up time (30 seconds per gymnast on beam and 50 seconds on bars) belongs to the team. The team must pay attention to the elapsed time, so that the last gymnast receives a warm-up. In mied-groups the warm-up time belongs personally to the gymnast. O final do período de aquecimento é indicada por um sinal (gongo). Se neste momento a ginasta está mental e fisicamente preparada para saltar ou encontra-se no aparelho, ela poderá completar o elemento ou a seqüência iniciada. Após a o período de aquecimento ou durante a pausa da competição o aparelho pode ser preparado, mas não utilizado. 1.2 Responsabilidades da Ginasta Vestimenta de competição Deve usar o uniforme correto de competição leotard ou unitard (collant em peça única que cobre totalmente as pernas até os tornozelos), que não seja transparente e com design elegante. A ginasta pode usar cobertura para as pernas na mesma cor do collant; sob ou sobre o collant). O decote do collant na frente e nas costas deve ser apropriado, ou seja não pode ultrapassar a linha média do esterno e nem a linha inferior das escapulas. O collant pode ser com ou sem mangas; as alças devem ter no mínimo 2 cm de largura. A cava da perna do collant não pode ultrapassar a linha do osso do quadril (máimo). A identificação nacional ou emblema deve ser colocado no peito, ou em uma das mangas segundo as mais recentes regras de publicidade da FIG. A ginasta deve usar somente logotipos, propagandas e identificações de patrocinadores que sejam permitidos nas mais recentes regras de publicidade da FIG. As ginastas de uma mesma federação devem usar collant idêntico na Competição Classificatória (C-I) e Final por Equipes (C-IV). Na CI ginastas individuais de uma mesma federação (sem equipe) podem usar collant diferente. Não é permitido o uso de jóias (pulseiras ou colares) eceto brincos pequenos com tarraa. Devem usar os números de identificação, fornecidos pelos organizadores conforme as especificações da FIG. Com a aprovação de uma solicitação por escrito, a ginasta poderá retirar o número dorsal em casos especiais de giros sobre as costas na Trave e no Solo. Nestes casos, a ginasta ou seu treinador deverá mostrar manualmente o número de identificação, imediatamente antes de sua apresentação para a Banca D. Não é permitido o uso de protetores nos quadris ou em outra parte do corpo. Serão permitidos o uso de protetores de mãos nas paralelas, bandagens e faias são permitidas; estas devem estar bem presas e não devem atrapalhar a estética da apresentação. Elas devem ser da cor bege. O uso de sapatilhas de ginástica e meias é opcional. 1.3 Regras de competição para as ginastas Com respeito à avaliação de um salto ou de um elemento novo, a ginasta deve entregar uma solicitação por escrito, por intermédio do seu treinador ou chefe de delegação, segundo o cronograma estabelecido The end of the warm-up period is signaled by a gong. If at this time, a gymnast is mentally and physically prepared to vault or is still on the apparatus, she may complete the element or sequence started. Following the warm-up period or during the competition pause, the apparatus may be prepared, but not used. 1.2 Responsibilities of the Gymnasts Competition Attire She must wear a correct sportive non transparent leotard or unitard (one piece leotard with full length legs-hip to ankle), which must be of elegant design. She may wear complete leg coverings of the same color as that of the leotard; under or on top of the leotard. The neckline of the front and back of the leotard/unitard must be proper, that is no further than half of the sternum and no further than the lower line of the shoulder blades. Leotards/unitard may be with or without sleeves; shoulder strap width must be minimum 2cm. The leg cut of the leotard may not etend beyond the hip bone (maimum). A national identification or emblem must be placed on the chest or on either sleeve per the most recent FIG publicity rules. The gymnast must wear only those logos, advertising and sponsorship identifiers that are permitted in the most recent FIG publicity rules. The leotard/unitard must be identical for members from the same federation in the Qualification (C- I) and Team Final Competition (C-IV). In the Qualification (C-I) individual gymnasts from the same federation (without a team) may wear different leotards/unitards. No jewelry (bracelets or necklaces) may be worn, ecept small stud type pierced earring. A start number, supplied by the organizers according to FIG specifications, must be worn. With approval of her written petition, the gymnast may remove the number in rare cases of back spins on the Balance Beam and Floor. Then the number must be manually displayed by the gymnast, or coach immediately before her presentation to the D -Judges at the beginning of the eercise. Hip or other padding is not allowed. Hand-grips at uneven bars, body bandages, and wrists wraps are permitted; they must be securely fastened, in good repair and should not detract from the aesthetics of the performance. Bandages must be beige colored. The wearing of gymnastic slippers and socks is optional. 1.3 Competition Rules for the Gymnast Per the Work Plan designated time frame, the gymnast must submit a written request, through her coach or delegation leader, concerning the evaluation of a new vault or element. Código de Pontuação Feminino

5 no Plano de Trabalho. Veja o Artigo 5.5. A ginasta deve evitar modificar a altura de qualquer aparelho eceto das PA como descrito no art. 1.1 No início e na conclusão de sua série, a ginasta deve apresentar-se elevando os braços/mãos de forma apropriada aos árbitros da Banca D. A Ginasta deve certificar-se, antes do início da apresentação de sua série, que a luz verde esteja acesa ou que o árbitro D1 tenha lhe dado um sinal visível para iniciar sua série. A Ginasta deve iniciar sua série em até 30 segundos após acesa a luz verde ou sinal do árbitro D1 (em todos os aparelhos). Após uma queda a ginasta tem 30 segundos nas PA (o tempo começa a ser contado quando a ginasta encontra-se em pé após sua queda) para se recuperar-se, fazer uso do magnésio, e falar com seu treinador antes de reiniciar sua série. Na Trave de Equilíbrio a ginasta tem apenas 10 segundos (o tempo começa a ser contado quando a ginasta encontra-se em pé após sua queda) para retornar ao aparelho. A Ginasta deve abandonar o pódium imediatamente após o termino de sua apresentação. A Ginasta deve evitar qualquer comportamento indisciplinado ou abusivo; evitar abusar de seus direitos ou infringir os direitos de qualquer outra participante. Se a ginasta necessitar abandonar o ginásio de competição deverá notificar ao Júri Superior. A competição não poderá sofrer atrasos em decorrência de sua ausência. A ausência injustificada do ginásio de competição, resultará na desclassificação e devolução das medalhas. A Ginasta deve evitar comunicar-se com Árbitros em atividade durante a competição. A Ginasta deve participar da respectiva cerimônia de premiação uniformizada (collant de competição) de acordo com as regras de protocolo da FIG. Como ginasta reserva para a Competição II e III deve submeter-se às regras do RT FIG. Utilização de magnésio É permitida a utilização de magnésio de maneira razoável na preparação das paralelas assimétricas. É permitido fazer pequenas marcas com magnésio na trave. Não é permitido espalhar magnésio sobre o tablado. 1.4 Juramento dos Ginastas Em nome de todas os ginastas prometo que participaremos neste Campeonato do Mundo (ou qualquer outro evento oficial da FIG) respeitando e cumprindo com as regras que a regem, nos comprometendo para um esporte sem doping e sem drogas, num verdadeiro espírito esportivo para a glória do esporte e honra dos ginastas. Refer to Article 5.5. She must refrain from changing the height of any apparatus ecept on UB as described in Art. 1.1 At the start of the eercise, she must present herself in the proper manner (raise up hand/hands) and thereby acknowledge the D- Judges and then again acknowledge the D- Judges at the conclusion of her eercise. She must observe that, at the start of the eercise, the green light is lit or that the D1- Judge has given a visible conspicuous signal to start her eercise. She must begin the eercise within 30 seconds of the green light or signal from D1 (on all apparatus). She has at her disposal 30 seconds after a fall from UB (the timing starts when the gymnast is on her feet after the fall) in which to recuperate, re-chalk, confer with her coach and remount the UB After a fall at the balance beam she has 10 seconds (the timing starts when the gymnast is on her feet after the fall) in which to remount. She must leave the podium immediately after the conclusion of her eercise. She must refrain from any undisciplined or abusive behavior and from otherwise abusing her rights or infringing on those of any other participant. She must notify the Superior Jury, if a necessity arises to leave the competition hall. The Competition may not be delayed through her absence. Unecused absence from the competition hall leads to disqualification and to withdrawal of medals. She must refrain from speaking with active judges during the competition. She must participate in the respective Award Ceremony dressed in competition attire (leotards/unitards) according to FIG Protocol Regulations. She must adhere to the rules in the FIG TR, as a reserve gymnast for Competition II and III. Magnesia Usage In the preparation of the uneven bar, reasonable use of magnesia is permitted. Small markings with magnesia may be placed on the balance beam. The spreading of magnesia on the floor eercise mat is not allowed. 1.4 Gymnasts Oath In the name of all gymnasts I promise that we shall take part in this World Championships (or any other official FIG Event) respecting and abiding by the rules which govern them, committing ourselves to a sport without doping and without drugs, in the true spirit of sportsmanship, for the glory of sport and the honor of the gymnasts. ARTICLE 2 Regulations for Coaches 2.1 Rights and Responsibilities of Coaches Each coach must know the CODE OF POINTS and act according to the rules as specified below. ARTIGO 2 Regras para os treinadores 2.1 Direitos e Responsabilidades dos treinadores Os treinadores devem conhecer o CÓDIGO DE PONTUAÇÃO e atuar de acordo com as regras como determinado a seguir: Código de Pontuação Feminino

6 Devem comportar-se de forma justa e desportiva durante todo o período de competição, em particular: Nos aparelhos. No deslocamento de e para os aparelhos. Durante a participação obrigatória na correspondente cerimônia de premiação. O treinador/a tem garantido o direito de: Auiliar à ginasta ou equipe sob sua responsabilidade no pódium durante o período de aquecimento em todos os aparelhos, em particular: No salto para preparar o trampolim e o colar de proteção. No salto, paralelas e trave para posicionar o colchão de aterrissagem suplementar. Nas paralelas para ajustar e preparar os barrotes. Estar presente no pódium após acesa a luz verde. Na paralela para retirar o trampolim e dar segurança durante toda série. É permitida a presença de uma segunda pessoa (treinador ou ginasta) sobre o pódium para retirar o trampolim e imediatamente após deverá abandonar o pódium. Na trave para retirar o trampolim (1 treinador em seguida deverá abandonar o pódium) e, Para auiliar em todos os aparelhos no caso de lesão ou defeito no aparelho. Assessorar e aconselhar a ginasta durante o tempo intermediário de uma queda, debaio do pódio nas paralelas e trave. Apresentar por escrito uma solicitação, representando a ginasta e o chefe de delegação solicitação: Para a avaliação de um salto ou elemento novo (veja o Artigo 5.5) Para aumentar a altura dos barrotes das paralelas (veja o Artigo 1.1) e, Entregar a ordem de apresentação na competição e outras informações necessárias como estipulado no CÓDIGO DE PONTUAÇÃO e/ou no RT FIG. Questionar a Banca D com respeito à avaliação do conteúdo da série da ginasta. (veja RT 8.4) Solicitar uma revisão do tempo e deduções por ultrapassar as linhas. Ao treinador não é permitido: Falar diretamente com a ginasta, fazer sinais, gritar ou atitudes similares durante sua série. Obstruir a visão dos árbitros: Quando permanecer no podium para dar segurança nas paralelas ou, Quando retirar o trampolim. Retirar as molas do trampolim. Consultar a Banca E com relação ao julgamento durante a competição. Envolver-se em discussões com árbitros em atividade dentro da área de competição e/ou com outras pessoas que estejam fora da área durante a competição. (eceção: médico da equipe, chefe de delegação). Abusar de seus direitos ou interferir nos direitos de outros participantes ou, Atrasar a competição. Nota: veja o Artigo 6 com respeito às Deduções por Violações e Comportamento Antidesportivo. They must conduct themselves in a fair and sportsmanlike manner at all times during the competition, in particular at the apparatus. during the march to and from the apparatus. during their mandatory participation in the applicable award ceremony. The coach is guaranteed the right to: assist the gymnast or team under her/his care on the podium during the warm-up period on all apparatus, in particular at: vault to prepare the springboard and safety collar. vault, uneven bars and balance beam to position the supplementary landing mat. uneven bars to adjust and prepare the uneven bar rails. be present on the podium after the green light is lit at uneven bars to remove the springboard, then spot during the entire eercise. There may be a second person (coach or gymnast) on the podium to remove the board, after which she/he must immediately leave the podium at balance beam to remove the springboard (1 coach - after which she/he must immediately leave the podium) and, to help at all apparatus in case of injuries or defects of the apparatus. assist and advise the gymnast during the intermediate fall time period from below the podium at uneven bars and balance beam. submit in writing, on behalf of the gymnast and the delegation leader, a request: for the evaluation of a new vault or element (Refer to Article 5.5). to raise the rails at the uneven bars (Refer to Article 1.1) and, submit the competition order and other information required as stipulated in the CODE OF POINTS and/ or the FIG TR. inquire to D- Panel concerning the evaluation of the content of the eercise of the gymnast (see TR 8.4). request a review of the Time and Line deductions. The coach is not permitted to: speak directly to the gymnast, give signals, shouts (cheers) or similar during the eercise. obstruct the view of the judges when: remaining on the podium to spot at uneven bars or, when removing the springboard. remove springs from the springboard. inquire to E- Panel concerning the evaluation during the competition. engage in discussions with active judges within the inner circle and/or other persons outside of the inner arena circle during the Competition (eception: team doctor, delegation leader). abuse her/his rights or interfere with the rights of any other participant or, delay the competition. Note: See Article 6 concerning Deductions for Violations and Unsportsmanlike Behavior Código de Pontuação Feminino

