ÍNDICE - 29/08/2005 Folha de S.Paulo... 2 Capa/São Paulo...2 Gazeta Mercantil... 5 Indústria...5 Jornal do Commercio (RJ)... 7 Suas Contas...

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ÍNDICE - 29/08/2005 Folha de S.Paulo... 2 Capa/São Paulo...2 Gazeta Mercantil... 5 Indústria...5 Jornal do Commercio (RJ)... 7 Suas Contas..."

Transcrição

1 ÍNDICE - 29/08/2005 Folha de S.Paulo...2 Capa/São Paulo...2 Médicos denunciam favores de laboratórios...2 Médicos denunciam favores de laboratórios...2 Empresa busca "fidelizar" alunos nas faculdades...3 Gazeta Mercantil...5 Indústria...5 Novartis lança Prexige para consolidar liderança em antiinflamatórios...5 Jornal do Commercio (RJ)...7 Suas Contas...7 Leis exigem que empresas coloquem dados precisos nos produtos...7 Jornal do Commercio (RJ)...10 Tecnologia & Saúde...10 Autorizado transplante inédito...10 Zero Hora (RS)...12 Economia...12 Produtos da colônia pedem passagem...12 Diário de Pernambuco (PE)...13 Cartas...13 Cartas...13 Aparato fiscalizatório...13

2 Folha de S.Paulo 29/08/2005 Capa/São Paulo Médicos denunciam favores de laboratórios "PAPAGAIOS-CIENTÍFICOS" Médicos denunciam favores de laboratórios Profissionais criticam relação promíscua com laboratórios, calcada em benefícios pessoais CLÁUDIA COLLUCCI DA REPORTAGEM LOCAL "É promíscua a relação entre médicos e a indústria farmacêutica. Muitos se transformaram em garotos-propaganda de luxo dos laboratórios." As declarações são do cardiologista Roberto Luiz d'ávila, diretor-corregedor do CFM (Conselho Federal de Medicina), que tem a missão de julgar as infrações éticas da categoria. "São papagaios-científicos", emenda o clínico-geral Antonio Carlos Lopes, professor titular da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e presidente da Sociedade Brasileira de Clínica Médica, que reúne 40 mil profissionais. O fenômeno não é exclusivo do país, mas, pela primeira vez, médicos brasileiros renomados vêm a público denunciar o lado negro da relação médico e laboratório, que, muitas vezes, estaria calcada mais em benefícios pessoais do que no bem da população. Lopes, por exemplo, afirma ter sido convidado inúmeras vezes por laboratórios para fazer apresentações favoráveis a determinados remédios. "Nunca aceitei. Mas sei de médicos que recebem R$ 5.000, em média, por apresentação, viagem aérea de primeira classe, hotel cinco estrelas, tudo com direito a acompanhante." Não há crime na prática, desde que o médico informe, na apresentação, que há um conflito de interesse, já que sua participação está sendo paga pela instituição interessada, conforme determina o CFM e a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). "Ninguém respeita isso. Já cheguei a interromper pelo menos duas mesasredondas em eventos científicos em razão de conflito de interesse não revelado por parte de certos médicos", afirma Lopes. Ele revela ainda ter sofrido pressões para publicar artigos científicos financiados por laboratórios em troca da compra de anúncios na revista da sociedade que preside. "Também não aceitei esse tipo de interferência. Tudo o que publicamos passa pelo crivo do conselho editorial." Lopes se nega a fornecer os nomes dos laboratórios por falta de provas. Nos últimos três anos, vários artigos foram publicados pela imprensa internacional informando que a indústria farmacêutica contrata "escritores fantasmas" para elaborarem artigos científicos favoráveis às suas drogas e, depois, paga cientistas renomados para assiná-los. Neste ano, o ex-editor do British Medical Journal, Richard Smith, denunciou como os laboratórios manipulam os periódicos científicos com pesquisas que fazem seus remédios parecerem muito melhores do que são. Assédio

3 Apesar de reconhecer o problema do assédio, o CFM diz que não consegue punir os médicos pois não há denúncias formais sobre as infrações, sem as quais não há como iniciar um processo disciplinar no conselho, ação que poderia levar à cassação do registro profissional do médico. "Como muitos se beneficiam dessas vantagens, ninguém denuncia. A maioria dos médicos não vê problema de usufruir de uma "delicadeza" do laboratório. É o que eu chamo de elasticidade moral", afirma d'ávila. Segundo d'ávila e Lopes, o assédio dos laboratórios sobre os médicos ocorre de várias formas, tais como na distribuição de brindes pelos propagandistas nos consultórios, no oferecimento de viagens em congressos nacionais e internacionais e no pagamento de palestras para falar de pesquisas positivas a determinadas drogas. Os profissionais mais visados seriam aqueles que lidam com doenças crônicas, como hipertensão e diabetes, e prescrevem remédios de uso continuado. "É um cliente em potencial por 20, 30 anos", diz o cardiologista Raimundo Marques do Nascimento. Não existem estudos sobre o reflexo dessa prática na população, mas especialistas em bioética supõem que elas podem levar à prescrição de remédios de eficácia duvidosa ou mais caros. "Os casos do Bextra e do Vioxx [analgésicos e antiinflamatórios retirados do mercado em razão do risco de problemas cardiológicos] estão aí para nos mostrar que toda cautela é pouca", diz o infectologista Caio Rosenthal, da Câmara de Bioética do Cremesp (conselho de medicina paulista). Segundo ele, é comum os médicos, especialmente os de cidades do interior, receberem da indústria farmacêutica convites para jantares, almoços e viagens. "Até cruzeiro marítimo já foi feito. Os médicos ficam subvendidos por essas pequenas miçangas. Do ponto de vista ético, isso é deplorável. Mas compreendo que eles fiquem seduzidos pois muitos vivem em situação de penúria." Para d'ávila, há necessidade de mecanismos mais eficazes de controle. "É preciso que os conselheiros regionais se empenhem em conscientizar os médicos dos Estados a ter uma análise crítica sobre o viés comercial que existe nesses convites." O corregedor conta que já soube de médicos que receberiam "salários por fora" de laboratórios a título de colaboração pela participação em congressos ou outros eventos. Porém, não há provas. O assédio dos laboratórios atingiria também as farmácias, segundo os médicos. Em troca de vantagens (em dinheiro ou em produtos), elas repassariam informações do receituário aos laboratórios, que cobram fidelidade do médico. "São relações espúrias", resume o médico Marco Segre, professor de bioética da USP. Empresa busca "fidelizar" alunos nas faculdades DA REPORTAGEM LOCAL A aproximação da indústria farmacêutica com os médicos começa nos bancos da faculdade de medicina. Na semana passada, a Folha recebeu um de uma empresa de marketing que exemplifica essa situação. A mensagem é sobre a promoção do antiinflamatório "Flanax" (Bayer) entre os estudantes de medicina durante a Intermed, competição que reúne as principais faculdades de medicina do Estado, que acontecerá de 3 a 10 de setembro em Santa Rita do Passa Quatro (SP). "A estratégia é demonstrar o medicamento fidelizando os futuros médicos. Para isto, serão distribuídos squeeze Flanax [garrafas para água com o logotipo do produto] e também manuais dos jogos", diz o texto.

4 Na avaliação do diretor de marketing da Bayer, Humberto De Biafe, a maneira como foi redigido o texto da ação de marketing não traduz a conduta da empresa nem com os médicos nem com os estudantes. "Nossa fidelização é por meio de informação, não pela distribuição de brindes", afirmou. Segundo ele, a empresa costuma divulgar o produto, vendido sem receita médica, em eventos esportivos, mas respeita as regras impostas pela Anvisa.

