QUADRO COMPARATIVO PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Plano MAISPREV

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "QUADRO COMPARATIVO PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Plano MAISPREV"

Transcrição

1 QUADRO COMPARATIVO PROPOSTA DE ALTERAÇÃO DO REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Plano MAISPREV CAPÍTULO II CAPÍTULO II DAS DEFINIÇÕES DAS DEFINIÇÕES Art. 2º. Art. 2º. XX Data Base Cálculo da Migração: XX Data Base Cálculo da Migração: XXI - Data Efetiva Migração: correspon ao último dia útil do mês subseqüente ao término do prazo para a opção, pelos Participantes e Beneficiários em gozo do Benefício Pensão por Morte do Plano COMCAPREV, pela migração para o Plano MAISPREV. XXI - Data Efetiva Migração: correspon ao primeiro dia do mês subsequente a Data Migração dos Participantes e Beneficiários em gozo do Benefício Pensão por Morte do Plano COMCAPREV. XXII - Data Migração: correspon ao último dia do mês em que ocorrer a protocolização do Termo Migração junto ao FUMPRESC. XXII - EFPC: XXIII - EFPC: XXIII - EAPC XXIV - EAPC: XXIV - Elegibilida: XXV - Elegibilida: Ajuste redação uma vez que, tecnicamente, a data efetiva migração correspon ao primeiro dia do mês subsequente a Data Migração. Inclusão finição uma vez que, tecnicamente, os valores oferecidos na migração foram atualizados até a Data Migração.

2 XXV - Extrato Participante e Assistido: XXVI - Extrato Participante e Assistido: XXVI - Migração: XXVII - Migração: XXVII - Nota Atuarial: Técnica XXVIII - Nota Atuarial: Técnica XXVIII - Participante: XXIX - Participante: XXIX - Participante Assistido: XXX - Participante Ativo: XXXI - Participante Autopatrocinado Autopatrocinado: XXXII - Participante Fundador: XXXIII - Participante Remido ou Remido: XXXIV - Patrocinadora: XXXV - Plano Benefícios: ou XXXVI - Plano Benefícios Originário: XXXVII - Plano Benefícios Receptor: XXXVIII - Portabilida: XXX - Participante Assistido: XXXI - Participante Ativo: XXXII - Participante Autopatrocinado Autopatrocinado: XXXIII - Participante Fundador: XXXIV - Participante Remido ou Remido: ou XXXV - Patrocinadora: XXXVI - Plano Benefícios: XXXVII - Plano Benefícios Originário: XXXVIII - Plano Benefícios Receptor: XXXIX - Portabilida: XXXIX - Prêmio: XL - Prêmio:

3 XL - Regime Repartição Simples: XLI - Regulamento Plano Benefícios: do XLI - Regime Repartição Simples: XLII - Regulamento Plano Benefícios: XLII - Renda Mensal: XLIII - Renda Mensal: XLIII - Renda Mensal Auxílio Doença: XLIV - Renda Mensal Plena Programada: XLV - Renda Mensal por Prazo Determinado: XLVI - Renda Mensal por Prazo Interminado: XLVII - Renda por Invaliz: Mensal XLVIII - Renda Mensal por Morte Participante Ativo, Remido: XLIX - Renda Mensal por Morte Participante Assistido: L - Renda Vitalícia: LI - Rentabilida Cotas: Mensal das do XLIV - Renda Mensal Auxílio Doença: XLV - Renda Mensal Plena Programada: XLVI - Renda Mensal por Prazo Determinado: XLVII - Renda Mensal por Prazo Interminado: XLVIII - Renda por Invaliz: Mensal XLIX - Renda Mensal por Morte Participante Ativo, Remido: L - Renda Mensal por Morte Participante Assistido: LI - Renda Vitalícia: LII - Rentabilida Cotas: LII - Resgate: LIII - Resgate: LIII - Salário Participação: LIV - Salário Participação: Mensal das

4 LIV - Socieda Seguradora: LV - Socieda Seguradora: LV - Termo Asão: LVI - Termo Asão: LVI - Termo Migração: LVII - Termo Opção: LVIII - Termo Portabilida: LIX - Unida Referência (UR): CAPÍTULO V DO CRÉDITO DAS CONTRIBUIÇÕES, DAS CONTAS INDIVIDUAIS, DOS FUNDOS E DA COTA DO PLANO Seção V LVII - Termo Migração: LVIII - Termo Opção: LIX - Termo Portabilida: LX - Unida Referência (UR): CAPÍTULO V DO CRÉDITO DAS CONTRIBUIÇÕES, DAS CONTAS INDIVIDUAIS, DOS FUNDOS E DA COTA DO PLANO Seção V Do Funcionamento das Do Funcionamento das Contas e do Fundo Contas e do Fundo Art. 35 Art. 35 c) Subconta Inicial Participante: formada pelo valor da CLP (Contribuição Líquida Participante), prevista no art. 103 ste Regulamento, suportado pelo Patrimônio do Plano COMCAPREV na Data Efetiva da Migração. d) Subconta Específica Patrocinadora: formada pelo valor da DIF (diferença, quando positiva, entre a Reserva c) Subconta Inicial Participante: formada pelo valor da CLP (Contribuição Líquida Participante), prevista no art. 103 ste Regulamento, suportado pelo Patrimônio do Plano COMCAPREV, na Data Migração. d) Subconta Específica Patrocinadora: formada pelo valor da DIF (diferença, quando positiva, entre a Reserva Ajuste redação uma vez que, tecnicamente, os valores oferecidos na migração foram atualizados até a Data Migração. Ajuste redação uma vez que, tecnicamente, os valores oferecidos na migração foram atualizados até a Data Migração.

5 Matemática Atuarial (RMA) e o valor da CLP), prevista no art. 103 ste Regulamento, suportado pelo Patrimônio do Plano COMCAPREV na data Efetiva da Migração. CAPÍTULO VI DO PLANO DE BENEFÍCIOS Seção IV Da Renda Mensal por Invaliz Art. 45 É elegível à RENDA MENSAL POR INVALIDEZ o Participante Ativo, Remido, que tenha reconhecida sua invaliz total e permanente através laudo médico emitido por clínico indicado pela Patrocinadora em comum acordo com o FUMPRESC. Parágrafo único. A invaliz permanente caracteriza-se pela incapacida total, e pela insuscetibilida recuperação do Participante Ativo, do do Remido. Matemática Atuarial (RMA) e o valor da CLP), prevista no art. 103 ste Regulamento, suportado pelo Patrimônio do Plano COMCAPREV, na Data Migração. CAPÍTULO VI DO PLANO DE BENEFÍCIOS Seção IV Da Renda Mensal por Invaliz Art. 45 É elegível à RENDA MENSAL POR INVALIDEZ o Participante Ativo, Remido, que tenha reconhecida sua Aposentadoria por Invaliz junto a Previncia Social. 1º O participante que tiver contratado a cobertura da Parcela Adicional Risco (PAR) junto à Socieda Seguradora, necessitará atenr os requisitos Ajuste redação para atribuir direito aos participantes receberem o benefício Renda Mensal por Invaliz, mesmo que a invaliz não se caracterize como total e permanente. Face ao ajuste do caput e visando melhorar a orm redacional ste artigo, a matéria prevista neste parágrafo passou a constar no 3º. Inclusão parágrafo tendo em vista que as condições para pagamento do Capital Segurado constam do Capítulo X do Regulamento.

