(Prot. PAE n /2015) Assunto: Medição de indicadores de desempenho institucional pela STIC (Janeiro a Setembro/2015)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "(Prot. PAE n /2015) Assunto: Medição de indicadores de desempenho institucional pela STIC (Janeiro a Setembro/2015)"

Transcrição

1 Informação n. 023/2015-STIC (Prot. PAE n /2015) Assunto: Medição de indicadores de desempenho institucional pela STIC (Janeiro a Setembro/2015) Conforme solicitado, seguem os dados da medição dos indicadores de desempenho institucional, sob a responsabilidade desta unidade, na forma solicitada às fls. 3/4 e acompanhados de quadro detalhado sobre a composição do Índice de Alcance das Metas do PETIC. Na oportunidade, ratifico que a maior dificuldade para o alcance da meta 2015 do índice acima mencionado (composto pelos indicadores internos - do PETIC) decorre do grande volume de atividades sob a responsabilidade desta Secretaria e de pessoal insuficiente para atender a todas as demandas, em especial as relacionadas à biometria e às atividades de planejamento e gestão (impostas pelos órgãos de controle externo, a exemplo da implantação de diversos processos de trabalho de gestão de serviços de TIC, seguindo-se as boas práticas da Biblioteca de Infraestrutura de Tecnologia da Informação ITIL), as quais são reiteradamente fiscalizadas pelo CNJ e TCU, impactando, assim, na evolução das metas previstas nos indicadores internos 3, 4 e 5. Por oportuno, ratifico que os indicadores do PETIC necessitam de reformulação, por apresentarem inconsistências, conforme já informado por mais de uma vez no PAE Em 16 de novembro de Carlos Magno do Rozário Câmara Secretário de Tecnologia da Informação e Comunicação em substituição

2 ANEXO If INDICADORES DE TI SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Indicador: Índice de disponibilidade dos serviços essenciais* O que mede: O percentual de tempo, em um período, em que o SADP/SADPWeb esteve disponível para utilização pelos usuários. Tipo do indicador/polaridade: eficiência/quanto maior melhor Meta 2015: 98 % Medição: Trimestral Tempo de disponibilidade dos serviços TDS jan a maio = min Variáveis da fórmula Tempo Total do Período TTP jan a maio = min Fórmula (TDS/TTP) x 100 Dificuldades para o alcance da meta ( min / min) x 100 = 98,76% A disponibilidade é monitorada pela ferramenta Zabbix (Zabbix > Monitoramento > Serviços de TI > RELATÓRIO DE DISPONIBILIDADE DOS SERVIÇOS DE TI "SLA Sadpweb"). *Deverão ser desconsideradas as indisponibilidades previamente programadas para manutenção dos sistemas. Indicador: Índice de alcance das metas do PETI O que mede: O percentual de metas estratégicas alcançadas pela área de tecnologia da informação e comunicação (TIC) do TRE/RN. Tipo do indicador/polaridade: eficiência/quanto maior melhor Meta 2015: 100% Medição: Trimestral Total de metas alcançadas Fórmula (TDS/TTP) x 100 Dificuldades para o alcance da meta Variáveis da fórmula TMA = 2 TMEA = 6 (2 / 6) x 100 = 33,33% Vide detalhamento no quadro anexo. Total de metas estabelecidas para o ano Indicador: Índice de parcerias com resultados efetivos*

3 O que mede: O número de parcerias com os demais poderes, setores e/ou instituições, que produziram resultados concretos para o alcance das metas estratégicas da Justiça Eleitoral. Tipo do indicador e polaridade: resultado/quanto maior (a quantidade) melhor Meta 2015: 5 Medição: Anual Nº de parcerias em Informações sobre as Até setembro de 2015, não foi fechado acordo de cooperação parcerias técnica com nenhuma instituição parceira. *Consideram-se também parcerias, para efeito do indicador, os convênios e cooperações técnicas firmadas pelo ou com o Tribunal. Não devem ser computadas parcerias firmadas em anos anteriores.

4 TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DESEMPENHO DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO JANEIRO A SETEMBRO/2015 (Compõe o Indicador Índice de Alcance das Metas do PETI TRE/RN) OBJETIVO ESTRATÉGICO INDICADOR PERIODICIDADE DE MEDIÇÃO PREVISÃO ANO 2015 (TOTAL) JAN A SET (ACUMUL.) MEDIÇÃO DO DESEMPENHO OBSERVAÇÃO ALCANÇADA NO PERÍODO O orçamento estimado inicialmente para a área de TIC em 2015 era de R$ ,00. Após o primeiro contingenciamento, o orçamento disponibilizado para a área de TIC deste Tribunal seria de R$ 49,80% , Assegurar recursos orçamentários 1. Índice de recursos Trimestral Alcançar, até 2015, 85% de destinação do orçamento de TI 80 a 85% (LIQUIDADO) Após o segundo contingenciamento, este orçamento passou a ser de R$ ,00. SIM estratégicos de TI estratégicos para a execução de ações estratégicas 80% De acordo com os dados fornecidos pela SPOF/COF, de janeiro a setembro/2015, o (EMPENHADO) valor executado do orçamento de TIC foi de R$ ,00, correspondendo, portanto, a 49,80% do total. Considerando as despesas já empenhadas (R$ ,00), de janeiro a setembro/2015, o percentual do orçamento

5 OBJETIVO ESTRATÉGICO INDICADOR PERIODICIDADE DE MEDIÇÃO PREVISÃO ANO 2015 (TOTAL) JAN A SET (ACUMUL.) MEDIÇÃO DO DESEMPENHO OBSERVAÇÃO ALCANÇADA NO PERÍODO de TIC passa para 80%, demonstrando o alcance da meta prevista para o exercício, em apenas 9 meses. Dos 29 (vinte e nove) eventos de capacitação da STIC previstos para 2015, foram executados 17 (treze) até setembro semestre, conforme levantamento efetuado junto à SCAP/COED/SGP. 2. Desenvolver Competências 2. Índice de cumprimento de Plano Plurianual de Capacitação da STIC Trimestral Garantir, a partir de 2013, 100% de execução do Plano Plurianual de Capacitação da STIC 90 a 100% 58,62% 7 cursos previstos no PACD não serão realizados. 5 cursos foram realizados após setembro/2015 ou se encontram em fase de licitação. NÃO 4 eventos de capacitação não incluídos na primeira versão do PACD foram executados ou se encontram em processo de licitação. 3. Número de 3. Aprimorar a requisitos Alcançar, até 2015, a aderência a 14 infraestrutura tecnológica atendidos de infraestrutura TI Semestral requisitos da política de nivelamento de infraestrutura de TIC 14 7 (*) NÃO 4. Implantar 4. Número de Quadrimestral Implantar, até 2015, 5 1 (*) Catálogo de serviços, níveis mínimos e NÃO

