SO LTA N D O A LÍNGUA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SO LTA N D O A LÍNGUA"

Transcrição

1 Informe /09/2008 1a. INFORME [13/09/ :06:43] Por: chboninsenha Pág: 1 - Cor: INFORMATIVO MENSAL DO PROGRAMA A GAZETA NA SALA DE AULA ANO 11 Nº 99 SETEMB RO/ SO LTA N D O A LÍNGUA O ensino de língua estrangeira aproxima as pessoas e promove o conhecimento de diferentes culturas. Confira como tem sido esse trabalho em escolas com diferentes realidades, no Em Debate? Página 3

2 Informe /09/2008 1a. INFORME [13/09/ :08:07] Por: chboninsenha Pág: 2 - Cor: Por um mundo sem fronteiras Sons do x Chato é com x ou ch? Claro, é com ch, essa todo mundo sabe. E lixo? Com x, sem dúvida, todo mundo sabe disso também. Mas, nessas duas palavras, o ch e o x têm som de quê? De x, oras. Afinal, o nome da letra é xis. Assim, em chato, as letras c e h é que, juntas, têm som de x. Mas será que a letra x tem sempre som de x? Nem sempre. Vejamos alguns casos: máximo - som de ss intoxicação - som de ks exorcizar - som de z excesso - som de ss Então, da próxima vez que for usar o x, fique atento para ler corretamente! Saber falar uma segunda língua, no mundo em que vivemos hoje, parece ser mesmo imprescindível. Disciplinas como Inglês e Espanhol têm sido ensinadas em nossas escolas, como algum tempo atrás se ensinava o Francês. E tem até gente aprendendo Mandarim. Sinal de um tempo em que as fronteiras entre os países se tornam cada vez mais tênues, e o mundo globalizado mais presente em nossas vidas. Na escola, quando se tem poucas aulas e muitos alunos na turma, fica praticamente inviável conseguir que os alunos tenham fluência na segunda língua ensinada. Se o professor, por exemplo, resolver dar um minuto (o que não seria muito, tratando-se de aprendizado de língua estrangeira) para cada aluno falar, em uma turma de 50 alunos, tendo 50 minutos de aula, o que aconteceria? Para sanar esse tipo de problema, algumas escolas têm adotado fórmulas diferentes de ensinar a segunda língua, criando salas menores em que os alunos são nivelados pelo conhecimento que já têm ou mesmo extrapolando a sala de aula e vivenciando a língua em outros espaços. O fato é que muitos pais acabam por matricular seus filhos em cursos de línguas, que são em sua maioria particulares. A opção pela matrícula em um curso de língua estrangeira tem sido ainda a mais comum entre os pais que desejam que seus filhos adquiram fluência. Quando há turmas 2 reduzidas, material adequado e professores proficientes que incentivam a fala do aluno, o resultado costuma ser mesmo este: o domínio do idioma. O aprendizado de uma língua estrangeira demanda tempo e dedicação. O curso escolhido deve proporcionar um ambiente em que apenas a língua estrangeira seja usada, deixando o Português de lado. A metodologia precisa ser dinâmica, com recursos audiovisuais que permitam que o aluno ouça nativos falando, para aprender a pronúncia correta, sem depender exclusivamente do professor. Além disso, a fala do aluno deve ser o elemento principal em sala de aula. Nesse caso, confirma-se a teoria de que a ordem o professor fala e o aluno aprende precisa ser subvertida. Em um curso de línguas todos os alunos devem ser estimulados a falar, durante todo o tempo, interagindo com o material gravado, o professor e os colegas. O vocabulário precisa ser contextualizado, inserido na vivência dos alunos, para que faça sentido e seja mais facilmente assimilado. O ambiente deve ser livre de ruídos externos, para facilitar o entendimento do material audiovisual. Cabe ao professor corrigir a pronúncia dos alunos, orientando-os ainda sobre como elaborar frases e usar a entonação correta. É um trabalho minucioso, de formiguinha, que leva algum tempo para produzir resultados. Ainda não se descobriu, por mais que se tente, fórmulas rápidas e mágicas para se aprender um segundo idioma. Existe ainda uma terceira opção, focada nas classes altas, em sua maioria. É a chamada escola bilíngüe, que traz a língua estrangeira para o centro do processo educativo, usando-a paralelamente à língua materna, sem prejuízo para o aprendizado desta última. Em grandes centros urbanos já é possível matricular os filhos nesse tipo de escola desde o berçário. O resultado são crianças que crescem falando simultaneamente os dois idiomas, com naturalidade. Os professores que atuam nesse tipo de escola precisam ter, além da habilitação em Pedagogia, fluência na língua estrangeira em questão. É uma nova realidade que propõe um desafio para a formação de professores: oferecer, nos bancos das nossas faculdades, a língua estrangeira na grade curricular. Seja qual for a opção, o contato com uma segunda língua enriquece muito a formação do aluno. Junto com a língua pode-se aprender sobre cultura e modos de pensar diferentes, exercendo a tolerância e aumentando a visão do mundo. Como durante as Olimpíadas aprendemos um pouco sobre a cultura chinesa, que tal estimular nossos alunos a viajar pelo mundo através das diferentes línguas e culturas? Cristina Moraes O livro Histórias da avó. Contos da mulher sábia de várias culturas, da editora Paulinas, retrata, em oito contos, as antigas sociedades matriarcais, onde a anciã era respeitada e reconhecida como soberana na sua comunidade. Sua sabedoria, advinda das experiências dos anos vividos, garantia a existência da comunidade, porque ela detinha o conhecimento e mantinha a tradição, através das histórias por ela contadas. Todos os contos em Histórias da Avó têm como protagonista a anciã, retratada em suas qualidades, como a sabedoria, a perspicácia, a sagacidade. São oito contos, recolhidos da oralidade: A parteira e o djim, conto senegalês; A anciã que não tinha medo, conto japonês; O cesto da avó, conto russo; A mulher na lua, conto havaiano; A bela anciã de Córdoba, conto mexicano; Vá perguntar à mulher sábia, conto irlandês; A velha mãe Holle, conto alemão; e A anciã que tinha razão, conto sueco. Há muitos aspectos relevantes que podem ser trabalhados nessas histórias recontadas por Burleigh Mutén. A autora realiza um cruzamento de saberes de várias culturas. As ilustrações de Siân Bailey são lindas, as imagens prendem os olhos às páginas e ajudam o leitor a entrar no mundo da magia dos contos inseridos nas 83 páginas da obra.

