REGULAMENTO Art. 1º 1º- entende-se como beneficiários descendentes de primeiro grau em linha reta ascendentes de primeiro grau em linha reta 2º-

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO Art. 1º 1º- entende-se como beneficiários descendentes de primeiro grau em linha reta ascendentes de primeiro grau em linha reta 2º-"

Transcrição

1 REGULAMENTO Art. 1º - O programa de Assistência Jurídica da Asttter é de utilização exclusiva dos associados titulares e seus beneficiários a quem concederem autorização. 1º- Para fins deste regulamento, entende-se como beneficiários: I - Os descendentes de primeiro grau em linha reta (filhos) menores de 18 (dezoito) anos, ou até 24 (vinte e quatro) anos desde que em fase escolar; II - Os ascendentes de primeiro grau em linha reta (pais), desde que declarados pelo associado titular como seus dependentes à Receita Federal, na declaração de imposto de renda protocolizada do ano calendário anterior a solicitação de atendimento. III O cônjuge ou companheiro (a), este último se devidamente comprovada a união através de Escritura Pública de União Estável ou decisão judicial. IV Curatelados e tutelados do associado titular. 2º- Sendo autorizado pelo associado titular o atendimento jurídico aos seus beneficiários elencados no parágrafo primeiro, ficam cientes de que em eventuais ações futuras que estes (associado titular e beneficiários) litigarem em pólos contrários, impedirá a atuação dos procuradores contratados pela associação em benefício de qualquer uma das partes mencionadas. 3º- Nas hipóteses de demanda de associado contra seu próprio beneficiário, o atendimento só poderá ser prestado ao associado titular, respeitado o previsto no parágrafo anterior. Art. 2º - É vedado o patrocínio de feitos, nas seguintes situações: I Associado ou beneficiário contra outro associado ou beneficiário; II- Feitos nos quais a Asttter figure, de qualquer maneira, no pólo passivo;

2 III- Feitos na Justiça do Trabalho, exceto aqueles nos quais a Asttter figure como substituto processual; IV Feitos na área criminal; V Procedimentos Administrativos e Judiciais junto ao DETRAN; VI Procedimentos Administrativos junto a Secretaria de Estado de Fazenda; VII Demandas cujo valor da causa não alcance o mínimo de R$1.000,00 (mil reais); salvo situações em que o proveito econômico possa exceder o referido valor, o que será avaliado pelo Departamento Jurídico da Asttter. VIII Feitos em nome de pessoa(s) jurídica(s), ainda que conste o associado titular e beneficiários como sócio. Art. 3º - O patrocínio de causas nas quais o associado figure em litisconsórcio será feita a cobrança de honorários segundo a tabela da OAB, sendo abatida sua cota parte proporcional ao número de associados que figure na ação, inclusive inventário. Art. 4º - O acompanhamento de feitos já em andamento que o associado figure como parte só pode se dar se o mandato for conferido com, no mínimo, 10 (dez) dias de antecedência da próxima providência, salvo medidas emergenciais avaliadas pelo advogado responsável. Parágrafo único. Para atendimento de feitos já em andamento em que o associado figure como parte, faz-se necessária apresentação de renúncia do antigo procurador ou substabelecimento. Art. 5º - Se não houver pedido de assistência judiciária ou este for negado ou impugnado, as custas, despesas processuais e taxas correrão exclusivamente por conta do associado, devendo as mesmas serem satisfeitas com tempo hábil para o cumprimento do ato processual, e nos casos de urgência, a associação poderá arcar com os respectivos valores, apresentando seus comprovantes posteriormente, para reembolso mediante débito, em conta cadastrada na Asttter, juntamente com o valor da mensalidade.

3 Parágrafo Único. A não quitação dos valores devidos, previstos no artigo anterior, dentro do prazo de 30 (trinta) dias contados da data da solicitação de pagamento ou de reembolso, implicará o previsto no 2º do artigo 14º deste regulamento. Art. 6º - Na eventualidade da existência de ônus de sucumbência, estes correrão por conta do associado. Na hipótese, porém, de honorários arbitrados em caso de sucesso, estes caberão aos procuradores contratados pela Asttter. Art. 7º - O programa de Assistência Jurídica da Asttter se reserva o direito de não receber casos com clara probabilidade de insucesso, a critério do advogado em decisão fundamentada. Parágrafo Único. Da decisão de recusa do caso, por parte do advogado, caberá recurso à Diretoria da Asttter. Art. 8º - Incumbe ao associado ou beneficiário o fornecimento de todos os documentos e informações necessários à instrução da defesa de seus direitos. Art. 9º - Após realizada a consulta jurídica, o cliente que, comunicado da necessidade de alguma providência, não a tomar no prazo determinado pelo advogado, terá seu feito arquivado e, se já em andamento, os procuradores contratados pela Asttter procederão à renúncia dos poderes concedidos naquele feito. Parágrafo Único. Ressalta-se que o tempo de duração de cada consulta jurídica será de no máximo 60 (sessenta) minutos, contados a partir do horário agendado. Art. 10º - O associado que tiver casos arquivados pelos motivos citados no artigo anterior por 3 (três) vezes ficará suspenso da utilização dos recursos

4 oferecidos pela Assistência Jurídica da Asttter pelo período de 365 (trezentos e sessenta e cinco) dias. Art. 11º - Só serão atendidos casos cujo foro seja o da comarca de domicílio ou trabalho do associado, desde que no Estado de Minas Gerais. 1º- Despesas com deslocamento do advogado e, ou estagiário, para acompanhamento ou atuação nos processos de comarca diferente de Belo Horizonte aplicar-se-á o art.5º deste regulamento. 2º- A possibilidade do advogado, e ou estagiário, diligenciar os processos junto aos órgãos judiciários das comarcas fora de Belo Horizonte dependerá da disponibilidade de sua agenda de prazos, consultas e audiências. 3º- Sendo determinadas pelo juízo diligências fora do foro do processo, aplicar-se-á o art.5º deste regulamento, para o que se fizer necessário ao cumprimento dessas diligências, inclusive, contratação de procurador para comparecimento em audiências em carta precatória, sem que este rol seja taxativo. Art. 12º - A utilização do atendimento da Assistência Jurídica Gratuita da Asttter é limitada ao número de 02 (duas) demandas por ano para cada usuário. Parágrafo Único. Entende-se como demandas qualquer atuação feita pelos procuradores contratados pela Asttter, seja na formulação de documentos, pareceres, contratos ou ações judiciais. Art. 13º - Os procuradores contratados pela Asttter terão os seguintes prazos para o atendimento ao associado: I Agendamento de reunião para novos feitos: Mínimo de 10 (dez) dias da data da solicitação, salvo medidas emergenciais avaliadas pelo advogado responsável; II Agendamento de reunião para feitos em andamento que foram iniciados pelos advogados contratados pela Asttter: Mínimo de 15

