O (Sobre)-Endividamento das Famílias: Prevenir ou Solucionar?

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O (Sobre)-Endividamento das Famílias: Prevenir ou Solucionar?"

Transcrição

1 O (Sobre)-Endividamento das Famílias: Prevenir ou Solucionar? Luísa Marabuto Clara Magalhães Celeste Varum Carla Monteiro GEACE-UA 5ª Conferência Internacional de Educação Financeira 15 e 16 de Julho de 2014 Universidade de Aveiro

2 Índice 1. (Sobre)Endividamento : preocupação social 2. Intervir sobre o sobre-endividamento 1. A Importância da Educação Financeira 2. Intervenções especializadas - GEACE 3. Experiência do GEACE no terreno 4. Renegociação do Crédito 5. Caso Prático 6. Discussão e recomendações

3 1. Níveis de Endividamento e Incumprimento Gráfico 1: Endividamento Mundial das Famílias em % do Rendimento Disponível Bruto Fonte: OECD Factbook 2013: Economic, Environmental and Social Statistics - OECD 2012

4 1. Níveis de Endividamento e Incumprimento Sobre-endividamento o que é? Incapacidade de um devedor cumprir com os seus compromissos financeiros; endividamento excessivo, acima da sua capacidade para pagar as dívidas. É um problema social?

5 1. Níveis de Endividamento e Incumprimento Gráfico 2: Crédito a Particulares e % de Crédito Vencido em Portugal (Habitação e Consumo) Fonte: Relatório de Estabilidade Financeira Maio 2014 Banco de Portugal

6 2. Intervir sobre o Sobre-endividamento: preocupação social! Medidas Formas de intervenção Prevenir Promoção de literacia financeira Solucionar Apoio especializado (ex. GEACE)

7 2. A Importância da Educação Financeira como Prevenção para o Sobre-endividamento Definição de Literacia Financeira A capacidade de fazer julgamentos informados e tomar decisões efetivas tendo em vista a gestão do dinheiro ; National Foundation for Educational Research Vantagens da educação financeira (Plano Nacional de Formação Financeira) a educação financeira é um processo que proporciona aos consumidores uma maior compreensão dos produtos financeiros e a adopção de comportamentos adequados; contribui para que os cidadãos tomem decisões informadas e confiantes em todos os aspectos da vida financeira.

8 2. Apresentação e Competências do GEACE Gabinete Extrajudicial de Apoio ao Consumidor Endividado Universidade de Aveiro Quem somos O GEACE-UA é uma estrutura criada pela Universidade de Aveiro, tornando-se membro da Rede de Apoio ao Consumidor Endividado (RACE) em Abril de 2013 após reconhecimento da Direção Geral do Consumidor e parecer do Banco de Portugal; A Rede de Apoio ao Consumidor Endividado é coordenada pela Direcção-Geral do Consumidor com o apoio do Banco de Portugal.

9 2. Apresentação e Competências do GEACE Gabinete Extrajudicial de Apoio ao Consumidor Endividado Universidade de Aveiro Competências do Gabinete Informar os consumidores sobre direitos e deveres em situações de risco de incumprimento ou em incumprimento dos seus contratos de crédito; Apoiar/aconselhar na análise das propostas apresentadas pelas instituições financeiras; Acompanhar o consumidor na negociação junto das instituições financeiras. Um serviço social totalmente CONFIDENCIAL e GRATUITO para os consumidores.

10 3. Experiência do GEACE no terreno presente/ futuro 1) Dificuldade natural do cidadão em gerir a relação presente / futuro 2) Perspetiva otimista em relação do futuro: Sobrevalorizam-se receitas Subestimam-se despesas

11 3. Experiência do GEACE no terreno - terminologias 3)Dificuldade do cidadão em compreender terminologia: Capital: montante monetário que é emprestado ou aplicado em determinada instituição de crédito; Taxa de Juro: expresso em percentagem, representa o custo a suportar pelo capital cedido ou a remunerar quando aplicado; Juro: valor em unidades monetárias pago pela cedência de capital para um determinado período de tempo, ou a remuneração recebida quando se fazem aplicações financeiras.

12 3. Experiência do GEACE no terreno - terminologias 3)Dificuldade do cidadão em compreender terminologia: Taxa Anual Efetiva Global (TAEG): custo total do crédito para o cliente, expressa em percentagem (%) anual do montante total do crédito. A TAEG inclui juros, comissões, impostos e outros encargos associados ao crédito; Muito importante para comparar diversas simulações de crédito; Spread: margem percentual determinada pelo banco que acresce à taxa de juro de referência; Taxa Euribor: taxa de referência do mercado monetário interbancário europeu.

13 3. Experiência do GEACE no terreno - orçamento 4)Dificuldade do cidadão na gestão do orçamento Rendimento Poupança Gestão do Orçamento Familiar Gestão do Crédito Consumo

14 3. Experiência do GEACE no terreno - orçamento Orçamento Familiar Um Orçamento traduz-se num documento previsional onde se apresentam RENDIMENTOS e DESPESAS previstas para um determinado período. Espera-se que o SALDO seja positivo permitindo cobrir as despesas da família com os rendimentos esperados, traduzindo-se num período economicamente viável. Uma Gestão Orçamental responsável e cuidada deverá permitir destinar uma parte dos rendimentos para a poupança, procurando nunca gastar-se mais do que os rendimentos obtidos ou previstos.

15 3. Experiência do GEACE no terreno - orçamento (+) Rendimento 1 (+) Rendimento 2 (-) Despesas (=) SALDO FINAL Habitação Prestação ao banco Seguros Electricidade Água Gás Condomínio Alimentação Produtos alimentares Refeições fora de casa Transportes Empréstimo Automóvel Combustível Seguros Educação Material escolar Propinas Saúde Consultas Medicamentos Vestuário Lazer Férias Desporto Cinema Despesas Pessoais Poupança PPR Outras contas poupança Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro

16 3. Experiência do GEACE no terreno - orçamento Regras Fundamentais para a Elaboração de um Orçamento Familiar Os Rendimentos não deverão ser sobrevalorizados e as Despesas subvalorizadas; Organize faturas, recibos, extratos de contas bancárias e aponte todos os restantes gastos; Planeie o orçamento com uma poupança mensal para a reforma ou para imprevistos que possam surgir; Seja Rigoroso.

17 3. Experiência do GEACE no terreno- crédito 4) Debilidade na negociação do crédito Gestão do crédito - comportamentos a adotar antes de recorrer ao crédito Necessito mesmo do crédito? O meu orçamento familiar consegue suportar a prestação? Qual a melhor proposta para mim? Spread/ Duração/... Encontro-me esclarecido de todas as implicações decorrentes do novo crédito? Ler sempre antes de assinar.

