APOSTILA DE NÓS E AMARRAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APOSTILA DE NÓS E AMARRAS"

Transcrição

1 APOSTILA DE NÓS E AMARRAS

2 APOSTILA DE NÓS E AMARRAS ASSOCIAÇÃO AMAZÔNIA OCIDENTAL 2ª COORDENAÇÃO DE DESBRAVADORES Edição e Diagramação: Renilson Gomes Fontes: Manual de Nós e Amarras do Grupo Atalaias de Cristo, Manual de Nós e Amarras Tarafa Camp Coleção, Manual de Nós e Amarras da Editora Sobre Tudo, Apostila de Nós e Amarras do Clube Silvestre e Livro Na Trilha da Aventura.

3 APRESENTAÇÃO Após muito pesquisar sobre nós e amarras, decidi reunir todo o conhecimento adquirido nessa área em um único lugar, daí surgiu a ideia de desenvolver esta apostila de nós e amarras. Ela não é a mais completa apostila de nós e amarras, porém ela pode ser de grande ajuda para você desbravador(a) que gosta dessa área, pois, aqui estão reunidos os nós e amarras mais utilizados por nós em acampamentos e também em nosso cotidiano. Este material é um projeto independente, todavia, foi desenvolvido com o fim de ajudar a melhorar o desenvolvimento dessa área, já que os materiais disponibilizados na internet nenhum deles têm todo o conteúdo reunido no mesmo local. Infelizmente não consegui a imagem de todos os Nós. Espero conseguir outras apostila mais completas coma a apostila do corpo de bombeiros militar e assim ampliar esta apostila para que você possa ampliar seus conhecimentos. Sempre MARANATA! Renilson Gomes Líder de Desbravadores Renilson Gomes Líder de Desbravadores 2ª Coordenação de Campo Acre/AamO. 3

4 1. Nós e Amarras Amarrar o sapato, colocar o avental ou a gravata são exemplos do quanto utilizamos os nós no dia-a-dia. Um nó nada mais é que um enlaçamento de uma ou mais cordas formando uma massa uniforme. Quanto mais apertado o nó, mais peso ele poderá suportar. A corda consiste em um conjunto de fibras torcidas ou trançadas entre si. Ela é usada principalmente para acampamentos, navegação construção e muitas outras atividades. 2. Tipos de Corda A corda recebe o nome da espécie da fibra empregada na sua fabricação, podendo ser de origem animal, vegetal ou sintética Fibras de Origem Animal: seda, crina e couro Fibras de Origem Vegetal: sisal, cânhamo, coco, algodão e juta Fibras de Origem Sintética: náilon, polipropileno e polietileno. As cordas de origem animal são raras e de uso limitado. As de fibra vegetal são comum e muito utilizadas. As melhores cordas são feitas de cânhamo, que não é abundante na natureza. Por isso boa parte das cordas encontradas no mercado é de juta. As cordas de fibras naturais apresentam algumas desvantagens: quando molhadas, incham, dificultando o desate do nó, além da tendência de ficarem muito quebradiças, apodrecerem com facilidade, bem como sofrerem a ação da água do mar. Sol forte e produtos químicos também desgastam esse tipo de corda. Já as de fibras sintéticas tem alta resistência a tração à tração e boa capacidade de carga; elas absorvem choques, são resistentes a danos químicos e à co0rrosão provocada por óleos, petróleo e pela maioria dos solventes. Além disso, por absorverem menos água que as de fibras naturais, sua resistência tende a ser constante quando molhadas. A principal desvantagens das cordas sintéticas, porém, é o fato de ser tão lisas que alguns nós se desfazem. Assim, é preciso firmálos com uma meia-volta ou dobras adicionais. Lembre-se: Não use cordas de fibras diferentes juntas, pois somente a mais resistente funcionará sob tensão. 3. Cuidados Com a Corda Periodicamente as cordas devem ser inspecionadas. Deve-se destorcer ligeiramente os cordões para examinar o interior da corda. Caso esses cordões estejam escurecidos, a corda não poderá ser usada em situações nas quais se exija segurança. As fibras interiores devem apresentar-se brilhantes e novas em sua aparência. Os próprios nós danificam a corda. Quanto mais apertado e forte, maior será a chance de romper a corda. Se a corda esteve na água do mar é preciso enxaguá-la com água doce antes de ser guardada, para se remover todo o sal das fibras. Renilson Gomes Líder de Desbravadores 2ª Coordenação de Campo Acre/AamO. 4

5 Se forem cuidadas apropriadamente, as cordas podem ter maior tempo de utilidade. Não guarde cordas úmidas ou molhadas, especialmente as de juta. A umidade as deteriora. É melhor secá-las ao sol, nunca em fornos. Evite arrastar uma corda sobre superfície cortante ou deixá-la enroscar-se em cantos ásperos, pois poderá danificar-se e romper as fibras. Não permita que sujeira ou areia penetre nas fibras da corda. Não a dobre, nem pise sobre ela, pois poderá deformá-la, faça uma capa para guardar sua corda. Cordas utilizadas para escaladas, rapel e outras atividades verticais não devem ter nenhum contato com hidrocarbonetos (solventes) ou ácidos, pois esses produtos danificam a estrutura do náilon, enfraquecendo a corda. O modo de guardar a corda também ajuda na sua conservação. Apresentamos agora três maneiras pelas quais podemos enrolar as cordas e assim guardá-las ou transportá-las facilmente Meada Passar a corda alternadamente sob os pés e por cima dos joelhos, sempre no mesmo sentido. Enrolar os dois últimos metros em torno dos anéis de um dos extremos e arrematar com um nó Feixe Seguir o mesmo procedimento da meada, só que no final, deixar corda suficiente para envolver os anéis de um extremo ao outro. É possível fazer uma alça para transporte Anel ou Coroa Enrolar do mesmo moda que a meada; no final, reservar aproximadamente dois metros de corda para envolver os anéis em espiral e arrematar com um nó. 4. Classificação A palavra nó vem do latim nodos que significa unir. As roupas, na antiguidade, eram presas por nós até que surgiram os botões, os zíperes e os velcros. Muitos dos nós que hoje utilizamos já eram usados pelos gregos e romanos, e seu formato tem se preservado em jóias e esculturas. Apenas para facilitar a compreensão, os nós estão classificados em oito tipos diferentes NÓS DE PONTAS DE CORDAS: São usados para evitar que a ponta de uma corda deslize por um orifício ou para amarrar a ponta de um cabo a fim de evitar que ele se desfie NÓS CORREDIÇOS: São usados desde a pré-história, na confecção de armadilhas e armas, pois eles apertam ao redor do objeto ao qual são presos, afrouxando quando a tensão é diminuída NÓS ENCURTADORES: São usados principalmente para encurtar cabos longos, também podem ser usados para isolar uma parte do cabo que esteja danificada. Renilson Gomes Líder de Desbravadores 2ª Coordenação de Campo Acre/AamO. 5

6 4.4 - NÓS DE PESCA: Utilizados para atender exclusivamente as necessidades da pesca VOLTAS: Usadas quando se quer prender uma corda ou um gancho a um poste. Por suportarem bem a tensão lateral, são utilizadas para atracação e amarração de embarcações ALÇAS: São semelhantes as voltas, só que as alças são feitas para ser colocadas sobre um objeto, acompanhando sua forma EMENDAS: Como o nome já diz serve para emendar as pontas de duas cordas a fim de formar uma mais longa. Para se obter maior segurança, é preferível que o diâmetro e o tipo das cordas sejam idênticos AMARRAS: Apropriadas para se unir barras ou haste. Muito utilizadas para construir moveis de acampamento. 5. Uso Prático dos Nós e Amarras SIMPLES: É empregado para dar nó em ponta de corda, assim evitando que ela se destorça ou para iniciar outros nós OITO: É usado para evitar que a corda corra através de um laço, argola ou toro, razão porque é muito usado a bordo dos navios NÓ CORREDIÇO: Por ser fácil de se ajustar, esse nó é muito utilizado para amarrar pacotes e quando se deseja prender amarrar animais a um poste, por exemplo. Pode ser feito no meio da corda ou na ponta, e quanto mais tensionado for, mais apertado ficará o laço. Renilson Gomes Líder de Desbravadores 2ª Coordenação de Campo Acre/AamO. 6

