19 e 20 de maio de Sheraton WTC Hotel, São Paulo. 08/05 é o último dia de inscrição!

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "19 e 20 de maio de 2015 - Sheraton WTC Hotel, São Paulo. 08/05 é o último dia de inscrição! www.congressoanbimadefundos.com.br"

Transcrição

1 19 e 20 de maio de Sheraton WTC Hotel, São Paulo 08/05 é o último dia de inscrição!

2 Autorregulação e Supervisão na Distribuição de Produtos no Varejo Supervisão de Mercados 28/04/2015

3 3 AGENDA Apresentação Institucional e Modelo de Autorregulação da ANBIMA Regras gerais do Código de Distribuição de Produtos no Varejo Diretrizes para Publicidade e Divulgação dos Produtos de Investimento Supervisão em agências bancárias Diretrizes de Suitability Diretrizes para envio de informações à base de dados Atuação da Supervisão Perguntas e Respostas

4 COMPROMISSOS LEGITIMIDADE APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Organismos ASSOCIADOS Cada associado, um voto ASSEMBLEIA GERAL CONSELHO DE ÉTICA DIRETORIA CONSELHO FISCAL Comitês Subcomitês Comissões de Acompanhamento Conselho de Regulação REPRESENTAR INFORMAR EDUCAR AUTORREGULAR Associados Associados e Outras Entidades do Mercado 4

5 5 MODELO DE AUTORREGULAÇÃO DA ANBIMA Regras elaboradas pelo mercado, cumpridas pelo mercado, retornando em favor do próprio mercado ELABORAÇÃO DE REGRAS SUPERVISÃO DE MERCADOS CONSELHOS DE AUTORREGULAÇÃO ASSOCIADOS Organismos de Representação Diretoria Audiência Pública Assembleia Geral ÁREA TÉCNICA (Equipe Interna) + ASSOCIADOS (Comissão de Acompanhamento) ASSOCIADOS + OUTRAS ENTIDADES DO MERCADO (MAIORIA)

6 6 MODELO DE AUTORREGULAÇÃO DA ANBIMA Forma de atuação Objetivo: Orientar e supervisionar a adequação das instituições aos princípios e regras de Regulação e Melhores Práticas da ANBIMA Supervisão baseada em Risco (SBR) MATRIZ DE RISCO Anual: impacto x probabilidade Monitorar Periódica ( in loco ) Indireta Episódica Temática Denúncia Orientar e Investigar Cartas de Orientação PAI (Carta de Recomendação; Termo de Compromisso) Autuar Multa por descumprimento objetivo e/ou reincidente Processos RECURSOS AÇÕES EDUCATIVAS DA ASSOCIAÇÃO

7 7 SUPERVISÃO DE MERCADOS ANBIMA Estrutura da área Guilherme Benaderet Superintendência de Supervisão de Mercados Guilherme Benaderet Priscilla Sorrentino Gerência Carlos Shiratori Coordenação Soraia Barros Gerência Negociação de Instrumentos Financeiros Ofertas Públicas FIDC Fundos de Investimento Gestão de Patrimônio NMRF FIP / FIEE Serviços Qualificados Private Banking Certificação Fundo Imobiliário Varejo Periódica: 5 HC Distribuição de Fundos Indireta: 4 HC SUPERVISÃO PERIÓDICA INTEGRADA

8 Regras Gerais 8

9 9 Regras Gerais Vigente desde 01 de fevereiro de Definição da Atividade de Distribuição de Produtos de Investimento no Varejo : conjunto de atividades, desempenhadas por instituições financeiras ou a elas equiparadas e que atuem na distribuição de ativos financeiros para clientes, pessoa natural, atendidas pelos segmentos varejo ou de varejo alta renda, conforme definido pela própria instituição. Conjunto de atividades para Distribuição de Produtos no Varejo: Oferta de produtos de investimento a investidor, de forma individual ou coletiva, resultando ou não em aplicação; Fornecer informações sobre os produtos, visando esclarecer minimamente, os riscos relacionados ao investimento; Controle e manutenção dos registros dos clientes para aplicação das normas de combate a lavagem de dinheiro; Adequação dos investimentos ao perfil do investidor API (Suitability).

10 10 Regras Gerais Produtos e Operações sujeitos ao Código Cotas de Fundos de Investimento Ações Derivativos Debêntures Certificados de Depósitos Bancários (CDB) Cédula de Crédito Bancários (CCB) Títulos Públicos Operações Compromissadas Letras de Crédito Agrário (LCA) Letras de Crédito Imobiliários (LCI) Letras Financeiras Letras Hipotecárias (LH)

11 11 Regras Gerais Exigências mínimas Estar habilitada nos termos da regulamentação vigente; Designar profissional por assegurar a aplicação das regras do código e das politicas internas pertinentes a atividade de distribuição; Possuir profissionais devidamente certificados, conforme disposto no código de certificação; Possuir politica de capacitação da equipe envolvida na distribuição de produtos de investimento; Possuir Código de Ética e disponibilizar aos colaboradores. Possuir politica de investimentos pessoais aplicada aos profissionais envolvidos na atividade de distribuição; Possuir política de segurança da informação; e Manual que contenha a metodologia de aplicação do suitability. Instituições Participantes do Código 33,75% 13,75% Total 80 Instituições 52,50% Banco CTVM DTVM

12 12 Regras Gerais CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO Sites Agências AAI Caso ocorra a distribuição de produtos de investimento por meio de sites na rede mundial de computadores, devem ser disponibilizadas as seguintes informações mínimas sobre os produtos distribuídos através deste canal: Público alvo Classificação de risco do produto Características do produto Informações sobre os canais de atendimento Link para o portal de educação da ANBIMA Como Investir e/ou portal de educação da própria instituição. O mesmo conteúdo de informações disponibilizado no site, deve estar a disposição dos interessados, nas agências e dependências das instituições, através de material impresso, ou passível de impressão, atualizado e com informações sobre os canais de atendimento. Prévia e criteriosa análise quando houver a contratação de terceiros. Para contratação de agentes autônomos na distribuição e mediação de valores mobiliários, a instituição deve incluir em contrato a obrigação ao agente autônomo de cumprir as tarefas em conformidade com o Código.

13 Diretrizes para Publicidade e Divulgação dos Produtos de Investimento 13

14 14 Diretrizes de Publicidade e Divulgação dos Produtos de Investimento Regras Gerais do Código A divulgação de publicidade pelas instituições devem obedecer: A legislação e regulamentação vigente a cada produto de investimento; As diretrizes especificas elaboradas pelo Conselho de regulação e Melhores Práticas; Quando houver, deverão ser observadas regras específicas de publicidade dispostas nos demais códigos de regulação da ANBIMA Todo o material publicitário dos produtos de investimento é de responsabilidade de quem o divulga. Caso a divulgação seja feita por um prestador de serviço, este deve obter, antes da divulgação, aprovação expressa da instituição.

15 15 Diretrizes de Publicidade e Divulgação dos Produtos de Investimento Diretrizes para Publicidade e Divulgação dos Produtos de Investimento Vigente desde 23 de junho de 2014, em complemento ao Capitulo V do Código. Princípios gerais: Publicidade Divulgação de Produtos por meio de mídia pública ou disponibilizado em: Agências; Locais públicos; Mala direta; Terminais de autoatendimento; ou Quaisquer outros veículos/sítios públicos (Audiovisual, impresso, radiofônico e digital). X Material Técnico Comunicação, por iniciativa de Instituição ou a pedido de investidor ou potencial investidor, tendo estes últimos como destinatários específicos, com a finalidade de auxiliar na tomada de decisão de investimento.

