VALÉRIA CRISTINA LOPES DE BARROS ROLIM

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VALÉRIA CRISTINA LOPES DE BARROS ROLIM"

Transcrição

1 Universidade Camilo Castelo Branco Instituto de Engenharia Biomédica VALÉRIA CRISTINA LOPES DE BARROS ROLIM ESTUDO COMPARATIVO DOS EFEITOS DA DESINFECÇÃO DE APARELHOS ORTODÔNTICOS REMOVÍVEIS UTILIZANDO CLOREXIDINA OU OZÔNIO A COMPARATIVE STUDY ON THE EFFECTS OF USING CHLOREXIDINE OR OZONE AS A DISINFECTION METHOD ON REMOVABLE ORTHODONTIC APPLIANCES São José dos Campos, SP 2014

2 II Valéria Cristina Lopes de Barros Rolim ESTUDO COMPARATIVO DOS EFEITOS DA DESINFECÇÃO DE APARELHOS ORTODÔNTICOS REMOVÍVEIS UTILIZANDO CLOREXIDINA OU OZÔNIO Orientador: Prof. Dr. Ricardo Scarparo Navarro Co-orientadora : Profa. Dra. Dora Inês Kozusny Andreani Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia Biomédica da Universidade Camilo Castelo Branco, como complementação dos créditos necessários para obtenção do título de Mestre em Engenharia Biomédica. São José dos Campos, SP 2014

3 III

4 IV

5 V DEDICATÓRIA Dedico este trabalho a Deus pela sua infinita bondade. A TODOS da minha maravilhosa Família, especialmente à minha avó Dona Santa, aos meus pais Jesus e Arlete, ao meu amado esposo José e ao meu maior presente e amor nesta vida, minha filha Mariana. Jamais conseguiria expressar com palavras minha gratidão a vocês!!!

6 VI AGRADECIMENTOS Agradeço primeiramente à Unicastelo, instituição que nos permitiu o acesso a este Programa de Mestrado Aos meus queridos orientadores Profa. Dra. Dora Inês Kozusny Andreani e Prof. Dr. Ricardo Scarparo Navarro pela paciência e amizade reveladas durante todo este período A todos os meus colegas de trabalho e também amigos da Faculdade de Odontologia da Unicastelo, Campus Fernandópolis. Aos meus queridos alunos Aos funcionários do Departamento de Microbiologia da Unicastelo, agradecendo especialmente à Selma Bernardo pela amizade e dedicação Aos amigos Prof. Nilton Cesar Pezati Boer, Prof. Dr. Roberto Raccanich Aos amigos Dr. Conrado Ingraci e Profa. Dra. Mariângela Ingraci Aos amigos Prof. Dr. Nagib Pezati Boer e Profa. Maria Betania Ricci Boer pelo grande incentivo e auxílio para o desenvolvimento desta dissertação À amiga Luciana Estevam Simonato Quanta disponibilidade e carinho recebidos! Minha gratidão a vocês será eterna!!!

7 VII Não serei o poeta de um mundo caduco. Também não cantarei o mundo futuro. Estou preso à vida e olho meus companheiros. Estão taciturnos, mas nutrem grandes esperanças. Entre eles, considero a enorme realidade. O presente é tão grande, não nos afastemos. Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas. Não serei o cantor de uma mulher, de uma história, não direi os suspiros ao anoitecer, a paisagem vista da janela, não distribuirei entorpecentes ou cartas de suicida, não fugirei para as ilhas nem serei raptado por serafins. O tempo é a minha matéria, do tempo presente, os homens presentes, a vida presente. Carlos Drummond de Andrade

8 VIII ESTUDO COMPARATIVO DOS EFEITOS DA DESINFECÇÃO DE APARELHOS ORTODÔNTICOS REMOVÍVEIS UTILIZANDO CLOREXIDINA OU OZÔNIO RESUMO O presente estudo teve o objetivo de avaliar in vitro a ação desinfetante das soluções: digluconato de clorexina (CH)1%, digluconato de clorexidina 0,12% spray (CHS) e água ozonizada sobre aparelhos ortodônticos removíveis (AOR) - Placas de Hawley - contaminados com os micro-organismos: Candida albicans, Streptococcus mutans e Enterococcus faecalis. Foram confeccionados em resina acrílica quimicamente ativada 60 aparelhos, divididos em 04 grupos de acordo com o tipo de tratamento realizado, contendo 15 aparelhos cada e os mesmos foram divididos em 03 subgrupos, cada um com 05 aparelhos (n=5) contaminados com os microorganismos específicos. Os grupos estudados foram: G1- controle - solução salina estéril (0,5%), G2- AOR + solução de clorexidina 1%, G3- AOR + spray de clorexidina 0.12% e G4 AOR + água ozonizada. Antes e após os tratamentos, foram coletadas amostras da superfície dos AOR através de swab estéril e, após diluições seriadas, foram inoculados 0,1mL de cada diluição em placas contendo os meios de cultura correspondentes a cada micro-organismo, em triplicata. Depois da incubação a 37ºC por 24 horas, a contagem das UFC/ml foi realizada. Os resultados mostraram que os três tratamentos propostos obtiveram êxito na desinfecção de aparelhos ortodônticos para os micro-organismos C. albicans, S. mutans e E. faecalis, mostrando evidente diminuição da carga microbiana da superfície de resina tratada. Palavras-chave: Aparelho ortodôntico removível, clorexidina, água ozonizada, desinfecção.

9 IX A COMPARATIVE STUDY ON THE EFFECTS OF USING CHLOREXIDINE OR OZONE AS A DISINFECTION METHOD ON REMOVABLE ORTHODONTIC APPLIANCES ABSTRACT The present study aimed to evaluate the in vitro action of disinfectant solutions: chlorhexidine gluconate (CH) 1%, chlorhexidine gluconate 0.12% "spray" (CHS) and ozonated water on removable orthodontic appliances -ROA (Hawley retainers) contaminated by microorganisms. The microorganisms were: Candida albicans, Streptococcus mutans and Enterococcus faecalis. A number of 60 chemically activated acrylic resins appliances were made. These 60 appliances were divided into 04 groups of 15, according to the type of treatment carried out. Those 04 groups were divided into 03 subgroups of 05 appliances infected by specific microorganisms (n = 5). The groups were: G1 - control - sterile saline (0.5%), G2 - ROA + chlorhexidine 1%, G3 - ROA % chlorhexidine spray and G4 - ROA + ozonated water. Before and after treatments, samples from the surface of the ROAs were collected with a sterile swab and after serial dilutions, 0.1 ml of each dilution was inoculated into plates containing corresponding culture medium of each microorganism, in triplicate. After incubation at 37 C for 24 hours, the number of colony forming units (CFU/mL) was counted. The results showed that all three treatments proposed were effective as a disinfectant for these microorganisms on orthodontic appliances, showing clear reduction of the microbial load of the treated acrylic surfaces. Key-words: Removable orthodontic appliance, chlorhexidine, ozonated water, disinfection.

10 X LISTA DE ILUSTRAÇÕES Figura 1: Molécula de ozônio Figura 2: Representação do reator para a geração de ozônio pelo método de descarga elétrica Figura 3: Mecanismo de ação do ozônio nos micro-organismos: 1. Imagem da bactéria sadia gerada por computador; 2. Parede celular da bactéria em contato com o ozônio; 3. Oxidação da parede celular; 4,5 e 6. Ruptura e destruição da bactéria Figura 4: Identificação dos AOR (aparelhos ortodônticos removíveis) Figura 5: Equipamento gerador de ozônio Figura 6: Local de coleta das amostras... 38

11 XI LISTA DE TABELAS Tabela 1: Desinfetantes e esterilizantes mais utilizados em artigos odontológicos Tabela 2: Controle (GRUPO 1) Tabela 3: Clorexidina 1% (GRUPO 2) Tabela 4: Spray de clorexidina 0,12% (GRUPO 3) Tabela 5: Água ozonizada (GRUPO 4)... 43

12 XII LISTA DE ABREVIATURAS AOR Aparelho Ortodôntico Removível CHX Clorexidina DNA Ácido Desoxirribonucleico LED Light Emitting Diode PDT Photodynamic Therapy (Terapia Fotodinâmica) RAAQ Resina Acrílica Ativada Quimicamente RNA Ácido Ribonucleico UFC Unidades Formadoras de Colônias C. albicans Candida albicans S. mutans Streptococcus mutans E. faecalis Enterococcus faecalis

13 XIII LISTA DE SÍMBOLOS cm 2 Centímetro quadrado min Minuto mm Milímetro L Litro ml Mililitro mol 6, átomos s Segundo O 2 O 3 NaCl Oxigênio Ozônio Cloreto de Sódio µl Microlitro µm Micrometro ºC Grau Celsius g Grama W Watt

14 XIV SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO Objetivo geral REVISÃO BIBLIOGRÁFICA...,, Conceitos Micro-organismos utilizados na contaminação da superfície acrílica dos AOR Candida albicans Streptococcus mutans Enterococcus faecalis Soluções desinfetantes Clorexidina Água ozonizada Desinfecção de aparelhos ortodônticos removíveis Métodos alternativos MATERIAL E MÉTODO Locais de estudo Confecção dos aparelhos ortodônticos Grupos Linhagens bacterianas, preparação do inóculo, descontaminação dos AOR Desinfecção Coleta do material pós-desinfecção Análise estatística RESULTADOS DISCUSSÃO CONCLUSÕES REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS... 50

