Relatório de execução orçamental Anual. Índice Página: 1 - O grau de execução orçamental 2

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório de execução orçamental Anual. Índice Página: 1 - O grau de execução orçamental 2"

Transcrição

1 Índice Página: 1 - O grau de execução orçamental Análise detalhada Despesa total efetuada, em 2014, através das fontes de financiamento Despesa total efetuada, em 2014, pela fonte de financiamento OE Despesa total efetuada, em 2014, pela fonte de financiamento 510 Receitas próprias 2.4-Despesa total efetuada, em 2014, pela fonte de financiamento Despesa total efetuada, em 2014, pela fonte de financiamento Dotação orçamental em Enquadramento orçamental Despesas efetuadas através da FF311 -Orçamento de Estado Despesas pagas através da FF510 - Receitas próprias Despesas efetuadas através da fonte de financiamento 319, 442, 520 e A regra do equilíbrio 12 5 As receitas próprias arrecadadas Os saldos transitados 14 7 Mapas comparativos 2013 e Mapa comparativo da despesa por Fonte de Financiamento Mapa comparativo da despesa por grandes rubricas Mapa comparativo das despesas com pessoal ao nível das Remunerações 16 Certas e Permanentes (RCP) 7.4 Mapa comparativo das despesas com pessoal ao nível dos abonos variáveis e 16 eventuais 7.5 Mapa comparativo das despesas com pessoal ao nível da Segurança Social Mapa comparativo da aquisição de bens e serviços Mapa comparativo das despesas de capital Mapa comparativo das despesas com transferências Mapa comparativo da receita líquida cobrada por Fontes de Financiamento Mapa comparativo das receitas próprias arrecadadas 21

2 Execução orçamental A execução orçamental refletida neste Relatório é relativa aos Serviços de Acão Social. Assim: 1 - O grau de execução orçamental A execução orçamental, no ano 2014, nas diversas fontes de financiamento, foi: FF311 FF 510 FF 520 FF 540 Global Grau de Execução Orçamental 97,8% 59,96% 68,44% 38,44% 78,15% Grau de Liberdade Orçamental 2,2% 40,04% 31,56% 61,56% 21,85% 2 Análise Detalhada Da análise, que se apresenta no ponto 3, resultam os seguintes aspetos: 2.1 Despesa total efetuada, em 2014, através das diversas fontes de financiamento - em euros - Total da despesa SAS ,65 Despesas com Pessoal Bens e Serviços Capital Transf. Outras despesas Juros e outros encargos , , , , ,76 95,61 57,6% 36,92% 0,76% 4,1% 0,61% 0,01% 2.2 Despesa total efetuada, em 2014, pela fonte de financiamento OE - em euros - Total da despesa SAS ,45 Despesas com Pessoal Bens e Serviços Capital Transf , , ,00 97,44% 2,08% 0,48%

3 2.3 Despesa total efetuada, em 2014, pela fonte de financiamento 510 Receitas Próprias - em euros - Total da despesa SAS ,93 Pessoal Bens e serviços Despesas por rubrica Capital Transf. Outros encargos financeiros Outras despesas 26, , , ,00 95, ,76 0,01% 89,86% 2,48% 5,84% 0,03% 1,78% 2.4 Despesa total efetuada, em 2014, pela fonte de financiamento em euros - Total da despesa SAS ,06 Pessoal Bens e serviços Despesas por rubrica Capital Transf , ,00 72,61% 27,39% Outras despesas 2.5 Despesa total efetuada, em 2014, pela fonte de financiamento em euros - Total da despesa SAS 345,21 Pessoal Bens e serviços 345,21 100% Despesas por rubrica Capital Transf. Outras despesas 2.6 Dotação orçamental em 2014 Dos quais - em euros Saldos dos Orçamento Orçamento anos corrigido, em Reforços inicial em 2014 anteriores 2014, com saldos integrados SAS , , , ,97 OE ,00 RP ,00

4 3 Enquadramento orçamental Para seu regular funcionamento, os SAS dispôs, de uma dotação corrigida, com saldos integrados em 2014, de ,97 repartidos pelas seguintes fontes de financiamento: - em euros Programas Fonte financiamento Dotação (1) Saldos ano anterior (2) Total Dotação (1+2) , , , , ,36 53, , , , , ,00 898,00 Total geral , , ,97 A receita efetivamente liquidada, em 2014, no montante de ,14 (sem saldos incluídos), foi referente a: -MEC ,00 -Produtos alimentares e bebidas ,50 -Alimentação e alojamento ,99 -Aluguer de espaços e equipamentos ,05 -Outros ,69 -Reposições não batidas nos pagamentos - 880,32 na fonte de financiamento de receitas próprias -IEFP - 897,59

5 O quadro global discriminativo da receita, em 2014, foi o seguinte: 2014 Previsão Receita Receita cobrada líquida Receita que Fontes de financiamento Rubricas Previsão inicial corrigida (no ano) liquidada (no ano) (no ano) Valor % ficou por cobrar 311 Transferência MEC , , , ,00 52,4 Total , , , ,00 52,4 313 Saldos na posse do serviço 6.646, , ,40 0,54 Total , , ,40 0, IPV Total Saldos na posse do serviço 53,36 53,36 53,36 Total ,36 53,36 53, Publicações e impressos Produtos alimentares e bebidas , , , ,50 Outras vendas de bens Aluguer de espaços e equipamentos , , , , ,98 Alimentação e alojamento , , , , ,44 Outros serviços , , , , ,10 Reposições não abatidas 881,00 880,32 880,32 Total , , , ,55 38, , Saldos na posse do serviço , , ,21 Total , , ,21 8,37 IEFP 898,00 897,59 897,59 Total ,00 897,59 897,59 Total geral , , , , ,52

6 A receita líquida dos SAS, em 2014, foi constituída quase maioritariamente por verbas provenientes do orçamento de estado (52,4%). Em 2014 as despesas ascenderam a ,65, nas diversas fontes de financiamento, conforme se pode verificar no quadro seguinte: - em euros OE RP FF520 FF540 Total Geral ,65 Pessoal ,11 26,54 57,6% ,55 Bens e Serviços , , ,06 345,21 36,92% Capital 9.082, ,08 0,76% Outras despesas 6.524, ,76 0,61% Juros e outros 95,61 95,61 encargos financeiros 0,01% ,00 Transferências 3.000, , ,00 4,1% , , ,06 345, ,65 As despesas, em 2014, foram relativas a: Ano 2014 Despesas Remunerações certas e permanentes ,17 Abonos variáveis e eventuais ,66 57,6% Segurança Social ,82 Total despesas com pessoal ,65 Aquisição de bens ,90 Aquisição de serviços ,65 36,92% Total de aquisição de bens e serviços ,55 Juros e outros encargos 95,61 0,01% Transferências ,00 4,1% Outras despesas 6.524,76 0,61% Aquisição bens de capital 9.082,08 0,76% ,65

7 A receita líquida cobrada (sem integração de saldos), nas diversas fontes de financiamento, no valor de ,14 foi suficiente para pagar a totalidade da despesa efetuada, em 2014, cujo valor ascendeu a , Fontes de financiamento Classificação económica Despesa Despesas com pessoal Dotação inicial Dotação corrigida (no ano) Compromissos assumidos (no ano) Despesa paga (no ano) , , , ,11 02 Aquisição de bens e , , ,34 serviços 04 Transferências 3.000, , ,00 Compromissos por pagar (no ano) Total , , , , Outras transferências 6.646,40 Total , Outras transferências 53,36 Total , Despesas com pessoal 100,00 26,54 26,54 02 Aquisição de bens e serviços , , , ,94 03 Juros e outros encargos 100,00 100,00 95,61 95,61 04 Transferências , , , ,00 06 Outras transferências 4.800, , , ,76 07 Aquisição de bens de capital 2.200, , , ,08 Total , , , , Despesas com pessoal 02 Aquisição de bens e serviços , , ,06 04 Transferências , , ,00 Total , , , Despesas com pessoal 02 Aquisição de bens e serviços 03 Juros e outros encargos 04 Transferências 06 Outras transferências 07 Aquisição de bens de capital Total ,00 345,21 345,21 898,00 345,21 345,21 Total geral , , , ,65

