PALAVRA DO SUPERINTENDENTE ADMINISTRAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PALAVRA DO SUPERINTENDENTE ADMINISTRAÇÃO"

Transcrição

1

2 RELATÓRIO DE ATIVIDADES PALAVRA DO SUPERINTENDENTE 2 ADMINISTRAÇÃO 3 DESTAQUES DA GESTÃO SEGURIDADE INVESTIMENTOS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS RELATÓRIO SOCIAL APRESENTAÇÃO VISÃO DE SUSTENTABILIDADE DIAGNÓSTICO INVESTIMENTOS RESPONSÁVEIS AÇÕES SOCIAIS CRÉDITOS 70

3 do Palavra Superintendente Nesses 28 anos no mercado de previdência complementar, o INFRAPREV já pode demonstrar pelos resultados alcançados que está consolidado a alçar novos voos. Nesses últimos oito anos, a gestão esteve voltada para a profissionalização com foco em resultados. Em março de 2003, o patrimônio que era de R$ 480 milhões quase quadruplicou, passando em 2010 para R$ bilhão. O primeiro passo foi a modernização. Adotamos modernas técnicas de gestão de investimentos como o Asset Liability Management (ALM), que considera na alocação dos ativos os compromissos previdenciários e o estabelecimento de uma maior diversificação dos investimentos. Priorizamos a modernização tecnológica para aprimorar e integrar os sistemas de informação, que permitem uma melhor comunicação e agilidade no atendimento aos participantes. A transformação foi gradativa e a maturidade evidente. Houve comprometimento de toda a equipe de empregados e os resultados foram aparecendo. Outra preocupação constante é ampliar o grau de satisfação de nosso participante. Desde 2005 é realizada uma pesquisa para medir as ações e as expectativas dos participantes. O resultado retorna ao INFRAPREV para melhoria de seus processos. É a voz do participante eclodindo no fundo de pensão. No mesmo ano, foi estabelecido o planejamento estratégico. Começamos arrumando a casa, porque a transformação vem de dentro para fora. Trabalhamos na capacitação do quadro funcional e em 2010 na certificação profissional do quadro diretivo e gerencial. Como os planos de benefícios são de longo prazo, não dá para crescer sem pensar em sustentabilidade. Este assunto passou a ser primordial nas discussões internas e culminou na inserção de critérios socioambientais na Política de Investimentos. O tópico tomou relevância e várias ações foram desenvolvidas nas perspectivas social, econômica e ambiental. Todo esse trabalho começou a ser consolidado em 2010 na política de sustentabilidade e em um programa que prevê ações de curto, médio e longo prazos. Isto possibilitou ao INFRAPREV editar o seu 1º Relatório Social, que faz parte desta publicação. Tudo foi possível devido à visão estratégica e empreendedora da INFRAERO, que por meio de seus diretores e conselheiros do INFRAPREV nos apoiaram nesta empreitada. Todos os esforços foram conduzidos para dar suporte à política de Recursos Humanos do patrocinador. Todas essas informações foram listadas, para dizer que 2010 representou um marco para o Instituto. A conquista do multipatrocínio proporciona o crescimento do fundo de pensão e, mais do que isso, atende aos possíveis cenários traçados pelo governo para a INFRAERO sempre preocupados na proteção previdenciária dos participantes e seus dependentes e no crescimento e fortalecimento institucional do INFRAPREV. O caminho traçado foi de acompanhar a velocidade do mercado e garantir o fortalecimento do Instituto ao longo dos anos. Trabalhamos para pessoas que desejam realizar seus projetos, sonhos de vida e temos um compromisso social de ampliar cada vez mais a previdência complementar a mais brasileiros de forma sustentável. Carlos Frederico Aires Duque Diretor-Superintendente Cleomir Tavares RELATÓRIO ANUAL INFRAPREV

4 CONSELHO DELIBERATIVO Marisa Santos Villagra PRESIDENTA MISSÃO Administrar planos de benefícios previdenciários com eficiência Jairo Resende José Francisco Marinho Freire Margareth Lyses Rabelo Mendes TITULARES e transparência, de forma a contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos participantes e beneficiários, agregando valor à política de recursos humanos dos patrocinadores. Marco Antônio Gambôa Divulgação Miguel Alexandre da Conceição David Diretor de Administração e Finanças Diblaim Carlos da Silva Diretor de Benefícios Carlos Eduardo Guapindaia Campos Railton Edson dos Santos Oscar Julio Muraro Ricardo de Castro Brum SUPLENTES DIRETORIA EXECUTIVA Carlos Frederico Aires Duque DIRETOR-SUPERINTENDENTE Miguel Alexandre da Conceição David DIRETOR DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS Diblaim Carlos da Silva DIRETOR DE BENEFÍCIOS CONSELHO FISCAL Joel Alves Ramires PRESIDENTE Aramis da Silva Gomes Keite de Souza Viana Prazer Ailton Antonio da Silva TITULARES Délio Santos Lima Jurandyr Machado da Cunha Miguel Ferreira da Silva SUPLENTES VISÃO Ser reconhecido como um fundo de pensão inovador, competitivo e cada vez mais comprometido com os participantes, patrocinadores e sociedade, com base nos princípios de crescimento sustentável. VALORES Resguardar os interesses do INFRAPREV no processo decisório. Garantir alto nível de segurança na gestão do patrimônio dos planos de benefícios previdenciários. Manter alto nível de cordialidade no tratamento dos participantes e beneficiários. Manter alto nível de transparência das informações sobre a gestão dos planos de benefícios previdenciários. Manter ambiente participativo, justo e ético. Reconhecer a contribuição individual e de grupo. Comprometer-se com os princípios de sustentabilidade. Privilegiar em seu portfólio de investimentos as empresas RELATÓRIO ANUAL INFRAPREV PATROCINADORES socialmente responsáveis. Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária INFRAERO Instituto Infraero de Seguridade Social INFRAPREV Inovar, buscando internalizar processos e tecnologias de ponta em todos os níveis do INFRAPREV.

5 Relatório de Atividades 2010 Seu futuro é o nosso compromisso.

6 Destaques da Gestão Recursos Humanos O ano de 2010 se destacou pelo forte incentivo da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) ao processo de educação permanente, tendo como consequência para os fundos de pensão a necessidade de maior profissionalização dos seus quadros profissionais, em especial dos dirigentes e executivos dos fundos de pensão. O INFRAPREV, que já realizava intenso programa de treinamento e desenvolvimento, aprofundou ainda mais este processo, de forma a atender esta orientação do governo. Fruto da qualidade do quadro profissional do Instituto e de seu programa permanente de capacitação, todos os diretores e 9 gerentes obtiveram a Certificação Profissional por Experiência, concedida pelo Instituto de Certificação dos Profissionais de Seguridade Social (ICSS). Três gerentes que não tinham o tempo mínimo de experiência de três anos na função, serão incentivados a participar do processo de certificação profissional por prova, que será lançado pelo ICSS em A manutenção da certificação ocorre por conta de um processo contínuo de qualificação através de treinamento, o que será incentivado pelo Instituto para todo o seu quadro funcional. O grau de instrução também vem crescendo continuamente, afinal de contas, o Instituto estimula a participação dos empregados em programa de graduação e pós-graduação. Atualmente, 96% dos empregados têm curso superior, sendo que destes, 31% detém o título de pós-graduação e 7% de mestrado. O Instituto realizou a Pesquisa de Clima Organizacional com seus empregados e participou da Pesquisa de Cargos e Salários do Hay Group feita junto aos fundos de pensão. Estas iniciativas permitem à área de Recursos Humanos coletar informações que vêm servindo de insumo para as políticas e práticas de gestão de pessoas no Instituto. 5