7 2.1.1 Número de treinadores permitidos na área de competição Competição Classificatória (C-I) e Final por Equipes (C-IV) para: Equipes completas treinadores:1 mulher e 1 homem ou 2 mulheres; se for somente um treinador, poderá ser homem Países com 3, 2 ou 1 ginasta(s) individual(s) 1 treinador (mulher ou homem) Final Individual (C-II) e Final por Aparelhos (C-III) para: Cada ginasta 1 treinador (PA poderão ser 2 pessoas) 2.2 Recursos (Procedimentos detalhados para requerer a revisão de notas (recursos) como no RT, seção 1, Art. 8.4) É permitido questionamento verbal sobre a nota D pelo treinador ao árbitro D1 imediatamente após a divulgação da nota, ou no máimo até antes da nota da seguinte ginasta ser divulgada. O recurso deve ser confirmado por escrito, dentro de poucos minutos pelo treinador ao Presidente do Júri Superior. Uma vez recebido um questionamento verbal o Árbitro D1 informa imediatamente o Árbitro D2 e o Supervisor do Aparelho. Se os árbitros D1 e D2 e o Supervisor do Aparelho concordarem, a decisão pode ser tomada imediatamente com aprovação do presidente do Júri Superior. Se o recurso for aceito o caso é concluído. Se não concordarem com o recurso, ou não há concordância entre as 3 pessoas, a decisão caberá ao Júri Superior. A decisão final (sobre esta decisão não há recurso) deve ser tomada até no máimo: o final do rodízio para a C-I, C-II e C- IV antes da nota da seguinte ginasta ser mostrada na C-III Notas: no último rodízio da C-II e C-IV antes da nota da ginasta seguinte ser mostrada. Recursos tardios serão rejeitados. Não é permitido a uma federação fazer queias contra ginastas de outra federação. Os recursos sobre a Nota E (Eecução) não são permitidos. Em caso de alguma dúvida a decisão deve ser em benefício da ginasta. Para a aceitação de um recurso é necessário o pagamento por parte da federação nacional de: US$ 300 para o primeiro recurso; US$ 500 para o segundo recurso e US$ para o terceiro recurso e os seguintes. Este valor deverá ser pago no mesmo dia para o Secretaria Geral da FIG. O Presidente do Júri Superior deverá encaminhar o pagamento juntamente com a cópia do recurso para a Secretaria Geral da FIG o mais rápido possível num prazo de até 10 dias após o evento. Caso o recurso inicial seja deferido, os recursos subseqüentes iniciarão no valor de US$ Number of Coaches Permitted in the Inner Circle Qualifying Competition (C-I) and Team Final Competition (C-IV) for: complete teams - 1 female and 1 male coach or 2 female coaches; if only 1 coach, then the coach may be a male. nations with 3, 2 or 1 individual(s) 1 coach (F or M) All-Around Competition (C-II) and Apparatus Finals Competition (C-III) for: each gymnast 1 coach (UB may be 2 persons). 2.2 Inquiries (Detailed Procedure for the request of marks reviews (Inquiry) as per T.R., Section 1, Art. 8.4) Inquires for the D- Score are allowed, provided they are made verbally by the coach to the D1 Judge immediately after the publication of the score, or at the very latest before the score of the following gymnast is posted. The inquiry must be confirmed in writing within a few minutes by the coach to the President of the Superior Jury Upon receipt of a verbal inquiry, the D1 Judge immediately informs the D2 Judge and the Apparatus Supervisor. If the D1, D2 judge and the Apparatus Supervisor agree, the decision may be taken immediately with approval of the President of the Superior Jury. If they accept the inquiry, the case is concluded. If they do not agree with the inquiry, or if there is no agreement between the three persons the final decision belongs to the Superior Jury. The final decision (which may not be appealed) should be taken at the very latest: at the end of the rotation for C-I, C-II and C-IV before the score of the following gymnast is shown in C-III Notes: In the last rotation of C-II and C - IV before the score of the following gymnast is shown. Late inquiries will be rejected. A federation is not allowed to complain against a gymnast from another federation. Inquiries for Eecution scores are not allowed. In case of any doubt, the decision should be in the benefit of the gymnast. The inquiry requires an agreement of payment from the national federation of: USD for the first complaint; USD for the second complaint and, USD for the third and subsequent complaints. This amount has to be paid on the same day to the Secretary General of FIG. The President of the Superior Jury shall forward a copy of all inquiries to the FIG Secretary General as soon as possible but within 10 days after the event. Should the initial inquiry be successful, then any subsequent inquiry will start from USD Código de Pontuação Feminino

8 Este princípio se aplica para o segundo recurso, US$ 500, ou o terceiro, US$ 1000 e assim por diante. A taa inicial é relevante a partir do deferimento do recurso. Eemplo: 1º recurso: US$ 300. Se o recurso for deferido o valor para o 2º recurso é de US$ 300. Se o primeiro recurso não for deferido, o segundo recurso será de US$ 500. A taa de cada recurso que não obtiver êito deverá ser transferida para a Fundação FIG. ARTIGO 3 - Funções do CTF Nas Competições oficiais, as membros do CTF/FIG constituem o Júri Superior e atuam como Supervisoras dos Aparelhos. 3.1 Presidente do CTF O Presidente do CTF ou seu representante será a Presidente do Júri Superior. Sua sresponsabilidades e as do Júri Superior incluem: A Direção Técnica geral da competição segundo se define no Regulamento Técnico. Supervisionar o controle das medidas dos aparelhos de acordo com as Normas dos Aparelhos da FIG. Convocar e dirigir todas as reuniões de árbitros e sessões de instrução. Aplicar as especificações do Regulamento de Árbitros que se aplicam na competição. Ocupar-se das solicitações para a avaliação de elementos novos, aumento da altura dos barrotes e outros problemas que possam surgir. Assegurar-se de que o cronograma publicado no Plano de Trabalho seja cumprido. Controlar o trabalho das Supervisoras do Aparelho e intervir se considerar necessário. Eceto no caso de recursos, tempo e ultrapassagem das linhas, não é permitido alteração de notas após a sua liberação pelo Supervisor do Aparelho e mostrada ao público. Decidir a Nota D no caso de desacordo entre o Supervisor do Aparelho a Banca D. Decidir os ajustes das notas respectivas em caso der desacordo entre o Supervisor do Aparelho e um ou vários árbitros da Banca E. Ocupar-se dos recursos segundo eplicado. Em cooperação com os membros do Júri Superior, elaborar advertência ou substituir qualquer pessoa relacionada com a arbitragem cuja atuação seja considerada insatisfatória ou tenha quebrado seu juramento. Fazer uma análise de vídeo global (após a competição) juntamente com CT para determinar erros de julgamento e o nível de punição a ser aplicado os árbitros que tenham cometido erros significantes e constantes de julgamento. Elaborar um relatório para o Comitê Eecutivo da FIG, que deverá ser enviado à Secretaria Geral da FIG assim que possível, mas não em período superior a 30 dias após o evento, contendo o seguinte: Comentários gerais a respeito da competição incluindo ocorrências especiais e conclusões para o futuro. Análise detalhada do trabalho dos árbitros incluindo propostas para o premiar os melhores árbitros e punir aqueles que não tenham falhado ao em atingir as epectativas This principle applies to the second inquiry USD 500 or the third USD and any subsequent inquiries. The starting fee is relevant of the point of success of the inquiry. Eample: 1st inquiry: USD If the inquiry is successful the sum for the 2nd inquiry is USD If the first inquiry is not successful, the second inquiry: USD The fee of each non successful inquiry will be transferred to the FIG Foundation. ARTICLE 3 WTC Functions At official Competitions, the members of the FIG WTC will constitute the Superior Jury and act as Apparatus Supervisors. 3.1 The President of the WTC The President of the WTC or her/his representative will serve as Chair of the Superior Jury. Her/his responsibilities and those of the Superior Jury include: The overall Technical Direction of the competition as outlined in the Technical Regulations. To supervise the checking of the apparatus measurement specifications according to the FIG Apparatus Norms. To call and chair all judges meetings and instruction sessions. To apply the stipulations of the Judges Regulations that applies to the competition. To deal with requests for evaluation of new elements, raising the uneven bars, and other issues that may arise. To make sure that the time schedule published in the Work plan is respected. To control the work of the Apparatus Supervisors and intervene if deemed necessary. Ecept in case of an inquiry, time or line errors, generally no change of score is allowed after the score has been released by the Apparatus Supervisors and flashed on the score board. To decide the D- score in case of disagreement between the Apparatus Supervisor and the D Panel. To decide the adjustment of the respective score(s), in case of disagreement between the Apparatus Supervisor and one or several E Panel Judges. To deal with inquiries as outlined herein. In cooperation with the members of the Superior Jury issue warnings and or replace any person acting in any judging capacity who is considered to be unsatisfactory or to have broken their oath. To conduct a global video analysis (post competition) with the TC to determine errors in judgment and to determine the appropriate level of sanctioning to be issued to these judges who have made significant and consistent errors in judgment. To submit a report to the FIG Eecutive Committee, which must be sent to the FIG Secretary General as soon as possible, but no later than 30 days after the event, which contains the following: General remarks about the competition including special occurrences and conclusions for the future. Detailed analyses of the judges performance including proposals for rewarding the best judges and sanction the judges who failed to meet the epectations. Código de Pontuação Feminino

9 Lista detalhada de todas as intervenções (correções de notas antes e depois de sua publicação) Análises técnicas dos Árbitros D. 3.2 Membros do CTF Durante cada fase da competição os membros do CTF ou suas representantes atuarão como membros do Júri Superior e como Supervisoras de cada aparelho. As responsabilidades incluem: Participar da direção das reuniões e sessões de instrução e orientar os árbitros para um trabalho correto nos respectivos aparelhos. Verificar os aparelhos utilizados nos treinamentos, aquecimento e competição segundo as Normas de Aparelhos da FIG. Aplicar o controle do Regulamento dos Árbitros imparcial, consistente e completamente, de acordo com as regras e critérios válidos. Registrar com uso de simbologia o conteúdo completo das séries. Calcular as Notas D e E (nota controle) com o propósito de avaliar as Bancas D e E. Controlar a avaliação total e a nota final de cada série. Assegurar-se de que a ginasta receba a nota correta pela sua apresentação ou interferir segundo especificado no item 3.3. Publicar a nota (validada) se não for necessária intervenção e a nota seja considerada correta ou interferir segundo as regras do item Intervenções do Júri Nota E (Eecução) Regras restringindo as diferenças entre as 4 somas intermediárias (notas), ou em competições com Bancas com 4 árbitros E ou menos, as 2 notas intermediárias serão consideradas. A diferença ente as 4 (ou 2) notas, de acordo com a média das notas, não pode eceder: 9.6 ou maior 0.10 Menor que 9.6, mas maior ou igual a Menor que 9.4, mas maior ou igual a Menor que 9.0, mas maior ou igual a Menor que 8.5, mas maior ou igual a Menor que 8.0, mas maior ou igual a Menor que Eamplo # 1 E1 E2 E3 E4 E5 E6 total Notas consideradas são as dos Árbitros E3 a E6 Eamplo # 2 E1 E2 E3 E4 E5 E6 total Notas consideradas são as dos Árbitros E1 a E4 Código de Pontuação Feminino Detailed list of all interventions (score changes before and after publication). Technical analyses of the D- judges. 3.2 The WTC Members During each phase of the competition, the members of the WTC or their representatives will serve as members of the Superior Jury and Apparatus Supervisors for each apparatus. Their responsibilities include: To participate in the direction of the judges meetings and instruction sessions and guide the judges for the correct work on the respective apparatus. To check the apparatus used at training, warm-up and competition against the FIG Apparatus Norms. To apply the Judges Regulations control with fairness, consistency and completely in accordance with the currently valid regulations and criteria. To record the entire eercise content in symbol notation. To calculate the D- and E- Score (control score) for the purpose of evaluation of the D- and E- Panels. To control the total evaluation and the final score for each eercise. To assure that the gymnast is given the correct score for her performance or intervene as ruled under 3.3. To release the score (validate) if no intervention is necessary and the score is deemed correct or intervene as ruled under Jury Intervention E- Score (Eecution) Regulations restricting the allowable differences between the four middle deductions (scores), or at competitions with four or fewer E- judges, the middle two deductions (scores) will be in effect. The difference between the four (or two) middle sums of deductions (scores), in accordance with the E average deductions may not eceed: 9.6 or greater 0.10 less than 9.6 but greater than or equal to less than 9.4 but greater than or equal to less than 9.0 but greater than or equal to less than 8.5 but greater than or equal to less than 8.0 but greater than or equal to less than Eample # 1 E1 E2 E3 E4 E5 E6 total the counting scores are from the E3 to the E6 judges Eample # 2 E1 E2 E3 E4 E5 E6 total the counting scores are from the E1 to the E4 judges