6 OBJETIVO ESTRATÉGICO INDICADOR PERIODICIDADE DE MEDIÇÃO PREVISÃO ANO 2015 (TOTAL) JAN A SET (ACUMUL.) MEDIÇÃO DO DESEMPENHO OBSERVAÇÃO ALCANÇADA NO PERÍODO boas práticas processos de os processos de base de conhecimento elaborados, porém da ITIL gerenciamento gerenciamento de ainda carecem de validação. incidentes incidentes implantados estabelecidos A solução System Center Service Manager (portfólio de foi estudada pelo TRE/RN, porém a STIC serviços, níveis decidiu aguardar a prova de conceito sobre mínimos de a ferramenta CITSMART, realizada pelo serviços, base de grupo nacional de governança de TIC no conhecimento, âmbito do TRE/AM, tendo como resultado a ferramenta e central indicação de que esta atende às de serviços de TI) necessidades da Justiça Eleitoral. Central de Serviços de TIC implantada no primeiro semestre/ Implementar programa de governança de TIC 5. Número de processos de trabalho modelados Trimestral Modelar, até 2015, 12 processos de trabalho da STIC 12 6 (*) Cerca de 12 processos de trabalho da STIC estão modelados, porém ainda carecem de validação pelo Comitê Executivo de TIC (interno). NÃO 6. Primar pela Alcançar a 6. Índice de Medição realizada ao final do primeiro satisfação do satisfação dos satisfação do semestre, não obstante a necessidade de Cliente Interno Semestral clientes internos de 75 a 80% 76% cliente interno ajuste da fórmula (conforme exposto no de TIC TIC em 80% até de TIC PAE 7396/2013) (*) Dificuldade de evolução atribuída, principalmente, à carência de pessoal nas unidades, impactando nas atividades de planejamento e gestão SIM Assim:

7 ÍNDICE DE ALCANCE DAS S DO PETI = Total de metas alcançadas (TMA) dividido pelo total de metas estabelecidas para o ano (TMEA), multiplicado por cem. Sendo: TMA = 2 TMEA = 6 ÍNDICE = 33,33% (Meta 2015: 100%)

Informação n. 01/2016-STIC (Prot. PAE n. 596/2016) Assunto: Medição de indicadores de desempenho institucional pela STIC (Setembro a Dezembro/2015)

Informação n. 01/2016-STIC (Prot. PAE n. 596/2016) Assunto: Medição de indicadores de desempenho institucional pela STIC (Setembro a Dezembro/2015) Informação n. 01/2016-STIC (Prot. PAE n. 596/2016) Assunto: Medição de indicadores de desempenho institucional pela STIC (Setembro a Dezembro/2015) Conforme solicitado, seguem os dados da medição dos indicadores

Leia mais

OBJETIVOS E INDICADORES ESTRATÉGICOS

OBJETIVOS E INDICADORES ESTRATÉGICOS OBJETIVOS E INDICADORES ESTRATÉGICOS PERSPECTIVA: TRE/RN e Sociedade Objetivo 1: Primar pela satisfação do cliente de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) Descritivo: Conhecer e ouvir o cliente

Leia mais

Caderno de Indicadores Nacionais (INA) e de Metas de Medição Periódicas (MMP)

Caderno de Indicadores Nacionais (INA) e de Metas de Medição Periódicas (MMP) Estratégia Nacional de Tecnologia da Informação e Comunicação do Poder Judiciário (ENTIC-JUD) Caderno de Indicadores Nacionais (INA) e de Metas de Medição Periódicas (MMP) 1 Contexto Estratégico de TIC

Leia mais

10. Metas e Indicadores 1. PERSPECTIVA: SOCIEDADE. Tema: Qualidade 2. PERSPECTIVA: PROCESSOS INTERNOS. Tema: Responsabilidade socioambiental

10. Metas e Indicadores 1. PERSPECTIVA: SOCIEDADE. Tema: Qualidade 2. PERSPECTIVA: PROCESSOS INTERNOS. Tema: Responsabilidade socioambiental 10. Metas e Indicadores As metas representam os resultados a serem alcançados pelo tribunal para atingir os objetivos propostos. Elas permitem um melhor controle do desempenho da instituição, pois são

Leia mais

RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA Nº 089/2013

RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA Nº 089/2013 RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA Nº 089/2013 O PLENO DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO, em Sessão Administrativa hoje realizada sob a Presidência do Desembargador do Trabalho Ilson Alves Pequeno Junior,

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação do TRT 11 a Região AM/RR

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação do TRT 11 a Região AM/RR TRT11 a Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação do TRT 11 a Região AM/RR Atendendo a RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento e a Gestão Estratégica de Tecnologia

Leia mais

EQUIPE GABINETE (Gab)

EQUIPE GABINETE (Gab) EQUIPE GABINETE (Gab) - GABINETE (Gab) - IEF - QUADRO DE INDICADORES E METAS DO GABINETE (GAB) - IEF- CÓD OBJETIVO ESTRATÉGICO NOME DO INDICADOR Unidade Referência de medida Valor Data PESO METAS PREVISTAS

Leia mais

3) Qual é o foco da Governança de TI?