7 5.4 - NÓ DE CARRASCO: É usado em escaladas, pois é capaz de absorver choques quando a corda é sujeita a grandes ou inesperadas tensões, mas não é considerado um nó muito seguro LAÍS DE GUIA DE CORRER: É usado para içar alguma coisa na água, pois não solta com o solavanco do barco nem com o balanço da água CATAU: Empregado para isolar uma parte da corda que esteja danificada, para encurtar ou esticar um cabo frouxo, ou para isolar numa argola ALÇA DE AZELHA SIMPLES: Apropriado para encurtar cordas danificadas e para rebocar veículos NÓ DE SANGUE: Tem grande resistência, por isso é usado para unir cordas de náilon. Renilson Gomes Líder de Desbravadores 2ª Coordenação de Campo Acre/AamO. 7

8 5.9 - TURLE: Serve para prender mosca com óleo ao tipé. Não é adequado para anzol com olhal NÓ ÚNICO PARA EMPATE: Serve para amarrar um girador ou pitão a um leader CIRURGIÂO PARA PESCA: Útil para unir linhas de tamanho diferente, aumentando sua resistência NÓ ÚNICO PARA TERMINAIS: Excelente para prender mosca ou anzol a um leader ou tippet NÓ ÚNICO PARA UNIR LINHAS: É um modo eficiente de ligar as duas partes de um leader ou tippet. Usado pelos pescadores para pegar grandes peixes com pequenas iscas VOLTA DO FIEL: Empregado para firmar uma corda no ponto de amarração. Serve para amarrar as cordas da barraca e para ligar uma estaca a outra VOLTA DA RIBEIRA: Usado para içar objetos cilíndricos e iniciar a amarra diagonal Renilson Gomes Líder de Desbravadores 2ª Coordenação de Campo Acre/AamO. 8

9 VOLTA ESTICADA: Usado para amarrar cabos às estacas de barracas e em serviços de resgate de urgência FATEIXA: Feito para firmar um cabo numa barra, num arganéu, para amarrações firmes, para atar as cordas da barraca nas suas estacas, atracar barcos ao caís, etc VOLTA DO GATO: usado em acampamentos para erguer objetos leves PRÚSIK: É empregado para fixar uma ou mais cordas em um cabo. Esse nó pode escapar se a corda estiver molhada ou congelada COTE: Usado para completar e reforçar outros nós DOIS COTES: Nó fácil de desatar. Funcionará melhor se houver um tensão constante. Tanto o cote como o dois cotes ficam mais seguros se na ponta da corda houver um nó terminal MEIA VOLTA DO FIEL: Utilizado por escaladores no momento da descida. Renilson Gomes Líder de Desbravadores 2ª Coordenação de Campo Acre/AamO. 9

10 LAÍS DE GUIA: Utilizado especialmente na segurança durante a transposição de obstáculos, para prender uma pessoa ou animal quando há necessidade inevitável de que a laçada não se aperte, quando se desce alguém de um prédio incendiado ou quando se puxa um animal a guia. É um nó que não corre nem aperta BORBOLETA: usado para dar maior tensão às cordas LAÍS DE GUIA DUPLO: Serve para prender o homem do meio numa escalada onde tem três ou mais pessoas na corda CADEIRA DE BOMBEIRO: Usado para puxar uma pessoa de dentro de um poço ou lugar semelhante DIREITO: Empregado para unir cordas de mesmo diâmetro. Não escorrega e não aperta facilmente. É muito fácil de desatar. Usamos para amarrar bandagens em primeiros socorros CEGO: Escorrega e é praticamente inútil. Aprendemos para não fazê-lo. Renilson Gomes Líder de Desbravadores 2ª Coordenação de Campo Acre/AamO. 10

11 5.29- NÓ DE PESCADOR: Usado para unir cordas linhas molhadas ou lisas NÓ DE PESCADOR DUPLO: Usado para unir cordas ou formar alças NÓ ORDINÁRIO: Usado para reboques. As pontas devem ser amarradas VOLTA DO CAÇADOR: Unir cordas de maior diâmetro CIRURGIÃO: É usado para suturar feridas VOLTA DA ESCOTA: É empregado para unir cordas de diferente diâmetro. É usado para amarrar a escota a vela do navio MEIA VOLTA MORDIDA: Serve para içar objetos leves numa manobra rápida GANCHO: Serve para prender com presteza um cabo a qualquer gato fixo ou aparelho de içar NÓ PELA METADE: Serve para prender provisoriamente o chicote de um cabo que não deverá sofrer esforça TORNIQUETE: É utilizado em primeiros socorros para deter hemorragias. Renilson Gomes Líder de Desbravadores 2ª Coordenação de Campo Acre/AamO. 11

12 NÓ DE MARINHEIRO: Útil para amarrar a canoa no porto LAÇADA CORREDIÇA OU TENSOR DE BARRACA: Para deixar os estirantes da barraca tensos, bom para amarrar cobertura de lona ou plástico as estacas. oca NÓ EM CADEIAS: Utilizado para prender Folha de cobertura em uma cabana ou NÓ DE PASSADOR: É usado para aguentar o passador em um merlim, quando se deseja rondar as voltas que atracam dois cabos ou duas partes de um cabo onde se vai fazer uma alça. É usado também para amarração de pranchas de costado ou para prender um cabo a um gato NÓ DE CAMINHONEIRO OU CARIOCA: Excelente para amarrar cargas ou imobilizar e é fácil de desatar BALSO DOBRADO: Serve para descer um homem a um paiol invadido pelo fumo, sendo que ele desmaie pode ser içado com segurança PUNHO DE ADRIÇA SINGELO: Serve para fixar o chicote de um cabo a uma amarração fixa NÓ DE MORINGA: Usado onde seja necessário uma alça permanente. Renilson Gomes Líder de Desbravadores 2ª Coordenação de Campo Acre/AamO. 12

13 VOLTA DO SALTEADOR: Utilizado quando se precisa descer de uma montanha ou árvore e tirar a corda quando chegar lá embaixo NÓ DE SALTEADOR DUPLO: Utilizado para dar mais segurança que o salteador OLHO DE PESCADOR: Executa-se dando com o seio duas voltas redondas de sentidos contrários, que, depois de ligeiramente sobrepostas, se vai passar o seio pela interseção das voltas e, depois, socá-la convenientemente. Usado para fazer uma alça VOLTA SINGELA: Serve para segurar um mastro ou antena ao alto, escapelando no topo do mastro a parte central e servindo de plumas os ramos e os chicotes os quais são amarrados no convés em distância e direção convenientes VOLTA DA RIBEIRA E COTE: Útil para segurar um madeiro que se reboca VOLTA MORDIDA: Serve para completar e reforçar outros nós NÓ QUADRADO: Geralmente utilizado para propósitos decorativos NÓ BOBINA: Unir uma corda a uma madeira ou ferro NÓ CONSTRITOR: utilizado para encurtar cordas CABEÇA DE SABIÁ: Unir a corda a uma argola. Renilson Gomes Líder de Desbravadores 2ª Coordenação de Campo Acre/AamO. 13

14 DIREITO ALCEADO: Variação do Nó Direito, tem como característica principal o fato de poder ser desfeito facilmente VOLTA DA ALÇA: Para fixar uma corda dupla VOLTA DO TORTO: Parecido com o direito, é escorregadio (não é o cego) NÓ AMOR-PERFEITO: Consta de dois meios-nós invertidos e entrelaçados partindo de uma laçada prévia. É ideal para iniciar trabalhos e pode ser executado em torno de um fio NÓ DE ARNÊS: Começa-se com um cote direito e faz com que o chicote passe por baixo dele. Renilson Gomes Líder de Desbravadores 2ª Coordenação de Campo Acre/AamO. 14