10 Se a diferença entre as 4 notas intermediárias (ou em competições com 4 árbitros ou menos, as 2 notas intermediárias) for maior que os desvios tolerados, após rever a própria nota, o Supervisor do Aparelho pode decidir: Não intervir se a Nota E Final é, na sua opinião, aceitável apesar da diferença entre as notas intermediárias ser maior que o tolerado, ou Intervir (após consultar, e obter aprovação do Presidente do Júri Superior) se: A Nota E Final desviar-se significantemente acima do tolerado, ou É significativamente diferente da Nota do Supervisor do Aparelho (mesmo se a diferença entre as notas dos árbitros está dentro da tolerância permitida) solicitando a um ou vários árbitros que ajustem suas notas. Se houver acordo, o Supervisor do Aparelho publicará a nota. Se um ou vários árbitros-e e o Supervisor do Aparelho não chegam num acordo, o Supervisor do Aparelho deve informar aos árbitros em envolvidos sobre a decisão definitiva do Júri Superior e então publicará a nota. O Supervisor do Aparelho, após informar ao Presidente do Júri Superior, deve intervir se a nota dada por um árbitro ou a média da Nota E parece impossível. O sistema IRCOS da FIG/Longines (se não estiver disponível o vídeo técnico) deve ser revisado em todos estes casos Nota de Dificuldade (Conteúdo) O Supervisor do Aparelho deve intervir, após informar ao Presidente do Júri Superior: Se a Nota D for considera incorreta. No caso da diferença entre as notas dos árbitros D1 e D2 ou entre a Banca D e o Supervisor do Aparelho, o Supervisor do Aparelho determinará a Nota D após consulta e acordo com os árbitros D. Neste caso o Supervisor do Aparelho poderá publicar a nota. Se a Banca D e o Supervisor do Aparelho não chegam em acordo, a Nota D deverá ser decidida pelo Júri Superior. O Supervisor do Aparelho deve informar aos árbitros da Banca D sobre a decisão e publicar a nota. Eceto no caso de algum recurso (veja 2.2), nenhuma nota poderá ser mudada após a publicação pelo Supervisor do Aparelho. O sistema IRCOS da FIG/Longines (se não estiver disponível o vídeo técnico) deve ser revisado em todos estes casos. O Supervisor do Aparelho deverá registrar todas as intervenções e ocorrências e fazer um relatório detalhado (mencionando o nome da ginasta e a correção feita) ao Presidente do Júri Superior no mesmo dia. If the differences between the 4 counting deductions (scores), (or at competitions with four or fewer E- judges, the two middle deductions - scores) is higher than the tolerated deviations, after reviewing her own score, the Apparatus Supervisor can decide: Not to intervene if the final E- score is in her opinion acceptable, despite the differences between the counting deductions (scores) which are higher than the tolerated deviations, or To intervene (after a prior consultation, and approval of the President of the Superior Jury) if: the final E- score deviates significantly over the tolerated deviations or is significantly different from the Apparatus Supervisor s score (even if judges are inside the allowed tolerance between the counting scores) by requesting one or several judges to adjust their scores. If an agreement can be found, the Apparatus Supervisor shall release the score. If one or several E- Judges and the Apparatus Supervisor cannot agree, the Apparatus Supervisor must inform the judge(s) concerned about the final Superior Jury decision, and then release the score. The Apparatus Supervisor, after informing the President of the Superior Jury, must intervene if the score given by an individual judge or the average E- score is deemed impossible. The FIG / Longines IRCOS System (if not available the technical video) must be reviewed for all these cases D - Score (Content) The Apparatus Supervisor must intervene, after informing the President of the Superior Jury: If the D- Score is incorrect. In case of differences between the D1 and the D2 Judges or between the D- Panel and the Apparatus Supervisor, the Apparatus Supervisor settles the D- score after consultation with, and the agreement of the D- Judges. In this case, the score can be released by the Apparatus Supervisor. If the D- Judges and the Apparatus Supervisor cannot agree, the Superior Jury will decide the D- score. The Apparatus Supervisor must inform the D- Panel judges about the decision and then release the score. Ecept in the case of an inquiry (see 2.2), no score may be changed after it has been released by the Apparatus Supervisor The FIG / Longines IRCOS System (if not available the technical video) must be reviewed for all these cases. The Apparatus Supervisor must record all interventions and occurrences, and give a detailed written report (mentioning the name of the gymnast and the adjustment) the same day to the President of the Superior Jury. Código de Pontuação Feminino

11 ARTIGO 4 - Regulamento para os Árbitros, Estrutura, Composição e Funções dos Árbitros de Aparelhos 4.1 Regulamento para os Árbitros Todos os membros dos Júris de Aparelhos (Bancas D e E), Assistentes e Secretários) devem possuir um eato e adequado conhecimento sobre: Regulamento Técnico da FIG Código de Pontuação da FIG para Ginástica Artística Feminina Apêndices do Código da FIG com a lista de Novos Saltos e Elementos Regras de Arbitragem da FIG (edição atualizada) e, Regras de Arbitragem da FIG para Ginástica Artística Feminina Devem: Ter participado com êito de um curso Intercontinental ou Internacional. Possuir e apresentar o Brevet e o Livro de Árbitro do corrente ciclo válido. Estar na Lista Mundial de Árbitros e Possuir a CATEGORIA correspondente aplicável a competição em questão. Os Árbitros têm a responsabilidade de: Participar da reunião de revisão de arbitragem (instruções) antes da respectiva competição (O CTF/FIG decidirá sobre as eceções etraordinárias e inevitáveis) Estar presente pontualmente a todas as Instruções de Arbitragem antes da respectiva competição Estar presente no treinamento de pódium (obrigatório para a Banca D) Comparecer às seções de instrução sobre a utilização dos computadores como indicado nos planos de trabalho. Usar o uniforme de competição prescrito pela FIG (blazer azul escuro saia ou calça, como indicado - e blusa branca), com eceção dos Jogos Olímpicos, onde o uniforme é fornecido pelo Comitê Organizador. Seguir as instruções fornecidas pelas autoridades competentes. Estar preparada previamente para atuar em qualquer aparelho antes da competição. Cumprir todas as obrigações especificadas no Artigo 4. Avaliar cada série com precisão, consistência, rapidez, objetividade, com imparcialidade e ética e, Quando em dúvida, conceder o benefício da dúvida à ginasta Compreender e acatar as tarefas necessárias de manter registros, como: Entrada de notas no computador. Preencher manualmente as papeletas de notas. Usar a planilha de anotações por simbologia e, Manter anotações pessoais de suas notas. Durante a competição o Árbitro deve: Não abandonar seu lugar, eceto quando há o consentimento do Árbitro D1. Não manter contato ou discussões com outras pessoas, e: treinadores, chefes de delegação e outros Árbitros da banca. Todos os Árbitros são completa e individualmente responsáveis por suas notas. Em caso de intervenção pelo Supervisor do Aparelho, o Árbitro tem o direito de eplicar sua nota e concordar (ou não) em modificá-la. Em caso de discordância o Árbitro pode ter sua nota anulada pelo Júri Superior e deverá ser devidamente informado. ARTICLE 4 Regulations for Judges, Structure, Composition and Functions of the Apparatus Juries 4.1. Regulations for the Judges All members of the Apparatus Juries (D- and E- Panels), Assistants and Secretaries) must possess eact, applicable and thorough knowledge of: the FIG Technical Regulations. the FIG CODE OF POINTS for Women s Artistic Gymnastics. the FIG CODE Supplements with Lists of New Vaults and Elements. the FIG Judges Rules (current Edition) and, the FIG Judges Rules for WAG. They must have successfully participated in an intercontinental or international course. be in possession of and produce the Brevet and Judge s Log Book of the current valid Cycle. be listed in the World List of judges and, possess the corresponding CATEGORY applicable to the Competition. They have the responsibility to participate in the Judges Review Session (Instruction) before the respective Competition (etraordinary eceptions, which were unavoidable will actually be decided by the FIG/WTC). be punctually present before the respective Competition at all Judges Briefings. attend podium training (Compulsory for D- Panel judges). attend Computer Score Entry instruction at time indicated in the Work plan wear the FIG prescribed competition uniform (dark blue suit - skirt or trousers, as indicated - and white blouse), ecept at the OG, where the uniform is supplied by the Organizing Committee. follow the instructions delivered by the governing authorities. prepare thoroughly on all apparatus in advance of the competition. fulfill the duties as specified in Article 4 evaluate each eercise accurately, consistently, quickly, objectively, fairly and ethically and, when in doubt, give the benefit of that doubt to the gymnast understand and comply with the necessary record keeping tasks, such as: computer pad score entry. completing out of the manual score slips. use of the symbol notation sheets and, maintaining a record of their personal scores. During the competition a judge must not leave their place, ecept with the consent of the D1 - Judge not have contact and/or discussions with other persons, e.g. coaches, delegation leaders and other panel judges. Every Judge is fully and alone responsible for their scores. In case of an intervention by the Apparatus Supervisor, the Judge has the right to eplain their score and to agree (or not) to a change. In case of disagreement the Judge may be overruled by the Superior Jury and shall be informed accordingly. Código de Pontuação Feminino

12 Todos os Árbitros devem atuar de forma profissional todo o tempo, de modo eemplar, com um comportamento ético imparcial. * Caso qualquer atitude arbitrária seja tomada contra um Árbitro, este tem o direito de apelar: ao Júri Superior, se a ação tiver sido iniciada pelo Supervisor do Aparelho ou, ao Júri de Apelação, se a ação tenha sido iniciada pelo Júri Superior. * Nota: consultar o Regulamento para Árbitros da FIG (edição atual). 4.2 Juramento dos Árbitros (RT 7.12) Nos Campeonatos do Mundo, e outros eventos internacionais importantes, os Júris e Árbitros deverão prometer respeitar os dizeres do Juramento dos Árbitros. Em nome de todos os Árbitros e oficiais, eu prometo que atuaremos neste Campeonato do Mundo (ou qualquer outro evento Oficial da FIG) com completa imparcialidade, respeitando e atendendo as regras que as governam, num verdadeiro espírito de dignidade esportiva. 4.3 O Júri dos Aparelhos (Bancas de Arbitragem) A principal responsabilidade da Banca D é avaliar o valor máimo do conteúdo das séries. A principal responsabilidade da Banca E é avaliar as falhas de eecução, composição e apresentação artística, que ocorrem durante as séries. As Bancas D e E serão sorteados para suas funções sob a autoridade do CTF e de acordo com o RT 7.10, Regulamento de Árbitros FIG vigente, Regulamento de Árbitros FIG para GAF. A estrutura do Júri dos Aparelhos para os diferentes tipos de competições é a seguinte (Ver quadro ao final do Artigo 4): CM and JO Banca com 8 Árbitros Banca com 2 Árbitros D International Invitational Banca com 6 Árbitros Banca com 2 Árbitros D Banca com 6 Árbitros E Banca com 4 Árbitros E O árbitro D1 e/ou árbitro D2 também podem atuar como árbitros E1 e E2 quando houver menos de 6 árbitros por aparelho. Júris dos Aparelhos serão auiliados por Assistentes (cronometristas e Árbitros de linha) e Secretárias com Brevet internacional Funções da Banca D Os Árbitros da Banca D registram o conteúdo completo das séries através de simbologia, avaliam independentemente, sem parcialidade e depois, conjuntamente, determinam o conteúdo da nota D. É permitido que os árbitros conversem sobre a nota D. O Árbitro D2 registra a nota-d no terminal de computador. No caso de discordância entre os árbitros D1 e D2, o árbitro D1 deve consultar o Supervisor do Aparelho. O Árbitro D1 supervisionará o trabalho das Assistentes (cronometristas e Árbitros de linha) e Secretárias, como especificado nas Seções & Em particular em relação à correta ordem de apresentação dentro de uma equipe ou grupo misto. All judges must act in a professional manner at all times and eemplify non partisan ethical behavior.* In case of arbitrary action taken against a judge, they have the right to file an appeal. to the Superior Jury, if the action was initiated by the Apparatus Supervisor or, to the Jury of Appeal, if the action was initiated by the Superior Jury. * Note: refer to FIG Judges Rules (current Edition) 4.2 The Judges Oath (TR 7.12) At the World Championships, and other important international events, juries and judges pledge to respect the terms of the Judges Oath. In the name of all the judges and officials, I promise that we shall officiate in these World Championships (or any other official FIG Event) with complete impartiality, respecting and abiding by the rules which govern them, in the true spirit of sportsmanship. 4.3 The Apparatus Jury (Judges Panels) The D- Judging Panel s primary responsibility is to evaluate the maimum content value of the eercise. The E- Judging Panel s primary responsibility is to evaluate the eecution and artistry faults occurring during the performance of the eercise. The D- and E- Judging Panels will be drawn to their functions under the authority of the WTC and in accordance with TR 7.10, current FIG Judges Rules, FIG Judges Rules for WAG. The structure of the Apparatus Jury for the various types of competitions should be as follows (See Chart- Diagram at end of Article 4): WC and OG 8 Judge Panel International Invitational 6 Judge Panel 2 D- Panel Judges 2 D- Panel Judges 6 E- Panel Judges 4 E- Panel Judges D1 and/or D2 may also function as E1 and E2 when there are less than 6 judges total per event. Apparatus Juries are supported by Assistants (Time and Line Judges) and Secretaries with the International Brevet Functions of the D - Panel D - Panel Judges record the entire program content in symbol notation, evaluate independently, without bias and then jointly determine the D score content. Discussion is allowed. D2 judges enter the D- score into the computer. In case of disagreement between D1 and D2 judges, the counsel of the Apparatus Supervisor must be solicited by the D1 Judge. D1 Judge supervises the work of the Assistants (Time and Line Judges) and Secretaries, as specified in Sections & in particular the correct working order within the team or mied group. Código de Pontuação Feminino