3) Qual é o foco da Governança de TI? 1) O que é Governança em TI? Governança de TI é um conjunto de práticas, padrões e relacionamentos estruturados, assumidos por executivos, gestores, técnicos e usuários de TI de uma organização, com a

Leia mais

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições regimentais,

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições regimentais, PORTARIA TRT/GP/DGCA Nº 38/2016 Define a Política de Gerenciamento da Central de Serviços de Tecnologia da Informação e Comunicações do Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL

Leia mais

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE)

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE) Identidade Organizacional - Acesso à informação - IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos R O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) é uma autarquia

Leia mais

TEMA ESTRATÉGICO: GESTÃO UNIVERSITÁRIA TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

TEMA ESTRATÉGICO: GESTÃO UNIVERSITÁRIA TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TEMA ESTRATÉGICO: GESTÃO UNIVERSITÁRIA TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Objetivo 1: Aprimorar a adoção de soluções de TI nas atividades de ensino, pesquisa, extensão e gestão, auxiliando na consecução

Leia mais

PDI Plano de Desenvolvimento Institucional

PDI Plano de Desenvolvimento Institucional PDI 2015-2019 Plano de Desenvolvimento Institucional CENÁRIO PDI - 2016 METODOLOGIA DE TRABALHO SISTEMÁTICA DE ACOMPANHAMENTO PAINEL DE BORDO DISPONIBILIDADE NO SITE DA UFERSA PRESENCIAL PAINEL DE BORDO

Leia mais

Assessoria de Planejamento e Gestão Estratégica Núcleo de Estatística

Assessoria de Planejamento e Gestão Estratégica Núcleo de Estatística Assessoria de Planejamento e Gestão Estratégica Núcleo de Estatística Indicadores Estratégicos 2015 Planejamento Estratégico do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte O desempenho institucional

Leia mais

Desdobrando o Mapa Estratégico da Justiça Federal do Rio Grande do Sul

Desdobrando o Mapa Estratégico da Justiça Federal do Rio Grande do Sul Desdobrando o Mapa Estratégico da Justiça Federal do Rio Grande do Sul Marcelo De Nardi Porto Alegre, 04 de julho de 2011. CONTEXTUALIZAÇÃO Poder Judiciário no Contexto da Gestão Pública Nacional Processos

Leia mais

Prioridades da Agenda de Marco Institucional da MEI

Prioridades da Agenda de Marco Institucional da MEI 2ª REUNIÃO DO COMITÊ DE LÍDERES DA MEI DE 2016 Prioridades da Agenda de Marco Institucional da MEI Gilberto Peralta GE 13 de maio de 2016 MARCO INSTITUCIONAL Emenda Constitucional nº 85 Inserção da inovação

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados Enfam

PLANO ESTRATÉGICO Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados Enfam PLANO ESTRATÉGICO 2014-2018 Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados Enfam MISSÃO Promover, regulamentar e fiscalizar, em âmbito nacional, a formação e o aperfeiçoamento dos magistrados

Leia mais

DELIBERAÇÃO CBHSF Nº 88, de 10 de dezembro de 2015

DELIBERAÇÃO CBHSF Nº 88, de 10 de dezembro de 2015 DELIBERAÇÃO CBHSF Nº 88, de 10 de dezembro de 2015 Aprova o Plano de Aplicação Plurianual - PAP dos recursos da cobrança pelo uso de recursos hídricos na bacia hidrográfica do rio São Francisco, referente

Leia mais

III Fórum de Governança de TI. Governança de TI nos Correios

III Fórum de Governança de TI. Governança de TI nos Correios III Fórum de Governança de TI Governança de TI nos Correios Outubro / 2016 COBIT 5: Governança e Gestão de TI Governança Corporativa Governança de TI Gestão de TI Vice-Presidência Corporativa - Áreas Composição

Leia mais

Indicadores da Justiça do TRABALHO. Glossário

Indicadores da Justiça do TRABALHO. Glossário Indicadores da Justiça do TRABALHO Glossário Versão: 01 Março 2013 INDICADORES NACIONAIS DA JUSTIÇA DO TRABALHO 1. Índice de Cooperação ICOOP 2. Índice de Satisfação Social ISS 3. Índice de Clima Organizacional

Leia mais

2ª RAE 2013 ANÁLISE DA ESTRATÉGIA DE TI

2ª RAE 2013 ANÁLISE DA ESTRATÉGIA DE TI 2ª RAE 2013 A tecnologia da informação é o coração da administração pública, podendo fazê-la parar ou avançar (Ministro Augusto Shermann Cavalcanti, TCU) Agenda Revisão da 1ª RAE Medição Desempenho TI

Leia mais

2ª RAE DO PLANO DE GESTÃO DA CORREGEDORIA GERAL DE JUSTIÇA DO RIO GRANDE DO NORTE

2ª RAE DO PLANO DE GESTÃO DA CORREGEDORIA GERAL DE JUSTIÇA DO RIO GRANDE DO NORTE PODER JUDICIÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE CORREGEDORIA GERAL DE JUSTIÇA 2ª RAE DO PLANO DE GESTÃO DA CORREGEDORIA GERAL DE JUSTIÇA DO RIO GRANDE DO NORTE JUNHO DE 2013 PERSPECTIVA Processos Internos TEMA

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS NO SETOR PÚBLICO P O DESAFIO. Brasília, Setembro 2005

GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS NO SETOR PÚBLICO P O DESAFIO. Brasília, Setembro 2005 GESTÃO ESTRATÉGICA DE CUSTOS NO SETOR PÚBLICO P : O DESAFIO. Brasília, Setembro 2005 CUSTOS NO SETOR PÚBLICO: P Diversidade de visões. Objetivos - custo para otimização de resultados, para melhoria de

Leia mais

Políticas Organizacionais

Políticas Organizacionais Políticas Organizacionais Versão 1.4 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 11/10/2012 1.0 Revisão das políticas EPG 26/11/2012 1.1 Revisão do Item de customização EPG 24/10/2013 1.2 Revisão

Leia mais

Governança em TI na UFF. Modelo de Gestão da STI. Henrique Uzêda

Governança em TI na UFF. Modelo de Gestão da STI. Henrique Uzêda Governança em TI na UFF Modelo de Gestão da STI Henrique Uzêda henrique@sti.uff.br 2011-2013 Universidade Federal Fluminense 122 cursos de graduação e 359 de pós-graduação ~ 45.000 alunos de graduação