15 A placa de Hawley é um aparelho ortodôntico removível, cuja base é confeccionada em resina acrílica quimicamente ativada (RAAC). É indicada para a contenção, após a finalização da ortodontia corretiva, com o intuito de manter a estabilidade do tratamento, evitando recidivas. 1 Também pode ser utilizada para a realização de movimentos de extrusão dentária, rotações e manutenção de espaços. Devido à possibilidade da incorporação de acessórios na sua estrutura, pode ser acrescida de grade palatina, molas digitais, orifício para a reeducação lingual, parafuso expansor, dentes de estoque para manutenção de espaços e, inclusive, arco facial para o aparelho extrabucal. 1 Com a sua utilização durante o tratamento ortodôntico, um aumento INTRODUÇÃO considerável de acúmulo de biofilme dental pode ocorrer sobre a superfície da base acrílica e locais retentivos de grampos e molas. 2-4 Visualmente as resinas acrílicas aparentam superfície lisa, porém na microscopia de luz as rugosidades e porosidades formadas no processo de acrilização, conferem irregularidades à sua superfície, com maior retenção de biofilme e pigmentos. 5,6 Estas irregularidades podem ser minimizadas por meio do polimento mecânico, que não pode ser realizado na região palatina devido ao risco de perda da anatomia da mucosa do paciente e, por consequência, a retenção. É realizado, então um polimento químico em ambas as regiões, porém este ainda reserva as variações de superfície existentes. 7-9 A rugosidade aceita como ideal corresponde a uma medida inferior a 0,2 µm, diminuindo a adesão de micro-organismos. 7,10 Inicialmente a adesão de microorganismos depende de microporosidades presentes na superfície dos aparelhos. Micro-organismos como as leveduras de Candida albicans podem valer-se das irregularidades da superfície resinosa, se fixarem e se agregarem a comunidades bacterianas como os estreptococos. 11 O tamanho diminuto das bactérias colonizadoras de superfícies acrílicas também favorece a agregação nas superfícies com maiores imperfeições. 12 Ao serem inseridas na cavidade bucal, as resinas acrílicas absorvem os fluidos bucais e podem ser contaminadas pelos diferentes micro-organismos neles

16 16 contidos. 13 Colonizados nas porosidades do material resinoso e, acrescidos dos nutrientes provenientes dos fluidos da cavidade bucal, formam a camada de biofilme. 11,14 Após a instalação de aparelhos ortodônticos há evidências de aumento significativo dos níveis de Streptococcus mutans na saliva e no biofilme dental. 4 Quando organizados em biofilmes, os micro-organismos se comportam de maneira completamente diferente de quando estão no estado planctônico. Aderemse a uma matriz de substâncias poliméricas extracelulares, principalmente polissacarídeos, proteínas, ácidos nucleicos e lipídeos, formando uma coesa rede de polímero tridimensional, capaz de interligar e imobilizar transitoriamente estas células. Seu metabolismo faz com que sejam as formas mais bem sucedidas de vida na Terra. 15 O biofilme, através de sua composição é também essencial ao desenvolvimento de infecções por servir de nicho a patógenos altamente resistentes. 16 Gripes, resfriados, candidíases, irritações na mucosa, amidalites e outras infecções oportunistas no decorrer do tratamento ortodôntico requerem maior atenção, valorização, mensuração e registro, seja por ocorrência primária ou recorrente. 17 De acordo com Sesma 18, a higienização realizada com escova e dentifrício não é suficiente para eliminar o biofilme aderido à superfície de resina acrílica. Visando diminuir esta agregação, são utilizadas técnicas de escovação mecânica da superfície de resina, com o auxílio de escovas dentais e dentifrícios abrasivos, porém se preconiza a associação de agentes desinfetantes como complementares na redução dos micro-organismos. 4,19 O biofilme exibe resistência aos agentes antimicrobianos devido à presença de uma matriz extracelular que protege os micro-organismos, bloqueando a penetração do agente. 20,21 Assim, são necessárias propriedades de alta penetrabilidade para os agentes antimicrobianos. 22,23 A interação eletrostática da substância aplicada pode ser considerada a maior causa diferencial na velocidade de penetração. 24,25 O peso molecular, a presença de carga na molécula e o balanço hidrofílico-hidrofóbico dos solutos também influenciam na penetrabilidade aos biofilmes. 25,26 Há uma busca incessante de protocolos que sejam eficientes, menos tóxicos

17 17 e menos onerosos e, que consigam fazer uma desinfecção eficaz na prática clínica. A clorexidina é um agente catiônico, que possui um largo espectro, contra bactérias Gram positivas e negativas. Quimicamente classificada como uma bisguanidina, possui propriedades hidrofílicas e hidrofóbicas. Sua ação nas bactérias faz com que ocorra a perda de componentes como nucleotídeos e proteínas, através do rompimento da integridade das suas membranas citoplasmáticas, podendo exercer efeitos bactericidas e bacteriostáticos, além de apresentar substantividade dentro da cavidade bucal. 27,28 É o antimicrobiano com maior indicação nos trabalhos relativos a desinfecção na odontologia. 29 Uma possível alternativa à utilização de desinfetantes químicos líquidos é a utilização do gás ozônio. Ele apresenta biocompatibilidade com as células humanas, capacidade de inativar diferentes espécies de micro-organismos, mostrando evidências de ser eficaz na desinfecção da água dos equipamentos odontológicos e também na desinfecção de próteses totais. 30 Esse gás é representado por íons catiônicos, apresentando semelhante capacidade de agregação celular da clorexidina. 31 O ozônio difundido em água, ph = 7, na temperatura de 25ºC, tem tempo de meia-vida de 15 min em um sistema aberto. 32 Seu coeficiente de difusão é de aproximadamente cm 2 /s (0,01 µm 2 /s) em semi sólidos, e aproximadamente 10-5 cm 2 /s (10 3 µm 2 /s), nos líquidos. Por ser solúvel em água apresenta alta difusão no veículo aquoso, podendo ser transportado por todo o meio, inclusive adentrando microporos que seriam inatingíveis por substâncias de maior peso molecular A possibilidade da utilização de substâncias desinfetantes alternativas às existentes é o que motiva a realização deste trabalho. Se comprovada sua eficiência, tornam-se opção na desinfecção dos AOR e também dos muitos dispositivos confeccionados em resina acrílica empregados na odontologia. Este trabalho teve como objetivo avaliar, in vitro, a eficácia das soluções de digluconato de clorexidina 1%, digluconato de clorexidina 0,12% spray e água ozonizada sobre aparelhos ortodônticos removíveis contaminados com os microorganismos Candida albicans, Streptococcus mutans e Enterococcus faecalis.

18 Objetivo geral Avaliar e comparar, in vitro, os efeitos de diferentes agentes desinfetantes na redução microbiana de aparelhos ortodônticos removíveis (AOR).

19 19 2. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA 2.1. Conceitos Micro-organismos são bactérias, fungos, protozoários, ovos de nematelminto ou platelminto (vermes), protozoários, cistos de protozoários, ácaros e congêneres e microalgas e vírus, cuja unidade estrutural pode ser vista ao microscópio. Antimicrobiano: agente que pode interferir de várias maneiras nos diferentes micro-organismos, podendo apresentar atividades: bactericida, esporocida, fungicida, parasiticida, virucida significa "matar" ou "destruir" respectivamente bactérias, esporos bacterianos, fungos, parasitas e vírus. Se o sufixo for substituído para stático, a atividade antimicrobiana sobre os microrganismos será no sentido de parar sua multiplicação, mas não matar. Esterilizante: produto ou equipamento capaz de matar ou remover todos os microrganismos de um ambiente, inclusive os esporos. Desinfetante: produto ou equipamento capaz de reduzir a níveis seguros, inibindo ou degradando microrganismos indesejáveis em superfícies que não possuem vida. Antisséptico: utilizado no sentido de degradar ou inibir a proliferação de microrganismos presentes na superfície da pele e mucosas. Controle de microrganismos: conceitos básicos: antimicrobiano, esterilizante, desinfetante, conservante, antisséptico, saneante, microbiocida, germicida, biocida e outros termos Micro-organismos utilizados na contaminação da superfície acrílica dos AOR Candida albicans A Candida albicans é uma levedura comensal, comumente encontrada na mucosa bucal de indivíduos saudáveis. Em condições propícias, pode desenvolver uma infecção conhecida por candidíase. A estomatite protética associada à utilização de