5 Gazeta Mercantil 29/08/2005 Indústria Novartis lança Prexige para consolidar liderança em antiinflamatórios São Paulo O mercado de antiinflamatórios inibidores da COX-2, categoria mais avançada que provoca menos efeitos gastrintestinais, parecia ter seus dias contados depois da turbulência causada pela retirada de circulação de Vioxx, da Merck, e Bextra, da Pfizer. Contudo, além dessas indústrias manterem um produto similar no mercado (Arcoxia e Celebra, respectivamente), as vendas dessa categoria estão reagindo e a suíça Novartis acaba de lançar o seu inibidor de COX-2, Prexige (lumiracoxibe) no Brasil. Primeiro país a comercializar o Prexige, produzido na Suíça, o medicamento foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no início do ano, disse Roberto Arruda, diretor da unidade de negócios general medicines da Novartis Biociências, a subsidiária brasileira, e chegou às farmácias no início deste mês. O novo antiinflamatório já foi aprovado também em outros 21 países, entre eles Reino Unido e Austrália. Conforme Arruda, Prexige chegou primeiro ao Brasil porque a subsidiária estava pronta para lançá-lo desde o final de 2004, quando reforçou a equipe de vendas com mais 100 profissionais. Até o final de 2005, ele será lançado em outros mercados. Com o medicamento, a Novartis espera expandir sua participação no mercado nacional de antiinflamatórios e manter a atual liderança, com quase 20% de participação, reconquistada no início deste ano. A empresa havia perdido essa posição com a entrada dos inibidores de COX-2 no final dos anos 1990 e com a concorrência dos genéricos a partir de 2000 aos seus principais produtos neste segmento, Cataflan e Voltaren. Arruda disse que o rebuliço causado pela retirada de Vioxx retraiu as vendas de antiinflamatórios a partir de outubro do ano passado, quando o produto saiu do mercado. Em 2004, foram 66 milhões de unidades comercializadas ante as 63 milhões do ano anterior, um crescimento de apenas 5% ante os 10,3% de aumento registrado no mercado em geral. Para o diretor da Novartis, esses dados não revelam que os problemas com os dois medicamentos tenha colocado sob suspeita toda a categoria dos COX-2. "São moléculas diferentes. E hoje já estamos observando uma recuperação, com a média mensal de faturamento alcançando os níveis anteriores", disse. Ele afirmou que em julho as vendas foram de R$ 62 milhões ante uma média mensal de R$ 65 milhões anteriormente, ainda elevada por causa da participação, principalmente, de Vioxx, que liderava o mercado. No acumulado dos últimos 12 meses até julho, os antiinflamatórios movimentaram R$ 782 milhões no Brasil. No ano passado, as vendas atingiram R$ 832 milhões. A classe dos COX-2, que já respondeu por 35% do faturamento, hoje representa cerca de 17% das vendas. Prexige pode acelerar a retomada do crescimento dessa classe, disse Arruda, porque há um grande número de pacientes que sofre com os efeitos colaterais dos antiinflamatórios tradicionais. Para conquistar esses pacientes, a empresa se munirá das pesquisas mundiais que realizou com cerca de 34 mil pessoas. "Os estudos mostram que não houve aumento de risco cardiovascular com o uso de Prexige em relação aos antiinflamatórios tradicionais. Em relação a pressão arterial, o aumento foi

6 bem inferior em comparação com os tradicionais e com os da mesma categoria", disse o gerente médico da Novartis, João Navarro.

7 Jornal do Commercio (RJ) 29/08/2005 Suas Contas Leis exigem que empresas coloquem dados precisos nos produtos De olho no rótulo GUSTAVO MONTEIRO Na correria do dia-a-dia, as compras nos supermercados, farmácias e outros estabelecimentos comerciais acabam sendo feitas sem a devida atenção. Os rótulos passam despercebidos ou não são lidos com a devida cautela. "Não tenho tempo de conferir tudo", admite a comissária de bordo Amanda Marchioro, que repara apenas a data de validade dos produtos. O que parece um esquecimento inocente pode se transformar em uma grande dor de cabeça. Assim como Amanda, muitos consumidores desatentos podem acabar levando para casa produtos fora do prazo de validade ou com componentes que oferecem riscos à saúde. Segundo o Código de Defesa do Consumidor (CDC), os rótulos devem contar uma série de dados, garantindo ao consumidor o direito à informação. As pessoas estão cada vez mais conscientes em relação à importância de ler os rótulos dos produtos, mas ainda não se percebe uma postura ativa. "Quando encontram algum problema na rotulagem, as pessoas acabam não reclamando ou entram em contato apenas com o fabricante, através dos serviços de atendimento. Ainda é inexpressivo o número de consumidores que recorrem aos Procons", comenta Maria Inês Dolci, consultora da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Pro Teste). Uma das principais reclamações dizem respeito ao tamanho das letras. Porém, ainda que alguns fabricantes desrespeitem certos itens, há que se admitir: eles estão mais conscientes. Maria Inês afirma que poucos estão em desacordo com as regras. O artigo 31 do Código de Defesa do Consumidor (Lei 8078/90) é bem claro em relação aos rótulos. Segundo o dispositivo, "a oferta e apresentação de produtos e serviços devem assegurar informações corretas, claras, precisas, ostensivas e em língua portuguesa sobre suas características, qualidades, quantidade, composição, preço, garantia, prazos de validade e origem, entre outros dados, bem como sobre riscos que apresentam à saúde e segurança dos consumidores." ROTINA DE TRABALHO EXIGE COMPRAS RÁPIDAS Casada, Amanda Marchioro tem uma rotina de trabalho pesada, que impede "passeios" mais demorados pelos supermercados. Uma vez por semana ela vai às compras no Leblon, onde mora. Por ser fiel às marcas preferidas e conhecer bem os alimentos, ela acaba não dando tanta atenção aos rótulos. "Eu e meu marido comemos sempre os mesmos produtos e por isso não me preocupo muito com as informações contidas nas embalagens." Ela admite, porém, que devido à problemas intestinais, passou a reparar a quantidade de fibras dos alimentos. "Só me preocupo com a validade e a presença de fibras. E apesar de fazer dieta, às vezes, não costumo verificar a tabela nutricional", comenta a comissária de bordo, que revela uma postura oposta em relação aos produtos de higiene e limpeza.

8 Leio os rótulos em casa porque preciso verificar, por exemplo, o modo de aplicação de produtos para passar no piso ou na pia. É bom também ler as embalagens dos produtos de higiene para saber como usar da forma correta comenta ela, que faz compra pesada de mantimentos uma vez por mês. No total, Amanda gasta cerca de R$ 400 mensais com as visitas ao supermercado. A consultora da Pro Teste alerta: é preciso estar atento aos produtos alimentícios que estiverem em gôndolas de promoção porque normalmente o prazo de validade está próximo de terminar. Segundo Maria Inês, os que mais lêem as informações dos rótulos são os consumidores que sofrem de algum problema de saúde, como diabetes, pressão alta ou celíaca (intolerância ao glúten, que pode causar diarréia crônica). A fiscalização cabe às seções regionais da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), ao Ministério da Agricultura e entidades locais. Mas o consumidor pode dar sua contribuição. Maria Inês orienta: ao perceberem problemas nos rótulos, as pessoas devem registrar reclamação na Anvisa, nas autoridades municipais ou no Procon. Se não houver Procon, a denúncia deve ser feita ao Ministério Público. "O que acontece é que, quando reclamam, as pessoas procuram os serviços de atendimento ao cliente e o problema acaba não sendo divulgado", arremata Maria Inês. Coordenadora de Qualidade do Grupo Pão de Açúcar no Estado, a nutricionista Flávia Marques, acredita que, nos últimos anos, a postura dos consumidores no que diz respeito aos cuidados com a compra dos produtos está mudando. "Estamos mais exigentes e correndo atrás dos nossos direitos. Por isso, estamos lendo mais os rótulos, ainda que tenhamos pouco tempo para fazer as compras", acredita Flávia. Segundo a nutricionista, no ano que vem, acabam-se as desculpas: as informações serão obrigatórias. De acordo com a Resolução RDC nº 360 (Anvisa), de 2003, a partir de 31 de julho de 2006, todos os alimentos e bebidas produzidos, comercializados e embalados na ausência do cliente e prontos para oferta ao consumidor devem apresentar rotulagem nutricional. - O perfil dos consumidores está mudando. Hoje existem muitas pessoas solteiras, que moram sozinhas e vão aos mercados mais vezes, gastando pouco tempo em cada compra. Normalmente, são fiéis a determinadas marcas e conhecem as características dos produtos. Por isso não dão tanta atenção à rotulagem - comenta Flávia. LEGISLAÇÃO REFERENTE A RÓTULAGEM Resolução RDC nº 360, de 2003, da Anvisa Determina que todos os alimentos e bebidas produzidos, comercializados e embalados na ausência do cliente e prontos para oferta ao consumidor devem apresentar rotulagem nutricional, com as seguintes especificações: valor energético, carboidratos, proteínas, gorduras totais, gorduras saturadas, gorduras trans, fibra alimentar e sódio. Artigo 8º do Código de Defesa do Consumidor (Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990) Determina que os produtos e serviços colocados no mercado de consumo não acarretarão riscos à saúde ou segurança dos consumidores, exceto os considerados normais e previsíveis em decorrência de sua natureza e fruição, obrigando-se os fornecedores, em qualquer hipótese, a dar as informações necessárias e adequadas a seu respeito. Artigo 31 do Código de Defesa do Consumidor (Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990) Determina que a oferta e apresentação de produtos e serviços devem assegurar informações corretas, claras, precisas, ostensivas e em língua portuguesa sobre suas características, qualidades, quantidade, composição, preço, garantia, prazos de validade e origem, entre outros dados, bem como sobre riscos que apresentam à saúde e segurança dos consumidores. Resolução RDC nº 259, de 20 de setembro de 2002, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária Determina que, em se tratando de produtos alimentícios ou farmacêuticos de qualquer natureza, a data de validade é obrigatória na rotulagem, ainda que seja indeterminada