Leia mais

Objetivos Estratégicos: 02- Aprimorar a Gestão de Serviços de TI 07 Desenvolver competências Gerenciais e Técnicas com Foco na Estratégia

Objetivos Estratégicos: 02- Aprimorar a Gestão de Serviços de TI 07 Desenvolver competências Gerenciais e Técnicas com Foco na Estratégia ANEXO VI DO PDTI-2016 - AÇÕES DE GOVERNANÇA DE TI Objetivos Estratégicos: 02- Aprimorar a Gestão de Serviços de TI 07 Desenvolver competências Gerenciais e Técnicas com Foco na Estratégia ID- Demanda Status

Leia mais

1. Esta Política Institucional de Comunicação e Marketing do Sicoob:

1. Esta Política Institucional de Comunicação e Marketing do Sicoob: 1. Esta Política Institucional de Comunicação e Marketing do Sicoob: a) visa estabelecer diretrizes sistêmicas aplicáveis à execução do Planejamento Estratégico em vigência, no que se refere às ações de

Leia mais

Informação de Custos e Qualidade do Gasto Público

Informação de Custos e Qualidade do Gasto Público I SEMINÁRIO POTIGUAR SOBRE CONTABILIDADE, CUSTOS E QUALIDADE DO GASTO NO SETOR PÚBLICO Informação de Custos e Qualidade do Gasto Público Nelson Machado e Victor Holanda MAIO 2011, NATAL RN Ambiente e Desafios

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BACABEIRA-MA - Plano de Trabalho - PLANO DE TRABALHO. Bacabeira-MA

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BACABEIRA-MA - Plano de Trabalho - PLANO DE TRABALHO. Bacabeira-MA PLANO DE TRABALHO Bacabeira-MA 2015 1. INTRODUÇÃO O presente Plano de Trabalho refere-se ao contrato firmado entre a Prefeitura Municipal de Bacabeira e a empresa de consultoria especializada de razão

Leia mais

Cartilha orienta conselheiros de saúde para exercício do controle social

Cartilha orienta conselheiros de saúde para exercício do controle social Cartilha orienta conselheiros de saúde para exercício do controle social A publicação Orientações para Conselheiros de Saúde foi desenvolvida pelo Tribunal de Contas da União para fortalecer o controle

Leia mais

NOÇÕES DE GESTÃO PÚBLICA

NOÇÕES DE GESTÃO PÚBLICA WELTOM CARVALHO NOÇÕES DE GESTÃO PÚBLICA 104 QUESTÕES DE PROVAS DE CONCURSOS GABARITADAS Seleção das Questões: Prof. Weltom Alves de Carvalho Organização e Diagramação: Mariane dos Reis 1ª Edição MAI 2013

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO RONDÔNIA E ACRE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PETIC 2012/2016 Porto Velho 2013 PODER

Leia mais

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação II Encontro Nacional entre o Ministério Público e o MEC Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação Setembro - 2009 O que é Sistema de acesso

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Institucional

Plano de Desenvolvimento Institucional Plano de Desenvolvimento Institucional Âmbito de atuação Missão Visão Elementos Duráveis Princípios Elementos Mutáveis (periodicamente) Análise Ambiental Objetivos Estratégicos Metas Planos de Ação PDI

Leia mais

ANEXO II METAS DE DESEMPENHO INTERMEDIÁRIAS CICLO METAS INTERMEDIÁRIAS SE Descrição da meta Indicador Fórmula de cálculo

ANEXO II METAS DE DESEMPENHO INTERMEDIÁRIAS CICLO METAS INTERMEDIÁRIAS SE Descrição da meta Indicador Fórmula de cálculo ANEXO II METAS DE DESEMPENHO INTERMEDIÁRIAS CICLO 2015 2016 METAS INTERMEDIÁRIAS SE Executar o limite orçamentário disponível até o final de outubro de 2016. (CGOF) Executar os projetos elencados no Plano

Leia mais

Processo de gerenciamento de capacidade

Processo de gerenciamento de capacidade Processo de gerenciamento de capacidade O fornecimento da capacidade exigida para processamento e armazenamento de dados é tarefa do gerenciamento de capacidade. Isso é feito para que o provimento desta

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS TÍTULO I DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DO CENTRO CAPÍTULO I DO CENTRO E DE SEUS OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS TÍTULO I DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DO CENTRO CAPÍTULO I DO CENTRO E DE SEUS OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS TÍTULO I DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DO CENTRO CAPÍTULO I DO CENTRO E DE SEUS OBJETIVOS Art. 1º O Centro de Processamento de Dados, Órgão Suplementar

Leia mais

Prof. Luiz Eduardo G. Martins. Coordenadoria Executiva do CETI Coordenadoria de Gestão da Informação - ProPlan

Prof. Luiz Eduardo G. Martins. Coordenadoria Executiva do CETI Coordenadoria de Gestão da Informação - ProPlan Prof. Luiz Eduardo G. Martins Coordenadoria Executiva do CETI Coordenadoria de Gestão da Informação - ProPlan São Paulo Fevereiro/2014 Histórico Junho/2013 - CETI inicia discussão sobre possível mudança

Leia mais

SECRETARIA DE SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA DE COORDENAÇÃO GERAL DIRETORIA GERAL DE PLANEJAMENTO GERÊNCIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA

SECRETARIA DE SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA DE COORDENAÇÃO GERAL DIRETORIA GERAL DE PLANEJAMENTO GERÊNCIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA NOTA TÉCNICA Nº 04 ORIENTAÇÕES GERAIS SOBRE O RELATÓRIO QUADRIMESTRAL DE ACORDO COM A LEI COMPLEMENTAR Nº141 DE 13 DE JANEIRO DE 2012 Introdução: Até 2011, a forma de prestar contas sobre as ações, recursos

Leia mais

Avaliação de desempenho do pessoal da CERT. Palavras-chave: Avaliação, pessoal.