16 16 Diretrizes de Publicidade e Divulgação dos Produtos de Investimento Publicidade Não são consideradas Publicidade : I. Menção a investimentos, como um dos produtos da Instituição Participante, ou de empresas do mesmo grupo empresarial da Instituição, sem a descrição ou especificação de um produto; II. Materiais relacionados a dados cadastrais, destinados unicamente à comunicação de alterações de endereços, telefone pessoal, denominação ou outras informações de simples referência para o investidor; III.Materiais que se restrinjam às informações obrigatórias, exigidas por lei ou por norma expedida pelas autoridades reguladoras ou autorreguladoras, como, por exemplo, regulamentos, prospectos, lâminas, avisos ao mercado, comunicados ao mercado, anúncio de início e anúncio de encerramento de distribuição e questionários de análise do perfil do investidor; IV.Informações que atendam a solicitações específicas de determinado investidor. V. Materiais de cunho estritamente jornalístico, inclusive entrevistas, divulgadas em quaisquer meios de comunicação; VI.Saldos, extratos e demais materiais destinados à simples apresentação de posição financeira, movimentação e rentabilidade, desde que restrito a estas informações ou assemelhadas.

17 17 Diretrizes de Publicidade e Divulgação dos Produtos de Investimento Avisos aos clientes Toda Publicidade deve obedecer às seguintes regras na divulgação de avisos aos clientes, excetuando as veiculações em rádio ou Short Message Service (SMS). I. A utilização do seguinte aviso, caso a publicidade não possua selo ANBIMA proveniente das regras estabelecidas para o produto: ESTA INSTITUIÇÃO É ADERENTE AO CÓDIGO ANBIMA DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS PARA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO DE PRODUTOS DE INVESTIMENTO NO VAREJO ; II. Caso a Publicidade faça referência a histórico de rentabilidade, ou menção a sua performance, adicionar aviso com o seguinte teor, quando aplicável: A RENTABILIDADE DIVULGADA NÃO É LÍQUIDA DE IMPOSTOS ; III.Caso a Publicidade mencione produto ou produtos que não contem com a garantia do FGC, adicionar aviso com o seguinte teor: TRATA-SE DE UMA MODALIDADE DE INVESTIMENTO QUE NÃO CONTA COM A GARANTIA DO FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO FGC ; e IV.Caso a Publicidade divulgue simulação de rentabilidade deverá conter aviso no seguinte teor: AS INFORMAÇÕES PRESENTES NESTE MATERIAL SÃO BASEADAS EM SIMULAÇÕES E OS RESULTADOS REAIS PODERÃO SER SIGNIFICATIVAMENTE DIFERENTES.

18 Exemplo Fictício de Publicidade MEGA CDB XPTO O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é um título de renda fixa emitido pelo Banco XPTO, com taxa préfixada, e é ideal para investidores pessoas físicas ou jurídicas que buscam um investimentos seguro, pois o produto possui perfil de risco conservador, segundo metodologia da instituição, podendo ser comprado por qualquer tipo de investidor, seja o conservador, moderado ou agressivo. Venha investir no nosso Mega CDB! Rentabilidade RENTABILIDADE LÍQUIDA (12 MESES) 15,00% 10,00% 5,00% 0,00% 8,13% 7,19% 6,38% 11,50% Inflação (IPCA) Poupança Ibovespa CDB ANBIMA (360 dias) * A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos **As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes Tributação Alíquota Prazo de recebimento dos juros 22,5% Até 180 dias 20,0% De 181 a 360 dias 17,5% De 361 a 720 dias 15,0% Acima de 721 dias Garantia Além da solidez do Banco XPTO, os investimentos em CDB possuem a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) até o limite de R$ 250 mil por CPF e por instituição. ESTA INSTITUIÇÃO É ADERENTE AO CÓDIGO ANBIMA DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS PARA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO DE PRODUTOS DE INVESTIMENTO NO VAREJO São Paulo Av. das Nações Unidas, 000 Pinheiros São Paulo - SP 18

19 19 Exemplo Fictício de Material Técnico CDB O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é um título de renda fixa emitido pelo Banco XPTO, com taxa pré fixada. Público-alvo: destinado a investidores pessoas físicas ou jurídicas Aplicação mínima: R$ 5.000,00 Aplicação adicional: R$ 1.000,00 Prazo da operação: A partir de 30 dias Tributação: Saldo mínimo: R$ 500,00 Resgate: o investimento só terá a rentabilidade contratada se permanecer aplicado até a data do vencimento. Alíquota Prazo de recebimento dos juros 22,5% Até 180 dias 20,0% De 181 a 360 dias 17,5% De 361 a 720 dias 15,0% Acima de 721 dias São Paulo Av. das Nações Unidas, 000 Pinheiros São Paulo - SP

20 Supervisão em Agências Bancárias 20

21 21 Supervisão em Agências Itens Supervisionados Neste primeiro momento, os seguintes itens foram supervisionados para cada Código: Varejo Material impresso ou passível de impressão atualizado, de acordo com as regras estabelecidas no Código; Publicidade de acordo impresso atualizado, de acordo com as regras estabelecidas no Código e suas Diretrizes; Informações sobre os canais de atendimento. Fundos Material impresso, ou passível de impressão atualizado, de acordo com as regras estabelecidas no Código e suas Diretrizes; Acesso dos gerentes ao ambiente da seção exclusiva da Instituição, seja na rede mundial de computadores ou rede interna; Tabela de Fundos de Investimento, de acordo com as regras estabelecidas no Código e suas Diretrizes.

22 22 Supervisão em Agências L21 A Leadership 21 South America Quem é A Leadership 21 South America focaliza seu campo de atuação em Pesquisa de Mercado, Pesquisa de Satisfação do Consumidor, Pesquisa de Fidelidade à Marca, Pesquisa de Satisfação e Motivação de Funcionários, 360º Feedback entre outros. Projeto Piloto Projeto piloto elaborado pela ANBIMA e L21 e aprovado nos organismos da ANBIMA Foram selecionadas 10 agências de 7 Instituições Participantes para participarem do piloto Resultados foram reportados aos organismos internos da ANBIMA e a sua continuidade aprovada

23 23 Supervisão em Agências Supervisão em 2015 Seleção das agências A área de Supervisão de Mercados selecionou o total de 29 instituições aderentes aos códigos, sendo todas estas aderentes ao Código de Varejo e 22 aderentes ao capítulo de Distribuição de Fundos. Questionário de Aplicação A área de Supervisão de Mercados elaborou um questionário a ser aplicado pelos auditores da L21 na supervisão nas agências bancárias, que contempla as regras previstas nos Códigos de Varejo e de Fundos de Investimento.

24 24 Supervisão em Agências Supervisão em 2015 Comunicado de Supervisão A área de Supervisão de Mercados publicará no site da ANBIMA o Comunicado de Supervisão informando as Instituições Participantes acerca do início dos trabalhos nas agências bancárias. Neste comunicado, constará as informações da abrangência, da atuação da consultoria L21 e os contatos da ANBIMA para os casos de dúvidas. Além da publicação no site da ANBIMA, a área de Supervisão de Mercados encaminhará o Comunicado em arquivo para os contatos cadastrados para os códigos das Instituições Participantes.

