FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ PLANO DE ENSINO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ PLANO DE ENSINO - 2013"

Transcrição

1 FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ PLANO DE ENSINO CURSO: Medicina Disciplina: Docente(s) Alergologia José e Henrique P. Pinto Imunologia Clinica Ano: 2013 Série: 4ª Carga Horária: 63 h EMENTA Sistema Imune. Estados de Hipersensibilidade. Doenças Alérgicas. Imunodeficiências. METODOLOGIA RECURSOS AUXILIARES: AVALIAÇÃO ( X ) Exposição ( X ) Trabalho de grupo ( X ) Discussão ( X ) Computador ( X ) Vídeos ( X ) Data show ( X ) Slides ( ) Manequins ( X ) Retroprojetor ( X ) Discursiva ( X ) Múltipla Escolha ( ) Oral ( X ) Estudo de Caso ( X ) Seminário ( X ) Atividades Clínicas ( X ) Lousa ( X ) Internet ( ) Laboratório ( X ) Vídeo Conferência ( ) Prática ( X ) Trabalho de pesquisa OBJETIVOS GERAIS Capacitar os alunos a conduzir-se nos diagnósticos das doenças imunológicas da melhor forma possível; Introduzir os recentes conceitos imunopatológicos de forma interdisciplinar, ensinando as técnicas de laboratório que são atualmente empregadas para avaliar funcionalmente as células imunopatológicas, julgando criteriosamente suas aplicações internas; Orientar sobre os programas terapêuticos das doenças de hipersensibilidade, julgando as ações dos diversos agentes utilizados dentro dos mais recentes conceitos farmacodinâmicos. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Ao final do curso o aluno deverá ser capaz de: 1. Descrever a anamnese de um paciente com doença de fundo imunológico. 2. Elaborar as hipóteses diagnósticas das afecções imunológicas mais comuns no nosso meio, ao alcance do clínico geral. 3. Diagnosticar as principais doenças imunológicas e classificá-las dentro dos respectivos grupos. 4. Reconhecer a necessidade de tratamento ambulatorial ou hospitalar, dependendo da gravidade do caso. 1

2 5. Analisar os exames complementares (testes e exames imunológicos in vivo e in vitro ). 6. Conhecer os elementos básicos da terapêutica das doenças imunológicas (indicações, doses e efeitos colaterais). 7. Abordar o paciente como um todo e não como um sistema isolado. 8. Avaliar o momento de solicitar a opinião de outros especialistas, quando necessário. 9. Saber esclarecer o doente a respeito de sua doença, para que o mesmo entenda a necessidade de tratamentos prolongados com visitas periódicas ao médico. CONTEUDO PROGRAMÁTICO - Introdução ao Curso. - Fisiopatologia das Reações Alérgicas. - Alergenos, Propriedades, Fontes e Parentescos. - Diagnósticos das Doenças Alérgicas: Anamnese e Exame Físico. - Diagnóstico Laboratorial: Testes in vivo e in vitro. - Tratamentos das Doenças Alérgicas: Farmacoterapia. - Tratamento das Doenças Alérgicas: Imunoterapia Específica. - Dermatoses Alérgicas: Dermatite Atópica. - Dermatoses Alérgicas: Dermatite de Contato, Urticária e Angiodema. - Vasculites Primárias - Eosinofilia - Doenças Alérgicas das vias aéreas superiores: Rinites,Sinusites, Otites. - Doenças Alérgicas das vias aéreas inferiores: Asma, Aspergilose Broncopulmonar, Alveolites - Alergia Ocular. - Hipersensibilidade a picadas de insetos. - Reações Gastrintestinais resultantes de alergia: Alergia Alimentar: APLV - Reações adversas a medicamentos. RAM - Anafilaxia, choque anafilático. - Imunodeficiências. - Imunodeficiências.METODOLOGIA - ATIVIDADES TEÓRICAS: Serão realizadas na Faculdade de Medicina, para a turma toda, utilizando recursos audiovisuais, como transparências, dispositivos, filmes, datashow, etc.. - ATIVIDADES PRÁTICAS: As atividades práticas serão ministradas no Ambulatório de Alergia e Imunologia do Hospital Escola, onde os alunos, juntamente com o professor, atenderão os casos selecionados encaminhados pelas outras Clínicas ou Serviços. Os casos internados nas enfermarias do Serviço de Clínica Médica também poderão ser aproveitados para o ensino da disciplina. Os alunos deverão efetuar a anamnese completa, exame físico e formular as hipóteses diagnósticas. Em seguida, o professor passará a discussão dos casos, analisando a fisiopatologia, achados clínicos, diagnóstico diferencial, exames complementares e conduta terapêutica. - ATIVIDADES COMPLEMENTARES (Carga Horária Residual): Será reservado um período de 6 horas anuais (3 horas por semestre), para atividades, tais como: discussão de casos, elaboração de trabalhos em grupo, etc.. AVALIAÇÕES 2

3 Avaliação dos conteúdos teóricos: Os alunos serão avaliados através de numero mínimo de duas avaliações por semestre, através de provas escritas que poderão ser objetivas e/ou dissertativas. As avaliações somativas dos conteúdos terão valor de 70 % do total de pontos. Avaliação das atividades práticas: na medida do possível, contemplará três aspectos. a) Área Cognitiva: - Investiga corretamente os sintomas e sinais de importância em pacientes com doenças imunológicas? - Diagnostica as patologias mais comuns? - Faz hipóteses diagnósticas corretas? - Diferencia um doente em fase aguda de um paciente crônico? - Reconhece a necessidade de internação, em determinados casos e de controle ambulatorial em outros? - Sabe indicar a necessidade de exames complementares e analisá-los? - Tem ideia da orientação terapêutica? - Reconhece os efeitos colaterais e contra indicações dos medicamentos usados em Imunologia Clinica? b) Área Psicomotora: - Obtém boa anamnese do paciente quanto à cronologia, a seleção dos sistemas, os principais antecedentes pessoais e antecedentes familiares e interrogatório sobre os diversos aparelhos? - Ordena adequadamente a sequência dos sintomas, na tentativa de caracterizar a doença? - Redige com terminologia correta, clareza e objetividade uma história clínica e física? - Realiza corretamente e com técnica o exame físico do paciente? - Tem boa capacidade de observação? c) Área afetiva: - È sempre pontual e participante no atendimento do paciente e na discussão dos casos? - Relaciona-se bem com o grupo do qual participa? - Procura relacionar-se bem com o paciente e acompanhante? - Aceita críticas ponderadamente? - Considera os fatores socioeconômicos, culturais e religiosos do paciente? - Orienta o paciente e seus familiares sobre a importância do tratamento, para o bom êxito no controle da enfermidade? BIBLIOGRAFIA BIBLIOGRAFIA BÁSICA 1. Abbas Ak. Imunologia celular e molecular. 6ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier; Castro FFM. Diagnóstico clínico e laboratorial em alergia. Barueri: Manole; Grevers G, Rocken M. Atlas de alergologia: fundamentos, diagnóstico e clínica. Porto Alegre: Artmed; Peakman M, Vergani D. Imunologia básica e clínica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; Roitt I. Imunologia. 5ª ed. São Paulo: Manole; Farhat CK. Imunizações: fundamentos e prática 5ª ed. Sao Paulo: Atheneu; Mendes E. Alergia no Brasil. São Paulo: Manole;

4 Revista - Revista Brasileira de Alergia e Imunopatologia. Revista - The Journal of Allergy and Clinical Immunology. Revista - The New England Journal of Medicine. 4

5 FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ PLANO DE ENSINO 2013 CURSO: Medicina Disciplina: Docente(s) Edgar Gruezo Klinger Clínica Cirúrgica Heres Ribeiro Sallum Al Osta Marcelo Mendonça Rodrigues Sharley Chiaradia de Oliveira Ano: 2013 Série: 4ª Carga Horária: 153h EMENTA Fundamentos teóricos e práticos das diferentes enfermidades de importância cirúrgica, com base na conduta adequada, e ênfase nos aspectos etiológicos, sintomatológicos e formas de diagnóstico. METODOLOGIA (x ) Exposição ( ) Trabalho de grupo ( ) Discussão ( ) Estudo de Caso ( ) Seminário RECURSOS AUXILIARES: AVALIAÇÃO ( ) Computador ( ) Vídeos ( ) Data show (x ) Slides ( ) Manequins ( ) Retroprojetor ( ) Discursiva (x) Múltipla Escolha (x) Oral ( ) Atividades Clínicas ( ) Lousa ( ) Internet ( ) Laboratório ( ) Vídeo Conferência ( ) Prática ( ) Trabalho de pesquisa OBJETIVOS GERAIS Ter conhecimento para o diagnóstico das principais patologias cirúrgicas e propor uma conduta terapêutica adequada, com conhecimento do código de ética médica, compreendendo o ser humano como um ser bio-psiquico-social. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Ao final do curso, o aluno deverá ser capaz de: 1. Examinar o doente cirúrgico, reconhecendo as principais alterações semiológicas e sua interpretação; 2. Ter noções e compreender a fisiopatologia cirúrgica par interpretar os mecanismos da doença e da sua fase evolutiva e entender as diversas indicações cirúrgicas e orientação terapêutica; 3. Reconhecer as principais complicações consequentes ao ato cirúrgico e sua 5