Avaliação de desempenho do pessoal da CERT. Palavras-chave: Avaliação, pessoal. 1/5 Palavras-chave: Avaliação, pessoal. Exemplar nº: Sumário 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Documentos complementares 4 Definições 5 Procedimento 1 Objetivo Este Procedimento visa estabelecer a metodologia e

Leia mais

Núcleo de Apoio ao Planejamento e Gestão da Inovação. Junho de 2006

Núcleo de Apoio ao Planejamento e Gestão da Inovação. Junho de 2006 Núcleo de Apoio ao Planejamento e Gestão da Inovação Junho de 2006 NUGIN: Núcleo de Gestão da Inovação Missão Promover a geração de ambientes inovadores, fomentando e apoiando as empresas na gestão da

Leia mais

Painel de Contribuição Núcleo Socioambiental - NSA (Dezembro/2015)

Painel de Contribuição Núcleo Socioambiental - NSA (Dezembro/2015) Painel de Contribuição Núcleo Socioambiental - NSA (Dezembro/015) Objetivo Estratégico / Iniciativa Estratégica/ Meta Estratégica 1. Aumentar para 5% os resíduos sólidos reciclados do TST Ação 1. Recolher

Leia mais

CARTA CONVITE N.º 003/2012 PROCESSO ADMINISTRATIVO N.º DE /2012 ANEXO I

CARTA CONVITE N.º 003/2012 PROCESSO ADMINISTRATIVO N.º DE /2012 ANEXO I CARTA CONVITE N.º 003/2012 PROCESSO ADMINISTRATIVO N.º DE.01.03.0044/2012 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PARA FORNECIMENTO DE MATERIAL PÉTREO PARA INFRAESTRUTURA DOS LAGOS 01 E 02 DA FASE ZERO DO SAPIENS

Leia mais

Planilha1 9. ADOTAR O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO COMO INSTRUMENTO DE DESENVOLVIMENTO

Planilha1 9. ADOTAR O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO COMO INSTRUMENTO DE DESENVOLVIMENTO Planilha1 9. ADOTAR O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO COMO INSTRUMENTO DE DESENVOLVIMENTO Indicador: Índice de atingimento das metas propostas Meta: primeira medição Ano: 215 Gerenciamento do UG Responsável:

Leia mais

Relatório da Reunião de Acompanhamento da Estratégia 1º Trimestre 2012

Relatório da Reunião de Acompanhamento da Estratégia 1º Trimestre 2012 Relatório da Reunião de Acompanhamento da Estratégia 1º Trimestre Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região Sumário 1. Instruções 2. Situação da Implementação do BSC 3. Visão Geral do Mapa Estratégico

Leia mais

INSTITUTO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS VALE DO PARANAPANEMA LTDA CNPJ: / FACULDADES INTEGRADAS DE TAGUAÍ

INSTITUTO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS VALE DO PARANAPANEMA LTDA CNPJ: / FACULDADES INTEGRADAS DE TAGUAÍ VALE DO PARANAPANEMA LTDA CNPJ: 19.412.711/0001-30 POLÍTICA DE AQUISIÇÃO, ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) TAGUAÍ SP 2015 Política de Aquisição, Atualização e Manutenção

Leia mais

EQUIPE DE QUALIDADE E GESTÃO AMBIENTAL (DQGA)

EQUIPE DE QUALIDADE E GESTÃO AMBIENTAL (DQGA) EQUIPE DE QUALIDADE E GESTÃO AMBIENTAL (DQGA) - DIRETORIA DE QUALIDADE E GESTÃO AMBIENTAL (DQGA) - FEAM - QUADRO DE INDICADORES E METAS DA DIRETORIA DE QUALIDADE E GESTÃO AMBIENTAL (DQGA) FEAM CÓD OBJETIVO

Leia mais

Documento de Referência para o Pólo de TIC de Maceió

Documento de Referência para o Pólo de TIC de Maceió Página 01 Empreendimentos de tecnologia da informação e inovação tecnológica contribuem significativamente para o desenvolvimento sustentável de forma sólida e perene. Entretanto, isto só se torna possível,

Leia mais

5 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E DIRETOR DE TI PJSC

5 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E DIRETOR DE TI PJSC 5 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E DIRETOR DE TI PJSC 5.1 FUNDAMENTOS O planejamento estratégico é uma metodologia administrativa utilizada para desenvolver a estratégia da organização, que leva em consideração

Leia mais

Marcelo Henrique dos Santos

Marcelo Henrique dos Santos Marcelo Henrique dos Santos Mestrado em Educação (em andamento) MBA em Marketing e Vendas (em andamento) Especialista em games Bacharel em Sistema de Informação Email: marcelosantos@outlook.com TECNOLOGIA

Leia mais

TEXTO AULA 7: Cronograma e Orçamento.

TEXTO AULA 7: Cronograma e Orçamento. TEXTO AULA 7: Cronograma e Orçamento. 7.1 Cronograma (Prazos) Quando se pergunta a alguém o que faz um projeto ser bem-sucedido, temos como uma das respostas mais freqüentes: prazos realistas. E o que

Leia mais

COMO ESTÃO OS PORTAIS DE TRANSPARÊNCIA E OS SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO (SIC) DA PREFEITURA E DA CÂMARA?

COMO ESTÃO OS PORTAIS DE TRANSPARÊNCIA E OS SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO (SIC) DA PREFEITURA E DA CÂMARA? Boletim Nº www.observatoriopiracicaba.org.br COMO ESTÃO OS PORTAIS DE TRANSPARÊNCIA E OS SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO (SIC) DA PREFEITURA E DA CÂMARA? MAIO 2014 A transparência e o acesso aos documentos

Leia mais

Situação das ações do Governo Brasileiro Rio de Janeiro

Situação das ações do Governo Brasileiro Rio de Janeiro Code-P0 Copa 204 Situação das ações do Governo Brasileiro Rio de Janeiro Rio de Janeiro, 7 de Junho de 20 Code-P O que o Brasil quer com a Copa do Mundo FIFA Mobilizar o país Promover o país no mundo Constituir

Leia mais

1ª Jornada Internacional da Gestão Pública. O caso MDIC. BRASÍLIA (DF), 13 de março de 2013