18 3. Experiência do GEACE no terreno- crédito 5) Debilidade na (RE)negociação do crédito Redução de Spread Diferimento de Capital Prazo do Empréstimo Período de Carência de Capital Consolidação de Créditos Regularização de Valores em Dívida.

19 4. Renegociação de crédito 1. Negociação de Redução de Spread; Condições gerais atuais do empréstimo habitação (exemplo) Capital em Dívida: ; Prazo do empréstimo: 25 anos ou 300 meses; Taxa de Juro Variável: indexado à Euribor 6M (0,3%) e spread de 1,5%. Acordado uma redução de Spread para 1%. Prestação mensal antes da renegociação 497,02 Prestação mensal após a renegociação 468,73

20 4. Renegociação de crédito 2. Negociação de Diferimento de Capital de30%; Condições gerais atuais do empréstimo habitação (exemplo) Capital em Dívida: ; Prazo do empréstimo: 25 anos ou 300 meses; Taxa de Juro Variável: indexado à Euribor 6M (0,3%) e spread de 1,5%. Acordado o diferimento de capital de 30% do capital em dívida. Prestação mensal antes da renegociação 497,02 Prestação mensal após a renegociação 401,92 Valor Residual a pagar com a última prestação ,00

21 4. Renegociação de crédito 3. Negociação de Alargamento do Prazo do Empréstimo Condições gerais atuais do empréstimo habitação (exemplo) Capital em Dívida: ; Prazo do empréstimo: 25 anos ou 300 meses; Taxa de Juro Variável: indexado à Euribor 6M (0,3%) e spread de 1,5%. Acordado o alargamento do prazo de 25 anos para 35 anos (420 meses) Prestação mensal antes da renegociação 497,02 Prestação mensal após a renegociação 385,31

22 4. Renegociação de crédito 4. Negociação de Período de Carência de Capital Condições gerais atuais do empréstimo habitação (exemplo) Capital em Dívida: ; Prazo do empréstimo: 25 anos ou 300 meses; Taxa de Juro Variável: indexado à Euribor 6M (0,3%) e spread de 1,5%. Acordado um período de carência de capital durante 12 meses. Prestação mensal antes da renegociação 497,02 Prestação mensal durante o período de carência (juros) 180,00 Prestação mensal após o período de carência (capital + juros) 513,43

23 4. Renegociação de crédito 5. Consolidação de Créditos Condições gerais atuais do empréstimo habitação (exemplo) Capital em Dívida: ; Prazo do empréstimo: 25 anos ou 300 meses; Taxa de Juro Variável: indexado à Euribor 6M (0,3%) e spread de 1,5%. Prestação mensal 497,02 Condições gerais atuais do crédito pessoal sem finalidade específica (exemplo) Montante em Dívida: 6.000,00 ; Prazo do empréstimo: 4 anos ou 48 meses; Taxa de Juro Fixa: 14%. Prestação mensal 165,65

24 4. Renegociação de crédito 5. Consolidação de Créditos Acordado uma consolidação do crédito à habitação e do crédito pessoal num só crédito no valor de ,00. Agravamento de spread em1p.p.; Agravamento de spread em1p.p. + alargamento do prazo em 5 anos (total de 30 anos ou 360 meses). Prestação mensal anterior (credito habitação + crédito pessoal) 662,67 Prestação mensal após a consolidação (agravamento de spread) 584,48 Prestação mensal após a consolidação (agravamento de spread + prolongamento de prazo) 517,73

25 4. Renegociação de crédito 6. Empréstimo para regularização de valores em dívida Condições gerais atuais do empréstimo à habitação (exemplo) Capital em Dívida: ; Prazo do empréstimo: 25 anos ou 300 meses; Taxa de Juro Variável: indexado à Euribor 6M (0,3%) e spread de 1,5%. Prestação mensal 497,02 Situação de Incumprimento de 5 prestações (2.485,10 ); Acordado o financiamento dos valores em incumprimento através da contratação de um crédito pessoal, mantendo-se o pagamento habitual das prestações do crédito à habitação. Aos valores em incumprimento acrescem juros moratórios e comissões por atraso de pagamento, que poderão ser ou não adicionados ao novo empréstimo.

26 4. Renegociação de crédito 6. Empréstimo para regularização de valores em dívida Condições gerais do novo crédito pessoal (exemplo) Capital em Dívida: 2.485,10 Prazo do empréstimo: 5 anos ou 60 meses; Taxa de Juro Variável: indexado à Euribor 6M (0,3%) e spread de 3%. Prestação mensal 45,13 Juros moratórios Sobretaxa máxima de 3% que acresce à TAN do empréstimo; Comissões Comissão máxima de 4% sobre o valor de cada prestação vencida e não paga.

27 4. Renegociação de crédito Tipos de Negociação Cartão de Crédito 1. Entrega Imediata do Cartão de Crédito; 2. Refinanciamento do Cartão de Crédito;

28 5. Caso Prático Alteração Contratual de Crédito Habitação Dados da Simulação Data da Simulação 05/06/2014 Cliente em PERSI? Não Severidade da Situação Valor Disponível p/ prestação mensal Permanente 180,00 Capital em Dívida ,08 TAN em Vigor 2,871% Spread em Vigor 2,50% Spread a Aplicar 1,30% Data de Vencimento do Empréstimo Prazo Total Actual Nº de Prestações em Incumprimento 02/01/ m/29 anos Nº Titulares 2 Idade do Titular mais velho 56 Valor Residual em Vigor? Carência de Capital em Vigor? Prestação Actual (Capital + Juros) 6 Não Não 292,90 Solução 1 Alargamento do Prazo do Empréstimo Novo Prazo Remanescente (meses) 290 Novo Prazo Total (meses) 397 Alteração do indexante para Taxa Fixa 5 anos Não TAN 1,671% Spread 1,30% Prestação Resultante 224,25 Recálculo das Prestações Vencidas Sim Total 6 Prestações Vencidas 1.345,50 Total Capital Prestações Vencidas 901,86 Total Juros Prestações Vencidas 443,64 Solução 2 Solução 1 + Valor Residual Valor Residual Permanente 30% TAN 1,671% Spread 1,30% Prestação Resultante 179,31 Montante Valor Residual ,22 Total 6 Prestações Vencidas 1.075,88 Total Capital Prestações Vencidas 631,30 Total Juros Prestações Vencidas 444,58