6 contantes do CAPÍTULO X do Regulamento do Plano MAISPREV, em especial do art. 66, para ter direito ao crédito da referida PAR na sua CONTA BENEFÍCIO. Art. 46 Aplica-se à RENDA MENSAL POR 2º O reconhecimento da invaliz total e permanente, conforme previsto no art. 66 do Regulamento, se dará através laudo médico, perícia médica e ou junta médica a critério da Socieda Seguradora. 3º A invaliz permanente caracteriza-se pela incapacida total e pela insuscetibilida recuperação do Participante Ativo, do do Remido. 4º O Participante Ativo, Remido que não tenha reconhecida a invaliz total e permanente conforme art. 66 ste Regulamento e parágrafos 2º e 3º acima, fará jus somente ao saldo da CONTA INDIVIDUAL para fins cálculo da sua renda Aposentadoria por Invaliz. Art. 46 Aplica-se à RENDA MENSAL POR Inclusão parágrafo para tornar o texto mais claro e transparente quanto ao reconhecimento da invaliz total e permanente por parte da Seguradora. Renumeração parágrafo. O texto ste parágrafo constava do parágrafo único ste artigo. Inclusão parágrafo tendo em vista a inclusão do 1º ste artigo. Ajuste redação face a aquação do parágrafo

7 INVALIDEZ o disposto nos arts. 37, 38, 41 e 42 ste Regulamento. Parágrafo único. A opção por uma das formas pagamento previstas nos incisos I, II e III do art. 42 ste Regulamento verá ser formulada pelo Participante Ativo, Remido, por escrito, na data do requerimento do respectivo Benefício. INVALIDEZ o disposto nos arts. 37, 38, 41 e incisos I e III do art. 42 ste Regulamento. Parágrafo único. A opção por uma das formas pagamento previstas nos incisos I e III do art. 42 ste Regulamento verá ser formulada pelo Participante Ativo, Remido, por escrito, na data do requerimento do respectivo Benefício. único ste artigo. Em face do estabelecimento do direito ao benefício da Aposentadoria por Invaliz tendo como requisito o ferimento da previdência social, necessário se faz o enquadramento da mesma conforme diretrizes da previdência social que po cancelar a Aposentadoria por Invaliz. Neste caso, se faz necessário, também, o cancelamento ou suspensão do benefício junto ao Plano, até o participante estar elegível a um novo benefício. CAPÍTULO VII CAPÍTULO VII CAPÍTULO VII DO SALÁRIO DE PARTICIPAÇÃO DO SALÁRIO DE PARTICIPAÇÃO DO SALÁRIO DE PARTICIPAÇÃO Art. 62 Art. 62 1º 1º 2º 2º 3º No caso Autopatrocinado, que trata o 1º do art. 90 ste Regulamento, o Salário Participação corresponrá à última remuneração percebida na Patrocinadora, observado o disposto no caput ste 3º No caso Autopatrocinado, que trata o 1º do art. 90 ste Regulamento, o Salário Participação corresponrá à última remuneração percebida na Patrocinadora, observado o disposto no caput ste Ajuste redação para possibilitar que os Participantes com perda total da remuneração, consigam manter-se vinculado ao Plano, realizando as contribuições normais mensais, na condição

8 artigo, na data da perda total da referida remuneração. artigo, na data da perda total da referida remuneração, pondo o Salário Participação ser alterado para até o valor equivalente a um Salário Mínimo Nacional, mediante pedido formal do Autopatrocinado. As alterações posteriores porão ser realizadas, anualmente, no mês novembro. Autopatrocinado. Vale stacar que o Plano está estruturado na modalida Contribuição Definida o que não gera impacto negativo para o Plano o respectivo ajuste.

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Plano MAISPREV

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Plano MAISPREV REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Plano MAISPREV Plano MAISPREV Regulamento 1 CAPÍTULO ÍNDICE CAPÍTULO I DO OBJETO 04 CAPÍTULO II DAS DEFINIÇÕES 04 CAPÍTULO III DOS PARTICIPANTES E BENEFICIÁRIOS

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO MISTO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DA CASAN PLANO CASANPREV

REGULAMENTO DO PLANO MISTO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DA CASAN PLANO CASANPREV REGULAMENTO DO PLANO MISTO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DA CASAN PLANO CASANPREV ÍNDICE CAPÍTULO I Do Objeto Art. 1º CAPÍTULO II Das Definições e das Remissões Art. 2º ao 4º Seção I Das Definições Art.

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS REB. Capítulo I Disposições Preliminares SEÇÃO I DA FINALIDADE

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS REB. Capítulo I Disposições Preliminares SEÇÃO I DA FINALIDADE REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS REB Capítulo I Disposições Preliminares SEÇÃO I DA FINALIDADE Art. 1º - O presente Regulamento do PLANO DE BENEFÍCIOS, doravante designado REB, complementa o ESTATUTO

Leia mais

OABPrev/RJ FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SECCIONAL RIO DE JANEIRO

OABPrev/RJ FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SECCIONAL RIO DE JANEIRO OABPrev/RJ FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SECCIONAL RIO DE JANEIRO REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO - RJPrev Rio de Janeiro, 2013 ÍNDICE

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO ÍNDICE

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO ÍNDICE REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO ÍNDICE CAPÍTULO I Do Objeto Art. 1º CAPÍTULO II Das Definições Art. 2º CAPÍTULO Art. 6º III Dos Participantes e Beneficiários Seção I Do Ingresso

Leia mais

NOVO PLANO DE BENEFÍCIOS DA FUNCEF REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS DA FUNCEF

NOVO PLANO DE BENEFÍCIOS DA FUNCEF REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS DA FUNCEF NOVO PLANO DE BENEFÍCIOS DA FUNCEF REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS DA FUNCEF CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES SEÇÃO I DA FINALIDADE Art. 1º - O presente REGULAMENTO tem por finalidade estabelecer

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS - REG/REPLAN

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS - REG/REPLAN REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS - REG/REPLAN CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES SEÇÃO I DA FINALIDADE Art. 1º - O presente Regulamento tem por finalidade estabelecer o conjunto de regras do Plano de

Leia mais

De (Regulamento Original) Para (Regulamento Proposto) Justificativa

De (Regulamento Original) Para (Regulamento Proposto) Justificativa CAPÍTULO I CAPÍTULO I DO OBJETO DO OBJETO Art. 1º Este Regulamento estabelece os direitos e as obrigações dos Instituidores, dos Participantes, dos Beneficiários e do Fundo de Pensão Multipatrocinado da

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO MISTO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Nº 001 DA CELOS Implantação em: 01/janeiro/1997

REGULAMENTO DO PLANO MISTO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Nº 001 DA CELOS Implantação em: 01/janeiro/1997 REGULAMENTO DO PLANO MISTO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Nº 001 DA CELOS Implantação em: 01/janeiro/1997 VERSÃO 12 Aprovado pela PREVIC em: xx/xx/xxxx 1 SUMÁRIO CAPÍTULO I - Das Definições Gerais Art.