8 O mapa resumo, com a relação das despesas pagas e receitas líquidas, do ano foi: - em euros OE RP FF520 FF540 Total Saldo do ano Despesas em , , ,06 345, ,65 59,05% 34,31% 6,6% 0,03% , ,55 897, ,14 Receitas líquidas em ,4% 38,59% 0,07% , Despesas efetuadas através da FF 311 Orçamento de Estado Da análise efetuada à despesa paga através do OE, por grandes rubricas orçamentais, no valor global de ,45, verifica-se que 97,44% foram despesas com pessoal, 2,08% foram despesas com aquisição de bens e serviços e 0,48% foram transferências. Despesas efetuadas, em 2014, através da fonte de financiamento 311 2,69% 0,01% Pessoal Bens e serviços Capital 97,31% As despesas com pessoal pagas, em 2014, no montante de ,11, através de verbas provenientes do Orçamento de Estado, foram relativas a: Remunerações certas e permanentes (RCP) Pessoal dos Órgãos sociais Quadros regime da função Representação Subsídio de refeição Subsídio de férias e de Natal Subsídio de maternidade Pessoal aguardando aposentação Total pública SAS , , , , , ,17 76,5%

9 Abonos variáveis e eventuais (AVE) Abono para falhas Outros abonos em numerário ou espécie Programa rescisão por mútuo acordo Colaboração técnica especializada Horas extraordinárias Ajudas de custo Abonos devidos pela cessação da relação jurídica Total SAS ,09 487,91 607,00 430, ,66 6% Segurança Social (SS) Subsídio familiar a crianças e jovens Contribuição da entidade patronal para ADSE Outros encargos com a saúde Contribuições para a Segurança Social Contribuições para a Caixa Geral de Aposentações Parentalidade Doença Outras pensões Outras prestações familiares Total SAS 700, , , ,35 133, ,28 17,5% Através desta fonte foram ainda pagas as seguintes despesas: - Encargos das instalações ,34 - Transferências , Despesas pagas através da FF 510 Receitas próprias No que se refere à despesa paga através desta fonte de financiamento no valor global de ,93, verifica-se que 89,86% foram despesas com aquisição de bens e serviços, 5,84% foram despesas com transferências, 2,48% foram despesas de capital, 1,78% foram outras despesas, 0,03% foram juros e outros encargos financeiros e 0,01% foram despesas com pessoal. Despesas efetuadas, em 2014, através da fonte de financiamento 510 0,01% 0,03% 0,03% 2,48% 1,78% 89,86% Pessoal Bens e serviços Capital Juros e outros encargos financeiros Transferências Outras despesas

10 As despesas de funcionamento, em 2014, ascenderam a ,31, e foram relativas a: Aquisição de bens - em euros Aquisição de serviços Valor Peso Valor Peso Combustíveis e lubrificantes 3.439,89 1,91% Encargos de instalações ,18 68,43% Limpeza e higiene Alimentação refeições confecionadas Alimentação géneros para confecionar Material de escritório 5,90 Limpeza e higiene ,46 45,34% Conservação de bens 4.473,51 2,87% ,76 33,56% Locação de outros bens Vestuário e artigos pessoais 57,07 0,03% Transportes Locação de edifícios Comunicações 2.142,82 1,38% Material de consumo clínico Representação de serviços 61,00 0,04% Material de consumo hoteleiro Seguros Outro material-peças Deslocações e estadas 110,00 0,07% Ferramentas e utensílios Formação Prémios, condecorações e ofertas 203,45 0,11% Estudos, pareceres e consultadoria Mercadorias para a venda ,14 18,02% Vigilância e segurança ,01 17,93% Artigos honoríficos e de decoração Livros e documentação técnica Assistência técnica 475,88 0,31% Outros bens 1.749,47 0,97% Trabalhos especializados Produtos químicos e farmacêuticos 101,55 0,06% Serviços de saúde 1.963,64 1,26% ,69 Outros serviços 4.223,71 2,72% Impostos e taxas Outras despesas 6.524,76 4,19% Outros encargos financeiros 95,61 0,06% Publicidade 1.145,50 0,74% ,62

11 As despesas de comunicação no montante de 2.142,82 foram relativas a: Valor pago % Acessos a internet Comunicações fixas de dados Comunicações fixas de voz 1.338,72 62,47 Comunicações móveis 589,27 27,50 Outros serviços de comunicações 214,83 10,03 Foram efetuadas transferências no montante de ,00, no âmbito de contrato emprego inserção com o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP). As despesas do capital ascenderam a 9.082,08, e estão relacionadas com as seguintes tipologias: Equipamento básico (4.430,58 ) Equipamento administrativo (4.651,50 ) 3.3 Despesas efetuadas através da fonte de financiamento 319, 442, 520 e 540 Através das restantes fontes e programas existentes, foram pagas despesas no montante de ,24 referentes a: FF520 FF540 Total Geral Outros bens 345,21 345,21 Total bens 345,21 345,21 Limpeza e higiene , ,96 Vigilância e segurança , ,72 Serviços de saúde 8.836, ,38 Total serviços , ,06 Transferências a Instituições s/ fins lucrativos , ,00 Total capital , ,00 Total ,06 345, ,27

12 4 A regra do equilíbrio Em termos do cumprimento da regra do equilíbrio orçamental, de acordo com o nº 1 do artigo 25º da Lei de enquadramento orçamental aprovada pela Lei nº 91/2001, de 20 de agosto, alterada e republicada pela Lei nº 52/2011, de 13 de outubro, verifica-se que os SAS cumpriram, a regra do equilíbrio, uma vez que teve um saldo global positivo. Em termos de execução orçamental, no ano 2014, verifica-se a receita líquida cobrada (sem saldos integrados) foi de ,14, e a despesa paga foi de ,65, destacando-se que ,35 foram contribuições para a Caixa Geral de Aposentações, e ,10 contribuições para a Segurança Social. No ano 2014, o saldo foi positivo no valor de ,49. Programa 014 Medida 019 Receita cobrada Despesa paga Receita cobrada líquida Fonte Dotação Saldo em 2014 líquida (s/saldo) (c/integração financiamento corrigida 2014 (2-1) (1) (2) de saldos) (3) , , , , , , , ,36 53, , , , , , , , , , ,00 345,21 897,59 897, ,38 Compromissos assumidos que ficaram por pagar no ano Total geral , , , , ,49 0,00

13 Relação despesas pagas versus receita líquida (com saldos) Despesas pagas Receita líquida As receitas próprias arrecadadas relativas a: As receitas próprias arrecadadas pelos SAS, em 2014, no valor de ,55, foram 1º trim 2ºtrim 3ºtrim 4º trim TOTAL Produtos alimentares e bebidas , , , , ,50 Receita por cobrar no fim do ano Aluguer de espaços e equipamentos 3.758, , , , , ,98 Alimentação e alojamento , , , , , ,44 Reposições não abatidas em pagamentos 293,44 586,88 880,32 Outras 3.666, , , , , ,10 Total geral , , , , , ,52

14 Reposições não abatidas em pagamentos Outros Alimentação e alojamento Aluguer de espaços e equipamentos 1º trim 2º trim 3º trim 4º trim Produtos alimentares e bebidas 0% 20% 40% 60% 80% 100% Em 2014 ficou por cobrar o valor de ,52. Se essa receita tivesse sido cobrada, no ano, o saldo seria de ,01. Receita líquida Compromissos Total despesa no cobrada Receita que ficou Despesa paga Saldo assumidos que ficaram ano s/integração de por cobrar (1) (4+5)-3 por pagar (2) 3=(1+2) saldos (5) (4) ,65 0, , , , ,01 6 Os Saldos transitados De salientar que, para além destas receitas existem saldos no valor de ,97, correspondente às seguintes fontes de financiamento: FF ,40 FF ,36 FF ,21

15 7 Mapas comparativos 2013 e Mapa comparativo da despesa por fonte de financiamento FF , ,45 FF ,13 - FF ,93 - FF , ,93 FF , ,06 FF ,26 345, , ,65 de 3,9% Houve uma diminuição de despesas, de 2013 para 2014, na ordem dos 3,9%. 7.2 Mapa comparativo da despesa por grandes rubricas Pessoal , ,65 Bens e serviços , ,55 Capital , ,08 Outras despesas 6.722, ,76 Juros e outros encargos 1.584,68 95,61 Transferências , , , ,65 de -10,5% Conforme se pode verificar a diminuição de despesas está às despesas com aquisição de bens e serviços (diminuíram 10,5% de 2013 para 2014) e as transferências (9% de 2013 para 2014).

