Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ""

Transcrição

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11 = 2 3 =

12 = =

13 µ 2 32

14 2 + = = 2 = = = = = ε 2 = ε ε ε =

15

16

17 = ε = ε P = V A A Q E = P V B Q B ε = ε ε 2 ε = VA QV B Q ε = Q( V V ) A B = Q U P = t ε = Q U

18 ε = ε = = ε = ε = ε = ε = = θ = θ θ=

19 = = Ω

20 2 = = = = 2 = 2, 8 4, 36 8,72 7, 44 = = = 05, 0, 20, 40, Ω Ω Ω Ω Ω

21 maior Þ maior R A r A 2 maior A Þ menor R A r A 2 ρ A r = ρ ρ = Ω ρ Ω Ω

22 L A C B R R 2 R 3 A R ou R A C B

23 Fusível de rosca Porcelana Rosca de metal Fio de material facilmente fundível Fusível de cartucho Terminais de metal Fio fusível Proteção de vidro ou de papelão Ω α = ρ = = Ω 2 α θ Ω

24 = = =

25 Ω Ω Ω Ω = = = Ω

26 = = = = = + 2 = + = 2 2 = 2 + 2

27 Ω Ω Ω 2 3 = = = = = 2 2 = = = 3 = 3 Ω = = + + = = Ω + +

28 = = Ω 23 = = = 23 = = = 23 = 23 = = = 2 = 2

29

30 Ω Ω Ω Ω Ω ΩΩ

31 ΩΩΩ

32 ε ε ε ε ε ε = = = =

33

34 η= η = η = 2 η η = η θ= = θ = = =

35 = = = η = η = = = 23 = 23 = = = Ω η = η = η = η = = = = Ω η= = = η = 2 > η > η 2

36 = = + = = = = 2+ 2 = + = + = + = + = + = =

37 = = = ε ε = = ε 2 = ε = = + + = + = + = = Ω + = = = = = Ω

38 = = = Ω = + = = + = = = = = = + = + = = +

39 = + 23 = Ω

40 Eeq = ΣE (série) req = Σ r (série)

41 Ω Ω Ω Ω Ω Ω

42 Ω Ω

43 = = = = E P u watt( W ) W ' = ampère ( A) Como = V( volt), i A = =

44 = 25 3 η= η= η = η = η η = θ = θ = = + = +

45 Ω η = = = = Ω Ω Ω Ω Ω = + = + = + + = = = Ω =

46 2 = + = + = = + + = + + = + + = = =

47 = + = = = η= η= η= η= η=

48 2 + = 2 + 2

49 = < i = i. F máx g máx s Fundo de escala do amperímetro Fundo de escala do galvanômetro 23 = = 2 3 = 3 3 = =

50 U AB máx =U g máx.f m Fundo de escala Fundo de escala do voltímetro do galvanômetro Ω 6 = = = = = = = + = 2 2 = = Ω Ω = 2 = = = 3 + = = Ω

51 R = U i = = Σ = Ω = = = i i

52 i = i 2 i i = 2 R R i i R = R i i R R = R R R 2 2 =ρ R A 3 3 =ρ A R ρ = R ρ R4 2 = R 3 A A Ω

53 Ω

54 α α ± α. α

55 α β αβ, α β

56 = = = 2 3 4i2 6i3 = 42 ( 5) 4i + 0i = 8 ( 3) i2 30i3 = i2 + 30i3 = 24 62i = 86 2 = = + =

1º Experimento 1ª Parte: Resistores e Código de Cores

1º Experimento 1ª Parte: Resistores e Código de Cores 1º Experimento 1ª Parte: Resistores e Código de Cores 1. Objetivos Ler o valor nominal de cada resistor por meio do código de cores; Determinar a máxima potência dissipada pelo resistor por meio de suas

Leia mais

Galvanômetro - voltímetro, amperímetro e ohmímetro

Galvanômetro - voltímetro, amperímetro e ohmímetro Galvanômetro - voltímetro, amperímetro e ohmímetro O galvanômetro é um aparelho que indica, através de um ponteiro, quando uma corrente elétrica de baixa intensidade passa através dele, ou seja, é um micro

Leia mais

CDCC-USP. 1 Base de madeira 2 Suporte Lâmp. 3 Lâmpada 15W T8 4 Capa protetora 5 Reator 6 Lig/Des e Sel. volt 7 Filtro 8 Tampa

CDCC-USP. 1 Base de madeira 2 Suporte Lâmp. 3 Lâmpada 15W T8 4 Capa protetora 5 Reator 6 Lig/Des e Sel. volt 7 Filtro 8 Tampa ANEXO VII 7 4 2 1 8 5 6 1 Base de madeira 2 Suporte Lâmp. Lâmpada 15W T8 4 Capa protetora 5 Reator 6 Lig/Des e Sel. volt 7 Filtro 8 Tampa P.Nº Cr. 100 Junior Fonte de Luz com abertura em fenda Nº Código

Leia mais

LABORATÓRIO GALVANÔMETRO-2 1 VOLTÍMETRO E AMPERÍMETRO. 1 Publicado no Caderno Catarinense de Ensino de Física, v. 10, n. 2, ago

LABORATÓRIO GALVANÔMETRO-2 1 VOLTÍMETRO E AMPERÍMETRO. 1 Publicado no Caderno Catarinense de Ensino de Física, v. 10, n. 2, ago LABORATÓRIO GALVANÔMETRO-2 1 CASEIRO VOLTÍMETRO E AMPERÍMETRO Alfredo Müllen da Paz Colégio de Aplicação UFSC José de Pinho Alves Filho Departamento de Física UFSC Florianópolis SC I. Introdução No v.