29 5. Caso Prático Consolidação das Responsabilidades de Crédito Dados da Simulação Data da Simulação 05/06/2014 Cliente em PERSI? Prazo de Incumprimento Não Superior a 60 dias Capital Vincendo 3.840,01 Capital Vencido 1.157,30 Crédito Vencido Crédito Renegociado Montante Financiamento 1.157,30 Prazo (meses) 13 TAN 10,0% Prestação 94,52 TAEG (%) 12,68% Crédito Vincendo Solução- Saneamento Financeiro Montante Financiamento 3.840,01 Prazo (meses) 47 Carência de Capital (meses) 13 TAN 10,0% Prestação Carência 35,88 Prestação após Carência 133,48 TAEG (%) 13,33% Juros e Comissões em Dívida 588,09 Juros e Comissões a pagar 588,09 Valor disponível p/ prestação 135,00 Primeiros 13 meses (Pagamento de Vencido e Vincendo) 130,40 34 meses seguintes (Pagamento de Vincendo) 133,48

30 5. Caso Prático Pagamentos Mensais Antes Negociação Crédito Habitação 292,90 Crédito ao Consumo 128,00 Cartão de Crédito 170,00 TOTAL 590,90 Após Negociação Primeiros 13 meses ( Habitação + Crédito Consolidado) 34 meses seguintes ( Habitação + Crédito Consolidado) Após pagamento do Crédito Consolidado passa a pagar unicamente o Crédito Habitação 309,71 312,79 179,31 Poupança Inicial de 280

31 6. Discussão e recomendações 1. (Sobre)Endividamento como preocupação social 2. Encarar (Sobre)Endividamento (também) como resultado da força desproporcional da oferta (banca...) 3. Extrema importância da Regulação e Regulamentação bancária (controle para evitar comportamentos abusivos do agente + forte), ex.: Condições de alteração de taxas; Dação do bem? Valor da habitação? Liquidação de créditos; Valores de avaliação; garantias); 4. Maior responsabilização do credor em face do crédito concedido

32 6. Discussão e recomendações 5. Banco de Portugal: ação de acompanhamento e defesa do cliente 6. Banco de Portugal: Recolha de dados e sua disponibilização para fins de investigação (maior conhecimento sobre realidade) 7. Sensibilização das entidades de crédito 8. Fortalecimento dos organismos especializados numa perspetiva de Intervenção de médio / longo prazo 9. Literacia financeira numa perspetiva de Intervenção de médio / longo prazo

33 GEACE UA Gabinete Extrajudicial de Apoio ao Consumidor Endividado Universidade de Aveiro Segundas, Quartas e Sextas, 17 às 20h Campus Universitário de Santiago Zona Comercial Central UM SERVIÇO AO DISPOR DA POPULAÇÃO EM GERAL

34 OBRIGADA PELA ATENÇÃO! Luísa Marabuto Clara Magalhães Celeste Varum Carla Monteiro GEACE-UA

O incumprimento por parte dos compradores, consequências e soluções, a perda de habitação e das poupança das famílias

O incumprimento por parte dos compradores, consequências e soluções, a perda de habitação e das poupança das famílias O incumprimento por parte dos compradores, consequências e soluções, a perda de habitação e das poupança das famílias Natália Nunes Gabinete de Apoio ao Sobre-endividado CONFERÊNCIA HABITAÇÃO, ARRENDAMENTO

Leia mais

GERIR O ORÇAMENTO FAMILIAR PREVENIR O SOBREENDIVIDAMENTO EVITAR DÍVIDAS E GASTOS DESNECESSÁRIOS. Porto 24 de Outubro de 2013

GERIR O ORÇAMENTO FAMILIAR PREVENIR O SOBREENDIVIDAMENTO EVITAR DÍVIDAS E GASTOS DESNECESSÁRIOS. Porto 24 de Outubro de 2013 GERIR O ORÇAMENTO FAMILIAR PREVENIR O SOBREENDIVIDAMENTO EVITAR DÍVIDAS E GASTOS DESNECESSÁRIOS Porto 24 de Outubro de 2013 Célia Marques Gabinete Jurídico da UGC 1 ORGANIZAR AS DESPESAS EXISTEM 3 GRANDES

Leia mais

INSTRUÇÃO N.º 44/2012 - (BO N.º 12, 17.12.2012) SUPERVISÃO Supervisão Comportamental

INSTRUÇÃO N.º 44/2012 - (BO N.º 12, 17.12.2012) SUPERVISÃO Supervisão Comportamental INSTRUÇÃO N.º 44/2012 - (BO N.º 12, 17.12.2012) Temas SUPERVISÃO Supervisão Comportamental ASSUNTO: Comunicação de informação relativa a contratos de crédito abrangidos pelos procedimentos previstos no

Leia mais

ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO CRÉDITO À HABITAÇÃO

ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO CRÉDITO À HABITAÇÃO ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO CRÉDITO À HABITAÇÃO Índice Finalidades do crédito à habitação Avaliação da capacidade financeira Ficha de Informação Normalizada (FIN) Prazo Modalidades de reembolso

Leia mais

ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO NOÇÕES BÁSICAS SOBRE CRÉDITO

ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO NOÇÕES BÁSICAS SOBRE CRÉDITO ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO NOÇÕES BÁSICAS SOBRE CRÉDITO Índice Conceito de empréstimo Avaliação da capacidade financeira Principais tipos de crédito Ficha de Informação Normalizada Principais características

Leia mais

FOLHETO DE TAXAS DE JURO

FOLHETO DE TAXAS DE JURO FOLHETO DE TAXAS DE JURO Clientes Particulares Outros clientes 17 CONTAS DE DEPÓSITO 19 CONTAS DE DEPÓSITO 17.1. Depósitos à ordem 19.1. Depósitos à ordem 17.2. Depósitos a prazo 19.2. Depósitos a prazo

Leia mais

FOLHETO DE TAXAS DE JURO

FOLHETO DE TAXAS DE JURO FOLHETO DE TAXAS DE JURO Clientes Particulares Outros clientes 17 CONTAS DE DEPÓSITO 19 CONTAS DE DEPÓSITO 17.1. Depósitos à ordem 19.1. Depósitos à ordem 17.2. Depósitos a prazo 19.2. Depósitos a prazo

Leia mais

UM ESPECIALISTA AO SEU LADO. www.doutorfinancas.pt

UM ESPECIALISTA AO SEU LADO. www.doutorfinancas.pt UM ESPECIALISTA AO SEU LADO www.doutorfinancas.pt Programa Principais sintomas de doença financeira Principais Ferramentas de Gestão de Finanças Pessoais Orçamento familiar O Negócio Bancário Mecanismos

Leia mais

ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO CUSTO DO CRÉDITO

ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO CUSTO DO CRÉDITO ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO CUSTO DO CRÉDITO Índice Componentes do custo do crédito Taxa de juro Comissões Despesas Seguros Medidas agregadas do custo do crédito: TAE e TAEG Taxas máximas no crédito

Leia mais

ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO CRÉDITO PESSOAL

ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO CRÉDITO PESSOAL ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO CRÉDITO PESSOAL Índice Finalidades do crédito pessoal Ficha de Informação Normalizada (FIN) Montante e prazo Modalidades de reembolso Garantias Custos do crédito Taxa