7 Como resultado de todas estas iniciativas, o participante pode contar com uma equipe de profissionais qualificada e motivada para administrar os recursos, atender necessidades e antever alternativas e soluções para os participantes e beneficiários. Tecnologia da Informação Com vistas ao crescimento sustentável, a área de Tecnologia da Informação (TI) concentrou suas ações nas adequações da infraestrutura de TI necessárias para garantir a agilidade e a continuidade dos processos sistêmicos, através da implementação de tecnologias que promovem a utilização eficiente dos recursos, otimizando o investimento na área. Foram desenvolvidas ações em conjunto com a área de Comunicação para intensificar o uso do portal INFRAPREV. Uma das principais ações foi o aperfeiçoamento do atendimento online, com a inauguração do sistema Fale Conosco integrado às áreas que fornecem as informações técnicas pertinentes. Em atendimento às exigências da Supervisão Baseada em Risco foi desenvolvido um sistema para monitorar a gestão de processos e riscos, que possibilita aos dirigentes ações proativas no tocante as atividades do INFRAPREV. O projeto de digitalização dos documentos que compõe os arquivos dos participantes ativos e assistidos foi concluído, possibilitando a conservação dos documentos originais e agilizando o processo de consulta. Planejamento Estratégico O Planejamento Estratégico de 2010 indicava a necessidade de adequação da estrutura organizacional para o multipatrocínio. Assim, o Instituto concentrou os esforços estratégicos e táticos em ações voltadas para esta mordenização. Dentre as principais ações desenvolvidas no decorrer de 2010, destacam-se: Elaboração do Plano de Marketing; desenvolvimento de um novo Plano de Benefícios para ser ofertado a futuros participantes no sistema de multipatrocínio e a Segregação dos Recursos Garantidores de Reserva Técnica por plano de benefícios. Diversidade é respeito à variedade e convivência de ideias, pluralidade, multiplicidade, diferentes ângulos de ser encontrada na comunhão de contrários, e na tolerância mútua. visão ou de abordagem, heterogeneidade e variedade, pode características ou elementos diferentes entre si. Ligada aos conceitos de 6

8 Multipatrocínio Despesas Administrativas O INFRAPREV tornou-se em 2010 um fundo multipatrocinado. A Previc aprovou em julho o multipatrocínio para o INFRAPREV, autorizando o Instituto a administrar planos de benefícios de outras empresas. O objetivo principal do multipatrocínio foi estar aderente às estratégias de transformação institucional da INFRAERO. Desde que se levantou a possibilidade de abertura de capital da empresa ou concessão dos aeroportos à iniciativa privada, o Instituto começou a analisar em seu planejamento estratégico o impacto dessas alternativas, como ficaria a situação dos participantes em função desses cenários. Qualquer que seja a modelagem escolhida para o aperfeiçoamento institucional da INFRAERO, o multipatrocínio se mostrou mais adequado, porque o Instituto fica preparado e habilitado para operar com novas empresas do setor aeroportuário. Esta estratégia foi aprovada por todas as instâncias decisórias do INFRAPREV e INFRAERO, com anuência do Ministério da Defesa, DEST/MP e PREVIC/MPS. Para definir como será a sua atuação dentro dessa nova condição, o Instituto desenvolveu o seu planejamento estratégico de marketing e definiu o seu posicionamento de mercado. As despesas administrativas comparadas ao patrimônio estão sob controle. O Instituto tem uma política permanente de controlar os gastos em função do crescimento patrimonial. No período, as despesas se mantiveram equilibradas em relação ao patrimônio líquido. % 0,12 0,09 0,06 0,03 R$ Despesa Administrativa x Patrimônio Líquido 0,09% 0,09% Evolução do Patrimônio Líquido 2003 a ,07% 0,08% 0,09% 0,08% 0,08% 0,08%

9 Gerenciamento de Riscos O INFRAPREV prioriza o monitoramento dos riscos em seus processos com o objetivo de tornar o ambiente operacional mais seguro e eficiente. Este trabalho visa ampliar a cultura de gerenciamento de riscos no âmbito do INFRAPREV, estando em linha com o sistema adotado pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), de supervisão baseada em risco Monitoramento de Riscos Corporativos 2008 a Extremo Alto Moderado Baixo Insignificante Relacionamento com Participantes Atendimento A Central de Atendimento registrou atendimentos através do telefone 0800, atendimento pessoal na sede do INFRAPREV e do Fale Conosco ( ). Do total das ligações efetuadas para o atendimento telefônico, 91,35% foram resolvidas pelos atendentes no primeiro contato, não gerando demanda às áreas. A maior parte das solicitações foram sobre dados cadastrais, esclarecimentos a respeito dos benefícios do Plano CV, assim como uma grande procura por senha para acesso ao portal. O aumento da solicitação de senha deve-se ao fato dos participantes estarem utilizando mais os serviços disponibilizados no portal do INFRAPREV na internet. Os participantes passaram a consultar mais as informações no acesso restrito, priorizando o auto-atendimento. Total de Atendimentos Efetuados

10 Dados do Portal O portal registrou visitas em 2010, um aumento de 12,76% em comparação ao ano anterior. O número de páginas acessadas também obteve um aumento de 47%, saltou de em 2009 para em Foram acessadas uma média de quatro páginas por usuário, num tempo médio de visita de cinco minutos. A página referente a Planos é a mais consultada, depois da home, seguida de Empréstimo. Visitas ao Portal Rede Social O INFRAPREV foi pioneiro no sistema de previdência complementar ao criar conta na rede social Twitter em fevereiro de O objetivo foi proporcionar mais um canal de comunicação na web aos participantes e aos interessados por previdência. A estratégia utilizada foi observar todas as melhores práticas do Twitter e crescer em função do encontro e interação com outros influenciadores. Nos primeiros meses os perfis dos usuários eram pessoas interessadas no INFRAPREV, em previdência e em investimentos. Com o passar do tempo o tema sustentabilidade ganhou força. Foram contabilizados 333 seguidores e mais de tweets (mensagens) em menos de um ano. Boa posição quando comparada às demais contas do mesmo segmento. Os tweets possibilitaram aos seus seguidores uma fonte de informação em previdência, economia e sustentabilidade. Pesquisa O INFRAPREV permanece com 93% de aprovação pelos participantes ativos e assistidos. O resultado é a soma das notas ótima e boa atribuídas pelos participantes. O mais positivo é que o número de ótimo aumentou, passou dos 36% de 2009 para 41% em Mesmo com a excelente avaliação geral, os participantes foram criteriosos. Houve queda do percentual dos atributos, mas apenas um ficou abaixo de 80%. Solidez, modernidade e eficiência tiveram o mesmo percentual, 83%. Modernidade registrou 80% e os participantes sinalizaram que desejam mais investimentos em inovação, uma vez que o atributo foi de 66%. Os participantes deixaram claro que existem muitas melhorias a serem feitas. No entanto, reconhecem a evolução do INFRAPREV e as conquistas adquiridas, quando 55% informam que o Instituto melhorou, comparado a 2009 que teve apenas 38%. O conhecimento dos critérios da Política de Investimentos e das ações de educação previdenciária aumentou, tanto para ativos como assistidos. 56% dos ativos e 25% dos assistidos procuraram informações sobre investimentos no portal INFRAPREV. Apesar da porcentagem pequena de assistidos, houve aumento de 10%. A novidade desta sexta pesquisa foi a disponibilização do questionário no portal INFRAPREV. Houve a necessidade de complementação por telefone para fechar as amostras mínimas de assistidos e de participantes por região. 9