Leia mais

FÍSICA - 2 o ANO MÓDULO 25 CIRCUITOS ELÉTRICOS: INTRODUÇÃO PARTE 2

FÍSICA - 2 o ANO MÓDULO 25 CIRCUITOS ELÉTRICOS: INTRODUÇÃO PARTE 2 FÍSIC - 2 o NO MÓDULO 25 CIRCUITOS ELÉTRICOS: INTRODUÇÃO PRTE 2 i 1 R 1 R 2 i 1 i g G B i i 2 R 4 D R g i 2 R 3 i Gerador R x G i G =0 R L 1 L 2 + E r i=i CC E i = r i=i CC U E 0 i CC i L 1 L 2 120V E

Leia mais

Física Experimental B Turma G

Física Experimental B Turma G Grupo de Supercondutividade e Magnetismo Física Experimental B Turma G Prof. Dr. Maycon Motta São Carlos-SP, Brasil, 2015 Prof. Dr. Maycon Motta E-mail: m.motta@df.ufscar.br Site: www.gsm.ufscar.br/mmotta

Leia mais

Lista de exercícios 6 Circuitos

Lista de exercícios 6 Circuitos Lista de exercícios 6 Circuitos 1. Um fio com uma resistência de 5,0 Ω é ligado a uma bateria cuja força eletromotriz é 2,0 V e cuja resistência interna é 1,0 Ω. Em 2 minutos, qual é: a) a energia química

Leia mais

Física Experimental III. Prof. MSc. LUCAS BARBOZA SARNO DA SILVA

Física Experimental III. Prof. MSc. LUCAS BARBOZA SARNO DA SILVA Física Experimental III Prof. MSc. LUCAS BARBOZA SARNO DA SILVA Uma introdução à Lei de Ohm Corrente elétrica Resistência e Lei de Ohm Resistores Circuitos Medição de corrente e tensão 22/2/3 2 Corrente

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS CIRCUITOS ELÉTRICOS

INTRODUÇÃO AOS CIRCUITOS ELÉTRICOS INTRODUÇÃO AOS CIRCUITOS ELÉTRICOS Circuito Elétrico Está associado à: Presença de corrente elétrica: agente que transfere energia da fonte (pilha) para o aparelho (lâmpada). O que é necessário para se

Leia mais

CAP. 9 CORRENTE ELÉTRICA (CIRCUITO ELÉTRICO SIMPLES)

CAP. 9 CORRENTE ELÉTRICA (CIRCUITO ELÉTRICO SIMPLES) CAP. 9 CORRENTE ELÉTRICA (CIRCUITO ELÉTRICO SIMPLES) Prof. Helton Luiz 2012 O QUE É NECESSÁRIO PARA QUE UM APARELHO ELÉTRICO FUNCIONE? Um brinquedo Um rádio Uma lanterna Uma lâmpada Estes aparelhos só

Leia mais

Resumo de Eletrodinâmica

Resumo de Eletrodinâmica Resumo de Eletrodinâmica i = Corrente Elétrica (A) Δq = quantidade de carga elétrica no fio em movimento (C = coulomb) milicoulomb: microcoulomb: nanocoulomb: n = número de elétrons e = carga elementar

Leia mais

Descrição e dimensões dos itens elétricos

Descrição e dimensões dos itens elétricos Descrição e dimensões dos itens elétricos Item 2 2.1 Condutivímetro (Kit 01 Química - Compostos Iônicos) Lâmpada miniatura rosca. Voltagem 6 volts. Corrente 150 ma à 250 ma Diâmetro 9,5 mm e altura 22

Leia mais

Equipamentos de Segurança. Colégio "Serrano Guardia" Módulo I Informática Básica William Andrey de Godoy

Equipamentos de Segurança. Colégio Serrano Guardia Módulo I Informática Básica William Andrey de Godoy Equipamentos de Segurança 1 Colégio "Serrano Guardia" Módulo I Informática Básica Equipamentos de Segurança O objetivo destes equipamentos é manter e até prolongar a vida útil do micro, evitando que distúrbios

Leia mais

AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS

AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS 11 metros = 150 12 metros = 150 450 1000 máximo 11 metros = 850 12 metros = 1450 800 450 450 11 metros = 1700 12 metros = 1800 11 ou 12 metros 100 11 metros = 1300 12

Leia mais

NOME: N CADERNO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA I 3º ANO EM TURMA 232 PROFº FABIANO 1º BIMESTRE

NOME: N CADERNO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA I 3º ANO EM TURMA 232 PROFº FABIANO 1º BIMESTRE 1925 *** COLÉGIO MALLET SOARES *** 2017 92 ANOS DE TRADIÇÃO, RENOVAÇÃO E QUALIDADE DEPARTAMENTO DE ENSINO DATA: / / NOTA: NOME: N CADERNO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA I 3º ANO EM TURMA 232 PROFº FABIANO 1º

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA Departamento Informática Disciplina Sistemas de Instrumentação Engenharia de Sistemas e 1 Ano Curso Ano 2º Semestre Informática º Lectivo Aulas TeóricoPráticas Ficha de Trabalho N.º1 2005/2006 Título Conceitos

Leia mais

Capítulo 26 - Circuitos de Corrente Continua

Capítulo 26 - Circuitos de Corrente Continua RODRIGO ALVES DIAS Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF Livro texto: Física 3 - Eletromagnetismo Autores: Sears e Zemansky Edição: 12 a Editora: Pearson - Addisson and Wesley 10 de maio de 2011

Leia mais

ELETRICIDADE: CIRCUITOS ELÉTRICOS Experimento 1 Parte II: Medidas de corrente elétrica, tensão e resistência em circuitos de corrente

ELETRICIDADE: CIRCUITOS ELÉTRICOS Experimento 1 Parte II: Medidas de corrente elétrica, tensão e resistência em circuitos de corrente OBJETIVOS 9 contínua NOME ESCOLA EQUIPE SÉRIE PERÍODO DATA Familiarizar-se com o multímetro, realizando medidas de corrente, tensão e resistência. INTRODUÇÃO Corrente elétrica FÍSICA ELETRICIDADE: CIRCUITOS