Leia mais

LEI Nº 4.035. De: 04 de julho de 2014. A CÂMARA MUNICIPAL DE UMUARAMA, ESTADO DO PARANÁ, aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 4.035. De: 04 de julho de 2014. A CÂMARA MUNICIPAL DE UMUARAMA, ESTADO DO PARANÁ, aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 4.035 De: 04 de julho de 2014. Desafeta do domínio público os imóveis localizados no CONJUNTO HABITACIONAL SONHO MEU, na cidade de Umuarama - PR. A CÂMARA MUNICIPAL DE UMUARAMA, ESTADO DO PARANÁ,

Leia mais

1º. O Plano de Benefícios II encontra-se fechado a novas adesões desde 01/11/2006.

1º. O Plano de Benefícios II encontra-se fechado a novas adesões desde 01/11/2006. CAPÍTULO I DO OBJETO Art. 1º. O presente Regulamento tem por finalidade estabelecer as normas gerais do Plano de Benefícios II, administrado pela ENERPREV - Previdência Complementar do Grupo Energias do

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS ESCELSOS II

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS ESCELSOS II REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS ESCELSOS II Versão aprovada pela Portaria PREVIC Nº 664, de 29 de novembro de 2013, publicada no DOU de 02/12/2013. Índice Capítulo Página I - Do Objeto 01 II - Das Definições

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO MISTO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Nº 001 DA CELOS Implantação em: 01/janeiro/1997

REGULAMENTO DO PLANO MISTO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Nº 001 DA CELOS Implantação em: 01/janeiro/1997 REGULAMENTO DO PLANO MISTO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Nº 001 DA CELOS Implantação em: 01/janeiro/1997 VERSÃO 13 Aprovado pela SPC em: 24/12/2014 1 SUMÁRIO CAPÍTULO I - Das Definições Gerais Art. 1º

Leia mais

GAMA CONSULTORES ASSOCIADOS

GAMA CONSULTORES ASSOCIADOS CAPÍTULO I DO PLANO DE BENEFÍCIOS E SEUS FINS Art. 1º O presente Regulamento tem por finalidade estabelecer as disposições específicas referentes ao Plano de Benefícios CONAB, ou PLANO, administrado e

Leia mais

Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários da FUNDO MULTIINSTITUÍDO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários da FUNDO MULTIINSTITUÍDO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários da ACIPREV FUNDO MULTIINSTITUÍDO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Instituidora : ASSOCIAÇÃO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE AMERICANA ACIA 1 ÍNDICE Pág CAPÍTULO

Leia mais

LEI N.º 6.048, DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015.

LEI N.º 6.048, DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. LEI N.º 6.048, DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. Autoriza o Poder Executivo a doar os bens que equipam a Capela Mortuária do Bairro Progresso, para a Associação do Bairro Progresso. O Prefeito Municipal de Erechim,

Leia mais

Versão atual Versão proposta Justificativas. Regulamento do Plano de Contribuição Definida - PCD

Versão atual Versão proposta Justificativas. Regulamento do Plano de Contribuição Definida - PCD Regulamento do Plano de Contribuição Definida - PCD Regulamento do Plano de Contribuição Definida - PCD Capítulo I Capítulo I Do Plano e da sua Finalidade Do Plano e da sua Finalidade Art. 1º Este Regulamento

Leia mais

CARTILHA EXPLICATIVA DO PLANO CIASCPREV

CARTILHA EXPLICATIVA DO PLANO CIASCPREV CARTILHA EXPLICATIVA DO PLANO CIASCPREV Florianópolis, janeiro de 2010. Caríssimo Participante, Esta cartilha vai ajudar você a entender melhor a DATUSPREV e o Plano CIASCPREV. O CIASC, pensando em você,

Leia mais

Regulamento. Plano de Benefícios. SENACPrev

Regulamento. Plano de Benefícios. SENACPrev Regulamento do Plano de Benefícios SENACPrev Aprovado PREVIC 20-05-2011 1/37 Índice CAPÍTULO I - Do Objeto 3 CAPÍTULO II - Das Definições 3 CAPÍTULO III - Do Tempo de Serviço 8 CAPÍTULO IV - Dos Participantes

Leia mais

CASFAM Caixa de Assistência e Previdência Fábio de Araújo Motta

CASFAM Caixa de Assistência e Previdência Fábio de Araújo Motta CASFAM Caixa de Assistência e Previdência Fábio de Araújo Motta Regulamento do Plano de Benefícios do Sistema FIEMG CNPB n. 19.980.030-19 Belo Horizonte 2012 ÍNDICE Capítulo I DA FINALIDADE... 4 Capítulo

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI N.º 13.593, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2010. (publicada no DOE nº 248, de 31 de dezembro de 2010) Altera a Lei nº 8.820,

Leia mais

TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DO SEGURADO EMPREGADO, DOMÉSTICO E AVULSO

TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DO SEGURADO EMPREGADO, DOMÉSTICO E AVULSO TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DO SEGURADO EMPREGADO, DOMÉSTICO E AVULSO A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2010 Salário-de-contribuição (R$) INSS até 1.040,22 8,00% de 1.040,23 até 1.733,70 9,00% de 1.733,71 até 3.467,40

Leia mais

PORTARIA AGEPEN Nº 10, DE 14 DE OUTUBRO DE 2015.

