PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL ASSESSORIA DE PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL ASSESSORIA DE PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA"

Transcrição

1 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL ASSESSORIA DE PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA Estudo Qualitativo Ad hoc Conjuntura São Paulo (01/2015) RELATÓRIO FINAL EMPRESA RESPONSÁVEL: BRASILIA DF 27/02/2015

2 Sumário 1 Apresentação Escopo da Pesquisa Métodos e Técnicas de Pesquisa Detalhamento do Roteiro de Pesquisa Detalhamento do Plano de Recrutamento Detalhamento dos Procedimentos Adotados nos Trabalhos de Campo Análise dos Resultados da Pesquisa Conclusões / Considerações Finais Recomendações Anexo I Roteiro Anexo II Cronograma e Perfil DG s

3 1 Apresentação 1.1 Base Legal De acordo com a legislação brasileira em vigor (Lei nº /2003, art. 2ºB, III), a Secretaria de Comunicação Social (SECOM) tem entre suas missões institucionais a atribuição de organizar e desenvolver um sistema de informação e pesquisa de opinião pública, cujos principais objetivos devem ser monitorar as demandas da sociedade por políticas e serviços públicos bem como a avaliação que a sociedade faz dessa oferta de políticas e serviços públicos. Nesse sentido, o Decreto nº 6.555/2008 sugere alguns objetivos para esse sistema de informação e pesquisa de opinião pública. Com base nos incisos I, II e IV do artigo 1º e nos incisos VIII e XI do artigo 2º do referido decreto, podem ser indicados como objetivos do sistema de informação e pesquisa de opinião pública a realização de atividades destinadas a: I. Avaliar o conhecimento da sociedade sobre políticas e programas federais; II. III. IV. Avaliar o conhecimento do cidadão sobre direitos e serviços colocados à sua disposição; Identificar assuntos de interesse público que orientem o conteúdo das informações a serem disseminadas; Avaliar a adequação de mensagens, linguagens e canais aos diferentes segmentos de público; V. Avaliar a eficiência e racionalidade na aplicação dos recursos públicos. No campo da avaliação de programas e ações governamentais, a pesquisa de opinião pública é uma forma amplamente aceita de conhecer como os cidadãos percebem os efeitos das políticas públicas em suas vidas. Além disso, oferece aos tomadores de decisão subsídios importantes para sua atuação e permite fazer com que as ações governamentais sejam responsivas às prioridades e expectativas da população. Por isso, a SECOM realiza uma série de levantamentos e análises que objetivam compreender a percepção da população sobre as ações governamentais e, por conseguinte, contribuir para a tomada de decisão no âmbito do Governo Federal e, principalmente, para o planejamento das ações de formulação e articulação das iniciativas de comunicação do Poder Executivo Federal. Essas pesquisas constituem importante instrumento de gestão e maximização de recursos, pois, ao aplicarem métodos e técnicas cientificamente válidas, permitem a construção de parâmetros para campanhas de comunicação institucional e de utilidade pública com foco e meios mais precisos, proporcionando assim a realização de resultados mais tangíveis e maior efetividade em relação aos objetivos propostos na política pública de comunicação. 3

4 Além disso, as pesquisas realizadas pela SECOM oferecem um canal adicional de manifestação cidadã, pois oferecem à população a oportunidade de se expressar sobre o desempenho do Poder Executivo e sobre suas demandas mais prementes, o que confere uma aplicação vertical da noção de prestação de contas política (accountability), essencial ao funcionamento da democracia. A Legislação pertinente e informações adicionais podem ser consultadas na página da SECOM na Internet: 1.2 Contrato da Pesquisa Contrato nº 001/ Ordem de Serviço da Pesquisa Ordem de serviço 001/

5 2 Escopo da Pesquisa 2.1 Contexto Esta pesquisa teve como propósito dar seguimento às análises qualitativas iniciadas pela Assessoria de Pesquisa de Opinião Pública da SECOM/PR em 2013 acerca de temas da conjuntura social, política e econômica brasileira, sob a ótica de determinados segmentos da sociedade, definidos por critérios aplicados na fase de recrutamento dos participantes. Nesta edição, a pesquisa concentrou-se nas percepções e sentimentos dos habitantes da cidade de São Paulo, estratificados segundo faixa etária, classe econômica e avaliação do Governo Federal. Maior metrópole brasileira, a cidade de São Paulo tem comparecido às manchetes dos jornais neste início de 2015 por conta da crise de abastecimento de água e do risco de racionamento de energia que afeta em graus diversos os seus habitantes e das manifestações que vêm protestando contra o aumento da tarifa urbana de transporte coletivo, em um cenário muito semelhante ao que serviu de gatilho para os protestos de junho de Situações que aumentam ainda mais a temperatura de uma cidade que já vem registrando altíssimas temperaturas neste verão. Nestes tópicos, caberá à pesquisa captar as percepções dos participantes dos grupos focais sobre como está sendo viver em São Paulo, o que vem mudando nas suas rotinas, de quem é a responsabilidade sobre a crise hídrica e de energia (falta de chuvas, falta de planejamento dos governantes, desperdício ou mau uso pela população ou alto consumo pelas grandes empresas) e o que deveria ser feito para evitar que situações como essas se agravem ainda mais, agora e no futuro. Considerando que insatisfações citadinas desta natureza, quando se repetem e se acumulam, podem, por vezes, transformarem-se em protestos, é importante se perguntar: Qual a imagem que 2013 deixou para os atuais manifestantes? Ainda é um instrumento útil de pressão popular? Estão dispostas a juntar-se a eles? Por que sim? Por que não (mais)? Por outro lado, medidas de ajuste fiscal, anunciadas recentemente pelo Governo Federal, tendem a impactar sobre o consumo e o acesso ao crédito, os investimentos e a produtividade industrial e as contas do governo, particularmente em uma metrópole como São Paulo, berço industrial e com uma alta concentração de trabalhadores no setor de serviços. Assim, foi explorada a percepção dos participantes sobre as mudanças nas regras para concessão de alguns benefícios, como seguro desemprego, pensões e auxíliodoença, sobre o aumento do preço da gasolina e do diesel, e sobre o aumento dos impostos sobre empréstimos bancários. Qual a familiaridade com estas medidas? Quais as razões para adotá-las e em benefício de quem? E quais implicações na vida das pessoas? (quem ganha/perde o quê? por quê? e que diferença faz?). 2.2 Indicador de referência Não há. 5

6 2.3 Objetivo Geral Avaliar a percepção dos residentes da cidade de São Paulo acerca de temas que lhes afetam diretamente no dia-a-dia, como a crise de abastecimento de água e o risco de racionamento de energia e a ocorrência de protestos e manifestações, e de temas da conjuntura econômica nacional que passa por diversos ajustes nesse início de Objetivos Específicos Mapear a percepção dos participantes sobre as medidas que estão sendo tomadas pelo Governo Federal para ajustar a economia em 2015, quanto à familiaridade com estas medidas; às razões para adotá-las e em benefício de quem; e às implicações na vida das pessoas (quem ganha/perde o quê? por quê? e que diferença faz?); Compreender se e como os participantes sentem os impactos das crises hídrica e energética nas suas vidas, quem são os responsáveis diretos e quais medidas os governantes deveriam tomar para evitar que se agravem, agora e no futuro; Explorar a visão dos participantes sobre as manifestações/protestos que vêm ocorrendo em São Paulo; Explorar o modo como os participantes se relacionam com essas informações e como percebem a comunicação do governo. 2.5 Público Alvo Pessoas com mais de 18 anos; Ambos os sexos; Composição multirracial; Todas as classes econômicas (ABCD); Localidade: São Paulo. 6