15 BALSO PELO SEIO: Utiliza-se para fazer duas alças fixas do mesmo tamanho em uma corda ENCAPELADURA: É muito útil para se construir um tripé rapidamente. Dão-se dois cotes, um direito e outro inverso, na mesma corda, e sobrepõem-se ligeiramente. Em seguida puxam-se os seios, ficando três olhais que são para introduzir as três varas do tripé. Depois de apertar bem o nó termina-se unindo as pontas com um direito NÓ TREVO: Este é um nó decorativo, sendo uma variação do nó amor-perfeito. Este não é um nó seguro, e não suporta nenhuma tensão e desmancha-se com facilidade VOLTA REDONDA COM DOIS COTES: Utiliza-se para amarrar um cabo a um mastro ou verga e também a uma argola ou arganéu apertando. O importante é fazer o cabo dar duas voltas em torno do mastro para segurar bem apertado NÓ BOCA DE LOBO: Utiliza-se para o içamento de fardos, sacos, barris, etc. Pode ser feito com alças entrelaçadas. Renilson Gomes Líder de Desbravadores 2ª Coordenação de Campo Acre/AamO. 15

16 NÓ PATA DE GATO: É usado para fixar um cabo a um gancho, para fazer-se uma alça provisória em uma corda enganchada NÓ DE TRANÇA: É composto de laçadas montada duas a duas e em forma espiralada. O nó de trança é trabalhado com dois fios. Enquanto se prende um deles, faz-se uma laçada com o outro e assim alternadamente, seguindo a mesma ordem NÓ DE TECELÃO: Usado em cordas finas NÓ DE GRAVATA: É um nó muito seguro e resistente a puxões e safanões. É menos propenso apertar-se por si próprio, e para que isso aconteça será necessário submetê-lo a uma grande pressão. Se isso ocorrer pode ser muito difícil desmanchá-lo. É o melhor nó para atar-se a alças de baldes, indicado para atar-se animais e, se feito de forma corrediça, pode ser um seguro cabresto para um cavalo NÓ DE AJUSTE: Serve para unir duas cordas grossas. Se faz como o nó bobo porém, se arremata a ponta dos cabos com outra corda extra NÓ DE ESCOTA ALCEADO: É uma variante do nó de escota que permite unir Renilson Gomes Líder de Desbravadores 2ª Coordenação de Campo Acre/AamO. 16

17 dois cabos de diferente diâmetro, com um laço para desfazê-lo facilmente NÓ DE ESTACHA: Usado para unir cordas grossas. Quanto maior for o número de cotes maior a resistência. Os cabos são arrematados com cordas mais finas NÓ DE CAPUCHINHO: É útil para segurar uma corda sem queimar as mãos ou para facilitar a subida de uma pessoa em um só cabo MEIO-NÓ-CORREDIÇO: Se utiliza para fixar rapidamente uma corda a uma argola. Tem a mesma aplicação de um cote, porém de um puxão se desfaz LAÇADA ENCAVILHADA: Inicia com um cabeça de sabiá, só que ao invés de introduzir as pontas das cordas através da laçada, introduza uma cavilha (trava), que facilitará desfazer a laçada NÓ DE CANHÃO: Para segurar fortemente uma corda; se ajusta bem tanto a um poste como a uma argola; tem grande resistência a tração e não desliza nem afrouxa VOLTA DO PESCADOR: Se ajusta bem a uma argola tem grande resistência a tração. Renilson Gomes Líder de Desbravadores 2ª Coordenação de Campo Acre/AamO. 17

18 NÓ DE ÂNCORA: Serve para atar uma corda ao olho de uma âncora ou às argolas das barracas CABEÇA DE TURCO OU BARBILETE: É um nó decorativo em forma de anel que se utiliza para apoiar uma vara de pesca, para conduzir com segurança um timão, e também um nó para fazer um anel de lenço NÓ DE DIAMANTE: É considerado um nó decorativo; os marinheiros antigos o faziam como um nó permanente, com um ou dois cabos. Renilson Gomes Líder de Desbravadores 2ª Coordenação de Campo Acre/AamO. 18

19 NÓ DE ESPIRAL: Consiste em uma sequência de meios nós duplos. Depois de mo0ntada a sequência, os nós se retorcerão automaticamente, fazendo o movimento espiralado que o caracteriza NÓ JOSEFINA: De grande beleza e decorativo, este nó também é empregado como nó de trabalho, devido a sua resistência à pressão, quando bem ajustado e apertado. Como um nó decorativo, tanto pode ser usado0 sozinho como com outros nós NÓ DE AMARRAR: Utilizado em atividades de navegação para fixar com rapidez uma corda a um suporte. É arrematado com um cote NÓ DIREITO ANDINO: Utiliza-se mais frequentemente para unir duas cordas da mesma espessura, amarrar ataduras, terminar algumas amarras, etc, por ser um nó fácil de ser feito AMARRA QUADRADA: Usada sempre que for necessário unir duas hastes ou galhos cruzados a um ângulo de 90 graus. Inicie com o volta do fiel. Renilson Gomes Líder de Desbravadores 2ª Coordenação de Campo Acre/AamO. 19

20 AMARRA DIAGONAL: Usado quando precisa unir duas hastes que estão se cruzando no formato de um X. inicie com o volta da ribeira AMARRA CONTINUA: Usada para unir uma haste menor a uma haste maior em ângulo reto. Muito útil para fazer moveis de acampamento AMARRA PARALELA: Usada para unir vigas paralelas e formar pernas de sustentação AMARA TRIPÉ: Esta amarra é usada para a construção de tripés em acampamentos, afim de segurar lampiões ou servir como suporte para qualquer outra finalidade. A amarra tripé é feita iniciando com uma volta da ribeira ou volta do fiel, passando alternadamente por cima e por baixo de cada uma das três varas, que devem estar colocadas lado a lado com uma pequena distância entre elas. Não é necessário o enforcamento nessa amarra, pois ao ajustar o tripé girando a vara do meio a amarra já sofre o enforcamento sendo suficientemente presa. Entretanto, em alguns casos o enforcamento pode ser feito passando voltas entre as varas e finalizando com uma volta do fiel ou nó direito preso a extremidade inicial. Renilson Gomes Líder de Desbravadores 2ª Coordenação de Campo Acre/AamO. 20

Nós e Amarras. Nó Direito: Para emendar ataduras e emendar cabos com o mesmo diâmetro.

Nós e Amarras. Nó Direito: Para emendar ataduras e emendar cabos com o mesmo diâmetro. Nós e Amarras Nó Direito: Para emendar ataduras e emendar cabos com o mesmo diâmetro. Nó de Azelha:É usado para suspender prumo, formar uma alça ou asa, ou destinado a pendurar um cabo. É dado na ponta

Leia mais

- 1 - Nós de travagem São destinados a rematar a ponta de uma corda de modo a engrossá-la ou evitar que se desfie.

- 1 - Nós de travagem São destinados a rematar a ponta de uma corda de modo a engrossá-la ou evitar que se desfie. - 1 - NÓS E AMARRAS Os nós estão constantemente em meio às nossas vidas. Para todo lugar que olhamos sempre tem um nozinho bem escondido, mas sempre fazendo a sua parte. Um grande exemplo disso são as

Leia mais

NÓS E AMARRAÇÕES. Todo o escuteiro deve saber fazer nós. Eles são essenciais para o acampamento e também para a vida do dia a dia.

NÓS E AMARRAÇÕES. Todo o escuteiro deve saber fazer nós. Eles são essenciais para o acampamento e também para a vida do dia a dia. NÓS E AMARRAÇÕES Todo o escuteiro deve saber fazer nós. Eles são essenciais para o acampamento e também para a vida do dia a dia. Um nó, para ser considerado bom deve satisfazer as seguintes condições:

Leia mais

Nós e amarras. Série Ar Livre

Nós e amarras. Série Ar Livre Nós e amarras Co o ã leç Série Ar Livre 1 Esta é mais uma publicação TAFARA Série Ar Livre Volume 1 NÖS E AMARRAS 1a. Edição: 1500 exemplares Diagramação e Edição: Carlos Alberto F. de Moura Coordenação:

Leia mais

Os nós e ligações são úteis em pioneirismo e em muitas outras actividades, nomeadamente nos acampamentos.