20 20 próteses totais é a forma mais frequente de candidíase bucal (25 a 65%), com localização na mucosa do palato. Entre os principais fatores predisponentes está o acúmulo de biofilme na superfície da prótese em contato com a mucosa. Mesmo que assintomática esta alteração deve receber tratamento, pois pode servir como reservatório para infecções mais extensas. Tanto na terapia, como na prevenção, o tratamento mais eficiente é a erradicação e controle do biofilme A C. albicans apresenta-se de duas formas (dimorfismo), sendo a forma de levedura relativamente inócua e a forma de pseudo-hifa relacionada à invasão tecidual do hospedeiro. Na maioria dos casos a candidíase envolve superficialmente a mucosa, mas, em pacientes imunodeprimidos, pode invadir os tecidos e desencadear uma doença fatal e disseminada. 40 A patogenicidade da C. albicans e sua permanência são influenciadas por fatores predisponentes, como imunossupressão, xerostomia, utilização de próteses, respiração bucal, alterações endócrinas, discrasias sanguíneas, uso de aparelhos ortodônticos e também fatores iatrogênicos. Não está uniformemente distribuída no interior da cavidade bucal, mas a língua é o reservatório principal para a levedura, a partir do qual o resto da mucosa, superfícies revestidas com aparelhos bucais, dentes e saliva podem tornar-se secundariamente colonizados. 41 Foi mensurada maior presença de Candida albicans em pacientes utilizando aparelhos ortodônticos e, analisando a saliva de indivíduos portadores de próteses totais e parciais e de aparelhos ortodônticos com placa acrílica e extra bucal, estes grupos apresentaram proporções maiores de C. albicans com diferença estatisticamente significante em relação aos controles (que não utilizavam aparelhos). 42 Os fatores predisponentes locais influenciam na presença de leveduras do gênero Candida na saliva e a adoção de medidas preventivas mais efetivas deve ser realizada junto aos pacientes em relação às infecções que podem ser provocadas por estes micro-organismos, cabendo ao profissional este esclarecimento com relação à melhor forma de higienização desta aparatologia. 43 Para o tratamento da candidíase, de acordo com o estado geral e o quadro clínico do paciente, vários agentes antifúngicos de uso tópico e sistêmico são utilizados, como nistatina, anfotericina B, miconazol e fluconazol. 39,40 Entretanto, podem ocorrer efeitos indesejáveis como o surgimento de resistência de algumas cepas aos antifúngicos convencionais, principalmente em indivíduos imunodeprimidos, e também, a presença de efeitos tóxicos destes. 44,45

21 21 Um aspecto importante referente a este micro-organismo é que Candida albicans se mostra capaz de aderir-se ao polimetilmetacrilato, material que compõe a resina acrílica. A ocorrência desta adesão parece ser mediada por uma adesina protéica, que tem sido identificada na superfície de hifas de C. albicans. 46, Streptococcus mutans Em 1924, Clarke isolou Streptococcus mutans a partir de dentes humanos cariados e já descrevia ocorrência destes micro-organismos nessas lesões, ressaltando sua aderência à superfície dos dentes e propriedade acidogênica. Por apresentarem a morfologia das colônias mais ovalada, aparentavam ser uma forma mutante de estreptococos. 48 São bactérias Gram-positivas, anaeróbias facultativas, catalase negativas, microaerófilas, acidogênicas, e capazes de formar polissacarídeos extracelulares, podendo sobreviver em qualquer parte da cavidade bucal, sendo isolados também em diversas outras regiões do organismo. Durante o desenvolvimento da doença cárie, os S. mutans desempenham um importante papel, mas apenas a colonização não é suficiente para que ela ocorra. Conceitos modernos consideram a cárie como uma interação entre genética e fatores ambientais, incluindo os sociais, comportamentais, psicológicos e biológicos. 49 Devido à criação de novas áreas retentivas disponíveis para a colonização bacteriana e retenção de substratos, o tratamento com aparelhos ortodônticos pode alterar a ecologia da cavidade bucal. 50 Topaloglu-Ak et al. 51 e Maret et al. 52 analisando durante 06 meses a saliva de crianças portadoras de aparelhos ortodônticos, verificaram que houve importante mudança na microbiota, com um incremento de valores de Streptococcus mutans e Lactobacilos e ressaltaram a importância de medidas preventivas durante o tratamento ortodôntico. As crianças cujos incisivos são contaminados precocemente por Streptococcus mutans estão mais sujeitas ao ataque mais extenso e precoce da doença cárie na dentição decídua do que aquelas infectadas mais tardiamente. 53,54

22 22 Além de seu papel na doença cárie, os S mutans pode estar associado à endocardite subaguda e a infecções intra-abdominais, por adesão ao esmalte dentário e às válvulas cardíacas. 55 É necessário monitorar os pacientes tratados ortodonticamente quanto ao risco de desenvolvimento da doença cárie 2, da doença periodontal e também quanto à ocorrência de doenças sistêmicas, pois micro-organismos como os Streptococcus mutans podem obter acesso à corrente circulatória, causar bacteremia transitória e é sabido que são isolados em células endoteliais cardiovasculares Enterococcus faecalis O Enterococcus faecalis é uma bactéria Gram-positiva facultativa, de forma esferoidal. Tem elevada prevalência principalmente nos fracassos endodônticos. 60 Recebeu o nome de Enterococcus que deriva da palavra grega Enteron ou intestino. Na Odontologia, E. faecalis está relacionado a insucessos no tratamento endodôntico. Não apenas o E. faecalis, mas uma flora microbiana mista ocasiona a lesão perirradicular primária, porém, quando a periodontite apical persiste após o retratamento endodôntico, observa-se a presença dominante e às vezes única deste micro-organismo, aparentando ser este patógeno o principal responsável por manter infeccionado o canal radicular e a lesão periapical. Apresenta alta resistência a medicamentos utilizados nesta terapia, tais como iodofórmio e clorexidina São capazes de penetrar profundamente nos túbulos dentinários, dirigindo-se à polpa. E. faecalis, podem sobreviver em ambientes com ph acima de 10, apresentando resistência à ação do hidróxido de cálcio, crescendo em ph alcalino. Foi demonstrado em estudo in vitro que a elevação do ph em 8,5, decorrente de tratamentos insuficientes com medicação alcalina, como o hidróxido de cálcio, faz com que a adesão ao colágeno de E. faecalis aumente, podendo ser este o fator determinante da predominância deste micro-organismo em infecções endodônticas persistentes. 63,64

23 Soluções desinfetantes Clorexidina A síntese da clorexidina ocorreu nos anos 40 e, em 1954 começou a ser utilizada com a finalidade de antissepsia em tratamentos urológicos, ginecológicos e ferimentos de pele. Na odontologia, foi empregada a partir de 1959 durante procedimentos cirúrgicos na assepsia das mãos e também para a realização de bochechos. 34,65 Devido à sua baixa solubilidade em água, é disponibilizada nas formas de acetato, cloridrato, gluconato, digluconato, sendo este último mais utilizado. A máxima atividade microbiológica e estabilidade química dessas soluções aquosas é obtida em ph 5 a Analisando a eficácia de soluções aquosas de clorexidina dentre as substâncias testadas, a solução aquosa de clorexidina 1% foi a que apresentou a melhor relação entre custo e eficácia para desinfecção de superfícies, sendo efetiva para todas as superfícies e todos os microrganismos testados. 67 Uma importante característica que amplifica o espectro de ação da bisguanida clorexidina é a presença de cargas positivas nas extremidades moleculares. Devido à sua natureza catiônica, ela adsorve-se a compostos aniônicos como glicoproteínas salivares, radicais fosfatados e carboxílicos presentes no biofilme dental como bactérias e polissacarídeos extracelulares, película dental e macromoléculas presentes na mucosa oral. A molécula catiônica da clorexidina é atraída pela carga negativa existente na superfície bacteriana e, através de interações eletrostáticas, é ligada à membrana celular, na dependência da sua concentração e esta adsorção se dá provavelmente por ligações hidrofóbicas ou por pontes de hidrogênio. 31 Outra propriedade da clorexidina é sua substantividade. Tem a capacidade de aderir-se à mucosa, película dental, hidroxiapatita, glicoproteínas salivares e, no momento em que decresce sua concentração no meio, é então liberada, fazendo com que seja prolongado o efeito antimicrobiano. 65,68 Os efeitos antimicrobianos da clorexidina em diversas áreas da odontologia já foram comprovados por muitos autores. Há várias referências relatando a sua aplicação na endodontia, como solução irrigadora e medicação intracanal, 69,70 na

24 24 redução da placa bacteriana, 71 periodontia, 72 na cirurgia para antissepsia das mãos, nos procedimentos pré-cirúrgicos. 73 A citotoxidade das concentrações de 0,12%, 0,2%, 1%, 2% e 5% de clorexidina foram avaliadas por Santos et al., 74 em um estudo in vitro. Concluíram que, em relação às outras concentrações testadas no estudo, 0,12% e 0,2% apresentaram-se menos citotóxicas em cultura de fibroblastos. Observando os efeitos do digluconato de clorexidina na mucosa de ratos, Pinto et al., 75 encontraram na concentração 5%, capacidade citotóxica evidentemente lesiva. Baixo poder de agressão foi manifestado na concentração de 0,5%, assim relatando ser esta ação lesiva, dependente da concentração e do tempo de aplicação. A clorexidina pode ser utilizada em diversas formulações na Odontologia: solução para bochecho, gel, verniz, dentifrício, goma de mascar, irrigação gengival e em dispositivos de liberação lenta (chip). Quando utilizada em dentifrícios pode ter sua ação reduzida, pois estes apresentam, incluídos em suas formulações, detergentes, como por exemplo, o laurel sulfato de sódio, que podem reduzir sua ação devido à incompatibilidade com a clorexidina. 68,76 A utilização de spray de clorexidina 0,12% para a desinfecção de escovas dentais, aparelhos removíveis, próteses removíveis parciais ou totais tem se mostrado eficiente em muitos estudos. 3,4,10,77-79 Apesar de ser considerada como padrão ouro na desinfecção, a clorexidina apresenta efeitos indesejáveis como descamações e dor na mucosa oral, manchamento em restaurações e áreas proximais dos dentes e na língua, além de favorecer a formação de cálculos supra gengivais. Sua utilização é recomendada apenas para períodos curtos. Também pode apresentar descoloração da resina de próteses, quando utilizada como solução desinfetante para imersão por tempo prolongado. 80,81 Quando administrada por um longo período pode ocasionar, inclusive, alterações na percepção de gosto como salgado e quinina, doce e ácido. 82