7 3 Métodos e Técnicas de Pesquisa 3.1 Técnicas de Pesquisa Pesquisa Qualitativa com grupos de discussão. Os grupos de discussão, mediados por um especialista, buscam estimular a livre manifestação associativa e a troca de opiniões de indivíduos que apresentam características relativamente homogêneas. O objetivo central do grupo focal é identificar percepções, sentimentos, atitudes e ideias dos participantes a respeito de um determinado assunto. 3.2 Plano Amostral A nossa proposta de desenho metodológico foi a seguinte: Realização de 6 grupos focais na cidade de São Paulo com cerca de 8 participantes de perfis similares e orientados por um moderador, seguindo um roteiro não diretivo previamente discutido e aprovado pelo cliente. CIDADE FAIXA ETÁRIA CLASSE AVALIAÇÃO DO GOVERNO FEDERAL 18 a 25 AB DESAPROVA 1 18 a 25 CD APROVA 1 SÃO PAULO 26 a 39 AB APROVA 1 26 a 39 CD DESAPROVA 1 40 a 55 AB DESAPROVA 1 Nº GRUPOS 40 a 55 CD APROVA 1 TOTAL 6 GRUPOS A composição dos grupos considerou as variáveis: faixa etária, classificação econômica e avaliação do Governo Federal. O pressuposto subjacente é de que a posição dos indivíduos em uma hierarquia de classe, a década na qual se deu a entrada na vida adulta e a avaliação que fazem do desempenho atual e futuro dos governantes são todos fatores que potencialmente moldam as percepções e expectativas sobre a conjuntura política e econômica brasileira. 7

8 4 Detalhamento do Roteiro de Pesquisa O roteiro de pesquisa foi elaborado pela equipe técnica do Instituto Análise em diálogo com os representantes da SECOM para troca de conhecimento e experiências. Buscou-se desenvolver um roteiro que pudesse responder às questões levantadas durante a descrição do problema. O roteiro foi preparado a partir de uma lista de questões a serem respondidas, as quais foram organizadas em grupos de tópicos e ordenadas em uma sequência lógica, conforme apresentado a seguir: Introdução: apresentação do (a) moderador (a) e dos participantes e explicação da dinâmica; Conjuntura socioeconômica atual: cenário econômico atual e expectativas para 2015, setores da economia mais fortes e mais fracos, tendência a gastar X poupar, avaliação da gestão econômica do governo federal, conhecimento e avaliação das medidas de ajuste econômico anunciadas pelo governo federal; Crise de abastecimento de água: quando souberam da crise (primeiras lembranças), sentem-se bem informados sobre a crise pelos governantes, fatores que geraram a crise, responsabilidades pela crise / papel dos poderes públicos (quais esferas são responsáveis), ações necessárias para resolver a crise de abastecimento de água; Risco de racionamento de energia: quando souberam da crise (primeiras lembranças), sentem-se bem informados sobre a crise pelos governantes, fatores que geraram a crise, responsabilidades pela crise / papel dos poderes públicos (quais esferas são responsáveis), ações necessárias para resolver o problema; Nova onda de protestos: expectativas de protestos decorrentes das crises hídrica e energética, participação nos protestos, semelhanças ou não com os protestos de junho de 2013, imagem atual dos protestos, relação entre manifestações e violência. As primeiras versões do roteiro foram apresentadas pela equipe da SECOM, depois de discutidas internamente com os setores interessados. O teste para a aprovação do roteiro se deu no primeiro grupo de discussão e esse teste avaliou: Compreensão técnica; Tempo necessário para aplicação; Adequação das perguntas/provocações. O roteiro mostrou-se adequado aos objetivos pretendidos pela pesquisa. 8

9 5 Detalhamento do Plano de Recrutamento O recrutamento dos grupos de discussão foi realizado mediante aplicação de um questionário estruturado contendo os filtros da pesquisa. Não foram recrutadas pessoas que participaram de pesquisa qualitativa no último ano, assim como pessoas que trabalhavam em atividades relacionadas com pesquisa e dinâmicas de grupo, tais como: marketing, sociologia, psicologia, trabalho em agências de publicidade e propaganda, área de comunicação e consideradas formadores de opinião, dentre outras. Além disso, por se tratar de uma pesquisa para o Governo Federal, também não foram recrutados funcionários/servidores públicos ocupantes de cargos administrativos e/ou de confiança de nenhuma esfera de governo. Foram utilizadas duas técnicas no recrutamento: 1) Telefônica utilizando lista da região e 2) Pessoal em pontos de fluxo da cidade de São Paulo com equipes de profissionais experientes e qualificados. Foram recrutados 12 participantes em cada grupo a fim de garantir a presença de no mínimo 8 pesquisados por discussão. Em alguns casos, para balancear o perfil dos grupos, dispensas foram realizadas. 5.1 Definição dos Participantes da Pesquisa O universo de estudo e composição dos grupos de discussão foram descritos no Briefing e confirmados no projeto de pesquisa apresentado à SECOM que requeria um mínimo de6 grupos de discussão. Tabela 1 Distribuição do total de grupos por região e classificação socioeconômica Cidade Grupos Classe AB Classe CD Perfil São Paulo Grupos segmentados por faixa etária, classe social e avaliação do governo. 9

10 6 Detalhamento dos Procedimentos Adotados nos Trabalhos de Campo Os trabalhos de campo iniciaram após a aprovação do roteiro e perfil dos entrevistados. 6.1 Estrutura de Campo e Equipe Técnica Profissional Função Perfil Quantidade Recrutador Recrutar os participantes. 8 Coordenador de campo Verificador Realizar treinamento e supervisionar todo o trabalho de campo. Avaliar meta de produção e checagem do perfil dos participantes. Fazer o CRQ Controle de Qualidade no Recrutamento junto a ABEP. Profissionais com conhecimento, experiência, sensibilidade e critério Conclusões dos Trabalhos de Campo A logística do projeto levou em consideração equipes de recrutadores e supervisores locais acompanhados por um supervisor do Instituto Análise para garantir que a metodologia da pesquisa fosse aplicada uniformemente em todas as cidades. O recrutamento e a seleção dos entrevistados foi um processo cuidadoso e rigoroso. Para garantir a qualidade do recrutamento, antes da realização dos grupos foram adotados os seguintes procedimentos: Consulta do participante no CRQ Controle de Qualidade no Recrutamento; Conferência do documento de identidade original com foto (RG, Carteira Nacional de Habilitação) do participante; Logo após a realização dos grupos, as informações do CRQ foram completadas, assim como o status de participação do candidato. No dia da realização dos grupos, os participantes passaram por uma nova checagem dos filtros para confirmação do perfil. O processo de recrutamento transcorreu sem prejuízo ao objetivo final da pesquisa. 10

11 7 Análise dos Resultados da Pesquisa 7.1 Conjuntura Socioeconômica Atual (Perspectivas para 2015) Há uma preocupação clara dos entrevistados, em todos os segmentos estudados, quanto ao desempenho da economia brasileira em As notícias sobre o fraco desempenho da economia em diversos setores, divulgadas diariamente na mídia (principalmente na TV e Internet), são citadas como a principal razão para acreditarem que o ano de 2015 será pior do que o de 2014 em termos econômicos. As principais preocupações citadas são: Crise hídrica; Corrupção; Aumento nos preços dos alimentos; Aumento nos preços dos combustíveis; Desemprego; Crise energética; Aumento na tarifa de transporte público. É importante notar que o fato de as preocupações serem relevantes para todos os pesquisados não exclui a presença de nuances e variações nos segmentos: Em relação à avaliação do Governo Federal Entre os que aprovam o governo, há a presença de entrevistados que acham que a situação socioeconômica está complicada no momento atual, mas que melhorará; Entre os que desaprovam, a corrupção ganha destaque junto às demais preocupações apontadas. Por Classe Social Entre os entrevistados das Classes CD, as preocupações relacionadas ao aumento dos preços e ao desemprego têm maior peso; Os pesquisados AB dão ênfase às preocupações mais ligadas à estrutura da economia como: Desaceleração do setor imobiliário; Diminuição no ritmo das vendas e aumento da inadimplência; 11