Leia mais

ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO RESPONSABILIDADES DE CRÉDITO

ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO RESPONSABILIDADES DE CRÉDITO ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO RESPONSABILIDADES DE CRÉDITO Índice Conceito de responsabilidade de crédito Central de Responsabilidades de crédito (CRC) O que é a CRC? Para que serve a CRC? Mapa de

Leia mais

Soluções Financeiras ANEXO I. Protocolo exclusivo. Soluções Ordenado BBVA. Soluções Habitação BBVA

Soluções Financeiras ANEXO I. Protocolo exclusivo. Soluções Ordenado BBVA. Soluções Habitação BBVA Protocolo exclusivo. Soluções Financeiras ANEXO I Aproveite o Protocolo BBVA para realizar os seus projectos pessoais. O Banco Bilbao Vizcaya Argentaria, coloca ao seu dispor um conjunto de Produtos e

Leia mais

Preçário. Caixa Central de Crédito Agricola Mútuo e Caixas de Crédito Agrícola Mútuo

Preçário. Caixa Central de Crédito Agricola Mútuo e Caixas de Crédito Agrícola Mútuo Preçário CAIXA CENTRAL - CAIXA CENTRAL DE CRÉDITO AGRICOLA MÚTUO, CRL E CAIXAS DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO DO SISTEMA INTEGRADO DO CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO Caixa Central de Crédito Agricola Mútuo e Caixas

Leia mais

PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO FINANCEIRA. Gestão do orçamento familiar

PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO FINANCEIRA. Gestão do orçamento familiar PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO FINANCEIRA Gestão do orçamento familiar 1 PLANO DE EXPOSIÇÃO A importância do orçamento familiar Rendimentos e despesas Risco e incerteza Saldo do orçamento Elaboração do orçamento

Leia mais

Condições actuais do Protocolo para Colaboradores

Condições actuais do Protocolo para Colaboradores Direcção de Parcerias Comerciais Protocolos Condições actuais do Protocolo para Colaboradores Novembro de 2009 Conta Ordenado BPI Isenção das principais despesas do dia-a-dia: Isenção das despesas de manutenção

Leia mais

Sobre-endividamento endividamento das

Sobre-endividamento endividamento das CONFERÊNCIA O Endividamento e o Sobre-endividamento endividamento das Famílias Problemas e soluções CIAB Tribunal Arbitral de Consumo 3 de outubro de 2013 PLANO DE EXPOSIÇÃO I O Plano Nacional de Formação

Leia mais

Glossário de Crédito Habitação do NOVO BANCO

Glossário de Crédito Habitação do NOVO BANCO Glossário de Crédito Habitação do NOVO BANCO Tipo de Propriedade 1ª Habitação Residência habitual do agregado familiar (habitação própria permanente). 2ª Habitação Residência não habitual do agregado familiar

Leia mais

Módulos de Formação 2013

Módulos de Formação 2013 Módulos de Formação 2013 Documento de trabalho Editores Banco de Portugal Comissão do Mercado de Valores Mobiliários Instituto de Seguros de Portugal Design, impressão e acabamento Banco de Portugal Departamento

Leia mais

HYPOSWISS PRIVATE BANK GENEVE, SA - SUCURSAL EM PORTUGAL

HYPOSWISS PRIVATE BANK GENEVE, SA - SUCURSAL EM PORTUGAL FOLHETO DE TAXAS DE JURO Clientes Particulares Outros clientes 17 CONTAS DE DEPÓSITO 19 CONTAS DE DEPÓSITO 17.2. Depósitos a prazo 19.2. Depósitos a prazo 18 OPERAÇÕES DE CRÉDITO 20 OPERAÇÕES DE CRÉDITO

Leia mais

Literacia Financeira para Jovens Universitários 30.04.2013

Literacia Financeira para Jovens Universitários 30.04.2013 Literacia Financeira para Jovens Universitários 30.04.2013 Segundo os Princípios estabelecidos pelo Plano Nacional de Formação Financeira e definidos pelo Conselho Nacional de Supervisores Financeiros,

Leia mais

A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO B. DESCRIÇÃO DAS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO CRÉDITO

A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO B. DESCRIÇÃO DAS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO CRÉDITO FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Identificação da instituição de crédito 1.1. Denominação Banco Bilbao

Leia mais

Preçário BANCO DO BRASIL AG - SUCURSAL EM PORTUGAL BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO

Preçário BANCO DO BRASIL AG - SUCURSAL EM PORTUGAL BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Preçário BANCO DO BRASIL AG - SUCURSAL EM PORTUGAL BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário completo do Banco do Brasil AG Sucursal em Portugal,

Leia mais

(VAR2) Não se aplica. Não se aplica. Não se aplica. Não se aplica. Cartão de Crédito BBVA Private. Cartão de Crédito com Período de Free-Float

(VAR2) Não se aplica. Não se aplica. Não se aplica. Não se aplica. Cartão de Crédito BBVA Private. Cartão de Crédito com Período de Free-Float FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Identificação da instituição de crédito 1.1. Denominação 1.2. Endereço

Leia mais

CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL

CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL BENFMEMD_20130701 Benfica Member CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Identificação da instituição de crédito 1.1. Denominação CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS,

Leia mais

Boletim Estatístico. Dezembro 2014. Gabinete de Apoio ao Sobre-endividado

Boletim Estatístico. Dezembro 2014. Gabinete de Apoio ao Sobre-endividado Boletim Estatístico Dezembro 2014 Gabinete de Apoio ao Sobre-endividado Índice 1. PROCESSOS E PEDIDOS DE INFORMAÇÃO DE SOBRE-ENDIVIDAMENTO... 3 1.1. Processos e Pedidos de Informação de Sobre-endividamento

Leia mais

CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL

CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL LACARDD_20151001 LA Card Visa CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Identificação da instituição de crédito 1.1. Denominação CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS,

Leia mais

18. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (PARTICULARES) (ÍNDICE)

18. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (PARTICULARES) (ÍNDICE) 18.1. Crédito à habitação e contratos conexos CH e associados Taxa Indexada - Euribor 12m Multiopções associados Taxa Indexada - Euribor 12m Euribor 12m + Spread 1,95% a 5,80% Euribor 12m + Spread 2,95%

Leia mais

Lista de Exercícios para a Prova Substitutiva de Matemática Financeira Parfor Matemática

Lista de Exercícios para a Prova Substitutiva de Matemática Financeira Parfor Matemática Lista de Exercícios para a Prova Substitutiva de Matemática Financeira Parfor Matemática 1. Se 35 m de um tecido custam R$ 140, quanto se pagará 12 m? 2. Se 20 tratores levaram 6 dias para realizar um