1ª Jornada Internacional da Gestão Pública. O caso MDIC. BRASÍLIA (DF), 13 de março de 2013 1ª Jornada Internacional da Gestão Pública O caso MDIC BRASÍLIA (DF), 13 de março de 2013 ANTECEDENTES INÍCIO DE 2011 Contexto de mudança de Governo; Necessidade de diagnóstico organizacional; Alinhamento

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO Visando subsidiar a proposição de propostas a CHAMADA INTERNA DA PROPI/IFTM EDITAL MCT/FINEP/CT-INFRA-PROINFRA 02/2014, apresentamos a seguir os critérios a serem considerados quando da avaliação das mesmas:

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL - PRPDI Orientação Geral O Plano de Desenvolvimento Institucional -PDI, elaborado para um período de 5

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 2ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 2ª REGIÃO PROJETO: IMPLANTAR POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Número do Projeto: 08/2011-1 Código do Projeto:CTI_SI_POLITICA Versão: 2 Área demandante: Comitê de Planejamento e Gestão Data da versão:

Leia mais

Oficina IV - Experiências de implantação e utilização de informações de custos nos entes sub-nacionais

Oficina IV - Experiências de implantação e utilização de informações de custos nos entes sub-nacionais I Congresso Informação de Custos e Qualidade do Gasto no Setor Público Oficina IV - Experiências de implantação e utilização de informações de custos nos entes sub-nacionais Selene Peres Peres Nunes Brasília,

Leia mais

ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA ANA/CBDB

ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA ANA/CBDB ACORDO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA PRODUTO 1: PLANO DE TRABALHO CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO Atividades Responsáveis Indicador Físico Data Provável 1 Detalhamento do presente Plano de Trabalho 2 Primeira reunião de

Leia mais

Plano Plurianual de Capacitação da STI 2013/2014

Plano Plurianual de Capacitação da STI 2013/2014 Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte Secretaria de Tecnologia da Informação Plano Plurianual de Capacitação da STI 2013/2014 Rio Grande do Norte Abril/201 /2014 TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL

Leia mais

Indicadores Adm. Financeiro Junho 2016

Indicadores Adm. Financeiro Junho 2016 Indicadores Adm. Financeiro Junho 2016 Indicadores da Empresa *condicionantes para RV *Faturamento = 110MM Peso: 30% *Rentabilidade = 19% Peso: 30% Superado Atingido Parcial Não Atingido 132MM 110MM a

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, DESENVOLVIMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GOVERNANÇA, SISTEMAS E INOVAÇÃO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, DESENVOLVIMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GOVERNANÇA, SISTEMAS E INOVAÇÃO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, DESENVOLVIMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GOVERNANÇA, SISTEMAS E INOVAÇÃO MODELO DE GESTÃO Estratégia de Governança Digital 1. OBJETIVO

Leia mais

17 de novembro de Como a Controladoria pode melhorar a performance da empresa: insights da prática e das pesquisas

17 de novembro de Como a Controladoria pode melhorar a performance da empresa: insights da prática e das pesquisas 17 de novembro de 2016 Como a Controladoria pode melhorar a performance da empresa: insights da prática e das pesquisas Agenda Nossa missão Estrutura Processo Orçamentário Orçamento Matricial Despesas

Leia mais

As visões de Negócio. Analista de Negócio 3.0. Segundo Módulo: Parte 2

As visões de Negócio. Analista de Negócio 3.0. Segundo Módulo: Parte 2 Segundo Módulo: Parte 2 As visões de Negócio 1 Quais são visões de Negócio? Para conhecer o negócio o Analista de precisa ter: - Visão da Estratégia - Visão de Processos (Operação) - Visão de Valor da

Leia mais

POLÍTICA DE RISCO OPERACIONAL DOS FUNDOS E CARTEIRAS GERIDOS PELO SICREDI

POLÍTICA DE RISCO OPERACIONAL DOS FUNDOS E CARTEIRAS GERIDOS PELO SICREDI POLÍTICA DE RISCO OPERACIONAL DOS FUNDOS E CARTEIRAS GERIDOS PELO SICREDI Versão: outubro/2016 1. OBJETIVO Em concordância com as diretrizes da Política de Gerenciamento de Riscos dos Fundos e Carteiras

Leia mais

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. SIOPE Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. SIOPE Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação O que é o É um sistema de acesso público via internet, operacionalizado pelo Fundo Nacional de

Leia mais

Política de Auditoria Interna

Política de Auditoria Interna Política de Auditoria Interna 22 de outubro 2013 Define a missão, a independência, a objetividade, as responsabilidades e regulamenta a função da auditoria interna. ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. PÚBLICO ALVO...

Leia mais

PGE Digital DESCRIÇÃO DO PROJETO

PGE Digital DESCRIÇÃO DO PROJETO PGE Digital DESCRIÇÃO DO PROJETO Desenvolvimento de sistema de acompanhamento processual efetivo e eficaz para toda a Administração Pública, incluindo Autarquias e posterior desenvolvimento e implantação

Leia mais

Página: 1 de 38 03/08/ :37

Página: 1 de 38 03/08/ :37 Página: 1 de 38 Prefeitura Municipal de Matinhos - PR Planejamento Orçamentário - LDO Anexo V - Descrição dos Programas Governamentais/Metas/Custos Custos para o Exercício 2016 Dados Aprovados pelo Legislativo

Leia mais

ESTRUTURA DA SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA SENASP (1/5) (Decreto nº de 12 de fevereiro de 2016)

ESTRUTURA DA SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA SENASP (1/5) (Decreto nº de 12 de fevereiro de 2016) ESTRUTURA DA SECRETARIA NACIONAL DE SENASP (1/5) SECRETARIA NACIONAL DE ASSESSOR DAS 102.4 DAS 101.6 Conselho Nacional de Segurança Pública CHEFE DE GABINETE DE INTELIGÊNCIA ENFRENTAMENTO ÀS AÇÕES CRIMINOSAS

