Patricia de Campos Couto MS/SCTIE/DECIT/CGPC

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Patricia de Campos Couto MS/SCTIE/DECIT/CGPC"

Transcrição

1 Patricia de Campos Couto MS/SCTIE/DECIT/CGPC

2 AVALIAÇÃO DOS PROJETOS Diligências/informações INSTITUIÇÕES Projeto SE Credenciamento Distribuição SECRETARIAS Análise Parecer conclusivo SECRETARIAS Acompanhamento dos projetos INSTITUIÇÕES Captação Execução Prestação de contas SE Publicação de Portarias Abertura de contas Termo de compromisso

3 Avaliação de projetos de pesquisa Portaria 875/2013: Art. 5º Para fins do disposto no art. 4º, consideram-se áreas prioritárias para execução das ações e serviços de atenção oncológica (PRONON): VI - realização de pesquisas para o desenvolvimento de novos métodos para diagnóstico em câncer que sejam custo-efetivos; VII - realização de pesquisas epidemiológicas dos vários tipos de câncer existentes; VIII - realização de pesquisas voltadas à análise da sobrevida das pessoas com os diferentes tipos de câncer; IX - realização de pesquisas clínicas e epidemiológicas para o desenvolvimento de inovações, tecnologias e/ou produtos para prevenção, diagnóstico e/ou tratamento de câncer; e X - realização de pesquisas voltadas ao desenvolvimento de metodologias que viabilizem a análise dos bancos de dados de registros existentes.

4 Avaliação de projetos de pesquisa Port. 875/2013 Art. 9º Para fins do disposto no art. 8º, consideram-se áreas prioritárias para execução das ações e serviços de reabilitação (PRONAS-PCD): VI - realização de pesquisas clínicas e de inovação na reabilitação de deficiências; VII - realização de pesquisas epidemiológicas de deficiências; VIII - realização de pesquisas sócio-antropológicas sobre a deficiência; e IX - realização de pesquisas sobre acessibilidade comunicacional.

5 Avaliação de projetos de pesquisa Port. 875/2013 Art. 21. Cada projeto apresentado no âmbito do PRONON e do PRONAS/PCD conterá: I - identificação da instituição; II - ações e serviços a serem executados; III - demonstração da compatibilidade entre o disposto no inciso II e as áreas de atuação prioritárias definidas pelo Ministério da Saúde; IV - descrição da estrutura física e de recursos materiais e humanos a serem utilizados; V - capacidade técnico-operativa da instituição para execução do projeto; VI - estimativa de recursos financeiros para início e término da execução do projeto; VII - cronograma de sua execução; VIII - comprovação de anuência prévia do Projeto e das regras do Programa pelo gestor do SUS envolvido; (...) 2º No caso de projetos de pesquisa que dependam de avaliação prévia de comitês de ética, a instituição deverá apresentar cópia integral do referido projeto a eles previamente submetido e aprovado.

6 Avaliação de projetos de pesquisa Port. 875/2013 Anexo: a) Descrever sucintamente o objeto do projeto; b) Apresentar a justificativa e aplicabilidade da proposição, ressaltando sua adequabilidade e relevância para as políticas de saúde na(s) área(s) prioritária(s) de aplicação do projeto; c) Apresentar análise da situação inicial, incluindo: análise de problemas, análise de objetivos e análise dos atores interessados; e) Descrever o objetivo geral e os objetivos específicos do projeto, considerando as áreas prioritárias de aplicação do projeto, com seus indicadores e metas; e) Descrever as fases ou etapas do projeto;

7 Avaliação de projetos de pesquisa Port. 875/2013 Anexo (cont.): f) Descrever os resultados anuais esperados decorrentes da execução do projeto, seus indicadores e respectivas metas a serem atingidas; g) Descrever os produtos gerados com a execução do projeto, seus indicadores e metas; h) Descrever analiticamente as principais atividades de intervenção vinculadas aos resultados esperados, seus prazos de execução e valores; i) Descrever as atividades de monitoramento e de avaliação e seus respectivos valores, j) Apresentar indicadores de avaliação de resultado e impacto da aplicação do projeto;

8 Anexo: Avaliação de projetos de pesquisa Port. 875/2013 k) Descrever a abrangência do projeto quanto a: k.1) população e/ou instituição beneficiada, seja diretamente (receberá a intervenção do projeto) seja indiretamente (poderá se beneficiar dos resultados do projeto) com indicação de n CNES; k.2) dimensão geográfica, com indicação de UF/município beneficiário; k.3) número de vagas ofertadas, quando aplicável; l) Apresentar mecanismos e instrumentos para avaliação dos resultados, abrangendo a percepção do beneficiário, quando pertinente, m) Quando aplicável, descrever formas de disseminação dos resultados do projeto, tais como: eventos científicos, oficinas, material de divulgação/ publicação, dentre outras formas; n) Descrever cálculo de tamanho de amostra e número de instituições envolvidas no caso de projetos multicêntricos;

9 Anexo (cont.): Avaliação de projetos de pesquisa Port. 875/2013 o) Apresentar Organograma e Quadro de Atribuições, bem como currículo profissional e/ou currículo lattes, para os principais atores envolvidos no projeto, incluindo a equipe executora e ressaltando a formação e experiências relevantes ao projeto; p) Apresentar o Plano de Atividades do Projeto com as seguintes especificações (item B.6): p.1) descrição da atividade; p.2) data de início e fim de cada atividade; p.3) descrição do indicador da atividade; p.4) unidade de medida; p.5) metas quantitativas; p.6) valor estimado de cada atividade (memória de cálculo) e total Custos planilha de planejamento orçamentário bem detalhado! q) Demais informações relevantes em conformidade com as especificidades da área de atuação e do projeto.

10 Avaliação de projetos de pesquisa Tendências da Port.?/2014 Ampliação das áreas prioritárias para pesquisa para o PRONON e para o PRONAS-PCD. Para os projetos de pesquisa, a instituição deverá: possuir estrutura física e capacidade técnico-operativa para o seu desenvolvimento; constar em seu projeto institucional o desenvolvimento de atividades de pesquisa científica O prazo de execução poderá ser estendido (até 36 meses).