16 7.3 Mapa comparativo das despesas com pessoal ao nível das remunerações certas e permanentes (RCP) OE RP FF520 Total OE RP FF520 Total Pessoal dos quadros - regime da função pública , , , , , ,42 Pessoal contratado a termo Representação 5.292,30 529,23 529, , , ,85 Subsídio de refeição , , , ,10 Subsídio de férias e de Natal , , , ,95 Subsídio de férias , ,34 Subsídio de Natal , ,04 Pessoal aguardando aposentação 1.117, ,61 Remunerações por doença maternidade/paternidade , , , , , ,65 de -12% 7.4 Mapa comparativo das despesas com pessoal ao nível dos abonos variáveis e eventuais OE RP Total OE RP Total Horas extraordinárias 114,02 472,01 586,03 487,91-487,91 Ajudas de custo 146,07 146,07 607,00-607,00 Abonos devidos pela cessação da relação jurídica ,66-430,66 260,09 472,01 731, , ,57 de +109%

17 7.5 Mapa comparativo das despesas com pessoal ao nível da Segurança Social Contribuição da entidade patronal para a ADSE / encargos com a saúde Outros encargos com a saúde Contribuições para a Segurança Social (SS) Contribuições para a Caixa Geral de Aposentações (CGA) Subsídio familiar a crianças e jovens OE RP FF520 Total OE RP FF520 Total 5.947, ,46 413, , , , , , , , , , , , , , , ,35 350,28 291,90 58,38 700,56 700,56 700,56 Doença 20,49 20,49 133,36 133,36 Acidentes em serviço e doenças profissionais Seguros , , , , , ,28 de -4,1%, contribuindo para esta diminuição os valores pagos pela entidade patronal à ADSE e as contribuições para a Segurança Social, em virtude de ter diminuído o número de trabalhadores desta unidade.

18 7.6 Mapa comparativo da aquisição de bens e serviços Aquisição de bens RP FF540 Total FF319 RP FF 540 Total Combustíveis e lubrificantes 814,40 814,40 Limpeza e higiene 2.839,58 440, , , ,89 Alimentação- géneros para confecionar , , , ,76 Material de escritório 1.452,63 345, ,38 5,90 5,90 Vestuário e artigos pessoais Produtos químicos e farmacêuticos Material de consumo clínico Alimentação-refeições confecionadas 57,07 57,07 65,42 65,42 101,55 101,55 9,10 9,10 Outro material- peças 25,53 68,08 93,61 Mercadorias para venda Material de consumo hoteleiro Prémios, condecorações e ofertas , , , , ,89 319, , , ,14 32,03 32,03 203,45 203,45 Outros bens 4.598, , , ,37 345, ,58 Material educativo, cultural e recreio Ferramentas e utensílios 5,10 5, , , , ,59 345, ,80 de +4,4% comparativamente ao ano 2013, associada ao aumento ao nível das despesas nas rubricas de alimentação- géneros para confecionar (+55,5% em 2014).

19 Aquisição de serviços e outras despesas FF319 RP FF 520 FF540 Total OE RP FF 520 Total Encargos das instalações 8.039, , , , , , ,52 Limpeza e higiene , , , , ,96 Conservação de bens 7.735,31 548, , , ,51 Comunicações 962,28 448, , , ,82 Representação de serviços 61,00 61,00 Deslocações e estadas 110,00 110,00 Formação Seguros Publicidade 1.100,42 312, , , ,50 Vigilância e segurança , , , , , , , ,73 Assistência técnica , , ,72 475,88 475,88 Trabalhos especializados 1.955, ,70 Serviços de Saúde 7.854, , , , , ,02 Outros serviços 4.429,40 168, , , ,71 Outras despesas 51, , , , ,76 Outros encargos financeiros 166,05 166,05 95,61 95,61 Estudos, pareceres, projetos e 1.998, , ,30 consultoria , , , , , , , , ,02 de -19,9%

20 7.7 Mapa comparativo das despesas de capital RP FF442 FF540 Total RP FF540 Total Equipamento informático 6.395,39 376, ,49 Software informático 4.951, ,98 Equipamento administrativo 720,41 720, , ,50 Equipamento básico 867, , , , , , , , , ,08 de -52,3% comparativamente ao ano Mapa comparativo das despesas com transferências RP FF 540 Total OE RP FF520 Total Transferências-outras 6.316, , , , , , , Mapa comparativo da receita líquida cobrada por fontes de financiamento FF , ,00 FF ,40 FF ,00 - FF ,36 FF , ,55 FF ,21 FF ,47 897, , ,11 +10,5%, contribuindo para esse aumento a receita liquidada ao nível da FF311 (+93%).

21 7.10 Mapa comparativo das receitas próprias arrecadadas Produtos alimentares e bebidas , ,50 Aluguer de espaços e equipamentos , ,05 Alimentação e alojamento , ,99 Reposições não abatidas nos pagamentos 1,42 880,32 Outros , , , ,55 Houve uma diminuição significativa de receitas próprias cobradas, de 2013 para 2014, em cerca de 12%. Esta diminuição está associada à quebra de receita proveniente da venda de produtos alimentares e bebidas na ordem dos 14,9%, à receita proveniente do aluguer de espaços e equipamentos (-34,4%), bem como à receita proveniente de alimentação e alojamento (-9,2%).

Potenciais Facto Pagamentos Verbas disponíveis IPV ESAV IPV ESAV IPV ESAV IPV ESAV Jan..Junho 65% 56% 35% 44% 33% 40% 340.784.566 136.649.

Potenciais Facto Pagamentos Verbas disponíveis IPV ESAV IPV ESAV IPV ESAV IPV ESAV Jan..Junho 65% 56% 35% 44% 33% 40% 340.784.566 136.649. Potenciais Facto Pagamentos Verbas disponíveis IPV ESAV IPV ESAV IPV ESAV IPV ESAV Jan..Junho 65% 56% 35% 44% 33% 40% 340.784.566 136.649.154 Jan..Agosto 54% 51% 46% 49% 45% 46% 280.821.456 124.481.637

Leia mais

FLUXOS DE CAIXA CONSOLIDADOS

FLUXOS DE CAIXA CONSOLIDADOS CÂMARA MUNICIPAL DO / SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS DE TRANSPORTES COLECTIVOS DO RECEBIMENTOS Saldo da gerência anterior 2.363.424,49 Execução Orçamental 1.404.990,71 Operações de Tesouraria 958.433,78 Total

Leia mais

Orçamento de Despesa - Dotações Iniciais

Orçamento de Despesa - Dotações Iniciais 01...... Órgãos da Autarquia 157.262,00 01.01..... 01.01.01.... 01.01.01.02... Assembleia de Freguesia 900,00 Despesas com o pessoal 800,00 Abonos variáveis ou eventuais 800,00 01.01.01.02.13.. Outros

Leia mais

Investimentos do Plano- 2º Trimestre/2002 7822435 79,6% 1370353 13,9% 292069 3,0% 336454 3,4% 5682 0,1% 9826993 100,0% Despesas correntes

Investimentos do Plano- 2º Trimestre/2002 7822435 79,6% 1370353 13,9% 292069 3,0% 336454 3,4% 5682 0,1% 9826993 100,0% Despesas correntes Investimentos do Plano- 2º Trimestre/2002 em contos Orçamento corrigido Pagamentos efectutaxa de execução Despesas correntes Conservação de bens 109.747 0% Outros serviços 219.038 49.337 23% Total 328.785

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO ANO ECONÓMICO DE 22 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS EM CUMPRIMENTO DO DISPOSTO NO N. 2 DO ART. 5 DO DEC. LEI 71/95, DE DE ABRIL, ENVIA-SE A RELAÇÃO TRIMESTRAL DAS ALTERAÇÕES ORÇAMENTAIS EFECTUADAS NOS ORÇAMENTOS

Leia mais

DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DO PORTO SANTO ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DO ANO 2012

DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DO PORTO SANTO ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DO ANO 2012 ENTIDADE ORÇAMENTO DA DESPESA DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DO PORTO SANTO ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DO ANO 2012 PÁGINA : 1 01 ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL 4.684.112,00 01.01 ADM/OPERAÇÕES FINANCEIRAS

Leia mais

ORÇAMENTO PARA O ANO 2014 - Receita

ORÇAMENTO PARA O ANO 2014 - Receita ORÇAMENTO PARA O ANO 2014 - Receita 04 Taxas, multas e outras penalidades 0402 Multas e outras penalidades 040201 Juros de mora 6.000 040204 Coimas e penalidades por contra-ordenações 040299 Multas e penalidades