Leia mais

CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL

CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL ITICCRD_20150701 Caixa ITIC CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Identificação da instituição de crédito 1.1. Denominação CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS,

Leia mais

ÁREA DE FORMAÇÃO: PLANEAR O ORÇAMENTO FAMILIAR COMO ELABORAR O ORÇAMENTO FAMILIAR

ÁREA DE FORMAÇÃO: PLANEAR O ORÇAMENTO FAMILIAR COMO ELABORAR O ORÇAMENTO FAMILIAR ÁREA DE FORMAÇÃO: PLANEAR O ORÇAMENTO FAMILIAR COMO ELABORAR O ORÇAMENTO FAMILIAR Índice A importância do orçamento familiar Etapas da elaboração do orçamento familiar 1ª etapa: identificação do rendimento

Leia mais

Taxa Anual Nominal (TAN) Euribor 6 meses + Spread 1,750% a 4,250% Euribor 6 meses + Spread 3,750% a 6,250% 0,032% 0,596% Euribor 6 meses +

Taxa Anual Nominal (TAN) Euribor 6 meses + Spread 1,750% a 4,250% Euribor 6 meses + Spread 3,750% a 6,250% 0,032% 0,596% Euribor 6 meses + 18.1. Crédito à habitação e contratos conexos Empréstimos a taxa variável Taxa Anual Efectiva (TAE) Prestação Indexada; Prestação Mínima; Crédito Não Residentes; Spread 1,750% a 4,250% 4,939% Prazo máximo

Leia mais

AQUISIÇÃO DE HABITAÇÃO PRÓPRIA E PERMANENTE: CUSTOS, DEVERES E DIREITOS

AQUISIÇÃO DE HABITAÇÃO PRÓPRIA E PERMANENTE: CUSTOS, DEVERES E DIREITOS XXXXXX Xxxxxx 5 ÍNDICE PERSPECTIVAS DO CRÉDITO À HABITAÇÃO 2008: INTRODUÇÃO DOS EDITORES 13 Raul M. S. Laureano Helena Matos Soares AQUISIÇÃO DE HABITAÇÃO PRÓPRIA E PERMANENTE: CUSTOS, DEVERES E DIREITOS

Leia mais

Dos documentos que se seguem quais os necessários para abrir uma conta num banco?

Dos documentos que se seguem quais os necessários para abrir uma conta num banco? Quais as principais funções de um banco? A Captar depósitos e gerir a poupança dos seus clientes. B Conceder empréstimos a empresas, particulares e ao Estado. C Disponibilizar meios e formas de pagamento

Leia mais

Tabela de Taxas de Juro. Anexo II. Instituição Financeira Bancaria com Sede em Território Nacional. Entrada em vigor: 26 de Outubro de 2015

Tabela de Taxas de Juro. Anexo II. Instituição Financeira Bancaria com Sede em Território Nacional. Entrada em vigor: 26 de Outubro de 2015 Anexo II Instituição Financeira Bancaria com Sede em Território Nacional Entrada em vigor: 26 de Outubro de 2015 Preçário pode ser consultado nas Agências e locais de atendimento ao público do Banco Keve

Leia mais

Protocolo BBVA Soluções Financeiras

Protocolo BBVA Soluções Financeiras Protocolo BBVA Soluções Financeiras Conheça as soluções financeiras que o BBVA tem para lhe oferecer e aproveite o Protocolo BBVA com condições exclusivas para os Associados do SPLIU. Para o BBVA cada

Leia mais

ST. GALLER KANTONALBANK AG - SUCURSAL EM PORTUGAL

ST. GALLER KANTONALBANK AG - SUCURSAL EM PORTUGAL FOLHETO DE TAXAS DE JURO Clientes Particulares Outros clientes 17 CONTAS DE DEPÓSITO 19 CONTAS DE DEPÓSITO 17.2. Depósitos a prazo 19.2. Depósitos a prazo 18 OPERAÇÕES DE CRÉDITO 20 OPERAÇÕES DE CRÉDITO

Leia mais

O DINHEIRO NÃO CAI DO CÉU E PARECE QUE VOA DO BOLSO *

O DINHEIRO NÃO CAI DO CÉU E PARECE QUE VOA DO BOLSO * PUBLICADO NA EDIÇÃO IMPRESSA SEGUNDA-FEIRA, 10 DE DEZEMBRO DE 2012 POR O DINHEIRO NÃO CAI DO CÉU E PARECE QUE VOA DO BOLSO * Elaborar o orçamento familiar é muito importante porque permite controlar melhor

Leia mais

GUIA INFORMATIVO - CARTÕES DE CRÉDITO

GUIA INFORMATIVO - CARTÕES DE CRÉDITO 2013 GUIA INFORMATIVO - CARTÕES DE CRÉDITO CARTÕES DE CRÉDITO Definição Cartão de crédito é modalidade de pagamento à vista, objeto de um contrato de adesão entre o consumidor e uma administradora de cartões,

Leia mais

FOLHETO DE TAXAS DE JURO

FOLHETO DE TAXAS DE JURO FOLHETO DE TAXAS DE JURO Entrada em vigor: 01 - nov - 2015 Clientes Particulares Outros clientes 18 OPERAÇÕES DE CRÉDITO 20 OPERAÇÕES DE CRÉDITO 18.1. Crédito à habitação e contratos conexos 20.1. Linhas

Leia mais

Introdução às Finanças

Introdução às Finanças Introdução às Finanças Aula Teórica 3 Esta informação é restrita ou confidencial, não podendo ser duplicada, publicada ou fornecida total ou parcialmente a terceiros sem o prévio consentimento dos autores.

Leia mais

OPERAÇÕES DE CRÉDITO 20 OPERAÇÕES DE CRÉDITO

OPERAÇÕES DE CRÉDITO 20 OPERAÇÕES DE CRÉDITO FOLHETO DE TAXAS DE JURO Clientes Particulares Outros Clientes 18 OPERAÇÕES DE CRÉDITO 20 OPERAÇÕES DE CRÉDITO 18.2. Crédito pessoal 20.1. Linhas de crédito e contas correntes 18.3. Crédito automóvel 20.4.

Leia mais

1.2. Endereço Rua Áurea, 219-241: Apartado 2882: 1122-806 Lisboa

1.2. Endereço Rua Áurea, 219-241: Apartado 2882: 1122-806 Lisboa FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL (ao abrigo do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 133/2009, de 2 de Junho) A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Identificação da instituição de crédito 1.1.