11 Avaliação de projetos de pesquisa Tendências da Port.?/2014 B.1 - INFORMAÇÕES GERAIS DO PROJETO 2.1 Título do Projeto: 2.2 Valor total do Projeto: 2.3 Período de execução: B.2 DA(S) AÇÕES E SERVIÇOS DE ONCOLOGIA E REABILITAÇÃO De acordo com os artigos 5º e 9º desta Portaria, registrar o campo de atuação pretendida. ( ) Prestação de serviços médico-assistenciais; (x ) realização de pesquisas clínicas, epidemiológicas e experimentais. ( ) Formação, treinamento e aperfeiçoamento de recursos humanos em todos os níveis;

12 Avaliação de projetos de pesquisa Tendências da Port.?/2014 Descrição do projeto: Informações gerais do projeto. Título do projeto: Pesquisador principal. Nome: Telefone: Valor total do projeto. Período de execução. Informações completas!

13 Avaliação de projetos de pesquisa Tendências da Port.?/2014 Protocolo de pesquisa com: Introdução: apresentar conceitos, antecedentes científicos que justifiquem a pesquisa; o estado atual do conhecimento sobre o assunto (revisão bibliográfica) Justificativa Hipótese Objetivo Geral Objetivos Específicos Resultados esperados Aspectos éticos Cronograma de atividades Referências

14 Avaliação de projetos de pesquisa Tendências da Port.?/2014 Ainda no protocolo... Procedimentos Metodológicos: o Desenho do estudo: tipo do estudo a ser realizado, como observacional, experimental, exploratório, descritivo, analítico, longitudinais, transversais, pesquisa básica, ensaios clínicos, epidemiológicos, revisão sistemática, estudo de campo e outros. o Participantes de pesquisa e tamanho amostral: critérios de inclusão e exclusão, informações necessárias ao cálculo do tamanho amostral, o valor obtido e as referências bibliográficas utilizadas. o Descrição do local do estudo. o Planejamento do estudo: sequência lógica de execução, técnicas utilizadas, testes e exames, quando couber. o Materiais e equipamentos o Análise dos dados: descrever métodos, técnicas, testes estatísticos e/ou programas computacionais utilizados para trabalhar os dados obtidos.

15 Avaliação de projetos de pesquisa Tendências da Port.?/2014 Além disso... Descrever: resultados anuais esperados, decorrentes da execução do projeto, seus indicadores e respectivas metas a serem atingidas; produtos gerados com a execução do projeto, seus indicadores e metas; atividades de monitoramento e de avaliação e seus respectivos valores; abrangência do projeto quanto a: população e/ou instituição beneficiada, seja diretamente - que receberá a intervenção do projeto - seja indiretamente - que poderá se beneficiar dos resultados do projeto, com indicação de n CNES; dimensão geográfica, com indicação de UF/município beneficiário; número de vagas ofertadas, quando aplicável; formas de disseminação dos resultados do projeto, tais como: eventos científicos, oficinas, material de divulgação/publicação (quando aplicável);

16 Avaliação de projetos de pesquisa Tendências da Port.?/2014 Também... Apresentar : Organograma e Quadro de Atribuições, bem como currículo Lattes, para os principais atores envolvidos no projeto Plano de Atividades do Projeto com: descrição da atividade; definição da data de início e fim de cada atividade; descrição do indicador da atividade; unidade de medida ; metas quantitativas; valor estimado de cada atividade (anexar memória de cálculo) e total.

17 Obrigada pela atenção!

6º EDITAL SULAMÉRICA SEGUROS, PREVIDÊNCIA, INVESTIMENTOS E CAPITALIZAÇÃO PARA CAPTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS

6º EDITAL SULAMÉRICA SEGUROS, PREVIDÊNCIA, INVESTIMENTOS E CAPITALIZAÇÃO PARA CAPTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 6º EDITAL SULAMÉRICA SEGUROS, PREVIDÊNCIA, INVESTIMENTOS E CAPITALIZAÇÃO PARA CAPTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS I. APRESENTAÇÃO A SulAmérica Seguros, Previdência, Investimentos e Capitalização entende sustentabilidade

Leia mais

ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FMIG 2016

ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FMIG 2016 ANEXO I ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FMIG 2016 Cada projeto deve conter no máximo 20 páginas 1. APRESENTAÇÃO Faça um resumo claro e objetivo do projeto, considerando a situação do idoso, os dados

Leia mais

Página 2 em diante devem estar contemplados os seguintes itens:

Página 2 em diante devem estar contemplados os seguintes itens: 1 TEMPLATE - Projeto de pesquisa FORMATAÇÃO Fonte: Texto: Arial ou Times New Roman, tamanho 12. Títulos: Arial ou Times New Roman, tamanho 14, negrito Espaço: duplo Margens: 2,5 cm em todas as margens

Leia mais

REGULAMENTO 1º PRÊMIO DE BOAS PRÁTICAS DA REDE BRASILERIA DE OP

REGULAMENTO 1º PRÊMIO DE BOAS PRÁTICAS DA REDE BRASILERIA DE OP REGULAMENTO 1º PRÊMIO DE BOAS PRÁTICAS DA REDE BRASILERIA DE OP O PRÊMIO O 1º prêmio BOAS PRÁTICAS DA REDE BRASILEIRA DE OP é uma distinção anual promovida pela Rede Brasileira de Orçamento Participativo

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIRG CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIRG (FONTE 12) Nome do autor (FONTE 12) TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA (FONTE 12)

FUNDAÇÃO UNIRG CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIRG (FONTE 12) Nome do autor (FONTE 12) TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA (FONTE 12) FUNDAÇÃO UNIRG CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIRG (FONTE 12) Nome do autor (FONTE 12) TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA (FONTE 12) GURUPI TO MÊS, ANO. MODELO DE FOLHA DE ROSTO NOME DO ALUNO (FONTE 12) TÍTULO DO PROJETO

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO EDITAL N 31/2016 SUBMISSÃO DE PROJETOS DE PESQUISA

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO EDITAL N 31/2016 SUBMISSÃO DE PROJETOS DE PESQUISA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO EDITAL N 31/2016 SUBMISSÃO DE PROJETOS DE PESQUISA A Pró-reitoria de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão, PRPGPE, torna público ao corpo docente do Centro

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO Visando subsidiar a proposição de propostas a CHAMADA INTERNA DA PROPI/IFTM EDITAL MCT/FINEP/CT-INFRA-PROINFRA 02/2014, apresentamos a seguir os critérios a serem considerados quando da avaliação das mesmas:

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 17, DE 29 DE MAIO DE 2001 (Publicada no D.O.U de 10 de julho de 2001)

RESOLUÇÃO Nº 17, DE 29 DE MAIO DE 2001 (Publicada no D.O.U de 10 de julho de 2001) Página 1 de 5 RESOLUÇÃO Nº 17, DE 29 DE MAIO DE 2001 (Publicada no D.O.U de 10 de julho de 2001) O Conselho Nacional de Recursos Hídricos, no uso das competências que lhe são conferidas pela Lei nº 9.433,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) - TECN MCT 1 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) - TECN MCT 1 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) - TECN 3.1.6 - MCT 1 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Prestação de serviços de pessoa física para a elaboração de documento

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Página 1 de 6 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 4.946, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2003. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84,

Leia mais

FACULADADE ESTÁCIO DO RECIFE DIREÇÃO ACADÊMICA PROGRAMA DE PROJETOS DE EXTENSÃO - EDITAL

FACULADADE ESTÁCIO DO RECIFE DIREÇÃO ACADÊMICA PROGRAMA DE PROJETOS DE EXTENSÃO - EDITAL FACULADADE ESTÁCIO DO RECIFE DIREÇÃO ACADÊMICA PROGRAMA DE PROJETOS DE EXTENSÃO - EDITAL 2016-2017 1 INTRODUÇÃO O Programa de Projetos de Extensão tem o objetivo de contribuir para a formação acadêmica,

Leia mais

Descrição da Pesquisa

Descrição da Pesquisa Projeto de Pesquisa Descrição da Pesquisa Título do Projeto Pesquisador Principal Colaboradores [se houver] Local de Realização Período da Pesquisa 1. Objetivo da Pesquisa [o que se pretende pesquisar]

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO ANEXO 1 ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO :: INFORMAÇÕES PRÉVIAS :: O projeto deve ser apresentado em, no máximo, 15 (quinze) páginas A4, incluindo anexos, com letra tipo Arial, tamanho 12; Todos os itens

Leia mais

CHAMADA INTERNA DE SUBPROJETOS PARA COMPOSIÇÃO DO PROJETO INSTITUCIONAL DA UFMG PARA A CHAMADA PÚBLICA MCTI/FINEP/FNDCT 01/ ZIKA

CHAMADA INTERNA DE SUBPROJETOS PARA COMPOSIÇÃO DO PROJETO INSTITUCIONAL DA UFMG PARA A CHAMADA PÚBLICA MCTI/FINEP/FNDCT 01/ ZIKA CHAMADA INTERNA DE SUBPROJETOS PARA COMPOSIÇÃO DO PROJETO INSTITUCIONAL DA UFMG PARA A CHAMADA PÚBLICA MCTI/FINEP/FNDCT 01/2016 - ZIKA FORMATO APRESENTAÇÃO INSTRUÇÕES As propostas de subprojeto poderão

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação e Inovação - PRPPGI AVALIAÇÃO DE MÉRITO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação e Inovação - PRPPGI AVALIAÇÃO DE MÉRITO UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação e Inovação - PRPPGI AVALIAÇÃO DE MÉRITO Demanda: PRPPG/UNIVASF/MCT/FINEP/CT-INFRA-PROINFRA 01/2013 Proponente: Título

Leia mais

PORTARIA DA PROPPEX nº 002/2007

PORTARIA DA PROPPEX nº 002/2007 PORTARIA DA PROPPEX nº 002/2007 O Prof. Dr. Paulo Rogério Stella, Pró-Reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da Fundação Santo André, no uso de suas atribuições legais, constantes no Regimento Geral

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE

SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE REPUBLICADA NO DOE DE 04-02-2014 SEÇÃO I PÁG 63-64 RESOLUÇÃO SMA Nº 03, DE 24 DE JANEIRO DE 2014. Estabelece orientações para a instrução de processos de convênios com municípios e entidades da sociedade

Leia mais

Planejamento de aquisição de bens e serviços na Administração Pública. Magno Subtil

Planejamento de aquisição de bens e serviços na Administração Pública. Magno Subtil Planejamento de aquisição de bens e serviços na Administração Pública Magno Subtil Registro de Preços Decreto Estadual 7.437/2011 Sistema de Registro de Preços é o conjunto de procedimentos para registro

Leia mais

MINISTÉRIO DA PESCA E AQUICULTURA GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 13 DE ABRIL DE 2012

MINISTÉRIO DA PESCA E AQUICULTURA GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 13 DE ABRIL DE 2012 MINISTÉRIO DA PESCA E AQUICULTURA GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 3, DE 13 DE ABRIL DE 2012 O MINISTRO DA PESCA E AQUICULTURA, no uso de suas atribuições que lhe confere a art. 87 da Constituição,

Leia mais

Redes de Atenção à Saúde e o Cuidado às Pessoas com TEA no SUS

Redes de Atenção à Saúde e o Cuidado às Pessoas com TEA no SUS Redes de Atenção à Saúde e o Cuidado às Pessoas com TEA no SUS Viver Sem Limite - Marco Legal Nacional e Internacional Convenção sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência (NY, 2007) Decreto Presidencial

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ÍTALO- BRASILEIRO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ÍTALO- BRASILEIRO CENTRO UNIVERSITÁRIO ÍTALO- BRASILEIRO PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2016 PROGRAMA DE BOLSA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA O Programa de Bolsas de Iniciação Científica tem como objetivo incentivar

Leia mais

U n iversidade Estadual de Maringá

U n iversidade Estadual de Maringá R E S O L U Ç Ã O Nº 053/2008-CEP CERTIDÃO Certifico que a presente resolução foi afixada em local de costume, nesta Reitoria, no dia 22/10/2008. Estabelecer normas para o Programa de Pós-Doutorado na

Leia mais

2- DO CONSELHO SUPERIOR DA FAPEAL E SEUS CONSELHEIROS

2- DO CONSELHO SUPERIOR DA FAPEAL E SEUS CONSELHEIROS EDITAL FAPEAL no. 05/2015 - Eleição de lista tríplice para preenchimento de vaga de membro do Conselho Superior da FAPEAL. A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas FAPEAL, por intermédio do

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade Produto

Contrata Consultor na modalidade Produto Contrata Consultor na modalidade Produto PROJETO 914BRZ4012 EDITAL Nº 005/2010 1. Perfil: TR 007/2010-CGS - CIÊNCIAS SOCIAIS APLICÁVEIS 3. Qualificação educacional: Graduação na área de CIÊNCIAS SOCIAIS