11 Índice de Satisfação do Participante 2005 a 2010 % % 93% 97% 95% 93% 93% Evolução no Ranking ABRAPP O INFRAPREV passou a ocupar em 2010 a 42ª posição no ranking dos investimentos da Associação Brasileira da Entidades Fechadas de Previdência Complementar Ranking Abrapp 2003 a ª 53ª 55ª 56ª Posição 46ª 52ª 45ª 42ª A gaivota cresceu e voa com suas próprias asas. Olho do mesmo modo como que poderia escutar. Meus olhos são meus ouvidos. Escrevo do mesmo modo que me exprimo por sinais. Minhas mãos são bilíngues. Ofereço-lhes minha diferença. Meu coração não é surdo a nada neste duplo mundo... O voo da gaivota, Emmanuelle Laborrit 10

12 Seguridade O INFRAPREV teve um crescimento de 10,20% no número de participantes ativos. Para aumentar a quantidade de participantes, contou com o apoio da INFRAERO no aprimoramento do processo de adesão ao Plano de Contribuição Variável, com a finalidade de garantir que todos os novos empregados tenham acesso às informações do plano no momento da sua admissão. As ações de educação previdenciária e as palestras realizadas em alguns aeroportos também já apresentaram resultados significativos. Pensando no futuro, os participantes se dispuseram a aumentar a contribuição para aposentadoria. 88,6% das alterações do percentual de contribuição, em 2010, foram de aumento de contribuição para o Plano CV. O benefício de aposentadoria futuro depende diretamente do nível de contribuição. Demonstrativo de Participantes PARTICIPANTES DEZ/2010 DEZ/2009 VARIAÇÃO Ativos ,20% Assistidos ,53% TOTAL Quando perdemos o direito de ser diferentes perdemos o privilégio de sermos livres. 11 Anônimo

13 Participantes em Dezembro de 2010 TIPO DE PLANO ATIVOS ASSISTIDOS TOTAL Plano CV Plano BD I Plano BD II TOTAL Não há saber mais ou saber menos. Há saberes diferentes. Paulo Freire Plano de Contribuição Variável BENEFÍCIOS 31/12/2009 CONCESSÃO 2010 CESSAÇÃO /12/2010 Aposentadoria por invalidez Aposentadoria por tempo de contribuição normal Aposentadoria por tempo de contribuição antecipada Aposentadoria por idade Auxílio-doença Auxílio-reclusão Pensão Aposentadoria de pagamento único Pecúlio por morte TOTAL

14 Plano de Benefício Definido BENEFÍCIOS 31/12/2009 CONCESSÃO 2010 CESSAÇÃO /12/2010 Aposentadoria por invalidez Aposentadoria por tempo de contribuição Aposentadoria por idade Aposentadoria especial Auxílio-doença Auxílio-reclusão Pensão Pecúlio por morte TOTAL A prisão não são as grades e a liberdade não é a rua. Existem homens presos na rua e livres na prisão. É uma questão de consciência. Mahatma Ghandi 13

15 Investimentos Política de Investimentos A Política de Investimentos tem por objetivo estabelecer um plano de gestão para os Recursos Garantidores das Reservas Técnicas confiados ao INFRAPREV e traça as diretrizes que devem reger os investimentos de forma a garantir a segurança, liquidez e rentabilidade necessárias de forma a preservar os benefícios dos seus participantes e assistidos. A Política de Investimentos é revisada anualmente e apresenta a programação econômico-financeira que estabelece os fundamentos e hipóteses a serem utilizados na definição da alocação dos recursos garantidores, em conformidade com as características e especificidades dos planos de benefícios e considerando, também, as possibilidades de mercado. Destaca-se na Política de Investimentos itens como os princípios de governança; a alocação estratégica dos ativos em função do passivo atuarial; as diretrizes de alocação dos ativos; o controle e o monitoramento dos diversos riscos aos quais os recursos dos planos de benefícios estão expostos, dentre eles os riscos de crédito, de mercado, de liquidez, operacional e legal. O controle de riscos em planos de previdência passa necessariamente pela identificação de seu passivo atuarial, que consiste em obrigações futuras ou expectativas de retorno, de acordo com os tipos e objetivos dos planos de benefícios. O estudo de Asset Liability Management (ALM) - gestão integrada do ativo com o passivo - tem o objetivo de definir a macroalocação dos investimentos de acordo com as necessidades do plano, de forma a maximizar a probabilidade de formação de superávit. O INFRAPREV adota, no processo de tomada de decisão, regras para observância dos princípios socioambientais, conforme estabelece os Princípios para Investimento Responsável (PRI), uma iniciativa do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente. 14

16 Cenário Econômico O cenário de incerteza externa não causou impacto significativo na economia real, onde o Brasil se firmou como destino do capital estrangeiro para investimento direto. A balança comercial encerrou o ano com superávit de R$ 20,2 bilhões, mas teve uma queda de 19,8% em relação a A Bovespa não obteve um desempenho satisfatório, acompanhou o mercado mundial, e só conseguiu reverter o saldo negativo mais no final do ano, encerrando com alta de 1,06%. As ações relacionadas ao consumo e serviços essenciais foram as que apresentaram as maiores altas do índice Bovespa. Diante do movimento de ingresso de capital, aliado à medida de política econômica do governo dos EUA, de emitir moeda para incentivar o consumo e melhorar a balança comercial daquele país, o dólar perdeu valor contra as demais moedas do mundo, teve queda de 4,31% em O Banco Central atuou fortemente no mercado limitando o excesso de liquidez e recompondo as reservas internacionais. O IPCA teve alta de 5,91%, o IGP-M acumulou inflação de 11,32%, IGP-DI encerrou com 11,31% e o INPC fechou o ano acumulado em 6,47%. Para conter a tendência de inflação, o Banco Central atuou na manutenção do ciclo de alta da taxa Selic ao longo de 2010, de 8,75% para 10,75% ao final do ano, devendo prosseguir com a política de alta em O Brasil encerra o ano diante do desafio de continuar crescendo sem pressionar a inflação. Desempenho dos Investimentos O INFRAPREV teve crescimento patrimonial de 14,64%, atingindo R$ bilhão. A rentabilidade dos investimentos de 11,6% ficou próxima a meta atuarial de 12,45%. A rentabilidade global foi afetada principalmente pelo baixo desempenho do segmento de ações, renda variável, que atingiu 2,31%, resultado superior ao índice Ibovespa de 1,26% no ano. A instabilidade do mercado financeiro internacional com a redução do fluxo de recursos para a bolsa de ações brasileira, o desempenho negativo das ações da Petrobras e o aumento da inflação contribuíram para que a meta atuarial ficasse mais elevada. Estes fatores foram preponderantes e determinaram que o resultado global dos investimentos ficassem abaixo das expectativas projetadas. O INFRAPREV trabalha para que a rentabilidade fique bem acima da meta atuarial, para que haja sempre uma compensação nos anos considerados mais difíceis. No acumulado de oito anos, a rentabilidade do patrimônio foi de 277% contra a meta atuarial de 151%, um crescimento superior de 83% que contribui para a formação de um superávit técnico que neutraliza a volatilidade dos ativos (investimentos) e do passivo (compromissos previdenciais). O desempenho das outras carteiras foi muito satisfatório. Imóveis registrou rentabilidade de 52,29%, empréstimos 20,78%, investimentos estruturados 14,90% e renda fixa 11,2%. 15

17 Distribuição dos Investimentos por Carteira R$ MIL DESCRIÇÃO LIMITE LEGAL 2010 % 2009 % Renda Fixa 100% , ,37 Títulos Governamentais , ,86 Créditos Securitizados , ,47 Letras do Tesouro Nacional ,70-0,00 Notas do Tesouro Nacional , ,98 Bônus do Tesouro Nacional , ,41 Instituições Financeiras e Outros Títulos de Renda Fixa , ,51 Certificado de Depósitos Bancários ,12-0,00 Debêntures , ,20 Quotas de Fundos Investimentos - RF , ,74 Cédula de Créditos Bancários , ,57 Fundo de Direitos Creditórios ,84-0,00 Depósito a Prazo com Garantia Especial ,76-0,00 Renda Variável 70% , ,14 Ações/ Mercado à Vista , ,95 Empréstimos de Ações , ,19 Investimentos Estruturados 20% , ,71 Fundo em Participações , ,21 Fundos de Investimentos Imobiliários , ,50 Investimentos Imobiliários 8% , ,01 Imóveis , ,01 16 Operações com Participantes 15% , ,77 TOTAL