5 (quinze) dias da data da solicitação, salvo medidas emergenciais avaliadas pelo advogado responsável. III Feitos já em andamento que o associado figure como parte: Mínimo, de 10 (dez) dias de antecedência da próxima providência e desde que respeitado o art.4º e seu parágrafo único, salvo medidas emergenciais avaliadas pelo advogado responsável. IV Formulação e distribuição da Peça Inicial, contratos ou pareceres jurídicos: Máximo de 30 (trinta) dias contados da data de entrega de toda a documentação solicitada no primeiro atendimento, salvo casos em que o advogado, por sua complexidade, necessitar de maior dedicação, o que será informado na consulta. Parágrafo Único. Os prazos para formulação de peças em processos já em andamentos, por serem regulados por legislação própria, dependerão desta legislação para seu cumprimento. Art. 14º - Somente os associados adimplentes com a associação podem utilizar-se da Assistência Jurídica. 1º A inadimplência financeira do associado implica a imediata suspensão de seu atendimento, e, ou do atendimento de seus beneficiários, através da Assistência Jurídica da Asttter. 2º A inadimplência financeira do associado titular junto a Asttter, por prazo superior a 30(trinta) dias, implicará na renúncia aos poderes outorgados aos procuradores contratados pela Asttter em todos e quaisquer feitos já em andamento para com ele, e ou seus beneficiários, bem como sujeitará o associado ao processo judicial de cobrança cabível. 3º Em caso de acordo para regularização da situação financeira do associado, o atendimento, para com ele e ou seus beneficiários, através da Assistência Jurídica da Asttter, para novas demandas, ficará suspensa até cumprimento integral do mencionado acordo.

6 4º Em caso de reincidência de inadimplência financeira, o associado titular e seus beneficiários serão excluídos do programa de Assistência Jurídica da Asttter. Art. 15º- Os casos omissos serão resolvidos pela diretoria da Asttter. Belo Horizonte, 01 de abril de Asttter Associação dos Servidores do Tribunal do Trabalho da Terceira Região

RESOLUÇÃO Nº 01/2009

RESOLUÇÃO Nº 01/2009 RESOLUÇÃO Nº 01/2009 Estabelece critérios para aprovação de solicitação de capacitação, treinamento e qualificação dos Servidores Técnico-Administrativos em Educação, Menores do convênio da Cruz Vermelha

Leia mais

PLANO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA

PLANO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA PLANO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA 1. DOS SERVIÇOS PRESTADOS O Escritório de Advocacia DALCIN E COUTINHO ADVOGADOS ASSOCIADOS devidamente registrada na OAB, Seção do Distrito Federal, sob o n.º 2.388/14 RS

Leia mais

AÇÃO PARA RESTITUIÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA DE 3,2% (ASSISTÊNCIA MÉDICA) SOBRE O 13º SALÁRIO

AÇÃO PARA RESTITUIÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA DE 3,2% (ASSISTÊNCIA MÉDICA) SOBRE O 13º SALÁRIO AÇÃO PARA RESTITUIÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA DE 3,2% (ASSISTÊNCIA MÉDICA) SOBRE O 13º SALÁRIO Trata-se de ação para restituição da contribuição previdenciária de 3,2% (assistência médica) taxada

Leia mais

AÇÃO DE CORREÇÃO DA VANTAGEM PESSOAL DOS EX-MINASCAIXA

AÇÃO DE CORREÇÃO DA VANTAGEM PESSOAL DOS EX-MINASCAIXA AÇÃO DE CORREÇÃO DA VANTAGEM PESSOAL DOS EX-MINASCAIXA Trata-se de ação judicial que o SINDPÚBLICOS MG irá ajuizar na Justiça Estadual visando o reconhecimento do direito ao reajuste da vantagem pessoal

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CENTRO ESPORTIVO UNIVERSITÁRIO REGULAMENTO INTERNO TÍTULO I DO CENTRO ESPORTIVO UNIVERSITÁRIO TÍTULO II OBJETIVOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CENTRO ESPORTIVO UNIVERSITÁRIO REGULAMENTO INTERNO TÍTULO I DO CENTRO ESPORTIVO UNIVERSITÁRIO TÍTULO II OBJETIVOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CENTRO ESPORTIVO UNIVERSITÁRIO REGULAMENTO INTERNO TÍTULO I DO CENTRO ESPORTIVO UNIVERSITÁRIO Art.lº - O CEU - Centro Esportivo Universitário, Órgão suplementar da

Leia mais

REGULAMENTO DE APOIO À PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS TÍTULO I DA NATUREZA E DA FINALIDADE

REGULAMENTO DE APOIO À PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS TÍTULO I DA NATUREZA E DA FINALIDADE REGULAMENTO DE APOIO À PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS TÍTULO I DA NATUREZA E DA FINALIDADE Art. 1º Este regulamento estabelece critérios e procedimentos referentes à concessão de apoio institucional

Leia mais

PESQUISA FUNDEPES CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 003/2015

PESQUISA FUNDEPES CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 003/2015 FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA DE DESENVOLVIMENTO DE EXTENSÃO E PESQUISA FUNDEPES CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 003/2015 DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DE SUPRIMENTO DE FUNDOS PELA FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

EDITAL Nº 04 / 2016 NPJ

EDITAL Nº 04 / 2016 NPJ EDITAL Nº 04 / 2016 NPJ A Coordenação do Núcleo de Prática Jurídica, no uso de suas atribuições regimentais, torna pública a regulamentação da VALIDAÇÃO do ESTÁGIO SUPERVISIONADO, para o ano letivo de

Leia mais

ORIENTAÇÕES OPERACIONAIS RN 412/16 CANCELAMENTOS DE PLANOS DE SAÚDE

ORIENTAÇÕES OPERACIONAIS RN 412/16 CANCELAMENTOS DE PLANOS DE SAÚDE ORIENTAÇÕES OPERACIONAIS RN 412/16 CANCELAMENTOS DE PLANOS DE SAÚDE Foi publicada no Diário Oficial da União - DOU de 11/11/16 a RN 412/16 que dispõe sobre a solicitação de cancelamento do contrato do

Leia mais

AÇÃO DE DESVIO DE FUNÇÃO (SERVIDORES DO IPEM)

AÇÃO DE DESVIO DE FUNÇÃO (SERVIDORES DO IPEM) AÇÃO DE DESVIO DE FUNÇÃO (SERVIDORES DO IPEM) Trata-se de uma ação que o SINDPÚBLICOS - MG irá ajuizar na Justiça Estadual, visando o pagamento da diferença salarial entre o cargo efetivo do servidor e

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE NEPOMUCENO

PREFEITURA MUNICIPAL DE NEPOMUCENO Nepomuceno, 13 de novembro de 2015. MENSAGEM Nº 030/2015 Exmo. Sr. Francisco Ricardo Gattini DD. Presidente da Câmara Municipal de NEPOMUCENO MG Senhor Presidente, Com meus cordiais e respeitosos cumprimentos,