Leia mais

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO DE PRODUTOS NO VAREJO DIRETRIZES PARA ADEQUAÇÃO DE PERFIL DO INVESTIDOR (API)

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO DE PRODUTOS NO VAREJO DIRETRIZES PARA ADEQUAÇÃO DE PERFIL DO INVESTIDOR (API) CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO DE PRODUTOS NO VAREJO DIRETRIZES PARA ADEQUAÇÃO DE PERFIL DO INVESTIDOR (API) CAPÍTULO I OBJETIVO Art. 1º Estas Diretrizes tem por

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BACABEIRA-MA - Plano de Trabalho - PLANO DE TRABALHO. Bacabeira-MA

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BACABEIRA-MA - Plano de Trabalho - PLANO DE TRABALHO. Bacabeira-MA PLANO DE TRABALHO Bacabeira-MA 2015 1. INTRODUÇÃO O presente Plano de Trabalho refere-se ao contrato firmado entre a Prefeitura Municipal de Bacabeira e a empresa de consultoria especializada de razão

Leia mais

UNIVERSIDADE DO SAGRADO CORAÇÃO REGULAMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA

UNIVERSIDADE DO SAGRADO CORAÇÃO REGULAMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA UNIVERSIDADE DO SAGRADO CORAÇÃO REGULAMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA (Aprovado pelo Parecer do CONSEPE/USC n. 02A/14, em 13 de março de 2014) BAURU 2014 SUMÁRIO Capítulo I - Das Finalidades...

Leia mais

EDITAL DE EXTENSÃO Nº 21, DE 02 DE JUNHO DE

EDITAL DE EXTENSÃO Nº 21, DE 02 DE JUNHO DE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA EDITAL DE EXTENSÃO Nº 21, DE 02

Leia mais

PROCESSO SELETIVO N. 02/2015

PROCESSO SELETIVO N. 02/2015 PROCESSO SELETIVO N. 02/2015 A Universidade Iguaçu (UNIG) divulga processo seletivo para preceptores e professores assistentes para o curso de graduação, campus I - Nova Iguaçu. 1. DAS VAGAS E DOS REQUISITOS

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO AMBIENTAL PRÉVIO RAP

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO AMBIENTAL PRÉVIO RAP TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO AMBIENTAL PRÉVIO RAP 1 - INTRODUÇÃO O objetivo deste TERMO DE REFERÊNCIA é orientar a elaboração mais eficiente do RELATÓRIO AMBIENTAL PRÉVIO - RAP definido

Leia mais

MANTENEDORA ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE - AECISA MANTIDA FACULDADE PERNAMBUCANA DE SAÚDE- FPS

MANTENEDORA ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE - AECISA MANTIDA FACULDADE PERNAMBUCANA DE SAÚDE- FPS MANTENEDORA ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE - AECISA MANTIDA FACULDADE PERNAMBUCANA DE SAÚDE- FPS REGULAMENTO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (Atualizado em maio de 2016) RECIFE/PE 2016 1 MANTENEDORA

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO II - MODELO DA PROPOSTA DE PROJETO PRÓ-EXTENSÃO EDITAL nº 0/03 PROEXT Campus: Projeto de Extensão Inserir aqui o Título de Projeto N o (PROEXT) - PRÓ-EXTENSÃO - Programa Institucional de Incentivo

Leia mais

Limites e possibilidades de uma política pública de avaliação da educação profissional e tecnológica na perspectiva emancipatória

Limites e possibilidades de uma política pública de avaliação da educação profissional e tecnológica na perspectiva emancipatória Limites e possibilidades de uma política pública de avaliação da educação profissional e tecnológica na perspectiva emancipatória Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Brasília/DF, jun. 2015

Leia mais

REGULAMENTO PARA SOLICITAÇÃO DE PASSAGENS E DIÁRIAS

REGULAMENTO PARA SOLICITAÇÃO DE PASSAGENS E DIÁRIAS Serviço Público Federal Ministério da Educação Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia Campus Camaçari Loteamento Espaço Alpha (BA 522) Bairro Limoeiro CEP 42.802-590 Camaçari-Ba Telefax

Leia mais

Avaliação do repasse anual fundo a fundo para a estruturação e implementação das ações de Alimentação e Nutrição no SUS

Avaliação do repasse anual fundo a fundo para a estruturação e implementação das ações de Alimentação e Nutrição no SUS Avaliação do repasse anual fundo a fundo para a estruturação e implementação das ações de Alimentação e Nutrição no SUS BRASÍLIA DF 2015 Equipe Coordenação Maria Fabiana Damásio Passos, FIOCRUZ Leonor

Leia mais

ESTRUTURA DASECRETARIA EXTRAORDINÁRIA DE SEGURANÇA PARA GRANDES EVENTOS SESGE (1/6) (Decreto nº 8.668 de 12 de fevereiro de 2016)

ESTRUTURA DASECRETARIA EXTRAORDINÁRIA DE SEGURANÇA PARA GRANDES EVENTOS SESGE (1/6) (Decreto nº 8.668 de 12 de fevereiro de 2016) SECRETARIA EXTRAORDINÁRIA DE SEGURANÇA PARA GRANDES EVENTOS DAS 101.6 CHEFE DE GABINETE CHEFE DE GABINETE IA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO IA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS DE S DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

Programa de Iniciação Científica da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas PIC DIREITO SP

Programa de Iniciação Científica da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas PIC DIREITO SP Programa de Iniciação Científica da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas PIC DIREITO SP Edital n o 01/2016 Seleção de Projetos de Pesquisa A Coordenadoria do Mestrado Acadêmico e Pesquisa

Leia mais

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DA OPERAÇÃO AVISO Nº ALT Sistema de apoio à Modernização e Capacitação da Administração Pública

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DA OPERAÇÃO AVISO Nº ALT Sistema de apoio à Modernização e Capacitação da Administração Pública REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DA OPERAÇÃO AVISO Nº ALT20 62 2015 10 Sistema de apoio à Modernização e Capacitação da Administração Pública (SAMA2020) DOMÍNIO DA COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO

Leia mais

PIUMA RS PLANO DIRETOR DE IRRIGAÇÃO NO CONTEXTO DOS USOS MÚLTIPLOS DA ÁGUA PARA O RIO GRANDE DO SUL. O Processo de Construção do PIUMA-RS