Leia mais

QUESTÕES DA PROVA DE RÁDIO ELETRICIDADE- PARTE - 1

QUESTÕES DA PROVA DE RÁDIO ELETRICIDADE- PARTE - 1 QUESTÕES DA PROVA DE RÁDIO ELETRICIDADE- PARTE - 1 QUESTÕES DE SIMPLES ESCOLHA - PARTE 1 PRÓXIMA => QUESTÃO 1 a. ( ) Fonte de corrente alternada. b. ( ) Fonte de tensão contínua. c. ( ) Fonte de corrente

Leia mais

Circuitos Elétricos 1º parte. Introdução Geradores elétricos Chaves e fusíveis Aprofundando Equação do gerador Potência e rendimento

Circuitos Elétricos 1º parte. Introdução Geradores elétricos Chaves e fusíveis Aprofundando Equação do gerador Potência e rendimento Circuitos Elétricos 1º parte Introdução Geradores elétricos Chaves e fusíveis Aprofundando Equação do gerador Potência e rendimento Introdução Um circuito elétrico é constituido de interconexão de vários

Leia mais

AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS

AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS 1000 (máximo) 1750 450 500 600 VISTA LATERAL 1800 12000 100 1000 150 7300 VISTA FRONTAL VISTA SUPERIOR (1) Sem escala. (2) Medidas em milímetros. (3) Deverá atender os

Leia mais

Resistência elétrica

Resistência elétrica Resistência elétrica 1 7.1. Quando uma corrente percorre um receptor elétrico (um fio metálico, uma válvula, motor, por exemplo), há transformação de ia elétrica em outras formas de energia. O receptor

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EEL7040 Circuitos Elétricos I - Laboratório

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EEL7040 Circuitos Elétricos I - Laboratório UNIERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EEL7040 Circuitos Elétricos I - Laboratório AULA 03 MEDIDAS DE RESISTÊNCIA ELÉTRICA 1 INTRODUÇÃO Nas aulas anteriores teve-se como

Leia mais

Lista de Instrumentos de Medidas

Lista de Instrumentos de Medidas Lista de Instrumentos de Medidas 01. (EEM SP) É dado um galvanômetro de resistência interna igual a 0,25 Ω, que se funde, quando por ele passa uma corrente maior do que 0,15 A. a) Explique o que se deve

Leia mais

NOME: N O : TURMA: PROFESSOR: Glênon Dutra

NOME: N O : TURMA: PROFESSOR: Glênon Dutra Circuitos Elétricos DISCIPLINA: Física NOME: N O : TURMA: PROFESSOR: Glênon Dutra DATA: NOTA: ASS: - Circuito Simples: Esquema: Bateria: Corrente elétrica i Resistência: i = corrente elétrica V = d.d.p.

Leia mais

Eletrodinâmica REVISÃO ENEM CORRENTE ELÉTRICA

Eletrodinâmica REVISÃO ENEM CORRENTE ELÉTRICA REVISÃO ENEM Eletrodinâmica CORRENTE ELÉTRICA Corrente elétrica em um condutor é o movimento ordenado de suas cargas livres devido a ação de um campo elétrico estabelecido no seu interior pela aplicação

Leia mais

Eletricidade básica CORRENTE ELÉTRICA

Eletricidade básica CORRENTE ELÉTRICA Eletricidade básica CORRENTE ELÉTRICA Unidade de medida da corrente elétrica AMPÈRE (A). Múltiplos e submúltiplos Para valores elevados, utilizamos os múltiplos e para valores muito baixos, os submúltiplos.

Leia mais

Física C Extensivo V. 5

Física C Extensivo V. 5 GABAITO Física C Extensivo V. 5 Exercícios 0) a) = 4 + = 6 Ω 06) = Ω b) V = 48 = 6 i = A c) = = 4. = V V = V =. = 6 V d) P = P = 4. = 6 w P = P =. = 08 w e) P total = P + P = 44 w f) gerador ideal P fornecida

Leia mais

Corrente Alternada. Circuitos Monofásicos (Parte 2)

Corrente Alternada. Circuitos Monofásicos (Parte 2) Corrente Alternada. Circuitos Monofásicos (Parte 2) SUMÁRIO Sinais Senoidais Circuitos CA Resistivos Circuitos CA Indutivos Circuitos CA Capacitivos Circuitos RLC GERADOR TRIFÁSICO Gerador Monofásico GRÁFICO

Leia mais

Exercícios de Física sobre Circuitos Elétricos com Gabarito

Exercícios de Física sobre Circuitos Elétricos com Gabarito Exercícios de Física sobre Circuitos Elétricos com Gabarito (Unicamp-999 Um técnico em eletricidade notou que a lâmpada que ele havia retirado do almoxarifado tinha seus valores nominais (valores impressos

Leia mais

O galvanômetro é um instrumento que pode medir correntes elétricas de baixa intensidade, ou a diferença de potencial elétrico entre dois pontos.