13 O Árbitro D1 certifica-se de que as deduções neutras por tempo, ultrapassagem das linhas e comportamento sejam descontadas da Nota Final antes de serem publicadas. A Banca D decide se a ginasta não se apresentou devidamente antes ou depois da série. A Banca D decide se a ginasta realizou um salto inválido - nota 0. A Banca D faz a dedução por ajuda, da nota final de: Salto, durante a série ou nas saídas. A Banca D deve informar o Supervisor do Aparelho no caso de conduta antidesportiva do treinador. A Nota-D (conteúdo) das séries inclue: Valor da Dificuldade Valor das Ligações Eigências de Grupos de Elementos Após da competição a Banca D Deverá entregar um relatório da competição como indicado pelo Presidente do CTF com as seguintes informações: formulários detalhando as violações, decisões questionáveis com o número e nome da ginasta. Entregar este relatório o mais rápido possível após o término da competição, como determina o Presidente do CTF. Devem manter suas anotações em simbologia disponíveis durante as consultas. Devem enviar suas anotações em simbologia no final da competição Funções da Banca E Devem observar as séries atentamente e avaliar corretamente as falhas com suas deduções correspondentes, independentemente e sem parcialidade. Devem registrar as deduções por: Falhas gerais. Falhas de Eecução específicas do aparelho. Falhas de Apresentação Artística. Os Árbitros fazem deduções em décimos de ponto [e P.] Devem preencher a folha de notas (apêndice IV) com assinatura legível ou registrar no terminal do computador suas deduções por: Falhas de eecução/técnica (gerais e específicas) Apresentação artística Devem fornecer um registro pessoal, por escrito, de suas avaliações de todas as séries. Se é utilizado um sistema manual, devem certificar-se que os estafetas levem imediatamente suas folhas de notas. Com o sistema manual as seis notas E devem ser mostradas simultaneamente Funções das Assistentes As Assistentes são sorteadas entre os árbitros com Brevet para atuar como: Árbitros de linha no solo e salto para determinar a saída da área demarcada e notificar a falta levantando uma bandeira. Código de Pontuação Feminino D1 Judge ensures that neutral deductions for time, line, behavior faults are taken from the Final Score before being flashed. The D- Panel Judges decide whether the gymnast failed to present before and after the eercise. The D- Panel Judges decide whether the gymnast performed an invalid 0 vault The D- Panel deducts from the final score, for Spotting assistance during the: Vault, Eercise and Dismounts, The D- Panel must report unsportsmanlike conduct of the coach to the Apparatus Supervisor. The D- score (content) of the eercise includes: Difficulty Value, Connection Value, Composition Requirements After the Competition the D- Panel Will submit a competition report as directed by the WTC President with the following information: forms listing violations, and questionable decisions with the number and name of the gymnast. submit this report as soon as possible after the competition, as directed by WTC President. They must make their symbol notations available during consultations. They must submit their symbol notations sheets at the end of the competition Functions of the E-Panel They must observe the eercises attentively and evaluate the faults and apply the corresponding deductions correctly, independently and without bias. They must record the deductions for: General Faults, Specific Apparatus Eecution Faults, Artistry Faults. They evaluate with deductions in tenths of points [e.g P.]. They must complete the score slip (appendi IV) with a legible signature or enter their deductions into the computer for Eecution/technique (general and specific) faults, Artistry faults. They must be able to provide a personal written record of their evaluation of all eercises. If manual scoring is used, they must check that the runners immediately take their score slips. With manual scoring the flashing of the si E- scores should occur simultaneously Functions of the Assistants They are drawn from among the Brevet judges to serve as: line judges on Floor and Vault to determine stepping outside of the border marking and to acknowledge the fault by raising a flag

14 Controlar as tentativas permitidas de aquecimento (salto) Cronometristas para: Cronometrar a duração das séries (2 árbitros na trave e um no solo) Cronometrar o tempo de queda (na trave) Cronometrar o tempo de queda (nas paralelas) Controlar o início das séries após a luz verde Certificar-se do respeito ao tempo de aquecimento (em casos de violação, notificar por escrito à Banca D). Quando orientada pelo árbitro D1 autorizar tempo de aquecimento para ginasta substituta Funções das Secretárias As Secretárias, com Brevet da FIG, são normalmente indicadas pelo Comitê Organizador. Sob a supervisão do árbitro D1 são responsáveis pelo registro correto de todas as entradas nos computadores: ordem de apresentação correta das equipes e ginastas manuseio das luzes verde e vermelha apresentação correta da Nota Final. 4.4 Posicionamento correto do Júri do Aparelho (Banca de Arbitragem) Os Árbitros devem estar posicionados o mais distante possível do aparelho, se possível sobre um pódium elevado (mínimo na altura do quadril para as PA, Trave e Solo), para uma visualização sem perturbações das séries. A Banca D deve estar alinhada com o centro do aparelho. A cronometrista(s) deverá sentar-se ao lado do Júri do Aparelho (de cada lado), indicado com as siglas ASST no diagrama. Os árbitros de linha do Solo devem sentar-se em cantos opostos e deverão observar as 2 linhas mais próimas a elas. O posicionamento da Banca E será em sentido horário ao redor do aparelho começando da esquerda da Banca D ASST D2 D1 SEC 6 Para o salto o Júri do Aparelho deve posicionar-se pelo menos a 2 metros de distância da mesa de salto, posicionado a partir do centro do aparelho na direção à área de aterrissagem. Os árbitro do Salto devem esta colocados de tal foram que seus olhos estejam alinhados na altura da mesa de Salto, desta forma ambas as fases de vôo serão visíveis para todos os árbitros. O árbitro de linha do Salto deve sentar-se próimo ao canto mais afastado. Recomendações para distribuição do Júri dos Aparelhos quando o pódium está disponível. to check the permitted warm-up attempts (VT). time judges to: time the duration of the eercise (2 judges on beam and one on floor) time the duration of the fall period (at balance beam) time the duration of the fall period (at uneven bars). control the start of the eercise after the green light is lit ensure adherence to the warm-up time. (For non adherence, written information to the D panel). Upon request of D1 give additional warm up time for substitute gymnast Functions of the Secretaries The Secretaries, with FIG Brevet, are usually appointed by the Organizing Committee. Under the supervision of the D1 Judge they are responsible for correctness of all entries (proceedings) into the computers: adherence to the correct order of the teams and gymnasts, operating the green and red lights, correct flashing of the Final Score. 4.4 Seating Arrangement for the Apparatus Jury (Judges Panels) The judges must be placed as far away as possible from the apparatus, on elevated podiums (minimum at hip height with podium on UB, BB & FX), in order to afford an undisturbed view of the eercise. D- Panel Judges must be in line with the center of the apparatus. The timer(s) sit by the Apparatus Jury (either side), indicated by ASST in the seating diagram. The line judges at FX must sit at opposite corners and observe the 2 lines closest to them. The placement of the E- jury will be clockwise around the apparatus beginning from the left of the D- Panel ASST D2 D1 SEC 6 Seating of the Apparatus Jury at the vault should be at least a 2 meter distance from the vaulting table, placed from the apparatus center toward the landing side. The judges on Vault must be placed at eye level with the vaulting table so that both flight phases are visible to all judges. The line judge at Vault must sit at the far corner of the landing side. Recommendation for Seating of the Apparatus Jury when a podium is available. Código de Pontuação Feminino

15 Eemplos para ordem de distribuição: Eamples for seating order: Código de Pontuação Feminino

16 4.5 IRCOS O sistema de vídeo IRCOS deverá ser instalado ao lado da Banca D. 4.6 Determinação de Notas As seis notas dos árbitros são a base para o cálculo da Nota Final. A maior e a menor somas das deduções (notas) são eliminadas; as quatro somas das deduções intermediárias restantes serão somadas e divididas por quatro = NOTA da Banca E. Eemplos: Nota da Banca D = 5.70 pts. Deduções da Banca E Árbitro E-1 E-2 E-3 E-4 E-5 E-6 Eecução Composição e apres. artística Dedução mostrada Notas NOTA FINAL 35.60/4 = = pts. Deduções neutras NOTA FINAL MOSTRADA pts. Quando se trabalha com quatro Árbitros, eliminam se as notas mais alta e a mais baia, as duas notas intermediárias são somadas e divididas por dois = NOTA da Banca E Validade das Notas Nos casos em que a nota mostrada nos placares eletrônicos para o público seja diferente daquela registrada oficialmente no computador, a pontuação registrada no terminal eletrônico da Árbitro é a que será considerada. 4.5 IRCOS The IRCOS video camera must be installed on the side of the D-Panel. 4.6 Determination of Scores The si scores of the judges are the basis for the score calculation. The respective highest and lowest deductions are eliminated; the remaining four middle deductions are added and divided by four = E- Panel SCORE. Eamples: D- Panel score = 5.70 P. E- Panel Deductions Judge E-1 E-2 E-3 E-4 E-5 E-6 Eecution Artistry Flash Deduction Scores FINAL SCORE 35.60/4 = = P. Neutral Deduction FLASHED FINAL SCORE 14.40P. When four judges are working, the highest and lowest deductions are still eliminated, the two middle deductions are added and then divided by two = E-Panel SCORE Validity of Scores In cases where the mark shown on the public electronic scoreboard differs from that officially entered in the computer by the judge the mark registered on the judge s electronic command desk is the one taken into account. Código de Pontuação Feminino

17 PART II General Regulations ARTICLES 5-7

18 ARTIGO 5 - Avaliação das Séries 5.1 Generalidades Na Competição Classificatória (C-I), Final por Equipes (C-IV), Final Individual (C-II), e Final por Aparelhos (C-III) podem ser apresentadas as mesmas séries ou diferentes. O método de avaliação descrito será utilizado nas Competições da FIG: Jogos Olímpicos Campeonatos do Mundo Jogos Olímpicos da Juventude e está disponível para: Competições Continentais Competições Regionais University Games Copa do Mundo de Ginástica International Invitational Competições Nacionais Organização das Tabelas de Elementos O Código de Pontuação contém Tabelas Específicas de Elementos (artigos 9-11), nos quais cada elemento é identificado por um número multidigital. 101 a 199 = dificuldade A 201 a 299 = dificuldade B 301 a 399 = dificuldade C 401 a 499 = dificuldade D 501 a 599 = dificuldade E 601 a 699 = dificuldade F 701 a 799 = dificuldade G 5.2 Componentes da Avaliação A filosofia atual com relação ao conteúdo e combinação das séries, estimula a dar ênfase no domínio da dança coreografia acrobática, apresentadas artisticamente. A princípio não é permitida a repetição de uma série. A eecução/performance em todos os aparelhos será avaliada a partir de 10,00 pts. As responsabilidades pela avaliação são distribuídas entre as Bancas D e E, como descrito abaio: 5.3 Nota D (Conteúdo) A Nota D nas Paralelas, Trave e Solo incluem: Valor da Dificuldade A = 0.10 pts B = 0.20 pts C = 0.30 pts ARTICLE 5 Evaluation of the Eercises 5.1 General In Qualifying (C-I), Team Final (C-IV), All-Around Final (C-II), and Apparatus Finals (C-III) the same or different eercises may be performed. The evaluation method described herein will be used at the official FIG Competitions: Olympic Games World Championships Youth Olympic Games and is available for: Continental Championships Regional Championships University Games Multi Sport Games World Cup Competitions International Invitational National Competitions Arrangement of the Table of Elements The Code of Points contains specific apparatus Table of Elements (Articles 9-11) in which each element is identified by a multi-digit number. 101 to 199 = A- Difficulty 201 to 299 = B- Difficulty 301 to 399 = C- Difficulty 401 to 499 = D- Difficulty 501 to 599 = E- Difficulty 601 to 699 = F- Difficulty 701 to 799 = G-Difficulty 5.2 Components of the Evaluation The current philosophy for eercise content and combination encourages an emphasis on the mastery of dance and acrobatic choreography, artistically presented In principle, the repetition of an eercise is not permitted. The eecution/performance on all apparatus will be evaluated from P. The responsibilities for the evaluation are distributed between the D- and E-Panels as described below. 5.3 D-Score (Content) The D- Score on Uneven Bars, Balance Beam and Floor Eercise includes: Difficulty Value A- = 0.10 P. B- = 0.20 P. C- = 0.30 P. Código de Pontuação Feminino