Leia mais

37.100.500,00 TOTAL DA RECEITA: TOTAL DA DESPESA: 37.100.500,00

37.100.500,00 TOTAL DA RECEITA: TOTAL DA DESPESA: 37.100.500,00 TOTAL DA RECEITA: TOTAL DA DESPESA: 37.100.500,00 37.100.500,00 0 DA CÂMARA MUNICIPAL DE LEIRIA ANO 2013 RECEITAS DESPESAS CORRENTES 23.469.442,00 CORRENTES 23.270.500,00 CAPITAL 13.631.058,00 CAPITAL

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO ANO ECONÓMICO DE 22 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS EM CUMPRIMENTO DO DISPOSTO NO N. 2 DO ART. 5 DO DEC. LEI 71/95, DE 15 DE ABRIL, ENVIA-SE A RELAÇÃO TRIMESTRAL DAS ALTERAÇÕES ORÇAMENTAIS EFECTUADAS NOS ORÇAMENTOS

Leia mais

Fluxos de Caixa. Recebimentos

Fluxos de Caixa. Recebimentos Recebimentos Saldo da Gerência Anterior 1.348.952,41 Total das Receitas Orçamentais Execução Orçamental 1.034.500,26 Operações de Tesouraria 314.452,15 16.035.427,63 Receitas Correntes 11.478.511,35 01

Leia mais

Universidade da Beira Interior Serviços de Contabilidade

Universidade da Beira Interior Serviços de Contabilidade DESPESAS DE FUNDOS PRÓPRIOS Despesas Orçamentais 310 - Origem / Aplicação - Esforço Financeiro Nacional 01 01 03 00 00 Pessoal dos quadros - Regime de função pública 4885817,77 01 01 05 00 00 Pessoal além

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO ANO ECONÓMICO DE 25 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS EM CUMPRIMENTO DO DISPOSTO NO N. 2 DO ART. 5 DO DEC. LEI 71/95, DE 15 DE ABRIL, ENVIA-SE A RELAÇÃO TRIMESTRAL DAS ALTERAÇÕES ORÇAMENTAIS EFECTUADAS NOS ORÇAMENTOS

Leia mais

FREGUESIA DE MEXILHOEIRA GRANDE ORÇAMENTO DA RECEITA

FREGUESIA DE MEXILHOEIRA GRANDE ORÇAMENTO DA RECEITA FREGUESIA DE MEXILHOEIRA GRANDE ORÇAMENTO DA RECEITA RECEITAS CORRENTES 01 Impostos directos 10.102,Oe 01 02 Outros 10.102,Oe 010208 imposto municipal imóveis (rústico) 1.000,00 010209 Imposto Municipal

Leia mais

ORÇAMENTO DA DESPESA

ORÇAMENTO DA DESPESA 01 00 00 Administração Autárquica DESPESAS CORRENTES 01 Despesas com o pessoal 255.313,99 01 01 Remunerações certas e permanentes 176.770,19 01 01 01 Titulares de órgãos de soberania e membros de órgãos

Leia mais

MAPAS DE FLUXOS FINANCEIROS

MAPAS DE FLUXOS FINANCEIROS DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS 2010 MAPAS DE FLUXOS FINANCEIROS Documentos de Prestação de Contas 2010 DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS 2010 Fluxos de Caixa Documentos de Prestação de Contas 2010 DOC

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL CASA PIA DE LISBOA, I.P. CONTA DE GERÊNCIA. Gerência de 1 de Janeiro a 31 de Dezembro de 2007

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL CASA PIA DE LISBOA, I.P. CONTA DE GERÊNCIA. Gerência de 1 de Janeiro a 31 de Dezembro de 2007 CONTA DE GERÊNCIA Gerência de 1 de Janeiro a 31 de Dezembro de 2007 Débito Parcial Telnet Sif Total Crédito SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR: DESPESAS CORRENTES De Receitas Próprias: 01 DESPESAS COM PESSOAL

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO ECONÓMICA DAS DESPESAS

CLASSIFICAÇÃO ECONÓMICA DAS DESPESAS DESPESAS CORRENTES DESPESAS CORRENTES 01 Despesas com o pessoal 01 Despesas com o pessoal 01 Remunerações certas e permanentes 01 Remunerações certas e permanentes 01 Titulares de órgãos de soberania e

Leia mais

Fluxos de Caixa. Recebimentos

Fluxos de Caixa. Recebimentos Recebimentos Saldo da Gerência Anterior 7.946.571,02 Execução Orçamental 5.519.930,76 Operações de Tesouraria 2.426.640,26 das Receitas Orçamentais 58.322.634,95 Receitas Correntes 55.610.658,97 01 Impostos

Leia mais

Orçamento 01 280.554,00 200,00 300,00 10.100,00 10.000,00 4.900,00. 30.750,00 04.01.23.99.01 Atestados, Confirmações e

Orçamento 01 280.554,00 200,00 300,00 10.100,00 10.000,00 4.900,00. 30.750,00 04.01.23.99.01 Atestados, Confirmações e Pag.: 1 04.01.23.99.03 1.500,00 Transladações 04.02 Multas e outras penalidades 04.02.99 Multas e penalidades diversas 05 Rendimentos da propriedade 05.02 Juros - Sociedades financeiras 05.02.01 Bancos

Leia mais

Serviços Municipalizados da C.M.Guarda

Serviços Municipalizados da C.M.Guarda 01 Orçamento-Exercício corrente 12.450.272,25 12.450.272,25 0,00 0,00 011 Receitas,00 12.133.603,25 0,00 12.133.603,25 01104 Taxas, multas e outras penalidades,00 19.860,00 0,00 19.860,00 0110402 Multas

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO ANO ECONÓMICO DE 24 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS EM CUMPRIMENTO DO DISPOSTO NO N. 2 DO ART. 5 DO DEC. LEI 71/95, DE 15 DE ABRIL, ENVIA-SE A RELAÇÃO TRIMESTRAL DAS ALTERAÇÕES ORÇAMENTAIS EFECTUADAS NOS ORÇAMENTOS

Leia mais

AGRUPAM ENTO SUB- ALINEA ALÍNEA RUBRICA SUBAGRUP AMENTO 01 ASSEMBLEIA MUNICIPAL DESPESAS CORRENTES

AGRUPAM ENTO SUB- ALINEA ALÍNEA RUBRICA SUBAGRUP AMENTO 01 ASSEMBLEIA MUNICIPAL DESPESAS CORRENTES CÓDIGO P AM 01 ASSEMBLEIA MUNICIPAL DESPESAS CORRENTES 01 DESPESAS COM O PESSOAL 0102 ABONOS VARIÁVEIS OU EVENTUAIS 010204 AJUDAS DE CUSTO 500 010213 OUTROS SUPLEMS E PRÉMIOS 01021302 OUTROS 30.000 30.000

Leia mais

F L U X O S D E C A I X A ANO 2013 ENTIDADE MVN MUNICIPIO DE VENDAS NOVAS Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2013/12/31 R E C E B I M E N T O S

F L U X O S D E C A I X A ANO 2013 ENTIDADE MVN MUNICIPIO DE VENDAS NOVAS Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2013/12/31 R E C E B I M E N T O S ENTIDADE MVN MUNICIPIO DE VENDAS NOVAS Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2013/12/31 R E C E B I M E N T O S SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR... 213.697,03 EXECUÇÃO ORÇAMENTAL... 67.235,92 OPERAÇÕES DE TESOURARIA...

Leia mais

Junta de Freguesia de Alcabideche

Junta de Freguesia de Alcabideche Junta de Freguesia de Alcabideche (Sede da Junta de Freguesia de Alcabideche) Conta de Gerência 2012 Junta de Freguesia de Alcabideche Conta de Gerência 2012 Prestação de Contas Ano de 2012 Prefácio Orçamental

Leia mais

MPS PERIODO : JANEIRO A NOVEMBRO - 2014/11/30 2014/12/15 2014 1 DOTAÇÃO MOVIMENTO DO PERIODO MOVIMENTO ACUMULADO SALDO

MPS PERIODO : JANEIRO A NOVEMBRO - 2014/11/30 2014/12/15 2014 1 DOTAÇÃO MOVIMENTO DO PERIODO MOVIMENTO ACUMULADO SALDO MPS PERIODO : JANEIRO A NOVEMBRO - 2014/11/30 2014/12/15 2014 1 010101 TITULARES DE ÓRGÃOS DE SOBERANIA E 98.400,00 98.400,00 98.373,57 77.242,97 77.242,97 98.400,00 98.373,57 77.242,97 77.242,97 26,43

Leia mais

DOCUMENTOS PREVISIONAIS PARA O ANO DE 2009

DOCUMENTOS PREVISIONAIS PARA O ANO DE 2009 DOCUMENTOS PREVISIONAIS PARA O ANO DE 2009 - ORÇAMENTO DA RECEITA E DA DESPESA - PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS - GRANDES OPÇÕES DO PLANO - RESUMO DE ORÇAMENTO APROVADO EM: C.A. / / C.M. / / A.M. /

Leia mais

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2012 DESENVOLVIMENTO DAS RECEITAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2012 DESENVOLVIMENTO DAS RECEITAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS DESENVOLVIMENTO DAS DOS SERVIÇOS E S AUTÓNOMOS 01 - ENCARGOS DO ESTADO 1 - ENCARGOS DO ESTADO - PRIVATIVOS - SFA 01 - PRESIDENCIA DA REPUBLICA 01 - PRESIDENCIA DA REPUBLICA - ORÇAMENTO PRIVATIVO - FUNCIONAMENTO

Leia mais

RESUMO FREGUESIA DE BENFICA. Ano :2012 (Unidade: EUR) Receitas Montante Despesas. Corrente... Capital... Outras Receitas... 0,00 3.432.