Leia mais

Preçário BBVA, INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO, SA. Instituição Financeira de Crédito

Preçário BBVA, INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO, SA. Instituição Financeira de Crédito Preçário BBVA, INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO, SA Instituição Financeira de Crédito Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário completo do(a) BBVA,

Leia mais

BANCO CREDIBOM, SA Entrada em vigor: 01-07-2013 FOLHETO DE TAXAS DE JURO

BANCO CREDIBOM, SA Entrada em vigor: 01-07-2013 FOLHETO DE TAXAS DE JURO FOLHETO DE TAXAS DE JURO Clientes Particulares Outros clientes 18 OPERAÇÕES DE CRÉDITO 20 OPERAÇÕES DE CRÉDITO 18.1. Crédito à habitação e contratos conexos 20.1. Linhas de crédito e contas correntes 18.2.

Leia mais

BANCO CREDIBOM, SA FOLHETO DE TAXAS DE JURO. Entrada em vigor: 01-Jul-2010. 20.4. Outros créditos

BANCO CREDIBOM, SA FOLHETO DE TAXAS DE JURO. Entrada em vigor: 01-Jul-2010. 20.4. Outros créditos FOLHETO DE TAXAS DE JURO Clientes Particulares Outros clientes 18 OPERAÇÕES DE CRÉDITO 20 OPERAÇÕES DE CRÉDITO 20.1. Linhas de crédito e contas correntes 18.2. Crédito pessoal 18.3. Crédito automóvel 18.4.

Leia mais

ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO SOBRE-ENDIVIDAMENTO

ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO SOBRE-ENDIVIDAMENTO ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO SOBRE-ENDIVIDAMENTO Índice Origem e consequências do sobre-endividamento O que é e como surge o sobre-endividamento? Quais as consequências do incumprimento? Prevenção

Leia mais

Preçário BANCO PRIVADO ATLANTICO. Instituição Financeira Bancária TABELA DE TAXAS DE JURO. Data de Entrada em vigor: 8 de Janeiro 2015

Preçário BANCO PRIVADO ATLANTICO. Instituição Financeira Bancária TABELA DE TAXAS DE JURO. Data de Entrada em vigor: 8 de Janeiro 2015 Preçário BANCO PRIVADO ATLANTICO Instituição Financeira Bancária TABELA DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 8 de Janeiro 2015 O Preçário pode ser consultado nos balcões e locais de atendimento ao

Leia mais

CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL

CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL MMORECLD_20150701 Miles & More da Caixa Classic CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Identificação da instituição de crédito 1.1. Denominação CAIXA

Leia mais

Preçário. Banco Cofidis, S.A.

Preçário. Banco Cofidis, S.A. Preçário Banco Cofidis, S.A. BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor do Folheto e Despesas: 05-out-2015 Data de Entrada em vigor do

Leia mais

Preçário BBVA, INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO, SA. Instituição Financeira de Crédito

Preçário BBVA, INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO, SA. Instituição Financeira de Crédito Preçário BBVA, INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO, SA Instituição Financeira de Crédito Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário completo do(a) BBVA,

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA COM O USO DA CALCULADORA HP 12.C CADERNO DE EXERCÍCIOS

MATEMÁTICA FINANCEIRA COM O USO DA CALCULADORA HP 12.C CADERNO DE EXERCÍCIOS MATEMÁTICA FINANCEIRA COM O USO DA CALCULADORA HP 12.C CADERNO DE EXERCÍCIOS Parte integrante do curso Conhecendo a Calculadora HP 12C Prof. Geraldo Peretti. Página 1 Cálculos aritméticos simples. A) (3

Leia mais

Preçário BANQUE PRIVEE ESPIRITO SANTO, SA - SUCURSAL EM PORTUGAL BANCOS

Preçário BANQUE PRIVEE ESPIRITO SANTO, SA - SUCURSAL EM PORTUGAL BANCOS Preçário BANQUE PRIVEE ESPIRITO SANTO, SA - SUCURSAL EM PORTUGAL BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 01-Set-2014 O Preçário completo

Leia mais

Relatório de Acompanhamento. dos mercados Bancários. de Retalho. Lisboa, 2013 Disponível em www.clientebancario.bportugal.pt ou em www.bportugal.

Relatório de Acompanhamento. dos mercados Bancários. de Retalho. Lisboa, 2013 Disponível em www.clientebancario.bportugal.pt ou em www.bportugal. Relatório de Acompanhamento dos mercados Bancários de Retalho 2012 Lisboa, 2013 Disponível em www.clientebancario.bportugal.pt ou em www.bportugal.pt BANCO DE PORTUGAL Av. Almirante Reis, 71 1150-012 Lisboa

Leia mais

18 OPERAÇÕES DE CRÉDITO

18 OPERAÇÕES DE CRÉDITO FOLHETO DE TAXAS DE JURO Clientes Particulares Outros clientes 18 OPERAÇÕES DE CRÉDITO 20 OPERAÇÕES DE CRÉDITO 20.1. Linhas de crédito e contas correntes 18.2. Crédito pessoal 18.3. Crédito automóvel 18.4.

Leia mais

BANCO CREDIBOM, SA Entrada em vigor: 01-12-2015 FOLHETO DE TAXAS DE JURO. 20.4. Outros créditos

BANCO CREDIBOM, SA Entrada em vigor: 01-12-2015 FOLHETO DE TAXAS DE JURO. 20.4. Outros créditos FOLHETO DE TAXAS DE JURO Clientes Particulares Outros clientes 18 OPERAÇÕES DE CRÉDITO 20 OPERAÇÕES DE CRÉDITO 20.1. Linhas de crédito e contas correntes 18.2. Crédito pessoal 18.3. Crédito automóvel 18.4.

Leia mais

Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA

Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor do Folheto das Comissões

Leia mais

Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO

Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor do Folheto de e Despesas: 20-abr-2015 Data de Entrada em vigor do

Leia mais

ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO CRÉDITO AUTOMÓVEL

ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO CRÉDITO AUTOMÓVEL ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO CRÉDITO AUTOMÓVEL Índice Finalidade do crédito automóvel Modalidades de crédito automóvel Ficha de Informação Normalizada (FIN) Montante e prazo Modalidade de reembolso

Leia mais

Guia do uso consciente do crédito. O crédito está aí para melhorar sua vida, é só se planejar que ele não vai faltar.

Guia do uso consciente do crédito. O crédito está aí para melhorar sua vida, é só se planejar que ele não vai faltar. Guia do uso consciente do crédito O crédito está aí para melhorar sua vida, é só se planejar que ele não vai faltar. Afinal, o que é crédito? O crédito é o meio que permite a compra de mercadorias, serviços

Leia mais

Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA

Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor do Folheto das Comissões

Leia mais

Guia crédito respon sável

Guia crédito respon sável uia rédito espon ável 1_ _2 O que é o Crédito Responsável? 3_ _4 Um Crédito Responsável exige um compromisso. O Compromisso de trabalhar com o cliente de forma leal, justa e transparente em relação aos

Leia mais

É criado um regime de crédito bonificado aos estudantes do ensino superior que se rege pelo disposto no presente diploma.