Leia mais

AÇÃO JORNADA DE TRABALHO NA CIDADE ADMINISTRATIVA

AÇÃO JORNADA DE TRABALHO NA CIDADE ADMINISTRATIVA AÇÃO JORNADA DE TRABALHO NA CIDADE ADMINISTRATIVA Trata-se de uma ação que o SINDPÚBLICOS - MG irá ajuizar na Justiça Estadual, para os servidores públicos ativos que não trabalham na Cidade Administrativa

Leia mais

Regulamento nº 02/ Utilização de Churrasqueiras

Regulamento nº 02/ Utilização de Churrasqueiras CLUBE DOS OFICIAIS DO CBMDF Regulamento nº 02/2015 - Utilização de Churrasqueiras Art. 1º - Este regulamento disciplina a utilização das instalações das churrasqueiras do Clube dos Oficiais do Corpo de

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04 CAGV/IFMG/SETEC/MEC DE 15 DE DEZEMBRO DE 2016.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04 CAGV/IFMG/SETEC/MEC DE 15 DE DEZEMBRO DE 2016. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04 CAGV/IFMG/SETEC/MEC DE 15 DE DEZEMBRO DE 2016. Dispõe sobre regulamentação de normas e procedimentos para realização de eventos acadêmicos e administrativos, cerimonial e protocolo

Leia mais

AÇÃO TABELA DOS AGENTES DE SEGURANÇA PENITENCIÁRIO

AÇÃO TABELA DOS AGENTES DE SEGURANÇA PENITENCIÁRIO AÇÃO TABELA DOS AGENTES DE SEGURANÇA PENITENCIÁRIO Trata-se de uma ação a ser ajuizada na Justiça Estadual, com a finalidade de obter a retificação do posicionamento dos servidores nos níveis subseqüentes,

Leia mais

Estágio Supervisionado I

Estágio Supervisionado I Estágio Supervisionado I 5ª etapa TRABALHO Nº 01 Ativ. Acomp. e Obs. em Órgãos Públicos Ministério Público Estadual ou Federal TRABALHO Nº 02 Ativ. Acomp. e Obs. em Órgãos Públicos Advocacia Geral da União

Leia mais

DEPARTAMENTO JURÍDICO

DEPARTAMENTO JURÍDICO DEPARTAMENTO JURÍDICO Sempre visando a melhor prestação de serviços aos seus sindicalizados, o Departamento Jurídico do SINTELPOL está intensificando sua área de atuação, oferecendo, além da assistência

Leia mais

2º O advogado dativo será nomeado para prestar assistência até o final do processo, salvo nos casos fundamentadamente justificados pelo juiz.

2º O advogado dativo será nomeado para prestar assistência até o final do processo, salvo nos casos fundamentadamente justificados pelo juiz. LEI N. 3.165, DE 2 DE SETEMBRO DE 2016 Estabelece critérios para a nomeação, remuneração e pagamento de advogados dativos nos processos que não puderem ser assistidos pela Defensoria Pública do Estado

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO SÃO LUÍS CURSO DE DIREITO CALENDÁRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1º SEMESTRE DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I 3º.

FACULDADE DE EDUCAÇÃO SÃO LUÍS CURSO DE DIREITO CALENDÁRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1º SEMESTRE DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I 3º. 20-02-16 Sábado 08:30h 02-04-16 - Sábado 08:30h ESTÁGIO SUPERVISIONADO I 3º. Período * As aulas práticas têm início às 08:30h, impreterivelmente, não sendo tolerados atrasos. A aprovação. Em caso de reprovação

Leia mais

REGULAMENTO. Art. 1 - Têm direito à Assistência Social, os associados e seus dependentes, nas condições previstas neste Regulamento.

REGULAMENTO. Art. 1 - Têm direito à Assistência Social, os associados e seus dependentes, nas condições previstas neste Regulamento. www.securitariosp.org.br SINDICATO DOS SECURITÁRIOS DO ESTADO DE SÃO PAULO REGULAMENTO Art. 1 - Têm direito à Assistência Social, os associados e seus dependentes, nas condições previstas neste Regulamento.

Leia mais

DECRETO RIO Nº DE 09 DE JULHO DE O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais,

DECRETO RIO Nº DE 09 DE JULHO DE O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais, DECRETO RIO Nº 40354 DE 09 DE JULHO DE 2015 Regulamenta a Lei nº 5.854, de 27 de abril de 2015, que institui o Programa Concilia Rio. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições

Leia mais

COLETA DE PREÇOS nº 01/2014

COLETA DE PREÇOS nº 01/2014 COLETA DE PREÇOS nº 01/2014 1. PREÂMBULO 1.1. A ASSOCIAÇÃO MUSEU AFRO BRASIL, torna pública a realização de Seleção de Fornecedores na modalidade Coleta de Preços, pelo critério de menor preço, objetivando

Leia mais

AÇÃO DE PROMOÇÃO POR ESCOLARIDADE ADICIONAL PARA TFAZ COM CURSO SUPERIOR E PÓS- GRADUAÇÃO

AÇÃO DE PROMOÇÃO POR ESCOLARIDADE ADICIONAL PARA TFAZ COM CURSO SUPERIOR E PÓS- GRADUAÇÃO AÇÃO DE PROMOÇÃO POR ESCOLARIDADE ADICIONAL PARA TFAZ COM CURSO SUPERIOR E PÓS- GRADUAÇÃO Trata-se de uma ação que o SINDPÚBLICOS - MG irá ajuizar na Justiça Estadual para os servidores detentores do cargo

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 211/2014.

PROJETO DE LEI Nº 211/2014. PROJETO DE LEI Nº 211/2014. DISPÕE SOBRE O RATEIO DE HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS AOS SERVIDORES OCUPANTES DO CARGO DE PROVIMENTO EFETIVO DE ADVOGADO MUNICIPAL, ESPECIALIDADE PROCURADOR MUNICIPAL E DÁ OUTRAS

Leia mais

PORTARIA ANP Nº 202, DE DOU REPUBLICADA DOU

PORTARIA ANP Nº 202, DE DOU REPUBLICADA DOU PORTARIA ANP Nº 202, DE 30.12.1999 - DOU 31.12.1999 - REPUBLICADA DOU 3.5.2004 Estabelece os requisitos a serem cumpridos para acesso a atividade de distribuição de combustíveis líquidos derivados de petróleo,

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA ANALISE DE CRÉDITO IMÓVEL IMÓVEL URBANO 1ª ETAPA - DOCUMENTOS CONSORCIADO PESSOA JURÍDICA