25 25 Tabela 1: Desinfetantes e esterilizantes mais utilizados em artigos odontológicos. Desinfetante Características Indicações Desvantagens Ação rápida, fácil Desinfecção de nível Inflamável, resseca Álcool 70% (etíllico aplicação, viável médio de artigos e plástico e opacifica e isopropílico para artigos superfícies artigos acrílicos metálicos Em forma líquida ou Desinfecção de nível É corrosivo para Cloros e Composto Cloratos sólida; ação rápida e baixo custo médio de artigos e superfícies e descontaminação de artigos e superfícies metálicas; irrita mucosas; odor forte. superfícies Não danifica Esterilização e Irritante para Glutaraldeído instrumentais, plásticos; atividade desinfecção de alto nível mucosas e pele (olhos, nariz, germicida em garganta, etc.) presença de matéria Plasma de Peróxido de Hidrogênio É realizada através de equipamento automatizado e Esterilização de artigos sensíveis ao calor e a umidade Alto custo do equipamento computadorizado Não forma resíduos Formulações Instável após a Ácido Peracético tóxicos associadas a peróxido de diluição hidrogênio Processo de Esterilização de Tóxico para pele e Óxido de Etileno esterilização combinado ao calor artigos termossensíveis mucosas úmido da autoclave Fonte: Adaptado de Brasil,

26 Água ozonizada A descoberta do ozônio ocorreu por Schonbein em 1839 ao observar um odor característico liberado após descargas elétricas na atmosfera. Devido às suas propriedades germicidas, foi utilizado primeiramente como desinfetante para tratamento de água potável na Holanda, França e também outros países a partir do final do século XIX. 84 O ozônio é encontrado na natureza fazendo parte da estratosfera, camada superior da atmosfera, promovendo a absorção da radiação ultravioleta emitida pelos raios solares. 85 Para que ocorra este processo de produção do ozônio é necessária a associação de um átomo de oxigênio com uma molécula de oxigênio (O 2 ), reação esta expressa por O + O 2, o ozônio (O 3 ). Forma-se, então um composto químico que consiste de 3 átomos de oxigênio ligados covalentemente (O 3 oxigênio tri atômico), com alto poder oxidante. Figura 1: Molécula de ozônio. Fonte:

27 27 A obtenção do ozônio pode ocorrer através da passagem do oxigênio puro por uma descarga elétrica. 86 São utilizados com maior frequência os geradores do tipo corona. A passagem de oxigênio puro entre dois eletrodos, através de uma elevada diferença de potencial elétrico, acarreta uma dissociação do oxigênio e, como consequência, a recombinação destas espécies radicais de oxigênio com moléculas de O 2 presentes no sistema. Dá-se, então a formação do ozônio. A concentração estará na dependência da composição do gás empregado na produção (se O 2 ou ar), frequência, fluxo de distribuição do sistema e voltagem aplicada nos eletrodos. 87 Figura 2: Representação do reator para a geração de ozônio pelo método de descarga elétrica. Fonte: Durante a primeira guerra mundial há relatos sobre a utilização deste gás na terapia de gangrenas pós-traumáticas, feridas infectadas, queimaduras, fístulas, feridas em putrefação, supurações de fraturas ósseas e várias inflamações em soldados alemães. 30 O ozônio possui muitas aplicações, sendo utilizado em processos industriais, redes de tratamento de água, desinfecção de alimentos, eliminação de odores indesejados e inclusive no branqueamento de compostos orgânicos. 85,88

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: ODONTÓLOGO CADERNO DE PROVAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: ODONTÓLOGO CADERNO DE PROVAS CADERNO DE PROVAS 1 A prova terá a duração de duas horas, incluindo o tempo necessário para o preenchimento do gabarito. 2 Marque as respostas no caderno de provas, deixe para preencher o gabarito depois

Leia mais

04/06/2009. 1. Introdução. Esterilização: É a destruição de todas as formas de vida microbiana, incluindo endosporos.

04/06/2009. 1. Introdução. Esterilização: É a destruição de todas as formas de vida microbiana, incluindo endosporos. CONTROLE DO CRESCIMENTO MICROBIANO Verônica Ortiz Alvarenga 1. Introdução Esterilização: É a destruição de todas as formas de vida microbiana, incluindo endosporos. Esterilização comercial: É o tratamento

Leia mais

Controle de populações microbianas: eficácia da ação de desinfetantes sobre superfícies inertes

Controle de populações microbianas: eficácia da ação de desinfetantes sobre superfícies inertes Departamento de Microbiologia Instituto de Ciências Biológicas Universidade Federal de Minas Gerais http://www.icb.ufmg.br/mic Controle de populações microbianas: eficácia da ação de desinfetantes sobre

Leia mais

3 METODOLOGIA EXPERIMENTAL E MATERIAIS UTILIZADOS

3 METODOLOGIA EXPERIMENTAL E MATERIAIS UTILIZADOS 51 3 METODOLOGIA EXPERIMENTAL E MATERIAIS UTILIZADOS 3.1. Biocidas utilizados Os compostos químicos utilizados nos experimentos de corrosão e análise microbiológica foram o hipoclorito de sódio e o peróxido

Leia mais

ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS DAS INFECÇÕES ENDODÔNTICAS

ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS DAS INFECÇÕES ENDODÔNTICAS ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS DAS INFECÇÕES ENDODÔNTICAS Prof. Dr. Cláudio Galuppo Diniz INFECÇÕES ENDODÔNTICAS A endodontia é definida como ramo da odontologia que estuda a forma, função, patofisiologia e

Leia mais

Cárie Dental Conceitos Etiologia Profa Me. Gilcele Berber

Cárie Dental Conceitos Etiologia Profa Me. Gilcele Berber Cárie Dental Conceitos Etiologia Profa Me. Gilcele Berber Perda localizada dos tecidos calcificados dos dentes, decorrentes da fermentação de carboidratos da dieta por microrganismos do biofilme Princípios

Leia mais

Esterilização e desinfecção

Esterilização e desinfecção Esterilização e desinfecção História 1683 Leeuwenhoek 1857 Pasteur Ignatz Semmelweis (1816-1865) Joseph Lister (1827-1912) Introduz a higienização hospitalar: - Lavagem de mãos - Lavagem de material cirúrgico

Leia mais

Aspectos microbiológicos da Cárie Dental

Aspectos microbiológicos da Cárie Dental Curso Técnico em Saúde Bucal Aula disponível: www.portaldoaluno.bdodonto.com.br Aspectos microbiológicos da Cárie Dental Prof: Bruno Aleixo Venturi 1 O que é a doença cárie? 2 CÁRIE DENTAL Do#La&m# Carious

Leia mais

Escrito por Administrator Ter, 02 de Fevereiro de 2010 09:14 - Última atualização Qua, 10 de Março de 2010 08:44

Escrito por Administrator Ter, 02 de Fevereiro de 2010 09:14 - Última atualização Qua, 10 de Março de 2010 08:44 Mitos e Verdades da Odontologia Mitos: Quanto maior e colorida for nossa escova dental, melhor! Mentira. A escova dental deve ser pequena ou média para permitir alcançar qualquer região da nossa boca.