6 repercussão no organismo humano; 4. Saber realizar pesquisas bibliográficas nas discussões de casos. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO - Avaliação do risco cirúrgico pré e pós operatório Prof. Edgar - Resposta orgânica ao trauma Prof. Heres - Bases do ATLS Prof. Marcelo - Nutrição em Cirurgia Prof. Edgar - Choque em cirurgia e falência de múltiplos órgãos Prof. Marcelo - Hérnias da parede abdominal Prof. Edgar - Terapia Intensiva em Cirurgia Prof. Marcelo 1ª. AVALIAÇÃO - Abdome Agudo Generalidades: T. Esplênico e T. Hepático Prof. Heres - Diagnóstico Diferencial das icterícias em Cirurgia Prof. Marcelo - Infecção e Antibioticoterapia em Cirurgia Prof. Heres - Peritonites Prof. Edgar - Câncer Gástrico Prof. Heres - Abdome Agudo Não traumático I Prof. Edgar - Hemorragia digestiva alta e baixa Prof.Marcelo - Abdome Agudo Não traumático II Prof. Edgar Afecções Cirúrgicas do Intestino Delgado Prof. Marcelo 2ª. AVALIAÇÃO - Tratamento Cirúrgico da Úlcera Péptica Prof. Edgar - Apendicite Aguda Prof. Heres - Obstrução Intestinal Prof. Edgar 6

7 - Pancreatite aguda e crônica Prof. Marcelo - Pseudocisto do Pâncreas Prof. Marcelo - Tratamento Cirúrgico das Doenças Coloretais Prof. Heres - Neoplasias Malignas e Benignas do Pâncreas Prof. Marcelo 3ª. AVALIAÇÃO - Afecções Cirúrgicas do Ânus Prof. Heres - Afecções Cirúrgicas da Tireóide Prof. Edgar - Noções de Cirurgia Vídeo-Laparoscópica Prof. Edgar - Tratamento Cirúrgico da Obesidade Mórbida Prof. Heres - Tratamento das Hérnias Inguinais por vídeo laparoscopia Prof. Marcelo - Colelitíase e Complicações - Colecistite Prof. Edgar - Princípios Gerais de Oncologia Prof. Heres - Cirurgia das Vias Biliares Prof. Edgar 4ª. AVALIAÇÃO METODOLOGIA ATIVIDADES TEÓRICAS: Às terças-feiras, das 16 às 17:40h. Os professores fornecerão ao final de cada aula, bibliografia como fonte de pesquisa e orientação, caso seja necessário. ATIVIDADES PRÁTICAS: Grupo de 10 alunos para cada professor, assim distribuídos: Segundas-feiras das 9h10 às 11h40 Ambulatório com Dr. Marcelo Segundas-feiras, das 13:30 às 18h Ambulatório com Dr. Edgar. Segundas-feiras, das 13:00 às 15:30h Ambulatório com Dr. Sharley. Terças-feiras, das 16:00 às 17:40h Aula teórica conforme programação anexa. Quartas-feiras, das 8 às 10:30h - ambulatório com Dr. Edgar e das 16 às 18:30h ambulatório com Dr. Marcelo. Quintas-feiras, das 8 às 10:30h Visita à enfermaria e discussão de casos com Dr. Edgar. No ambulatório: o aluno terá contato com os pacientes, realizando história clínica, exame físico, elaborando hipóteses diagnósticas e exames complementares que serão discutidos com o preceptor do dia e das 8 às 10:30h Ambulatório com Dr. Heres. Material das aulas práticas: Estetoscópio, esfigmomanômetro e termômetro. 7

8 No ambulatório o aluno terá contato com os pacientes, realizando história clínica, exame físico, elaborando hipóteses diagnósticas e exames complementares que serão discutidos com preceptor do ambulatório correspondente. AVALIAÇÕES Primeira avaliação Dia 09/04/ Matéria do primeiro bimestre - Valor 10 pontos Segunda avaliação Dia 25/06/ Matéria do segundo bimestre - Valor 10 pontos Terceira avaliação Dia 24/09/ Matéria do terceiro bimestre - Valor 10 pontos Quarta avaliação Dia 26/11/ Matéria do quarto bimestre - Valor 10 pontos AS PROVAS PODERÃO SER ORAIS OU DESCRITIVAS. A PROVA FINAL ABORDARÁ MATÉRIA DO ANO INTEIRO. BIBLIOGRAFIA BÁSICA BIBLIOGRAFIA 1. ALÍPIO, C. N. ; E.J. ZERBINI Clínica Cirúrgica Editora Sarvier 4ª Edição FREIRE E. Vol. 1 e 2 - Editora Atheneu; GAYOTO Doenças do fígado e vias biliares Editora Atheneu Vol. 1 e IRANY NOVAH MORAES Tratado de Clínica Cirúrgica Vol. I e II Editora Roca Ltda KNOBEL, E Condutas no paciente grave MADDEN, J.K. Atlas de Técnicas em Cirurgia Editora Interamericana 2ª Edição MADUREIRA FILHO, DELTA. Técnicas avançadas de cirurgia laparoscópica. São Paulo: Atheneu; MARQUES VIEIRA, ET AL Clínica Cirúrgica: Fundamentos Teóricos e Práticos São Paulo Editora Atheneu MURARO, CIRILO CPM. Temas de cirurgia do aparelho digestivo alto. São Paulo: Fundo Editorial Byk-Procienx; BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR 1. SABISTON - Tratado de Cirurgia - 15ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; SAVASSI, P. R DE SOUZA, Claúdio Abdome Agudo - Editora Guanabara Koogan SCWARTZ, S. S. S. Princípios de Cirurgia Editora Guanabara Koogan 5ª Edição

9 4. TOSTA, V, C. Coloproctologia 4ª Edição VIDEO CIRURGIA CBC Tomo IV. ROBE Editorial ANDY PETROIANU Clínica Cirúrgica do Colégio Brasileiro de Cirurgiões ROBERTO SAAD JÚNIOR E EDITORES 2009 Tratado de Cirurgia do CBC. 8. ISAC JORGE FILHO Pré e Pós Operatório Editora Atheneu

10 FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ PLANO DE ENSINO 2013 CURSO: Disciplina: Medicina Docente(s) Clinica Médica Afonso Carlos da Silva Angelo Flavio Adami Helida Marcia Pineli Isabel Virginia de Souza Sanches Marlene Marisa dos Santos Mota Orlando Wood Sanches Ano: 2013 Série: 4ª Carga Horária: 207 h EMENTA A disciplina de clinica Médica espera oferecer ao aluno na quarta série uma visão abrangente dos grandes temas clínicos nas suas principais especialidades integrando atividades teóricas com atividades praticas realizadas nas enfermarias e ambulatórios do HE FMIt e nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). METODOLOGIA ( x) Exposição ( ) Trabalho de grupo ( x) Discussão ( x) Estudo de Caso ( x) Seminário RECURSOS AUXILIARES: AVALIAÇÃO ( ) Computador ( ) Vídeos ( x) Data show ( ) Slides ( ) Manequins ( ) Retroprojetor ( x) Discursiva ( x) Múltipla Escolha ( ) Oral ( x) Atividades Clínicas ( x) Lousa ( ) Internet ( ) Laboratório ( ) Vídeo Conferência ( ) Prática ( x) Trabalho de pesquisa OBJETIVOS GERAIS Permitir uma formação acadêmica e mais abrangente aos alunos da quarta série, nos principais aspéctos práticos e teóricos da Clinica Médica. Modelar condutas éticas e reafirmar os conceitos morais dos alunos no exercício da medicina. Aumentar o campo de visão do aluno, o mais precocemente possível, para suas realidades regionais. Melhorar a relação do ensino médico com questões socioeconômicas e culturais. Aplicar em todas as oportunidades os conhecimentos já adquiridos durante o curso básico. Ter consciência das limitações e das responsabilidades do ato médico perante o doente, a instituição e a comunidade. 10

11 Apresentar sempre o hábito de uma atuação médica integrada não só em relação aos colegas, mas também com os demais elementos que compõem a equipe, que geralmente é multidisciplinar. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Aplicar corretamente os conhecimentos médicos de anamnese e exame físico já adquiridos. Saber correlacionar as alterações fisiopatológicas que levam a doença. Formular hipóteses diagnósticas, baseadas no seu grau de conhecimento, sobre as principais patologias clínicas. Sugerir exames complementares para esclarecimento das hipóteses diagnósticas. Saber interpretar os exames básicos solicitados. Conhecer as linhas básicas para o tratamento indicado. Saber correlacionar as informações adquiridas nas aulas teóricas com as atividades praticas e vice-versa. Estimular os alunos para que tenham uma participação ativa e integrada durante as atividades praticas e teóricas. Orientar os alunos para que complementem as aulas teóricas com estudos sistemáticos em fontes de dados previamente sugeridas. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DATA ASSUNTO (34 temas) PROFESSOR 05/02/13 APRESENTAÇÃO DO CURSO AFONSO 19/02/13 DERRAME PLEURAL HELIDA 26/02/13 TUBERCULOSE PULMONAR HELIDA 05/03/13 NEOPLASIAS MALIGNAS DOS PULMÕES HELIDA 12/03/13 PNEUMONIAS HELIDA 12/03/13 TRABALHO DE REVISÃO MICOSES PULMONARES 26/03/13 ASMA HELIDA 02/04/13 TROMBOEMBOLISMO PULMONAR HELIDA 09/04/13 DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRONICA HELIDA 16/04/12 BRONQUIECTASIAS HELIDA 23/04/13 HIPERTENSÃO PULMONAR HELIDA 23/04/13 TRABALHO DE REVISÃO - SARCOIDOSE 30/04/13 PRIMEIRA PROVA 07/05/13 DOENÇA DO REFLUXO GASTROESOFAGICO ANGELO 14/05/13 PANCREATITE AGUDA ANGELO 21/05/13 HEMORRAGIA DIGESTIVA ALTA ANGELO 28/05/13 HEMORRAGIA DIGESTIVA BAIXA ANGELO 04/06/13 DOENÇA INFLAMATÓRIA INTESTINAL I ANGELO 04/06/13 TRABALHO DE REVISÃO HEPATITES VIRAIS AGUDAS 11/06/13 DOENÇA INFLAMATORIA INTESTINAL II ANGELO 18/06/13 ENCEFALOPATIA HEPATICA ANGELO 25/06/13 ICTERICIA ANGELO 02/07/13 SEGUNDA PROVA ANGELO 02/07/13 TRABALHO DE REVISÃO CIRROSE HEPATICA 09/07/13 SEGUNDA CHAMADA 11