O galvanômetro é um instrumento que pode medir correntes elétricas de baixa intensidade, ou a diferença de potencial elétrico entre dois pontos. 7-INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO 7.1-GALVANÔMETRO O galvanômetro é um instrumento que pode medir correntes elétricas de baixa intensidade, ou a diferença de potencial elétrico entre dois pontos. O multímetro

Leia mais

Física C Semiextensivo V. 3

Física C Semiextensivo V. 3 Semiextensivo V. 3 Exercícios 01) a) eq 4 + 1 16 Ω 06) 3 Ω 1 b) 48 16 i 3 A c) 1 1 4. 3 1 V V V 1. 3 36 V d) P 1 1 1 P 1 4. 3 36 w P P 1. 3 108 w e) P total P 1 + P 144 w f) gerador ideal P fornecida P

Leia mais

RESISTORES ELÉTRICOS I) RESUMO DE RESISTOR

RESISTORES ELÉTRICOS I) RESUMO DE RESISTOR RESISTORES ELÉTRICOS I) RESUMO DE RESISTOR Diferentemente dos receptores, os resistores elétricos são dispositivos que convertem energia elétrica exclusivamente em energia térmica. Algumas vezes nos circuitos

Leia mais

Professor João Luiz Cesarino Ferreira

Professor João Luiz Cesarino Ferreira Exercícios 1º Lei de Ohm e Potência elétrica 1º) 2º) 3º) Um fio com uma resistência de 6,0Ω é esticado de tal forma que seu comprimento se torna três vezes maior que o original. Determine a resistência

Leia mais

Sendo n o número de elétrons que constituem a carga elétrica Q e a carga elétrica elementar, temos: Q = n.e.

Sendo n o número de elétrons que constituem a carga elétrica Q e a carga elétrica elementar, temos: Q = n.e. AULA Nº 0 CORRENTE ELÉTRICA a) Corrente elétrica É todo movimento ordenado de cargas elétricas b) Intensidade média da corrente elétrica Seja Q o valor absoluto da carga elétrica que atravessa a secção

Leia mais

SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA

SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0044 ILUMINAÇÃO PÚBLICA 1/20 1.

Leia mais

Conversão de Energia I

Conversão de Energia I Departamento de Engenharia Elétrica Aula 2.3 Transformadores Prof. Clodomiro Unsihuay Vila CARACTERISTICAS ELÉTRICAS Lembrete: https://www.youtube.com/watch?v=culltweexu Potência Nominal: NBR 5356:2006

Leia mais

CORRENTE CONTÍNUA 1. RESISTORES EM SÉRIE E EM. Resistores em série: V = I.R1 + I.R2 = I.(R1 + R2) = I.Req, com Req = Ri

CORRENTE CONTÍNUA 1. RESISTORES EM SÉRIE E EM. Resistores em série: V = I.R1 + I.R2 = I.(R1 + R2) = I.Req, com Req = Ri 25 - CIRCUITOS DE CORRENTE CONTÍNUA 1. RESISTORES EM SÉRIE E EM PARALELO: Resistores em série: V = I.R1 + I.R2 = I.(R1 + R2) = I.Req, com Req = Ri 1 Solução: Primeiro se calcula a resistência equivalente

Leia mais

Exercícios Leis de Kirchhoff

Exercícios Leis de Kirchhoff Exercícios Leis de Kirchhoff 1-Sobre o esquema a seguir, sabe-se que i 1 = 2A;U AB = 6V; R 2 = 2 Ω e R 3 = 10 Ω. Então, a tensão entre C e D, em volts, vale: a) 10 b) 20 c) 30 d) 40 e) 50 Os valores medidos

Leia mais

ENCHIMENTO DE ISOPOR

ENCHIMENTO DE ISOPOR Tabela para dimensionamento de lajes protendidas ENCHIMENTO DE ISOPOR b = 30 cm e 40cm / 50cm EPS =08/=12 DADOS DA 2010 1,43 44 3,20 5,70 5,70 508 463 428 400 375 356 339 324 311 299 289 279 270 262 254

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES FONTE CARREGADOR DE BATERIA USINA Fonte Chaveada Usina 30A-14,4V Antes de Efetuar qualquer ligação em sua fonte, leia atentamente o manual de instruções. Apresentação Parabéns, você

Leia mais

Física Experimental II. Instrumentos de Medida

Física Experimental II. Instrumentos de Medida Física Experimental II Instrumentos de Medida Conceitos Básicos I 1. Corrente Elétrica: chamamos de corrente elétrica qualquer movimento de cargas de um ponto a outro. Quando o movimento de cargas se dá

Leia mais

LABORATÓRIO DE ELETRICIDADE E MAGNETISMO

LABORATÓRIO DE ELETRICIDADE E MAGNETISMO 1 LABORATÓRIO DE ELETRICIDADE E MAGNETISMO (Laboratório criado pelo prof. Dr. Ivanor Nunes de Oliveira e desenvolvido sob sua orientação) Foto 1. Laboratório de Eletricidade e Magnetismo 2 Trabalho de

Leia mais

Associação de resistores em série e em paralelo

Associação de resistores em série e em paralelo Aula Prática: Associação de resistores em série e em paralelo Introdução Suponha que você possua duas lâmpadas, cujas resistências elétricas sejam R 1 e R 2, e uma bateria cuja FEM (Força Eletro Motriz,

Leia mais

H1- Compreender as grandezas relacionadas com o campo de conhecimento em eletricidade. Aula 1

H1- Compreender as grandezas relacionadas com o campo de conhecimento em eletricidade. Aula 1 H1- Compreender as grandezas relacionadas com o campo de conhecimento em eletricidade. Aula 1 Técnico em Eletromecânica - Agosto o de 2009 Prof. Dr. Emerson S. Serafim 1 Eletrostática: CONTEÚDO Átomo-Lei

Leia mais

LABORATÓRIO DE ELETRICIDADE BÁSICA ROTEIRO 1 INSTRUMENTOS DE MEDIDAS

LABORATÓRIO DE ELETRICIDADE BÁSICA ROTEIRO 1 INSTRUMENTOS DE MEDIDAS Nome: Nota: LABORATÓRIO DE ELETRICIDADE BÁSICA ROTEIRO 1 INSTRUMENTOS DE MEDIDAS OBJETIVOS O objetivo deste experimento é orientar os alunos quanto à utilização correta de instrumentos de medidas elétricas,

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E FÍSICA Professor: Renato Medeiros EXERCÍCIOS NOTA DE AULA III Goiânia - 014 1 E X E R C Í C I O S 1. Uma corrente de 5,0 A percorre

Leia mais

1. (1,0) O gráfico abaixo mostra como a potência gerada por uma usina elétrica, em quilowatts (kw), varia ao longo das horas do dia.