19 D = 0.40 pts E = 0.50 pts F = 0.60 pts G = 0.70 pts Eigências de Composição (EC) 2.50 pts Valor de Ligação (VL) A Nota D no Salto inclui o Valor de Dificuldade Valor de Dificuldade (VD) O VD são os elementos das Tabelas de Elementos do Código de Pontuação os quais são abertos e podem ser ampliados quando necessário. No máimo os 08 VD mais altos, incluindo as saídas, são considerados nas Paralelas, Trave e Solo. A Banca D sempre irá reconhecer o valor de dificuldade, eceto quando apresenta falhas e não atende às eigências técnicas próprias do elemento Reconhecimento do VD Rodantes e elementos laterais são considerados elementos Para Frente D- = 0.40 P. E- = 0.50 P. F- = 0.60 P. G- = 0.70 P. Composition Requirements 2.50 P. Connection Value The D- Score on VT includes Difficulty Value Difficulty Value (DV) The DV are elements from The Table of Elements in the Code of Points which are open ended and may be epanded as needed. The Maimum 8 highest DV including the dismount are counted on UB, BB and FX. The D- Panel will always recognize the difficulty value of the element unless there is a failure to meet the technical requirement of the element Recognition of DV Arabian and side elements are considered Forward Elements Reconhecimento de Dificuldades Iguais e Diferentes O mesmo VD pode ser reconhecido apenas uma vez nas séries. Se for realizado um segunda vez, o VD não será considerado. Elementos são considerados iguais, se estão listados com o mesmo número e: São eecutados com ou sem troca de tomada saltada nas PA eecutado antes de qualquer elemento próimo ao barrote para trás não torna o elemento diferente. Eemplo: mesmo que mesmo que mesmo que mesmo que Elementos de dança: Eecutados lateral ou transversal na Trave. Para os saltos com 1/1 pirueta ou mais, eecutados lateralmente, será concedido um grau de VD maior que quando eecutado na transversal. Se um mesmo elemento é eecutado lateralmente e na transversal o VD será reconhecido apenas uma vez e em ordem cronológica. Quando eecutado a partir do salto em um pé ou dois pés, com a mesma posição das pernas. Eemplo: wolf (a partir do salto em um pé) e wolf (a partir do salto em dois pés). Aterrissagem em um ou dois pés (Trave) Aterrissagem em um ou dois pés ou em posição de pronação (Solo) Com giro para frente ou para trás (Trave e Solo) Elementos acrobáticos com aterrissagem em um ou dois pés (Trave e Solo) Recognition of the Same and Different Difficulties The same Difficulty Value can be recognized only one time in an eercise. If performed the second time, DV is not considered. Elements are considered the same, if they are listed under the same number and: are performed with or without a hop grip change on UB performed before any bwd close bar circle element does not make the element different. Eamples: same as same as same as same as Dance elements: are performed in Side or Cross position (BB) Jumps with 1/1 turn or more performed in side position will be awarded 1 DV higher than in cross position. If the same element is performed in cross and in side position, the DV will be awarded one time only and in chronological order. with take off from one or two feet with the same leg position i.e: wolf hop (take off from one leg) and wolf jump (take off from 2 legs) land on one or both feet (BB) land on one or both feet or in prone position (FX) turns in the forward and backward direction (BB & FX) Acro elements that land on one or both feet (BB & FX) Código de Pontuação Feminino

20 Elementos são considerados diferentes, se estiverem listados com: Número diferente ou, O mesmo número, quando: Em diferente posição do corporal (grupada, carpada ou estendida) nos mortais. As pernas estão unidas ou afastadas nos mortais (PA). As pernas estão em espacato de frente ou de lado nos elementos de dança (Solo). Tem diferentes graus de rotação ½, 1/1, 1½ (180º, 360º, 540º ) etc. (veja artigo 7 para as eigências específicas dos aparelhos). O apoio é eecutado sobre um ou ambos os braços ou sem apoio. Impulso para elementos acrobáticos a partir de um ou dois pés (Solo). O reconhecimento dos elementos acontece em ordem cronológica O VD de elementos eecutados com falhas técnicas será reconhecido com valor menor ou como outro elemento na Tabela de Dificuldades (ou mesmo sem VD). Se um elemento é reconhecido com o VD menor, em função de uma falha técnica, e é apresentado novamente na série, será considerado repetição - sem VD. Eemplo: nas PA giro gigante para trás com 1 ½ pirueta que é considerado com um grau de VD menor (C) em função de falha em chegar á posição de parada de mãos antes da pirueta; então é eecutado na série pela segunda vez e a pirueta é completada na parada, mas não será considerado VD. Se um elemento é reconhecido como outro da Tabela de Dificuldades, devido a uma falha técnica e, posteriormente, o elemento é eecutado sem falha técnica, o VD dos dois elementos será considerado. Eemplo: Switch leap com a primeira perna abaio de 45º é reconhecido como salto Espacato e, se mais tarde na série é eecutado um Switch leap com técnica correta o VD de ambos será reconhecido Eigências de Composição (EC) 2.50 pts As Eigências de Composição são descritas nos artigos dos respectivos aparelhos. Um máimo de 2.50 pts é possível. Um elemento pode atender mais que uma EC; porem, um elemento não pode ser repetido para atender outra EC. Princípios para a saída Sem saída, saída A ou B pts Saída C pts Saída D ou maior pts Valor de Ligação (VL) O Valor de Ligação é obtido mediante combinações únicas com elementos de alto VD nas Paralelas, Trave e Solo. Elementos utilizados para VL não precisam estar entre os 08 elementos considerados para o VD (com eceção nas PA - veja 9.2). VL nas Paralelas, Trave e Solo são avaliados como: Elements are considered different, if they are listed under; different numbers or the same number, when there are different body positions (tuck, pike or stretched) in saltos the legs are together or straddled in saltos (UB) the legs are in cross or side split in dance elements (FX) there are different degrees of turns ½, 1/1, 1½ (180, 360, 540 ), etc. (see Article 7 for specific apparatus requirements) the support is performed on one or both arms or free the acrobatic elements take-off from one or both legs (FX) Recognition of elements occurs in chronological order In case of technical failure elements will be credited one DV lower or recognized as another element in the table of difficulties (or no DV). If an element is credited one DV lower due to technical requirement failure and is later performed again in the eercise it will then be considered as a repetition and no DV will be awarded. Eample: UB: Giant bwd with 1 ½ turn that is credited one DV lower (C), due to failure to reach handstand prior to the turn, is then performed a 2 nd time in the eercise and completed 1 ½ turn in handstand then the no DV (D) will be awarded. If an element is recognized as another element (from the Table of elements) due to failure to meet technical requirements and later the element is performed with correct technique they may both receive DV. Eample: Switch leap with the first leg swing below 45 becomes Split leap and if the Switch leap is performed later with correct technique it is recognized as a Switch Leap because both elements appear in the Table of elements Composition Requirements (CR) 2.50 P. Composition requirements are described in the respective Apparatus Articles. A maimum of 2.50 P. is possible. One element may fulfill more than one CR; however, an element may not be repeated to fulfill another CR. Dismount Principle No dismount, A- or B- dismount award 0.00 P. C- dismount award 0.30 P. D- or higher dismount award 0.50 P Connection Value (CV) Connection value is to be achieved through unique and highly difficult combinations of elements on Uneven Bars, Balance Beam and Floor Eercise. Elements used for CV do NOT have to be among the 8 counting DV (with the eception of the UB. See 9.2) Connection Value on UB, BB and FX is evaluated at: Código de Pontuação Feminino

Condições de Participação no Evento. Licenças. Equipamentos Regulamentos ( Bicicletas) Equipamento ( Vestuário ) Seguros. Entradas - Espectadores

Condições de Participação no Evento. Licenças. Equipamentos Regulamentos ( Bicicletas) Equipamento ( Vestuário ) Seguros. Entradas - Espectadores Condições de Participação no Evento De acordo com os Regulamentos da UCI Ciclismo de Pista Veteranos 3.9.001. Estes regulamentos estão disponíveis no site da UCI em www.uci.ch. Clicar sobre Rules e seguidamente

Leia mais

NORMAS PARA AUTORES. As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt.

NORMAS PARA AUTORES. As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt. NORMAS PARA AUTORES As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt. COPYRIGHT Um artigo submetido à Revista Portuguesa

Leia mais

Federação Internacional de Ginástica. Código de Pontuação. Code of Points. International Gymnastics Federation. Comitê Técnico Masculino

Federação Internacional de Ginástica. Código de Pontuação. Code of Points. International Gymnastics Federation. Comitê Técnico Masculino Federação Internacional de Ginástica International Gymnastics Federation Comitê Técnico Masculino Código de Pontuação Para competições de Ginástica Masculina em Campeonatos do Mundo Jogos Olímpicos Competições

Leia mais

DATE July 04 th and 05 th, 2009. VENUE Ginásio Gilberto Cardoso Maracanãzinho Rua Professor Eurico Rabelo, S/Nr. Rio de Janeiro/RJ Brasil

DATE July 04 th and 05 th, 2009. VENUE Ginásio Gilberto Cardoso Maracanãzinho Rua Professor Eurico Rabelo, S/Nr. Rio de Janeiro/RJ Brasil DATE July 04 th and 05 th, 2009. VENUE Ginásio Gilberto Cardoso Rua Professor Eurico Rabelo, S/Nr Rio de Janeiro RJ Brazil ORGANIZER Confederação Brasileira de Judô Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro

Leia mais

Intellectual Property. IFAC Formatting Guidelines. Translated Handbooks

Intellectual Property. IFAC Formatting Guidelines. Translated Handbooks Intellectual Property IFAC Formatting Guidelines Translated Handbooks AUTHORIZED TRANSLATIONS OF HANDBOOKS PUBLISHED BY IFAC Formatting Guidelines for Use of Trademarks/Logos and Related Acknowledgements

Leia mais

聯 絡 人 電 話 TELEFONE TELEPHONE

聯 絡 人 電 話 TELEFONE TELEPHONE 隊 伍 報 名 表 / Boletim de Inscrição de Equipa / Team Registration Form ( 截 止 遞 交 日 期 / Data de entrega até / To submit by 9: 3/3/2) ( 每 一 請 填 寫 一 張 表 格./ Preencha um formulário para cada prova. / Please fill

Leia mais

WATER MATTRESS MASSAGE SYSTEM 20439

WATER MATTRESS MASSAGE SYSTEM 20439 Page 1 of 10 WATER MATTRESS MASSAGE SYSTEM 20439 CONTENTS Massage System with Controller Please note: the above image shows a white unit and a blue unit. The white unit is supplied inside the blue unit

Leia mais

USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 WORK PLAN FOR IMPLEMENTATION OF THE UNITED STATES PATENT AND

Leia mais

IN RE: GUARDIAN ADVOCATE OF/ REF: CURATELA ESPECIAL DE

IN RE: GUARDIAN ADVOCATE OF/ REF: CURATELA ESPECIAL DE IN THE CIRCUIT COURT FOR ORANGE COUNTY, FLORIDA PROBATE DIVISION IN RE: GUARDIAN ADVOCATE OF/ REF: CURATELA ESPECIAL DE Case No / N o do Caso: ANNUAL GUARDIAN ADVOCATE REPORT ANNUAL GUARDIAN ADVOCATE PLAN

Leia mais

Versão: 1.0. Segue abaixo, os passos para o processo de publicação de artigos que envolvem as etapas de Usuário/Autor. Figura 1 Creating new user.