Leia mais

Apoio para Participação Individual de Empresas em Feiras no Exterior

Apoio para Participação Individual de Empresas em Feiras no Exterior Unidade de Projetos Termo de Referência sobre Apoio para Participação Individual de Empresas em Feiras no Exterior REVISTO E ATUALIZADO Março de 2013 Elaborado por: Apex-Brasil Pág: 1 / 36 GESTOR DE PROJETOS

Leia mais

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES E PRAZOS PARA A PREFEITURA

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES E PRAZOS PARA A PREFEITURA CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES E PRAZOS PARA A PREFEITURA É DE SUMA IMPORTÂNCIA ESTARMOS ATENTOS AOS PRAZOS LIMITE, PARA QUE TENHAMOS MAIOR TRANQÜILIDADE PERANTE NOSSOS CLIENTES E OS GESTORES PERANTE A SOCIEDADE,

Leia mais

EIXO 2 DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

EIXO 2 DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL EIXO 1 DIMENSÃO 8 PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO 1 O plano de desenvolvimento do instituto PDI ( http://www.ufopa.edu.br/arquivo/portarias/2015/pdi20122016.pdf/view ) faz referência a todos os processos internos

Leia mais

Considerando o Planejamento Estratégico elaborado para o período de ;

Considerando o Planejamento Estratégico elaborado para o período de ; INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04/2014/REITORIA Florianópolis, 30 de maio de 2014. Assunto: Dispõe sobre a elaboração do Plano Anual de Trabalho 2015 do Instituto Federal de Santa Catarina - IFSC. A Reitora do

Leia mais

Segmento de Justiça Eleitoral. 18 de outubro de 2016 Brasília/DF

Segmento de Justiça Eleitoral. 18 de outubro de 2016 Brasília/DF 2ª Reunião Preparatória Segmento de Justiça Eleitoral 18 de outubro de 2016 Brasília/DF META NACIONAL: Julgar mais processos que os distribuídos (atual Meta 1) Celeridade e produtividade na prestação jurisdicional

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 17, DE 29 DE MAIO DE 2001 (Publicada no D.O.U de 10 de julho de 2001)

RESOLUÇÃO Nº 17, DE 29 DE MAIO DE 2001 (Publicada no D.O.U de 10 de julho de 2001) Página 1 de 5 RESOLUÇÃO Nº 17, DE 29 DE MAIO DE 2001 (Publicada no D.O.U de 10 de julho de 2001) O Conselho Nacional de Recursos Hídricos, no uso das competências que lhe são conferidas pela Lei nº 9.433,

Leia mais

Manual de utilização do Sistema Hórus

Manual de utilização do Sistema Hórus Manual de utilização do Sistema Hórus Telas do Sistema: Objetivo: Introduzir o usuário ao ambiente do Sistema Hórus. Informações disponibilizadas: Significado da palavra Hórus ; Versão do sistema; Data

Leia mais

\ pea Versão: lOh SAE1PR. Proposta Orçamentária 2010

\ pea Versão: lOh SAE1PR. Proposta Orçamentária 2010 r! \ pea Versão: 15-07-09-lOh SAE1PR Proposta Orçamentária 2010 Versão: 15 07 09 loh 1. Desafios Estratégicos Esta proposta orçamentária contempla recursos financeiros necessários para a superação dos

Leia mais

11. Demonstrativo de Capacidade e Sustentabilidade Financeira

11. Demonstrativo de Capacidade e Sustentabilidade Financeira 11. Demonstrativo de Capacidade e Sustentabilidade Financeira 188 PDI 2015-2019 11.1 Planejamento orçamentário e financeiro O Orçamento Público, em sentido amplo, é um documento legal (aprovado por lei)

Leia mais

Governança de TI na APF, quo vadis? Souza Neto

Governança de TI na APF, quo vadis? Souza Neto Governança de TI na APF, quo vadis? Souza Neto Agenda Projeto de Pesquisa IPEA/UCB Modelo COBIT 5 para a APF Teoria Institucional Programa de Integridade da CGU Pesquisas Recentes do MGCTI/UCB 2 Projeto

Leia mais

PLANOS REGIONAIS DE SANEAMENTO BÁSICO

PLANOS REGIONAIS DE SANEAMENTO BÁSICO PLANOS REGIONAIS DE SANEAMENTO BÁSICO O MCIDADES deve coordenar a elaboração dos Planos de RIDE Lei 11.445/07: Art. 52. A União elaborará, sob a coordenação do Ministério das Cidades: I ( ); II - planos

Leia mais

Gerenciando Obras de Engenharia de Forma Eficaz

Gerenciando Obras de Engenharia de Forma Eficaz Gerenciando Obras de Engenharia de Forma Eficaz 08/07/15 Vinícius Bravim, MBA, PMP Palestrante Vinícius Bravim, MBA, PMP Especialista em Gerenciamento de Projetos pela FGV, certificado PMP (Project Management

Leia mais

GOVERNANÇA PÚBLICA: O DESAFIO DO BRASIL. O papel do TCU DIÁLOGO PÚBLICO CEARÁ 17 DE MARÇO DE 2014

GOVERNANÇA PÚBLICA: O DESAFIO DO BRASIL. O papel do TCU DIÁLOGO PÚBLICO CEARÁ 17 DE MARÇO DE 2014 GOVERNANÇA PÚBLICA: O DESAFIO DO BRASIL O papel do TCU DIÁLOGO PÚBLICO CEARÁ 17 DE MARÇO DE 2014 Ministro João Augusto Ribeiro Nardes Presidente do TCU SUMÁRIO O Estado e os desafios do Brasil Governança

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DE RISCOS

MANUAL DE GESTÃO DE RISCOS MANUAL DE GESTÃO DE RISCOS Junho, 2016 1 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. COMITÊ DE RISCO e CONTROLES INTERNOS... 3 3. ORGANOGRAMA... 3 4. RISCO DE CRÉDITO... 4 5. RISCO DE LIQUIDEZ... 4 6. RISCO DE CONTRAPARTE...