12 30/07/13 MIOARDIOPATIAS MARLENE 06/08/13 INSUFICIENCIA CARDIACA CONGESTIVA MARLENE 13/08/13 ENDOCARDITE MARLENE 20/08/13 DISLIPIDEMIA MARLENE 20/08/13 TRABALHO DE REVISÃO COR PULMONALE 27/08/13 HIPERTENSÃO ARTERIAL MARLENE 03/09/13 ELETROCARDIOGRAMA AFONSO 10/09/13 SINDROME ISQUEMICA CORONARIANA AGUDA AFONSO 17/09/13 ARRITMIAS CARDIACAS I AFONSO 24/09/13 ARRITMIAS CARDIACAS II AFONSO 24/09/13 TRABALHO DE REVISÃO MANIFESTAÇÕES CARDIACAS NAS DOENÇAS SISTÊMICAS 01/10/13 TERCEIRA PROVA 08/10/13 DEMENCIAS MARLENE 15/10/13 ACIDENTE VASCULAR ENCEFALICO MARLENE 22/10/13 INSUFICIENCIA RENAL AGUDA AFONSO 29/10/13 INFECÇÃO DO TRATO URINARIO AFONSO 29/10/13 TRABALHO DE REVISÃO - ANEMIAS 05/11/13 SINDROME NEFROTICA E NEFRITICA AFONSO 12/11/13 OSTEOPOROSE AFONSO 19/11/13 DIABETES MELLITUS MARLENE 19/11/13 TRABALHO DE REVISÃO CEFALÉIAS 26/11/13 QUARTA PROVA 03/12/13 PROVA FINAL 17/12/13 SEGUNDA ÉPOCA METODOLOGIA ATIVIDADES TEÓRICAS: Atividades teóricas: realizadas na FMIt, os alunos serão esclarecidos sobre a importância dos temas a ser abordados, sendo as aulas expositivas com utilização de recursos audiovisuais (Data Show), com temas sempre atualizados e as fontes para consultas posteriores sugeridas. Os temas para exposição serão escolhidos segundo sua importância e relevância clinica. Atividades Cientificas: os alunos além de cumprirem as funções especificas programadas, deverão participar ativamente das atividades cientificas que possam ocorrer durante a evolução do curso e que tenham ligação direta com a disciplina de CM, podendo ser reuniões, jornadas, palestras, simpósios, semana médica, etc. A presença nestes eventos será considerada obrigatória sempre que os alunos forem previamente convocados. ATIVIDADES PRÁTICAS E COMPLEMENTARES: Atividades Praticas: os alunos serão monitorizados pelos professores responsáveis, sendo discutidos os casos clínicos de enfermaria ou ambulatório e analisados os aspectos fisiopatológicos que levaram a doença, hipóteses diagnósticas, exames complementares a serem solicitados e interpretação dos já realizados, evolução do paciente e discussão sobre a prescrição médica efetuada pelo médico assistente do paciente. SEGUNDA: 13:30 AS 16 HORAS 12

13 UBS POLICLINICA VARGINHA: HELIDA. UBS POLICLINICA SÃO VICENTE: ORLANDO QUARTA: 07:30 AS 10 HORAS: UBS POLICLINICA VARGINHA: HELIDA E ORLANDO 16:00 AS 18:30 HORAS: AMBULATÓRIO DE GERIATRIA: HE-FMIT: ISABEL QUINTA: 07:30 AS 10 HORAS. UBS POLICLINICA VARGINHA: HELIDA SEXTA-FEIRA: 07:30 AS 10 HORAS: ENFERMARIA HE-FMIT: HELIDA 07:30 AS 10 HORAS: UBS VARGINHA : ORLANDO 13: AS 16 HORAS: ENFERMARIA HE-FMIT: HELIDA 13:30 AS 16 HORAS: AMBULATORIO GERIATRIA HE-FMIT: ISABEL Atividades Complementares: durante todo o ano, nas datas abaixo relacionadas, cada aluno devera, obrigatoriamente, apresentar um trabalho de revisão sobre os assuntos previamente definidos. Estes trabalhos de revisão serão individuais e escritos a mão. Serão usados como fonte para as provas programadas e utilizados como complementação de carga horária/ano, tendo valor de 1(um) ponto que será acrescido em cada uma das 4(quatro) notas semestrais. Deverão ser entregues nas datas definidas no programa de curso, na secretaria da FMIt. Os trabalhos entregues após as datas previamente definidas perderão o direito a pontuação sendo considerada apenas a carga horária. DATA ASSUNTO CARGA HORARIA/PONTOS 12/04/13 MICOSES PULMONARES 8HORAS/ 1 ponto 23/04/13 SARCOIDOSE 8 HORAS/ 1 ponto 04/06/13 HEPATITES VIRAIS AGUDAS 8 HORAS/ 1 ponto 02/07/13 CIRROSE HEPATICA 8 HORAS/ 1 ponto 13

14 20/08/13 COR PULMONALE 8 HORAS/ 1 ponto 24/09/13 MANIFESTAÇÕES CARDIACAS NAS DOENÇAS SISTEMICAS 8 HORAS/ 1 ponto 29/10/13 ANEMIAS 8 HORAS/ 1 ponto 19/11/13 CEFALÉIAS 8 HORAS/ 1 ponto AVALIAÇÃO Constara de avaliações teóricas: as provas teóricas serão realizadas na FMIt as terçasfeira, no período diurno, das 14 as 15h 40 min. Serão quatro avaliações durante o ano, sendo duas por semestre e constarão de 50 questões, tipo múltipla escolha, com quatro alternativas sendo apenas uma correta e valendo 2 pontos cada (nota final: 100). O conteúdo para as provas será sempre toda a matéria ministrada até o momento. Em caso de falta do aluno as avaliações programadas será cumprido o regimento interno da FMIt. As provas substitutivas serão abertas tendo como conteúdo toda a matéria dada até a realização da prova. Sendo necessário uma primeira ou segunda época o conteúdo para as provas será toda a matéria administrada durante o ano. DATA DAS PROVAS: 1-30/04/13 (PNEUMOLOGIA) 2-09/07/13 (PN + GASTROENTEROLOGIA) 3-01/10/13 (PN + GASTRO + CARDIOLOGIA) 4-26/11/13 (PN + GASTRO + CARDIO + NEUROLOGIA + UROLOGIA + ENDOCRINOLOGIA+ REUMATOLOGIA) BIBLIOGRAFIA BIBLIOGRAFIA BÀSICA: Lopes, AC. Tratado de Clínica Médica Editora Roca Ltda. São Paulo SP. Cecil, RL. Tratado de Medicina Interna Editora Guanabara Koogan S.A. Rio de Janeiro RJ. Goldman, MJ. Princípios de Eletrocardiografia Clínica Editora Guanabara Koogan S.A. Rio de Janeiro RJ. Tarantino, AB. Doenças Pulmonares Editora Guanabara Koogan S.A. Rio de Janeiro RJ. Dani, R. Gastroenterologia Essencial Editora Guanabara Koogan Rio de Janeiro RJ. Freitas, EV, e outros. Tratado de Geriatria e Gerontologia Editora Guanabara Koogan S.A. Rio de Janeiro RJ. Castro LP. Tratado de Gastroenterologia Editora Medsi. Rio de Janeiro RJ. 14

15 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: Kelley, WN. Medicina Interna Editora Guanabara Koogan Rio de Janeiro RJ. Guyton, AC. Fisiologia Humana e Mecanismos das Doenças Editora Guanabara Koogan Rio de Janeiro RJ. Prado, FC. Atualização Terapêutica Artes Médicas São Paulo SP. 15