Versão: 1.0. Segue abaixo, os passos para o processo de publicação de artigos que envolvem as etapas de Usuário/Autor. Figura 1 Creating new user. Órgão: Ministry of Science, Technology and Innovation Documento: Flow and interaction between users of the system for submitting files to the periodicals RJO - Brazilian Journal of Ornithology Responsável:

Leia mais

INSTRUÇÕES INSTRUCTIONS

INSTRUÇÕES INSTRUCTIONS INSTRUÇÕES INSTRUCTIONS DOCUMENTAÇÃO A APRESENTAR PELOS CANDIDATOS PARA AVALIAÇÃO Os candidatos devem apresentar para avaliação da candidatura a seguinte documentação: a) Prova da nacionalidade (BI, passaporte.);

Leia mais

Project Management Activities

Project Management Activities Id Name Duração Início Término Predecessoras 1 Project Management Activities 36 dias Sex 05/10/12 Sex 23/11/12 2 Plan the Project 36 dias Sex 05/10/12 Sex 23/11/12 3 Define the work 15 dias Sex 05/10/12

Leia mais

ONLINE SUBMISSION Revisor

ONLINE SUBMISSION Revisor ONLINE SUBMISSION Revisor O Brazilian Journal of Medical and Biological Research é parcialmente financiado por: LOG IN Log In REVISOR Brazilian Journal of Medical and Biological O Brazilian Journal Research

Leia mais

CONGRESSO. 04 e 05 de Março de 2015 São Paulo, Brasil WWW.GMIFORUM.COM REALIZAÇÃO:

CONGRESSO. 04 e 05 de Março de 2015 São Paulo, Brasil WWW.GMIFORUM.COM REALIZAÇÃO: REALIZAÇÃO: CONGRESSO 04 e 05 de Março de 2015 São Paulo, Brasil sales@gmiforum.com mc@gmiforum.com +55 12 34 24 8464 +55 48 8871 7337 WWW.GMIFORUM.COM Bem Vindos ao BrasCon Congresso Brasileiro Técnico-Comercial

Leia mais

Instructions. Instruções

Instructions. Instruções Instructions ENGLISH Instruções PORTUGUÊS This document is to help consumers in understanding basic functionality in their own language. Should you have any difficulty using any of the functions please

Leia mais

2005 2011 O caminho da GMB para aprovação técnica no PMC passou pelo projeto GMB2NLM

2005 2011 O caminho da GMB para aprovação técnica no PMC passou pelo projeto GMB2NLM 2005 2011 O caminho da GMB para aprovação técnica no PMC passou pelo projeto GMB2NLM Klaus Hartfelder Editor Assistente da GMB editor@gmb.org.br ou klaus@fmrp.usp.br Passo 1: submissão dos dados da revista

Leia mais

澳 門 國 際 龍 舟 賽. Regatas Internacionais de Barcos-Dragão de Macau Macau International Dragon Boat Races

澳 門 國 際 龍 舟 賽. Regatas Internacionais de Barcos-Dragão de Macau Macau International Dragon Boat Races 隊 伍 報 名 表 / Boletim de Inscrição de Equipa / Team Registration Form ( 截 止 遞 交 日 期 / Data de entrega até / To submit by 17:, 23/3/2) ( 每 一 項 目 請 填 寫 一 張 表 格./ Preencha um formulário para cada prova. / Please

Leia mais

MEMORANDUM OF UNDERSTANDING BETWEEN THE COMPETENT AUTHORITIES OF THE PORTUGUESE REPUBLIC AND THE GOVERNMENT OF JERSEY

MEMORANDUM OF UNDERSTANDING BETWEEN THE COMPETENT AUTHORITIES OF THE PORTUGUESE REPUBLIC AND THE GOVERNMENT OF JERSEY MEMORANDUM OF UNDERSTANDING BETWEEN THE COMPETENT AUTHORITIES OF THE PORTUGUESE REPUBLIC AND THE GOVERNMENT OF JERSEY The Competent Authorities of the Portuguese Republic and the Government of Jersey in

Leia mais

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Portuguese Lesson A Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Story Time is a program designed for students who have already taken high school or college courses or students who have completed other

Leia mais

Vantagem de Adesão AMERICAN SOCIETY OF PLASTIC SURGEONS Como se Tornar um Membro Internacional:

Vantagem de Adesão AMERICAN SOCIETY OF PLASTIC SURGEONS Como se Tornar um Membro Internacional: Vantagem de Adesão AMERICAN SOCIETY OF PLASTIC SURGEONS Como se Tornar um Membro Internacional: Se você está ativamente envolvido na prática da Cirurgia Plástica ou Reconstrutiva por menos de três (3)

Leia mais

75, 8.º DTO 1250-068 LISBOA

75, 8.º DTO 1250-068 LISBOA EAbrief: Medida de incentivo ao emprego mediante o reembolso da taxa social única EAbrief: Employment incentive measure through the unique social rate reimbursement Portaria n.º 229/2012, de 03 de Agosto

Leia mais

** PESSOA SINGULAR ** 1. SE OPTAR POR EFETUAR O DESPACHO DIRETAMENTE JUNTO DA AUTORIDADE TRIBUTÁRIA E ADUANEIRA ALFÂNDEGA

** PESSOA SINGULAR ** 1. SE OPTAR POR EFETUAR O DESPACHO DIRETAMENTE JUNTO DA AUTORIDADE TRIBUTÁRIA E ADUANEIRA ALFÂNDEGA ** PESSOA SINGULAR ** 1. SE OPTAR POR EFETUAR O DESPACHO DIRETAMENTE JUNTO DA AUTORIDADE TRIBUTÁRIA E ADUANEIRA ALFÂNDEGA Se é uma Pessoa Singular, e quer optar por efetuar o despacho diretamente junto

Leia mais

Solicitação de Mudança 01

Solicitação de Mudança 01 Solicitação de Mudança 01 Refatorar a especificação da linha de produtos Crisis Management System permitindo que o suporte ao registro de LOG seja opcional. Isso significa que o comportamento descrito

Leia mais

PROGRAM FOR 3 DAYS in Faial and S. Jorge Islands, Azores

PROGRAM FOR 3 DAYS in Faial and S. Jorge Islands, Azores PROGRAM FOR 3 DAYS in Faial and S. Jorge Islands, Azores THIS PROGRAM AIMS TO TOAST OUR CUSTOMERS WITH THE OPPORTUNITY TO DISCOVER AND EXPLORE THE FAIAL AND S. JORGE ISLANDS. WE HAVE A WIDE RANGE OF CULTURAL

Leia mais

Guião A. Descrição das actividades

Guião A. Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Ponto de Encontro Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: Um Mundo de Muitas Culturas Duração da prova: 15 a 20 minutos 1.º MOMENTO

Leia mais

INTERNATIONAL CRIMINAL COURT. Article 98 TREATIES AND OTHER INTERNATIONAL ACTS SERIES 04-1119

INTERNATIONAL CRIMINAL COURT. Article 98 TREATIES AND OTHER INTERNATIONAL ACTS SERIES 04-1119 TREATIES AND OTHER INTERNATIONAL ACTS SERIES 04-1119 INTERNATIONAL CRIMINAL COURT Article 98 Agreement between the UNITED STATES OF AMERICA and CAPE VERDE Signed at Washington April 16, 2004 NOTE BY THE

Leia mais

FONTE Aviso do Ministério dos Negócios Estrangeiros (Diário do Governo, I Série n.º 108, p. 493)

FONTE Aviso do Ministério dos Negócios Estrangeiros (Diário do Governo, I Série n.º 108, p. 493) DATA 27.4.1963 FONTE Aviso do Ministério dos Negócios Estrangeiros (Diário do Governo, I Série n.º 108, p. 493) SUMÁRIO Torna público ter sido concluído em Camberra um acordo entre o governo português

Leia mais

Guião M. Descrição das actividades

Guião M. Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Inovação Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: O Mundo do trabalho Duração da prova: 15 a 20 minutos 1.º MOMENTO Guião M Intervenientes

Leia mais

ÍNDICE PORTUGUÊS INDEX ENGLISH

ÍNDICE PORTUGUÊS INDEX ENGLISH ÍNDICE PORTUGUÊS 1. Características... 2 2. Conteúdo da Embalagem... 3 3. Como usar o Receptor de TV Digital... 3 4. Tela de Vídeo... 6 5.Requisitos Mínimos... 6 6. Marcas Compatíveis... 8 INDEX ENGLISH

Leia mais

RcPDV. 2015 Rica Informática

RcPDV. 2015 Rica Informática RcPDV Note: To change the product logo for your ow n print manual or PDF, click "Tools > Manual Designer" and modify the print manual template. Title page 1 Use this page to introduce the product by Rica

Leia mais

Portugal Cup Vodafone 2013

Portugal Cup Vodafone 2013 TAÇA DE PORTUGAL DHI VODAFONE 2013 Portugal Cup Vodafone 2013 PORTO DE MÓS (GUIA TÉCNICO) Technical Guide INDÍCE / INDEX Informação do evento / The venue...3 Organização / Organization... 3 Apresentação

Leia mais

Inglês. Guião. Teste Intermédio de Inglês. Parte IV Interação oral em pares. Teste Intermédio

Inglês. Guião. Teste Intermédio de Inglês. Parte IV Interação oral em pares. Teste Intermédio Teste Intermédio de Inglês Parte IV Interação oral em pares Teste Intermédio Inglês Guião Duração do Teste: 10 a 15 minutos De 25.02.2013 a 10.04.2013 9.º Ano de Escolaridade D TI de Inglês Página 1/ 7

Leia mais

Perguntas & Respostas

Perguntas & Respostas Perguntas & Respostas 17 de Abril de 2008 Versão Portuguesa 1. O que é uma Certidão Permanente?...4 2. Como posso ter acesso a uma Certidão Permanente?...4 3. Onde posso pedir uma Certidão Permanente?...4

Leia mais

A. Situação / Situation

A. Situação / Situation A. Situação / Situation A Assembleia Mundial da Saúde (OMS) aprova em 1969 o Regulamento Sanitário Internacional, revisto pela quarta vez em 2005. Esta última versão entrou em vigor no plano internacional

Leia mais

APRESENTAÇÃO. ABNT CB-3 Comitê Brasileiro de Eletricidade Comissão de Estudo CE 03:064.01 Instalações Elétricas de Baixa Tensão NBR 5410

APRESENTAÇÃO. ABNT CB-3 Comitê Brasileiro de Eletricidade Comissão de Estudo CE 03:064.01 Instalações Elétricas de Baixa Tensão NBR 5410 APRESENTAÇÃO ABNT CB-3 Comitê Brasileiro de Eletricidade Comissão de Estudo CE 03:064.01 Instalações Elétricas de Baixa Tensão NBR 5410 Instalações elétricas de baixa tensão NBR 5410:1997 NBR 5410:2004

Leia mais

Addition of Fields in Line Item Display Report Output for TCode FBL1N/FBL5N

Addition of Fields in Line Item Display Report Output for TCode FBL1N/FBL5N Addition of Fields in Line Item Display Report Output for TCode FBL1N/FBL5N Applies to: Any business user who uses the transactions FBL1N and FBL5N to display line item reports for vendors and customers.

Leia mais

Português 207 Portuguese for Business

Português 207 Portuguese for Business Português 207 Portuguese for Business Spring 2012: Porugal and the EU Instructor: Jared Hendrickson Office: 1149 Van Hise Office Hours: Monday and Thursday, 11:00 am-12:00 pm e-mail: jwhendrickso@wisc.edu

Leia mais

BR-EMS MORTALITY AND SUVIVORSHIP LIFE TABLES BRAZILIAN LIFE INSURANCE AND PENSIONS MARKET

BR-EMS MORTALITY AND SUVIVORSHIP LIFE TABLES BRAZILIAN LIFE INSURANCE AND PENSIONS MARKET BR-EMS MORTALITY AND SUVIVORSHIP LIFE TABLES BRAZILIAN LIFE INSURANCE AND PENSIONS MARKET 2015 1 e-mail:mario@labma.ufrj.br Tables BR-EMS, mortality experience of the Brazilian Insurance Market, were constructed,

Leia mais

MEETING CIDADE DE MATOSINHOS INTERNATIONAL OPTIMIST CLASS NOTICE OF RACE 17 th to 19 th October 2014

MEETING CIDADE DE MATOSINHOS INTERNATIONAL OPTIMIST CLASS NOTICE OF RACE 17 th to 19 th October 2014 MEETING CIDADE DE MATOSINHOS INTERNATIONAL OPTIMIST CLASS NOTICE OF RACE 17 th to 19 th October 2014 The MEETING CIDADE DE MATOSINHOS for International Optimist Class will be held in MATOSINHOS from 17th

Leia mais

2. HUMAN RESOURCES 2. RECURSOS HUMANOS 1 RECRUTAMENTO E SELECÇÃO 1 RECRUITMENT AND SELECTION 2 QUALIFICAÇÃO DOS TRABALHADORES

2. HUMAN RESOURCES 2. RECURSOS HUMANOS 1 RECRUTAMENTO E SELECÇÃO 1 RECRUITMENT AND SELECTION 2 QUALIFICAÇÃO DOS TRABALHADORES RECURSOS HUMANOS HUMAN RESOURCES . RECURSOS HUMANOS RECRUTAMENTO E SELECÇÃO. HUMAN RESOURCES RECRUITMENT AND SELECTION O recrutamento e a situação contratual, no ano em análise, e face ao anterior, caracterizaram-se