12 Crise de confiança nos agentes governamentais para solucionar os problemas econômicos. Vai ser ruim, isso está muito claro, por conta de todo o cenário que existe no Brasil, vai ser ruim por causa dessa sensação de que vai ser ruim, porque o empresário ele trava, ele não vai fazer nada dentro daquilo que ele precisa fazer para que tenha investimento, para que tenha crescimento dentro daquilo que é o trabalho dele. Há uma insegurança e essa insegurança, claro, por conta de toda essa atrapalhada que o governo está fomentando. Existe todo um cenário que está conspirando para que seja um ano paralisado. (AB, 40 a 55, desaprova GF) Piora. Os ajustes que o governo está fazendo eram necessários, seja quem fosse que ocupasse o governo. (AB, 26 a 40, aprova GF) É um ano sim de reajustes. De acertar as contas. No entanto, as perspectivas de valores, e o lado imobiliário, que eu acabei de pegar uma notícia ali que os alugueis estão mais fáceis de conversar e negociar com o proprietário. Se pararmos para pensar, o Brasil tem um grande potencial agora, nesse momento de crise em outros países, de exportar até mais nas questões até de alimentação. (CD, 40 a 55, aprova GF) Setores da economia mais impactados Há uma percepção geral de que diversos setores da economia serão impactados (necessitarão ser ajustados) em função de problemas complexos como a crise hídrica e a crise energética; A percepção de que essas crises têm amplo alcance socioeconômico é realçada tanto pelos entrevistados AB e mais velhos (maior repertório) quanto pelos pesquisados CD; No entanto, quando estimulados a pensar em setores específicos, a maioria dos entrevistados apontou algumas áreas que poderiam ser mais (ou menos) bem sucedidas ao longo de 2015: Beneficiados Intermediárias Prejudicados Setor de alimentos. Setor de turismo / lazer. Setor de energia. Setores relacionados às primeiras necessidades. (> entre Classe AB) Setor de transporte. Comércio e Indústria (em geral). O turismo continua independente da alta ou não do dólar. Grandes empresas do setor alimentício estão apostando no mercado, continuam crescendo. (AB, anos, aprova GF) Eu acho que tudo vai sofrer, o transporte com certeza porque subiu o combustível, a água porque você tem de comprar água para beber, 12

13 7.1.2 Poupar versus Gastar antigamente ninguém comprava água para beber porque você tinha um filtro em casa, mas hoje você é obrigado a comprar para beber todos os dias. Então já está péssimo. (CD, 26-39, desaprova GF) Setores relacionados a itens de primeira necessidade como: alimentos, farmacêuticos. Até a área de serviços: bem-estar, saúde. Essa é uma área em ascensão, muitas pessoas já fazem e farão esse investimento em longo prazo. (AB, anos, aprova GF) Em termos gerais, pode-se afirmar que a postura dos entrevistados frente aos desafios de 2015 é predominantemente a de economizar. Atitude de Poupar Entendido como quitar as dívidas, pagar os financiamentos (mais forte nos pesquisados da classe CD); Entrevistados de 40 a 55 anos afirmam que estão controlando mais os gastos de uma forma geral em suas casas; Adiamento de férias ou viagens (mais presente nos grupos de 26 a 39 / 40 a 55 anos, das classes AB). A predominância da intenção de poupar está muito mais atrelada ao medo, às incertezas socioeconômicas, do que a uma postura preventiva e racional com vistas ao futuro. Atitude de Gastar Postura minoritária entre os entrevistados; Alguns pesquisados de 18 a 25 anos (tanto AB como CD) entendem que se deve viver a vida. Entendem que não podem ter medo da crise e pretendem manter alguns de seus gastos ou planos (p.ex.: programa de intercâmbio, trocar de carro ou moto, fazer uma viagem). Sou da linha dele: prefiro viver também. Se eu tenho vale compra, gasto. Não ligo muito para isso. Se morrer amanhã, pelo menos sei que curti. (CD, 18-25, aprova GF) Vai ficar difícil poupar. Qualquer coisa que você faz aqui você paga uma taxa exorbitante de imposto. Se você quer fazer um crediário, os juros também são gigantescos. (AB, 18-25, desaprova GF) Não é ano para comprar. Tem que segurar para comprar água. (CD, 26-39, desaprova GF) À exceção dos entrevistados das classes AB (mais velhos), que entendem que o Governo Federal vem anunciando medidas voltadas à poupança, a maior parte dos participantes 13

14 tem dúvidas acerca da real postura do Governo Federal frente às adversidades que surgirão em Muitos entendem que o Governo Federal quer e precisa que as pessoas continuem consumindo, fazendo a economia girar ; Por outro lado, percebem que o Governo Federal vem adotando medidas que incentivam o aperto do cinto ; A forte sensação da necessidade de poupar parece estar mais ligada ao cenário de crise hídrica e energética, em constante veiculação na TV e Internet; O entendimento acima é mais forte nos participantes das classes CD, mas também está presente no segmento AB. Parece que o Governo Federal ainda não consolidou um discurso focado nos ajustes, na poupança. O entendimento é ambíguo, podendo parecer que ainda estamos numa fase de transição: saindo de um ciclo de consumo e entrando numa nova etapa de controle e ajustes; quando, na verdade, o sentimento é de que o novo cenário já está instalado! Se o governo quisesse que gastássemos desenfreadamente, não tomaria medidas que estão tomando. Não podemos parar de gastar, temos que manter o equilíbrio, mas precisamos gastar com consciência, é válido. (AB, 26-39, aprova GF) O governo está vendo que estamos em crise. Ele mesmo está vendo isso. Está querendo arrumar soluções. No momento ele ainda não achou a vara de condão para resolver o problema. (CD 40-55, aprova GF) Isso [gastar mais] foi a estratégia anterior! (AB, 40-55, desaprova GF) Com os aumentos dos impostos não tem como [gastar mais]. (AB, 40-55, desaprova GF) Técnica Projetiva Discussão de Cenários Procedimentos adotados: 1. A dinâmica da discussão dos cenários foi apresentada a todos os participantes; 2. As três variáveis Poupança, Gastos e Impostos eram apresentadas aos entrevistados através da analogia da gestão do Governo Federal como se fosse a gestão de um orçamento familiar; 3. A partir desse pressuposto, seis cenários foram construídos e apresentados aos participantes; 4. Desse modo, todos eram convidados a escolher um cenário um caminho, uma decisão de gestão como se fossem participantes do Governo Federal. 14

15 Cenários apresentados: CENÁRIOS Resultados: As percepções sobre a Conjuntura Econômica apresentam um resultado semelhante entre os diversos perfis de entrevistados. O cenário 4 foi o preferido pela maioria dos entrevistados conforme o quadro abaixo: CENÁRIOS POUPANÇA (= dinheiro que a gente guarda para pagar nossas dívidas) POUPANÇA (= dinheiro que a gente guarda para pagar nossas dívidas) GASTOS (= compras que a gente faz para os nossos filhos) GASTOS (= compras que a gente faz para os nossos filhos) IMPOSTOS (= salário que alguém nos paga todo mês) 1 AUMENTAR AUMENTAR AUMENTAR 2 DIMINUIR AUMENTAR AUMENTAR 3 AUMENTAR DIMINUIR AUMENTAR 4 AUMENTAR DIMINUIR DIMINUIR 5 DIMINUIR AUMENTAR DIMINUIR 6 DIMINUIR DIMINUIR DIMINUIR IMPOSTOS (= salário que alguém nos paga todo mês) Total de Escolhas em (NA)* 1 AUMENTAR AUMENTAR AUMENTAR DIMINUIR AUMENTAR AUMENTAR (03) 3 AUMENTAR DIMINUIR AUMENTAR (06) 4 AUMENTAR DIMINUIR DIMINUIR (25) 5 DIMINUIR AUMENTAR DIMINUIR (11) 6 DIMINUIR DIMINUIR DIMINUIR (02) TOTAL (47) *(NA) = Números absolutos ** O total de respostas é 48. Houve uma escolha de um hipotético cenário 7 por um entrevistado O mesmo cenário 4 se manteve como o preferido quando os resultados foram abertos pelos que aprovam ou desaprovam o Governo Federal: CENÁRIOS POUPANÇA (= dinheiro que a gente guarda para pagar nossas dívidas) GASTOS (= compras que a gente faz para os nossos filhos) IMPOSTOS (= salário que alguém nos paga todo mês) Total de Escolhas em (NA)* Total de Escolhas entre os que Aprovam o GF Total de Escolhas entre os que Desaprovam o GF 1 AUMENTAR AUMENTAR AUMENTAR DIMINUIR AUMENTAR AUMENTAR (03) (02) (01) 3 AUMENTAR DIMINUIR AUMENTAR (06) (06)