RESUMO FREGUESIA DE BENFICA. Ano :2012 (Unidade: EUR) Receitas Montante Despesas. Corrente... Capital... Outras Receitas... 0,00 3.432. RESUMO Ano :2012 Receitas Montante Despesas Montante Corrente... 4.349.118,00 Corrente... Capital... 2,00 Capital... Outras Receitas... 0,00 3.432.383,80 960.736,20 Total 4.349.120,00 Total 4.393.120,00

Leia mais

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2011 DESENVOLVIMENTO DAS RECEITAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2011 DESENVOLVIMENTO DAS RECEITAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS DESENVOLVIMENTO DAS DOS SERVIÇOS E S AUTÓNOMOS 02 - SERVIÇOS DE APOIO, ESTUDOS, COORDENAÇAO, COOPERAÇAO E CONTROLO 06 - INSTITUTO DE GESTAO DO SOCIAL EUROPEU IP-ORÇ. PRIV.-FUNC. PROG MED RECEITA 065 FUNÇÕES

Leia mais

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2007 DESENVOLVIMENTO DAS RECEITAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2007 DESENVOLVIMENTO DAS RECEITAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS DESENVOLVIMENTO DAS DOS SERVIÇOS E S AUTÓNOMOS 01 - INSTITUTO DE GESTÃO INFORMÁTICA E FINANCEIRA DA SAÚDE-ORÇ.PRIV.-FUNCIONAMENTO PROG MED RECEITA 06 TRANSFERENCIAS CORRENTES: 06.03 ADMINISTRACAO CENTRAL:

Leia mais

DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DE VILA VELHA DE RODAO ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DO ANO 2007

DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DE VILA VELHA DE RODAO ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DO ANO 2007 ENTIDADE ORÇAMENTO DA DESPESA DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DE VILA VELHA DE RODAO ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DO ANO 2007 PÁGINA : 1 01 CAMARA MUNICIPAL 1.433.053,00 01.01 OPERAÇOES FINANCEIRAS

Leia mais

CASA PIA DE LISBOA, I.P.

CASA PIA DE LISBOA, I.P. Classificações DESPESAS CORRENTES 01 DESPESAS COM O PESSOAL 01 Remunerações Certas e Permanentes 02 6411000000 Vencimentos-Orgãos Directivos 683.000,00 03 6421111000 Vencimentos-Pessoal do Quadro 18.300.000,00

Leia mais

União das Freguesias de Viana do Castelo (Santa Maria Maior e Monserrate) e Meadela

União das Freguesias de Viana do Castelo (Santa Maria Maior e Monserrate) e Meadela Pág. n.º 1 01 ADMINISTRAÇÃO AUTÁRQUICA... 769100,89 01 DESPESAS COM O PESSOAL:... 54506,91 01.01 Remunerações certas e permanentes:... 34358,38 01.01.01 Tit. de órgãos de soberania e m. de órgãos autárquicos

Leia mais

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2010 DESENVOLVIMENTO DAS DESPESAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2010 DESENVOLVIMENTO DAS DESPESAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS DESENVOLVIMENTO DAS DOS SERVIÇOS E S AUTÓNOMOS 02 - SERVIÇOS DE APOIO, ESTUDOS, COORDENAÇAO, COOPERAÇAO E CONTROLO 06 - INSTITUTO DE GESTAO DO SOCIAL EUROPEU IP-ORÇ. PRIV.-FUNC. PROG MED RECEITA 065 FUNÇÕES

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA 5566 Diário da República, 1.ª série N.º 208 28 de outubro de 2014 ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Resolução da Assembleia da República n.º 86/2014 Orçamento da Assembleia da República para 2015 A Assembleia da

Leia mais

ORÇAMENTO DE ESTADO 2014 DESENVOLVIMENTO DAS DESPESAS DOS SERVIÇOS INTEGRADOS

ORÇAMENTO DE ESTADO 2014 DESENVOLVIMENTO DAS DESPESAS DOS SERVIÇOS INTEGRADOS MA OE-12 DESENVOLVIMENTO DAS DOS SERVIÇOS INTEGRADOS 0 - FINANÇAS 01 - AÇAO GOVERNATIVA 01 - GABINETES DOS MEMBROS DO GOVERNO 001 SERV. DA A.P. - ADMINISTRAÇÃO GERAL 01 01.01 COM O PESSOAL REMUNERAÇÕES

Leia mais

Documentos de Prestação de. Contas

Documentos de Prestação de. Contas Documentos de Prestação de Contas Ano Financeiro de 2010 INDICE GERAL 7.3.1 CONTROLO ORÇAMENTAL DA DESPESA 7.3.2 CONTROLO ORÇAMENTAL DA RECEITA 7.4 EXECUÇÃO ANUAL DO PLANO PLURIANUAL DE INVESTIMENTOS 7.4A

Leia mais

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2007 DESENVOLVIMENTO DAS RECEITAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2007 DESENVOLVIMENTO DAS RECEITAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS DESENVOLVIMENTO DAS DOS SERVIÇOS E S AUTÓNOMOS 18 - INSTITUTO NACIONAL DE MEDICINA LEGAL - PRIVATIVO FUNCIONAMENTO PROG MED RECEITA 008 JUSTIÇA 001 SISTEMA MÉDICO-LEGAL 05 RENDIMENTOS DA PROPRIEDADE: 05.02

Leia mais

FLUXOS DE CAIXA PERÍODO DE 2014/01/01 A 2014/12/31. Modelo de acordo com a Instrução n.º 1/2004 do Tribunal de Contas CÓDIGO PAGAMENTOS CÓDIGO

FLUXOS DE CAIXA PERÍODO DE 2014/01/01 A 2014/12/31. Modelo de acordo com a Instrução n.º 1/2004 do Tribunal de Contas CÓDIGO PAGAMENTOS CÓDIGO Despesas de fundos próprios: Saldo da gerência anterior: Dotações orçamentais (OE): Execução orçamental - Fundos próprios: Correntes: De dotações orçamentais (OE) 79.410,36 79.410,36 De receitas próprias:

Leia mais

ORÇAMENTO RECEITA E DA DESPESA

ORÇAMENTO RECEITA E DA DESPESA MUNICÍPIO DAS VELAS ORÇAMENTO DA RECEITA E DA DESPESA ANO DE 2010 MUNICÍPIO DAS VELAS ORÇAMENTO DA RECEITA 2010 Código Class. Económica ORÇAMENTO PARA O ANO 2010 - Receita 01 Impostos directos 0102 Outros

Leia mais

R E L A T Ó R I O E C O N T A D E G E R Ê N C I A 2 0 0 8

R E L A T Ó R I O E C O N T A D E G E R Ê N C I A 2 0 0 8 R E L A T Ó R I O E C O N T A D E G E R Ê N C I A 2 0 0 8 índice Índice (numeração conforme a indicação no POCAL) índice... 2 5 - Balanço... 3 6 Demonstração de Resultados... 9 7 Mapas de Execução Orçamental...