16 FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ PLANO DE ENSINO 2013 CURSO: Medicina Disciplina: Docente(s) Doenças Infecciosas e Parasitárias José Fabio Correa Bruno Michel e Silva Ano: 2013 Série: 4ª série Carga Horária: 75h EMENTA Fundamentos da História Natural das Doenças Infecciosas e Parasitárias. Diagnóstico. Tratamento. Prevenção. METODOLOGIA (X) Exposição (X) Trabalho de grupo (X) Discussão ( ) Estudo de Caso ( ) Seminário RECURSOS AUXILIARES: AVALIAÇÃO (X) Computador ( ) Vídeos (X) Data show ( ) Slides ( ) Manequins ( ) Retroprojetor (X) Discursiva (X ) Múltipla Escolha ( ) Oral (X) Atividades Clínicas ( ) Lousa ( ) Internet ( ) Laboratório ( ) Vídeo Conferência ( ) Prática ( ) Trabalho de pesquisa OBJETIVOS GERAIS Reconhecer os elementos da história natural das doenças infecciosas e parasitárias de maior importância no Brasil. Conhecer e aplicar medidas de controle das doenças infecciosas e parasitárias nos diferentes níveis de prevenção, na atenção à saúde individual e coletiva. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Ao final do curso, o aluno deverá ser capaz de: 1. Diagnosticar, tratar e prevenir as doenças infecciosas e parasitárias com maior prevalência no Brasil; 2. Discutir casos clínicos referentes a doenças infecciosas e parasitárias 3. Avaliar clinicamente e participar de discussão de casos de Infectologia atendidos nas aulas práticas no ambulatório do Hospital Escola. - Doenças por Vírus: 1. Dengue; 2. Febre Amarela; CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 16

17 3. Hepatites por vírus; 4. Doença pelo HIV; 5. Influenza; 6. Mononucleose Infecciosa; 7. Varicela-Herpes zoster 8. Raiva. - Doenças por Bactérias: 1. Febre maculosa; 2. Estreptococcias; 3. Tétano; 4. Meningites bacterianas 5. Febre tifoide; 6. Leptospirose; 7. Sífilis; 9. Hanseníase. 10. Tuberculose 11. Doenças sexualmente transmissíveis - Doenças por Fungos: 1. Paracoccidioidomicose; 2. Criptococose; 3. Candidíase; (*) - Doenças por Protozoários: 1. Malária; 2. Toxoplasmose; 3. Doença de Chagas; 4. Leishmaniose visceral; 5. Leishmaniose tegumentar; 6. Amebíase. 7. Giardíase. - Doenças por Helmintos: 1. Esquistossomose; 2. Ascaridíase; 3. Enterobíase; 4. Ancilostomíase; 5. Tricuríase; 6. Estrongiloidíase; 7. Teníase; 8. Cisticercose. Estudo e discussão de casos clínicos referentes às seguintes doenças infecciosas: 1. Dengue 2. Influenza 3. Profilaxia da Raiva 17

18 4.Profilaxia do Tétano Estudo e discussão de casos clínicos referentes às seguintes doenças parasitárias: 1. Malária 2. Doença de Chagas 3. Nematelmintíases I 4. Nematelmintíases II. Teníase. METODOLOGIA -ATIVIDADES TEÓRICAS: Aulas expositivas com utilização de recursos audiovisuais e atividades interativas. Discussão de casos clínicos práticos em pequenos grupos sobre doenças infecciosas e parasitárias. - ATIVIDADES PRÁTICAS: Ambulatório de Infectologia no Hospital Escola em pequenos grupos com discussão clínica de diagnóstico, tratamento e prevenção das doenças infecciosas. - ATIVIDADES COMPLEMENTARES (Carga horária residual): Trabalho de pesquisa em doenças transmissíveis de notificação compulsória no Brasil ( 12:30 h) AVALIAÇÕES Quatro avaliações bimestrais, através de provas escritas sobre os temas apresentados nas aulas expositivas. Avaliação referente aos temas dos estudos de casos clínicos desenvolvidos em cada subturma (A, B, C e D) no primeiro e segundo semestre. BIBLIOGRAFIA BÁSICA BIBLIOGRAFIA 1. Brasil. Ministério da Saúde. Dengue: roteiro para a capacitação de profissionais médicos no diagnóstico e tratamento: manual do aluno. 4ª ed. Brasília: MS; Disponível em: 2. Brasil. Ministério da Saúde. Doenças infecciosas e parasitárias: guia de bolso. 8ª ed. Brasília: Ministério da Saúde; Disponível em: 3. Cimerman S, Cimerman B. Condutas em Infectologia. 2ª ed. São Paulo: Atheneu; Focaccia R, Diament D, Ferreira MS, Siciliano RF (Orgs). Veronesi-Focaccia - Tratado de infectologia. 4ª ed. São Paulo: Atheneu; Schechter M, Marangoni DV. Doenças infecciosas: conduta diagnóstica e terapêutica. 2ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR Brasil. Ministério da Saúde. Dengue: diagnóstico e manejo clínico: adulto e criança. 4ª ed. 18

19 Brasília: Ministério da Saúde; Disponível em: 4ed_2011.pdf Cimerman S, Cimerman B. Condutas em Infectologia. São Paulo: Atheneu;

20 FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ PLANO DE ENSINO 2013 CURSO: Medicina Disciplina: Docente(s) Ética e Bioética III Carlos Alberto Benfatti Ano: 2013 Série: 4ª Carga Horária: 18 h EMENTA Estudo e reflexão dos problemas mais atuais e polêmicos da área médica, orientando eticamente ações e decisões a serem tomadas no decorrer da profissão médica. Reflexão e discussão de questões da ética profissional, fazendo com que a bioética responda aos desafios da sociedade diante dos avanços da técnica, tornando-se um instrumento-guia eficaz e concreto no diálogo com outras disciplinas. METODOLOGIA (x) Exposição (x) Trabalho de grupo (x) Discussão (x) Estudo de Caso (x) Seminário () Outros: RECURSOS AUXILIARES: AVALIAÇÃO (x) Computador (x) Vídeos (x) Data show (x) Slides () Manequins () Retroprojetor () Discursiva () Múltipla Escolha () Oral () Atividades Clínicas (x) Lousa (x) Internet () Laboratório () Vídeo Conferência (x) Outros:Biblioteca () Prática () Trabalho de pesquisa (x) Outros:Avaliação Dinâmica OBJETIVOS GERAIS Reconhecer como futuro médico o ser humano e suas peculiaridades socioculturais, o trabalho médico com conhecimento da sociedade e seus códigos normativos para que possa agir de forma responsável, legal, humanizada e tecnicamente efetiva perseguindo o desenvolvimento da ciência e da profissão. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Ao final da disciplina os alunos deverão ser capazes de: 1. Demonstrar a importância da atenção que o médico precisa dar ao ser humano, identificando os princípios básicos da relação médico-paciente numa época em que a tecnologia e a comercialização na medicina atropelam os princípios da ética interpessoal. 2. Examinar, à luz da ética, temas da medicina moderna neste começo de século, que são herança dos acontecimentos dos séculos anteriores, principalmente do século XX e discutir o futuro da profissão e da assistência médica no Brasil e no mundo. 3. Discutir com bom senso, situações e dilemas, como o aborto, a eutanásia, a reprodução assistida, 20

21 a cidadania e a AIDS, as doenças do estresse, os transplantes. 4. Contextualizar as discussões, identificando características do desenvolvimento histórico brasileiro e enfatizando os aspectos sócio-econômicos; 5. Conhecer e aplicar as normas emanadas pelo Código de Ética Médica, bem como pelas resoluções dos Conselhos Federal e Regional de Medicina. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO - Histórico da Bioética. - Definições de ética e moral. - Transplante de órgãos. - Técnicas de reprodução assistida, clonagem e transgênicos. - Início da vida e aborto. - A terminalidade da vida. - A ética das diretrizes de fim de vida. - Ética em pesquisa envolvendo seres humanos. - Ética em pesquisa envolvendo animais. METODOLOGIA - ATIVIDADES TEÓRICAS: Exposição oral dos temas, tanto pelo professor, quanto pelos alunos, intercalada por discussões de casos, com intensa participação dos alunos; conferências; mesas redondas, seminários, discussão sobre os temas da mídia afeitos a saúde e ao exercício profissional, alem do fascínio causado pela tecnologia. - ATIVIDADES PRÁTICAS: Não há. - ATIVIDADES COMPLEMENTARES (Carga Horária Residual): Exposição de filmes com posterior debate. AVALIAÇÕES As avaliações serão feitas a cada atividade, cumulativa e continuamente, não havendo necessidade de uma prova bimestral clássica. A cada fim de bimestre, serão somadas as notas das avaliações contínuas, compondo para cada aluno a nota bimestral. - BIBLIOGRAFIA BÁSICA BIBLIOGRAFIA 1. Beauchamp TL, Childress JF. Princípios de ética biomédica. São Paulo: Loyola; Costa SIF, Garrafa V, Oselka G. Iniciação à bioética. Brasília: Conselho Federal de Medicina; Disponível em: 3. Engelhardt HT. Fundamentos da bioética. São Paulo: Loyola; Moritz, Rachel Duarte. Conflitos bioéticos do viver e do morrer. Brasilia: CFM; Pessini L, Barchifontaine CP. Problemas atuais de bioética. 6ª ed. São Paulo: Loyola; Silva AL. Médico: Profissional Diferente. Belo Horizonte: Folium;

FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ PLANO DE ENSINO - 2011. Sistema Imune; Estados de Hipersensibilidade; Doenças Alérgicas; Imunodeficiencias

FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ PLANO DE ENSINO - 2011. Sistema Imune; Estados de Hipersensibilidade; Doenças Alérgicas; Imunodeficiencias 1 FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ PLANO DE ENSINO - 2011 CURSO: Medicina Disciplina: Alergologia e Imunologia Clinica Docente(s) Prof. Dr. José Henrique P. Pinto Ano: 2011 Série: 4ª Carga Horária: 63