PORTARIA AGEPEN Nº 10, DE 14 DE OUTUBRO DE 2015. PORTARIA AGEPEN Nº 10, DE 14 DE OUTUBRO DE 2015. Dispõe sobre a administração e o controle de bens que compõem o acervo patrimonial da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário, e dá outras

Leia mais

CONSIDERANDO o disposto no art. 37, II, da Constituição Federal, combinado com os artigos 90 e seguintes da Lei n 2.018, de 17 de janeiro de 1986;

CONSIDERANDO o disposto no art. 37, II, da Constituição Federal, combinado com os artigos 90 e seguintes da Lei n 2.018, de 17 de janeiro de 1986; DECRETO N 8.876, DE 11 DE FEVEREIRO DE 2015 Homologa o concurso público n 01/2014 na forma que especifica. CLAYTON ROBERTO MACHADO, Prefeito do Município de Valinhos, no uso das atribuições que lhe são

Leia mais

LEI Nº 2.282, DE 29 DE JANEIRO DE 2007. (Atualizado conforme a Lei nº 2.668, de 20 de agosto de 2010)

LEI Nº 2.282, DE 29 DE JANEIRO DE 2007. (Atualizado conforme a Lei nº 2.668, de 20 de agosto de 2010) LEI Nº 2.282, DE 29 DE JANEIRO DE 2007. (Atualizado conforme a Lei nº 2.668, de 20 de agosto de 2010) Desativa Escolas Municipais da Zona Rural e desafeta áreas públicas. seguinte Lei: O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

PROC. Nº 3832/07 PR Nº 060/07 EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

PROC. Nº 3832/07 PR Nº 060/07 EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS Apresentamos aos Senhores Vereadores o presente Projeto de Resolução, que institui premiações a serem conferidas pela Câmara Municipal de Porto Alegre. Este trabalho é resultado da

Leia mais

Resolução Susep nº 139 de 27.12.2005 DOU 30.12.2005

Resolução Susep nº 139 de 27.12.2005 DOU 30.12.2005 Resolução Susep nº 139 de 27.12.2005 DOU 30.12.2005 Obs.: Rep. DOU de 10.01.2006 Altera e consolida as regras de funcionamento e os critérios para operação da cobertura por sobrevivência oferecida em plano

Leia mais

Introdução. Nesta cartilha, você conhecerá as principais características desse plano. O tema é complexo e,

Introdução. Nesta cartilha, você conhecerá as principais características desse plano. O tema é complexo e, Introdução O Plano Prodemge Saldado está sendo criado a partir da cisão do Plano Prodemge RP5-II e faz parte da Estratégia Previdencial. Ele é uma das opções de migração para participantes e assistidos.

Leia mais

RESOLUÇÃO LEGISLATIVA Nº 04/97

RESOLUÇÃO LEGISLATIVA Nº 04/97 ESTADO DO AMAZONAS CÂMARA MUNICIPAL DE CAAPIRANGA PODER LEGISLATIVO RUA ANTONIO MACENA, 88. SANTA LUZIA CEP 69.410-000 RESOLUÇÃO LEGISLATIVA Nº 04/97 DISPÕE SOBRE A ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Diretoria de Pós-Graduação Divisão de Admissão e Mobilidade EDITAL PROPPG/DPG/DAM 071/2013

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Diretoria de Pós-Graduação Divisão de Admissão e Mobilidade EDITAL PROPPG/DPG/DAM 071/2013 PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Diretoria de Pós-Graduação Divisão de Admissão e Mobilidade EDITAL PROPPG/DPG/DAM 071/2013 A PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO da UNIVERSIDADE ESTADUAL DE

Leia mais

FUNDO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS E ANEXOS DE AMPARO

FUNDO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS E ANEXOS DE AMPARO FUNDO CARTÓRIO DE REGISTRO DE IMÓVEIS E ANEXOS DE AMPARO O Convênio celebrado com o Cartório de Registro de Imóveis e Anexos, de Amparo, em dezembro de 1994, possibilitou a transferência da massa documental,

Leia mais

DE SEGURIDADE SOCIAL

DE SEGURIDADE SOCIAL FUNDAÇÃO LIBERTAS DE SEGURIDADE SOCIAL REGULAMENTO PLANO DE BENEFÍCIOS 5-II - RP5- II CNPB 1994.0015-18 PATROCINADORA: COMPANHIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO ESTADO DE MINAS GERAIS - PRODEMGE Janeiro/2014

Leia mais

Estado do Acre DECRETO Nº. 4.006 DE 31 DE MARÇO DE 2009.

Estado do Acre DECRETO Nº. 4.006 DE 31 DE MARÇO DE 2009. DECRETO Nº. 4.006 DE 31 DE MARÇO DE 2009.. Publicado no D.O.E n 10.020 de 1 de abril de 2009. Altera e acrescenta dispositivos ao Decreto nº 2.914, de 11 de abril de 2008. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE,

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 086/2015. Autoriza o recebimento por doação de móveis usados da Caixa Econômica Federal e dá outras providências.

PROJETO DE LEI Nº 086/2015. Autoriza o recebimento por doação de móveis usados da Caixa Econômica Federal e dá outras providências. PROJETO DE LEI Nº 086/2015. Autoriza o recebimento por doação de móveis usados da Caixa Econômica Federal e dá outras providências. Art. 1 o É o Município autorizado a receber por doação da Caixa Econômica

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP Nº, DE.

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP Nº, DE. MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP Nº, DE. Dispõe sobre as regras e os critérios para estruturação, comercialização e operacionalização do Seguro de Vida Universal.

Leia mais

CAPAF CAIXA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO BANCO DA AMAZÔNIA. Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários - PrevAmazônia

CAPAF CAIXA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO BANCO DA AMAZÔNIA. Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários - PrevAmazônia CAPAF CAIXA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO BANCO DA AMAZÔNIA Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários - PrevAmazônia Indice CAPÍTULO I - DO OBJETO... 4 CAPÍTULO II - DAS DEFINIÇÕES E REMISSOES...

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Diretoria de Pós-Graduação Divisão de Admissão e Mobilidade EDITAL PROPPG/DPG/DAM Nº 090/2015

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Diretoria de Pós-Graduação Divisão de Admissão e Mobilidade EDITAL PROPPG/DPG/DAM Nº 090/2015 PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Diretoria de Pós-Graduação Divisão de Admissão e Mobilidade EDITAL PROPPG/DPG/DAM Nº 090/2015 A PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO da UNIVERSIDADE ESTADUAL

Leia mais

Regulamento do Plano de Benefícios dos Servidores Públicos Federais do Poder Executivo

Regulamento do Plano de Benefícios dos Servidores Públicos Federais do Poder Executivo Regulamento do Plano de Benefícios dos Servidores Públicos Federais do Poder Executivo Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo (Funpresp-Exe). CNPB nº 2013.0003-83

Leia mais

REGULAMENTO CULTURAPREV Adaptado à Lei Complementar nº 109/2001, Resoluções CGPC Nº 12/2002, Nº 03/2003, Nº 08/2004 e a Resolução CGPC Nº 10/2004