9 ou imperecível, como o caso dos vinhos, por exemplo. Esta informação deve ser disposta na embalagem conforme Portaria do Inmetro nº 157/2002. Segundo a resolução, os alimentos embalados não devem ser descritos ou apresentar rótulo que utilize vocábulos, sinais, denominações, símbolos, emblemas, ilustrações ou outras representações gráficas que possam tornar a informação falsa, incorreta, insuficiente, ou que possa induzir o consumidor a equívoco, erro, confusão ou engano, em relação à verdadeira natureza, composição, procedência, tipo, qualidade, quantidade, validade, rendimento ou forma de uso do alimento. Portaria nº 10 de Inmetro, de 25 de janeiro de 2000 Define que todos os produtos pré-medidos que apresentarem, simultaneamente, numa mesma embalagem, fases sólida e líquida, deverão ter, impressas nas embalagens, as indicações quantitativas de peso líquido (produto e conservante) e o peso drenado (somente o produto objeto de comercialização). Os exemplos mais comuns são as sardinhas conservadas em óleo ou salmoura, azeitonas, champignon e picles, entre outros. Alguns gostam de prestar atenção ao fazer compras A assistente administrativa Cláudia Werneck pode ser considerada uma exceção. Atenta aos rótulos, ela lê todas as informações. E se diverte com elas. "Faço compras semanalmente e fico horas no supermercado. Pra mim é um grande prazer, me distrai e relaxa", garante Cláudia. Ainda que conferir os rótulos seja uma ação corriqueira, Cláudia admite que há um outro motivo curioso para o hábito: ela detesta cebola. "Leio com atenção cada item para conferir se não tem cebola", brinca ela, que gasta em média, R$ 400 com as compras, todos os meses. Como moro sozinha, gosto de comprar coisas práticas. Acabo consumindo muitos alimentos supérfluos revela Cláudia, que se distrai lendo os rótulos também em casa. "No sofá vendo televisão, aproveito para pegar os produtos e fico lendo. Adoro as novidades que surgem para cozinhar", afirma. Os produtos de limpeza também não ficam de fora: "como lavo as roupas na máquina, leio as embalagens de sabão em pó para saber se tira manchas. Mas confesso que compro mais pelo cheiro", diz. No geral, Cláudia se diz satisfeita com os rótulos, mas tem uma reclamação a fazer: "as letras, às vezes, são muito pequenas." O economista Augusto Leal, que mora em Ipanema, revela: só costuma ler todas as informações dos rótulos quando vai comprar o produto pela primeira vez. "Me preocupo com as tabelas nutricionais mas, como sei a quantidade de calorias de tudo o que consumo, não preciso ficar lendo", admite Leal, que não tem problemas crônicos de saúde e, por isso, não se preocupa tanto com os ingredientes dos alimentos. Leal já se confundiu algumas vezes com os prazos de validade, por causa da falta de visibilidade. "As informações deveriam vir mais explícitas", reclama. Ele diz que observa com mais freqüência os rótulos dos produtos de higiene, limpeza e outros que contêm componentes tóxicos, como iseticidas. "Leio mais os rótulos quando estou tomando café", revela o economista, que gasta cerca de R$ 500 com as compras do mês.

10 Jornal do Commercio (RJ) 29/08/2005 Tecnologia & Saúde Autorizado transplante inédito Banco privado poderá destinar material a parente Há uma semana, um banco privado de cordão umbilical recebeu autorização da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) para liberar o uso de um cordão em um transplante alogênico - feito entre parentes. O fato é inédito, pois desde que o setor foi regulamentado pelo Governo, em 2004, bancos privados só podem coletar e armazenar sangue de cordão umbilical autólogo - para uso do próprio "doador". A autorização foi solicitada em 16 de junho pelo banco paulista CordVida. A liberação, em caráter extraordinário, tem justificativa técnica. "O transplantado tinha excelente compatibilidade com o sangue do cordão do irmão", diz José Antônio de Faria Vilaça, da Gerência de Sangue, Células e Órgãos da Anvisa. Com a liberação, o transplante do cordão entre os irmãos foi marcado para o dia 30. Será o sétimo feito no País. O receptor é o gaúcho João Roberto Dorneles Júnior, de 4 anos. Há um ano ele recebeu o diagnóstico de leucemia. A primeira opção foi procurar uma medula compatível entre parentes de primeiro grau. Depois, inscrever o garoto no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome), coordenado pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca), no Rio. Lá, ele encontrou um doador. Nesse meio tempo, a mãe do garoto descobriu que estava grávida. O cordão do bebê, que nasceu em 14 de junho, era compatível com Roberto. "O benefício do sangue do cordão em relação à medula, além da riqueza em células-tronco, é que bastam quatro genes compatíveis entre doador e receptor. Com a medula, são necessários seis", explica Carlos Alberto Moreira Filho, diretor do Instituto de Pesquisa do Hospital Albert Einstein e coordenador do Projeto RedeCord, parceria entre bancos públicos em São Paulo. O impasse da família de Porto Alegre começou quando a opção foi pelo cordão umbilical. "Não existe lugar em Porto Alegre para coletar e armazenar cordão", conta Cláudio Galvão de Castro Júnior, oncologista do Hospital das Clínicas de Porto Alegre, o médico do menino. "A única solução foi procurar um banco privado. Mas nem em sonho eu poderia imaginar que para ter a liberação do cordão para o transplante seria necessária a autorização do governo". De acordo com o Sistema Nacional de Transplante (SNT), do Ministério da Saúde, o HC da capital gaúcha vai ser o próximo banco público do País. Hoje, há dois em funcionamento: Inca e Einstein. O caso levanta a polêmica discussão sobre a atuação dos bancos privados e a eficácia de transplantes autólogos. "A compatibilidade é garantida, mas o sucesso terapêutico, não. O próprio Einstein descartou 40% dos cordões para uso autólogo quando entrou para a rede pública. Mas, até então, nunca havíamos garantido às mães que queriam guardar o cordão dos filhos que ele seria eficaz", diz Moreira. Até hoje foram feitos cinco transplantes autólogos no mundo e 4 mil alogênicos. Uma das explicações é a genética. "Na pediatria, muitas doenças tratáveis com transplante têm componentes genéticos", diz Lygia da Veiga Pereira, chefe do Laboratório de Genética Molecular da Universidade e São Paulo. Outra é que o banco público aumenta as chances de qualquer pessoa achar um sangue de cordão compatível. Mas o fato é que os privados têm feito sucesso. Em apenas um ano, a CordVida, por exemplo, coletou cerca de mil amostras de autólogos.

11 histórico NO BRASIL NÚMERO DE CASOS Já ocorreram seis casos de transplantes com sangue de cordão umbilical no Brasil, de acordo com o Sistema Nacional de Transplantes, do Ministério da Saúde. BANCOS O Brasil conta com dois bancos públicos e cinco privados em funcionamento. BRASILCORD A rede nacional de cordões umbilicais tem a meta de ter dez bancos públicos filiados. O próximo será no Rio Grande do Sul LEGISLAÇÃO Bancos privados só podem armazenar cordões para uso autólogo (pela própria pessoa que doou). Todos os bancos públicos são para transplantes alogênicos (uso entre aparentados ou não). No mundo, foram feitos cinco transplantes autólogos e 4 mil alogênicos.

12 Zero Hora (RS) 29/08/2005 Economia Produtos da colônia pedem passagem Recursos do Bolsa Estiagem devem estar à disposição nesta semana, diz Rossetto ALEXANDRE DE SANTI O pavilhão da Agricultura Familiar sobreviveu ao primeiro teste na Expointer Logo no dia da sua inauguração oficial, a estrutura agüentou o temporal que atingiu Esteio, ontem, pela manhã. O barulho da chuva era tão alto que ficou difícil ouvir as autoridades que discursaram no ato de abertura do prédio, no parque Assis Brasil. O ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, disse que os recursos do Bolsa Estiagem - socorro aos produtores atingidos pela seca - devem ser liberados nesta semana. No Estado, 64 mil famílias serão beneficiadas com R$ 450, sendo R$ 300 do ministério e o restante do governo gaúcho. Rossetto também prometeu finalizar as novas normas sanitárias para desburocratizar a venda de produtos agroindustriais até o final do ano. Atualmente, as normas são definidas por órgãos municipais, estaduais e federais, além da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e do Ministério da Agricultura. Os produtores querem que as autorizações sejam unificadas para permitir que os agricultor possam vender seus produtos em outra cidade sem ter de pedir um novo documento. - A idéia é acabarmos com essa irracionalidade e permitir que o produtor tenha autorização nacional a partir da inspeção sanitária municipal. O atual padrão inibe a produção - disse o ministro, entre embutidos, queijos, bebidas destiladas e artesanato elaborados pelos pequenos produtores. Na Expointer 2005, foi aberta uma exceção para que os pequenos agricultores pudessem vender seus produtos somente com a autorização sanitária municipal. - Quando essa mudança acontecer teremos um novo momento na história da agricultura. A expectativa é grande - comemorou o presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Estado (Fetag), Ezídio Pinheiro. Rossetto anunciou a liberação de R$ 2,3 milhões para a Emater, em parceria com o Estado. Segundo o presidente da Emater, Caio Rocha, R$ 467 mil irão para a profissionalização de agricultores.