25 25 Supervisão em Agências Próximos Passos 1 Fase 2 Fase 3 Fase 4 Fase 5 Fase Aplicar o questionário nas agências selecionadas Receber o resultado e formatá-lo em relatório; e Encaminhar o relatório para as instituições. Definição do plano de ação pelas instituições; e Reportar as estatísticas para os organismos da ANBIMA. Aplicar o novo ciclo de questionários nas agências selecionadas. Receber o resultado e formatá-lo em relatório; Encaminhar o relatório para as Instituições; e Reportar as estatísticas para os organismos da ANBIMA

26 Diretrizes de Suitability 26

27 27 Suitability Regras Gerais do Código As Instituições Participantes deverão adotar procedimentos formais, estabelecidos de acordo com critérios próprios e controles, que possibilitem verificar a adequação dos investimentos ao perfil do investidor, sendo que a aplicação do processo de API é responsabilidade não delegável e integral destas.

28 28 Suitability Diretrizes de Suitability A fim de adaptar as regras de suitability de acordo com a ICVM 539, deverão entrar em vigor, a partir de 1 de julho de 2015, as novas regras de API. As principais mudanças foram: Diretrizes do Código de Varejo (Antes da ICVM 539) ICVM 539 Diretrizes do Código de Varejo (Após a ICVM 539) Definição do perfil do cliente Objetivo do investimento; Situação financeira; Conhecimento e experiência no mercado financeiro. Objetivo de Investimento: o período do investimento/ preferencias declaradas/ finalidade do Investimento. Situação Financeira: valor das receitas/ valor dos ativos e patrimônio/ necessidades de recursos declaradas. Conhecimento: produtos e operações familiares/ histórico de operações/ formação acadêmica. Idem a ICVM 539

29 29 Suitability Diretrizes de Suitability A fim de adaptar as regras de suitability de acordo com a ICVM 539, deverão entrar em vigor, a partir de 1 de julho de 2015, as novas regras de API. As principais mudanças foram: Diretrizes do Código de Varejo (antes da ICVM 539) ICVM 539 Diretrizes do Código de Varejo (após a ICVM 539) Manual de Suitability Manual com no mínimo a descrição da: I. Coleta de informações; II. Classificação do perfil do investidor; III. Classificação dos produtos; IV. Critérios para verificar adequação; V. Tratativa para a ausência de perfil; VI. Comunicações aos investidores do perfil e do desenquadramento VII. Procedimentos operacionais VIII. Tratamento para desenquadramento ; IX. Tratamento para alteração de perfil; X. Controles internos. Regras e procedimentos formalizados Exclusão dos seguintes itens: I. Critérios para verificar adequação; II. Tratativa para a ausência de perfil; III.Tratamento para desenquadramento.

30 30 Suitability Diretrizes de Suitability A fim de adaptar as regras de suitability de acordo com a ICVM 539, deverão entrar em vigor, a partir de 1 de julho de 2015, as novas regras de API. As principais mudanças foram: Classificação dos produtos Envio de relatório Público Diretrizes do Código de Varejo (antes da ICVM 539) Não possui ICVM 539 Classificação dos produtos deve considerar: os riscos associados ao produto e ativos subjacentes/ perfil dos emissores e prestadores de serviços/ existência de garantias/ os prazos e carência. Diretrizes do Código de Varejo (após a ICVM 539) Idem a ICVM 539 Anual Semestral Inalterado Pessoa física varejo e varejo alta renda Pessoa Física em geral e Pessoa Jurídica não qualificada. Inalterado

31 31 Suitability Diretrizes de Suitability A fim de adaptar as regras de suitability de acordo com a ICVM 539, deverão entrar em vigor, a partir de 1 de julho de 2015, as novas regras de API. As principais mudanças foram: Diretrizes do Código de Varejo (antes da ICVM 539) ICVM 539 Diretrizes do Código de Varejo (após a ICVM 539) Produtos Fundos (estruturados e 409), Títulos Públicos, Ações, Derivativos, CDBs, CCBs, Debêntures, LCI, LCA, LF, LH e Operações Compromissadas Valores Mobiliários Inalterado Importante destacar a necessidade da aplicação de um Programa de Treinamento para os funcionários referente ao processo de API e procedimentos adotados para verificar a adequação de perfil do investidor. Além disso, deve-se ressaltar que as instituições tem até o dia 31/03 de cada ano para o envio do laudo de suitability, sendo que as informações devem ser baseadas no último dia do ano anterior ao envio e devem respeitar, minimamente, os itens estabelecidos no Código de Varejo e Diretrizes de API.

32 Diretrizes para Envio de Informações à Base de Dados 32

33 33 Base de Dados Regras Gerais do Código A aderência ao Código implica a necessidade de envio das informações que compõem a Base de Dados, que consiste no conjunto de informações referentes à atividade de Distribuição de Produtos de Investimento no Varejo, armazenadas de forma estruturada na ANBIMA.

34 34 Base de Dados Diretrizes para Envio de Informações à Base de Dados Vigente desde 04 de setembro de 2013, estas diretrizes complementam o Capitulo VI do Código e sofreram atualizações em 17 de dezembro de Estabelece a obrigatoriedade do envio das informações para as Instituições com mais de 50 (cinquenta) agências bancárias ativas no país, tornando facultativo o envio para Instituições que possuam menos de 50 agências bem como as instituições não bancárias; Principais alterações Envio das informações sobre os saldos da poupança e o número de clientes. Prazo para adequação Prazo de 6 meses, contados a partir de 17/12/2014 para adequação ao envio das informações da Poupança, devendo serem encaminhadas a partir de Julho/2015 com base nas informações do mês anterior. Base histórica: Instituições deverão enviar à ANBIMA as informações referentes a Dezembro/2014 e Março/2015 concomitantemente ao envio dos dados referentes a Junho/2015.

35 35 Base de Dados Atuação da Supervisão A Área de Supervisão da ANBIMA supervisionará o disposto nestas Diretrizes e poderá: I. Enviar comunicação à Instituição Participante solicitando as modificações que entender necessárias nas informações enviadas à Base de Dados; II. Submeter os casos em que haja indícios de descumprimento das regras estabelecidas nestas Diretrizes à Comissão de Acompanhamento; III. Solicitar novas informações para compor a Base de Dados e alterar os procedimentos e processos de envio, buscando seu aperfeiçoamento; IV. Aplicar a multa definida nos artigos 13º e 33º do Código. Importante destacar que o envio das informações é mensal, sempre até o 15 dia útil, e é obrigatório para as Instituições Participantes que possuem mais de 50 agências bancárias ativas no país, sendo voluntário para as demais Instituições Participantes, e devem ser observadas as regras do Código de Varejo e Diretrizes de Base de Dados para o envio das informações. Outro ponto importante é que as Instituições devem formalizar um manual de procedimentos operacionais para apuração das informações que serão enviadas para a Base de Dados, de modo a permitir o cumprimento das regras dessas Diretrizes, haja visto que o material é passível de análise da área de Supervisão.

36 36 Base de Dados Estatísticas e Boletim Trimestralmente, a ANBIMA divulga as estatísticas da indústria de Varejo. A divulgação é feita nos meses de fevereiro, maio, agosto e novembro. Anualmente, a ANBIMA divulga um boletim sobre o segmento Varejo com as estatísticas do segmento e sua evolução. A publicação é efetuada no mês de fevereiro, sendo a data de publicação passível de alteração. O boletim está disponível no portal da ANBIMA em Informações Técnicas > Boletins > Varejo.