3 Informe /09/2008 1a. INFORME [13/09/ :08:51] Por: chboninsenha Pág: 3 - Cor: Inglês, Alemão, Francês, Italiano...? Você considera importante aprender uma segunda língua? Como essa prática é d ese n vo l v i d a em sua escola? De que forma os conteúdos aprendidos podem ser colocados em prá t i ca? As escolas da Rede Municipal de Santa Maria de Jetibá ensinam a escrita da língua pomerana nas salas de aula. Os alunos aprendem a fala em casa. Os pais transmitem esse conhecimento para seus filhos, pois aproximadamente 80% da população fala a língua. A importância do ensino da escrita do Pomerano é o fortalecimento da língua, que é um bem da população, um patrimônio imaterial. É importante que o aluno encontre na escola um eco daquilo que ele convive e aprende em casa. Caso isso não aconteça corremos o risco de ver a cultura local se enfraquecer. A escrita pomerana não existia. O professor doutor Ismael Tresman desenvolveu o dicionário da língua e, através dele, montamos a escrita e o método pedagógico. Realizamos um trabalho de capacitação com os professores há quatro anos. Essa iniciativa concorre ao Prêmio Inovação em Gestão, do INEP. Na sala de aula as professoras que falam as duas línguas realizam traduções e desenvolvem o ensino com o aluno. Observamos uma queda considerável no número de reprovações. Os alunos que só falavam Pomerano demoravam a aprender. Com o ensino da língua eles aumentam a sua auto-estima e não sentem medo e desconforto no ambiente escolar. Lúzia Fiorot Daleprane é Secretária Municipal de Educação de Santa Maria de Jetibá. Muitos estudantes acreditam que a língua espanhola, por ser uma língua neo-latina, e parecida com o Português, é uma língua fácil de ser aprendida. Ela é parecida, mas muitos verbos e construções são diferentes. Para ensinar o Espanhol eu utilizo músicas, quadrinhos da Mafalda (personagem argentina) e muita leitura de textos. Como os meus alunos são pré-adolescentes eles levam para sala de aula jogos de vídeo-game, de computador e músicas com textos em Espanhol para interpretarmos o significado. Vamos começar ainda esse ano um trabalho de leitura de quadrinhos e charges para que os alunos coloquem os textos em Espanhol. Além disso, um aluno pediu para trabalharmos com poesia, músicas e, quem sabe, paródias. É muito importante que os estudantes aprendam uma segunda língua, pois, além do mercado de trabalho exigir, hoje é muito mais fácil morar fora do país e, para isso, é preciso estar familiarizado com outras línguas. Luana Clicia Bastos Oliveira leciona Espanhol para alunos de 6º a 9º anos, no Colégio Philippe Perrenoud, em Vila Velha. Responda rápido: qual a língua mais falada do mundo? Se você pensou no inglês, está completamente enganado. A língua mais falada do mundo é o chinês. Calcula-se que aproximadamente a quinta parte dos habitantes da terra fala chinês. Para afirmar quais são as línguas mais faladas do mundo, temos de tomar por base alguns critérios sobre como delimitar as diversas línguas em relação a suas variações ou dialetos. Igualmente, devemos distinguir aqueles que falam determinado idioma como primeira (língua materna) ou como segunda língua. O inglês, por exemplo, tem pouco mais de 300 milhões de falantes nativos. Se considerarmos os que o dominam como segunda língua, esse número ultrapassa 500 milhões. Equacionando essas questões, a tabela a seguir apresenta as cinco línguas mais faladas atualmente no mundo. Língua 1. Chinês mandarim Espanhol Inglês Árabe Hindi Número de falantes nativos Ficha suja Converse com seus alunos sobre a polêmica dos candidatos com ficha suja. Pesquise em jornais de datas anteriores para saber como foi a repercussão dos fatos. Pergunte se eles acham correto esses candidatos disputarem cargos públicos. Abra uma discussão para saber as possíveis conseqüências de elegermos um candidato com ficha suja para representar o município, por exemplo. Fale sobre a decisão que o Supremo Tribunal Federal (STF) tomou permitindo que esses candidatos com fichas comprometidas disputem as eleições. Promova um bate-papo para que os alunos emitam suas opiniões sobre a responsabilidade que o eleitor precisa ter nas eleições. Fale sobre a importância de conhecer o histórico político do candidato antes de elegê-lo. Destaque as mudanças ocorridas nos bairros e nas cidades devido ao ano eleitoral. Pergunte se no lugar onde moram é possível perceber essas mudanças. Converse sobre as campanhas eleitorais, questionando quais são os pontos po s i t ivo s e negativos da obrigatoriedade de sua divulgação. Pergunte se costumam freqüentar comícios com seus familiares ou mesmo assistir, junto com eles, à propaganda política na TV. Conduza uma entrevista com pessoas da comunidade para saber de que forma decidem em que candidato vão votar, verificando se a propaganda política influencia ou não nessa decisão. Monte uma tabela com os dados levantados. Proponha uma análise dos horários eleitorais gratuitos. Eleja alguns critérios que poderiam nortear a avaliação de cada candidato em sua aparição na TV. Peça que os alunos assistam e pontuem os candidatos de acordo com os critérios, levando os resultados para discussão em sala de aula e concluindo se é possível formar uma opinião a partir da propaganda política. 3

4 nforme /09/2008 1a. INFORME [13/09/ :10:00] Por: chboninsenha Pág: Cor: Direito e realidade Valorizar a mãe, incentivando o amor, o carinho e o respeito por ela. Desenvolver a criatividade. Trabalhar a socialização. Conversa informal sobre o relacionamento entre mãe e filhos. Apresentação da história O pintinho fujão, com interpretação oral. Pesquisa no jornal de gravuras de mulheres (mães) e confecção coletiva de um cartaz com registros de palavras que expressam os vários tipos de mães. Mamãe Desenho da mãe com uso do jornal. Trabalho com as letras do jornal formando a palavra mamãe. As crianças ficaram muito empolgadas com o manuseio do jornal. Algumas demonstraram solidariedade a colegas dando-lhes letras repetidas por elas para formarem a palavra mamãe. Professor(a): Maria Alice Mantegazine Escola: CEIM Luz do Futuro Série: 6 anos Município: Jaguaré Água, ouro líquido Promover a conscientização sobre a importância da conservação e proteção do meio ambiente. Realizar ações para combater o desperdício de água. Refletir sobre as causas da destruição das matas ciliares e da seca das nascentes. Identificar o jornal como fonte de informação e pesquisa. Leitura, interpretação e discussão de notícias e debate sobre o tema Devastação da cobertura florestal faz desaparecer nascentes do Caderno Especial de A GAZETA, publicado em 22/03/08. Visita a uma nascente e a matas ciliares. Passeata ecológica nas ruas da cidade com apresentação de uma coreografia com a música Em prol da vida, de Pe. Zezinho. Plantio de árvores nativas e frutíferas. O projeto foi interdisciplinar e envolveu Matemática e Ciências. Diante da realidade de degradação do meio ambiente e a escassez de água, acreditamos que os alunos elevaram ainda mais o nível de conscientização em poder colaborar com o futuro do planeta e valorizar este líquido tão precioso: a água. Professor(a): Adoracy Soares e Eclair Domiciano Escola: EMEF Francisco José Mattedi Série: 8ª Município: São Gabriel da Palha Proporcionar uma análise da conquista burguesa na Revolução Francesa: direitos do homem e do cidadão. Promover uma reflexão fazendo uma analogia entre a garantia do direito pelo Estado e a realidade brasileira. Desenvolvimen - to : Exercício de análise dos direitos do homem e do cidadão conquistados na Revolução Francesa. Debate, comparando a conquista de direitos na Revolução Francesa e a realidade dos nossos dias. Confecção de mural - recorte de figuras de jornais que mostrem a garantia dos direitos do homem e do cidadão ou o seu desrespeito. Os alunos foram direcionados à compreensão da responsabilidade da sociedade civil organizada na garantia dos direitos conquistados, sendo essa uma das soluções para a disparidade entre o que garantem as leis e a realidade brasileira. Professor(a): Deraldo Lima de Oliveira Escola: EMEF Lacerda de Aguiar Série: 7ª Suplência Município: Piúma Nossos sentimentos Refletir sobre atitudes saudáveis para uma boa c o nv iv ê n c i a. Trabalhar os valores, despertando nas crianças o senso crítico. Identificar expressões de sentimentos em gravuras e palavras. Estimular o companheirismo, a amizade e o respeito entre os colegas. Conversa informal sobre companheirismo, amizade, respeito e cooperação. Apresentação da história A formiga e a pomba, de Pedro Bandeira. Pesquisa, leitura intuitiva e interpretação de figuras e palavras do jornal A GAZETA que expressam diversos sentimentos. Produção de cartaz coletivo com o material pesquisado. Trabalho com as músicas Cinco palavrinhas mágicas e Põe a mão na boca. Realização do amigo oculto, em que cada criança em casa, junto com os pais, produziu uma mensagem para o amigo. Leitura das mensagens e produção de um texto coletivo, expressando os sentimentos abordados nas aulas. Confecção de livrinhos com o tema Nossos sentimentos. Trabalho com atividades explorando as pal av r a s. Elaboração de gráfico com a representação dos sentimentos (bons e ruins). O trabalho com o tema sentimentos foi muito gratificante, pois as crianças entenderam as expressões passadas pelas imagens e compreenderam a importância da amizade, do companheirismo e do respeito. Professor(a): Izabel Cristina da Rocha Escola: EMEF Padre Alonso Série: 1º ano Município: Itaguaçu Chargeando a notícia Identificar a crítica presente em charges. Produzir charges baseadas em notícias. Divisão da sala em grupos ou duplas. Distribuição de jornais para pesquisa de charges e identificação da crítica presente nelas. Escolha de algumas reportagens de assuntos variados: política, esporte, polícia, etc. Produção de charges baseadas nas notícias selecionadas. Exposição dos trabalhos no corredor da escola. Eleição da melhor charge produzida. O trabalho realizado proporcionou aos alunos estímulo à criatividade e à criticidade. Professor(a): Gláucia Donna Cardoso Escola: EMEB Pedro Milaneze Altoé Série: 8º ano Município: Vargem Alta A educação não tem cor Mostrar que existe um racismo velado no Brasil e que a imagem dos negros nos livros, revistas e jornais ainda é inferiorizada perante o branco. Aumentar a auto-estima dos alunos afrodescendentes. Despertar a sala de aula para a diversidade da raça humana e promover o respeito pelas diversas etnias. Confecção de um cartaz com gravuras do jornal A GAZETA para demonstrar nossa realidade da pluralidade cultural. Concurso de desenho com o tema Educação não tem cor. Desfile com o tema Miscigenação de cor (música Beleza Pura, da banda Skank). Apresentação do congo mirim para demonstrar a cultura afro. Pesquisa no jornal A GAZETA para fazer um triângulo de raças. Montagem de um gráfico sobre a discriminação racial no Brasil, com base em dados do jornal A G A Z E TA. Leitura e interpretação de textos informativos. Produção de texto. O Brasil é um país fruto de miscigenação, habitado pelas mais variadas raças do planeta. Começando na sala de aula, devemos romper com o preconceito, uma vez que precisamos aceitar as diferenças. Professor(a): Fernanda Ferreira e Patrícia Zanetti Escola: EMEF Patrimônio de Santo Antônio Série: 1ª a 4ª Município: São Domingos do Norte 4 5