13 Diário de Pernambuco (PE) 29/08/2005 Cartas Cartas Aparato fiscalizatório Os custos governamentais com o SUS (Sistema Único de Saúde) seriam sensivelmente reduzidos se a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) desenvolvesse, a nível nacional, uma política de fiscalização, orientação e participação, destinada aos milhares de vendedores de refeições e lanches que proliferam desordenadamente nas ruas, calçadas e praças de nossas cidades. Aos alimentos fornecidos de origem ignorada ou com prazos de validade vencidos, soma-se a falta de higiene nas precárias instalações. As pessoas que por necessidade se utilizam destes "restaurantes", são de baixa renda, não possuindo portanto planos de saúde privados. Para o caso de intoxicações ou a contaminação por doenças transmissíveis, possuem como única alternativa de socorro o superlotado e deficiente SUS. Sérgio Villaça - Recife

PESQUISA INÉDITA DO CREMESP. 93% dos médicos recebem brindes e benefícios das empresas farmacêuticas e de equipamentos

PESQUISA INÉDITA DO CREMESP. 93% dos médicos recebem brindes e benefícios das empresas farmacêuticas e de equipamentos PESQUISA INÉDITA DO CREMESP 93% dos médicos recebem brindes e benefícios das empresas farmacêuticas e de equipamentos 80% dos médicos recebem visitas de representantes da indústria de medicamentos Estudo

Leia mais

O manipulador de alimentos tem que conferir todas as informações do rótulo?

O manipulador de alimentos tem que conferir todas as informações do rótulo? Os consumidores têm o direito de conhecer as características e a composição nutricional dos alimentos que adquirem. A legislação nacional estabelece algumas normas para registro dessas informações na rotulagem

Leia mais

ÍNDICE - 12/06/2005 O Estado de S.Paulo... 2 O Estado de S.Paulo... 2 Vida&...2 Revista IstoÉ...4 MEDICINA & BEM-ESTAR/Epidemia...

ÍNDICE - 12/06/2005 O Estado de S.Paulo... 2 O Estado de S.Paulo... 2 Vida&...2 Revista IstoÉ...4 MEDICINA & BEM-ESTAR/Epidemia... ÍNDICE - 12/06/2005 O Estado de S.Paulo...2 O Estado de S.Paulo...2 Vida&...2 Rede de bancos poderá facilitar transplantes...2 Revista IstoÉ...4 MEDICINA & BEM-ESTAR/Epidemia...4 Nem tão exemplar...4 O

Leia mais

Regulação de Alimentos GARANTIA DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL. CamPo E Na CidAde 5ª Conferência Nacional de. Segurança Alimentar e Nutricional

Regulação de Alimentos GARANTIA DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL. CamPo E Na CidAde 5ª Conferência Nacional de. Segurança Alimentar e Nutricional Regulação de Alimentos GARANTIA DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL ComIda de VerDadE no CamPo E Na CidAde 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional Texto elaborado pelo Grupo de Trabalho

Leia mais

ROTULAGEM DE ALIMENTOS

ROTULAGEM DE ALIMENTOS ROTULAGEM DE ALIMENTOS A rotulagem de alimentos apresenta uma importância muito relevante hoje para o consumidor, pois através da mesma, conseguimos repassar muitas informações aos mesmos, tais como prazo

Leia mais

O consumidor deve estar atento às informações do rótulo?

O consumidor deve estar atento às informações do rótulo? Os consumidores têm o direito de conhecer as características e a composição nutricional dos alimentos que adquirem. A legislação nacional estabelece algumas normas para registro dessas informações na rotulagem

Leia mais

Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Conselho Regional de Medicina rayer@usp.br

Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Conselho Regional de Medicina rayer@usp.br Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Conselho Regional de Medicina rayer@usp.br RELAÇÃO DOS MÉDICOS COM A INDÚSTRIA DE MEDICAMENTOS, ÓRTESES/ PRÓTESE E EQUIPAMENTOS MÉDICO-HOSPITALARES Conhecer

Leia mais

Conhecendo os Bancos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário

Conhecendo os Bancos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário Conhecendo os Bancos de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário Ajudando futuros pais a tomar uma decisão consciente Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa O que é sangue de cordão umbilical

Leia mais

ACORDO INÉDITO FIRMADO ENTRE CFM E INTERFARMA - 2012: EM DEFESA DAS BOAS PRÁTICAS NO RELACIONAMENTO ENTRE CLASSE MÉDICA E A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA

ACORDO INÉDITO FIRMADO ENTRE CFM E INTERFARMA - 2012: EM DEFESA DAS BOAS PRÁTICAS NO RELACIONAMENTO ENTRE CLASSE MÉDICA E A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA ACORDO INÉDITO FIRMADO ENTRE CFM E INTERFARMA - 2012: EM DEFESA DAS BOAS PRÁTICAS NO RELACIONAMENTO ENTRE CLASSE MÉDICA E A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA Camila Sarkovas Pedalini Advogada, Villaça Rodrigues &

Leia mais

RECOMENDAÇÃO Nº 05/2009

RECOMENDAÇÃO Nº 05/2009 Procedimento Administrativo Tutela Coletiva nº 1.34.030.000124/2009-41 RECOMENDAÇÃO Nº 05/2009 O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, pelo Procurador da República signatário, no uso de suas atribuições constitucionais

Leia mais

Rotulagem de alimentos embalados. Prof. Ismar Araújo de Moraes Departamento de fisiologia e Farmacologia da UFF Medico Veterinário S/SUBVISA-RIO

Rotulagem de alimentos embalados. Prof. Ismar Araújo de Moraes Departamento de fisiologia e Farmacologia da UFF Medico Veterinário S/SUBVISA-RIO Rotulagem de alimentos embalados Prof. Ismar Araújo de Moraes Departamento de fisiologia e Farmacologia da UFF Medico Veterinário S/SUBVISA-RIO Rotulagem É toda inscrição, legenda, imagem ou toda matéria

Leia mais

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA. PROJETO DE LEI N o 586, DE 2007 I RELATÓRIO. Cria o Dia Nacional do Doador Voluntário de Medula Óssea.

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA. PROJETO DE LEI N o 586, DE 2007 I RELATÓRIO. Cria o Dia Nacional do Doador Voluntário de Medula Óssea. COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA PROJETO DE LEI N o 586, DE 2007 Cria o Dia Nacional do Doador Voluntário de Medula Óssea. Autora: Deputada ALICE PORTUGAL Relator: Deputado LELO COIMBRA I RELATÓRIO O Projeto

Leia mais

MAIORES EMPRESAS AS CAMPEÃS DE 25 SETORES OS DESTAQUES DE CADA REGIÃO ESPECIAL ANÁLISE DOS BALANÇOS AS 250 MAIORES HOLDINGS OS 100 MAIORES BANCOS

MAIORES EMPRESAS AS CAMPEÃS DE 25 SETORES OS DESTAQUES DE CADA REGIÃO ESPECIAL ANÁLISE DOS BALANÇOS AS 250 MAIORES HOLDINGS OS 100 MAIORES BANCOS www.valoronline.com.br Agosto 2011 Ano 11 Número 11 R$ 20,00 VALOR ECONÔMICO AS 250 MAIORES HOLDINGS OS 100 MAIORES BANCOS edição 2011 MAIORES EMPRESAS AS CAMPEÃS DE 25 SETORES OS DESTAQUES DE CADA REGIÃO

Leia mais

e3 comunicação do bem nutrição. esporte. bem-estar

e3 comunicação do bem nutrição. esporte. bem-estar >Sobre a e3>> Agência de comunicação integrada que nasceu segmentada nas áreas de nutrição, bem-estar e esporte que visa promover uma comunicação saudável e promover produtos e serviços que tragam bem-estar

Leia mais

FUNDAMENTOS E HISTÓRIA DA NUTRIÇÃO. Profª Omara Machado Araujo de Oliveira

FUNDAMENTOS E HISTÓRIA DA NUTRIÇÃO. Profª Omara Machado Araujo de Oliveira FUNDAMENTOS E HISTÓRIA DA NUTRIÇÃO Profª Omara Machado Araujo de Oliveira Nutricionista (UFF) Mestre em Saúde Coletiva (UFF) Pós-Graduada em Nutrição Clínica ( UFF) ATRIBUIÇÕES LEGAIS E ESPECÍFICAS DO

Leia mais

ISSN: 2236-0123 Saúde em Foco, Edição nº: 07, Mês / Ano: 09/2013, Páginas: 29-34

ISSN: 2236-0123 Saúde em Foco, Edição nº: 07, Mês / Ano: 09/2013, Páginas: 29-34 ISSN: 2236-0123 Saúde em Foco, Edição nº: 07, Mês / Ano: 09/2013, Páginas: 29-34 AVALIAÇÃO DA ROTULAGEM DE BARRAS DE CEREAIS COM RELAÇÃO À ADEQUADA CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO TEOR DE FIBRAS ALIMENTARES Karime

Leia mais

Informativo Digital da Escola de Nutrição da UFBA N.117/2012

Informativo Digital da Escola de Nutrição da UFBA N.117/2012 Informativo Digital da Escola de Nutrição da UFBA N.117/2012 Salvador, 14 de setembro de 2012 A editora da UFBA, EDUFBA lançou vários livros ontem na Biblioteca Central da UFBA. O evento teve uma boa aceitação