16 4 AUMENTAR DIMINUIR DIMINUIR (25) (12) (13) 5 DIMINUIR AUMENTAR DIMINUIR (11) (02) (09) 6 DIMINUIR DIMINUIR DIMINUIR (02) (02) --- TOTAL (47) *(NA) = Números absolutos ** O total de respostas é 48. Houve uma escolha de um hipotético cenário 7 por um entrevistado Mesmo com essa concordância, nota-se que entre os que aprovam o Governo Federal, há os que escolhem o cenário 3 entendendo, inclusive, que há necessidade de aumentar os impostos. Por outro lado, entre os que desaprovam o Governo Federal, o cenário 5 ficou em segundo lugar, o que revela que alguns participantes concordariam em comprometer parte da poupança se isto fosse revertido em maior volume de gastos sociais. Porque a gente vive de impostos, a gente paga muito imposto. Para a economia pode ser bom, mas para o bolso da gente não é bom, você paga imposto até para respirar. Os impostos são muito altos. (CD, 26 a 39, desaprova GF) Porque a gente tem que poupar um pouco mais. Diminuir os gastos e diminuir esses impostos que a gente paga hoje, que são muito caros. (CD, 40 a 55, aprova GF) Temos que aprender a guardar dinheiro. Muitas pessoas passam dificuldades porque colocam seus pés onde não alcançam, daí passam o resto do mês reclamando da falta de dinheiro. Gastar menos e diminuir os impostos. (CD, 18 a 25, aprova GF) Opto pela 4 também. O brasileiro não tem esse hábito de poupar, preservar, é uma coisa que principalmente de 10 anos para cá o que o brasileiro fez? Gastou, gastou, gastou absurdamente, coisa que não tinha tanta necessidade, podia ter poupado esses 10 anos e hoje nos tornávamos muito melhor. Diminuir sim os gastos, os impostos podem diminuir, podem sim porque não tem a necessidade de ter esse gasto absurdo que se gasta em Brasília. (AB, 40 a 55 anos, desaprova GF) Eu também acho a 5, concordo em diminuir os impostos, aumentar o gasto para girar a economia. E girando a economia, vai diminuir a poupança, consequentemente. (AB, 18 a 25, desaprova GF) Eu concordo com a maioria, a 4. A poupança, para você guardar um pouco mais, você precisa comprar com inteligência. Para você poupar, você tem que poupar com inteligência. Em termos de gastos, gastar com inteligência. Somente com o necessário. As pessoas às vezes têm mania de comprar coisas que não tem necessidade. Chama-se supérfluo. Minha mulher tem na minha casa cem pares de sapatos e três guarda-roupas. Não sei onde ela consegue tanto corpo para colocar tanta coisa. Em âmbito nacional aumenta a poupança. E o governo que gasta muito. Saber como que vai gastar esse dinheiro. E o imposto diminuir também, porque nós estamos com uma carga tributária, a maior do mundo. 16

17 Estamos com cartão de crédito com 200% ao ano. É um absurdo! Então eu fico com a quatro. (CD, 40 a 55 anos, aprova GF) Outro elemento interessante discutido na dinâmica dos cenários fez referência a como os participantes enxergam as escolhas do Governo Federal em termos econômicos. Foi perguntado a cada grupo focal como percebiam as ações do governo em termos de um dos seis cenários apresentados e discutidos. Novamente, as percepções convergiram, e a grande maioria dos grupos (solicitava-se que cada grupo discutisse internamente e escolhesse qual cenário simbolizava a conduta do Governo Federal) optou pelo cenário 2 como a forma de atuação do Governo Federal em termos econômicos. Dos seis grupos de discussão, quatro (4/6) entenderam que o Governo Federal atua conforme o cenário 2 diminuindo a poupança e aumentando os gastos e impostos. Sendo que este último item já é visto (exceção de alguns que aprovam o Governo) como algo excessivamente alto no Brasil. Também não há distinção entre os que aprovam ou desaprovam o governo na escolha do cenário 2. Dos quatro grupos focais que entenderam que o Governo Federal atua segundo esse cenário, dois são de grupos que aprovam e dois são de grupos que desaprovam o Governo Federal. [GF atua no cenário 2] Porque essas últimas declarações do governo, que a gente precisa da meta de 1,2 do PIB de poupança para fazer frente aos juros. Ele não quer gastar, ele quer guardar. (AB, 40 a 55, desaprova GF) Eu continuo na dois porque o governo tem como se fosse um buraco negro. O dinheiro entra dos impostos e escoa sem controle. (CD, 40 a 55, aprova GF) Conhecimento das medidas de Ajuste Econômico anunciadas pelo Governo Federal Não se pode afirmar que haja um desconhecimento das medidas de ajuste econômico anunciadas pelo Governo Federal; O que existe é um conhecimento genérico, não pormenorizado, das diversas medidas adotadas; Como esperado, o conhecimento das pessoas com mais idade (40 a 55 anos), das classes AB, sobre o tema é significativamente maior do que os outros segmentos pesquisados. Apesar do conhecimento maior das classes AB (40 a 55 anos), pode-se afirmar que a variação de conhecimento sobre o tema se dá mais em função de cada medida anunciada do que pela estratificação social: Todos tinham ouvido falar sobre as medidas de ajuste; 17

18 As medidas relacionadas aos benefícios sociais eram mais conhecidas do que as medidas puramente econômicas. Aumento de imposto. Não sei exatamente qual. Eu sei que teve reajuste salarial. (AB, 18 a 25, desaprova GF) Na campanha, o governo disse que não faria de forma alguma cortes nos direitos trabalhistas, no seguro desemprego. (CD, 18 a 25, aprova GF) O petróleo. O mundo todo abaixa o preço e o Brasil autossuficiente, aumenta. Se você for abastecer em um posto na Argentina, é mais barato que aqui. Tem mais coisas, mas essas são as medidas que lembro agora. (CD, 18 a 25, aprova GF) Avaliação das medidas de Ajuste Econômico anunciadas pelo Governo Federal Seguro Desemprego: É a medida mais conhecida pelos participantes. Praticamente todos os entrevistados em todos os grupos sabiam das principais mudanças nas regras para a obtenção deste benefício pela primeira vez; Predominam as avaliações positivas à medida, tanto entre os que aprovam, quanto entre os que desaprovam o Governo Federal; Entre os que aprovam o Governo Federal nas classes CD, há a demanda para que o ajuste nas regras sejam flexibilizadas. Alguns acham que as mudanças foram muito drásticas para um governo mais voltado para o social. Por outro lado, os que desaprovam o Governo Federal nas classes AB fazem críticas duras ao governo na medida em que este, na opinião dos entrevistados, já cogita rever as medidas anunciadas devido à pressão dos sindicatos. Pensões e Auxílios Doenças: Eu aprovo essa questão do seguro desemprego. Para você receber agora tem que trabalhar um ano e meio, não 6 meses. Concordo, porque muitas pessoas se focavam em trabalhar 6 meses para receber o seguro desemprego, depois saiam fora. (AB, 18 a 25, desaprova GF) Eu acho que esse negócio do trabalhador ficar seis meses no emprego e fazer picuinha para ser mandado embora... agora a pessoa vai ter de ficar mais tempo no emprego para pedir o seguro desemprego. (CD, 26 a 39, desaprova GF) Também bastante lembrada pelos entrevistados, as mudanças nas regras para pensões e auxílios doenças são vistas com menor simpatia ou aprovação; independente do segmento estudado; 18

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo.

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo. 1 MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo Maio/ 2014 Metodologia 2 Metodologia 3 Técnica Pesquisa quantitativa,

Leia mais

Fase 2 (setembro 2012) Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário - 2012

Fase 2 (setembro 2012) Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário - 2012 Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário - 2012 Apresentação A sondagem Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário 2012 Fase 2 apresenta a visão do empresário do transporte

Leia mais

Apresentação dos convidados e do moderador. Como vai a vida. O que está acontecendo de bom e de ruim.

Apresentação dos convidados e do moderador. Como vai a vida. O que está acontecendo de bom e de ruim. PESQUISA SEGUROS ROTEIRO 1. Abertura da reunião Apresentação dos convidados e do moderador 2. Aquecimento Como vai a vida. O que está acontecendo de bom e de ruim. Está dando para viver? 3. Valores (espontâneo)

Leia mais

1 USE SUA RAZÃO E DEIXE AS EMOÇÕES POR ÚLTIMO

1 USE SUA RAZÃO E DEIXE AS EMOÇÕES POR ÚLTIMO BEM VINDO AO GUIA DE 10 PASSOS DE COMO MELHORAR MUITO A SUA VIDA FINANCEIRA! APROVEITE! 1 USE SUA RAZÃO E DEIXE AS EMOÇÕES POR ÚLTIMO Quando se trata do nosso dinheiro, a emoção sempre tende a ser um problema.