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ PLANO DE ENSINO - 2012

FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ PLANO DE ENSINO - 2012 FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ PLANO DE ENSINO - 2012 CURSO: Medicina Disciplina: Docente(s) Alergologia e Prof. Dr. José Henrique P. Pinto Imunologia Clinica Ano: 2012 Série: 4ª Carga Horária: 63 hs

Leia mais

AULAS TEÓRICAS SEMIOLOGIA MÉDICA GERAL I 5º PERÍODO 2009/2 DATA HORÁRIO ASSUNTO PROFESSORES

AULAS TEÓRICAS SEMIOLOGIA MÉDICA GERAL I 5º PERÍODO 2009/2 DATA HORÁRIO ASSUNTO PROFESSORES SEMIOLOGIA MÉDICA GERAL I 5º PERÍODO 2009/2 4 ago 11:00 ÀS 11:50 RELAÇÃO MÉDICO-PACIENTE E ÉTICA MÉDICA FLÁVIA MAGALHÃES 11 ago 11:00 ÀS 11:50 ANAMNESE FLÁVIA MAGALHÃES 18 ago 11:00 ÀS 11:50 SEMIOLOGIA

Leia mais

PLANO DE CURSO 4 PERÍODO ANO: 2013.2

PLANO DE CURSO 4 PERÍODO ANO: 2013.2 PLANO DE CURSO 4 PERÍODO ANO: 2013.2 CURSO: MEDICINA DISCIPLINA: SEMIOLOGIA CARGA HORÁRIA: 432 horas PROFESSOR TITULAR: Edino Jurado PROFESSORES:Cláudio Teixeira, Edilberto Paravidine, Evaldo Otal, Ézil

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA PROGRAMA DA PROVA GERAL DO CONCURSO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2015 01- CLÍNICA MÉDICA Insuficiência

Leia mais

Curso de Graduação em MEDICINA Plano Curricular Pleno 2014/1

Curso de Graduação em MEDICINA Plano Curricular Pleno 2014/1 Curso de Graduação em MEDICINA Plano Curricular Pleno 2014/1 MED-100 - Unidades de Ensino da área de conhecimento das bases moleculares e celulares dos processos normais e alterados, da estrutura e função

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ENFERMAGEM EM ATENÇÃO A SAÚDE DA MULHER E DO HOMEM II Código: ENF- 213 CH

Leia mais

03- GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA

03- GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA 01- CLÍNICA MÉDICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA PROGRAMA DA PROVA GERAL DO CONCURSO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2010 - Edema Agudo

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO EMENTAS DISCIPLINAS 4º E 5º PERÍODOS MATRIZ 2 4 º Período BIOLOGIA MOLECULAR - 2835 Introdução a Biologia Molecular. Estrutura

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ENFERMAGEM EM ATENÇÃO A SAÚDE DA MULHER E DO HOMEM II Código: ENF- 213 CH

Leia mais

Temas para o Concurso de Residência Médica do Hospital Regional de Presidente Prudente I - Clínica Médica

Temas para o Concurso de Residência Médica do Hospital Regional de Presidente Prudente I - Clínica Médica Temas para o Concurso de Residência Médica do Hospital Regional de Presidente Prudente I - Clínica Médica 01 Demências; 02 Depressão; 03 Hipertensão Arterial Sistêmica Primária e Secundária; 04 Infecções

Leia mais

PLANO DE CURSO. MÓDULO: Semiologia Médica TOTAL DE CRÉDITOS: 20 CARGA HORÁRIA: 400 horas/aula 5º PERÍODO - SEMESTRE: 2015.1

PLANO DE CURSO. MÓDULO: Semiologia Médica TOTAL DE CRÉDITOS: 20 CARGA HORÁRIA: 400 horas/aula 5º PERÍODO - SEMESTRE: 2015.1 1 FACULDADE DE MEDICINA NOVA ESPERANÇA Reconhecida pelo MEC: Portaria nº 1.084, de 28 de dezembro 2007, publicada no DOU de 31 de dezembro de 2007, página 36, seção 1. PLANO DE CURSO MÓDULO: Semiologia

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA NOVA ESPERANÇA

FACULDADE DE MEDICINA NOVA ESPERANÇA 1 FACULDADE DE MEDICINA NOVA ESPERANÇA Reconhecida pelo MEC: Portaria nº 1.084, de 28 de dezembro 2007, publicada no DOU de 31 de dezembro de 2007, página 36, seção 1. PLANO DE CURSO MÓDULO: Atenção Integral

Leia mais

Insuficiência cardíaca / Edema agudo de pulmão

Insuficiência cardíaca / Edema agudo de pulmão UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES MATERNIDADE ESCOLA JANUÁRIO CICCO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANA BEZERRA COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA PROCESSO SELETIVO PARA

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO EMENTAS DISCIPLINAS MATRIZ 3 1º AO 3º PERÍODO 1 º Período C.H. Teórica: 90 C.H. Prática: 90 C.H. Total: 180 Créditos: 10

Leia mais

CENTRO UNIVERSITARIO SERRA DOS ÓRGÃOS UNIFESO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CCS CURSO DE MEDICINA

CENTRO UNIVERSITARIO SERRA DOS ÓRGÃOS UNIFESO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CCS CURSO DE MEDICINA CENTRO UNIVERSITARIO SERRA DOS ÓRGÃOS UNIFESO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CCS CURSO DE MEDICINA PROGRAMA DE INTERNATO EM GINECOLOGIA/OBSTETRÍCIA - 10º Período Corpo docente: Coordenação Obstetrícia: Glaucio

Leia mais

CURSO DE MEDICINA - MATRIZ CURRICULAR 2013

CURSO DE MEDICINA - MATRIZ CURRICULAR 2013 CURSO DE MEDICINA - MATRIZ CURRICULAR 2013 Eixos longitudinais, conteúdos e objetivos cognitivos psicomotores Eixos transversais, objetivos Per. 1º Ano eixo integrador: O CORPO HUMANO CH INT. COMUM. HAB.

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: AMBIENTE E SAÚDE Habilitação Profissional: Qualificação Técnica de Nível Médio

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI CAMPUS CENTRO OESTE Planilha de aulas - Internato em Cirurgia 1º semestre de 2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI CAMPUS CENTRO OESTE Planilha de aulas - Internato em Cirurgia 1º semestre de 2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI CAMPUS CENTRO OESTE Planilha de aulas - Internato em Cirurgia 1º semestre de 2015 DATA SALA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO PROFESSOR 6/2/2015 102. D 13:15-14:10 Tratamento

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ENFERMAGEM EM ATENÇÃO A SAÚDE DA MULHER E DO HOMEM II Código: ENF- 213 CH

Leia mais

Requisitos mínimos para o programa de Residência em Pediatria

Requisitos mínimos para o programa de Residência em Pediatria Requisitos mínimos para o programa de Residência em Pediatria O programa de Residência em Pediatria prevê 60 horas de jornada de trabalho semanal, sendo 40 horas de atividades rotineiras e 20 horas de

Leia mais

PRÉ-REQUISITOS (ESPECIFICAR CONTEÚDOS E, SE POSSÍVEL, DISCIPLINAS)

PRÉ-REQUISITOS (ESPECIFICAR CONTEÚDOS E, SE POSSÍVEL, DISCIPLINAS) 7.5. Disciplina Clínica Médica 4: Atenção Primária (Atual Medicina Geral de Adultos II (CLM006)) CÓDIGO DA DISCIPLINA ATUAL: CLM006 NOME ATUAL: Medicina Geral de Adultos II NOVO NOME: Clínica Médica 4:

Leia mais

UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010

UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010 UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010 CURSO: Enfermagem DEPARTAMENTO: Ciências Básicas da Saúde DISCIPLINA: Enfermagem em Clínica Médica Cirúrgica I PROFESSORA RESPONSÁVEL:

Leia mais

Mortalidade CID-10 Lista de Tabulação CID-BR

Mortalidade CID-10 Lista de Tabulação CID-BR Mortalidade CID-10 Lista de Tabulação CID-BR Esta classificação foi elaborada a partir da Lista de Tabulação da CID-BR-9, uma versão da Lista Básica de Tabulação da Classificação Internacional de Doenças

Leia mais

Lista de Tabulação CID-BR

Lista de Tabulação CID-BR Mortalidade CID-10 Lista de Tabulação CID-BR Esta classificação foi elaborada a partir da Lista de Tabulação da CID-BR-9, uma versão da Lista Básica de Tabulação da Classificação Internacional de Doenças

Leia mais

Aulas teórica s PROFESSOR DATA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO. Sessão Avaliação ED Supervisão TOTAL

Aulas teórica s PROFESSOR DATA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO. Sessão Avaliação ED Supervisão TOTAL DATA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO PROFESSOR Aulas teórica s Amb. Sessão Avaliação ED Supervisão TOTAL 13:15 Abdome Agudo - inflamatório e obstrutivo Clínica Cirúrgica João Marcos 24/7/2015 Abdome Agudo

Leia mais

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*.