Leia mais

POLÍTICA DE RISCO OPERACIONAL

POLÍTICA DE RISCO OPERACIONAL Informação Pública 13/5/2016 ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 REFERÊNCIA... 3 4 CONCEITOS... 3 5 DIRETRIZES... 4 6 RESPONSABILIDADES... 7 7 INFORMAÇÕES DE CONTROLE... 10 13/5/2016 Informação

Leia mais

CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PORTARIA N.º 11, DE 7 DE JULHO DE 2006 O SECRETÁRIO FEDERAL DE CONTROLE INTERNO, no uso da competência que lhe confere o Inciso XIII

Leia mais

Excelência na Gestão

Excelência na Gestão Mapa Estratégico 2012-2014 Visão Até 2014, ser referência no atendimento ao público, na fiscalização e na valorização das profissões tecnológicas, reconhecido pelos profissionais, empresas, instituições

Leia mais

RELATÓRIO QUADRIMESTRAL DE GESTÃO

RELATÓRIO QUADRIMESTRAL DE GESTÃO RELATÓRIO QUADRIMESTRAL DE GESTÃO 3º QUADRIMESTRE - EXERCÍCIO 2015 DADOS DO CONVÊNIO INSTITUIÇÃO Associação Pais Amigos dos Surdos de Campinas /APASCAMP PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 13/10/15717 TERMO DE

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO: Matriz de Negócio da Secretaria de Controle Externo de Atos de Pessoal NEGÓCIO

IDENTIFICAÇÃO: Matriz de Negócio da Secretaria de Controle Externo de Atos de Pessoal NEGÓCIO DESCRIÇÃO DO -Estudiosos no -Estudiosos no -Estudiosos no -Informações; -Doutrina. Atos aposentadoria reserva remunerada analisado, instruído e reforma -Conselheiro Relator. -Conselheiro Relator. -Conselheiro

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação e Inovação - PRPPGI AVALIAÇÃO DE MÉRITO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação e Inovação - PRPPGI AVALIAÇÃO DE MÉRITO UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação e Inovação - PRPPGI AVALIAÇÃO DE MÉRITO Demanda: PRPPG/UNIVASF/MCT/FINEP/CT-INFRA-PROINFRA 01/2013 Proponente: Título

Leia mais

O PRESIDENTE DO CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO, no uso de suas atribuições regimentais,

O PRESIDENTE DO CONSELHO SUPERIOR DA JUSTIÇA DO TRABALHO, no uso de suas atribuições regimentais, ATO Nº 133/2009 - CSJT.GP.SE Define o Modelo de Gestão do Portfólio de Tecnologia da Informação e das Comunicações da Justiça do Trabalho e revoga a Resolução Nº 48 do Conselho Superior da Justiça do Trabalho.

Leia mais

Governança aplicada à Gestão de Pessoas

Governança aplicada à Gestão de Pessoas Governança de pessoal: aperfeiçoando o desempenho da administração pública Governança aplicada à Gestão de Pessoas Ministro substituto Marcos Bemquerer Brasília DF, 15 de maio de 2013 TCU Diálogo Público

Leia mais

Juventude: Emprego e Renda - Perspectivas Para a Juventude Em Governador Valadares Aluno(a): Relatório Parcial Introdução 1.1 Introdução ao projeto

Juventude: Emprego e Renda - Perspectivas Para a Juventude Em Governador Valadares Aluno(a): Relatório Parcial Introdução 1.1 Introdução ao projeto Juventude: Emprego e Renda - Perspectivas Para a Juventude Em Governador Valadares Aluno(a): Nívia Fernandes Rodrigues Relatório Parcial Introdução 1.1 Introdução ao projeto Em Governador Valadares/MG,

Leia mais

INDICADORES E METAS ESTRATÉGICOS

INDICADORES E METAS ESTRATÉGICOS 1 Reduzir homicídios Redução do número de homicídios Identificar a redução do número de homicídios no país 5% ao ano por 3 anos ou 15 % no final de 2018 2 Reduzir a violência no trânsito das rodovias federais

Leia mais

2.1 As ações deste projeto serão desenvolvidas nos seguintes estados: RS, SC, PR, SP, RJ, ES, SE, AL, RN, PB e CE.

2.1 As ações deste projeto serão desenvolvidas nos seguintes estados: RS, SC, PR, SP, RJ, ES, SE, AL, RN, PB e CE. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA DE EXTRATIVISMO E DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL GERÊNCIA DE REGULARIZAÇÃO AMBIENTAL Assunto: Origem: PROJETO

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI na Administração Pública Federal - Ciclo 2016 (322491)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI na Administração Pública Federal - Ciclo 2016 (322491) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI na Administração Pública Federal - Ciclo 2016 (322491) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 20/05/2016 16:33:47 Endereço IP: 177.105.36.71 Designação

Leia mais

Indicadores de Desempenho de Gestão: Ação do PAINT nº 02

Indicadores de Desempenho de Gestão: Ação do PAINT nº 02 Indicadores de Desempenho de Gestão: Ação do PAINT nº 02 Relatório nº 06/2016 Secretaria de Portos da Presidência da República 1 RELATÓRIO DE AUDITORIA N 06/2016 Referência: Ação n 02 do PAINT 2016 N páginas:

Leia mais

PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS

PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS 1. INTRODUÇÃO A Faculdade Fleming dispõe atualmente de infraestrutura de Tecnologia da Informação com rede de computadores que interliga em torno de 300

Leia mais

Estrutura Organizacional da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo

Estrutura Organizacional da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo Estrutura Organizacional da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo Estrutura Básica - SEE GABINETE DO SECRETÁRIO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO - CEE FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO -

Leia mais

Plano de Gerenciamento do Projeto Baseado na 5ª edição do Guia PMBOK

Plano de Gerenciamento do Projeto Baseado na 5ª edição do Guia PMBOK 2015 Baseado na 5ª edição do Guia PMBOK Nathan Souza Leandro Cardoso Samuel Filipe Victor Hugo 01/12/2015 1 Histórico de alterações do documento Versão Alteração efetuada Responsável Data 1.0 Versão final

Leia mais

Normas ISO:

Normas ISO: Universidade Católica de Pelotas Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina de Qualidade de Software Normas ISO: 12207 15504 Prof. Luthiano Venecian 1 ISO 12207 Conceito Processos Fundamentais

Leia mais