Leia mais

Investimento para Mulheres

Investimento para Mulheres Investimento para Mulheres Sophia Mind A Sophia Mind Pesquisa e Inteligência de Mercado é a empresa do grupo de comunicação feminina Bolsa de Mulher voltada para pesquisa e inteligência de mercado. Cem

Leia mais

Entrevistado: Almir Barbassa Entrevistador: - Data:11/08/2009 Tempo do Áudio: 23 30

Entrevistado: Almir Barbassa Entrevistador: - Data:11/08/2009 Tempo do Áudio: 23 30 1 Entrevistado: Almir Barbassa Entrevistador: - Data:11/08/2009 Tempo do Áudio: 23 30 Entrevistador- Como o senhor vê a economia mundial e qual o posicionamento do Brasil, após quase um ano da quebra do

Leia mais

4 F E R R A M E N TA S E S S E N C I A I S

4 F E R R A M E N TA S E S S E N C I A I S como organizar as finanças da sua empresa 4 F E R R A M E N TA S E S S E N C I A I S AUTHOR NAME ROBSON DIAS Sobre o Autor Robson Dias é Bacharel em Administração de Empresas e Possui MBA em Gestão Estratégica

Leia mais

11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo II

11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo II Capítulo II Mark Ford 11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo Dois Como uma nota de $10 me deixou mais rico do que todos os meus amigos Das centenas de estratégias de construção de riqueza que

Leia mais

Aprenda como renegociar suas dívidas e A TER

Aprenda como renegociar suas dívidas e A TER Aprenda como renegociar suas dívidas e VOLTAR A TER CRÉDITO O PROBLEMA FINANCEIRO PODE LEVAR SUA FAMÍLIA À RUÍNA. A dívida entra pela porta da frente e o amor sai pela porta dos fundos. É fácil identificar

Leia mais

Roteiro de Áudio. SOM: abertura (Vinheta de abertura do programa Hora do Debate )

Roteiro de Áudio. SOM: abertura (Vinheta de abertura do programa Hora do Debate ) 1 Roteiro de Áudio Episódio 1 A língua, a ciência e a produção de efeitos de verdade Programa Hora de Debate. Campanhas de prevenção contra DST: Linguagem em alerta SOM: abertura (Vinheta de abertura do

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em janeiro/2015. Estas elevações podem ser atribuídas aos seguintes

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 11 Pronunciamento sobre a questão

Leia mais

Use bem o seu dinheiro

Use bem o seu dinheiro 1016323-6 - abr/2012 Quer saber mais sobre como usar melhor o seu dinheiro? No site www.itau.com.br/usoconsciente, você encontra vídeos, testes e informações para uma gestão financeira eficiente. Acesse

Leia mais

Uso do Crédito (consumidores) Setembro 2012

Uso do Crédito (consumidores) Setembro 2012 Uso do Crédito (consumidores) Setembro 2012 METODOLOGIA Plano amostral Público alvo: Consumidores de todas as Capitais do Brasil. Tamanho amostral da Pesquisa: 623 casos, gerando um erro máximo de 3,9%

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em fevereiro/2015. Estas elevações podem ser atribuídas aos seguintes

Leia mais

medida. nova íntegra 1. O com remuneradas terem Isso é bom

medida. nova íntegra 1. O com remuneradas terem Isso é bom Entrevista esclarece dúvidas sobre acúmulo de bolsas e atividadess remuneradas Publicada por Assessoria de Imprensa da Capes Quinta, 22 de Julho de 2010 19:16 No dia 16 de julho de 2010, foi publicada

Leia mais

Região. Mais um exemplo de determinação

Região. Mais um exemplo de determinação O site Psicologia Nova publica a entrevista com Úrsula Gomes, aprovada em primeiro lugar no concurso do TRT 8 0 Região. Mais um exemplo de determinação nos estudos e muita disciplina. Esse é apenas o começo

Leia mais

Nos últimos anos o mercado brasileiro de imóveis vivenciou um crescimento inacreditável, o lançamento de novas unidades mais a valorização de imóveis

Nos últimos anos o mercado brasileiro de imóveis vivenciou um crescimento inacreditável, o lançamento de novas unidades mais a valorização de imóveis Nos últimos anos o mercado brasileiro de imóveis vivenciou um crescimento inacreditável, o lançamento de novas unidades mais a valorização de imóveis usados, além do crescimento de renda da população e

Leia mais

PARECE IGUAL... MAS, DO OUTRO LADO, É O BRASIL QUE DÁ CERTO. FICA DO OUTRO LADO DESSE ESPELHO. DESTE LADO, POUCO DINHEIRO NO BOLSO...

PARECE IGUAL... MAS, DO OUTRO LADO, É O BRASIL QUE DÁ CERTO. FICA DO OUTRO LADO DESSE ESPELHO. DESTE LADO, POUCO DINHEIRO NO BOLSO... CADÊ O BRASIL RICO? FICA DO OUTRO LADO DESSE ESPELHO. DESTE LADO, POUCO DINHEIRO NO BOLSO... PARECE IGUAL... MAS, DO OUTRO LADO, É O BRASIL QUE DÁ CERTO.... E AQUI, DINHEIRO SOBRANDO NO FIM DO MÊS. DESTE

Leia mais

FINANÇAS PESSOAIS: VOCÊ SABE ADMINISTRÁ-LAS?

FINANÇAS PESSOAIS: VOCÊ SABE ADMINISTRÁ-LAS? PESQUISA COMPORTAMENTAL FINANÇAS PESSOAIS: VOCÊ SABE ADMINISTRÁ-LAS? PROCON GOIÁS GERÊNCIA DE PESQUISA E CÁLCULO JULHO/2009 OBJETIVO Mesmo através de orientações, fornecidas aos consumidores pela Superintendência

Leia mais

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Brasília, 02 de janeiro de 2015. Ministra Miriam Belchior, demais autoridades, parentes e amigos aqui presentes.

Leia mais

Educação Financeira. Crédito Consignado. Módulo 2: Como Poupar

Educação Financeira. Crédito Consignado. Módulo 2: Como Poupar Educação Financeira Crédito Consignado Módulo 2: Como Poupar Objetivo Dar dicas importantes para que nossos clientes consigam ter uma poupança e vivam com mais segurança e tranquilidade O conteúdo deste

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ A IMPORTÂNCIA DO CAPITAL DE GIRO NAS EMPRESAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ A IMPORTÂNCIA DO CAPITAL DE GIRO NAS EMPRESAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ KATTH KALRY NASCIMENTO DE SOUZA Artigo apresentado ao Professor Heber Lavor Moreira da disciplina de Análise dos Demonstrativos Contábeis II turma 20, turno: tarde, do curso

Leia mais

30/09/2008. Entrevista do Presidente da República

30/09/2008. Entrevista do Presidente da República Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em conjunto com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, com perguntas respondidas pelo presidente Lula Manaus-AM,

Leia mais

6 Considerações Finais

6 Considerações Finais 6 Considerações Finais Este capítulo apresenta as conclusões deste estudo, as recomendações gerenciais e as recomendações para futuras pesquisas, buscadas a partir da análise dos casos das empresas A e

Leia mais

DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA

DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA GUIA PARA A ESCOLHA DO PERFIL DE INVESTIMENTO DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA Caro Participante: Preparamos para você um guia contendo conceitos básicos sobre investimentos, feito para ajudá-lo a escolher

Leia mais

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano.