5 Informe /09/2008 1a. INFORME [13/09/ :10:51] Por: chboninsenha Pág: 6 - Cor: Trabalhando com jornal Familiarizar o aluno com a estrutura do jornal, aproximando-o dos diferentes tipos de textos. Oferecer ao leitor condições para ampliar sua visão de mundo. Possibilitar produções orais e escritas a partir das reportagens. Distribuição de várias reportagens de jornais para que fossem analisadas e lidas, mediante intervenções realizadas pela professora. Troca das reportagens entre os alunos para que todos pudessem ter acesso aos mesmos textos, facilitando assim a interação dos alunos. Socialização oral das reportagens. Produção escrita individual a partir das reportagens lidas. Introdução de alguns questionamentos para os alunos: Seu texto fala sobre o quê? Quem escreveu o texto lido? Onde ocorreu? Foi solucionado o problema? Estão sendo realizadas investigações e/ou pesquisas? A que tipo de leitor interessa esse texto? De que você mais gostou? O que deixou você mais assustado? Qual a principal característica do seu texto? Se você fosse escrever essa reportagem, como a escreveria? Que título daria? Como ilustraria a reportagem para conquistar a atenção do leitor? Construção de tabelas e gráficos a partir de mapas de previsão do tempo. Pesquisa sobre os municípios litorâneos de nosso Estado, desconhecidos por muitos alunos. As crianças acharam a atividade muito atrativa, despertando assim um maior interesse pelas aulas, tornando-as mais prazerosas e produtivas. Neste sentido, os alunos passaram a interagir e a contribuir com o processo ensino-aprendizagem, ampliando sua visão de mundo. Professor(a): Marinalva Moreira Escola: EU Fazenda Gustavo Berger Série: 1ª a 4ª Município: Santa Maria de Jetibá Menina bonita do laço de fita Desenvolver o hábito da leitura. Apresentar diferentes tipos de textos. Desenvolver a coordenação motora fina. Perceber as diferenças existentes entre as pessoas. Apresentação do jornal A GAZETA. Leitura, interpretação e discussão da matéria Cuide bem dos livros, de 06/04/08. Leitura e interpretação da história Menina bonita do laço de fita, de Ana Maria Machado. Conversa sobre os personagens da história. Produção de releitura da obra lida. Confecção de livro. Ao apresentar o jornal A GAZETA, os alunos ficaram curiosos e observaram atentamente o que a professora falava. Todos envolveram-se na atividade com alegria e entenderam que devem cuidar muito bem dos livros. Professor(a): Juliana Vieira Santiago Escola: São Domingos Série: Maternal II Município: Vi t ó r i a Era uma vez a menina do laço de fita. Ela era pretinha, pretinha. A mãe fazia trancinhas no cabelo da menina. Mas o coelho queria ficar da mesma cor da menina e comeu muitas jabuticabas. Depois o coelho se apaixonou pela coelha p re t i n h a. Amigo notícia 6 Despertar o hábito de leitura de jornal. Reconhecer que o jornal é um importante meio de infor mação. Reconhecer a importância do fortalecimento da auto-estima para a construção de boas relações consigo mesmo e com o outro. Conversa informal sobre a atividade a ser realizada, explicando seu funcionamento (O aluno deverá escolher uma notícia interessante e enviar para o colega. Este deverá fazer leitura em casa, destacar fatos importantes e informar sua família sobre o assunto). Sorteio dos nomes dos colegas para o envio das notícias (O aluno deverá guardar segredo sobre o nome do colega que tirou). Confecção e exposição de caixas para os envelopes do Amigo notícia. Troca dos envelopes com a mesma dinâmica de um Amigo X. Exposição das notícias recebidas em um mural, comentando-as para os colegas. Realização de intervenções e debate sobre os assuntos expostos. Realização de outras atividades com base nos textos recebidos, como interpretação oral e escrita, caça-palavras, palavras cruzadas e produção de cartazes. Esta atividade foi realizada com os alunos com deficiência física acompanhada de um déficit de atenção e de dificuldade de aprendizagem, que já fazem leitura e escrita, mas ainda não possuem o hábito de leitura. Isso pode ter ocasionado a dificuldade de interpretação de texto. Com a prática desta atividade realizada com jornal temos obtido maior êxito, pois ela facilita a aprendizagem e a alfabetização dos alunos que estão matriculados na escola regular de Ensino Fundamental e que também freqüentam esta instituição. Professor(a): Delizete da Costa Lahas Escola: A PA E Município: Domingos Martins

6 Informe /09/2008 1a. INFORME [13/09/ :12:29] Por: chboninsenha Pág: 7 - Cor: III Encontro Regional Bilboquê de garrafa pet O Informe deste mês sugere uma diversão barata que vai agradar todos os seus alunos no Dia da Criança. Experimente e comprove! O programa A Gazeta na Sala de Aula promoveu o III Encontro Regional para monitores. O evento reuniu cerca de 30 participantes no dia 15 de agosto, no auditório da Rede Gazeta. Durante o encontro foram apresentadas a Oficina C Ética e respeito: aprendendo a conviver em grupo ; a Oficina de Afeto, com o professor Nourival Júnior; e a Oficina de LIBRAS, com Adriana Gomes. Na ocasião foi lançado o concurso Jornal na Sala de Aula, que premiará os melhores trabalhos desenvolvidos pelos professores e alunos na sala de aula. As atividades selecionadas serão apresentadas na Jornada, que acontecerá no auditório da Rede Gazeta, no dia 25 de n ove m b r o. O melhor trabalho será premiado com um computador, o segundo colocado ganhará uma máquina digital e o terceiro um DV D. A Gazeta na Sala de Aula no Conexão Geral Os 80 anos do jornal A Gazeta foram retratados no Conexão Geral especial, exibido pela TV Gazeta, no dia 14 de setembro. O programa mostrou como o jornal é produzido, os jornalistas que fazem parte dessa história e muitas curiosidades. Além disso, os telespectadores puderam conhecer um pouco mais sobre o Programa A Gazeta na Sala de Aula com depoimentos da coordenadora Cristina Barbiero Moraes e da monitora de Cariacica Márcia Rosângela. Oficina Intermediária A segunda oficina intermediária do Programa A Gazeta na Sala de Aula em Guarapari foi realizada no dia 4 de julho, no auditório Paulo Freire. O tema da oficina foi A Afetividade e a Auto-Estima na Relação Pe d a g ó g i c a. Inicialmente, houve um momento de sensibilização e exibição de um vídeo da música O caderno, de Toquinho. Os participantes foram convidados a refletir a respeito da seguinte questão: Que confidências os cadernos de nossos alunos devem guardar? Em seguida, a história infantil A Formigadinha, de Rossana Ramos, foi narrada. Formigadinha era uma formiguinha que não se adaptara à escola tradicional, mas quando encontrou a Escola Viva descobriu que escola é lugar de aprender e ser feliz. Após a sensibilização, os professores de Yoga Maurício da Silveira Chaves e Naren Rodrigues Chaves falaram da relação entre respiração e equilíbrio e realizaram uma técnica de relaxamento. A psicóloga Ravenna Baptista Negromonte de Almeida ministrou a palestra Afetividade e Auto-estima. O professor de Educação Física Felipe Santiago finalizou o evento com a palestra Afeto e Individualidade: o papel da auto-estima. Com dinamismo, descontração e interatividade, fez os participantes se descontraírem e vivenciarem suas emoções de forma ampla e abrangente. A Gazeta na Sala de Aula Informe é uma publicação mensal da Assessoria de Comunicação Empresarial da Rede Gazeta Coordenação do projeto Educar: Maria Alice Lindenberg Coordenação do programa A Gazeta na Sala de Aula: Cris - tina Barbiero Moraes Te l e fo n e : (27) agazetanasaladeau - Hot site: w w w. ga z e t a o n l i n e. com.br/saladeaula Jornalista Responsável: Mo - niky Koscky (MTB ES 01456JP) Diagramação: Alialba Custódio Ilustração: Genildo Colaboração : Carolina Bragio, Jirlan Biazatti e Marcela Tessarolo 7