Leia mais

DOCUMENTOS Prestação de Contas 2014

DOCUMENTOS Prestação de Contas 2014 DOCUMENTOS Prestação de Contas 2014 VIZELA Câmara Municipal VIZELA INDÍCE MENSAGEM DO PRESIDENTE 1 BALANÇO (PONTO 5 DO POCAL) - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Leia mais

ORÇAMENTO DE ESTADO 2007 DESENVOLVIMENTO DAS DESPESAS DOS SERVIÇOS INTEGRADOS

ORÇAMENTO DE ESTADO 2007 DESENVOLVIMENTO DAS DESPESAS DOS SERVIÇOS INTEGRADOS Capítulo: 01 - GABINETE DOS MEMBROS DO GOVERNO, ORGÃOS E SERVIÇOS CENTRAIS Divisão: 01 - GABINETE DOS MEMBROS DO GOVERNO Subdivisão: 01 - GABINETE DO MINISTRO 01 01.01 COM O PESSOAL REMUNERACOES CERTAS

Leia mais

FREGUESIA DE GÂMBIA-PONTES-ALTO DA GUERRA

FREGUESIA DE GÂMBIA-PONTES-ALTO DA GUERRA Despesas Orçamentais 505.374,37 Correntes 356.434,90 010300.0101010100 Meio Tempo - Presidente 8,546.02 010300.0101010200 Compensação mensal Secretário / Tesoureiro 5,275.68 010300.0102130100 Senhas de

Leia mais

Praça Francisco Inácio - 4835-321 - Contrib: 507 214 668 - Tel: 253 531 824

Praça Francisco Inácio - 4835-321 - Contrib: 507 214 668 - Tel: 253 531 824 01 Impostos directos 0102 Outros CORRENTES 010202 Imposto municipal sobre imóveis 9.000,00 TOTAL Rúbrica 01 9.000,00 02 Impostos indirectos 0202 Outros 020206 Impostos indirectos específicos das autarquias

Leia mais

DESIGNAÇÃO DA ENTIDADE

DESIGNAÇÃO DA ENTIDADE ANEXO 1 DESIGNAÇÃO DA ENTIDADE MUNICÍPIO DE GUIMARÃES GERÊNCIA 1 DE JANEIRO A 31 DE DEZEMBRO DE 2014 DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS Nº DESIGNAÇÃO CÓDIGO POCAL 1 Balanço 5 2 Demonstração de resultados

Leia mais

Anexo VII. Alíneas e subalíneas da Classificação económica da Despesa Pública de tipificação vinculativa

Anexo VII. Alíneas e subalíneas da Classificação económica da Despesa Pública de tipificação vinculativa Anexo VII Alíneas e subalíneas da Classificação económica da Despesa Pública de tipificação vinculativa (Nos termos das notas explicativas ao classificador das receitas e das despesas públicas em anexo

Leia mais

Código Class. Económica ORÇAMENTO PARA O ANO 206 - Receita 0 Impostos directos 002 Outros Município de Vila Nova de Poiares Designação Montante 00202 Imposto municipal sobre imóveis.20.000 00203 Imposto

Leia mais

ANEXO 4 Tabela de Rubricas Orçamentais 1 NATUREZA DA DESPESA SUPORTE DESPESAS CORRENTES

ANEXO 4 Tabela de Rubricas Orçamentais 1 NATUREZA DA DESPESA SUPORTE DESPESAS CORRENTES ANEXO 4 Tabela de Rubricas Orçamentais 1 CODIGO DESPESAS CORRENTES 010101 TITULARES DE ORGÃOS DE SOBERANIA E MEMBROS DE ORGÃOS AUTÁRQUICOS Corrente DL 26/2002 010102 ORGÃOS SOCIAIS Corrente DL 26/2002

Leia mais

Orçamento 2010. Município de Murça

Orçamento 2010. Município de Murça Orçamento 2010 Município de Murça ÍNDICE DOCUMENTOS PREVISIONAIS 4 INTRODUÇÃO 5 1- ORÇAMENTO DE 2010 6 2- RECEITA 7 2.1- RECEITA CORRENTE 8 2.2- RECEITA DE CAPITAL 9 3- DESPESA 9 3.1- DESPESA CORRENTE

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DO BAIXO ALENTEJO E ALENTEJO LITORAL ORÇAMENTO DA RECEITA Ano: 2015

ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DO BAIXO ALENTEJO E ALENTEJO LITORAL ORÇAMENTO DA RECEITA Ano: 2015 ORÇAMENTO DA RECEITA Ano: 25 RECEITAS CORRENTES 05 RENDIMENTOS DA PROPRIEDADE 10,00 05 Juros Sociedades Financeiras 10,00 05 Bancos e Outras Instituições Financeiras 10,00 06 TRANSFERÊNCIAS CORRENTES 991.045,28

Leia mais

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE GUARDA

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE GUARDA ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE GUARDA Ponto 2.3 Análise, discussão e votação do Plano e Orçamento para o ano 2014 DOCUMENTO PARA ANÁLISE Constitui uma competência material da Junta de Freguesia a elaboração

Leia mais

ORÇAMENTO E GRANDES OPÇÕES DO PLANO PARA 2015

ORÇAMENTO E GRANDES OPÇÕES DO PLANO PARA 2015 ORÇAMENTO E GRANDES OPÇÕES DO PLANO PARA 2015 Cumprir um orçamento na sua plenitude é factor de credibilidade e confiança perante os seus fregueses. É a linha mestra para uma boa execução, ou seja, atingir

Leia mais

7638 Diário da República, 1.ª série N.º 212 31 de Outubro de 2008

7638 Diário da República, 1.ª série N.º 212 31 de Outubro de 2008 7638 Diário da República, 1.ª série N.º 212 31 de Outubro de 2008 Artigo 250.º [...] 1 Quem, estando legalmente obrigado a prestar alimentos e em condições de o fazer, não cumprir a obrigação no prazo

Leia mais

1ª Revisão do Orçamento, PPI e PPA do ano 2013

1ª Revisão do Orçamento, PPI e PPA do ano 2013 2013 1ª Revisão do Orçamento, PPI e PPA do ano 2013 Junta de Freguesia de Gâmbia-Pontes-Alto da Guerra Branco Lima FREGUESIA DE GÂMBIA-PONTES-ALTO DA GUERRA Pág. 1 MODIFICAÇÕES DO ORÇAMENTO DA RECEITA

Leia mais

Fluxos de Caixa Instituto de Higiene e Medicina Tropical - Universidade Nova de Lisboa Gerência de 01-01-2012 a 31-12-2012 Class. Económica Recebimentos Saldo da gerência anterior Execução orçamental -

Leia mais

F L U X O S D E C A I X A ANO 2014 ENTIDADE CMB MUNICIPIO DE BEJA Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2014/12/31 R E C E B I M E N T O S

F L U X O S D E C A I X A ANO 2014 ENTIDADE CMB MUNICIPIO DE BEJA Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2014/12/31 R E C E B I M E N T O S ENTIDADE CMB MUNICIPIO DE BEJA Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2014/12/31 R E C E B I M E N T O S SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR... 441.383,66 EXECUÇÃO ORÇAMENTAL... 10.692,50 OPERAÇÕES DE TESOURARIA...

Leia mais

DIVISÃO DE GESTÃO FINANCEIRA E PATRIMONIAL ORÇAMENTO. (Transposto 2014)

DIVISÃO DE GESTÃO FINANCEIRA E PATRIMONIAL ORÇAMENTO. (Transposto 2014) ORÇAMENTO 2015 (Transposto 2014) A presente proposta de Orçamento foi elaborada no respeito pelas regras previsionais constantes no ponto 3.3 do POCAL (Plano Oficial das Autarquias Locais), aprovado pelo

Leia mais

DESIGNAÇÃO DA ENTIDADE

DESIGNAÇÃO DA ENTIDADE ANEXO 1 DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS Nº DESIGNAÇÃO CÓDIGO POCAL 1 Balanço 5 2 Demonstração de resultados 6 3 Plano plurianual de investimentos - aprovado por deliberação de 3/12/2009 7.1 4 Orçamento

Leia mais

2. Enquadramento Orçamental para o Exercício de 2015

2. Enquadramento Orçamental para o Exercício de 2015 G R A N D E S O P Ç Õ E S D O P L A N O E O R Ç A M E N T O 2 9 2. Enquadramento Orçamental para o Exercício de 2015 GRANDES OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO 2015 3 0 G R A N D E S O P Ç Õ E S D O P L A N O

Leia mais

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2016 DESENVOLVIMENTO DAS RECEITAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2016 DESENVOLVIMENTO DAS RECEITAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS MA OP-01 DESENVOLVIMENTO DAS DOS SERVIÇOS E S AUTÓNOMOS 03 - SERVICOS NA AREA DA ECONOMIA 01 - IMEI - AGENCIA PARA A COMPETITIVIDADE E INOVAÇAO PROG MED 065 FUNÇÕES S - DIVERSAS NÃO ESPECIFICADAS 04 TAXAS,