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano. PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano. Esta elevação é reflexo da elevação da Taxa Básica de Juros (Selic)

Leia mais

Cenário positivo. Construção e Negócios - São Paulo/SP - REVISTA - 03/05/2012-19:49:37. Texto: Lucas Rizzi

Cenário positivo. Construção e Negócios - São Paulo/SP - REVISTA - 03/05/2012-19:49:37. Texto: Lucas Rizzi Cenário positivo Construção e Negócios - São Paulo/SP - REVISTA - 03/05/2012-19:49:37 Texto: Lucas Rizzi Crescimento econômico, redução da pobreza, renda em expansão e dois grandes eventos esportivos vindo

Leia mais

Saiba o que vai mudar no seu bolso com as novas medidas econômicas do governo

Saiba o que vai mudar no seu bolso com as novas medidas econômicas do governo Cliente: Trade Energy Veículo: Portal R7 Assunto: Saiba o que vai mudar no seu bolso com as novas medidas Data: 21/01/2015 http://noticias.r7.com/economia/saiba-o-que-vai-mudar-no-seu-bolso-com-as-novas-medidaseconomicas-do-governo-21012015

Leia mais

PROJETO Manifestações de Março/2015

PROJETO Manifestações de Março/2015 PROJETO Manifestações de Março/2015 NOTA METODOLÓGICA Tipo de pesquisa: Quantitativa, realizada face a face, com aplicação de questionário estruturado, de cerca de 10 minutos de duração, composto por questões

Leia mais

PESQUISA DE JUROS. Estas reduções podem ser atribuídas aos fatores abaixo:

PESQUISA DE JUROS. Estas reduções podem ser atribuídas aos fatores abaixo: PESQUISA DE JUROS Após longo período de elevação das taxas de juros das operações de crédito, as mesmas voltaram a ser reduzidas em setembro/2014 interrompendo quinze elevações seguidas dos juros na pessoa

Leia mais

CARTILHA EDUCAÇÃO FINANCEIRA

CARTILHA EDUCAÇÃO FINANCEIRA CARTILHA EDUCAÇÃO FINANCEIRA ÍNDICE PLANEJANDO SEU ORÇAMENTO Página 2 CRÉDITO Página 12 CRÉDITO RESPONSÁVEL Página 16 A EDUCAÇÃO FINANCEIRA E SEUS FILHOS Página 18 PLANEJANDO SEU ORÇAMENTO O planejamento

Leia mais

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo.

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo. 1 MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo Abril / 2014 Metodologia 2 Metodologia 3 Técnica Pesquisa quantitativa,

Leia mais

Jornalista: Eu queria que o senhor comentasse (incompreensível)?

Jornalista: Eu queria que o senhor comentasse (incompreensível)? Entrevista concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, após cerimônia de apresentação dos resultados das ações governamentais para o setor sucroenergético no período 2003-2010 Ribeirão

Leia mais

Ponto de vista. Metodologia para um índice de confiança. E expectativas das seguradoras no Brasil

Ponto de vista. Metodologia para um índice de confiança. E expectativas das seguradoras no Brasil Ponto de vista 40 Metodologia para um índice de confiança E expectativas das seguradoras no Brasil Francisco Galiza Em 2012, no Brasil, algumas previsões econômicas não fizeram muito sucesso. Por exemplo,

Leia mais

Como o consumidor brasileiro paga as contas (consumidores) Outubro 2012

Como o consumidor brasileiro paga as contas (consumidores) Outubro 2012 Como o consumidor brasileiro paga as contas (consumidores) Outubro 2012 METODOLOGIA Plano amostral Público alvo: Consumidores de todas as Capitais do Brasil. Tamanho amostral da Pesquisa Perfil Adimplente

Leia mais

A Aposentadoria Mercado e Seguro o Papel da Auto Previdência

A Aposentadoria Mercado e Seguro o Papel da Auto Previdência A Aposentadoria Mercado e Seguro o Papel da Auto Previdência Agenda Prioridades Financeiras 1 Presença da Aposentadoria Hoje Quando Parar Definitivamente A Previdência Social Composição Estimada da Renda

Leia mais

1 Briefing de Criação

1 Briefing de Criação 1 Briefing de Criação Antecedentes do processo de criação Para se criar uma campanha ou mesmo uma única peça é imprescindível que antes seja feito um briefing para orientar o trabalho do planejamento,

Leia mais

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL 1. O que é a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)? A Lei de Responsabilidade Fiscal é um código

Leia mais

Evolução Recente dos Preços dos Alimentos e Combustíveis e suas Implicações

Evolução Recente dos Preços dos Alimentos e Combustíveis e suas Implicações 1 ASSESSORIA EM FINANÇAS PÚBLICAS E ECONOMIA PSDB/ITV NOTA PARA DEBATE INTERNO (não reflete necessariamente a posição das instituições) N : 153/2008 Data: 27.08.08 Versão: 1 Tema: Título: Macroeconomia

Leia mais

Um exemplo prático. Como exemplo, suponha que você é um recémcontratado

Um exemplo prático. Como exemplo, suponha que você é um recémcontratado pessoas do grupo. Não basta simplesmente analisar cada interpretação possível, é preciso analisar quais as conseqüências de nossas possíveis respostas, e é isso que proponho que façamos de forma racional.

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito ficaram praticamente estáveis em janeiro/2013 frente a dezembro/2012. Pessoa Física Das seis

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

www.anefac.com.br Rua 7 de abril. 125 - conj. 405 - CEP 01043-000 República - São Paulo-SP - Telefone: 11 2808-320 PESQUISA DE JUROS

www.anefac.com.br Rua 7 de abril. 125 - conj. 405 - CEP 01043-000 República - São Paulo-SP - Telefone: 11 2808-320 PESQUISA DE JUROS PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em maio/2014, sendo esta a décima segunda elevação seguida, quinta elevação no ano. Estas elevações podem ser atribuídas

Leia mais

Estudo de Viabilidade e Pesquisa de Campo

Estudo de Viabilidade e Pesquisa de Campo Estudo de Viabilidade e Pesquisa de Campo Estudo de viabilidade As perguntas seguintes terão que ser respondidas durante a apresentação dos resultados do estudo de viabilidade e da pesquisa de campo FOFA.

Leia mais

Conseguimos te ajudar?

Conseguimos te ajudar? Controlar suas finanças deve ser um hábito. Não com o objetivo de restringir seus sonhos de consumo, mas sim de convidá-lo a planejar melhor a realização da cada um deles, gastando o seu dinheiro de maneira

Leia mais

REALIZAÇÃO: PARCERIA:

REALIZAÇÃO: PARCERIA: REALIZAÇÃO: PARCERIA: A partir de agora você descobrirá a importância do planejamento financeiro pessoal e familiar, aprenderá a lidar melhor com o seu dinheiro, controlar suas despesas e tomar decisões

Leia mais

M = C. (1 + (i. T)) Juros compostos:- Como calcular juros compostos: montante, capital inicial, fórmula, taxa, tempo, etc.

M = C. (1 + (i. T)) Juros compostos:- Como calcular juros compostos: montante, capital inicial, fórmula, taxa, tempo, etc. Material de Estudo para Recuperação 9 ano. Juros Simples O regime de juros será simples quando o percentual de juros incidirem apenas sobre o valor principal. Sobre os juros gerados a cada período não

Leia mais

Tema: O que, como, quando e quanto compra é o que precisamos entender. tomada de decisão do jovem na hora da compra.

Tema: O que, como, quando e quanto compra é o que precisamos entender. tomada de decisão do jovem na hora da compra. Radar Jovem 2015 Tema: Já sabemos que o jovem é um dos consumidores que mais possui poder aquisitivo do país*. O que, como, quando e quanto compra é o que precisamos entender agora. Nesse estudo iremos

Leia mais

cesop OPINIÃO PÚBLICA, Campinas, Vol. 19, nº 2, novembro, 2013, Encarte Tendências. p.475-485

cesop OPINIÃO PÚBLICA, Campinas, Vol. 19, nº 2, novembro, 2013, Encarte Tendências. p.475-485 cesop OPINIÃO PÚBLICA, Campinas, Vol. 19, nº 2, novembro, 2013, Encarte Tendências. p.475-485 Este encarte Tendências aborda as manifestações populares que tomaram as grandes cidades brasileiras em junho

Leia mais

Amigos, amigos, negócios à parte!