PIUMA RS PLANO DIRETOR DE IRRIGAÇÃO NO CONTEXTO DOS USOS MÚLTIPLOS DA ÁGUA PARA O RIO GRANDE DO SUL. O Processo de Construção do PIUMA-RS PIUMA RS PLANO DIRETOR DE IRRIGAÇÃO NO CONTEXTO DOS USOS MÚLTIPLOS DA ÁGUA PARA O RIO GRANDE DO SUL O Processo de Construção do PIUMA-RS Resultados e Consequências Plano Diretor de Irrigação no Contexto

Leia mais

CHAMADA INTERNA N.º 01/2016 PPG/UEMA BOLSA DE PRODUTIVIDADE EM PESQUISA

CHAMADA INTERNA N.º 01/2016 PPG/UEMA BOLSA DE PRODUTIVIDADE EM PESQUISA Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação-PPG Coordenação de Pós-Graduação-CPG CHAMADA INTERNA N.º 01/2016 PPG/UEMA BOLSA DE PRODUTIVIDADE EM PESQUISA A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade

Leia mais

ANEXO I MODELO DE PROJETO DISCENTE CAPA

ANEXO I MODELO DE PROJETO DISCENTE CAPA ANEXO I MODELO DE PROJETO DISCENTE Segue abaixo o modelo para apresentação de projeto discente ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ), Campus São Gonçalo, com o

Leia mais

RDC 39/2008 ANVISA. Patrícia Ferrari Andreotti. Coordenação de Pesquisas e Ensaios Clínicos

RDC 39/2008 ANVISA. Patrícia Ferrari Andreotti. Coordenação de Pesquisas e Ensaios Clínicos RDC 39/2008 Nova Regulamentação em Pesquisa Clínica ANVISA Patrícia Ferrari Andreotti Coordenação de Pesquisas e Ensaios Clínicos - CEPEC Gerência de Pesquisas, Ensaios Clínicos, Medicamentos Biológicos

Leia mais

EDITAL UnC REITORIA 054/2015

EDITAL UnC REITORIA 054/2015 EDITAL UnC REITORIA 054/2015 Dispõe sobre as inscrições para concessão de Bolsa de Pesquisa para o Fundo de Apoio a Pesquisa da Universidade do Contestado FAP/UnC. A Reitora da Universidade do Contestado,

Leia mais

EDITAL Nº 001/2014 I - BOLSA

EDITAL Nº 001/2014 I - BOLSA EDITAL Nº 001/2014 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA BOLSA PNPD/CAPES DE PÓS- DOUTORADO NO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ A Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade

Leia mais

GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 17, DE 31 DE JULHO DE

GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 17, DE 31 DE JULHO DE Ministério da Educação GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 17, DE 31 DE JULHO DE 2013 Dispõe sobre os procedimentos de adesão das instituições públicas estaduais e municipais de educação superior

Leia mais

EDITAL DE CREDENCIAMENTO PARA ESCOLA DE TEMPO INTEGRAL PARA ATUAÇÃO EM 2017.

EDITAL DE CREDENCIAMENTO PARA ESCOLA DE TEMPO INTEGRAL PARA ATUAÇÃO EM 2017. GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO DE CAMPINAS OESTE Rua Candido Mota, 186, Fundação da Casa Popular Campinas/SP CEP 13.031-385 Fone:: (19) 3772-2795/2796/2798

Leia mais

PORTARIA 001/2015 PORTARIA:

PORTARIA 001/2015 PORTARIA: PORTARIA 001/2015 Institui Grupo de Trabalho para propor critérios, parâmetros e orientações a serem adotados para a inovação tecnológica na Universidade, em conformidade com a Resolução nº 7035, de 17

Leia mais

NORMATIVA PARA OFERTA DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA E TECNOLÓGICA PRESENCIAIS DO IFNMG

NORMATIVA PARA OFERTA DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICA E TECNOLÓGICA PRESENCIAIS DO IFNMG Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal do Norte de Minas Gerais Pró-Reitoria de Ensino NORMATIVA PARA OFERTA DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Contrato de Gestão nº 010/2013 e nº 017/ SECT, TOMADA DE PREÇO Nº 02/ REDEH TIPO: MELHOR PREÇO E TÉCNICA

TERMO DE REFERÊNCIA. Contrato de Gestão nº 010/2013 e nº 017/ SECT, TOMADA DE PREÇO Nº 02/ REDEH TIPO: MELHOR PREÇO E TÉCNICA A Rede de Desenvolvimento Humano - REDEH, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica do Ministério da Fazenda sob o nº 39.064.233/0001-93, com sede na Rua Álvaro

Leia mais

EDITAL CIPE 008/2016 CADASTRO E RECADASTRO DE PLANO DE TRABALHO DE PROJETO DE PESQUISA

EDITAL CIPE 008/2016 CADASTRO E RECADASTRO DE PLANO DE TRABALHO DE PROJETO DE PESQUISA EDITAL CIPE 008/2016 CADASTRO E RECADASTRO DE PLANO DE TRABALHO DE PROJETO DE PESQUISA A Faculdade Especializada na Área de Saúde do Rio Grande do Sul (FASURGS), autorizada pela Portaria do MEC Nº 1.220,

Leia mais

Oficina II - Informação de custo para a gestão de programas nos órgãos setoriais

Oficina II - Informação de custo para a gestão de programas nos órgãos setoriais Oficina II - Informação de custo para a gestão de programas nos órgãos setoriais Coordenação: STN - Arthur Pinto e Welinton Vitor Relatoria: SPI - Andréia Rodrigues Objetivo da Oficina Apresentar experiências

Leia mais

Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO

Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR 1. Projeto: OEI/BRA/09/004 - Aprimoramento da sistemática

Leia mais

EDITAL 086/2014 PRORROGAÇÃO DE PRAZO PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE IDEIAS NOS DIFERENTES SEGMENTOS DA ECONOMIA CRIATIVA

EDITAL 086/2014 PRORROGAÇÃO DE PRAZO PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE IDEIAS NOS DIFERENTES SEGMENTOS DA ECONOMIA CRIATIVA EDITAL 086/2014 PRORROGAÇÃO DE PRAZO PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE IDEIAS NOS DIFERENTES SEGMENTOS DA ECONOMIA CRIATIVA O Centro Universitário Metodista IPA e a Prefeitura Municipal de Porto Alegre, por