Leia mais

OZONIOTERAPIA NA ODONTOLOGIA

OZONIOTERAPIA NA ODONTOLOGIA OZONIOTERAPIA NA ODONTOLOGIA Carlos Nogales Mestrando em Endodontia pela USP São Paulo INTRODUÇÃO O que é ozônio? Ozônio é um composto químico que consiste de 3 átomos de oxigênio (O 3 oxigênio triatômico),

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE MICROBI- OLÓGICA E FÍSICO-QUÍMICA DE ÁGUAS SANITÁRIAS COMERCIALIZADAS NA CIDADE DE CATANDUVA-SP

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE MICROBI- OLÓGICA E FÍSICO-QUÍMICA DE ÁGUAS SANITÁRIAS COMERCIALIZADAS NA CIDADE DE CATANDUVA-SP AVALIAÇÃO DA QUALIDADE MICROBI- OLÓGICA E FÍSICO-QUÍMICA DE ÁGUAS SANITÁRIAS COMERCIALIZADAS NA CIDADE DE CATANDUVA-SP Mariane L. ESPERANDIO Discente FACULDADE DE TECNOLOGIA TECMED Mario A.VERGANI Discente

Leia mais

2. Quando o implante dental é indicado?

2. Quando o implante dental é indicado? Dúvidas sobre implantodontia: 1. O que são implantes? São cilindros metálicos (titânio) com rosca semelhante a um parafuso que são introduzidos no osso da mandíbula (arco inferior) ou da maxila (arco superior),

Leia mais

PROJETO DE EXTENSÃO: TRATAMENTO DE INFECÇÕES DENTÁRIAS / PROEC

PROJETO DE EXTENSÃO: TRATAMENTO DE INFECÇÕES DENTÁRIAS / PROEC PROJETO DE EXTENSÃO: TRATAMENTO DE INFECÇÕES DENTÁRIAS / PROEC FERREIRA, Jean Carlos Barbosa.*¹; MARQUES, Aline Silva¹; SILVA, Julio. Almeida² DECURCIO, Daniel Almeida²; ALENCAR, Ana Helena Gonçalves³;

Leia mais

APOIO PARCEIROS ESTRATÉGICOS

APOIO PARCEIROS ESTRATÉGICOS Soluções Tecnoecológicas com ozônio APOIO PARCEIROS ESTRATÉGICOS A BrasilOzônio Localizada no CIETEC/USP Mais de 5 anos de pesquisa; Parcerias com especialistas e grandes centros tecnológicos do país como

Leia mais

ODONTOLOGIA CANINA. Introdução

ODONTOLOGIA CANINA. Introdução ODONTOLOGIA CANINA Juliana Kowalesky Médica Veterinária Mestre pela FMVZ -USP Pós graduada em Odontologia Veterinária - ANCLIVEPA SP Sócia Fundadora da Associação Brasileira de Odontologia Veterinária

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 23

PROVA ESPECÍFICA Cargo 23 13 PROVA ESPECÍFICA Cargo 23 QUESTÃO 31 Com relação aos tecidos dentários, analise as afirmativas abaixo: 1) O esmalte é um tecido duro, que constitui a maior parte do dente, determinando a forma da coroa.

Leia mais

MICROBIOTA OU FLORA NORMAL DO CORPO HUMANO

MICROBIOTA OU FLORA NORMAL DO CORPO HUMANO MICROBIOTA OU FLORA NORMAL DO CORPO HUMANO Disciplina: Microbiia e Parasitia Patrícia de Lima Martins INTRODUÇÃO O que é Microbiota? MICROBIOTA São os microrganismos (bactérias, fungos, vírus e protozoários)

Leia mais

Crescimento Microbiano

Crescimento Microbiano Crescimento Microbiano Fatores que influem no crescimento Temperatura ph Oxigênio Agitação Pressão osmótica Temperatura Para todos os microrganismos existem três temperaturas cardeais: Temperatura mínima

Leia mais

Dra. Rosângela Ap. de Freitas Albieri TSB: Andre Santos e Clarice R.Silva Secretaria Municipal de Saúde Centro de Especialidades Odontologicas- CEO

Dra. Rosângela Ap. de Freitas Albieri TSB: Andre Santos e Clarice R.Silva Secretaria Municipal de Saúde Centro de Especialidades Odontologicas- CEO SAÚDE BUCAL Dra. Rosângela Ap. de Freitas Albieri TSB: Andre Santos e Clarice R.Silva Secretaria Municipal de Saúde Centro de Especialidades Odontologicas- CEO ANATOMIA BUCAL ANATOMIA DENTAL TIPOS DE DENTES

Leia mais

Os dentifrícios são produtos cosméticos utilizados na limpeza da cavidade bucal. Sua composição se encontra na Figura 1.

Os dentifrícios são produtos cosméticos utilizados na limpeza da cavidade bucal. Sua composição se encontra na Figura 1. OS DENTIFRÍCIOS OS DENTIFRÍCIOS E A HIGIENE ORAL Diferentes tipos de microrganismos se desenvolvem na cavidade oral. Muitos são inofensivos, outros não. Algumas bactérias fermentam os carboidratos (predominantemente

Leia mais

É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente).

É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente). É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente). Consiste na regularização do alvéolo (local onde está inserido o dente), geralmente após a

Leia mais

Princípios e métodos de esterilização

Princípios e métodos de esterilização Princípios e métodos de esterilização FUNDAMENTOS DE ESTERILIZAÇÃO Bactérias (forma vegetativa ou esporulada) São os menores organismos vivos; Existem em maior número; São as maiores responsáveis pelos

Leia mais

Ufi Gel SC/P Ufi Gel hard/c. Ufi Gel SC / P Ufi Gel hard / C. aplicação

Ufi Gel SC/P Ufi Gel hard/c. Ufi Gel SC / P Ufi Gel hard / C. aplicação Ufi Gel SC/P Ufi Gel hard/c Ufi Gel SC / P Ufi Gel hard / C O sistema reembasador para qualquer aplicação Ufi Gel SC/P Ufi Gel hard/c O sistema reembasador para qualquer aplicação A atrofia do osso alveolar

Leia mais

ESTERILIZAÇÃO. Eliminação de todas as formas de vida

ESTERILIZAÇÃO. Eliminação de todas as formas de vida ESTERILIZAÇÃO Eliminação de todas as formas de vida SISTEMA BEDA BARREIRAS - avental, máscara, gorro, luvas, óculos de proteção. ESTERILIZAÇÃO DESINFECÇÃO ANTI-SEPSIA ESTERILIZAÇÃO Materiais ( instrumental

Leia mais

Prática 1 MATERIAL E TÉCNICAS BÁSICAS UTILIZADAS NO LABORATÓRIO DE MICROBIOLOGIA

Prática 1 MATERIAL E TÉCNICAS BÁSICAS UTILIZADAS NO LABORATÓRIO DE MICROBIOLOGIA Prática 1 MATERIAL E TÉCNICAS BÁSICAS UTILIZADAS NO LABORATÓRIO DE MICROBIOLOGIA Prática 1 Microrganismos Localização em todos os ambientes naturais; Populações mistas; Necessidade de isolamento. Cultura

Leia mais

Desinfecção de alto nível ou esterilização de endoscópios: o necessário, o bom e o suficiente.

Desinfecção de alto nível ou esterilização de endoscópios: o necessário, o bom e o suficiente. Desinfecção de alto nível ou esterilização de endoscópios: o necessário, o bom e o suficiente. Dr Dirceu Carrara Enfermeiro Chefe CCIH InCor HCFMUSP Rutala, W. In: Mayhall, 1999 Desinfetante É um agente

Leia mais

Efetividade no processo de desinfecção de escovas de cabelo utilizadas em salões de beleza da cidade de São Carlos por meio da utilização do

Efetividade no processo de desinfecção de escovas de cabelo utilizadas em salões de beleza da cidade de São Carlos por meio da utilização do Efetividade no processo de desinfecção de escovas de cabelo utilizadas em salões de beleza da cidade de São Carlos por meio da utilização do equipamento SHIVA da empresa Bio Art. 2007 Efetividade no processo

Leia mais

2. DEFINIÇÕES E CONCEITOS

2. DEFINIÇÕES E CONCEITOS NORMA Utilização de antisséticos Elaborado em: Abril 2014 Revisão: 2017 Aprovado em: 09.04.2014 1. INTRODUÇÃO Devido à incidência crescente de infeções nosocomiais e ao aparecimento de estirpes de bactérias

Leia mais

Orientações para tratamento de feridas (ultima atualização Novembro de 2007)

Orientações para tratamento de feridas (ultima atualização Novembro de 2007) Orientações para tratamento de feridas (ultima atualização Novembro de 2007) Hospital Municipal Miguel Couto 1 Objetivos: Oferecer informações técnicas e científicas atualizadas para as equipes médicas

Leia mais

Soluções Utilizadas para Limpeza de Feridas. Dra. Alciclea dos Santos Oliveira Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo

Soluções Utilizadas para Limpeza de Feridas. Dra. Alciclea dos Santos Oliveira Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo Soluções Utilizadas para Limpeza de Feridas Dra. Alciclea dos Santos Oliveira Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo Soluções Utilizadas para a Limpeza de Feridas A infecção é, sem dúvida alguma,

Leia mais

CONTROLE MECÂNICO DO BIOFILME DENTAL

CONTROLE MECÂNICO DO BIOFILME DENTAL CONTROLE MECÂNICO DO BIOFILME DENTAL PLACA DENTAL OU BACTERIANA = BIOFILME DENTAL BIOFILME pode ser definido como uma comunidade bacteriana, em uma matriz composta por polímeros extracelulares, aderidas

Leia mais

MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO

MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO BARROS, Ítala Santina Bulhões 1 LIMA, Maria Germana Galvão Correia 2 SILVA, Ariadne Estffany Máximo da

Leia mais

AEMS- FACULDADES INTEGRADAS DE TRÊS LAGOAS MS

AEMS- FACULDADES INTEGRADAS DE TRÊS LAGOAS MS AEMS- FACULDADES INTEGRADAS DE TRÊS LAGOAS MS ASSEPSIA E CONTROLE DE INFECÇÃO Prof. MARCELO ALESSANDRO RIGOTTI LICENCIADO EM ENFERMAGEM e ESPECIALISTA EM CONTROLE DE INFEÇÃO Mestrando pela Escola de Enfermagem

Leia mais

Módulo I: MATERIAIS DE MOLDAGEM

Módulo I: MATERIAIS DE MOLDAGEM SUBSECRETARIA DE ESTADO DE DEFESA CIVIL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DIRETORIA GERAL DE ODONTOLOGIA CENTRO DE ESTUDOS E PESQUISAS ODONTOLÓGICAS Módulo I: MATERIAIS DE MOLDAGEM

Leia mais

Curso de Especialização em Endodontia

Curso de Especialização em Endodontia Curso de Especialização em Endodontia Coordenador: Prof. Nilton Vivacqua EndodontiaAvancada.com OBJETIVOS DO CURSO Este curso tem como objetivos colocar à disposição de clínicos gerais, a oportunidade

Leia mais

BIOSSEGURANÇA/RISCO. S e r v i ç o s O d o n t o l ó g i c o s : prevenção e controle de risco.