18 Alocação dos Recursos por Indexador R$ MIL ATIVO LIMITE LEGAL 2010 % 2009 % Renda Fixa , ,37 Pré-Fixada , ,71 Indexada IGPM , ,23 Indexada TR , ,41 Indexada IPCA , ,45 Quotas de Fundo de Investimentos - RF , ,74 Indexada CDI , ,24 Outros - 0, ,59 Renda Variável , ,14 Ações à Vista , ,95 Empréstimos de Ações , ,19 Investimentos Estruturados , ,71 Fundos de Participações , ,21 Fundos Imobiliários , ,50 Investimentos Imobiliários , ,01 Imóveis , ,01 Operação com Participantes , ,77 Empréstimos , ,77 INVESTIMENTOS TOTAIS

19 Demonstrativo de Investimentos por Plano de Benefício Dez/2010 DEMONSTRATIVO DE INVESTIMENTOS PLANO BD I PLANO BD II PLANO CV PLANO PGA VEICULO DE INVESTIMENTO VALOR (Em Reais mil) VALOR (Em Reais mil) VALOR (R$ MIL) VALOR (R$ MIL) Depósitos Títulos de Renda Fixa Títulos Públicos Títulos Privados Fundos de Investimentos Bradesco Fundo de Investimentos Multimercado HELIX Lancer - FI de Renda Fixa Crédito Privado Longo Prazo Santander Fundo de Investimentos Multimercado Guardião Fundos de Investimentos em Direitos Creditórios FIDC Industrial Exodus I Master Panamericano FIDC CDC Veículos FIDC Multisetorial BVA Master FIDC Multisetorial BVA Master II Sul Invest FIDC - Multisetorial Ações Investimentos Estruturados Fundos de Investimentos em Participações BR Educacional FIP FIF Brasil Energia FIP Caixa Ambiental FIP Coliseu Florestas do Brasil FIP Global Equity Properties FIP Multiner FIP Patriarca FIP Fundos de Investimentos Imobiliário Fundo Imobiliário Panamby Fundo Imobiliário Via Parque Shopping Carteira Imobiliária Empréstimos e Financiamentos Exigível Contigencial Valores a Pagar e Valores a Receber TOTAL DOS RECURSOS GARANTIDORES DAS RESERVAS TÉCNICAS

20 Demonstrativo de Investimentos Consolidado Dez/2010 INFRAPREV CONSOLIDADO VEICULO DE INVESTIMENTO VALOR (R$ MIL) % Depósitos 50 0,00 Títulos de Renda Fixa ,41 Títulos Públicos ,52 Títulos Privados ,56 Fundos de Investimentos ,28 Bradesco Fundo de Investimentos Multimercado HELIX ,50 Lancer - FI de Renda Fixa Crédito Privado Longo Prazo ,31 Santander Fundo de Investimentos Multimercado Guardião ,68 Fundos de Investimentos em Direitos Creditórios ,61 FIDC Industrial Exodus I ,65 Master Panamericano FIDC CDC Veículos ,64 FIDC Multisetorial BVA Master ,82 FIDC Multisetorial BVA Master II ,31 Sul Invest FIDC - Multisetorial ,42 Ações ,44 Investimentos Estruturados ,49 Fundos de Investimentos em Participações ,12 BR Educacional FIP ,61 FIF Brasil Energia ,52 FIP Caixa Ambiental ,27 FIP Coliseu ,85 Florestas do Brasil FIP ,28 Global Equity Properties FIP ,02 Multiner FIP ,16 Patriarca FIP ,42 Fundos de Investimentos Imobiliário ,36 Fundo Imobiliário Panamby ,19 Fundo Imobiliário Via Parque Shopping ,18 Carteira Imobiliária ,75 Empréstimos e Financiamentos ,64 Exigível Contigencial - 0,00 Valores a Pagar e Valores a Receber ,27 TOTAL DOS RECURSOS GARANTIDORES DAS RESERVAS TÉCNICAS R$ mil R$ mil Evolução dos Investimentos Em dezembro de 2010, os investimentos atingiram o total de R$ mil, distribuídos em renda fixa, renda variável, investimentos estruturados, imóveis e empréstimos aos participantes. Evolução dos Recursos Garantidores JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Receita líquida das aplicações A Receita Líquida dos Investimentos apresentou um saldo de R$ mil no final do ano. Evolução da Receita Líquida dos Investimentos JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ 19

21 Custos da Administração 2010 Custos dos Investimentos Custos Previdenciais CUSTOS R$ MIL CUSTOS R$ MIL Pessoal e Encargos Pessoal e Encargos Treinamentos/Congressos e Seminários 142 Treinamentos/Congressos e Seminários 108 Art. Viagens e Estadias 246 Serviços de Terceiros Despesas Gerais Depreciações e Amortizações 484 Despesas Específicas 69 SUBTOTAL Gestão dos Investimentos 880 TOTAL Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. 1º da Declaração Universal dos Direitos Humanos Viagens e Estadias 264 Serviços de Terceiros Despesas Gerais 697 Depreciações e Amortizações 321 Despesas Específicas 56 TOTAL

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC TE ENTIDADE FECHADA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC TE ENTIDADE FECHADA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC TE ENTIDADE FECHADA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DISPOSIÇÕES GERAIS 1. Esta norma estabelece critérios e procedimentos específicos para estruturação das demonstrações

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, A Resolução CFC n.º 1.329/11 alterou a sigla e a numeração desta Norma de NBC TE 11 para ITG 2001 e de outras normas citadas: de NBC T 19.27 para NBC TG 26; de NBC T 1 para NBC TG ESTRUTURA CONCEITUAL.

Leia mais

Resolução CNPC Nº. 8 de 31 de outubro de 2011. (Publicado no D.O.U. Nº 241, de 16 de dezembro de 2011, seção I)

Resolução CNPC Nº. 8 de 31 de outubro de 2011. (Publicado no D.O.U. Nº 241, de 16 de dezembro de 2011, seção I) Resolução CNPC Nº. 8 de 31 de outubro de 2011. (Publicado no D.O.U. Nº 241, de 16 de dezembro de 2011, seção I) Dispõe sobre os procedimentos contábeis das entidades fechadas de previdência complementar,

Leia mais

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº. 28, DE 26 DE JANEIRO DE 2009.