Leia mais

EDITAL nº 01/2015 CHAMADA PARA CREDENCIAMENTO DE LIDERES DE GRUPOS DE PESQUISA

EDITAL nº 01/2015 CHAMADA PARA CREDENCIAMENTO DE LIDERES DE GRUPOS DE PESQUISA EDITAL nº 01/2015 CHAMADA PARA CREDENCIAMENTO DE LIDERES DE GRUPOS DE PESQUISA A Coordenação de Pesquisa e Extensão (COPEX) informa à comunidade acadêmica da Faculdade Leão Sampaio que está recebendo solicitações

Leia mais

PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE CURSOS NOVOS MESTRADO ACADÊMICO

PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE CURSOS NOVOS MESTRADO ACADÊMICO PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE CURSOS NOVOS MESTRADO ACADÊMICO Os projetos de cursos novos serão julgados pela Comissão de Avaliação da área de Educação com base nos dados obtidos pela aplicação dos critérios

Leia mais

PORTARIA ESP-MG Nº 28, DE 29 DE JULHO DE 2014

PORTARIA ESP-MG Nº 28, DE 29 DE JULHO DE 2014 PORTARIA ESP-MG Nº 28, DE 29 DE JULHO DE 2014 Regulamenta a remuneração dos profissionais prestadores de serviços educacionais junto a Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais. O Diretor Geral

Leia mais

N 2016/02 01 de Dezembro a 06 Dezembro de O DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS, no uso de suas atribuições legais e estatutárias,

N 2016/02 01 de Dezembro a 06 Dezembro de O DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, EDITAL DE PROCESSO EXTERNO PARA SELETIVO INTERNO E O CURSO DE NUTRIÇÃO N 2016/02 01 de Dezembro a 06 Dezembro de 2016. Dispõe sobre o TESTE SELETIVO INTERNO E EXTERNO para COORDENADOR DO CURSO DE NUTRIÇÃO

Leia mais

Projeto 2B Portal de Teses da BVS Saúde Pública 19 de janeiro de 2005

Projeto 2B Portal de Teses da BVS Saúde Pública 19 de janeiro de 2005 http://www.bvs.br/ 19 de janeiro de 2005 Introdução Este documento descreve o projeto para continuidade do programa de desenvolvimento de um conjunto de dissertações e teses na área de saúde pública através

Leia mais

MINUTA REGULAMENTO- DIRETRIZES OPERACIONAIS PARA INCLUSÃO DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS PRESENCIAIS DO IFG

MINUTA REGULAMENTO- DIRETRIZES OPERACIONAIS PARA INCLUSÃO DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS PRESENCIAIS DO IFG MINUTA REGULAMENTO- DIRETRIZES OPERACIONAIS PARA INCLUSÃO DE CARGA HORÁRIA SEMIPRESENCIAL EM CURSOS PRESENCIAIS DO IFG CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 20, DE 05 DE MARÇO DE 2004.

RESOLUÇÃO Nº 20, DE 05 DE MARÇO DE 2004. MINISTÉRIO DA JUSTIÇA COMISSÃO NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA NOS PORTOS, TERMINAIS E VIAS NAVEGÁVEIS - CONPORTOS RESOLUÇÃO Nº 20, DE 05 DE MARÇO DE 2004. Dispõe sobre a regulamentação para a realização

Leia mais

Art 2º Os procedimentos para a seleção de ocupantes dos Cargos em Comissão e Funções Gratificadas serão os seguintes:

Art 2º Os procedimentos para a seleção de ocupantes dos Cargos em Comissão e Funções Gratificadas serão os seguintes: RESOLUÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA Relator: JEANNE LILIANE MARLENE MICHEL Diretoria de Gestão de Pessoas Número: 008 Data: 24/9/2012 Reunião: 7 a Dispõe sobre os procedimentos e os critérios de seleção para

Leia mais

Edital VC 002/2011 EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA APRESENTAÇÃO DE CURRÍCULOS DE CANDIDATOS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS:

Edital VC 002/2011 EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA APRESENTAÇÃO DE CURRÍCULOS DE CANDIDATOS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS: Edital VC 002/2011 EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA APRESENTAÇÃO DE CURRÍCULOS DE CANDIDATOS PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS: Modalidade Produto Área de Ciências Humanas e Direitos Humanos SELECIONA CURRÍCULOS

Leia mais

Políticas Organizacionais

Políticas Organizacionais Políticas Organizacionais Versão 1.4 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 11/10/2012 1.0 Revisão das políticas EPG 26/11/2012 1.1 Revisão do Item de customização EPG 24/10/2013 1.2 Revisão

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO SÃO JUDAS TADEU ISESJT. RESOLUÇÃO CONSUP Nº 03/2014 Floriano, 10 de janeiro de 2014.

INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO SÃO JUDAS TADEU ISESJT. RESOLUÇÃO CONSUP Nº 03/2014 Floriano, 10 de janeiro de 2014. INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO SÃO JUDAS TADEU ISESJT RESOLUÇÃO CONSUP Nº 03/2014 Floriano, 10 de janeiro de 2014. Fixa normas para o Programa de Iniciação Científica, no Instituto Superior de Educação

Leia mais

RESUMO DA CHAMADA MCTI/FINEP/FNDCT AÇÃO TRANSVERSAL APOIO INSTITUCIONAL 03/2016 APOIO A INSTITUIÇÕES DE PESQUISA NAS DIVERSAS ÁREAS DE CONHECIMENTO

RESUMO DA CHAMADA MCTI/FINEP/FNDCT AÇÃO TRANSVERSAL APOIO INSTITUCIONAL 03/2016 APOIO A INSTITUIÇÕES DE PESQUISA NAS DIVERSAS ÁREAS DE CONHECIMENTO RESUMO DA CHAMADA MCTI/FINEP/FNDCT AÇÃO TRANSVERSAL APOIO INSTITUCIONAL 03/2016 APOIO A INSTITUIÇÕES DE PESQUISA NAS DIVERSAS ÁREAS DE CONHECIMENTO EM TERRITÓRIO NACIONAL Salvador Jun/2016 1. OBJETIVO

Leia mais

Políticas Públicas Educacionais 02

Políticas Públicas Educacionais 02 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO EDITAL Nº 01/2016 EDITAL DE INSCRIÇÃO E CREDENCIAMENTO DE DOCENTES NO QUADRO