7 Informe /09/2008 1a. INFORME [13/09/ :15:27] Por: chboninsenha Pág: 8 - Cor: As escolas precisam de educadores, não de professores! Tião Rocha é seu nome, Sebastião é apelido. Antropólogo (por formação acadêm i ca), educador popular (por opção política), folclorista (por necessidade) e mineiro (por sorte). Fundador do Centro Popular de Cultura e Desenvolvimento - CPCD, orga n i za ç ã o não-governamental sem fins lucrativos, criada em 1984, em Belo Horizonte/MG. O professor Tião Rocha trabalha com educação há quase 40 anos, porém, segundo ele mesmo afirma, tornou-se educador há 25 anos, quando deixou as salas de aula para se dedicar a projetos de aprendizagem. Confira a entrevista! Paulo Takashi O que o levou a deixar a sala de aula para se dedicar a outros projetos na área de educação? Há 25 anos eu tomei uma decisão. Depois de muitos anos na vida acadêmica não queria mais ser professor. Pensei: quero ser agora educador. Para mim existe uma grande diferença entre professor e educador. Professor é aquele que ensina e educador é aquele que aprende. Queria deixar de ser um mero repassador de informações e passar a ser aprendiz. Então percebi que para me tornar um educador não poderia ficar dentro da escola e resolvi seguir outro caminho. Continuo trabalhando com educação, mas sem precisar estar dentro da esco l a. Como o senhor avalia a estrutura das escolas atuais? A estrutura está ultrapassada há anos. A escola virou uma fôrma. Não é só formal, ela tem um conteúdo que está no formol, que já morreu. As instituições de ensino continuam reproduzindo isso, independente de quem entra na escola. Hoje, os alunos estão muito mais informados, têm muito acesso à informação, à tecnologia e ao conhecimento e as escolas não acompanharam essa evolução. Temos que pensar que a escola não é o único espaço gerador de educação. Existem tantos outros meios que podem e devem ser usados para a aprendizagem p e r m a n e n te. E como é possível desconstruir a lógica do que é educar e tornar-se um educador que pratica a aprendizagem? É mudar radicalmente a postura diante dos alunos. É mudar o jeito de trabalhar. O professor não pode ser um repassador de informação. Ele tem que construir coletivamente. Não pode, por exemplo, querer que os alunos aprenderam a história do país sem que eles possam exercitar a própria história. E a escola tem que permitir e incentivar a reflexão sobre isso. Caso contrário, a outra Confira os eventos! Oficina D Afetividade e Sexualidade IV Encontro regional (para m o n i to re s) Data: 03/10 Horário: 8h30 às 15h20 Local: Auditório da Rede Gazeta Escolas Particulares Data: 14/10 Local e horário: a serem definidos por cada escola Grupo 1 (Guarapari, Piúma, Anchieta e Alfredo C h ave s) Data: 20/10 Horário: 13 às 17h Local: Piúma Grupo 2 (Cachoeiro de Itapemirim e Vargem Alta) Data: 22/10 Horário: 13 às 17h Local: Vargem Alta história não terá importância. Um bom exemplo é o fato das crianças não gostarem de ler. Eu pergunto: os livros perderam o encantamento ou foi a escola que não soube mantê-los encantados? Quando alguém fala que os alunos não gostam de ler eu digo que a escola matou esse prazer da leitura. Na sua opinião, como se formam os bons educadores, imprescindíveis para que haja boa e d u c a ç ã o? Primeiro é preciso querer ser educador e querer construir processos coletivos. É inadmissível que um professor coloque todos os dias os alunos uns atrás dos outros e ele fique lá no quadro ditando regras, enquanto os alunos ficam copiando. Outro absurdo é que a escola é a única instituição que ainda tem servente, que significa servo. Tudo isso está muito atrasado. Há 25 anos me perguntei se seria possível fazer educação sem escola. Será possível construir uma escola embaixo de um pé de manga, por exemplo? É possível aprender brincando? Ou a escola tem que ser um serviço militar obrigatório aos sete anos? Então fui tentar responder essas questões e estou aprendendo até hoje. Logo percebi que seria possível, sim, fazer educação sem escola e fazer boa educação embaixo de um pé de manga. Mas tudo isso só é possível com bons educadores, que são aqueles comprometidos com o processo de aprendizagem. Para conhecer ainda mais o trabalho de Tião Rocha acesse o site: Para Tião Rocha, o professor não pode ser um repassador de informação. Ele tem que construir coletivamente Concurso Jornal na sala de aula Professor, fique atento às datas do concurso e participe! Entrega da ficha de planejamento de atividade ao monitor - 30/09/08 (Cada professor pode inscrever apenas um trabalho). Recebimento das atividades selecionadas pelos monitores à Rede Gazeta- até 10/10/08 (Cada monitor faz uma seleção prévia e envia apenas uma atividade de seu município/escola particular. Não serão aceitas inscrições posteriores). Seleção das oito melhores atividades por uma comissão da Rede Gazeta - até 24/10/08. Divulgação do resultado do julgamento - 28/10/08. Apresentação das atividades selecionadas - 25/11/08 (As 8 atividades selecionadas serão apresentadas, nesta data, na Jornada, que acontecerá no auditório da Rede Gazeta. Uma comissão de monitoras elegerá, durante o evento, as 3 melhores para receber prêmios). Pre m i a ç ã o 1º lugar - um computador 2º lugar - uma máquina fotográfica digital 3º lugar - um DVD Os professores das oito atividades finalistas visitarão a sede da Rede Gazeta ao final da Jornada. As atividades apresentadas durante o evento serão publicadas no Informe, tablóide informativo do programa. No caso de falta justificada do autor, a atividade poderá ser apresentada por um representante deste. 8

Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio

Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio Direitos Humanos - Ensino Fundamental e Ensino Médio Um projeto para discutir Direitos Humanos necessariamente tem que desafiar à criatividade, a reflexão, a crítica, pesquisando, discutindo e analisando

Leia mais

Projeto Quem sou eu? Tema: Identidade e Autonomia Público alvo: Educação Infantil Disciplina: Natureza e Sociedade Duração: Seis semanas

Projeto Quem sou eu? Tema: Identidade e Autonomia Público alvo: Educação Infantil Disciplina: Natureza e Sociedade Duração: Seis semanas Projeto Quem sou eu? Image URI: http://mrg.bz/q6vqo3 Tema: Identidade e Autonomia Público alvo: Educação Infantil Disciplina: Natureza e Sociedade Duração: Seis semanas Justificativa: Tendo em vista a

Leia mais

ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA

ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA Antonio Carlos Pavão Quero saber quantas estrelas tem no céu Quero saber quantos peixes tem no mar Quero saber quantos raios tem o sol... (Da canção de João da Guabiraba

Leia mais

PROJETO ANUAL. Tema Central: Mãe Terra, o que deixaremos para os nossos filhos?

PROJETO ANUAL. Tema Central: Mãe Terra, o que deixaremos para os nossos filhos? PROJETO ANUAL Tema Central: Mãe Terra, o que deixaremos para os nossos filhos? I TRIMESTRE Turmas: Maternal ao 5º ano Enfatizando: Maternal e jardim I: O Circo {A magia do riso] Levar os alunos a compreender

Leia mais

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Resumo Este projeto propõe a discussão da Década de Ações para a Segurança no Trânsito e a relação dessa com o cotidiano dos alunos, considerando como a prática

Leia mais

Projeto. Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA?