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº. 28, DE 26 DE JANEIRO DE 2009. (DOU nº. 27, de 09 de fevereiro de 2009, Seção 1, páginas 44 a 49) MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Conselho de Gestão da Previdência Complementar RESOLUÇÃO CGPC Nº. 28, DE 26 DE JANEIRO DE 2009. Dispõe

Leia mais

ANEXO A PLANIFICAÇÃO CONTÁBIL PADRÃO

ANEXO A PLANIFICAÇÃO CONTÁBIL PADRÃO Plano de Contas Padrão, contendo alterações pela Instrução SPC nº 34/2009 ANEXO A PLANIFICAÇÃO CONTÁBIL PADRÃO I CARACTERÍSTICAS 1. O plano de contas é formado por codificação alfanumérica. 2. A parte

Leia mais

FUNDAÇÃO CELESC DE SEGURIDADE SOCIAL CELOS. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 (Em R$ MIL)

FUNDAÇÃO CELESC DE SEGURIDADE SOCIAL CELOS. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 (Em R$ MIL) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Fundação Celesc de Seguridade Social CELOS, instituída pela Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. Celesc, nas Assembléias Gerais Extraordinárias AGE de acionistas realizadas

Leia mais

Demonstrações Financeiras. SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA (Em milhares) Exercícios findos em 31 de dezembro de 2002 e 2001

Demonstrações Financeiras. SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA (Em milhares) Exercícios findos em 31 de dezembro de 2002 e 2001 Demonstrações Financeiras SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA Exercícios findos em 31 de dezembro de 2002 e 2001 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Índice Balanço Patrimonial... Quadro 1 Demonstração do

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Multi

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Multi Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Multi Exercício: 013 e 01 dezembro R$ Mil Descrição 013 01 Variação (%) Relatório Anual 013 Visão Prev 1. Ativos Recebível Investimento Ações

Leia mais

FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS AVOGADOS DO BRASIL, SEÇÃO DO PARANÁ E DA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DO PARANÁ OABPREV-PR

FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS AVOGADOS DO BRASIL, SEÇÃO DO PARANÁ E DA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DO PARANÁ OABPREV-PR FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS AVOGADOS DO BRASIL, SEÇÃO DO PARANÁ E DA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DO PARANÁ OABPREV-PR DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS

Leia mais

VIVER INFRAPREV. COMPLEMENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS RELATÓRIO ANUAL 2013

VIVER INFRAPREV. COMPLEMENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS RELATÓRIO ANUAL 2013 VIVER INFRAPREV. COMPLEMENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS RELATÓRIO ANUAL 2013 COMPLEMENTAÇÃO ÀS NOTAS EXPLICATIVAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012 (EM REAIS MIL) OBJETIVO DAS

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Vivo Prev

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Vivo Prev Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Vivo Prev Exercício: 2013 e 2012 dezembro R$ Mil Descrição 2013 2012 Variação (%) Relatório Anual 2013 Visão Prev 1. Ativos Disponível Recebível Investimento

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Exercícios findos em 31 de dezembro de 2014 e 2013 Fundação Sabesp de Seguridade Social SABESPREV CNPJ 65.471.914/0001-86 Alameda Santos, 1827 14 º andar CEP 01419.909 Cerqueira

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Telest Celular

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Telest Celular Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Telest Celular Exercício: 2013 e 2012 dezembro R$ Mil Descrição 2013 2012 Variação (%) Relatório Anual 2013 Visão Prev 1. Ativos Recebível Investimento

Leia mais

Principais Destaques

Principais Destaques Aumento do Patrimônio Atingimento da Meta Atuarial Principais Destaques 1. Perfil Institucional A Fundação CAGECE de Previdência Complementar CAGEPREV, criada através da Lei Estadual nº 13.313, de 30 de

Leia mais

FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL FACHESF

FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL FACHESF FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL FACHESF DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS E NOTAS EXPLICATIVAS 2010 SOBRE OS PLANOS DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS E DE GESTÃO ADMINISTRATIVA CNPJ Nº 42.160.192/0001-43

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Notas explicativas às Demonstrações Contábeis dos Planos de Assistência Médica, Hospitalar e Odontológica da Fundação Celesc de Seguridade Social do Exercício Findo em 31 de dezembro de 2011 e 2010. NOTAS

Leia mais

Rendimentos líquidos mensais (R$) Alíquota Deduzir Prazo de acumulação dos recursos Alíquota. 35% Até 1.566,61. 30% De 1.566,62 até 2.

Rendimentos líquidos mensais (R$) Alíquota Deduzir Prazo de acumulação dos recursos Alíquota. 35% Até 1.566,61. 30% De 1.566,62 até 2. 2010 1 Introdução A Resolução CGPC n 23, de 06 de dezembro de 2006, estabeleceu procedimentos básicos para divulgação de informações aos Participantes. Em conformidade com esta resolução, apresentamos

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - PBS Telesp Celular Exercício: 2013 e 2012 - dezembro - R$ Mil

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - PBS Telesp Celular Exercício: 2013 e 2012 - dezembro - R$ Mil Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios PBS Telesp Celular Exercício: 203 e 202 dezembro R$ Mil Descrição 203 202 Variação (%) Relatório Anual 203 Visão Prev. Ativos Disponível Recebível

Leia mais

CARFEPE SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA

CARFEPE SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA CARFEPE SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2003 E DE 2002 (em milhares de Reais) 1. CONTEXTO OPERACIONAL E PLANO DE BENEFÍCIOS A CARFEPE

Leia mais

RELATÓRIO RIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

RELATÓRIO RIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS RELATÓRIO RIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Ilmos. Srs. Conselheiros e Diretores da FUNDAÇÃO CASAN DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR - CASANPREV Brasília/DF Examinamos as demonstrações

Leia mais

PLANO DE BENEFÍCIOS PREVMAIS. Avaliação Atuarial de 2014 Plano de Benefícios PrevMais CNPB 2006.0034-29 Parecer Atuarial 045/15 Fevereiro 2015

PLANO DE BENEFÍCIOS PREVMAIS. Avaliação Atuarial de 2014 Plano de Benefícios PrevMais CNPB 2006.0034-29 Parecer Atuarial 045/15 Fevereiro 2015 156 Relatório Anual de Informações 2014 PLANO DE BENEFÍCIOS PREVMAIS Avaliação Atuarial de 2014 Plano de Benefícios PrevMais CNPB 2006.0034-29 Parecer Atuarial 045/15 Fevereiro 2015 1. Considerações Iniciais

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE ORÇAMENTO PARA. EFPC (Entidade Fechada de Previdência Complementar) SIOEFPC UM RESUMO DO SEU FUNCIONAMENTO

SISTEMA INTEGRADO DE ORÇAMENTO PARA. EFPC (Entidade Fechada de Previdência Complementar) SIOEFPC UM RESUMO DO SEU FUNCIONAMENTO SISTEMA INTEGRADO DE ORÇAMENTO PARA EFPC (Entidade Fechada de Previdência Complementar) SIOEFPC UM RESUMO DO SEU FUNCIONAMENTO FUNDO DE PENSAO EFPC O Sistema de Orçamento está estruturado em linha com

Leia mais

demonstração da Mutação do ativo Líquido

demonstração da Mutação do ativo Líquido Período: dezembro de 2010 R$ mil demonstração da Mutação do ativo Líquido Visão ATelecom Descrição 2010 A) Ativo Líquido - Início do Exercício 2.207 1. Adições 4.979 (+) Contribuições 4.727 (+) Resultado

Leia mais

INSTRUÇÃO PREVIC N 12, DE 13 DE OUTUBRO DE 2014

INSTRUÇÃO PREVIC N 12, DE 13 DE OUTUBRO DE 2014 INSTRUÇÃO PREVIC N 12, DE 13 DE OUTUBRO DE 2014 Dispõe sobre as Demonstrações Atuariais - DA dos planos de benefícios administrados pelas entidades fechadas de previdência complementar, e dá outras providências.

Leia mais

Plano de Contribuição Definida

Plano de Contribuição Definida Plano de Contribuição Definida Gerdau Previdência CONHEÇA A PREVIDÊNCIA REGIME DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Oferecido pelo setor privado, com adesão facultativa, tem a finalidade de proporcionar uma proteção

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [00.469.585/0001-93] FACEB - FUNDACAO DE PREVIDENCIA DOS EMPREGADOS DA CEB PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2006.0068-11] CEBPREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2013 Atuário

Leia mais

Balanço Patrimonial. Demonstração de Resultados em 31 de dezembro (valores expressos em R$ mil) Demonstração de Fluxos Financeiros.