Amigos, amigos, negócios à parte! Reforço escolar M ate mática Amigos, amigos, negócios à parte! Dinâmica 4 2º Série 2º Bimestre Aluno DISCIPLINA Ano CAMPO CONCEITO Matemática Ensino Médio 2ª Numérico Aritmético Matemática Financeira Primeira

Leia mais

Palestra tudo O QUE VOCE. precisa entender. Abundância & Poder Pessoal. sobre EXERCICIOS: DESCUBRA SEUS BLOQUEIOS

Palestra tudo O QUE VOCE. precisa entender. Abundância & Poder Pessoal. sobre EXERCICIOS: DESCUBRA SEUS BLOQUEIOS Palestra tudo O QUE VOCE sobre precisa entender Abundância & Poder Pessoal EXERCICIOS: DESCUBRA SEUS BLOQUEIOS Como aprendemos hoje na palestra: a Lei da Atração, na verdade é a Lei da Vibracao. A frequência

Leia mais

Elaboração do Projeto de Pesquisa

Elaboração do Projeto de Pesquisa Elaboração do Projeto de Pesquisa Pesquisa Pesquisa é um conjunto de atividades, que tem como finalidade solucionar e esclarecer dúvidas e problemas; comprovar hipóteses; Utiliza procedimentos próprios,

Leia mais

Pedro Mizutani acredita que setor sucroenergético deve sentir uma recuperação mais acelerada da crise

Pedro Mizutani acredita que setor sucroenergético deve sentir uma recuperação mais acelerada da crise Pedro Mizutani acredita que setor sucroenergético deve sentir uma recuperação mais acelerada da crise A crise econômica afeta o setor sucroenergético principalmente, dificultando e encarecendo o crédito

Leia mais

BANRIDICAS FINANCEIRAS. A sua cartilha sobre Educação Financeira

BANRIDICAS FINANCEIRAS. A sua cartilha sobre Educação Financeira BANRIDICAS FINANCEIRAS A sua cartilha sobre Educação Financeira Planejando seu orçamento Traçar planos e colocar tudo na ponta do lápis - não é tarefa fácil, mas também não é impossível. O planejamento

Leia mais

Avaliação do governo Desempenho pessoal da presidente

Avaliação do governo Desempenho pessoal da presidente RESULTADOS DA 129ª PESQUISA CNT/MDA A 129ª Pesquisa CNT/MDA, realizada de 20 a 24 de outubro de 2015 e divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), mostra a avaliação dos índices de popularidade

Leia mais

Indicador de Recuperação de Crédito SPC CDL/BH ABRIL/2016

Indicador de Recuperação de Crédito SPC CDL/BH ABRIL/2016 Indicador de Recuperação de Crédito SPC CDL/BH ABRIL/2016 Elaborado: Economia - Pesquisa & Mercado Equipe Técnica: Economista Ana Paula Bastos Estatística Sarah Ribeiro Analista de economia André Correia

Leia mais

Mais que um Negócio, a Profissão dos seus Sonhos

Mais que um Negócio, a Profissão dos seus Sonhos Mais que um Negócio, a Profissão dos seus Sonhos Erros e Dicas para Vender seus Serviços MElina Kunifas 2010 WWW. M E L I N A K U N I F A S. C O M Caro leitor, este livreto tem o propósito de educar e

Leia mais

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: SERVIÇO

Leia mais

IMA Institute of Management Accountants PESQUISA DE JUROS

IMA Institute of Management Accountants PESQUISA DE JUROS PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em outubro/2013, sendo esta a sexta elevação no ano. Esta elevação pode ser atribuída à última elevação da Taxa de Juros

Leia mais

Educação Financeira. Crédito Consignado. Módulo 3: Gerenciamento de dívidas

Educação Financeira. Crédito Consignado. Módulo 3: Gerenciamento de dívidas Educação Financeira Crédito Consignado Módulo 3: Gerenciamento de dívidas Objetivo Auxiliar no gerenciamento de dívidas e de como quitá-las, conscientizando as pessoas da importância em diminui-las e de

Leia mais

Propostas de luta para tornar nossa. vida melhor. Maio de 2003

Propostas de luta para tornar nossa. vida melhor. Maio de 2003 Propostas de luta para tornar nossa vida melhor Maio de 2003 Companheiros e companheiras A s políticas capitalistas neoliberais, aplicadas com mais força no governo FHC, foram muito duras com os trabalhadores

Leia mais

RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO DO PROJETO PILOTO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NAS ESCOLAS*

RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO DO PROJETO PILOTO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NAS ESCOLAS* RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO DO PROJETO PILOTO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NAS ESCOLAS* * Release elaborado pela BM&FBOVESPA baseado nos dados informados pelo Banco Mundial para o 2º Workshop de Divulgação

Leia mais

AVALIAÇÃO DO GOVERNO DESEMPENHO PESSOAL DA PRESIDENTE

AVALIAÇÃO DO GOVERNO DESEMPENHO PESSOAL DA PRESIDENTE Resultados da 127ª Pesquisa CNT/MDA Brasília, 23/03/2015 A 127ª Pesquisa CNT/MDA, realizada de 16 a 19 de março de 2015 e divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), mostra a avaliação dos

Leia mais

05/12/2006. Discurso do Presidente da República

05/12/2006. Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, no encerramento da 20ª Reunião Ordinária do Pleno Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social Palácio do Planalto, 05 de dezembro de 2006 Eu acho que não cabe discurso aqui,

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Setembro 2011 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

LANÇAMENTO PROGRAMA DE GOVERNANÇA DE ESTATAIS. Discurso do Presidente Leonardo Pereira em 02/04/2015

LANÇAMENTO PROGRAMA DE GOVERNANÇA DE ESTATAIS. Discurso do Presidente Leonardo Pereira em 02/04/2015 LANÇAMENTO PROGRAMA DE GOVERNANÇA DE ESTATAIS Discurso do Presidente Leonardo Pereira em 02/04/2015 Antes de começar, ressalto apenas que as opiniões que estarei expressando aqui hoje refletem a minha

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA INSTITUCIONAL: Avaliação dos alunos egressos de Direito

RELATÓRIO DE PESQUISA INSTITUCIONAL: Avaliação dos alunos egressos de Direito RELATÓRIO DE PESQUISA INSTITUCIONAL: Avaliação dos alunos egressos de Direito CARIACICA-ES ABRIL DE 2011 FACULDADE ESPÍRITO SANTENSE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS Pesquisa direcionada a alunos egressos dos cursos

Leia mais

36,6% dos empresários gaúchos julgam que o. 74,4% dos empresários gaúchos consideram que. 66,0% das empresas contempladas pela medida a

36,6% dos empresários gaúchos julgam que o. 74,4% dos empresários gaúchos consideram que. 66,0% das empresas contempladas pela medida a 36,6% dos empresários gaúchos julgam que o faturamento é a melhor base tributária para a contribuição patronal. 74,4% dos empresários gaúchos consideram que a medida contribuirá parcialmente ou será fundamental

Leia mais

Análise: Pesquisa Qualidade de Vida 2013 Fase 2 e 3

Análise: Pesquisa Qualidade de Vida 2013 Fase 2 e 3 Análise: Pesquisa Qualidade de Vida 2013 Fase 2 e 3 Resumo: A pesquisa de Qualidade de Vida é organizada pela ACIRP e pela Fundace. Teve início em 2009, inspirada em outros projetos já desenvolvidos em

Leia mais

Orçamento Use o Dinheiro com Sabedoria

Orçamento Use o Dinheiro com Sabedoria Orçamento Use o Dinheiro com Sabedoria Use o Dinheiro com Sabedoria Serasa Experian e Educação Financeira O Programa Serasa Experian de Educação Financeira Sonhos Reais é uma iniciativa que alia o conhecimento

Leia mais

ABCEducatio entrevista Sílvio Bock

ABCEducatio entrevista Sílvio Bock ABCEducatio entrevista Sílvio Bock Escolher uma profissão é fazer um projeto de futuro A entrada do segundo semestre sempre é marcada por uma grande preocupação para todos os alunos que estão terminando

Leia mais

Sumário. Introdução - O novo hábito... 1. Capítulo 1 - Pra que serve tudo isso?... 3. Sobre o vocabulário... 4. Benefícios... 7

Sumário. Introdução - O novo hábito... 1. Capítulo 1 - Pra que serve tudo isso?... 3. Sobre o vocabulário... 4. Benefícios... 7 Sumário Introdução - O novo hábito... 1 Capítulo 1 - Pra que serve tudo isso?... 3 Sobre o vocabulário... 4 Benefícios... 7 Perguntas Frequentes sobre o Orçamento Doméstico... 10 Capítulo 2 - Partindo

Leia mais

TENDÊNCIAS E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS 2015

TENDÊNCIAS E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS 2015 TENDÊNCIAS E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS 2015 CONTEÚDO 1. Como estamos até agora? 2. O que vem por aí... 3. Prioridades do RH para 2015 4. Nossa visão de 2015 01 COMO ESTAMOS ATÉ AGORA? PERFIL DOS PARTICIPANTES