Os nós e ligações são úteis em pioneirismo e em muitas outras actividades, nomeadamente nos acampamentos. NÓS E AMARRAS Os nós e ligações são úteis em pioneirismo e em muitas outras actividades, nomeadamente nos acampamentos. Um nó, para ser considerado bom deve reunir as seguintes condições: Ser simples na

Leia mais

CURSO TÉCNICO NÓS E AMARRAS

CURSO TÉCNICO NÓS E AMARRAS Índice Amarra Diagonal Amarra Paralela Amarra Quadrada Ancoragens Balso pelo Seio Carioca Catau Costura Curta Costura em Alça Estacas e Espeques Falcaça com Agulha Falcaça de Veleiro Falcaça do Ocidente

Leia mais

SOLENIDADE COM BANDEIRAS

SOLENIDADE COM BANDEIRAS SOLENIDADE COM BANDEIRAS O Hasteamento A patrulha ou matilha de serviço fixa previamente a bandeira no mastro, pronta para ser içada. Os lobinhos, escoteiros, seniores e pioneiros formam em ferradura.

Leia mais

A AMARRAÇÃO. Alguns conselhos R. Tipos de amarração R BIZART

A AMARRAÇÃO. Alguns conselhos R. Tipos de amarração R BIZART 7 A AMARRAÇÃO Alguns conselhos R Tipos de amarração R Fevereiro 2012 BIZART A amarração Se uma carga não for amarrada de forma adequada, poderá constituir um perigo para si e para terceiros. Uma carga

Leia mais

APOSTILAS DE NÓS ESPECIALIDADE AR-38

APOSTILAS DE NÓS ESPECIALIDADE AR-38 APOSTILAS DE NÓS ESPECIALIDADE AR-38 1. Fundamentos O desbravador deve saber fazer nós, pois eles são essenciais para as atividades de acampamento e também para a vida no dia a dia. O conhecimento básico

Leia mais

Como Restring Sua Vara do Lacrosse

Como Restring Sua Vara do Lacrosse Este guia irá ensinar-lhe as noções básicas de como restring sua cabeça lacrosse. Redigido por: James Rockett INTRODUÇÃO O trabalho de corda em sua cabeça lacrosse os efeitos de sua jogar muito mais do

Leia mais

Nós para Pesca à Pluma.

Nós para Pesca à Pluma. Nós para Pesca à Pluma. Situações a ter em conta quando preparamos os nós. É muito importante saber seleccionar o nó correcto para um determinado trabalho, e saber atá-lo correctamente. A má escolha de

Leia mais

Cesta de Decorativas

Cesta de Decorativas Cesta de Decorativas Esta cesta é muito versátil, pois serve para colocar frutas, revistas, flores e muito mais. Basta soltar a imaginação! Material - 1 lixeira média para servir de molde - tesoura - 1

Leia mais

Estação Power 10. Instruções de montagem

Estação Power 10. Instruções de montagem Estação Power 10 Instruções de montagem (Náilon) (Náilon) (Náilon) (Náilon) (curvo) - 1 - LISTA DE PARTES N o Descrição Qtd. 1 Tubo de suporte 1 2 Tubo em T 1 3 Viga horizontal 1 4 Tubo de guia 2 5 Tubo

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO INSTALAÇÃO DE LINHA DE VIDA

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO INSTALAÇÃO DE LINHA DE VIDA 1/6 1. Objetivo Estabelecer critérios para instalação da linha de vida nas diversas estruturas quando a tarefa for executada em altura igual ou superior a dois metros em relação ao solo. 2. Aplicação Distribuição.

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA ILUMINAÇÃO PÚBLICA INSTALAÇÃO DE LINHA DE VIDA

ORIENTAÇÃO TÉCNICA ILUMINAÇÃO PÚBLICA INSTALAÇÃO DE LINHA DE VIDA 1/6 1. Objetivo Estabelecer critérios para instalação da linha de vida nas diversas estruturas quando a tarefa for executada em altura igual ou superior a dois metros em relação ao solo. 2. Aplicação Iluminação

Leia mais

L I N H A D E P R O D U T O S

L I N H A D E P R O D U T O S L I N H A D E P R O D U T O S 2 0 1 1 NEGÓCIO Soluções em amarrações e proteções para movimentação de produtos. MISSÃO Oferecer soluções em amarrações e proteção para movimentação de produtos, através

Leia mais

Cadeira de Rodas para Cachorro (feita com material leve e barato)

Cadeira de Rodas para Cachorro (feita com material leve e barato) Cadeira de Rodas para Cachorro (feita com material leve e barato) 9 6 5 5 3 2 7 8 LISTA DE MATERIAIS - Partes de um carrinho para malas comprado na 25 de Março (R$25,00) 2- Tubo de aspirador comprado em

Leia mais

PREVINA OU ELIMINE A BARRIGA

PREVINA OU ELIMINE A BARRIGA PREVINA OU ELIMINE A BARRIGA OS EXERCÍCIOS ABDOMINAIS APRESENTADOS ABAIXO ESTÃO DIVIDIDOS DE ACORDOS COM SEU GRAU DE DIFICULDADE, ESTANDO CLASSIFICADOS COMO: EXERCÍCIOS LEVES EXERCÍCIOS INTERMEDIÁRIOS

Leia mais

Guia básico para acolchoamento Acolchoar

Guia básico para acolchoamento Acolchoar Guia básico para acolchoamento colchoar Preparar materiais e equipamentos Tecido... Recomendamos tecido 00% de algodão, não muito espesso. Enchimento... Normalmente, é usado enchimento 00% de poliéster

Leia mais

Baú-Cama. Lápis de Noiva

Baú-Cama. Lápis de Noiva Baú-Cama Lápis de Noiva Para fazer o baú, você vai precisar de tábuas para as laterais e tampa, uma prancha para o fundo, parafusos, porcas e arruelas, dobradiças e trinco. Fizemos o nosso baú com medidas

Leia mais

MÓDULO 5 COLUNA DE BALÕES

MÓDULO 5 COLUNA DE BALÕES MÓDULO 5 COLUNA DE BALÕES ÍNDICE MÓDULO 5 Aula 5.0 - Bem Vindo...02 Aula 5.1 - Colunas de Balões com 2 cores...03 Aula 5.2 - Colunas de Balões com 3 cores...04 Aula 5.3 - Colunas de Balões com 4 cores...05

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA TRABALHOS EM ALTURA EM APOIOS METÁLICOS 2 DESCRIÇÃO Os trabalhos em linhas apoiadas em torres metálicas contêm um grande número de operações

Leia mais

06/ REV. 2. imagem meramente ilustrativa SOMENTE PARA USO DOMÉSTICO. Manual de Instruções

06/ REV. 2. imagem meramente ilustrativa SOMENTE PARA USO DOMÉSTICO. Manual de Instruções 06/11 705-09-05 775361 REV. 2 imagem meramente ilustrativa SOMENTE PARA USO DOMÉSTICO Manual de Instruções INTRODUÇÃO Parabéns pela escolha do Ventilador Coluna Turbo 40 Inox. Para garantir o melhor desempenho

Leia mais

1 pedaço de 18cm x 8cm (7" x 3") Superior Frontal 1 pedaço de 18cm x 18cm (7" x 7") Inferior Frontal 1 pedaço de 18cm x 23cm (7" x 9") Costas

1 pedaço de 18cm x 8cm (7 x 3) Superior Frontal 1 pedaço de 18cm x 18cm (7 x 7) Inferior Frontal 1 pedaço de 18cm x 23cm (7 x 9) Costas projetos Urso Love Karen Jennings Wilson Você vai amar esta bolsinha (13cm x 18cm) com zíper "Urso Love"! Muito fácil de fazer utilizando apenas um bastidor de sua máquina de bordar. O corte utilizado

Leia mais

Importante: Lista 3: Leis de Newton e Dinâmica da Partícula NOME:

Importante: Lista 3: Leis de Newton e Dinâmica da Partícula NOME: Lista 3: Leis de Newton e Dinâmica da Partícula NOME: Matrícula: Turma: Prof. : Importante: i. As cinco páginas seguintes contém problemas para serem resolvidos e entregues. ii. Ler os enunciados com atenção.