BIOSSEGURANÇA/RISCO. S e r v i ç o s O d o n t o l ó g i c o s : prevenção e controle de risco. BIOSSEGURANÇA/RISCO S e r v i ç o s O d o n t o l ó g i c o s : prevenção e controle de risco. SIGLÁRIO ANVISA Agência Nacional de Vigilância Sanitária CAT Comunicação de Acidente de Trabalho CDC Centro

Leia mais

PROCESSOS PROLIFERATIVOS NÃO NEOPLÁSICOS

PROCESSOS PROLIFERATIVOS NÃO NEOPLÁSICOS DISCIPLINA DE PATOLOGIA ORAL E MAXILOFACIAL Graduação em Odontologia - 5º Período PROCESSOS PROLIFERATIVOS NÃO NEOPLÁSICOS http://lucinei.wikispaces.com Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira 2012 GRANULOMA

Leia mais

EQB353 Microbiologia Industrial Escola de Química / UFRJ

EQB353 Microbiologia Industrial Escola de Química / UFRJ DESINFECÇÃO E ESTERILIZAÇÃO O crescimento de micro-organismos pode ser controlado através de métodos químicos e físicos. Este controle pode levar à eliminação total dos micróbios ou não. Dentre os métodos

Leia mais

MEIOS DE CULTURA DESENVOLVIMENTO OU PRODUÇÃO DE MEIOS DE CULTURA. Necessidade Bactérias Leveduras

MEIOS DE CULTURA DESENVOLVIMENTO OU PRODUÇÃO DE MEIOS DE CULTURA. Necessidade Bactérias Leveduras MEIOS DE CULTURA Associação equilibrada de agentes químicos (nutrientes, ph, etc.) e físicos (temperatura, viscosidade, atmosfera, etc) que permitem o cultivo de microorganismos fora de seu habitat natural.

Leia mais

HIGIENIZAÇÃO, LIMPEZA E PARAMENTAÇÃO

HIGIENIZAÇÃO, LIMPEZA E PARAMENTAÇÃO Bem Vindos! HIGIENIZAÇÃO, LIMPEZA E PARAMENTAÇÃO Quem sou? Farmacêutica Bioquímica e Homeopata. Especialista em Análises Clínicas, Micologia, Microbiologia e Homeopatia. 14 anos no varejo farmacêutico

Leia mais

DIAGNÓSTICO COLETA DE DADOS RACIOCÍNIO E DEDICAÇÃO

DIAGNÓSTICO COLETA DE DADOS RACIOCÍNIO E DEDICAÇÃO EXAME CLÍNICO DA DOENÇA PERIODONTAL DIAGNÓSTICO PERIODONTAL CONSISTE O DIAGNÓSTICO NA ANÁLISE DO PERIODONTAL HISTÓRICO DO CASO, NA AVALIAÇÃO DOS SINAIS CLÍNICOS E SINTOMAS, COMO TAMBÉM DOS RESULTADOS DE

Leia mais

12/18/2014. Ana Luiza ASSESSORA TÉCNICA SEALED DIVERSEY. Tecnologias de Higienização Hospitalar

12/18/2014. Ana Luiza ASSESSORA TÉCNICA SEALED DIVERSEY. Tecnologias de Higienização Hospitalar Ana Luiza ASSESSORA TÉCNICA SEALED DIVERSEY CARE Tecnologias de Higienização Hospitalar Cenário A taxa de infecção hospitalar; Alto índice de infecções hospitalares; Alto custo no tratamento; Limpeza e

Leia mais

Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal. Materiais Dentários. Professora: Patrícia Cé

Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal. Materiais Dentários. Professora: Patrícia Cé Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal Materiais Professora: Patrícia Cé Introdução AULA I Vernizes Cimento de hidróxido de Cálcio Cimento de Ionômero de Vidro Cimento de

Leia mais

Placa bacteriana espessa

Placa bacteriana espessa A IMPORTÂNCIA DA SAÚDE BUCAL A saúde bucal é importante porque a maioria das doenças e a própria saúde começam pela boca. Por exemplo, se você não se alimenta bem, não conseguirá ter uma boa saúde bucal,

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL Analisando-se a imagem de um dente íntegro, todas as suas partes são facilmente identificáveis, pois já conhecemos sua escala de radiopacidade e posição

Leia mais

Etiologia. cárie dentária

Etiologia. cárie dentária Etiologia da cárie dentária Cárie Latim destruição, coisa podre A cárie dental é reconhecida como uma doença, resultante de uma perda mineral localizada, cuja causa são os ácidos orgânicos provenientes

Leia mais

NÍVEIS DE TRATAMENTO DE ESGOTO

NÍVEIS DE TRATAMENTO DE ESGOTO Universidade Federal do Espírito Santo Programa de Pós-graduação em Engenharia Ambiental NÍVEIS DE TRATAMENTO DE ESGOTO Ricardo Franci Gonçalves Giovana Martinelli da Silva Tratamento de Esgoto Procedimentos

Leia mais

CÁRIE DENTAL ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS

CÁRIE DENTAL ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS CÁRIE DENTAL ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS Prof. Dr. Cláudio Galuppo Diniz Cárie => decomposição lenta do dente resultante da perda de cristais de hidroxiapatita. Essa dissolução da matriz mineralizada reduz

Leia mais

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 64823 MICROBIOLOGIA GERAL 17/34 ODONTOLOGIA MICROBIOLOGIA

Leia mais

A) Escreva a equação que representa a semi-reação de redução e seu respectivo potencial padrão.

A) Escreva a equação que representa a semi-reação de redução e seu respectivo potencial padrão. QUÍMICA QUESTÃ 01 Aparelhos eletrônicos sem fio, tais como máquinas fotográficas digitais e telefones celulares, utilizam, como fonte de energia, baterias recarregáveis. Um tipo comum de bateria recarregável

Leia mais

A INFLUÊNCIA DO ELETROPOLIMENTO NA LIMPEZA E DESINFECÇÃO DE EQUIPAMENTOS DAS INDÚSTRIAS DE PROCESSO

A INFLUÊNCIA DO ELETROPOLIMENTO NA LIMPEZA E DESINFECÇÃO DE EQUIPAMENTOS DAS INDÚSTRIAS DE PROCESSO A INFLUÊNCIA DO ELETROPOLIMENTO NA LIMPEZA E DESINFECÇÃO DE EQUIPAMENTOS DAS INDÚSTRIAS DE PROCESSO GRUPO HUMMA Eng Fawler Morellato Av. Fagundes Filho, 191 - Cj. 103D Depto. Engenharia e Desenvolvimento

Leia mais

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO 1.NOME DO MEDICAMENTO Corsodyl Dental 2 mg/ml solução para lavagem da boca 2.COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Cada mililitro de Corsodyl Dental solução para

Leia mais

Tratamento de Água. Numa estação de tratamento de água, o processo ocorre em etapas:

Tratamento de Água. Numa estação de tratamento de água, o processo ocorre em etapas: Tratamento de Água Definição Tratamento de Água é um conjunto de procedimentos físicos e químicos que são aplicados na água para que esta fique em condições adequadas para o consumo, ou seja, para que

Leia mais

COMPOSIÇÃO Cada 1 g de pó contém: benzocaína... 0,006 g bicarbonato de sódio... 0,884 g clorato de potássio... 0,11g

COMPOSIÇÃO Cada 1 g de pó contém: benzocaína... 0,006 g bicarbonato de sódio... 0,884 g clorato de potássio... 0,11g IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: Albicon benzocaína, bicarbonato de sódio, clorato de potássio APRESENTAÇÕES Pó para uso tópico. Cada grama contém 0,006 g de benzocaína, 0,884 g de bicarbonato de sódio e

Leia mais

A QUÍMICA E A CONSERVAÇÃO DOS DENTES RESUMO

A QUÍMICA E A CONSERVAÇÃO DOS DENTES RESUMO A QUÍMICA E A CONSERVAÇÃO DOS DENTES Lidiani Terenciani Nazaro¹; Jandira Aparecida Simoneti² UEMS - Caixa postal 351 - CEP: 79804-970 Dourados - MS¹ E-mail: lidi.nazaro@gmail.com, Bolsista de Extensão.

Leia mais

HIGIENIZAÇÃO HOSPITALAR

HIGIENIZAÇÃO HOSPITALAR HIGIENIZAÇÃO HOSPITALAR Enf.ª Fabiane da Silva SCIH HCAN/MT ccih@hcancer.com.br Histórico da Higienização Hospitalar... Florence Nigthingale em 1854, revolucionou a forma de se pensar e planejar os hospitais.