Leia mais

Edital nº 002, de 8 de abril de Seleção de Bolsistas de Extensão 2016

Edital nº 002, de 8 de abril de Seleção de Bolsistas de Extensão 2016 Edital nº 002, de 8 de abril de 2016 Seleção de Bolsistas de Extensão 2016 O Diretor Geral do do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), no uso de suas atribuições

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec: Professor Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Contabilidade

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS TÍTULO I DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DO CENTRO CAPÍTULO I DO CENTRO E DE SEUS OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS TÍTULO I DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DO CENTRO CAPÍTULO I DO CENTRO E DE SEUS OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS TÍTULO I DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DO CENTRO CAPÍTULO I DO CENTRO E DE SEUS OBJETIVOS Art. 1º O Centro de Processamento de Dados, Órgão Suplementar

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC O Trabalho de Conclusão de Curso está estruturado sob a forma de elaboração de artigo científico, sendo este resultado de um trabalho integrado entre as disciplinas de

Leia mais

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS Manual de Normas e Procedimentos Capítulo PROCEDIMENTOS SETOR 1 MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS Manual de Normas e Procedimentos Capítulo PROCEDIMENTOS SETOR 2 Índice 1.1- Coordenadores técnicos, almoxarifes,

Leia mais

Edital n o 79/2013 ANEXO II TIPOS, REQUISITOS E VALORES DE BOLSAS. Não possuir vínculo empregatício ou bolsa de pesquisa ou extensão

Edital n o 79/2013 ANEXO II TIPOS, REQUISITOS E VALORES DE BOLSAS. Não possuir vínculo empregatício ou bolsa de pesquisa ou extensão Edital n o 79/2013 ANEXO II TIPOS, REQUISITOS E VALORES DE BOLSAS TIPO REQUISITO C.H. Semanal VALOR Mensal PIBIC-JR Estar no segundo ano do ensino médio Não possuir vínculo empregatício ou bolsa de pesquisa

Leia mais

Programa Operacional Regional do Algarve Critérios de Seleção das Candidaturas e Metodologia de Análise

Programa Operacional Regional do Algarve Critérios de Seleção das Candidaturas e Metodologia de Análise Programa Operacional Regional do Algarve Critérios de Seleção das Candidaturas e Metodologia de Análise Assistência Técnica Aprovada em 11-05-2015, após procedimento de consulta escrita aos membros da

Leia mais

Portaria Conjunta CENP/COGSP/ CEI, de

Portaria Conjunta CENP/COGSP/ CEI, de Portaria Conjunta CENP/COGSP/ CEI, de 6 7 2009 Dispõe sobre a Terminalidade Escolar Específica de alunos com necessidades educacionais especiais na área da deficiência mental, das escolas da rede estadual

Leia mais

Regimes de execução dos contratos e contratação integrada

Regimes de execução dos contratos e contratação integrada Regime Diferenciado de Contratações - RDC Lei Federal nº 12.462/11 Regimes de execução dos contratos e contratação integrada Augusto Dal Pozzo Artigo 8º Regimes de contratação de obras e serviços de engenharia

Leia mais

Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação FACULDADE DE MEDICINA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO DIRETORIA GERAL

Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação FACULDADE DE MEDICINA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO DIRETORIA GERAL Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação FACULDADE DE MEDICINA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO DIRETORIA GERAL Portaria Famerp 002, de 05-01-2015 O Diretor Geral em Exercício da Faculdade de

Leia mais

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso TCC

Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso TCC Regulamento do Trabalho de Conclusão de Curso TCC No curso de Medicina Veterinária o TCC pode ser realizado individualmente ou em dupla. Para apresentação em dupla, deverá ser desenvolvido obrigatoriamente

Leia mais

EDITAL FATEC SÃO ROQUE Nº 01/2014 DE 12 DE MAIO DE 2014

EDITAL FATEC SÃO ROQUE Nº 01/2014 DE 12 DE MAIO DE 2014 EDITAL FATEC SÃO ROQUE Nº 01/2014 DE 12 DE MAIO DE 2014 O Diretor da Faculdade de Tecnologia de São Roque no uso de suas atribuições legais torna público que estão abertas as inscrições para participação

Leia mais

METODOLOGIA DA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM FISIOTERAPIA TRAUMATO- ORTOPÉDICA

METODOLOGIA DA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM FISIOTERAPIA TRAUMATO- ORTOPÉDICA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM FISIOTERAPIA TRAUMATO- ORTOPÉDICA METODOLOGIA DA INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA Profª. Dra. Paula Silva de Carvalho Chagas Faculdade de Fisioterapia UFJF Doutora em Ciências da Reabilitação

Leia mais

Universidade Estadual do Paraná Unespar Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação PRPPG Diretoria de Pesquisa

Universidade Estadual do Paraná Unespar Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação PRPPG Diretoria de Pesquisa Universidade Estadual do Paraná Unespar Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação PRPPG Diretoria de Pesquisa Edital n. 03/2016 PRPPG/Unespar Apoio à Pesquisa Básica e Aplicada A Pró-Reitoria de Pesquisa

Leia mais

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO E RESPETIVA METODOLOGIA DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO E RESPETIVA METODOLOGIA DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA CRITÉRIOS DE SELEÇÃO E RESPETIVA METODOLOGIA DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA aprovados através de processo de consulta escrita concluído a 13 de Maio de 2015 METODOLOGIA E CRITÉRIOS DE SELEÇÃO DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE O PROJETO TERMO DE REFERÊNCIA SUGERIDO PESQUISA DE OBSERVAÇÃO DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS - STALLINGS

INFORMAÇÕES SOBRE O PROJETO TERMO DE REFERÊNCIA SUGERIDO PESQUISA DE OBSERVAÇÃO DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS - STALLINGS INFORMAÇÕES SOBRE O PROJETO TERMO DE REFERÊNCIA SUGERIDO PESQUISA DE OBSERVAÇÃO DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS - STALLINGS Objetivos Gerais do Trabalho Contratação de empresa especializada para realizar a Pesquisa

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE EDITAL Nº. 07/2016 DG/SPP/IFRN CONCESSÃO DE DIÁRIAS E

Leia mais

REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS

REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS REGULAMENTO DE EXTENSÃO DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E OBJETIVOS Art 1º. A Extensão Acadêmica se constitui em uma prática permanente de interação universidade-sociedade, articulada ao ensino