Leia mais

Cabos: cabos de fibras vegetais

Cabos: cabos de fibras vegetais Cabos: cabos de fibras vegetais Algodao alcatroado Cdnhamo Didmetro Kg/100 m A Ndo tratado Alcatroado 3.0 1,056 45 Diametro 100 m A 100 m A 3,5 1,188 55 10 6,6 631 7,8 600 4,0 1,320 66 11 8,5 745 10,0

Leia mais

Instruções de Montagem e Manuseio do Produto

Instruções de Montagem e Manuseio do Produto ATX Peso líquido: 9,86kg Dimensões em cm. Instruções de Montagem e Manuseio do Produto 45 100 PARA ABRIR O CARRINHO 108 53 83 Solte a presilha (A). Puxe pelo cabo para abrir a armação. E Certifique que

Leia mais

Pontos de Pedraria Organizado por Claudia Zak - BeadJuice

Pontos de Pedraria Organizado por Claudia Zak - BeadJuice Pontos de Pedraria Organizado por Claudia Zak - BeadJuice Indice Página *Como escolher as cores das pedras 2 *Como escolher os pontos dos riscos 2 *Como transferir riscos para as roupas 3 *Dicas de Pontos

Leia mais

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA DEFINIÇÃO: COSSINETES São ferramentas de corte construídas de aço especial, com rosca temperada e retificada; é similar a uma porca, com cortes radiais dispostos convenientemente

Leia mais

ARTE DO MARINHEIRO MARÍTIMO

ARTE DO MARINHEIRO MARÍTIMO ARTE DO MARINHEIRO MARÍTIMO Sumário 1 Introdução... 5 1.1 Conceito... 5 1.2 Características e empregos dos trabalhos marinheiros... 6 1.2.1 Trabalhos marinheiros... 6 1.2.2 Nós e balsos... 6 1.2.3 Voltas...

Leia mais

IMETEX - SISTEMAS DE FIXAÇÃO - Flange de Fixação Série STW

IMETEX - SISTEMAS DE FIXAÇÃO - Flange de Fixação Série STW IMETEX - SISTEMAS DE FIXAÇÃO - Flange de Fixação Série STW As flanges de fixação STW pertencem às uniões por meio de pressão, com a finalidade de unir cubos com eixos lisos. Este tipo de união transmite

Leia mais

Scrap Festa Elsa Mesquita, EN Ideas by Elsa, para Diário ilustrado. Passo a passo completo. Um mar de festa

Scrap Festa Elsa Mesquita, EN Ideas by Elsa, para Diário ilustrado. Passo a passo completo. Um mar de festa Scrap Festa Elsa Mesquita, EN Ideas by Elsa, para Diário ilustrado Passo a passo completo Um mar de festa A festa deste mês é dedicada ao mar, onde um conjunto de artigos originais e divertidos irá tornar

Leia mais

Prezados diretores, Maranata. Pr. Emerson Campanholo Líder de Desbravadores - AAmO

Prezados diretores, Maranata. Pr. Emerson Campanholo Líder de Desbravadores - AAmO Prezados diretores, Vocês esta recebendo as Provas do nosso XV Campori, elas foram criadas para enfatizar os 8 Remédios Naturais que Deus nos dá. Nós devemos nos tornar conhecidos no mundo por esses princípios

Leia mais

Apostila* PALESTRA ONLINE TIPOS DE OLHOS PRETOS

Apostila* PALESTRA ONLINE TIPOS DE OLHOS PRETOS * PALESTRA ONLINE Arredondado Tem um formato no canto externo mais arredondado, que segue o formato do côncavo. Geralmente é feito baseado num esfumado vertical, com raiz dos cílios superiores bem escuras.

Leia mais

Lista6: Dinâmica- Movimento Unidimensional

Lista6: Dinâmica- Movimento Unidimensional Lista 6: Dinâmica Movimento Unidimensional NOME: Matrícula: Turma: Prof. : Importante: i. Nas cinco páginas seguintes contém problemas para se resolver e entregar. ii. Ler os enunciados com atenção. iii.responder

Leia mais

Tudo Sobre Agulhas. Tudo Sobre Agulhas

Tudo Sobre Agulhas. Tudo Sobre Agulhas Tudo Sobre Agulhas Os sistemas de agulhas podem ser adotados em situações como o uso de tecidos específicos, novo maquinário ou aumento da velocidade da máquina. Um guia sobre agulhas de máquinas de costura.

Leia mais

Manual do Usuário. Antena Parabólica Vazada 806 a 960MHz - 18,5dBi. Este manual aplica- se somente ao produto que o acompanha

Manual do Usuário. Antena Parabólica Vazada 806 a 960MHz - 18,5dBi. Este manual aplica- se somente ao produto que o acompanha ANTENA PARABÓLICA Manual do Usuário Cód: ANT060002 Antena Parabólica Vazada 806 a 960MHz - 18,5dBi Este manual aplica- se somente ao produto que o acompanha VHT Fab. e Com. de Equip. de Telecomunicação

Leia mais

Técnica: Papai Noel (Cisne Shok/ Cisne Elegance)

Técnica: Papai Noel (Cisne Shok/ Cisne Elegance) 1 Criação e execução : Vilma Maurer para Coats Corrente Tamanho: 52 cm de altura Material: 3 nov. Cisne Shok (nov. de 150 g) na cor 186 (vermelho mescla); 2 nov. Cisne Shok (nov. de 150 g) na cor 501 (branco);

Leia mais

BOLETIM 2 TEMAS DAS BASES

BOLETIM 2 TEMAS DAS BASES BOLETIM 2 TEMAS DAS BASES SETOR 1 1 Cartografia Tema das Tarefas: Saber utilizar e interpretar uma carta topográfica. Fontes de Pesquisa: Ver Guia da Aventura Escoteira Pista e Trilha pág. 72 a 76 Ver

Leia mais

Trabalho elaborado por: -Marina Gomes 10ºD nº10

Trabalho elaborado por: -Marina Gomes 10ºD nº10 Trabalho elaborado por: -Marina Gomes 10ºD nº10 O que é? Rapel é uma actividade vertical praticada com uso de cordas e equipamentos adequados para a descida de paredões e vãos livres bem como outras edificações;

Leia mais

Curso de Capacitação Artesanato com Garrafas PET

Curso de Capacitação Artesanato com Garrafas PET Curso de Capacitação Artesanato com Garrafas PET Fazendo Arte com PET Módulo I Corte e Dobradura 7 peças ATELIER ARTES, COISAS & TROÇOS Cláudia Gianini (5511) 3272-8111 contato@artesecoisas.com.br www.artesecoisas.com.br

Leia mais

Fraturas, luxações e contusões

Fraturas, luxações e contusões Fraturas, luxações e contusões 1. Fratura É toda solução de continuidade súbita e violenta de um osso. A fratura pode ser fechada quando não houver rompimento da pele, ou aberta (fratura exposta) quando

Leia mais

Procedimento de descarregamento, armazenagem, instalação e manutenção de tanques verticais em PRFV

Procedimento de descarregamento, armazenagem, instalação e manutenção de tanques verticais em PRFV Procedimento de descarregamento, armazenagem, instalação e manutenção de tanques verticais em PRFV 1. DESCARREGAMENTO: 1- Antes de iniciar o procedimento de verticalização as cintas deverão ser verificadas

Leia mais

peça 7 peça 3 peça nº 3a emend dar na peça nº 3 meio das costa peça 12 peça 3 peça 8 cortar fio da peça 3 peça 8 fio da peça 3 a 1 peça 8 peça 3a

peça 7 peça 3 peça nº 3a emend dar na peça nº 3 meio das costa peça 12 peça 3 peça 8 cortar fio da peça 3 peça 8 fio da peça 3 a 1 peça 8 peça 3a 9 pe cortar fio da peça eça aplicação fio da acabamento peça a. fio da COMO MONTAR O SEU MOLDE www.manequim.com.br MOLDE ONLINE MAPA DE MONTAGEM Atenção Antes de iniciar a impressão e colagem das folhas,

Leia mais

*Médio porte: volume da folhagem com aproximadamente 30 x 30 cm (diâmetro x altura/comprimento)

*Médio porte: volume da folhagem com aproximadamente 30 x 30 cm (diâmetro x altura/comprimento) 4 - Plantas PLANTAS A seleção das plantas e o seu manuseio são os passos mais importantes na instalação de um jardim vertical. Por isso seguem algumas orientações sobre como proceder nestas tarefas tão

Leia mais

Dicas de Segurança IV

Dicas de Segurança IV Dicas de Segurança IV Noções Básicas de Primeiros Socorros Ressuscitação Cardiopulmonar Também conhecida como respiração boca a boca (aeração). Utilizada em casos de paradas respiratórias. Procedimentos:

Leia mais

Problemas e exercícios do capítulo 5

Problemas e exercícios do capítulo 5 Problemas e exercícios do capítulo 5 CAPÍTULO 5: 1) Um circuito de Fórmula Mundial circular, com 320 m de raio, tem como velocidade de segurança 40 m/s. Calcule a tangente do ângulo de inclinação da pista.