Leia mais

ODONTOLOGIA PERIODONTIA I. 5º Período / Carga Horária: 90 horas

ODONTOLOGIA PERIODONTIA I. 5º Período / Carga Horária: 90 horas ODONTOLOGIA PERIODONTIA I 5º Período / Carga Horária: 90 horas 1. PRÉ-REQUISITO: Biossegurança e Orientação Profissional Odontológica; Diagnóstico por Imagem I; Patologia Buço Denta. 2. EMENTA: O aluno

Leia mais

Doenças Periodontais. Tratamento e Prevenção. 1º e-book - COS - Clínica Odontológica Soares

Doenças Periodontais. Tratamento e Prevenção. 1º e-book - COS - Clínica Odontológica Soares Doenças Periodontais Tratamento e Prevenção 1º e-book - COS - Clínica Odontológica Soares Gengivite e Periodontite Guia para o paciente Aprenda mais sobre as Doenças Periodontais (de gengiva) As doenças

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS

CATÁLOGO DE PRODUTOS CATÁLOGO DE PRODUTOS ANESTESIA E CIRURGIA SEPTOJECT XL Agulha estéril descartável com maior calibre interno Tribiselada, siliconizada, bisel interno e pré-rosqueada; Indicador de bisel; Menor esforço para

Leia mais

Especialização em SAÚDE DA FAMÍLIA. Caso complexo Natasha. Fundamentação teórica Odontohebiatria PROVAB

Especialização em SAÚDE DA FAMÍLIA. Caso complexo Natasha. Fundamentação teórica Odontohebiatria PROVAB Caso complexo Natasha Especialização em Fundamentação teórica PROVAB Isa Teixeira Gontijo Para compreender bem as medidas que devem ser adotadas na prevenção da doença cárie e da doença gengival, diagnosticadas

Leia mais

HIGIENIZAÇÃO DAS SUPERFÍCIES EM CONTATO COM ALIMENTOS

HIGIENIZAÇÃO DAS SUPERFÍCIES EM CONTATO COM ALIMENTOS A palavra "higienização" vem do grego hygieiné que significa "saúde". A higienização é um processo que consiste na remoção de materiais indesejados nas superfícies em contato direto ou indireto com os

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DINHEIRO COMO UMA POSSÍVEL FONTE DE CONTAMINAÇÃO POR BACTÉRIAS PATOGÊNICAS

AVALIAÇÃO DO DINHEIRO COMO UMA POSSÍVEL FONTE DE CONTAMINAÇÃO POR BACTÉRIAS PATOGÊNICAS V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 27 AVALIAÇÃO DO DINHEIRO COMO UMA POSSÍVEL FONTE DE CONTAMINAÇÃO POR BACTÉRIAS PATOGÊNICAS Flávia Cristina Salvador 1

Leia mais

A ÁGUA COMO REAGENTE PURA PURA PURA Destilação - Deionização Osmose Reversa - Filtração através de Carvão Ativado Ultrafiltração -

A ÁGUA COMO REAGENTE PURA PURA PURA Destilação - Deionização Osmose Reversa - Filtração através de Carvão Ativado  Ultrafiltração - 1 A ÁGUA COMO REAGENTE A água é o suprimento do Laboratório Clínico de menor custo. Talvez, por este motivo, sua qualidade seja tão negligenciada, apesar de ser um reagente importante e o mais utilizado.

Leia mais

Resistência aos antimicrobianos em Salmonella spp.

Resistência aos antimicrobianos em Salmonella spp. Resistência aos antimicrobianos em Salmonella spp. Síntese das investigações desde a descoberta de novos antimicrobianos Final do século XIX: Pasteur efetuou relatos sobre antagonismo entre diferentes

Leia mais

Núcleo de Vigilância em Estabelecimentos de Saúde/Infec

Núcleo de Vigilância em Estabelecimentos de Saúde/Infec Secretaria Estadual de Saúde Centro Estadual de Vigilância em Saúde Divisão de Vigilância Sanitária Núcleo de Vigilância em Estabelecimentos de Saúde/Infec Serviço de Endoscopia Prevenção e Controle de

Leia mais

PESQUISAS COM AGENTES BIOLÓGICOS POTENCIALMENTE PERIGOSOS

PESQUISAS COM AGENTES BIOLÓGICOS POTENCIALMENTE PERIGOSOS PESQUISAS COM AGENTES BIOLÓGICOS POTENCIALMENTE PERIGOSOS Projetos que utilizem microorganismos (bactérias, vírus, viróides, fungos, parasitas, etc.), tecnologias com DNA recombinante (rdna) ou tecidos,

Leia mais

Informe aos profissionais de saúde sobre as características da infecção por Mycobacterium abscessus, medidas para diagnóstico, tratamento e prevenção

Informe aos profissionais de saúde sobre as características da infecção por Mycobacterium abscessus, medidas para diagnóstico, tratamento e prevenção Informe aos profissionais de saúde sobre as características da infecção por Mycobacterium abscessus, medidas para diagnóstico, tratamento e prevenção Em decorrência das infecções causadas por micobactéria,

Leia mais

Tratamento de água para indústria de refrigerantes

Tratamento de água para indústria de refrigerantes Tratamento de água para indústria de refrigerantes Dra. Sonia Maria Costa Celestino Engenheira Química - Pesquisadora em Ciência e Tecnologia de Alimentos Embrapa Cerrados Tel.: (61) 3388-9957 email: sonia.costa@cpac.embrapa.br

Leia mais

Ubiquidade de microorganismos. Introdução. Materiais Necessários

Ubiquidade de microorganismos. Introdução. Materiais Necessários dução Os microorganismos (fungos, bactérias e vírus) são chamados assim por terem um tamanho bastante reduzido. Eles são tão pequenos que não conseguimos enxergá-los a olho nu, mas apenas utilizando microscópio

Leia mais

COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS

COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS DESCRIÇÃO DO SERVIÇO 01. DIAGNÓSTICO Exame clínico inicial Consultas com hora marcada Exame clínico final Exame admissional (exame de sanidade dentária) 02. ATENDIMENTO DE

Leia mais

Cimentos para cimentação

Cimentos para cimentação Curso de Auxiliar em Saude Bucal - ASB Faculdade de Odontologia - UPF Requisitos de um agente cimentante ideal Cimentos para cimentação Ser adesivo; Ser insolúvel no meio bucal; Permitir bom selamento

Leia mais

Fungirox Esmalte Ciclopirox

Fungirox Esmalte Ciclopirox Fungirox Esmalte Ciclopirox Apresentação Frasco com 6 g de esmalte, 2 frascos com removedor de esmalte e 24 lixas para unha. Esmalte Uso tópico USO ADULTO COMPOSIÇÃO Ciclopirox... 80 mg Veículo q.s.p....1

Leia mais

SUSPENSÕES E SOLUÇÕES

SUSPENSÕES E SOLUÇÕES SUSPENSÕES E SOLUÇÕES Definições SUSPENSÃO Mistura heterogênea de substâncias Ex.: sangue (suspensão de plasma e células) água e óleo; água e areia, água e açúcar SOLUÇÃO Mistura homogênea de substâncias

Leia mais

SAÚDE BUCAL. Você sabe quantos dentes de leite você tem?

SAÚDE BUCAL. Você sabe quantos dentes de leite você tem? SAÚDE BUCAL Você sabe quantos dentes de leite você tem? Vinte e quatro dentes de leite, que a partir dos 6 até os 12 anos, caem e são substituídos por outros permanentes. Mas não é porque vão cair que

Leia mais

ESTERILIZAÇÃO POR ÓXIDO DE ETILENO

ESTERILIZAÇÃO POR ÓXIDO DE ETILENO ESTERILIZAÇÃO POR ÓXIDO DE ETILENO Legenda 1 - Introdução 2 - Características do Óxido de Etileno 3- Apresentação das Misturas Esterilizantes 4 - Mecanismo de ação 5 - Processo de esterilização 6 - Toxicidade

Leia mais

Otofoxin cloridrato de ciprofloxacino SOLUÇÃO OTOLÓGICA

Otofoxin cloridrato de ciprofloxacino SOLUÇÃO OTOLÓGICA Otofoxin cloridrato de ciprofloxacino SOLUÇÃO OTOLÓGICA USO ADULTO USO OTOLÓGICO Forma farmacêutica e apresentação Solução otológica: frasco contendo 10 ml com conta-gotas. Composição Cada (1 ml) contém

Leia mais

avaliação dos modos de descolagem e a presença de fraturas no esmalte, após os ensaios mecânicos.

avaliação dos modos de descolagem e a presença de fraturas no esmalte, após os ensaios mecânicos. da resistência ao cisalhamento destes materiais, com e sem condicionamento ácido do esmalte, após 48 horas e 10 dias; verificação da influência do período dos ensaios mecânicos sobre a resistência ao cisalhamento;

Leia mais

RASPAGEM E ALISAMENTO RADICULAR E TRATAMENTO PERIODONTAL DE SUPORTE

RASPAGEM E ALISAMENTO RADICULAR E TRATAMENTO PERIODONTAL DE SUPORTE INAPÓS - Faculdade de Odontologia e Pós Graduação Disciplina de Periodontia 5 o período RASPAGEM E ALISAMENTO RADICULAR E TRATAMENTO PERIODONTAL DE SUPORTE Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira http://lucinei.wikispaces.com

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUíMICOS (FISPQ)

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUíMICOS (FISPQ) 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Aplicação: Redutor de ph Empresa: Micheloto Ind. e Com. de Prod. Químicos Ltda EPP Endereço: Est. Vic. Dr. Eduardo Dias de Castro Km 03 B Zona Rural Fernão/SP

Leia mais

MISSÃO DA EMPRESA. O nosso compromisso é atingir e superar as expectativas dos clientes, garantindo sua total satisfação, fazendo da Dental Plus

MISSÃO DA EMPRESA. O nosso compromisso é atingir e superar as expectativas dos clientes, garantindo sua total satisfação, fazendo da Dental Plus MISSÃO DA EMPRESA O nosso compromisso é atingir e superar as expectativas dos clientes, garantindo sua total satisfação, fazendo da Dental Plus Manual sinônimo do Dentista de excelência Credenciado em

Leia mais

Qual é o método mais fácil e seguro de desinfecção d água e superfícies?