Leia mais

MANDAMENTOS DO USO CORRETO DOS MEDICAMENTOS

MANDAMENTOS DO USO CORRETO DOS MEDICAMENTOS ELIEZER J. BARREIRO NATALIA MEDEIROS DE LIMA MANDAMENTOS DO USO CORRETO DOS MEDICAMENTOS ISBN 978-85-910137-1-5 INCT INOFAR/ Portal dos Fármacos 2009 DOS MEDICAMENTOS INCT INOFAR/ Portal dos Fármacos 2009

Leia mais

NUTRIÇÃO ENTERAL HOSPITAL SÃO MARCOS. Heloisa Portela de Sá Nutricionista Clínica do Hospital São Marcos Especialista em Vigilância Sanitária

NUTRIÇÃO ENTERAL HOSPITAL SÃO MARCOS. Heloisa Portela de Sá Nutricionista Clínica do Hospital São Marcos Especialista em Vigilância Sanitária NUTRIÇÃO ENTERAL HOSPITAL SÃO MARCOS Heloisa Portela de Sá Nutricionista Clínica do Hospital São Marcos Especialista em Vigilância Sanitária Secretária Nutricionista Gerente Nutricionista Planejamento

Leia mais

A ROTULAGEM DE ALIMENTOS PROMOVENDO O CONTROLE SANITÁRIO E A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

A ROTULAGEM DE ALIMENTOS PROMOVENDO O CONTROLE SANITÁRIO E A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Prefeitura Municipal do Natal Secretaria Municipal de Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Setor de Vigilância Sanitária Distrito Sanitário Oeste Núcleo de Vigilância Sanitária A ROTULAGEM DE ALIMENTOS

Leia mais

ÍNDICE - 20/07/2005 Folha de S.Paulo... 2 São Paulo/ SAÚDE...2 Diário da Manhã (GO)... 4 Cidades...4 Jornal do Commercio (PE)... 6 Brasil...

ÍNDICE - 20/07/2005 Folha de S.Paulo... 2 São Paulo/ SAÚDE...2 Diário da Manhã (GO)... 4 Cidades...4 Jornal do Commercio (PE)... 6 Brasil... ÍNDICE - 20/07/2005 Folha de S.Paulo...2 São Paulo/ SAÚDE...2 Menino é a 3ª vítima de sarampo no Sul...2 Diário da Manhã (GO)...4 Cidades...4 'Viagra em lata' gera autuações...4 Jornal do Commercio (PE)...6

Leia mais

Tendências no mercado da nutrição

Tendências no mercado da nutrição Parceiros Tendências no mercado da nutrição Apresentação: Nut. Juliana Tolêdo de Faria Graduada em Nutrição FANUT/UFG Esp. Nutrição em Saúde Pública FANUT/UFG Esp. Atividade Física e suas Bases Nutricionais

Leia mais

O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas.

O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas. O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas. Quando o campo se expande, mais profissionais chegam ao mercado, mais áreas de atuação se formam e a categoria conquista mais visibilidade.

Leia mais

COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA

COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA PROJETO DE LEI N o 3.055, DE 2004 (Apensados Projetos de Lei nº 4.555, de 2004, e nº 7.216, de 2006) Cria o Programa Nacional de Coleta, Armazenamento,

Leia mais

CLIPPING SINFARMIG RETORNO DE MÍDIA PESQUISA GENÉRICOS

CLIPPING SINFARMIG RETORNO DE MÍDIA PESQUISA GENÉRICOS CLIPPING SINFARMIG RETORNO DE MÍDIA PESQUISA GENÉRICOS Fonte: Jornal Estado de Minas - Caderno Opinião Fonte: Agência Brasil Fonte: Jornal Hoje em Dia - Carderno Economia Fonte: Jornal O Tempo VERSÕES

Leia mais

Pesquisa Clínica. Orientações aos pacientes

Pesquisa Clínica. Orientações aos pacientes Pesquisa Clínica Orientações aos pacientes 2009 Ministério da Saúde. É permitida a reprodução total ou parcial desta obra, desde que citada a fonte. Tiragem: 1000 exemplares Criação, Informação e Distribuição

Leia mais

ÍNDICE - 10/05/2005 O Estado de S.Paulo... 2 Vida&...2 hemoderivados Tribuna da Imprensa (RJ)... 4 Ciência / Ambiente...4

ÍNDICE - 10/05/2005 O Estado de S.Paulo... 2 Vida&...2 hemoderivados Tribuna da Imprensa (RJ)... 4 Ciência / Ambiente...4 ÍNDICE - O Estado de S.Paulo...2 Vida&...2 UFRJ tem receita para País economizar com hemoderivados...2 Tribuna da Imprensa (RJ)...4 Ciência / Ambiente...4 Brasil pode produzir e economizar com hemoderivados...4

Leia mais

TÍTULO: ROTULAGEM NUTRICIONAL: AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE EM ALIMENTOS DIET E LIGHT

TÍTULO: ROTULAGEM NUTRICIONAL: AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE EM ALIMENTOS DIET E LIGHT TÍTULO: ROTULAGEM NUTRICIONAL: AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE EM ALIMENTOS DIET E LIGHT CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: NUTRIÇÃO INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES

Leia mais

ROTULAGEM NUTRICIONAL: VOCÊ

ROTULAGEM NUTRICIONAL: VOCÊ ROTULAGEM NUTRICIONAL: VOCÊ SABE O QUE ESTÁ COMENDO? F. F. Paiva, G. Cavada, E. Helbig, L. R. Borges Flávia Fernandes Paiva Gramado, 2012 Introdução Vida mais corrida Modificações alimentares + Maus hábitos

Leia mais

Quais as vantagens do Benefício Farmácia?

Quais as vantagens do Benefício Farmácia? MENSAGEM DA GSAM/AMS Cumprindo o Acordo Coletivo de Trabalho de 2007/2008, a Petrobras Distribuidora implantou o Benefício Farmácia, que prevê condições especiais na aquisição de medicamentos pelos beneficiários

Leia mais

Manual de Rotulagem de Alimentos

Manual de Rotulagem de Alimentos Manual de Rotulagem de Alimentos Agosto 2013 Programa Mesa Brasil Sesc O Mesa Brasil Sesc é um programa de segurança alimentar e nutricional sustentável, que redistribui alimentos excedentes próprios para

Leia mais

Profa Tânia Maria Leite da Silveira

Profa Tânia Maria Leite da Silveira Profa Tânia Maria Leite da Silveira Como o consumidor adquire informações sobre os alimentos? Conhecimento da família Educação Mídia Publicidade Rotulagem Importância da rotulagem Informações corretas

Leia mais

Longo caminho. Acontece no mundo inteiro. Os doentes crônicos

Longo caminho. Acontece no mundo inteiro. Os doentes crônicos Gestão Foto: dreamstime.com Longo caminho Medida da ANS inicia discussão sobre a oferta de medicamentos ambulatoriais para doentes crônicos pelas operadoras de saúde Por Danylo Martins Acontece no mundo

Leia mais

O Renal é um ser humano como todos e tem seu direito de ser respeitado e não ter vergonha de ser renal. Jaderson

O Renal é um ser humano como todos e tem seu direito de ser respeitado e não ter vergonha de ser renal. Jaderson Jaderson é um garoto de 11 anos, portador de insuficiência renal crônica, paciente do Serviço de Hemodiálise Pediátrica do Hospital Roberto Santos em Salvador-BA. É uma criança muito inteligente e talentosa,

Leia mais

Cobertura de saúde: perfis, temas, desafios. Jornalista

Cobertura de saúde: perfis, temas, desafios. Jornalista Cobertura de saúde: perfis, temas, desafios Fabiane Leite Jornalista Mídia 50% da produção de conteúdo jornalístico novo vem de jornais 46% - mídias tradicionais, TV, rádio 4% - novas mídias, plataformas

Leia mais

Amostra grátis de remédios: ANVISA regula a produção e dispensação

Amostra grátis de remédios: ANVISA regula a produção e dispensação Amostra grátis de remédios: ANVISA regula a produção e dispensação Profª Dra Roseli Calil / DEC Enfº Adilton D. Leite / SADP A ANVISA, através da RDC (RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA da Agência Nacional

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO PROGRAMA DE ANÁLISE DE PRODUTOS: RELATÓRIO

Leia mais

sobre pressão alta Dr. Decio Mion

sobre pressão alta Dr. Decio Mion sobre pressão alta Dr. Decio Mion 1 2 Saiba tudo sobre pressão alta Dr. Decio Mion Chefe da Unidade de Hipertensão do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP)

Leia mais

Apresentação. O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional dos rótulos

Apresentação. O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional dos rótulos O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional dos rótulos Valor Energético É a energia produzida pelo nosso corpo proveniente dos carboidratos, proteínas e gorduras totais. Na rotulagem

Leia mais

ÍNDICE - 29/11/2004 Folha de S.Paulo...2 Folha de S.Paulo...2 Dinheiro/ LENTIDÃO...2 Folha de S.Paulo...4 São Paulo/ OUTRO LADO...