Balanço Patrimonial. Demonstração de Resultados em 31 de dezembro (valores expressos em R$ mil) Demonstração de Fluxos Financeiros. D E M O N S T R A Ç Õ E S C O N T Á B E I S 2 0 0 3 I N F R A P R E V Balanço Patrimonial Ativo 2003 2002 Disponível 68 75 Realizável 551.251 454.240 Programa Previdencial 3.889 2.992 Programa Administrativo

Leia mais

Caro participante, A ALPAPREV em números ALPAPREV. Rentabilidade. Sustentabilidade em números

Caro participante, A ALPAPREV em números ALPAPREV. Rentabilidade. Sustentabilidade em números Caro participante, Mais um ano nós estamos juntos, colocando em prática o seu planejamento financeiro para o futuro e acumulando, mês a mês, a garantia de você realizar seus projetos na aposentadoria.

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [02.884.385/0001-22] ELETRA FUNDACAO CELG DE SEGUROS E PREVIDENCIA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2000.0069-65] PLANO CELGPREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2011 Atuário Responsável

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [01.225.861/0001-30] REGIUS SOCIEDADE CIVIL DE PREVIDENCIA PRIVADA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2012.0017-18] PB CD-02 ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário Responsável

Leia mais

Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras do Exercício findo em 31 de dezembro de 2012 e 2011 Fundação Sabesp de Seguridade Social Sabesprev CNPJ nº 65.471.914/0001-86 Alameda Santos, 1827 14º andar Cerqueira César -

Leia mais

Preparatório para Certificação dos Profissionais de Fundos de Pensão no ICSS.

Preparatório para Certificação dos Profissionais de Fundos de Pensão no ICSS. Preparatório para Certificação dos Profissionais de Fundos de Pensão no ICSS. O Instituto IDEAS apresenta o Curso Preparatório para Certificação dos Profissionais de Fundos de Pensão no ICSS. Este curso

Leia mais

Relatório Anual 2012

Relatório Anual 2012 Apresetanção A Diretoria Executiva da FUNASA, atendendo as disposições legais e estatutária que regem as Entidades Fechadas de Previdência Complementar, vem apresentar o Relatório Anual de informações,

Leia mais

Bovespa Supervisão de Mercados - BSM

Bovespa Supervisão de Mercados - BSM 1. C ontexto operacional A Bovespa Supervisão de Mercados BSM (BSM) criada em 16 de agosto de 2007 como uma associação civil sem finalidade lucrativa, em cumprimento ao disposto na regulamentação pertinente

Leia mais

Fundação Previdenciária IBM. Resumo Relatório Anual 2013 PLANO DE BENEFÍCIOS DA IBM BRASIL. 1 Relatório Anual - IBM

Fundação Previdenciária IBM. Resumo Relatório Anual 2013 PLANO DE BENEFÍCIOS DA IBM BRASIL. 1 Relatório Anual - IBM Fundação Previdenciária IBM Resumo Relatório Anual 2013 PLANO DE BENEFÍCIOS DA IBM BRASIL 1 VIVER O PRESENTE, DE OLHO NO FUTURO Caro participante, Muitos dizem que é melhor viver intensamente o presente

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [10.530.382/0001-19] FUNDO DE PREVIDENCIA COMPLEMENTAR DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE PERNAMBUCO-ALEPEPREV PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2008.0048-56] ALEPEPREV ENCERRAMENTO

Leia mais

1 CONTEXTO OPERACIONAL

1 CONTEXTO OPERACIONAL NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2007 E 2006 (Em milhares de reais) 1 CONTEXTO OPERACIONAL A FUNDAÇÃO BANESTES DE SEGURIDADE SOCIAL BANESES,

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 CNPJ (MF) Nº 83.128.769/0001-17 Brusque - SC DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E 2010 Fevereiro/2012 1 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE Valores expressos

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: FUSESC 2- CÓDIGO: 00552 3- RAZÃO SOCIAL: FUNDACAO CODESC DE SEGURIDADE SOCIAL 4- NÚMERO DE PLANOS: 3

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: FUSESC 2- CÓDIGO: 00552 3- RAZÃO SOCIAL: FUNDACAO CODESC DE SEGURIDADE SOCIAL 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 20.020.006-38 - PLANO DE BENEFÍCIOS MULTIFUTURO I 12- OBSERVAÇÕES: ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008 (Em milhares de reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Seguradora está autorizada a operar em seguros do

Leia mais

Mensagem do Superintendente

Mensagem do Superintendente Mensagem do Superintendente O Sistema Brasileiro dos Fundos de Pensão celebra hoje importantes avanços que o posiciona como referência para assuntos relacionados à base legal e normativa, qualidade da

Leia mais

2004 78 52.164 4.897 13 47.254 38.474 7.531 1.249 28 28 52.270 48 7 41 68.125. Receitas. Despesas 75.017 19.369 26.261) 15.903) 16.

2004 78 52.164 4.897 13 47.254 38.474 7.531 1.249 28 28 52.270 48 7 41 68.125. Receitas. Despesas 75.017 19.369 26.261) 15.903) 16. 7,7% 7,% 6,17% 31 DE DEZEMBRO DE ATIVO DISPONÍVEL REALIZÁVEL Operações com Participantes PERMANENTE Imobilizado TOTAL DO ATIVO PASSIVO EXIGÍVEL OPERACIONAL EXIGÍVEL ATUARIAL PROVISÕES MATEMÁTICAS Benefícios

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [05.054.648/0001-64] CX DE PREV E ASSIS AOS FUNC DO B EST DO PARA SA CAFBEP PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2002.0009-56] PREV-RENDA ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 3 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS 11- FOLHA SALÁRIO DA PATROCINADORA

Leia mais

GLOSSÁRIO TERMOS UTILIZADOS PARA FUNDOS DE PENSÃO. ABRAPP. Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência

GLOSSÁRIO TERMOS UTILIZADOS PARA FUNDOS DE PENSÃO. ABRAPP. Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência GLOSSÁRIO ABRAPP. Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar. ASSISTIDOS. Participante ou Beneficiário(s) em gozo de benefício. ATUÁRIO. Profissional técnico especializado,

Leia mais

PARECER ATUARIAL 2014

PARECER ATUARIAL 2014 PARECER ATUARIAL 2014 Plano de Benefícios 1 Plano de Benefícios PREVI Futuro 1. OBJETIVO 1.1. O presente Parecer Atuarial tem por objetivo informar sobre a qualidade da base cadastral, as premissas atuariais,

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [01.541.775/0001-37] HP PREV SOCIEDADE PREVIDENCIARIA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1996.0026-19] PLANO HP PREV ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário Responsável MIRIA

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BRUSQUE - FEBE CNPJ (MF) Nº 83.128.769/0001-17 Brusque - SC DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 Fevereiro/2011 1 FUNDAÇÃO EDUCACIONAL

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [49.323.025/0001-15] SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA DE SUPLEMENTACAO PREV PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1990.0016-29] PLANO DE BENEFÍCIOS BD ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014

Leia mais

Parecer Atuarial. Cadastro. Características do Plano. Hipóteses Atuariais

Parecer Atuarial. Cadastro. Características do Plano. Hipóteses Atuariais Parecer Atuarial Avaliamos atuarialmente o Plano PREV-RENDA da CAFBEP Caixa de Previdência e Assistência aos Funcionários do Banco do Estado do Pará, patrocinado pelo BANPARÁ com o objetivo de identificar

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

Seguem as dúvidas recebidas até o momento sobre o sistema DAweb.