Leia mais

Consultoria em Direito do Trabalho

Consultoria em Direito do Trabalho Consultoria em Direito do Trabalho A Consultoria em Direito do Trabalho desenvolvida pelo Escritório Vernalha Guimarães & Pereira Advogados compreende dois serviços distintos: consultoria preventiva (o

Leia mais

Deposits and Withdrawals policy

Deposits and Withdrawals policy Deposits and Withdrawals policy TeleTrade-DJ International Consulting Ltd **** Política de Depósitos e Levantamentos TeleTrade-DJ International Consulting Ltd 2011-2015 TeleTrade-DJ International Consulting

Leia mais

Completing your Participant Agreement Como preencher o Contrato de Participação

Completing your Participant Agreement Como preencher o Contrato de Participação Completing your Participant Agreement Como preencher o Contrato de Participação A quick-start guide for stock plan participants. Um guia rápido para participantes do plano de compra de ações. Your company

Leia mais

學 術 研 究 獎 學 金 申 請 表. Bolsas de Investigação Académica Boletim de Candidatura. Academic Research Grant Application Form

學 術 研 究 獎 學 金 申 請 表. Bolsas de Investigação Académica Boletim de Candidatura. Academic Research Grant Application Form 澳 門 特 別 行 政 區 政 府 Governo da Região Administrativa Especial de Macau 文 化 局 Instituto Cultural 學 術 研 究 獎 學 金 申 請 表 ( 根 據 學 術 研 究 獎 學 金 規 章 第 九 條 第 一 款 ) Bolsas de Investigação Académica Boletim de Candidatura

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS COORDENADORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS International Relations Office

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS COORDENADORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS International Relations Office UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS COORDENADORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS International Relations Office FORMULÁRIO DE CANDIDATURA PARA ESTUDANTE DE INTERCÂMBIO EXCHANGE STUDENT APPLICATION FORM Semestre

Leia mais

2016 Grand Prix Epeé - Rio de Janeiro

2016 Grand Prix Epeé - Rio de Janeiro 2016 Grand Prix Epeé - Rio de Janeiro FIE Grand Prix in Men s & women s weapon April 22 nd 27 th, 2016 A Confederação Brasileira de Esgrima tem o prazer de convida-lo a participar do Grand Prix de Espada

Leia mais

VI BIENAL INTERNACIONAL DE MEDALHA CONTEMPORÂNEA SEIXAL. 6 th INTERNATIONAL BIENNIAL OF CONTEMPORARY MEDALS SEIXAL

VI BIENAL INTERNACIONAL DE MEDALHA CONTEMPORÂNEA SEIXAL. 6 th INTERNATIONAL BIENNIAL OF CONTEMPORARY MEDALS SEIXAL VI BIENAL INTERNACIONAL DE MEDA- LHA CONTEMPORÂNEA SEIXAL A VI BIENAL INTERNACIONAL DE MEDALHA CON- TEMPORÂNEA SEIXAL, doravante designada por VI BIMC-S, é uma iniciativa promovida e organizada pela Câmara

Leia mais

Certificado de Conformidade Ex Ex Certificate of Conformity

Certificado de Conformidade Ex Ex Certificate of Conformity Certificado emitido conforme requisitos da avaliação da conformidade de equipamentos elétricos para atmosferas explosivas, anexo à Portaria Inmetro nº. 179 de 18 de maio de 2010 Certificate issued in according

Leia mais

User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing

User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing Kern, Bryan; B.S.; The State University of New York at Oswego kern@oswego.edu Tavares, Tatiana; PhD;

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA COMISSÃO NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA NOS PORTOS, TERMINAIS E VIAS NAVEGÁVEIS - CONPORTOS

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA COMISSÃO NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA NOS PORTOS, TERMINAIS E VIAS NAVEGÁVEIS - CONPORTOS MINISTÉRIO DA JUSTIÇA COMISSÃO NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA NOS PORTOS, TERMINAIS E VIAS NAVEGÁVEIS - CONPORTOS RESOLUÇÃO Nº 33, DE 11 DE NOVEMBRO DE 2004. Dispõe sobre a concessão de Declaração de Proteção

Leia mais

Aqui pode escolher o Sistema operativo, e o software. Para falar, faça download do Cliente 2.

Aqui pode escolher o Sistema operativo, e o software. Para falar, faça download do Cliente 2. TeamSpeak PORTUGUES ENGLISH Tutorial de registo num servidor de TeamSpeak Registration tutorial for a TeamSpeak server Feito por [WB ].::B*A*C*O::. membro de [WB ] War*Brothers - Non Dvcor Dvco Made by:

Leia mais

01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS

01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS 01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS OBS1: Adaptação didática (TRADUÇÃO PARA PORTUGUÊS) realizada pelo Prof. Dr. Alexandre Rosa dos Santos. OBS2: Textos extraídos do site: http://www.englishclub.com

Leia mais

ANÁLISE BIOMECÂNICA DO SALTO SOBRE A MESA: RELAÇÃO ENTRE O TIPO DE SALTO E SEUS PARÂMETROS CINEMÁTICOS

ANÁLISE BIOMECÂNICA DO SALTO SOBRE A MESA: RELAÇÃO ENTRE O TIPO DE SALTO E SEUS PARÂMETROS CINEMÁTICOS ANÁLISE BIOMECÂNICA DO SALTO SOBRE A MESA: RELAÇÃO ENTRE O TIPO DE SALTO E SEUS PARÂMETROS CINEMÁTICOS Márcia Francine Bento 1, Marcelo Sato Yamauchi 1, Paulo Carrara 1,3, Cindy Santiago Tupiniquim 1 e

Leia mais

Full Ship Charter Qualification / Formulário de Fretamento de Navio

Full Ship Charter Qualification / Formulário de Fretamento de Navio Full Ship Charter Qualification / Formulário de Fretamento de Navio Qualification Completed By / Qualificação completada por: Country/Region / País/Região: Royal Caribbean LTD Lead Source & Contact Information

Leia mais

How are you? Activity 01 Warm up. Activity 02 Catch! Objective. Procedure. Objective. Preparation. Procedure. To warm-up and practice greetings.

How are you? Activity 01 Warm up. Activity 02 Catch! Objective. Procedure. Objective. Preparation. Procedure. To warm-up and practice greetings. Activity 01 Warm up Objective To warm-up and practice greetings. 1. Make sure you re in the room before the Ss. 2. Greet Ss as they enter the room using How are you?, How are you doing?, What s up?. 3.

Leia mais

APRESENTAÇÃO / PRESENTATION... 2 INFORMAÇÃO DA PROVA / EVENT INFORMATION... 2 EQUIPA TÉCNICA / EVENT TECHNICAL STAFF... 2 PROGRAMA / PROGRAMME...

APRESENTAÇÃO / PRESENTATION... 2 INFORMAÇÃO DA PROVA / EVENT INFORMATION... 2 EQUIPA TÉCNICA / EVENT TECHNICAL STAFF... 2 PROGRAMA / PROGRAMME... INDEX APRESENTAÇÃO / PRESENTATION... 2 INFORMAÇÃO DA PROVA / EVENT INFORMATION... 2 EQUIPA TÉCNICA / EVENT TECHNICAL STAFF... 2 PROGRAMA / PROGRAMME... 3 CARACTERISTICAS DA PROVA / RACE DETAILS... 5 MAPA

Leia mais

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO PROJECTO PROVAS EXPERIMENTAIS DE EXPRESSÃO ORAL DE LÍNGUA ESTRANGEIRA - 2005-2006 Ensino Secundário - Inglês, 12º ano - Nível de Continuação 1 1º Momento GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

Leia mais

GUIÃO A. Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho. 1º Momento. Intervenientes e Tempos. Descrição das actividades

GUIÃO A. Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho. 1º Momento. Intervenientes e Tempos. Descrição das actividades Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho GUIÃO A 1º Momento Intervenientes e Tempos Descrição das actividades Good morning / afternoon / evening, A and B. For about three minutes, I would like

Leia mais

Guia de Preenchimento da Proposta de Adesão ao Plano de Saúde Claro Dental

Guia de Preenchimento da Proposta de Adesão ao Plano de Saúde Claro Dental Guia de Preenchimento da Proposta de Adesão ao Plano de Saúde Claro Dental Este documento vai auilia-lo(a) a realizar o correcto preenchimento do seu Plano de Saúde Dentário da Claro S.A. que é composto

Leia mais

Gerenciamento do Escopo de Projetos. Parte 04. Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE- 325. Docente: Petrônio Noronha de Souza

Gerenciamento do Escopo de Projetos. Parte 04. Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE- 325. Docente: Petrônio Noronha de Souza Gerenciamento do Escopo de Projetos Parte 04 Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE- 325 Docente: Petrônio Noronha de Souza Curso: Engenharia e Tecnologia Espaciais Concentração: Engenharia e Gerenciamento

Leia mais

Mestrado em Ciências Jurídicas Especialização em História do Direito 2015-16

Mestrado em Ciências Jurídicas Especialização em História do Direito 2015-16 Mestrado em Ciências Jurídicas Especialização em História do Direito Unidade curricular História do Direito Português I (1º sem). Docente responsável e respectiva carga lectiva na unidade curricular Prof.

Leia mais

Preposições em Inglês: www.napontadalingua.hd1.com.br

Preposições em Inglês: www.napontadalingua.hd1.com.br Preposições na língua inglesa geralmente vem antes de substantivos (algumas vezes também na frente de verbos no gerúndio). Algumas vezes é algo difícil de se entender para os alunos de Inglês pois a tradução

Leia mais

CAMPEONATO ABERTO INTERNACIONAL DE TIRO ESPORTIVO 2013 2013 BRAZILIAN OPEN SHOOTING CHAMPIONSHIPS (An IPC Shooting Approved Competition)

CAMPEONATO ABERTO INTERNACIONAL DE TIRO ESPORTIVO 2013 2013 BRAZILIAN OPEN SHOOTING CHAMPIONSHIPS (An IPC Shooting Approved Competition) CAMPEONATO ABERTO INTERNACIONAL DE TIRO ESPORTIVO 2013 2013 BRAZILIAN OPEN SHOOTING CHAMPIONSHIPS (An IPC Shooting Approved Competition) Comitê Organizador Organizing Committee Comitê Paralímpico Brasileiro

Leia mais

Normas Gráficas do Símbolo e Logótipo aicep Portugal Global aicep Portugal Global Symbol and Logo Graphic Guidelines Capítulo 1 Chapter 1

Normas Gráficas do Símbolo e Logótipo aicep Portugal Global aicep Portugal Global Symbol and Logo Graphic Guidelines Capítulo 1 Chapter 1 Normas Gráficas do Símbolo e Logótipo aicep Portugal Global aicep Portugal Global Symbol and Logo Graphic Guidelines Capítulo 1 Chapter 1 Introdução Introduction Normas Gráficas Este manual fornece os

Leia mais

2 Categorias Categories Todas as categorias de actividade são apresentadas neste espaço All activity categories are presented in this space

2 Categorias Categories Todas as categorias de actividade são apresentadas neste espaço All activity categories are presented in this space 1 Próximas Actividades Next Activities Visualiza as próximas actividades a ter inicio, com a indicação do tempo restante Displays upcoming activities and indicating the remaining time 2 Categorias Categories

Leia mais

Lesson 6 Notes. Eu tenho um irmão e uma irmã Talking about your job. Language Notes

Lesson 6 Notes. Eu tenho um irmão e uma irmã Talking about your job. Language Notes Lesson 6 Notes Eu tenho um irmão e uma irmã Talking about your job Welcome to Fun With Brazilian Portuguese Podcast, the podcast that will take you from beginner to intermediate in short, easy steps. These

Leia mais

Drug registration in Brazil and inspectional framework

Drug registration in Brazil and inspectional framework Drug registration in Brazil and inspectional framework Registro de medicamentos no Brasil e cenário de inspeções internacionais September 2012 José Alexandre Buaiz Neto Drug types recognized by ANVISA

Leia mais

9.23 9.38 11.04 9.72 11.21 9.30 9.30 14.02 10.40 11.68 9.67 9.92 10.57 10.56 11.42 11.17 11.17 11.65 11.17 10.93 10.21 9.81 13.48 11.45 14.