REGULAMENTO CULTURAPREV Adaptado à Lei Complementar nº 109/2001, Resoluções CGPC Nº 12/2002, Nº 03/2003, Nº 08/2004 e a Resolução CGPC Nº 10/2004 REGULAMENTO CULTURAPREV Adaptado à Lei Complementar nº 109/2001, Resoluções CGPC Nº 12/2002, Nº 03/2003, Nº 08/2004 e a Resolução CGPC Nº 10/2004 Ministério da Previdência Social MPS Secretaria de Previdência

Leia mais

Plano Superior: Cobertura e Procedimentos Garantidos

Plano Superior: Cobertura e Procedimentos Garantidos Plano Superior: Cobertura e Procedimentos Garantidos A CONTRATADA assegurará aos beneficiários regularmente inscritos e satisfeitas as respectivas condições, a cobertura básica prevista neste capítulo

Leia mais

Índice. Átrio ou Três Encontros e Duas Notas...17. De Um A Razão Animada por Álvaro Ribeiro...21

Índice. Átrio ou Três Encontros e Duas Notas...17. De Um A Razão Animada por Álvaro Ribeiro...21 Índice Átrio ou Três Encontros e Duas Notas...17 De Um A Razão Animada por Álvaro Ribeiro...21 Carta I...25 I Domingo do Advento, 3 de Dezembro de 2006 Passeios no campo Carta II...28 II Domingo do Advento,

Leia mais

CARTILHA DO PLANO D FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT

CARTILHA DO PLANO D FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT CARTILHA DO PLANO D Cartilha - Plano D INTRODUÇÃO Você está recebendo a Cartilha do Plano D. Nela você encontrará um resumo das principais características do plano. O Plano D é um plano moderno e flexível

Leia mais

Plano de Previdência Complementar CPFL PPCPFL

Plano de Previdência Complementar CPFL PPCPFL Plano de Previdência Complementar CPFL PPCPFL Vigência: 1º/09/2010 APROVADO PELA SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PORTARIA PREVIC 613, DE 13 DE AGOSTO DE 2010. PPCPFL 1 ÍNDICE CAPÍTULO

Leia mais

Samara Bassi. Cartas para G.

Samara Bassi. Cartas para G. Samara Bassi Cartas para G. Samara Bassi Cartas para G. e outros bilhetes passados pelo vão da porta São Paulo 2012 Copyright 2012 Todos os direitos reservados a: Samara Regina Bassi 1ª Edição Dezembro

Leia mais

Aceprev. Cartilha do Plano de Benefícios REGRA MIGRADOS. Aperam Inox América do Sul S.A. Acesita Previdência Privada

Aceprev. Cartilha do Plano de Benefícios REGRA MIGRADOS. Aperam Inox América do Sul S.A. Acesita Previdência Privada Aceprev Acesita Previdência Privada Aperam Inox América do Sul S.A. Cartilha do Plano de Benefícios REGRA MIGRADOS Aceprev Acesita Previdência Privada DIRETORIA EXECUTIVA Nélia Maria de Campos Pozzi -

Leia mais

DOU Seção I 30/09/2013 MINISTÉRIO DA SAÚDE ANSS - AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR. PORTARIA No- 1, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2016

DOU Seção I 30/09/2013 MINISTÉRIO DA SAÚDE ANSS - AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR. PORTARIA No- 1, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2016 DOU Seção I 30/09/2013 MINISTÉRIO DA SAÚDE ANSS - AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR PORTARIA No- 1, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2016 A DIRETORA DE DESENVOLVIMENTO SETORIAL DA AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE SUPLEMENTAR,

Leia mais

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE FAZENDA, no uso de suas atribuições e tendo em vista o disposto no artigo 181, 6º, da Lei Complementar nº 053/2005, RESOLVE:

O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE FAZENDA, no uso de suas atribuições e tendo em vista o disposto no artigo 181, 6º, da Lei Complementar nº 053/2005, RESOLVE: RESOLUÇÃO SEMFAZ Nº 009/2015. Altera a relação de substitutos tributários que integra o Anexo III da Lei Complementar nº 053/2005 e dá outras providências. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE FAZENDA, no uso de

Leia mais

I - Do Objeto 04. II - Das Definições 04. III - Dos Participantes 06. IV - Do Serviço Creditado 09

I - Do Objeto 04. II - Das Definições 04. III - Dos Participantes 06. IV - Do Serviço Creditado 09 SISTEMA INDÚSTRIA DE PREVIDÊNCIA PRIVADA Prevind 2 Regulamento do Plano Outubro/2008 Índice Títulos Páginas I - Do Objeto 04 II - Das Definições 04 III - Dos Participantes 06 IV - Do Serviço Creditado

Leia mais

REGULAMENTO PLANO ANAPARprev - Editado em Dezembro de 2009 Versão aprovada pela SPC em 09/12/2009 (Portaria 3.220/SPC) Capítulo I: DO PLANO E SEUS FINS 02 Capítulo II: DOS MEMBROS 02 Capítulo III: DA INSCRIÇÃO

Leia mais

Plano CEBPREV Proposta de alteração regulamentar versão: novembro/2014

Plano CEBPREV Proposta de alteração regulamentar versão: novembro/2014 Plano CEBPREV Proposta de alteração regulamentar versão: novembro/2014 Texto atual Modificações Justificativa de alteração Glossário Contrato de Seguro : contrato a ser firmado formalmente entre a FACEB,

Leia mais

ENTENDA MELHOR! O TAC da tábua de mortalidade e o crédito gerado na conta do Plano B

ENTENDA MELHOR! O TAC da tábua de mortalidade e o crédito gerado na conta do Plano B ENTENDA MELHOR! O TAC da tábua de mortalidade e o crédito gerado na conta do Plano B 1 Relembrando os critérios de cálculo da MAT vitalícia O participante do plano B tem a opção, quando atingidos os critérios

Leia mais

Encontro dos Representantes Regionais da Prevdata 2012. Principais dúvidas no atendimento Plano CV Prevdata II

Encontro dos Representantes Regionais da Prevdata 2012. Principais dúvidas no atendimento Plano CV Prevdata II Encontro dos Representantes Regionais da Prevdata 2012 Principais dúvidas no atendimento Plano CV Prevdata II Plano CV Prevdata II Dúvidas... Renda decorrente do saldo de conta: total acumulado das contribuições

Leia mais

Plano de Suplementação de Aposentadorias e Pensão. PSAP/Duke Energy. Vigência: 1º/2/2007

Plano de Suplementação de Aposentadorias e Pensão. PSAP/Duke Energy. Vigência: 1º/2/2007 Plano de Suplementação de Aposentadorias e Pensão PSAP/Duke Energy Vigência: 1º/2/2007 1 Índice Capítulo I Do Objeto...4 Capítulo II Das Definições e Aplicações...4 Capítulo III Dos Destinatários do Plano...6