37 Atuação da Supervisão Indireta 37

38 38 Atuação da Supervisão Política de Segurança da Informação: monitoramento realizado com o intuito de verificar os itens mínimos obrigatórios nas políticas das instituições participantes. Na época, foram analisadas as políticas de 75% das Instituições Participantes, sendo que o principal item não identificado foi a segurança aplicada no canal de relacionamento eletrônico utilizado com o cliente. Para este item, 64% das políticas analisadas não abordavam sobre o assunto. Suitability: monitoramento realizado com o intuito de verificar os itens mínimos obrigatórios nas políticas das instituições. Importante destacar que o trabalho foi realizado antes da publicação da ICVM 539 e, na ocasião, foram identificadas divergências em processos como a definição do perfil do cliente e adequação do seu perfil, onde foram vistos casos como: Dispensa do API para clientes com investimentos em produtos de baixo risco; Autodeclaração do cliente em um dos perfis de risco disponíveis sem passar pelo API; Perfil definido com base nas últimas aplicações realizadas; Preenchimento do questionário efetuado pelo responsável da conta, sem anuência do cliente; Clientes sem perfil classificados de forma automática.

39 39 Atuação da Supervisão Canal de distribuição - sites: monitoramento realizado com o intuito de verificar se as instituições participantes possuíam em seu site uma seção contendo os itens mínimos conforme disposto no artigo 7 inciso I 1 do Código. Foi identificado que 41% das instituições participantes realizam a distribuição via site, sendo que 61% destas não estavam em conformidade com as informações mínimas que precisam ser disponibilizadas e foram estabelecidos planos de ação para a resolução dos casos em que foram identificados divergência. Publicidade em site: monitoramento realizado com o intuito de verificar os avisos mínimos obrigatórios nas publicidades realizadas via site pelas instituições. Foi identificado que 70% das instituições participantes realizam publicidade via site e 94% destas não continham estes avisos, sendo que os principais não identificados foram: I. A instituição é aderente ao Código de Varejo; II. O Investimento não contém a garantia do FGC. Publicidade em mídia impressa: periodicamente, são analisadas revistas e jornais a fim de verificar se as instituições participantes vem realizando publicidade e se as mesmas estão de acordo com as regras das Diretrizes de Publicidade. Até o presente momento, foram analisadas 281 mídias impressas mas não foram identificadas publicidades de Varejo.

40 40 Penalidades Os descumprimentos de prazos estabelecidos neste Código estão sujeitos à aplicação de multa no valor de R$ 150,00 por dia de atraso, limitada ao valor equivalente a 30 dias. As Instituições Participantes que descumprirem os princípios e normas estabelecidos no presente Código estão sujeitas à imposição das seguintes penalidades dentro do rito previsto no Código de Processos da ANBIMA: Advertências pública do Conselho de Regulação e Melhores Práticas, divulgada através dos meios de comunicação da ANBIMA; Multa no valor de até 100 vezes o valor da maior mensalidade recebida pela ANBIMA; Desligamento da ANBIMA, divulgado através dos meios de comunicação da ANBIMA.

41 41 Informativos Lâmina e Informativo de Autorregulação Bimestralmente, é divulgada uma lâmina de cartas de orientação e penalidades emitidas pela Supervisão durante o período. Semestralmente, é divulgado um informativo de autorregulação retratando as atividades da área e relatando as novidades em relação aos Códigos da ANBIMA durante o período. Os documentos estão disponíveis no portal da ANBIMA em Autorregulação > Supervisão > Informes de Autorregulação.

42 42 Regras Gerais Guia de Prazos Para auxiliar as instituições no cumprimento dos prazos para envio de informações a Associação, a área de Supervisão desenvolveu um guia de prazos como instrumento de apoio para as Instituições Participantes, listando os documentos que devem ser enviados rotineiramente à Associação e seus respectivos prazos. A versão eletrônica deste guia está disponível no portal da Anbima em Autorregulação > Informações Gerais > Guia de Prazos.

43 43 FIQUE DE OLHO Agenda de webinars de Supervisão 8º Congresso ANBIMA de Fundos de Investimento 19 e 20 de maio

44 Perguntas e Respostas 44

45 SOMOS A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS ENTIDADES DOS MERCADOS FINANCEIRO E DE CAPITAIS São Paulo Av. das Nações Unidas, º e 21º andares São Paulo SP Brasil Rio de Janeiro Av. República do Chile, º andar Rio de Janeiro RJ Brasil

Sistema de Supervisão de Mercados 17.06.2015

Sistema de Supervisão de Mercados 17.06.2015 Sistema de Supervisão de Mercados 7.06.205 AGENDA Modelo de Autorregulação da ANBIMA Descrição da ferramenta e seus principais módulos Módulo I Cadastro de Usuários Módulo II Solicitação de Informações

Leia mais

DIRETRIZES PARA PUBLICIDADE E DIVULGAÇÃO DE MATERIAL TÉCNICO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO VERSÃO: 26/08/2011

DIRETRIZES PARA PUBLICIDADE E DIVULGAÇÃO DE MATERIAL TÉCNICO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO VERSÃO: 26/08/2011 DIRETRIZES PARA PUBLICIDADE E DIVULGAÇÃO DE MATERIAL TÉCNICO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO VERSÃO: 26/08/2011 05425-070 SP Brasil 20031-170 RJ Brasil CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DOS FUNDOS DE

Leia mais

DIRETRIZES PARA PUBLICIDADE E DIVULGAÇÃO DE MATERIAL TÉCNICO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO VERSÃO: 26/08/2011

DIRETRIZES PARA PUBLICIDADE E DIVULGAÇÃO DE MATERIAL TÉCNICO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO VERSÃO: 26/08/2011 DIRETRIZES PARA PUBLICIDADE E DIVULGAÇÃO DE MATERIAL TÉCNICO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO VERSÃO: 26/08/2011 05425-070 SP Brasil 20031-170 RJ Brasil CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DOS FUNDOS DE

Leia mais

POLÍTICA DE SUITABILITY

POLÍTICA DE SUITABILITY POLÍTICA DE SUITABILITY VERIFICAÇÃO DA ADEQUAÇÃO DOS PRODUTOS, SERVIÇOS E OPERAÇÕES AO PERFIL DO INVESTIDOR Julho/2015 RELATÓRIO DE ACESSO PÚBLICO Este Manual/Relatório foi elaborado pela ATIVA com fins

Leia mais

Manual para Registro de Fundos de Investimento Imobiliários na ANBIMA

Manual para Registro de Fundos de Investimento Imobiliários na ANBIMA Manual para Registro de Fundos de Investimento Imobiliários na ANBIMA ANBIMA Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais 30/09/2015 INTRODUÇÃO O presente Manual de Registro

Leia mais

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DELIBERAÇÃO Nº 70

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DELIBERAÇÃO Nº 70 CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DELIBERAÇÃO Nº 70 O Conselho de Regulação e Melhores Práticas de Fundos de Investimento, no exercício das atribuições a ele conferidas

Leia mais

21º Congresso APIMEC: O Papel do Mercado de Capitais em um Mundo Sustentável. Autorregulação e a Atividade do Profissional de Investimento

21º Congresso APIMEC: O Papel do Mercado de Capitais em um Mundo Sustentável. Autorregulação e a Atividade do Profissional de Investimento 21º Congresso APIMEC: O Papel do Mercado de Capitais em um Mundo Sustentável Autorregulação e a Atividade do Profissional de Investimento Marcelo Giufrida - Presidente da ANBIMA Agosto/2010 REPRESENTA

Leia mais

Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI FIC DE FIM BTG PACTUAL HIGH YIELD CNPJ: 07.442.466/0001-96

Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI FIC DE FIM BTG PACTUAL HIGH YIELD CNPJ: 07.442.466/0001-96 Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI FIC DE FIM BTG PACTUAL HIGH YIELD Informações referentes a setembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre

Leia mais

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DELIBERAÇÃO Nº 66

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DELIBERAÇÃO Nº 66 CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DELIBERAÇÃO Nº 66 O Conselho de Regulação e Melhores Práticas de Fundos de Investimento, no exercício das atribuições a ele conferidas

Leia mais

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DELIBERAÇÃO Nº 04

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DELIBERAÇÃO Nº 04 CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DELIBERAÇÃO Nº 04 O Conselho de Regulação e Melhores Práticas, no exercício das atribuições a ele conferidas pelo Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas

Leia mais

FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES E FUNDOS MULTIMERCADO

FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES E FUNDOS MULTIMERCADO I Curso de Férias do Grupo de Estudos de Direito Empresarial - Direito UFMG EM AÇÕES E FUNDOS MULTIMERCADO Fernanda Valle Versiani Mestranda em Direito Empresarial pela Universidade Federal de Minas Gerais,

Leia mais

PERGUNTAS & RESPOSTAS Diretrizes para Publicidade e Divulgação de Material Técnico de Fundos de Investimento. 1. OBJETO (Cap. I)

PERGUNTAS & RESPOSTAS Diretrizes para Publicidade e Divulgação de Material Técnico de Fundos de Investimento. 1. OBJETO (Cap. I) PERGUNTAS & RESPOSTAS Diretrizes para Publicidade e Divulgação de Material Técnico de Fundos de Investimento. 1. OBJETO (Cap. I) 1.1) Os Materiais de Divulgação devem ser elaborados somente com base nas

Leia mais

PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10

PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10 PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10 Controle: D.04.10.04 Data da Elaboração: 10/11/2009 Data da Revisão: 30/09/2013 Elaborado por: Certificação ANBIMA Aprovado por:

Leia mais

Restrições de Investimento:.

Restrições de Investimento:. Página 1 de 7 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FIC DE FIS EM AÇÕES BRB AÇÕES 500 31.937.303/0001-69 Informações referentes a 11/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre

Leia mais

Fundos de Investimento

Fundos de Investimento Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I PROPÓSITO E ABRANGÊNCIA Art. 1º - O objetivo deste Código de Regulação e Melhores Práticas ( Código ) é estabelecer

Leia mais

PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10

PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10 PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10 Controle: D.04.10.05 Data da Elaboração: 10/11/2009 Data da Revisão: 14/05/2015 Elaborado por: Certificação ANBIMA Aprovado por:

Leia mais

Restrições de Investimento:.

Restrições de Investimento:. Página 1 de 7 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRB FI EM RENDA FIXA IMA B 10.824.344/0001-79 Informações referentes a 11/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o BRB

Leia mais

Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo. Sumitomo Mitsui Platinum Plus FIC de FI Ref. DI Crédito Privado Longo Prazo CNPJ: 00.827.

Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo. Sumitomo Mitsui Platinum Plus FIC de FI Ref. DI Crédito Privado Longo Prazo CNPJ: 00.827. Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo Informações referentes a setembro de 2015. Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SUMITOMO MITSUI PLATINUM PLUS FIC DE FI REF DI

Leia mais

Supervisão de Mercados Penalidades e Termos de Compromisso

Supervisão de Mercados Penalidades e Termos de Compromisso Supervisão de Mercados Penalidades e Termos de Compromisso FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTAS POR DESCUMPRIMENTO OBJETIVO DISPOSITIVOS DO CÓDIGO Registro de Fundos Atraso no Registro de Documentação de Fundo

Leia mais

Manual para Registro de FIDC [30/06/2014]

Manual para Registro de FIDC [30/06/2014] Manual para Registro de FIDC [30/06/2014] ABRANGÊNCIA O presente manual visa detalhar os procedimentos descritos no Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas de Fundos de Investimento ( Código ) para

Leia mais

Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2

Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2 Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2 OBJETIVOS DA ATUALIZAÇÃO DA CPA-10 A Atualização dos profissionais certificados CPA-10 é parte do Código de Regulação

Leia mais

Política de Suitability

Política de Suitability Política de Suitability Outubro 2015 1. OBJETIVO O objetivo da Política de Suitability ( Política ) é estabelecer procedimentos formais que possibilitem verificar a adequação do investimento realizado

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº. 476, OFERTAS PÚBLICAS DE VALORES MOBILIÁRIOS DISTRIBUÍDAS COM ESFORÇOS RESTRITOS 16 de Janeiro de 2009

INSTRUÇÃO CVM Nº. 476, OFERTAS PÚBLICAS DE VALORES MOBILIÁRIOS DISTRIBUÍDAS COM ESFORÇOS RESTRITOS 16 de Janeiro de 2009 INSTRUÇÃO CVM Nº. 476, OFERTAS PÚBLICAS DE VALORES MOBILIÁRIOS DISTRIBUÍDAS COM ESFORÇOS RESTRITOS 16 de Janeiro de 2009 Apresentamos a seguir um resumo dos principais pontos da Instrução da Comissão de

Leia mais

Consulta Pública de Lâmina de Fundo

Consulta Pública de Lâmina de Fundo Page 1 of 7 Consulta Pública de Lâmina de Fundo Atenção: Estas informações tem por base os documentos enviados à CVM pelas Instituições Administradoras dos Fundos de Investimento e são de exclusiva responsabilidade

Leia mais

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES DO META VALOR FUNDO DE INVESTIMENTO DE AÇÕES CNPJ nº 07.899.238/0001-40 ( FUNDO )

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES DO META VALOR FUNDO DE INVESTIMENTO DE AÇÕES CNPJ nº 07.899.238/0001-40 ( FUNDO ) Classificação ANBIMA: Ações Indexados Serão classificados como Ações os Fundos que possuírem, no mínimo, 67% (sessenta e sete por cento) da carteira em ações à vista, bônus ou recibos de subscrição, certificados

Leia mais

Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de Investimento

Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de Investimento Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de Investimento TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I PROPÓSITO E ABRANGÊNCIA Art. 1º - O objetivo deste Código de Regulação e Melhores Práticas

Leia mais

Modelo de Autorregulação, Supervisão e Enforcement Educação de Investidores

Modelo de Autorregulação, Supervisão e Enforcement Educação de Investidores Modelo de Autorregulação, Supervisão e Enforcement Educação de Investidores Tendências internacionais na proteção do investidor Participação no Estudo da IIMV - Proteção do Investidor na Região Ibero-americana

Leia mais

PERIODICIDADE MÍNIMA PARA DIVULGAÇÃO DA COMPOSIÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO Mensal, até o dia 10 do mês subsequente ao de referência.