Seguem as dúvidas recebidas até o momento sobre o sistema DAweb. Rio de Janeiro, 24 de fevereiro de 2014. Seguem as dúvidas recebidas até o momento sobre o sistema DAweb. 1- Na estatística de tempo médio de contribuição, teria que colocar observação para os Regulamentos

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [07.083.033/0001-91] CABEC-CAIXA DE PREVIDENCIA PRIVADA DO BEC PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1979.0019-11] BD ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2011 Atuário Responsável VICENTE

Leia mais

Instituto Lina Galvani

Instituto Lina Galvani Balanços patrimoniais Em milhares de reais Ativo 31 de dezembro de 2011 31 de dezembro de 2010 Passivo e patrimônio social 31 de dezembro de 2011 31 de dezembro de 2010 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [83.564.443/0001-32] FUNDACAO CODESC DE SEGURIDADE SOCIAL PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2002.0046-92] MULTIFUTURO II ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2013 Atuário Responsável

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: SUPREV 2- CÓDIGO: 00984 3- RAZÃO SOCIAL: SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA SUPLEMENTAÇAO PREVIDENCIARIA

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 1- SIGLA: SUPREV 2- CÓDIGO: 00984 3- RAZÃO SOCIAL: SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA SUPLEMENTAÇAO PREVIDENCIARIA FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 8 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 19.810.009-92 - PLANO DE BENEFÍCIOS N.º 001 - BROOKLYN 12- OBSERVAÇÕES: ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL [29.959.574/0001-73] FUNDACAO DE PREVIDENCIA DOS SERVIDORES DO IRB PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: TIPO: RETIFICADORA: [1977.0001-18] PLANO A ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2012 COMPLETA

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e Fundo de Investimento Imobiliário Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2009 2008 Passivo e patrimônio

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [08.071.645/0001-27] CIASPREV - CENTRO DE INTEGRACAO E ASSISTENCIA AOS SERVIDORES PUBLICOS PREVIDENCIA PRIVADA PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [2005.0049-11] PREVINA ENCERRAMENTO

Leia mais

contribuição destes, vinculados apenas aos planos de benefícios previdenciais do tipo benefício definido.

contribuição destes, vinculados apenas aos planos de benefícios previdenciais do tipo benefício definido. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Exercícios findos em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Em milhares de reais) NOTA 1. Contexto Operacional A. A Fundação A Fundação Sistel de Seguridade Social

Leia mais

FUNPRESP-JUD. Avaliação Atuarial de 2013 PLANO FUNPRESP-JUD CNPB 2013.0017-38. Parecer Atuarial 041/14

FUNPRESP-JUD. Avaliação Atuarial de 2013 PLANO FUNPRESP-JUD CNPB 2013.0017-38. Parecer Atuarial 041/14 FUNPRESP-JUD Avaliação Atuarial de 2013 PLANO FUNPRESP-JUD CNPB 2013.0017-38 Parecer Atuarial 041/14 FEVEREIRO/2014 PARECER ATUARIAL 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS Atendendo as disposições da Lei Complementar

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 2004

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 2004 DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 2004 DICON - DIRETORIA DE CONTROLADORIA GECOP - CONTABILIDADE FUNCEF - Fundação dos Economiários Federais CGC 00.436.923/0001-90 BALANÇOS PATRIMONIAIS DE DEZEMBRO DE 2004 E 2003

Leia mais

ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011

ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011 ASSOCIAÇÃO DIREITOS HUMANOS EM REDE QUADRO I - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO (Em reais) Nota Nota ATIVO Explicativa PASSIVO Explicativa CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e equivalentes de caixa 4 3.363.799

Leia mais

A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada.

A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada. A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada. Adesão Característica do contrato de previdência privada, relativa ao ato do proponente aderir ao plano de previdência. Administradores

Leia mais

Santander Associação de Previdência

Santander Associação de Previdência Santander Associação de Previdência Relatório anual de informações 2010 Apresentação Sanprev Em cumprimento às determinações legais que regem as Entidades Fechadas de Previdência Complementar, a Sanprev

Leia mais

Sistema Integrado de Orçamento. Para EFPC SIOEFPC. (Entidades Fechadas de Previdência Complementar) edson@fgv.br

Sistema Integrado de Orçamento. Para EFPC SIOEFPC. (Entidades Fechadas de Previdência Complementar) edson@fgv.br Sistema Integrado de Orçamento Para EFPC (Entidades Fechadas de Previdência Complementar) SIOEFPC edson@fgv.br Índice Página 1 - Exemplo Numérico... 2 2 - Relatório do 1º Plano... 3 3 - Programa Previdencial...

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Maio/2012

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Maio/2012 1 ATIVO 103.099.161,56 D 21.051.568,01 20.800.568,57 103.350.161,00 D 1.1 DISPONÍVEL 170.618,82 D 10.279.904,19 10.329.287,48 121.235,53 D 1.1.1 IMEDIATO 170.618,82 D 10.279.904,19 10.329.287,48 121.235,53

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Maio/2013

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Maio/2013 1 ATIVO 110.659.714,85 D 11.382.915,50 12.144.413,81 109.898.216,54 D 1.1 DISPONÍVEL 676.336,92 D 5.039.632,26 5.650.035,90 65.933,28 D 1.1.1 IMEDIATO 676.336,92 D 5.039.632,26 5.650.035,90 65.933,28 D

Leia mais

FUNDAÇÃO LIBERTAS. Avaliação Atuarial de 2014. Plano de Benefícios CODEMIG Prev CNPB 2013.0016-65. Parecer Atuarial 057/15

FUNDAÇÃO LIBERTAS. Avaliação Atuarial de 2014. Plano de Benefícios CODEMIG Prev CNPB 2013.0016-65. Parecer Atuarial 057/15 FUNDAÇÃO LIBERTAS Avaliação Atuarial de 2014 Plano de Benefícios CODEMIG Prev CNPB 2013.0016-65 Parecer Atuarial 057/15 Fevereiro/2015 PARECER ATUARIAL 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS Atendendo as disposições

Leia mais

RENDA FIXA CDB FUNDOS

RENDA FIXA CDB FUNDOS Este relatório tem como objetivo atender a Instrução SPC nº de 2005, e informar aos Participantes, Assistidos, Patrocinadores, Entidades de Classe e a Secretaria de Previdência Complementar ( SPC ) sobre

Leia mais

Cafbep - Plano Prev-Renda 1

Cafbep - Plano Prev-Renda 1 Cafbep - Plano Prev-Renda 1 Parecer Atuarial Para fins da avaliação atuarial referente ao exercício de 2013 do Plano Prev-Renda da Cafbep Caixa de Previdência e Assistência aos Funcionários do Banco do

Leia mais

RESOLUÇÃO MPS/CNPC Nº 16, DE 19 DENOVEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO MPS/CNPC Nº 16, DE 19 DENOVEMBRO DE 2014 RESOLUÇÃO MPS/CNPC Nº 16, DE 19 DENOVEMBRO DE 2014 (Publicado no D.O.U, Nº 227, de 24 de novembro de 2014) Altera a Resolução nº 26, de 29 de setembro de 2008, do Conselho de Gestão da Previdência Complementar,

Leia mais

Perfis de Investimento. GEBSA Prev

Perfis de Investimento. GEBSA Prev Perfis de Investimento GEBSA Prev 2 GEBSA-PREV INTRODUÇÃO Esta cartilha reúne as principais informações relacionadas aos Perfis de Investimento da GEBSA PREV e vai lhe ajudar a identificar alguns aspectos

Leia mais

Relatório Anual 2014. Instituto Banese de Seguridade Social

Relatório Anual 2014. Instituto Banese de Seguridade Social Relatório Anual 4 Instituto Banese de Seguridade Social MENSAGEM DA DIRETORIA EECUTIVA O Instituto Banese de Seguridade Social RGUS, apresenta o Relatório Anual de Atividades de 4, visando manter os participantes

Leia mais

Balanço Patrimonial 6. Demonstração da Mutação Patrimônio Social 7. Demonstração da Mutação do Ativo Líquido por Plano de Benefícios 8

Balanço Patrimonial 6. Demonstração da Mutação Patrimônio Social 7. Demonstração da Mutação do Ativo Líquido por Plano de Benefícios 8 ÍNDICE Uma nova Funterra 3 Balanço Patrimonial 6 Demonstração da Mutação Patrimônio Social 7 Demonstração da Mutação do Ativo Líquido por Plano de Benefícios 8 Demonstração do Ativo Líquido por Plano de