Leia mais

SESI-PIPrev ÍNDICE. Capítulo I Do Objeto. Capítulo II Das Definições. Capítulo III Dos Participantes. Capítulo IV Do Serviço Creditado

SESI-PIPrev ÍNDICE. Capítulo I Do Objeto. Capítulo II Das Definições. Capítulo III Dos Participantes. Capítulo IV Do Serviço Creditado 2 SESI-PIPrev ÍNDICE Capítulo I Do Objeto Capítulo II Das Definições Capítulo III Dos Participantes Capítulo IV Do Serviço Creditado Capítulo V Do Plano de Custeio e das Disposições Financeiras Capítulo

Leia mais

MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01

MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01 MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01 2 MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01 Brasília - DF Março/2015 3 Sumário GLOSSÁRIO... 5 CAPÍTULO

Leia mais

FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA SECCIONAL DE SÃO PAULO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DA CAASP CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO

FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA SECCIONAL DE SÃO PAULO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DA CAASP CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA SECCIONAL DE SÃO PAULO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DA CAASP CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO PAULO OABPrev-SP REGULAMENTO ÍNDICE CAPÍTULO I DO OBJETO

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO CAPÍTULO I - DO OBJETO Art. 1º - Este Regulamento estabelece os direitos e as

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO CAPÍTULO I - DO OBJETO Art. 1º - Este Regulamento estabelece os direitos e as REGULAMENTO FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA SECCIONAL DE SÃO PAULO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DA CAASP CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO PAULO OABPrev-SP/CE ÍNDICE Capítulo I - DO OBJETIVO

Leia mais

Projeto de Lei n.º 004/2015

Projeto de Lei n.º 004/2015 [ Página n.º 1 ] ALTERA DISPOSITIVOS DA LEI COMPLEMENTAR MUNICIPAL N.º 717/2013, COM A EXTINÇÃO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER E A CRIAÇÃO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA, ESPORTE

Leia mais

INSTITUTO CONAB DE SEGURIDADE SOCIAL CAPÍTULO I DO PLANO DE BENEFÍCIOS E SEUS FINS

INSTITUTO CONAB DE SEGURIDADE SOCIAL CAPÍTULO I DO PLANO DE BENEFÍCIOS E SEUS FINS 1 CAPÍTULO I DO PLANO DE BENEFÍCIOS E SEUS FINS Art. 1º O presente Regulamento tem por finalidade estabelecer as disposições específicas referentes ao Plano de Benefícios CONAB, ou PLANO, administrado

Leia mais

Mantida a redação. Mantida a redação

Mantida a redação. Mantida a redação Art. 11. A Contribuição Básica, de caráter mensal, bimestral, semestral ou anual é obrigatória, sendo definida a opção por uma dessas formas e o valor da contribuição, na data de ingresso do Participante

Leia mais

Licenciamento Automático - REGULAMENTO SENGE PREVIDÊNCIA - CNPB 2005.0003-29 Anexo 1 ao JM/0916/2015 de 29/04/2015

Licenciamento Automático - REGULAMENTO SENGE PREVIDÊNCIA - CNPB 2005.0003-29 Anexo 1 ao JM/0916/2015 de 29/04/2015 Aprovado pela Portaria nº 836 de 27/10/2010 Alterações DOU 29/10/2010 Justificativa CAPÍTULO I - DO PLANO E SEUS FINS Artigo 1º O presente Regulamento tem por objeto estabelecer as disposições específicas

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Diretoria de Pós-Graduação Divisão de Admissão e Mobilidade EDITAL PROPPG/DPG/DAM Nº 096/2014

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Diretoria de Pós-Graduação Divisão de Admissão e Mobilidade EDITAL PROPPG/DPG/DAM Nº 096/2014 PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Diretoria de Pós-Graduação Divisão de Admissão e Mobilidade EDITAL PROPPG/DPG/DAM Nº 096/2014 A PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO da UNIVERSIDADE ESTADUAL

Leia mais

PORTARIA N 1/2012. O DR. JOÃO CARLOS DE OLIVEIRA UCHOA, JUIZ TITULAR DA 15ª VARA DO TRABALHO DE FORTALEZA, no uso de suas atribuições legais,

PORTARIA N 1/2012. O DR. JOÃO CARLOS DE OLIVEIRA UCHOA, JUIZ TITULAR DA 15ª VARA DO TRABALHO DE FORTALEZA, no uso de suas atribuições legais, PORTARIA N 1/2012 O DR. JOÃO CARLOS DE OLIVEIRA UCHOA, JUIZ TITULAR DA 15ª VARA DO TRABALHO DE FORTALEZA, no uso de suas atribuições legais, CONSIDERANDO a implantação do Processo Judicial Eletrônico (PJE)

Leia mais

CARTILHA EXPLICATIVA. Esta Cartilha vai ajudá-lo a entender melhor o OABPrev-GO e o Plano de Benefícios Previdenciários do Advogado Adv-PREV.

CARTILHA EXPLICATIVA. Esta Cartilha vai ajudá-lo a entender melhor o OABPrev-GO e o Plano de Benefícios Previdenciários do Advogado Adv-PREV. CARTILHA 2010 CARTILHA EXPLICATIVA Esta Cartilha vai ajudá-lo a entender melhor o OABPrev-GO e o Plano de Benefícios Previdenciários do Advogado Adv-PREV. Com o Adv-PREV você verá que é possível viver

Leia mais

A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada.

A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada. A... Aceitação Ato de aprovação pela entidade de uma proposta efetuada. Adesão Característica do contrato de previdência privada, relativa ao ato do proponente aderir ao plano de previdência. Administradores

Leia mais

ZALMINO ZIMMERMANN TEORIA DA MEDIUNIDADE

ZALMINO ZIMMERMANN TEORIA DA MEDIUNIDADE ZALMINO ZIMMERMANN TEORIA DA MEDIUNIDADE CAMPINAS SP 2011 SUMÁRIO Primeiras palavras... 17 Capítulo I Introdução... 19 Capítulo II O mediunismo na história... 23 Capítulo III Mediunidade Conceito Tipos...

Leia mais

2º Semestre de 2010 2

2º Semestre de 2010 2 1 2 2º Semestre de 2010 O objetivo deste material é abordar os pontos principais do Plano de Benefícios PreviSenac e não substitui o conteúdo do regulamento. 3 4 Índice PreviSenac para um futuro melhor

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA DECRETO Nº 3.624, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1997. Complementa normas para escrituração fiscal do ISS, para os contribuintes que exerçam atividades financeiras, bancárias e congêneres, e institui o PROBAN -

Leia mais

Circular 357/2015 São Paulo, 26 de Outubro de 2015.