PERIODICIDADE MÍNIMA PARA DIVULGAÇÃO DA COMPOSIÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO Mensal, até o dia 10 do mês subsequente ao de referência. NORTHVIEW FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO 11.806.097/0001-40 Mês de Referência: Março de 2016 Formulário de Informações Complementares O formulário

Leia mais

Workshop Supervisão de Mercados ANBIMA 16.10.2014

Workshop Supervisão de Mercados ANBIMA 16.10.2014 Workshop Supervisão de Mercados ANBIMA 16.10.2014 AGENDA 1. Código de Negociação de Instrumentos Financeiros i. Escopo e Abrangência; ii. Histórico; iii. Regras Gerais; iv. Regras de Negociação entre Instituições

Leia mais

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES DO CLARITAS INSTITUCIONAL FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ nº 10.705.335/0001-69 ( FUNDO )

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES DO CLARITAS INSTITUCIONAL FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ nº 10.705.335/0001-69 ( FUNDO ) Classificação ANBIMA: Multimercados Macro Nivel 1: Multimercados - Fundos que possuam políticas de investimento que envolvam vários fatores de risco, sem o compromisso de concentração em nenhum fator em

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Setembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES AUXILIAR I CNPJ nº 54.070.966/0001-24. Mês de Referência: Março de 2016

FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES AUXILIAR I CNPJ nº 54.070.966/0001-24. Mês de Referência: Março de 2016 FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES AUXILIAR I CNPJ nº 54.070.966/0001-24 Mês de Referência: Março de 2016 Formulário de Informações Complementares O formulário contém um resumo das informações complementares

Leia mais

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES DO CLARITAS VALOR FEEDER FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ nº 11.403.850/0001-57 ( FUNDO )

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES DO CLARITAS VALOR FEEDER FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ nº 11.403.850/0001-57 ( FUNDO ) I Relação de prestadores de serviços do FUNDO: Os prestadores dos serviços de administração, gestão de carteira e custódia encontram-se qualificados no Regulamento. É(São), ainda, prestador(es) de serviço(s)

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O QUELUZ TRADER FIM 09.052.643/0001-53. Informações referentes a Agosto de 2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O QUELUZ TRADER FIM 09.052.643/0001-53. Informações referentes a Agosto de 2015 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O QUELUZ TRADER FIM 09.052.643/0001-53 Informações referentes a Agosto de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o QUELUZ TRADER FUNDO

Leia mais

RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 PROSPECTO AVISOS IMPORTANTES I. A CONCESSÃO DE REGISTRO PARA A VENDA DAS COTAS DESTE FUNDO NÃO IMPLICA, POR PARTE DA

Leia mais

Consulta Pública de Lâmina de Fundo

Consulta Pública de Lâmina de Fundo Page 1 of 8 Consulta Pública de Lâmina de Fundo Atenção: Estas informações tem por base os documentos enviados à CVM pelas Instituições Administradoras dos Fundos de Investimento e são de exclusiva responsabilidade

Leia mais

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros;

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros; CREDIT SUISSE HEDGINGGRIFFO 1. Públicoalvo LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG EQUITY HEDGE LEVANTE FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

MANUAL DE MARCAÇÃO A MERCADO DA CRUZEIRO DO SUL S.A. DTVM

MANUAL DE MARCAÇÃO A MERCADO DA CRUZEIRO DO SUL S.A. DTVM MANUAL DE MARCAÇÃO A MERCADO DA CRUZEIRO DO SUL S.A. DTVM FEVEREIRO/2012 V6 Propriedade da Cruzeiro do Sul S.A. DTVM. Proibida a reprodução total ou parcial deste manual sem a devida autorização prévia.

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O K1 FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTOS MULTIMERCADO

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O K1 FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTOS MULTIMERCADO LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O K1 FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTOS MULTIMERCADO Informações referentes a Outubro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações

Leia mais

Fundo multimercado que tem como objetivo buscar rentabilidade acima do Certificado de Depósito Interbancário - CDI.

Fundo multimercado que tem como objetivo buscar rentabilidade acima do Certificado de Depósito Interbancário - CDI. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS 1. Público-alvo dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG VERDE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO.

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO TITAN TI 14.115.121/0001-93 Mês de Referência: Junho de 2016

FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO TITAN TI 14.115.121/0001-93 Mês de Referência: Junho de 2016 FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO TITAN TI 14.115.121/0001-93 Mês de Referência: Junho de 2016 Formulário de Informações Complementares O formulário

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleia BBM INVESTIMENTOS

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleia BBM INVESTIMENTOS Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleia BBM INVESTIMENTOS 01. OBJETIVO:... 2 02. CONCEITUAÇÃO / DEFINIÇÃO:... 2 03. ABRANGÊNCIA:... 2 04. RESPONSABILIDADES:... 3 04.01. Responsáveis pela

Leia mais

Política de Atuação de Agentes Autônomos de Investimento da Solidus S.A. CCVM

Política de Atuação de Agentes Autônomos de Investimento da Solidus S.A. CCVM Política de Atuação de Agentes Autônomos de Investimento da Solidus S.A. CCVM Revisado e aprovado na Reunião do Comitê Gestor de Riscos em 12/09/2013 1. OBJETIVOS O objetivo desta Política é estabelecer

Leia mais

Lâmina Bimestral: Cartas de Orientação, Penalidades e Termos de Compromisso

Lâmina Bimestral: Cartas de Orientação, Penalidades e Termos de Compromisso Lâmina Bimestral: Cartas de Orientação, Penalidades e Termos de Compromisso Relatório 4º bimestre de 2014 Página 1 de 15 APRESENTAÇÃO A ANBIMA possui um modelo de autorregulação voluntária, privada e independente

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VITÓRIA RÉGIA FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ: 05.384.841/0001-63. Informações referentes à MAIO de 2014

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VITÓRIA RÉGIA FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ: 05.384.841/0001-63. Informações referentes à MAIO de 2014 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O Informações referentes à MAIO de 2014 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o VITÓRIA RÉGIA FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES. As informações

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER ESTRUTURADO BOLSA EUROPEIA 3 MULTIMERCADO 11.714.787/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER ESTRUTURADO BOLSA EUROPEIA 3 MULTIMERCADO 11.714.787/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER ESTRUTURADO BOLSA EUROPEIA 3 MULTIMERCADO 11.714.787/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ZENITH FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ: 04.787.

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ZENITH FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ: 04.787. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ZENITH FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES Informações referentes à Julho de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GRADIUS HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ: Nº 10.446.951/0001-42

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GRADIUS HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ: Nº 10.446.951/0001-42 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GRADIUS HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ: Nº Informações referentes à Abril de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o

Leia mais

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES BANRISUL MERCADO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LONGO PRAZO CNPJ/MF 15.283.719/0001-54

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES BANRISUL MERCADO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LONGO PRAZO CNPJ/MF 15.283.719/0001-54 FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES BANRISUL MERCADO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LONGO PRAZO CNPJ/MF 15.283.719/0001-54 ESTE FORMULÁRIO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO ATENDIMENTO

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC DI SOLIDARIEDADE 04.520.220/0001-05 Informações referentes a Abril de 2013

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC DI SOLIDARIEDADE 04.520.220/0001-05 Informações referentes a Abril de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FICFI REFERENCIADO DI LONGO PRAZO. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES DO GAP AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO DE AÇÕES CNPJ nº 08.912.569/0001-35 ( FUNDO )

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES DO GAP AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO DE AÇÕES CNPJ nº 08.912.569/0001-35 ( FUNDO ) Classificação ANBIMA: Ações Índice Ativo Nivel 1: Ações - Fundos que possuem, no mínimo, 67% (sessenta e sete por cento) da carteira em ações à vista, bônus ou recibos de subscrição, certificados de depósito

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VIDA FELIZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 07.660.310/0001-81 OUTUBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VIDA FELIZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 07.660.310/0001-81 OUTUBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Vida Feliz Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

NORMAS DE DILIGÊNCIA TÉCNICA DE VERIFICAÇÃO:

NORMAS DE DILIGÊNCIA TÉCNICA DE VERIFICAÇÃO: NORMAS DE DILIGÊNCIA TÉCNICA DE VERIFICAÇÃO: NORMAS DE DILIGÊNCIA TÉCNICA DE VERIFICAÇÃO: Considerando: - A Lei nº 12.232/10 estabelece no seu art. 4º que, para participar de licitações públicas, as agências

Leia mais

Simulado CPA 10 Completo

Simulado CPA 10 Completo Simulado CPA 10 Completo Question 1. O SELIC é um sistema informatizado que cuida da liquidação e custódia de: ( ) Certificado de Depósito Bancário ( ) Contratos de derivativos ( ) Ações negociadas em

Leia mais

BANRISUL ABSOLUTO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº 21.743.480/0001-50 PROSPECTO

BANRISUL ABSOLUTO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº 21.743.480/0001-50 PROSPECTO BANRISUL ABSOLUTO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº 21.743.480/0001-50 PROSPECTO AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESSE PROSPECTO ESTÃO EM CONSONÂNCIA COM O REGULAMENTO DO FUNDO, PORÉM NÃO O SUBSTITUI.