Leia mais

Pinos e cupilhas. Pinos e cavilhas

Pinos e cupilhas. Pinos e cavilhas A U A UL LA Pinos e cupilhas Introdução Até agora você estudou rebites que constituem um dos principais elementos de fixação. Mas existem outros elementos que um mecânico deve conhecer como pinos, cavilhas

Leia mais

FICHA TÉCNICA UNIFIX MS ESPELHO

FICHA TÉCNICA UNIFIX MS ESPELHO F.I.S.P.Q. N 13 - Página 1/5 MERCOTRADE IMP. E EXP. LTDA Matriz: Av. Panamericana, 641 91050-001 Porto Alegre - RS Fone: 51-3208.5000 Fax: 51-3208.5050 Fax:11-3796.6116 CNPJ: 94.583.788/0001-50 Informação

Leia mais

CNE -Agrupamento 1100 Parque das Nações Alcateia 128 Santa Maria do Mar ORIGEM DOS KAYAKS/CANOAS

CNE -Agrupamento 1100 Parque das Nações Alcateia 128 Santa Maria do Mar ORIGEM DOS KAYAKS/CANOAS ORIGEM DOS KAYAKS/CANOAS A canoa é originária dos índios da América do Norte e as primeiras referências a estas embarcações datam do séc. XVI, no Canadá. Apresentam dentro da forma base várias dimensões,

Leia mais

17. Equipamentos de convés

17. Equipamentos de convés 17. Equipamentos de convés Foi utilizada a regra da classificadora ABS, referência [1] para a realização dos cálculos para o numeral de equipamentos e assim obter os equipamentos de fundeio e os equipamentos

Leia mais

Furadeira de base magnética modelo CTYP-100

Furadeira de base magnética modelo CTYP-100 0 Furadeira de base magnética modelo CTYP-100 Instrução de operação: Para sua própria segurança, antes de utilizar o equipamento verifique a voltagem correta e cheque se todos os acessórios e peças estão

Leia mais

Elementos de máquina. Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase. Diego Rafael Alba

Elementos de máquina. Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase. Diego Rafael Alba E Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase Diego Rafael Alba 1 Conceitos VEDAÇÃO: Processo usado para impedir a passagem, de maneira estática ou dinâmica, de líquidos, gases e sólidos particulados (pó)

Leia mais

How-To Trocar os Led s dos botões dos Vidros Elétricos do Vectra B

How-To Trocar os Led s dos botões dos Vidros Elétricos do Vectra B How-To Trocar os Led s dos botões dos Vidros Elétricos do Vectra B Bom, vamos fazer meu primeiro how-to.. rs No meu carro antigo (Corsa Classic) eu havia trocado os focos do painel por leds azuis, e estava

Leia mais

PRANCHA DE PILATES SISTEMA DE TREINAMENTO DE PESO

PRANCHA DE PILATES SISTEMA DE TREINAMENTO DE PESO PRANCHA DE PILATES SISTEMA DE TREINAMENTO DE PESO MANUAL DO USUÁRIO ATENÇÃO!!! Leia todas as precauções e instruções neste manual antes de usar este equipamento. Guarde este manual para referência futura.

Leia mais

VENDAS : Belo Hte / MG - Tel (31) Cel.: (31)

VENDAS : Belo Hte / MG - Tel (31) Cel.: (31) PROSEG INDÚSTRIA E COMERCIO LTDA Rua Rio Grande do Sul, 499 Conj. 2097 e 2098 - Bhte / MG - Cep: 30.170-110 VENDAS : Belo Hte / MG - Tel (31) 3423-5812 - Cel.: (31) 9406-8070 e-mail: site@prosegbh.com.br

Leia mais

x 3 x 3 Bigotas Bigotas ARTIMANHA MODELISMO GALEÃO NUESTRA SEÑORA DE ATOCHA - Escala 1/50 - Versão da Artimanha Modelismo

x 3 x 3 Bigotas Bigotas ARTIMANHA MODELISMO GALEÃO NUESTRA SEÑORA DE ATOCHA - Escala 1/50 - Versão da Artimanha Modelismo x 3 x 3 3E 2E 1E 3D 2D 1D A confecção das uniões entre as polias cegas serão feitas conforme já descrito. Vamos nos ater nesse momento ao mastro real. Convém lembrar que os dois últimos pares em cada bordo

Leia mais

PROVA DA PISTA DE OBSTÁCULOS INDIVIDUAL

PROVA DA PISTA DE OBSTÁCULOS INDIVIDUAL PROVA DA PISTA DE OBSTÁCULOS INDIVIDUAL Esta prova consiste em avaliar a preparação do bombeiro competidor no preparo físico, resistência e na aptidão em transpor obstáculos com segurança, demonstrando

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES ASPIRADOR DE PÓ 1.200W Equipamento somente para uso doméstico. Obrigado por escolher um produto com a marca Tramontina. Por favor, leia o Manual de Instruções por completo antes de

Leia mais

LISTA PARA RECUPERAÇÃO DE FÍSICA 1 PROFESSOR GUSTAVO SABINO

LISTA PARA RECUPERAÇÃO DE FÍSICA 1 PROFESSOR GUSTAVO SABINO LISTA PARA RECUPERAÇÃO DE FÍSICA 1 PROFESSOR GUSTAVO SABINO 1. Sobre uma partícula P agem quatro forças, representadas na figura abaixo. O módulo da força resultante sobre a partícula é de: a) 5 N b) 24

Leia mais

MSA SALVAMENTO EM ALTURA 6

MSA SALVAMENTO EM ALTURA 6 2 MSA CORDAS MSA SALVAMENTO EM ALTURA 6 As cordas representam o elemento básico do salvamento em altura, tanto que encontramos diversas literaturas internacionais que utilizam a expressão resgate com cordas

Leia mais

Escrito por CCC Qui, 30 de Abril de :05 - Última atualização Sáb, 01 de Maio de :36

Escrito por CCC Qui, 30 de Abril de :05 - Última atualização Sáb, 01 de Maio de :36 Manejo do remo Devido à torção do plano das pás, é preciso fazer um giro da haste do remo para alternar as remadas. Uma das mãos segura e faz um movimento de extensão como na aceleração de uma moto; a

Leia mais

MODELO: /10 (VOLUME: LITROS; ESPESSURA DO MATERIAL: 1,00 MM)

MODELO: /10 (VOLUME: LITROS; ESPESSURA DO MATERIAL: 1,00 MM) MODELO: 274.500/10 (VOLUME: 274.500 LITROS; ESPESSURA DO MATERIAL: 1,00 MM) MANUAL DE ESCAVAÇÃO E DE INSTALAÇÃO DO KIT RESERVATÓRIO A instalação é muito simples e pode ser feita sem a presença de técnicos

Leia mais

PASSO A PASSO PARA A CONFECÇÃO DE UM ACIONADOR

PASSO A PASSO PARA A CONFECÇÃO DE UM ACIONADOR PASSO A PASSO PARA A CONFECÇÃO DE UM ACIONADOR Bento Gonçalves Setembro de 2015 Sumário 1 Introdução... 3 2 Materiais necessários... 3 3 Confeccionando o acionador... 4 1 Introdução Acompanhando o ritmo

Leia mais

Aplicações. Em tecido. Instruções para coser à mão e à máquina. Meias Marias Todos os direitos reservados

Aplicações. Em tecido. Instruções para coser à mão e à máquina. Meias Marias Todos os direitos reservados Aplicações Em tecido. Instruções para coser à mão e à máquina www.meiasmarias.com Materiais Necessários Entretela de colar com cola dos dois lados (não é necessário em feltro, ganga, bombazine ou outros

Leia mais

ARTIMANHA MODELISMO GALEÃO NUESTRA SEÑORA DE ATOCHA - Escala 1/50 - Versão da Artimanha Modelismo.