Circular 357/2015 São Paulo, 26 de Outubro de 2015. Circular 357/2015 São Paulo, 26 de Outubro de 2015. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) INDEFERIMENTO DOS PROJETOS APRESENTADOS NO ÂMBITO DO PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À ATENÇÃO ONCOLÓGICA (PRONON) Diário Oficial

Leia mais

MANUAL DE NORMAS OPÇÕES FLEXÍVEIS SOBRE AÇÃO, COTA DE FUNDO DE INVESTIMENTO E ÍNDICE

MANUAL DE NORMAS OPÇÕES FLEXÍVEIS SOBRE AÇÃO, COTA DE FUNDO DE INVESTIMENTO E ÍNDICE MANUAL DE NORMAS OPÇÕES FLEXÍVEIS SOBRE AÇÃO, COTA DE FUNDO DE INVESTIMENTO E ÍNDICE VERSÃO: 06/09/2010 MANUAL DE NORMAS OPÇÕES FLEXÍVEIS SOBRE AÇÃO, COTA DE FUNDO DE INVESTIMENTO E ÍNDICE 2/13 ÍNDICE

Leia mais

LEI Nº 12.839, DE 9 DE JULHO DE 2013

LEI Nº 12.839, DE 9 DE JULHO DE 2013 LEI Nº 12.839, DE 9 DE JULHO DE 2013 Reduz a zero as alíquotas da Contribuição para o PIS/Pasep, da Cofins, da Contribuição para o PIS/Pasep-Importação e da Cofins- Importação incidentes sobre a receita

Leia mais

CAPÍTULO I DO OBJETO CAPÍTULO II DISPOSIÇÕES GERAIS. Art. 2º Para os efeitos desta Norma, considera-se:

CAPÍTULO I DO OBJETO CAPÍTULO II DISPOSIÇÕES GERAIS. Art. 2º Para os efeitos desta Norma, considera-se: ANEXO DA RESOLUÇÃO Nº 858-ANTAQ, DE 23 DE AGOSTO 2007. NORMA SOBRE A FISCALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELA ADMINISTRAÇÃO PORTUÁRIA NA EXPLORAÇÃO DE PORTOS PÚBLICOS. (Alterada pela Resolução nº

Leia mais

Plano PAI. material explicativo

Plano PAI. material explicativo Plano PAI material explicativo Conheça melhor o Plano PAI e veja como o tempo pode ser seu maior aliado Grande parte dos trabalhadores sonha em ter uma aposentadoria estável e aproveitar essa fase para

Leia mais

Fundação Forluminas de Seguridade Social - Forluz. Gerência de Previdência, Atuária e Atendimento

Fundação Forluminas de Seguridade Social - Forluz. Gerência de Previdência, Atuária e Atendimento Fundação Forluminas de Seguridade Social - Forluz Gerência de Previdência, Atuária e Atendimento Cenário A Seguradora Aegon realizou, no período entre janeiro e fevereiro de 2015, uma pesquisa entre quinze

Leia mais

abril/2011 II Nosso ambiente sofre De enorme degradação Faz mais de 500 anos Desde a Colonização: Das gentes aos ambientes, Quem perde é nossa Nação.

abril/2011 II Nosso ambiente sofre De enorme degradação Faz mais de 500 anos Desde a Colonização: Das gentes aos ambientes, Quem perde é nossa Nação. I Vamos tratar de um assunto Trazendo dele a verdade Muito mal faz às pessoas De qualquer sexo ou idade: O uso de agrotóxicos Traz risco à Humanidade! 3 II Nosso ambiente sofre De enorme degradação Faz

Leia mais

Cartilha do Participante

Cartilha do Participante Benefício definido (Eletra 01) BENEFICIO DEFINIDO Cartilha do Participante Introdução A ELETRA Fundação Celg de Seguros e Previdência é uma entidade fechada de previdência privada, de fins previdenciários

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS BETA FUNDAÇÃO ALPHA DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL ÍNDICE DOS CAPÍTULOS E SEÇÕES

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS BETA FUNDAÇÃO ALPHA DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL ÍNDICE DOS CAPÍTULOS E SEÇÕES REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS BETA FUNDAÇÃO ALPHA DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL ÍNDICE DOS CAPÍTULOS E SEÇÕES CAPÍTULO I DIRETRIZES BÁSICAS 4 CAPÍTULO II CATEGORIAS DE MEMBROS

Leia mais

Cartilha do Participante

Cartilha do Participante FACEAL Fundação Ceal de Assistência Social e Previdência Cartilha do Participante Manual de Perguntas e Respostas Plano Faceal CD Prezado leitor, A FACEAL apresenta esta cartilha de perguntas e respostas

Leia mais

GLOSSÁRIO TERMOS UTILIZADOS PARA FUNDOS DE PENSÃO. ABRAPP. Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência

GLOSSÁRIO TERMOS UTILIZADOS PARA FUNDOS DE PENSÃO. ABRAPP. Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência GLOSSÁRIO ABRAPP. Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar. ASSISTIDOS. Participante ou Beneficiário(s) em gozo de benefício. ATUÁRIO. Profissional técnico especializado,

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 100, DE 2015

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 100, DE 2015 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 100, DE 2015 Altera a Lei nº 9.961, de 28 de janeiro de 2000, para determinar que a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) estabeleça o índice máximo de reajuste das contraprestações

Leia mais

ÍNDICE TÍTULO I DAS CARACTERÍSTICAS TÍTULO II DAS DEFINIÇÕES TÍTULO III DA CONTRATAÇÃO DO PLANO TÍTULO IV DA DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES

ÍNDICE TÍTULO I DAS CARACTERÍSTICAS TÍTULO II DAS DEFINIÇÕES TÍTULO III DA CONTRATAÇÃO DO PLANO TÍTULO IV DA DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES PLANO GERADOR DE BENEFÍCIO LIVRE PGBL MODALIDADE DE CONTRIBUIÇÃO VARIÁVEL REGULAMENTO DE PLANO INDIVIDUAL ÍNDICE TÍTULO I DAS CARACTERÍSTICAS TÍTULO II DAS DEFINIÇÕES TÍTULO III DA CONTRATAÇÃO DO PLANO

Leia mais

EDIÇÃO 222, SEÇÃO 1, PÁGINA 32 E 33, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014 SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

EDIÇÃO 222, SEÇÃO 1, PÁGINA 32 E 33, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014 SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR EDIÇÃO 222, SEÇÃO 1, PÁGINA 32 E 33, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014 SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR INSTRUÇÃO CONJUNTA Nº 1, DE 14 DE NOVEMBRO DE 2014 Dispõe sobre as regras de portabilidade

Leia mais

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1 PLANO SUPLEMENTAR Material Explicativo 1 Introdução A CitiPrevi oferece planos para o seu futuro! Recursos da Patrocinadora Plano Principal Benefício Definido Renda Vitalícia Programa Previdenciário CitiPrevi

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 140, DE 2005.