1. (1,0) O gráfico abaixo mostra como a potência gerada por uma usina elétrica, em quilowatts (kw), varia ao longo das horas do dia. PAA A VALIDADE DO QiD, AS ESPOSTAS DEVEM SE APESENTADAS EM FOLHA PÓPIA, FONECIDA PELO COLÉGIO, COM DESENVOLVIMENTO E SEMPE A TINTA. TODAS AS QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA DEVEM SE JUSTIFICADAS. DATA DE

Leia mais

REVISÃO DE MEDIDAS ELÉTRICAS

REVISÃO DE MEDIDAS ELÉTRICAS Amperímetros e Voltímetros DC EVSÃO DE MEDDAS ELÉCAS s m A + s m m m s, m ma, Nova Escala m V et + m V,, V Nova Escala AB m m et m ma AB m Ohmímetros. Ohmímetros Série 0 Malha : E ( + m + int ) E ( + )

Leia mais

3º Estágio NOTA FINALIZADA

3º Estágio NOTA FINALIZADA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE JOÃO PESSOA PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO PR-EG UBTech - CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Componente Curricular: Física Geral III Professores: Evandro Alves Torquato Filho, José

Leia mais

EXPERIÊNCIA 1 MEDIDA DE CORRENTE E DIFERENÇA DE POTENCIAL

EXPERIÊNCIA 1 MEDIDA DE CORRENTE E DIFERENÇA DE POTENCIAL EXPERIÊNCIA 1 MEDIDA DE CORRENTE E DIFERENÇA DE POTENCIAL I - OBJETIVO: Mostrar os princípios básicos da instrumentação para medidas da corrente e diferença de potencial. II - PARTE TEÓRICA: INTRODUÇÃO:

Leia mais

NOME: N CADERNO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA I 3º ANO EM TURMA 232 PROFº FABIANO 1º BIMESTRE

NOME: N CADERNO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA I 3º ANO EM TURMA 232 PROFº FABIANO 1º BIMESTRE 1925 *** COLÉGIO MALLET SOARES *** 2016 91 ANOS DE TRADIÇÃO, RENOVAÇÃO E QUALIDADE DEPARTAMENTO DE ENSINO DATA: / / NOTA: NOME: N CADERNO DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA I 3º ANO EM TURMA 232 PROFº FABIANO 1º

Leia mais

RESISTORES. 1.Resistencia elétrica e Resistores

RESISTORES. 1.Resistencia elétrica e Resistores RESISTORES 1.Resistencia elétrica e Resistores Vimos que, quando se estabelece uma ddp entre os terminais de um condutor,o mesmo é percorrido por uma corrente elétrica. Agora pense bem, o que acontece

Leia mais

Colégio Paulo VI Aluno (a): Nº.: 3º Série do Ensino Médio Turma: Turno: Vespertino Lista 03 LISTA Nº 04

Colégio Paulo VI Aluno (a): Nº.: 3º Série do Ensino Médio Turma: Turno: Vespertino Lista 03 LISTA Nº 04 Colégio Paulo VI Aluno (a): Nº.: 3º Série do Ensino Médio Turma: Turno: Vespertino Lista 03 Disciplina: Física Professor (a): Murilo Gomes Data: / / 2014 Eletrodinâmica LISTA Nº 04 1. Resistores 01. Um

Leia mais

Trabalho Prático Nº 6.

Trabalho Prático Nº 6. Trabalho Prático Nº 6. Título: Carga Predominantemente Resistiva, Carga Predominantemente Indutiva e Carga Resistiva e Indutiva em paralelo. Objetivo: Este trabalho prático teve como objetivo montar três

Leia mais

Painel de medição e monitoramento

Painel de medição e monitoramento Painel de medição e monitoramento A prova de tempo e jatos potentes d água Características Construtivas Painel de medição e monitoramento, montada em invólucro fabricado em liga de alumínio fundido copper

Leia mais

ESTRUTURA ALTERNATIVA B4 PR-SF6 AFASTAMENTOS

ESTRUTURA ALTERNATIVA B4 PR-SF6 AFASTAMENTOS ESTRUTURA ALTERNATIVA B4 PR-SF6 AFASTAMENTOS 600 600 250 500 850 7300 1900 1800 9200 850 150 12000 (1) Medidas em milímetros. EMISSÃO: CT/PRJ-FEVEREIRO/04 REVISÃO: CNT -JUNHO/10 FOLHA : 1 / 7 ESTRUTURA

Leia mais

Aparelhos de medidas elétricas

Aparelhos de medidas elétricas Aparelhos de medidas elétricas Os aparelhos de medidas elétricas são instrumentos que fornecem uma avaliação da grandeza elétrica, baseando-se em efeitos físicos causados por essa grandeza. Vários são

Leia mais

Física C Intensivo V. 2

Física C Intensivo V. 2 Físca C Intensvo V Exercícos 01) C De acordo com as propredades de assocação de resstores em sére, temos: V AC = V AB = V BC e AC = AB = BC Então, calculando a corrente elétrca equvalente, temos: VAC 6

Leia mais

Eletricidade Aplicada à Informática

Eletricidade Aplicada à Informática Professor: Leonardo Leódido Ligações Elétricas Sumário Dispositivos Eletro-Eletrônicos Dispositivos de Medição Dispositivos Eletro-Eletrônicos Resistência Todo elemento em um circuito oferece um certa

Leia mais

1. (1,0) O gráfico abaixo mostra como a potência gerada por uma usina elétrica, em quilowatts (kw), varia ao longo das horas do dia.