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA ANALISE DE CRÉDITO IMÓVEL IMÓVEL URBANO 1ª ETAPA - DOCUMENTOS CONSORCIADO PESSOA JURÍDICA do Cartão de CNPJ Inscrição Estadual ou Municipal IMÓVEL URBANO 1ª ETAPA - DOCUMENTOS CONSORCIADO PESSOA JURÍDICA Contrato Social e sua última alteração ou Estatuto de Constituição Comprovante de renda

Leia mais

AÇÃO HORA TRABALHADA (SECRETARIAS DIVERSAS)

AÇÃO HORA TRABALHADA (SECRETARIAS DIVERSAS) AÇÃO HORA TRABALHADA (SECRETARIAS DIVERSAS) Trata-se de ação que o SINDPÚBLICOS - MG vai ajuizar na Justiça Estadual, pleiteando o direito dos servidores que não tiveram a opção pela jornada de 40 horas,

Leia mais

CAPÍTULO II Fornecedores SEÇÃO I Qualificação de fornecedores de produtos e insumos

CAPÍTULO II Fornecedores SEÇÃO I Qualificação de fornecedores de produtos e insumos REGULAMENTO PRÓPRIO PARA CONTRATAÇÃO DE OBRAS, SERVIÇOS E COMPRAS COM RECURSOS PROVENIENTES DO PODER PÚBLICO. CONSIDERANDO a necessidade de estabelecer normas de padronização para aquisição de materiais,

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA Nº 155 /2008

PORTARIA NORMATIVA Nº 155 /2008 Publicada no DOE de 05/11/2008 CENTRO DE ATENDIMENTO SOCIOEDUCATIVO AO ADOLESCENTE PORTARIA NORMATIVA Nº 155 /2008 A PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO CENTRO DE ATENDIMENTO SÓCIO-EDUCATIVO AO ADOLESCENTE FUNDAÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 01/ CEFID

RESOLUÇÃO Nº 01/ CEFID RESOLUÇÃO Nº 01/2014 - CEFID Dispõe sobre as normas de funcionamento da Academia-Escola Dolermi Inês Gomes Bastiani. O Presidente do Conselho de Centro - CONCEFID do Centro do Ciencias da Saúde e Esporte

Leia mais

REGULAMENTO. CONSIDERANDO que o Programa de Colaborador Voluntário deve estar adequado à missão e aos objetivos da Instituição;

REGULAMENTO. CONSIDERANDO que o Programa de Colaborador Voluntário deve estar adequado à missão e aos objetivos da Instituição; REGULAMENTO Estabelece normas para o Programa de Colaborador Voluntário no âmbito do O INSTITUTO OSWALDO CRUZ, no uso de suas atribuições legais e estatutárias e, CONSIDERANDO a Portaria do nº 045/2016

Leia mais

MANUAL DE ASSISTÊNCIAS PROTEÇÃO VIDA PREMIADO

MANUAL DE ASSISTÊNCIAS PROTEÇÃO VIDA PREMIADO S PROTEÇÃO VIDA PREMIADO Í N D I C E 1. ACIONAMENTO DO SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA.... 2 2. INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE SUA ASSISTÊNCIA 24 HORAS.... 2 3. ASSISTÊNCIA FUNERAL FAMILIAR.... 3 Página 1 de 6 1.

Leia mais

PORTARIA N 003/2014, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014.

PORTARIA N 003/2014, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014. PORTARIA N 003/2014, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014. Dispõe sobre a concessão de Suprimento de Fundos pela Fundação de Educação Tecnológica e Cultural da Paraíba FUNETEC-PB. O SUPERINTENDENTE da Fundação de

Leia mais

ANEXO C - Regulamento da Prática Forense Simulada FAP

ANEXO C - Regulamento da Prática Forense Simulada FAP ANEXO C - Regulamento da Prática Forense Simulada FAP I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - Com o objetivo de proporcionar ao acadêmico de Direito a compreensão e a vivência no que diz respeito ao trâmite

Leia mais

Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado de Minas Gerais

Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado de Minas Gerais AÇÃO PARA PAGAMENTO RETROATIVO DO REPOSICIONAMENTO ENTENDA A AÇÃO: Com a edição dos novos planos de carreira, o Estado de Minas Gerais estipulou a edição de Decreto para o chamado reposicionamento no prazo

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 414/2010 CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO

RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 414/2010 CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 414/2010 CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO Atualizada até a REN 499/2012 Resolução Normativa nº 414 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA - ANEEL A ANEEL consolidou os direitos e deveres

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS. Contrato de prestação de serviços técnicos de profissional autônomo, que entre si fazem:

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS. Contrato de prestação de serviços técnicos de profissional autônomo, que entre si fazem: CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS Contrato de prestação de serviços técnicos de profissional autônomo, que entre si fazem: CONTRATADA: INGRID BERGAMO ME, pessoa jurídica de direito privado

Leia mais

AÇÃO DE CORREÇÃO DO FGTS PELOS PLANOS ECONÔMICOS

AÇÃO DE CORREÇÃO DO FGTS PELOS PLANOS ECONÔMICOS AÇÃO DE CORREÇÃO DO FGTS PELOS PLANOS ECONÔMICOS Trata-se de uma ação que o SINDPÚBLICOS - MG vai ajuizar na Justiça Federal, pedindo a correção dos saldos do FGTS em janeiro de 1989 e abril de 1990, nos

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICIPIO DE PARAISO DO NORTE Avenida Tapejara, 88 Centro - cx. Postal Fone: (44)

PREFEITURA DO MUNICIPIO DE PARAISO DO NORTE Avenida Tapejara, 88 Centro - cx. Postal Fone: (44) LEI Nº 11, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2010. Regulamenta a Concessão de Benefícios Eventuais da Política Municipal de Assistência Social. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE PARAISO DO NORTE Faço saber que a Câmara Municipal

Leia mais

Estado da Bahia. A DESEMBARGADORA IVETE CALDAS FREITAS SILVA MUNIZ, CORREGEDORA-GERAL DA JUSTIÇA E O DESEMBARGADOR

Estado da Bahia. A DESEMBARGADORA IVETE CALDAS FREITAS SILVA MUNIZ, CORREGEDORA-GERAL DA JUSTIÇA E O DESEMBARGADOR PROVIMENTO CONJUNTO Nº CGJ/CCI-011/2013 Dispõe sobre o Serviço de Protocolo Postal no âmbito do Poder Judiciário do Estado da Bahia. A DESEMBARGADORA IVETE CALDAS FREITAS SILVA MUNIZ, CORREGEDORA-GERAL

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense Reitoria PENSÃO POR MORTE DO SERVIDOR

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal Catarinense Reitoria PENSÃO POR MORTE DO SERVIDOR CÓD. CONARQ 026.132 PENSÃO POR MORTE DO SERVIDOR À Diretoria de Gestão de Pessoas: O(a) requerente abaixo assinado(a), dependente do(a) servidor(a): Nome do servidor(a): Falecido em: / / Vem mui respeitosamente