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: [49.323.025/0001-15] SUPREV-FUNDACAO MULTIPATROCINADA DE SUPLEMENTACAO PREV PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [1985.0012-92] PB USIBA ENCERRAMENTO DE EXERCÍCIO 31/12/2014 Atuário

Leia mais

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS

ENTIDADE DADOS DOS PLANOS FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 1 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 20.050.042-11 - PLANO PREVER DADOS DOS PLANOS 8- ÚLTIMA ALTERAÇÃO 9- VALOR DE RESGATE 10- NÚMERO DE EMPREGADOS

Leia mais

Regius - Plano de Benefícios 03 1

Regius - Plano de Benefícios 03 1 Regius - Plano de Benefícios 03 1 Parecer Atuarial Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios 03 da Regius Sociedade Civil de Previdência Privada em 31/12/2010, com o objetivo de identificar sua situação

Leia mais

Perfis de Investimento

Perfis de Investimento Perfis de Investimento Manual Perfis de Investimento Manual Perfis de Investimento Índice Objetivo... 3 Introdução... 3 Falando sobre sua escolha e seu plano... 3 Perfis de Investimento... 5 Principais

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Junho/2015

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Junho/2015 1 ATIVO 135.948.021,65 D 7.972.075,13 7.101.821,40 136.818.275,38 D 1.1 DISPONÍVEL 112.965,02 D 3.486.006,70 3.402.114,43 196.857,29 D 1.1.1 IMEDIATO 112.965,02 D 3.486.006,70 3.402.114,43 196.857,29 D

Leia mais

COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS SERVIDORES PÚBLICOS NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO - COOPJUD

COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS SERVIDORES PÚBLICOS NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO - COOPJUD COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS SERVIDORES PÚBLICOS NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO - COOPJUD NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 MENDESPREV SOCIEDADE PREVIDENCIÁRIA - CNPJ: 65.160.848/0001-23 1 CONTEXTO OPERACIONAL A MENDESPREV SOCIEDADE PREVIDENCIÁRIA é

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Julho/2015

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Julho/2015 1 ATIVO 136.818.275,38 D 11.173.181,50 9.398.611,67 138.592.845,21 D 1.1 DISPONÍVEL 196.857,29 D 4.296.773,25 4.309.777,52 183.853,02 D 1.1.1 IMEDIATO 196.857,29 D 4.296.773,25 4.309.777,52 183.853,02

Leia mais

Eliminar a segregação das despesas administrativas entre comuns e específicas; Eliminar a segregação das despesas administrativas entre previdenciais

Eliminar a segregação das despesas administrativas entre comuns e específicas; Eliminar a segregação das despesas administrativas entre previdenciais Geraldo de Assis Souza Júnior PAUTA APRESENTADA A PREVIC SOBRE O PGA Eliminar a segregação das despesas administrativas entre comuns e específicas; Eliminar a segregação das despesas administrativas entre

Leia mais

Graficamente, o Balanço Patrimonial se apresenta assim: ATIVO. - Realizável a Longo prazo - Investimento - Imobilizado - Intangível

Graficamente, o Balanço Patrimonial se apresenta assim: ATIVO. - Realizável a Longo prazo - Investimento - Imobilizado - Intangível CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL AULA 03: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS TÓPICO 02: BALANÇO PATRIMONIAL. É a apresentação padronizada dos saldos de todas as contas patrimoniais, ou seja, as que representam

Leia mais

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Fevereiro/2013

Balancete. Consolidado. Facopac - Sociedade Previdencia Privada C.N.P.J.: 71.562.656/0001-46. Fevereiro/2013 1 ATIVO 115.678.223,34 D 40.374.433,45 40.033.273,64 116.019.383,15 D 1.1 DISPONÍVEL 101.250,59 D 19.093.776,18 19.079.771,98 115.254,79 D 1.1.1 IMEDIATO 101.250,59 D 19.093.776,18 19.079.771,98 115.254,79

Leia mais

C.1 Do Objeto...2. C.2 Das Definições...2. C.3 Da Forma de Gestão dos Recursos...4. C.4 Da Constituição do PGA...4

C.1 Do Objeto...2. C.2 Das Definições...2. C.3 Da Forma de Gestão dos Recursos...4. C.4 Da Constituição do PGA...4 Conteúdo C.1 Do Objeto...2 C.2 Das Definições...2 C.3 Da Forma de Gestão dos Recursos...4 C.4 Da Constituição do PGA...4 C.5 Das Fontes de Custeio Administrativo...4 C.6 Dos Limites de Custeio Administrativo...5

Leia mais

Escolha o seu e comece a construir o futuro que você quer ter

Escolha o seu e comece a construir o futuro que você quer ter Escolha o seu e comece a construir o futuro que você quer ter Valia Fix, Valia Mix 20, Valia Mix 35 e Valia Ativo Mix 40 Quatro perfis de investimento. Um futuro cheio de escolhas. Para que seu plano de

Leia mais

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social

PARECER ATUARIAL Exercício de 2014. INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social PARECER ATUARIAL Exercício de 2014 INERGUS Instituto ENERGIPE de Seguridade Social Plano de Benefícios PCD INERGUS Março de 2015 1 PARECER ATUARIAL Avaliamos atuarialmente o Plano de Benefícios PCD INERGUS

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: ELETRA DA transmitida à Previc em 27/03/2013 às 11:08:58 Número do protocolo: 005549 INFORMAÇÕES CADASTRAIS ENTIDADE Código: 0134-5 CNPJ: 02.884.385/0001-22 Sigla: ELETRA Razão Social: ELETRA FUNDACAO CELG DE

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL

DEMONSTRAÇÃO ATUARIAL ENTIDADE: PLANO DE BENEFÍCIOS: MOTIVO: DATA DA AVALIAÇÃO: [01.182.491/0001-00] OABPREV-RS - FUNDO DE PENSAO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SECCIONAL DO RIO GRANDE DO SUL [2006.0013-29]

Leia mais

plano Taesaprev Editada em fevereiro de 2012

plano Taesaprev Editada em fevereiro de 2012 plano Taesaprev Editada em fevereiro de 2012 Apresentação Ativo, rentabilidade, renda fixa, perfil de investimento... Se você tem o hábito de se informar sobre como anda o dinheiro investido no seu plano

Leia mais

GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS DA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS DA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR GLOSSÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS DA PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PREVINORTE O presente Glossário tem por objetivo transmitir uma noção do significado de palavras e expressões usadas no segmento de Previdência

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 14 Rendimentos a distribuir 3.599 2.190 Aplicações financeiras de renda fixa

Leia mais

COOPERATIVA DE ECONOMIA E CREDITO MÚTUO DOS EMPREGADOS DA MAGNESITA REFRATÁRIOS S.A LTDA - CECREM

COOPERATIVA DE ECONOMIA E CREDITO MÚTUO DOS EMPREGADOS DA MAGNESITA REFRATÁRIOS S.A LTDA - CECREM COOPERATIVA DE ECONOMIA E CREDITO MÚTUO DOS EMPREGADOS DA MAGNESITA REFRATÁRIOS S.A LTDA - CECREM 1. Contexto operacional NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE

Leia mais

Relatório anual do Plano de Benefícios Multifuturo I

Relatório anual do Plano de Benefícios Multifuturo I Relatório anual do Plano de Benefícios Multifuturo I Pareceres PARECER ATUARIAL DA AVALIAÇÃO REALIZADA EM 31/12/2009 Considerações iniciais O presente parecer tem por objetivo apresentar nossas considerações

Leia mais

Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013

Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013 Associação Saúde Criança São Paulo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2013 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras

Leia mais