Projeto. Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA? Projeto Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA? 1 Projeto Pedagógico Por Beatriz Tavares de Souza* Apresentação O livro tem como tema o meio ambiente em que mostra o homem e a destruição da natureza,

Leia mais

FACULDADE EÇA DE QUEIRÓS

FACULDADE EÇA DE QUEIRÓS FACULDADE EÇA DE QUEIRÓS GISELE CRISTINA DE SANTANA FERREIRA PEREIRA JÉSSICA PALOMA RATIS CORREIA NOBRE PEDAGOGIA: PROJETO MENINA BONITA DO LAÇO DE FITA JANDIRA - 2012 FACULDADE EÇA DE QUEIRÓS GISELE CRISTINA

Leia mais

Projeto - Mães empreendedoras: Minha mãe, nossas mães

Projeto - Mães empreendedoras: Minha mãe, nossas mães Projeto - Mães empreendedoras: Minha mãe, nossas mães A proposta a seguir refere-se a um Projeto Didático (PD) elaborado para trabalhar com as crianças do 1º e 2º períodos da Educação Infantil (4 e 5 anos

Leia mais

FACULDADE EÇA DE QUEIROS. Edna Cristina do Nascimento. Marineide Gonçalves. Tâmara de Oliveira PROJETO PEDAGÓGICO JANDIRA

FACULDADE EÇA DE QUEIROS. Edna Cristina do Nascimento. Marineide Gonçalves. Tâmara de Oliveira PROJETO PEDAGÓGICO JANDIRA FACULDADE EÇA DE QUEIROS Edna Cristina do Nascimento Marineide Gonçalves Tâmara de Oliveira PROJETO PEDAGÓGICO JANDIRA MARÇO 2012 FACULDADE EÇA DE QUEIROS PROJETO PEDAGÓGICO SOBRE O LIVRO: MENINA BONITA

Leia mais

TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA

TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA RESUMO Os educadores têm se utilizado de uma metodologia Linear, que traz uma característica conteudista; É possível notar que o Lúdico não se limita

Leia mais

MODELAGEM MATEMÁTICA

MODELAGEM MATEMÁTICA 600 MODELAGEM MATEMÁTICA *Carla da Silva Santos **Marlene Menegazzi RESUMO Este artigo retrata através de seus dados históricos, métodos e exemplo prático uma metodologia alternativa de ensino nos levando

Leia mais

Lúmini Art Centro de Pesquisa, Cultura e Ação Social. O Projeto Social Luminando

Lúmini Art Centro de Pesquisa, Cultura e Ação Social. O Projeto Social Luminando Lúmini Art Centro de Pesquisa, Cultura e Ação Social O Projeto Social Luminando O LUMINANDO O Luminando surgiu como uma ferramenta de combate à exclusão social de crianças e adolescentes de comunidades

Leia mais

PROJETO DE LEITURA CESTA LITERÁRIA

PROJETO DE LEITURA CESTA LITERÁRIA Escola de Ensino Médio João Barbosa Lima PROJETO DE LEITURA CESTA LITERÁRIA DESPERTANDO O GOSTO PELA LEITURA E A ARTE DE ESCREVER Projeto na Sala de PCA da Área de Linguagens e Códigos PROEMI -Programa

Leia mais

Como aconteceu essa escuta?

Como aconteceu essa escuta? No mês de aniversário do ECA - Estatuto da Criança e do Adolescente, nada melhor que ouvir o que acham as crianças sobre a atuação em Educação Integral realizada pela Fundação Gol de Letra!! Conheça um

Leia mais

APRENDER A LER PROBLEMAS EM MATEMÁTICA

APRENDER A LER PROBLEMAS EM MATEMÁTICA APRENDER A LER PROBLEMAS EM MATEMÁTICA Maria Ignez de Souza Vieira Diniz ignez@mathema.com.br Cristiane Akemi Ishihara crisakemi@mathema.com.br Cristiane Henriques Rodrigues Chica crischica@mathema.com.br

Leia mais

O interesse por atividades práticas contribuindo na alfabetização através do letramento

O interesse por atividades práticas contribuindo na alfabetização através do letramento O interesse por atividades práticas contribuindo na alfabetização através do letramento A contribuição do interesse e da curiosidade por atividades práticas em ciências, para melhorar a alfabetização de

Leia mais

Aprendendo a ESTUDAR. Ensino Fundamental II

Aprendendo a ESTUDAR. Ensino Fundamental II Aprendendo a ESTUDAR Ensino Fundamental II INTRODUÇÃO Onde quer que haja mulheres e homens, há sempre o que fazer, há sempre o que ensinar, há sempre o que aprender. Paulo Freire DICAS EM AULA Cuide da

Leia mais

Atividades Pedagógicas. Agosto 2014

Atividades Pedagógicas. Agosto 2014 Atividades Pedagógicas Agosto 2014 EM DESTAQUE Acompanhe aqui um pouco do dia-a-dia de nossos alunos em busca de novos aprendizados. ATIVIDADES DE SALA DE AULA GRUPO II A GRUPO II B GRUPO II C GRUPO II

Leia mais

INFORME UVV-ES Nº31 07-13/10 de 2013 UVV POST. Publicação semanal interna Universidade Vila Velha - ES Produto da Comunicação Institucional

INFORME UVV-ES Nº31 07-13/10 de 2013 UVV POST. Publicação semanal interna Universidade Vila Velha - ES Produto da Comunicação Institucional UVV POST Publicação semanal interna Universidade Vila Velha - ES Produto da Comunicação Institucional DIFERENÇAS E INCLUSÃO PROJETO DA PEDAGOGIA REALIZA AULAS DE CAMPO EM COMUNIDADES QUILOMBOLA E INDÍGENA

Leia mais

Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos. Quem sou eu? Dinâmica de Apresentação para Grupo de Jovens

Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos. Quem sou eu? Dinâmica de Apresentação para Grupo de Jovens Disponível no site Esoterikha.com: http://bit.ly/dinamicas-para-jovens Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos As dinâmicas de grupo já fazem parte do cotidiano empresarial,

Leia mais

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM CORRENTES DO PENSAMENTO DIDÁTICO 8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM Se você procurar no dicionário Aurélio, didática, encontrará o termo como feminino substantivado de didático.

Leia mais

METODOLOGIA & Hábito de estudos AULA DADA AULA ESTUDADA

METODOLOGIA & Hábito de estudos AULA DADA AULA ESTUDADA Educação Infantil METODOLOGIA & Hábito de estudos AULA DADA AULA ESTUDADA s s s Precisao e organizacao nos conceitos A agitação é a mesma. Com algumas adaptações ao espaço e ao tempo, a rotina e as histórias

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA RELAÇÃO DE RESUMOS DE MONOGRAFIAS E ARTIGOS DE PÓS- GRADUAÇÃO Lato sensu Curso: Língua Inglesa/2005 Nome Aluno(a) Título Monografia/Artigo Orientador/Banca Annelise Lima

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO 1

PROJETO PEDAGÓGICO 1 PROJETO PEDAGÓGICO 1 Projeto Pedagógico Por Beatriz Tavares de Souza* Título: Maricota ri e chora Autor: Mariza Lima Gonçalves Ilustrações: Andréia Resende Formato: 20,5 cm x 22 cm Número de páginas: 32

Leia mais

Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1

Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1 Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1 Entrevista com Ricardo de Paiva e Souza. Por Flávia Gomes. 2 Flávia Gomes Você acha importante o uso de meios de comunicação na escola? RICARDO

Leia mais

PREFEITURA DE ESTÂNCIA TURÍSTICA DE SÃO ROQUE - SP DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PROJETO DE CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES EDUCAÇÃO PARA A PAZ

PREFEITURA DE ESTÂNCIA TURÍSTICA DE SÃO ROQUE - SP DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PROJETO DE CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES EDUCAÇÃO PARA A PAZ PREFEITURA DE ESTÂNCIA TURÍSTICA DE SÃO ROQUE - SP DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PROJETO DE CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES EDUCAÇÃO PARA A PAZ TEMA PROJETO DE CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES Educação para a Paz Aplicadores:

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu Mestrado Profissional em Ensino de Ciências Campus Nilópolis Ana Paula Inacio Diório AS MÍDIAS

Leia mais

Planejando uma atividade com hipertexto ou Internet

Planejando uma atividade com hipertexto ou Internet 1 Planejando uma atividade com hipertexto ou Internet Luana Possebon, Simone Schneider Klein, Tatiani F. Richter Tema: A importância do xadrez Público alvo: Ensino Fundamental Anos Finais Objetivos: Utilizar

Leia mais

IFA MIRIM PROJETO: LEIA PARA MIM!

IFA MIRIM PROJETO: LEIA PARA MIM! IFA MIRIM PROJETO: LEIA PARA MIM! Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever - inclusive a sua própria história.

Leia mais

ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI

ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI PREFEITURA MUNICIPAL DE LONTRAS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ESPORTE ESCOLA MUNICIPAL DE PERÍODO INTEGRAL IRMÃ MARIA TAMBOSI DESPERTANDO AÇÕES SUSTENTÁVEIS LONTRAS 2013 1.TEMA A preservação

Leia mais

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política No Brasil, há poucas experiências conhecidas de uso de ferramentas de monitoramento de mídias sociais em campanhas políticas. Uma delas

Leia mais

Os 3 Passos da Fluência - Prático e Fácil!

Os 3 Passos da Fluência - Prático e Fácil! Os 3 Passos da Fluência - Prático e Fácil! Implemente esses 3 passos para obter resultados fantásticos no Inglês! The Meridian, 4 Copthall House, Station Square, Coventry, Este material pode ser redistribuído,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Relatório referente ao encontro realizado no Departamento de educação física (03/06/2015)

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Relatório referente ao encontro realizado no Departamento de educação física (03/06/2015) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PAULO CÉSAR DUTRA JUNIOR PIBID SUBPROJETO EDUCAÇÃO FÍSICA 0 física (03/06/2015) O primeiro assunto pautado na reunião foi sobre o V SEMINÁRIO INSTITUCIONAL PIBID/UFPR 2015,

Leia mais

A CRIANÇA DE SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL

A CRIANÇA DE SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL A CRIANÇA DE SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL Por que a criança de seis anos no ensino fundamental? Porque, pelo que entendi, em minha vida inteirinha, para umas coisas serei grande, para outras, pequenininha.