ÍNDICE - 29/11/2004 Folha de S.Paulo...2 Folha de S.Paulo...2 Dinheiro/ LENTIDÃO...2 Folha de S.Paulo...4 São Paulo/ OUTRO LADO... ÍNDICE - Folha de S.Paulo...2 Folha de S.Paulo...2 Dinheiro/ LENTIDÃO...2 Propriedade intelectual enfrenta gargalo...2 Folha de S.Paulo...4 São Paulo/ OUTRO LADO...4 Barato é "falso", diz representante

Leia mais

MEDICAMENTOS. CAPACITAÇÃO EM FARMACOLOGIA PARA AS EQUIPES DE SAÚDE BUCAL Auxiliares e Técnicos em Saúde Bucal 2015

MEDICAMENTOS. CAPACITAÇÃO EM FARMACOLOGIA PARA AS EQUIPES DE SAÚDE BUCAL Auxiliares e Técnicos em Saúde Bucal 2015 MEDICAMENTOS CAPACITAÇÃO EM FARMACOLOGIA PARA AS EQUIPES DE SAÚDE BUCAL Auxiliares e Técnicos em Saúde Bucal 2015 Parceria: Farmácia Escola da UFRGS - Programa Farmácia Popular Programa de Pós-Graduação

Leia mais

ELABORAÇÃO DE RÓTULOS PARA PRODUTOS DE PANIFICAÇÃO DO MOSTEIRO DA RESSURREIÇÃO

ELABORAÇÃO DE RÓTULOS PARA PRODUTOS DE PANIFICAÇÃO DO MOSTEIRO DA RESSURREIÇÃO 110. ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( X ) TECNOLOGIA ELABORAÇÃO DE RÓTULOS PARA

Leia mais

ÍNDICE - 06/08/2004 O Estado de S.Paulo... 2 Geral...2 Folha de S.Paulo... 3 Opinião...3 O Dia (RJ)... 4 Ciência & Saúde...4

ÍNDICE - 06/08/2004 O Estado de S.Paulo... 2 Geral...2 Folha de S.Paulo... 3 Opinião...3 O Dia (RJ)... 4 Ciência & Saúde...4 ÍNDICE - O Estado de S.Paulo...2 Geral...2 EUA vão investigar remédio regulador do colesterol...2 Folha de S.Paulo...3 Opinião...3 PAINEL DO LEITOR...3 Genéricos...3 O Dia (RJ)...4 Ciência & Saúde...4

Leia mais

Valor Econômico 23/02/2007 Empresas Vacina contra câncer de próstata é aposta da gaúcha FK

Valor Econômico 23/02/2007 Empresas Vacina contra câncer de próstata é aposta da gaúcha FK Valor Econômico Empresas Vacina contra câncer de próstata é aposta da gaúcha FK Sérgio Bueno Criada pelo médico gaúcho Fernando Kreutz, de 39 anos, uma vacina terapêutica contra o câncer da próstata pode

Leia mais

ÍNDICE - 02/09/2004 O Globo... 2 Cartas...2 Folha de S.Paulo... 3 Folha de S.Paulo... 3 São Paulo/ SAÚDE...3

ÍNDICE - 02/09/2004 O Globo... 2 Cartas...2 Folha de S.Paulo... 3 Folha de S.Paulo... 3 São Paulo/ SAÚDE...3 ÍNDICE - O Globo...2 Cartas...2 Cartas dos leitores...2 Excesso de farmácias...2 Folha de S.Paulo...3 Folha de S.Paulo...3 São Paulo/ SAÚDE...3 Anvisa retira cinco inseticidas da relação de produtos que

Leia mais

UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR

UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR Nas contas do ex-reitor da USP, anteprojeto da reforma não atende ao acordo com os reitores REFORMA UNIVERSITÁRIA Gabriel Manzano Filho O aumento de recursos

Leia mais

Assistência. Assistência no INCA

Assistência. Assistência no INCA Assistência A qualidade do tratamento oferecido aos pacientes pelo Sistema Único de Saúde é de alta prioridade entre as ações desenvolvidas para o controle do câncer no Brasil. Por tratar-se de uma doença

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI N.º 1.480, DE 2003

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI N.º 1.480, DE 2003 COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI N.º 1.480, DE 2003 Obriga a divulgação de advertência sobre obesidade em embalagens de produtos altamente calóricos. Autor: Deputado LINCOLN PORTELA

Leia mais

Folha de Londrina (PR) 02/02/2006 Saúde Vigilância Sanitária Vigilância Sanitária Anvisa Saúde Saúde Anvisa Anvisa Saúde Anvisa Saúde

Folha de Londrina (PR) 02/02/2006 Saúde Vigilância Sanitária Vigilância Sanitária Anvisa Saúde Saúde Anvisa Anvisa Saúde Anvisa Saúde Folha de Londrina (PR) Geral Saúde investiga mortes de bebês no Paraná Sete crianças teriam morrido em circunstâncias parecidas em hospitais de Curitiba e Apucarana Curitiba- A Vigilância Sanitária Estadual,

Leia mais

www.procon.rs.gov.br Produzido em:06/09. Governo do Estado do Rio Grande do Sul CARTILHA DO CONSUMIDOR Trabalhando em prol da cidadania Apresentação O PROCON-RS através desta cartilha visa orientar de

Leia mais

RDC 60. Perguntas e Respostas. RDC nº 60, RDC 60 - PERGUNTAS E RESPOSTAS

RDC 60. Perguntas e Respostas. RDC nº 60, RDC 60 - PERGUNTAS E RESPOSTAS Regulamentação SOBRE AMOSTRAS GRÁTIS DE MEDICAMENTOS RDC 60 Perguntas e Respostas RDC nº 60, de 26 de NOVEmbro de 2009 1 Regulamentação SOBRE AMOSTRAS GRÁTIS RDC 60 Perguntas e Respostas RDC nº 60, de

Leia mais

ROTULAGEM DE ALIMENTOS

ROTULAGEM DE ALIMENTOS ROTULAGEM DE ALIMENTOS Profª Ana Paula F. Bernardes Silva A QUEM COMPETE MINISTÉRIO DA SAÚDE: Produtos de origem animal; Vegetais e cereais (grãos) in natura; Bebidas e vinagre; Mel. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA:

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS PAIS

A IMPORTÂNCIA DOS PAIS 1 A IMPORTÂNCIA DOS PAIS NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR ELABORADO POR LUCILEIDE RODRIGUES DOS SANTOS Gerente de Supervisão e Avaliação DAE SEED/SE 2 EQUIPE DAE SEED/SE Edneia Elisabete Cardoso Diretora DAE - SEED/SE

Leia mais

Programa de rotulagem. O programa como um expositor de irregularidades

Programa de rotulagem. O programa como um expositor de irregularidades Programa de rotulagem O programa como um expositor de irregularidades RÓTULOS O rótulo identifica o produto, a sua quantidade, a sua origem e o seu responsável. A colocação do rótulo é uma exigência da

Leia mais

- GUIA DO EMPRESÁRIO - Lucros Bons e Lucros Ruins

- GUIA DO EMPRESÁRIO - Lucros Bons e Lucros Ruins - GUIA DO EMPRESÁRIO - Lucros Bons e Lucros Ruins Planeta Contábil 2008 Todos os Direitos Reservados (www.planetacontabil.com.br) 1/5 Lucros Bons e Lucros Ruins Podemos pensar que lucrar é sempre bom,

Leia mais

BOAS PRÁTICAS NO DIA A DIA DAS CLÍNICAS DE IMAGEM

BOAS PRÁTICAS NO DIA A DIA DAS CLÍNICAS DE IMAGEM BOAS PRÁTICAS NO DIA A DIA DAS CLÍNICAS DE IMAGEM Introdução ÍNDICE Boas práticas no dia a dia das clínicas de imagem A Importância de se estar conectado às tendências As melhores práticas no mercado de

Leia mais

SENADO FEDERAL CONSULTORIA LEGISLATIVA ESTUDO Nº 376, DE 2003

SENADO FEDERAL CONSULTORIA LEGISLATIVA ESTUDO Nº 376, DE 2003 SENADO FEDERAL CONSULTORIA LEGISLATIVA ESTUDO Nº 376, DE 2003 Referente à STC nº 200305985, da Senadora LÚCIA VÂNIA, solicitando subsídios para a audiência pública a ser realizada no âmbito da Subcomissão

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS O presente Projeto de Lei tem como base e inspiração a Lei Federal nº 11.930, de 22 de abril de 2009, de autoria do deputado federal Beto Albuquerque uma homenagem a seu filho e a

Leia mais

ANEXO I REGULAMENTO TÉCNICO ACERCA DA EMBALAGEM, ROTULAGEM E PROPAGANDA DE PRODUTOS DESTINADOS À ALIMENTAÇÃO ANIMAL

ANEXO I REGULAMENTO TÉCNICO ACERCA DA EMBALAGEM, ROTULAGEM E PROPAGANDA DE PRODUTOS DESTINADOS À ALIMENTAÇÃO ANIMAL ANEXO I REGULAMENTO TÉCNICO ACERCA DA EMBALAGEM, ROTULAGEM E PROPAGANDA DE PRODUTOS DESTINADOS À ALIMENTAÇÃO ANIMAL CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este Regulamento estabelece normas específicas

Leia mais

PROJETO DE LEI N o 3.055, de 2004 (Apensos os PLs 4.555, de 2004; 7.216, de 2006; 2.458, de 2007; 3.322, de 2012 e 3.786, de 2012)