ARTIMANHA MODELISMO GALEÃO NUESTRA SEÑORA DE ATOCHA - Escala 1/50 - Versão da Artimanha Modelismo. Tomando como referencia os desenhos auxiliares confeccione com madeira de 6 mm x 2 mm as mesas de cavilhas que serão ao todo 5. Serão quatro semelhantes. A Quinta mesa será um pouco diferente por ter as

Leia mais

2) Na figura abaixo, sabe se que RS // DE e que AE = 42 cm. Nessas condições, determine as medidas x e y indicadas.

2) Na figura abaixo, sabe se que RS // DE e que AE = 42 cm. Nessas condições, determine as medidas x e y indicadas. Lista de exercícios Prof Wladimir 1 ano A, B, C, D 1) A figura abaixo nos mostra duas avenidas que partem de um mesmo ponto A e cortam duas ruas paralelas. Na primeira avenida, os quarteirões determinados

Leia mais

INTRODUÇÃO MEDIDAS DE SEGURANÇA IMPORTANTES

INTRODUÇÃO MEDIDAS DE SEGURANÇA IMPORTANTES INTRODUÇÃO Parabéns pela escolha da Balança Super Slim. Para garantir o melhor desempenho do produto, ler atentamente as recomendações a seguir. Guardar este Manual de Instruções para eventuais consultas.

Leia mais

CAPÍTULO 8 TRABALHOS DO MARINHEIRO SEÇÃO A VOLTAS

CAPÍTULO 8 TRABALHOS DO MARINHEIRO SEÇÃO A VOLTAS CAPÍTULO 8 TRABALHOS DO MARINHEIRO SEÇÃO A VOLTAS 8.1. Definições Chamam-se trabalhos do marinheiro ou obras do marinheiro os diferentes trabalhos de bordo pelos quais as lonas e os cabos se prendem, são

Leia mais

SEM534 Processos de Fabricação Mecânica. Professor - Renato G. Jasinevicius. Aula: Máquina ferramenta- Torno. Torno

SEM534 Processos de Fabricação Mecânica. Professor - Renato G. Jasinevicius. Aula: Máquina ferramenta- Torno. Torno SEM534 Processos de Fabricação Mecânica Professor - Renato G. Jasinevicius Aula: Máquina ferramenta- Torno Torno Torno Existe uma grande variedade de tornos que diferem entre si pelas dimensões, características,

Leia mais

Todo tipo de atividade física sistematizada, cujos conteúdos variam desde as atividades como os jogos, o atletismo, as lutas e à preparação de

Todo tipo de atividade física sistematizada, cujos conteúdos variam desde as atividades como os jogos, o atletismo, as lutas e à preparação de Ginástica Todo tipo de atividade física sistematizada, cujos conteúdos variam desde as atividades como os jogos, o atletismo, as lutas e à preparação de soldados. A ginástica deve a sua história ao militarismo.

Leia mais

MANUAL EXETEX SPORTS PRESCRIÇÕES E EXERCÍCIOS. Prescrições sobre os extensores. Dos cuidados com o produto. Ao iniciar o treino

MANUAL EXETEX SPORTS PRESCRIÇÕES E EXERCÍCIOS. Prescrições sobre os extensores. Dos cuidados com o produto. Ao iniciar o treino MANUAL EXETEX SPORTS PRESCRIÇÕES E EXERCÍCIOS Prescrições sobre os extensores Ao realizar um exercício não exceda a elasticidade prescrita na descrição do produto, o elástico atinge o dobro de seu tamanho

Leia mais

Obs. 1 Dois pregos em metal nas laterais dianteiras de 1cm circular para prender a abinha e a aba principal, contendo a marca do

Obs. 1 Dois pregos em metal nas laterais dianteiras de 1cm circular para prender a abinha e a aba principal, contendo a marca do SELA COMPLETA Armação: Confeccionada em madeira garapeira amarela ou sedrinho, cepilho com 22 cm de largura nas laterais, com uma cavidade para proteção do dorso do animal, medindo na abertura do cepilho

Leia mais

Conteúdo 4 - Papéis e acabamentos. professor Rafael Hoffmann

Conteúdo 4 - Papéis e acabamentos. professor Rafael Hoffmann Conteúdo 4 - Papéis e acabamentos professor Rafael Hoffmann Papéis Papéis Subtítulo Conhecer: - os papéis existentes no mercado; - as suas características; - sua aplicação. Porque: - afeta a qualidade

Leia mais

INFORMATIVO CORRENTE COROA E SABRE

INFORMATIVO CORRENTE COROA E SABRE INFORMATIVO BOLETIM 15 /13 ASSISTÊNCIA TÉCNICA FOLHAS: 06 ASSUNTO CORRENTE COROA E SABRE MOTIVO: Informar e orientar o consumidor sobre a composição e função das peças do conjunto de corte de uma motosserra.

Leia mais

Dependendo para que grupo você queira se referir, o significado é diferente...

Dependendo para que grupo você queira se referir, o significado é diferente... Docente responsável Ms. Camila J.O Barbeta Dependendo para que grupo você queira se referir, o significado é diferente... Para as pessoas em geral: recreação, jogos, brincadeiras, descanso, silêncio,

Leia mais

Antes de iniciar qualquer atividade física, o aluno deverá realizar todos os exames médicos para que a prática da atividade física descrita nesse

Antes de iniciar qualquer atividade física, o aluno deverá realizar todos os exames médicos para que a prática da atividade física descrita nesse Antes de iniciar qualquer atividade física, o aluno deverá realizar todos os exames médicos para que a prática da atividade física descrita nesse plano de treinamento seja liberada. 1ª 2ª 3ª 4ª 5ª 6ª 7ª

Leia mais

Solte os dois parafusos de 8 mm marcados no círculo vermelho abaixo.

Solte os dois parafusos de 8 mm marcados no círculo vermelho abaixo. Solte os dois parafusos de 8 mm marcados no círculo vermelho abaixo. Levante a tampa e empurre a mesma para frente. Retire os oitos parafusos de ¼ que fixam a tampa traseira Puxe a tampa traseira Retirar

Leia mais

GUIÃO TÉCNICO CORRECÇÃO DE PONTES TÉRMICAS PAREDES SIMPLES. FICHA TÉCNICA DOW Nº 14 Nº de pág.: 5 16 de Setembro de

GUIÃO TÉCNICO CORRECÇÃO DE PONTES TÉRMICAS PAREDES SIMPLES. FICHA TÉCNICA DOW Nº 14 Nº de pág.: 5 16 de Setembro de GUIÃO TÉCNICO CORRECÇÃO DE PONTES TÉRMICAS PAREDES SIMPLES FICHA TÉCNICA DOW Nº 14 Nº de pág.: 5 16 de Setembro de 2005 www.construlink.com CORRECÇÃO DE PONTES TÉRMICAS - PAREDES SIMPLES A necessidade

Leia mais

III CONSTRUÇÃO DOS SUPORTES DAS BOBINAS

III CONSTRUÇÃO DOS SUPORTES DAS BOBINAS III CONSTRUÇÃO DOS SUPORTES DAS BOBINAS Serão construídos dois suportes, um para a bobina transmissora, o qual será fixado na barra do detector de metal em posição vertical e outro, para a bobina receptora

Leia mais

Como desobstruir Keurig Mini B-31 mangueira de água

Como desobstruir Keurig Mini B-31 mangueira de água Como desobstruir Keurig Mini B-31 mangueira de água Se a água está dispensando-se lentamente, ou não em todos, pode ser necessário para desentupir a mangueira de água do seu Keurig Mini. Redigido por:

Leia mais

PEDREIRO PASSO A PASSO

PEDREIRO PASSO A PASSO PEDREIRO PASSO A PASSO 1. INICIO 2. MASSA PRA TIJOLO 3. MASSA PRA REBOCO 4. EQUIPAMENTOS PRA PEDREIRO 5. LEVANTANDO PAREDE 6. REBOCO INICIO Pedreiro é o profissional que constrói ou reveste muros, paredes,