Leia mais

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID BARROS, Raquel Pirangi. SANTOS, Ana Maria Felipe. SOUZA, Edilene Marinho de. MATA, Luana da Mata.. VALE, Elisabete Carlos do.

Leia mais

JONAS RIBEIRO. ilustrações de Suppa

JONAS RIBEIRO. ilustrações de Suppa JONAS RIBEIRO ilustrações de Suppa Suplemento do professor Elaborado por Camila Tardelli da Silva Deu a louca no guarda-roupa Supl_prof_ Deu a louca no guarda roupa.indd 1 02/12/2015 12:19 Deu a louca

Leia mais

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Rene Baltazar Introdução Serão abordados, neste trabalho, significados e características de Professor Pesquisador e as conseqüências,

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA CLAINES KREMER GENISELE OLIVEIRA EDUCAÇÃO AMBIENTAL: POR UMA PERSPECTIVA DE RELAÇÕES ENTRE

Leia mais

OS RECURSOS AUDIOVISUAIS NO ESPAÇO ESCOLAR

OS RECURSOS AUDIOVISUAIS NO ESPAÇO ESCOLAR OS RECURSOS AUDIOVISUAIS NO ESPAÇO ESCOLAR Fundação Universidade Federal do Tocantins Maria Jose de Pinho mjpgon@mail.uft.edu.br Professora orientadora do PIBIC pedagogia Edieide Rodrigues Araújo Acadêmica

Leia mais

TÍTULO: ALUNOS DE MEDICINA CAPACITAM AGENTES COMUNITÁRIOS NO OBAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE

TÍTULO: ALUNOS DE MEDICINA CAPACITAM AGENTES COMUNITÁRIOS NO OBAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE TÍTULO: ALUNOS DE MEDICINA CAPACITAM AGENTES COMUNITÁRIOS NO OBAS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: MEDICINA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE CIDADE DE SÃO PAULO AUTOR(ES): THAIS

Leia mais

SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL: SENSIBILIZANDO ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL

SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL: SENSIBILIZANDO ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL: SENSIBILIZANDO ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL Paloma Rodrigues Cunha¹, Larissa Costa Pereira¹, Luã Carvalho Resplandes², Renata Fonseca Bezerra³, Francisco Cleiton da Rocha 4

Leia mais

PLANEJAMENTO: um vai-e-vem pedagógico

PLANEJAMENTO: um vai-e-vem pedagógico 1 PLANEJAMENTO: um vai-e-vem pedagógico Vera Maria Oliveira Carneiro 1 Educar é ser um artesão da personalidade, um poeta da inteligência, um semeador de idéias Augusto Cury Com este texto, pretendemos

Leia mais

PROJETO DE INTERVEÇÃO: UM OLHAR DIFERENTE PARA O LIXO

PROJETO DE INTERVEÇÃO: UM OLHAR DIFERENTE PARA O LIXO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO-UFERSA NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CURSO :EDUCAÇÃO AMBIENTAL ALUNA:FRANCISCA IÊDA SILVEIRA DE SOUZA TUTORA: ANYELLE PAIVA ROCHA ELIAS PROFESSORA: DIANA GONSALVES

Leia mais

Atividade: Reflexão sobre Bullying e Uso consciente da internet

Atividade: Reflexão sobre Bullying e Uso consciente da internet Educação Infantil - Ensino Fundamental - Ensino Médio Atividade: Reflexão sobre Bullying e Uso consciente da internet Público: Sextos anos Data: 25/5/2012 Após a realização do Provão, nossos alunos do

Leia mais

Primeiro Segmento equivalente à alfabetização e às quatro primeiras séries do Ensino Fundamental (1ª à 4ª série).

Primeiro Segmento equivalente à alfabetização e às quatro primeiras séries do Ensino Fundamental (1ª à 4ª série). INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A EJA 1- Você se matriculou em um CURSO DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA). Esse curso tem a equivalência do Ensino Fundamental. As pessoas que estudam na EJA procuram um curso

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

ATUAÇÃO DO PIBID NA ESCOLA: (RE) DESCOBRINDO AS PRÁTICAS LÚDICAS E INTERDISCIPLINARES NO ENSINO FUNDAMENTAL

ATUAÇÃO DO PIBID NA ESCOLA: (RE) DESCOBRINDO AS PRÁTICAS LÚDICAS E INTERDISCIPLINARES NO ENSINO FUNDAMENTAL ATUAÇÃO DO PIBID NA ESCOLA: (RE) DESCOBRINDO AS PRÁTICAS LÚDICAS E INTERDISCIPLINARES NO ENSINO FUNDAMENTAL Adriana do Nascimento Araújo Graduanda Pedagogia - UVA Francisca Moreira Fontenele Graduanda

Leia mais

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA!

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! NOSSA VISÃO Um mundo mais justo, onde todas as crianças e todos os adolescentes brincam, praticam esportes e se divertem de forma segura e inclusiva. NOSSO

Leia mais

Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais

Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais A campanha do prefeito de Duque de Caxias Alexandre Aguiar Cardoso, natural de Duque de Caxias, cidade da região metropolitana do Rio de Janeiro,

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA: ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA) NAS SÉRIES INICIAIS DE ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE ITUIUTABA-MG

RELATO DE EXPERIÊNCIA: ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA) NAS SÉRIES INICIAIS DE ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE ITUIUTABA-MG RELATO DE EXPERIÊNCIA: ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA) NAS SÉRIES INICIAIS DE ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE ITUIUTABA-MG Acacio Mariano Ferreira Neto 1 Edmilson Agápeto de

Leia mais

Os brasileiros precisam conhecer a história dos negros. (textos e fotos Maurício Pestana)

Os brasileiros precisam conhecer a história dos negros. (textos e fotos Maurício Pestana) Os brasileiros precisam conhecer a história dos negros (textos e fotos Maurício Pestana) Responsável pelo parecer do Conselho Nacional de Educação que instituiu, há alguns anos, a obrigatoridade do ensino

Leia mais

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES Introdução ao tema A importância da mitologia grega para a civilização ocidental é tão grande que, mesmo depois de séculos, ela continua presente no nosso imaginário. Muitas

Leia mais

NOME DO PROJETO PROJETO MERGULHANDO NA LEITURA 2013 PÚBLICO ALVO Educação Infantil e Ensino Fundamental I

NOME DO PROJETO PROJETO MERGULHANDO NA LEITURA 2013 PÚBLICO ALVO Educação Infantil e Ensino Fundamental I NOME DO PROJETO PROJETO MERGULHANDO NA LEITURA 2013 PÚBLICO ALVO Educação Infantil e Ensino Fundamental I OBJETIVOS GERAIS: Promover o hábito da leitura entre os alunos; Proporcionar ao aluno o prazer

Leia mais

Meio Ambiente PROJETOS CULTURAIS. 4 0 a O - fu dame tal. Cuidar da vida também é coisa de criança. Justificativa

Meio Ambiente PROJETOS CULTURAIS. 4 0 a O - fu dame tal. Cuidar da vida também é coisa de criança. Justificativa Meio Ambiente 4 0 a O - fu dame tal Cuidar da vida também é coisa de criança Justificativa PROJETOS CULTURAIS Na idade escolar, as crianças estão conhecendo o mundo (Freire, 1992), sentindo, observando,

Leia mais

QUESTÃO 1 Nessa charge, o autor usou três pontos de exclamação, na fala da personagem, para reforçar o sentimento de

QUESTÃO 1 Nessa charge, o autor usou três pontos de exclamação, na fala da personagem, para reforçar o sentimento de Nome: N.º: endereço: data: telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 6.O ANO EM 2013 Disciplina: Prova: português desafio nota: Texto para a questão 1. (Disponível em: )

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA. Sequência Didática II Brincadeira Amarelinha

RELATO DE EXPERIÊNCIA. Sequência Didática II Brincadeira Amarelinha ESCOLA MUNICIPAL JOSÉ EVARISTO COSTA RELATO DE EXPERIÊNCIA Sequência Didática II Brincadeira Amarelinha Professoras: Maria Cristina Santos de Campos. Silvana Bento de Melo Couto. Público Alvo: 3ª Fase

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DOS ENCARTES DE PREÇOS NA FORMAÇÃO DO ALUNO.