PROJETO DE LEI N o 3.055, de 2004 (Apensos os PLs 4.555, de 2004; 7.216, de 2006; 2.458, de 2007; 3.322, de 2012 e 3.786, de 2012) COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI N o 3.055, de 2004 (Apensos os PLs 4.555, de 2004; 7.216, de 2006; 2.458, de 2007; 3.322, de 2012 e 3.786, de 2012) Cria o Programa Nacional de Coleta,

Leia mais

alimentação saudável: fique esperto! Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa

alimentação saudável: fique esperto! Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa alimentação saudável: fique esperto! Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa alimentação saudável: fique esperto! Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL A alimentação

Leia mais

DÚVIDAS MAIS FREQUENTES NO BALCÃO DA FARMÁCIA

DÚVIDAS MAIS FREQUENTES NO BALCÃO DA FARMÁCIA DÚVIDAS MAIS FREQUENTES NO BALCÃO DA FARMÁCIA Neste módulo vamos tratar de situações que envolvem dúvidas quanto à melhor maneira de agir e as práticas permitidas ou não pela legislação, mas que, comumente,

Leia mais

SEÇÃO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS

SEÇÃO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS SEÇÃO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS O Código de Conduta da INTERFARMA surgiu em 2007, com o objetivo de formalizar o compromisso das empresas associadas à INTERFARMA em dirigir suas atividades e relacionamentos

Leia mais

Pesquisas brasileiras sobre câncer e doenças cardíacas e cerebrais colocam o País na vanguarda da medicina mundial

Pesquisas brasileiras sobre câncer e doenças cardíacas e cerebrais colocam o País na vanguarda da medicina mundial ISTOÉ - Independente Imprimir Especial BRASIL POTÊNCIA Edição: 2095 30.Dez.09-15:00 Atualizado em 06.Fev.13-12:48 Na Dianteira Do Conhecimento Pesquisas brasileiras sobre câncer e doenças cardíacas e cerebrais

Leia mais

SERVIÇO DE CLÍNICA FARMACÊUTICA SMS/CURITIBA Data: / /

SERVIÇO DE CLÍNICA FARMACÊUTICA SMS/CURITIBA Data: / / SERVIÇO DE CLÍNICA FARMACÊUTICA SMS/CURITIBA Data: / / PERFIL DO PACIENTE : Encaminhamento Equipe Alta Hospitalar Busca Ativa Outra Nome: Cartão SUS: Data de nascimento: Idade: Gênero: Masculino Feminino

Leia mais

INTERAÇÃO DAS ENGENHARIAS COM O ENSINO MÉDIO: ENGENHARIAS EM PRÁTICA OFICINA SOBRE ROTULAGEM E LEGISLAÇÃO DE ALIMENTOS

INTERAÇÃO DAS ENGENHARIAS COM O ENSINO MÉDIO: ENGENHARIAS EM PRÁTICA OFICINA SOBRE ROTULAGEM E LEGISLAÇÃO DE ALIMENTOS 9. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( x ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

Oficina CN/EM 2012. Alimentos e nutrientes (web aula) H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo humano.

Oficina CN/EM 2012. Alimentos e nutrientes (web aula) H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo humano. Oficina CN/EM 2012 Alimentos e nutrientes (web aula) Caro Monitor, Ao final da oficina, o aluno terá desenvolvido as habilidade: H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo

Leia mais

Artigos do. Jornal do CRM-MG. * Relação de médicos com a indústria farmacêutica

Artigos do. Jornal do CRM-MG. * Relação de médicos com a indústria farmacêutica Artigos do Jornal do CRM-MG Dezembro de 2008 * Projeto de lei desestimula automedicação * Relação de médicos com a indústria farmacêutica Janeiro de 2009 * Anvisa estabelece novas regras para a relação

Leia mais

Estratégias Governamental para Redução do Sódio

Estratégias Governamental para Redução do Sódio VIII REUNIÃO DA VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE ALIMENTOS Goiânia, 22,23 e 24/08/12 Estratégias Governamental para Redução do Sódio DENISE DE OLIVEIRA RESENDE Gerente-Geral de Alimentos Ações Governamentais :

Leia mais

Desafios e Perspectivas para a Educação Alimentar e Nutricional

Desafios e Perspectivas para a Educação Alimentar e Nutricional I FÓRUM DE EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRICIONAL PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE Desafios e Perspectivas para a Educação Alimentar e Nutricional Ações do Ministério da Saúde Brasília-DF, 17/10/06 Educação Alimentar

Leia mais

PORTARIA Nº 2.600, DE 21 DE OUTUBRO DE 2009 [...] ANEXO VI NORMAS PARA AUTORIZAÇÃO DE EQUIPES ESPECIALIZADAS E ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE

PORTARIA Nº 2.600, DE 21 DE OUTUBRO DE 2009 [...] ANEXO VI NORMAS PARA AUTORIZAÇÃO DE EQUIPES ESPECIALIZADAS E ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE PORTARIA Nº 2.600, DE 21 DE OUTUBRO DE 2009 Aprova o Regulamento Técnico do Sistema Nacional de Transplantes. [...] ANEXO VI NORMAS PARA AUTORIZAÇÃO DE EQUIPES ESPECIALIZADAS E ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CONCEITOS NUTRICIONAIS EM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL

AVALIAÇÃO DE CONCEITOS NUTRICIONAIS EM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL AVALIAÇÃO DE CONCEITOS NUTRICIONAIS EM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL GEORG, Raphaela de Castro; MAIA, Polyana Vieira. Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Goiás rcgeorg@gmail.com Palavras

Leia mais

LEI Nº 9.434, DE 04 DE FEVEREIRO DE 1997

LEI Nº 9.434, DE 04 DE FEVEREIRO DE 1997 LEI Nº 9.434, DE 04 DE FEVEREIRO DE 1997 Dispõe sobre a remoção de órgãos, tecidos e partes do corpo humano para fins de transplante e tratamento e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço

Leia mais

Palavras-chave Rotulagem de alimentos, consumidores, supermercados, hipermercados

Palavras-chave Rotulagem de alimentos, consumidores, supermercados, hipermercados Avaliação do hábito de leitura pelos consumidores de rótulos de alimentos e bebidas comercializados em supermercados e hipermercados na região metropolitana de Belo Horizonte Marina Celle BRANDÃO 1, Wemerson

Leia mais

VAMOS PLANEJAR... As três palavras mágicas para um bom planejamento financeiro...

VAMOS PLANEJAR... As três palavras mágicas para um bom planejamento financeiro... FASCÍCULO IV VAMOS PLANEJAR... Se você ainda não iniciou seu planejamento financeiro, é importante fazê-lo agora, definindo muito bem seus objetivos, pois, independentemente da sua idade, nunca é cedo

Leia mais

PARECER N, DE 2009. RELATOR: Senador GILVAM BORGES

PARECER N, DE 2009. RELATOR: Senador GILVAM BORGES PARECER N, DE 2009 Da COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE, DEFESA DO CONSUMIDOR E FISCALIZAÇÃO E CONTROLE (CMA), sobre o Projeto de Lei do Senado n 196, de 2007, de autoria do Senador Jayme Campos, que acrescenta

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO 2013

AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO 2013 1 AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO Temas 2 Objetivo e metodologia Utilização dos serviços do plano de saúde e ocorrência de problemas Reclamação ou recurso contra o plano de

Leia mais

Vida nova Jovens contam como superaram doenças graves. Depois de um câncer de mama aos 23 anos, Dolores Cardoso teve um filho, escreveu um livro e

Vida nova Jovens contam como superaram doenças graves. Depois de um câncer de mama aos 23 anos, Dolores Cardoso teve um filho, escreveu um livro e Sexta Vida nova Jovens contam como superaram doenças graves. Depois de um câncer de mama aos 23 anos, Dolores Cardoso teve um filho, escreveu um livro e mudou o rumo da vida profissional FOLHA DA SEXTA

Leia mais

julho 2011 www.sm.com.br

julho 2011 www.sm.com.br www.sm.com.br Uma publicação do Grupo Lund ano 42 nº 7 julho 2011 DOIS (BONS) PROGRAMAS DE FIDELIDADE COMO DECIDIR O MELHOR NÍVEL DE ESTOQUE MÍDIA DIGITAL A TV QUE FAZ DINHEIRO UNILEVER DEFINE MIX DE 80

Leia mais

A ZONA DE CONFORTO DOS ADVOGADOS: PORQUE OS ESCRITÓRIOS ABANDONAM O SUCESSO.

A ZONA DE CONFORTO DOS ADVOGADOS: PORQUE OS ESCRITÓRIOS ABANDONAM O SUCESSO. A ZONA DE CONFORTO DOS ADVOGADOS: PORQUE OS ESCRITÓRIOS ABANDONAM O SUCESSO. Caro Advogado, Gostaria de começar este artigo com a pergunta mais misteriosa do mundo jurídico: por que alguns escritórios

Leia mais

Limites de Atuação das Agências Reguladoras na Disciplina da Propaganda de Produtos Comerciais: Poder de Polícia Reforçado ou Poder Normativo?