É criado um regime de crédito bonificado aos estudantes do ensino superior que se rege pelo disposto no presente diploma. Decreto-Lei N.º 512/99 De 24 de Novembro Cria um regime de crédito bonificado aos estudantes do ensino superior A Lei n.º 113/97, de 16 de Setembro - Lei de Bases do Financiamento do Ensino Superior Público

Leia mais

Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO

Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor do Folheto de e Despesas: 01-set-2015 Data de Entrada em vigor do

Leia mais

Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO

Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário completo do BANCO PRIMUS, SA, contém o Folheto de e Despesas (que incorpora

Leia mais

Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO

Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário completo do BANCO PRIMUS, SA, contém o Folheto de e Despesas (que incorpora

Leia mais

Preçário. CrediAgora, Instituição Financeira de Crédito, S.A. Instituição Financeira de Crédito

Preçário. CrediAgora, Instituição Financeira de Crédito, S.A. Instituição Financeira de Crédito Preçário CrediAgora, Instituição Financeira de Crédito, S.A Instituição Financeira de Crédito Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário completo

Leia mais

CRÉDITO À HABITAÇÃO. Banco de Cabo Verde

CRÉDITO À HABITAÇÃO. Banco de Cabo Verde S DO BANCO DE CABO VERDE CRÉDITO À HABITAÇÃO Banco de Cabo Verde Banco de Cabo Verde Crédito à Habitação Banco de Cabo Verde Cidade da Praia 013 Ficha Técnica Título: Crédito à Habitação Autor: Banco de

Leia mais

Protocolo para Colaboradores

Protocolo para Colaboradores Protocolo para Colaboradores Março 2014 O PROTOCOLO E SUAS VANTAGENS O Protocolo é um acordo entre um Parceiro e o Banco, atribuindo vantagens aos seus Colaboradores em produtos e serviços financeiros

Leia mais

Preçário BANCO PRIVADO ATLANTICO. Instituição Financeira Bancária TABELA DE TAXAS DE JURO. Data de Entrada em vigor: 2 de Outubro 2015

Preçário BANCO PRIVADO ATLANTICO. Instituição Financeira Bancária TABELA DE TAXAS DE JURO. Data de Entrada em vigor: 2 de Outubro 2015 Preçário BANCO PRIVADO ATLANTICO Instituição Financeira Bancária TABELA DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 2 de Outubro 2015 O Preçário pode ser consultado nos balcões e locais de atendimento ao

Leia mais

Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA

Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário completo da Cofidis, contém

Leia mais

ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO CARTÃO DE CRÉDITO

ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO CARTÃO DE CRÉDITO ÁREA DE FORMAÇÃO: CONTRAIR CRÉDITO CARTÃO DE CRÉDITO Índice O que é o cartão de crédito? Ficha de Informação Normalizada (FIN) Modalidades de reembolso Custo do crédito Taxas máximas Livre revogação Contrato

Leia mais

Preçário UNION DE CREDITOS INMOBILIARIOS, S.A., EFC - SUCURSAL EM PORTUGAL

Preçário UNION DE CREDITOS INMOBILIARIOS, S.A., EFC - SUCURSAL EM PORTUGAL Preçário UNION DE CREDITOS INMOBILIARIOS, S.A., EFC - SUCURSAL EM INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS DE CRÉDITO COM SEDE EM ESTADO-MEMBRO DA UNIÃO EUROPEIA Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO

Leia mais

Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO

Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Preçário BANCO PRIMUS, SA BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário completo do BANCO PRIMUS, SA, contém o Folheto de Comissões e Despesas

Leia mais

Preçário INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 11-09-2014

Preçário INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS. Data de Entrada em vigor: 11-09-2014 Preçário INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Data de Entrada em vigor: 11-09-2014 Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 03-08-2015 O Preçário

Leia mais

FOLHETO DE TAXAS DE JURO

FOLHETO DE TAXAS DE JURO Entrada em vigor: 01-DEZ-2014 FOLHETO DE TAXAS DE JURO Clientes Particulares Outros s 17. CONTAS DE DEPÓSITO 19. CONTAS DE DEPÓSITO 17.1. Depósitos à ordem 19.1. Depósitos à ordem 17.2. Depósitos a prazo

Leia mais

Fundamentos do Cálculo Financeiro. 1. Introdução: o valor temporal do dinheiro 27

Fundamentos do Cálculo Financeiro. 1. Introdução: o valor temporal do dinheiro 27 Índice Índice de casos propostos 13 Prefácio 17 Apresentação 19 Considerações e abreviaturas 23 Capítulo 1 Fundamentos do Cálculo Financeiro 1. Introdução: o valor temporal do dinheiro 27 2. Conceitos

Leia mais

Aviso do Banco de Portugal n.º 2/2010

Aviso do Banco de Portugal n.º 2/2010 Aviso do Banco de Portugal n.º 2/2010 A Instrução n.º 27/2003 consagrou no ordenamento jurídico nacional os procedimentos mais relevantes da Recomendação da Comissão n.º 2001/193/CE, de 1 de Março de 2001,

Leia mais

Ficha de Informação Normalizada em Matéria de Crédito aos Consumidores, em Caso de Contratação à Distância - Geral. Informação pré-contratual

Ficha de Informação Normalizada em Matéria de Crédito aos Consumidores, em Caso de Contratação à Distância - Geral. Informação pré-contratual A. Elementos de Identificação 1. Identificação da instituição de crédito Ficha de Informação Normalizada em Matéria de Crédito aos Consumidores, em Caso de Contratação à Distância - Geral Informação pré-contratual

Leia mais

Nota de Informação Preçários das instituições de crédito passam a ter novas regras

Nota de Informação Preçários das instituições de crédito passam a ter novas regras Nota de Informação Preçários das instituições de crédito passam a ter novas regras O Banco de Portugal acaba de publicar novas regras para os Preçários, que vêm reforçar e harmonizar a informação sobre

Leia mais

Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA

Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA Preçário COFIDIS SUCURSAL DE INSTITUIÇÃO DE CRÉDITO COM SEDE NA UNIÃO EUROPEIA Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor do Folheto das Comissões

Leia mais

Existe uma diferença entre o montante (S) e a aplicação (P) que é denominada de remuneração, rendimento ou juros ganhos.