AS CONTRIBUIÇÕES DOS ENCARTES DE PREÇOS NA FORMAÇÃO DO ALUNO. AS CONTRIBUIÇÕES DOS ENCARTES DE PREÇOS NA FORMAÇÃO DO ALUNO. Autor: José Marcos da Silva Instituição: MIDS/Macaé E-mail:mzosilva@yahoo.com.br. RESUMO Na atualidade, é preciso que se crie novos métodos

Leia mais

ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2

ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2 ASSESSORIA DE IMPRENSA 1 Felipe Plá Bastos 2 RESUMO: O presente trabalho tem como objetivo saber como é desenvolvido o trabalho de Assessoria de Imprensa, sendo um meio dentro da comunicação que através

Leia mais

PROGRAMA ESCOLA DA INTELIGÊNCIA - Grupo III ao 5º Ano

PROGRAMA ESCOLA DA INTELIGÊNCIA - Grupo III ao 5º Ano ... CEFF - CENTRO EDUCACIONAL FAZENDINHA FELIZ Rua Professor Jones, 1513 - Centro - Linhares / ES - CEP. 29.900-131 - Telefone: (27) 3371-2265 www.escolafazendinhafeliz.com.br... Ao colocar seu filho na

Leia mais

ASSESSORIA PEDAGÓGICA PORTFÓLIO DE PALESTRAS E OFICINAS

ASSESSORIA PEDAGÓGICA PORTFÓLIO DE PALESTRAS E OFICINAS Dificuldades de Palestra EF e EM Todas Conscientizar sobre as dificuldades de aprendizagem aprendizagem que podem ser manifestadas pelos alunos numa sala de aula e sugerir ações de encaminhamento, conforme

Leia mais

18/11/2005. Discurso do Presidente da República

18/11/2005. Discurso do Presidente da República Discurso do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de entrega de certificado para os primeiros participantes do programa Escolas-Irmãs Palácio do Planalto, 18 de novembro de 2005

Leia mais

Ensino ativo para uma aprendizagem ativa: Eu quero saber fazer. Karina Grace Ferreira de Oliveira CREFITO 25367-F FADBA

Ensino ativo para uma aprendizagem ativa: Eu quero saber fazer. Karina Grace Ferreira de Oliveira CREFITO 25367-F FADBA Ensino ativo para uma aprendizagem ativa: Eu quero saber fazer. Karina Grace Ferreira de Oliveira CREFITO 25367-F FADBA Em ação! PARTE 1: (5 minutos) Procure alguém que você não conhece ou que conhece

Leia mais

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática 1 Sumário Introdução...04 O segredo Revelado...04 Outra maneira de estudar Inglês...05 Parte 1...06 Parte 2...07 Parte 3...08 Por que NÃO estudar Gramática...09 Aprender Gramática Aprender Inglês...09

Leia mais

Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4, 8, 32, 36, 72 e 90.

Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4, 8, 32, 36, 72 e 90. porta aberta Nova edição Geografia 2º ao 5º ano O estudo das categorias lugar, paisagem e espaço tem prioridade nesta obra. 25383COL05 Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4,

Leia mais

PROGRAMAs de. estudantil

PROGRAMAs de. estudantil PROGRAMAs de empreendedorismo e protagonismo estudantil Ciclo de Palestras MAGNUM Vale do Silício App Store Contatos Calendário Fotos Safari Cumprindo sua missão de oferecer uma educação inovadora e de

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA IVINHEMA MS MAIO DE 2010 ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR

Leia mais

SENTIR 3. TEMPO 15-20 minutos TIPO DE TEMPO contínuo

SENTIR 3. TEMPO 15-20 minutos TIPO DE TEMPO contínuo COMO USAR O MATERIAL NAS PÁGINAS A SEGUIR, VOCÊ ENCONTRA UM PASSO A PASSO DE CADA ETAPA DO DESIGN FOR CHANGE, PARA FACILITAR SEU TRABALHO COM AS CRIANÇAS. VOCÊ VERÁ QUE OS 4 VERBOS (SENTIR, IMAGINAR, FAZER

Leia mais

A Divulgação do Sensoriamento Remoto como Projeto Participante em Mostra Cultural

A Divulgação do Sensoriamento Remoto como Projeto Participante em Mostra Cultural A Divulgação do Sensoriamento Remoto como Projeto Participante em Mostra Cultural Nelson Lage Da Costa Mestrando em Ensino de Ciências na Educação Básica da UNIGRANRIO Caixa Postal 77.180 Centro Nova Iguaçu

Leia mais

2. APRESENTAÇÃO. Mas, tem um detalhe muito importante: O Zé só dorme se escutar uma história. Alguém deverá contar ou ler uma história para ele.

2. APRESENTAÇÃO. Mas, tem um detalhe muito importante: O Zé só dorme se escutar uma história. Alguém deverá contar ou ler uma história para ele. 1.INTRODUÇÃO A leitura consiste em uma atividade social de construção e atribuição de sentidos. Assim definida, as propostas de leitura devem priorizar a busca por modos significativos de o aluno relacionar-se

Leia mais

Projeto Paz na Escola

Projeto Paz na Escola Projeto Paz na Escola Olímpia Terezinha da Silva Henicka Dariléia Marin Em uma sociedade como a nossa, na qual a riqueza é tão mal distribuída, a preocupação com a sobrevivência deve ser maior que as preocupações

Leia mais

PROJETO CIDADANIA NA COMUNIDADE (COMUNIDADE DA ESCOLA SETE LÉGUAS)

PROJETO CIDADANIA NA COMUNIDADE (COMUNIDADE DA ESCOLA SETE LÉGUAS) PROJETO CIDADANIA NA COMUNIDADE (COMUNIDADE DA ESCOLA SETE LÉGUAS) Rio Verde 2010 MUNICÍPIO DE RIO VERDE-GO Professora responsável: Lílian Alves Rosa da Silva. Endereço: Rua Juarez Fernandes, nº. 178,

Leia mais

Ensinar a ler em História, Ciências, Matemática, Geografia

Ensinar a ler em História, Ciências, Matemática, Geografia PAOLA GENTILE Ensinar a ler em História, Ciências, Matemática, Geografia A forma como se lê um texto varia mais de acordo com o objetivo proposto do que com o gênero, mas você pode ajudar o aluno a entender

Leia mais

MOTIVAÇÃO E DESMOTIVAÇÃO NO APRENDIZADO DE LÍNGUAS

MOTIVAÇÃO E DESMOTIVAÇÃO NO APRENDIZADO DE LÍNGUAS MOTIVAÇÃO E DESMOTIVAÇÃO NO APRENDIZADO DE LÍNGUAS Prof. Dr. Richard Schütz www.sk.com.br Referência: SCHÜTZ, Ricardo. "Motivação e Desmotivação no Aprendizado de Línguas" English Made in Brazil .

Leia mais

QUEM SOMOS intercâmbio

QUEM SOMOS intercâmbio alemanha Programa HIGH SCHOOL QUEM SOMOS intercâmbio O Number One Intercâmbio possui mais de 15 anos de mercado oferecendo as melhores opções de viagem para você e sua família, seja a lazer, trabalho ou

Leia mais

PRODUTO FINAL ASSOCIADA A DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

PRODUTO FINAL ASSOCIADA A DISSERTAÇÃO DE MESTRADO PRODUTO FINAL ASSOCIADA A DISSERTAÇÃO DE MESTRADO Programa de Pós Graduação em Ensino de Ciências Universidade Federal de Itajubá Título da dissertação: OS MANUAIS DOS PROFESSORES DOS LIVROS DIDÁTICOS

Leia mais

Duração: Aproximadamente um mês. O tempo é flexível diante do perfil de cada turma.

Duração: Aproximadamente um mês. O tempo é flexível diante do perfil de cada turma. Projeto Nome Próprio http://pixabay.com/pt/cubo-de-madeira-letras-abc-cubo-491720/ Público alvo: Educação Infantil 2 e 3 anos Disciplina: Linguagem oral e escrita Duração: Aproximadamente um mês. O tempo

Leia mais

DA TEORIA À PRÁTICA: UMA ANÁLISE DIALÉTICA

DA TEORIA À PRÁTICA: UMA ANÁLISE DIALÉTICA DA TEORIA À PRÁTICA: UMA ANÁLISE DIALÉTICA JURUMENHA, Lindelma Taveira Ribeiro. 1 Universidade Regional do Cariri URCA lindelmafisica@gmail.com FERNANDES, Manuel José Pina 2 Universidade Regional do Cariri

Leia mais

Na Escola Municipal Dr. Humberto da Costa Soares, localizada no Engenho Pau Santo, no Cabo de Santo Agostinho-PE.