Leia mais

TÉCNICAS DE ARTESANATO Tita Mascarenhas CURSO BÁSICO DE BORDADOS BORDADO HARDANDER

TÉCNICAS DE ARTESANATO Tita Mascarenhas CURSO BÁSICO DE BORDADOS BORDADO HARDANDER TÉCNICAS DE ARTESANATO Tita Mascarenhas CURSO BÁSICO DE BORDADOS BORDADO HARDANDER O bordado chamado HARDANGER originou-se em uma região da Noruega, assim denominada. O hardanger tem longa tradição nos

Leia mais

ESTRUTURAS METÁLICAS LIGAÇÕES - APOIOS. Prof. Alexandre Augusto Pescador Sardá

ESTRUTURAS METÁLICAS LIGAÇÕES - APOIOS. Prof. Alexandre Augusto Pescador Sardá ESTRUTURAS METÁLICAS LIGAÇÕES - APOIOS Prof. Alexandre Augusto Pescador Sardá LIGAÇÕES Edificações Ligações entre vigas; Ligações entre viga e coluna; Emenda de colunas; Emenda de vigas; Apoio de colunas;

Leia mais

Lista 9 : Dinâmica Rotacional

Lista 9 : Dinâmica Rotacional Lista 9 : Dinâmica Rotacional NOME: Matrícula: Turma: Prof. : Importante: i. Nas cinco páginas seguintes contém problemas para se resolver e entregar. ii. Ler os enunciados com atenção. iii. Responder

Leia mais

FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 05 ROLDANAS E ELEVADORES

FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 05 ROLDANAS E ELEVADORES FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 05 ROLDANAS E ELEVADORES T T Como pode cair no enem? (CEFET) Nos sistemas seguintes, em equilíbrio, as roldanas, os fios e as hastes têm massas desprezíveis. Os dinamômetros

Leia mais

Cachepô Técnica utilizada: reaproveitamento de jornal

Cachepô Técnica utilizada: reaproveitamento de jornal Cachepô 1 Técnica utilizada: reaproveitamento de jornal Materiais 2 Folhas de jornais Cola branca Agulha de tricô n 8 Verniz acrílico à base de água Tinta látex branco neve Pincel tipo trincha ¾ polegada

Leia mais

FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 09 EQUILIBRIO DE CORPOS EXTENSOS

FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 09 EQUILIBRIO DE CORPOS EXTENSOS FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 09 EQUILIBRIO DE CORPOS EXTENSOS F Rotação 0 F Como pode cair no enem? (ENEM) Um portão está fixo em um muro por duas dobradiças A e B, conforme mostra a figura, sendo P o peso

Leia mais

XXVII CPRA LISTA DE EXERCÍCIOS FÍSICA (DINÂMICA)

XXVII CPRA LISTA DE EXERCÍCIOS FÍSICA (DINÂMICA) XXVII CPRA LISTA DE EXERCÍCIOS FÍSICA (DINÂMICA) 1) Uma caixa de 50 kg repousa sobre uma superfície para a qual o coeficiente de atrito cinético é. Se a caixa está sujeita a uma força de tração de 400

Leia mais

Mecânica Geral II Lista de Exercícios 1 Prof. Dr. Cláudio S. Sartori. Use 1lb = 4,448 N 1 in = 0,0254 m 1 ft = 0,3048 m Exercício 1

Mecânica Geral II Lista de Exercícios 1 Prof. Dr. Cláudio S. Sartori. Use 1lb = 4,448 N 1 in = 0,0254 m 1 ft = 0,3048 m Exercício 1 Use 1lb = 4,448 N 1 in = 0,0254 m 1 ft = 0,3048 m Exercício 1 As tensões nos cabos AB e AC valem 777N e 990N, respectivamente. Determine o momento em relação ao ponto O das forças exercidas pelos cabos

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DE ESCADA PANTOGRÁFICA PF-1603, PF-1604 E PF-1605 (PF-1603-GF, PF1604-GF E PF-1605-GF)

MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DE ESCADA PANTOGRÁFICA PF-1603, PF-1604 E PF-1605 (PF-1603-GF, PF1604-GF E PF-1605-GF) MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DE ESCADA PANTOGRÁFICA PF-1603, PF-1604 E PF-1605 (PF-1603-GF, PF1604-GF E PF-1605-GF) D ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 04 2. ESPECIFICAÇÕES DA ESCADA PANTOGRÁFICA 04

Leia mais

PLANOS DE AULA OFICINA DE PIPAS 2015 COLÉGIO ESTADUAL BOM PASTOR PRÁTICA 10

PLANOS DE AULA OFICINA DE PIPAS 2015 COLÉGIO ESTADUAL BOM PASTOR PRÁTICA 10 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID/UFPR PROJETO INTERDISCIPLINAR I - PEDAGOGIA E MATEMÁTICA PLANOS DE AULA OFICINA DE PIPAS

Leia mais

AA e AA

AA e AA Manual Kit Trava Elétrica UP (a partir 2014) AA.42.0114 e AA.42.0115 www.softautomotiva.com.br UP (4P e 2P) A Soft coloca a disposição para o mercado automotivo o Kit Trava Elétrica para o UP a partir

Leia mais

A Anatomia de uma Lenda

A Anatomia de uma Lenda As Chaves de Tubo RIDGID são conhecidas mundialmente pela sua robustez e resistência à serviços pesados. A original Chave Heavy Duty RIDGID, apresentada abaixo, ganhou a confiança dos profissionais de

Leia mais

Importante: i. Nas cinco páginas seguintes contém problemas para se resolver e entregar. ii. Ler os enunciados com atenção.

Importante: i. Nas cinco páginas seguintes contém problemas para se resolver e entregar. ii. Ler os enunciados com atenção. Lista 10: Energia NOME: Turma: Prof. : Matrícula: Importante: i. Nas cinco páginas seguintes contém problemas para se resolver e entregar. ii. Ler os enunciados com atenção. iii. Responder a questão de

Leia mais

TELHAS DE POLICARBONATO

TELHAS DE POLICARBONATO TELHAS DE POLICARBONATO MANUAL DE INSTALAÇÃO As Telhas de Policarbonato BOLD proporcionam ótima transmissão de luz (praticamente idêntica ao vidro), favorecendo maior aproveitamento da luz natural, reduzindo

Leia mais

Após o uso diário do seu calçado, deixe-o secar em local ventilado.

Após o uso diário do seu calçado, deixe-o secar em local ventilado. Os calçados Bompel são fabricados para proporcionar proteção e ergonomia para os pés. Porém, seu desempenho e aparência dependem muito de como ele é usado e conservado. Alguns cuidados são importantes

Leia mais

Instalando CD Player 1 DIN + Pintura de Painel em Prata AUTORIA DO TUTORIAL/FOTOS: KMIKAZE

Instalando CD Player 1 DIN + Pintura de Painel em Prata AUTORIA DO TUTORIAL/FOTOS: KMIKAZE Instalando CD Player 1 DIN + Pintura de Painel em Prata AUTORIA DO TUTORIAL/FOTOS: KMIKAZE Amigos, resolvi publicar um passo a passo da montagem do meu som, feito todo em casa, de quebra vai um mini tutorial

Leia mais

Segtreinne 5.0 - PROTEÇÃO LATERAL:

Segtreinne 5.0 - PROTEÇÃO LATERAL: 1.0 - OBJETIVO: Estabelecer procedimentos seguros para montagem, desmontagem e utilização de andaimes, em serviços de manutenção nas áreas da fábrica. 2.0 - APLICAÇÃO: Este procedimento se aplica à montagem,

Leia mais

II Olimpíada Brasileira de Raciocínio Lógico Nível II Fase I 2015

II Olimpíada Brasileira de Raciocínio Lógico Nível II Fase I 2015 1 2 Questão 1 Artur é muito bom em problemas matemáticos e sempre propõe desafios aos seus colegas. Desta vez, Artur criou uma sequência infinita de letras, juntando as palavras que formavam o nome de

Leia mais