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*. EMENTÁRIO As disciplinas ministradas pela Universidade Federal de Viçosa são identificadas por um código composto por três letras maiúsculas, referentes a cada Departamento, seguidas de um número de três

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: Graduação em Enfermagem Disciplina: Cuidar de Enfermagem em Saúde da Mulher Carga Horária: Teórica: 75h Pratica: 60 h Total: 135 h Semestre: 2013.1 Professor:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC Paulino Botelho Código: 091 Município: SÃOCARLOS Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação:: Sem

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA ESCOLA DE SAÚDE DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR

INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA ESCOLA DE SAÚDE DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA ESCOLA DE SAÚDE DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR Unidade Curricular: Enfermagem de Saúde Materna e Obstétrica Módulo de Enfermagem V Área Científica: ENFERMAGEM CÓDIGO: 723

Leia mais

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRÍCULO

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRÍCULO FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA LORENA - SP Curso: Enfermagem Disciplina: Enfermagem Saúde da Criança e do Adolescente Ano letivo 2011 Série 3º Ano Carga Horária Total h/a T 90 h/a P 54 h/a En. Cl.

Leia mais

PROVA PARA SELEÇÃO AO SERVIÇO MILITAR TEMPORÁRIO NA ÁREA DA2ª REGIÃO MILITAR - ESTÁGIO DE SERVIÇO TÉCNICO (EST/2016)

PROVA PARA SELEÇÃO AO SERVIÇO MILITAR TEMPORÁRIO NA ÁREA DA2ª REGIÃO MILITAR - ESTÁGIO DE SERVIÇO TÉCNICO (EST/2016) PROVA PARA SELEÇÃO AO SERVIÇO MILITAR TEMPORÁRIO NA ÁREA DA2ª REGIÃO MILITAR - ESTÁGIO DE SERVIÇO TÉCNICO (EST/2016) ÁREA: ENFERMAGEM RELAÇÃO DE ASSUNTOS 1 - ADMINISTRAÇÃO EM SAÚDE E ADMINISTRAÇÃO APLICADA

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA Código: ENFAEN2 Disciplina: ADMINISTRAÇÃO EM ENFERMAGEM II (Enfermagem ao adulto e ao idoso em doenças tropicais) E ENFAENF (Administração em enfermagem I) Teoria: 60h Prática: 60h Teoria: 3 Prática: 3

Leia mais

PLANO DE ENSINO - Curso Semestral - 2015

PLANO DE ENSINO - Curso Semestral - 2015 21/02/2011 Página 1 de 5 PLANO DE ENSINO - Curso Semestral - 2015 Disciplina MEDICINA LEGAL Curso Graduação Período 7 º Período Eixo de Formação Eixo de Formação Complementar Turmas A,B e D Código 26 Carga

Leia mais

PLANO DE CURSO 7º PERÍODO ANO: 2015.1

PLANO DE CURSO 7º PERÍODO ANO: 2015.1 PLANO DE CURSO 7º PERÍODO ANO: 2015.1 CURSO: MEDICINA COMPONENTE CURRICULAR: OBSTETRÍCIA CARGA HORÁRIA TOTAL: 108 horas Teórica: 72 Prática: 36 PROFESSOR RESPONSÁVEL: Aldo Franklin Ferreira Reis PROFESSORES:

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE

PLANO DE TRABALHO DOCENTE PLANO DE TRABALHO DOCENTE IDENTIFICAÇÃO: COLÉGIO ESTDUAL DARIO VELLOZO CURSO: TÉCNICO EM ENFERMAGEM PROF. ENFª. ARLETE JUÇARA REFOSCO TANURE DISCPLINA: ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA APLICADA A ENFERMAGEM

Leia mais

PEDIATRIA CLÍNICA 1. OBJETIVOS

PEDIATRIA CLÍNICA 1. OBJETIVOS PEDIATRIA CLÍNICA PROGRAMA PARA O 6º. ANO DE MEDICINA 2015 Estágio obrigatório em tempo integral, que visa à formação em Pediatria Geral, em estagio prático, sob supervisão docente, com ênfase ao raciocínio

Leia mais

EDITAL DE RETIFICAÇÃO N 01/2013

EDITAL DE RETIFICAÇÃO N 01/2013 EDITAL DE RETIFICAÇÃO N 0/203 A PREFEITURA MUNICIPAL DE TABOAO DA SERRA, no uso de suas prerrogativas e atribuições legais, torna pública a retificação e inclusão de cargo no Concurso Público Nº 0/203,

Leia mais

Processos Patológicos Gerais 3º ano/2012 Carga horária 144 horas

Processos Patológicos Gerais 3º ano/2012 Carga horária 144 horas Processos Patológicos Gerais 3º ano/2012 Carga horária 144 horas Diretor do Depto de Ciências Patológicas Prof.Dr. Dino Martini Filho Coordenadora do Curso: Profa. Dra. Geanete Pozzan OJETIVOS GERAIS:

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA. PRÉ-REQUISITOS: Técnica Operatória (CIR 032), Semiologia II (CME 037) e Patologia Geral (PAT 020)

PROGRAMA DE DISCIPLINA. PRÉ-REQUISITOS: Técnica Operatória (CIR 032), Semiologia II (CME 037) e Patologia Geral (PAT 020) FACULDADE DE MEDICINA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA Av. Eugênio do Nascimento s/nº Bairro: Dom Bosco Juiz de Fora - CEP: 36038-330 TEL (32) 2102-3841 FAX (32)2102-3840 e-mail: secretaria.medicina@ufjf.edu.br

Leia mais

Prof. Ms. Alex Miranda Rodrigues

Prof. Ms. Alex Miranda Rodrigues È a ciência e a arte cujo objeto é o estudo dos sintomas e sinais clínicos como manifestações de doença. Compreende a terminologia médica e o método de estudo do paciente. Medicina em transformação. Tecnificação

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO Biologia Geral, Citologia e Genética Estudo da célula, seus componentes e relação com as funções

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA PRÓ-REITORIA DE ENSINO DEPARTAMENTO DE MEDICINA E ENFERMAGEM SELEÇÃO DE MONITOR NÍVEL I EDITAL Nº 02/2014/DEM

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA PRÓ-REITORIA DE ENSINO DEPARTAMENTO DE MEDICINA E ENFERMAGEM SELEÇÃO DE MONITOR NÍVEL I EDITAL Nº 02/2014/DEM UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA PRÓ-REITORIA DE ENSINO DEPARTAMENTO DE MEDICINA E ENFERMAGEM SELEÇÃO DE MONITOR NÍVEL I EDITAL Nº 02/2014/DEM 1. A Universidade Federal de Viçosa, através do presente edital,

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ENFERMAGEM EM ATENÇÃO A SAÚDE DA MULHER E DO HOMEM II Código: ENF - 213 Pré-requisito:

Leia mais

2º CICLO MÓDULO IV OBJETIVOS DO CICLO

2º CICLO MÓDULO IV OBJETIVOS DO CICLO CURSO DE MEDICINA O currículo do Curso de Medicina da UCG será desenvolvido a partir de dois grandes eixos:?eixo teórico-prático integrado Eixo do desenvolvimento pessoal No eixo teórico-prático integrado,

Leia mais

Aprovado no CONGRAD: 14.02.06 Vigência: ingressos a partir de 2006/2 CÓD. 1548 CURSO DE MEDICINA

Aprovado no CONGRAD: 14.02.06 Vigência: ingressos a partir de 2006/2 CÓD. 1548 CURSO DE MEDICINA Aprovado no CONGRAD: 14..06 Vigência: ingressos a partir de 2006/2 CÓD. 48 CURSO DE MEDICINA EIXOS TRANSVERSAIS E ÁREAS DO CONHECIMENTO DO CURRÍCULO PLENO ACADÊMI COS I FUNDAMENTOS CONCEITUAIS DO CURSO

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR 2014/1. 60 h. 104 h. 146 h. 72 h 2º SEMESTRE. Carga horária

ESTRUTURA CURRICULAR 2014/1. 60 h. 104 h. 146 h. 72 h 2º SEMESTRE. Carga horária MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI FACULDADE DE MEDICINA DE DIAMANTINA - FAMED CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA ESTRUTURA CURRICULAR 2014/1 MED001 MED002 MED003

Leia mais

CURSO PRIUS PREPARATÓRIO PARA TÉCNICOS DE ENFERMAGEM HUPE / UERJ

CURSO PRIUS PREPARATÓRIO PARA TÉCNICOS DE ENFERMAGEM HUPE / UERJ AME - Dicionário de Administração de Medicamentos na Enfermagem. 2009/2010. Rio de Janeiro: EPUB, 2009. ANVISA. Curso Básico de Controle de Infecção Hospitalar - Caderno C: Métodos de Proteção Anti- infecciosa.