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO ANO ECONÓMICO DE 23 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS EM CUMPRIMENTO DO DISPOSTO NO N. 2 DO ART. 5 DO DEC. LEI 71/95, DE DE ABRIL, ENVIA-SE A RELAÇÃO TRIMESTRAL DAS ALTERAÇÕES ORÇAMENTAIS EFECTUADAS NOS ORÇAMENTOS

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO JUNTA DE FREGUESIA DE RONFE - ANO ECONÓMICO DE 2006-

RELATÓRIO DE GESTÃO JUNTA DE FREGUESIA DE RONFE - ANO ECONÓMICO DE 2006- RELATÓRIO DE GESTÃO JUNTA DE FREGUESIA DE RONFE - ANO ECONÓMICO DE 2006- ANÁLISE FINAL DO EXERCÍCIO ORÇAMENTAL Ano Económico de 2006 ANÁLISE AOS MAPAS DE CONTROLO ORÇAMENTAL Controlo Orçamental Despesa

Leia mais

Documentos de Prestação de Contas

Documentos de Prestação de Contas Documentos de Prestação de Contas E DOCUMENTOS ANEXOS Segundo a Resolução nº04/2001-2ª Secção APROVAÇÃO Câmara Municipal - Reunião de / / Assembleia Municipal - Sessão de / / ACÓRDÃO DO TRIBUNAL DE CONTAS

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS 2010 Nº do Dimensão Data de Designação documento em bytes criação 53,4 KB 08/04/2011 24,6 KB 08/04/2011 72,2 KB 29/04/2011

PRESTAÇÃO DE CONTAS 2010 Nº do Dimensão Data de Designação documento em bytes criação 53,4 KB 08/04/2011 24,6 KB 08/04/2011 72,2 KB 29/04/2011 PRESTAÇÃO DE CONTAS 2010 Junto se remetem os Documentos de Prestação de Contas referentes à Gerência de 2010, organizados em conformidade com o POCAL e de acordo com a Resolução n.º 04/2001 2.ª Secção,

Leia mais

Orçamento e Plano Plurianual de Investimentos

Orçamento e Plano Plurianual de Investimentos Contribuinte nº 506 811 875 Orçamento e Plano Plurianual de Investimentos Ano Económico 2015 Aprovado em reunião da Junta de Freguesia em / / Aprovado em reunião da Assembleia de Freguesia em / / ORÇAMENTO

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA. Nota Introdutória

JUNTA DE FREGUESIA DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA. Nota Introdutória Nota Introdutória No momento da feitura das Grandes Opções do Plano e Orçamento, da responsabilidade do actual Executivo, para o próximo ano de 2011, várias são as dúvidas que nos assaltam, nomeadamente

Leia mais

OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO

OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO MUNICÍPIO DE PAREDES DE COURA OPÇÕES DO PLANO E ORÇAMENTO APROVAÇÕES Câmara Municipal Assembleia Municipal ANO FINANCEIRO DE 2015 MUNICÍPIO DE PAREDES DE COURA INFORMAÇÃO Nos termos do nº 1 do art.º 50º

Leia mais

Fluxos de Caixa. Recebimentos

Fluxos de Caixa. Recebimentos Recebimentos Saldo da Gerência Anterior 393.778,77 Total das Receitas Orçamentais Execução Orçamental 263.966,97 Operações de Tesouraria 129.811,80 16.355.231,25 Receitas Correntes 12.596.773,53 01 Impostos

Leia mais

Instituto Politécnico de Viseu

Instituto Politécnico de Viseu Instituto Politécnico de Viseu Ano:2010 7.3-Fluxos de Caixa Consolidado Nota Código PAGAMENTOS Total 2010 Total 2009 explicativa Capº Grupo Artº Despesas de fundos próprios Despesas orçamentais Class.

Leia mais

Orçamento para o ano de 2010 do Conselho de Deontologia do Porto

Orçamento para o ano de 2010 do Conselho de Deontologia do Porto Orçamento para o ano de 2010 do Conselho de Deontologia do Porto 1. Pressupostos relativos às Receitas/Proveitos do Conselho de Deontologia do Porto Receitas Próprias O Conselho de Deontologia não dispõe

Leia mais

Nº do. Dimensão em Designação documento. Data de criação. bytes

Nº do. Dimensão em Designação documento. Data de criação. bytes PRESTAÇÃO DE CONTAS 2008 Junto se remetem os Documentos de Prestação de Contas referentes à Gerência de 2008, organizados em conformidade com o POCAL e de acordo com a Resolução n.º 04/2001 2.ª Secção,

Leia mais

BALANCETE CONTAS PLANO1 (Formato Pré-definido #2)

BALANCETE CONTAS PLANO1 (Formato Pré-definido #2) : (0) / 16 PARÂMETROS: Período Contabilístico Contas Plano1 entre Grau entre Contas Falsas Contas Lançamento (L) Contas c/ Quantidades (Q) Contas c/ Divisas (V) Contas Lancam/ Externo (T) Contas Estatísticas

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS 2010 5 ANÁLISE ORÇAMENTAL

RELATÓRIO E CONTAS 2010 5 ANÁLISE ORÇAMENTAL 5 ANÁLISE ORÇAMENTAL 1 PRINCIPAIS DESTAQUES [Indicadores] Indicadores 2009 RECEITA Crescimento da Receita Total -18,8 19,8 Receitas Correntes / Receitas Totais 76,1 61 Crescimento das Receitas Correntes

Leia mais

Valores estimados PAF. Justificação em PAF (acumulado) 2011 2012 total 2013 2014

Valores estimados PAF. Justificação em PAF (acumulado) 2011 2012 total 2013 2014 QUADRO I: SÍNTESE DA SITUAÇÃO FINANCEIRA ATUAL E PREVISÕES DE EVOLUÇÃO Município: Miranda do Douro 31-12-214 estimados estimados / Apurados / Apurados 213 212 (acumulado) 211 212 total 213 214 Apurados

Leia mais

FLUXOS DE CAIXA PERÍODO DE 2011/01/01 A 2011/12/31. Modelo de acordo com a Instrução n.º 1/2004 do Tribunal de Contas CÓDIGO PAGAMENTOS CÓDIGO

FLUXOS DE CAIXA PERÍODO DE 2011/01/01 A 2011/12/31. Modelo de acordo com a Instrução n.º 1/2004 do Tribunal de Contas CÓDIGO PAGAMENTOS CÓDIGO Despesas de fundos próprios: Saldo da gerência anterior: Dotações orçamentais (OE): Execução orçamental - Fundos próprios: Correntes: De dotações orçamentais (OE) INML, I.P. Sede De receitas próprias:

Leia mais

5 Análise Orçamental RELATÓRIO E CONTAS

5 Análise Orçamental RELATÓRIO E CONTAS 5 Análise Orçamental RELATÓRIO E CONTAS 1 PRINCIPAIS DESTAQUES [Indicadores] Indicadores 2010 2011 RECEITA Crescimento da Receita Total 19,8 3,7 Receitas Correntes / Receita Total 61 67,2 Crescimento das

Leia mais

documentos DEprest ação cont as

documentos DEprest ação cont as documentos DEprest ação DE cont as 2013 Índice Índice: 5. Balanço 5.1 Balanço 6. Demonstração de Resultados 6.1 Demonstração de Resultados 7. Mapas de Execução Orçamental. 7.3 Mapas de Controlo Orçamental.

Leia mais

Orçamento de Estado 2015

Orçamento de Estado 2015 Orçamento de Estado 2015 Programa Orçamental da Saúde 03 de novembro de 2014 Orçamento da saúde Evolução do Orçamento do SNS Evolução do Orçamento do SNS Indicador OE 2014 OE 2015 Variação em pp. Despesa

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIREÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO 6ª DELEGAÇÃO DE CONTABILIDADE

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIREÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO 6ª DELEGAÇÃO DE CONTABILIDADE 6ª DELEGAÇÃO DE CONTABILIDADE Alterações orçamentais autorizadas, no trimestre a seguir indicado, ao abrigo do artigo 51.º da Lei n.º 91/21, de 20 de Agosto, alterada pela Lei n.º 52/, de 13 de Outubro,

Leia mais

DE 1 DE JANEIRO DE 2014 A 31 DE DEZEMBRO DE

DE 1 DE JANEIRO DE 2014 A 31 DE DEZEMBRO DE CONTA DE GERÊNCIA DE 1 DE JANEIRO DE 2014 A 31 DE DEZEMBRO DE 2014 UNIVERSIDADE DOS AÇORES Relatório de contas Ponta Delgada, Abril de 2015 I INTRODUÇÃO O presente capítulo incide sobre a análise da execução