Leia mais

Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado de Minas Gerais

Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado de Minas Gerais AÇÃO CONTRA A FUNDAÇÃO LIBERTAS CORTE PAGAMENTO SUPLEMENTAÇÃO APOSENTADORIA RJU Nos termos do Regulamento da Fundação Libertas, antiga PREVIMINAS, ao participante oriundo da MinasCaixa aposentado por invalidez

Leia mais

INTERVENÇÕES EM PROCESSOS JUDICIAIS E OUTROS PROCEDIMENTOS para efeitos de cumprimento do disposto nos números 1, 2 e 5 do artigo 22º

INTERVENÇÕES EM PROCESSOS JUDICIAIS E OUTROS PROCEDIMENTOS para efeitos de cumprimento do disposto nos números 1, 2 e 5 do artigo 22º INTERVENÇÕES EM PROCESSOS JUDICIAIS E OUTROS PROCEDIMENTOS para efeitos de cumprimento do disposto nos números 1, 2 e 5 do artigo 22º do REGULAMENTO NACIONAL DE ESTÁGIO (Regulamento nº 913 A/2015) A segunda

Leia mais

CONSELHO DELIBERATIVO DA FUNAPE RESOLUÇÃO Nº 04, DE 13 DE JUNHO DE 2002.

CONSELHO DELIBERATIVO DA FUNAPE RESOLUÇÃO Nº 04, DE 13 DE JUNHO DE 2002. CONSELHO DELIBERATIVO DA FUNAPE RESOLUÇÃO Nº 04, DE 13 DE JUNHO DE 2002. CONSOLIDAÇÃO ALTERA A RESOLUÇÃO Nº 02 E TRAZ NOVAS DIRETRIZES PARA AS CONTRATAÇÕES DE PESSOAL PELA FUNDAÇÃO DE APOIO À PESQUISA

Leia mais

NOSSOS BENEFÍCIOS FUNERAL (INDIVIDUAL, FAMILIAR E MULTI-FAMILIAR)

NOSSOS BENEFÍCIOS FUNERAL (INDIVIDUAL, FAMILIAR E MULTI-FAMILIAR) NOSSOS BENEFÍCIOS (INDIVIDUAL, FAMILIAR E MULTI-FAMILIAR) NOSSOS BENEFÍCIOS Definições ABRANGÊNCIA A abrangência desse programa é global (nacional e internacional). COBERTURA Plano Individual: Estará coberto

Leia mais

NORMA PARA PAGAMENTO DE AUXÍLIO FINANCEIRO A BOLSISTA PNPD PARA PARTICIPAÇÃO E/OU PUBLICAÇÃO EM EVENTOS E TRABALHO DE CAMPO

NORMA PARA PAGAMENTO DE AUXÍLIO FINANCEIRO A BOLSISTA PNPD PARA PARTICIPAÇÃO E/OU PUBLICAÇÃO EM EVENTOS E TRABALHO DE CAMPO NORMA PARA PAGAMENTO DE AUXÍLIO FINANCEIRO A BOLSISTA PNPD PARA PARTICIPAÇÃO E/OU PUBLICAÇÃO EM EVENTOS E TRABALHO DE CAMPO Art. 1º - Esta norma estabelece os critérios para o pagamento de auxílio a bolsistas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO N 0 045, DE 02 DE MAIO DE 2012 O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

Leia mais

Altera o Decreto nº , de 10 de dezembro de 1981, para dispor sobre a situação jurídica do estrangeiro na República Federativa do Brasil.

Altera o Decreto nº , de 10 de dezembro de 1981, para dispor sobre a situação jurídica do estrangeiro na República Federativa do Brasil. DECRETO Nº 8.757, DE 10 DE MAIO DE 2016 Altera o Decreto nº 86.715, de 10 de dezembro de 1981, para dispor sobre a situação jurídica do estrangeiro na República Federativa do Brasil. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA,

Leia mais

Certos de termos esclarecido as principais dúvidas sobre a matéria, colocamo-nos à disposição. Este é nosso parecer.

Certos de termos esclarecido as principais dúvidas sobre a matéria, colocamo-nos à disposição. Este é nosso parecer. ESCLARECIMENTOS SOBRE PROCEDIMENTO ADMINISTRATIVO DA RECEITA FEDERAL PARA RECEBIMENTO DE RESTITUIÇÃO DOS DESCONTOS PREVIDENCIÁRIOS FEITOS NO PERÍODO DE 2003/2007 E PROPOSTA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADVOCATÍCIOS

Leia mais

b) Estar cursando no máximo até o 3º (terceiro) período do curso em questão;

b) Estar cursando no máximo até o 3º (terceiro) período do curso em questão; EDITAL PARA EXAME DE SELEÇÃO PÚBLICA DE ACADÊMICOS DE GRADUAÇÃO NA ÁREA DE TI EM INSTITUIÇÕES DE ENSINO DEVIDAMENTE CONVENIADAS COM A A Procuradoria-Geral de Justiça do Ministério Público de Minas Gerais,

Leia mais

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. - ELETROBRÁS CONCORRÊNCIA DAA Nº 6/2007 ANEXO I - ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. - ELETROBRÁS CONCORRÊNCIA DAA Nº 6/2007 ANEXO I - ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS 1 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA CENTRAIS ELÉTRICAS BRASILEIRAS S.A. - ELETROBRÁS CONCORRÊNCIA Nº 6/2007 ANEXO I - ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS 2 ÍNDICE I - INTRODUÇÃO...3 II - ESCOPO DOS SERVIÇOS...3 III

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE NEPOMUCENO

PREFEITURA MUNICIPAL DE NEPOMUCENO LEI Nº 478, 13 DE JUNHO DE 2014. Autoriza o pagamento de dívida ativa municipal através da dação em pagamento de bens imóveis e dá outras providências. A Câmara Municipal de Nepomuceno, por seus representantes

Leia mais

CURRICULARES. CONTRATANTE ( ALUNO)(A): Nacionalidade: Fone: Celular: Carteira de Identidade: Endereço Residencial: Nº.