Na Escola Municipal Dr. Humberto da Costa Soares, localizada no Engenho Pau Santo, no Cabo de Santo Agostinho-PE. Nome do projeto A Cor da Mata. Um despertar para a sustentabilidade. Local onde o projeto será instalado/executado Na Escola Municipal Dr. Humberto da Costa Soares, localizada no Engenho Pau Santo, no

Leia mais

Relatório Fotográfico de Atividades -1º Semestre 2015

Relatório Fotográfico de Atividades -1º Semestre 2015 Relatório Fotográfico de Atividades -1º Semestre 2015 Subprojeto... Colégio Estadual Professor Waldemar Amoretty Machado Supervisora: Gisele Machado Brites Rodrigues Bolsistas: Ariani, Camila Simões, Kamile

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES Silva.A.A.S. Acadêmica do curso de Pedagogia (UVA), Bolsista do PIBID. Resumo: O trabalho

Leia mais

PROJETO BRINQUEDOTECA: BRINCANDO E APRENDENDO

PROJETO BRINQUEDOTECA: BRINCANDO E APRENDENDO INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE FLORESTA ISEF PROJETO BRINQUEDOTECA: BRINCANDO E APRENDENDO FLORESTA PE 2013 SUMÁRIO I. JUSTIFICATIVA II. OBJETIVO A. GERAIS B. ESPECIFICOS III. DESENVOLVIMENTO IV. CRONOGRAMA

Leia mais

Projeto Jornal Educativo Municipal

Projeto Jornal Educativo Municipal Estado de Goiás Prefeitura Municipal de Santa Bárbara de Goiás Secretaria Municipal da Educação Santa Bárbara de Goiás - GO Projeto Jornal Educativo Municipal Santa Bárbara de Goiás Janeiro/2013 Estado

Leia mais

PROJETO: Sustentabilidade e mudanças de hábitos no ambiente escolar e na comunidade

PROJETO: Sustentabilidade e mudanças de hábitos no ambiente escolar e na comunidade ESCOLA MUNICIPAL COSTA E SILVA EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL PROJETO: Sustentabilidade e mudanças de hábitos no ambiente escolar e na comunidade Cursistas: Giana K. Mass, Irdes P. Kuhn, Rosane

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CENTRO DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL BRASIL-ALEMANHA ALUNO: GINO BONA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CENTRO DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL BRASIL-ALEMANHA ALUNO: GINO BONA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CENTRO DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL BRASIL-ALEMANHA ALUNO: GINO BONA CONTOS DE FADAS NO ENSINO DA LÍNGUA ALEMÃ PARA A PRÉ-ESCOLA BÁSICA MUNICIPAL DR. ADALBERTO TOLENTINO DE

Leia mais

ESCOLINHA MATERNO- INFANTIL PROJETO 2014

ESCOLINHA MATERNO- INFANTIL PROJETO 2014 ESCOLINHA MATERNO- INFANTIL PROJETO 2014 Justificativa do Projeto Conhecer o corpo humano é conhecer a vida, poucos assuntos são tão fascinantes para os alunos quanto esse. Por menores que sejam as crianças,

Leia mais

PROJETO DE ESTÁGIO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

PROJETO DE ESTÁGIO NA EDUCAÇÃO INFANTIL PROJETO DE ESTÁGIO NA EDUCAÇÃO INFANTIL BRIZOLA, Silene Francisca dos Santos. (UNEMAT) silenefsb@hotmail.com SILVA, Maria Ivonete da. (UNEMAT) ivonete0304@hotmail.com RESUMO Este projeto foi desenvolvido

Leia mais

PRÁTICAS METODOLÓGICAS PARA ENSINO E APRENDIZAGEM DA CARTOGRAFIA NO ENSINO FUNDAMENTAL

PRÁTICAS METODOLÓGICAS PARA ENSINO E APRENDIZAGEM DA CARTOGRAFIA NO ENSINO FUNDAMENTAL PRÁTICAS METODOLÓGICAS PARA ENSINO E APRENDIZAGEM DA CARTOGRAFIA NO ENSINO FUNDAMENTAL José Euriques de Vasconcelos Neto (UFCG); Dennis Cláudio Ferreira (UFCG) Resumo O atual sistema educacional tem buscado

Leia mais

Oficina de Educomunicação: Construção de um Fotodocumentário Histórico da Escola Augusto Ruschi

Oficina de Educomunicação: Construção de um Fotodocumentário Histórico da Escola Augusto Ruschi Oficina de Educomunicação: Construção de um Fotodocumentário Histórico da Escola Augusto Ruschi EJE: Comunicacion y Extensión AUTORES: Garcia, Gabriela Viero 1 Tumelero, Samira Valduga 2 Rosa, Rosane 3

Leia mais

PLANO DE CURSO ANUAL DE ENSINO RELIGIOSO 2013

PLANO DE CURSO ANUAL DE ENSINO RELIGIOSO 2013 PLANO DE CURSO ANUAL DE ENSINO RELIGIOSO 2013 ESCOLA: 1ºANO OBJETIVO GERAL OBJETIVO ESPECIFICOS CONTEÚDOS AVALIAÇÃO BIBLIOGRAFIA Construir com o educando sobre a importância da sua existência e os cuidados

Leia mais

RELATÓRIO DE INTERCÂMBIO CRInt ECA. Dados do Intercâmbio

RELATÓRIO DE INTERCÂMBIO CRInt ECA. Dados do Intercâmbio RELATÓRIO DE INTERCÂMBIO CRInt ECA Nome: Juliana Malacarne de Pinho No. USP 7166759 Curso ECA: Jornalismo Dados do Intercâmbio Universidade: Universidade NOVA de Lisboa Curso: Comunicação Social Período:

Leia mais

Plano de Trabalho com Projetos - Professor

Plano de Trabalho com Projetos - Professor PREFEITURA DE JARAGUÁ DO SUL SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ENSINO FUNDAMENTAL Plano de Trabalho com Projetos - Professor 1. Identificação Escola Municipal de Ensino Fundamental Anna Töwe

Leia mais

Notícias do grupo. REUNIÃO DE PAIS 1º ANO B e C 1º SEMESTRE/2011 PROFESSORAS:CRIS E JULIANA 21/3/2011

Notícias do grupo. REUNIÃO DE PAIS 1º ANO B e C 1º SEMESTRE/2011 PROFESSORAS:CRIS E JULIANA 21/3/2011 REUNIÃO DE PAIS 1º ANO B e C 1º SEMESTRE/2011 PROFESSORAS:CRIS E JULIANA Notícias do grupo QUANDO EU TINHA UM ANO, EU ESTAVA APENAS COMEÇANDO. QUANDO EU TINHA DOIS, EU ERA QUASE NOVO. QUANDO EU TINHA TRÊS,

Leia mais

Projetos e Referencial Curricular Nacional par a a Educação Infantil

Projetos e Referencial Curricular Nacional par a a Educação Infantil Projetos e Referencial Curricular Nacional par a a Educação Infantil Maévi Anabel Nono UNESP Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas Departamento de Educação São José do Rio Preto A descoberta

Leia mais

PROJETO RECICLAGEM. 1. Tema: Reciclar é bom, Reutilizar é melhor e Reduzir é melhor ainda. Área de abrangência: 2. Duração: 01 /03 a 31/03

PROJETO RECICLAGEM. 1. Tema: Reciclar é bom, Reutilizar é melhor e Reduzir é melhor ainda. Área de abrangência: 2. Duração: 01 /03 a 31/03 PROJETO RECICLAGEM 1. Tema: Reciclar é bom, Reutilizar é melhor e Reduzir é melhor ainda. Área de abrangência: (x) Movimento (x) Musicalização (x) Artes Visuais (x) Linguagem Oral e Escrita (x) Natureza

Leia mais

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades; INFANTIL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações:

Leia mais

Sete Motivos Importantes Para Usar Áudio Para Melhorar As Suas Habilidades Em Inglês

Sete Motivos Importantes Para Usar Áudio Para Melhorar As Suas Habilidades Em Inglês Sete Motivos Importantes Para Usar Áudio Para Melhorar As Suas Habilidades Em Inglês Oi! Meu nome é David. Atualmente estou em Imperatriz, Maranhão ajudando pessoas como você aprenderem inglês. Já faz

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Elisa Maçãs IDÉIAS & SOLUÇÕES Educacionais e Culturais Ltda www.ideiasesolucoes.com 1

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM JOAQUIM NABUCO

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM JOAQUIM NABUCO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CÍCERO WILLIAMS DA SILVA EMERSON LARDIÃO DE SOUZA MARIA DO CARMO MEDEIROS VIEIRA ROBERTO GOMINHO DA SILVA

Leia mais