Existe uma diferença entre o montante (S) e a aplicação (P) que é denominada de remuneração, rendimento ou juros ganhos. Módulo 3 JUROS SIMPLES 1. Conceitos Iniciais 1.1. Juros Juro é a remuneração ou aluguel por um capital aplicado ou emprestado, o valor é obtido pela diferença entre dois pagamentos, um em cada tempo, de

Leia mais

Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium. Séries Uniformes de Pagamento

Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium. Séries Uniformes de Pagamento Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Disciplina: Matemática Financeira I Prof.: Marcos José Ardenghi Séries Uniformes de Pagamento As séries uniformes de pagamentos, anuidades ou rendas são

Leia mais

Preçário. CrediAgora, Instituição Financeira de Crédito, S.A. Instituição Financeira de Crédito

Preçário. CrediAgora, Instituição Financeira de Crédito, S.A. Instituição Financeira de Crédito Preçário CrediAgora, Instituição Financeira de Crédito, S.A Instituição Financeira de Crédito Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário completo

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Identificação da instituição de crédito 1.1. Denominação 1.2. Endereço

Leia mais

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos à ordem

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos à ordem Designação Condições de Acesso Modalidade Meios de Movimentação Moeda Conta Super Jovem Clientes Particulares, com idade entre os 18 e os 30 anos (inclusive). Depósito à Ordem. Esta conta pode ser movimentada

Leia mais

1.1) Processos de Sobre-endividamento entre 2000 e 2014.3 1.2) Processos de Sobre-endividamento, durante os anos de 2012, 2013 e 2014...

1.1) Processos de Sobre-endividamento entre 2000 e 2014.3 1.2) Processos de Sobre-endividamento, durante os anos de 2012, 2013 e 2014... Índice 1. Processos de Sobre-endividamento 1.1) Processos de Sobre-endividamento entre 2000 e 2014.3 1.2) Processos de Sobre-endividamento, durante os anos de 2012, 2013 e 2014... 4 2. Causas de Sobre-endividamento

Leia mais

Preçário BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO. Entrada em vigor: 17-agosto-2015

Preçário BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO. Entrada em vigor: 17-agosto-2015 Preçário BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Entrada em vigor: 17-agosto-2015 O Preçário completo do NOVO BANCO DOS AÇORES, contém o Folheto de Comissões

Leia mais

Preçário BMW BANK GMBH, SUCURSAL PORTUGUESA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO

Preçário BMW BANK GMBH, SUCURSAL PORTUGUESA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Preçário BMW BANK GMBH, SUCURSAL PORTUGUESA BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO O Preçário completo da BMW Bank GMBH, Sucursal Portuguesa, contém o Folheto

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº./XII/3.ª REFORÇA A PROTEÇÃO DE DEVEDORES DE CRÉDITO À HABITAÇÃO EM SITUAÇÃO ECONÓMICA MUITO DIFÍCIL

PROJETO DE LEI Nº./XII/3.ª REFORÇA A PROTEÇÃO DE DEVEDORES DE CRÉDITO À HABITAÇÃO EM SITUAÇÃO ECONÓMICA MUITO DIFÍCIL Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI Nº./XII/3.ª REFORÇA A PROTEÇÃO DE DEVEDORES DE CRÉDITO À HABITAÇÃO EM SITUAÇÃO ECONÓMICA MUITO DIFÍCIL (1ª ALTERAÇÃO À LEI N.º 5/2012, DE 9 DE NOVEMBRO) Exposição de motivos

Leia mais

cartilha educação financeira

cartilha educação financeira cartilha educação financeira cartilha educação financeira A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FINANCEIRA A educação financeira é decisiva para o bem-estar presente e futuro das famílias, contudo, ela nem sempre

Leia mais

18. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (PARTICULARES) (ÍNDICE)

18. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (PARTICULARES) (ÍNDICE) 18.1. Crédito à habitação e contratos conexos Empréstimos a taxa variável Taxa Anual Efectiva (TAE) Crédito Habitação - Residentes (Aquisição, Construção, Obras e Transferências RG) Spread 3,60% a 5,95%

Leia mais

O sobreendividamento

O sobreendividamento Conferência Internacional Promover a Eficácia das Execuções 19 de Junho de 2010 O sobreendividamento O papel do Gabinete de Apoio ao Sobreendividado da DECO Natália Nunes GAS Gabinete de Apoio ao Sobreendividado

Leia mais

PREVENÇÃO E GESTÃO DO INCUMPRIMENTO DE CONTRATOS DE CRÉDITO CELEBRADOS COM CLIENTES BANCÁRIOS PARTICULARES

PREVENÇÃO E GESTÃO DO INCUMPRIMENTO DE CONTRATOS DE CRÉDITO CELEBRADOS COM CLIENTES BANCÁRIOS PARTICULARES PREVENÇÃO E GESTÃO DO INCUMPRIMENTO DE CONTRATOS DE CRÉDITO CELEBRADOS COM CLIENTES BANCÁRIOS PARTICULARES Lisboa, 2013 Disponível em www.clientebancario.bportugal.pt BANCO DE PORTUGAL Av. Almirante Reis,

Leia mais

FOLHETO DE TAXAS DE JURO

FOLHETO DE TAXAS DE JURO Entrada em vigor: 01-DEZ-2014 FOLHETO DE TAXAS DE JURO Clientes Particulares Outros s 17. CONTAS DE DEPÓSITO 19. CONTAS DE DEPÓSITO 17.1. Depósitos à ordem 19.1. Depósitos à ordem 17.2. Depósitos a prazo

Leia mais

REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES - CV

REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES - CV SUMÁRIO 1. DEFINIÇÕES... 2 2. FINALIDADE... 3 3. DESTINATÁRIOS... 3 4. DOCUMENTAÇÃO... 4 5. VALOR MÁXIMO... 4 6. PRAZOS... 4 7. ENCARGOS E ATUALIZAÇÃO MONETÁRIA... 5 8. GARANTIAS... 5 9. CONDIÇÕES GERAIS...

Leia mais

Simulação de Crédito Pessoal

Simulação de Crédito Pessoal Simulação de Crédito Pessoal Data de Impressão: 22-10-2013 14:13 Número de Simulação: 13901487 Resumo Multifinalidades Prestação Comissão de Processamento (mensal) (Acresce Imposto do Selo à Taxa em vigor)

Leia mais

4,567% 35, Arrendamento: 20 anos). Ver Nota (1) Crédito Habitação Regime Deficientes Civis - 0,739% 5,641%

4,567% 35, Arrendamento: 20 anos). Ver Nota (1) Crédito Habitação Regime Deficientes Civis - 0,739% 5,641% 18. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (CLIENTES PARTICULARES) FOLHETO DE TAXAS DE JURO Entrada em vigor: 7setembro2015 18.1. Crédito à Habitação e Contratos Conexos [18.1.20150923.08] Empréstimos em Taxa Variável Crédito

Leia mais

São condições para colaboradores de empresas aderentes e que merecem partilhar as conquistas da sua empresa.

São condições para colaboradores de empresas aderentes e que merecem partilhar as conquistas da sua empresa. São condições para colaboradores de empresas aderentes e que merecem partilhar as conquistas da sua empresa. Com a domiciliação de um ordenado superior a 350 /mês passa a ter acesso a um vasto conjunto

Leia mais