1. (1,0) O gráfico abaixo mostra como a potência gerada por uma usina elétrica, em quilowatts (kw), varia ao longo das horas do dia. PARA A VALIDADE DO QiD, AS RESPOSTAS DEVEM SER APRESENTADAS EM FOLHA PRÓPRIA, FORNECIDA PELO COLÉGIO, COM DESENVOLVIMENTO E SEMPRE A TINTA. TODAS AS QUESTÕES DE MÚLTIPLA ESCOLHA DEVEM SER JUSTIFICADAS.

Leia mais

q = (Unidade: 1 C = 1A) t I m

q = (Unidade: 1 C = 1A) t I m 1 Corrente Elétrica Como visto no modulo anterior, os materiais condutores, devido as suas características físicas, formam elétrons livres quando de suas ligações atômicas. Contudo essas partículas que

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA DISPOSITIVOS ELÉTRICOS UTILIZADOS NAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO

PROCEDIMENTO PARA DISPOSITIVOS ELÉTRICOS UTILIZADOS NAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA- INMETRO Diretoria da Qualidade Dqual Divisão de Fiscalização e Verificação

Leia mais

Espigão Ø 6,5 mm... 11.6 Corte e Solda 11

Espigão Ø 6,5 mm... 11.6 Corte e Solda 11 VIAS NF Conexão /8 NPT.... VIAS COM FILTRO NF Conexão M 8 x,5mm (ISO 74/965.).... Conexão M 0 x,5mm (ISO 74/965.)....3 Conexão / UNF....5 Espigão Ø 6,5 mm....6 Corte e Solda 3 4 5 VÁLVULAS PARA CORTE

Leia mais

t RESOLUÇÃO COMECE DO BÁSICO

t RESOLUÇÃO COMECE DO BÁSICO t RESOLÇÃO COMECE DO BÁSICO SOLÇÃO CB. 01 Para ser resistor ôhmico o gráfico deve ser linear. Neste caso, a linearidade se observa no trecho BC. SOLÇÃO CB. 0 ' r '. i ( Equação 10 7 r'.4 4r 48 do receptor)

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL SESC CIDADANIA

CENTRO EDUCACIONAL SESC CIDADANIA CENTRO EDUCACIONAL SESC CIDADANIA Professor: Vilson Mendes Lista de exercícios de Física I Lista 6 Associação de resistores ENSINO MÉDIO NOTA: Aluno (: Data SÉRIE/TURMA 3ª 1. Em cada um dos esquemas abaixo,

Leia mais

k R microfarad F F nanofarad nf F picofarad pf F coulomb volt C V CONDUTOR EM EQUILÍBRIO ELETROSTÁTICO

k R microfarad F F nanofarad nf F picofarad pf F coulomb volt C V CONDUTOR EM EQUILÍBRIO ELETROSTÁTICO 215 CONDUTOR EM EUILÍBRIO ELETROSTÁTICO Um condutor, eletrizado ou não, encontrase em equilíbrio eletrostático, quando nele não ocorre movimento ordenado de cargas elétricas em relação a um referencial

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA GERÊNCIA EDUCACIONAL DE ELETRÔNICA Fundamentos de Eletricidade LISTA DE EXERCÍCIOS 01

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA GERÊNCIA EDUCACIONAL DE ELETRÔNICA Fundamentos de Eletricidade LISTA DE EXERCÍCIOS 01 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA GERÊNCIA EDUCACIONAL DE ELETRÔNICA Fundamentos de Eletricidade LISTA DE EXERCÍCIOS 01 1) Um par de faróis de automóvel é ligado a uma bateria de

Leia mais

ELETRICIDADE. Eletrodinâmica. Eletrostática. Eletromagnetismo

ELETRICIDADE. Eletrodinâmica. Eletrostática. Eletromagnetismo ELETRICIDADE Eletrodinâmica Eletrostática Eletromagnetismo Átomo Núcleo Prótons carga positiva (+e). Nêutrons carga neutra. Eletrosfera Eletrons carga negativa (-e). Carga Elétrica Elementar e = 1,6 x

Leia mais

CIRCUITO ELÉTRICO. Um circuito elétrico é um caminho ou itinerário para a corrente elétrica. CORRENTE ELÉTRICA

CIRCUITO ELÉTRICO. Um circuito elétrico é um caminho ou itinerário para a corrente elétrica. CORRENTE ELÉTRICA CIRCUITO ELÉTRICO Um circuito elétrico é um caminho ou itinerário para a corrente elétrica. CORRENTE ELÉTRICA A corrente elétrica é um fluxo de eletrões que transportam energia elétrica. COMPONENTES DE

Leia mais

CORRENTE E RESISTÊNCIA ELÉTRICA

CORRENTE E RESISTÊNCIA ELÉTRICA NOTA DE AULA PROF. JOSÉ GOMES RIBEIRO FILHO CORRENTE E RESISTÊNCIA ELÉTRICA 01.INTRODUÇÃO Nos três capítulos anteriores, estudamos as interações de cargas elétricas em repouso; agora estamos preparados

Leia mais

Circuitos Elétricos: Métodos de Resolução de Malhas Múltiplas

Circuitos Elétricos: Métodos de Resolução de Malhas Múltiplas Circuitos Elétricos: Métodos de esolução de Malhas Múltiplas (Por oberto ezende) (Agradecimentos ao professor Leandro Nogueira, que deu apoio com o método de Thévénin) )Introdução O objetivo deste artigo

Leia mais

Curso Avançado de Manutenção e Reparo em Impressoras e Copiadoras (Inicio em 08/08/2011)