9.23 9.38 11.04 9.72 11.21 9.30 9.30 14.02 10.40 11.68 9.67 9.92 10.57 10.56 11.42 11.17 11.17 11.65 11.17 10.93 10.21 9.81 13.48 11.45 14. INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE CONTRATO PARA EMPREGADOS DOMÉSTICOS NOS ESTADOS UNIDOS Candidatos a visto de empregado doméstico, acompanhante, e/ou empregado contratado por diplomatas em missão estrangeira,

Leia mais

Transação de Ações na sua Conta de Planos de Ações (Stock Plan Account)

Transação de Ações na sua Conta de Planos de Ações (Stock Plan Account) Transação de Ações na sua Conta de Planos de Ações (Stock Plan Account) Português - Portuguese Siga os passos que se seguem para vender as ações da sua empresa.* Antes de fazer a sua transação Recomendamos

Leia mais

Erasmus Student Work Placement

Erasmus Student Work Placement Erasmus Student Work Placement EMPLOYER INFORMATION Name of organisation Address Post code Country SPORT LISBOA E BENFICA AV. GENERAL NORTON DE MATOS, 1500-313 LISBOA PORTUGAL Telephone 21 721 95 09 Fax

Leia mais

ACEF/1112/04062 Decisão de apresentação de pronúncia

ACEF/1112/04062 Decisão de apresentação de pronúncia ACEF/1112/04062 Decisão de apresentação de pronúncia ACEF/1112/04062 Decisão de apresentação de pronúncia Decisão de Apresentação de Pronúncia ao Relatório da Comissão de Avaliação Externa 1. Tendo recebido

Leia mais

UNIVERSITY OF CAMBRIDGE INTERNATIONAL EXAMINATIONS International General Certificate of Secondary Education

UNIVERSITY OF CAMBRIDGE INTERNATIONAL EXAMINATIONS International General Certificate of Secondary Education UNIVERSITY OF CAMBRIDGE INTERNATIONAL EXAMINATIONS International General Certificate of Secondary Education *5148359301* PORTUGUESE 0540/03 Paper 3 Speaking Role Play Card One 1 March 30 April 2013 No

Leia mais

CERTIFICADO DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA

CERTIFICADO DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA Certificado Nº ANEXO CERTIFICADO DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA Expedido de acordo com as disposições da Convenção Internacional para Salvaguarda da Vida Humana no Mar, 1974, como emendada, (daqui em diante

Leia mais

Ficha de unidade curricular Curso de Doutoramento

Ficha de unidade curricular Curso de Doutoramento Ficha de unidade curricular Curso de Doutoramento Unidade curricular História do Direito Português I (Doutoramento - 1º semestre) Docente responsável e respectiva carga lectiva na unidade curricular Prof.

Leia mais

Laboratório 3. Base de Dados II 2008/2009

Laboratório 3. Base de Dados II 2008/2009 Laboratório 3 Base de Dados II 2008/2009 Plano de Trabalho Lab. 3: Programação em Transact-SQL MYSQL Referências www.mysql.com MICROSOFT SQL SERVER - Procedimentos do Lado do Servidor (Stored Procedures)

Leia mais

manualdepsiquiatriainfant il manual de psiquiatria infantil

manualdepsiquiatriainfant il manual de psiquiatria infantil manualdepsiquiatriainfant il manual de psiquiatria infantil These guides possess a lot information especially advanced tips such as the optimum settings configuration for manualdepsiquiatriainfantil manual

Leia mais

WWW.ADINOEL.COM Adinoél Sebastião /// Inglês Tradução Livre 74/2013

WWW.ADINOEL.COM Adinoél Sebastião /// Inglês Tradução Livre 74/2013 PASSO A PASSO DO DYNO Ao final desse passo a passo você terá o texto quase todo traduzido. Passo 1 Marque no texto as palavras abaixo. (decore essas palavras, pois elas aparecem com muita frequência nos

Leia mais

COMITÊ DO ESPECTRO PARA RADIODIFUSÃO - CER SPECTRUM DAY 16.08.2011 A REVISÃO DA REGULAMENTAÇÃO DO USO DA FAIXA DE 3,5 GHZ UMA NECESSIDADE COMPROVADA.

COMITÊ DO ESPECTRO PARA RADIODIFUSÃO - CER SPECTRUM DAY 16.08.2011 A REVISÃO DA REGULAMENTAÇÃO DO USO DA FAIXA DE 3,5 GHZ UMA NECESSIDADE COMPROVADA. COMITÊ DO ESPECTRO PARA RADIODIFUSÃO - CER SPECTRUM DAY 16.08.2011 A REVISÃO DA REGULAMENTAÇÃO DO USO DA FAIXA DE 3,5 GHZ UMA NECESSIDADE COMPROVADA. PAULO RICARDO H. BALDUINO 0 Conteúdo 1. Introdução

Leia mais

Pré-Inscrição On-line» [Versão em português] Online Registration» [English version] Programa Syllabus

Pré-Inscrição On-line» [Versão em português] Online Registration» [English version] Programa Syllabus Pré-Inscrição On-line» [Versão em português] Online Registration» [English version] Programa Syllabus Código Code Unidade Curricular Course Unit Português para Estrangeiros nível intermédio B Portuguese

Leia mais

Visitor, is this is very important contact with you. WATH DO WE HERE?

Visitor, is this is very important contact with you. WATH DO WE HERE? Visitor, is this is very important contact with you. I m Gilberto Martins Loureiro, Piraí s Senior Age Council President, Rio de Janeiro State, Brazil. Our city have 26.600 habitants we have 3.458 senior

Leia mais

Aceder à plataforma do concurso Accessing the call for applications platform. Submeter documentos Upload documents. Apagar documentos Delete documents

Aceder à plataforma do concurso Accessing the call for applications platform. Submeter documentos Upload documents. Apagar documentos Delete documents DRH DIREÇÃO DE RECURSOS HUMANOS HUMAN RESOURCES DIVISION CONCURSOS PARA PESSOAL DOCENTE GUIA RÁPIDO PARA SUBMETER DOCUMENTOS CALL FOR APPLICATIONS FOR FACULTY POSITIONS 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11

Leia mais

Technical Information

Technical Information Subject Ballast Water Management Plan To whom it may concern Technical Information No. TEC-0648 Date 14 February 2006 In relation to ballast water management plans, we would advise you that according to

Leia mais

NCE/11/01206 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos

NCE/11/01206 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos NCE/11/01206 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos NCE/11/01206 Decisão de apresentação de pronúncia - Novo ciclo de estudos Decisão de Apresentação de Pronúncia ao Relatório da

Leia mais

Manual do Utilizador Externo. Aplicação para Registo de Utilizadores do Sistema de Gestão de Medicamentos de Uso Humano (SMUH)

Manual do Utilizador Externo. Aplicação para Registo de Utilizadores do Sistema de Gestão de Medicamentos de Uso Humano (SMUH) Aplicação para Registo de Utilizadores do Sistema de Gestão de Medicamentos de Uso Humano (SMUH) Página 1 de 12 Índice 1 Introdução... 3 2 Utilização da Aplicação... 4 2.1 Primeiros Passos Termos de Utilização...4

Leia mais

Searching for Employees Precisa-se de Empregados

Searching for Employees Precisa-se de Empregados ALIENS BAR 1 Searching for Employees Precisa-se de Empregados We need someone who can prepare drinks and cocktails for Aliens travelling from all the places in our Gallaxy. Necessitamos de alguém que possa

Leia mais

III COLÓQUIO INTERNACIONAL DE DIREITO E LITERATURA: CRIME, PROCESSO E (IN)JUSTIÇA EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO

III COLÓQUIO INTERNACIONAL DE DIREITO E LITERATURA: CRIME, PROCESSO E (IN)JUSTIÇA EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO III COLÓQUIO INTERNACIONAL DE DIREITO E LITERATURA: CRIME, PROCESSO E (IN)JUSTIÇA EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO Regulamento para submissão de trabalhos científicos a serem apresentados no III Colóquio

Leia mais

Regulations of the Degrees Conferred by the University of Macau

Regulations of the Degrees Conferred by the University of Macau Regulations of the Degrees Conferred by the University of Macau Article 1 Degrees 1. The University of Macau (hereinafter referred to as UM) may confer bacharelatos, bachelor s degrees, master s degrees,

Leia mais

Para iniciar um agente SNMP, usamos o comando snmpd. Por padrão, aceita requisições na porta 161 (UDP).

Para iniciar um agente SNMP, usamos o comando snmpd. Por padrão, aceita requisições na porta 161 (UDP). EN3610 Gerenciamento e interoperabilidade de redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática SNMP 1 MIBs RMON No Linux os arquivos MIB são armazenados no diretório /usr/share/snmp/mibs. Cada arquivo MIB

Leia mais

Information technology specialist (systems integration) Especialista em tecnologia da informação (integração de sistemas)

Information technology specialist (systems integration) Especialista em tecnologia da informação (integração de sistemas) Information technology specialist (systems integration) Especialista em tecnologia da informação (integração de sistemas) Professional activities/tasks Design and produce complex ICT systems by integrating

Leia mais

COTAS DE PATROCÍNIO & EXPOSIÇÃO WWW.GMIFORUM.COM SUPPORTED BY:

COTAS DE PATROCÍNIO & EXPOSIÇÃO WWW.GMIFORUM.COM SUPPORTED BY: COTAS DE PATROCÍNIO & EXPOSIÇÃO CONTATO BRASIL Jean Nogueira Diretor de Desenvolvimento de Novos Negócio jn@gmiforum.com +55 16 99158 7204 +55 12 3424 8464 CONTATO GLOBAL Beatrice Ene Diretora de Marketing

Leia mais

Laboratório 5. Base de Dados II 2008/2009

Laboratório 5. Base de Dados II 2008/2009 Laboratório 5 Base de Dados II 2008/2009 Plano de Trabalho Lab. 4: Programação em Transact-SQL Referências MICROSOFT SQL SERVER - Triggers (gatilhos). - Exercícios 1. Conceito. - Os Stored Procedures permitem

Leia mais

SAP Best Practices Informações sobre disponibilidade e download para Clientes SAP e Parceiros SAP. Know-how setorial e global pré-configurado

SAP Best Practices Informações sobre disponibilidade e download para Clientes SAP e Parceiros SAP. Know-how setorial e global pré-configurado SAP Best Practices Informações sobre disponibilidade e download para Clientes SAP e Parceiros SAP Know-how setorial e global pré-configurado Índice 1.Disponibilidade dos pacotes SAP Best Practices 2.Efetuar

Leia mais

User Guide Manual de Utilizador

User Guide Manual de Utilizador 2400 DPI OPTICAL GAMING MOUSE User Guide Manual de Utilizador 2014 1Life Simplify it All rights reserved. www.1-life.eu 2 2400 DPI OPTICAL GAMING MOUSE ENGLISH USER GUIDE...4 MANUAL DE UTILIZADOR PORTUGUÊS...18

Leia mais

PROPRIEDADE INTELECTUAL, EVENTOS ESPORTIVOS, PATROCÍNIO DE ATLETAS E USO DA SUA IMAGEM

PROPRIEDADE INTELECTUAL, EVENTOS ESPORTIVOS, PATROCÍNIO DE ATLETAS E USO DA SUA IMAGEM PROPRIEDADE INTELECTUAL, EVENTOS ESPORTIVOS, PATROCÍNIO DE ATLETAS E USO DA SUA IMAGEM Debatedor: Gustavo Piva de Andrade gpa@dannemann.com.br 25/08/2014 Ruídos na comunicação de um grande evento esportivo

Leia mais

Para iniciar um agente SNMP, usamos o comando snmpd. Por padrão, aceita requisições na porta 161 (UDP).

Para iniciar um agente SNMP, usamos o comando snmpd. Por padrão, aceita requisições na porta 161 (UDP). EN3610 Gerenciamento e interoperabilidade de redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática SNMP Net-SNMP (http://www.net-snmp.org) é um conjunto de aplicações usado para implementar SNMPv1, SNMPv2 e SNMPv3.

Leia mais

Taça Brasil de Mountain Bike Cross Country / Brazil Cup of XCO Estadual MTB-XCO 2011

Taça Brasil de Mountain Bike Cross Country / Brazil Cup of XCO Estadual MTB-XCO 2011 Eventos Taça Brasil de Mountain Bike Cross Country / Brazil Cup of XCO Estadual MTB-XCO 2011 Campeonato Data(s): 21/05/2011-22/05/2011 / 05/21/2011 05/22/2011 Local: Local: Quinta da Boa Vista, Rio de

Leia mais

Certificado de Conformidade Ex Ex Certificate of Conformity

Certificado de Conformidade Ex Ex Certificate of Conformity Certificado emitido conforme requisitos da avaliação da conformidade de equipamentos elétricos para atmosferas explosivas, anexo à Portaria Inmetro nº. 179 de 18 de maio de 2010 Certificate issued in according

Leia mais

AT A HOTEL NO HOTEL. I d like to stay near the station. Can you suggest a cheaper hotel? Poderia sugerir um hotel mais barato?

AT A HOTEL NO HOTEL. I d like to stay near the station. Can you suggest a cheaper hotel? Poderia sugerir um hotel mais barato? I d like to stay near the station. Can you suggest a cheaper hotel? Gostaria de ficar por perto da estação. Poderia sugerir um hotel mais barato? I d like to stay near the station. (I would ) in a cheaper

Leia mais