Qual é o método mais fácil e seguro de desinfecção d água e superfícies? Qual é o método mais fácil e seguro de desinfecção d água e superfícies? Compostos que liberam cloro em contato com a água são os desinfetantes mais comuns. Cloro Gás Hipoclorito de sódio Hipoclorito de

Leia mais

A Importância da Saúde Bucal. na Saúde Geral

A Importância da Saúde Bucal. na Saúde Geral PALESTRA A Importância da Saúde Bucal na Saúde Geral A saúde começa pela boca Os dentes são importantes na mastigação dos alimentos, fala, e estética, influenciando diretamente na auto-estima do indivíduo

Leia mais

Saneamento I Tratamento de água. Eduardo Cohim edcohim@gmail.com

Saneamento I Tratamento de água. Eduardo Cohim edcohim@gmail.com Saneamento I Tratamento de água Eduardo Cohim edcohim@gmail.com 1 Concepção de sistemas de abastecimento de água Estação de tratamento ETA Conjunto de unidades destinado a tratar a água, adequando suas

Leia mais

Limpeza é fundamental!

Limpeza é fundamental! Limpeza é fundamental! Limpeza é absolutamente fundamental quando o assunto é a produção de alimentos de forma higiênica. A prioridade é evitar a proliferação de germes e eliminar corpos estranhos. Além

Leia mais

CURSO DE PROCESSAMENTO DE MATERIAIS MÉDICO-HOSPITALARES EDUCAÇÃO CONTINUADA MÓDULO II E ODONTOLÓGICOS

CURSO DE PROCESSAMENTO DE MATERIAIS MÉDICO-HOSPITALARES EDUCAÇÃO CONTINUADA MÓDULO II E ODONTOLÓGICOS CURSO DE PROCESSAMENTO DE MATERIAIS MÉDICO-HOSPITALARES E ODONTOLÓGICOS EDUCAÇÃO CONTINUADA MÓDULO II Métodos de esterilização a baixa temperatura Denise Demarzo Curitiba, 17 de novembro de 2010-2010 Primeiros

Leia mais

Marcação dos contatos: Ajuste interno e dos contornos proximais: Carbono líquido ou Base leve silicone e carbono Accufilm;

Marcação dos contatos: Ajuste interno e dos contornos proximais: Carbono líquido ou Base leve silicone e carbono Accufilm; DEFINIÇÃO AJUSTES E CIMENTAÇÃO Desgaste e polimento necessários para o correto assentamento da peça protética sobre o preparo, garantindo o vedamento marginal e um adequado equilíbrio de contatos proximais

Leia mais

ÁGUA REAGENTE NO LABORATÓRIO CLÍNICO

ÁGUA REAGENTE NO LABORATÓRIO CLÍNICO ÁGUA REAGENTE NO LABORATÓRIO RIO CLÍNICO Água reagente no laboratório rio clínico Água de grau reagente (água( pura); Processos de purificação: destilação e deionização (+ usado atualmente). Especificações

Leia mais

ARTIGO CIENTÍFICO. E-mail: humberto@gehaka.com.br Data: 13/03/2007 ÁGUA PURIFICADA, O QUE É?

ARTIGO CIENTÍFICO. E-mail: humberto@gehaka.com.br Data: 13/03/2007 ÁGUA PURIFICADA, O QUE É? ARTIGO CIENTÍFICO Tema: Sistema de Purificação de Água Responsável: Humberto Muniz de Souza Ramos Depto: Purificador de Água E-mail: humberto@gehaka.com.br Data: 13/03/2007 ÁGUA PURIFICADA, O QUE É? Entende-se

Leia mais

Resumo de Aula. Fatores que interferem na etiologia da cárie dental: Bactérias Adesão bacteriana Especificidade Bacteriana Dieta

Resumo de Aula. Fatores que interferem na etiologia da cárie dental: Bactérias Adesão bacteriana Especificidade Bacteriana Dieta Estudo da Doença Cárie Dentária I Urubatan Medeiros Doutor (USP) Professor Titular do Departamento de Odontologia Preventiva e Comunitária UERJ/UFRJ Coordenador da Disciplina de Odontologia Preventiva

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-016 Folha: 1 Total de Folhas: 8 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO LABORATÓRIOS ECOLYZER LTDA QUÍMICOS COSMÉTICOS, VETERINÁRIOS,

Leia mais

A placa dental. 1 ª Jornada Nacional para Técnicos e Auxiliares de 10/11/2008. A placa dental como um biofilme. A placa dental como um biofilme

A placa dental. 1 ª Jornada Nacional para Técnicos e Auxiliares de 10/11/2008. A placa dental como um biofilme. A placa dental como um biofilme 1 ª Jornada Nacional para Técnicos e Auxiliares de Odontologia A placa dental como um biofilme Biofilme Comunidade microbiana relativamente indefinida associada à superfície de qualquer material duro não-descamativo

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Nome do produto: BENZOATO DE SÓDIO Page: (1 de 5) ATENÇÃO: Leia atentamente esta Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico (FISPQ) antes

Leia mais

Efetividade da desinfecção de próteses totais por energia de microondas no tratamento da estomatite protética associada à Candida spp.

Efetividade da desinfecção de próteses totais por energia de microondas no tratamento da estomatite protética associada à Candida spp. KARIN HERMANA NEPPELENBROEK Efetividade da desinfecção de próteses totais por energia de microondas no tratamento da estomatite protética associada à Candida spp. Tese apresentada à Faculdade de Odontologia

Leia mais

FREQUÊNCIA DE FUNGOS DERMATÓFITOS EM ONICOMICOSES

FREQUÊNCIA DE FUNGOS DERMATÓFITOS EM ONICOMICOSES Anais da Academia de Ciências e Tecnologia de São José do Rio Preto. 2008: 1(1): FREQUÊNCIA DE FUNGOS DERMATÓFITOS EM ONICOMICOSES FERNANDA CRISTOVÂO CATTÂNEO Resumo. As micoses superficiais de pele são

Leia mais

APLICAÇÃO DO DIODO EMISSOR DE LUZ PARA A PROLIFERAÇÃO DE CÂNDIDAS ALBICANS: ESTUDO IN VITRO

APLICAÇÃO DO DIODO EMISSOR DE LUZ PARA A PROLIFERAÇÃO DE CÂNDIDAS ALBICANS: ESTUDO IN VITRO APLICAÇÃO DO DIODO EMISSOR DE LUZ PARA A PROLIFERAÇÃO DE CÂNDIDAS ALBICANS: ESTUDO IN VITRO FRIES, L. M. V.; TOFFOLI, L.; FARINAZZO, A. F.; CAPEL, L.M. M.; NOWOTNY, J. P. RESUMO: O objetivo foi analisar

Leia mais

Avaliação do efeito do ozônio na dentina exposta a biofilme

Avaliação do efeito do ozônio na dentina exposta a biofilme Universidade Federal de Goiás Faculdade de Odontologia Programa de Pós Graduação Avaliação do efeito do ozônio na dentina exposta a biofilme Rafaella Mosquera CHAVES 1 ; Carlos ESTRELA 2 ; Paula de Carvalho

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES AVISO DE RETIFICAÇÃO DE EDITAL Nº 01 A Comissão de Concurso torna publica

Leia mais

CAPÍTULO 5.1 Otimização de técnica de descontaminação seletiva para isolamento de micobactérias a partir de amostras de cama de suínos

CAPÍTULO 5.1 Otimização de técnica de descontaminação seletiva para isolamento de micobactérias a partir de amostras de cama de suínos CAPÍTULO 5.1 Otimização de técnica de descontaminação seletiva para isolamento de micobactérias a partir de amostras de cama de suínos Virgínia Santiago Silva Beatris Kramer Arlei Coldebella 83 Introdução

Leia mais

Os métodos químicos líquidos utilizam glutaraldeído, peróxido de hidrogênio, formaldeído ou acido peracético.

Os métodos químicos líquidos utilizam glutaraldeído, peróxido de hidrogênio, formaldeído ou acido peracético. 21 2 Esterilização A esterilização é um processo utilizado para eliminar microorganismos viáveis de um produto. O nível de garantia de esterilidade deve ser estabelecido por meio de estudos de validação

Leia mais