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS 2007 O Órgão Executivo; O Órgão Deliberativo;

PRESTAÇÃO DE CONTAS 2007 O Órgão Executivo; O Órgão Deliberativo; PRESTAÇÃO DE CONTAS 2007 Junto se remetem os Documentos de Prestação de Contas referentes à Gerência de 2007, organizados em conformidade com o POCAL e de acordo com a Resolução n.º 04/2001 2.ª Secção,

Leia mais

ENTIDADE ORÇAMENTO DA DESPESA DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DE LOULE ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DO ANO 2013

ENTIDADE ORÇAMENTO DA DESPESA DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DE LOULE ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DO ANO 2013 ENTIDADE ORÇAMENTO DA DESPESA DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DE LOULE ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DO ANO 2013 PÁGINA : 1 01 ASSEMBLEIA MUNICIPAL 31.800,00 D E S P E S A S C O R R E N T E S 31.800,00

Leia mais

F L U X O S D E C A I X A ANO 2010 ENTIDADE CM AMADORA MUNICIPIO DA AMADORA Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2010/12/31 R E C E B I M E N T O S

F L U X O S D E C A I X A ANO 2010 ENTIDADE CM AMADORA MUNICIPIO DA AMADORA Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2010/12/31 R E C E B I M E N T O S 15:10 2011/06/09 Fluxos de caixa Pag. 1 ENTIDADE CM AMADORA MUNICIPIO DA AMADORA Pág. 1 PERÍODO JANEIRO A DEZEMBRO - 2010/12/31 R E C E B I M E N T O S SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR... 54.683.639,20 EXECUÇÃO

Leia mais

Freguesia. Foz do Arelho. Município de Caldas da Rainha ORÇAMENTO RECEITA E DESPESA PARA O ANO FINANCEIRO DE 2003 APROVADO

Freguesia. Foz do Arelho. Município de Caldas da Rainha ORÇAMENTO RECEITA E DESPESA PARA O ANO FINANCEIRO DE 2003 APROVADO Freguesia de Foz do Arelho Município de Caldas da Rainha ORÇAMENTO DA RECEITA E DESPESA PARA O ANO FINANCEIRO DE 2003 APROVADO PELA JUNTA DE FREGUESIA Em reunião de PELA ASSEMBLEIA DE FREGUESIA Em sessão

Leia mais

Fluxos de Caixa. Recebimentos

Fluxos de Caixa. Recebimentos Recebimentos Saldo da Gerência Anterior 310.276,31 Total das Receitas Orçamentais Execução Orçamental 103.137,41 Operações de Tesouraria 207.138,90 6.794.667,86 Receitas Correntes 5.881.296,87 01 Impostos

Leia mais

FLUXOS DE CAIXA PERÍODO DE 2013/01/01 A 2013/12/31. Modelo de acordo com a Instrução n.º 1/2004 do Tribunal de Contas CÓDIGO PAGAMENTOS CÓDIGO

FLUXOS DE CAIXA PERÍODO DE 2013/01/01 A 2013/12/31. Modelo de acordo com a Instrução n.º 1/2004 do Tribunal de Contas CÓDIGO PAGAMENTOS CÓDIGO Despesas de fundos próprios: Saldo da gerência anterior: Dotações orçamentais (OE): Execução orçamental - Fundos próprios: Correntes: De dotações orçamentais (OE) INMLCF, I.P. Sede De receitas próprias:

Leia mais

Relatório Semestral de Acompanhamento

Relatório Semestral de Acompanhamento 4.º relatório semestral Relatório Semestral de Acompanhamento 1º semestre 2012 Município de Mondim de Basto julho de 2012 1 ÍNDICE I. Introdução...3 II. Execução do Plano de Contenção de Despesa Corrente...4

Leia mais

Município de Mortágua

Município de Mortágua Município de Mortágua Documentos de Prestação de Contas Balanço Demonstração de Resultados Mapas de Execução Orçamental Anexos às Demonstrações Financeiras Relatório de Gestão 2004 Índice Índice: 5. Balanço

Leia mais

Mapa de Fluxos de Caixa

Mapa de Fluxos de Caixa RECEBIMENTOS Saldo da Gerência Anterior 1.243.835,16 Execução Orçamental 1.090.463,60 Operações de Tesouraria 153.371,56 Receitas Orçamentais 18.346.140,09 01 IMPOSTOS DIRECTOS 4.120.643,81 0102 Outros

Leia mais

Documentos de Prestação de Contas

Documentos de Prestação de Contas Documentos de Prestação de Contas E DOCUMENTOS ANEXOS Segundo a Resolução nº04/2001-2ª Secção APROVAÇÃO Câmara Municipal - Reunião de / / Assembleia Municipal - Sessão de / / ACÓRDÃO DO TRIBUNAL DE CONTAS

Leia mais

Plano de Atividades 2014

Plano de Atividades 2014 . Introdução Após o início da aplicabilidade do Plano de Austeridade implementado pelo governo, a cada ano torna-se mais difícil o cumprimento dos programas de políticas de proximidade dos nossos fregueses,

Leia mais

Modelo de Financiamento Município de MATOSINHOS. Junho 2014

Modelo de Financiamento Município de MATOSINHOS. Junho 2014 Modelo de Financiamento Município de MATOSINHOS Junho 2014 Reforçar a Confiança Objetivo: promover a eficácia e eficiência da gestão dos recursos educativos e contribuir para uma maior transparência e

Leia mais

ORGÂNICA ECONÓMICA D E S I G N A Ç Ã O ORGÂNICA ECONÓMICA

ORGÂNICA ECONÓMICA D E S I G N A Ç Ã O ORGÂNICA ECONÓMICA ENTIDADE MUNICIPIO DE MOGADOURO ORÇAMENTO DA DESPESA ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DOTAÇÕES INICIAIS DO ANO 2009 PÁGINA : 1 01 01.01 ADMINISTRACAO MUNICIPAL OPERACOES FINANCEIRAS 5.094.863,00

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS DO EXERCÍCIO 2013

PRESTAÇÃO DE CONTAS DO EXERCÍCIO 2013 CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO PARANÁ PRESTAÇÃO DE CONTAS DO EXERCÍCIO 2013 Prestação de Contas do Exercício de 2013 CRM-PR Saldo do exercício de 2012 R$ 5.487.745,60 Arrecadação no exercício de 2013

Leia mais

câmara municipal prestação de contas 2010

câmara municipal prestação de contas 2010 prestação de contas 2010 1 ÍNDICE Mapa de Controlo orçamental da receita ------------------------------------------------------- 2 Mapa de controlo orçamental da despesa -----------------------------------------------------

Leia mais

ANO 2006 ENTIDADE CMVM - MUNICIPIO DE VIEIRA DO MINHO PÁG. 1. (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) ( 10 = 7-9 ) (11=4+5-6-7) (12)a

ANO 2006 ENTIDADE CMVM - MUNICIPIO DE VIEIRA DO MINHO PÁG. 1. (1) (2) (3) (4) (5) (6) (7) (8) (9) ( 10 = 7-9 ) (11=4+5-6-7) (12)a MAPA DO CONTROLO ORÇAMENTAL DA RECEITA ANO 2006 ENTIDADE CMVM - MUNICIPIO DE VIEIRA DO MINHO PÁG. 1 CLA SIFICAÇÃO ECONÓMICA PREVISÕES RECEITAS POR RECEITAS LIQUIDAÇÕES RECEITAS REEMBOLSOS/RESTITUIÇÕES

Leia mais

ORÇAMENTO PARA 2013. QUADRO DE RENDIMENTOS (De 1 de Janeiro a 31 de Dezembro de 2013)

ORÇAMENTO PARA 2013. QUADRO DE RENDIMENTOS (De 1 de Janeiro a 31 de Dezembro de 2013) 012345670 89 QUADRO DE RENDIMENTOS FACTOR VALOR TOTAL DAS CONTAS DA 1 RENDIMENTO DE BENS PRÓPRIOS Patrocínios e Publicidade 757.489 724 Prestações de Serviços - Patrocínios 757.489 2 INSCRIÇÕES E TAXAS

Leia mais

ANEXO PE, EXERCÍCIO ECONÓMICO DE 2010

ANEXO PE, EXERCÍCIO ECONÓMICO DE 2010 ANEXO PE, EXERCÍCIO ECONÓMICO DE 2010 1 Identificação da entidade 1.1 Designação da entidade APOTEC Associação Portuguesa de Técnicos de Contabilidade 1.2 Sede Rua Rodrigues Sampaio, 50-3º-Esq. 1169-029

Leia mais