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO 1 - INFORMAÇÕES PRÉVIAS ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO 1.1 O projeto deve ser apresentado em, no máximo, 15 (quinze) páginas A4, sem considerar os anexos, espaçamento 1,5 linha, fonte tipo Arial, tamanho

Leia mais

Edital para Candidatura à Bolsa PPSIG/UFF-PDSE/CAPES

Edital para Candidatura à Bolsa PPSIG/UFF-PDSE/CAPES Edital para Candidatura à Bolsa PPSIG/UFF-PDSE/CAPES - 2017 EMENTA: Normatiza os procedimentos para inscrição e seleção de alunos do PPSIG-UFF interessados na candidatura à Bolsa do Programa Institucional

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO CULTURAS E INDENTIDADES BRASILEIRAS. Programa Nacional de Pós-Doutorado PNPD/CAPES 2013 (Portaria n.

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO CULTURAS E INDENTIDADES BRASILEIRAS. Programa Nacional de Pós-Doutorado PNPD/CAPES 2013 (Portaria n. PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO CULTURAS E INDENTIDADES BRASILEIRAS Programa Nacional de Pós-Doutorado PNPD/CAPES 2013 (Portaria n. 86/2013) Edital IEB-USP nº 31/ 2013 Edital de abertura de inscrições para o

Leia mais

Comissão Científica Permanente de Pesquisa Extensão da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de João Pessoa

Comissão Científica Permanente de Pesquisa Extensão da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de João Pessoa Comissão Científica Permanente de Pesquisa e Extensão da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de João Pessoa A Comissão Científica Permanente de Pesquisa e Extensão (CCPPEX) da Associação de Pais

Leia mais

EDITAL PROPPI Nº 010/ FLUXO CONTÍNUO - Auxílio à Publicação em Periódicos Técnico-científicos

EDITAL PROPPI Nº 010/ FLUXO CONTÍNUO - Auxílio à Publicação em Periódicos Técnico-científicos EDITAL PROPPI Nº 010/2016 - FLUXO CONTÍNUO - Auxílio à Publicação em Periódicos Técnico-científicos O Pró-reitor de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA 2015

CHAMADA PÚBLICA 2015 EDITAL 37 CHAMADA PÚBLICA 2015 PROGRAMA DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS TÉCNICOS COM FINALIDADE DIDÁTICO-PEDAGÓGICA EM CURSOS REGULARES NO 1/7 EXECUÇÃO: OUTUBRO/2015 A JUNHO/2016. A Reitora do

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Norte ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ Colegiado do Curso de Agronomia. Resolução No.04 de 30 de julho de 2014

Universidade Federal do Rio Grande do Norte ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ Colegiado do Curso de Agronomia. Resolução No.04 de 30 de julho de 2014 Universidade Federal do Rio Grande do Norte ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ Colegiado do Curso de Agronomia Resolução No.04 de 30 de julho de 2014 Dispõe sobre os critérios e funcionamento das atividades integradoras

Leia mais

Política de Gerenciamento de Capital Outubro Elaboração: Risco Aprovação: COMEX Classificação do Documento: Público

Política de Gerenciamento de Capital Outubro Elaboração: Risco Aprovação: COMEX Classificação do Documento: Público Política de Gerenciamento de Capital Outubro 2015 Elaboração: Risco Aprovação: COMEX Classificação do Documento: Público ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. DEFINIÇÕES... 3 4. RESPONSABILIDADES...

Leia mais

Cartilha de Direitos Humanos em Hanseníase:

Cartilha de Direitos Humanos em Hanseníase: Materiais editoriais sobre hanseníase Documentos técnico-instrucionais que objetivam subsidiar os profissionais de saúde nas ações de prevenção, tratamento e reabilitação das incapacidades físicas. Cada

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA A PROGRAMAS ESPECIAIS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA A PROGRAMAS ESPECIAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA A PROGRAMAS ESPECIAIS TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO - TOR/OEI/MEC/FNDE/DIPRO/

Leia mais

EDITAL INTERNO Nº 02/2014 PROGRAMA PUBLIQUE INCENTIVO A PUBLICAÇÃO NO EXTERIOR

EDITAL INTERNO Nº 02/2014 PROGRAMA PUBLIQUE INCENTIVO A PUBLICAÇÃO NO EXTERIOR EDITAL INTERNO Nº 02/2014 PROGRAMA PUBLIQUE INCENTIVO A PUBLICAÇÃO NO EXTERIOR O Pró-Reitor de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro,

Leia mais

RESOLUÇÃO CCEA Nº 02/2011

RESOLUÇÃO CCEA Nº 02/2011 UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AGROALIMENTAR UNIDADE ACADÊMICA DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA AMBIENTAL CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL RESOLUÇÃO CCEA Nº 02/2011 Aprova

Leia mais

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S 1 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. - ELETROBRÁS TOMADA DE PREÇOS N 3/2007 ANEXO I ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS 2 ÍNDICE 1. Objeto 3 2. Justificativa 3 3. Diretrizes 4 3.1.

Leia mais

2.1. Subcoordenador Técnico Operacional (Código STO) 1 vaga Atribuições:

2.1. Subcoordenador Técnico Operacional (Código STO) 1 vaga Atribuições: PRORROGAÇÃO DO EDITAL PARA SELEÇÃO DE BOLSISTAS PROJETO CVDS Manaus, 24 de Novembro de 2014. 1. CONTEXTUALIZAÇÃO O Centro Vocacional para o Desenvolvimento Sustentável (CVDS), trata-se de um projeto piloto

Leia mais

Sociedade Brasileira de Geriatria e Geronotologia - SBGG

Sociedade Brasileira de Geriatria e Geronotologia - SBGG Sociedade Brasileira de Geriatria e Geronotologia - SBGG Marco Polo Dias Freitas Presidente da SBGG-DF Doutor em Saúde Coletiva/Epidemiologia Mestre em Clínica Médica Membro do Comitê Assessor da Coordanação

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 3-CEPE/UNICENTRO, DE 28 DE JANEIRO DE 2013. REVOGADA PELA RESOLUÇÃO Nº 12/2015-CEPE/UNICENTRO. Aprova o Curso de Especialização em Fisioterapia Traumato-Ortopédica Funcional, modalidade modular,

Leia mais