Leia mais

5.1 Doenças do esôfago: acalasia, esofagite, hérnia hiatal, câncer de cabeça e pescoço, câncer de esôfago, cirurgias

5.1 Doenças do esôfago: acalasia, esofagite, hérnia hiatal, câncer de cabeça e pescoço, câncer de esôfago, cirurgias MÓDULO I NUTRIÇÃO CLÍNICA 1-Absorção, digestão, energia, água e álcool 2-Vitaminas e minerais 3-Proteínas, lipídios, carboidratos e fibras 4-Cálculo das necessidades energéticas 5-Doenças do aparelho digestivo

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: prof. Massuyuki Kawano Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: Especialização Profissional Técnica

Leia mais

COMISSÃO DE SISTEMATIZAÇÃO DA REFORMA CURRICULAR

COMISSÃO DE SISTEMATIZAÇÃO DA REFORMA CURRICULAR REESTRUTURAÇÃO DAS ATIVIDADES DO CURSO MÉDICO CARACTERIZAÇÃO DAS DISCIPLINAS E ESTÁGIOS DA NOVA MATRIZ CURRICULAR CÓDIGO DA DISCIPLINA ATUAL: GOB001 NOME ATUAL: Ginecologia e Obstetrícia 1 NOVO NOME: Ginecologia

Leia mais

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Enfermagem Disciplina: Enfermagem Obstétrica e Neonatal Professor: Renata Fernandes do Nascimento Código: SAU57 Carga Horária: 100h (Teoria:

Leia mais

PLANO DE CURSO 2. EMENTA:

PLANO DE CURSO 2. EMENTA: PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Enfermagem Disciplina: ENFERMAGEM OBSTÉTRICA E NEONATAL Professor: Renata Fernandes do Nascimento Código: Carga Horária: 80 H Créditos: 05 Preceptoria: 20H

Leia mais

ANEXO. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 4ª etapa do curso

ANEXO. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 4ª etapa do curso ANEXO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 4ª etapa do curso Células e Tecidos do Sistema Imune Anatomia do sistema linfático Inflamação aguda e crônica Mecanismos de agressão por

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ENFERMAGEM EM ATENÇÃO À SAÚDE DA MULHER E DO HOMEM I Código: ENF - 209 Pré-requisito:

Leia mais

Componente Curricular: METODOLOGIA DO PROCESSO DE CUIDAR I

Componente Curricular: METODOLOGIA DO PROCESSO DE CUIDAR I CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: METODOLOGIA DO PROCESSO DE CUIDAR I Código: ENF 202 Pré-requisito: Nenhum

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA. Disciplina: ENFERMAGEM EM DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS (TEORIA) Fase: 6ª Grade curricular: 2000 Pré-requisitos:

PROGRAMA DA DISCIPLINA. Disciplina: ENFERMAGEM EM DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS (TEORIA) Fase: 6ª Grade curricular: 2000 Pré-requisitos: 21cir FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecimento: Portaria nº 604, de 31 de maio de 1995 E-mail: denf@unir.br Campus Porto Velho/RO. BR 364,

Leia mais

PLANO DE ENSINO I IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA: ANO SEMESTRE PERÍODO. 2010 Primeiro V TOTAL (H/A) SEMESTRAIS/ANUAL 36 50 86

PLANO DE ENSINO I IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA: ANO SEMESTRE PERÍODO. 2010 Primeiro V TOTAL (H/A) SEMESTRAIS/ANUAL 36 50 86 NIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGLO MINEIRO PLANO DE ENSINO I IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA: ANO SEMESTRE PERÍODO 2010 Primeiro V CRSO: Medicina COMPONENTE CRRICLAR : Disciplina Semiologia Médica CÓDIGO: DCM

Leia mais

Infecções e inflamações do trato urinário, funçao sexual e reprodutiva Urologia Denny

Infecções e inflamações do trato urinário, funçao sexual e reprodutiva Urologia Denny DATA hora AULA PROGRAMADA Módulo PROFESSOR 25/10/2013 14:00-14:55 Abdome Agudo - inflamatório e obstrutivo Clínica Cirúrgica João Marcos 14:55-15:50 Abdome Agudo - perfurativo e vascular/hemorrágico Clínica

Leia mais

OBJETIVOS GERAIS OBJETIVOS ESPECÍFICOS

OBJETIVOS GERAIS OBJETIVOS ESPECÍFICOS OBJETIVOS GERAIS O Programa de Residência Médica opcional de Videolaparoscopia em Cirurgia do Aparelho Digestivo (PRMCAD) representa modalidade de ensino de Pós Graduação visando ao aperfeiçoamento ético,

Leia mais

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Enfermagem Disciplina: Assistência de Enfermagem à Saúde da Mulher Professor: Renata Fernandes do Nascimento Pré-requisito(s): ------ Carga

Leia mais

PLANO DE CURSO. MÓDULO: Atenção Integral a Saúde do Adulto III CARGA HORÁRIA: 240 horas/aula TOTAL DE CRÉDITOS: 12 8º PERÍODO - SEMESTRE: 2015.

PLANO DE CURSO. MÓDULO: Atenção Integral a Saúde do Adulto III CARGA HORÁRIA: 240 horas/aula TOTAL DE CRÉDITOS: 12 8º PERÍODO - SEMESTRE: 2015. FACULDADE DE MEDICINA NOVA ESPERANÇA Autorizada pelo MEC: Portaria nº 2.057, de 09 de julho de 2004, publicada no DOU de 12 de julho de 2004, Seção 01, Página 13 e 14. 1 PLANO DE CURSO MÓDULO: Atenção

Leia mais

Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Programa de Residência Médica em Medicina Legal

Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Programa de Residência Médica em Medicina Legal Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Programa de Residência Médica em Medicina Legal 1) Objetivos do programa O principal objetivo da Residência em Medicina Legal é a formação de especialistas

Leia mais

Pref e i t u r a M u n i c i p a l d e S a n t o E x p e d i t o

Pref e i t u r a M u n i c i p a l d e S a n t o E x p e d i t o ANEXO II DO CONCURSO PÚBLICO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ENSINO SUPERIOR Para os Cargos de: 01. Médico PSF, 02. Médico I, 03. Médico II. 01. MÉDICO PSF Programa: I. CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS: 01. Abordagem

Leia mais

PLANO DE ENSINO. 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Farmácia Professora: Liamara Basso Dala Costa

PLANO DE ENSINO. 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Farmácia Professora: Liamara Basso Dala Costa PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Farmácia Professora: Liamara Basso Dala Costa Email: liamara@uniarp.edu.br Período/ Fase: 1ª Fase Semestre:

Leia mais

8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:30 8:45 INTERVALO VISITA AOS EXPOSITORES E PATROCINADORES.

8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:30 8:45 INTERVALO VISITA AOS EXPOSITORES E PATROCINADORES. MAPA AUDITÓRIO ÓPERA DE ARAME (200 LUGARES) DOMINGO 02 DE AGOSTO DE 2015. 8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:00 8:15 TEMA LIVRE SELECIONADO. 8:15 8:30 TEMA LIVRE SELECIONADO.

Leia mais

SELEÇÃO INTERNA DE PROFESSORES. Curso de Medicina EDITAL DE SELEÇÃO

SELEÇÃO INTERNA DE PROFESSORES. Curso de Medicina EDITAL DE SELEÇÃO SELEÇÃO INTERNA DE PROFESSORES Curso de Medicina EDITAL DE SELEÇÃO A coordenadora do curso de Medicina, Profa. Alessandra Duarte Clarizia, nos termos das regras fixadas pela Pró-Reitoria de Graduação do

Leia mais

MONITORIA - 2012 PONTOS PARA A PROVA

MONITORIA - 2012 PONTOS PARA A PROVA MONITORIA - 2012 PONTOS PARA A PROVA OTORRINOLARINGOLOGIA Otites Exames Audiológicos Labirintopatias Rinossinusites Doenças da Faringe Hipertrofia Tonsilar Larinites ÉTICA E RELAÇÕES PSICOSSOCIAIS I, II

Leia mais

SOCIEDADE BRASILEIRA DE NEFROLOGIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM NEFROLOGIA

SOCIEDADE BRASILEIRA DE NEFROLOGIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM NEFROLOGIA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM NEFROLOGIA OBJETIVOS DO PROGRAMA Objetivo Geral Capacitar o profissional médico durante os dois anos de treinamento de conteúdo programático teórico e prático essenciais,

Leia mais

ODONTOLOGIA BIOSSEGURANÇA E ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL ODONTOLOGICA 3º Período / Carga Horária: 72 Horas

ODONTOLOGIA BIOSSEGURANÇA E ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL ODONTOLOGICA 3º Período / Carga Horária: 72 Horas ODONTOLOGIA BIOSSEGURANÇA E ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL ODONTOLOGICA 3º Período / Carga Horária: 72 Horas 1. PRÉ-REQUISITO: Não há pré-requisito 2. EMENTA: Estudar a definição, histórico, aplicações, simbologia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS ASSESSORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM OTORRINOLARINGOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS ASSESSORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM OTORRINOLARINGOLOGIA 1 UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS ASSESSORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM OTORRINOLARINGOLOGIA EDITAL 2008 A Universidade Federal Fluminense, através

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Biologia Educacional Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º 1 - Ementa (sumário, resumo) A biologia educacional e os fundamentos

Leia mais

NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR

NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR Enfª Dda. Verginia Rossato Enfª Danieli Bandeira Santa Maria, 2012 Portaria GM/MS nº 2529, de 23 de novembro de 2004 Institui o Subsistema Nacional de Vigilância

Leia mais

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO 98 IABAS Relatório de Gestão Rio de Janeiro 2010/2011/2012 PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO 1 Curso de educação continuada em odontologia Abordagem terapêutica dos pacientes com traumatismo

Leia mais

Faculdade da Alta Paulista

Faculdade da Alta Paulista CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Área: Estágio de Enfermagem em Saúde do Adulto I e II Campo de Atuação: Santa Casa de Tupã; Instituto de Psiquiatria de Tupã e Hospital São

Leia mais

ANEXO I - Lista de Doenças e Agravos de Notificação Compulsória (LDNC). 1. Acidente com exposição a material biológico relacionado ao trabalho;

ANEXO I - Lista de Doenças e Agravos de Notificação Compulsória (LDNC). 1. Acidente com exposição a material biológico relacionado ao trabalho; ANEXO I - Lista de Doenças e Agravos de Notificação Compulsória (LDNC). 1 Caso suspeito ou confirmado de: 1. Acidente com exposição a material biológico relacionado ao trabalho; 2. Acidente de Trabalho