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 140, DE 2005. MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP N o 140, DE 2005. Altera e consolida as regras de funcionamento e os critérios para operação da cobertura por sobrevivência oferecida

Leia mais

BEM-VINDO AO PLANO PREV-ESTAT O Plano Previdência PREV-ESTAT foi criado em parceria pelas empresas: Socieda Brasileira Estatística, Conselho Regional Estatística da 2ª Região, Conselho Regional Estatística

Leia mais

Apresentação. Lembrando que esta cartilha não substitui o regulamento do Plano BD Eletrobrás, recomendamos a leitura atenta do referido regulamento.

Apresentação. Lembrando que esta cartilha não substitui o regulamento do Plano BD Eletrobrás, recomendamos a leitura atenta do referido regulamento. Apresentação A Lei Nº 11.053, de 29.12.2004, faculta aos participantes de Planos de Previdência Complementar, estruturados na modalidade de Contribuição Definida (CD), como é o caso do novo Plano CD Eletrobrás,

Leia mais

BEM-VINDO AO PLANO SIMEPREV O Plano Previdência SIMEPREV foi criado para oferecer uma renda aposentadoria complementar aos médicos ligados ao Sindicato dos Médicos São Paulo, ao Sindicato dos Médicos no

Leia mais

FORD PREVIDÊNCIA PRIVADA - FPP

FORD PREVIDÊNCIA PRIVADA - FPP Atualização 02.10.2008 FORD PREVIDÊNCIA PRIVADA - FPP A Ford Previdência Privada FPP é uma Entidade Fechada de Previdência Complementar, sem fins lucrativos, que administra os benefícios do Plano de Aposentadoria

Leia mais

Dispõe sobre o cerimonial do Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

Dispõe sobre o cerimonial do Tribunal Regional Federal da 1ª Região. PORTARIA/PRESI/ASREP 172 DE 13/04/2011 Dispõe sobre o cerimonial do Tribunal Regional Federal da 1ª Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 1ª REGIÃO, no uso de suas atribuições previstas

Leia mais

PSS Seguridade Social

PSS Seguridade Social 2012 PSS Seguridade Social Plano de Benefícios C Apresentação A Lei Complementar nº 109, de 2001, que dispõe sobre o Regime de Previdência Complementar, atualizou e estabeleceu novas regras e padrões de

Leia mais

Fundação de Previdência Complementar dos Empregados ou Servidores da FINEP, do IPEA, do CNPq, do INPE e do INPA PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS

Fundação de Previdência Complementar dos Empregados ou Servidores da FINEP, do IPEA, do CNPq, do INPE e do INPA PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DOS ASSOCIADOS DA FIPECqV I D A REGULAMENTO DO FIPECqPREV Regulamento adaptado à Resolução CGPC nº 20, de 25/09/2006 e ajustado o Benefício de Risco. Regulamento aprovado

Leia mais

Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários dos Cooperados do SICOOB

Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários dos Cooperados do SICOOB Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários dos Cooperados do SICOOB SICOOB MULTI INSTITUÍDO Aprovado pela Portaria nº 1.563, de 13/9/2007, publicada no Diário Oficial de 14/9/2007. Índice Capítulo

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE PECÚLIO FACULTATIVO PPF CNPB 1990.0011-65 FUNDAÇÃO GEAPPREVIDÊNCIA

REGULAMENTO DO PLANO DE PECÚLIO FACULTATIVO PPF CNPB 1990.0011-65 FUNDAÇÃO GEAPPREVIDÊNCIA REGULAMENTO DO PLANO DE PECÚLIO FACULTATIVO PPF CNPB 1990.0011-65 FUNDAÇÃO GEAPPREVIDÊNCIA Aprovado pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar PREVIC, por meio da Portaria Nº 509, de 27

Leia mais

SABESPREV. Plano de Benefícios Básico TÍTULO I DO OBJETO

SABESPREV. Plano de Benefícios Básico TÍTULO I DO OBJETO SABESPREV Plano de Benefícios Básico TÍTULO I DO OBJETO Artigo 1º - O presente Regulamento estabelece os direitos e as obrigações da FUNDAÇÃO, das Patrocinadoras, dos Participantes e dos seus Beneficiários

Leia mais

PLANO DE BENEFÍCIOS SERPRO I PS-I REGULAMENTO

PLANO DE BENEFÍCIOS SERPRO I PS-I REGULAMENTO PLANO DE BENEFÍCIOS SERPRO I PS-I REGULAMENTO CADASTRO NACIONAL DE PLANOS DE BENEFÍCIOS Nº 19.980.077-74 APROVADO PELA SUPERINTENDÊNCIA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO

Leia mais

1. O que é um plano de previdência complementar?

1. O que é um plano de previdência complementar? 1 2 Ao assumir com você o compromisso de gerir o seu plano de previdência, a Fachesf se tornou responsável também por lhe manter em dia sobre o que acontece na Fundação, esclarecendo suas dúvidas e atualizando-lhes

Leia mais

NAPOLEÃO BERNARDES, Prefeito Municipal de Blumenau.

NAPOLEÃO BERNARDES, Prefeito Municipal de Blumenau. Projeto de Lei Nº 6585/14 AUTORIZA A CONCESSÃO DE AUXÍLIO FINANCEIRO ÀS ENTIDADES QUE MENCIONA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. NAPOLEÃO BERNARDES, Prefeito Municipal de Blumenau. Faço saber a todos os habitantes

Leia mais

COMO FUNCIONA A PREV PEPSICO CONTRIBUIÇÕES ALOCAÇÃO DAS CONTRIBUIÇÕES OPÇÕES EM CASO DE DESLIGAMENTO BENEFÍCIOS CÁLCULO E PAGAMENTO DOS BENEFÍCIOS

COMO FUNCIONA A PREV PEPSICO CONTRIBUIÇÕES ALOCAÇÃO DAS CONTRIBUIÇÕES OPÇÕES EM CASO DE DESLIGAMENTO BENEFÍCIOS CÁLCULO E PAGAMENTO DOS BENEFÍCIOS Material Explicativo Sumário 2 COMO FUNCIONA A PREV PEPSICO 3 CONTRIBUIÇÕES 8 ALOCAÇÃO DAS CONTRIBUIÇÕES 9 OPÇÕES EM CASO DE DESLIGAMENTO 11 BENEFÍCIOS 13 CÁLCULO E PAGAMENTO DOS BENEFÍCIOS 18 TRIBUTAÇÃO

Leia mais

Agrupamento de Centros de Saúde de ( )

Agrupamento de Centros de Saúde de ( ) A presente proposta de Regulamento visa apenas os ACeS, por ser considerado prioritário este contributo face às solicitações chegadas. Urge no sentido da garantia da Qualidade e Segurança dos Cuidados

Leia mais