Limites de Atuação das Agências Reguladoras na Disciplina da Propaganda de Produtos Comerciais: Poder de Polícia Reforçado ou Poder Normativo? 46 Limites de Atuação das Agências Reguladoras na Disciplina da Propaganda de Produtos Comerciais: Poder de Polícia Reforçado ou Poder Normativo? Flávia de Azevedo Faria Rezende Chagas O palestrante iniciou

Leia mais

REQUERIMENTO N DE 2013 (dos Srs. Fernando Francischini e Willian Dib)

REQUERIMENTO N DE 2013 (dos Srs. Fernando Francischini e Willian Dib) REQUERIMENTO N DE 2013 (dos Srs. Fernando Francischini e Willian Dib) Requer a realização de Audiência Pública com os convidados que indica para discutir a negativa da Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Leia mais

Art. 1º - O artigo 104 do Decreto Estadual nº 31.455, de 20 de fevereiro de 1987, passa a vigorar com a seguinte redação:

Art. 1º - O artigo 104 do Decreto Estadual nº 31.455, de 20 de fevereiro de 1987, passa a vigorar com a seguinte redação: DECRETO Nº 2, DE 8 DE JANEIRO DE 2015. Altera e acresce dispositivos ao Decreto nº 31.455, de 1987, que regulamenta os arts. 30 e 31 da Lei nº 6.320, de 20 de dezembro de 1983, que dispõem sobre alimentos

Leia mais

MEDICAMENTOS GENÉRICOS

MEDICAMENTOS GENÉRICOS MEDICAMENTO GENÉRICO Uma importante conquista para a saúde pública no Brasil 15 anos 15 anos , 15 ANOS DE BENEFÍCIOS PARA A SOCIEDADE BRASILEIRA. Ao completar 15 anos de existência no país, os medicamentos

Leia mais

CONTROLE DA INFECÇÃO HOSPITALAR É DEFICIENTE EM MAIS DE 90% DOS HOSPITAIS DE SÃO PAULO

CONTROLE DA INFECÇÃO HOSPITALAR É DEFICIENTE EM MAIS DE 90% DOS HOSPITAIS DE SÃO PAULO CONTROLE DA INFECÇÃO HOSPITALAR É DEFICIENTE EM MAIS DE 90% DOS HOSPITAIS DE SÃO PAULO 13/04/2009 Levantamento inédito sobre a situação do controle da infecção hospitalar realizado pelo Conselho Regional

Leia mais

Rotulagem Nutricional Obrigatória Manual de Orientação aos Consumidores Educação para o Consumo Saudável

Rotulagem Nutricional Obrigatória Manual de Orientação aos Consumidores Educação para o Consumo Saudável Rotulagem Nutricional Obrigatória Manual de Orientação aos Consumidores Educação para o Consumo Saudável Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária Gerência Geral de Alimentos Universidade

Leia mais

ÍNDICE - 05/12/2004. Jornal do Brasil... 2 Brasília... 2 Consumidor reclama das feiras da cidade... 2 Folha de S.Paulo... 3

ÍNDICE - 05/12/2004. Jornal do Brasil... 2 Brasília... 2 Consumidor reclama das feiras da cidade... 2 Folha de S.Paulo... 3 ÍNDICE - Jornal do Brasil... 2 Brasília... 2 Consumidor reclama das feiras da cidade... 2 Folha de S.Paulo... 3 Folha de S.Paulo... 3 Capa/São Paulo/ SAÚDE... 3 Pele negra também exige protetor solar...

Leia mais

O UNIVERSITÁRI FACULDADE ATENAS ESTÁ INTEGRADA COM A COMUNIDADE DE PARACATU

O UNIVERSITÁRI FACULDADE ATENAS ESTÁ INTEGRADA COM A COMUNIDADE DE PARACATU FACULDADE ATENAS ESTÁ INTEGRADA COM A COMUNIDADE DE PARACATU COM A REALIZAÇÃO DE DIVERSAS ATIVIDADES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL, A INSTITUIÇÃO PROPORCIONA FORMAÇÃO HUMANIZADA AOS ALUNOS E TRAZ BENEFÍCIOS

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 (Do Sr. Carlos Bezerra) O Congresso Nacional decreta: JUSTIFICAÇÃO

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 (Do Sr. Carlos Bezerra) O Congresso Nacional decreta: JUSTIFICAÇÃO PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 (Do Sr. Carlos Bezerra) Proíbe a utilização de papel reciclado na fabricação de embalagem de produtos alimentícios. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Fica proibido a utilização

Leia mais

ÍNDICE - 19/08/2004 Correio Braziliense...2 Brasil...2 O Globo...3 Economia...3 Gazeta Mercantil...4 Gazeta Mercantil...4 Nacional...

ÍNDICE - 19/08/2004 Correio Braziliense...2 Brasil...2 O Globo...3 Economia...3 Gazeta Mercantil...4 Gazeta Mercantil...4 Nacional... ÍNDICE - Correio Braziliense...2 Brasil...2 Notas...2 saúde...2 Remédio sem propaganda...2 O Globo...3 Economia...3 Farmácias não vão poder anunciar remédios...3 Glaxo abre mão de patente na China...3

Leia mais

Mentiras por Omissão: O Relatório Completo

Mentiras por Omissão: O Relatório Completo CurasdoCancer.com apresenta Mentiras por Omissão: O Relatório Completo Obrigado por fazer o download do Relatório Completo em PDF. No nosso slideshow tivemos que condensar e compressar a informação para

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Panificação. Alimentos. Subprodutos. Introdução

PALAVRAS-CHAVE Panificação. Alimentos. Subprodutos. Introdução 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

Alimentação Sem Glúten: Tratamento, Abordagem e Principais Dificuldades do Doente Celíaco

Alimentação Sem Glúten: Tratamento, Abordagem e Principais Dificuldades do Doente Celíaco Alimentação Sem Glúten: Tratamento, Abordagem e Principais Dificuldades do Doente Celíaco Unidade de Nutrição. Serviço de Pediatria UAG MC H S João Faculdade Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade

Leia mais

BIBLIOGRAFIA. Oficina Rotulagem de Alimentos

BIBLIOGRAFIA. Oficina Rotulagem de Alimentos BIBLIOGRAFIA Oficina Rotulagem de Alimentos Oficina do Eixo: Direitos, Participação e Cidadania Realização: 04 a 08 de maio de 2015 Facilitadora: Ana Paula Bortoletto Bibliografia Básica Entrevistas: Rótulos

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Maio 2015

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Maio 2015 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC Maio 2015 Rio de Janeiro, 10 de junho de 2015 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Maio 2015 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO

Leia mais

Frutas e Hortaliças embaladas Aspectos Legais

Frutas e Hortaliças embaladas Aspectos Legais Frutas e Hortaliças embaladas Aspectos Legais A embalagem é instrumento de identificação, proteção, movimentação e exposição das frutas e hortaliças frescas. Ela identifica o produto e o seu responsável.

Leia mais

ÍNDICE - 22/08/2006 Tribuna da Imprensa (RJ)...2 Ciência/ Ambiente...2 A Notícia (SC)...3 País/Mundo...3

ÍNDICE - 22/08/2006 Tribuna da Imprensa (RJ)...2 Ciência/ Ambiente...2 A Notícia (SC)...3 País/Mundo...3 ÍNDICE - Tribuna da Imprensa (RJ)...2 Ciência/ Ambiente...2 Descobertas novas drogas para inibir metástase...2 A Notícia (SC)...3 País/Mundo...3 Novos remédios para metástase...3 Jornal de Santa Catarina

Leia mais

RESUMO SEMANAL DO SETOR Farmoquímico e Farmacêutico EDIÇÃO 30/14

RESUMO SEMANAL DO SETOR Farmoquímico e Farmacêutico EDIÇÃO 30/14 Caso não deseje receber este periódico, basta responder o presente e-mail colocando no Assunto "SUSPENDER ENVIO". RESUMO SEMANAL DO SETOR Farmoquímico e Farmacêutico EDIÇÃO 30/14 1 LEGISLAÇÃO 1.1 Aresto

Leia mais

Reportagem Gestão de Resíduos

Reportagem Gestão de Resíduos 22 Reportagem Gestão de Resíduos Conexão 32 Setembro/Outubro 2010 23 Enfermagem na gestão de resíduos Uma das etapas mais complexas da segurança e da limpeza hospitalar está relacionada à gestão dos Resíduos

Leia mais

AVALIAÇÃO DA COMPRA DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS POR CONSUMIDORES EM UM SUPERMERCADO NO MUNICÍPIO DE PALMEIRA DAS MISSÕES/RS 1. Cindy Lirio Brittes 2.

AVALIAÇÃO DA COMPRA DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS POR CONSUMIDORES EM UM SUPERMERCADO NO MUNICÍPIO DE PALMEIRA DAS MISSÕES/RS 1. Cindy Lirio Brittes 2. AVALIAÇÃO DA COMPRA DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS POR CONSUMIDORES EM UM SUPERMERCADO NO MUNICÍPIO DE PALMEIRA DAS MISSÕES/RS 1 Cindy Lirio Brittes 2. 1 Projeto de Iniciação Científica do Demartamento de Ciências

Leia mais