Leia mais

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Enfermagem Professores: Aires Roberta Brandalise e Wanderléia Tragancin Período/ Fase: 6º Semestre:

Leia mais

Programas Seleção Conteúdo Vagas com bolsas Vagas sem bolsa Data da seleção

Programas Seleção Conteúdo Vagas com bolsas Vagas sem bolsa Data da seleção Programas Seleção Conteúdo Vagas com bolsas Vagas sem bolsa Data da seleção Processo de Trabalho em saúde: Integralidade e Cuidado do 6º ou 7º Biossegurança no trabalho, aspectos legais, suas classificações

Leia mais

Área de concentração: CLÍNICA MÉDICA DE PEQUENOS ANIMAIS

Área de concentração: CLÍNICA MÉDICA DE PEQUENOS ANIMAIS Área de concentração: CLÍNICA MÉDICA DE PEQUENOS ANIMAIS 1. Terapêutica Clínica Geral: a. Equilíbrio ácido-básico e hidro-eletrolítico. b. Fluidoterapia. c. Terapêutica hematológica (transfusões). d. Utilização

Leia mais

2. PRÉ- REQUISITOS PARA A INSCRIÇÃO:

2. PRÉ- REQUISITOS PARA A INSCRIÇÃO: EDITAL DE CONVOCAÇÃO DO EXAME DE SUFICIÊNCIA CATEGORIA ESPECIAL PARA OBTENÇÃO DO TÍTULO DE ESPECIALISTA EM CIRURGIA DO APARELHO DIGESTIVO 2010 Pelo presente edital, o CBCD Colégio Brasileiro de Cirurgia

Leia mais

PLANO DE ENSINO CURSO: MEDICINA. INFORMAÇÕES BÁSICAS Unidade Curricular Prática de Integração Ensino, Seriço e Comunidade II PIESC ll

PLANO DE ENSINO CURSO: MEDICINA. INFORMAÇÕES BÁSICAS Unidade Curricular Prática de Integração Ensino, Seriço e Comunidade II PIESC ll PLANO DE ENSINO Turno: Integral Currículo 2015 Período 2º Tipo Obrigatória CURSO: MEDICINA INFORMAÇÕES BÁSICAS Unidade Curricular Prática de Integração Ensino, Seriço e Comunidade II PIESC ll Teórica 32

Leia mais

Traumatologia: lesões por arma de fogo

Traumatologia: lesões por arma de fogo MED 1430- Medicina legal Atuação do médico sob condições legais vigentes envolvendo o exercício profissional e os exames periciais. Conteúdo -Identidade -Identificação -Antropologia Forense - Traumatologia

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES AVISO DE RETIFICAÇÃO DE EDITAL Nº 01 A Comissão de Concurso torna publica

Leia mais

UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010

UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010 UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010 CURSO: Fisioterapia DEPARTAMENTO: Fisioterapia DISCIPLINA: Uroginecologia e Obstetrícia SÉRIE: 3º. Ano PROFESSOR RESPONSÁVEL: Prof. Esp.

Leia mais

Processo Pedagógico de Formação do aluno do curso medico do UNI-BH

Processo Pedagógico de Formação do aluno do curso medico do UNI-BH Processo Pedagógico de Formação do aluno do curso medico do UNI-BH A proposta pedagógica para formação do medico dentro do curso do UNI-BH baseia-se na estruturação em três módulos de conteúdo bem definido

Leia mais

Atividade Prática como Componente Curricular)

Atividade Prática como Componente Curricular) PLANO DE ENSINO PERÍODO LETIVO/ANO: 2008 ANO DO CURSO: 3ºsérie Curso: Odontologia Modalidade:Anual Turno:Integral Centro: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde Campus: Cascavel APCC 4 Total Disciplina

Leia mais

DISCIPLINAS MINISTRADAS PELO DEPARTAMENTO DE CLÍNICA E CIRURGIA VETERINÁRIA

DISCIPLINAS MINISTRADAS PELO DEPARTAMENTO DE CLÍNICA E CIRURGIA VETERINÁRIA DISCIPLINAS MINISTRADAS PELO DEPARTAMENTO DE CLÍNICA E CIRURGIA VETERINÁRIA Anestesiologia e Técnica Cirúrgica Carga-Horária: 120h Pré-medicação anestésica. Anestesia local. Anestesias regionais. Anestesia

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO DISCIPLINA DE GERIATRIA 4º ANO / 2012

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO DISCIPLINA DE GERIATRIA 4º ANO / 2012 FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO DISCIPLINA DE GERIATRIA CURSO DE CLÍNICA MÉDICA 4º ANO / 2012 Coordenação: Dra. Elina Lika Kikuchi Professor Responsável: Prof. Dr. Wilson Jacob Filho

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO LATU SENSU EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO EM NEFROLOGIA

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO LATU SENSU EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO EM NEFROLOGIA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO LATU SENSU EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO EM NEFROLOGIA 2) Objetivo Geral Capacitar o profissional médico durante os dois anos de treinamento de conteúdo programático teórico e prático

Leia mais

HDM/GESTÃO IMIP CENTRO DE ESTUDOS DR. ALÍRIO BRANDÃO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA ACADÊMICOS DE MEDICINA DO HOSPITAL DOM MALAN/ GESTÃO IMIP

HDM/GESTÃO IMIP CENTRO DE ESTUDOS DR. ALÍRIO BRANDÃO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA ACADÊMICOS DE MEDICINA DO HOSPITAL DOM MALAN/ GESTÃO IMIP HDM/GESTÃO IMIP CENTRO DE ESTUDOS DR. ALÍRIO BRANDÃO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA ACADÊMICOS DE MEDICINA DO HOSPITAL DOM MALAN/ GESTÃO IMIP A Diretoria de Ensino do HDM/GESTÃO IMIP torna público que

Leia mais

EDITAL DE INSCRIÇÕES. Curso Suporte Avançado à Vida em Emergências Obstétricas SAVEO TÉCNICOS DE ENFERMAGEM - 12 Horas

EDITAL DE INSCRIÇÕES. Curso Suporte Avançado à Vida em Emergências Obstétricas SAVEO TÉCNICOS DE ENFERMAGEM - 12 Horas EDITAL DE INSCRIÇÕES Curso Suporte Avançado à Vida em Emergências Obstétricas SAVEO TÉCNICOS DE ENFERMAGEM - 12 Horas A Company Gestão Educacional e Negócios torna público o edital para as inscrições do

Leia mais

ANEXO III PROGRAMA DA PROVA DO PROCESSO SELETIVO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2013 MODALIDADES COM PRÉ-REQUISITOS

ANEXO III PROGRAMA DA PROVA DO PROCESSO SELETIVO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2013 MODALIDADES COM PRÉ-REQUISITOS ANEXO III PROGRAMA DA PROVA DO PROCESSO SELETIVO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2013 MODALIDADES COM PRÉ-REQUISITOS 1. CIRURGIA GERAL Analgesia e dor Avaliação pré e pós-operatória Princípios da anestesia local

Leia mais

ANEXO. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 2ª etapa do curso

ANEXO. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 2ª etapa do curso ANEXO Para candidatos que desejam entrar na 2ª etapa do Metabolismo (anabolismo x catabolismo) Metabolismo de Carboidratos Metabolismo de Lipídeos Motilidade no trato gastrointestinal Introdução ao Metabolismo

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Plano de Trabalho Docente 2014. Qualificação: Sem Certificação Técnica Módulo: 01

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Plano de Trabalho Docente 2014. Qualificação: Sem Certificação Técnica Módulo: 01 Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC Dr. José Luiz Viana Coutinho de Jales Código: 073 Município: Jales Eixo Tecnológico: Saúde,

Leia mais

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 64823 MICROBIOLOGIA GERAL 17/34 ODONTOLOGIA MICROBIOLOGIA

Leia mais

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE RESIDÊNCIA E PROJETOS ESPECIAIS NA SAÚDE RESOLUÇÃO Nº 6, DE 7 DE JULHO DE 2005

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE RESIDÊNCIA E PROJETOS ESPECIAIS NA SAÚDE RESOLUÇÃO Nº 6, DE 7 DE JULHO DE 2005 SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE RESIDÊNCIA E PROJETOS ESPECIAIS NA SAÚDE RESOLUÇÃO Nº 6, DE 7 DE JULHO DE 2005 Dispõe sobre a autorização de Curso Livre com metodologia de ensino a distância,

Leia mais

ANEXO 4 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE ESCOLA DE MEDICINA E CIRURGIA

ANEXO 4 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE ESCOLA DE MEDICINA E CIRURGIA PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO: MEDICINA DEPARTAMENTO: DECIGE DISCIPLINA: CLÍNICA CIRÚRGICA CÓDIGO: CARGA HORÁRIA: 585 HORAS CRÉDITOS: 22 PROFESSOR RESPONSÁVEL: 3ª ENFERMARIA - PROF. PEDRO EDER PORTARI FILHO

Leia mais

Infecções Respiratórias na comunidade e no paciente hospitalizado

Infecções Respiratórias na comunidade e no paciente hospitalizado MED 1400- Clinica I Eixo temático: Ambulatório de Moléstias Infecciosas Estudo da semiologia, etiopatogenia, fisiopatologia, quadro clínico, diagnóstico, tratamento e prevenção das principais doenças infecciosas

Leia mais