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FI MM SMART NOVA GERACAO 13.896.109/0001-09 Informações referentes a Março de 2013

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FI MM SMART NOVA GERACAO 13.896.109/0001-09 Informações referentes a Março de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO SMART. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Spinelli Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O APOENA MACRO DOLAR FICFIM 18.391.163/0001-08. Informações referentes a Setembro de 2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O APOENA MACRO DOLAR FICFIM 18.391.163/0001-08. Informações referentes a Setembro de 2015 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O APOENA MACRO DOLAR FICFIM 18.391.163/0001-08 Informações referentes a Setembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o APOENA MACRO

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FI VALOR AÇÕES 15.323.164/0001-27 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FI VALOR AÇÕES 15.323.164/0001-27 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FI VALOR AÇÕES 15.323.164/0001-27 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER FUNDO

Leia mais

Metodologia para envio de Estatísticas de Private

Metodologia para envio de Estatísticas de Private Metodologia para envio de Estatísticas de Private Metodologia Definição A atividade de Private Banking exerce um importante papel na distribuição de valores mobiliários, especialmente fundos de investimento,

Leia mais

CRITÉRIOS MÍNIMOS PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA DE INVESTIMENTO

CRITÉRIOS MÍNIMOS PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA DE INVESTIMENTO CRITÉRIOS MÍNIMOS PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA DE INVESTIMENTO JUNHO/2008 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 2 1. Debêntures... 3 2. Cédulas de Crédito Bancário (CCBs)... 3 3. Fundos de Direitos Creditórios (FIDCs)...

Leia mais

Imposto de Renda 2013 MANUAL DE INFORMAÇÕES

Imposto de Renda 2013 MANUAL DE INFORMAÇÕES Imposto de Renda 2013 MANUAL DE INFORMAÇÕES Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física 2013: consulte as informações em seu Informe de Rendimentos Fator (IRF), Ano Calendário de 2012. Elaboramos este

Leia mais

a) Prova da inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica; b) Certidão negativa de débitos junto à Seguridade social; 1

a) Prova da inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica; b) Certidão negativa de débitos junto à Seguridade social; 1 Regulamento para Cadastramento de Instituições Financeiras e similares, sociedade corretoras e Distribuidoras, Gestoras e Administradoras de Títulos e Valores Mobiliários junto à ORGANIZAÇÃO MUNICIPAL

Leia mais

Perguntas realizadas na apresentação do Fundo Garantidor de Crédito

Perguntas realizadas na apresentação do Fundo Garantidor de Crédito Perguntas realizadas na apresentação do Fundo Garantidor de Crédito - O que significa DPEG? - O que é DPGE 1 e 2? Quais suas finalidades? Qual a diferença para o FGC? DPGEs são títulos de renda fixa representativos

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC FI MM LONGO PRAZO HEDGE X 11.089.560/0001-80 Informações referentes a Fevereiro de 2013

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC FI MM LONGO PRAZO HEDGE X 11.089.560/0001-80 Informações referentes a Fevereiro de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 3.0 - Julho/2014)

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 3.0 - Julho/2014) Política de Exercício de Direito de Voto (Versão 3.0 - Julho/2014) 1. Objeto e Aplicação 1.1. Esta Política de Exercício de Direito de Voto ( Política de Voto ), em conformidade com as disposições do Código

Leia mais

NOVOS TIPOS DE INVESTIDORES E A REGULAÇÃO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO

NOVOS TIPOS DE INVESTIDORES E A REGULAÇÃO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO NOVOS TIPOS DE INVESTIDORES E A REGULAÇÃO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO Daniel Sposito Pastore Membro do Comitê de Assuntos Jurídicos da ANBIMA. I Estrutura Normativa CVM Contexto Regulatório Brasileiro Atual

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC CAMBIAL DOLAR 02.294.024/0001-26 Informações referentes a Abril de 2013

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC CAMBIAL DOLAR 02.294.024/0001-26 Informações referentes a Abril de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FUNDO DE INVESTIMENTO CAMBIAL LONGO PRAZO. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento

Leia mais

Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para a Atividade de Gestão de Patrimônio Financeiro no Mercado Doméstico CAPÍTULO I DEFINIÇÕES

Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para a Atividade de Gestão de Patrimônio Financeiro no Mercado Doméstico CAPÍTULO I DEFINIÇÕES Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para a Atividade de Gestão de Patrimônio Financeiro no Mercado Doméstico CAPÍTULO I DEFINIÇÕES Art. 1º - Para os fins deste Código de Regulação e Melhores

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS IMA-B5 FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LONGO PRAZO CNPJ/MF:

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS IMA-B5 FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LONGO PRAZO CNPJ/MF: LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS IMA-B5 FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LONGO PRAZO CNPJ/MF: Informações referentes a Dezembro de 2014 Esta lâmina

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CTM ESTRATÉGIA FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ: 18.558.694/0001-42

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CTM ESTRATÉGIA FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ: 18.558.694/0001-42 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O Informações referentes à setembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CTM Estratégia FIA. As informações completas sobre esse

Leia mais

POLÍTICA DE RELACIONAMENTO COM CORRESPONDENTES NO PAÍS

POLÍTICA DE RELACIONAMENTO COM CORRESPONDENTES NO PAÍS POLÍTICA DE RELACIONAMENTO COM CORRESPONDENTES NO PAÍS Belo Horizonte, Novembro de 2013. Diretoria de Crédito Consignado Diretoria Executiva Comercial Diretoria Executiva Administrativa e de Atendimento

Leia mais

PROSPECTO DO ITAÚ EP CURTO PRAZO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO 17/09/2010

PROSPECTO DO ITAÚ EP CURTO PRAZO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO 17/09/2010 ESTE PROSPECTO OBSERVA O CÓDIGO Anbima de Regulação e Melhores Práticas Para os Fundos de Investimento (ANBIMA) E AS NORMAS DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS (CVM). O REGISTRO DE VENDA DE COTAS DESSE

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER SOBERANO CURTO PRAZO 04.871.634/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER SOBERANO CURTO PRAZO 04.871.634/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER SOBERANO CURTO PRAZO 04.871.634/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DE AUTORREGULAÇÃO DA ANBIMA

A EXPERIÊNCIA DE AUTORREGULAÇÃO DA ANBIMA A EXPERIÊNCIA DE AUTORREGULAÇÃO DA ANBIMA O que é? A ANBIMA A ANBIMA Associação Brasileiras das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais é uma associação civil, sem finalidade econômica, resultado

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC FI MM LP EQUITY HEDGE 09.241.809/0001-80 Informações referentes a Fevereiro de 2013