CURRICULARES. CONTRATANTE ( ALUNO)(A): Nacionalidade: Fone: Celular: Carteira de Identidade:   Endereço Residencial: Nº. CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS OFICINAS EDUCACIONAIS EXTRA CURRICULARES CONTRATANTE ( ALUNO)(A): Nacionalidade: Fone: Celular: Carteira de Identidade: E-mail: Endereço Residencial: Nº Complemento: Bairro:

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE POLÍTICA ESTUDANTIL - SPE REGULAMENTO DO PROGRAMA BOLSA PERMANÊNCIA

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE POLÍTICA ESTUDANTIL - SPE REGULAMENTO DO PROGRAMA BOLSA PERMANÊNCIA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE POLÍTICA ESTUDANTIL - SPE REGULAMENTO DO PROGRAMA BOLSA PERMANÊNCIA CAPÍTULO I NATUREZA E FINALIDADE Art.1º - O presente Regulamento

Leia mais

AÇÃO VISANDO A RESTITUIÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO DA ASSISTÊNCIA MÉDICA 3,2% (IPSEMG)

AÇÃO VISANDO A RESTITUIÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO DA ASSISTÊNCIA MÉDICA 3,2% (IPSEMG) AÇÃO VISANDO A RESTITUIÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO DA ASSISTÊNCIA MÉDICA 3,2% (IPSEMG) ENTENDA A AÇÃO: Desde o mês de julho de 2002, os servidores efetivos, ativos e inativos do Estado passaram a contribuir obrigatoriamente

Leia mais

DECRETO N , DE 31 DE JULHO DE O Prefeito de Ituiutaba, no uso de suas atribuições, e de conformidade com a legislação em vigor,

DECRETO N , DE 31 DE JULHO DE O Prefeito de Ituiutaba, no uso de suas atribuições, e de conformidade com a legislação em vigor, DECRETO N. 7.672, DE 31 DE JULHO DE 2014 Disciplina o sistema de parcelamento de débito fiscal e dá ouras providências. O Prefeito de Ituiutaba, no uso de suas atribuições, e de conformidade com a legislação

Leia mais

A COBRANÇA DE HONORÁRIOS PROFISSIONAIS PERANTE A JUSTIÇA DO TRABALHO

A COBRANÇA DE HONORÁRIOS PROFISSIONAIS PERANTE A JUSTIÇA DO TRABALHO A COBRANÇA DE HONORÁRIOS PROFISSIONAIS PERANTE A JUSTIÇA DO TRABALHO Eneida Cornel * A Emenda Constitucional nº 45/2004 trouxe mudanças profundas de competência dos órgãos do Poder Judiciário, especificamente

Leia mais

REFORMA OU CONSTRUÇÃO

REFORMA OU CONSTRUÇÃO Ficha Cadastral Cópia simples do Cartão de CNPJ Inscrição Estadual ou Municipal REFORMA OU CONSTRUÇÃO 1ª ETAPA - DOCUMENTOS CONSORCIADO PESSOA JURÍDICA Contrato Social e sua última alteração ou Estatuto

Leia mais

REGRAS PARA A CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS DE CORRESPONDENTE JURÍDICO

REGRAS PARA A CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS DE CORRESPONDENTE JURÍDICO REGRAS PARA A CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS DE CORRESPONDENTE JURÍDICO 1. Dos serviços 1.1 Distribuição de ações ou realização de protocolos; 1.2 Realização de audiências; 1.3 Relatórios processuais; 1.4 Despacho

Leia mais

REGULAMENTO BOLSA ESTUDANTIL PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL - PAE/UFVJM

REGULAMENTO BOLSA ESTUDANTIL PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL - PAE/UFVJM REGULAMENTO BOLSA ESTUDANTIL PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL - PAE/UFVJM CAPÍTULO PRIMEIRO - DOS PRINCÍPIOS E DA FINALIDADE Art. 1º- O Programa de Assistência Estudantil da Universidade Federal dos

Leia mais

REGULAMENTO PARA FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA IR. IRACEMA FARINA

REGULAMENTO PARA FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA IR. IRACEMA FARINA REGULAMENTO PARA FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA IR. IRACEMA FARINA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - A Biblioteca Ir. Iracema Farina atende alunos, professores, coordenadores, diretores acadêmicos,

Leia mais

DOS LIMITES DA JURISDIÇÃO NACIONAL E DA COOPERAÇÃO INTERNACIONAL CAPÍTULO I DOS LIMITES DA JURISDIÇÃO NACIONAL

DOS LIMITES DA JURISDIÇÃO NACIONAL E DA COOPERAÇÃO INTERNACIONAL CAPÍTULO I DOS LIMITES DA JURISDIÇÃO NACIONAL Em virtude do novo Código de Processo Civil (Lei 13.105, de 16.3.15, que entrará em vigor em 17.3.16, passará a vigorar as novas disposições sobre a Competência Internacional, conforme os artigos abaixo

Leia mais

Provimento nº 04/07-CGJ - Corregedoria Regulamenta Escrituras de Partilha, Separação e Divórcio Qui, 08 de Fevereiro de :51

Provimento nº 04/07-CGJ - Corregedoria Regulamenta Escrituras de Partilha, Separação e Divórcio Qui, 08 de Fevereiro de :51 Processo nº 0010-07/000091-0 Parecer nº 08/2007-SLA O desembargador Jorge Luís Dall Agnol, Corregedor-Geral da Justiça, no uso de suas atribuições, considerando a publicação da Lei nº 11.441/07, que alterou

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO PROCEDIMENTO PARA EXPLORAÇÃO DE ÁREAS COMERCIAIS NAS ESTAÇÕES DO METRÔ MEDIANTE CREDENCIAMENTO RECEMPE E REGULAMENTO GERAL

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO PROCEDIMENTO PARA EXPLORAÇÃO DE ÁREAS COMERCIAIS NAS ESTAÇÕES DO METRÔ MEDIANTE CREDENCIAMENTO RECEMPE E REGULAMENTO GERAL OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO PROCEDIMENTO PARA EXPLORAÇÃO DE ÁREAS COMERCIAIS NAS ESTAÇÕES DO METRÔ MEDIANTE CREDENCIAMENTO RECEMPE E REGULAMENTO GERAL A Companhia do Metropolitano de São Paulo Metrô, com base

Leia mais

Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização Serviço de Estrangeiros e Fronteiras

Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização Serviço de Estrangeiros e Fronteiras Regulamento de Assistência Jurídica Capítulo I Disposições gerais e preliminares Artigo 1.º 1. O presente Regulamento visa regular o direito à assistência jurídica dos Associados do SCIF. 2. O SCIF garante,

Leia mais

Regulamento de Estágio Supervisionado. Capítulo I DO ESTATUTO E SEUS OBJETIVOS

Regulamento de Estágio Supervisionado. Capítulo I DO ESTATUTO E SEUS OBJETIVOS Regulamento de Estágio Supervisionado Capítulo I DO ESTATUTO E SEUS OBJETIVOS Art 1 o. O presente Estatuto disciplina os aspectos da organização e funcionamento do Estágio Curricular Supervisionado do

Leia mais

COMO CONCORRER À BOLSA CARÊNCIA EM 2017/1

COMO CONCORRER À BOLSA CARÊNCIA EM 2017/1 COMO CONCORRER À BOLSA CARÊNCIA EM 2017/1 1. Abrir no portal do aluno o requerimento Bolsa Carência do dia 27/10 até o dia 14/11/2016. 2. Anexar os seguintes documentos de todo grupo familiar, inclusive

Leia mais

MARTA SUPLICY, Prefeita do Município de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei,