Curso Avançado de Manutenção e Reparo em Impressoras e Copiadoras (Inicio em 08/08/2011) 1 de 26 10/8/2011 11:00 Curso Avançado de Manutenção e Reparo em Impressoras e Copiadoras (Inicio em 08/08/2011) Cursos EAD CAMRIC Recursos Módulo 2 - Uso básico e avançado do multímetro digital e analógico

Leia mais

FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL II PROF JOÃO RODRIGO ESCALARI ESQ. - EXERCÍCIOS DE FÍSICA II GERADORES E LEI DE POULIETT

FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL II PROF JOÃO RODRIGO ESCALARI ESQ. - EXERCÍCIOS DE FÍSICA II GERADORES E LEI DE POULIETT FÍSIC GERL E EXPERIMENTL II PROF JOÃO RODRIGO ESCLRI - 2012 ESQ. - EXERCÍCIOS DE FÍSIC II GERDORES E LEI DE POULIETT 1. 4. figura representa um trecho de um circuito percorrido por uma corrente com intensidade

Leia mais

ELETRICIDADE BÁSICA TEORIA ATÔMICA

ELETRICIDADE BÁSICA TEORIA ATÔMICA Matéria TEORIA ATÔMICA É tudo aquilo que ocupa lugar no espaço Molécula Núcleo: Prótons carga elétrica positiva Nêutrons carga elétrica nula Eletrosfera: Elétrons carga elétrica negativa Átomo É a menor

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO NDU-010 VERSÃO 3.1 JUNHO/2013 SUMÁRIO Item Descrição Classe Desenho 1. Haste de Aço-Cobre para Aterramento...

Leia mais

Aula 06. ASSUNTOS: Circuitos elétricos de corrente contínua; potência elétrica; leis de OHM; efeito Joule.

Aula 06. ASSUNTOS: Circuitos elétricos de corrente contínua; potência elétrica; leis de OHM; efeito Joule. ASSNTOS: Circuitos elétricos de corrente contínua; potência elétrica; leis de OHM; efeito Joule. 1. (CEFET CE 007) Na figura a seguir, a bateria E, o voltímetro V e o amperímetro A são ideais. Todos os

Leia mais

LEI DE OHM LEI DE OHM. Se quisermos calcular o valor da resistência, basta dividir a tensão pela corrente.

LEI DE OHM LEI DE OHM. Se quisermos calcular o valor da resistência, basta dividir a tensão pela corrente. 1 LEI DE OHM A LEI DE OHM é baseada em três grandezas, já vistas anteriormente: a Tensão, a corrente e a resistência. Com o auxílio dessa lei, pode-se calcular o valor de uma dessas grandezas, desde que

Leia mais

GUIA DE ESPECIFICAÇÃO 2016

GUIA DE ESPECIFICAÇÃO 2016 GUIA DE ESPECIFICAÇÃO 2016 Nos desenhos em escala, as medidas são dadas em milímetros. Guia de Especificação 2016 Lançamentos 2016 1 Axor Manufaktur 2 Axor Monocomandos de cozinha 3 Axor chuveiros, duchas

Leia mais

Física II - AV 1 (parte 2.2) 3º período de Eng. Civil Prof. Dr. Luciano Soares Pedroso Data: / /2014 valor: 10 pontos Aluno (a) Turma

Física II - AV 1 (parte 2.2) 3º período de Eng. Civil Prof. Dr. Luciano Soares Pedroso Data: / /2014 valor: 10 pontos Aluno (a) Turma Física II - AV (parte 2.2) 3º período de Eng. Civil Prof. Dr. Luciano Soares Pedroso Data: / /204 valor: 0 pontos Aluno (a)turma _. Considere que um determinado estudante, utilizando resistores disponíveis

Leia mais

J.C.A. DE LIMA- COMPONENTES ELETRO NICOS - EPP

J.C.A. DE LIMA- COMPONENTES ELETRO NICOS - EPP 1 J.C.A. DE LIMA- COMPONENTES ELETRO NICOS - EPP Apresentação da Empresa & Catálogo de Material Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do onipotente descansará." 2 Apresentação da Empresa

Leia mais

Capítulo 02. Resistores. 1. Conceito. 2. Resistência Elétrica

Capítulo 02. Resistores. 1. Conceito. 2. Resistência Elétrica 1. Conceito Resistor é todo dispositivo elétrico que transforma exclusivamente energia elétrica em energia térmica. Simbolicamente é representado por: Assim, podemos classificar: 1. Condutor ideal Os portadores

Leia mais

Saída 24 V DC, 12 W < 1 % < 1 % < 200 < 200 < 10 < 20 < 90 < 100

Saída 24 V DC, 12 W < 1 % < 1 % < 200 < 200 < 10 < 20 < 90 < 100 Características 78.12 78.36 Fontes de alimentação DC Alta eficiência (acima de 91%) Baixo consumo em stand-by (

Leia mais

H1- Compreender as grandezas relacionadas com o campo de conhecimento em eletricidade. Aula 1

H1- Compreender as grandezas relacionadas com o campo de conhecimento em eletricidade. Aula 1 H1- Compreender as grandezas relacionadas com o campo de conhecimento em eletricidade. Aula 1 Técnico em Eletromecânica - Julho de 2010 Prof. Dr. Emerson S. Serafim 1 Eletrostática: CONTEÚDO Átomo-Lei

Leia mais

Lei de Ohm e Resistores reais Cap. 2: Elementos de circuito

Lei de Ohm e Resistores reais Cap. 2: Elementos de circuito 2. Análise de Circuitos Elétricos Simples REDES e CIRCUITOS: A interconexão de dois ou mais elementos de circuitos simples forma uma rede elétrica. Se a rede tiver pelo menos um caminho fechado, ela é

Leia mais

CIDADE DE CAMAQUÃ INSTRUÇÕES GERAIS. a c d

CIDADE DE CAMAQUÃ INSTRUÇÕES GERAIS. a c d SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MEC / SETEC CIDADE DE CAMAQUÃ INSTRUÇÕES GERAIS 1 - Este caderno de prova é constituído por 40 (quarenta) questões objetivas. 2 - A prova terá duração máxima de 04 (quatro) horas.