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC FI MM LP EQUITY HEDGE 09.241.809/0001-80 Informações referentes a Fevereiro de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO LONGO PRAZO EQUITY H. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e

Leia mais

NORMATIVO SARB 009/2013, de 27 de junho de 2013. DISPOSIÇÕES GERAIS 1. DO OBJETIVO

NORMATIVO SARB 009/2013, de 27 de junho de 2013. DISPOSIÇÕES GERAIS 1. DO OBJETIVO O Conselho de Autorregulação Bancária, com base no art. 1 (b), do Código de Autorregulação Bancária, sanciona as regras abaixo dispostas, formalizando preceitos comuns a todas as signatárias da autorregulação

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA BACOR CCVM. Página: 1 Título: Exercício de Direito de Voto em Assembleia

POLÍTICA CORPORATIVA BACOR CCVM. Página: 1 Título: Exercício de Direito de Voto em Assembleia Sumário: 01. OBJETIVO:... 2 02. CONCEITUAÇÃO / DEFINIÇÃO:... 2 03. ABRANGÊNCIA:... 2 04. RESPONSABILIDADES:... 2 04.01. Responsáveis pela execução das atribuições desta política:... 2 04.02. Responsáveis

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS RF FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS RF FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ/MF: Informações referentes a Julho de 2014 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o BNP PARIBAS RF FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA.

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS MASTER CRÉDITO FI RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO LONGO PRAZO

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS MASTER CRÉDITO FI RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO LONGO PRAZO LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ/MF: Informações referentes a Setembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o BNP PARIBAS MASTER CRÉDITO FI RENDA FIXA CRÉDITO

Leia mais

MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO

MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO VERSÃO: 31/3/2011 2/12 MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO ÍNDICE CAPÍTULO PRIMEIRO DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO SEGUNDO DAS DEFINIÇÕES 3 CAPÍTULO

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC MULT LP MASTER TRADING 13.902.141/0001-41 Informações referentes a Abril de 2013

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC MULT LP MASTER TRADING 13.902.141/0001-41 Informações referentes a Abril de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FICFI MULTIMERCADO LONGO PRAZO. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

PSS - Seguridade Social

PSS - Seguridade Social POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2012 PLANO C 1. Objetivos Esta versão da Política de Investimentos, que estará em vigor durante o ano de 2012, tem como objetivo definir as diretrizes dos investimentos do

Leia mais

Este texto não substitui o publicado no DOU e no Sisbacen.

Este texto não substitui o publicado no DOU e no Sisbacen. 1 RESOLUÇÃO Nº 530 O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do art. 9º da Lei nº 4.595, de 31.12.64, torna público que o CONSELHO MONETÁRIO NACIONAL, em sessão realizada nesta data, tendo em vista o disposto

Leia mais

Aos Fundos exclusivos ou restritos, que prevejam em seu regulamento cláusula que não obriga a adoção, pela TRIAR, de Política de Voto;

Aos Fundos exclusivos ou restritos, que prevejam em seu regulamento cláusula que não obriga a adoção, pela TRIAR, de Política de Voto; Política de Exercício de Direito de Voto em assembleias gerais de fundos de investimento e companhias emissoras de valores mobiliários que integrem as carteiras dos fundos de investimento geridos pela

Leia mais

Curso Preparatório CPA20

Curso Preparatório CPA20 Página 1 de 8 Você acessou como Flávio Pereira Lemos - (Sair) Curso Preparatório CPA20 Início Ambiente ) CPA20_130111_1_1 ) Questionários ) Passo 2: Simulado Módulo IV ) Revisão da tentativa 3 Iniciado

Leia mais

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO DE INVESTIMENTO CAIXA BRASIL IDkA IPCA 2A TÍTULOS PÚBLICOS RENDA FIXA LONGO PRAZO

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO DE INVESTIMENTO CAIXA BRASIL IDkA IPCA 2A TÍTULOS PÚBLICOS RENDA FIXA LONGO PRAZO FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO DE INVESTIMENTO CAIXA BRASIL IDkA IPCA 2A TÍTULOS PÚBLICOS RENDA FIXA LONGO PRAZO Data de Competência: 07/06/2016 1. CNPJ 14.386.926/0001-71 2. PERIODICIDADE

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS MASTER IMA-B5 FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LONGO PRAZO

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS MASTER IMA-B5 FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LONGO PRAZO LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ/MF: Informações referentes a Dezembro de 2014 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o BNP PARIBAS MASTER IMA-B5 FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 4.0 - Março/2015)

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 4.0 - Março/2015) Política de Exercício de Direito de Voto (Versão 4.0 - Março/2015) 1. Objeto e Aplicação 1.1. Esta Política de Exercício de Direito de Voto ( Política de Voto ), em conformidade com as disposições do Código

Leia mais

1. PÚBLICO-ALVO: O fundo é destinado a investidores em geral que pretendam buscar investimentos com rentabilidade superior ao CDI.

1. PÚBLICO-ALVO: O fundo é destinado a investidores em geral que pretendam buscar investimentos com rentabilidade superior ao CDI. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS HEDGE CLASSIQUE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO LONGO PRAZO CNPJ/MF: Informações referentes a Dezembro de 2014 Esta lâmina contém um resumo das informações

Leia mais

Workshop Supervisão de Certificação ANBIMA

Workshop Supervisão de Certificação ANBIMA Workshop Supervisão de Certificação ANBIMA 1 PAINEL I ABERTURA Sérgio Cutolo Vice Presidente da ANBIMA e Presidente do Conselho de Regulação e Melhores Práticas de Certificação 27 de novembro de 2012 2

Leia mais

Curso Preparatório CPA20

Curso Preparatório CPA20 Página 1 de 9 Você acessou como Flávio Pereira Lemos - (Sair) Curso Preparatório CPA20 Início Ambiente ) CPA20_130111_1_1 ) Questionários ) Passo 2: Simulado Módulo II ) Revisão da tentativa 1 Iniciado

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Março / 2014

Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Março / 2014 Política de Exercício de Direito de Voto em Assembleias Março / 2014 1. OBJETIVO O objetivo da Política de Voto (ou simplesmente Política ) é determinar as regras que deverão ser observadas pelos Fundos

Leia mais

1. Público-alvo. 2. Objetivos

1. Público-alvo. 2. Objetivos LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento

Leia mais

Novas Instruções da CVM sobre Fundos de Investimento

Novas Instruções da CVM sobre Fundos de Investimento LUCIANA BARBOSA SILVEIRA Superintendente de Jurídico e Compliance Novas Instruções da CVM sobre Fundos de Investimento Sumário A partir de out/2015, novas normas passarão a reger a indústria de fundos

Leia mais

As principais alterações trazidas pela Instrução CVM 571 encontram-se resumidas abaixo.

As principais alterações trazidas pela Instrução CVM 571 encontram-se resumidas abaixo. MERCADO DE CAPITAIS 01/12/2015 CVM ALTERA INSTRUÇÃO QUE DISPÕE SOBRE A CONSTITUIÇÃO, A ADMINISTRAÇÃO, O FUNCIONAMENTO, A OFERTA PÚBLICA DE DISTRIBUIÇÃO E A DIVULGAÇÃO DOS FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO FUNDO DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ITALVA Diretoria Executiva

ESTADO DO RIO DE JANEIRO FUNDO DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE ITALVA Diretoria Executiva EDITAL PARA CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS ADMINISTRADORES DE ATIVOS EDITAL N 001/2015 O Fundo de Previdência do Município de Italva - FPMI, sediado na Rua Aracy Vilarinho, n 154, centro, Italva/RJ,

Leia mais