MARTA SUPLICY, Prefeita do Município de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei, DECRETO No. 41.724, 26 DE FEVEREIRO DE 2002 Ano 47 - Número 37 - São Paulo, quarta-feira, 27 de fevereiro de 2002 Diário Oficial do Município de São Paulo Regulamenta a Lei no. 13.283, de 9 de janeiro

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO IV DA ORGANIZAÇÃO DOS PODERES CAPÍTULO IV DAS FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA Seção I Do Ministério Público Art. 127. O Ministério Público é instituição

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 4.840, DE 2016 (Do Sr. Alberto Fraga)

PROJETO DE LEI N.º 4.840, DE 2016 (Do Sr. Alberto Fraga) *C0059067A* C0059067A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 4.840, DE 2016 (Do Sr. Alberto Fraga) Estabelece normas de atuação dos advogados das instituições de ensino superior que mantenham atendimento

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE DIREITO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE DIREITO 1 REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE DIREITO Capítulo I: Da Natureza e dos objetivos: Artigo 1º - O presente regulamento disciplina o aproveitamento de 360 horas do Estágio Supervisionado

Leia mais

Edital para Solicitação e Concessão do Distintivo de Reconhecimento Rotaract Brasil

Edital para Solicitação e Concessão do Distintivo de Reconhecimento Rotaract Brasil Edital para Solicitação e Concessão do Distintivo de Reconhecimento Rotaract Brasil Organização Multidistrital de Informações de Rotaract Club s Rotaract Brasil I DA DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º O Distintivo

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de Minas Gerais (CRMV-MG) EDITAL DE CADASTRAMENTO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de Minas Gerais (CRMV-MG) EDITAL DE CADASTRAMENTO 1 EDITAL DE CADASTRAMENTO O CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DO ESTADO DE MINAS GERAIS (CRMV-MG), autarquia federal criada pela Lei nº 5.517, de 23.10.1968, tendo em vista o disposto na Resolução

Leia mais

Orientação Normativa nº 01/2013-PROEN/IF Sudeste MG

Orientação Normativa nº 01/2013-PROEN/IF Sudeste MG Orientação Normativa nº 01/2013-PROEN/IF Sudeste MG Estabelece procedimentos para exercer o regime de exercícios domiciliares, faltas por convicções religiosas e faltas coletivas no âmbito do Instituto

Leia mais

PREFEITURA DE SÃO LUÍS

PREFEITURA DE SÃO LUÍS PORTARIA Nº 0790 de 09 de outubro de 2015. Estabelece normas relativas à obtenção de cadastramento dos condutores autônomos e empresas exploradoras do serviço de transporte escolar no âmbito do Município

Leia mais

* C) Para solicitar: no item 2 (Dados Cadastrais do Titular), independente de estarem assinaladas com *. - No item 3. Importante: Importante: *

* C) Para solicitar: no item 2 (Dados Cadastrais do Titular), independente de estarem assinaladas com *. - No item 3. Importante: Importante: * I * C) Para solicitar: no item 2 (Dados Cadastrais do Titular), independente de estarem assinaladas com *. No item 3 Importante: Importante: * Importante: CANCELAMENTO DO PLANO (titular e dependentes)

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE OFICINAS NAS ÁREAS DE

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE OFICINAS NAS ÁREAS DE CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE OFICINAS NAS ÁREAS DE ATUAÇÃO DO PROGRAMA DE CONTROLE DE HOMICÍDIOS FICA VIVO! REFERENTE AO TERMO DE PARCERIA N. 035/2016 O IJUCI, Instituto Jurídico para Efetivação

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA E DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA E DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA E DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Dispõe sobre a estruturação e operacionalização do Núcleo de Prática Jurídica e do Estágio Supervisionado no Curso de Direito da Faculdade

Leia mais

Provimento Nº 172/2016

Provimento Nº 172/2016 Provimento Nº 172/2016 Altera o art. 5º do Provimento n. 91/2000, o inciso "g" do art. 2º e o 3º do art. 3º do Provimento n. 94/2000, o parágrafo único do art. 2º, o caput do art. 3º e o 5º do art. 4º

Leia mais

NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA REALIZAÇÃO DE VISITAS TÉCNICAS CAPÍTULO I DA ORIGEM, DEFINIÇÃO E FINALIDADES

NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA REALIZAÇÃO DE VISITAS TÉCNICAS CAPÍTULO I DA ORIGEM, DEFINIÇÃO E FINALIDADES NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA REALIZAÇÃO DE VISITAS TÉCNICAS CAPÍTULO I DA ORIGEM, DEFINIÇÃO E FINALIDADES Art. 1 O presente regulamento interno disciplina a organização, regulamentação e critérios para

Leia mais

NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL E A CLT (DA CONTESTAÇÃO)

NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL E A CLT (DA CONTESTAÇÃO) NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL E A CLT (DA CONTESTAÇÃO) I DA CONTESTAÇÃO OS DISPOSITIVOS CLASSICOS DA CLT: O artigo 769 da CLT (SUBSIDIÁRIA), será aplicada no processo de fase conhecimento observando todas

Leia mais

Companhia de Saneamento de Minas Gerais

Companhia de Saneamento de Minas Gerais COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS COPASA MG CNPJ/MF 17.281.106/0001 03 Rua Mar de Espanha 525 Belo Horizonte MG NORMAS DE CREDENCIAMENTO PARA INSTITUIÇÕES BANCÁRIAS 1. DA FINALIDADE A COMPANHIA DE

Leia mais

Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu, Paulo César Silva, Prefeito Municipal, sanciono e promulgo a seguinte lei:

Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu, Paulo César Silva, Prefeito Municipal, sanciono e promulgo a seguinte lei: Institui o Programa Temporário de Pagamento Incentivado de Débitos para com a Fazenda Pública do Município de Poços de Caldas- POÇOS EM DIA II e dá outras providências. Faço saber que a Câmara Municipal

Leia mais

EDITAL DE CONCURSO DE ESTÁGIO Nº01/2012 Abertura do 1º Processo Seletivo para Estágio em Direito Vinculado ao Núcleo de Prática Jurídica

EDITAL DE CONCURSO DE ESTÁGIO Nº01/2012 Abertura do 1º Processo Seletivo para Estágio em Direito Vinculado ao Núcleo de Prática Jurídica EDITAL DE CONCURSO DE ESTÁGIO Nº01/2012 Abertura do 1º Processo Seletivo para Estágio em Direito Vinculado ao Núcleo de Prática Jurídica I DAS CONDIÇÕES RELATIVAS À EXECUÇÃO DO ESTÁGIO Art. 1º. O estágio

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010.

PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010. PODER JUDICIÁRIO ESTADO DE PERNAMBUCO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete da Presidência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 28 DE OUTUBRO DE 2010. EMENTA: Regulamenta a concessão e o pagamento de auxílio funeral no

Leia mais

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS 1. PROCURAÇÃO; 2. CONTRATO; 3. DECLARAÇÃO DE ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA GRATUITA; 4. CÓPIA DA IDENTIDADE; 5. COMPROVANTE DE RESIDÊNCIA; 6. CONTRACHEQUE DOS ÚLTIMOS 5 ANOS; 7. DECLARAÇAÕ

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA PR. FORO REGIONAL DE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS 12ª VARA JUDICIAL

PODER JUDICIÁRIO COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA PR. FORO REGIONAL DE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS 12ª VARA JUDICIAL Estado do Paraná SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIO DE GRADUAÇÃO REMUNERADO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ. Edital nº. 01/2016 O Dr. AUGUSTO GLUSZCZAK JUNIOR, Juiz de Direito deste Juizado De Violência

Leia mais

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE RONDÔNIA, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE RONDÔNIA, no uso de suas atribuições legais e regimentais, Publicada no DJE n. 060/2012, de 30.3.2012, p. 1 a 4 INSTRUÇÃO N. 003/2012-PR Revoga a Instrução n. 005/2007-PR Dispõe sobre os procedimentos e rotinas de trabalho do Serviço Médico deste Poder. O PRESIDENTE

Leia mais

Zilmara Alencar Consultoria Jurídica

Zilmara Alencar Consultoria Jurídica RESOLUÇÃO No - 748, DE 2 DE JULHO DE 2015 Disciplina o pagamento do Abono Salarial referente ao exercício de 2015/2016. O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador - CODEFAT, no uso das atribuições

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo LEI Nº 6.748

Prefeitura Municipal de Vitória Estado do Espírito Santo LEI Nº 6.748 Estado do Espírito Santo LEI Nº 6.748 Disciplina a dação em pagamento de bens imóveis como forma de extinção da obrigação tributária no Município de Vitória. O Prefeito Municipal de Vitória, Capital do

Leia mais

PORTARIA 40/2015. Art. 3º - Ficam revogadas quaisquer portarias anteriores a este ato. Art. 4º Esta portaria entra em vigor No Ato de sua publicação.

PORTARIA 40/2015. Art. 3º - Ficam revogadas quaisquer portarias anteriores a este ato. Art. 4º Esta portaria entra em vigor No Ato de sua publicação. PORTARIA 40/2015 Dispõe sobre a campanha A FCE também é um pai para você - SP Para matrícula em cursos Lato-Sensu, para o período do mês de Agosto de 2015. Na qualidade de Diretor Presidente do Instituto

Leia mais

Resolução SESCOOP/RS N. 08, de 08 de Fevereiro de Os membros do Conselho Administrativo do SESCOOP/RS,

Resolução SESCOOP/RS N. 08, de 08 de Fevereiro de Os membros do Conselho Administrativo do SESCOOP/RS, Resolução SESCOOP/RS N. 08, de 08 de Fevereiro de 2007. Aprova o Regulamento para concessão de Bolsas de Estudo. Os membros do Conselho Administrativo do SESCOOP/RS, CONSIDERANDO a necessidade de promover

Leia mais

ATO ADMINISTRATIVO Nº 21 DE 08 DE DEZEMBRO 2010.

ATO ADMINISTRATIVO Nº 21 DE 08 DE DEZEMBRO 2010. ATO ADMINISTRATIVO Nº 21 DE 08 DE DEZEMBRO 2010. Dispõe sobre os valores de Anuidades de Pessoas Físicas e Jurídicas, de Anotação de Responsabilidade Técnica ART, de Serviços e de Multas no exercício de

Leia mais

LEI Nº 4.249, DE 17 DE DEZEMBRO DE Art. 2º - Considera-se necessidade temporária de. I - assistência a situações de emergência e de

LEI Nº 4.249, DE 17 DE DEZEMBRO DE Art. 2º - Considera-se necessidade temporária de. I - assistência a situações de emergência e de LEI Nº 4.249, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2002. Dispõe sobre a contratação por tempo determinado para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público, nos termos do inciso IX do artigo 37 da

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 029/2016, DE 31 DE AGOSTO DE 2016 CÂMARA DE PÓS-GRADUAÇÃO - CPG UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS - UNIFAL-MG

RESOLUÇÃO Nº 029/2016, DE 31 DE AGOSTO DE 2016 CÂMARA DE PÓS-GRADUAÇÃO - CPG UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS - UNIFAL-MG RESOLUÇÃO Nº 029/2016, DE 31 DE AGOSTO DE 2016 CÂMARA DE PÓS-GRADUAÇÃO - CPG UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS - UNIFAL-MG A Câmara de Pós-graduação (CPG) da Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG, conforme

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 1º SEMESTRE/2017

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 1º SEMESTRE/2017 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 1º SEMESTRE/2017 ABERTURA A Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV DIREITO SP) torna pública a abertura das inscrições

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DOS REPRESENTANTES COMERCIAIS NO ESTADO DA BAHIA CORE-BA. Relação de Serviços e Prazos de Atendimento

CONSELHO REGIONAL DOS REPRESENTANTES COMERCIAIS NO ESTADO DA BAHIA CORE-BA. Relação de Serviços e Prazos de Atendimento Relação de Serviços e Prazos de Atendimento Registros Presencial: 02-dias (certidão) e 15 dias (carteirinha ou certificado). Certidões Imediata Alteração contratual 05 dias úteis Cancelamento de Registro

Leia mais

AULA 9 AÇÃO TRABALHISTA Elementos da Resposta do Réu DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFª KILMA GALINDO DO NASCIMENTO

AULA 9 AÇÃO TRABALHISTA Elementos da Resposta do Réu DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFª KILMA GALINDO DO NASCIMENTO AULA 9 AÇÃO TRABALHISTA Elementos da Resposta do Réu DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFª KILMA GALINDO DO NASCIMENTO RESPOSTAS DO RÉU CONTESTAÇÃO; EXCEÇÃO (Incompetência relativa, suspeição

Leia mais

o DESEMBARGADOR GILBERTO PASSOS DE FREITAS, Corregedor Geral da Justiça do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais;

o DESEMBARGADOR GILBERTO PASSOS DE FREITAS, Corregedor Geral da Justiça do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais; Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo Página I de 5 ( (~ PORTAL 00,.., Tribunal de Justiça do Estado de SAO PAULO TJ Notícias I Institucional I Links Jurídicos I TJ Responde PROVIMENTO CG. N 09/2006

Leia mais

Lei do ISS de Belo Horizonte Decreto nº de 2002

Lei do ISS de Belo Horizonte Decreto nº de 2002 DECRETO Nº. 11.103, DE 05 DE AGOSTO DE 2002 Regulamenta a Lei nº 6.498, de 29 de dezembro de 1993, que "Dispõe sobre o incentivo fiscal para a realização de projetos culturais no âmbito do Município e

Leia mais