Leia mais

Prof.: Geraldo Barbosa Filho

Prof.: Geraldo Barbosa Filho AULA 07 GERADORES E RECEPTORES 5- CURVA CARACTERÍSTICA DO GERADOR 1- GERADOR ELÉTRICO Gerador é um elemento de circuito que transforma qualquer tipo de energia, exceto a elétrica, em energia elétrica.

Leia mais

Medida da resistência elétrica

Medida da resistência elétrica Medida da resistência elétrica 1 Fig.31.1 31.1. No circuito da Fig. 31.1 o amperímetro e o voltímetro são reais (isto é, R A 0 e R V ). Eles fornecem, respectivamente, as leituras i e U. Podemos afirmar

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAPÁ PALCO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAPÁ PALCO PALCO 04 05 06 SERVIÇOS DE LOCAÇÃO DE PALCO 08X07m., Descrição: Prestação de serviços em locação com montagem e desmontagem, de palco nas dimensões de 08 metros de frente x 07 metros de profundidade, com

Leia mais

eletroeletrônica I Uma máquina industrial apresentou defeito. Máquinas eletromecânicas

eletroeletrônica I Uma máquina industrial apresentou defeito. Máquinas eletromecânicas A U A UL LA Manutenção eletroeletrônica I Uma máquina industrial apresentou defeito. O operador chamou a manutenção mecânica, que solucionou o problema. Indagado sobre o tipo de defeito encontrado, o mecânico

Leia mais

E X E R C Í C I O S. i(a) 7,5 10 elétrons

E X E R C Í C I O S. i(a) 7,5 10 elétrons E X E R C Í C I O S 1. O gráfico da figura abaixo representa a intensidade de corrente que percorre um condutor em função do tempo. Determine a carga elétrica que atravessa uma secção transversal do condutor

Leia mais

EEL7011 Eletricidade Básica Aula 2

EEL7011 Eletricidade Básica Aula 2 Introdução Teórica Aula 2: Lei de Ohm e Associação de Resistores Georg Simon Ohm Georg Simon Ohm (789-854) foi um físico e matemático alemão. Entre 826 e 827, Ohm desenvolveu a primeira teoria matemática

Leia mais

Adaptado, por José de Pinho Alves Filho, do Manual de construção de equipamentos, publicado pela SEE/PR, CECIPr

Adaptado, por José de Pinho Alves Filho, do Manual de construção de equipamentos, publicado pela SEE/PR, CECIPr GALVANÔMETRO 1 Santos Diez Arribas Departamento de Física ICEG Passo Fundo RS Alfredo Mullen da Paz Colégio de Aplicação UFSC Florianópolis SC Vários experimentos de Eletricidade deixam de ser realizados

Leia mais

CURSO DE APROFUNDAMENTO FÍSICA ENSINO MÉDIO

CURSO DE APROFUNDAMENTO FÍSICA ENSINO MÉDIO CURSO DE APROFUNDAMENTO FÍSICA ENSINO MÉDIO Prof. Cazuza 1. Arthur monta um circuito com duas lâmpadas idênticas e conectadas à mesma bateria, como mostrado nesta figura: Considere nula a resistência elétrica

Leia mais

As figuras a seguir mostram como conectar o instrumento corretamente ao circuito para fazer as medidas de tensão nos resistores.

As figuras a seguir mostram como conectar o instrumento corretamente ao circuito para fazer as medidas de tensão nos resistores. EXPERÊNCA CRCUTOS EM CORRENTE CONTNUA NTRODUÇÃO TEÓRCA. O MULTÍMETRO O multímetro é um instrumento com múltiplas funções utilizado frequentemente nas bancadas de trabalho em eletrônica. Permite medir tensões

Leia mais

Notas de Aula ELETRICIDADE BÁSICA

Notas de Aula ELETRICIDADE BÁSICA Notas de ula ELETICIDDE ÁSIC Salvador, gosto de 2005. . Conceitos ásicos Fundamentais Estrutura tômica figura.0 é a representação esquemática de um átomo de ohr. Elétron () Núcleo( ou 0) Este átomo é composto

Leia mais

Curso: E.M. TURMA: 2101 e 2102 DATA:

Curso: E.M. TURMA: 2101 e 2102 DATA: EXERCÍCIOS ON LINE 2º Bimestre DISCIPLINA: Física II PROFESSOR(A): Eduardo R Emmerick Curso: E.M. TURMA: 2101 e 2102 DATA: NOME: Nº.: 01) Vamos supor que temos uma partícula carregada com carga q = 4 μc

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EEL7040 Circuitos Elétricos I - Laboratório

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EEL7040 Circuitos Elétricos I - Laboratório UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EEL7040 Circuitos Elétricos I - Laboratório AULA 02 VOLTÍMETRO E AMPERÍMETRO DE CORRENTE CONTÍNUA 1 INTRODUÇÃO Na primeira aula

Leia mais

Laboratório de Física UVV

Laboratório de Física UVV Laboratório de Física U 1/5 Resistividade em Fios Metálicos Resistência lunos: Turma: Data: / /20 1: 2: 3: 4: 5: Objetivo Determinar a resistividade de fios metálicos por meio da medida da resistência

Leia mais

Física e Química. Material de laboratório

Física e Química. Material de laboratório Física e Química Material de laboratório Miguel Neta Outubro de 2017 Índice Material de cerâmica... 3 Material de medição... 4 Material de metal... 9 Material de plástico... 12 Material de vidro... 14

Leia mais