Leia mais

GESTÃO DO CRÉDITO: AVALIAÇÃO DO RISCO, E ANÁLISE PARA TOMADA DE DECISÃO DE CRÉDITO

GESTÃO DO CRÉDITO: AVALIAÇÃO DO RISCO, E ANÁLISE PARA TOMADA DE DECISÃO DE CRÉDITO Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 109 GESTÃO DO CRÉDITO: AVALIAÇÃO DO RISCO, E ANÁLISE PARA TOMADA DE DECISÃO DE CRÉDITO Claudinei Higino da Silva,

Leia mais

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo 5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo Este estudo teve como objetivo contribuir para a compreensão do uso das mídias sociais, como principal ferramenta de marketing da Casar é Fácil, desde o momento da sua

Leia mais

AVALIAÇÃO DO GOVERNO DESEMPENHO PESSOAL DA PRESIDENTE

AVALIAÇÃO DO GOVERNO DESEMPENHO PESSOAL DA PRESIDENTE Resultados da 128ª Pesquisa CNT/MDA Brasília, 21/07/2015 A 128ª Pesquisa CNT/MDA, realizada de 12 a 16 de julho de 2015 e divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), mostra a avaliação dos

Leia mais

Núcleo de Inovação e Empreendedorismo. CRI Nacional. Relatório de Evento 11 de Dezembro de 2013

Núcleo de Inovação e Empreendedorismo. CRI Nacional. Relatório de Evento 11 de Dezembro de 2013 Data Núcleo de Inovação e Empreendedorismo CRI Nacional Relatório de Evento 11 de Dezembro de 2013 Encontro do CRI Nacional 11 de Dezembro de 2013 Cenários Econômicos e Impactos para a Inovação em 2014

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Rafael Marques Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Minha idéia inicial de coaching era a de uma pessoa que me ajudaria a me organizar e me trazer idéias novas,

Leia mais

IDÉIAS EM CONSTRUÇÃO DOCUMENTOS PARA ESTUDO 03-03

IDÉIAS EM CONSTRUÇÃO DOCUMENTOS PARA ESTUDO 03-03 1 IDÉIAS EM CONSTRUÇÃO DOCUMENTOS PARA ESTUDO 03-03 O PAPEL DO FUNDO ROTATIVO NA FORMAÇÃO DE UMA NOVA CULTURA DE CRÉDITO Introdução Obedecendo a mesma dinâmica dos dois números anteriores, esse texto trata

Leia mais

Então, é difícil para a gente afirmar um número ainda, mas vai estar nesse intervalo entre estabilidade e alguma coisa perto de 2% ou 3%.

Então, é difícil para a gente afirmar um número ainda, mas vai estar nesse intervalo entre estabilidade e alguma coisa perto de 2% ou 3%. Q&A de Teleconferência Resultado 3T08 ALL América Latina Logística 13 de novembro de 2008 Na redução de guidance de vocês, essa expressão interessante, um crescimento marginal de yield. Em um crescimento

Leia mais

Guia do uso consciente do crédito. O crédito está aí para melhorar sua vida, é só se planejar que ele não vai faltar.

Guia do uso consciente do crédito. O crédito está aí para melhorar sua vida, é só se planejar que ele não vai faltar. Guia do uso consciente do crédito O crédito está aí para melhorar sua vida, é só se planejar que ele não vai faltar. Afinal, o que é crédito? O crédito é o meio que permite a compra de mercadorias, serviços

Leia mais

Diagnóstico sobre valores, conhecimento e cultura de acesso à informação pública no Poder Executivo Federal Brasileiro

Diagnóstico sobre valores, conhecimento e cultura de acesso à informação pública no Poder Executivo Federal Brasileiro Diagnóstico sobre valores, conhecimento e cultura de acesso à informação pública no Poder Executivo Federal Brasileiro Vânia Vieira Diretora de Prevenção da Corrupção Controladoria-Geral da União DADOS

Leia mais

4 passos para uma Gestão Financeira Eficiente

4 passos para uma Gestão Financeira Eficiente 4 passos para uma Gestão Financeira Eficiente Saiba como melhorar a gestão financeira da sua empresa e manter o fluxo de caixa sob controle Ciclo Financeiro Introdução Uma boa gestão financeira é um dos

Leia mais

Marketing não Sobrevive sem Endomarketing

Marketing não Sobrevive sem Endomarketing Marketing não Sobrevive sem Endomarketing Um ótimo serviço pode se tornar ruim se os funcionários não confiam em si mesmos. Uma endoentrevista sobre endomarketing. Troquemos de lugar! O título é, sem dúvida,

Leia mais

INTRODUÇÃO. Fui o organizador desse livro, que contém 9 capítulos além de uma introdução que foi escrita por mim.

INTRODUÇÃO. Fui o organizador desse livro, que contém 9 capítulos além de uma introdução que foi escrita por mim. INTRODUÇÃO LIVRO: ECONOMIA E SOCIEDADE DIEGO FIGUEIREDO DIAS Olá, meu caro acadêmico! Bem- vindo ao livro de Economia e Sociedade. Esse livro foi organizado especialmente para você e é por isso que eu

Leia mais

FLUXO DE CAIXA. Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante)

FLUXO DE CAIXA. Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante) FLUXO DE CAIXA Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante) Brainstorming: Chuva de ideias ou Toró de parpite: O QUE É FLUXO DE CAIXA? (Objetivo: Saber

Leia mais

ANEFAC Associação Nacional dos Executivos de Finanças Administração e Contabilidade

ANEFAC Associação Nacional dos Executivos de Finanças Administração e Contabilidade PESQUISA DE UTILIZAÇÃO DO 13º SALÁRIO A Associação Nacional dos Executivos de Finanças Administração (ANEFAC) realizou durante o mês de outubro de a 15ª edição da Pesquisa de Utilização do 13º salário.

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Tópicos Economia Americana: Confiança em baixa Pág.3 EUA X Japão Pág. 4 Mercados Emergentes: China segue apertando as condições monetárias Pág.5 Economia Brasileira:

Leia mais

Enquete. Dia dos Professores

Enquete. Dia dos Professores Enquete Dia dos Professores No dia 15 de outubro será comemorado o dia do professor. Muito se fala que a profissão, apesar de muito importante, perdeu seu glamour e prestígio, sendo incapaz de atrair a

Leia mais

Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais

Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais Scup e Política: vitória nas urnas pelas redes sociais A campanha do prefeito de Duque de Caxias Alexandre Aguiar Cardoso, natural de Duque de Caxias, cidade da região metropolitana do Rio de Janeiro,

Leia mais

Metodologia. MARGEM DE ERRO O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Metodologia. MARGEM DE ERRO O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. Metodologia COLETA Entrevistas domiciliares com questionário estruturado. LOCAL DA PESQUISA Município de São Paulo. UNIVERSO moradores de 16 anos ou mais. PERÍODO DE CAMPO de 26 de setembro a 1º de outubro

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO 2013

AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO 2013 1 AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO Temas 2 Objetivo e metodologia Utilização dos serviços do plano de saúde e ocorrência de problemas Reclamação ou recurso contra o plano de

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política No Brasil, há poucas experiências conhecidas de uso de ferramentas de monitoramento de mídias sociais em campanhas políticas. Uma delas

Leia mais

Recupere a saúde financeira e. garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015

Recupere a saúde financeira e. garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015 Recupere a saúde financeira e garanta um futuro tranquilo Reitoria da UNESP, 13/05/2015 Objetivo geral Disseminar conhecimento financeiro e previdenciário dentro e fora da SP-PREVCOM buscando contribuir

Leia mais

A Lição de Lynch. O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros

A Lição de Lynch. O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros A Lição de Lynch O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros Por Laura Somoggi, de Marblehead (EUA) É muito provável que o nome Peter Lynch não lhe seja familiar. Ele

Leia mais

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos.

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos. PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito apresentaram em agosto/2014 comportamentos distintos. Na pessoa física as taxas de juros tiveram uma pequena elevação sendo esta a décima quinta

Leia mais

Questões de informações de Crédito na América Latina BRASIL

Questões de informações de Crédito na América Latina BRASIL Questões de informações de Crédito na América Latina BRASIL Papel das Centrais de Informações Comerciais Os objetivos das centrais de informação de crédito são: Apoio à gestão de risco de crédito para

Leia mais